SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
Baixar para ler offline
PÓLO: Sant’ Ana do Livramento
                    DISCIPLINA: Elaboração de Artigo Científico
                PROFESSOR ORIENTADOR: CASSAL, Marcos Luís
                             6 de Dezembro de 2010
       O Uso dos recursos de multimídia em sala de aula na Educação Infantil

         The use of multimedia resources in the classroom in kindergarten


                            FARIAS,Fatima Valderes Viana Machado
                              Graduada em Pedagogia pela ASPES



RESUMO

Este artigo tem como objetivo proporcionar uma reflexão sobre o que se refere à utilização de
recursos tecnológicos na educação infantil no processo ensino-aprendizagem, bem como
desenvolver instrumentos teórico-práticos que envolvam os recursos de multimídia, contribuam
para a construção de uma ação reflexiva na docência da Educação Infantil. O mesmo foi realizado
através de pesquisas e estudos de caso de viabilização de práticas educacionais envolvendo
alunos e professores de uma escola de Educação Infantil da periferia urbana do Município de
Sant’Ana do Livramento. É imprescindível destacar que o uso das tecnologias na Educação
Infantil deve ser utilizado num ambiente interativo, formado por diversos recursos de multimídia,
como, livros, brinquedos, DVD, jogos, tornando o ambiente prazeroso e condizente com as
necessidades da criança da Educação Infantil. Diante da necessidade de elaborar material para
subsidiar tal reflexão, aproveitou-se da oportunidade de vivenciar esses instrumentos e recursos
tecnológicos a partir do trabalho desenvolvido com os alunos em idade de 04 a 05 anos da
referida escola, onde os mesmos exploraram obras da autora Cecília Meireles, dentro do contexto
do Projeto artístico-cultural, promovido pela Secretaria Municipal de Educação.


Palavras-Chave: Multimídia, Educação Infantil, Tecnologia
ABSTRACT

  This article aims to provide a reflection on what concerns the use of technological resources in
early childhood education in the teaching-learning process and to develop theoretical and practical
instruments involving multimedia resources, contribute to the construction of a reflexive action
in Teaching Early Childhood Education. The same was done through surveys and case studies of
the viability of educational practices involving students and teachers at a kindergarten school in the
urban periphery of the city of St. Anne of Deliverance. It is imperative to emphasize that the use of
technologies in early childhood education should be used in an interactive environment, formed by
various multimedia features, such as books, toys, DVDs, games, making the environment pleasant
and conducive to the needs of the child's kindergarten.Faced with the need to develop support
material for such reflection, he took advantage of the opportunity to experience these technological
tools and resources from the work with students aged 04 to 05 years of that school, where they
explored the works of the author Cecilia Meireles, within the context of artistic and cultural project,
sponsored by the City Department of Education,

Keywords: Multimedia, Early Childhood Education, Technology



INTRODUÇÃO


       A tecnologia tem um papel importante no desenvolvimento do indivíduo, está
presente no dia a dia, faz parte cotidiana das pessoas, ocupando seu espaço desde a
Educação Infantil. É necessário desenvolver instrumentos que contribuam para uma
prática da construção de uma reflexão na docência da Educação Infantil, sabe-se que é
nessa fase que os alunos aprendem a se conhecer e observar o ambiente que os cerca,
numa relação lúdica com a escola e com o mundo.
       Moyles (2002), afirma que: “é brincando que as crianças aprendem, pois é por
meio    da    brincadeira    espontânea      que    elas   criam,    interagem,     imitam,    jogam,
experimentam...”
       A interação com estes recursos oportuniza o desenvolvimento das habilidades de
competências específicas a cada faixa etária, respeitando o processo de desenvolvimento
cognitivo do educando, envolvidos no desenvolvimento da linguagem oral e escrita,
proporcionando condições para o aluno expressar sua criatividade e potencialidades
intelectuais, em busca da construção e socialização do conhecimento. É necessário estar
atento para que o uso das TIC esteja vinculado às necessidades de desenvolvimento da
criança e ao projeto pedagógico da escola.
        Nas políticas públicas e ao governo, ressalta-se o incentivo ao uso das tecnologias
na Educação Infantil. As Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil dizem
o seguinte:
Ao reconhecer as crianças como seres íntegros, que aprendem a ser e
                      conviver consigo próprias, com os demais e o meio ambiente de maneira
                      articulada e gradual, as Propostas Pedagógicas das Instituições de Educação
                      Infantil devem buscar a interação entre as diversas áreas de conhecimento e
                      aspectos da vida cidadã, como conteúdos básicos para a constituição de
                      conhecimentos e valores. Desta maneira, os conhecimentos sobre espaço, tempo,
                      comunicação, expressão, a natureza e as pessoas devem estar articulados com os
                      cuidados e a educação para a saúde, a sexualidade, a vida familiar e social, o meio
                      ambiente, a cultura, as linguagens, o trabalho, o lazer, a ciência e a tecnologia
                      (Parecer CEB022/98, MEC)

      Portanto, entende-se que o uso das TIC na Educação Infantil, deve ser
oportunizado em meio a um ambiente propicio, interativo, oferecendo recursos de
aprendizagem que não sejam somente computadores, utilizando-se de outras tecnologias,
porém também de livros, brinquedos, jogos, tapete, almofada. Tais condições constituirão
um ambiente aconchegante e condizente com as necessidades das crianças de
Educação Infantil. O que possibilitará o desenvolvimento de habilidades e competências
específicas a cada faixa etária.
      O texto do artigo está organizado em seu desenvolvimento da seguinte maneira:
Preocupação com a Educação- relacionada ao uso dos recursos de multimídia; Objeto de
Aprendizagem- como processo educativo no ambiente escolar; Televisão e Video-
despertar espontaniedade da criança; Livro Infantil- aguça a fantasia; Música-oportuniza
a todo momento a ludicidade; Relato de um projeto trabalhando CECÍLIA MEIRELES na
Educação Infantil, demonstrando que nessa faixa etária as atividades propostas desperta
um desenvolvimento para a autonomia do ser.


1 PREOCUPAÇÃO COM A EDUCAÇÃO


      A preocupação com a educação deve ir além de ensinar e cuidar, é necessário a
participação do professor auxiliando na construção de conhecimentos, incentivando a
vivência de atitudes, hábitos e valores indispensáveis para convivência social,
oportunizando aos alunos autonomia em sua própria aprendizagem, levando-os a
reconhecer a tecnologia como aprendizagem, despertando interesse em participar de
todas as atividades, para que venha ampliar a possibilidade de ensino que incentive o
diálogo e a participação em todos os momentos.                   O professor deve entender e
transformar esses momentos tecnológicos em conhecimento.
      Conforme Moran : (1991, p.146)
Educar é estar mais atento às possibilidades do que aos limites. Estimular o
                      desejo de aprender, de ampliar as formas de perceber, de sentir, de
                      compreender, de comunicar-se. Apoiar o estado de prontidão para aprender
                      dentro e fora da escola, em todos os espaços do nosso cotidiano, em todas as
                      dimensões da vida. Estar atento a tudo, relacionando tudo, integrando tudo.
                      Conectar sempre o ensino com a pessoa do aluno, com a vida do aluno, com a
                      sua experiência.
                      Educar é procurar chegar ao aluno por caminhos possíveis: pela experiência, pela
                      imagem, pelo som, pela representação (dramatizações, simulações), pela
                      multimídia. É partir de onde o aluno está, ajudando-o a ir do concreto para o
                      abstrato, do imediato para o contexto, do vivencial para o intelectual, integrando o
                      sensorial, o emocional e o racional.

