SlideShare uma empresa Scribd logo
Salas de Recursos Multifuncionais
Educação Especial na perspectiva do Atendimento Educacional
Especializado

Goiânia, 02 de agosto de 2011

Disciplina: Salas de Recursos Multifuncionais, Ajudas Técnicas e
Recursos Específicos (Libras)

Prof. Especialista Euder Arrais Barretos
A implantação das Salas de Recursos
Multifuncionais nas escolas comuns da rede
pública de ensino atende a necessidade
histórica da educação brasileira, de
promover as condições de acesso,
participação e aprendizagem dos alunos
público alvo da educação especial no ensino
regular,   possibilitando   a     oferta do
atendimento educacional especializado, de
forma não substitutiva à escolarização.
Relembrando e ...
      CONTEXTUALIZANDO

ASPECTOS LEGAIS E PEDAGÓGICOS DO
    ATENDIMENTO EDUCACIONAL
       ESPECIALIZADO – AEE
Antes de 1988

    Alunos com deficiência matriculados em escolas e classes
                          especiais :

              SUBSTITUTIVO AO ENSINO REGULAR

  Após 1988

  Constituição - ARTIGO 208/III - atendimento educacional
especializado aos portadores de deficiência, preferencialmente
na rede regular de ensino – Direito à educação regular e
especial, porém como

             COMPLEMENTO AO ENSINO REGULAR
Lei n°. 9.394/96. Estabelece as diretrizes e bases
da educação nacional: AEE, conceitua educação
especial, assegura as condições para educandos
com NEEs.

As Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na
Educação Básica, 2001, em seu artigo 2° orientam
que:"Os sistemas de ensino devem matricular todos os
alunos, cabendo às escolas organizar-se para o
atendimento aos educandos com necessidades
educacionais especiais, assegurando as condições
necessárias para uma educação de qualidade para
todos".
A Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva
da Educação Inclusiva (2008) define a Educação
Especial como modalidade de ensino transversal a todos
os níveis, etapas e modalidades, que disponibiliza
recursos e serviços e o atendimento educacional
especializado.
O Conselho Nacional de Educação, por meio
da Resolução CNE/CEB nº 4/2009, estabelece
as Diretrizes Operacionais para o Atendimento
Educacional Especializado na Educação Básica
RESOLUÇÃO Nº 4, DE 13 DE JULHO DE 2010
Define Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Básica.
Seção II Educação Especial

Art. 29. A Educação Especial, como modalidade transversal a
todos os níveis, etapas e modalidades de ensino, é parte
integrante da educação regular, devendo ser prevista no projeto
político-pedagógico da unidade escolar.
§ 1º Os sistemas de ensino devem matricular os estudantes com
deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas
habilidades/superdotação nas classes comuns do ensino regular e
no Atendimento Educacional Especializado (AEE), complementar
ou suplementar à escolarização, ofertado em salas de recursos
multifuncionais ou em centros de AEE da rede pública ou de
instituições comunitárias, confessionais ou filantrópicas sem fins
lucrativos.
NOTA TÉCNICA Nº 05 / 2011 / MEC / SECADI / GAB

Assunto:     Implementação      da    Educação
Bilíngue.
À luz das deliberações da Conferência Nacional de
Educação/2010, a meta 4 do Projeto de Lei nº 8.08.035/2010,
que institui o Plano Nacional de Educação para o decênio
2011-2020, prevê, no item 4.4, “manter e aprofundar
programa nacional de acessibilidade nas escolas públicas
para adequação arquitetônica, oferta de transporte acessível,
disponibilização de material didático acessível e recursos de
tecnologia assistiva, e oferta da educação bilíngue em língua
portuguesa e língua brasileira de sinais – Libras”. Também,
prevê no item 4.5, “fomentar a educação inclusiva,
promovendo a articulação entre o ensino regular e o
atendimento educacional especializado complementar
ofertado em sala de recursos multifuncionais da própria
escola ou em instituições especializadas.”

Brasília, 27 de abril de 2010.
O que é o AEE?

Um serviço da Educação Especial que:
• Identifica,
• elabora e
• organiza recursos pedagógicos e de
  acessibilidade que eliminem as barreiras
  para a plena participação dos alunos,
  considerando as suas necessidades
  específicas.
  O AEE complementa e/ou suplementa a formação
  do aluno com vistas à autonomia e independência
  na escola e fora dela
PARA QUEM ?

     O AEE realiza uma ação
 específica para ajudar o aluno
   com deficiência, transtorno
global do desenvolvimento, altas
habilidades/superdotação a agir
     de modo estruturado no
  ambiente escolar e fora dele,
considerando as especificidades
         de cada aluno.
Alunos com deficiência
Aqueles que têm impedimentos de longo
prazo de natureza física, intelectual,
mental ou sensorial, os quais, em
interação com diversas barreiras, podem
ter obstruído sua participação plena e
efetiva na escola e na sociedade;
Alunos com transtornos globais do
              desenvolvimento


Aqueles que apresentam um quadro de
alterações        no          desenvolvimento
neuropsicomotor,     comprometimento      nas
relações sociais, na comunicação ou
estereotipias motoras. Incluem-se nessa
definição alunos com autismo síndromes do
espectro do autismo psicose infantil;
Alunos com altas habilidades ou
              superdotação
Aqueles que apresentam um potencial elevado
e grande envolvimento com as áreas do
conhecimento       humano,        isoladas ou
combinadas: intelectual, acadêmica, liderança,
psicomotora, artes e criatividade.
Onde e Quando ?
• O AEE é realizado, prioritariamente, nas salas de recursos
multifuncionais da própria escola em que o educando está
matriculado.

