SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 25
Baixar para ler offline
Vida e Ambiente
PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABAIANINHA
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
PROJETO DE CAPACITAÇÃO Á DOCENTES DA REDE PÚBLICA DE ENSINO
(MODALIDADE: CIÊNCIAS)
FACILITADOR: WELLISSON OLIVEIRA.
GRADUADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS.
A ORIGEM DA VIDA
• Hoje não é novidade o fato que um ser vivo se forma a partir de outro
ser vivo. Mas da antiguidade até o início do século XVII acreditava-se
que pequenos seres vivos, como moscas e girinos, podiam nascer da
matéria sem vida.
• A ideia de que a vida pode surgir da matéria sem vida é conhecida
como teoria da geração espontânea ou abiogênese.
TEORIA DA BIOGÊNESE
• Nem todos aceitavam a ideia da geração espontânea. Em 1668,
o médico italiano Francesco Redi reparou que pequenos
vermes apareciam em lugares frequentados por moscas, como
carnes em decomposição. Supondo então que eles fossem, na
realidade, larvas provenientes de ovos que tinham sido
depositados pelas moscas adultas.
O EXPERIMENTO DE PASTEUR
• Mesmo Redi provando que as larvas provinham de ovos postos
por moscas adultas, muitas pessoas continuaram acreditando
na ideia da geração espontânea em relação aos seres
microscópicos.
A representação do experimento realizado por Louis Pasteur é
apresentada abaixo:
A partir dos resultados obtidos nesse experimento, constata-se
que:
a) Foi comprovada a formação de coacervados.
b) Foi comprovada a teoria da abiogênese.
c) Foi observada a formação de aminoácidos.
d) Foi refutada a teoria da abiogênese.
CLASSIFICAÇÃO DOS SERES VIVOS.
• Você prefere classificar com ou sem critérios?
• Em meados do século XVIII, o botânico e médico sueco Carl
von Linné ou Lineu criou ao longo de sua história científica um
sistema de classificação para organizar os seres vivos, esse
sistema ficou conhecido no mundo de hoje como taxonomia.
• Observe as ilustrações de duas células diferentes.
Sobre essas células pode-se afirmar que:
A) a bactéria não tem membrana.
B) a célula animal tem membrana nuclear.
C) a célula da bactéria não tem citoplasma.
D) apenas a célula animal tem citoplasma.
DNA
Flagelo
Membranada célula
Citoplasma
Complexo
Núcleo
Nucléolo
Lisossomo
Mitocrôndia
Membrana
plasmástica
Retículo
endoplasmático
Retículo
endoplasmático
Citoplasma
CÉLULA ANIMALBACTÉRIA
REINO PROTISTA
• Com o auxílio de um microscópio e uma gota de água
proveniente de aquário, lago ou até mesmo do mar podemos
visualizar microorganismo extremamente pequenos. Além de
viver em água eles também podem ser encontrados no solo,
troncos de árvores e até mesmo dentro de corpos de animais e
plantas.
• Os protozoários são autótrofos (algas) e heterótrofos
(Protozoários), podem ser de vida livre (Planária) ou parasitária
(Tripanosoma cruzi), sua reprodução geralmente é assexuada
feita a partir da cissiparidade ou bipartição, mas existem
protozoários que também realizam a reprodução sexuada,
nesse caso produzem gametas ou trocam material genético
entre si.
• Produz a maior parte do oxigênio atmosférico.
• São usadas como alimento.
• Diatomitos substâncias removida da carapácea das
diatomáceas e usado na fabricação de lixas para polimento,
filtros para indústrias de vinho e piscinas e etc.
• Ágar ágar você conhece?
PRODUTOS APARTIR DO ÁGAR ÁGAR
A esquistossomose é uma doença que provoca várias lesões no fígado,
no intestino e na bexiga. É causada por um pequeno verme parasita que,
para desenvolver suas várias fases de vida, necessita tanto do corpo
humano como de caracóis de água doce que vivem em valas, canais de
irrigação, represas, poças fundas, margens de rios e lagoas, sendo pouco
encontrado nas correntezas.
Qual é a melhor forma de prevenir a esquistossomose, sem agredir o
meio ambiente?
A) Tratar o esgoto impedindo que os ovos liberados pelas fezes e urina
cheguem aos locais de água parada.
B) Combater caracóis que vivem em locais de água parada com
substâncias que desequilibram as cadeias alimentares das quais
participam.
C) Tratar os rios com injeção de ar comprimido para oxigenar a água
corrente e possibilitar o desenvolvimento de animais.
D) Tratar as pessoas doentes, com medicamentos que matem formas
adultas no fígado, intestino ou bexiga.
REINO MONERA
• Quando se fala em bactérias as pessoas pensam em indivíduos
que causam doenças, de fato algumas provocam doença e são
chamadas patogênicas, mas em sua grande maioria elas
contribuem para a indústria, seres humanos, na decomposição
de animais e plantas e associando-se a outros animais. Sua
reprodução pode ser assexuada ou sexuada.
