SlideShare uma empresa Scribd logo
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
-Possui uma grande HETEROGENEIDADE lingüística e cultural, em todo o continente.
-heterogeneidade econômica, marcada pela presença de dois países ricos - Austrália e Nova
Zelândia -, ao lado dos demais, extremamente pobres.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
*TERRITÓRIOS DA OCEANIA
A-Ilhas Marianas
(EUA)
O território é formado por 14 ilhas, situadas no Oceano Pacífico. Em 1986, o arquipélago deixa de ser
território tutelado e é incluído na Comunidade dos EUA.
B-Ilhas Wallis
(FRA)
Situadas a leste da Austrália, no Oceano Pacífico, as Ilhas Wallis e Futuna são compartilhadas por três
reinos tradicionais: o de Wallis e os dois que dividem a Ilha de Futuna (Sigave e Alo). Embora adotem
uma bandeira local, a oficial é a da França.
Após plebiscitos realizados nas ilhas em 1959, o arquipélago adquire a condição de território
ultramarino em 1961.
C-Nova Caledônia
(FRA)
O arquipélago é descoberto pelo navegador inglês James Cook, em 1774. Torna-se colônia francesa
como dependência do Taiti em 1853 e, sete anos depois, é separada administrativamente. Nova
Caledônia conquista o status de território francês de ultramar em 1946
D-Polinésia Francesa
(FRA)
Em 1595, os espanhóis chegam à Polinésia Francesa, que depois é ocupada por outros exploradores
europeus. A ilha do Taiti torna-se colônia francesa em 1880. As demais ilhas são anexadas no fim do
século XIX. Em 1957, a Polinésia Francesa adquire o status de território de ultramar.
E-Atol Jonhston
(EUA)
Situado em região estratégica no oceano Pacífico, próximo ao Havaí, o atol já foi usado como local para
testes de armas nucleares, razão pela qual é fechado à visitação pública.
F-Havaí
(EUA)
No fim do século XIX, o país emerge como potência imperialista: em 1898, o Havaí é anexado e, na
guerra contra a Espanha, conquista territórios no Caribe (Porto Rico) e no Pacífico (Filipinas e Guam).
G-Ilhas Pitcairn (Reino
Unido)
Descobertas em 1767, pelo Reino Unido, as ilhas tornam-se colônia britânica em 1887. Desde 1970, o
governo é exercido pelo alto-comissário britânico da Nova Zelândia. Em 1987, Pitcairn assina a
Convenção de Proteção ao Meio Ambiente do Pacífico Sul, para evitar que a região receba lixo nuclear.
Em 2010, entram em vigor emendas constitucionais que estreitam a relação do território com a Coroa
britânica.
H-Ilhas COOk
(NZL)
Localizado no Pacífico Sul, o arquipélago é formado por 15 ilhas, das quais apenas duas são habitadas.
Em 1773, o capitão James Cook descobre as ilhas, declaradas protetorado britânico em 1888. Integradas
em 1901 à Nova Zelândia, tornam-se território associado a esse país em 1965 e passam a ter autonomia
interna.
I-Samoa Americana
(EUA)
Os holandeses chegam a Samoa Americana em 1722, mas são os missionários britânicos, a partir de
1830, que começam a ocupar as ilhas. Em 1878, os norte-americanos estabelecem uma base naval. Em
1889, os alemães controlam a porção ocidental do arquipélago (atual Samoa), e, em 1904, a região
oriental é cedida aos norte-americanos. Em 1922, a porção norte-americana torna-se território não
incorporado dos Estados Unidos (EUA). Uma Constituição própria é adotada em 1967
-a presença, ainda hoje, de povos
subordinados às potências mundiais, como os
das possessões norte-americanas, francesas e
inglesas.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
-formado por um grande número de ATOIS
atol é uma ilha em forma de anel feita de corais e outros
invertebrados, em forma aproximadamente circular, formando no seu
interior uma lagoa
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
-NATIVO: Aborígene (Os nativos australianos foram praticamente dizimados com a ocupação
europeia, mas, ainda existem àqueles que se encontram em ‘reservas’ destinados ao grupo.)
-descoberta de jazidas de ouro que atraíram milhares de imigrantes a partir de 1850
-Possui população rural reduzida
-centros urbanos concentrados no sudeste do país,
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
-base econômica derivada dos produtos agropecuários e da mineração.
-Investimentos: principalmente dos: britânicos, japoneses e chineses
-O país também é conhecido como o maior exportador de lã
inicialmente a solução encontrada para utilizar economicamente o território australiano foi a criação de ovelhas
(fornecedoras de lã, indispensável para a indústria têxtil inglesa)
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
momento das grandes guerras mundiais impediu a chegada de produtos que costumavam ser importados da Europa,
estimulando ainda mais a industrialização) como no Brasil com a Substituição de Importação.
-A economia australiana recebeu grandes investimentos estrangeiros após a Segunda Guerra
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
-Além da mineração, uma área de destaque é o turismo
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Uluru-Kata Tjuta National Park
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Uluru-Kata Tjuta National Park
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Desaparecimento de Azaria Chamberlain
uma bebê australiana de nove semanas (2 meses) de vida que
desapareceu na noite de 17 de agosto de 1980 durante um acampamento
com os pais na montanha Uluru.
Seu corpo nunca foi encontrado. Seus pais, Lindy e Michael Chamberlain
disseram que ela havia sido atacada por um dingo.
Porém, devido a pressões populares, a mãe Lindy foi condenada à prisão
perpétua sendo acusada de assassinar a filha, e o seu marido, Michael