      Deve-se oferecer aos alunos atividades extra classe, trabalhando o lúdico,
estimulando o interesse da criança pelo processo do conhecimento do ser humano, da
natureza e da sociedade, baseado no seu carater educativo do atendimento á criança
pequena entre cuidados e educação proporcionando formas de ver o mundo, com trocas
de conhecimentos, alegrias, afetos, fantasias diante das experiências vividas como
desafio para enfrentar a realidade.
      Segundo Ponte:(2004)
                      E se tratando de educação infantil, pensa-se que se deve garantir a autonomia do
                      aluno de forma que ele possa “aprender a aprender” e lhe permita, no futuro,
                      “pensar e programar a sua própria reciclagem”. A escola não se acaba por conta
                      das tecnologias, ela vai continuar a ser a instituição social fundamental para a
                      formação pessoal, social cultural das novas gerações, como afirma, “a escola, tal
                      como a conhecemos hoje, terá inevitavelmente que mudar e será, com grande
                      probabilidade, irreconhecível dentro de algumas décadas”. Essas transformações,
                      no entanto, vão ocorrer gradualmente, e não retirará da escola sua função
                      principal em relação à educação das atuais e das novas gerações. Independente
                      da forma das escolas no futuro pode-se supor que elas terão na interação social,
                      o “elemento fundamental da construção do conhecimento e na definição das
                      identidades sociais e individuais”

       Utiliza-se ferramenta de multimídia de maneira prática onde os professores e os
alunos estejam familiarizados, como DVD, televisão, som, computador, máquinas digitais
tornando as aulas participativas com troca de experiências, pode ser utilizada conforme o
conteúdo desenvolvido, como: histórias infantis (dramatização), música (expressão
corporal), declamação (poesias), entre outros. Enfim verifica-se que o uso correto abre
caminhos para o real desenvolvimento do educando, tornando-o critico, desinibindo-o e
formando seu conhecimento pela suas próprias experiências. Nota-se que as
oportunidades de informação utilizando os recursos de multimídia são variados, pois os
mesmos são maneiras de melhorar o aprendizado e não a única forma de ensinar.
Enfrenta-se todo dia desafios da realidade educacional tanto da escola, professor e aluno.
      Para Rathbone: (1995, p.9) “a palavra multimídia significa simplesmente algo que
consegue se comunicar de várias maneiras”.
No entanto Wilke (1995, p.10) diz que:

                       A multimídia significa a integração de fala, texto, vídeo, áudio, telecomunicações,
                       eletrônica de diversão e tecnologia de computador, o que significa profunda
                       mudança das formas conhecidas de comunicação humana, e que a integração na
                       multimídia é baseada em condições técnicas, ou seja, inovações tecnológicas
                       sempre aceleram a comunicação e a torna mais completa, versátil e eficaz.

       São recursos importantes para o conhecimento e aprendizagem do aluno, por isso
deve-se estar ciente da necessidade de planejar as atividades que vão ser desenvolvidas
no ano letivo, selecionando os recursos como: videos, imagens, som, histórias variando
os recursos disponíveis e a metodologia para exposição em sala de aula. Verifica-se a
necessidade de analisar os videos, os programas televisivos, as músicas, as histórias
antes de serem apresentadas às crianças, direcionado a faixa etária da qual deseja-se
atingir, proporcionando condições onde o aluno expresse sua criatividade, potencialidades
e demonstre seu aprendizado.
         Com as tecnologias que contribuem para aprendizagem na Educação Infantil,
destac a-se o objeto de aprendizagem., com auxílio do profissional interage para a
formação do conhecimento.


2 OBJETO DE APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL


       Em referencia ao objeto de aprendizagem, não existe um conceito geral, aceito
universalmente, pois, há diferentes definições em estudo.
       Segundo Muzio et al (apud Cisco 2001)"Um granular, reutilizável pedaço de
informação independente de mídia", o mesmo autor define como "Objetos educacionais,
objeto independente, componente de treinamento, pepita ou pedaço".
       Ainda segundo Muzio et al (apud South and Monson (2001)) utiliza o termo objeto
de comunicação e o define como: "Objeto de comunicação”, o qual é designado e/ou
utilizado para propósitos instrucionais.
       Conforme Beck (2002, p.1) (apud David A. Wiley) apresenta Objetos de
Aprendizado como sendo: “qualquer recurso digital que possa ser reutilizado para o
suporte ao ensino”.
       O objeto de aprendizagem busca o entendimento da atividade proposta, logo,
verifica, retoma e até mesmo refaz a atividade avaliando sua produtividade para apoio a
aprendizagem..
Ao pensar sobre objeto de aprendizagem este deve ser planejado conforme a
necessidade do público alvo que se deseja alcançar, verificar a metodologia utilizada na
elaboração dos recursos digitais e, utilizar diferentes objetos de aprendizagem tais como:
o acesso ao site do RIVED (Rede Interativa Virtual de Educação) programa vinculado a
Secretaria de Educação à Distância-SEED, do Ministério da Educação – MEC, para isso
basta indicar a área do conhecimento, tema e o nível de ensino que deve ser direcionado.
      Nota-se também que muitos profissionais diante de suas necessidades constroem
seus objetos de aprendizagem, ao proporcionar ao aluno uma atividade próxima de sua
construção de mundo.
      .Em   se tratando de recursos a serem utilizados com o objeto de aprendizagem a
maioria das escolas disponibiliza a televisão e DVD, e estes servem de instrumentos de
aprendizagem, pois os mesmos auxiliam na atenção e memória da criança, quando são
explorados de maneira correta pelo profissional da educação e não apenas como um
meio de recreação ou para preencher horários.


3 TELEVISÃO E DVD


       A televisão e o DVD são importantes recursos, precisam ser explorados e vistos
como uma possibilidade a mais de colaborar com a aprendizagem, pois se sabe que a
criança vê seu mundo conforme suas experiências, logo, devem ser verificadas o que
esta sendo proposto para o aluno. Após assistir um DVD, um programa de TV, podem-se
oferecer atividades para exploração do recurso, nesse momento observa-se o
conhecimento adquirido através da vivência do educando. A criança forma-se conforme
recebe as informações e experiencia construindo seu aprendizado.
       Segundo Guattari (1993, p.80):

                     A subjetividade da criança vai sendo constituída no cruzamento de inúmeros
                     “sistemas de modelização”: “o de sua família, o de seus fantasmas próprios, o das
                     narrativas televisivas, o dos desenhos animados, da escola, com os grupos sociais
                     no seio dos quais ela é inserida”.

       Estes recursos devem ser criativos proporcionando meios que despertem
interesse no trabalho e em assistir o proposto, por exemplo: assistir a história dos “Três
Porquinhos”; Após conversar sobre o que aconteceu no filme, porquê, onde, como eles
foram viver, depois dramatizar, criar uma história, filmar suas apresentações, dessa
maneira pode-se continuar com infinitas atividades todas buscando o desenvolver do
aluno como um todo.
       É importante refletir que o sucesso quanto à aprendizagem se dará à medida que
o aluno tiver interesse em aprender e o material exposto seja realmente significativo.
Evidente que o professor além de falar, ouvir, deve oferecer experiências variadas, após
assistir o filme poderá contar histórias através do livro infantil, recurso este que
proporciona uma aprendizagem significativa de uma forma mais rápida desenvolve a
linguagem e a expressão gestual, pois através do ouvir e do expressar-se oralmente o
aluno tende a representar os conhecimentos adquiridos, interpretando de maneira pessoal
o que entendeu da história que ouviu através do professor.


4 LIVRO INFANTIL


      Outro recurso importante no desenvolvimento do aluno é o livro de histórias
infantis. Este poderá ser com textos ou apenas com imagens, despertará o interesse
através das ilustrações, a expressão e a entonação dada no momento do conto. Neste
processo, pode-se utilizar materiais variados, como bonecas, brinquedos, caixas como
cenário, fantoches, fotos, gravuras de revistas, enfim realizar uma explanação da história
que oportunize ao aluno imaginar, dramatizar, desenhar, criar outras histórias com os
personagens descritos na mesma, onde ele possa sentir-se um autor de histórias
conforme suas experiências e vivências, demonstrar sua oralidade, expressão e
envolvimento com o que foi construido norteando de uma alegria que contagie aos demais
colegas.
      Segundo Kuhlmann (1999, p.65)
                       “Ver a infância como momento de expressão, de concretização e de
                      experimentação, no qual o conhecimento deste mundo “envolve o afeto, o prazer
                      e o desprazer, a fantasia, o brincar e o movimento, a poesia, as ciências, as artes
                      plásticas e dramáticas , a linguagem, a música, a matemática. Que para ela, a
                      brincadeira é uma forma de linguagem, assim como a linguagem é forma de
                      brincadeira.”

           Constata-se que é nessa fase         que deve-se incentivar as crianças com as
histórias e assim, despertar o interesse pelas palavras e após a leitura, auxiliar o seu
desenvolvimento como ser humano.
       Segundo a autora Paley (1990, p.6)
                      “a brincadeira e seu indispensável cerne narrativo são as realidades
                      fundamentais na pré-escola e na creche.” e a criança que brinca está sempre
                      inventando enredos, como um dramaturgo, ou tentando se inserir nos enredos
propostos pelos colegas. A brincadeira narrativa é uma prática intensamente
                       social, nutrindo-se das interrupções, colaborações e do diálogo que ocorrem na
                       cultura da sala de aula.

         Diz ainda Paley (1990, p21, 23)
                       Esse tipo de narração é um fenômeno social, destinado a fluir por entre todas as
                       outras atividades e a fornecer a mais ampla oportunidade para respostas
                       comunitárias. As histórias não são assuntos privados; a imaginação individual
                       acolhe todos os estímulos do ambiente e faz reverberar idéias em torno dos
                       ouvintes. (...) É um processo compartilhado, uma instituição cultural primordial, a
                       arte social da linguagem .