• São responsáveis pela decomposição da matéria orgânica.
• Participam do ciclo do nitrogênio.
• Produzem alimentos.
• Ajudam na microflora intestinal.
• Utilizada na produção de insulina artificial e vacinas que
imunizam.
• São indicadores da qualidade da água de praia ou rio por meio
da presença de grande quantidade de coliformes fecais.
Pneumonia e tuberculose são doenças causadas por
microrganismos. Identifique o tipo do organismo causador e os
principais sintomas dessas doenças.
A) Bactéria; tosse e febre.
B) Protozoário; tosse e febre.
C) Bactéria; diarréia e desidratação.
D) Protozoário; diarréia e desidratação.
REINO FUNGI
• Assim como as bactérias, os fungos são importantes
decompositores eles se alimentam de qualquer substância
orgânica em fase de putrefação. Sua reprodução pode ser
assexuada (brotamento) e sexuada (Dispersão pelo ar).
• Além de decomposição, muitos participam da produção em
larga escala de cerveja (Saccharomyces cerevisiae) e vinho
(Saccharomyces ellipsoideus).
• Alguns tem importância na medicina como é o caso do
Penicíllium notatum descoberto por Alexandre Fleming e produz
a penicilina um potente bactericida.
No passado, por produzirem esporos e não se deslocarem como os animais,
os fungos integravam o Reino Plantae. Atualmente, esses organismos estão
incluídos em um ou mais reinos distintos. Analise as informações abaixo:
I- A maioria dos fungos apresenta o corpo constituído por hifas, cujas paredes
possuem quitina.
II- Os fungos podem se associar a raízes de plantas, formando as micorrizas.
III- Assim como as plantas, os fungos apresentam amido como substância de
reserva.
IV- Os fungos não se reproduzem assexuadamente.
V- Os fungos são organismos heterotróficos, nutrindo- se por absorção.
Assinale a alternativa que apresenta apenas afirmativas CORRETAS:
A) I,II e IV.
B) I,II e V.
C) I,III e IV.
D) II,III e V.
REINO PLANTAE
• As plantas são seres pluricelulares e eucariontes. Nesses
aspectos elas são semelhantes aos animais e a muitos tipos de
fungos; entretanto, têm uma característica que as distingue
desses seres - são autotróficas. Segundo a hipótese mais
aceita, elas evoluíram a partir de ancestrais protistas.
Provavelmente, esses ancestrais seriam tipos de algas
pertencentes ao grupo dos protistas que se desenvolveram na
água. Utilizando a luz, ou seja, a energia luminosa, as plantas
produzem a glicose, matéria orgânica formada a partir da água
e do gás carbônico que obtêm do alimento, e liberam o gás
oxigênio.
• Esse reino é composto por diversos tipos de plantas das quais
encontram-se as briófitas, pteridófitas, gimnospermas e
angiospermas.
• As plantas são a base de sustentação da vida na Terra. São
elas que, juntamente com as algas, produzem o oxigénio
necessário à respiração dos seres vivos. Propriedades
medicinais.
• Madeira para o dia a dia.
• Produção em indústrias.
• Umidificar o ar atmosférico.
• Proteger mananciais e sombrear os campos.
REINO ANIMALIA
• O Reino Animalia é definido segundo características comuns a todos
os animais: organismos eucariontes,
multicelulares, heterotróficos, que obtêm seu alimento por ingestão
de nutrientes do meio. O ramo da biologia que estuda os animais é
denominado Zoologia, e é muito comum os zoologistas classificar os
animais em animais vertebrados e invertebrados.
• Ele é composto por diversos filos como: poríferos, cnidários,
platelmintos, nematelmintos, anelídeos, moluscas, artrópodes,
equinodermos e cordados sendo que nos cordados ele sub-divide
em: peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos.
Os seres vivos obtêm, de diferentes fontes, a energia e a matéria-
prima para a constituição de seus corpos de acordo com o seu
papel na cadeia alimentar. Selecione a alternativa que apresenta as
relações corretas entre organismos e fonte de energia.
A) Plantas/sol; animais herbívoros/outros animais; animais
carnívoros/ vegetais; fungos/restos de seres vivos.
B) Plantas/restos de seres vivos; animais herbívoros/vegetais;
animais carnívoros/restos de seres vivos; fungos/restos de seres
vivos.
C) Plantas/sol; animais herbívoros/vegetais; animais
carnívoros/outros animais; fungos/restos de seres vivos.
D) Plantas/restos de seres vivos; animais herbívoros/outros
animais; animais carnívoros/vegetais; fungos/sol.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
• GOWDAK, D. & MARTINS, E. Ciências novo pensar 7º ano:
Seres vivos. São Paulo: FTD, 2009.
• Disponível em: http://profwarles.blogspot.com.br/ acesso: 10 de
Julho de 2015 às 14: 15h.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Organização dos seres vivos
Organização dos seres vivosOrganização dos seres vivos
Organização dos seres vivosEdimar Lopes
 
