SlideShare uma empresa Scribd logo
Unidade 3  pedagogia da educação infantil
AÇÃO E INTERAÇÃO PEDAGÓGICA NA
EDUCAÇÃO INFANTIL
0 Objetivos de aprendizagem
0 compreender que as múltiplas linguagens fazem parte
da vida das crianças na Educação Infantil;
0 • identificar a importância da afetividade e das
interações no relacionamento com as crianças;
0 • aprofundar seu conhecimento a respeito dos
projetos pedagógicos desenvolvidos na Educação
Infantil;
0 • reforçar a necessidade da observação, registro e
avaliação formativa na Educação Infantil.
Unidade 3
PLANO DE ESTUDOS
0 TÓPICO 1 – A CRIANÇA E AS
MÚLTIPLAS LINGUAGENS
0 TÓPICO 2 – A IMPORTÂNCIA
DA AFETIVIDADE E DAS
0 INTERAÇÕES NA EDUCAÇÃO
INFANTIL
0 TÓPICO 3 – PROJETOS
PEDAGÓGICOS NA EDUCAÇÃO
0 INFANTIL
0 TÓPICO 4 – AVALIAÇÃO E
REGISTRO NA EDUCAÇÃO
0 INFANTIL
VÍDEO AULA DA DISCIPLINA
_PROFESSORA,
EU NÃO
ASSISITI O
VIDEO!
ENTÃO
VAMOS
ASSISTIR
AGORA!
A CRIANÇA E AS MÚLTIPLAS
LINGUAGENS
(...)Ela aprende enquanto se
senta para ouvir uma
história, imagina cenas
através das imagens que vê,
deixa-se encantar pelo tom
de voz de quem lê, embarca
em suas próprias fantasias e
sente-se imensamente feliz,
a ponto de sorrir enquanto
ouve cada nova palavra ou
expressão proferida pela
professora.
STEUCK;PIANEZZER,2013,p.
202)
Vamos conhecer a abordagem de
Reggio Emília...
FALANDO SOBRE REGGIO
EMÍLIA
0 Reggio Emília não é o nome de algum
teórico ou de uma escola, trata-se de
uma cidade de aproximadamente
130.000 habitantes, no nordeste da
Itália. Esta cidade tornou-se conhecida
e valorizada por ter um dos melhores
sistemas de educação do mundo para
a primeira infância. O que torna a
cidade um fenômeno, em termos de
educação, é o fato de que a proposta
pedagógica não ocorre num contexto
de elite ou de educação particular e,
sim, em nível municipal de ensino.
REGGIO EMILIA?
PORQUE REGGIO EMÍLIA?
0 PORQUE(...)As crianças pequenas
são desafiadas o tempo todo a
explorarem o ambiente e
manifestarem as suas linguagens
verbais e não verbais no uso de
palavras, gestos, movimentos,
brincadeiras, música, artes cênicas
ou visuais. Por meio destas
manifestações, desenvolvem a
criatividade, a curiosidade, o
espírito investigativo e, por
consequência, uma série de
habilidades e competências.
0 (STEUCK;PIANNEZER,2013,p.203)
QUEM DESENVOLVER AS
IDEIAS NA CIDADE
A história de amor de Malaguzzi pela
educação começou logo após o
término da Segunda Guerra Mundial
(1939-1945), quando se iniciava o
processo de reconstrução das escolas
públicas de Reggio Emília. Malaguzzi
desejava uma escola que rompesse
com o formato anterior, determinado
pelos fascistas. Queria uma escola que
lutasse contra o tédio e a acomodação
e que, acima de tudo, contribuísse
com a formação humana. O lema
deste importante educador era “PARA
AS CRIANÇAS É PRECISO OFERECER
O MELHOR”. E o que seria este
melhor?
PRINCÍPIOS DA PEDAGOGIA
REGGIANA
A escola/instituição de
educação Infantil
O professor As crianças
Não tem muros, é
conectada com as
crianças e a cidade
onde está localizada –
com as diversas
organizações políticas,
sociais e culturais e, de
modo especial, com as
famílias.
Considera as inúmeras
potencialidades das
crianças e respeita sua
cultura. Acredita que
elas são competentes e
curiosas e as impulsiona
a usarem
suas capacidades para
prever, resolver
problemas, planejar,
encontrar soluções,
organizar seu
trabalho, estabelecer
relações e compreender
como funciona o mundo,
construindo sua história.
São pessoas, não apenas
alunos. Malaguzzi afirmou:
“É necessário que estejamos
convencidos, nós, os adultos,
de que as crianças não
possuem apenas direitos,
mas que são portadoras de
uma cultura própria. Que
têm capacidade de elaborar
cultura, que podem
construir sua cultura e
contaminar a nossa”. (apud
HOYUELOS, 2004, p. 56).
PRINCÍPIOS DA ESCOLA
REGIANA
ESCOLA/INSTITUIÇÃ
O DE EDUCAÇÃO
INFANTIL
O PROFESSOR A CRIANÇA
Tem uma proposta
pedagógica
transparente, que
considera o entorno
físico e social como
um parceiro na
construção dos
processos de
conhecimento.
Em vez de ser falante,
aprende a escutar as
crianças. “Escutar”
através da observação,
da sensibilidade, da
atenção, das
diferentes linguagens.
São ouvidas e
valorizadas como
pessoas que têm
algo a dizer e
que precisam ser
escutadas.
PRINCÍPIOS DA ESCOLA
REGIANA
ESCOLA/INSTITUIÇÃO
DE EDUCAÇÃO INFANTIL
O PROFESSOR A CRIANÇA
Possui uma pedagogia
sistêmica, porque nasce
de uma relação entre
pessoas.
Entende que é preciso
dialogar, conversar sobre
tudo e,
fundamentalmente, entre
todo
Entende que todos os
seres humanos têm cem
linguagens, principalmente
as crianças e por isso
oferece a elas muitas
experiências com
diferentes linguagens,
assim como diferentes
formas de representação,
como o desenho e a
modelagem, para
que elas possam tornar
visíveis as suas
aprendizagens.
Ao passarem de uma
linguagem
para outra, descobrem
que cada
transformação gera algo
de novo, complexifica e faz
aprender sobre
aquela linguagem
expressiva,
comunicativa, simbólica,
cognitiva, ética,
metafórica,
lógica, imaginativa e
relaciona
3 APRENDER E ENSINAR NA
EDUCAÇÃO INFANTIL
Por meio das brincadeiras, as crianças
vivem situações do mundo real e
aprendem a elaborar o seu imaginário, a
buscar a realização de seus desejos e,
portanto, a estruturar o pensamento.
Entender as brincadeiras das crianças é
fundamental para possibilitar-lhes que
representem os papéis que escolheram
para brincar: brincar de casinha, sendo
mãe, pai e filhos; brincar com panelinhas
ou de boneca; jogar futebol, saltar, correr,
pular; brincar de herói ou bandido,
recriando os heróis que fazem parte do
seu cotidiano, de sua sociedade.
(STEUCK;PIANNEZER,2013, p.210) Como as crianças aprendem
e se desenvolvem?
O PAPEL DO PROFESSOR...
0 O professor da Educação Infantil
necessita ter uma postura pedagógica
que articule as múltiplas linguagens com
o objetivo de atingir suas metas
educativas. É fundamental que ele
0 desperte nas crianças o desejo de
aprender, de construir e de vivenciar o
conhecimento em todas as suas
vertentes, através da música, da arte, da
dança, da escrita, da fala, do teatro,
0 do raciocínio lógico-matemático, da
relação com a natureza, da inventividade,
da criatividade, da autonomia, da
interação com os colegas e professores e,
especialmente, da ALEGRIA, no mais
amplo sentido da palavra.
0 (STEUCK;PIANNEZER, 2013,p.209)
QUAIS SÃO AS LINGUAGENS?
0 As crianças adoram aliar os
movimentos (gestos, dança, faz de
conta) à música, surgindo então
outra importante linguagem, a
musical. Através dela, sensações e
sentimentos podem ser
experimentados, laços afetivos e
sociais podem ser fortalecidos e
novos conhecimentos podem ser
oportunizados.
0 • A linguagem, que pode ser
considerada uma das mais
significativas quando o assunto é
