Embalagens como Ferramentas de Marketing

1.709 visualizações

Publicada em

Aula ministrada para o 4º período de administração da faculdade Santa Cruz, sobre como utilizar as embalagens de produtos como ferramentas de marketing capazes de gerar impacto, conversão e resultados.

Publicada em: Marketing
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.709
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
67
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
139
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Embalagens como Ferramentas de Marketing

  1. 1. EMBALAGENS ALEXANDRE CONTE Consultor de Marketing: Level UP – Marketing Experience Atuante no Mercado de Comunicação e Marketing + 14 anos. Mestrando em Administração: Estratégias de Marketing e Comportamento do Consumidor: UFPR Especialização em Marketing: FAE Business School Graduação em Desenho Industrial – Programação Visual: PUCPR Técnico em Processamento de Dados: SPEI acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  2. 2. NECESSIDADES Qual a primeira utilidade da embalagem na história? [ ] Proteger / Conservar [ ] Facilitar o transporte [ ] Identificar o conteúdo [ ] Agregar valor ao camarote (BANZATO e MOURA, 1997) X Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  3. 3. CURIOSIDADES Lata de alumínio | 1815 | Waterloo Abridor de latas | + 40 anos 1955- Robert Yates | 1958 – Ezra Warner Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  4. 4. CURIOSIDADES 1ª Lata de alumínio de bebidas| 1963 Slenderella | Reynolds Metals Company 1967 pela Pepsi e Coca-Cola. Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  5. 5. CURIOSIDADES • Tampa Rojek Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  6. 6. CURIOSIDADES • Fábricação de Latinhas • Vidro Âmbar • Marcadores Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  7. 7. CURIOSIDADES • Tetra Pak • Pet | Coca | Brasil 3 Materiais: Plástico + Papel + Alumínio 6 Camadas 1. Polietileno: Proteção contra a umidade exterior. 2. Papel: Estabilidade e resistência. 3. Polietileno: Camada de aderência. 4. Folha de alumínio: Barreira contra oxigênio aroma e luz. 5. Polietileno: Camada de aderência. 6. Polietileno: Proteção para o produto. Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  8. 8. EMBRULHO X EMBALAGEM Protege | Facilita o transporte | Identifica | Comunica | Diferencia R$ 10,00 Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  9. 9. DEFINIÇÃO “Embalagem é a arte, a ciência e tecnologia de preparar produtos para o transporte e vendas.” (CABRAL et al., 1983) “Embalagem é um sistema, e não simplesmente um contenedor físico, envolvendo um conjunto inter-relacionado de componentes de atividades.” (MOURA, 1998) • Matéria-prima básica. • Operação de conformidade dos materiais em contenedores. • Operação de envase, quantificação e inspeção. • Preparação para distribuição. • Distribuição, estocagem e transportes. • Esvaziamento através do consumo. • Disposição, reutilização ou reciclagem. Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  10. 10. DEFINIÇÃO “Embalagem é o conjunto de atividades de design e fabricação de um recipiente ou envoltório para um produto, cujas principais finalidades resumem-se em consumo (venda ou apresentação), distribuição física, transporte, exportação e armazenagem.” (KOTLER, 1998) Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  11. 11. EVOLUÇÃO HISTÓRICA 1. Antiguidade | conchas | Cascas de coco/bambu. 2. Revolução Industrial | Produção em Série. 3. I Guerra Mundial | Embalar produtos separados. 4. Auto-serviço (Supermercados) | Pós II Guerra. 5. Concorrência | Orientação para o Mercado. 6. Consumidor | Orientação para o Mercado. 7. Meio ambiente | Teoria Contingencial. Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  12. 12. FUNÇÕES 1. Proteger / Conservar. 2. Facilitar o Transporte. 3. Identificar e Comunicar. 4. Diferenciar. 5. Auxiliar no Consumo. Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  13. 13. CLASSIFICAÇÃO – Quanto à Função Contenção: fica em contato direto com o produto e, portanto, exige compatibilidade entre os componentes do produto. Apresentação: envolve a embalagem de contenção, apresentando o produto no ponto de venda. Comercialização: contém um múltiplo da embalagem de apresentação, constituindo a unidade para a extração do pedido. Movimentação: múltiplo da embalagem de comercialização para ser movimentada racionalmente por equipamentos mecânicos. Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  14. 14. CLASSIFICAÇÃO – Quanto à Função Contenção Apresentação Comercialização Movimentação Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  15. 