Os níveis de organização nos pluricelulares
Os níveis de organização nos pluricelularesOs níveis de organização nos pluricelulares
Os níveis de organização nos pluricelularesGabriel Salles
 
1 o ser humano (cap 01)
1 o ser humano (cap 01)1 o ser humano (cap 01)
1 o ser humano (cap 01)Roberto2016
 
Revisão para a avaliação parcial 8º ano 2013
Revisão para a avaliação parcial   8º ano 2013Revisão para a avaliação parcial   8º ano 2013
Revisão para a avaliação parcial 8º ano 2013Raphaell Garcia
 
Citologia 8º ano a
Citologia   8º  ano aCitologia   8º  ano a
Citologia 8º ano aRoseny90
 
Níveis de organização - 2014 - 1º ano
Níveis de organização - 2014 - 1º anoNíveis de organização - 2014 - 1º ano
Níveis de organização - 2014 - 1º anoMarcia Bantim
 
Citologia 8º ano
Citologia   8º  ano Citologia   8º  ano
Citologia 8º ano Roseny90
 
Célula
Célula Célula
Célula mael007
 
Aula01: INTRODUÇÃO À BIOLOGIA APLICADA A EDUCAÇÃO FÍSICA
Aula01: INTRODUÇÃO À BIOLOGIA APLICADA A EDUCAÇÃO FÍSICAAula01: INTRODUÇÃO À BIOLOGIA APLICADA A EDUCAÇÃO FÍSICA
Aula01: INTRODUÇÃO À BIOLOGIA APLICADA A EDUCAÇÃO FÍSICALeonardo Delgado
 
Seres vivos; características gerais
Seres vivos; características geraisSeres vivos; características gerais
Seres vivos; características geraisAndré Garrido
 
Oitavo ano: Capítulo 1
Oitavo ano: Capítulo 1Oitavo ano: Capítulo 1
Oitavo ano: Capítulo 1Sarah Lemes
 
1º estudo de ciências – 7º ano - maio
1º estudo de ciências – 7º ano - maio1º estudo de ciências – 7º ano - maio
1º estudo de ciências – 7º ano - maioLuiza Collet
 
Biologia Coc
Biologia CocBiologia Coc
Biologia CocCoc2010
 

Mais procurados (20)

Organização dos seres vivos
Organização dos seres vivosOrganização dos seres vivos
Organização dos seres vivos
 
Os níveis de organização nos pluricelulares
Os níveis de organização nos pluricelularesOs níveis de organização nos pluricelulares
Os níveis de organização nos pluricelulares
 
1 o ser humano (cap 01)
1 o ser humano (cap 01)1 o ser humano (cap 01)
1 o ser humano (cap 01)
 
Revisão para a avaliação parcial 8º ano 2013
Revisão para a avaliação parcial   8º ano 2013Revisão para a avaliação parcial   8º ano 2013
Revisão para a avaliação parcial 8º ano 2013
 
Citologia 8º ano a
Citologia   8º  ano aCitologia   8º  ano a
Citologia 8º ano a
 
Níveis de organização - 2014 - 1º ano
Níveis de organização - 2014 - 1º anoNíveis de organização - 2014 - 1º ano
Níveis de organização - 2014 - 1º ano
 
Citologia 8º ano
Citologia   8º  ano Citologia   8º  ano
Citologia 8º ano
 
CéLula
CéLulaCéLula
CéLula
 
Célula
Célula Célula
Célula
 
biologia geral
biologia geral biologia geral
biologia geral
 
Biologia
BiologiaBiologia
Biologia
 
Aula01: INTRODUÇÃO À BIOLOGIA APLICADA A EDUCAÇÃO FÍSICA
Aula01: INTRODUÇÃO À BIOLOGIA APLICADA A EDUCAÇÃO FÍSICAAula01: INTRODUÇÃO À BIOLOGIA APLICADA A EDUCAÇÃO FÍSICA
Aula01: INTRODUÇÃO À BIOLOGIA APLICADA A EDUCAÇÃO FÍSICA
 
Seres vivos; características gerais
Seres vivos; características geraisSeres vivos; características gerais
Seres vivos; características gerais
 
Anatomia
 Anatomia Anatomia
Anatomia
 
Frente 1 modulo 1 organizacao dos seres vivos
Frente 1 modulo 1 organizacao dos seres vivosFrente 1 modulo 1 organizacao dos seres vivos
Frente 1 modulo 1 organizacao dos seres vivos
 
Oitavo ano: Capítulo 1
Oitavo ano: Capítulo 1Oitavo ano: Capítulo 1
Oitavo ano: Capítulo 1
 
Célula 7 ANO
Célula 7 ANOCélula 7 ANO
Célula 7 ANO
 
1º estudo de ciências – 7º ano - maio
1º estudo de ciências – 7º ano - maio1º estudo de ciências – 7º ano - maio
1º estudo de ciências – 7º ano - maio
 
Biologia Coc
Biologia CocBiologia Coc
Biologia Coc
 
Biologia Geral
Biologia GeralBiologia Geral
Biologia Geral
 

Destaque

Energia: Conversão e Transformação INN/SE
Energia: Conversão e Transformação INN/SEEnergia: Conversão e Transformação INN/SE
Energia: Conversão e Transformação INN/SESMEdeItabaianinha
 
Matéria, constituição, propriedades e transformações
Matéria, constituição, propriedades e transformaçõesMatéria, constituição, propriedades e transformações
Matéria, constituição, propriedades e transformaçõesSMEdeItabaianinha
 