Chamberlain, foi acusado de ser cúmplice do assassinato.
No dia 12 de junho de 2012, a justiça
australiana confirmou a versão dos pais de
que a garota havia sido atacada por dingos,
depois de 32 anos do caso.
A história de seu desaparecimento deu origem ao filme Evil Angels,
estrelado por Meryl Streep e Sam Neill.
Barraca dos Charmberlain
Rastros no matagal
Área de churrasco
Armazém
Geral
Estrada ao redor do
Parque
Roupas do Bebê encontrada aqui.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
-foi uma colônia inglesa e tornou-se independente no século XX
-está ligada à Inglaterra pela Commonwealth Britânica
-tem como chefe de Estado a rainha Elizabeth II
-é uma monarquia parlamentarista
-possui um Primeiro-Ministro local (australiano) eleito no país: Tony Abbott (desde 2013).
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
A rainha Elizabeth II se torna nesta quarta-feira
(9/set/2015) o monarca a ocupar o trono britânico
por mais tempo. Precisamente a partir das 13h30,
pelo horário de Brasília, ela supera o reinado de sua
tataravó, a rainha Vitória, que permaneceu no
trono por 63 anos e 216 dias, entre os anos de 1837
e 1901
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
-possui clima seco predominante
-geologicamente ESTÁVEL.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
-NATIVO: Maori
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
-NATIVO: Maori
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
-NATIVO: Maori
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
-NATIVO: Maori
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
-NATIVO: Aborígene (Os nativos
australianos foram praticamente
dizimados com a ocupação
europeia, mas, ainda existem
àqueles que se encontram em
‘reservas’ destinados ao grupo.)
-geologicamente INSTÁVEL.
(encontro de placas:
indoaustraliana e placa do pacífico)
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Milford Sound- Esse é o principal ponto turístico natural da Nova Zelândia.Localizado na Ilha Sul, Milford Sound é um fiorde cavado pelo degelo nas montanhas e pela ação do vento,
proporcionando uma das paisagens mais bonitas do mundo. É considerada a oitava maravilha do mundo, segundo Rudyard Kipling. Além do cenário incrível, o local é rico em cascatas,
proporcionando caminhadas, ciclismo e passeios de caiaque.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
As condições naturais adversas, como frio extremo, os ventos fortes, os rios e lagos congelados, a
carência de solos e a grande variação na duração dos dias e das noites, fazem das regiões polares
áreas ANECÚMENAS, constituindo vazios demográficos com baixa inserção na economia global.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Anecúmeno é o nome dado a uma área da superfície terrestre não habitada permanentemente.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
A região Ártica é constituída por um oceano (Oceano Ártico) coberto por uma fina camada de mar congelado, vários
arquipélagos e ilhas isoladas. Abrange, também, geleiras situadas na parte setentrional das principais massas continentais do
planeta (Ásia, Europa e América do Norte).
- Não há terra sob a camada de gelo que cobre a região. A
geleira do Ártico tem entre 2 e 3 metros de espessura e 13 mil
pés de área. No inverno, chega a ficar do tamanho dos Estados
Unidos
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
-A Antártida é mais alta que qualquer outro continente.
-Tendo uma temperatura média de -60ºC e a mais baixa temperatura já registrada, de -89,2ºC, a Antártica é o mais frio dos
continentes, o refrigerador do mundo.
-É o mais frio, mais seco, mais alto, mais ventoso, mais remoto, mais desconhecido e mais preservado de todos os continentes.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
-A Antártica é um continente de aproximadamente 14 milhões de km2, quase totalmente coberto por um manto de gelo que
pode ultrapassar 4.500 metros de espessura e que constitui na maior reserva de água doce do planeta.
-A região ártica é constituída por um oceano (Oceano Ártico) coberto por uma fina camada de mar congelado, vários
arquipélagos e ilhas isoladas. Abrange, também, geleiras situadas na parte setentrional das principais massas continentais do
planeta (Ásia, Europa e América do Norte).
-Apenas o norte possui população nativa (além de invernos menos rigorosos e fauna com animais maiores como ursos polares,
renas, etc..)
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografiahttp://actividadesonline.blogspot.com.br/2011/06/novo-mapa-da-espessura-de-gelo-no.html
Continente dos superlativos o mais frio, mais seco, mais alto (três vezes mais alta que qualquer outro continente), mais
ventoso, mais remoto, mais desconhecido e mais preservado de todos os continentes.
-98% da sua superfície estão permanentemente recobertos por um
manto de gelo, que atinge quase cinco quilômetros de espessura.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Maior reserva de água doce do planeta.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Assinado em 1961,
Uso exclusivamente pacífico, liberdade de pesquisa científica, regras para a ocupação.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Os governos da Argentina, Austrália, Bélgica, Chile, França, Japão, Nova Zelândia, Noruega, África do Sul, União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, Reino Unido e Estados Unidos
da América;
reconhecendo ser do interesse de toda a humanidade que a Antártica continue para sempre