• Há ainda a possibilidade de esse atendimento acontecer em uma
outra escola próxima ou em um centro especializado da rede
pública ou de instituição especializada comunitárias, confessionais ou
filantrópicas sem fins lucrativos, conveniada com a secretaria de
educação ou órgão equivalente dos estados, do Distrito Federal ou
dos municípios.


• É realizado no período inverso ao da classe comum frequentada
pelo aluno e na própria escola desse aluno ou em outra de ensino
regular.


Não pode ser substitutivo às classes comuns
A escola de ensino regular deve institucionalizar a oferta do
AEE, prevendo na sua organização:

I - Sala de recursos multifuncionais: espaço físico, mobiliários,
materiais didáticos, recursos pedagógicos e de acessibilidade e
equipamentos específicos;
II - Matrícula no AEE de alunos matriculados no ensino regular da
própria escola ou de outra escola;
III - Cronograma de atendimento aos alunos;
IV - Plano do AEE: identificação das necessidades educacionais
específicas dos alunos, definição dos recursos necessários e das
atividades a serem desenvolvidas;
V - Professores para o exercício do AEE;
VI - Outros profissionais da educação: tradutor
intérprete de Língua Brasileira de Sinais, guia-
intérprete e outros que atuem no apoio,
principalmente ás atividades de alimentação, higiene
e locomoção;
VII - Redes de apoio no âmbito da atuação
profissional, da formação, do desenvolvimento da
pesquisa, do acesso a recursos, serviços e
equipamentos, entre outros que maximizem o AEE.
PARA ATENDIMENTO NA SRM, DEVE-SE CONSIDERAR (NO PPP):

• Carga  horária para os alunos do AEE, individual ou em
pequenos grupos, de acordo com as necessidades
educacionais específicas;
• Espaço físico com condições de acessibilidade e materiais
pedagógicos para as atividades do AEE;
• Professores com formação para atuação nas salas de
recursos multifuncionais;
• Profissionais de apoio às atividades da vida diária e para a
acessibilidade nas comunicações e informações, quando
necessário;
• Articulação entre os professores da educação
especial e do ensino regular e a formação continuada
de toda a equipe escolar;
• Participação das famílias e interface com os
demais serviços públicos de saúde, assistência, entre
outros necessários;
• Oferta de vagas no AEE para alunos matriculados
no ensino regular da própria escola e de outras
escolas da rede pública, conforme demanda;
• Registro anual no Censo Escolar MEC/INEP das
matriculas no AEE.
POR QUEM ?

  Profissional com formação inicial que o habilite para
exercício da docência e formação específica na educação
                        especial.
Atribuições do professor de AEE:
• Elaboração, execução e avaliação do plano de AEE do aluno;
• Definição do cronograma e das atividades do atendimento do
aluno;
• Organização de estratégias pedagógicas e identificação e
produção de recursos acessíveis;
• Ensino e desenvolvimento das atividades próprias do AEE, tais
como: Libras, Braille, orientação e mobilidade, Língua Portuguesa
para alunos surdos; informática acessível; Comunicação
Alternativa e Aumentativa - CAA, atividades de desenvolvimento
das habilidades mentais superiores e atividades de
enriquecimento curricular;
• Acompanhamento da funcionalidade e
usabilidade dos recursos de tecnologia assistiva
na sala de aula comum e ambientes escolares;
• Articulação com os professores das classes
comuns, nas diferentes etapas e modalidades de
ensino;
• Orientação aos professores do ensino regular e
às famílias sobre os recursos utilizados pelo
aluno;
• Interface com as áreas da saúde, assistência,
trabalho e outras.
Critérios para a Implantação das SRM
• A secretaria de educação a qual se vincula a escola deve ter
elaborado o Plano de Ações Articuladas – PAR, registrando as
demandas do sistema de ensino com base no diagnóstico da
realidade educacional;
• A escola indicada deve ser da rede pública de ensino regular,
conforme registro no Censo Escolar MEC/INEP (escola comum);
• A escola de ensino regular deve ter matrícula de aluno(s) público
alvo da educação especial em classe comum, registrado(s) no
Censo Escolar/INEP, para a implantação da sala Tipo I;
• A escola de ensino regular deve ter matrícula de aluno(s) cego(s)
em classe comum, registrado(s) no Censo Escolar/INEP, para a
implantação da sala de Tipo II;
• A escola deve ter disponibilidade de espaço físico para o
funcionamento da sala e professor para atuação no AEE.
Sala Tipo I:

Equipamentos

02 Microcomputadores
01 Laptop
01 Estabilizador
01 Scanner
01 Impressora laser
01 Teclado com colméia
01 Acionador de pressão
01 Mouse com entrada para acionador
01 Lupa eletrônica
Mobiliários

01 Mesa redonda
04 Cadeiras
01 Mesa para impressora
01 Armário
01 Quadro branco
02 Mesas para computador
02 Cadeiras
Materiais Didático/Pedagógico
01 Material Dourado
01 Esquema Corporal
01 Bandinha Rítmica
01 Memória de Numerais l
01Tapete Alfabético Encaixado
01Software Comunicação Alternativa
01 Sacolão Criativo Monta Tudo
01 Quebra Cabeças - seqüência lógica
01 Dominó de Frases
01 Dominó de Animais em Libras
01 Dominó de Associação de Idéias
01 Dominó de Frutas em Libras
01 Dominó tátil
01 Alfabeto Braille
01 Kit de lupas manuais
01 Plano inclinado – suporte para leitura
01 Memória Tátil
Sala Tipo II:

Equipamentos e Matérias Didático/Pedagógico

01 Impressora Braille – pequeno porte
01 Máquina de datilografia Braille
01 Reglete de Mesa
01 Punção
01 Soroban
01 Guia de Assinatura
01 Kit de Desenho Geométrico
01 Calculadora Sonora
AEE em Língua Portuguesa para
     alunos com surdez




                                AEE em Comunicação aumentativa
                                       e alternativa - CAA
Aluno aprendendo a usar um recurso
                                             óptico na sala de recursos
   Professor do AEE ensinando ao
                                                  multifuncionais.
aluno com cegueira a usar o leitor de
                tela.




