Manejo de Irrigação

4.024 visualizações

Publicada em

Material usado em Aula de Irrigação, no IF Baiano - Campus Catu, retirado da pagina da UFRB - material de aula do curso de irrigação, e da ESALQ/Dep. Engenharia Agricola.

Publicada em: Educação
1 comentário
7 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.024
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
1
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Manejo de Irrigação

  1. 1. IF Baiano Campus Catu Prof. Luis Geraldo Teixeira Soria NECESSIDADES HÍDRICAS DAS CULTURAS
  2. 3. DEFINIÇÕES <ul><li>A necessidade hídrica de cultura é quantificada através da evapotranspiração (ET). A ET de uma área vegetada corresponde ao total de água transferido para atmosfera na forma de vapor d’água, simultaneamente da superfície do solo (evaporação – E) e da superfície das folhas (transpiração – T). </li></ul><ul><li>Fisicamente E e T são iguais, pois envolvem mudança de estado físico da água, de líquido para vapor. Porém, pode-se dizer que a T é evaporação biologicamente controlada, devido a ação dos estômatos . </li></ul>
  3. 4. UNIDADES <ul><li>A ET pode ser expressa em unidades de energia, por unidade de área e de tempo (MJ m -2 dia -1 ) ou em altura de lâmina d’água por unidade de tempo (mm dia -1 ) </li></ul>2,45 MJ m -2 dia -1 = 1 mm dia -1
  4. 5. FATORES DE CONVERSÃO Unidades Lâmina Volume por unidade de área Energia por unidade de área mm dia -1 m 3 ha -1 dia -1 L s -1 ha -1 MJ m -2 dia -1 1 mm dia -1 1 10 0,116 2,45 1 m 3 ha -1 dia -1 0,1 1 0,012 0,245 1 L s -1 ha -1 8,640 86,40 1 21,17 1 MJ m -2 dia -1 0,408 4,082 0,047 1
  5. 6. + SOBRE TRANSPIRAÇÃO <ul><li>A TRANSPIRAÇÃO </li></ul><ul><li>Depende: </li></ul><ul><ul><li>Abertura dos estômatos </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>luz </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>água </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>temperatura </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>condições atmosféricas </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>taxa de absorção de água </li></ul></ul>
  6. 7. FATORES QUE AFETAM A ET... <ul><ul><li>Umidade Relativa (UR) : atua junto com a temperatura, determinando o déficit de saturação do ar, um dos componentes do poder evaporante do ar. </li></ul></ul><ul><ul><li>Vento (U) : responsável pela remoção do ar saturado junto à superfície das folhas. Responsável pelo transporte de calor de áreas mais secas (advecção de calor sensível). É o outro componente do poder evaporante do ar. </li></ul></ul>
  7. 8. FATORES QUE AFETAM A ET... <ul><li>Fatores da Planta : </li></ul><ul><ul><li>Espécie : relacionado à arquitetura foliar, à resistência ao transporte de vapor no estômato e a outros aspectos morfológicos que interferem diretamente na evapotranspiração. </li></ul></ul><ul><ul><li>Coeficiente de Reflexão (albedo) : afeta o saldo de radiação, principal fonte de energia para o processo. </li></ul></ul>
  8. 9. FATORES QUE AFETAM A ET... <ul><ul><li>Área Foliar : relacionada ao tamanho da superfície foliar disponível para o processo de transpiração. </li></ul></ul><ul><ul><li>Altura da planta : interfere na interação planta-atmosfera. </li></ul></ul><ul><ul><li>Profundidade do Sistema Radicular : relacionado ao volume de solo explorado pelas raízes, objetivando o suprimento de água à planta. </li></ul></ul>
  9. 10. FATORES QUE AFETAM A ET... <ul><li>Fatores de Manejo e do Solo : </li></ul><ul><ul><li>Espaçamento / Densidade de Plantio : determina o nível de competição entre os indivíduos da mesma espécie. </li></ul></ul><ul><ul><li>Tipo de Solo : solos argilosos têm maior capacidade de armazenamento de água do que os arenosos e, portanto, a capacidade de atender as exigências hídricas da cultura por mais tempo. </li></ul></ul>
  10. 11. FATORES QUE AFETAM A ET... <ul><ul><li>Disponibilidade de Água no Solo : reduz a evapotranspiração quando o armazenamento cai além do limite crítico. </li></ul></ul><ul><ul><li>Plantio Direto : a cobertura morta sobre o solo reduz a perda de água por evaporação. </li></ul></ul><ul><ul><li>Impedimentos Físicos / Químicos : limitam o crescimento do sistema radicular da cultura, reduzindo o volume de água disponível para o uso pelas plantas. </li></ul></ul>
  11. 22. MEDIDA DA ET Tanques evaporimétricos tipo Classe A. Fonte: INMET
