SlideShare uma empresa Scribd logo
Prof.	Dr.	Mauricio	Uriona	Maldonado
Sistemas de Informação
Departamento de Engenharia de Produção e Sistemas
Gestão Estratégica da TI
Processos
06/09/15
Nível,
Operacional
Nível,de
Gestão
Nível
Estratégico
Gerentes de,Nível,
Operacional
Gerentes,de,Nível,
Médio
Gerentes,de,Nível,
Sênior
Hierarquias Ambiente de Negócio
Na atualidade: os processos, as inter-
depêndencias hierarquicas e o ambiente de
negócios são complexos;
Portanto, há uma maior necessidade de
sistemas de informação para:
• Atingir a excelência operacional;
• Desenvolver novos produtos;
• Estreitar o relacionamento com o cliente (e com os
fornecedores);
• Melhorar a tomada de decisão (precisão e velocidade);
• Gerar vantagem competitiva;
• Assegurar a sobrevivência do negócio.
Sistema	de	Informação
Um	conjunto	de	componentes	inter-relacionados	que	coletam	(ou	
recuperam),	processam,	armazenam	e	distribuem	informações	
destinadas	a	apoiar	a	tomada	de	decisões,	a	coordenação	e	o	
controle	de	uma	organização...esses	sistemas	também	auxiliam	os	
gerentes	e	trabalhadores	a	analisar	problemas,	visualizar	assuntos	
complexos	e	criar	novos	produtos.
Laudon e	Laudon (2007)
Sistema	de	Informação
Entrada
Processar,	
Classificar,	
Organizar,	
Calcular
Saída
feedback
Organização
Fornecedores Clientes
ConcorrentesAcionistasAgências reguladoras
AMBIENTE
ERP
CRM
SCM
KMS
SI
Funcional
Vendas
Manufatura
RH
Financeiro
Usuário
SPT
SIG
SAD
CLASSIFICAÇÃO DOS SI
Perspectiva
Funcional
PERSPECTIVA FUNCIONAL
Sistemas de	Vendas e	Marketing
Sistemas de	Manufatura e	Produção
Sistemas Financeiros
Sistemas de	RH
• A função de vendas e marketing é
responsável pela venda dos produtos e
serviços da organização:
• O marketing preocupa-se em identificar os clientes (4Ps);
• A função vendas dedica-se a contatar clientes, oferecer
produtos e serviços, fechar pedidos e fazer o
acompanhamento das vendas;
• Os sistemas de informação de vendas e
marketing dão suporte a todas essas
atividades;
• Input: dados de vendas (por exemplo, os POS);
• Output: Relatórios gerenciais.
SISTEMAS DE VENDAS E MARKETING
SISTEMAS DE VENDAS E MARKETING
• A função de manufatura e produção é
responsável pela produção propriamente
dita dos bens e serviços da empresa,
tratam:
• do planejamento,desenvolvimento e manutenção das
instalações de produção;
• do estabelecimento de metas de produção;
• Da aquisição,armazenagem e disponibilidade de materiais
de produção;
• Da programação de equipamentos,instalações,matérias-
primas e trabalhos exigidos para fabricar produtos.
• Os sistemas de informação de manufatura e
produção dão suporte a todas essas
atividades;
SISTEMAS DE MANUFATURA
• Os diferentes níveis hierárquicos utilizam os
SMP de formas diferentes:
• A gerência sênior usa os SMP para lidar com as
metas de longo prazo (p.ex. Onde localizar as novas
fábricas, ou como investir em nova tecnologia);
• A gerência média usa os SMP para analisar a
monitorar custos e recursos de manufatura;
• A gerência operacional usa os SMP para executar
tarefas relacionadas ao andamento da produção
• Muitos desses sistemas são utilizados também
para o controle do estoque:
• Pode estimar-se a quantidade ótima de reposição.
SISTEMAS DE MANUFATURA
SISTEMAS DE MANUFATURA
Perspectiva do
Usuário
02/04/17
• Os SPT registram as informações rotineiras sobre
transações e atividades básicas da organização,
tais como o registro de pedidos de venda, sistemas
de reserva de hotel, folha de pagamento,
manutenção do registro de funcionários e
expedição;
• Os SPT também são importantes fontes de
informação para outros tipos de sistema:
• Por exemplo, um sistema de contas a receber, junto com
outros SPT contábeis, fornecem dados ao sistema de livro-
razão da empresa, responsável pelos registros de
entradas e saídas e pela produção de relatórios como o
DRE e o Balanço Patrimonial.
SISTEMA DE PROCESSAMENTO DE TRANSAÇÕES
• Os SIG sintetizam e relatam as operações básicas da
empresa, para atender gerentes interessados em
resultados semanais, mensais e anuais;
• Em geral, respondem a perguntas rotineiras,
especificadas previamente e cujo procedimento de
obtenção é predefinido:
• Por exemplo, podem
• comparar os resultados
• das vendas anuais de
• produtos específicos
• com as metas planejadas.
Sua capacidade analítica é
reduzida, pois a maioria dos SIG
utiliza rotinas simples como
resumos ou comparações, em vez
de modelos matemáticos
sofisticados.
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS
Arquivo de	
pedidos
Arquivo mestre
de	produção
Arquivos de	
contabilidade
Sistema	de	
Processamento
de	Pedidos
Sistema	de	
Planejamento
de	Recursos
Materiais
Sistema	de	
Livro-razão
SISTEMA	DE	PROCESSAMENTO	DE	TRANSAÇÕES
ARQUIVOS	DO	SIG
Dados	de	
vendas
Dados	de	
custo unitário
Dados	de	
modificação
de	produtos
Dados	de	
despesas
SIG
GERENTES
SISTEMA	DE	INFORMAÇÃO	GERENCIAIS
Relatórios	
Gerenciais
• Os SAD ajudam a gerentes de nível médio a tomar
decisões não usuais (problemas únicos e que se
alteram com rapidez);
• Tentam responder perguntas complexas:
• Ex.: Qual seria o impacto na programação da produção se
dobrássemos as vendas em Dezembro?
• Ex: O que aconteceria com o nosso ROI se a programação de
determinada fábrica atrasasse seis meses?
• Os SAD usam informações internas dos SPT e dos SIG,
mas também podem recorrer a informações externas
(cotação de ações, preço dos concorrentes, etc.);
• Utilizam modelos matemáticos sofisticados e técnicas
estatísticas para analisar os dados e para apresentá-los num
formato que possa ser utilizado pelos tomadores de decisão.
SISTEMAS DE APOIO A DECISÃO
• Sistema de estimativa de transporte para uma subsidiária
que transporta cargas a granel de carvão, óleo, minérios e
produtos acabados para a matriz;
• A empresa é dona de alguns navios, freta outros e oferece
serviço de transporte geral de cargas no mercado aberto;
• O SAD calcula os aspectos financeiros e técnicos do
transporte:
• Financeiros:Relação de custos por navio/período de fretamento;
taxas de frete para os vários tipos de carga e despesasportuárias;
• Técnicos:capacidade de carga;velocidade do navio; etc.
• O SAD pode responder perguntas como:
• Dadas a programação de entrega de um cliente e a taxa de frete
oferecida, qual navio deverá ser designado para o transporte e
que taxa maximizaria os lucros?
SISTEMAS DE APOIO A DECISÃO
Banco	de	Dados	
de	modelos
analíticos
Arquivo sobre o	navio
(capacidade de	carga e	
velocidade)
Arquivo de	restrições
ao	atracamento
Arquivo de	custos de	
consumo de	combustível
Arquivo de	histórico de	
custo	de	fretamento	do	
navio
Arquivo de	aduana
(Alfândega)
PC
Consultas	Online
SISTEMAS DE APOIO A DECISÃO
Aplicativos
Integrados
02/04/17
Sistemas de Informação
• Sistemas de informação sob a perspectiva
funcional (sistemas legados) precisam trabalhar
em conjunto;
• Isto é um desafio (tipos de software,
plataformas diferentes, código diferente, etc.);
• Ou seja, o desafio é fazê-los “conversar” entre si
(interoperabilidade);
• A solução é implantar aplicativos integrados:
• Sistemas que abrangem todas as áreas funcionais;
• Utilizam a perspectiva de processos de negócio;
• Incluem todos os níveis de gerência.
APLICATIVOS INTEGRADOS
• Existem quatro grandes tipos de
aplicativos integrados:
• Sistemas de Planejamento de Recursos
Empresariais (ERP);
• Sistemas de Gerenciamento da Cadeia de
Suprimentos (SCM);
• Sistemas de Gerenciamento do
Relacionamento com o Cliente (CRM);
• Sistemas de Gestão do Conhecimento
(KMS).
APLICATIVOS INTEGRADOS
02/04/17
§Maior produtora mundial de
alumínio e produtos derivados do
alumínio;
§Cada unidade de negócio
possuia seus próprios SI;
§Muitos SI eram redundantes e
ineficiêntes;
§P. ex. O processo de cobrança
era custoso e seu Tempo de
Ciclo era mais longo do que os
das outras empresas do Setor.
ERP
§ Após implantar o ERP da Oracle, a
Alcoa eliminou muitos processos e
sistemas redundantes;
§ Ao verificar o recebimento de
mercadorias e gerar
automaticamente recibos para
pagamento, o ERP ajudou a reduzir
o Tempo de Ciclo do processo de
cobrança em 89%;
§ Ao centralizar as atividades
financeiras e de compras, a
empresa teve uma redução de 20%
dos custos
ERP
§ O ERP da empresa inclui também
o gerenciamento dos recursos
humanos, mostrando as correlações
entre investimento em capacitação
e qualidade;
§Mede os custos de prestar serviços
aos funcionários em toda a
empresa;
§ Avalia a efetividade das políticas
de recrutamento, remuneração e
capacitação.
ERP
02/04/17
ERP
02/04/17
q Quando	um	cliente	faz	um	pedido,	os	
dados	fluem	para	as	outras	partes	da	
empresa	que	serão	afetadas;
q A	transação	do	pedido	dispara	uma	
ordem	para	que	o	depósito	separe	os	
produtos	pedidos	e	programe	o	envio;
q O	depósito	por	sua	vez,	solicita	à	
