SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 9
Balanced Scorecard

É uma metodologia de medição e gestão de desempenho desenvolvida pelos
professores da Harvard Business School, Robert Kaplan e David Norton, em 1992.
Os métodos usados na gestão do negócio, dos serviços e da infra-estrutura,
baseiam-se normalmente em metodologias consagradas que podem utilizar a TI
(tecnologia da informação) e os softwares de ERP como soluções de apoio,
relacionando-a a gerência de serviços e garantia de resultados do negócio. Os
passos dessas metodologias incluem: definição da estratégia empresarial, gerência
do negócio, gerência de serviços e gestão da qualidade; passos estes
implementados através de indicadores de desempenho.

O Balanced Scorecard foi apresentado inicialmente como um modelo de avaliação e
performance empresarial, porém, a aplicação em empresas proporcionou seu
desenvolvimento para uma metodologia de gestão estratégica.

Os requisitos para definição desses indicadores tratam dos processos de um modelo
da administração de serviços e busca da maximização dos resultados baseados em
quatro perspectivas que refletem a visão e estratégia empresarial:

   - financeira;

   - clientes;

   - processos internos;

   - aprendizado e crescimento.

É um projeto lógico de um sistema de gestão genérico para organizações, onde o
administrador de empresas deve definir e implementar (através de um sistema de
informação, por exemplo) variáveis de controle, metas e interpretações para que a
organização apresente desempenho positivo e crescimento ao longo do tempo.

BSC (Balanced Scorecard) é uma sigla que pode ser traduzida para Indicadores
Balanceados de Desempenho, ou ainda para Campos (1998), Cenário Balanceado.
O termo “Indicadores Balanceados” se dá ao fato da escolha dos indicadores de
uma organização não se restringirem unicamente no foco econômico-financeiro, as
organizações também se utilizam de indicadores focados em ativos intangíveis
como: desempenho de mercado junto a clientes, desempenhos dos processos
internos e pessoas, inovação e tecnologia. Isto porque o somatório destes fatores
alavancará o desempenho desejado pelas organizações, conseqüentemente criando
valor futuro.

Segundo Kaplan e Norton (1997, p. 25), o Balanced Scorecard reflete o equilíbrio
entre objetivos de curto e longo prazo, entre medidas financeiras e não-financeiras,
entre indicadores de tendências e ocorrências e, ainda, entre as perspectivas interna
e externa de desempenho. Este conjunto abrangente de medidas serve de base
para o sistema de medição e gestão estratégica por meio do qual o desempenho
organizacional é mensurado de maneira equilibrada sob as quatro perspectivas.
Dessa forma contribui para que as empresas acompanhem o desempenho
financeiro, monitorando, ao mesmo tempo, o progresso na construção de
capacidades e na aquisição dos ativos intangíveis necessários para o crescimento
futuro.

Portanto, a partir de uma visão balanceada e integrada de uma organização, o BSC
permite descrever a estratégia de forma muito clara, por intermédio de quatro
perspectivas: financeira; clientes; processos internos; aprendizado e crescimento.
Sendo que todos se interligam entre si, formando uma relação de causa e efeito.

Desde que foi criado, o BSC vem sendo utilizado por centenas de organizações do
setor privado, público e em ONG’s no mundo inteiro e foi escolhido pela renomada
revista Harvard Business Review como uma das práticas de gestão mais
importantes e revolucionárias dos últimos 75 anos.




                                   Análise Swot

A Análise Swot é uma ferramenta utilizada para fazer análise de cenário (ou análise
de ambiente), sendo usado como base para gestão e planejamento estratégico de
uma corporação ou empresa, mas podendo, devido a sua simplicidade, ser utilizada
para qualquer tipo de análise de cenário, desde a criação de um blog à gestão de
uma multinacional.
A Análise SWOT é um sistema simples para posicionar ou verificar a posição
estratégica da empresa no ambiente em questão. A técnica é creditada a Albert
Humphrey, que liderou um projeto de pesquisa na Universidade de Stanford nas
décadas de 1960 e 1970, usando dados da revista Fortune das 500 maiores
corporações.




O termo SWOT é uma sigla oriunda do idioma inglês, e é um acrónimo de Forças
(Strengths), Fraquezas (Weaknesses), Oportunidades (Opportunities) e Ameaças
(Threats).

Não há registros precisos sobre a origem desse tipo de análise, segundo PÚBLIO
(2008) a análise SWOT foi criada por dois professores da Harvard Business School:
Kennet Andrews e Roland Christensen. Por outro lado, TARAPANOFF (2001:209)
indica que a idéia da análise SWOT já era utilizada há mais de dois mil anos quando
cita em uma epígrafe um conselho de Sun Tzu: "Concentre-se nos pontos fortes,
reconheça as fraquezas, agarre as oportunidades e proteja-se contra as ameaças "
(SUN TZU, 500 a.C.)

Objetivos e vantagens da análise Swot:

Objetivos

- Efetuar uma síntese das análises internas e externas;

- Identificar elementos chave para a gestão da empresa, o que implica estabelecer
prioridades de atuação;

- Preparar opções estratégicas: riscos, problemas a resolver.

Vantagens e Oportunidades

- Realizar previsão de vendas em articulação com as condições de mercado e
capacidades da empresa

Esta análise de cenário se divide em:
Ambiente interno (Forças e Fraquezas) - Principais aspectos, que diferencia a
empresa dos seus concorrentes (decisões e níveis de performance que se pode
gerir).