a ser usada exclusivamente para propósitos pacíficos e não se converta em cena ou objeto de
discórdia internacional;
reconhecendo de que o estabelecimento de um fundamento firme para a continuação e desenvolvimento de tal cooperação à base da liberdade de investigação científica na Antártica,
conforme aplicada durante o Ano Geofísico Internacional, se harmoniza com os interesses da Ciência e o progresso de toda a Humanidade;
convencidos, também, de que um tratado que assegure o uso da Antártica somente para
propósitos pacíficos e de que a continuação da harmonia internacional na Antártica fortalecerá os propósitos e princípios corporificados na Carta das Nações Unidas;
concordam o seguinte:
Assinado em 1959,
Uso exclusivamente pacífico, liberdade de pesquisa científica, regras para a ocupação.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
1. A Antártica será usada somente para propósitos pacíficos. Serão proibidas todas as medidas de natureza militar,
tais como os estabelecimentos de bases e fortificações militares, a realização da manobras militares, assim como as experiências com quaisquer
tipos de armas.
2. Não impedirá o uso de pessoal ou equipamento militar para pesquisa científica ou para qualquer outro propósito pacífico. A liberdade
de investigação científica na Antártica. (...)
4. As explosões nucleares na Antártica, bem como o lançamento ali de material radioativo,
serão proibidos. (...)
7. Cada uma das partes contratantes compromete-se a empregar os esforços, de conformidade com a Carta das Nações Unidas, para que
ninguém exerça na Antártica qualquer atividade contrária aos princípios e propósitos do presente Tratado.
8. Se surgir dissídio (conflito de interesses) entre duas ou mais das partes contratantes, a respeito da interpretação ou aplicação do presente
Tratado, estas partes se consultarão entre si para que o dissídio se resolva para negociação, investigação, mediação, conciliação, arbitramento,
decisão judicial ou outro meio pacífico de sua escolha.
9. Qualquer dissídio desse caráter, que não seja resolvido por aqueles meios, com o consentimento, em cada caso, de todas as partes
interessadas, será levado à Corte Internacional de Justiça para julgamento; porém, se não se conseguir acordo a respeito da Corte Internacional,
as partes em litígio não se eximirão da responsabilidade de continuar à procurar de resolvê-lo por qualquer dos vários meios pacíficos.
10. O presente Tratado pode ser modificado ou emendado em qualquer tempo, por acordo unânime das partes contratantes.
11. O presente Tratado, feito nas línguas inglesa, francesa, russa e espanhola, em versões igualmente autênticas, será depositado nos arquivos do
governo dos EUA, que enviará aos governos signatários e acedentes.
•www.ceap.br/material/MAT19092011152853.docEm cache
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
Na revisão do Tratado da Antártica, em 1991, o meio ambiente antártico se tornou aspecto prioritário.
Mudou o foco de interesse, ao invés de discutir como dividir a Antártica, passou-se a estudar maneiras
de preservá-la. Criou-se o chamado Protocolo de Madri, que entrou em vigor em 1998.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
O protocolo recomenda que todas as atividades no continente
sejam realizadas de maneira a reduzir ao mínimo o impacto da
presença humana na região.
Declara que a área abaixo do paralelo 60° Sul é uma ‘reserva
natural, dedicada à paz e à ciência’.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
-pesquisa Antártida brasileira na área de Ciências Atmosféricas busca compreender a atmosfera Antártida e sua influencia sobre
o clima do Brasil.
-Geologia: busca o conhecimento e a interpretação da placa tectônica Antártida e dos fundos marinhos.
-pesquisas glaciológicas caracterização físico-química do manto de gelo
Uma riqueza extrema: a grande quantidade de reserva de água doce que a Antártida oferece. (tal quantidade já tem despertado
o interesse de algumas nações ricas em petróleo e pobres em água potável...)
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografiahttp://www.silversea.com/pt-br/destinos/cruzeiro-antartica/
-o lixo produzido na base brasileira é transportado de volta para o Brasil, ou se possível, destruído no local (orgânico é queimado
e metal, vidro e papel são acondicionados em caixas para retornar ao Brasil).
-a fossa é esvaziada anualmente na troca de equipes e o conteúdo colocado em sacos plásticos e em caixas para serem levados
para o Brasil
Na Antártida a vida humana não seria possível sem a tecnologia (é importante lembrar que o continente não possui nada que
facilite a vida humana)
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografiahttp://www.silversea.com/pt-br/destinos/cruzeiro-antartica/
-o lixo produzido na base brasileira é transportado de volta para o Brasil, ou se possível, destruído no local (orgânico é queimado
e metal, vidro e papel são acondicionados em caixas para retornar ao Brasil).
-a fossa é esvaziada anualmente na troca de equipes e o conteúdo colocado em sacos plásticos e em caixas para serem levados
para o Brasil
Na Antártida a vida humana não seria possível sem a tecnologia (é importante lembrar que o continente não possui nada que
facilite a vida humana)
Por ex: já foi medido vento de 192 km/h, no Brasil, os
ventos de 80 km/h costumam causar grandes prejuízos
como o destelhamento de casas e destruição de
pequenas edificações.
-Temperaturas médias:
-litoral: 0°(verão), -15° (inverno)
-interior: -32° (verão) e -65°C (inverno)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

