Semana pedagógica em itabaianinha grupo rubem alves

15.058 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
15.058
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10.394
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
89
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Esta apresentação demonstra os novos recursos do PowerPoint e é visualizada com melhor resolução no modo Apresentação de Slides. Esses slides foram projetados para fornecer a você idéias excelentes de criação de apresentações no PowerPoint 2010.Para obter mais exemplos de modelos, clique na guia Arquivo e, na guia Novo, clique em Exemplos de Modelos.
  • Esta apresentação demonstra os novos recursos do PowerPoint e é visualizada com melhor resolução no modo Apresentação de Slides. Esses slides foram projetados para fornecer a você idéias excelentes de criação de apresentações no PowerPoint 2010.Para obter mais exemplos de modelos, clique na guia Arquivo e, na guia Novo, clique em Exemplos de Modelos.
  • Esta apresentação demonstra os novos recursos do PowerPoint e é visualizada com melhor resolução no modo Apresentação de Slides. Esses slides foram projetados para fornecer a você idéias excelentes de criação de apresentações no PowerPoint 2010.Para obter mais exemplos de modelos, clique na guia Arquivo e, na guia Novo, clique em Exemplos de Modelos.
  • Esta apresentação demonstra os novos recursos do PowerPoint e é visualizada com melhor resolução no modo Apresentação de Slides. Esses slides foram projetados para fornecer a você idéias excelentes de criação de apresentações no PowerPoint 2010.Para obter mais exemplos de modelos, clique na guia Arquivo e, na guia Novo, clique em Exemplos de Modelos.
  • Esta apresentação demonstra os novos recursos do PowerPoint e é visualizada com melhor resolução no modo Apresentação de Slides. Esses slides foram projetados para fornecer a você idéias excelentes de criação de apresentações no PowerPoint 2010.Para obter mais exemplos de modelos, clique na guia Arquivo e, na guia Novo, clique em Exemplos de Modelos.
  • Esta apresentação demonstra os novos recursos do PowerPoint e é visualizada com melhor resolução no modo Apresentação de Slides. Esses slides foram projetados para fornecer a você idéias excelentes de criação de apresentações no PowerPoint 2010.Para obter mais exemplos de modelos, clique na guia Arquivo e, na guia Novo, clique em Exemplos de Modelos.
  • Semana pedagógica em itabaianinha grupo rubem alves

    1. 1. PROGRAMAMONITORAMENTO E SISTEMÁTICA Por:DESAFIOS A SEREM Fernanda do NascimentoSUPERADOS Santana
    2. 2. PRIMEIRO, VAMOS SEGURAR OS BALÕES? Eo Objetivo Foco - resultado Coletivo Aluno ???????? Semana Pedagógica – Dividindo experiências e conseguindo reconstruir boas práticas
    3. 3. DESAFIOS A SEREM SUPERADOS PRIMEIROS PASSOS 1º - Precisamos acreditar no programa. 2º - Precisamos trabalhar com os dados. • analisar, comparar, criar estratégias para melhorar os resultados e principalmente ver se o aluno aprendeu significativamente – o diagnóstico não foi feito para a SME, foi feito para a escola. • conversar com o aluno, com a família, com o professor – buscando criar, inovar e construir umaERROS GRAVÍSSIMOS PERCEBIDOS1º Houve escola que entregou o resultado(etapa por etapa) só educação que busque ajudar o aluno a serque não ficou com uma cópia. livre, SUPERANDO AS SUAS DIFICULDADES.2º Tivemos poucos casos, muito poucos, mas tivemos escolasque o diretor falou. “Eu não entreguei a sistemática porque eunão quis para a minha escola este ano.”Gente! É nossa dever acompanhar o desenvolvimento do aluno,a sistemática não é opcional.3º Dados incoerentes:-uma turma que iniciou com alunos produzindo textos, concluiua 4ª etapa sem conseguir produzir textos...O QUE HOUVE?!!!- iniciou o ano produzindo texto e concluiu o ano no mesmoestágio.-Iniciou lendo com fluência, mas não escreve e nem tão poucoproduzem frases soltas dentro do tema.4º Sistemáticas idênticas de um bimestre para o outro. Semana Pedagógica – Dividindo experiências e conseguindo reconstruir boas práticas
    4. 4. DESAFIOS A SEREM SUPERADOS CUMPRIMENTO DO PRAZO E NÚMERO DE ALUNOS DIAGNOSTICADOS 1. Escolas que até a semana passada estava entregando a última etapa. 2. Justificativa mais apresentada - professor não entregou. 3. Quantidade de alunos diagnosticados: • 1ª etapa – 2º ao 9º = 3.813 • 2ª etapa – 5.297 • 3ª etapa – 3.289 • 4ª etapa – 2.628 Não tem como obter resultados concretos.