Ambiente externo (Oportunidades e Ameaças)- Corresponde às perspectivas de
evolução de mercado; Fatores provenientes de mercado e meio envolvente
(decisões e circunstâncias externas ao poder de decisão da empresa). As forças e
fraquezas são determinadas pela posição atual da empresa e se relacionam, quase
sempre, a fatores internos. Já as oportunidades e ameaças são antecipações do
futuro e estão relacionadas a fatores externos.




                                   Brainstorming

O brainstorming (literalmente: "tempestade cerebral" em inglês) ou tempestade de
idéias, mais que uma técnica de dinâmica de grupo, é uma atividade desenvolvida
para explorar a potencialidade criativa de um indivíduo ou de um grupo - criatividade
em equipe - colocando-a a serviço de objetivos pré-determinados.

Dentre diversos outros métodos, a técnica de brainstorming propõe que um grupo de
pessoas - de duas até dez pessoas - se reúnam e se utilizem das diferenças em
seus pensamentos e idéias para que possam chegar a um denominador comum
eficaz e com qualidade, gerando assim idéias inovadoras que levem o projeto
adiante.

É preferível que as pessoas que se envolvam nesse método sejam de setores e
competências diferentes, pois suas experiências diversas podem colaborar com a
"tempestade de idéias" que se forma ao longo do processo de sugestões e
discussões. Nenhuma idéia é descartada ou julgada como errada ou absurda. Todas
as idéias são ouvidas e trazidas até o processo de brainwriting, que se constitui na
anotação de todas as idéias ocorridas no processo de brainstorming, em uma
reunião com alguns participantes da sessão de brainstorming, e assim evoluindo as
idéias até a chegada da solução efetiva.
Quando se necessita de respostas rápidas a questões relativamente simples, o
brainstorming é uma das técnicas mais populares e eficazes. Esta técnica vem
sendo difundida e inserida ainda em diversas outras áreas, tais como educação,
negócios, informática, internet e outras situações mais técnicas.

A técnica de brainstorming tem várias aplicações, mas é frequentemente usada em:

- Desenvolvimento de novos produtos - obter idéias para novos produtos e efetuar
melhoramentos aos produtos existentes.

- Publicidade - desenvolver idéias para campanhas de publicidade.

- Resolução de problemas - consequências, soluções alternativas, análise de
impacto, avaliação.

- Gestão de processos - encontrar formas de melhorar os processos comerciais e de
produção.

- Gestão de projetos - identificar objetivos dos clientes, riscos, entregas, pacotes de
trabalho, recursos, tarefas e responsabilidades.

- Formação de equipes - geração de partilha e discussão de idéias enquanto se
estimulam os participantes a raciocinar e a criar criatividade em equipe.

Há três principais partes no brainstorming:

- Encontrar os fatos;

- Geração da idéia;

- Encontrar a solução.

Da busca dos fatos na resolução de um problema existem duas sub partes:

- Definição do problema;

- Preparação.
Inicialmente, define-se o problema. Poderá ser necessário subdividir o problema em
várias partes. A técnica de Brainstorming funciona para problemas que têm muitas
soluções possíveis tal como a geração de idéias para o seu desenho.

Depois é necessário colher toda a informação que pode relacionar-se com o
problema.

Geração de idéias por brainstorming.

Busca da solução. Avaliar e selecionar as melhores idéias.




                         TQM - Gestão da Qualidade Total

A gestão da qualidade total (em língua inglesa "Total Quality Management" ou
simplesmente "TQM") consiste numa estratégia de administração orientada a criar
consciência da qualidade em todos os processos organizacionais.

É referida como "total", uma vez que o seu objetivo é a implicação não apenas de
todos os escalões de uma organização, mas também da organização estendida, ou
seja, seus fornecedores, distribuidores e demais parceiros de negócios.

Compõe-se de diversos estágios, como por exemplo, o planejamento, a
organização, o controle e a liderança.

A Toyota, no Japão, foi primeira organização a empregar o conceito de "TQM",
superando a etapa do fordismo, onde esta responsabilidade era limitada apenas ao
nível da gestão. No "TQM" os colaboradores da organização possuem uma gama
mais ampla de atribuições, cada um sendo diretamente responsável pela
consecução     dos objetivos   da   organização. Desse modo, a comunicação
organizacional, em todos os níveis, torna-se uma peça-chave da dinâmica da
organização.

Tem sido amplamente utilizada, na atualidade, por organizações públicas e privadas,
de qualquer porte, em materiais, produtos, processos ou serviços. A conscientização
e a busca da qualidade e do reconhecimento da sua importância tornaram a
certificação dos sistemas de gerenciamento da qualidade indispensável uma vez
que:

- Aumenta a satisfação e a confiança dos clientes;

- Aumenta a produtividade;

- Reduz os custos internos;

- Melhora a imagem e os processos de modo contínuo;

- Possibilita acesso mais fácil a novos mercados.

A certificação permite avaliar as conformidades determinadas pela organização
através de processos internos, garantindo ao cliente um material, processo, produto
ou serviço concebido conforme padrões, procedimentos e normas.

Uma organização que se propõe a implementar uma política de gestão voltada para
a "qualidade total" tem consciência de que a sua trajetória deve ser reavaliada
periodicamente.

O objetivo último das organizações humanas é assegurar a sobrevivência da
espécie. Por analogia, a finalidade última de qualquer organização, nomeadamente
de uma do tipo empresarial é sobreviver. A condição “sine qua non” para que uma
empresa possa executar os objetivos pretendidos pelos seus proprietários,
administradores ou acionistas é que ela exista, que esteja viva. Caso esta condição
não se verifique, nenhum dos objetivos pode ser perseguido, muito menos
alcançado.

