SlideShare uma empresa Scribd logo
Estudo Elaborado: Pr. Ricardo Gondim
I Carta aos Coríntios
Aula 3 – EBD 2016 - 2º. S.
10 Rogo-vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que
digais todos uma mesma coisa, e que não haja entre vós dissensões; antes sejais
unidos em um mesmo pensamento e em um mesmo parecer.
11 Porque a respeito de vós, irmãos meus, me foi comunicado pelos da família
de Cloé que há contendas entre vós.
12 Quero dizer com isto, que cada um de vós diz: Eu sou de Paulo, e eu de
Apolo, e eu de Cefas, e eu de Cristo.
13 Está Cristo dividido? foi Paulo crucificado por vós? ou fostes vós batizados
em nome de Paulo?
10 - Tenho uma preocupação séria a compartilhar com vocês, meus
amigos, pela autoridade de Jesus nosso Senhor. Tentarei ser o mais
direto possível: vocês precisam aprender a entrar em acordo. Devem ter
consideração uns pelos outros, cultivando a vida em comum.
11-12 - Menciono a questão porque alguns membros da família de Cloe
me deram uma notícia preocupante: que estão brigando entre vocês. Vou
dizer exatamente o que ouvi. Vocês estão criando partidos e declarando:
“Eu estou do lado de Paulo”; ou: “Eu prefiro Apolo”; ou: “Pedro é o meu
líder”; ou: “Eu pertenço ao grupo do Messias”.
13-16 - Pergunto a vocês: o Messias, por acaso, foi cortado em
pedacinhos para que cada um de nós tenha uma parte dele? Paulo foi
crucificado por vocês? Algum de vocês foi batizado em nome de Paulo?
Não participei de nenhum dos batismos de vocês, com exceção dos de
Crispo e Gaio. E agora, diante dessa questão, estou feliz de não ter
participado. Pelo menos, ninguém pode sair por aí dizendo que foi
batizado em meu nome. (Pensando bem, batizei outra família, a de
Estéfanas, mas, pelo que me lembro, foram apenas esses.)
17 - Deus não me enviou para ajuntar seguidores meus, mas para pregar
a Mensagem, anunciar o que ele tem feito e reunir seguidores dele. Não
fui enviado para pregar confiando em minha eloquência, banalizando,
assim, o que importa: a cruz de Cristo. Ela não pode ser reduzida a mero
discurso.
Atos 18 – Descreve a formação da Igreja de
Corinto na segunda viagem de Paulo
• Paulo recebe em Éfeso notícias de que a
igreja não ia bem (Cloe a mulher citada no verso 11)
• O grande problema era o relacionamento
entre os irmãos
• Ele recebe estas notícias e escreve a 1ª.
Carta que se perdeu, esta é na realidade a
2ª. Carta escrita.
• Como não teve muito resultado Paulo
resolve ir a Corinto visitar a igreja, a
narrativa está na 2ª. Carta (4ª.)
• Ele não teve muito êxito e então vai embora
e escreve uma 2ª. Carta (na realidade
escreveu a 3ª. Que também se perdeu)
• Os irmãos da igreja de corinto eram os
filhos na fé de Paulo e apesar de não poder
estar perto fica preocupado com seus
problemas que podem se dividir em:
1. Divisão – cap. 1 – 4
2. Imoralidade / Conduta – cap. 5-6
3. Casamento – cap. 7
4. Liberdade do Cristão – cap. 8-10
5. Problemas c/culto – cap. 11-14
6. Problemas teológicos – cap. 15 (eles não
acreditavam na ressurreição de mortos)
7. Orientação / Saudações Gerais – cap. 16
Segundo o Comentário Bíblico de Calvino
• Em Atos, Lucas nos conta que, após ter Paulo ensinado ali
durante 1 ano e meio, ele foi obrigado, em virtude do
comportamento ultrajante dos judeus, a viajar dali para a
Síria.
• Durante a ausência de Paulo, falsos apóstolos se
infiltraram na região. Existem 3 razões para o seu
surgimento.
1. Eles se orgulhavam de sua oratória brilhante e
ostensiva, e convencidos por sua linguagem vazia
e bombástica, passaram a tratar com desprezo a
simplicidade de Paulo e do Evangelho.
2. Movidos por sua ambição almejavam dividir a
igreja em várias facções.
3. Indiferentes a tudo, exceto em desfrutar das boas
graças que desejavam que o povo tivesse deles.
• Por outro lado, visto que Corinto se achava
dominada pelos vícios com os quais as cidades
comerciais geralmente são infestadas, ou seja,
a luxúria, a arrogância, a vaidade, os
prazeres, a cobiça insaciável, o
egoísmo desenfreado.
• Tais vícios tinha penetrado também na própria
igreja de tal modo que a disciplina se tornou
deteriorada.
• Mais seriamente ainda, já se achava presente a
apostasia da sã doutrina, de modo tal que um
dos fundamentos da fé, a ressurreição dos
mortos, estava sendo questionada.
1 PAULO ( chamado apóstolo de Jesus Cristo, pela vontade
de Deus ), e o irmão Sóstenes,
2 À igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em
Cristo Jesus, chamados santos, com todos os que em todo o
lugar invocam o nome de nosso SENHOR Jesus Cristo, Senhor
deles e nosso:
• A igreja continuava a ser de Cristo
• Não julgue a igreja pelo pastor ou o pastor
pela igreja
• Ou seja, não é possível atribuir a crise a uma
condição de causa e efeito
• Corinto era uma igreja cristã enriquecida em
conhecimento e sabedoria, e tinha dons
5 Porque em tudo fostes enriquecidos nele, em toda
a palavra e em todo o conhecimento
6 ( Como o testemunho de Cristo foi mesmo
confirmado entre vós ).
7 De maneira que nenhum dom vos falta, esperando
a manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo,
• Então nós aprendemos com Paulo que não dá para
fazer uma relação entre – Causa e efeito
• Paulo fala que Corinto era uma igreja carnal
Dons Espirituais
Manifestação
Espiritualidade
Condição Humana
Santidade/Correção
Espiritualidade
• Divididos
• Heresias
• Imoralidade
• Brigados entre si
• Disputas entre eles
Dons Espirituais
• Falavam em línguas e
• Profetizavam
• Não dá para fazer uma relação causa e
efeito
• Dons espirituais são ferramentas para a
edificação
• Não são medidores de espiritualidade
Ninguem é de Ninguén
Ninguem é de Ninguén
Ninguem é de Ninguén
Ninguem é de Ninguén
Ninguem é de Ninguén
Ninguem é de Ninguén
Ninguem é de Ninguén
Ninguem é de Ninguén
Ninguem é de Ninguén
Ninguem é de Ninguén
Ninguem é de Ninguén
Ninguem é de Ninguén