15. CLASSIFICAÇÃO – Quanto ao Uso Embalagem Primária (ou embalagem de venda): qualquer embalagem que esteja em contato direto com o produto e que tenha contato direto com o consumidor final no ponto de compra. Embalagem Secundária (ou embalagem grupada): qualquer embalagem que tenha por objetivo agrupar um determinado número de unidades de venda, sendo que as características do produto não serão alteradas se removido da embalagem. Embalagem Terciária (ou embalagem de transporte): qualquer tipo de embalagem que tem por objetivo facilitar a logística das embalagens secundárias e/ou primárias, contribuindo para que não haja danos aos produtos movimentados. Os contentores para transporte rodoviário, ferroviário, marítimo e aéreo não são considerados embalagens terciárias. Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  16. 16. CLASSIFICAÇÃO – Quanto ao Uso Primária Terciária Secundária Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  17. 17. CLASSIFICAÇÃO – Quanto a Destinação Temporária Embalagem Descartável: será descartada após a primeira utilização. Pode ter uma estrutura mais simples, usando menos matéria-prima na sua formulação e consumindo menos energia para o seu processamento. Embalagem Retornável: retornará ao processo de fabricação do produto para reenvasamento, passando pelos processos de lavagem e esterilização, bem como pelas etapas de transporte da logística reversa. É importante observar a otimização de cada processo e etapa. Embalagem Reutilizável: será reaproveitada pelo consumidor para o acondicionamento de outros produtos e deverá ser ajustada para que seja possível a sua reutilização, sem prejudicar a saúde e a segurança do consumidor. Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  18. 18. CLASSIFICAÇÃO – Quanto ao Uso Descartável Reutilizável Retornável Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  19. 19. CLASSIFICAÇÃO – Quanto a Destinação Final Embalagem Reciclável: é a embalagem cuja matéria-prima pode ser reaproveitada depois de utilizada, após sofrer uma transformação química ou física, para finalidades diversas. Embalagem Biodegradável (Compostável ou não): é a embalagem que pode ser degradada naturalmente pela natureza, por microorganismos liberando CO2 para atmosfera sob determinadas condições de calor, umidade, presença de microorganismos e oxigênio. Este tipo de embalagem não é transformado em novo produto ou adubo orgânico. Embalagem “Não Biodegradável”: Considera-se de modo geral “não biodegradável” toda embalagem que não se degrada naturalmente ou que o faz após um prazo superior a 10 anos (plásticos: de 10 a 400 anos; metais: de 50 a 200 anos; vidros: indeterminado). Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  20. 20. CLASSIFICAÇÃO – Quanto ao Uso Biodegradável Reciclável Não Biodegradável Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  21. 21. TIPOS DE EMBALAGENS Cartuchos Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  22. 22. TIPOS DE EMBALAGENS Mistas Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  23. 23. TIPOS DE EMBALAGENS Multicamadas Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  24. 24. TIPOS DE EMBALAGENS Blister Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  25. 25. TIPOS DE EMBALAGENS Latas Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  26. 26. TIPOS DE EMBALAGENS Laminadas Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  27. 27. TIPOS DE EMBALAGENS Plásticos Flexíveis Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  28. 28. TIPOS DE EMBALAGENS Vidros Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  29. 29. TIPOS DE EMBALAGENS Tipo Característica Sleeve é um rótulo encolhível que adere à superfície da embalagem, contornando-a como uma pele. Blister Composta de uma cartela-suporte – cartão ou filme plástico – sobre o qual o produto é fixado por um filme em forma de bolha. Caixa de transporte é uma embalagem própria para transportar vários produtos ou produtos de porte maior. Pode ser feita de plástico rígido, papelão ondulado ou madeira. Ela garante segurança e proteção ao produto até seu destino final. Cartucho Cartucho é uma embalagem estruturada em papelcartão. Exemplo: caixas de cereais matinais e caixas de sabão em pó. Caixa K As Caixas K são herança das caixas de madeira utilizadas na importação de latas de querosene de 20 litros. Container Contêiner é uma grande caixa, de dimensões e outras características padronizadas, para acondicionar e transportar produtos, facilitando seu embarque, desembarque e transbordo em diferentes meios de transporte. Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  30. 