A gestão da qualidade aponta para a preferência do consumidor, o que aumenta a
produtividade, levando a uma maior competitividade e assegurando a sobrevivência
das empresas. Podemos definir qualidade de inúmeras formas. Podemos considerar
que é um atributo essencial e diferenciador de alguma coisa ou de alguém, como
uma medida de valor ou excelência, como a adequação ao uso, tal como J.M.Muran
a definiu, como “conformidade com as situações, nas palavras de P.B.Crosby, ou
ainda, usando as palavras de Vicente Falconi, “um produto ou serviço com qualidade
é aquele que atende sempre perfeitamente e de forma confiável, de forma acessível,
de forma segura e no tempo certo às necessidades do cliente”.

Os princípios básicos da qualidade total são:

- Produzir bens ou serviços que respondam concretamente às necessidades dos
clientes;

- Garantir a sobrevivência da empresa por meio de um lucro continuo obtido com o
domínio da qualidade;

- Identificar o problema mais crítico e solucioná-lo pela mais elevada prioridade
(Pareto);

- Falar, raciocinar e decidir com dados e com base em fatos;

- Administrar a empresa ao longo do processo e não por resultados;

- Reduzir metodicamente as dispersões por meio do isolamento das causas
fundamentais;

- O cliente é Rei. Não se permitir servi-lo se não com produtos de qualidade;

- A prevenção deve ser a tão montante quanto possível;

- Na lógica anglo-saxônica de “trial and error”, nunca permitir que um problema se
repita.
Trabalho gestao camila

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Noções básicas de estratega empresarial
Noções básicas de estratega empresarialNoções básicas de estratega empresarial
Noções básicas de estratega empresarialUniversidade Pedagogica
 
Estrategias Empresariais
Estrategias EmpresariaisEstrategias Empresariais
Estrategias EmpresariaisCarlaCurcio
 
Planejamento Estratégico
Planejamento EstratégicoPlanejamento Estratégico
Planejamento Estratégicoalemartins10
 
Gestão Estratégica
Gestão EstratégicaGestão Estratégica
Gestão EstratégicaPBNP_
 
Resumo estratégias empresariais
Resumo estratégias empresariaisResumo estratégias empresariais
Resumo estratégias empresariaisJazon Pereira
 
Planejamento estrategico
Planejamento estrategicoPlanejamento estrategico
Planejamento estrategicofalcao_raphael
 
Aula 1 conceitos, planejamento e filosofia
Aula 1   conceitos, planejamento e filosofiaAula 1   conceitos, planejamento e filosofia
Aula 1 conceitos, planejamento e filosofiaAntonio Lobosco
 
1026 planejamento tático e operacional
1026 planejamento tático e operacional1026 planejamento tático e operacional
1026 planejamento tático e operacionalCarine Fraga Paiva
 
Criação e gestão de indicadores processo 2a parte
Criação e gestão de indicadores processo   2a parteCriação e gestão de indicadores processo   2a parte
Criação e gestão de indicadores processo 2a partePriscila Nogueira
 
MóDulo 16 ImplantaçãO Da GestãO EstratéGica 14jul08 Ok
MóDulo 16   ImplantaçãO Da GestãO EstratéGica 14jul08   OkMóDulo 16   ImplantaçãO Da GestãO EstratéGica 14jul08   Ok
MóDulo 16 ImplantaçãO Da GestãO EstratéGica 14jul08 Okjoaovieira
 
23544 EstratéGia Empresarial E GestãO De Rh Slides 1
23544 EstratéGia Empresarial E GestãO De Rh Slides 123544 EstratéGia Empresarial E GestãO De Rh Slides 1
23544 EstratéGia Empresarial E GestãO De Rh Slides 1guest06f340
 
Slide planejamento estratégico
Slide planejamento estratégicoSlide planejamento estratégico
Slide planejamento estratégicoLarissa_cog
 
1.2 estrategia empresarial material inicial
1.2 estrategia empresarial material inicial1.2 estrategia empresarial material inicial
1.2 estrategia empresarial material inicialseunoura
 
05 MóDulo 5 TransformaçãO EstratéGica Ok
05 MóDulo 5   TransformaçãO EstratéGica   Ok05 MóDulo 5   TransformaçãO EstratéGica   Ok
05 MóDulo 5 TransformaçãO EstratéGica Okjoaovieira
 

Mais procurados (20)

Noções básicas de estratega empresarial
Noções básicas de estratega empresarialNoções básicas de estratega empresarial
Noções básicas de estratega empresarial
 
Fgbsc
FgbscFgbsc
Fgbsc
 
Estrategias Empresariais
Estrategias EmpresariaisEstrategias Empresariais
Estrategias Empresariais
 
Planejamento Estratégico
Planejamento EstratégicoPlanejamento Estratégico
Planejamento Estratégico
 
Gestão Estratégica
Gestão EstratégicaGestão Estratégica
Gestão Estratégica
 
Estratégia empresarial
Estratégia empresarialEstratégia empresarial
Estratégia empresarial
 
Resumo estratégias empresariais
Resumo estratégias empresariaisResumo estratégias empresariais
Resumo estratégias empresariais
 
Planejamento estrategico
Planejamento estrategicoPlanejamento estrategico
Planejamento estrategico
 