Lei n ¦ 832 estatuto do magisterio publico municipal
Lei n ¦ 832 estatuto do magisterio publico municipalLei n ¦ 832 estatuto do magisterio publico municipal
Lei n ¦ 832 estatuto do magisterio publico municipalSMEdeItabaianinha
 
Study Explores Exercises to Improve Cognition in People with MS
Study Explores Exercises to Improve Cognition in People with MSStudy Explores Exercises to Improve Cognition in People with MS
Study Explores Exercises to Improve Cognition in People with MSJohn Guandolo
 
Resuscitation Council UK - Advanced Life Support Course
Resuscitation Council UK - Advanced Life Support Course Resuscitation Council UK - Advanced Life Support Course
Resuscitation Council UK - Advanced Life Support Course Anna Kulik-Ford
 
Andrew taylor cv march 2016.doc
Andrew taylor cv march 2016.docAndrew taylor cv march 2016.doc
Andrew taylor cv march 2016.docAndy Taylor
 
Ppt Shalat jamak &; qasar
Ppt Shalat jamak &; qasarPpt Shalat jamak &; qasar
Ppt Shalat jamak &; qasarmiftaalamin23
 
Jesús continúa enseñando a sus discípulos
Jesús continúa enseñando a sus discípulosJesús continúa enseñando a sus discípulos
Jesús continúa enseñando a sus discípulosCoke Neto
 
Mapas conceituais - Canto
Mapas conceituais - CantoMapas conceituais - Canto
Mapas conceituais - CantoEditora Moderna
 
Digital Health at UNC Chapel Hill CaDHRI Needs Assessment Report
Digital Health at UNC Chapel Hill CaDHRI Needs Assessment ReportDigital Health at UNC Chapel Hill CaDHRI Needs Assessment Report
Digital Health at UNC Chapel Hill CaDHRI Needs Assessment Reportcadhri_unc
 
Las fiestas judías. Alfonso. Escolapios. 3ºA
Las fiestas judías. Alfonso. Escolapios. 3ºALas fiestas judías. Alfonso. Escolapios. 3ºA
Las fiestas judías. Alfonso. Escolapios. 3ºAalfonrga
 
Apresentação Universo e Terra
Apresentação Universo e TerraApresentação Universo e Terra
Apresentação Universo e TerraMarcostrilheiro
 

Destaque (20)

Energia: Conversão e Transformação INN/SE
Energia: Conversão e Transformação INN/SEEnergia: Conversão e Transformação INN/SE
Energia: Conversão e Transformação INN/SE
 
Matéria, constituição, propriedades e transformações
Matéria, constituição, propriedades e transformaçõesMatéria, constituição, propriedades e transformações
Matéria, constituição, propriedades e transformações
 
Terra e Universo
Terra e UniversoTerra e Universo
Terra e Universo
 
Plano de aula meio ambiente
Plano de aula meio ambientePlano de aula meio ambiente
Plano de aula meio ambiente
 
Lei n ¦ 832 estatuto do magisterio publico municipal
Lei n ¦ 832 estatuto do magisterio publico municipalLei n ¦ 832 estatuto do magisterio publico municipal
Lei n ¦ 832 estatuto do magisterio publico municipal
 
Linha do tempo CEMOC 2015
Linha do tempo CEMOC 2015Linha do tempo CEMOC 2015
Linha do tempo CEMOC 2015
 
Study Explores Exercises to Improve Cognition in People with MS
Study Explores Exercises to Improve Cognition in People with MSStudy Explores Exercises to Improve Cognition in People with MS
Study Explores Exercises to Improve Cognition in People with MS
 
Plugusor traieste romaneste
Plugusor traieste romanestePlugusor traieste romaneste
Plugusor traieste romaneste
 
Resuscitation Council UK - Advanced Life Support Course
Resuscitation Council UK - Advanced Life Support Course Resuscitation Council UK - Advanced Life Support Course
Resuscitation Council UK - Advanced Life Support Course
 
Daftar tabel AKPER PEMKAB MUNA
Daftar tabel AKPER PEMKAB MUNA Daftar tabel AKPER PEMKAB MUNA
Daftar tabel AKPER PEMKAB MUNA
 
Proroga spesometro
Proroga spesometroProroga spesometro
Proroga spesometro
 
Andrew taylor cv march 2016.doc
Andrew taylor cv march 2016.docAndrew taylor cv march 2016.doc
Andrew taylor cv march 2016.doc
 
Ppt Shalat jamak &; qasar
Ppt Shalat jamak &; qasarPpt Shalat jamak &; qasar
Ppt Shalat jamak &; qasar
 
Jesús continúa enseñando a sus discípulos
Jesús continúa enseñando a sus discípulosJesús continúa enseñando a sus discípulos
Jesús continúa enseñando a sus discípulos
 
Mapas conceituais - Canto
Mapas conceituais - CantoMapas conceituais - Canto
Mapas conceituais - Canto
 