áSia Quadro Natural
áSia   Quadro NaturaláSia   Quadro Natural
áSia Quadro Natural
Luciano Pessanha
 
Geografia da População
Geografia da PopulaçãoGeografia da População
Geografia da População
Eduardo Mendes
 
Aspectos naturais europa
Aspectos naturais europaAspectos naturais europa
Aspectos naturais europa
Prof.Paulo/geografia
 
Tigres asiáticos
Tigres asiáticos  Tigres asiáticos
Tigres asiáticos
Camila Brito
 
Continente americano
Continente americanoContinente americano
Continente americano
André Luiz Marques
 
Aspectos físicos da América
Aspectos físicos da AméricaAspectos físicos da América
Aspectos físicos da América
Patrícia Éderson Dias
 
A Regionalização da América
A Regionalização da AméricaA Regionalização da América
A Regionalização da América
Cadernizando
 
Regiões polares
Regiões polaresRegiões polares
Regiões polares
Fernanda Lopes
 
áSia Quadro Economico E Humano Aula
áSia   Quadro Economico E Humano   AulaáSia   Quadro Economico E Humano   Aula
áSia Quadro Economico E Humano Aula
Luciano Pessanha
 
América Latina
América LatinaAmérica Latina
América Latina
FURG
 
As regiões polares
As regiões polaresAs regiões polares
As regiões polares
Fernanda Lopes
 
Geografia Do Brasil RegiõEs
Geografia Do Brasil   RegiõEsGeografia Do Brasil   RegiõEs
Geografia Do Brasil RegiõEs
Mateus Silva
 
Geografia - Continente Europeu: População e Economia
Geografia -  Continente Europeu: População e EconomiaGeografia -  Continente Europeu: População e Economia
Geografia - Continente Europeu: População e Economia
André Luiz Marques
 
População da Europa
População da EuropaPopulação da Europa
População da Europa
Prof.Marcio LHP
 
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
Cléber Figueiredo Beda de Ávila
 
O continente americano completo
O continente americano  completoO continente americano  completo
O continente americano completo
Camila Brito
 
Relevo
RelevoRelevo
Clima
ClimaClima
A questão agrária no brasil
A questão agrária no brasilA questão agrária no brasil
A questão agrária no brasil
Uilson Pereira da Silva
 
Ásia
ÁsiaÁsia

Mais procurados (20)

áSia Quadro Natural
áSia   Quadro NaturaláSia   Quadro Natural
áSia Quadro Natural
 
Geografia da População
Geografia da PopulaçãoGeografia da População
Geografia da População
 
Aspectos naturais europa
Aspectos naturais europaAspectos naturais europa
Aspectos naturais europa
 
Tigres asiáticos
Tigres asiáticos  Tigres asiáticos
Tigres asiáticos
 
Continente americano
Continente americanoContinente americano
Continente americano
 
Aspectos físicos da América
Aspectos físicos da AméricaAspectos físicos da América
Aspectos físicos da América
 
A Regionalização da América
A Regionalização da AméricaA Regionalização da América
A Regionalização da América
 