Atuação do professor
      na SRM
                                        Prancha de comunicação produzida
                                        pelo professor do AEE para uso em
                                               sala de aula comum.
Aprendendo na SRM

Aranha-mola – recurso para o aluno
com dificuldades motoras na escrita.




                                          Ensino do Sistema Braille na
                                               máquina Braille.
Equipamentos da SRM
Sala de Recursos
Multifuncionais

                     Materiais didáticos




                   Equipamentos e materiais
                   para alunos com cegueira
MAIS INFORMAÇÕES ...


Entrega, Instalação e Garantia dos Recursos.

Identificação e Segurança dos Recursos.

Doação dos Recursos.

Funcionamento (MANUTENÇÃO)das Salas.
Outras informações sobre o Programa de Implantação de
Salas de Recursos Multifuncionais poderão ser obtidas
pelo e-mail seesp@mec.gov.br

Lembre-se de fazer constar na solicitação as seguintes
informações:

• Assunto: Sala de Recursos Multifuncionais
• Dados: Denominação da escola ou secretaria
solicitante; endereço; telefone; e-mail.
• Identificação: Nome completo do gestor ou professor
responsável pelo contato.
Referência Bibliográfica
BRASIL, Ministério da Educação/MEC. Secretaria de Educação
Especial/SEESP. Manual de Orientação: Programa de Implantação
de Salas de Recursos Multifuncionais. 2010.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Capacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Capacitação de educadores e cuidadores Educação InclusivaCapacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Capacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Secretaria de Educação e Cultura - SEMEC aAcari
 
Plano de atendimento educacional especializado para aluno tgd
Plano de atendimento educacional especializado para aluno tgdPlano de atendimento educacional especializado para aluno tgd
Plano de atendimento educacional especializado para aluno tgd
Lucinaldo Tenório
 
Aee. sala multifuncional
Aee. sala multifuncionalAee. sala multifuncional
Aee. sala multifuncional
Marcélia Amorim Cardoso
 
Ficha de atendimento do aee
Ficha de atendimento do aeeFicha de atendimento do aee
Ficha de atendimento do aee
Lima Pedagoga
 
Atendimento Educacional Especializado
Atendimento Educacional EspecializadoAtendimento Educacional Especializado
Atendimento Educacional Especializado
Simone Dias
 
Plano de aee
Plano de aeePlano de aee
Plano de aee
ceciliaconserva
 
Modelo do plano de aula AEE TEA
Modelo do plano de aula AEE TEAModelo do plano de aula AEE TEA
Modelo do plano de aula AEE TEA
Lisraelle Silva
 
Formação para Cuidadores Educacional
Formação para Cuidadores EducacionalFormação para Cuidadores Educacional
Formação para Cuidadores Educacional
Rosana Santos
 
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectualEstrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Paula Aparecida Alve Alves
 
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptxO PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
AnaRocha812480
 
81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação
81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação
81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação
SimoneHelenDrumond
 
Aee apresentacao
Aee apresentacaoAee apresentacao
Aee apresentacao
luiscmf
 
Deficiencia intelectual
Deficiencia intelectualDeficiencia intelectual
Deficiencia intelectual
Rosana Santos
 
Sugestões de Materiais e Recursos
Sugestões de Materiais e RecursosSugestões de Materiais e Recursos
Sugestões de Materiais e Recursos
Instituto Consciência GO
 
Inclusão escolar o planejamento das aulas tem de prever atividades para todo...
Inclusão escolar  o planejamento das aulas tem de prever atividades para todo...Inclusão escolar  o planejamento das aulas tem de prever atividades para todo...
Inclusão escolar o planejamento das aulas tem de prever atividades para todo...
SimoneHelenDrumond
 
ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO/ SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS
ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO/ SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAISATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO/ SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS
ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO/ SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS
Classe Especial SZ Inclusão
 
Plano de ação 2011
Plano de ação 2011Plano de ação 2011
Plano de ação 2011
GERALDOGOMESDEBARROS
 
Estudo de caso
Estudo de casoEstudo de caso
Estudo de caso
Danielle Lobato
 
1 COLEÇÃO MEUS PORTFÓLIOS PEI PLANO EDUCACIONAL INDIVIDUALIZADO TOTAL DE PÁG...
1 COLEÇÃO MEUS PORTFÓLIOS PEI  PLANO EDUCACIONAL INDIVIDUALIZADO TOTAL DE PÁG...1 COLEÇÃO MEUS PORTFÓLIOS PEI  PLANO EDUCACIONAL INDIVIDUALIZADO TOTAL DE PÁG...
1 COLEÇÃO MEUS PORTFÓLIOS PEI PLANO EDUCACIONAL INDIVIDUALIZADO TOTAL DE PÁG...
SimoneHelenDrumond
 
Relatório de acompanhamento do professor de aee
Relatório de acompanhamento do professor de aeeRelatório de acompanhamento do professor de aee
Relatório de acompanhamento do professor de aee
Augusto Bertotto
 

Mais procurados (20)

Capacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Capacitação de educadores e cuidadores Educação InclusivaCapacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Capacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
 
Plano de atendimento educacional especializado para aluno tgd
Plano de atendimento educacional especializado para aluno tgdPlano de atendimento educacional especializado para aluno tgd
Plano de atendimento educacional especializado para aluno tgd
 
Aee. sala multifuncional
Aee. sala multifuncionalAee. sala multifuncional
Aee. sala multifuncional
 