Aula 1 conceitos, planejamento e filosofia
Aula 1   conceitos, planejamento e filosofiaAula 1   conceitos, planejamento e filosofia
Aula 1 conceitos, planejamento e filosofia
 
1026 planejamento tático e operacional
1026 planejamento tático e operacional1026 planejamento tático e operacional
1026 planejamento tático e operacional
 
performance prism x balanced scorecard
performance prism x balanced scorecardperformance prism x balanced scorecard
performance prism x balanced scorecard
 
Criação e gestão de indicadores processo 2a parte
Criação e gestão de indicadores processo   2a parteCriação e gestão de indicadores processo   2a parte
Criação e gestão de indicadores processo 2a parte
 
Planejamento estratégico
Planejamento estratégicoPlanejamento estratégico
Planejamento estratégico
 
MóDulo 16 ImplantaçãO Da GestãO EstratéGica 14jul08 Ok
MóDulo 16   ImplantaçãO Da GestãO EstratéGica 14jul08   OkMóDulo 16   ImplantaçãO Da GestãO EstratéGica 14jul08   Ok
MóDulo 16 ImplantaçãO Da GestãO EstratéGica 14jul08 Ok
 
Estratégias
EstratégiasEstratégias
Estratégias
 
23544 EstratéGia Empresarial E GestãO De Rh Slides 1
23544 EstratéGia Empresarial E GestãO De Rh Slides 123544 EstratéGia Empresarial E GestãO De Rh Slides 1
23544 EstratéGia Empresarial E GestãO De Rh Slides 1
 
Slide planejamento estratégico
Slide planejamento estratégicoSlide planejamento estratégico
Slide planejamento estratégico
 
Planejamento estrategico
Planejamento estrategicoPlanejamento estrategico
Planejamento estrategico
 
1.2 estrategia empresarial material inicial
1.2 estrategia empresarial material inicial1.2 estrategia empresarial material inicial
1.2 estrategia empresarial material inicial
 
05 MóDulo 5 TransformaçãO EstratéGica Ok
05 MóDulo 5   TransformaçãO EstratéGica   Ok05 MóDulo 5   TransformaçãO EstratéGica   Ok
05 MóDulo 5 TransformaçãO EstratéGica Ok
 

Destaque

Exercícios de Química Analítica IV
Exercícios de Química Analítica IVExercícios de Química Analítica IV
Exercícios de Química Analítica IVDébora Solsikke
 
Abonos verdes cuales sembraremos
Abonos verdes cuales sembraremosAbonos verdes cuales sembraremos
Abonos verdes cuales sembraremosHuerto Fito
 
Feliz cumpleaños are
Feliz cumpleaños areFeliz cumpleaños are
Feliz cumpleaños aredechis
 
Algo para que sonrias
Algo para que sonriasAlgo para que sonrias
Algo para que sonriasAseainSpain
 
be In Guarda - Sessão de Envolvimento - Constantino Rei
be In Guarda - Sessão de Envolvimento - Constantino Reibe In Guarda - Sessão de Envolvimento - Constantino Rei
be In Guarda - Sessão de Envolvimento - Constantino ReiPlataforma Empreendedor
 
Auto TSJ de Madrid contra Cabildo de Lanzarote sobre petróleo
Auto TSJ de Madrid contra Cabildo de Lanzarote sobre petróleoAuto TSJ de Madrid contra Cabildo de Lanzarote sobre petróleo
Auto TSJ de Madrid contra Cabildo de Lanzarote sobre petróleoABC_Canarias
 
Apresentação compreinox
Apresentação compreinoxApresentação compreinox
Apresentação compreinoxCompreInox
 
Revista chilena de nutrición
Revista chilena de nutriciónRevista chilena de nutrición
Revista chilena de nutriciónKlisnmann Guamán
 
Conferencia Episcopal - Campaña 2012 de la renta
Conferencia Episcopal - Campaña 2012 de la rentaConferencia Episcopal - Campaña 2012 de la renta
Conferencia Episcopal - Campaña 2012 de la rentaABC_Canarias
 
Embarazo ectópico
Embarazo ectópicoEmbarazo ectópico
Embarazo ectópicoViiviianna
 
Informatic
InformaticInformatic
Informaticdellnira
 

Destaque (20)

Exercícios de Química Analítica IV
Exercícios de Química Analítica IVExercícios de Química Analítica IV
Exercícios de Química Analítica IV
 
Android Wear GDG DevFest Norte 2014
Android Wear GDG DevFest Norte 2014Android Wear GDG DevFest Norte 2014
Android Wear GDG DevFest Norte 2014
 
Abonos verdes cuales sembraremos
Abonos verdes cuales sembraremosAbonos verdes cuales sembraremos
Abonos verdes cuales sembraremos
 
Usihc 70 abrahao
Usihc 70 abrahaoUsihc 70 abrahao
Usihc 70 abrahao
 
Feliz cumpleaños are
Feliz cumpleaños areFeliz cumpleaños are
Feliz cumpleaños are
 
Resta de ángulos
 Resta de ángulos Resta de ángulos
Resta de ángulos
 
Presentación
PresentaciónPresentación
Presentación
 
Algo para que sonrias
Algo para que sonriasAlgo para que sonrias
Algo para que sonrias
 
Antígona
AntígonaAntígona
Antígona
 
Majoral ebc granollers (4)
Majoral ebc granollers (4)Majoral ebc granollers (4)
Majoral ebc granollers (4)
 