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

08/05/2016 - Estudo de Gálatas - parte 01 - A autoridade de Paulo
08/05/2016 - Estudo de Gálatas - parte 01 - A autoridade de Paulo08/05/2016 - Estudo de Gálatas - parte 01 - A autoridade de Paulo
08/05/2016 - Estudo de Gálatas - parte 01 - A autoridade de Paulo
Camila Guimarães
 
28 Adventismo (Parte 1)
28   Adventismo (Parte 1)28   Adventismo (Parte 1)
28 Adventismo (Parte 1)
Robson Tavares Fernandes
 
Estudo biblico sobre as verdades
Estudo biblico sobre as verdadesEstudo biblico sobre as verdades
Estudo biblico sobre as verdades
ASD Remanescentes
 
Lição 5 - A justificação pela fé
Lição 5 - A justificação pela féLição 5 - A justificação pela fé
Lição 5 - A justificação pela fé
Natalino das Neves Neves
 
Hebreus lições 09 e 10
Hebreus  lições 09 e 10Hebreus  lições 09 e 10
Hebreus lições 09 e 10
olrsan
 
2021 2º trimestre jovem - lição 02
2021   2º trimestre jovem - lição 022021   2º trimestre jovem - lição 02
2021 2º trimestre jovem - lição 02
Joel Silva
 
LBA LIÇÃO 3 - JUSTIFICAÇÃO, SOMENTE PELA FÉ EM JESUS CRISTO
LBA LIÇÃO 3 - JUSTIFICAÇÃO, SOMENTE PELA FÉ EM JESUS CRISTOLBA LIÇÃO 3 - JUSTIFICAÇÃO, SOMENTE PELA FÉ EM JESUS CRISTO
LBA LIÇÃO 3 - JUSTIFICAÇÃO, SOMENTE PELA FÉ EM JESUS CRISTO
Natalino das Neves Neves
 
Lição 7 - A IGREJA NA REFORMA PROTESTANTE
Lição 7 - A IGREJA NA REFORMA PROTESTANTELição 7 - A IGREJA NA REFORMA PROTESTANTE
Lição 7 - A IGREJA NA REFORMA PROTESTANTE
Erberson Pinheiro
 
Estudos de Romanos - Parte 2
Estudos de Romanos - Parte 2Estudos de Romanos - Parte 2
Estudos de Romanos - Parte 2
Camila Guimarães
 
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
Joel Silva
 
A IASD não é Babilônia, nem Filha dela. é Irmã!
A IASD não é Babilônia, nem Filha dela. é Irmã!A IASD não é Babilônia, nem Filha dela. é Irmã!
A IASD não é Babilônia, nem Filha dela. é Irmã!
ASD Remanescentes
 
Justificação, somente pela fé em Jesus Cristo
Justificação, somente pela fé em Jesus CristoJustificação, somente pela fé em Jesus Cristo
Justificação, somente pela fé em Jesus Cristo
Erberson Pinheiro
 