  12. 23. EVAPOTRANSPIRAÇÃO DA CULTURA DE REFERÊNCIA (ETo) <ul><li>DOORENBOS e PRUITT (1977), no Manual 24 da FAO, apresentaram a definição de ETo tendo a grama como cultura de referência, ou seja, “ ETo é a quantidade de água evapotranspirada na unidade de tempo e de área, por uma cultura de baixo porte (8 a 15 cm), verde, cobrindo totalmente o solo, de altura uniforme e sem deficiência de água ”. </li></ul>
  13. 25. Lisimetro
  14. 26. MÉTODOS DE ESTIMATIVA DA ET (ETo) <ul><li>Equação de Hargreaves (1985) </li></ul>ETo = 0,0023·Ra·(Tm+17,8)·(Tx-Tn) 0,5 Ra = radiação solar no topo da atmosfera (mm dia -1 ); Tm = temperatura média do ar ( o C); Tx = temperatura máxima do ar ( o C) e Tn = temperatura mínima do ar ( o C) Exercício 3 ) Local = Cruz das Almas (12º de latitude Sul); Mês = janeiro; Tx = 28ºC; Tn = 20ºC (valores hipotéticos). Determinar a ETo média diária para aquele mês bem como a ETo total mensal. Tm = (Tx + Tn) / 2
  15. 27. VALORES DE Ra PARA O ESTADO DA BAHIA Radiação solar no topo da atmosfera (mm dia -1 ) na Bahia em função da latitude e época do ano. (Valores do 15 o dia representativos de cada mês). Exercício 3 ) Local = Cruz das Almas (12º de latitude Sul); Mês = janeiro; Tx = 28ºC; Tn = 20ºC (valores hipotéticos). Determinar a ETo média diária para aquele mês bem como a ETo total mensal.
  16. 28. <ul><li>Método do Tanque Classe A – através da lâmina d’água evaporada no tanque evaporimétrico é possível estimar a ETo. </li></ul><ul><li>Pressuposto básico : a cultura de referência sem deficiência hídrica, portanto transpirando na capacidade máxima, responde às mesmas variáveis meteorológicas (vento, radiação, temperatura e umidade relativa) que uma superfície de água livre exposta ao ar atmosférico. </li></ul>MÉTODOS DE ESTIMATIVA DA ET (ETo)... <ul><li>A ETo é obtida convertendo-se a lâmina d’água evaporada no TCA (ECA) em ETo, através do coeficiente do tanque (Kp). </li></ul>ETo = ECA · Kp
  17. 29. DETALHES DO TANQUE CLASSE A <ul><li>Instalação do TCA : </li></ul><ul><li>  O tanque deve ser instalado em nível, sobre um estrado de madeira a 15 cm do solo. Objetivo: evitar trocas energéticas com o solo, o que pode aquecer a massa líquida e interferir na evaporação. </li></ul><ul><li>Estrado de madeira em tinta branca, dimensão de 130 cm x 130 cm. </li></ul><ul><li>O tanque é cheio de água limpa até ó nível superior (5 cm abaixo da borda livre do tanque). Portanto, a profundidade máxima de água no tanque é de 20 cm. </li></ul>
  18. 30. DETALHES DO TANQUE CLASSE A... <ul><li>Operação do Tanque : </li></ul><ul><li>A leitura do nível d’água no tanque é sempre feita pela manhã, em intervalos de 24 horas </li></ul><ul><li>A leitura do nível d’água é feita no poço tranqüilizador, utilizando-se para isso o micrômetro de gancho. </li></ul><ul><li>Para o cálculo da evaporação total deve-se considerar as seguintes condições: a) sem ocorrência de precipitação; b) com ocorrência de precipitação  50 mm e c) com ocorrência de precipitação  75 mm. </li></ul><ul><li>A lâmina d’água evaporada do TCA entre duas observações consecutivas e que atende às três condições acima pode ser obtida pela seguinte equação: </li></ul>ECA = L 1 – L 2 + P - H
  19. 31. DETALHES DO TANQUE CLASSE A... ECA = L 1 – L 2 + P - H ECA = lâmina d’água evaporada (mm); L 1 = leitura inicial do nível da água feita com o micrômetro; L 2 = leitura final da água feita com o micrômetro; P = lâmina d’água precipitada, lida no pluviômetro; H = lâmina d’água transbordada do tanque. <ul><li>Operação do Tanque : (Cont...) </li></ul><ul><li>S empre que o nível da água descer para 7,5 cm da borda superior, o tanque deve ser reenchido. Ou seja, 25 mm (20-17,5 = 2,5 cm) é a máxima variação permitida para o nível da água no tanque. </li></ul><ul><li>A água no tanque deve ser trocada pelo menos uma vez por mês, ou quando se tornar muito suja e/turva. As impurezas afetam a taxa de evaporação. </li></ul>
  20. 34. Etc =
  21. 35. DETALHES DO TANQUE CLASSE A... Exercício 4 ) No dia 21 de junho a leitura num TCA foi 45,42 mm e 24 horas depois, foi 50,65 mm. Sabendo-se que a precipitação total no período, indicada pelo pluviômetro, foi de 10,23 mm, calcule a lâmina d’água evaporada (ECA) no intervalo. Exercício 5 ) O que teria acontecido, no caso anterior se precipitação não tivesse ocorrido?

×