produção	que	reponha	o	que	foi	
retirado;
q O	Departamento	de	Vendas	(ou	de	
Contabilidade)	emite	a	NF
ERP
• Coletam informações de vários processos de
negócio importantes (manufatura, finanças e
contabilidade, vendas e marketing, RH e outras);
• O objetivo do sistema ERP é oferecer acesso
integrado a informações que se encontram nos
“silos” da organização;
• Assim, a informação anteriormente fragmentada em
sistemas distintos, pode ser compartilhada por toda a
empresa;
• Os ERP aceleram a comunicação intra-
organizacional, e assim, tornam mais fácil coordenar
as operações diárias.
ERP
Antes Agora
Funções Processos
ERP
• Processos Financeiros e Contábeis:
• Livro-razão, contas a pagar, contas a receber, previsão de
caixa, centros de custo, contabilidade, relatórios e outros.
• Processos de Recursos Humanos:
• Gestão de pessoal, folha de pagamento, benefícios, seleção
de candidatos, gestão de desempenho e outros.
• Processos de Produção e Manufatura:
• Seleção de fornecedores, gestão do estoque, PCP, compra,
MRP, controle de qualidade, distribuição e outros.
• Processos de Vendas e Marketing:
• Pedidos, cotações, contratos, determinação de preços,
faturamento, parcelamento, comissões de vendas e outros.
PRINCIPAIS PROCESSOS APOIADOS PELO ERP
Banco	de	Dados	
Centralizado
ERPRecursos
Humanos
Finanças e	
Contabilidade
Manufatura e	
Produção
Vendas e	
Marketing
Pedidos
Previsões	de	
Vendas
Devoluções
Alterações	de	
preço
Programação	de	
Produção
Datas	de	
expedição
Capacidade	de	
Produção
Dinheiro	em	caixa
Contas	a	receber
Créditos	e	Receitas
Horas	trabalhadas
Custos	dos	trabalhadores
Requisitos	de	cada	cargo
PRINCIPAIS PROCESSOS APOIADOS PELO ERP
INTEGRAÇÃO DO ERP COM OUTROS SISTEMAS
BENEFÍCIOS DO ERP (1 de 2)
Benefícios tangíveis do ERP Ocorrência
Redução de estoques 32%
Redução de pessoal 27%
Aumento de produtividade 26%
Redução do Tempo de ciclo de ordens 20%
Redução do Tempo de ciclo de fechamento
contábil
19%
Redução de custos de TI 14%
Colangelo Filho (2001).	Implantação de	sistemas	ERP.	São	Paulo:	Atlas.
Benefícios tangíveis do ERP Ocorrência
Melhorias em processos de suprimentos 12%
Melhorias na gestão de caixa 11%
Aumento em receitas e lucro 11%
Melhorias em transporte e logística 9%
Melhorias em processos de manutenção 7%
Entrega no Prazo 6%
Colangelo Filho (2001).	Implantação de	sistemas	ERP.	São	Paulo:	Atlas.
BENEFÍCIOS DO ERP (2 de 2)
TEMPO ESPERADO DE IMPLANTAÇÃO
Tempo para Implantar
um ERP
EUA Suécia
≤ 12 meses 34% 38%
13 to 24 meses 45% 49%
25 to 36 meses 11% 8%
37 to 48 meses 6% 4%
> 48 meses 2% 1%
Mabert et	al.	(2000);	Olhager &	Selldin (2003)
Custo de Implantação EUA Suécia
< $5 milhões 42% 40%
$5 a $25 milhões 33% 35%
$26 a $50 milhões 10% 18%
$51 a $100 milhões 7% 7%
> $100 milhões 7% -
CUSTO DE IMPLANTAÇÃO
Mabert et	al.	(2000);	Olhager &	Selldin (2003)
§Hersheys demorou 3 anos
implantando um ERP de 115 Mi
USD;
§Sistema iria substituir vários
outros sistemas funcionais,
integrando estoques, produção,
processamento de pedidos, folha
de pagamentos, contabilidade e
finanças;
§ O erro foi tentar implantar o
sistema em todos os
departamentos da empresa ao
mesmo tempo na época de mais
vendas do ano.
ERP – CASO DE INSUCESSO
PROPORÇÃO DOS CUSTOS
Onde o dinheiro foi gasto EUA Suécia
Software 30% 24%
Consultoria 24% 30%
Hardware 18% 19%
Equipe de Implantação 14% 12%
Treinamento 11% 14%
Outros 3% 1%
Mabert et	al.	(2000);	Olhager &	Selldin (2003)
ROI esperado Obtido
< 5% 14%
5% to 15% 18%
16% to 25% 36%
26% to 50% 18%
> 50% 13%
Mabert et	al.	(2000)
Pesquisa com 400+ indústrias
RETORNO DO INVESTIMENTO
V.A. Mabert, A. Soni, and M.A.Venkataramanan, “Enterprise Resource Planning Survey of U.S.
Manufacturing Firms,” Production and Inventory Management, 41, 2 (2000): 52-58.
§ A maior parte dos ERPs demora anos em ser
implementado
§ A tendência é reduzir esses tempos
§ Os custos variam bastante
§ A empresa tem a decisão de saber até quanto
gastar
§ Treinamento no Sistema geralmente é sub-
orçamentado
§ Nem todos os que implementam esperam
grandes retornos.
EM SÍNTESE - ERP
• Sistemas orientados para suportar as atividades a seguir.
• Aquisição de clientes;
• Retenção de clientes;
• Extensão de clientes (cross-selling and up-selling);
• Seleção de clientes (escolher os segmentos certos).
• Incluem módulos como:
• Automação de vendas;
• Serviço de atendimento ao cliente;
• Gestão do processo de vendas;
• Gestão de campanhas publicitárias;
• Análise de informações.
• Proporcionam informações relacionadas com o
volume de vendas, segmentação de clientes,
tendências de mercado e outras.
CRM
Sistemas de Informação
§ Empresas pequenas: poucos produtos e
serviços, pequeno número de fornecedores:
§ Coordenação entre pedidos e entregas relativamente facil.
§ Empresas operando em escala regional,
nacional ou global, grande número de
fornecedores:
§ Os SCM são uma resposta aos problemas de
complexidade e escala.
§ Sistemas integrados que oferecem suporte às
atividades de gestão da cadeia de suprimentos.
§ Possuem módulos como: compras, previsão de
demanda, controle de estoque, relacionamento
com fornecedores, transporte e outros.
SISTEMAS DE GERENCIAMENTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS
Cadeia de Suprimentos
Uma rede de organizações e processos de negócio para
selecionar matérias primas, transformá-las em produtos
intermediários e acabados e distribuir os produtos acabados aos
clientes.
A cadeia interliga fornecedores, instalações industriais, centros de
distribuição, varejistas e clientes com a finalidade de fornecer
produtos e serviços desde a fonte até o ponto de consumo.
Laudon e	Laudon (2007)
SCM
02/04/17
Fornecedores
SCM
CADEIA DE SUPRIMENTOS DA NIKE
§ Uma boa parte da perda de eficiência em
cadeias de suprimentos é explicada por
informações imprecisas e extemporâneas;
§ Por exemplo, fabricantes tendem a manter excesso
de peças em estoque pois não sabem exatamente
quando irão receber a próxima entrega dos
fornecedores: “I’m not hoarding, I’m just stocking up before the
hoarders get here”
§ O ideal: just-in-time;
§ Contudo, sempre existirá incerteza: demanda,
atrasos nas remessas, peças defeituosas, ou
ainda, panes no processo de produção:
§ A resposta: estoque de segurança;
§ O risco: o efeito chicote.
EFICIÊNCIA DA CADEIA DE SUPRIMENTOS
Efeito Chicote
(Bullwhip Effect)
qO efeito chicote é
produzido quando a
informação da demanda de
um produto é distorcida à
medida que passa de uma
entidade à entidade seguinte
na cadeia de suprimento.
q Uma pequena variação na
demanda de um item pode
fazer com que diferentes
membros da cadeia
abarrotem o estoque só para
ter o suficiente “por
precaução”
EFEITO CHICOTE
EFEITO CHICOTE
§ A P&G descobriu que devido a este
tipo de informação distorcida, tinha
estoques excessivos de suas
fraldas Pampers;
§ Embora as compras nas lojas
fossem razoavelmente estáveis, os
pedidos dos distribuidores
disparavam quando a P&G lançava
promoções agressivas de preço.
§ Assim, os produtos da Pampers
acumulavam-se nos armazéns ao
longo da cadeia para atender uma
demanda que não existia.
EFEITO CHICOTE - EXEMPLO
§ O efeito chicote pode ser controlado quando
todos os membros da cadeia contam com
informações precisas e atualizadas;
§ Informações sobre níveis de estoque, programações,
previsões e embarques.
§ Se todos os membros possuirem estas
informações, saberão como ajustar seus pedidos
de aquisição de matéria-prima, fabricação e
distribuição;
§ Os sistemas SCM oferecem este tipo de
informação.
EFEITO CHICOTE E SCM
§ Sistemas	de	Planejamento	da	Cadeia	de	Suprimentos.
§ Geram	previsões	de	demanda	e	desenvolvem	planos	de	aquisição	de	
matérias-primas	e	fabricação;
§ Ajudam	a	determinar	a	quantidade	de	produtos	a	ser	fabricada;
§ Ajudam	a	estabelecer	níveis	de	estoque;
§ Determinam	onde	armazenar	os	produtos	acabados	e	o	tipo	de	
transporte.
§ Sistemas	de	Execução	da	Cadeia	de	Suprimentos:
§ Gerenciam	o	fluxo	de	produtos	desde	o	centro	de	distribuição	e	
depósitos	até	os	locais	certos	de	entrega,	da	forma	mais	eficiente	
possível;
§ Monitoram	a	situação	física	dos	produtos,	o	gerenciamento	de	
materiais,	as	operações	de	armazenamento	e	transporte,	e	as	
informações	financeiras.
§ Principais	fornecedores:	Manugistics,	i2,	SAP,	Oracle.
TIPOS DE SCM
Os sistemas de gestão do
conhecimento permitem às
organizações administrar melhor seus
processos, a fim de capturar e aplicar
conhecimentos e expertise.
SISTEMAS DE GESTÃO DO CONHECIMENTO
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
1. LA-Cap01
2. LA-Cap02
3. LA-Cap08
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-
NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.
Prof.	Dr.	Mauricio	Uriona	Maldonado
Sistemas de Informação
Departamento de Engenharia de Produção e Sistemas
Gestão Estratégica da TI