    5. 5. PARABÉNS PARA AS ESCOLAS QUE:SUCESSOS E AVANÇOS • CUMPRIRAM OS PRAZOS, COM PEQUENOS E JUSTIFICÁVEIS ATRASOS. • APRESENTARAM OS RELATÓRIOS. DEMONSTRANDO QUE ESTAVAM ACOMPANHANDO O DESENVOLVIMENTO DO ALUNO. • ALEGRARAM-SE COM O SUCESSO DOS ALUNOS, PRINCIPALMENTE DAQUELES CASOS MAIS DIFICÉIS. • CRIARAM, INOVARAM, OUSARAM. • CHAMARAM OS PAIS PARA PARTICIPAREM DO DESENVOLVIMENTO DE SEUS FILHOS. • SENTIRAM DIFICULDADES E PEDIRAM AJUDA. E POR ISSO ESTAMOS AQUI!
    6. 6. • Uma turma com 42 alunos, do 2º ano do ensino fundamental, possui 10 alunos não alfabetizados (queESTUDOS DE CASOS nunca estiveram em uma sala de aula), 12 alunos escrevem, mas não conseguem ler e os demais escrevem frases soltas não ortograficamente. Apresente sugestões metodológicas para auxiliar a abençoada professora.
    7. 7. • O professor João recebeu uma turma, do 6º ano do Ensino Fundamental, com 50 alunos, e com 20% dos alunos não alfabetizados. Ao estudar o histórico da turma ele percebeu que no ano anterior ela havia passado porESTUDOS DE CASOS três professores – motivos: um professor pediu rescisão contratual e o outro teve que se afastar por motivo de saúde. Pergunta: O professor João deve aplicar a sua grade curricular já planejada e em conformidade com o 3º ano e desconsiderar às dificuldades dos 20% da turma? Justifique sua resposta.
    8. 8. • A prática avaliativa obriga o professor a revisar o plano de ensino no sentido de retornar a alguns aspectos que já se tinham como “superados”, ou ajustar melhor o tempo, utilizar melhor os recursos e reforçar o estímulo eESTUDOS DE CASOS motivação a leitura e escrita? Justifique. • Em minha prática avaliativa, tenho experienciado situações de auto-avaliação junto às turmas em que atuo? A avaliação e auto-avaliação do aluno devem andar juntas? Justifique.
    9. 9. MOMENTO DE ANALISAR OS NOSSOS DADOS • VAMOS OLHAR OS NOSSOS DADOS, OS DADOS DE NOSSA ESCOLA E VAMOS FAZER UMA ANÁLISE COLETIVA. • FORMEMOS GRUPOS DE 5 PESSOAS – VAMOS ESTUDAR.
    10. 10. SEMANA PEDAGÓGICA NA ESCOLA O QUE NÃO PODEFALTAR APRENDER A SER POR RUBEM ALVES http://www.youtube.com/watch?v=ykTVjILFy-I
    11. 11. SEMANA PEDAGÓGICA NAESCOLA O QUE NÃO PODE FALTAR• Equipe reunida para projetar os próximos 200 ANOdias letivos e fazer a revisão do PPP – O 2012DOCUMENTO QUE MARCA A IDENTIDADE DAESCOLA E INDICA OS CAMINHOS PARA SE PPPATINGIR OS OBJETIVOS EDUCACIONAIS.