Lição 11 uma igreja autenticamente pentecostal
Lição 11   uma igreja autenticamente pentecostalLição 11   uma igreja autenticamente pentecostal
Lição 11 uma igreja autenticamente pentecostal
Sergio Silva
 
CURRICULO DA EBD 2012 - Completo
CURRICULO DA EBD 2012 - CompletoCURRICULO DA EBD 2012 - Completo
CURRICULO DA EBD 2012 - Completo
Sergio Silva
 
"Somos mais que vencedores"
"Somos mais que vencedores""Somos mais que vencedores"
"Somos mais que vencedores"
JUERP
 
Lição 01- A Origem e Desenvolvimento da Igreja
Lição 01- A Origem e Desenvolvimento da IgrejaLição 01- A Origem e Desenvolvimento da Igreja
Lição 01- A Origem e Desenvolvimento da Igreja
Maxsuel Aquino
 
“Perseveravam na oração”
“Perseveravam na oração”“Perseveravam na oração”
“Perseveravam na oração”
JUERP
 
O que é crer
O que é crer O que é crer
O que é crer
Erberson Pinheiro
 
HERESIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
HERESIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)HERESIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
HERESIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
2021 2º trimestre jovem - lição 06
2021   2º trimestre jovem - lição 062021   2º trimestre jovem - lição 06
2021 2º trimestre jovem - lição 06
Joel Silva
 

Mais procurados (20)

08/05/2016 - Estudo de Gálatas - parte 01 - A autoridade de Paulo
08/05/2016 - Estudo de Gálatas - parte 01 - A autoridade de Paulo08/05/2016 - Estudo de Gálatas - parte 01 - A autoridade de Paulo
08/05/2016 - Estudo de Gálatas - parte 01 - A autoridade de Paulo
 
28 Adventismo (Parte 1)
28   Adventismo (Parte 1)28   Adventismo (Parte 1)
28 Adventismo (Parte 1)
 
Estudo biblico sobre as verdades
Estudo biblico sobre as verdadesEstudo biblico sobre as verdades
Estudo biblico sobre as verdades
 
Lição 5 - A justificação pela fé
Lição 5 - A justificação pela féLição 5 - A justificação pela fé
Lição 5 - A justificação pela fé
 
Hebreus lições 09 e 10
Hebreus  lições 09 e 10Hebreus  lições 09 e 10
Hebreus lições 09 e 10
 
2021 2º trimestre jovem - lição 02
2021   2º trimestre jovem - lição 022021   2º trimestre jovem - lição 02
2021 2º trimestre jovem - lição 02
 
LBA LIÇÃO 3 - JUSTIFICAÇÃO, SOMENTE PELA FÉ EM JESUS CRISTO
LBA LIÇÃO 3 - JUSTIFICAÇÃO, SOMENTE PELA FÉ EM JESUS CRISTOLBA LIÇÃO 3 - JUSTIFICAÇÃO, SOMENTE PELA FÉ EM JESUS CRISTO
LBA LIÇÃO 3 - JUSTIFICAÇÃO, SOMENTE PELA FÉ EM JESUS CRISTO
 
Lição 7 - A IGREJA NA REFORMA PROTESTANTE
Lição 7 - A IGREJA NA REFORMA PROTESTANTELição 7 - A IGREJA NA REFORMA PROTESTANTE
Lição 7 - A IGREJA NA REFORMA PROTESTANTE
 
Estudos de Romanos - Parte 2
Estudos de Romanos - Parte 2Estudos de Romanos - Parte 2
Estudos de Romanos - Parte 2
 
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
 
A IASD não é Babilônia, nem Filha dela. é Irmã!
A IASD não é Babilônia, nem Filha dela. é Irmã!A IASD não é Babilônia, nem Filha dela. é Irmã!
A IASD não é Babilônia, nem Filha dela. é Irmã!
 
Justificação, somente pela fé em Jesus Cristo
Justificação, somente pela fé em Jesus CristoJustificação, somente pela fé em Jesus Cristo
Justificação, somente pela fé em Jesus Cristo
 
Lição 11 uma igreja autenticamente pentecostal
Lição 11   uma igreja autenticamente pentecostalLição 11   uma igreja autenticamente pentecostal
Lição 11 uma igreja autenticamente pentecostal
 
CURRICULO DA EBD 2012 - Completo
CURRICULO DA EBD 2012 - CompletoCURRICULO DA EBD 2012 - Completo
CURRICULO DA EBD 2012 - Completo
 
"Somos mais que vencedores"
"Somos mais que vencedores""Somos mais que vencedores"
"Somos mais que vencedores"
 
Lição 01- A Origem e Desenvolvimento da Igreja
Lição 01- A Origem e Desenvolvimento da IgrejaLição 01- A Origem e Desenvolvimento da Igreja
Lição 01- A Origem e Desenvolvimento da Igreja
 