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Tipos de sistemas de informação nas organizações
Tipos de sistemas de informação nas organizaçõesTipos de sistemas de informação nas organizações
Tipos de sistemas de informação nas organizações
Pricila Yessayan
 
Sistema de informação gerencial
Sistema de informação gerencialSistema de informação gerencial
Sistema de informação gerencial
Denilson Sousa
 
INTRODUÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
INTRODUÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃOINTRODUÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
INTRODUÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
Edson Lima
 
Introdução à Sistemas de Informação
Introdução à Sistemas de InformaçãoIntrodução à Sistemas de Informação
Introdução à Sistemas de Informação
Álvaro Farias Pinheiro
 
A importância dos sistemas de informação nas organizações slideshare
A importância dos sistemas de informação nas organizações slideshareA importância dos sistemas de informação nas organizações slideshare
A importância dos sistemas de informação nas organizações slideshare
Faculdade Evangélica de Brasília
 
Fundamentos de sistemas de informação
Fundamentos de sistemas de informaçãoFundamentos de sistemas de informação
Fundamentos de sistemas de informação
Leonardo Melo Santos
 
Tipos de Sistema de Informação
Tipos de Sistema de InformaçãoTipos de Sistema de Informação
Tipos de Sistema de Informação
Robson Santos
 
Administração de Sistemas de Informação
Administração de Sistemas de InformaçãoAdministração de Sistemas de Informação
Administração de Sistemas de Informação
Denise Maria Cotoman
 
Aula - Estratégias de Gestão Organizacional
Aula - Estratégias de Gestão OrganizacionalAula - Estratégias de Gestão Organizacional
Aula - Estratégias de Gestão Organizacional
Michel Moreira
 
Aula - Sistemas de Informação
Aula - Sistemas de InformaçãoAula - Sistemas de Informação
Aula - Sistemas de Informação
Daniela Brauner
 