0 Educação Infantil, é a linguagem
afetiva, pois é através das emoções
que a criança manifesta seus
desejos ou
angústias.(STEUCK;PIANNEZER,20
13,p.215)
A IMPORTÂNCIA DA AFETIVIDADE E DAS
INTERAÇÕES NA EDUCAÇÃO INFANTIL
0 Duas palavras fundamentais
que compõem o universo da
Educação Infantil:
afetividade e interação.
AFETIVIDADE E INTERAÇÃO NA
EDUCAÇÃO INFANTIL
0 As crianças, em geral, sentem
necessidade do toque, do olhar
carinhoso, do ouvido atento e do sorriso
acolhedor do professor, pois, devido às
tecnologias e à correria da atualidade, as
relações estão cada vez mais distantes,
as famílias cada vez menores, os pais
cada vez mais envolvidos com seus
compromissos profissionais e, muitas
vezes, ausentes no lar, o que leva muitas
famílias a comporem um cenário
contraditório, em que as crianças têm
tudo em termos materiais, mas são
carentes de afeto. “As crianças têm
necessidade do pão: do pão do corpo e
do pão do espírito. Mas necessitam
ainda mais do teu olhar, da tua voz, do
teu pensamento e da tua promessa”.
(FREINET apud ELIAS, 1997, p. 91).
A AFETIVIDADE COMO
ESTRATÉGIA DIDÁTICA
POSIÇÃO CIRCULAR...
0 O interessante desta posição
circular é a questão de que não há
início e nem fim, nem o primeiro ou
o último, ou ainda diferença nos
posicionamentos, todos se
encontram numa mesma linha,
juntos e em equilíbrio. Todos estão
incluídos e têm as mesmas chances
de participação, o que facilita a
união, distanciando-se da
competição e da disputa de poder.
De acordo com Ostetto (2006, p.
158 apud STEUCK;PIANNEZER,
2013, p.222),
3 PAIS E EDUCADORES: UMA IMPORTANTE
PARCERIA NA EDUCAÇÃO DAS CRIANÇAS
0 “Feliz é o educador que tem os pais a seu
lado”.
0 Abra os portões e deixe os pais entrarem na
instituição, eles também precisam sentir-se
parte
0 integrante dela.
0 Receba a criança e a acolha diante dos pais
com simpatia e amor, nenhum pai aprecia
sentir o
0 professor indiferente à presença de seu filho.
0 Seja cordial e receptivo(a) às dúvidas dos
pais por mais impertinentes ou simplórias
que possam
0 parecer.
0 Coloque-se à disposição para ouvi-los, desde
que isso não ultrapasse o momento de estar
com as
0 crianças.
DICAS PARA UMA PARCERIA ENTRE A
ESCOLA, A FAMÍLIA E A CRIANÇA
0 Agende horários para conversas, fora
do horário de aula, com os pais
necessitados de atenção.
0 Mantenha-se transparente em todas as
suas ações. Pais seguros interferem
menos e acabam nos auxiliando em
nosso trabalho.
0 Comunique-se de todas as formas
possíveis.
0 Comunicação é fundamental.
0 Convide os pais para prestigiarem
momentos especiais e agradáveis da
instituição, não só para conversas
difíceis ou entrega de avaliações.
0 Auxilie os pais a conhecerem e
valorizarem a função educativa da
instituição.
0 Estabeleça vínculos de confiança e
respeito mútuo com a criança e seus
pais.
0 Seja sincero(a), não omita as verdades,
diga o que pensa e o que precisa ser
dito, mas saiba fazê-lo com delicadeza.
0 Procure a ajuda de profissionais
especializados quando perceber
algo diferente na criança (alguma
síndrome ou dificuldade de
aprendizagem) – não dê
diagnósticos, encaminhe.
0 Estabeleça contato também via e-
mail ou telefone com os pais em
caso de necessidade e mostre-se
preocupado(a) em atendê-los.
0 Convide-os a participar de
momentos ou decisões
importantes da instituição.
0 Apresente registros, fotos, jornais
ou materiais que esteja
desenvolvendo com a turma.
0 Desta maneira você estará
possibilitando aos pais
acompanharem todo o processo
ensino-aprendizagem
do filho.
Os pais que acompanham o trabalho
do(a) professor(a) de perto o(a)
valorizam mais.
Realize reuniões de caráter
pedagógico ou formativo.
QUATRO PILARES DA
EDUCAÇÃO0 Essa ideia que se faz da
educação recebeu forte subsídio
com um novo papel da
educação que se discutiu em
Jomtien, em 1990, em uma
Conferência Internacional sobre
Educação promovida pela
UNESCO, quando produziu o
documento “A Declaração
Mundial sobre a Educação para
Todos”.
0 Nesse documento se ressaltava
que o principal compromisso da
educação baseava-se em quatro
aprendizagens essenciais:
PEDAGOGIA DE PROJETOS NA
EDUCAÇÃO INFANTIL
0 A palavra projetar significa atirar longe,
arremessar, planejar, isto é, pensar e/ou
fazer uma ação direcionada para o futuro.
0 • Um projeto pode nascer de uma
intenção, necessidade ou desejo e vai
sendo construído à medida que se
fortalece, embasado na curiosidade das
crianças, no objetivo dos educadores e no
interesse de ambos em “descobrir”.
0 • Trabalhar com projetos é uma proposta
que leva as crianças a pensarem em temas
importantes do seu ambiente, refletirem
sobre a atualidade e considerarem a vida
fora da escola.
A NATUREZA DO PROJETO NA
EDUCAÇÃO INFANTIL
0 Uma proposta elaborada e
executada para as crianças
aprenderem a estudar, a
pesquisar, a procurar
informações, a exercitar a
crítica, a duvidar, a argumentar,
a opinar, a pensar, a gerir as
aprendizagens, a refletir
coletivamente.
0 • Os projetos são elaborados e
executados com as crianças e
não para as crianças.
CONTRIBUIÇÕES DA
PEDAGOGIA DE PROJETOS
0 Uma das grandes
contribuições da pedagogia de
projetos, segundo Barbosa e
Horn (2008, p. 85, 89-90), é a
sua dimensão social. Através
dela: aprendem os alunos, os
professores, os funcionários,
os pais, as instituições, a
sociedade, isto é, toda a
comunidade troca
informações, cria
conhecimentos comuns,
formula perguntas e realiza
ações.
TRANSFORMA A INSTITUIÇÃO
0 Cria-se uma instituição aberta, onde os
sujeitos aprendem uns com os outros e
onde as investigações sobre o
emergente têm um papel fundamental.
0 • Pensa-se a escola como uma
comunidade educativa, que inclui em
seus projetos a participação da família e
da comunidade, ampliando as fronteiras
sociais.
0 • Trabalhar com projetos é também
aprender a trabalhar em grupo e
experimentar a aprendizagem como
uma função intersubjetiva,
acompanhando as tendências da ciência
e da tecnologia de construção coletiva
do conhecimento, criando uma cultura
de aprendizagem mútua.
CRIANÇAS AS PROTAGONISTAS
DO PROJETO
0 Para as crianças, a metodologia
de projetos oferece o papel de
protagonistas de suas
aprendizagens, de aprender
em sala de aula para além dos
conteúdos, os diversos
procedimentos de pesquisa,
organização e expressão dos
conhecimentos.
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA
0 STEUCK, Cristina Danna; PIANEZZER, Lúcia Cristiane
Moratelli. Pedagogia da Educação Infantil. Indaial:
Uniasselvi, 2013.
0 Elaboração das Apresentações Professora Tutora
Marta Carolina dos Santos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Escola e família em parceria palestra norma
Escola e família em parceria palestra normaEscola e família em parceria palestra norma
Escola e família em parceria palestra norma
veraelaine
 