“Perseveravam na oração”
“Perseveravam na oração”“Perseveravam na oração”
“Perseveravam na oração”
 
O que é crer
O que é crer O que é crer
O que é crer
 
HERESIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
HERESIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)HERESIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
HERESIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
 
2021 2º trimestre jovem - lição 06
2021   2º trimestre jovem - lição 062021   2º trimestre jovem - lição 06
2021 2º trimestre jovem - lição 06
 

Destaque

Salvação I
Salvação ISalvação I
Salvação I
Ricardo Gondim
 
Princípios de Orígenes
Princípios de OrígenesPrincípios de Orígenes
Princípios de Orígenes
Ricardo Gondim
 
Meu teólogo favorito
Meu teólogo favoritoMeu teólogo favorito
Meu teólogo favorito
Ricardo Gondim
 
Aula 1 introdução
Aula 1   introduçãoAula 1   introdução
Aula 1 introdução
Ricardo Gondim
 
Aula 6 - Cristo o Grande Sacerdote
Aula 6 - Cristo o Grande SacerdoteAula 6 - Cristo o Grande Sacerdote
Aula 6 - Cristo o Grande Sacerdote
Ricardo Gondim
 
Aula 5 - Revisando a Carta de Hebreus
Aula 5 - Revisando a Carta de HebreusAula 5 - Revisando a Carta de Hebreus
Aula 5 - Revisando a Carta de Hebreus
Ricardo Gondim
 
Aula 4 - Jesus, o grande Salvador
Aula 4  - Jesus, o grande SalvadorAula 4  - Jesus, o grande Salvador
Aula 4 - Jesus, o grande Salvador
Ricardo Gondim
 
Aula 7 O homem diante da salvação
Aula 7   O homem diante da salvaçãoAula 7   O homem diante da salvação
Aula 7 O homem diante da salvação
Ricardo Gondim
 
Seitas e Heresias
Seitas e HeresiasSeitas e Heresias
Seitas e Heresias
Ricardo Gondim
 
A autosubstituição de Deus
A autosubstituição de DeusA autosubstituição de Deus
A autosubstituição de Deus
Ricardo Gondim
 
Bibliologia
BibliologiaBibliologia
Bibliologia
CursosTeologicos
 
Bibliologia - Estudo da Bíblia
Bibliologia - Estudo da BíbliaBibliologia - Estudo da Bíblia
Bibliologia - Estudo da Bíblia
Marcos Aurélio
 
Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Bibliologia - IBADEP: AULA 01Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Coop. Fabio Silva
 
Introdução geral à bíblia ppt
Introdução geral à bíblia pptIntrodução geral à bíblia ppt
Introdução geral à bíblia ppt
Gilson Barbosa
 
Bibliologia - Introdução - Aula 01
Bibliologia - Introdução - Aula 01Bibliologia - Introdução - Aula 01
Bibliologia - Introdução - Aula 01
Erivelton Rodrigues Nunes
 
Introdução bíblica
Introdução bíblicaIntrodução bíblica
Introdução bíblica
Alípio Vallim
 
A origem da Bíblia e a sua História
A origem da Bíblia e a sua HistóriaA origem da Bíblia e a sua História
A origem da Bíblia e a sua História
Robson Rocha
 
Cristãos acolhedores
Cristãos acolhedoresCristãos acolhedores
Cristãos acolhedores
Flavio Brim
 
Campanha de evangelismo da shalom
Campanha de evangelismo da shalomCampanha de evangelismo da shalom
Campanha de evangelismo da shalom
Flavio Brim
 
A agonia no getsêmani (charles h. spurgeon)
A agonia no getsêmani (charles h. spurgeon)A agonia no getsêmani (charles h. spurgeon)
A agonia no getsêmani (charles h. spurgeon)
Deusdete Soares
 

Destaque (20)

Salvação I
Salvação ISalvação I
Salvação I
 
Princípios de Orígenes
Princípios de OrígenesPrincípios de Orígenes
Princípios de Orígenes
 
Meu teólogo favorito
Meu teólogo favoritoMeu teólogo favorito
Meu teólogo favorito
 
Aula 1 introdução
Aula 1   introduçãoAula 1   introdução
Aula 1 introdução
 
Aula 6 - Cristo o Grande Sacerdote
Aula 6 - Cristo o Grande SacerdoteAula 6 - Cristo o Grande Sacerdote
Aula 6 - Cristo o Grande Sacerdote
 
Aula 5 - Revisando a Carta de Hebreus
Aula 5 - Revisando a Carta de HebreusAula 5 - Revisando a Carta de Hebreus
Aula 5 - Revisando a Carta de Hebreus
 