Gestão Da Informação
Gestão Da InformaçãoGestão Da Informação
Gestão Da Informação
Felipe Goulart
 
Sistema de Informação na Empresa
Sistema de Informação na EmpresaSistema de Informação na Empresa
Sistema de Informação na Empresa
Adeildo Telles
 
Estrutura organizacional
Estrutura organizacionalEstrutura organizacional
Estrutura organizacional
Letícia Vilela de Aquino
 
Aula de ERP
Aula de ERPAula de ERP
Aula de ERP
Maurício Botelho
 
Sistema de processamento de transações
Sistema de processamento de transações  Sistema de processamento de transações
Sistema de processamento de transações
Denilson Sousa
 
Sistemas de Informações Gerenciais - SIG
Sistemas de Informações Gerenciais - SIGSistemas de Informações Gerenciais - SIG
Sistemas de Informações Gerenciais - SIG
João Filho
 
Lista de exercicios de sig (respondida) 1bimestre 2013
Lista de exercicios de sig (respondida) 1bimestre 2013Lista de exercicios de sig (respondida) 1bimestre 2013
Lista de exercicios de sig (respondida) 1bimestre 2013
José Nascimento
 
Aula1 e aula2 - Analise e Projeto de Sistemas
Aula1 e aula2 - Analise e Projeto de SistemasAula1 e aula2 - Analise e Projeto de Sistemas
Aula1 e aula2 - Analise e Projeto de Sistemas
Gustavo Gonzalez
 
Evolução dos sistemas de informação
Evolução dos sistemas de informaçãoEvolução dos sistemas de informação
Evolução dos sistemas de informação
Pâmela Nogueira da Silva
 
Sistemas de Informações - Aula 10: Sistemas de Apoio à Decisão (SAD e SAD-G)
Sistemas de Informações - Aula 10: Sistemas de Apoio à Decisão (SAD e SAD-G)Sistemas de Informações - Aula 10: Sistemas de Apoio à Decisão (SAD e SAD-G)
Sistemas de Informações - Aula 10: Sistemas de Apoio à Decisão (SAD e SAD-G)
Marcus Araújo
 

Mais procurados (20)

Tipos de sistemas de informação nas organizações
Tipos de sistemas de informação nas organizaçõesTipos de sistemas de informação nas organizações
Tipos de sistemas de informação nas organizações
 
Sistema de informação gerencial
Sistema de informação gerencialSistema de informação gerencial
Sistema de informação gerencial
 
INTRODUÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
INTRODUÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃOINTRODUÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
INTRODUÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
 
Introdução à Sistemas de Informação
Introdução à Sistemas de InformaçãoIntrodução à Sistemas de Informação
Introdução à Sistemas de Informação
 
A importância dos sistemas de informação nas organizações slideshare
A importância dos sistemas de informação nas organizações slideshareA importância dos sistemas de informação nas organizações slideshare
A importância dos sistemas de informação nas organizações slideshare
 
Fundamentos de sistemas de informação
Fundamentos de sistemas de informaçãoFundamentos de sistemas de informação
Fundamentos de sistemas de informação
 
Tipos de Sistema de Informação
Tipos de Sistema de InformaçãoTipos de Sistema de Informação
Tipos de Sistema de Informação
 
Administração de Sistemas de Informação
Administração de Sistemas de InformaçãoAdministração de Sistemas de Informação
Administração de Sistemas de Informação
 
Aula - Estratégias de Gestão Organizacional
Aula - Estratégias de Gestão OrganizacionalAula - Estratégias de Gestão Organizacional
Aula - Estratégias de Gestão Organizacional
 
Aula - Sistemas de Informação
Aula - Sistemas de InformaçãoAula - Sistemas de Informação
Aula - Sistemas de Informação
 
Gestão Da Informação
Gestão Da InformaçãoGestão Da Informação
Gestão Da Informação
 
Sistema de Informação na Empresa
Sistema de Informação na EmpresaSistema de Informação na Empresa
Sistema de Informação na Empresa
 
Estrutura organizacional
Estrutura organizacionalEstrutura organizacional
Estrutura organizacional
 
Aula de ERP
Aula de ERPAula de ERP
Aula de ERP
 
Sistema de processamento de transações
Sistema de processamento de transações  Sistema de processamento de transações
Sistema de processamento de transações
 
Sistemas de Informações Gerenciais - SIG
Sistemas de Informações Gerenciais - SIGSistemas de Informações Gerenciais - SIG
Sistemas de Informações Gerenciais - SIG
 
Lista de exercicios de sig (respondida) 1bimestre 2013
Lista de exercicios de sig (respondida) 1bimestre 2013Lista de exercicios de sig (respondida) 1bimestre 2013
Lista de exercicios de sig (respondida) 1bimestre 2013
 
Aula1 e aula2 - Analise e Projeto de Sistemas
Aula1 e aula2 - Analise e Projeto de SistemasAula1 e aula2 - Analise e Projeto de Sistemas
Aula1 e aula2 - Analise e Projeto de Sistemas
 
Evolução dos sistemas de informação
Evolução dos sistemas de informaçãoEvolução dos sistemas de informação
Evolução dos sistemas de informação
 
Sistemas de Informações - Aula 10: Sistemas de Apoio à Decisão (SAD e SAD-G)
Sistemas de Informações - Aula 10: Sistemas de Apoio à Decisão (SAD e SAD-G)Sistemas de Informações - Aula 10: Sistemas de Apoio à Decisão (SAD e SAD-G)
Sistemas de Informações - Aula 10: Sistemas de Apoio à Decisão (SAD e SAD-G)
 

Destaque

Business Intelligence
Business IntelligenceBusiness Intelligence
Business Intelligence
Mauricio Uriona Maldonado PhD
 
Inteligência Artificial e Data Science
Inteligência Artificial e Data ScienceInteligência Artificial e Data Science
Inteligência Artificial e Data Science
Mauricio Uriona Maldonado PhD
 
Tecnologias Mobile, Social Media e tecnologias emergentes
Tecnologias Mobile, Social Media e tecnologias emergentesTecnologias Mobile, Social Media e tecnologias emergentes
Tecnologias Mobile, Social Media e tecnologias emergentes
Mauricio Uriona Maldonado PhD
 
Modelagem e análise de processos de negócio
Modelagem e análise de processos de negócioModelagem e análise de processos de negócio
Modelagem e análise de processos de negócio
Mauricio Uriona Maldonado PhD
 
Indústria 4.0 e o futuro das tecnologias de informação
Indústria 4.0 e o futuro das tecnologias de informaçãoIndústria 4.0 e o futuro das tecnologias de informação
Indústria 4.0 e o futuro das tecnologias de informação
Mauricio Uriona Maldonado PhD
 
Decisões de Sourcing de TI
Decisões de Sourcing de TIDecisões de Sourcing de TI
Decisões de Sourcing de TI
Mauricio Uriona Maldonado PhD
 
Estratégia e TI
Estratégia e TIEstratégia e TI
Extensões do Modelo Bass
Extensões do Modelo BassExtensões do Modelo Bass
Extensões do Modelo Bass
Mauricio Uriona Maldonado PhD
 
AHP - Analytic Hierarchy Process
AHP - Analytic Hierarchy ProcessAHP - Analytic Hierarchy Process
AHP - Analytic Hierarchy Process
Mauricio Uriona Maldonado PhD
 
Difusão de Produtos e Curva S
Difusão de Produtos e Curva SDifusão de Produtos e Curva S
Difusão de Produtos e Curva S
Mauricio Uriona Maldonado PhD
 
