2014 – Curso “O sujeito e o outro na prática psicanalítica”- aula 2, tema: O Outro e o Simbólico

800 visualizações

Publicada em

Curso “O sujeito e o outro na prática psicanalítica”- (segundo semestre de 2014. Condução: psicanalista Alexandre Simões – alexandresimoes@terra.com.br)

Proposta: estudaremos as diferentes instâncias da alteridade na clínica psicanalítica, dando foco aos regimes da alteridade (Freud) e da heteridade (Lacan). Assim, em uma série de 6 encontros, examinaremos uma orientação clínica fundamental: o processo psicanalítico somente avança ao se considerar as relações do sujeito com os seus contrapontos: o semelhante, o Outro, o objeto pulsional, a divisão subjetiva e o avesso da ordem fálica.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
800
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
35
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2014 – Curso “O sujeito e o outro na prática psicanalítica”- aula 2, tema: O Outro e o Simbólico

  1. 1. O sujeito e o outro na prática psicanalítica Coordenação Alexandre Simões Tema : O Outro e o Simbólico
  2. 2. Ao abordarmos o tema anterior: a alteridade no Imaginário... consideramos dois aspectos diretamente ligados à prática da Psicanálise
  3. 3. sujeito outro sujeito outro outro sujeito outro sujeito Na dimensão Imaginária
  4. 4. IMAGINÁRIO IMAGINÁRIO IMAGEM OLHAR
  5. 5. O outro e o Simbólico abordar o grande Outro
  6. 6. O que é o Outro ? O Outro é um
  7. 7. “É o alhures onde o sujeito é mais pensado do que efetivamente pensa” (Antonio Quinet. Os outros em Lacan. p. 20)
  8. 8. Vide A instância da letra no inconsciente ou a razão desde Freud (Lacan. Escritos. 1957) Vide Função e campo da fala e da linguagem em Psicanálise (Lacan. Escritos. 1953) o sujeito é mais falado do que fala
  9. 9. “... a linguagem não é imaterial. É um corpo sutil, mas é corpo” (Lacan. Função e campo da fala e da linguagem em Psicanálise. p. 302)
  10. 10. Indagações orientadoras para a prática do psicanalista: devemos ouvir não somente o que é efetivamente enunciado pelo paciente... porém, devemos verificar o lugar desde onde estes enunciados são ditos enunciação
  11. 11. Qual a corporeidade deste lugar? Ou seja, como isto ganha corpo ? Como isto toma o corpo ?
  12. 12. A cena e a Outra cena
  13. 13. Indagações orientadoras para a prática do psicanalista: onde estão os pontos de virada, de revirão da cena apresentada pelos pacientes?
  14. 14. Localizemos melhor este lugar Outro exatamente em uma situação na qual este além estaria curto-circuitado ao extremo: no autismo
  15. 15. Prosseguiremos com O outro e o objeto Até lá! Acesso a este conteúdo: www.alexandresimoes.com.br ALEXANDRE SIMÕES ® Todos os direitos de autor reservados.

×