Digital Health at UNC Chapel Hill CaDHRI Needs Assessment Report
Digital Health at UNC Chapel Hill CaDHRI Needs Assessment ReportDigital Health at UNC Chapel Hill CaDHRI Needs Assessment Report
Digital Health at UNC Chapel Hill CaDHRI Needs Assessment Report
 
Bonus sud circolare inps
Bonus sud circolare inpsBonus sud circolare inps
Bonus sud circolare inps
 
Slides semana pedagógica
Slides  semana pedagógicaSlides  semana pedagógica
Slides semana pedagógica
 
Las fiestas judías. Alfonso. Escolapios. 3ºA
Las fiestas judías. Alfonso. Escolapios. 3ºALas fiestas judías. Alfonso. Escolapios. 3ºA
Las fiestas judías. Alfonso. Escolapios. 3ºA
 
Apresentação Universo e Terra
Apresentação Universo e TerraApresentação Universo e Terra
Apresentação Universo e Terra
 

Semelhante a Origem da Vida e Classificação dos Seres Vivos

2º bim (2) classificação dos seres vivos
2º bim (2)   classificação dos seres vivos2º bim (2)   classificação dos seres vivos
2º bim (2) classificação dos seres vivossanthdalcin
 
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino FungiURCA
 
aula inicial sobre oque é Microbiologia
aula inicial sobre oque é  Microbiologiaaula inicial sobre oque é  Microbiologia
aula inicial sobre oque é Microbiologiapaulovitormacedo1
 
Platelmintos & Nematódeos
Platelmintos & NematódeosPlatelmintos & Nematódeos
Platelmintos & NematódeosLeandro Mota
 
Roteiros de Ciências 7º ano do CCM
Roteiros de Ciências  7º ano do CCMRoteiros de Ciências  7º ano do CCM
Roteiros de Ciências 7º ano do CCMMabio Vieira
 
Roteiro (respostas) 7º ano
Roteiro (respostas) 7º anoRoteiro (respostas) 7º ano
Roteiro (respostas) 7º anoMabio Vieira
 
Roteiro (respostas) 7º ano
Roteiro (respostas) 7º anoRoteiro (respostas) 7º ano
Roteiro (respostas) 7º anoMabio Vieira
 
A.P.Point.Protistas.ProtozoáRios2007.Grav
A.P.Point.Protistas.ProtozoáRios2007.GravA.P.Point.Protistas.ProtozoáRios2007.Grav
A.P.Point.Protistas.ProtozoáRios2007.GravAlbano Novaes
 
Introdução a parasito 01
Introdução a parasito 01Introdução a parasito 01
Introdução a parasito 01ARTHUR CALIXTO
 
Seres Vivos
Seres VivosSeres Vivos
Seres VivosAurelio1
 
Protozoários.
Protozoários.Protozoários.
Protozoários.Ala SB3
 

Semelhante a Origem da Vida e Classificação dos Seres Vivos (20)

2º bim (2) classificação dos seres vivos
2º bim (2)   classificação dos seres vivos2º bim (2)   classificação dos seres vivos
2º bim (2) classificação dos seres vivos
 
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
 
Aula invertebrados
Aula invertebradosAula invertebrados
Aula invertebrados
 
Reino animalia (metazoa)
Reino animalia (metazoa)Reino animalia (metazoa)
Reino animalia (metazoa)
 
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
 
aula inicial sobre oque é Microbiologia
aula inicial sobre oque é  Microbiologiaaula inicial sobre oque é  Microbiologia
aula inicial sobre oque é Microbiologia
 
Platelmintos & Nematódeos
Platelmintos & NematódeosPlatelmintos & Nematódeos
Platelmintos & Nematódeos
 
Reino fungi (1)
Reino fungi (1)Reino fungi (1)
Reino fungi (1)
 
Roteiros de Ciências 7º ano do CCM
Roteiros de Ciências  7º ano do CCMRoteiros de Ciências  7º ano do CCM
Roteiros de Ciências 7º ano do CCM
 
Roteiro (respostas) 7º ano
Roteiro (respostas) 7º anoRoteiro (respostas) 7º ano
Roteiro (respostas) 7º ano
 
Roteiro (respostas) 7º ano
Roteiro (respostas) 7º anoRoteiro (respostas) 7º ano
Roteiro (respostas) 7º ano
 
A.P.Point.Protistas.ProtozoáRios2007.Grav
A.P.Point.Protistas.ProtozoáRios2007.GravA.P.Point.Protistas.ProtozoáRios2007.Grav
A.P.Point.Protistas.ProtozoáRios2007.Grav
 
Introdução a parasito 01
Introdução a parasito 01Introdução a parasito 01
Introdução a parasito 01
 
Vírus e bactérias
Vírus e bactériasVírus e bactérias
Vírus e bactérias
 
Seres Vivos
Seres VivosSeres Vivos
Seres Vivos
 
Morcegos 2º D
Morcegos 2º DMorcegos 2º D
Morcegos 2º D
 
Diversidade da vida - Reinos e domínios
Diversidade da vida - Reinos e domíniosDiversidade da vida - Reinos e domínios
Diversidade da vida - Reinos e domínios
 
reinos microscópicos.pdf
reinos microscópicos.pdfreinos microscópicos.pdf
reinos microscópicos.pdf
 
Protozoários.
Protozoários.Protozoários.
Protozoários.
 