Sistemas de Apoio a Decisão
Sistemas de Apoio a DecisãoSistemas de Apoio a Decisão
Sistemas de Apoio a Decisão
Mauricio Uriona Maldonado PhD
 
Métodos multicritério de apoio a decisão - métodos aditivos
Métodos multicritério de apoio a decisão - métodos aditivosMétodos multicritério de apoio a decisão - métodos aditivos
Métodos multicritério de apoio a decisão - métodos aditivos
Mauricio Uriona Maldonado PhD
 
Família de métodos Electre
Família de métodos ElectreFamília de métodos Electre
Família de métodos Electre
Mauricio Uriona Maldonado PhD
 
Método Promethee
Método PrometheeMétodo Promethee

Destaque (14)

Business Intelligence
Business IntelligenceBusiness Intelligence
Business Intelligence
 
Inteligência Artificial e Data Science
Inteligência Artificial e Data ScienceInteligência Artificial e Data Science
Inteligência Artificial e Data Science
 
Tecnologias Mobile, Social Media e tecnologias emergentes
Tecnologias Mobile, Social Media e tecnologias emergentesTecnologias Mobile, Social Media e tecnologias emergentes
Tecnologias Mobile, Social Media e tecnologias emergentes
 
Modelagem e análise de processos de negócio
Modelagem e análise de processos de negócioModelagem e análise de processos de negócio
Modelagem e análise de processos de negócio
 
Indústria 4.0 e o futuro das tecnologias de informação
Indústria 4.0 e o futuro das tecnologias de informaçãoIndústria 4.0 e o futuro das tecnologias de informação
Indústria 4.0 e o futuro das tecnologias de informação
 
Decisões de Sourcing de TI
Decisões de Sourcing de TIDecisões de Sourcing de TI
Decisões de Sourcing de TI
 
Estratégia e TI
Estratégia e TIEstratégia e TI
Estratégia e TI
 
Extensões do Modelo Bass
Extensões do Modelo BassExtensões do Modelo Bass
Extensões do Modelo Bass
 
AHP - Analytic Hierarchy Process
AHP - Analytic Hierarchy ProcessAHP - Analytic Hierarchy Process
AHP - Analytic Hierarchy Process
 
Difusão de Produtos e Curva S
Difusão de Produtos e Curva SDifusão de Produtos e Curva S
Difusão de Produtos e Curva S
 
Sistemas de Apoio a Decisão
Sistemas de Apoio a DecisãoSistemas de Apoio a Decisão
Sistemas de Apoio a Decisão
 
Métodos multicritério de apoio a decisão - métodos aditivos
Métodos multicritério de apoio a decisão - métodos aditivosMétodos multicritério de apoio a decisão - métodos aditivos
Métodos multicritério de apoio a decisão - métodos aditivos
 
Família de métodos Electre
Família de métodos ElectreFamília de métodos Electre
Família de métodos Electre
 
Método Promethee
Método PrometheeMétodo Promethee
Método Promethee
 

Semelhante a Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Aula12 -psi - cap9 Sistemas empresariais
Sistemas de Informação Aula12 -psi - cap9 Sistemas empresariaisSistemas de Informação Aula12 -psi - cap9 Sistemas empresariais
Sistemas de Informação Aula12 -psi - cap9 Sistemas empresariais
CEULJI/ULBRA Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná
 
docslide.com.br_sistema-de-processamento-de-transacoes-spt-comercio-eletronic...
docslide.com.br_sistema-de-processamento-de-transacoes-spt-comercio-eletronic...docslide.com.br_sistema-de-processamento-de-transacoes-spt-comercio-eletronic...
docslide.com.br_sistema-de-processamento-de-transacoes-spt-comercio-eletronic...
LazaroJunior10
 
Sistemas integrados de gestão – ERP, CRM, SCM
Sistemas integrados de gestão – ERP, CRM, SCMSistemas integrados de gestão – ERP, CRM, SCM
Sistemas integrados de gestão – ERP, CRM, SCM
Hanter Duarte
 
Fsi
FsiFsi
Apresentação manufatura (10 06-2015)
Apresentação   manufatura (10 06-2015)Apresentação   manufatura (10 06-2015)
Apresentação manufatura (10 06-2015)
Weverton Abreu
 
Capítulo 08 - Conquistando excelência operacional e intimidade com o cliente:...
Capítulo 08 - Conquistando excelência operacional e intimidade com o cliente:...Capítulo 08 - Conquistando excelência operacional e intimidade com o cliente:...
Capítulo 08 - Conquistando excelência operacional e intimidade com o cliente:...
Everton Souza
 
Modelo apresentação ppt
Modelo apresentação pptModelo apresentação ppt
Modelo apresentação ppt
jmclogisticas
 
Seminário - Enterprise Resource Planning (ERP)
Seminário - Enterprise Resource Planning (ERP)Seminário - Enterprise Resource Planning (ERP)
Seminário - Enterprise Resource Planning (ERP)
Giancarlo Silva
 
Aula 2 automação de processos
Aula 2   automação de processosAula 2   automação de processos
Aula 2 automação de processos
Maurício Botelho
 
Sistemas de Informação 2 - Aula13 - psi cap10 sistemas de infomração gerencia...
Sistemas de Informação 2 - Aula13 - psi cap10 sistemas de infomração gerencia...Sistemas de Informação 2 - Aula13 - psi cap10 sistemas de infomração gerencia...
Sistemas de Informação 2 - Aula13 - psi cap10 sistemas de infomração gerencia...
CEULJI/ULBRA Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná
 
Gesepp
GeseppGesepp
Gesepp
sewsistemas
 
Modelagem de processos
Modelagem de processosModelagem de processos
Modelagem de processos
Ronney Moreira de Castro
 
Gestão Empresarial Senior
Gestão Empresarial SeniorGestão Empresarial Senior
Gestão Empresarial Senior
Helton Giuliano
 
2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf
2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf
2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf
Pedro Alcantara
 
Sig
SigSig
úLtimo dia
úLtimo diaúLtimo dia
úLtimo dia
Bruce Ds
 
Blue it
Blue itBlue it
Blue it
Bruce Ds
 
Blue it
Blue itBlue it
Blue it
Bruce Ds
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
Bruce Ds
 
Blue it
Blue itBlue it
Blue it
Bruce Ds
 

Semelhante a Sistemas de Informação (20)

Sistemas de Informação Aula12 -psi - cap9 Sistemas empresariais
Sistemas de Informação Aula12 -psi - cap9 Sistemas empresariaisSistemas de Informação Aula12 -psi - cap9 Sistemas empresariais
Sistemas de Informação Aula12 -psi - cap9 Sistemas empresariais
 
docslide.com.br_sistema-de-processamento-de-transacoes-spt-comercio-eletronic...
docslide.com.br_sistema-de-processamento-de-transacoes-spt-comercio-eletronic...docslide.com.br_sistema-de-processamento-de-transacoes-spt-comercio-eletronic...
docslide.com.br_sistema-de-processamento-de-transacoes-spt-comercio-eletronic...
 
Sistemas integrados de gestão – ERP, CRM, SCM
Sistemas integrados de gestão – ERP, CRM, SCMSistemas integrados de gestão – ERP, CRM, SCM
Sistemas integrados de gestão – ERP, CRM, SCM
 
Fsi
FsiFsi
Fsi
 
Apresentação manufatura (10 06-2015)
Apresentação   manufatura (10 06-2015)Apresentação   manufatura (10 06-2015)
Apresentação manufatura (10 06-2015)
 
Capítulo 08 - Conquistando excelência operacional e intimidade com o cliente:...
Capítulo 08 - Conquistando excelência operacional e intimidade com o cliente:...Capítulo 08 - Conquistando excelência operacional e intimidade com o cliente:...
Capítulo 08 - Conquistando excelência operacional e intimidade com o cliente:...
 