    12. 12. - Montagem do calendário escolar - Consolidação dos dados da escola - Planejamento do tempo - Organização do espaço - Previsão de alimentaçãoEVITESe alongar nas dinâmicas de grupos que não foquem o propósito principal.É bem melhor compartilhar metas e garantir um bom ambiente de trabalho
    13. 13. DIA –MANHÃ MOMENTO DE ACOLHIMENTO 1º-NA REUNIÃO - RECEPCIONE OS PROFESSORES E O PESSOAL DE APOIO.1. SOLICITE A APRESENTAÇÃO DOS PROFISSINAIS NOVATOS NA ESCOLA2. FALE SOBRE O PERFIL DA COMUNIDADE E DA FAMÍLIA INSERIDA3. FALE UM POUCO DA ROTINA DA ESCOLA4. APRESENTE A ESTRUTURA DA ESCOLA PARA OS NOVATOS.5. COMPARTILHE OS MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DISPONÍVEIS PARA OS PROFESSORES.6. DIVULGUE A PROGRAMAÇÃO DA SEMANA PEDAGÓGICA DE SUA ESCOLA.
    14. 14. 1º DIA –TARDE ANÁLISE DOS RESULTADOS-NA REUNIÃO É HORA DE APRESENTAR1. O PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA ESCOLA E TRAÇAR METAS.2. DADOS DA ESCOLA DO ANO ANTERIOR ( IDEB, AVALIAÇÕES INTERNAS E EXTERNAS, TAIS COMO, AVALIAÇÃO INFANTIL, RESULTADO DA SISTEMÁTICA, MOVIMENTO E RENDIMENTO, ETC).EXEMPLO – ESCOLA ARNALDO GUASSIERI
    15. 15. DEPOIS DE EXPOR OS NÚMEROSLEVANTEM AS QUESTÕES QUE LEVEM A REFLEXÃO:1. QUAL É O QUADRO ATUAL DA ESCOLA?2. AONDE QUEREMOS CHEGAR?3. COMO FAZER PARA IR DA ATUAL REALIDADE À META DESEJADA?
    16. 16. SEM ESQUECER DO NOSSO PAPEL DE EDUCADOR POR RUBEM ALVEShttp://www.youtube.com/watch?v=_OsYdePR1IU
    17. 17. DIA –MANHÃ ORGANIZAÇÃO DE AGENDAS2 - CALENDÁRIO ESCOLAR - GRADE HORÁRIA DAS SALAS (HORÁRIO PARA MERENDA, UTILIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA, HORÁRIOS PARA FORMAÇÕES PERMANENTE COM A PRESENÇA DE TODA EQUIPE DOCENTE, HORÁRIO DE AULA DOS PROFESSORES... - FAÇA UMA AGENDA ORGANIZADA
    18. 18. DIA –TARDE ORGANIZAÇÃO DE AGENDAS 2REFLEXÕES: - AVALIAÇÃO DE PROJETOS INSTITUCIONAIS. (OS TEMAS ESCOLHIDOS DEVEM TER: COERÊNCIA COM O PPP, ENRIQUECER O CURRÍCULO E MOBILIZAR - FAZER O ALUNO PENSAR, PESQUISAR, OUSAR IR MAIS ALÉM.1. RESULTADOS ESPERADOS E SIGNIFICATIVOS PARA VIDA DO ALUNO?2. QUE RESPONSABILIDADE OS ALUNOS TERÃO NA ORGANIZAÇÃO DO PROJETO?3. COMO OS PAIS PODEM SE ENVOLVER?4. ESSA É REALMENTE A MELHOR FORMA DE ALCANÇAR OS OBJETIVOS?DICA: LEVE OUTROS PROJETOS REALIZADOS EM OUTRAS ESCOLAS, FAÇA UMA BOA PESQUISAEXEMPLO: ESCOLA ESTADUAL PROF LEÃO MAGNO.