         Sabe-se que outro recurso que auxilia na exploração do livro infantil, no contar
 histórias é a arte de cantar, pois através da música se desperta o interesse pela história.
 As crianças apresentam certa facilidade em memorizar fatos quando estes vêm
 acompanhados da música, são receptivas ao cantar.


 5 MÚSICA


       A música é de grande importância para o desenvolvimento da criança, com ela
 pratica-se a ludicidade, através de estímulos, gestos, ritmos, percepção, auxilia na
 socialização com trabalho em equipe, contribui para o desenvolvimento da inteligência e a
 formação do ser.
          A musicalização pode contribuir no processo de aprendizagem, oportunizando o
 desenvolvimento cognitivo, lingüístico, psicomotor e sócio-afetivo da criança.
         Para Bréscia (2003) [...] “o aprendizado de musica, além de favorecer o
 desenvolvimento afetivo da criança, amplia a atividade cerebral, melhora o desempenho
 escolar dos alunos e contribui para integrar socialmente o indivíduo”.
        Salienta-se que música e dança caminham e desenvolvem-se juntas, sem dúvida
é algo nato, que lhe proporciona gosto através das brincadeiras, combinando movimento e
ritmo com auxilio ao desenvolvimento corporal da criança.
        Conforme Lima e Laginski (2008)

                      A música tem que ser entendida como uma linguagem e não como uma forma de
                      estratégia para banalizá-la. Tem que mostrar um amplo universo de sons para o
                      aluno. Isso vai ajudá-lo a ampliar seus sentidos, como a visão, o tato e,
                      principalmente, a audição. Nosso propósito com essas aulas não é o de formar
                      músicos profissionais, mas como música é cultura, ela vai despertar nessa pessoa
                      também o senso crítico, fazendo com que esse indivíduo não aceite passivamente
                      todo esse material cultural descartável.
As músicas podem ser selecionadas conforme o tema que o profissional deseja
desenvolver, em seus diversos gêneros tornando um momento de alegria e de
aprendizagem para a criança. Poderá utilizar instrumentos músicais e, também,
confeccioná-los com material de sucata oportunizando a criança           conhecer seus
diferentes sons.


6 ESTUDO DE CASO


       Descrevendo o Projeto Trabalhando Cecília Meireles, executada pela Escola
Municipal Infantil localizada no municipio de Sant’Ana do Livramento, realizada entre
todos os profissionais da escola e os alunos. Projeto esse que surgiu da solicitação da
Secretaria Municipal de Educação, onde todas as escolas trabalhariam com determinado
autor, enfatizando a literatura infantil, sendo determinada por meio de sorteio, a escola
recebeu como tema o estudo das obras de Cecília Meireles o qual deveria ser
desenvolvido ao longo do ano, e como culminância seria realizada um Festival Artístico e
Cultural no mês de Outubro, onde as escolas deveriam apresentar o autor estuda através
de uma de suas obras.
      Determinou-se como objetivo oportunizar aos alunos conhecer e vivenciar as
poesias da escritora Cecília Meireles entre elas destacou – se Colar de Carolina, O
Cavalinho Branco, Leilão de Jardim, O Mosquito Escreve, Sonhos da Menina, O Menino
Azul, Vestido de Laura etc. Todas essas poesias foram trabalhadas de forma oral através
da hora do conto e logo após os alunos puderam demonstrar o que haviam entendido das
mesmas, realizando pequenas dramatizações e recontando a história com suas palavras,
momento em que a professora explorou os personagens principais bem como a
mensagem das poesias. Por tratar-se de poesias procurou-se utilizar os demais recursos
tecnológicos, como; Interface das poesias, painéis, músicas, desenhos, os mais variados
recursos. A escola optou por realizar uma votação para que pudessem definir qual das
poesias seria a escolhida para ser apresentada pelos alunos na culminância do projeto. A
votação aconteceu entre alunos e professores da escola sendo que a vencedora foi:
“Leilão de Jardim”.
      Para o projeto obter o êxito desejado foi necessário utilizar-se de investigação,
observação diária, conversas com os alunos, onde os mesmos demonstravam
curiosidades, através das brincadeiras, declamação de versos, ouviram histórias, jogaram
e cantaram, através do contato de outras mídias além dos livros, como o rádio, a
televisão, o vídeo, a câmera digital, e até o computador.
         Uma das turmas da Educação Infantil após assistirem um DVD onde lhes foi
apresentada a obra o Cavalinho Branco da referida autora, os mesmos passaram a
trabalhar no tema que foi abordado nesta poesia. Sendo que a turma explorou o assunto
de forma oral, comentando sobre os fatos que mais lhe chamaram a atenção. Logo após,
a professora auxiliada por uma monitora foi com os alunos para a sala de direção da
escola, onde existe dois computadores que foram disponibilizados para que as crianças
pudessem desenhar utilizando o programa Paint. Foi muito interessante o trabalho e para
registrar esse momento os desenhos foram impressos e expostos no painel da escola.
         Durante as atividades, as crianças foram registrando através da câmera digital
todos os momentos que se envolveram na construção das atividades.
         Outra atividade proposta para a turma em relação à poesia estudada, foi a
confecção de máscaras com os personagens que fazem parte da obra.
         Para a culminância deste projeto um grupo dramatizou a poesia, através da
declamação que foi introduzida                   uma melodia na letra da poesia, onde os alunos
representaram em grupos os animais, as flores os fatos descritos na poesia. Com este
trabalho foi possível aos alunos desenvolver-se através da expressão corporal, liguagem
oral e visual. Despertando em todas as atividades a criatividade e sensibilidade, de forma
participativa, com desenhos, pintura e colagem.
         A equipe de profissionais confeccionou a interface de apresentação e as fantasias
que os alunos iriam usar. Como pode ser visto na figura 1.




Figura1-Interface confecionada pelos profissionais da escola para o Festival cultural
Destaca-se o interesse e a felicidade dos alunos em participar da execução do
projeto, com sua desenvoltura, no processo coletivo, leva a reflexão de que a Educação
Infantil por simples que sejam os procedimentos realizados, querendo ou não, os
diferentes recursos tecnológicos fazem-se presentes como estratégias pedagógicas.


7 CONSIDERAÇÕES FINAIS


        Ao desenvolver este artigo verifica-se a grande importância do uso dos recursos
de multimídia em sala de aula na Educação Infantil, pois os mesmos auxiliam no
desenvolvimento     da   criança,   despertando   a   criatividade,   a   espontaneidade,   a
concentração e a autonomia para que o aluno possa interagir na construção de seu
conhecimento.O aluno torna-se capaz de buscar alternativas para a resolução de
pequenos problemas e a interferência do professor contribui a medida em que
disponibiliza recursos diversificados em suas atividades didáticas.
       Nota-se a responsabilidade que os profissionais de Educação Infantil têm, em
inserir os recursos de multimídia na sala de aula, e não usando somente por passar
tempo e sim explorar a produtividade dos mesmos.
       Todos os recursos bem aplicados são de grande proveito para o desenvolvimento
do ser humano, pois tanto no uso do recurso televisivo, objeto de aprendizagem, audio,
dança, estes auxiliam em formar uma criança sensível, desinibida, com autonomia para
enfrentar o seu dia a dia.
       Nota-se hoje que os profissionais da educação terão que usufruir de meios que
beneficie os processos de ensino aprendizagem, de maneira sensata, equilibrada
buscando o fortalecimento da tecnologia na educação.
       Percebe-se que a criança ao ingressar na Educação Infantil, possui prévio
conhecimento que influência em sua nova aquisição de conhecimento, com auxílio das
atividades propostas, com ludicidade em todos os momentos.
       Conclui-se que o uso dos recursos de multimídia desperta o interesse, o diálogo, a
dramatização, a memória, a coordenação motora, a disciplina em fim proporciona um
desenvolvimento integral do ser humano.
       No entanto, a utilização destes recursos por parte dos profissionais da educação
ainda estão muito aquém do esperado, pois um dos entraves que se apresenta é a falta
de capacitação, ou melhor, a formação destes para o uso das tecnologias como recursos
viáveis na aprendizagem do aluno.
      Como reflexão deixa-se aqui este questionamento: até quando poderão se excluir
os educandos do mundo tecnológico?


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS



BRASIL, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDB, nº.5692 de 1998.


BECK, R.J. Learning Objects: What?. Center for Internation Education. University of
Winsconsin. Milwaukee. 2001.


BRÉSCIA, Vera Lúcia Pessagno. Educação Musical: bases psicológicas e ação
preventiva. São Paulo: Átomo, 2003.
GUATTARI, Felix: Caosmose:um novo paradigma estético. São Paulo: Editora 34, 1993


KUHLMANN JR, Moyés. (1999) Educação Infantil e Currículo. In:FARIA, Ana Lúcia G;
PALHARES, Maria S. (orgs.). Educação Infantil Pós-LDB: Rumos e Desafios. ed. 4.
(Coleção Polêmicas do Nosso Tempo, 62) Campinas: Autores Associados. p.51-65.