Observacionb del pueblo de nulti
Observacionb del pueblo de nultiObservacionb del pueblo de nulti
Observacionb del pueblo de nulti
 
be In Guarda - Sessão de Envolvimento - Constantino Rei
be In Guarda - Sessão de Envolvimento - Constantino Reibe In Guarda - Sessão de Envolvimento - Constantino Rei
be In Guarda - Sessão de Envolvimento - Constantino Rei
 
Hacia una educación online asincrónica
Hacia una educación online asincrónicaHacia una educación online asincrónica
Hacia una educación online asincrónica
 
Auto TSJ de Madrid contra Cabildo de Lanzarote sobre petróleo
Auto TSJ de Madrid contra Cabildo de Lanzarote sobre petróleoAuto TSJ de Madrid contra Cabildo de Lanzarote sobre petróleo
Auto TSJ de Madrid contra Cabildo de Lanzarote sobre petróleo
 
Jânio Monteiro - be IN Algarve
Jânio Monteiro - be IN AlgarveJânio Monteiro - be IN Algarve
Jânio Monteiro - be IN Algarve
 
Apresentação compreinox
Apresentação compreinoxApresentação compreinox
Apresentação compreinox
 
Revista chilena de nutrición
Revista chilena de nutriciónRevista chilena de nutrición
Revista chilena de nutrición
 
Conferencia Episcopal - Campaña 2012 de la renta
Conferencia Episcopal - Campaña 2012 de la rentaConferencia Episcopal - Campaña 2012 de la renta
Conferencia Episcopal - Campaña 2012 de la renta
 
Embarazo ectópico
Embarazo ectópicoEmbarazo ectópico
Embarazo ectópico
 
Informatic
InformaticInformatic
Informatic
 

Semelhante a Trabalho gestao camila

SLIDE_AULA_1_PLANEJAMENTO_ESTRATÉGICO_E_ANÁLISE_DO_CONTEXTO.pptx
SLIDE_AULA_1_PLANEJAMENTO_ESTRATÉGICO_E_ANÁLISE_DO_CONTEXTO.pptxSLIDE_AULA_1_PLANEJAMENTO_ESTRATÉGICO_E_ANÁLISE_DO_CONTEXTO.pptx
SLIDE_AULA_1_PLANEJAMENTO_ESTRATÉGICO_E_ANÁLISE_DO_CONTEXTO.pptxCtiaBombardelli
 
Silide de gestao organizacional atualizado.ppt
Silide de gestao organizacional atualizado.pptSilide de gestao organizacional atualizado.ppt
Silide de gestao organizacional atualizado.pptBrunoGonalves9235
 
Aula 9 ferramentas de gestão estratégica
Aula 9   ferramentas de gestão estratégicaAula 9   ferramentas de gestão estratégica
Aula 9 ferramentas de gestão estratégicaAndraSimoneMachiavel
 
BALANCED SCORECARD
BALANCED SCORECARDBALANCED SCORECARD
BALANCED SCORECARDThomaz Lessa
 
AULA 03 E 04 EMPREENDEDORISMO E INOVAÇÃO.pptx
AULA 03 E 04  EMPREENDEDORISMO  E INOVAÇÃO.pptxAULA 03 E 04  EMPREENDEDORISMO  E INOVAÇÃO.pptx
AULA 03 E 04 EMPREENDEDORISMO E INOVAÇÃO.pptxregissousa14
 
TDC2017 | São Paulo - Trilha Análise de Negócios How we figured out we had a ...
TDC2017 | São Paulo - Trilha Análise de Negócios How we figured out we had a ...TDC2017 | São Paulo - Trilha Análise de Negócios How we figured out we had a ...
TDC2017 | São Paulo - Trilha Análise de Negócios How we figured out we had a ...tdc-globalcode
 
Modelagem das motivações e estratégias do negócio
Modelagem das motivações e estratégias do negócioModelagem das motivações e estratégias do negócio
Modelagem das motivações e estratégias do negócioCentus Consultoria
 
O Segredo para o Sucesso das Equipes de Mehoria Contínua
O Segredo para o Sucesso das Equipes de Mehoria ContínuaO Segredo para o Sucesso das Equipes de Mehoria Contínua
O Segredo para o Sucesso das Equipes de Mehoria ContínuaGerisval Pessoa
 
Os Segredos para o Sucesso das Equipes de Melhoria Contínua nas Organizações
Os Segredos para o Sucesso das Equipes de Melhoria Contínua nas OrganizaçõesOs Segredos para o Sucesso das Equipes de Melhoria Contínua nas Organizações
Os Segredos para o Sucesso das Equipes de Melhoria Contínua nas OrganizaçõesGerisval Pessoa
 
DiagnóStico De Design Roteiro De Briefing
DiagnóStico De Design Roteiro De BriefingDiagnóStico De Design Roteiro De Briefing
DiagnóStico De Design Roteiro De Briefinggraziellacarrara
 
Planejamento Estratégico
Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico
Planejamento Estratégico Adeildo Caboclo
 
Jl kugler gestao_estrategica_indicadores_desempenho[1]
Jl kugler gestao_estrategica_indicadores_desempenho[1]Jl kugler gestao_estrategica_indicadores_desempenho[1]
Jl kugler gestao_estrategica_indicadores_desempenho[1]André Sant'Anna Vasques
 
Pronatec vendedor - mkt#3
Pronatec   vendedor - mkt#3Pronatec   vendedor - mkt#3
Pronatec vendedor - mkt#3Andrea Fiuza
 

Semelhante a Trabalho gestao camila (20)