    19. 19. DIA – O DIA TODO PASSAGEM DE TURMAS 3 - CONHECENDO AS TURMAS – MOMENTO DEDICADO A FALAR SOBRE AS TURMAS QUE O EDUCADOR TRABALHOU NO ANO ANTERIOR. - FOCO NO 6º ANO DEVIDO A MUDANÇA DE CICLO. EXEMPLO: EE MARIA PEREIRA MARTINSCUIDADO1. FIQUE ATENTO PARA QUE OS GRUPOS MANTENHAM O FOCO NO PEDAGÓGICO E EVITEQUE O MOMENTO SEJA USADO PARA DISSEMINAR IDEIAS PRÉ-CONCEBIDAS SOBRE DETERMI-NADA TURMA OU ALUNO.DICA: O MAIS IMPORTANTE É TRABALHAR AS CARACTERÍSTICAS GERAIS DA TURMA, COMO:CONTEÚDOS TRABALHADOS E OS RESULTADOS DAS AVALIAÇÕES. PEGUE AS FICHAS DASISTEMÁTICA, AÇÕES QUE FORAM DESENVOLVIDAS PARA SANAR ALGUMA DIFICULDADE DA TURM
    20. 20. DIA – O DIA TODO REFLEXÃO SOBRE A ROTINA 3 - O DIRETOR PODE DIVIDIR O TEMPO ENTRE OS GRUPOS DE DOCENTES E OS DE FUNCIONÁRIOS. - TENHA UMA CONVERSA SOBRE – COMO ELES PODEM CONTRIBUIR NOS PROJETOS INSTITUCIONAIS E EM OUTRAS ÁREAS.DICASPROPOMAS A ELABORAÇÃO DE UM INSTRUMENTAL AVALIATIVO DOS ASPECTOS POSITIVOS EDAS DIFICULDADES ENFRENTADAS NA ROTINA DURANTE O ÚLTIMO ANO.É POSSÍVEL ESTUDAR PROGRAMAS COMO PROFUNCIONÁRIO E AVALIAR SE A EQUIE PODEFAZER OS CURSOS A DISTÂNCIA OFERECIDOS.
    21. 21. DIA – O DIA TODO PLANO DE ENSINO4 - OS DOCENTES FAZEM A DISTRIBUIÇÃO DOS CONTEÚDOS POR BIMESTRE. - DEFINIÇÃO DOS PRINCIPAIS PROJETOS E SEQUÊNCIA DIDÁTICA (BASE PPP E MATRIZ CURRICULAR DA REDE) PROPONHA: REUNIR OS PROFESSORES DE ANOS/SÉRIES IGUAIS PARA DISCUTIR A ELABORAÇÃO DO PLANO TROCANDO EXPERIÊNCIAS EXEMPLO DA EE JOAO AMOS COMENIUS
    22. 22. DIA – MANHÃ APRESENTAÇÃO DO PLANO DE ENSINO5 - COORDENADOR: APRESENTE UMA PROPOSTA DE APRESENTAÇÃO DO PLANO DURANTE TODO O ANO LETIVO. - ACOMPANHAR O CUMPRIMENTO DAS METAS É FUNDAMENTAL. - O PAPEL DO GESTOR NESSE MOMENTO É CONTRIBUIR PARA O APRIMORAMENTO DO PLANEJAMENTO E ESTIMULAR A EQUIPE A DAR SUGESTÃO.
    23. 23. DIA – TARDE ENCERRAMENTO - PLANEJE A RECEPÇÃO DOS ALUNOS.5 - AVALIE AS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS DURANTE A SEMANA DE PLANEJAMENTO. - PROMOVA UM DEBATE DE COMO RECEPCIONAR OS ALUNOS E SEUS PAIS. - RESERVE UM TEMPO PARA QUE TODOS FALEM DA SEMANA PEDAGÓGICA...UM MEMBRO DA EQUIPE GESTORA ANOTA AS OPINIÕES. 1. OS PONTOS QUE PRECISARÃO SER RETOMADOS. 2. FIXAR DATAS DE NOVOS ENCONTROS PARA DISCUTIR OS PLANOS E APRIMORA-LOS. 3. FIXAR DATAS DE ENTREGA DOS PLANOS DE ENSINO MENSAIS.