LAGINSKI, F. A importância da música na educação. Disponível em:
http://www.parana-online.com.br/editoria/almanaque/news/320514/ acessado em
28/08/2010.


MORAN, José Manuel. Como ver televisão. Leitura crítica dos meios de comunicação.
São Paulo: Edições Paulinas 1991.


MOYLES, Janet R. Só Brincar? O papel do brincar na educação infantil. Arimed, 2002.

MUZIO, J.; HEINS, T.; MUNDELL, R. Experiences with Reusable eLearning Objects:
From Theory to Practice. Victoria, Canadá. 2001.


PALEY, Vivian Gussin: The Boy Who Would Be a Helicopter: the uses of storytelling
in the classroom. Cambridge: Harvard University Press, 1990.
PONTE, João P. Tecnologias de Informação e Comunicação na formação de
professores: Que desafios? In: http://www.campus-oei.org/revista/rie24 a23.htm
(25/02/04).


RATHBONE, Andy. Multimídia e CD-ROM para leigos. São Paulo: Berkeley, 1995.


WILKE, Jürgen. Perspectivas Globais Da Sociedade Da Informação. Fundação
Konrad- Adenauer-Stiftung, São Paulo, 1995.



Fatima Valderes Viana Machado Farias- fatima19672008@hotmail.com
Marcos Luis Cassal- marcos.cassal@gmail.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Andressa jessica erika
Andressa jessica erikaAndressa jessica erika
Andressa jessica erika
 
Autoria como estrategia pedagogica
Autoria como estrategia pedagogicaAutoria como estrategia pedagogica
Autoria como estrategia pedagogica
 
Ebook diversidade e cultura inclusiva
Ebook  diversidade e cultura inclusivaEbook  diversidade e cultura inclusiva
Ebook diversidade e cultura inclusiva
 
Bruna sdmara
Bruna sdmaraBruna sdmara
Bruna sdmara
 
Flavia vanuza monica
Flavia vanuza monicaFlavia vanuza monica
Flavia vanuza monica
 
Aline eliane
Aline elianeAline eliane
Aline eliane
 
Aline naiany erika
Aline naiany erikaAline naiany erika
Aline naiany erika
 
Jucilene priscila
Jucilene priscilaJucilene priscila
Jucilene priscila
 
Kelly
KellyKelly
Kelly
 
Coleção educacional discovery channel na escola
Coleção educacional discovery channel na escolaColeção educacional discovery channel na escola
Coleção educacional discovery channel na escola
 
Acompanhamentopedagogico
AcompanhamentopedagogicoAcompanhamentopedagogico
Acompanhamentopedagogico
 
Amanda jessica tamara_viviany
Amanda jessica tamara_vivianyAmanda jessica tamara_viviany
Amanda jessica tamara_viviany
 
Educação infantil
Educação infantilEducação infantil
Educação infantil
 
Estela alessandra muzzi
Estela alessandra muzziEstela alessandra muzzi
Estela alessandra muzzi
 
Jose flavio 1
Jose flavio 1Jose flavio 1
Jose flavio 1
 
Maria solange
Maria solangeMaria solange
Maria solange
 
Jennifer alyne maria
Jennifer alyne mariaJennifer alyne maria
Jennifer alyne maria
 
Edna isabel erika
Edna isabel erikaEdna isabel erika
Edna isabel erika
 
Eva edilaine erika
Eva edilaine erikaEva edilaine erika
Eva edilaine erika
 
8134267 a-brincadeira-e-o-jogo-na-educacao-infantil
8134267 a-brincadeira-e-o-jogo-na-educacao-infantil8134267 a-brincadeira-e-o-jogo-na-educacao-infantil
8134267 a-brincadeira-e-o-jogo-na-educacao-infantil
 

Semelhante a Santana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado Farias

6 ARTIGO O LÚDICO E O USO DAS TECNOLOGIAS ATIVAS NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL...
6 ARTIGO  O LÚDICO E O USO DAS TECNOLOGIAS ATIVAS NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL...6 ARTIGO  O LÚDICO E O USO DAS TECNOLOGIAS ATIVAS NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL...
6 ARTIGO O LÚDICO E O USO DAS TECNOLOGIAS ATIVAS NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL...SimoneHelenDrumond
 
O Cotidiano Da EducaçãO Infantil
O Cotidiano Da EducaçãO InfantilO Cotidiano Da EducaçãO Infantil
O Cotidiano Da EducaçãO Infantilmarlene_herter
 
Etapa2 1 situando_uso_midias_beth
Etapa2 1 situando_uso_midias_bethEtapa2 1 situando_uso_midias_beth
Etapa2 1 situando_uso_midias_bethAlda Guedes
 
Interdisciplinaridade e pluraridade cultural
Interdisciplinaridade e pluraridade culturalInterdisciplinaridade e pluraridade cultural
Interdisciplinaridade e pluraridade culturalcefaprodematupa
 
As mídias na educação
As mídias na educaçãoAs mídias na educação
As mídias na educaçãoMayam Andrade
 
Diretriz municipal da_educação_infantil
Diretriz municipal da_educação_infantilDiretriz municipal da_educação_infantil
Diretriz municipal da_educação_infantilRonaldo Obaski
 
Artigo tic carmem 3 janeiro 2013
Artigo tic carmem 3 janeiro 2013Artigo tic carmem 3 janeiro 2013
Artigo tic carmem 3 janeiro 2013equipetics
 
Boas praticas pedagogicas educação do campo - Achilino
Boas praticas pedagogicas educação do campo - AchilinoBoas praticas pedagogicas educação do campo - Achilino
Boas praticas pedagogicas educação do campo - Achilinoluciany-nascimento
 
Trabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberes
Trabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberesTrabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberes
Trabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberesSimoneHelenDrumond
 
29 dezembro a relatório de investigação
29 dezembro a relatório de investigação29 dezembro a relatório de investigação
29 dezembro a relatório de investigaçãoSimoneHelenDrumond
 
Situando o uso da mídia em contextos educacionais
Situando o uso da mídia em contextos educacionaisSituando o uso da mídia em contextos educacionais
Situando o uso da mídia em contextos educacionaisSergioMarcos
 
portfólio 3° semestre Poliana.docx
portfólio 3° semestre Poliana.docxportfólio 3° semestre Poliana.docx
portfólio 3° semestre Poliana.docxPolianaMartins29
 
O papel do Educomunicador na inserção de novas tecnologias em sala de aula
O papel do Educomunicador na inserção de novas tecnologias em sala de aulaO papel do Educomunicador na inserção de novas tecnologias em sala de aula
O papel do Educomunicador na inserção de novas tecnologias em sala de aulafaustoarpm
 
20 ARTIGO PARTE 1 CIBERDEPENDÊNCIA AS INFLUÊNCIAS DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS NO...
20 ARTIGO PARTE 1 CIBERDEPENDÊNCIA AS INFLUÊNCIAS DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS NO...20 ARTIGO PARTE 1 CIBERDEPENDÊNCIA AS INFLUÊNCIAS DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS NO...
20 ARTIGO PARTE 1 CIBERDEPENDÊNCIA AS INFLUÊNCIAS DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS NO...SimoneHelenDrumond
 
Três de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange BackesTrês de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange BackesCursoTICs
 
Direitos de aprendizagem fundamentos legais
Direitos de aprendizagem fundamentos legaisDireitos de aprendizagem fundamentos legais
Direitos de aprendizagem fundamentos legaisDaniela Menezes
 
Desenvolvimento curricular e tecnologias exemplos
Desenvolvimento curricular e tecnologias exemplosDesenvolvimento curricular e tecnologias exemplos
Desenvolvimento curricular e tecnologias exemplosHenrique Santos
 

Semelhante a Santana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado Farias (20)

6 ARTIGO O LÚDICO E O USO DAS TECNOLOGIAS ATIVAS NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL...
6 ARTIGO  O LÚDICO E O USO DAS TECNOLOGIAS ATIVAS NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL...6 ARTIGO  O LÚDICO E O USO DAS TECNOLOGIAS ATIVAS NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL...
6 ARTIGO O LÚDICO E O USO DAS TECNOLOGIAS ATIVAS NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL...
 