Modelo apresentação ppt
Modelo apresentação pptModelo apresentação ppt
Modelo apresentação ppt
 
Seminário - Enterprise Resource Planning (ERP)
Seminário - Enterprise Resource Planning (ERP)Seminário - Enterprise Resource Planning (ERP)
Seminário - Enterprise Resource Planning (ERP)
 
Aula 2 automação de processos
Aula 2   automação de processosAula 2   automação de processos
Aula 2 automação de processos
 
Sistemas de Informação 2 - Aula13 - psi cap10 sistemas de infomração gerencia...
Sistemas de Informação 2 - Aula13 - psi cap10 sistemas de infomração gerencia...Sistemas de Informação 2 - Aula13 - psi cap10 sistemas de infomração gerencia...
Sistemas de Informação 2 - Aula13 - psi cap10 sistemas de infomração gerencia...
 
Gesepp
GeseppGesepp
Gesepp
 
Modelagem de processos
Modelagem de processosModelagem de processos
Modelagem de processos
 
Gestão Empresarial Senior
Gestão Empresarial SeniorGestão Empresarial Senior
Gestão Empresarial Senior
 
2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf
2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf
2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf
 
Sig
SigSig
Sig
 
úLtimo dia
úLtimo diaúLtimo dia
úLtimo dia
 
Blue it
Blue itBlue it
Blue it
 
Blue it
Blue itBlue it
Blue it
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Blue it
Blue itBlue it
Blue it
 

Mais de Mauricio Uriona Maldonado PhD

Decisões sob Risco
Decisões sob RiscoDecisões sob Risco
Decisões sob Risco
Mauricio Uriona Maldonado PhD
 
Decisões sob incerteza
Decisões sob incertezaDecisões sob incerteza
Decisões sob incerteza
Mauricio Uriona Maldonado PhD
 
Estruturação de Problemas de Decisão
Estruturação de Problemas de DecisãoEstruturação de Problemas de Decisão
Estruturação de Problemas de Decisão
Mauricio Uriona Maldonado PhD
 
Introdução - Teoria da Decisão
Introdução - Teoria da DecisãoIntrodução - Teoria da Decisão
Introdução - Teoria da Decisão
Mauricio Uriona Maldonado PhD
 
Apresentação - Teoria da Decisão
Apresentação - Teoria da DecisãoApresentação - Teoria da Decisão
Apresentação - Teoria da Decisão
Mauricio Uriona Maldonado PhD
 
Arquitetura de TI, Infraestrutura de TI e Processos de Negócio
Arquitetura de TI, Infraestrutura de TI e Processos de NegócioArquitetura de TI, Infraestrutura de TI e Processos de Negócio
Arquitetura de TI, Infraestrutura de TI e Processos de Negócio
Mauricio Uriona Maldonado PhD
 
Introdução a gestão estratégica da TI
Introdução a gestão estratégica da TIIntrodução a gestão estratégica da TI
Introdução a gestão estratégica da TI
Mauricio Uriona Maldonado PhD
 
Gestão Estratégica da TI - Apresentação
Gestão Estratégica da TI - ApresentaçãoGestão Estratégica da TI - Apresentação
Gestão Estratégica da TI - Apresentação
Mauricio Uriona Maldonado PhD
 

Mais de Mauricio Uriona Maldonado PhD (8)

Decisões sob Risco
Decisões sob RiscoDecisões sob Risco
Decisões sob Risco
 
Decisões sob incerteza
Decisões sob incertezaDecisões sob incerteza
Decisões sob incerteza
 
Estruturação de Problemas de Decisão
Estruturação de Problemas de DecisãoEstruturação de Problemas de Decisão
Estruturação de Problemas de Decisão
 
Introdução - Teoria da Decisão
Introdução - Teoria da DecisãoIntrodução - Teoria da Decisão
Introdução - Teoria da Decisão
 
Apresentação - Teoria da Decisão
Apresentação - Teoria da DecisãoApresentação - Teoria da Decisão
Apresentação - Teoria da Decisão
 
Arquitetura de TI, Infraestrutura de TI e Processos de Negócio
Arquitetura de TI, Infraestrutura de TI e Processos de NegócioArquitetura de TI, Infraestrutura de TI e Processos de Negócio
Arquitetura de TI, Infraestrutura de TI e Processos de Negócio
 
Introdução a gestão estratégica da TI
Introdução a gestão estratégica da TIIntrodução a gestão estratégica da TI
Introdução a gestão estratégica da TI
 
Gestão Estratégica da TI - Apresentação
Gestão Estratégica da TI - ApresentaçãoGestão Estratégica da TI - Apresentação
Gestão Estratégica da TI - Apresentação
 

Último

Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Paulo Emerson Pereira
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
rihabkorbi24
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
InsttLcioEvangelista
 
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Dantas
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
Paulo Emerson Pereira
 
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Renan Batista Bitcoin
 
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
AlfeuBuriti1
 
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfilApostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Carlos Eduardo Coan Junior
 

Último (8)

Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
 
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
 
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
 
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
 
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfilApostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
 