Ficha de atendimento do aee
Ficha de atendimento do aeeFicha de atendimento do aee
Ficha de atendimento do aee
 
Atendimento Educacional Especializado
Atendimento Educacional EspecializadoAtendimento Educacional Especializado
Atendimento Educacional Especializado
 
Plano de aee
Plano de aeePlano de aee
Plano de aee
 
Modelo do plano de aula AEE TEA
Modelo do plano de aula AEE TEAModelo do plano de aula AEE TEA
Modelo do plano de aula AEE TEA
 
Formação para Cuidadores Educacional
Formação para Cuidadores EducacionalFormação para Cuidadores Educacional
Formação para Cuidadores Educacional
 
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectualEstrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectual
 
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptxO PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
 
81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação
81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação
81 planejamento brincando a aprendendo com a matemática autismo e educação
 
Aee apresentacao
Aee apresentacaoAee apresentacao
Aee apresentacao
 
Deficiencia intelectual
Deficiencia intelectualDeficiencia intelectual
Deficiencia intelectual
 
Sugestões de Materiais e Recursos
Sugestões de Materiais e RecursosSugestões de Materiais e Recursos
Sugestões de Materiais e Recursos
 
Inclusão escolar o planejamento das aulas tem de prever atividades para todo...
Inclusão escolar  o planejamento das aulas tem de prever atividades para todo...Inclusão escolar  o planejamento das aulas tem de prever atividades para todo...
Inclusão escolar o planejamento das aulas tem de prever atividades para todo...
 
ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO/ SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS
ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO/ SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAISATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO/ SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS
ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO/ SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS
 
Plano de ação 2011
Plano de ação 2011Plano de ação 2011
Plano de ação 2011
 
Estudo de caso
Estudo de casoEstudo de caso
Estudo de caso
 
1 COLEÇÃO MEUS PORTFÓLIOS PEI PLANO EDUCACIONAL INDIVIDUALIZADO TOTAL DE PÁG...
1 COLEÇÃO MEUS PORTFÓLIOS PEI  PLANO EDUCACIONAL INDIVIDUALIZADO TOTAL DE PÁG...1 COLEÇÃO MEUS PORTFÓLIOS PEI  PLANO EDUCACIONAL INDIVIDUALIZADO TOTAL DE PÁG...
1 COLEÇÃO MEUS PORTFÓLIOS PEI PLANO EDUCACIONAL INDIVIDUALIZADO TOTAL DE PÁG...
 
Relatório de acompanhamento do professor de aee
Relatório de acompanhamento do professor de aeeRelatório de acompanhamento do professor de aee
Relatório de acompanhamento do professor de aee
 

Semelhante a Salas de Recursos Multifuncionais

Salas de recursos[1]
Salas de recursos[1]Salas de recursos[1]
Salas de recursos[1]
Instituto Consciência GO
 
diretrizes_publicacao.pdfxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
diretrizes_publicacao.pdfxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxdiretrizes_publicacao.pdfxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
diretrizes_publicacao.pdfxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
IedaGoethe
 
Diretrizes Operacionais ATENDIMENTO EDUCAÇAO ESPECIAL
Diretrizes Operacionais ATENDIMENTO EDUCAÇAO ESPECIALDiretrizes Operacionais ATENDIMENTO EDUCAÇAO ESPECIAL
Diretrizes Operacionais ATENDIMENTO EDUCAÇAO ESPECIAL
ssuserb7b55a
 
Documento orientador do programa implantação de salas de recursos
Documento orientador do programa implantação de salas de recursosDocumento orientador do programa implantação de salas de recursos
Documento orientador do programa implantação de salas de recursos
Carlos Junior
 
Doc orientador sala multifuncionais
Doc orientador sala multifuncionaisDoc orientador sala multifuncionais
Doc orientador sala multifuncionais
Taise Presotto
 
Doc orientador multifuncionais
Doc orientador multifuncionaisDoc orientador multifuncionais
Doc orientador multifuncionais
eurenicedosreis
 
Sala de Recursos Multifuncionais
Sala de Recursos MultifuncionaisSala de Recursos Multifuncionais
Sala de Recursos Multifuncionais
Instituto Consciência GO
 
Direito_a_diversidade-Salas_de_recursos_rioverde
Direito_a_diversidade-Salas_de_recursos_rioverdeDireito_a_diversidade-Salas_de_recursos_rioverde
Direito_a_diversidade-Salas_de_recursos_rioverde
Tânia Sampaio
 
Apresentação1 Teste
Apresentação1 TesteApresentação1 Teste
Apresentação1 Teste
Marcilanealves
 
Resolucao cne ceb_n_04_2009_texto
Resolucao cne ceb_n_04_2009_textoResolucao cne ceb_n_04_2009_texto
Resolucao cne ceb_n_04_2009_texto
martamello
 
Resolução AEE
Resolução AEEResolução AEE
Resolução AEE
ivesmaria
 
4a s aee_ead_2013_resolucao_cne_ceb_n_04_2009_texto
4a s aee_ead_2013_resolucao_cne_ceb_n_04_2009_texto4a s aee_ead_2013_resolucao_cne_ceb_n_04_2009_texto
4a s aee_ead_2013_resolucao_cne_ceb_n_04_2009_texto
eurenicedosreis
 
4a s aee_ead_2013_resolucao_cne_ceb_n_04_2009_texto
4a s aee_ead_2013_resolucao_cne_ceb_n_04_2009_texto4a s aee_ead_2013_resolucao_cne_ceb_n_04_2009_texto
4a s aee_ead_2013_resolucao_cne_ceb_n_04_2009_texto
DebsAEE
 
Educação Especial.pptx
Educação Especial.pptxEducação Especial.pptx
Educação Especial.pptx
MarceloSilva644295
 