O Cotidiano Da EducaçãO Infantil
O Cotidiano Da EducaçãO InfantilO Cotidiano Da EducaçãO Infantil
O Cotidiano Da EducaçãO Infantil
 
Etapa2 1 situando_uso_midias_beth
Etapa2 1 situando_uso_midias_bethEtapa2 1 situando_uso_midias_beth
Etapa2 1 situando_uso_midias_beth
 
Interdisciplinaridade e pluraridade cultural
Interdisciplinaridade e pluraridade culturalInterdisciplinaridade e pluraridade cultural
Interdisciplinaridade e pluraridade cultural
 
1ª aula de mídia
1ª aula de mídia1ª aula de mídia
1ª aula de mídia
 
As mídias na educação
As mídias na educaçãoAs mídias na educação
As mídias na educação
 
Diretriz municipal da_educação_infantil
Diretriz municipal da_educação_infantilDiretriz municipal da_educação_infantil
Diretriz municipal da_educação_infantil
 
Artigo tic carmem 3 janeiro 2013
Artigo tic carmem 3 janeiro 2013Artigo tic carmem 3 janeiro 2013
Artigo tic carmem 3 janeiro 2013
 
Boas praticas pedagogicas educação do campo - Achilino
Boas praticas pedagogicas educação do campo - AchilinoBoas praticas pedagogicas educação do campo - Achilino
Boas praticas pedagogicas educação do campo - Achilino
 
Trabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberes
Trabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberesTrabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberes
Trabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberes
 
29 dezembro a relatório de investigação
29 dezembro a relatório de investigação29 dezembro a relatório de investigação
29 dezembro a relatório de investigação
 
Situando o uso da mídia em contextos educacionais
Situando o uso da mídia em contextos educacionaisSituando o uso da mídia em contextos educacionais
Situando o uso da mídia em contextos educacionais
 
portfólio 3° semestre Poliana.docx
portfólio 3° semestre Poliana.docxportfólio 3° semestre Poliana.docx
portfólio 3° semestre Poliana.docx
 
Alinne alessandra muzzi
Alinne alessandra muzziAlinne alessandra muzzi
Alinne alessandra muzzi
 
O papel do Educomunicador na inserção de novas tecnologias em sala de aula
O papel do Educomunicador na inserção de novas tecnologias em sala de aulaO papel do Educomunicador na inserção de novas tecnologias em sala de aula
O papel do Educomunicador na inserção de novas tecnologias em sala de aula
 
20 ARTIGO PARTE 1 CIBERDEPENDÊNCIA AS INFLUÊNCIAS DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS NO...
20 ARTIGO PARTE 1 CIBERDEPENDÊNCIA AS INFLUÊNCIAS DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS NO...20 ARTIGO PARTE 1 CIBERDEPENDÊNCIA AS INFLUÊNCIAS DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS NO...
20 ARTIGO PARTE 1 CIBERDEPENDÊNCIA AS INFLUÊNCIAS DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS NO...
 
Três de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange BackesTrês de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange Backes
 
Direitos de aprendizagem fundamentos legais
Direitos de aprendizagem fundamentos legaisDireitos de aprendizagem fundamentos legais
Direitos de aprendizagem fundamentos legais
 
Desenvolvimento infantil 2
Desenvolvimento infantil 2Desenvolvimento infantil 2
Desenvolvimento infantil 2
 
Desenvolvimento curricular e tecnologias exemplos
Desenvolvimento curricular e tecnologias exemplosDesenvolvimento curricular e tecnologias exemplos
Desenvolvimento curricular e tecnologias exemplos
 

Mais de CursoTICs

Três de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza ZawatskiTrês de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza ZawatskiCursoTICs
 
Três de Maio - Simone Raquel Frank
Três de Maio - Simone Raquel FrankTrês de Maio - Simone Raquel Frank
Três de Maio - Simone Raquel FrankCursoTICs
 
Três de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar SipmannTrês de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar SipmannCursoTICs
 
Três de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza BinnTrês de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza BinnCursoTICs
 
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria VogelTrês de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria VogelCursoTICs
 
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso TuzzinTrês de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso TuzzinCursoTICs
 
Três de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
Três de Maio - Laenir Ana Busanello SipmannTrês de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
Três de Maio - Laenir Ana Busanello SipmannCursoTICs
 
Três de Maio - Kerly Jussana Backes
Três de Maio - Kerly Jussana BackesTrês de Maio - Kerly Jussana Backes
Três de Maio - Kerly Jussana BackesCursoTICs
 
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de MattosTrês de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de MattosCursoTICs
 
Três de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
Três de Maio - Emilene Andréa EichelbergerTrês de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
Três de Maio - Emilene Andréa EichelbergerCursoTICs
 
Três de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
Três de Maio - Claudenir Beatriz GrizottiTrês de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
Três de Maio - Claudenir Beatriz GrizottiCursoTICs
 
Três de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
Três de Maio - Arlete Justina Monegat HamerskiTrês de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
Três de Maio - Arlete Justina Monegat HamerskiCursoTICs
 
Três de Maio - Taísa Soares Valdameri
Três de Maio - Taísa Soares ValdameriTrês de Maio - Taísa Soares Valdameri
Três de Maio - Taísa Soares ValdameriCursoTICs
 
Sobradinho - Simoni Timm Hermes
Sobradinho - Simoni Timm HermesSobradinho - Simoni Timm Hermes
Sobradinho - Simoni Timm HermesCursoTICs
 
Sobradinho - Saionara Carlotto da Silva
Sobradinho - Saionara Carlotto da SilvaSobradinho - Saionara Carlotto da Silva
Sobradinho - Saionara Carlotto da SilvaCursoTICs
 
Sobradinho - Rômulo Limberger da Silva
Sobradinho - Rômulo Limberger da SilvaSobradinho - Rômulo Limberger da Silva
Sobradinho - Rômulo Limberger da SilvaCursoTICs
 
Sobradinho - Marcele Lazzari
Sobradinho - Marcele LazzariSobradinho - Marcele Lazzari
Sobradinho - Marcele LazzariCursoTICs
 
Sobradinho - Luciano Machado
Sobradinho - Luciano MachadoSobradinho - Luciano Machado
Sobradinho - Luciano MachadoCursoTICs
 
Sobradinho - Larissa Perobelli Rech
Sobradinho - Larissa Perobelli RechSobradinho - Larissa Perobelli Rech
Sobradinho - Larissa Perobelli RechCursoTICs
 
Sobradinho - Helena Maria da Silva Rech
Sobradinho - Helena Maria da Silva RechSobradinho - Helena Maria da Silva Rech
Sobradinho - Helena Maria da Silva RechCursoTICs
 

Mais de CursoTICs (20)

Três de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza ZawatskiTrês de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
 
Três de Maio - Simone Raquel Frank
Três de Maio - Simone Raquel FrankTrês de Maio - Simone Raquel Frank
Três de Maio - Simone Raquel Frank
 
Três de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar SipmannTrês de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar Sipmann
 
Três de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza BinnTrês de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
 
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria VogelTrês de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
 
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso TuzzinTrês de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
 
Três de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
Três de Maio - Laenir Ana Busanello SipmannTrês de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
Três de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
 
Três de Maio - Kerly Jussana Backes
Três de Maio - Kerly Jussana BackesTrês de Maio - Kerly Jussana Backes
Três de Maio - Kerly Jussana Backes
 
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de MattosTrês de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
 
Três de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
Três de Maio - Emilene Andréa EichelbergerTrês de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
Três de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
 
Três de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
Três de Maio - Claudenir Beatriz GrizottiTrês de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
Três de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
 
Três de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
Três de Maio - Arlete Justina Monegat HamerskiTrês de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
Três de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
 
Três de Maio - Taísa Soares Valdameri
Três de Maio - Taísa Soares ValdameriTrês de Maio - Taísa Soares Valdameri
Três de Maio - Taísa Soares Valdameri
 
Sobradinho - Simoni Timm Hermes
Sobradinho - Simoni Timm HermesSobradinho - Simoni Timm Hermes
Sobradinho - Simoni Timm Hermes
 
Sobradinho - Saionara Carlotto da Silva
Sobradinho - Saionara Carlotto da SilvaSobradinho - Saionara Carlotto da Silva
Sobradinho - Saionara Carlotto da Silva
 
Sobradinho - Rômulo Limberger da Silva
Sobradinho - Rômulo Limberger da SilvaSobradinho - Rômulo Limberger da Silva
Sobradinho - Rômulo Limberger da Silva
 
Sobradinho - Marcele Lazzari
Sobradinho - Marcele LazzariSobradinho - Marcele Lazzari
Sobradinho - Marcele Lazzari
 
Sobradinho - Luciano Machado
Sobradinho - Luciano MachadoSobradinho - Luciano Machado
Sobradinho - Luciano Machado
 
Sobradinho - Larissa Perobelli Rech
Sobradinho - Larissa Perobelli RechSobradinho - Larissa Perobelli Rech
Sobradinho - Larissa Perobelli Rech
 
Sobradinho - Helena Maria da Silva Rech
Sobradinho - Helena Maria da Silva RechSobradinho - Helena Maria da Silva Rech
Sobradinho - Helena Maria da Silva Rech
 

Último

Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 

Último (20)

Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 

Santana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado Farias

  • 1. PÓLO: Sant’ Ana do Livramento DISCIPLINA: Elaboração de Artigo Científico PROFESSOR ORIENTADOR: CASSAL, Marcos Luís 6 de Dezembro de 2010 O Uso dos recursos de multimídia em sala de aula na Educação Infantil The use of multimedia resources in the classroom in kindergarten FARIAS,Fatima Valderes Viana Machado Graduada em Pedagogia pela ASPES RESUMO Este artigo tem como objetivo proporcionar uma reflexão sobre o que se refere à utilização de recursos tecnológicos na educação infantil no processo ensino-aprendizagem, bem como desenvolver instrumentos teórico-práticos que envolvam os recursos de multimídia, contribuam para a construção de uma ação reflexiva na docência da Educação Infantil. O mesmo foi realizado através de pesquisas e estudos de caso de viabilização de práticas educacionais envolvendo alunos e professores de uma escola de Educação Infantil da periferia urbana do Município de Sant’Ana do Livramento. É imprescindível destacar que o uso das tecnologias na Educação Infantil deve ser utilizado num ambiente interativo, formado por diversos recursos de multimídia, como, livros, brinquedos, DVD, jogos, tornando o ambiente prazeroso e condizente com as necessidades da criança da Educação Infantil. Diante da necessidade de elaborar material para subsidiar tal reflexão, aproveitou-se da oportunidade de vivenciar esses instrumentos e recursos tecnológicos a partir do trabalho desenvolvido com os alunos em idade de 04 a 05 anos da referida escola, onde os mesmos exploraram obras da autora Cecília Meireles, dentro do contexto do Projeto artístico-cultural, promovido pela Secretaria Municipal de Educação. Palavras-Chave: Multimídia, Educação Infantil, Tecnologia
  • 2. ABSTRACT This article aims to provide a reflection on what concerns the use of technological resources in early childhood education in the teaching-learning process and to develop theoretical and practical instruments involving multimedia resources, contribute to the construction of a reflexive action in Teaching Early Childhood Education. The same was done through surveys and case studies of the viability of educational practices involving students and teachers at a kindergarten school in the urban periphery of the city of St. Anne of Deliverance. It is imperative to emphasize that the use of technologies in early childhood education should be used in an interactive environment, formed by various multimedia features, such as books, toys, DVDs, games, making the environment pleasant and conducive to the needs of the child's kindergarten.Faced with the need to develop support material for such reflection, he took advantage of the opportunity to experience these technological tools and resources from the work with students aged 04 to 05 years of that school, where they explored the works of the author Cecilia Meireles, within the context of artistic and cultural project, sponsored by the City Department of Education, Keywords: Multimedia, Early Childhood Education, Technology INTRODUÇÃO A tecnologia tem um papel importante no desenvolvimento do indivíduo, está presente no dia a dia, faz parte cotidiana das pessoas, ocupando seu espaço desde a Educação Infantil. É necessário desenvolver instrumentos que contribuam para uma prática da construção de uma reflexão na docência da Educação Infantil, sabe-se que é nessa fase que os alunos aprendem a se conhecer e observar o ambiente que os cerca, numa relação lúdica com a escola e com o mundo. Moyles (2002), afirma que: “é brincando que as crianças aprendem, pois é por meio da brincadeira espontânea que elas criam, interagem, imitam, jogam, experimentam...” A interação com estes recursos oportuniza o desenvolvimento das habilidades de competências específicas a cada faixa etária, respeitando o processo de desenvolvimento cognitivo do educando, envolvidos no desenvolvimento da linguagem oral e escrita, proporcionando condições para o aluno expressar sua criatividade e potencialidades intelectuais, em busca da construção e socialização do conhecimento. É necessário estar atento para que o uso das TIC esteja vinculado às necessidades de desenvolvimento da criança e ao projeto pedagógico da escola. Nas políticas públicas e ao governo, ressalta-se o incentivo ao uso das tecnologias na Educação Infantil. As Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil dizem o seguinte:
  • 3. Ao reconhecer as crianças como seres íntegros, que aprendem a ser e conviver consigo próprias, com os demais e o meio ambiente de maneira articulada e gradual, as Propostas Pedagógicas das Instituições de Educação Infantil devem buscar a interação entre as diversas áreas de conhecimento e aspectos da vida cidadã, como conteúdos básicos para a constituição de conhecimentos e valores. Desta maneira, os conhecimentos sobre espaço, tempo, comunicação, expressão, a natureza e as pessoas devem estar articulados com os cuidados e a educação para a saúde, a sexualidade, a vida familiar e social, o meio ambiente, a cultura, as linguagens, o trabalho, o lazer, a ciência e a tecnologia (Parecer CEB022/98, MEC) Portanto, entende-se que o uso das TIC na Educação Infantil, deve ser oportunizado em meio a um ambiente propicio, interativo, oferecendo recursos de aprendizagem que não sejam somente computadores, utilizando-se de outras tecnologias, porém também de livros, brinquedos, jogos, tapete, almofada. Tais condições constituirão um ambiente aconchegante e condizente com as necessidades das crianças de Educação Infantil. O que possibilitará o desenvolvimento de habilidades e competências específicas a cada faixa etária. O texto do artigo está organizado em seu desenvolvimento da seguinte maneira: Preocupação com a Educação- relacionada ao uso dos recursos de multimídia; Objeto de Aprendizagem- como processo educativo no ambiente escolar; Televisão e Video- despertar espontaniedade da criança; Livro Infantil- aguça a fantasia; Música-oportuniza a todo momento a ludicidade; Relato de um projeto trabalhando CECÍLIA MEIRELES na Educação Infantil, demonstrando que nessa faixa etária as atividades propostas desperta um desenvolvimento para a autonomia do ser. 1 PREOCUPAÇÃO COM A EDUCAÇÃO A preocupação com a educação deve ir além de ensinar e cuidar, é necessário a participação do professor auxiliando na construção de conhecimentos, incentivando a vivência de atitudes, hábitos e valores indispensáveis para convivência social, oportunizando aos alunos autonomia em sua própria aprendizagem, levando-os a reconhecer a tecnologia como aprendizagem, despertando interesse em participar de todas as atividades, para que venha ampliar a possibilidade de ensino que incentive o diálogo e a participação em todos os momentos. O professor deve entender e transformar esses momentos tecnológicos em conhecimento. Conforme Moran : (1991, p.146)
  • 4. Educar é estar mais atento às possibilidades do que aos limites. Estimular o desejo de aprender, de ampliar as formas de perceber, de sentir, de compreender, de comunicar-se. Apoiar o estado de prontidão para aprender dentro e fora da escola, em todos os espaços do nosso cotidiano, em todas as dimensões da vida. Estar atento a tudo, relacionando tudo, integrando tudo. Conectar sempre o ensino com a pessoa do aluno, com a vida do aluno, com a sua experiência. Educar é procurar chegar ao aluno por caminhos possíveis: pela experiência, pela imagem, pelo som, pela representação (dramatizações, simulações), pela multimídia. É partir de onde o aluno está, ajudando-o a ir do concreto para o abstrato, do imediato para o contexto, do vivencial para o intelectual, integrando o sensorial, o emocional e o racional. Deve-se oferecer aos alunos atividades extra classe, trabalhando o lúdico, estimulando o interesse da criança pelo processo do conhecimento do ser humano, da natureza e da sociedade, baseado no seu carater educativo do atendimento á criança pequena entre cuidados e educação proporcionando formas de ver o mundo, com trocas de conhecimentos, alegrias, afetos, fantasias diante das experiências vividas como desafio para enfrentar a realidade. Segundo Ponte:(2004) E se tratando de educação infantil, pensa-se que se deve garantir a autonomia do aluno de forma que ele possa “aprender a aprender” e lhe permita, no futuro, “pensar e programar a sua própria reciclagem”. A escola não se acaba por conta das tecnologias, ela vai continuar a ser a instituição social fundamental para a formação pessoal, social cultural das novas gerações, como afirma, “a escola, tal como a conhecemos hoje, terá inevitavelmente que mudar e será, com grande probabilidade, irreconhecível dentro de algumas décadas”. Essas transformações, no entanto, vão ocorrer gradualmente, e não retirará da escola sua função principal em relação à educação das atuais e das novas gerações. Independente da forma das escolas no futuro pode-se supor que elas terão na interação social, o “elemento fundamental da construção do conhecimento e na definição das identidades sociais e individuais” Utiliza-se ferramenta de multimídia de maneira prática onde os professores e os alunos estejam familiarizados, como DVD, televisão, som, computador, máquinas digitais tornando as aulas participativas com troca de experiências, pode ser utilizada conforme o conteúdo desenvolvido, como: histórias infantis (dramatização), música (expressão corporal), declamação (poesias), entre outros. Enfim verifica-se que o uso correto abre caminhos para o real desenvolvimento do educando, tornando-o critico, desinibindo-o e formando seu conhecimento pela suas próprias experiências. Nota-se que as oportunidades de informação utilizando os recursos de multimídia são variados, pois os mesmos são maneiras de melhorar o aprendizado e não a única forma de ensinar. Enfrenta-se todo dia desafios da realidade educacional tanto da escola, professor e aluno. Para Rathbone: (1995, p.9) “a palavra multimídia significa simplesmente algo que consegue se comunicar de várias maneiras”.