Planeamento de marketing
Planeamento de marketingPlaneamento de marketing
Planeamento de marketing
 
SLIDE_AULA_1_PLANEJAMENTO_ESTRATÉGICO_E_ANÁLISE_DO_CONTEXTO.pptx
SLIDE_AULA_1_PLANEJAMENTO_ESTRATÉGICO_E_ANÁLISE_DO_CONTEXTO.pptxSLIDE_AULA_1_PLANEJAMENTO_ESTRATÉGICO_E_ANÁLISE_DO_CONTEXTO.pptx
SLIDE_AULA_1_PLANEJAMENTO_ESTRATÉGICO_E_ANÁLISE_DO_CONTEXTO.pptx
 
Silide de gestao organizacional atualizado.ppt
Silide de gestao organizacional atualizado.pptSilide de gestao organizacional atualizado.ppt
Silide de gestao organizacional atualizado.ppt
 
Aula 9 ferramentas de gestão estratégica
Aula 9   ferramentas de gestão estratégicaAula 9   ferramentas de gestão estratégica
Aula 9 ferramentas de gestão estratégica
 
BALANCED SCORECARD
BALANCED SCORECARDBALANCED SCORECARD
BALANCED SCORECARD
 
Trabalho gti
Trabalho gtiTrabalho gti
Trabalho gti
 
AULA 03 E 04 EMPREENDEDORISMO E INOVAÇÃO.pptx
AULA 03 E 04  EMPREENDEDORISMO  E INOVAÇÃO.pptxAULA 03 E 04  EMPREENDEDORISMO  E INOVAÇÃO.pptx
AULA 03 E 04 EMPREENDEDORISMO E INOVAÇÃO.pptx
 
Aula 03 Planejamento e Controle de Obras
Aula 03 Planejamento e Controle de ObrasAula 03 Planejamento e Controle de Obras
Aula 03 Planejamento e Controle de Obras
 
TDC2017 | São Paulo - Trilha Análise de Negócios How we figured out we had a ...
TDC2017 | São Paulo - Trilha Análise de Negócios How we figured out we had a ...TDC2017 | São Paulo - Trilha Análise de Negócios How we figured out we had a ...
TDC2017 | São Paulo - Trilha Análise de Negócios How we figured out we had a ...
 
Modelagem das motivações e estratégias do negócio
Modelagem das motivações e estratégias do negócioModelagem das motivações e estratégias do negócio
Modelagem das motivações e estratégias do negócio
 
O Segredo para o Sucesso das Equipes de Mehoria Contínua
O Segredo para o Sucesso das Equipes de Mehoria ContínuaO Segredo para o Sucesso das Equipes de Mehoria Contínua
O Segredo para o Sucesso das Equipes de Mehoria Contínua
 
Os Segredos para o Sucesso das Equipes de Melhoria Contínua nas Organizações
Os Segredos para o Sucesso das Equipes de Melhoria Contínua nas OrganizaçõesOs Segredos para o Sucesso das Equipes de Melhoria Contínua nas Organizações
Os Segredos para o Sucesso das Equipes de Melhoria Contínua nas Organizações
 
Bsc notas de aula
Bsc notas de aulaBsc notas de aula
Bsc notas de aula
 
DiagnóStico De Design Roteiro De Briefing
DiagnóStico De Design Roteiro De BriefingDiagnóStico De Design Roteiro De Briefing
DiagnóStico De Design Roteiro De Briefing
 
Planejamento Estratégico.
Planejamento Estratégico.Planejamento Estratégico.
Planejamento Estratégico.
 
Planejamento Estratégico
Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico
Planejamento Estratégico
 
DISC
DISCDISC
DISC
 
Jl kugler gestao_estrategica_indicadores_desempenho[1]
Jl kugler gestao_estrategica_indicadores_desempenho[1]Jl kugler gestao_estrategica_indicadores_desempenho[1]
Jl kugler gestao_estrategica_indicadores_desempenho[1]
 
Pronatec vendedor - mkt#3
Pronatec   vendedor - mkt#3Pronatec   vendedor - mkt#3
Pronatec vendedor - mkt#3
 
Fundamentos de gestão empresarial cap8
Fundamentos de gestão empresarial cap8Fundamentos de gestão empresarial cap8
Fundamentos de gestão empresarial cap8
 