Sistemas de Informação

  • 1. Prof. Dr. Mauricio Uriona Maldonado Sistemas de Informação Departamento de Engenharia de Produção e Sistemas Gestão Estratégica da TI
  • 3. Na atualidade: os processos, as inter- depêndencias hierarquicas e o ambiente de negócios são complexos; Portanto, há uma maior necessidade de sistemas de informação para: • Atingir a excelência operacional; • Desenvolver novos produtos; • Estreitar o relacionamento com o cliente (e com os fornecedores); • Melhorar a tomada de decisão (precisão e velocidade); • Gerar vantagem competitiva; • Assegurar a sobrevivência do negócio.
  • 8. PERSPECTIVA FUNCIONAL Sistemas de Vendas e Marketing Sistemas de Manufatura e Produção Sistemas Financeiros Sistemas de RH
  • 9. • A função de vendas e marketing é responsável pela venda dos produtos e serviços da organização: • O marketing preocupa-se em identificar os clientes (4Ps); • A função vendas dedica-se a contatar clientes, oferecer produtos e serviços, fechar pedidos e fazer o acompanhamento das vendas; • Os sistemas de informação de vendas e marketing dão suporte a todas essas atividades; • Input: dados de vendas (por exemplo, os POS); • Output: Relatórios gerenciais. SISTEMAS DE VENDAS E MARKETING
  • 10. SISTEMAS DE VENDAS E MARKETING
  • 11. • A função de manufatura e produção é responsável pela produção propriamente dita dos bens e serviços da empresa, tratam: • do planejamento,desenvolvimento e manutenção das instalações de produção; • do estabelecimento de metas de produção; • Da aquisição,armazenagem e disponibilidade de materiais de produção; • Da programação de equipamentos,instalações,matérias- primas e trabalhos exigidos para fabricar produtos. • Os sistemas de informação de manufatura e produção dão suporte a todas essas atividades; SISTEMAS DE MANUFATURA
  • 12. • Os diferentes níveis hierárquicos utilizam os SMP de formas diferentes: • A gerência sênior usa os SMP para lidar com as metas de longo prazo (p.ex. Onde localizar as novas fábricas, ou como investir em nova tecnologia); • A gerência média usa os SMP para analisar a monitorar custos e recursos de manufatura; • A gerência operacional usa os SMP para executar tarefas relacionadas ao andamento da produção • Muitos desses sistemas são utilizados também para o controle do estoque: • Pode estimar-se a quantidade ótima de reposição. SISTEMAS DE MANUFATURA
  • 15. • Os SPT registram as informações rotineiras sobre transações e atividades básicas da organização, tais como o registro de pedidos de venda, sistemas de reserva de hotel, folha de pagamento, manutenção do registro de funcionários e expedição; • Os SPT também são importantes fontes de informação para outros tipos de sistema: • Por exemplo, um sistema de contas a receber, junto com outros SPT contábeis, fornecem dados ao sistema de livro- razão da empresa, responsável pelos registros de entradas e saídas e pela produção de relatórios como o DRE e o Balanço Patrimonial. SISTEMA DE PROCESSAMENTO DE TRANSAÇÕES
  • 16. • Os SIG sintetizam e relatam as operações básicas da empresa, para atender gerentes interessados em resultados semanais, mensais e anuais; • Em geral, respondem a perguntas rotineiras, especificadas previamente e cujo procedimento de obtenção é predefinido: • Por exemplo, podem • comparar os resultados • das vendas anuais de • produtos específicos • com as metas planejadas. Sua capacidade analítica é reduzida, pois a maioria dos SIG utiliza rotinas simples como resumos ou comparações, em vez de modelos matemáticos sofisticados. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS
  • 17. Arquivo de pedidos Arquivo mestre de produção Arquivos de contabilidade Sistema de Processamento de Pedidos Sistema de Planejamento de Recursos Materiais Sistema de Livro-razão SISTEMA DE PROCESSAMENTO DE TRANSAÇÕES ARQUIVOS DO SIG Dados de vendas Dados de custo unitário Dados de modificação de produtos Dados de despesas SIG GERENTES SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS Relatórios Gerenciais
  • 18. • Os SAD ajudam a gerentes de nível médio a tomar decisões não usuais (problemas únicos e que se alteram com rapidez); • Tentam responder perguntas complexas: • Ex.: Qual seria o impacto na programação da produção se dobrássemos as vendas em Dezembro? • Ex: O que aconteceria com o nosso ROI se a programação de determinada fábrica atrasasse seis meses? • Os SAD usam informações internas dos SPT e dos SIG, mas também podem recorrer a informações externas (cotação de ações, preço dos concorrentes, etc.); • Utilizam modelos matemáticos sofisticados e técnicas estatísticas para analisar os dados e para apresentá-los num formato que possa ser utilizado pelos tomadores de decisão. SISTEMAS DE APOIO A DECISÃO
  • 19. • Sistema de estimativa de transporte para uma subsidiária que transporta cargas a granel de carvão, óleo, minérios e produtos acabados para a matriz; • A empresa é dona de alguns navios, freta outros e oferece serviço de transporte geral de cargas no mercado aberto; • O SAD calcula os aspectos financeiros e técnicos do transporte: • Financeiros:Relação de custos por navio/período de fretamento; taxas de frete para os vários tipos de carga e despesasportuárias; • Técnicos:capacidade de carga;velocidade do navio; etc. • O SAD pode responder perguntas como: • Dadas a programação de entrega de um cliente e a taxa de frete oferecida, qual navio deverá ser designado para o transporte e que taxa maximizaria os lucros? SISTEMAS DE APOIO A DECISÃO
  • 20. Banco de Dados de modelos analíticos Arquivo sobre o navio (capacidade de carga e velocidade) Arquivo de restrições ao atracamento Arquivo de custos de consumo de combustível Arquivo de histórico de custo de fretamento do navio Arquivo de aduana (Alfândega) PC Consultas Online SISTEMAS DE APOIO A DECISÃO
  • 23. • Sistemas de informação sob a perspectiva funcional (sistemas legados) precisam trabalhar em conjunto; • Isto é um desafio (tipos de software, plataformas diferentes, código diferente, etc.); • Ou seja, o desafio é fazê-los “conversar” entre si (interoperabilidade); • A solução é implantar aplicativos integrados: • Sistemas que abrangem todas as áreas funcionais; • Utilizam a perspectiva de processos de negócio; • Incluem todos os níveis de gerência. APLICATIVOS INTEGRADOS
  • 24. • Existem quatro grandes tipos de aplicativos integrados: • Sistemas de Planejamento de Recursos Empresariais (ERP); • Sistemas de Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos (SCM); • Sistemas de Gerenciamento do Relacionamento com o Cliente (CRM); • Sistemas de Gestão do Conhecimento (KMS). APLICATIVOS INTEGRADOS
  • 26. §Maior produtora mundial de alumínio e produtos derivados do alumínio; §Cada unidade de negócio possuia seus próprios SI; §Muitos SI eram redundantes e ineficiêntes; §P. ex. O processo de cobrança era custoso e seu Tempo de Ciclo era mais longo do que os das outras empresas do Setor. ERP
  • 27. § Após implantar o ERP da Oracle, a Alcoa eliminou muitos processos e sistemas redundantes; § Ao verificar o recebimento de mercadorias e gerar automaticamente recibos para pagamento, o ERP ajudou a reduzir o Tempo de Ciclo do processo de cobrança em 89%; § Ao centralizar as atividades financeiras e de compras, a empresa teve uma redução de 20% dos custos ERP
  • 28. § O ERP da empresa inclui também o gerenciamento dos recursos humanos, mostrando as correlações entre investimento em capacitação e qualidade; §Mede os custos de prestar serviços aos funcionários em toda a empresa; § Avalia a efetividade das políticas de recrutamento, remuneração e capacitação. ERP
  • 31. • Coletam informações de vários processos de negócio importantes (manufatura, finanças e contabilidade, vendas e marketing, RH e outras); • O objetivo do sistema ERP é oferecer acesso integrado a informações que se encontram nos “silos” da organização; • Assim, a informação anteriormente fragmentada em sistemas distintos, pode ser compartilhada por toda a empresa; • Os ERP aceleram a comunicação intra- organizacional, e assim, tornam mais fácil coordenar as operações diárias. ERP
