Interpretação de textos

17.830 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
17.830
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
275
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Interpretação de textos

  1. 1. Avaliação de Língua Portuguesa – I BIMESTRE - AN0 9º Texto 1: O bicho Vi ontem um bicho Na imundice do pátio Catando comida entre os detritos. Quando achava alguma coisa; Não examinava nem cheirava: Engolia com voracidade. O bicho não era um cão, Não era um gato, Não era um rato. O bicho, meu Deus, era um homem. Manuel Bandeira. Rio, 27 de dezembro de 1947 01. A que problema o autor se refere no texto? a) ( ) a devastação da natureza. b) ( ) a imundice do pátio. c) ( ) a fome . d) ( ) o alcoolismo 02. A intenção do autor ao usar a palavra “bicho” parece que: a) ( ) procurou chamar a nossa atenção para animais do lixo. b) ( ) a história é mesmo sobre um lixo. c) ( ) o homem se viu reduzido a condição de animal. d) ( ) o homem deve ser tratado como animal. 03.No texto as frases “Engolia com voracidade” e “Na imundice do pátio” as palavras sublinhadas podem, respectivamente ser substituídas por: a) Avidez; sujeira b) Lentidão; higiene c) Calma; sujeira d) Delicadeza; pureza 04. Qual a função sintática da expressão destacada “O bicho, meu Deus, era um homem.” a) ( ) aposto b) ( ) vocativo c( ) adjunto adnominal d( ) adjunto adverbial Texto 2
  2. 2. 05. O texto apresenta, em uma sequência, a) ( ) os objetos de uma casa. b) ( ) uma lista de compras. c) ( ) as mercadorias de uma loja. d) ( ) as ações do cotidiano de uma pessoa 06.Podemos afirmar que o narrador-personagem do texto acima é: a) ( ) uma mulher que fuma. b) ( ) uma criança que gosta de banho . c) ( ) um homem que fuma d) ( ) um casal que trabalha fora. Texto 3 Seja Criativo: Fuja Das Desculpas Manjadas Entrevista com teens, pais e psicólogos mostram que os adolescentes dizem sempre a mesma coisa quando voltam tarde de uma festa. Conheça seis desculpas entre as mais usadas. Uma sugestão: evite-as. Os pais não acreditam. - Nós tivemos que ajudar uma senhora que estava passando muito mal. Até o socorro chegar... A gente não podia deixar a pobre velhinha sozinha, não é? - O pai do amigo que ia me trazer bateu o carro. Mas não se preocupem ninguém se machucou! - Cheguei um minuto depois do ônibus ter partido. Aí tive de ficar horas esperando uma carona... - Você acredita que o meu relógio parou e eu nem percebi? - Mas vocês disseram que hoje eu podia chegar tarde, não se lembram? - Eu tentei avisar que ia me atrasar, mas o telefone daqui só dava ocupado! 07. De acordo com o texto, os pais não acreditam em: a) ( ) adolescentes. b) ( ) psicólogos. c) ( ) pesquisas. d) ( ) desculpas
  3. 3. Leia o texto abaixo para responder as questões 08 e 12: Texto 4: A GALINHA REIVINDICATIVA "Em certo dia de data incerta um galo velho e uma galinha nova encontraram-se no fundo de um quintal, entre uma bicada e outra, trocaram impressões sobre como o mundo estava mudado. O galo, porém, fez questão de frisar que sempre vivera bem, tivera muitas galinhas em sua vida sentimental e agora, velho e cansado, esperava calmamente o fim de seus dias. Ainda bem que você está satisfeito - disse a galinha. - E tem razão de estar, pois é galo. Mas eu, galinha, fêmea da espécie, posso estar satisfeita? Não posso. Todo o dia pôr ovos, todo semestre chocar ovos, criar pintos, isso é vida? Mas agora a coisa vai mudar. Pode estar certo de que vou levar uma vida de galo, livre e feliz. Há já seis meses que não choco e há uma semana que não ponho um ovo. A patroa, se quiser, que arranje outra para esses ofícios. Comigo, não, violão! O velho galo ia ponderar filosoficamente que galo é galo e galinha é galinha e que cada ser tem sua função específica na vida, quando a cozinheira, sorrateiramente, passou a mão no pescoço da doidivanas e saiu com ela esperneando, dizendo bem alto: 'A patroa tem razão: galinha que não choca nem põe ovo só serve mesmo é pra panela'. Moral: Um trabalho por jornada mantém a faca afastada. Millôr Fernandes, "Pif-Paf". Edição de O Independente 08. O que a galinha quis dizer com a pergunta” isso é vida?” (A) que a vida é maravilhosa. (B) que suas atividades são sacrificantes. (C) que é muito fácil a sua vida. (D) que tinha tudo o que queria e precisava. 09.O narrador diz que o galo é velho e a galinha é nova. Que importância tem isso para o desenrolar da história? (A) É que o galo tem idade para ser pai da galinha. (B) É que a galinha era reivindicativa e conseguia tudo o que queria através de seus manifestos (C) É que o galo não serve mais para ser comido e a galinha sim. (D) É que o fato do galo ser mais velho lhe dá maior experiência de vida, e a galinha ser nova faz com que seja mais imatura. 10. A galinha dessa história, que na verdade representa uma mulher, pode ser considerada uma feminista? (A) Não, pois não reclama de nada e gosta da vida que leva. (B) Não, pois aceita sua condição social. (C) Sim, pois acha que os homens poderiam também chocar e servir para a panela, como elas. (D) Sim, pois considera os homens uns privilegiados. 11.Qual mensagem podemos extrair desse texto? (A) Que todas as vezes que reivindicamos somos atendidos. (B) Que devemos aceitar tudo calados e nunca reclamarmos de nada.