Aula 4 - Jesus, o grande Salvador
Aula 4  - Jesus, o grande SalvadorAula 4  - Jesus, o grande Salvador
Aula 4 - Jesus, o grande Salvador
 
Aula 7 O homem diante da salvação
Aula 7   O homem diante da salvaçãoAula 7   O homem diante da salvação
Aula 7 O homem diante da salvação
 
Seitas e Heresias
Seitas e HeresiasSeitas e Heresias
Seitas e Heresias
 
A autosubstituição de Deus
A autosubstituição de DeusA autosubstituição de Deus
A autosubstituição de Deus
 
Bibliologia
BibliologiaBibliologia
Bibliologia
 
Bibliologia - Estudo da Bíblia
Bibliologia - Estudo da BíbliaBibliologia - Estudo da Bíblia
Bibliologia - Estudo da Bíblia
 
Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Bibliologia - IBADEP: AULA 01Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Bibliologia - IBADEP: AULA 01
 
Introdução geral à bíblia ppt
Introdução geral à bíblia pptIntrodução geral à bíblia ppt
Introdução geral à bíblia ppt
 
Bibliologia - Introdução - Aula 01
Bibliologia - Introdução - Aula 01Bibliologia - Introdução - Aula 01
Bibliologia - Introdução - Aula 01
 
Introdução bíblica
Introdução bíblicaIntrodução bíblica
Introdução bíblica
 
A origem da Bíblia e a sua História
A origem da Bíblia e a sua HistóriaA origem da Bíblia e a sua História
A origem da Bíblia e a sua História
 
Cristãos acolhedores
Cristãos acolhedoresCristãos acolhedores
Cristãos acolhedores
 
Campanha de evangelismo da shalom
Campanha de evangelismo da shalomCampanha de evangelismo da shalom
Campanha de evangelismo da shalom
 
A agonia no getsêmani (charles h. spurgeon)
A agonia no getsêmani (charles h. spurgeon)A agonia no getsêmani (charles h. spurgeon)
A agonia no getsêmani (charles h. spurgeon)
 

Semelhante a Ninguem é de Ninguén

PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
Natalino das Neves Neves
 
2021 2º trimestre jovem - lição 03
2021   2º trimestre jovem - lição 032021   2º trimestre jovem - lição 03
2021 2º trimestre jovem - lição 03
Joel Silva
 
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
Pastor Natalino Das Neves
 
I corintios
I corintiosI corintios
I corintios
Joel Silva
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
PRELEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJAPRELEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
PRELEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
Natalino das Neves Neves
 
Lbj lição 7 A igreja na reforma protestante
Lbj lição 7   A igreja na reforma protestanteLbj lição 7   A igreja na reforma protestante
Lbj lição 7 A igreja na reforma protestante
boasnovassena
 
LIÇÃO 2 JOVENS AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO .pptx
LIÇÃO 2 JOVENS AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO .pptxLIÇÃO 2 JOVENS AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO .pptx
LIÇÃO 2 JOVENS AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO .pptx
KARINEVONEYVIEIRABAR
 
Estudo 01 santos e servos
Estudo 01   santos e servosEstudo 01   santos e servos
Estudo 01 santos e servos
André Luiz Bento Arêa
 
9. epístola de paulo 1' coríntios
9. epístola de paulo 1' coríntios9. epístola de paulo 1' coríntios
9. epístola de paulo 1' coríntios
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Filipe como missionário_Liç_Orig_1032015 + textos
Filipe como missionário_Liç_Orig_1032015 + textosFilipe como missionário_Liç_Orig_1032015 + textos
Filipe como missionário_Liç_Orig_1032015 + textos
Gerson G. Ramos
 
Doutrina i corintios
Doutrina  i corintiosDoutrina  i corintios
Doutrina i corintios
Joel Silva
 
Doutrina i corintios
Doutrina  i corintiosDoutrina  i corintios
Doutrina i corintios
Joel Silva
 
Lição 1 - A epístola aos romanos
Lição 1 - A epístola aos romanosLição 1 - A epístola aos romanos
Lição 1 - A epístola aos romanos
Ailton da Silva
 
Estudo da 1ª carta de paulo a corintios
Estudo da 1ª carta de paulo a corintiosEstudo da 1ª carta de paulo a corintios
Estudo da 1ª carta de paulo a corintios
Jose Emerson Barbosa da Silva
 
007 corintios 1º
007 corintios 1º007 corintios 1º
007 corintios 1º
Diógenes Gimenes
 
20151126.Estudo PGs 30
20151126.Estudo PGs 3020151126.Estudo PGs 30
20151126.Estudo PGs 30
Andre Nascimento
 
Livro bibliologia novo testamento
Livro bibliologia novo testamento Livro bibliologia novo testamento
Livro bibliologia novo testamento
Construção Edificações
 
A Fidelidade de Deus.
A  Fidelidade de Deus.A  Fidelidade de Deus.
A Fidelidade de Deus.
Márcio Martins
 