  • 33. • Processos Financeiros e Contábeis: • Livro-razão, contas a pagar, contas a receber, previsão de caixa, centros de custo, contabilidade, relatórios e outros. • Processos de Recursos Humanos: • Gestão de pessoal, folha de pagamento, benefícios, seleção de candidatos, gestão de desempenho e outros. • Processos de Produção e Manufatura: • Seleção de fornecedores, gestão do estoque, PCP, compra, MRP, controle de qualidade, distribuição e outros. • Processos de Vendas e Marketing: • Pedidos, cotações, contratos, determinação de preços, faturamento, parcelamento, comissões de vendas e outros. PRINCIPAIS PROCESSOS APOIADOS PELO ERP
  • 34. Banco de Dados Centralizado ERPRecursos Humanos Finanças e Contabilidade Manufatura e Produção Vendas e Marketing Pedidos Previsões de Vendas Devoluções Alterações de preço Programação de Produção Datas de expedição Capacidade de Produção Dinheiro em caixa Contas a receber Créditos e Receitas Horas trabalhadas Custos dos trabalhadores Requisitos de cada cargo PRINCIPAIS PROCESSOS APOIADOS PELO ERP
  • 35. INTEGRAÇÃO DO ERP COM OUTROS SISTEMAS
  • 36. BENEFÍCIOS DO ERP (1 de 2) Benefícios tangíveis do ERP Ocorrência Redução de estoques 32% Redução de pessoal 27% Aumento de produtividade 26% Redução do Tempo de ciclo de ordens 20% Redução do Tempo de ciclo de fechamento contábil 19% Redução de custos de TI 14% Colangelo Filho (2001). Implantação de sistemas ERP. São Paulo: Atlas.
  • 37. Benefícios tangíveis do ERP Ocorrência Melhorias em processos de suprimentos 12% Melhorias na gestão de caixa 11% Aumento em receitas e lucro 11% Melhorias em transporte e logística 9% Melhorias em processos de manutenção 7% Entrega no Prazo 6% Colangelo Filho (2001). Implantação de sistemas ERP. São Paulo: Atlas. BENEFÍCIOS DO ERP (2 de 2)
  • 38. TEMPO ESPERADO DE IMPLANTAÇÃO Tempo para Implantar um ERP EUA Suécia ≤ 12 meses 34% 38% 13 to 24 meses 45% 49% 25 to 36 meses 11% 8% 37 to 48 meses 6% 4% > 48 meses 2% 1% Mabert et al. (2000); Olhager & Selldin (2003)
  • 39. Custo de Implantação EUA Suécia < $5 milhões 42% 40% $5 a $25 milhões 33% 35% $26 a $50 milhões 10% 18% $51 a $100 milhões 7% 7% > $100 milhões 7% - CUSTO DE IMPLANTAÇÃO Mabert et al. (2000); Olhager & Selldin (2003)
  • 40. §Hersheys demorou 3 anos implantando um ERP de 115 Mi USD; §Sistema iria substituir vários outros sistemas funcionais, integrando estoques, produção, processamento de pedidos, folha de pagamentos, contabilidade e finanças; § O erro foi tentar implantar o sistema em todos os departamentos da empresa ao mesmo tempo na época de mais vendas do ano. ERP – CASO DE INSUCESSO
  • 41. PROPORÇÃO DOS CUSTOS Onde o dinheiro foi gasto EUA Suécia Software 30% 24% Consultoria 24% 30% Hardware 18% 19% Equipe de Implantação 14% 12% Treinamento 11% 14% Outros 3% 1% Mabert et al. (2000); Olhager & Selldin (2003)
  • 42. ROI esperado Obtido < 5% 14% 5% to 15% 18% 16% to 25% 36% 26% to 50% 18% > 50% 13% Mabert et al. (2000) Pesquisa com 400+ indústrias RETORNO DO INVESTIMENTO
  • 43. V.A. Mabert, A. Soni, and M.A.Venkataramanan, “Enterprise Resource Planning Survey of U.S. Manufacturing Firms,” Production and Inventory Management, 41, 2 (2000): 52-58. § A maior parte dos ERPs demora anos em ser implementado § A tendência é reduzir esses tempos § Os custos variam bastante § A empresa tem a decisão de saber até quanto gastar § Treinamento no Sistema geralmente é sub- orçamentado § Nem todos os que implementam esperam grandes retornos. EM SÍNTESE - ERP
  • 44. • Sistemas orientados para suportar as atividades a seguir. • Aquisição de clientes; • Retenção de clientes; • Extensão de clientes (cross-selling and up-selling); • Seleção de clientes (escolher os segmentos certos). • Incluem módulos como: • Automação de vendas; • Serviço de atendimento ao cliente; • Gestão do processo de vendas; • Gestão de campanhas publicitárias; • Análise de informações. • Proporcionam informações relacionadas com o volume de vendas, segmentação de clientes, tendências de mercado e outras. CRM
  • 46. § Empresas pequenas: poucos produtos e serviços, pequeno número de fornecedores: § Coordenação entre pedidos e entregas relativamente facil. § Empresas operando em escala regional, nacional ou global, grande número de fornecedores: § Os SCM são uma resposta aos problemas de complexidade e escala. § Sistemas integrados que oferecem suporte às atividades de gestão da cadeia de suprimentos. § Possuem módulos como: compras, previsão de demanda, controle de estoque, relacionamento com fornecedores, transporte e outros. SISTEMAS DE GERENCIAMENTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS
  • 47. Cadeia de Suprimentos Uma rede de organizações e processos de negócio para selecionar matérias primas, transformá-las em produtos intermediários e acabados e distribuir os produtos acabados aos clientes. A cadeia interliga fornecedores, instalações industriais, centros de distribuição, varejistas e clientes com a finalidade de fornecer produtos e serviços desde a fonte até o ponto de consumo. Laudon e Laudon (2007) SCM
  • 50. § Uma boa parte da perda de eficiência em cadeias de suprimentos é explicada por informações imprecisas e extemporâneas; § Por exemplo, fabricantes tendem a manter excesso de peças em estoque pois não sabem exatamente quando irão receber a próxima entrega dos fornecedores: “I’m not hoarding, I’m just stocking up before the hoarders get here” § O ideal: just-in-time; § Contudo, sempre existirá incerteza: demanda, atrasos nas remessas, peças defeituosas, ou ainda, panes no processo de produção: § A resposta: estoque de segurança; § O risco: o efeito chicote. EFICIÊNCIA DA CADEIA DE SUPRIMENTOS
  • 51. Efeito Chicote (Bullwhip Effect) qO efeito chicote é produzido quando a informação da demanda de um produto é distorcida à medida que passa de uma entidade à entidade seguinte na cadeia de suprimento. q Uma pequena variação na demanda de um item pode fazer com que diferentes membros da cadeia abarrotem o estoque só para ter o suficiente “por precaução” EFEITO CHICOTE
  • 53. § A P&G descobriu que devido a este tipo de informação distorcida, tinha estoques excessivos de suas fraldas Pampers; § Embora as compras nas lojas fossem razoavelmente estáveis, os pedidos dos distribuidores disparavam quando a P&G lançava promoções agressivas de preço. § Assim, os produtos da Pampers acumulavam-se nos armazéns ao longo da cadeia para atender uma demanda que não existia. EFEITO CHICOTE - EXEMPLO
  • 54. § O efeito chicote pode ser controlado quando todos os membros da cadeia contam com informações precisas e atualizadas; § Informações sobre níveis de estoque, programações, previsões e embarques. § Se todos os membros possuirem estas informações, saberão como ajustar seus pedidos de aquisição de matéria-prima, fabricação e distribuição; § Os sistemas SCM oferecem este tipo de informação. EFEITO CHICOTE E SCM
  • 55. § Sistemas de Planejamento da Cadeia de Suprimentos. § Geram previsões de demanda e desenvolvem planos de aquisição de matérias-primas e fabricação; § Ajudam a determinar a quantidade de produtos a ser fabricada; § Ajudam a estabelecer níveis de estoque; § Determinam onde armazenar os produtos acabados e o tipo de transporte. § Sistemas de Execução da Cadeia de Suprimentos: § Gerenciam o fluxo de produtos desde o centro de distribuição e depósitos até os locais certos de entrega, da forma mais eficiente possível; § Monitoram a situação física dos produtos, o gerenciamento de materiais, as operações de armazenamento e transporte, e as informações financeiras. § Principais fornecedores: Manugistics, i2, SAP, Oracle. TIPOS DE SCM
  • 56. Os sistemas de gestão do conhecimento permitem às organizações administrar melhor seus processos, a fim de capturar e aplicar conhecimentos e expertise. SISTEMAS DE GESTÃO DO CONHECIMENTO
  • 57. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 1. LA-Cap01 2. LA-Cap02 3. LA-Cap08 This work is licensed under a Creative Commons Attribution- NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.
  • 58. Prof. Dr. Mauricio Uriona Maldonado Sistemas de Informação Departamento de Engenharia de Produção e Sistemas Gestão Estratégica da TI