Regiões polares
Regiões polaresRegiões polares
Regiões polares
 
áSia Quadro Economico E Humano Aula
áSia   Quadro Economico E Humano   AulaáSia   Quadro Economico E Humano   Aula
áSia Quadro Economico E Humano Aula
 
América Latina
América LatinaAmérica Latina
América Latina
 
As regiões polares
As regiões polaresAs regiões polares
As regiões polares
 
Geografia Do Brasil RegiõEs
Geografia Do Brasil   RegiõEsGeografia Do Brasil   RegiõEs
Geografia Do Brasil RegiõEs
 
Geografia - Continente Europeu: População e Economia
Geografia -  Continente Europeu: População e EconomiaGeografia -  Continente Europeu: População e Economia
Geografia - Continente Europeu: População e Economia
 
População da Europa
População da EuropaPopulação da Europa
População da Europa
 
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
 
O continente americano completo
O continente americano  completoO continente americano  completo
O continente americano completo
 
Relevo
RelevoRelevo
Relevo
 
Clima
ClimaClima
Clima
 
A questão agrária no brasil
A questão agrária no brasilA questão agrária no brasil
A questão agrária no brasil
 
Ásia
ÁsiaÁsia
Ásia
 

Destaque

Zonas polares power point
Zonas polares power pointZonas polares power point
Zonas polares power point
Sarah Guimarães Portela
 
Geografia sudeste
Geografia   sudesteGeografia   sudeste
Geografia sudeste
Lenivaldo Costa
 
Sequência com encartes
Sequência com encartesSequência com encartes
Sequência com encartes
Dário Reis
 
Clima e relevo no mundo
Clima e relevo no mundoClima e relevo no mundo
Clima e relevo no mundo
Portal do Vestibulando
 
Região polar
Região polarRegião polar
Região polar
Rodrigo Baglini
 
Domínios morfoclimáticos
Domínios morfoclimáticosDomínios morfoclimáticos
Domínios morfoclimáticos
J R Messias
 
Ártico
ÁrticoÁrtico
Ártico
Kívia Neres
 
Oceania
OceaniaOceania
Oceania
Tataia Araujo
 
Continente de oceania
Continente de oceaniaContinente de oceania
Continente de oceania
GUILLO07081987
 
Continente de oceania
Continente de oceaniaContinente de oceania
Continente de oceania
jaime moraga
 
Oceania
OceaniaOceania
Oceania
Murilo
 
Região Sudeste
Região SudesteRegião Sudeste
Região Sudeste do Brasil
Região Sudeste do BrasilRegião Sudeste do Brasil
Região Sudeste do Brasil
Celia Carraro
 
Região sudeste slides
Região sudeste slidesRegião sudeste slides
Região sudeste slides
Ivone Rosa Sa
 

Destaque (14)

Zonas polares power point
Zonas polares power pointZonas polares power point
Zonas polares power point
 
Geografia sudeste
Geografia   sudesteGeografia   sudeste
Geografia sudeste
 
Sequência com encartes
Sequência com encartesSequência com encartes
Sequência com encartes
 
Clima e relevo no mundo
Clima e relevo no mundoClima e relevo no mundo
Clima e relevo no mundo
 
Região polar
Região polarRegião polar
Região polar
 
Domínios morfoclimáticos
Domínios morfoclimáticosDomínios morfoclimáticos
Domínios morfoclimáticos
 
Ártico
ÁrticoÁrtico
Ártico
 
Oceania
OceaniaOceania
Oceania
 
Continente de oceania
Continente de oceaniaContinente de oceania
Continente de oceania
 
Continente de oceania
Continente de oceaniaContinente de oceania
Continente de oceania
 
Oceania
OceaniaOceania
Oceania
 
Região Sudeste
Região SudesteRegião Sudeste
Região Sudeste
 
Região Sudeste do Brasil
Região Sudeste do BrasilRegião Sudeste do Brasil
Região Sudeste do Brasil
 
Região sudeste slides
Região sudeste slidesRegião sudeste slides
Região sudeste slides
 

Semelhante a Revisão_Oceania e Regiões Polares

Oceania
OceaniaOceania
Oceania
OceaniaOceania
Oceania
OceaniaOceania
Oceania
OceaniaOceania
Oceania colonização e natureza.
Oceania  colonização e natureza.Oceania  colonização e natureza.
Oceania colonização e natureza.
Ste Escola Bernardino
 
América central
América centralAmérica central
América central
Fernanda Lopes
 
Geo h e_9ano_cap17_site
Geo h e_9ano_cap17_siteGeo h e_9ano_cap17_site
Geo h e_9ano_cap17_site
rdbtava
 
oceania-unidade-9.pdf
oceania-unidade-9.pdfoceania-unidade-9.pdf
oceania-unidade-9.pdf
PollyaneSoaresDias
 