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTILLUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ritagatti
 
Família x Escola
Família x EscolaFamília x Escola
Família x Escola
estercotrim
 
O brincar e a aprendizagem
O brincar e a aprendizagemO brincar e a aprendizagem
O brincar e a aprendizagem
Educação Infantil
 
Estágio Educação Infantil
Estágio Educação InfantilEstágio Educação Infantil
Estágio Educação Infantil
Luúh Reis
 
O lúdico jogos brinquedos e brincadeiras na construção do de aprendindizagem
O lúdico jogos brinquedos e brincadeiras na construção do de aprendindizagemO lúdico jogos brinquedos e brincadeiras na construção do de aprendindizagem
O lúdico jogos brinquedos e brincadeiras na construção do de aprendindizagem
Vanderlita Gomes B Marquetti
 
Saberes e práticas na ed. infantil
Saberes e práticas na ed. infantilSaberes e práticas na ed. infantil
Saberes e práticas na ed. infantil
VIROUCLIPTAQ
 
A atuação do pedagogo em espaços não escolares
A atuação do pedagogo em espaços não escolaresA atuação do pedagogo em espaços não escolares
A atuação do pedagogo em espaços não escolares
Elizangela Quintela Miranda Costa
 
03 dimensões da gestão escolar
03 dimensões da gestão escolar03 dimensões da gestão escolar
03 dimensões da gestão escolar
Joao Balbi
 
Didática
DidáticaDidática
Didática
gadea
 
As concepções de criança e infância...
As concepções de criança e infância...As concepções de criança e infância...
As concepções de criança e infância...
Marilia Pires
 
Coordenação pedagógica
Coordenação pedagógicaCoordenação pedagógica
Coordenação pedagógica
Grasiela Dourado
 
O lúdico jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...
O lúdico  jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...O lúdico  jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...
O lúdico jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...
SimoneHelenDrumond
 
Metodologia da educação infantil
Metodologia da educação infantilMetodologia da educação infantil
Metodologia da educação infantil
Marília Bogéa
 
Rotina da educação infantil
Rotina da educação infantilRotina da educação infantil
Rotina da educação infantil
Dennyse Azevedo
 
A importancia da rotina escolar por simone heen drumond
A importancia da rotina escolar por simone heen drumondA importancia da rotina escolar por simone heen drumond
A importancia da rotina escolar por simone heen drumond
SimoneHelenDrumond
 
Formação de professor
Formação de professorFormação de professor
Formação de professor
carmemlima
 
Afetividade na educação infantil
Afetividade na educação infantilAfetividade na educação infantil
Afetividade na educação infantil
Pessoal
 
O uso do lúdico na educação infantil
O uso do lúdico na educação infantilO uso do lúdico na educação infantil
O uso do lúdico na educação infantil
Capacitações Pedagógicas
 
Competencias socioemocionais--nova-escola
Competencias socioemocionais--nova-escolaCompetencias socioemocionais--nova-escola
Competencias socioemocionais--nova-escola
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 

Mais procurados (20)

Escola e família em parceria palestra norma
Escola e família em parceria palestra normaEscola e família em parceria palestra norma
Escola e família em parceria palestra norma
 