"Cristo vive em mim"
"Cristo vive em mim""Cristo vive em mim"
"Cristo vive em mim"
JUERP
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
Natalino das Neves Neves
 

Semelhante a Ninguem é de Ninguén (20)

PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
 
2021 2º trimestre jovem - lição 03
2021   2º trimestre jovem - lição 032021   2º trimestre jovem - lição 03
2021 2º trimestre jovem - lição 03
 
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
 
I corintios
I corintiosI corintios
I corintios
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
PRELEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJAPRELEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
PRELEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
 
Lbj lição 7 A igreja na reforma protestante
Lbj lição 7   A igreja na reforma protestanteLbj lição 7   A igreja na reforma protestante
Lbj lição 7 A igreja na reforma protestante
 
LIÇÃO 2 JOVENS AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO .pptx
LIÇÃO 2 JOVENS AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO .pptxLIÇÃO 2 JOVENS AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO .pptx
LIÇÃO 2 JOVENS AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO .pptx
 
Estudo 01 santos e servos
Estudo 01   santos e servosEstudo 01   santos e servos
Estudo 01 santos e servos
 
9. epístola de paulo 1' coríntios
9. epístola de paulo 1' coríntios9. epístola de paulo 1' coríntios
9. epístola de paulo 1' coríntios
 
Filipe como missionário_Liç_Orig_1032015 + textos
Filipe como missionário_Liç_Orig_1032015 + textosFilipe como missionário_Liç_Orig_1032015 + textos
Filipe como missionário_Liç_Orig_1032015 + textos
 
Doutrina i corintios
Doutrina  i corintiosDoutrina  i corintios
Doutrina i corintios
 
Doutrina i corintios
Doutrina  i corintiosDoutrina  i corintios
Doutrina i corintios
 
Lição 1 - A epístola aos romanos
Lição 1 - A epístola aos romanosLição 1 - A epístola aos romanos
Lição 1 - A epístola aos romanos
 
Estudo da 1ª carta de paulo a corintios
Estudo da 1ª carta de paulo a corintiosEstudo da 1ª carta de paulo a corintios
Estudo da 1ª carta de paulo a corintios
 
007 corintios 1º
007 corintios 1º007 corintios 1º
007 corintios 1º
 
20151126.Estudo PGs 30
20151126.Estudo PGs 3020151126.Estudo PGs 30
20151126.Estudo PGs 30
 
Livro bibliologia novo testamento
Livro bibliologia novo testamento Livro bibliologia novo testamento
Livro bibliologia novo testamento
 
A Fidelidade de Deus.
A  Fidelidade de Deus.A  Fidelidade de Deus.
A Fidelidade de Deus.
 
"Cristo vive em mim"
"Cristo vive em mim""Cristo vive em mim"
"Cristo vive em mim"
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
 

Mais de Ricardo Gondim

Poéticos II
Poéticos IIPoéticos II
Poéticos II
Ricardo Gondim
 
Históricos III
Históricos IIIHistóricos III
Históricos III
Ricardo Gondim
 
Poéticos I
Poéticos IPoéticos I
Poéticos I
Ricardo Gondim
 
Históricos II
Históricos IIHistóricos II
Históricos II
Ricardo Gondim
 
Históricos I
Históricos IHistóricos I
Históricos I
Ricardo Gondim
 
Aula 2 - Pentateuco
Aula 2 - PentateucoAula 2 - Pentateuco
Aula 2 - Pentateuco
Ricardo Gondim
 
Aula 1 apresentação site
Aula 1   apresentação siteAula 1   apresentação site
Aula 1 apresentação site
Ricardo Gondim
 
Aula 1 genesis
Aula 1   genesisAula 1   genesis
Aula 1 genesis
Ricardo Gondim
 
Aula 1 e 2 A mensagem de Hebreus
Aula 1 e 2   A mensagem de HebreusAula 1 e 2   A mensagem de Hebreus
Aula 1 e 2 A mensagem de Hebreus
Ricardo Gondim
 
O tabernáculo perfeito
O tabernáculo perfeitoO tabernáculo perfeito
O tabernáculo perfeito
Ricardo Gondim
 
Pedagogia pastoral
Pedagogia pastoralPedagogia pastoral
Pedagogia pastoral
Ricardo Gondim
 
Introdução 2 (profecia e comunhão)
Introdução 2 (profecia e comunhão)Introdução 2 (profecia e comunhão)
Introdução 2 (profecia e comunhão)
Ricardo Gondim
 
Introdução (vocação e ensino)
Introdução (vocação e ensino)Introdução (vocação e ensino)
Introdução (vocação e ensino)
Ricardo Gondim
 
Introdução 3 (serviço e adoração)
Introdução 3 (serviço e adoração)Introdução 3 (serviço e adoração)
Introdução 3 (serviço e adoração)
Ricardo Gondim
 