    24. 24. MANTENHA O RUMONA HORA DE DURANTE O ANO TODOREUNIR A 1. ATUALIZAÇÃO DOS DOCUMENTOS (NA MODIFICAÇÃO, DISTRIBUIR CÓPIAS – GRADEEQUIPE HORÁRIA, AVALIAÇÃO INTERNA, ETC.) 2. REVISÃO DO PPPNOVAMENTE (AS MODIFICAÇÕES DEVEM ALÉM DE CONSTAR NO PROJETO É FUNDAMENTAL EM UM MURAL POR UM PERÍODO) 3. CONSOLIDAÇÃO DOS PLANOS DE ENSINO DEVE SER IMPRESSO E ENTREGUE A COORDENAÇÃO PARA: ACOMPANHAMENTO DURANTE O ANO E AJUDAR NA DEFINIÇAO DAS PAUTAS DOS ENCONTROS DE FORMAÇÃO. 4. REVISÃO E ARQUIVAMENTO O PLANO DE ENSINO DEVE SER REVISADO, PRESTANDO ATENÇÃO SE AS IDEAIS DEBATIDAS PELA EQUIPE ESTÃO PRESENTES – E COLOCADOS EM PRÁTICA. UMA CÓPIA DEVE SER GUARDADA PARA CONSULTAS REGULARES. 5. MONTAGEM DO CALENDÁRIO DA ESCOLA USE AS REUNIÕES PARA FORMAÇÕES PARA RETOMAR ALGUNS PONTOS E APROFUNDAR AS DISCUSSÕES PEDAGÓGICAS.
    25. 25. E DEPOIS DE TUDO ISSO NÓS VAMOS CANTAR COMGONZAGUINHA
    26. 26. PROGRAMAMONITORAMENTO E SISTEMÁTICA Por:DESAFIOS A SEREM Fernanda do NascimentoSUPERADOS Santana
    27. 27. TEMÁTICASMANHÃ – RAZÃO E SENSIBILIDADE NA ESCOLA Por: UMA SELEÇÃO DE VENCEDORES Fernanda do PARA UM RECOMEÇO SEM PRECONCEITO Nascimento SantanaTARDE – UMA AGENDA ORGANIZADA e CARTILHA: COMO PARTICIPAR DA EDUCAÇÃO DO SEU FILHO? Bianca Alves FOCO NA ALFABETIZAÇÃO da Silva Reis
    28. 28. ESTUDOS DE CASOS DINÂMICA DO SENTIMENTO
    29. 29. A ESCOLA IDEAL PARA RUBEM ALVES?ESTUDOS DE CASOS http://www.youtube.com/watch?v=IEX9bOeTMZg&feature=related
    30. 30. ESTRUTURA DOS GRUPOS 1 – COMPOSIÇÃO DOS GRUPOS - 5 COMPONENTES 2 – DEBATES COM A SEGUINTE ESTRUTURA:ESTUDOS DE CASOS A) SÍNTESE DA TEMÁTICA B) EM QUE ELA PODE NOS AJUDAR NA ESCOLA? C) COMO SER UTILIZADA? D) QUANDO UTILIZÁ-LAS NA ESCOLA? 3 – TEMPO: 30MINUTOS DE ESTUDO 60 MINUTOS P APRESENTAÇÕES
    31. 31. APRESENTAÇÃO DOS GRUPOS E INTERAÇÃOESTUDOS DE CASOS COM OS DEMAIS.
    32. 32. TEMÁTICASMANHÃ – RAZÃO E SENSIBILIDADE NA ESCOLA Por: UMA SELEÇÃO DE VENCEDORES Fernanda do PARA UM RECOMEÇO SEM PRECONCEITO Nascimento SantanaTARDE – UMA AGENDA ORGANIZADA e CARTILHA: COMO PARTICIPAR DA EDUCAÇÃO DO SEU FILHO? Bianca Alves FOCO NA ALFABETIZAÇÃO da Silva Reis
    33. 33. TEMÁTICASMANHÃ – UM PLANO DE METAS PARA 2012 Por: JUNTOS PELA EDUCAÇÃO Fernanda do Nascimento Santana e Bianca Alves da Silva Reis
    34. 34. Defina logo no começo do ano as ações que vão garantira alfabetização, reduzir a repetência e acabar com a ESTUDOS DE CASOSevasão. E descubra como a equipe gestora de trêsescolas alcançaram esses objetivos
    35. 35. Em 2009, Amarildo Reino de Lima, então diretor do CEF 427, em Samambaia, a 45 quilômetros de Brasília, recebeu o título de Gestor Nota 10 no Prêmio Victor Civita por ter realizado umESTUDOS DE CASOS projeto para acabar com a distorção idade/série e, por tabela, com a repetência. "O importante é estabelecer etapas a serem cumpridas a curto, médio e longo prazo, que permitam um acompanhamento periódico e possibilitem ajustes ao longo do ano."
