Relações precoces

12.578 visualizações

Publicada em

Powerpoint Psicologia sobre Relações Precoces

Publicada em: Educação, Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.578
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
31
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
198
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relações precoces

  1. 1. RELAÇÕES PRECOCES
  2. 2. AO NASCIMENTO BIOLÓGICO DO SER HUMANO SUCEDE O SEU NASCIMENTO PSICOLÓGICO
  3. 3. AS COMPETÊNCIAS BÁSICAS DO BEBÉ O bebé apresenta uma extraordinária competência para comunicar: 1. O sorriso 2. O choro 3. As expressões faciais 4. As vocalizações
  4. 4. AS COMPETÊNCIAS BÁSICAS DA MÃE O bebé mantém uma relação privilegiada com a mãe. Por isso a mãe deve satisfazer duas exigências fundamentais: 1. Segurança 2. Confiança básica
  5. 5. ACTUAÇÕES POSSÍVEIS POR PARTE DA MÃE Bion sugere três possibilidades da actuação por parte da mãe: 1. A mãe que agudiza as sensações de ansiedade sentidas pelo bebé. 2. A mãe que desenvolve comportamentos ansiosos de superprotecção 3. A mãe-continente. Esta reage às necessidades do bebé de forma a garantir neste o equilibrio psicológico, transmitindo- lhe segurança e bem-estar.
  6. 6. RELAÇÃO PRECOCE: relação recíproca que tem por base o conjunto de comportamentos (sorrir, chorar, vocalizar, agarrara, gatinhar) que nos primeiros tempos de vida permitem estabelecer a ligação afectiva entre a criança e quem dela cuida. VINCULAÇÃO: qualquer comportamento que permita à pessoa, criança ou adulto, aproximar-se ou manter a proximidade das suas figuras preferenciais ou privilegiadas.
  7. 7. Características da vinculação Macoby (1980) identificou quatro características desta ligação: 1. procurar proximidade sobretudo em situações de tensão e desconforto. 2. desconforto emocional quando há separação 3. prazer e alegria quando há reunião 4. orientação das acções do bebé para a pessoa que mais se ocupa consigo
  8. 8. Tipos de vinculação Existem três categorias de vinculação: 1. vinculação segura 2. vinculação evitante 3. vinculação ambivalente/resistente
  9. 9. “A MÃE É UMA NECESSIDADE BIOLÓGICA; O PAI UM ACIDENTE SOCIAL” Margaret Mead
  10. 10. VANTAGENS DA VINCULAÇÃO 1. Estruturação da sexualidade: pode estar relacionada com as representações relacionais que se constroem durante a primeira infância. 2. Regulação emocional: está dependente de toda uma construção da afectividade que a vinculação permite. 3. Interacções sociais positivas: um vinculo seguro e confiante desenvolve sentimentos de segurança e confiança nos outros.
  11. 11. VINCULAÇÃO E INDIVIDUAÇÃO 1. INDIVIDUAÇÃO: necessidade sentida pelo ser humano de criar a sua própria identidade, a sua individualidade, e de se distinguir dos outros que lhe são próximos. Por um lado existe uma tentativa de separação das figuras de vinculação; mas por outro, são as próprias relações de vinculação que possibilitam a formação da individuação.
  12. 12. CONSEQUÊNCIAS DAS PERTURBAÇÕES NAS RELAÇÕES PRECOCES Importância dos estudos realizados por Harlow possibilitaram retirar duas consequências fundamentais: 1. perturbações físicas significativas 2. Perturbações psicológicas profundas
  13. 13. O HOSPITALISMO Esta designação foi introduzida por Spitz. Designa o conjunto de perturbações vividas por crianças institucionalizadas e privadas de cuidados maternos.
  14. 14. O HOSPITALISMO Consequências do hospitalismo: - atraso no desenvolvimento corporal -dificuldades na habilidade manual -dificuldades na adaptação ao meio ambiente -atraso na linguagem -menor resistência a doenças -apatia os efeitos do hospitalismo são duradouros e muitas vezes irreversíveis.

×