30. TIPOS DE EMBALAGENS Tipo Característica Embalagem Cartonada é composta por várias camadas de materiais que criam barreiras à luz, gases, água e microorganismos, conservando as propriedades dos alimentos. A embalagem cartonada asséptica é composta por 75% de papelcartão, 20% de filmes de polietileno de baixa densidade e 5% de alumínio. Embalagens mistas Combinam dois ou mais materiais e materiais reciclados. Exemplos: plástico com metal; metal com madeira; plástico com vidro; vidro com metal; madeira com papel. A vantagem é a união das propriedades dos materiais para proteger e transportar os produtos, e atrair os consumidores. Embalagens multicamadas Combinam diferentes materiais, como por exemplo: Alumínio + papel Papel + papelão Embalagens laminadas São embalagens formadas pela sobreposição de materiais como filme plástico metalizado + adesivo + filme plástico. As metalizadas, como as dos salgadinhos (snacks), biscoitos, cafés, etc Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  31. 31. TIPOS DE EMBALAGENS Tipo Característica Embalagens plásticas flexíveis São aquelas cujo formato depende da forma física do produto acondicionado e cuja espessura é inferior a 250 micra. Nessa classificação, enquadram-se sacos ou sacarias, pouches, envoltórios fechados por torção e/ou grampos, tripas, pouches que ficam em pé (stand-up-pouches), bandejas flexíveis que se conformam ao produto, filmes encolhíveis (shrink) para envoltórios ou para unitização, filmes esticáveis (stretch) para envoltório ou para amarração de carga na paletização, sacos de ráfia etc.Os materiais flexíveis incluem, ainda, selos de fechamento, rótulos e etiquetas plásticas. Embalagens Shrink-wrap É uma embalagem à vácuo. Ela é executada colocando-se uma película pré-esticada sobre a carga utilizada de embalagens secundárias, esta película é então encolhida por aquecimento, para fazer as embalagens aderirem à plataforma como um volume único. Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  32. 32. TIPOS DE EMBALAGENS Tipo Característica Embalagem Stretch-wrap É uma embalagem à vácuo. É executada envolvendo-se a carga a uma película plástica esticada, para transformar o conjunto em uma carga única embalada sob pressão (Não há utilização de jato de calor como no modelo Shrink-wrap) Embalagens plásticas flexíveis São aquelas cujo formato depende da forma física do produto acondicionado e cuja espessura é inferior a 250 micra. Nessa classificação, enquadram-se sacos ou sacarias, pouches, envoltórios fechados por torção e/ou grampos, tripas, pouches que ficam em pé (stand-up-pouches), bandejas flexíveis que se conformam ao produto, filmes encolhíveis (shrink) para envoltórios ou para unitização, filmes esticáveis (stretch) para envoltório ou para amarração de carga na paletização, sacos de ráfia etc.Os materiais flexíveis incluem, ainda, selos de fechamento, rótulos e etiquetas plásticas. Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  33. 33. Design de Embalagens Principais Aspectos • Tecnológica • Mercadológicos • Logísticos • Econômicos • Funcionais • Proteção • Aparência | Conceituais Rotulagem • Tipos • Informações • Legislação • Ícones Especiais Projeto de Design de Embalagens • Etapas Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  34. 34. ASPECTOS TECNOLÓGICOS • Emprego diferenciado de materiais, formas e tecnologias. • Garante proteção mecânica e química. • Processos mais econômicos [Otimizados] | Produção e/ou envase. Natura Soul Prêmio Grandes Cases de Embalagem 2013. Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  35. 35. ASPECTOS MERCADOLÓGICOS • Exigências Legais • Identidade visual • Comunicação • Relacionado às atividades de vendas. Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  36. 36. ASPECTOS LOGÍSTICOS • Facilitação do transporte. • Minimização de perdas e quebras. Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  37. 37. ASPECTOS LOGÍSTICOS - Modulação • Altura das prateleiras dos armários residenciais. • Distância entre as prateleiras de gôndolas. • Otimização do transporte e estocagem. • O Diâmetro máximo de um frasco é determinado pela capacidade de empunhadura do consumidor. Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  38. 38. ASPECTOS LOGÍSTICOS - Modulação Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  39. 39. ASPECTOS ECONÔMICOS • Dimensionamento dos custos • Viabilização econômica Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  40. 40. ASPECTOS FUNCIONAIS • Função de conter | transportar • Auxiliar no consumo. • Prolongar a vida útil após o primeiro uso. • Reutilização após o consumo. Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  41. 41. ASPECTOS DE PROTEÇÃO • Contra choques e quedas • Contra pressão • Contra luz • Contra Ar Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  42. 42. ASPECTOS DE APARÊNCIA | CONCEITUAIS • Valorização e destaque do produto. • Atribuir prestígio. • Despertar desejo no consumidor. Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  43. 43. ROTULAGEM • Serigrafia • Impressão • Adesivação | Decalques • Tampografia • Faixas | Cintas • Sleeve Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  44. 