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTILLUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Família x Escola
Família x EscolaFamília x Escola
Família x Escola
 
O brincar e a aprendizagem
O brincar e a aprendizagemO brincar e a aprendizagem
O brincar e a aprendizagem
 
Estágio Educação Infantil
Estágio Educação InfantilEstágio Educação Infantil
Estágio Educação Infantil
 
O lúdico jogos brinquedos e brincadeiras na construção do de aprendindizagem
O lúdico jogos brinquedos e brincadeiras na construção do de aprendindizagemO lúdico jogos brinquedos e brincadeiras na construção do de aprendindizagem
O lúdico jogos brinquedos e brincadeiras na construção do de aprendindizagem
 
Saberes e práticas na ed. infantil
Saberes e práticas na ed. infantilSaberes e práticas na ed. infantil
Saberes e práticas na ed. infantil
 
A atuação do pedagogo em espaços não escolares
A atuação do pedagogo em espaços não escolaresA atuação do pedagogo em espaços não escolares
A atuação do pedagogo em espaços não escolares
 
03 dimensões da gestão escolar
03 dimensões da gestão escolar03 dimensões da gestão escolar
03 dimensões da gestão escolar
 
Didática
DidáticaDidática
Didática
 
As concepções de criança e infância...
As concepções de criança e infância...As concepções de criança e infância...
As concepções de criança e infância...
 
Coordenação pedagógica
Coordenação pedagógicaCoordenação pedagógica
Coordenação pedagógica
 
O lúdico jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...
O lúdico  jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...O lúdico  jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...
O lúdico jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...
 
Metodologia da educação infantil
Metodologia da educação infantilMetodologia da educação infantil
Metodologia da educação infantil
 
Rotina da educação infantil
Rotina da educação infantilRotina da educação infantil
Rotina da educação infantil
 
A importancia da rotina escolar por simone heen drumond
A importancia da rotina escolar por simone heen drumondA importancia da rotina escolar por simone heen drumond
A importancia da rotina escolar por simone heen drumond
 
Formação de professor
Formação de professorFormação de professor
Formação de professor
 
Afetividade na educação infantil
Afetividade na educação infantilAfetividade na educação infantil
Afetividade na educação infantil
 
O uso do lúdico na educação infantil
O uso do lúdico na educação infantilO uso do lúdico na educação infantil
O uso do lúdico na educação infantil
 
Competencias socioemocionais--nova-escola
Competencias socioemocionais--nova-escolaCompetencias socioemocionais--nova-escola
Competencias socioemocionais--nova-escola
 

Semelhante a Unidade 3 pedagogia da educação infantil

Alfabetizao educaçao na ed infantl
Alfabetizao educaçao na ed infantlAlfabetizao educaçao na ed infantl
Alfabetizao educaçao na ed infantl
Alice Soares
 
PROPOSTA CURRICULAR PARA BERÇARIOS - SJC (1).pptx
PROPOSTA CURRICULAR PARA BERÇARIOS - SJC (1).pptxPROPOSTA CURRICULAR PARA BERÇARIOS - SJC (1).pptx
PROPOSTA CURRICULAR PARA BERÇARIOS - SJC (1).pptx
Felipe.Abreu
 
TCC - O LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
TCC -  O LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTILTCC -  O LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
TCC - O LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
JJOAOPAULO7
 
O Cotidiano Da EducaçãO Infantil
O Cotidiano Da EducaçãO InfantilO Cotidiano Da EducaçãO Infantil
O Cotidiano Da EducaçãO Infantil
marlene_herter
 
Caderno de Orientações Pedagógicas - Educação Infantil -RO
Caderno de Orientações Pedagógicas - Educação Infantil -ROCaderno de Orientações Pedagógicas - Educação Infantil -RO
Caderno de Orientações Pedagógicas - Educação Infantil -RO
LOCIMAR MASSALAI
 
Revistacrianca seb43
Revistacrianca seb43Revistacrianca seb43
Revistacrianca seb43
FSBA
 
Investigação do currículo na escola da educação infantil. 1
Investigação do currículo na escola da educação infantil. 1Investigação do currículo na escola da educação infantil. 1
Investigação do currículo na escola da educação infantil. 1
SimoneHelenDrumond
 
Investigação do currículo na escola da educação infantil. simone helen drumond
Investigação do currículo na escola da educação infantil. simone helen drumondInvestigação do currículo na escola da educação infantil. simone helen drumond
Investigação do currículo na escola da educação infantil. simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 
Investigação do currículo na escola da educação infantil.
Investigação do currículo na escola da educação infantil.Investigação do currículo na escola da educação infantil.
Investigação do currículo na escola da educação infantil.
SimoneHelenDrumond
 
Thaynara e vanuza
Thaynara e vanuzaThaynara e vanuza
Thaynara e vanuza
Fernando Pissuto
 
Afetividade na primeira infância - a importância do desenvolvimento infantil....
Afetividade na primeira infância - a importância do desenvolvimento infantil....Afetividade na primeira infância - a importância do desenvolvimento infantil....
Afetividade na primeira infância - a importância do desenvolvimento infantil....
PatriciaDaSilvaMunho
 
O Cotidiano Da Educao Infantil2050
O Cotidiano Da Educao Infantil2050O Cotidiano Da Educao Infantil2050
O Cotidiano Da Educao Infantil2050
Brenduxinha
 
Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?
Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?
Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?
Elisandra Manfroi
 
Alinne alessandra muzzi
Alinne alessandra muzziAlinne alessandra muzzi
Alinne alessandra muzzi
Fernando Pissuto
 
Santana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado Farias
Santana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado FariasSantana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado Farias
Santana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado Farias
CursoTICs
 
Educaoinfantilparaqu 170620120431
Educaoinfantilparaqu 170620120431Educaoinfantilparaqu 170620120431
Educaoinfantilparaqu 170620120431
Prefeitura de Cianorte
 
Educação infantil, para quê?
Educação infantil, para quê?Educação infantil, para quê?
Educação infantil, para quê?
Magda Marques
 
Oppi
OppiOppi
Construindo nossa identidade
Construindo nossa identidadeConstruindo nossa identidade
Construindo nossa identidade
cefaprodematupa
 
P.i. alfabetização ação educativa
P.i. alfabetização ação educativaP.i. alfabetização ação educativa
P.i. alfabetização ação educativa
brunogawry
 

Semelhante a Unidade 3 pedagogia da educação infantil (20)