  4. 4. (C) Que devemos ouvir os mais velhos, pois eles tem experiência de vida. (D) Que cada um deve cumprir com suas funções específicas, senão poderá ser punido. 12. Quanto ao narrador e ao tempo da narrativa podemos afirmar que: (A)narradorobservador/tempo psicológico (B) narrador personagem/tempo psicológico (c) narrador observador/ tempo cronológico (D) não há narrador/ tempo psicológico 13. Analise e classifique as orações subordinadas substantivas. a. Por favor, Cláudio, necessito de que me faças um favor. b. Vou lhe contar uma coisa: você está com as calças rasgadas. c. O importante é que todos estejam aqui bem cedo. d. Parece que vai chover hoje à noite. a( ) objetiva direta – objetiva indireta – apositiva - subjetiva b( ) completiva nominal - subjetiva – objetiva direta – objetiva indireta c( ) objetiva direta – apositiva – predicativa - subjetiva d( ) predicativa – objetiva direta – objetiva indireta – apositiva. 14. Analise as orações abaixo e classifique a segunda. Necessitamos de ajuda. Necessitamos que nos ajudem. a( ) oração subordinada substantiva subjetiva b( ) oração subordinada substantiva objetiva indireta c( ) oração subordinada substantiva objetiva direta d( ) oração subordinada substantiva completiva nominal Texto 5 CÃO E HOMEM Se você recolher um cachorro que morre de fome e o tornar próspero, ele não o morderá. É esta a diferença principal entre um cão e um homem. . (Mark Twain) 15. O defeito humano criticado pelo autor do texto é: a) a inveja b) a ingratidão c) o egoísmo d) o preconceito
  5. 5. PROVA DE PORTUGUÊS - 1º BIMESTRE (2012) ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL FRANCISCO SALES DE CARVALHO EDUCAR PARA CONSTRUIR UM FUTURO ALUNO (A): ________________________________ DATA: ___/____/___ PROF.: Francisco Antônio 9º Ano ______ TURNO: _____ PROVA DE PORTUGUÊS (1º Bimestre) Texto I Texto II Cinquenta camundongos, alguns dos Cientistas dos EUA anunciaram a quais clones de clones, derrubaram os clonagem de 50 ratos a partir de células de obstáculos técnicos à clonagem. Eles foram animais adultos, inclusive de alguns já clonados. produzidos por dois cientistas da Universidade Seriam os primeiros clones de clones, segundo do Havaí num estudo considerado estudos publicados na edição de hoje da revista revolucionário pela revista britânica “Nature”, “Nature”. uma das mais importantes do mundo. [...] A técnica empregada na pesquisa teria um aproveitamento de embriões — da A notícia de que cientistas da Universidade do Havaí desenvolveram uma fertilização ao nascimento — três técnica eficiente de clonagem fez muitos vezes maior pesquisadores temerem o uso do método para que a técnica utilizada por pesquisadores clonar seres humanos. britânicos para gerar a ovelha Dolly. (O Globo. Caderno Ciências e Vida. 23 jul. 1998, p. 36.) (Folha de S.Paulo . 1º caderno – Mundo. 03 jul. 1998, p. 16.) 01. (D20) Os dois textos tratam de clonagem. Qual aspecto dessa questão é tratado apenas no texto I? (A) A divulgação da clonagem de 50 ratos. (B) A referência à eficácia da nova técnica de clonagem. (C) O temor de que seres humanos sejam clonados. (D) A informação acerca dos pesquisadores envolvidos no experimento. Observe o cartum e depois responda a questão solicitada.