Oceania características gerais
Oceania características geraisOceania características gerais
Oceania características gerais
Colégio Nova Geração COC
 
Oceania
OceaniaOceania
Oceania
Ninho Cristo
 
OCEANIA.pdf
OCEANIA.pdfOCEANIA.pdf
OCEANIA.pdf
Henrique Pontes
 
Oceania
OceaniaOceania
Oceania
Mateus Souza
 
Trabalhodeinglesnovazelandia 110119213544-phpapp02 (1)
Trabalhodeinglesnovazelandia 110119213544-phpapp02 (1)Trabalhodeinglesnovazelandia 110119213544-phpapp02 (1)
Trabalhodeinglesnovazelandia 110119213544-phpapp02 (1)
William Garcia
 
Oceania - Aspectos Gerais
Oceania - Aspectos GeraisOceania - Aspectos Gerais
Oceania - Aspectos Gerais
Colégio Nova Geração COC
 
Anglo saxônica 13 colonias
Anglo saxônica 13 coloniasAnglo saxônica 13 colonias
Anglo saxônica 13 colonias
Fernanda Lopes
 
Anglo saxônica 13 colonias
Anglo saxônica 13 coloniasAnglo saxônica 13 colonias
Anglo saxônica 13 colonias
Fernanda Lopes
 
Trabalho historia fisica 2
Trabalho historia fisica 2Trabalho historia fisica 2
Trabalho historia fisica 2
André Nicholas Packer
 
Oceania
OceaniaOceania
Antártida
AntártidaAntártida
Antártida
Fernanda Lopes
 
Japão aspectos naturais, humanos e econômicos
Japão aspectos naturais, humanos e econômicosJapão aspectos naturais, humanos e econômicos
Japão aspectos naturais, humanos e econômicos
Fernanda Lopes
 

Semelhante a Revisão_Oceania e Regiões Polares (20)

Oceania
OceaniaOceania
Oceania
 
Oceania
OceaniaOceania
Oceania
 
Oceania
OceaniaOceania
Oceania
 
Oceania
OceaniaOceania
Oceania
 
Oceania colonização e natureza.
Oceania  colonização e natureza.Oceania  colonização e natureza.
Oceania colonização e natureza.
 
América central
América centralAmérica central
América central
 
Geo h e_9ano_cap17_site
Geo h e_9ano_cap17_siteGeo h e_9ano_cap17_site
Geo h e_9ano_cap17_site
 
oceania-unidade-9.pdf
oceania-unidade-9.pdfoceania-unidade-9.pdf
oceania-unidade-9.pdf
 
Oceania características gerais
Oceania características geraisOceania características gerais
Oceania características gerais
 
Oceania
OceaniaOceania
Oceania
 
OCEANIA.pdf
OCEANIA.pdfOCEANIA.pdf
OCEANIA.pdf
 
Oceania
OceaniaOceania
Oceania
 
Trabalhodeinglesnovazelandia 110119213544-phpapp02 (1)
Trabalhodeinglesnovazelandia 110119213544-phpapp02 (1)Trabalhodeinglesnovazelandia 110119213544-phpapp02 (1)
Trabalhodeinglesnovazelandia 110119213544-phpapp02 (1)
 
Oceania - Aspectos Gerais
Oceania - Aspectos GeraisOceania - Aspectos Gerais
Oceania - Aspectos Gerais
 
Anglo saxônica 13 colonias
Anglo saxônica 13 coloniasAnglo saxônica 13 colonias
Anglo saxônica 13 colonias
 
Anglo saxônica 13 colonias
Anglo saxônica 13 coloniasAnglo saxônica 13 colonias
Anglo saxônica 13 colonias
 
Trabalho historia fisica 2
Trabalho historia fisica 2Trabalho historia fisica 2
Trabalho historia fisica 2
 
Oceania
OceaniaOceania
Oceania
 
Antártida
AntártidaAntártida
Antártida
 
Japão aspectos naturais, humanos e econômicos
Japão aspectos naturais, humanos e econômicosJapão aspectos naturais, humanos e econômicos
Japão aspectos naturais, humanos e econômicos
 

Mais de Fernanda Lopes

Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020
Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020
Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020
Fernanda Lopes
 
Cap 1 da europa para o mundo
Cap 1 da europa para o mundoCap 1 da europa para o mundo
Cap 1 da europa para o mundo
Fernanda Lopes
 
Mariana tragédia
Mariana tragédiaMariana tragédia
Mariana tragédia
Fernanda Lopes
 
Piores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da históriaPiores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da história
Fernanda Lopes
 
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
Fernanda Lopes
 
China conteúdo
China conteúdoChina conteúdo
China conteúdo
Fernanda Lopes
 
Blocos econômicos primeiro ano
Blocos econômicos  primeiro anoBlocos econômicos  primeiro ano
Blocos econômicos primeiro ano
Fernanda Lopes
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
Fernanda Lopes
 