Alfabetizao educaçao na ed infantl
Alfabetizao educaçao na ed infantlAlfabetizao educaçao na ed infantl
Alfabetizao educaçao na ed infantl
 
PROPOSTA CURRICULAR PARA BERÇARIOS - SJC (1).pptx
PROPOSTA CURRICULAR PARA BERÇARIOS - SJC (1).pptxPROPOSTA CURRICULAR PARA BERÇARIOS - SJC (1).pptx
PROPOSTA CURRICULAR PARA BERÇARIOS - SJC (1).pptx
 
TCC - O LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
TCC -  O LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTILTCC -  O LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
TCC - O LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
 
O Cotidiano Da EducaçãO Infantil
O Cotidiano Da EducaçãO InfantilO Cotidiano Da EducaçãO Infantil
O Cotidiano Da EducaçãO Infantil
 
Caderno de Orientações Pedagógicas - Educação Infantil -RO
Caderno de Orientações Pedagógicas - Educação Infantil -ROCaderno de Orientações Pedagógicas - Educação Infantil -RO
Caderno de Orientações Pedagógicas - Educação Infantil -RO
 
Revistacrianca seb43
Revistacrianca seb43Revistacrianca seb43
Revistacrianca seb43
 
Investigação do currículo na escola da educação infantil. 1
Investigação do currículo na escola da educação infantil. 1Investigação do currículo na escola da educação infantil. 1
Investigação do currículo na escola da educação infantil. 1
 
Investigação do currículo na escola da educação infantil. simone helen drumond
Investigação do currículo na escola da educação infantil. simone helen drumondInvestigação do currículo na escola da educação infantil. simone helen drumond
Investigação do currículo na escola da educação infantil. simone helen drumond
 
Investigação do currículo na escola da educação infantil.
Investigação do currículo na escola da educação infantil.Investigação do currículo na escola da educação infantil.
Investigação do currículo na escola da educação infantil.
 
Thaynara e vanuza
Thaynara e vanuzaThaynara e vanuza
Thaynara e vanuza
 
Afetividade na primeira infância - a importância do desenvolvimento infantil....
Afetividade na primeira infância - a importância do desenvolvimento infantil....Afetividade na primeira infância - a importância do desenvolvimento infantil....
Afetividade na primeira infância - a importância do desenvolvimento infantil....
 
O Cotidiano Da Educao Infantil2050
O Cotidiano Da Educao Infantil2050O Cotidiano Da Educao Infantil2050
O Cotidiano Da Educao Infantil2050
 
Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?
Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?
Que alternativas poderiam promover a integração da família na escola?
 
Alinne alessandra muzzi
Alinne alessandra muzziAlinne alessandra muzzi
Alinne alessandra muzzi
 
Santana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado Farias
Santana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado FariasSantana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado Farias
Santana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado Farias
 
Educaoinfantilparaqu 170620120431
Educaoinfantilparaqu 170620120431Educaoinfantilparaqu 170620120431
Educaoinfantilparaqu 170620120431
 
Educação infantil, para quê?
Educação infantil, para quê?Educação infantil, para quê?
Educação infantil, para quê?
 
Oppi
OppiOppi
Oppi
 
Construindo nossa identidade
Construindo nossa identidadeConstruindo nossa identidade
Construindo nossa identidade
 
P.i. alfabetização ação educativa
P.i. alfabetização ação educativaP.i. alfabetização ação educativa
P.i. alfabetização ação educativa
 

Mais de Marta Carolina Santos

Jogando com tarsila do amaral
Jogando com tarsila do amaralJogando com tarsila do amaral
Jogando com tarsila do amaral
Marta Carolina Santos
 
Conhecendo o vale do itajaí e litoral próximo
Conhecendo o vale do itajaí e litoral próximoConhecendo o vale do itajaí e litoral próximo
Conhecendo o vale do itajaí e litoral próximo
Marta Carolina Santos
 
Educação e tecnologias
Educação e tecnologiasEducação e tecnologias
Educação e tecnologias
Marta Carolina Santos
 
Unidade 2 educação e tecnologias
Unidade 2 educação e tecnologiasUnidade 2 educação e tecnologias
Unidade 2 educação e tecnologias
Marta Carolina Santos
 
Unidade 3 e 4 políticas educacionais
Unidade 3 e 4   políticas educacionaisUnidade 3 e 4   políticas educacionais
Unidade 3 e 4 políticas educacionais
Marta Carolina Santos
 
Filosofia da educação unidade 1
Filosofia da educação unidade 1Filosofia da educação unidade 1
Filosofia da educação unidade 1
Marta Carolina Santos
 
Unidade 3 metodologia científica
Unidade 3 metodologia científicaUnidade 3 metodologia científica
Unidade 3 metodologia científica
Marta Carolina Santos
 
Unidade ii metodologia científica
Unidade ii metodologia científicaUnidade ii metodologia científica
Unidade ii metodologia científica
Marta Carolina Santos
 
Unidade 3 metodologia científica
Unidade 3 metodologia científicaUnidade 3 metodologia científica
Unidade 3 metodologia científica
Marta Carolina Santos
 
Unidade ii metodologia científica
Unidade ii metodologia científicaUnidade ii metodologia científica
Unidade ii metodologia científica
Marta Carolina Santos
 
Unidade 3 metodologia científica
Unidade 3 metodologia científicaUnidade 3 metodologia científica
Unidade 3 metodologia científica
Marta Carolina Santos
 
Mapa conceitual e resumo do caderno de educação à distância
Mapa conceitual  e resumo do caderno de educação à distânciaMapa conceitual  e resumo do caderno de educação à distância
Mapa conceitual e resumo do caderno de educação à distância
Marta Carolina Santos
 
Unidade ii metodologia científica
Unidade ii metodologia científicaUnidade ii metodologia científica
Unidade ii metodologia científica
Marta Carolina Santos
 
Unidade ii metodologia científica
Unidade ii metodologia científicaUnidade ii metodologia científica
Unidade ii metodologia científica
Marta Carolina Santos
 
Unidade ii metodologia científica
Unidade ii metodologia científicaUnidade ii metodologia científica
Unidade ii metodologia científica
Marta Carolina Santos
 
Unidade i tópicos discutidos com exemplos na prática.
Unidade  i     tópicos discutidos com exemplos na prática.Unidade  i     tópicos discutidos com exemplos na prática.
Unidade i tópicos discutidos com exemplos na prática.
Marta Carolina Santos
 