    36. 36. EDUCAR POR RUBEM ALVESESTUDOS DE CASOS http://www.youtube.com/watch?v=ouFqxPYA8lg
    37. 37. PROBLEMAS RECORRENTES EXIGEM AÇÕES FIRMES E CONTÍNUASA ALFABETIZAÇÃOESTUDOS DE CASOS continua sendo uma prioridade ereaparece no novo PNE com a mesma meta do anterior: ter todos os alunosalfabetizados até o 2º ano do Ensino Fundamental. Dados da Avaliação Brasileira doFinal do Ciclo de Alfabetização (Prova ABC) - feita pela primeira vez em 2011, numaparceria do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira(Inep) com entidades da sociedade civil - mostra que apenas 56,1% dos alunos do 3°ano aprenderam o que era esperado em leitura e escrita.NÓS TEMOS A SISTEMÁTICA – FOCO NA ALFABETIZAÇÃO...SÓ PRECISAMOS FAZERCOM QUE O PROGRAMA DÊ CERTO – , COM AS INFORMAÇÕES EM MÃO DÁ PARASE DEFINIR AS METAS – DEPOIS, O CUMPRIMENTO DOS PRAZOS, AS ANÁLISES, OMONITORAMENTO E AS ESTRATÉGIAS DE MELHORAMENTO DO PROCESSO É QUENOS DARÁ O ALCANCE DESSAS METAS.
    38. 38. ALFABETIZAÇÃODICAS:1. Refletir sobre os resultados2. Formar professores, propondo encontros. ESTUDOS DE CASOS3. Revisar as metas4. Assegurar a infraestrutura – organizando os espaços para as aulas de reforço.5. Criar um ambiente alfabetizador Listas de nomes próprios nas paredes, cartazes, murais com a produção escrita dos alunos e a presença de textos em diversos suportes favorecem a participação das crianças em atividades de leitura e escrita.6. Criar um ambiente alfabetizador Listas de nomes próprios nas paredes, cartazes, murais com a produção escrita dos alunos e a presença de textos em diversos suportes favorecem a participação das crianças em atividades de leitura e escrita.7. Promover a leitura Torne essa uma ação rotineira na escola, com rodas de leiturapelo professor diariamente.8. Estimular a participação dos funcionários9. Considerar as necessidades especiais O PPP deve prever a flexibilização dassituações de ensino, com recursos visuais, sonoros e táteis para crianças comnecessidades educacionais especiais.
    39. 39. EVASÃO ESCOLARDICASIdentificar os motivos Tenha em mãos o número de evasão para detectar as causas.Necessidade de trabalhar e gravidez precoce costumam ser as mais comuns, mascertamente a não-aprendizagem é o fator que mais contribui para o aumento desseESTUDOS DE CASOSíndice. Procure saber em que séries isso acontece com maior incidência, a relaçãoentre evasão e repetência e se a escola possibilita a participação de alunos em projetosextraclasse.Controlar as faltas Solicite aos professores que informem a equipe gestora em caso deduas ou três faltas seguidas sem justificativa de um aluno. Peça que alguém dasecretaria ligue para os pais do aluno - ou faça isso você mesmo. Caso o telefonemanão seja suficiente, uma visita domiciliar pode ajudar. O importante é reforçar junto àfamília a importância de a criança frequentar a escola.Envolver a família Durante todo o ano, promova encontro com os pais para conversarsobre o PPP e mostrar como podem ajudar a valorizar os estudos - perguntar sobrelições de casa e projetos e participar de reuniões e eventos são ações simples queproduzem resultado.