Planejamento, Organização e Implementação de Projetos Político Pedagógicos pa...
Planejamento, Organização e Implementação de Projetos Político Pedagógicos pa...Planejamento, Organização e Implementação de Projetos Político Pedagógicos pa...
Planejamento, Organização e Implementação de Projetos Político Pedagógicos pa...
Instituto Consciência GO
 
pPolitica Nacional de Educação Especial na perspectiva da educação inclusiva.
pPolitica Nacional de Educação Especial na perspectiva da educação inclusiva.pPolitica Nacional de Educação Especial na perspectiva da educação inclusiva.
pPolitica Nacional de Educação Especial na perspectiva da educação inclusiva.
Ana Karina
 
Atendimento educacional especializado.ppt2 libera limes-4-7-11congresso 2011
Atendimento educacional especializado.ppt2   libera limes-4-7-11congresso 2011Atendimento educacional especializado.ppt2   libera limes-4-7-11congresso 2011
Atendimento educacional especializado.ppt2 libera limes-4-7-11congresso 2011
Wildete Silva
 
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidiaUnidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Silene Lívia
 
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidiaUnidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Silene Lívia
 
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidiaUnidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Silene Lívia
 

Semelhante a Salas de Recursos Multifuncionais (20)

Salas de recursos[1]
Salas de recursos[1]Salas de recursos[1]
Salas de recursos[1]
 
diretrizes_publicacao.pdfxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
diretrizes_publicacao.pdfxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxdiretrizes_publicacao.pdfxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
diretrizes_publicacao.pdfxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
 
Diretrizes Operacionais ATENDIMENTO EDUCAÇAO ESPECIAL
Diretrizes Operacionais ATENDIMENTO EDUCAÇAO ESPECIALDiretrizes Operacionais ATENDIMENTO EDUCAÇAO ESPECIAL
Diretrizes Operacionais ATENDIMENTO EDUCAÇAO ESPECIAL
 
Documento orientador do programa implantação de salas de recursos
Documento orientador do programa implantação de salas de recursosDocumento orientador do programa implantação de salas de recursos
Documento orientador do programa implantação de salas de recursos
 
Doc orientador sala multifuncionais
Doc orientador sala multifuncionaisDoc orientador sala multifuncionais
Doc orientador sala multifuncionais
 
Doc orientador multifuncionais
Doc orientador multifuncionaisDoc orientador multifuncionais
Doc orientador multifuncionais
 
Sala de Recursos Multifuncionais
Sala de Recursos MultifuncionaisSala de Recursos Multifuncionais
Sala de Recursos Multifuncionais
 
Direito_a_diversidade-Salas_de_recursos_rioverde
Direito_a_diversidade-Salas_de_recursos_rioverdeDireito_a_diversidade-Salas_de_recursos_rioverde
Direito_a_diversidade-Salas_de_recursos_rioverde
 
Apresentação1 Teste
Apresentação1 TesteApresentação1 Teste
Apresentação1 Teste
 
Resolucao cne ceb_n_04_2009_texto
Resolucao cne ceb_n_04_2009_textoResolucao cne ceb_n_04_2009_texto
Resolucao cne ceb_n_04_2009_texto
 
Resolução AEE
Resolução AEEResolução AEE
Resolução AEE
 
4a s aee_ead_2013_resolucao_cne_ceb_n_04_2009_texto
4a s aee_ead_2013_resolucao_cne_ceb_n_04_2009_texto4a s aee_ead_2013_resolucao_cne_ceb_n_04_2009_texto
4a s aee_ead_2013_resolucao_cne_ceb_n_04_2009_texto
 
4a s aee_ead_2013_resolucao_cne_ceb_n_04_2009_texto
4a s aee_ead_2013_resolucao_cne_ceb_n_04_2009_texto4a s aee_ead_2013_resolucao_cne_ceb_n_04_2009_texto
4a s aee_ead_2013_resolucao_cne_ceb_n_04_2009_texto
 
Educação Especial.pptx
Educação Especial.pptxEducação Especial.pptx
Educação Especial.pptx
 
Planejamento, Organização e Implementação de Projetos Político Pedagógicos pa...
Planejamento, Organização e Implementação de Projetos Político Pedagógicos pa...Planejamento, Organização e Implementação de Projetos Político Pedagógicos pa...
Planejamento, Organização e Implementação de Projetos Político Pedagógicos pa...
 
pPolitica Nacional de Educação Especial na perspectiva da educação inclusiva.
pPolitica Nacional de Educação Especial na perspectiva da educação inclusiva.pPolitica Nacional de Educação Especial na perspectiva da educação inclusiva.
pPolitica Nacional de Educação Especial na perspectiva da educação inclusiva.
 
Atendimento educacional especializado.ppt2 libera limes-4-7-11congresso 2011
Atendimento educacional especializado.ppt2   libera limes-4-7-11congresso 2011Atendimento educacional especializado.ppt2   libera limes-4-7-11congresso 2011
Atendimento educacional especializado.ppt2 libera limes-4-7-11congresso 2011
 
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidiaUnidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
 
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidiaUnidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
 
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidiaUnidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
Unidade3 ativ3 plano_de_aula_autoria_de_objeto_hipermidia
 

Mais de Instituto Consciência GO

Princípios da Ventilação Invasiva
Princípios da Ventilação InvasivaPrincípios da Ventilação Invasiva
Princípios da Ventilação Invasiva
Instituto Consciência GO
 
O processo de Avaliação no Ensino Superior
O processo de Avaliação no Ensino SuperiorO processo de Avaliação no Ensino Superior
O processo de Avaliação no Ensino Superior
Instituto Consciência GO
 
Saúde e Educação
Saúde e EducaçãoSaúde e Educação
Saúde e Educação
Instituto Consciência GO
 