Questão palestina
Questão palestinaQuestão palestina
Questão palestina
Fernanda Lopes
 
Conflitos mundiais 2
Conflitos mundiais 2Conflitos mundiais 2
Conflitos mundiais 2
Fernanda Lopes
 
Cap 14 conflitos mundiais 1
Cap 14 conflitos mundiais 1Cap 14 conflitos mundiais 1
Cap 14 conflitos mundiais 1
Fernanda Lopes
 
Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul
Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sulCap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul
Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul
Fernanda Lopes
 
Cap 14 b regiões geoeconômicas_ne
Cap 14 b regiões geoeconômicas_neCap 14 b regiões geoeconômicas_ne
Cap 14 b regiões geoeconômicas_ne
Fernanda Lopes
 
Cap 14 regiões geoeconômicas amazônia
Cap 14 regiões geoeconômicas amazôniaCap 14 regiões geoeconômicas amazônia
Cap 14 regiões geoeconômicas amazônia
Fernanda Lopes
 
Cap 13 mundo ex socialista
Cap 13 mundo ex socialistaCap 13 mundo ex socialista
Cap 13 mundo ex socialista
Fernanda Lopes
 
Rússia país
Rússia paísRússia país
Rússia país
Fernanda Lopes
 
Cap 13 b a região concentrada
Cap 13 b a região concentradaCap 13 b a região concentrada
Cap 13 b a região concentrada
Fernanda Lopes
 
Cap 12 desenvolvimento mundiallll
Cap 12 desenvolvimento mundiallllCap 12 desenvolvimento mundiallll
Cap 12 desenvolvimento mundiallll
Fernanda Lopes
 
Cap 12 organização politico administrativa do brasilll
Cap 12 organização politico administrativa do brasilllCap 12 organização politico administrativa do brasilll
Cap 12 organização politico administrativa do brasilll
Fernanda Lopes
 
Questões ambientais buraco ozônio e poluição das águas
Questões ambientais buraco ozônio e poluição das águasQuestões ambientais buraco ozônio e poluição das águas
Questões ambientais buraco ozônio e poluição das águas
Fernanda Lopes
 

Mais de Fernanda Lopes (20)

Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020
Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020
Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020
 
Cap 1 da europa para o mundo
Cap 1 da europa para o mundoCap 1 da europa para o mundo
Cap 1 da europa para o mundo
 
Mariana tragédia
Mariana tragédiaMariana tragédia
Mariana tragédia
 
Piores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da históriaPiores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da história
 
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
 
China conteúdo
China conteúdoChina conteúdo
China conteúdo
 
Blocos econômicos primeiro ano
Blocos econômicos  primeiro anoBlocos econômicos  primeiro ano
Blocos econômicos primeiro ano
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
Questão palestina
Questão palestinaQuestão palestina
Questão palestina
 
Conflitos mundiais 2
Conflitos mundiais 2Conflitos mundiais 2
Conflitos mundiais 2
 
Cap 14 conflitos mundiais 1
Cap 14 conflitos mundiais 1Cap 14 conflitos mundiais 1
Cap 14 conflitos mundiais 1
 
Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul
Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sulCap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul
Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul
 
Cap 14 b regiões geoeconômicas_ne
Cap 14 b regiões geoeconômicas_neCap 14 b regiões geoeconômicas_ne
Cap 14 b regiões geoeconômicas_ne
 
Cap 14 regiões geoeconômicas amazônia
Cap 14 regiões geoeconômicas amazôniaCap 14 regiões geoeconômicas amazônia
Cap 14 regiões geoeconômicas amazônia
 
Cap 13 mundo ex socialista
Cap 13 mundo ex socialistaCap 13 mundo ex socialista
Cap 13 mundo ex socialista
 
Rússia país
Rússia paísRússia país
Rússia país
 
Cap 13 b a região concentrada
Cap 13 b a região concentradaCap 13 b a região concentrada
Cap 13 b a região concentrada
 
Cap 12 desenvolvimento mundiallll
Cap 12 desenvolvimento mundiallllCap 12 desenvolvimento mundiallll
Cap 12 desenvolvimento mundiallll
 
Cap 12 organização politico administrativa do brasilll
Cap 12 organização politico administrativa do brasilllCap 12 organização politico administrativa do brasilll
Cap 12 organização politico administrativa do brasilll
 
Questões ambientais buraco ozônio e poluição das águas
Questões ambientais buraco ozônio e poluição das águasQuestões ambientais buraco ozônio e poluição das águas
Questões ambientais buraco ozônio e poluição das águas
 

Último

Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
TathyLopes1
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Centro Jacques Delors
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
davidreyes364666
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
JakiraCosta
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 