Reino Animalia
Reino Animalia Reino Animalia
Reino Animalia
 

Mais de SMEdeItabaianinha

Orientações para produção do livro: "Memórias da nossa gente"
Orientações para produção do livro: "Memórias da nossa gente"Orientações para produção do livro: "Memórias da nossa gente"
Orientações para produção do livro: "Memórias da nossa gente"SMEdeItabaianinha
 
Memorial dos prefeitos de Itabaianinha/SE
Memorial dos prefeitos de Itabaianinha/SEMemorial dos prefeitos de Itabaianinha/SE
Memorial dos prefeitos de Itabaianinha/SESMEdeItabaianinha
 
Diretoras Inesquecíveis na história do Colégio Municipal Mons. Olímpio Campos
Diretoras Inesquecíveis na história do Colégio Municipal Mons. Olímpio CamposDiretoras Inesquecíveis na história do Colégio Municipal Mons. Olímpio Campos
Diretoras Inesquecíveis na história do Colégio Municipal Mons. Olímpio CamposSMEdeItabaianinha
 
Apresentação do Projeto de Incentivo à Leitura "Visconde de Sabugosa" 2015
Apresentação do Projeto de Incentivo à Leitura "Visconde de Sabugosa" 2015Apresentação do Projeto de Incentivo à Leitura "Visconde de Sabugosa" 2015
Apresentação do Projeto de Incentivo à Leitura "Visconde de Sabugosa" 2015SMEdeItabaianinha
 
Apresentação ambiental final
Apresentação ambiental finalApresentação ambiental final
Apresentação ambiental finalSMEdeItabaianinha
 
Boas práticas de fabricação PSE
Boas práticas de fabricação PSEBoas práticas de fabricação PSE
Boas práticas de fabricação PSESMEdeItabaianinha
 
Projeto de Incentivo à Leitura Visconde de Sabugosa nas Escolas 2014
Projeto de Incentivo à Leitura Visconde de Sabugosa nas Escolas 2014Projeto de Incentivo à Leitura Visconde de Sabugosa nas Escolas 2014
Projeto de Incentivo à Leitura Visconde de Sabugosa nas Escolas 2014SMEdeItabaianinha
 

Mais de SMEdeItabaianinha (20)

Quiz português 9° ano
Quiz português 9° anoQuiz português 9° ano
Quiz português 9° ano
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
 
Orientações para produção do livro: "Memórias da nossa gente"
Orientações para produção do livro: "Memórias da nossa gente"Orientações para produção do livro: "Memórias da nossa gente"
Orientações para produção do livro: "Memórias da nossa gente"
 
Memórias da nossa gente
Memórias da nossa genteMemórias da nossa gente
Memórias da nossa gente
 
Memorial dos Prefeitos
Memorial dos PrefeitosMemorial dos Prefeitos
Memorial dos Prefeitos
 
Memorial dos prefeitos de Itabaianinha/SE
Memorial dos prefeitos de Itabaianinha/SEMemorial dos prefeitos de Itabaianinha/SE
Memorial dos prefeitos de Itabaianinha/SE
 
Linha do tempo CEMOC 2015
Linha do tempo CEMOC 2015Linha do tempo CEMOC 2015
Linha do tempo CEMOC 2015
 
Diretoras Inesquecíveis na história do Colégio Municipal Mons. Olímpio Campos
Diretoras Inesquecíveis na história do Colégio Municipal Mons. Olímpio CamposDiretoras Inesquecíveis na história do Colégio Municipal Mons. Olímpio Campos
Diretoras Inesquecíveis na história do Colégio Municipal Mons. Olímpio Campos
 
PME E AÇÕES DA SME
PME E AÇÕES DA SMEPME E AÇÕES DA SME
PME E AÇÕES DA SME
 
Apresentação do Projeto de Incentivo à Leitura "Visconde de Sabugosa" 2015
Apresentação do Projeto de Incentivo à Leitura "Visconde de Sabugosa" 2015Apresentação do Projeto de Incentivo à Leitura "Visconde de Sabugosa" 2015
Apresentação do Projeto de Incentivo à Leitura "Visconde de Sabugosa" 2015
 
Slides sacola mágica
Slides sacola mágicaSlides sacola mágica
Slides sacola mágica
 
Jeit 2015
Jeit 2015Jeit 2015
Jeit 2015
 
Apresentação ambiental final
Apresentação ambiental finalApresentação ambiental final
Apresentação ambiental final
 
Boas práticas de fabricação PSE
Boas práticas de fabricação PSEBoas práticas de fabricação PSE
Boas práticas de fabricação PSE
 
Projeto de Incentivo à Leitura Visconde de Sabugosa nas Escolas 2014
Projeto de Incentivo à Leitura Visconde de Sabugosa nas Escolas 2014Projeto de Incentivo à Leitura Visconde de Sabugosa nas Escolas 2014
Projeto de Incentivo à Leitura Visconde de Sabugosa nas Escolas 2014
 