Modelo de Artigo Científico
Modelo de Artigo CientíficoModelo de Artigo Científico
Modelo de Artigo Científico
Instituto Consciência GO
 
Informe Psicopedagógico
Informe PsicopedagógicoInforme Psicopedagógico
Informe Psicopedagógico
Instituto Consciência GO
 
Normatização para Trabalhos Acadêmicos
Normatização para Trabalhos AcadêmicosNormatização para Trabalhos Acadêmicos
Normatização para Trabalhos Acadêmicos
Instituto Consciência GO
 
TDAH
TDAHTDAH
Atenção
AtençãoAtenção
Saúde do Trabalhador no SUS - CEREST
Saúde do Trabalhador no SUS - CERESTSaúde do Trabalhador no SUS - CEREST
Saúde do Trabalhador no SUS - CEREST
Instituto Consciência GO
 
Parametro de QLDD
Parametro de QLDDParametro de QLDD
Parametro de QLDD
Instituto Consciência GO
 
Direitos da Criança na Ed. Infantil
Direitos da Criança na Ed. InfantilDireitos da Criança na Ed. Infantil
Direitos da Criança na Ed. Infantil
Instituto Consciência GO
 
DCNEIs
DCNEIsDCNEIs
Currículo nos anos inicias
Currículo nos anos iniciasCurrículo nos anos inicias
Currículo nos anos inicias
Instituto Consciência GO
 
Currículo e educação infantil - teóricos atuais
Currículo e educação infantil - teóricos atuaisCurrículo e educação infantil - teóricos atuais
Currículo e educação infantil - teóricos atuais
Instituto Consciência GO
 
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...
Instituto Consciência GO
 
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira Tôrres
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira TôrresPalestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira Tôrres
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira Tôrres
Instituto Consciência GO
 
A familia brasileira - Saude Publica
A familia brasileira - Saude PublicaA familia brasileira - Saude Publica
A familia brasileira - Saude Publica
Instituto Consciência GO
 
Saúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial
Saúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencialSaúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial
Saúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial
Instituto Consciência GO
 
Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da família
Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da famíliaUm modelo de educação em saúde para o programa saúde da família
Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da família
Instituto Consciência GO
 
SIAD
SIADSIAD

Mais de Instituto Consciência GO (20)

Princípios da Ventilação Invasiva
Princípios da Ventilação InvasivaPrincípios da Ventilação Invasiva
Princípios da Ventilação Invasiva
 
O processo de Avaliação no Ensino Superior
O processo de Avaliação no Ensino SuperiorO processo de Avaliação no Ensino Superior
O processo de Avaliação no Ensino Superior
 
Saúde e Educação
Saúde e EducaçãoSaúde e Educação
Saúde e Educação
 
Modelo de Artigo Científico
Modelo de Artigo CientíficoModelo de Artigo Científico
Modelo de Artigo Científico
 
Informe Psicopedagógico
Informe PsicopedagógicoInforme Psicopedagógico
Informe Psicopedagógico
 
Normatização para Trabalhos Acadêmicos
Normatização para Trabalhos AcadêmicosNormatização para Trabalhos Acadêmicos
Normatização para Trabalhos Acadêmicos
 
TDAH
TDAHTDAH
TDAH
 
Atenção
AtençãoAtenção
Atenção
 
Saúde do Trabalhador no SUS - CEREST
Saúde do Trabalhador no SUS - CERESTSaúde do Trabalhador no SUS - CEREST
Saúde do Trabalhador no SUS - CEREST
 
Parametro de QLDD
Parametro de QLDDParametro de QLDD
Parametro de QLDD
 
Direitos da Criança na Ed. Infantil
Direitos da Criança na Ed. InfantilDireitos da Criança na Ed. Infantil
Direitos da Criança na Ed. Infantil
 
DCNEIs
DCNEIsDCNEIs
DCNEIs
 
Currículo nos anos inicias
Currículo nos anos iniciasCurrículo nos anos inicias
Currículo nos anos inicias
 
Currículo e educação infantil - teóricos atuais
Currículo e educação infantil - teóricos atuaisCurrículo e educação infantil - teóricos atuais
Currículo e educação infantil - teóricos atuais
 
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Dra. Meire Incarnacão Ribeiro...
 
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira Tôrres
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira TôrresPalestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira Tôrres
Palestra IV Seminário Multidisciplinar do ICG - Ms. Lisa Valéria Vieira Tôrres
 
A familia brasileira - Saude Publica
A familia brasileira - Saude PublicaA familia brasileira - Saude Publica
A familia brasileira - Saude Publica
 
Saúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial
Saúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencialSaúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial
Saúde da Família: Uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial
 
Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da família
Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da famíliaUm modelo de educação em saúde para o programa saúde da família
Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da família
 