  • 5. No entanto Wilke (1995, p.10) diz que: A multimídia significa a integração de fala, texto, vídeo, áudio, telecomunicações, eletrônica de diversão e tecnologia de computador, o que significa profunda mudança das formas conhecidas de comunicação humana, e que a integração na multimídia é baseada em condições técnicas, ou seja, inovações tecnológicas sempre aceleram a comunicação e a torna mais completa, versátil e eficaz. São recursos importantes para o conhecimento e aprendizagem do aluno, por isso deve-se estar ciente da necessidade de planejar as atividades que vão ser desenvolvidas no ano letivo, selecionando os recursos como: videos, imagens, som, histórias variando os recursos disponíveis e a metodologia para exposição em sala de aula. Verifica-se a necessidade de analisar os videos, os programas televisivos, as músicas, as histórias antes de serem apresentadas às crianças, direcionado a faixa etária da qual deseja-se atingir, proporcionando condições onde o aluno expresse sua criatividade, potencialidades e demonstre seu aprendizado. Com as tecnologias que contribuem para aprendizagem na Educação Infantil, destac a-se o objeto de aprendizagem., com auxílio do profissional interage para a formação do conhecimento. 2 OBJETO DE APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL Em referencia ao objeto de aprendizagem, não existe um conceito geral, aceito universalmente, pois, há diferentes definições em estudo. Segundo Muzio et al (apud Cisco 2001)"Um granular, reutilizável pedaço de informação independente de mídia", o mesmo autor define como "Objetos educacionais, objeto independente, componente de treinamento, pepita ou pedaço". Ainda segundo Muzio et al (apud South and Monson (2001)) utiliza o termo objeto de comunicação e o define como: "Objeto de comunicação”, o qual é designado e/ou utilizado para propósitos instrucionais. Conforme Beck (2002, p.1) (apud David A. Wiley) apresenta Objetos de Aprendizado como sendo: “qualquer recurso digital que possa ser reutilizado para o suporte ao ensino”. O objeto de aprendizagem busca o entendimento da atividade proposta, logo, verifica, retoma e até mesmo refaz a atividade avaliando sua produtividade para apoio a aprendizagem..
  • 6. Ao pensar sobre objeto de aprendizagem este deve ser planejado conforme a necessidade do público alvo que se deseja alcançar, verificar a metodologia utilizada na elaboração dos recursos digitais e, utilizar diferentes objetos de aprendizagem tais como: o acesso ao site do RIVED (Rede Interativa Virtual de Educação) programa vinculado a Secretaria de Educação à Distância-SEED, do Ministério da Educação – MEC, para isso basta indicar a área do conhecimento, tema e o nível de ensino que deve ser direcionado. Nota-se também que muitos profissionais diante de suas necessidades constroem seus objetos de aprendizagem, ao proporcionar ao aluno uma atividade próxima de sua construção de mundo. .Em se tratando de recursos a serem utilizados com o objeto de aprendizagem a maioria das escolas disponibiliza a televisão e DVD, e estes servem de instrumentos de aprendizagem, pois os mesmos auxiliam na atenção e memória da criança, quando são explorados de maneira correta pelo profissional da educação e não apenas como um meio de recreação ou para preencher horários. 3 TELEVISÃO E DVD A televisão e o DVD são importantes recursos, precisam ser explorados e vistos como uma possibilidade a mais de colaborar com a aprendizagem, pois se sabe que a criança vê seu mundo conforme suas experiências, logo, devem ser verificadas o que esta sendo proposto para o aluno. Após assistir um DVD, um programa de TV, podem-se oferecer atividades para exploração do recurso, nesse momento observa-se o conhecimento adquirido através da vivência do educando. A criança forma-se conforme recebe as informações e experiencia construindo seu aprendizado. Segundo Guattari (1993, p.80): A subjetividade da criança vai sendo constituída no cruzamento de inúmeros “sistemas de modelização”: “o de sua família, o de seus fantasmas próprios, o das narrativas televisivas, o dos desenhos animados, da escola, com os grupos sociais no seio dos quais ela é inserida”. Estes recursos devem ser criativos proporcionando meios que despertem interesse no trabalho e em assistir o proposto, por exemplo: assistir a história dos “Três Porquinhos”; Após conversar sobre o que aconteceu no filme, porquê, onde, como eles foram viver, depois dramatizar, criar uma história, filmar suas apresentações, dessa
  • 7. maneira pode-se continuar com infinitas atividades todas buscando o desenvolver do aluno como um todo. É importante refletir que o sucesso quanto à aprendizagem se dará à medida que o aluno tiver interesse em aprender e o material exposto seja realmente significativo. Evidente que o professor além de falar, ouvir, deve oferecer experiências variadas, após assistir o filme poderá contar histórias através do livro infantil, recurso este que proporciona uma aprendizagem significativa de uma forma mais rápida desenvolve a linguagem e a expressão gestual, pois através do ouvir e do expressar-se oralmente o aluno tende a representar os conhecimentos adquiridos, interpretando de maneira pessoal o que entendeu da história que ouviu através do professor. 4 LIVRO INFANTIL Outro recurso importante no desenvolvimento do aluno é o livro de histórias infantis. Este poderá ser com textos ou apenas com imagens, despertará o interesse através das ilustrações, a expressão e a entonação dada no momento do conto. Neste processo, pode-se utilizar materiais variados, como bonecas, brinquedos, caixas como cenário, fantoches, fotos, gravuras de revistas, enfim realizar uma explanação da história que oportunize ao aluno imaginar, dramatizar, desenhar, criar outras histórias com os personagens descritos na mesma, onde ele possa sentir-se um autor de histórias conforme suas experiências e vivências, demonstrar sua oralidade, expressão e envolvimento com o que foi construido norteando de uma alegria que contagie aos demais colegas. Segundo Kuhlmann (1999, p.65) “Ver a infância como momento de expressão, de concretização e de experimentação, no qual o conhecimento deste mundo “envolve o afeto, o prazer e o desprazer, a fantasia, o brincar e o movimento, a poesia, as ciências, as artes plásticas e dramáticas , a linguagem, a música, a matemática. Que para ela, a brincadeira é uma forma de linguagem, assim como a linguagem é forma de brincadeira.” Constata-se que é nessa fase que deve-se incentivar as crianças com as histórias e assim, despertar o interesse pelas palavras e após a leitura, auxiliar o seu desenvolvimento como ser humano. Segundo a autora Paley (1990, p.6) “a brincadeira e seu indispensável cerne narrativo são as realidades fundamentais na pré-escola e na creche.” e a criança que brinca está sempre inventando enredos, como um dramaturgo, ou tentando se inserir nos enredos
  • 8. propostos pelos colegas. A brincadeira narrativa é uma prática intensamente social, nutrindo-se das interrupções, colaborações e do diálogo que ocorrem na cultura da sala de aula. Diz ainda Paley (1990, p21, 23) Esse tipo de narração é um fenômeno social, destinado a fluir por entre todas as outras atividades e a fornecer a mais ampla oportunidade para respostas comunitárias. As histórias não são assuntos privados; a imaginação individual acolhe todos os estímulos do ambiente e faz reverberar idéias em torno dos ouvintes. (...) É um processo compartilhado, uma instituição cultural primordial, a arte social da linguagem . Sabe-se que outro recurso que auxilia na exploração do livro infantil, no contar histórias é a arte de cantar, pois através da música se desperta o interesse pela história. As crianças apresentam certa facilidade em memorizar fatos quando estes vêm acompanhados da música, são receptivas ao cantar. 5 MÚSICA A música é de grande importância para o desenvolvimento da criança, com ela pratica-se a ludicidade, através de estímulos, gestos, ritmos, percepção, auxilia na socialização com trabalho em equipe, contribui para o desenvolvimento da inteligência e a formação do ser. A musicalização pode contribuir no processo de aprendizagem, oportunizando o desenvolvimento cognitivo, lingüístico, psicomotor e sócio-afetivo da criança. Para Bréscia (2003) [...] “o aprendizado de musica, além de favorecer o desenvolvimento afetivo da criança, amplia a atividade cerebral, melhora o desempenho escolar dos alunos e contribui para integrar socialmente o indivíduo”. Salienta-se que música e dança caminham e desenvolvem-se juntas, sem dúvida é algo nato, que lhe proporciona gosto através das brincadeiras, combinando movimento e ritmo com auxilio ao desenvolvimento corporal da criança. Conforme Lima e Laginski (2008) A música tem que ser entendida como uma linguagem e não como uma forma de estratégia para banalizá-la. Tem que mostrar um amplo universo de sons para o aluno. Isso vai ajudá-lo a ampliar seus sentidos, como a visão, o tato e, principalmente, a audição. Nosso propósito com essas aulas não é o de formar músicos profissionais, mas como música é cultura, ela vai despertar nessa pessoa também o senso crítico, fazendo com que esse indivíduo não aceite passivamente todo esse material cultural descartável.