  6. 6. 02. (D5) De acordo com o cartum, o último aluno que estava no fundo da sala, compreendeu que a professora durante a chamada estava se referindo (A) ao número 38. (B) a um revólver. (C) a uma piada. (D) a presença. Leia o texto abaixo. Mãe, Hoje chegarei mais tarde. Vou estudar na casa de Márcia. Beijos, Lia P.S.: Já lavei todas as louças. (Amélia Albuquerque, Caminhos do Letramento, 1ª a 4ª série, Editora Livro Técnico, 2003.) 03. (D9) O texto foi escrito em forma de (A) bilhete. (B) jornal. (C) piada. (D) receita. Leia o texto abaixo. O sapo Era uma vez um lindo príncipe por quem todas as moças se apaixonavam. Por ele também se apaixonou uma bruxa horrenda que o pediu em casamento. O príncipe nem ligou e a bruxa ficou muito brava. “Se não vais casar comigo não vai se casar com ninguém mais”! “Olhou fundo nos olhos dele e disse: " Você vai virar um sapo! “Ao ouvir essa palavra o príncipe sentiu uma estremeção”. Teve medo. Acreditou. E ele virou aquilo que a palavra feitiço tinha dito. Sapo. Virou um sapo. (Alves, Rubem. A Alegria de Ensinar. Ars Poética, 1994.)
  7. 7. 04. (D3) No trecho “O príncipe NEM LIGOU e a bruxa ficou muito brava”, a expressão destacada significa que (A) não deu atenção ao pedido de casamento. (B) não entendeu o pedido de casamento. (C) não respondeu à bruxa. (D) não acreditou na bruxa. Leia o texto seguinte. DUAS ALMAS Ó tu que vens de longe, ó tu que vens cansada, entra, e sob este teto encontrarás carinho: Eu nunca fui amado, e vivo tão sozinho. Vives sozinha sempre e nunca foste amada... . A neve anda a branquear lividamente a estrada, e a minha alcova tem a tepidez de um ninho. Entra, ao menos até que as curvas do caminho se banhem no esplendor nascente da alvorada. . E amanhã quando a luz do sol dourar radiosa essa estrada sem fim, deserta, horrenda e nua, podes partir de novo, ó nômade formosa! . Já não serei tão só, nem irás tão sozinha: Há de ficar comigo uma saudade tua... Hás de levar contigo uma saudade minha... . Marcadores: Alceu Wamosy 05. (D3) No verso “e a minha alcova tem a TEPIDEZ de um ninho” (v.6), a expressão em negrito dá sentido de um lugar (A)aconchegante. (B)belo. (C)brando. (D)elegante. Leia o seguinte texto. O drama das paixões platônicas na adolescência Bruno foi aprovado por três dos sentidos de Camila: visão, olfato e audição. Por isso, ela precisa conquistá-lo de qualquer maneira. Matriculada na 8ª série, a garota está determinada a ganhar o gato do 3º ano do Ensino Médio e, para isso, conta com os conselhos de Tati, uma especialista na arte da azaração. A tarefa não é simples, pois o moço só tem olhos para Lúcia justo a maior “crânio” da escola. E agora, o que fazer? Camila entra em dieta espartana e segue as leis da conquista elaboradas pela amiga. REVISTA ESCOLA, março 2004, p. 63 06. (D4) Pode-se deduzir do texto que Bruno (A) chama a atenção das meninas. (C) pode ser conquistado facilmente. (B) é mestre na arte de conquistar. (D) tem muitos dotes intelectuais. TEXTO I TEXTO II Carta de Pero Vaz de Caminha Erro do Português (Fragmento)
  8. 8. Na noite seguinte ventou tanto sueste com Quando o português chegou chuvaceiros, que as naus desviaram-se do Debaixo duma bruta chuva rumo, e especialmente a capitania. Vestiu o índio Que pena! (CAMINHA, Pero Vaz de. Carta a El Rey Fosse uma manhã de sol Dom Manuel. Versão moderna de Rubem O índio tinha despido Braga, Record, 1981.) O português. (ANDRADE, Oswald de, Pau-Brasil, Globo, 1990.) 07. (D20) A semelhança entre os dois textos I e II acontece, quando os autores se referem (A) Ao índio. (B) A naus. (C) Ao sol. (D) À chuva. Leia a seguir a fábula de Monteiro Lobato e responda as questões de 8 a 9. A ONÇA DOENTE Certa vez a onça caiu de uma árvore e ficou muitos dias de cama. Como estava passando fome ele chamou a irara e pediu que avisasse a bicharada que estava morrendo e que fossem visitá-la. O veado, a capivara, a cutia e o jabuti foram visitá-la. Quando o jabuti chegou, antes de entrar na toca olhou para o chão e viu que só tinha pegadas que entravam, então pensou: - É melhor eu ir embora e rezar pela melhora da onça, pois aqui quem entrou não saiu. E ele foi o único que se salvou. Moral da história: Para esperteza, esperteza e meia. 08. (D11) Da leitura do texto, pode-se entender que a onça encontrava-se doente porque (A) havia caído da árvore. (B) estava com muita fome. (C) não podia caçar. (D) estava em apuros. 