SIAD
SIADSIAD
SIAD
 

Salas de Recursos Multifuncionais

  • 1. Salas de Recursos Multifuncionais Educação Especial na perspectiva do Atendimento Educacional Especializado Goiânia, 02 de agosto de 2011 Disciplina: Salas de Recursos Multifuncionais, Ajudas Técnicas e Recursos Específicos (Libras) Prof. Especialista Euder Arrais Barretos
  • 2. A implantação das Salas de Recursos Multifuncionais nas escolas comuns da rede pública de ensino atende a necessidade histórica da educação brasileira, de promover as condições de acesso, participação e aprendizagem dos alunos público alvo da educação especial no ensino regular, possibilitando a oferta do atendimento educacional especializado, de forma não substitutiva à escolarização.
  • 3. Relembrando e ... CONTEXTUALIZANDO ASPECTOS LEGAIS E PEDAGÓGICOS DO ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO – AEE
  • 4. Antes de 1988 Alunos com deficiência matriculados em escolas e classes especiais : SUBSTITUTIVO AO ENSINO REGULAR Após 1988 Constituição - ARTIGO 208/III - atendimento educacional especializado aos portadores de deficiência, preferencialmente na rede regular de ensino – Direito à educação regular e especial, porém como COMPLEMENTO AO ENSINO REGULAR
  • 5. Lei n°. 9.394/96. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional: AEE, conceitua educação especial, assegura as condições para educandos com NEEs. As Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica, 2001, em seu artigo 2° orientam que:"Os sistemas de ensino devem matricular todos os alunos, cabendo às escolas organizar-se para o atendimento aos educandos com necessidades educacionais especiais, assegurando as condições necessárias para uma educação de qualidade para todos".
  • 6. A Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva (2008) define a Educação Especial como modalidade de ensino transversal a todos os níveis, etapas e modalidades, que disponibiliza recursos e serviços e o atendimento educacional especializado. O Conselho Nacional de Educação, por meio da Resolução CNE/CEB nº 4/2009, estabelece as Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica
  • 7. RESOLUÇÃO Nº 4, DE 13 DE JULHO DE 2010 Define Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Básica. Seção II Educação Especial Art. 29. A Educação Especial, como modalidade transversal a todos os níveis, etapas e modalidades de ensino, é parte integrante da educação regular, devendo ser prevista no projeto político-pedagógico da unidade escolar. § 1º Os sistemas de ensino devem matricular os estudantes com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação nas classes comuns do ensino regular e no Atendimento Educacional Especializado (AEE), complementar ou suplementar à escolarização, ofertado em salas de recursos multifuncionais ou em centros de AEE da rede pública ou de instituições comunitárias, confessionais ou filantrópicas sem fins lucrativos.
  • 8. NOTA TÉCNICA Nº 05 / 2011 / MEC / SECADI / GAB Assunto: Implementação da Educação Bilíngue.
  • 9. À luz das deliberações da Conferência Nacional de Educação/2010, a meta 4 do Projeto de Lei nº 8.08.035/2010, que institui o Plano Nacional de Educação para o decênio 2011-2020, prevê, no item 4.4, “manter e aprofundar programa nacional de acessibilidade nas escolas públicas para adequação arquitetônica, oferta de transporte acessível, disponibilização de material didático acessível e recursos de tecnologia assistiva, e oferta da educação bilíngue em língua portuguesa e língua brasileira de sinais – Libras”. Também, prevê no item 4.5, “fomentar a educação inclusiva, promovendo a articulação entre o ensino regular e o atendimento educacional especializado complementar ofertado em sala de recursos multifuncionais da própria escola ou em instituições especializadas.” Brasília, 27 de abril de 2010.
  • 10. O que é o AEE? Um serviço da Educação Especial que: • Identifica, • elabora e • organiza recursos pedagógicos e de acessibilidade que eliminem as barreiras para a plena participação dos alunos, considerando as suas necessidades específicas. O AEE complementa e/ou suplementa a formação do aluno com vistas à autonomia e independência na escola e fora dela
  • 11. PARA QUEM ? O AEE realiza uma ação específica para ajudar o aluno com deficiência, transtorno global do desenvolvimento, altas habilidades/superdotação a agir de modo estruturado no ambiente escolar e fora dele, considerando as especificidades de cada aluno.
  • 12. Alunos com deficiência Aqueles que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, intelectual, mental ou sensorial, os quais, em interação com diversas barreiras, podem ter obstruído sua participação plena e efetiva na escola e na sociedade;
  • 13. Alunos com transtornos globais do desenvolvimento Aqueles que apresentam um quadro de alterações no desenvolvimento neuropsicomotor, comprometimento nas relações sociais, na comunicação ou estereotipias motoras. Incluem-se nessa definição alunos com autismo síndromes do espectro do autismo psicose infantil;
  • 14. Alunos com altas habilidades ou superdotação Aqueles que apresentam um potencial elevado e grande envolvimento com as áreas do conhecimento humano, isoladas ou combinadas: intelectual, acadêmica, liderança, psicomotora, artes e criatividade.
  • 15. Onde e Quando ? • O AEE é realizado, prioritariamente, nas salas de recursos multifuncionais da própria escola em que o educando está matriculado. • Há ainda a possibilidade de esse atendimento acontecer em uma outra escola próxima ou em um centro especializado da rede pública ou de instituição especializada comunitárias, confessionais ou filantrópicas sem fins lucrativos, conveniada com a secretaria de educação ou órgão equivalente dos estados, do Distrito Federal ou dos municípios. • É realizado no período inverso ao da classe comum frequentada pelo aluno e na própria escola desse aluno ou em outra de ensino regular. Não pode ser substitutivo às classes comuns