    40. 40. EVASÃO ESCOLAROferecer propostas diferenciadas Planeje com os professores atividades nahora do recreio ou no contraturno - como oficinas culturais e esportivas e amonitoria no laboratório de informática. Crianças e jovens se sentemestimulados a aprender quando têm a chance de desenvolver outros talentosESTUDOS DE CASOSe habilidades.Buscar parcerias Faça um levantamento dos espaços culturais e de lazer(centros culturais, bibliotecas comunitárias e ginásios esportivos) parafortalecer o trabalho oferecido pela escola e facilitar problemas como aviolência no entorno, fator que contribui para a evasão.Ofertar cursos e estágios Para evitar que os jovens matriculados nos últimosanos do Ensino Fundamental e no Ensino Médio abandonem os estudos, entreem contato com empresas e centros de Educação profissional para oferecerestágios e cursos técnicos profissionalizantes.
    41. 41. REPROVAÇÃO ESCOLAR Quem acessa o blog da EEEF Georgete Eluan Kalume, deESTUDOS DE CASOS Rio Branco, se depara com fotos de aulas de música, leitura ou de uma reunião de planejamento. Diante disso, fica difícil imaginar que, há quatro anos, tudo era diferente. Em 2008, o nível de repetência nas séries iniciais do Ensino Fundamental chegava a 17% e distorção idade/série era de 23,5%.
    42. 42. REPROVAÇÃO ESCOLARPara reverter esse quadro, a direção investiu em aulas de reforço para os alunosreprovados e os que tinham dificuldade de aprendizagem. O professor titular passou areceber um complemento salarial para estender a jornada de trabalho. "Se o alunonão pode vir no contraturno por motivo de transporte, o apoio pedagógico é feitoESTUDOS DE CASOSduas ou três vezes por semana no horário de aula, em agrupamentos específicos ecom atividades diferenciadas", explica Nancy Magalhães de Souza, coordenadorapedagógica. Faltas não são toleradas. "Ligamos para os pais e vamos até a casa doaluno saber as causas da ausência", diz a diretora, Nilva Souza de Lima. A direçãotambém avaliou ser importante o apoio da família no incentivo aos estudos e ofereceà comunidade oficinas e palestras. "Os pais dão mais atenção às tarefas de casa", dizNancy. Esse conjunto de ações resultou em alunos mais comprometidos. Em 2010, onúmero de reprovados na primeira etapa do Ensino Fundamental caiu para 3,6% - eeste ano beira o 1% -, a distorção caiu para 2,61% e o Ideb foi de 4,1, em 2007, para5,4, em 2009.
    43. 43. REPROVAÇÃO ESCOLAR DICAS: Levantar histórico Reúna os dados gerais da escola e também os por turma, comparando com o de anos anteriores, para observar se o problema está em uma série específica.ESTUDOS DE CASOS Analisar as causas Com a coordenação pedagógica e os docentes, discuta sobre os alunos que repetem de ano: os professores os envolvem nas atividades propostas? São indisciplinados? Participam de outros projetos da escola no contraturno? Estruturar aulas de reforço Os alunos podem ser agrupados na própria sala de aula, segundo os conteúdos em que precisam de reforço ou em turmas específicas no contraturno. Cabe às equipes gestora e pedagógica discutir a melhor forma de oferecer o apoio, considerando a orientação da rede e a disponibilidade de salas e educadores.
    44. 44. REPROVAÇÃO ESCOLAR DICAS: Planejar atividades diferenciadas A coordenação pedagógica deveESTUDOS DE CASOS prever maneiras de ajudar o corpo docente a desenvolver atividades e intervenções que atendam às necessidades dos alunos e a acompanhar a evolução dos diversos grupos. Informar os pais Os pais dos estudantes que fazem reforço têm de ser informados sobre o plano de ação para que eles não percam o ano e o andamento dos trabalhos. Obter o comprometimento do aluno Conversas individuais ajudam a pontuar os avanços e mostrar a eles a importância em participar do reforço.
    45. 45. TEMÁTICASMANHÃ – UM PLANO DE METAS PARA 2012 Por: JUNTOS PELA EDUCAÇÃO Fernanda do Nascimento Santana e Bianca Alves da Silva Reis

    ×