Mais de Marta Carolina Santos (16)

Jogando com tarsila do amaral
Jogando com tarsila do amaralJogando com tarsila do amaral
Jogando com tarsila do amaral
 
Conhecendo o vale do itajaí e litoral próximo
Conhecendo o vale do itajaí e litoral próximoConhecendo o vale do itajaí e litoral próximo
Conhecendo o vale do itajaí e litoral próximo
 
Educação e tecnologias
Educação e tecnologiasEducação e tecnologias
Educação e tecnologias
 
Unidade 2 educação e tecnologias
Unidade 2 educação e tecnologiasUnidade 2 educação e tecnologias
Unidade 2 educação e tecnologias
 
Unidade 3 e 4 políticas educacionais
Unidade 3 e 4   políticas educacionaisUnidade 3 e 4   políticas educacionais
Unidade 3 e 4 políticas educacionais
 
Filosofia da educação unidade 1
Filosofia da educação unidade 1Filosofia da educação unidade 1
Filosofia da educação unidade 1
 
Unidade 3 metodologia científica
Unidade 3 metodologia científicaUnidade 3 metodologia científica
Unidade 3 metodologia científica
 
Unidade ii metodologia científica
Unidade ii metodologia científicaUnidade ii metodologia científica
Unidade ii metodologia científica
 
Unidade 3 metodologia científica
Unidade 3 metodologia científicaUnidade 3 metodologia científica
Unidade 3 metodologia científica
 
Unidade ii metodologia científica
Unidade ii metodologia científicaUnidade ii metodologia científica
Unidade ii metodologia científica
 
Unidade 3 metodologia científica
Unidade 3 metodologia científicaUnidade 3 metodologia científica
Unidade 3 metodologia científica
 
Mapa conceitual e resumo do caderno de educação à distância
Mapa conceitual  e resumo do caderno de educação à distânciaMapa conceitual  e resumo do caderno de educação à distância
Mapa conceitual e resumo do caderno de educação à distância
 
Unidade ii metodologia científica
Unidade ii metodologia científicaUnidade ii metodologia científica
Unidade ii metodologia científica
 
Unidade ii metodologia científica
Unidade ii metodologia científicaUnidade ii metodologia científica
Unidade ii metodologia científica
 
Unidade ii metodologia científica
Unidade ii metodologia científicaUnidade ii metodologia científica
Unidade ii metodologia científica
 
Unidade i tópicos discutidos com exemplos na prática.
Unidade  i     tópicos discutidos com exemplos na prática.Unidade  i     tópicos discutidos com exemplos na prática.
Unidade i tópicos discutidos com exemplos na prática.
 

Último

gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
Maria das Graças Machado Rodrigues
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Correio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdf
Correio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdfCorreio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdf
Correio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdf
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
ESCOLAS LITERÁRIAS OU ESTILOS DE ÉPOCA- resumo
ESCOLAS LITERÁRIAS OU ESTILOS  DE ÉPOCA- resumoESCOLAS LITERÁRIAS OU ESTILOS  DE ÉPOCA- resumo
ESCOLAS LITERÁRIAS OU ESTILOS DE ÉPOCA- resumo
SolangeWaltre
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Desafios Contemporâneos para o Exército Brasileiro (EB).pdf
Desafios Contemporâneos para o Exército Brasileiro (EB).pdfDesafios Contemporâneos para o Exército Brasileiro (EB).pdf
Desafios Contemporâneos para o Exército Brasileiro (EB).pdf
Falcão Brasil
 
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdfConstrução Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Falcão Brasil
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Correio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdf
Correio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdfCorreio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdf
Correio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
ESCOLAS LITERÁRIAS OU ESTILOS DE ÉPOCA- resumo
ESCOLAS LITERÁRIAS OU ESTILOS  DE ÉPOCA- resumoESCOLAS LITERÁRIAS OU ESTILOS  DE ÉPOCA- resumo
ESCOLAS LITERÁRIAS OU ESTILOS DE ÉPOCA- resumo
 
Festa dos Finalistas .
Festa dos Finalistas                    .Festa dos Finalistas                    .
Festa dos Finalistas .
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Desafios Contemporâneos para o Exército Brasileiro (EB).pdf
Desafios Contemporâneos para o Exército Brasileiro (EB).pdfDesafios Contemporâneos para o Exército Brasileiro (EB).pdf
Desafios Contemporâneos para o Exército Brasileiro (EB).pdf
 
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdfConstrução Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 