  • 16. A escola de ensino regular deve institucionalizar a oferta do AEE, prevendo na sua organização: I - Sala de recursos multifuncionais: espaço físico, mobiliários, materiais didáticos, recursos pedagógicos e de acessibilidade e equipamentos específicos; II - Matrícula no AEE de alunos matriculados no ensino regular da própria escola ou de outra escola; III - Cronograma de atendimento aos alunos; IV - Plano do AEE: identificação das necessidades educacionais específicas dos alunos, definição dos recursos necessários e das atividades a serem desenvolvidas;
  • 17. V - Professores para o exercício do AEE; VI - Outros profissionais da educação: tradutor intérprete de Língua Brasileira de Sinais, guia- intérprete e outros que atuem no apoio, principalmente ás atividades de alimentação, higiene e locomoção; VII - Redes de apoio no âmbito da atuação profissional, da formação, do desenvolvimento da pesquisa, do acesso a recursos, serviços e equipamentos, entre outros que maximizem o AEE.
  • 18. PARA ATENDIMENTO NA SRM, DEVE-SE CONSIDERAR (NO PPP): • Carga horária para os alunos do AEE, individual ou em pequenos grupos, de acordo com as necessidades educacionais específicas; • Espaço físico com condições de acessibilidade e materiais pedagógicos para as atividades do AEE; • Professores com formação para atuação nas salas de recursos multifuncionais; • Profissionais de apoio às atividades da vida diária e para a acessibilidade nas comunicações e informações, quando necessário;
  • 19. • Articulação entre os professores da educação especial e do ensino regular e a formação continuada de toda a equipe escolar; • Participação das famílias e interface com os demais serviços públicos de saúde, assistência, entre outros necessários; • Oferta de vagas no AEE para alunos matriculados no ensino regular da própria escola e de outras escolas da rede pública, conforme demanda; • Registro anual no Censo Escolar MEC/INEP das matriculas no AEE.
  • 20. POR QUEM ? Profissional com formação inicial que o habilite para exercício da docência e formação específica na educação especial.
  • 21. Atribuições do professor de AEE: • Elaboração, execução e avaliação do plano de AEE do aluno; • Definição do cronograma e das atividades do atendimento do aluno; • Organização de estratégias pedagógicas e identificação e produção de recursos acessíveis; • Ensino e desenvolvimento das atividades próprias do AEE, tais como: Libras, Braille, orientação e mobilidade, Língua Portuguesa para alunos surdos; informática acessível; Comunicação Alternativa e Aumentativa - CAA, atividades de desenvolvimento das habilidades mentais superiores e atividades de enriquecimento curricular;
  • 22. • Acompanhamento da funcionalidade e usabilidade dos recursos de tecnologia assistiva na sala de aula comum e ambientes escolares; • Articulação com os professores das classes comuns, nas diferentes etapas e modalidades de ensino; • Orientação aos professores do ensino regular e às famílias sobre os recursos utilizados pelo aluno; • Interface com as áreas da saúde, assistência, trabalho e outras.
  • 23. Critérios para a Implantação das SRM • A secretaria de educação a qual se vincula a escola deve ter elaborado o Plano de Ações Articuladas – PAR, registrando as demandas do sistema de ensino com base no diagnóstico da realidade educacional; • A escola indicada deve ser da rede pública de ensino regular, conforme registro no Censo Escolar MEC/INEP (escola comum); • A escola de ensino regular deve ter matrícula de aluno(s) público alvo da educação especial em classe comum, registrado(s) no Censo Escolar/INEP, para a implantação da sala Tipo I; • A escola de ensino regular deve ter matrícula de aluno(s) cego(s) em classe comum, registrado(s) no Censo Escolar/INEP, para a implantação da sala de Tipo II; • A escola deve ter disponibilidade de espaço físico para o funcionamento da sala e professor para atuação no AEE.
  • 24. Sala Tipo I: Equipamentos 02 Microcomputadores 01 Laptop 01 Estabilizador 01 Scanner 01 Impressora laser 01 Teclado com colméia 01 Acionador de pressão 01 Mouse com entrada para acionador 01 Lupa eletrônica
  • 25. Mobiliários 01 Mesa redonda 04 Cadeiras 01 Mesa para impressora 01 Armário 01 Quadro branco 02 Mesas para computador 02 Cadeiras
  • 26. Materiais Didático/Pedagógico 01 Material Dourado 01 Esquema Corporal 01 Bandinha Rítmica 01 Memória de Numerais l 01Tapete Alfabético Encaixado 01Software Comunicação Alternativa 01 Sacolão Criativo Monta Tudo 01 Quebra Cabeças - seqüência lógica 01 Dominó de Frases 01 Dominó de Animais em Libras 01 Dominó de Associação de Idéias 01 Dominó de Frutas em Libras 01 Dominó tátil 01 Alfabeto Braille 01 Kit de lupas manuais 01 Plano inclinado – suporte para leitura 01 Memória Tátil
  • 27. Sala Tipo II: Equipamentos e Matérias Didático/Pedagógico 01 Impressora Braille – pequeno porte 01 Máquina de datilografia Braille 01 Reglete de Mesa 01 Punção 01 Soroban 01 Guia de Assinatura 01 Kit de Desenho Geométrico 01 Calculadora Sonora
  • 28. AEE em Língua Portuguesa para alunos com surdez AEE em Comunicação aumentativa e alternativa - CAA
  • 29. Aluno aprendendo a usar um recurso óptico na sala de recursos Professor do AEE ensinando ao multifuncionais. aluno com cegueira a usar o leitor de tela. Atuação do professor na SRM Prancha de comunicação produzida pelo professor do AEE para uso em sala de aula comum.
  • 30. Aprendendo na SRM Aranha-mola – recurso para o aluno com dificuldades motoras na escrita. Ensino do Sistema Braille na máquina Braille.
  • 32. Sala de Recursos Multifuncionais Materiais didáticos Equipamentos e materiais para alunos com cegueira
  • 33. MAIS INFORMAÇÕES ... Entrega, Instalação e Garantia dos Recursos. Identificação e Segurança dos Recursos. Doação dos Recursos. Funcionamento (MANUTENÇÃO)das Salas.
  • 34. Outras informações sobre o Programa de Implantação de Salas de Recursos Multifuncionais poderão ser obtidas pelo e-mail seesp@mec.gov.br Lembre-se de fazer constar na solicitação as seguintes informações: • Assunto: Sala de Recursos Multifuncionais • Dados: Denominação da escola ou secretaria solicitante; endereço; telefone; e-mail. • Identificação: Nome completo do gestor ou professor responsável pelo contato.
  • 35. Referência Bibliográfica BRASIL, Ministério da Educação/MEC. Secretaria de Educação Especial/SEESP. Manual de Orientação: Programa de Implantação de Salas de Recursos Multifuncionais. 2010.