09. (D4) A verdadeira intenção da onça era (A) encontrar os amigos. (B) pedir ajuda aos animais. (C) alimentar-se dos animais que iam visitá-la. (D) almoçar com os animais que iam visitá-la. Leia o texto abaixo e em seguida responda o exercício apresentado. HOMEM DE MEIA-IDADE (LENDA CHINESA) Havia outrora um homem de meia-idade que tinha duas esposas. Um dia, indo visitar a mais jovem, esta lhe disse: - Eu sou moça e você é velho; não gosto de morar com você. Vá habitar com sua esposa mais velha. Para poder ficar, o homem arrancou da cabeça os cabelos brancos. Mas, quando
  9. 9. foi visitar a esposa mais velha, esta lhe disse, por sua vez: -Eu sou velha e tenho a cabeça branca; arranque, pois, os cabelos pretos que tem. Então o homem arrancou os cabelos pretos para ficar de cabeça branca. Como repetisse sem tréguas tal procedimento, a cabeça tornou-se-lhe inteiramente calva. A essa altura, ambas as esposas acharam-no horrível e ambas o abandonaram. (Aurélio Buarque de Holanda Ferreira) 10. (D6) A ideia central do texto é (A) o problema da calvície masculina. (B) a impossibilidade de agradar a todos. (C) a vaidade dos homens. (D) a insegurança na meia-idade. Leia o texto a seguir. A função da arte Diego não conhecia o mar. O pai, Santiago Kovadloff, levou-o para que descobrisse o mar. Viajaram para o Sul. Ele, o mar, estava do outro lado das dunas altas, esperando. Quando o menino e o pai enfim alcançaram aquelas alturas de areia, depois de muito caminhar, o mar estava na frente de seus olhos. E foi tanta a imensidão do mar, e tanto fulgor, que o menino ficou mudo de beleza. E quando finalmente conseguiu falar, tremendo, gaguejando, pediu ao pai: __ Me ajuda a olhar! (Roxo, Maria do Rosário e Vitória Wilson. Entre textos. V. 4, Editora Moderna.) 11. (D11) O menino ficou tremendo, gaguejando porque (A) a viagem foi longa. (B) as dunas eram muito altas. (C) o mar era imenso e belo. (D) o pai não o ajudou a ver o mar. Considere o seguinte trecho: Em vez do médico do Milan, o doutor José Luiz Runco, da Seleção, é quem deverá ser o responsável pela cirurgia de Cafu. Foi ele quem operou o volante Edu e o atacante Ricardo Oliveira, dois jogadores que tiveram problemas semelhantes no ano passado. 12. (D2) O termo “ele”, em destaque no texto, refere-se: (A) ao médico do Milan. (B) a Cafu. (C) ao doutor José Luiz Runco. (D) ao volante Edu. Leia a tirinha.
  10. 10. 13. (D3) No 1º quadrinho, a fala do personagem pode ser substituída por (A) “Quer namorar comigo?” (B) “Você é muito bonita para mim!” (C) “Você é muito simpática!” (D) “Você é muito humilde!” Leia o texto abaixo e responda as questões de 14 a 16. O visitante vai passando pelo corredor do hospital, quando vê o amigo saindo disparado, cheio de tubos, da sala de cirurgia: __ Aonde é que você vai, rapaz?! __ Tá louco, bicho, vou cair fora! __ Mas, qual é, rapaz?! Uma simples operação de apendicite! Você tira isso de letra. E o paciente: __ Era o que a enfermeira estava dizendo lá dentro: “Uma operaçãozinha de nada, rapaz! Coragem! Você tira isso de letra! Vai fundo, homem!” __ Então, por que você está fugindo? __ Porque ela estava dizendo isso era pro médico que ia me operar! (Ziraldo. As melhores anedotas do mundo. Rio de Janeiro; Globo, 1988, p. 62.) 14. (D6) A ideia principal do texto é (A) O rapaz tem medo de cirurgia. (B) Pela da fala enfermeira o rapaz imaginou que o médico fosse fazer outra coisa. (C) Um rapaz não quer submeter-se a uma operação de apendicite porque o médico é inexperiente. (D) O rapaz quando viu os utensílios cirúrgicos ficou com medo e fugiu. 15. (D10) O lugar onde a história se passa (A) Na entrada do hospital. (B) Na recepção do hospital. (C) No corredor do hospital. (D) Na sala de operação. 16. (D16) A finalidade ao contar uma anedota é (A) Informar um acontecimento. (B) Descrever um fato. (C) Argumentar um fato ou acontecimento. (D) Provocar o riso. Leia a tirinha a seguir.