Unidade 3 pedagogia da educação infantil

  • 2. AÇÃO E INTERAÇÃO PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL 0 Objetivos de aprendizagem 0 compreender que as múltiplas linguagens fazem parte da vida das crianças na Educação Infantil; 0 • identificar a importância da afetividade e das interações no relacionamento com as crianças; 0 • aprofundar seu conhecimento a respeito dos projetos pedagógicos desenvolvidos na Educação Infantil; 0 • reforçar a necessidade da observação, registro e avaliação formativa na Educação Infantil. Unidade 3
  • 3. PLANO DE ESTUDOS 0 TÓPICO 1 – A CRIANÇA E AS MÚLTIPLAS LINGUAGENS 0 TÓPICO 2 – A IMPORTÂNCIA DA AFETIVIDADE E DAS 0 INTERAÇÕES NA EDUCAÇÃO INFANTIL 0 TÓPICO 3 – PROJETOS PEDAGÓGICOS NA EDUCAÇÃO 0 INFANTIL 0 TÓPICO 4 – AVALIAÇÃO E REGISTRO NA EDUCAÇÃO 0 INFANTIL VÍDEO AULA DA DISCIPLINA _PROFESSORA, EU NÃO ASSISITI O VIDEO! ENTÃO VAMOS ASSISTIR AGORA!
  • 4. A CRIANÇA E AS MÚLTIPLAS LINGUAGENS (...)Ela aprende enquanto se senta para ouvir uma história, imagina cenas através das imagens que vê, deixa-se encantar pelo tom de voz de quem lê, embarca em suas próprias fantasias e sente-se imensamente feliz, a ponto de sorrir enquanto ouve cada nova palavra ou expressão proferida pela professora. STEUCK;PIANEZZER,2013,p. 202) Vamos conhecer a abordagem de Reggio Emília...
  • 5. FALANDO SOBRE REGGIO EMÍLIA 0 Reggio Emília não é o nome de algum teórico ou de uma escola, trata-se de uma cidade de aproximadamente 130.000 habitantes, no nordeste da Itália. Esta cidade tornou-se conhecida e valorizada por ter um dos melhores sistemas de educação do mundo para a primeira infância. O que torna a cidade um fenômeno, em termos de educação, é o fato de que a proposta pedagógica não ocorre num contexto de elite ou de educação particular e, sim, em nível municipal de ensino. REGGIO EMILIA?
  • 6. PORQUE REGGIO EMÍLIA? 0 PORQUE(...)As crianças pequenas são desafiadas o tempo todo a explorarem o ambiente e manifestarem as suas linguagens verbais e não verbais no uso de palavras, gestos, movimentos, brincadeiras, música, artes cênicas ou visuais. Por meio destas manifestações, desenvolvem a criatividade, a curiosidade, o espírito investigativo e, por consequência, uma série de habilidades e competências. 0 (STEUCK;PIANNEZER,2013,p.203)
  • 7. QUEM DESENVOLVER AS IDEIAS NA CIDADE A história de amor de Malaguzzi pela educação começou logo após o término da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), quando se iniciava o processo de reconstrução das escolas públicas de Reggio Emília. Malaguzzi desejava uma escola que rompesse com o formato anterior, determinado pelos fascistas. Queria uma escola que lutasse contra o tédio e a acomodação e que, acima de tudo, contribuísse com a formação humana. O lema deste importante educador era “PARA AS CRIANÇAS É PRECISO OFERECER O MELHOR”. E o que seria este melhor?
  • 8. PRINCÍPIOS DA PEDAGOGIA REGGIANA A escola/instituição de educação Infantil O professor As crianças Não tem muros, é conectada com as crianças e a cidade onde está localizada – com as diversas organizações políticas, sociais e culturais e, de modo especial, com as famílias. Considera as inúmeras potencialidades das crianças e respeita sua cultura. Acredita que elas são competentes e curiosas e as impulsiona a usarem suas capacidades para prever, resolver problemas, planejar, encontrar soluções, organizar seu trabalho, estabelecer relações e compreender como funciona o mundo, construindo sua história. São pessoas, não apenas alunos. Malaguzzi afirmou: “É necessário que estejamos convencidos, nós, os adultos, de que as crianças não possuem apenas direitos, mas que são portadoras de uma cultura própria. Que têm capacidade de elaborar cultura, que podem construir sua cultura e contaminar a nossa”. (apud HOYUELOS, 2004, p. 56).
  • 9. PRINCÍPIOS DA ESCOLA REGIANA ESCOLA/INSTITUIÇÃ O DE EDUCAÇÃO INFANTIL O PROFESSOR A CRIANÇA Tem uma proposta pedagógica transparente, que considera o entorno físico e social como um parceiro na construção dos processos de conhecimento. Em vez de ser falante, aprende a escutar as crianças. “Escutar” através da observação, da sensibilidade, da atenção, das diferentes linguagens. São ouvidas e valorizadas como pessoas que têm algo a dizer e que precisam ser escutadas.
  • 10. PRINCÍPIOS DA ESCOLA REGIANA ESCOLA/INSTITUIÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL O PROFESSOR A CRIANÇA Possui uma pedagogia sistêmica, porque nasce de uma relação entre pessoas. Entende que é preciso dialogar, conversar sobre tudo e, fundamentalmente, entre todo Entende que todos os seres humanos têm cem linguagens, principalmente as crianças e por isso oferece a elas muitas experiências com diferentes linguagens, assim como diferentes formas de representação, como o desenho e a modelagem, para que elas possam tornar visíveis as suas aprendizagens. Ao passarem de uma linguagem para outra, descobrem que cada transformação gera algo de novo, complexifica e faz aprender sobre aquela linguagem expressiva, comunicativa, simbólica, cognitiva, ética, metafórica, lógica, imaginativa e relaciona
  • 11. 3 APRENDER E ENSINAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL Por meio das brincadeiras, as crianças vivem situações do mundo real e aprendem a elaborar o seu imaginário, a buscar a realização de seus desejos e, portanto, a estruturar o pensamento. Entender as brincadeiras das crianças é fundamental para possibilitar-lhes que representem os papéis que escolheram para brincar: brincar de casinha, sendo mãe, pai e filhos; brincar com panelinhas ou de boneca; jogar futebol, saltar, correr, pular; brincar de herói ou bandido, recriando os heróis que fazem parte do seu cotidiano, de sua sociedade. (STEUCK;PIANNEZER,2013, p.210) Como as crianças aprendem e se desenvolvem?
  • 12. O PAPEL DO PROFESSOR... 0 O professor da Educação Infantil necessita ter uma postura pedagógica que articule as múltiplas linguagens com o objetivo de atingir suas metas educativas. É fundamental que ele 0 desperte nas crianças o desejo de aprender, de construir e de vivenciar o conhecimento em todas as suas vertentes, através da música, da arte, da dança, da escrita, da fala, do teatro, 0 do raciocínio lógico-matemático, da relação com a natureza, da inventividade, da criatividade, da autonomia, da interação com os colegas e professores e, especialmente, da ALEGRIA, no mais amplo sentido da palavra. 0 (STEUCK;PIANNEZER, 2013,p.209)