Projeto sacola magica 2
Projeto sacola magica 2Projeto sacola magica 2
Projeto sacola magica 2
 
Saúde ambiental
Saúde ambientalSaúde ambiental
Saúde ambiental
 
Pse tuberculose
Pse tuberculosePse tuberculose
Pse tuberculose
 
Pse hanseniase
Pse hanseniasePse hanseniase
Pse hanseniase
 
Pse esquistossom atualizada
Pse esquistossom atualizadaPse esquistossom atualizada
Pse esquistossom atualizada
 

Último

Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxrenatacolbeich1
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxalessandraoliveira324
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 

Último (20)

Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 

Origem da Vida e Classificação dos Seres Vivos

  • 1. Vida e Ambiente PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABAIANINHA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PROJETO DE CAPACITAÇÃO Á DOCENTES DA REDE PÚBLICA DE ENSINO (MODALIDADE: CIÊNCIAS) FACILITADOR: WELLISSON OLIVEIRA. GRADUADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS.
  • 2. A ORIGEM DA VIDA • Hoje não é novidade o fato que um ser vivo se forma a partir de outro ser vivo. Mas da antiguidade até o início do século XVII acreditava-se que pequenos seres vivos, como moscas e girinos, podiam nascer da matéria sem vida. • A ideia de que a vida pode surgir da matéria sem vida é conhecida como teoria da geração espontânea ou abiogênese.
  • 3. TEORIA DA BIOGÊNESE • Nem todos aceitavam a ideia da geração espontânea. Em 1668, o médico italiano Francesco Redi reparou que pequenos vermes apareciam em lugares frequentados por moscas, como carnes em decomposição. Supondo então que eles fossem, na realidade, larvas provenientes de ovos que tinham sido depositados pelas moscas adultas.
  • 4. O EXPERIMENTO DE PASTEUR • Mesmo Redi provando que as larvas provinham de ovos postos por moscas adultas, muitas pessoas continuaram acreditando na ideia da geração espontânea em relação aos seres microscópicos.
  • 5. A representação do experimento realizado por Louis Pasteur é apresentada abaixo: A partir dos resultados obtidos nesse experimento, constata-se que: a) Foi comprovada a formação de coacervados. b) Foi comprovada a teoria da abiogênese. c) Foi observada a formação de aminoácidos. d) Foi refutada a teoria da abiogênese.
  • 6. CLASSIFICAÇÃO DOS SERES VIVOS. • Você prefere classificar com ou sem critérios? • Em meados do século XVIII, o botânico e médico sueco Carl von Linné ou Lineu criou ao longo de sua história científica um sistema de classificação para organizar os seres vivos, esse sistema ficou conhecido no mundo de hoje como taxonomia.
  • 7.
  • 8. • Observe as ilustrações de duas células diferentes. Sobre essas células pode-se afirmar que: A) a bactéria não tem membrana. B) a célula animal tem membrana nuclear. C) a célula da bactéria não tem citoplasma. D) apenas a célula animal tem citoplasma. DNA Flagelo Membranada célula Citoplasma Complexo Núcleo Nucléolo Lisossomo Mitocrôndia Membrana plasmástica Retículo endoplasmático Retículo endoplasmático Citoplasma CÉLULA ANIMALBACTÉRIA
  • 9. REINO PROTISTA • Com o auxílio de um microscópio e uma gota de água proveniente de aquário, lago ou até mesmo do mar podemos visualizar microorganismo extremamente pequenos. Além de viver em água eles também podem ser encontrados no solo, troncos de árvores e até mesmo dentro de corpos de animais e plantas. • Os protozoários são autótrofos (algas) e heterótrofos (Protozoários), podem ser de vida livre (Planária) ou parasitária (Tripanosoma cruzi), sua reprodução geralmente é assexuada feita a partir da cissiparidade ou bipartição, mas existem protozoários que também realizam a reprodução sexuada, nesse caso produzem gametas ou trocam material genético entre si.
  • 10. • Produz a maior parte do oxigênio atmosférico. • São usadas como alimento. • Diatomitos substâncias removida da carapácea das diatomáceas e usado na fabricação de lixas para polimento, filtros para indústrias de vinho e piscinas e etc. • Ágar ágar você conhece?
  • 11. PRODUTOS APARTIR DO ÁGAR ÁGAR
  • 12. A esquistossomose é uma doença que provoca várias lesões no fígado, no intestino e na bexiga. É causada por um pequeno verme parasita que, para desenvolver suas várias fases de vida, necessita tanto do corpo humano como de caracóis de água doce que vivem em valas, canais de irrigação, represas, poças fundas, margens de rios e lagoas, sendo pouco encontrado nas correntezas. Qual é a melhor forma de prevenir a esquistossomose, sem agredir o meio ambiente? A) Tratar o esgoto impedindo que os ovos liberados pelas fezes e urina cheguem aos locais de água parada. B) Combater caracóis que vivem em locais de água parada com substâncias que desequilibram as cadeias alimentares das quais participam. C) Tratar os rios com injeção de ar comprimido para oxigenar a água corrente e possibilitar o desenvolvimento de animais. D) Tratar as pessoas doentes, com medicamentos que matem formas adultas no fígado, intestino ou bexiga.