  11. 11. 17. (D15) No 2º quadrinho da tira, o trecho: “É, eu o vi na primeira página do jornal.” O pronome em destaque se refere (A) ao Garfield. (B) ao jornal. (C) ao famoso. (D) ao marido. Saudade Filisbino Matoso andava que era uma tristeza só. Não queria nada com a vida nem aceitava o consolo de ninguém. Quem passasse lá pelas bandas do Sítio da Purunga Sonora ia ouviu os lamentos do moço. _ Ai! Como sofro! Sem minha querida Florisbelta não posso viver. De que me vale este lindo sítio com lago, se estou nadando em lágrimas? Todos que moravam no Purunga Sonora e nos arredores sabiam da história da Florisbelta. Era o grande amor de Filisbino Matoso. A choradeira havia começado com o raiar do sol, quando a tal Florisbelta, sem avisar ninguém, resolvera tomar o caminho da cidade. (SALLOUTI, Elza Césari. O bilhete que o vento levou. São Paulo: Salesiana Dom Bosco, 1991.) 18. (D11) “Filisbino Matoso andava que era uma tristeza só...”. Qual é o motivo da tristeza de Filisbino? ( A ) A falta que Florisbelta fazia. ( B ) Estar nadando em lágrimas. ( C ) Ter um sítio com lago e não aproveitar. ( D ) Todos dos arredores sabem da história. 19. (D10) Como foi o final de Filisbino Matoso? ( A ) Florisbelta tomou o caminho da cidade e não voltou. ( B ) Florisbelta voltou ao sítio para rever seu grande amor. ( C ) Filisbino contou a história para todos os arredores. ( D ) Filisbino foi atrás de Filisbelta e a encontrou. Leia o trecho abaixo. " Parecia que o indivíduo desprezava o que a vida lhe dera com tanta generosidade: a saúde. Não obstante, era importante que acordasse para a vida, que olhasse seu futuro tão incerto, que visse a importância dos valores a serem consumados gradativamente... Tenho a impressão de que vivenciamos esta história todos os dias e, embora isto aconteça, é preciso que tenhamos muita paciência com nosso semelhante, porque não acredito que ele seja tão indiferente!"
  12. 12. 20. Classifique as orações destacadas no texto acima em objetiva direta, objetiva indireta, subjetiva, apositiva, predicativa e completiva nominal. a) ________________________________ b) ______________________________ c) ________________________________ d) ______________________________ e) ________________________________ f) _______________________________ g) ________________________________ 21. Enumere os fatos de acordo com a ordem em que apareceu no filme (Um Amor Para Recordar). a) ( ) Termina Landon olhando o horizonte, num lugar onde ele e Jamie se encontravam. b) ( ) Landon e mais cinco amigos vão vai fazer zoeira no reservatório de água da fábrica de cimento. c) ( ) Landon Carter recebe como punição prestar serviços comunitários e participar de uma peça teatral que está sendo montada na escola. d) ( ) Jamie confessa a Landon que ela tem leucemia. e) ( ) O pai dele paga as despesas do hospital, o qual eles se reconciliam. f) ( ) Os 2 se casam e já no final, ela morre. 22.Transforme os períodos simples abaixo no período composto por subordinação. Depois divida as orações, circule o conectivo e classifique as orações subordinadas substantivas. Observe os termos em destaque: a) Lembre-se do outro seu irmão. ______________________________________ __________________________________________________________ b) O homem tinha certeza de sua resposta não ser aceita. ___________________ ________________________________________________________________ c) Tal atitude é preconceituosa. ________________________________________ _________________________________________________________________ d) É preciso amar ao próximo. __________________________________________ _________________________________________________________________ GABARITO/RESPOSTA 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 A x x x x x x x B x x x C x x x x x x D x x x

×