  • 13. QUAIS SÃO AS LINGUAGENS? 0 As crianças adoram aliar os movimentos (gestos, dança, faz de conta) à música, surgindo então outra importante linguagem, a musical. Através dela, sensações e sentimentos podem ser experimentados, laços afetivos e sociais podem ser fortalecidos e novos conhecimentos podem ser oportunizados. 0 • A linguagem, que pode ser considerada uma das mais significativas quando o assunto é 0 Educação Infantil, é a linguagem afetiva, pois é através das emoções que a criança manifesta seus desejos ou angústias.(STEUCK;PIANNEZER,20 13,p.215)
  • 14. A IMPORTÂNCIA DA AFETIVIDADE E DAS INTERAÇÕES NA EDUCAÇÃO INFANTIL 0 Duas palavras fundamentais que compõem o universo da Educação Infantil: afetividade e interação.
  • 15. AFETIVIDADE E INTERAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL 0 As crianças, em geral, sentem necessidade do toque, do olhar carinhoso, do ouvido atento e do sorriso acolhedor do professor, pois, devido às tecnologias e à correria da atualidade, as relações estão cada vez mais distantes, as famílias cada vez menores, os pais cada vez mais envolvidos com seus compromissos profissionais e, muitas vezes, ausentes no lar, o que leva muitas famílias a comporem um cenário contraditório, em que as crianças têm tudo em termos materiais, mas são carentes de afeto. “As crianças têm necessidade do pão: do pão do corpo e do pão do espírito. Mas necessitam ainda mais do teu olhar, da tua voz, do teu pensamento e da tua promessa”. (FREINET apud ELIAS, 1997, p. 91).
  • 17. POSIÇÃO CIRCULAR... 0 O interessante desta posição circular é a questão de que não há início e nem fim, nem o primeiro ou o último, ou ainda diferença nos posicionamentos, todos se encontram numa mesma linha, juntos e em equilíbrio. Todos estão incluídos e têm as mesmas chances de participação, o que facilita a união, distanciando-se da competição e da disputa de poder. De acordo com Ostetto (2006, p. 158 apud STEUCK;PIANNEZER, 2013, p.222),
  • 18. 3 PAIS E EDUCADORES: UMA IMPORTANTE PARCERIA NA EDUCAÇÃO DAS CRIANÇAS 0 “Feliz é o educador que tem os pais a seu lado”. 0 Abra os portões e deixe os pais entrarem na instituição, eles também precisam sentir-se parte 0 integrante dela. 0 Receba a criança e a acolha diante dos pais com simpatia e amor, nenhum pai aprecia sentir o 0 professor indiferente à presença de seu filho. 0 Seja cordial e receptivo(a) às dúvidas dos pais por mais impertinentes ou simplórias que possam 0 parecer. 0 Coloque-se à disposição para ouvi-los, desde que isso não ultrapasse o momento de estar com as 0 crianças. DICAS PARA UMA PARCERIA ENTRE A ESCOLA, A FAMÍLIA E A CRIANÇA
  • 19. 0 Agende horários para conversas, fora do horário de aula, com os pais necessitados de atenção. 0 Mantenha-se transparente em todas as suas ações. Pais seguros interferem menos e acabam nos auxiliando em nosso trabalho. 0 Comunique-se de todas as formas possíveis. 0 Comunicação é fundamental. 0 Convide os pais para prestigiarem momentos especiais e agradáveis da instituição, não só para conversas difíceis ou entrega de avaliações. 0 Auxilie os pais a conhecerem e valorizarem a função educativa da instituição. 0 Estabeleça vínculos de confiança e respeito mútuo com a criança e seus pais. 0 Seja sincero(a), não omita as verdades, diga o que pensa e o que precisa ser dito, mas saiba fazê-lo com delicadeza.
  • 20. 0 Procure a ajuda de profissionais especializados quando perceber algo diferente na criança (alguma síndrome ou dificuldade de aprendizagem) – não dê diagnósticos, encaminhe. 0 Estabeleça contato também via e- mail ou telefone com os pais em caso de necessidade e mostre-se preocupado(a) em atendê-los. 0 Convide-os a participar de momentos ou decisões importantes da instituição. 0 Apresente registros, fotos, jornais ou materiais que esteja desenvolvendo com a turma. 0 Desta maneira você estará possibilitando aos pais acompanharem todo o processo ensino-aprendizagem do filho. Os pais que acompanham o trabalho do(a) professor(a) de perto o(a) valorizam mais. Realize reuniões de caráter pedagógico ou formativo.
  • 21. QUATRO PILARES DA EDUCAÇÃO0 Essa ideia que se faz da educação recebeu forte subsídio com um novo papel da educação que se discutiu em Jomtien, em 1990, em uma Conferência Internacional sobre Educação promovida pela UNESCO, quando produziu o documento “A Declaração Mundial sobre a Educação para Todos”. 0 Nesse documento se ressaltava que o principal compromisso da educação baseava-se em quatro aprendizagens essenciais:
  • 22. PEDAGOGIA DE PROJETOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL 0 A palavra projetar significa atirar longe, arremessar, planejar, isto é, pensar e/ou fazer uma ação direcionada para o futuro. 0 • Um projeto pode nascer de uma intenção, necessidade ou desejo e vai sendo construído à medida que se fortalece, embasado na curiosidade das crianças, no objetivo dos educadores e no interesse de ambos em “descobrir”. 0 • Trabalhar com projetos é uma proposta que leva as crianças a pensarem em temas importantes do seu ambiente, refletirem sobre a atualidade e considerarem a vida fora da escola.
  • 23. A NATUREZA DO PROJETO NA EDUCAÇÃO INFANTIL 0 Uma proposta elaborada e executada para as crianças aprenderem a estudar, a pesquisar, a procurar informações, a exercitar a crítica, a duvidar, a argumentar, a opinar, a pensar, a gerir as aprendizagens, a refletir coletivamente. 0 • Os projetos são elaborados e executados com as crianças e não para as crianças.
  • 24. CONTRIBUIÇÕES DA PEDAGOGIA DE PROJETOS 0 Uma das grandes contribuições da pedagogia de projetos, segundo Barbosa e Horn (2008, p. 85, 89-90), é a sua dimensão social. Através dela: aprendem os alunos, os professores, os funcionários, os pais, as instituições, a sociedade, isto é, toda a comunidade troca informações, cria conhecimentos comuns, formula perguntas e realiza ações.
  • 25. TRANSFORMA A INSTITUIÇÃO 0 Cria-se uma instituição aberta, onde os sujeitos aprendem uns com os outros e onde as investigações sobre o emergente têm um papel fundamental. 0 • Pensa-se a escola como uma comunidade educativa, que inclui em seus projetos a participação da família e da comunidade, ampliando as fronteiras sociais. 0 • Trabalhar com projetos é também aprender a trabalhar em grupo e experimentar a aprendizagem como uma função intersubjetiva, acompanhando as tendências da ciência e da tecnologia de construção coletiva do conhecimento, criando uma cultura de aprendizagem mútua.
  • 26. CRIANÇAS AS PROTAGONISTAS DO PROJETO 0 Para as crianças, a metodologia de projetos oferece o papel de protagonistas de suas aprendizagens, de aprender em sala de aula para além dos conteúdos, os diversos procedimentos de pesquisa, organização e expressão dos conhecimentos.
  • 27. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA 0 STEUCK, Cristina Danna; PIANEZZER, Lúcia Cristiane Moratelli. Pedagogia da Educação Infantil. Indaial: Uniasselvi, 2013. 0 Elaboração das Apresentações Professora Tutora Marta Carolina dos Santos.