  • 9. As músicas podem ser selecionadas conforme o tema que o profissional deseja desenvolver, em seus diversos gêneros tornando um momento de alegria e de aprendizagem para a criança. Poderá utilizar instrumentos músicais e, também, confeccioná-los com material de sucata oportunizando a criança conhecer seus diferentes sons. 6 ESTUDO DE CASO Descrevendo o Projeto Trabalhando Cecília Meireles, executada pela Escola Municipal Infantil localizada no municipio de Sant’Ana do Livramento, realizada entre todos os profissionais da escola e os alunos. Projeto esse que surgiu da solicitação da Secretaria Municipal de Educação, onde todas as escolas trabalhariam com determinado autor, enfatizando a literatura infantil, sendo determinada por meio de sorteio, a escola recebeu como tema o estudo das obras de Cecília Meireles o qual deveria ser desenvolvido ao longo do ano, e como culminância seria realizada um Festival Artístico e Cultural no mês de Outubro, onde as escolas deveriam apresentar o autor estuda através de uma de suas obras. Determinou-se como objetivo oportunizar aos alunos conhecer e vivenciar as poesias da escritora Cecília Meireles entre elas destacou – se Colar de Carolina, O Cavalinho Branco, Leilão de Jardim, O Mosquito Escreve, Sonhos da Menina, O Menino Azul, Vestido de Laura etc. Todas essas poesias foram trabalhadas de forma oral através da hora do conto e logo após os alunos puderam demonstrar o que haviam entendido das mesmas, realizando pequenas dramatizações e recontando a história com suas palavras, momento em que a professora explorou os personagens principais bem como a mensagem das poesias. Por tratar-se de poesias procurou-se utilizar os demais recursos tecnológicos, como; Interface das poesias, painéis, músicas, desenhos, os mais variados recursos. A escola optou por realizar uma votação para que pudessem definir qual das poesias seria a escolhida para ser apresentada pelos alunos na culminância do projeto. A votação aconteceu entre alunos e professores da escola sendo que a vencedora foi: “Leilão de Jardim”. Para o projeto obter o êxito desejado foi necessário utilizar-se de investigação, observação diária, conversas com os alunos, onde os mesmos demonstravam curiosidades, através das brincadeiras, declamação de versos, ouviram histórias, jogaram
  • 10. e cantaram, através do contato de outras mídias além dos livros, como o rádio, a televisão, o vídeo, a câmera digital, e até o computador. Uma das turmas da Educação Infantil após assistirem um DVD onde lhes foi apresentada a obra o Cavalinho Branco da referida autora, os mesmos passaram a trabalhar no tema que foi abordado nesta poesia. Sendo que a turma explorou o assunto de forma oral, comentando sobre os fatos que mais lhe chamaram a atenção. Logo após, a professora auxiliada por uma monitora foi com os alunos para a sala de direção da escola, onde existe dois computadores que foram disponibilizados para que as crianças pudessem desenhar utilizando o programa Paint. Foi muito interessante o trabalho e para registrar esse momento os desenhos foram impressos e expostos no painel da escola. Durante as atividades, as crianças foram registrando através da câmera digital todos os momentos que se envolveram na construção das atividades. Outra atividade proposta para a turma em relação à poesia estudada, foi a confecção de máscaras com os personagens que fazem parte da obra. Para a culminância deste projeto um grupo dramatizou a poesia, através da declamação que foi introduzida uma melodia na letra da poesia, onde os alunos representaram em grupos os animais, as flores os fatos descritos na poesia. Com este trabalho foi possível aos alunos desenvolver-se através da expressão corporal, liguagem oral e visual. Despertando em todas as atividades a criatividade e sensibilidade, de forma participativa, com desenhos, pintura e colagem. A equipe de profissionais confeccionou a interface de apresentação e as fantasias que os alunos iriam usar. Como pode ser visto na figura 1. Figura1-Interface confecionada pelos profissionais da escola para o Festival cultural
  • 11. Destaca-se o interesse e a felicidade dos alunos em participar da execução do projeto, com sua desenvoltura, no processo coletivo, leva a reflexão de que a Educação Infantil por simples que sejam os procedimentos realizados, querendo ou não, os diferentes recursos tecnológicos fazem-se presentes como estratégias pedagógicas. 7 CONSIDERAÇÕES FINAIS Ao desenvolver este artigo verifica-se a grande importância do uso dos recursos de multimídia em sala de aula na Educação Infantil, pois os mesmos auxiliam no desenvolvimento da criança, despertando a criatividade, a espontaneidade, a concentração e a autonomia para que o aluno possa interagir na construção de seu conhecimento.O aluno torna-se capaz de buscar alternativas para a resolução de pequenos problemas e a interferência do professor contribui a medida em que disponibiliza recursos diversificados em suas atividades didáticas. Nota-se a responsabilidade que os profissionais de Educação Infantil têm, em inserir os recursos de multimídia na sala de aula, e não usando somente por passar tempo e sim explorar a produtividade dos mesmos. Todos os recursos bem aplicados são de grande proveito para o desenvolvimento do ser humano, pois tanto no uso do recurso televisivo, objeto de aprendizagem, audio, dança, estes auxiliam em formar uma criança sensível, desinibida, com autonomia para enfrentar o seu dia a dia. Nota-se hoje que os profissionais da educação terão que usufruir de meios que beneficie os processos de ensino aprendizagem, de maneira sensata, equilibrada buscando o fortalecimento da tecnologia na educação. Percebe-se que a criança ao ingressar na Educação Infantil, possui prévio conhecimento que influência em sua nova aquisição de conhecimento, com auxílio das atividades propostas, com ludicidade em todos os momentos. Conclui-se que o uso dos recursos de multimídia desperta o interesse, o diálogo, a dramatização, a memória, a coordenação motora, a disciplina em fim proporciona um desenvolvimento integral do ser humano. No entanto, a utilização destes recursos por parte dos profissionais da educação ainda estão muito aquém do esperado, pois um dos entraves que se apresenta é a falta
  • 12. de capacitação, ou melhor, a formação destes para o uso das tecnologias como recursos viáveis na aprendizagem do aluno. Como reflexão deixa-se aqui este questionamento: até quando poderão se excluir os educandos do mundo tecnológico? REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BRASIL, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDB, nº.5692 de 1998. BECK, R.J. Learning Objects: What?. Center for Internation Education. University of Winsconsin. Milwaukee. 2001. BRÉSCIA, Vera Lúcia Pessagno. Educação Musical: bases psicológicas e ação preventiva. São Paulo: Átomo, 2003. GUATTARI, Felix: Caosmose:um novo paradigma estético. São Paulo: Editora 34, 1993 KUHLMANN JR, Moyés. (1999) Educação Infantil e Currículo. In:FARIA, Ana Lúcia G; PALHARES, Maria S. (orgs.). Educação Infantil Pós-LDB: Rumos e Desafios. ed. 4. (Coleção Polêmicas do Nosso Tempo, 62) Campinas: Autores Associados. p.51-65. LAGINSKI, F. A importância da música na educação. Disponível em: http://www.parana-online.com.br/editoria/almanaque/news/320514/ acessado em 28/08/2010. MORAN, José Manuel. Como ver televisão. Leitura crítica dos meios de comunicação. São Paulo: Edições Paulinas 1991. MOYLES, Janet R. Só Brincar? O papel do brincar na educação infantil. Arimed, 2002. MUZIO, J.; HEINS, T.; MUNDELL, R. Experiences with Reusable eLearning Objects: From Theory to Practice. Victoria, Canadá. 2001. PALEY, Vivian Gussin: The Boy Who Would Be a Helicopter: the uses of storytelling in the classroom. Cambridge: Harvard University Press, 1990.
  • 13. PONTE, João P. Tecnologias de Informação e Comunicação na formação de professores: Que desafios? In: http://www.campus-oei.org/revista/rie24 a23.htm (25/02/04). RATHBONE, Andy. Multimídia e CD-ROM para leigos. São Paulo: Berkeley, 1995. WILKE, Jürgen. Perspectivas Globais Da Sociedade Da Informação. Fundação Konrad- Adenauer-Stiftung, São Paulo, 1995. Fatima Valderes Viana Machado Farias- fatima19672008@hotmail.com Marcos Luis Cassal- marcos.cassal@gmail.com