Trabalho gestao camila

  • 1. Balanced Scorecard É uma metodologia de medição e gestão de desempenho desenvolvida pelos professores da Harvard Business School, Robert Kaplan e David Norton, em 1992. Os métodos usados na gestão do negócio, dos serviços e da infra-estrutura, baseiam-se normalmente em metodologias consagradas que podem utilizar a TI (tecnologia da informação) e os softwares de ERP como soluções de apoio, relacionando-a a gerência de serviços e garantia de resultados do negócio. Os passos dessas metodologias incluem: definição da estratégia empresarial, gerência do negócio, gerência de serviços e gestão da qualidade; passos estes implementados através de indicadores de desempenho. O Balanced Scorecard foi apresentado inicialmente como um modelo de avaliação e performance empresarial, porém, a aplicação em empresas proporcionou seu desenvolvimento para uma metodologia de gestão estratégica. Os requisitos para definição desses indicadores tratam dos processos de um modelo da administração de serviços e busca da maximização dos resultados baseados em quatro perspectivas que refletem a visão e estratégia empresarial: - financeira; - clientes; - processos internos; - aprendizado e crescimento. É um projeto lógico de um sistema de gestão genérico para organizações, onde o administrador de empresas deve definir e implementar (através de um sistema de informação, por exemplo) variáveis de controle, metas e interpretações para que a organização apresente desempenho positivo e crescimento ao longo do tempo. BSC (Balanced Scorecard) é uma sigla que pode ser traduzida para Indicadores Balanceados de Desempenho, ou ainda para Campos (1998), Cenário Balanceado. O termo “Indicadores Balanceados” se dá ao fato da escolha dos indicadores de uma organização não se restringirem unicamente no foco econômico-financeiro, as
  • 2. organizações também se utilizam de indicadores focados em ativos intangíveis como: desempenho de mercado junto a clientes, desempenhos dos processos internos e pessoas, inovação e tecnologia. Isto porque o somatório destes fatores alavancará o desempenho desejado pelas organizações, conseqüentemente criando valor futuro. Segundo Kaplan e Norton (1997, p. 25), o Balanced Scorecard reflete o equilíbrio entre objetivos de curto e longo prazo, entre medidas financeiras e não-financeiras, entre indicadores de tendências e ocorrências e, ainda, entre as perspectivas interna e externa de desempenho. Este conjunto abrangente de medidas serve de base para o sistema de medição e gestão estratégica por meio do qual o desempenho organizacional é mensurado de maneira equilibrada sob as quatro perspectivas. Dessa forma contribui para que as empresas acompanhem o desempenho financeiro, monitorando, ao mesmo tempo, o progresso na construção de capacidades e na aquisição dos ativos intangíveis necessários para o crescimento futuro. Portanto, a partir de uma visão balanceada e integrada de uma organização, o BSC permite descrever a estratégia de forma muito clara, por intermédio de quatro perspectivas: financeira; clientes; processos internos; aprendizado e crescimento. Sendo que todos se interligam entre si, formando uma relação de causa e efeito. Desde que foi criado, o BSC vem sendo utilizado por centenas de organizações do setor privado, público e em ONG’s no mundo inteiro e foi escolhido pela renomada revista Harvard Business Review como uma das práticas de gestão mais importantes e revolucionárias dos últimos 75 anos. Análise Swot A Análise Swot é uma ferramenta utilizada para fazer análise de cenário (ou análise de ambiente), sendo usado como base para gestão e planejamento estratégico de uma corporação ou empresa, mas podendo, devido a sua simplicidade, ser utilizada para qualquer tipo de análise de cenário, desde a criação de um blog à gestão de uma multinacional.
  • 3. A Análise SWOT é um sistema simples para posicionar ou verificar a posição estratégica da empresa no ambiente em questão. A técnica é creditada a Albert Humphrey, que liderou um projeto de pesquisa na Universidade de Stanford nas décadas de 1960 e 1970, usando dados da revista Fortune das 500 maiores corporações. O termo SWOT é uma sigla oriunda do idioma inglês, e é um acrónimo de Forças (Strengths), Fraquezas (Weaknesses), Oportunidades (Opportunities) e Ameaças (Threats). Não há registros precisos sobre a origem desse tipo de análise, segundo PÚBLIO (2008) a análise SWOT foi criada por dois professores da Harvard Business School: Kennet Andrews e Roland Christensen. Por outro lado, TARAPANOFF (2001:209) indica que a idéia da análise SWOT já era utilizada há mais de dois mil anos quando cita em uma epígrafe um conselho de Sun Tzu: "Concentre-se nos pontos fortes, reconheça as fraquezas, agarre as oportunidades e proteja-se contra as ameaças " (SUN TZU, 500 a.C.) Objetivos e vantagens da análise Swot: Objetivos - Efetuar uma síntese das análises internas e externas; - Identificar elementos chave para a gestão da empresa, o que implica estabelecer prioridades de atuação; - Preparar opções estratégicas: riscos, problemas a resolver. Vantagens e Oportunidades - Realizar previsão de vendas em articulação com as condições de mercado e capacidades da empresa Esta análise de cenário se divide em:
  • 4. Ambiente interno (Forças e Fraquezas) - Principais aspectos, que diferencia a empresa dos seus concorrentes (decisões e níveis de performance que se pode gerir). Ambiente externo (Oportunidades e Ameaças)- Corresponde às perspectivas de evolução de mercado; Fatores provenientes de mercado e meio envolvente (decisões e circunstâncias externas ao poder de decisão da empresa). As forças e fraquezas são determinadas pela posição atual da empresa e se relacionam, quase sempre, a fatores internos. Já as oportunidades e ameaças são antecipações do futuro e estão relacionadas a fatores externos. Brainstorming O brainstorming (literalmente: "tempestade cerebral" em inglês) ou tempestade de idéias, mais que uma técnica de dinâmica de grupo, é uma atividade desenvolvida para explorar a potencialidade criativa de um indivíduo ou de um grupo - criatividade em equipe - colocando-a a serviço de objetivos pré-determinados. Dentre diversos outros métodos, a técnica de brainstorming propõe que um grupo de pessoas - de duas até dez pessoas - se reúnam e se utilizem das diferenças em seus pensamentos e idéias para que possam chegar a um denominador comum eficaz e com qualidade, gerando assim idéias inovadoras que levem o projeto adiante. É preferível que as pessoas que se envolvam nesse método sejam de setores e competências diferentes, pois suas experiências diversas podem colaborar com a "tempestade de idéias" que se forma ao longo do processo de sugestões e discussões. Nenhuma idéia é descartada ou julgada como errada ou absurda. Todas as idéias são ouvidas e trazidas até o processo de brainwriting, que se constitui na anotação de todas as idéias ocorridas no processo de brainstorming, em uma reunião com alguns participantes da sessão de brainstorming, e assim evoluindo as idéias até a chegada da solução efetiva.