Introdução ao Estudo do NT
Introdução ao Estudo do NTIntrodução ao Estudo do NT
Introdução ao Estudo do NT
Ricardo Gondim
 
7a aula - A cobertura do tabernáculo
7a aula - A cobertura do tabernáculo7a aula - A cobertura do tabernáculo
7a aula - A cobertura do tabernáculo
Ricardo Gondim
 
Tabernáculo - Água da Vida
Tabernáculo - Água da VidaTabernáculo - Água da Vida
Tabernáculo - Água da Vida
Ricardo Gondim
 
Tabernáculo - Os engenheiros de Deus
Tabernáculo - Os engenheiros de DeusTabernáculo - Os engenheiros de Deus
Tabernáculo - Os engenheiros de Deus
Ricardo Gondim
 

Mais de Ricardo Gondim (18)

Poéticos II
Poéticos IIPoéticos II
Poéticos II
 
Históricos III
Históricos IIIHistóricos III
Históricos III
 
Poéticos I
Poéticos IPoéticos I
Poéticos I
 
Históricos II
Históricos IIHistóricos II
Históricos II
 
Históricos I
Históricos IHistóricos I
Históricos I
 
Aula 2 - Pentateuco
Aula 2 - PentateucoAula 2 - Pentateuco
Aula 2 - Pentateuco
 
Aula 1 apresentação site
Aula 1   apresentação siteAula 1   apresentação site
Aula 1 apresentação site
 
Aula 1 genesis
Aula 1   genesisAula 1   genesis
Aula 1 genesis
 
Aula 1 e 2 A mensagem de Hebreus
Aula 1 e 2   A mensagem de HebreusAula 1 e 2   A mensagem de Hebreus
Aula 1 e 2 A mensagem de Hebreus
 
O tabernáculo perfeito
O tabernáculo perfeitoO tabernáculo perfeito
O tabernáculo perfeito
 
Pedagogia pastoral
Pedagogia pastoralPedagogia pastoral
Pedagogia pastoral
 
Introdução 2 (profecia e comunhão)
Introdução 2 (profecia e comunhão)Introdução 2 (profecia e comunhão)
Introdução 2 (profecia e comunhão)
 
Introdução (vocação e ensino)
Introdução (vocação e ensino)Introdução (vocação e ensino)
Introdução (vocação e ensino)
 
Introdução 3 (serviço e adoração)
Introdução 3 (serviço e adoração)Introdução 3 (serviço e adoração)
Introdução 3 (serviço e adoração)
 
Introdução ao Estudo do NT
Introdução ao Estudo do NTIntrodução ao Estudo do NT
Introdução ao Estudo do NT
 
7a aula - A cobertura do tabernáculo
7a aula - A cobertura do tabernáculo7a aula - A cobertura do tabernáculo
7a aula - A cobertura do tabernáculo
 
Tabernáculo - Água da Vida
Tabernáculo - Água da VidaTabernáculo - Água da Vida
Tabernáculo - Água da Vida
 
Tabernáculo - Os engenheiros de Deus
Tabernáculo - Os engenheiros de DeusTabernáculo - Os engenheiros de Deus
Tabernáculo - Os engenheiros de Deus
 

Último

Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
marcobueno2024
 
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermosEnfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
FernandoCavalcante48
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 

Último (11)

Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
 
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermosEnfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 