  • 13. REINO MONERA • Quando se fala em bactérias as pessoas pensam em indivíduos que causam doenças, de fato algumas provocam doença e são chamadas patogênicas, mas em sua grande maioria elas contribuem para a indústria, seres humanos, na decomposição de animais e plantas e associando-se a outros animais. Sua reprodução pode ser assexuada ou sexuada.
  • 14. • São responsáveis pela decomposição da matéria orgânica. • Participam do ciclo do nitrogênio. • Produzem alimentos. • Ajudam na microflora intestinal. • Utilizada na produção de insulina artificial e vacinas que imunizam. • São indicadores da qualidade da água de praia ou rio por meio da presença de grande quantidade de coliformes fecais.
  • 15.
  • 16. Pneumonia e tuberculose são doenças causadas por microrganismos. Identifique o tipo do organismo causador e os principais sintomas dessas doenças. A) Bactéria; tosse e febre. B) Protozoário; tosse e febre. C) Bactéria; diarréia e desidratação. D) Protozoário; diarréia e desidratação.
  • 17. REINO FUNGI • Assim como as bactérias, os fungos são importantes decompositores eles se alimentam de qualquer substância orgânica em fase de putrefação. Sua reprodução pode ser assexuada (brotamento) e sexuada (Dispersão pelo ar).
  • 18. • Além de decomposição, muitos participam da produção em larga escala de cerveja (Saccharomyces cerevisiae) e vinho (Saccharomyces ellipsoideus). • Alguns tem importância na medicina como é o caso do Penicíllium notatum descoberto por Alexandre Fleming e produz a penicilina um potente bactericida.
  • 19. No passado, por produzirem esporos e não se deslocarem como os animais, os fungos integravam o Reino Plantae. Atualmente, esses organismos estão incluídos em um ou mais reinos distintos. Analise as informações abaixo: I- A maioria dos fungos apresenta o corpo constituído por hifas, cujas paredes possuem quitina. II- Os fungos podem se associar a raízes de plantas, formando as micorrizas. III- Assim como as plantas, os fungos apresentam amido como substância de reserva. IV- Os fungos não se reproduzem assexuadamente. V- Os fungos são organismos heterotróficos, nutrindo- se por absorção. Assinale a alternativa que apresenta apenas afirmativas CORRETAS: A) I,II e IV. B) I,II e V. C) I,III e IV. D) II,III e V.
  • 20. REINO PLANTAE • As plantas são seres pluricelulares e eucariontes. Nesses aspectos elas são semelhantes aos animais e a muitos tipos de fungos; entretanto, têm uma característica que as distingue desses seres - são autotróficas. Segundo a hipótese mais aceita, elas evoluíram a partir de ancestrais protistas. Provavelmente, esses ancestrais seriam tipos de algas pertencentes ao grupo dos protistas que se desenvolveram na água. Utilizando a luz, ou seja, a energia luminosa, as plantas produzem a glicose, matéria orgânica formada a partir da água e do gás carbônico que obtêm do alimento, e liberam o gás oxigênio. • Esse reino é composto por diversos tipos de plantas das quais encontram-se as briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas.
  • 21. • As plantas são a base de sustentação da vida na Terra. São elas que, juntamente com as algas, produzem o oxigénio necessário à respiração dos seres vivos. Propriedades medicinais. • Madeira para o dia a dia. • Produção em indústrias. • Umidificar o ar atmosférico. • Proteger mananciais e sombrear os campos.
  • 22.
  • 23. REINO ANIMALIA • O Reino Animalia é definido segundo características comuns a todos os animais: organismos eucariontes, multicelulares, heterotróficos, que obtêm seu alimento por ingestão de nutrientes do meio. O ramo da biologia que estuda os animais é denominado Zoologia, e é muito comum os zoologistas classificar os animais em animais vertebrados e invertebrados. • Ele é composto por diversos filos como: poríferos, cnidários, platelmintos, nematelmintos, anelídeos, moluscas, artrópodes, equinodermos e cordados sendo que nos cordados ele sub-divide em: peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos.
  • 24. Os seres vivos obtêm, de diferentes fontes, a energia e a matéria- prima para a constituição de seus corpos de acordo com o seu papel na cadeia alimentar. Selecione a alternativa que apresenta as relações corretas entre organismos e fonte de energia. A) Plantas/sol; animais herbívoros/outros animais; animais carnívoros/ vegetais; fungos/restos de seres vivos. B) Plantas/restos de seres vivos; animais herbívoros/vegetais; animais carnívoros/restos de seres vivos; fungos/restos de seres vivos. C) Plantas/sol; animais herbívoros/vegetais; animais carnívoros/outros animais; fungos/restos de seres vivos. D) Plantas/restos de seres vivos; animais herbívoros/outros animais; animais carnívoros/vegetais; fungos/sol.
  • 25. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS • GOWDAK, D. & MARTINS, E. Ciências novo pensar 7º ano: Seres vivos. São Paulo: FTD, 2009. • Disponível em: http://profwarles.blogspot.com.br/ acesso: 10 de Julho de 2015 às 14: 15h.