  • 5. Quando se necessita de respostas rápidas a questões relativamente simples, o brainstorming é uma das técnicas mais populares e eficazes. Esta técnica vem sendo difundida e inserida ainda em diversas outras áreas, tais como educação, negócios, informática, internet e outras situações mais técnicas. A técnica de brainstorming tem várias aplicações, mas é frequentemente usada em: - Desenvolvimento de novos produtos - obter idéias para novos produtos e efetuar melhoramentos aos produtos existentes. - Publicidade - desenvolver idéias para campanhas de publicidade. - Resolução de problemas - consequências, soluções alternativas, análise de impacto, avaliação. - Gestão de processos - encontrar formas de melhorar os processos comerciais e de produção. - Gestão de projetos - identificar objetivos dos clientes, riscos, entregas, pacotes de trabalho, recursos, tarefas e responsabilidades. - Formação de equipes - geração de partilha e discussão de idéias enquanto se estimulam os participantes a raciocinar e a criar criatividade em equipe. Há três principais partes no brainstorming: - Encontrar os fatos; - Geração da idéia; - Encontrar a solução. Da busca dos fatos na resolução de um problema existem duas sub partes: - Definição do problema; - Preparação.
  • 6. Inicialmente, define-se o problema. Poderá ser necessário subdividir o problema em várias partes. A técnica de Brainstorming funciona para problemas que têm muitas soluções possíveis tal como a geração de idéias para o seu desenho. Depois é necessário colher toda a informação que pode relacionar-se com o problema. Geração de idéias por brainstorming. Busca da solução. Avaliar e selecionar as melhores idéias. TQM - Gestão da Qualidade Total A gestão da qualidade total (em língua inglesa "Total Quality Management" ou simplesmente "TQM") consiste numa estratégia de administração orientada a criar consciência da qualidade em todos os processos organizacionais. É referida como "total", uma vez que o seu objetivo é a implicação não apenas de todos os escalões de uma organização, mas também da organização estendida, ou seja, seus fornecedores, distribuidores e demais parceiros de negócios. Compõe-se de diversos estágios, como por exemplo, o planejamento, a organização, o controle e a liderança. A Toyota, no Japão, foi primeira organização a empregar o conceito de "TQM", superando a etapa do fordismo, onde esta responsabilidade era limitada apenas ao nível da gestão. No "TQM" os colaboradores da organização possuem uma gama mais ampla de atribuições, cada um sendo diretamente responsável pela consecução dos objetivos da organização. Desse modo, a comunicação organizacional, em todos os níveis, torna-se uma peça-chave da dinâmica da organização. Tem sido amplamente utilizada, na atualidade, por organizações públicas e privadas, de qualquer porte, em materiais, produtos, processos ou serviços. A conscientização e a busca da qualidade e do reconhecimento da sua importância tornaram a
  • 7. certificação dos sistemas de gerenciamento da qualidade indispensável uma vez que: - Aumenta a satisfação e a confiança dos clientes; - Aumenta a produtividade; - Reduz os custos internos; - Melhora a imagem e os processos de modo contínuo; - Possibilita acesso mais fácil a novos mercados. A certificação permite avaliar as conformidades determinadas pela organização através de processos internos, garantindo ao cliente um material, processo, produto ou serviço concebido conforme padrões, procedimentos e normas. Uma organização que se propõe a implementar uma política de gestão voltada para a "qualidade total" tem consciência de que a sua trajetória deve ser reavaliada periodicamente. O objetivo último das organizações humanas é assegurar a sobrevivência da espécie. Por analogia, a finalidade última de qualquer organização, nomeadamente de uma do tipo empresarial é sobreviver. A condição “sine qua non” para que uma empresa possa executar os objetivos pretendidos pelos seus proprietários, administradores ou acionistas é que ela exista, que esteja viva. Caso esta condição não se verifique, nenhum dos objetivos pode ser perseguido, muito menos alcançado. A gestão da qualidade aponta para a preferência do consumidor, o que aumenta a produtividade, levando a uma maior competitividade e assegurando a sobrevivência das empresas. Podemos definir qualidade de inúmeras formas. Podemos considerar que é um atributo essencial e diferenciador de alguma coisa ou de alguém, como uma medida de valor ou excelência, como a adequação ao uso, tal como J.M.Muran a definiu, como “conformidade com as situações, nas palavras de P.B.Crosby, ou ainda, usando as palavras de Vicente Falconi, “um produto ou serviço com qualidade
  • 8. é aquele que atende sempre perfeitamente e de forma confiável, de forma acessível, de forma segura e no tempo certo às necessidades do cliente”. Os princípios básicos da qualidade total são: - Produzir bens ou serviços que respondam concretamente às necessidades dos clientes; - Garantir a sobrevivência da empresa por meio de um lucro continuo obtido com o domínio da qualidade; - Identificar o problema mais crítico e solucioná-lo pela mais elevada prioridade (Pareto); - Falar, raciocinar e decidir com dados e com base em fatos; - Administrar a empresa ao longo do processo e não por resultados; - Reduzir metodicamente as dispersões por meio do isolamento das causas fundamentais; - O cliente é Rei. Não se permitir servi-lo se não com produtos de qualidade; - A prevenção deve ser a tão montante quanto possível; - Na lógica anglo-saxônica de “trial and error”, nunca permitir que um problema se repita.