Ninguem é de Ninguén

  • 1. Estudo Elaborado: Pr. Ricardo Gondim I Carta aos Coríntios Aula 3 – EBD 2016 - 2º. S.
  • 2. 10 Rogo-vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais todos uma mesma coisa, e que não haja entre vós dissensões; antes sejais unidos em um mesmo pensamento e em um mesmo parecer. 11 Porque a respeito de vós, irmãos meus, me foi comunicado pelos da família de Cloé que há contendas entre vós. 12 Quero dizer com isto, que cada um de vós diz: Eu sou de Paulo, e eu de Apolo, e eu de Cefas, e eu de Cristo. 13 Está Cristo dividido? foi Paulo crucificado por vós? ou fostes vós batizados em nome de Paulo?
  • 3. 10 - Tenho uma preocupação séria a compartilhar com vocês, meus amigos, pela autoridade de Jesus nosso Senhor. Tentarei ser o mais direto possível: vocês precisam aprender a entrar em acordo. Devem ter consideração uns pelos outros, cultivando a vida em comum. 11-12 - Menciono a questão porque alguns membros da família de Cloe me deram uma notícia preocupante: que estão brigando entre vocês. Vou dizer exatamente o que ouvi. Vocês estão criando partidos e declarando: “Eu estou do lado de Paulo”; ou: “Eu prefiro Apolo”; ou: “Pedro é o meu líder”; ou: “Eu pertenço ao grupo do Messias”. 13-16 - Pergunto a vocês: o Messias, por acaso, foi cortado em pedacinhos para que cada um de nós tenha uma parte dele? Paulo foi crucificado por vocês? Algum de vocês foi batizado em nome de Paulo? Não participei de nenhum dos batismos de vocês, com exceção dos de Crispo e Gaio. E agora, diante dessa questão, estou feliz de não ter participado. Pelo menos, ninguém pode sair por aí dizendo que foi batizado em meu nome. (Pensando bem, batizei outra família, a de Estéfanas, mas, pelo que me lembro, foram apenas esses.) 17 - Deus não me enviou para ajuntar seguidores meus, mas para pregar a Mensagem, anunciar o que ele tem feito e reunir seguidores dele. Não fui enviado para pregar confiando em minha eloquência, banalizando, assim, o que importa: a cruz de Cristo. Ela não pode ser reduzida a mero discurso.
  • 4. Atos 18 – Descreve a formação da Igreja de Corinto na segunda viagem de Paulo
  • 5.
  • 6. • Paulo recebe em Éfeso notícias de que a igreja não ia bem (Cloe a mulher citada no verso 11) • O grande problema era o relacionamento entre os irmãos • Ele recebe estas notícias e escreve a 1ª. Carta que se perdeu, esta é na realidade a 2ª. Carta escrita. • Como não teve muito resultado Paulo resolve ir a Corinto visitar a igreja, a narrativa está na 2ª. Carta (4ª.) • Ele não teve muito êxito e então vai embora e escreve uma 2ª. Carta (na realidade escreveu a 3ª. Que também se perdeu)
  • 7. • Os irmãos da igreja de corinto eram os filhos na fé de Paulo e apesar de não poder estar perto fica preocupado com seus problemas que podem se dividir em: 1. Divisão – cap. 1 – 4 2. Imoralidade / Conduta – cap. 5-6 3. Casamento – cap. 7 4. Liberdade do Cristão – cap. 8-10 5. Problemas c/culto – cap. 11-14 6. Problemas teológicos – cap. 15 (eles não acreditavam na ressurreição de mortos) 7. Orientação / Saudações Gerais – cap. 16
  • 8. Segundo o Comentário Bíblico de Calvino • Em Atos, Lucas nos conta que, após ter Paulo ensinado ali durante 1 ano e meio, ele foi obrigado, em virtude do comportamento ultrajante dos judeus, a viajar dali para a Síria. • Durante a ausência de Paulo, falsos apóstolos se infiltraram na região. Existem 3 razões para o seu surgimento. 1. Eles se orgulhavam de sua oratória brilhante e ostensiva, e convencidos por sua linguagem vazia e bombástica, passaram a tratar com desprezo a simplicidade de Paulo e do Evangelho. 2. Movidos por sua ambição almejavam dividir a igreja em várias facções. 3. Indiferentes a tudo, exceto em desfrutar das boas graças que desejavam que o povo tivesse deles.
  • 9. • Por outro lado, visto que Corinto se achava dominada pelos vícios com os quais as cidades comerciais geralmente são infestadas, ou seja, a luxúria, a arrogância, a vaidade, os prazeres, a cobiça insaciável, o egoísmo desenfreado. • Tais vícios tinha penetrado também na própria igreja de tal modo que a disciplina se tornou deteriorada. • Mais seriamente ainda, já se achava presente a apostasia da sã doutrina, de modo tal que um dos fundamentos da fé, a ressurreição dos mortos, estava sendo questionada.
  • 10. 1 PAULO ( chamado apóstolo de Jesus Cristo, pela vontade de Deus ), e o irmão Sóstenes, 2 À igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados santos, com todos os que em todo o lugar invocam o nome de nosso SENHOR Jesus Cristo, Senhor deles e nosso: • A igreja continuava a ser de Cristo • Não julgue a igreja pelo pastor ou o pastor pela igreja
  • 11. • Ou seja, não é possível atribuir a crise a uma condição de causa e efeito • Corinto era uma igreja cristã enriquecida em conhecimento e sabedoria, e tinha dons 5 Porque em tudo fostes enriquecidos nele, em toda a palavra e em todo o conhecimento 6 ( Como o testemunho de Cristo foi mesmo confirmado entre vós ). 7 De maneira que nenhum dom vos falta, esperando a manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo,
  • 12. • Então nós aprendemos com Paulo que não dá para fazer uma relação entre – Causa e efeito • Paulo fala que Corinto era uma igreja carnal Dons Espirituais Manifestação Espiritualidade Condição Humana Santidade/Correção Espiritualidade • Divididos • Heresias • Imoralidade • Brigados entre si • Disputas entre eles Dons Espirituais • Falavam em línguas e • Profetizavam
  • 13. • Não dá para fazer uma relação causa e efeito • Dons espirituais são ferramentas para a edificação • Não são medidores de espiritualidade