44. ROTULAGEM Acessibilidade da Informação • Letras legíveis. • As instrução de uso devem ser claras. • Com utilização de ícones para facilitar a leitura [se possível] Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  45. 45. ROTULAGEM Legislação • Nome do produto • Lista de ingredientes • Tabela Nutricional • Prazo de Validade • Identificação da origem • X Rico em cálcio [Leite] Fonte: ANVISA Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  46. 46. ROTULAGEM Legislação • Símbolos Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  47. 47. TIPOS DE EMBALAGENS Sleeve Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  48. 48. PROJETO DE DESIGN DA EMBALAGEM 1. Conhecer o produto. 2. Conhecer o consumidor. 3. Conhecer o mercado. 4. Conhecer a concorrência. 5. Conhecer tecnicamente a embalagem a ser projetada. 6. Conhecer os objetivos mercadológicos. 7. Ter uma estratégia para o design. 8. Desenhar de forma consciente. 9. Trabalhar integrado com a indústria. 10. Fazer a revisão final do projeto. EMBALAGEM QUALIDADE REAL CUSTOIMAGEM Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  49. 49. RECICLAGEM É o termo utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. Fonte: Abre (Associação Brasileira de Embalagem) • O alumínio das latinhas é mais vantajoso do que matéria-prima bruta. • O EPS pode ser reciclado 20% reutilizado + 80% novo. • O vidro é o mais nobre dos materiais. Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  50. 50. RECICLAGEM Modos de reciclagem • Reutilização. • Retroalimentação. Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  51. 51. Embalagens como Ferramentas de Marketing Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  52. 52. EMBALAGEM COMO FERRAMENTA DE MARKETING | Produto | Praça | Promoção | Preço| Design • Funcionalidade ao belo e Beleza ao funcional. Posicionamento de Marketing Posicionamento |Reposicionamento |Produto | Marca. Estratégia para novos produtos: • Diferenciação dos demais. • Similaridade com o líder de categoria. Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  53. 53. EMBALAGEM COMO FERRAMENTA DE MARKETING • Elo entre Marca-Produto-Consumidor • Apego emocional Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  54. 54. EMBALAGEM COMO FERRAMENTA DE MARKETING • Contextualização | Ações sazonais Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  55. 55. EMBALAGEM COMO FERRAMENTA DE MARKETING • Ajuste ao Comportamento do Consumidor Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  56. 56. EMBALAGEM COMO FERRAMENTA DE MARKETING • Elemento de ideologia Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  57. 57. EMBALAGEM COMO FERRAMENTA DE MARKETING • Prestígio • Estudo | Artes | Percepção Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  58. 58. EMBALAGEM COMO FERRAMENTA DE MARKETING Modelo VIEW View – Visibilidade | Destaque. Information – Informações |Pertinentes | Relevantes. Emotional Appeal – Apelo emocional | Desejo | Sedução do consumidor. Workability – Funcionalidade | Facilitação | Conveniência. Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  59. 59. Tendências Comunicação | Comportamento | Tecnologias | Mercado Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  60. 60. TENDÊNCIAS Visual • Maior liberdade de criação. • Mais comunicações sazonais. • Mais grafismos regionais. sub-culturas Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  61. 61. TENDÊNCIAS Comportamento • Mais pessoas morando sozinhas. • Embalagens para doses individuais. Case: Nutella Coppetta | 15g | Papa | Americanas e Makro Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  62. 62. TENDÊNCIAS Novas Tecnologias • Realidade aumentada. • Maior versatilidade de formas e materiais Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  63. 63. TENDÊNCIAS Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com Customização • Maior personalização de rótulos, embalagens e produtos. Case: Jone’s Soda
  64. 64. TENDÊNCIAS Meio Ambiente • Maior presença de materiais recicláveis | Reutilização Case: Original Unverpackt Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  65. 65. TENDÊNCIAS • PDV • Eye tracking Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  66. 66. REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS BANZATO, J. M.; MOURA, R. A., Embalagem, unitização e conteinerização. 2ed. São Paulo: IMAM, 1997. V.3 p. 354. CABRAL, A. C. D.; MADI, L. F. C.; SOLER, R. M.; ORTIZ, S.A, Embalagem de produtos alimentícios. Campinas: ITAL, CETEA, 1983. P. 338. KOTLER, P., Administração de marketing: Análise, planejamento, implementação e controle. São Paulo: Atlas, 1998. Cap. 15, p. 382- 411. Alexandre Conte • acontecomigo@gmail.com • alexandreconte.com
  67. 67. CONTATO acontecomigo@gmail.com alexandreconte.com Apresentação e vídeos disponível em: http://alevelup.com.br/arquivos/AULAS/embalagem/aula_embalagem.rar

×