Revisão_Oceania e Regiões Polares

  • 1. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
  • 2. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
  • 3. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia -Possui uma grande HETEROGENEIDADE lingüística e cultural, em todo o continente. -heterogeneidade econômica, marcada pela presença de dois países ricos - Austrália e Nova Zelândia -, ao lado dos demais, extremamente pobres.
  • 4. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia *TERRITÓRIOS DA OCEANIA A-Ilhas Marianas (EUA) O território é formado por 14 ilhas, situadas no Oceano Pacífico. Em 1986, o arquipélago deixa de ser território tutelado e é incluído na Comunidade dos EUA. B-Ilhas Wallis (FRA) Situadas a leste da Austrália, no Oceano Pacífico, as Ilhas Wallis e Futuna são compartilhadas por três reinos tradicionais: o de Wallis e os dois que dividem a Ilha de Futuna (Sigave e Alo). Embora adotem uma bandeira local, a oficial é a da França. Após plebiscitos realizados nas ilhas em 1959, o arquipélago adquire a condição de território ultramarino em 1961. C-Nova Caledônia (FRA) O arquipélago é descoberto pelo navegador inglês James Cook, em 1774. Torna-se colônia francesa como dependência do Taiti em 1853 e, sete anos depois, é separada administrativamente. Nova Caledônia conquista o status de território francês de ultramar em 1946 D-Polinésia Francesa (FRA) Em 1595, os espanhóis chegam à Polinésia Francesa, que depois é ocupada por outros exploradores europeus. A ilha do Taiti torna-se colônia francesa em 1880. As demais ilhas são anexadas no fim do século XIX. Em 1957, a Polinésia Francesa adquire o status de território de ultramar. E-Atol Jonhston (EUA) Situado em região estratégica no oceano Pacífico, próximo ao Havaí, o atol já foi usado como local para testes de armas nucleares, razão pela qual é fechado à visitação pública. F-Havaí (EUA) No fim do século XIX, o país emerge como potência imperialista: em 1898, o Havaí é anexado e, na guerra contra a Espanha, conquista territórios no Caribe (Porto Rico) e no Pacífico (Filipinas e Guam). G-Ilhas Pitcairn (Reino Unido) Descobertas em 1767, pelo Reino Unido, as ilhas tornam-se colônia britânica em 1887. Desde 1970, o governo é exercido pelo alto-comissário britânico da Nova Zelândia. Em 1987, Pitcairn assina a Convenção de Proteção ao Meio Ambiente do Pacífico Sul, para evitar que a região receba lixo nuclear. Em 2010, entram em vigor emendas constitucionais que estreitam a relação do território com a Coroa britânica. H-Ilhas COOk (NZL) Localizado no Pacífico Sul, o arquipélago é formado por 15 ilhas, das quais apenas duas são habitadas. Em 1773, o capitão James Cook descobre as ilhas, declaradas protetorado britânico em 1888. Integradas em 1901 à Nova Zelândia, tornam-se território associado a esse país em 1965 e passam a ter autonomia interna. I-Samoa Americana (EUA) Os holandeses chegam a Samoa Americana em 1722, mas são os missionários britânicos, a partir de 1830, que começam a ocupar as ilhas. Em 1878, os norte-americanos estabelecem uma base naval. Em 1889, os alemães controlam a porção ocidental do arquipélago (atual Samoa), e, em 1904, a região oriental é cedida aos norte-americanos. Em 1922, a porção norte-americana torna-se território não incorporado dos Estados Unidos (EUA). Uma Constituição própria é adotada em 1967 -a presença, ainda hoje, de povos subordinados às potências mundiais, como os das possessões norte-americanas, francesas e inglesas.
  • 5. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia -formado por um grande número de ATOIS atol é uma ilha em forma de anel feita de corais e outros invertebrados, em forma aproximadamente circular, formando no seu interior uma lagoa
  • 6. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia -NATIVO: Aborígene (Os nativos australianos foram praticamente dizimados com a ocupação europeia, mas, ainda existem àqueles que se encontram em ‘reservas’ destinados ao grupo.) -descoberta de jazidas de ouro que atraíram milhares de imigrantes a partir de 1850 -Possui população rural reduzida -centros urbanos concentrados no sudeste do país,
  • 7. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia -base econômica derivada dos produtos agropecuários e da mineração. -Investimentos: principalmente dos: britânicos, japoneses e chineses -O país também é conhecido como o maior exportador de lã inicialmente a solução encontrada para utilizar economicamente o território australiano foi a criação de ovelhas (fornecedoras de lã, indispensável para a indústria têxtil inglesa)
  • 8. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia momento das grandes guerras mundiais impediu a chegada de produtos que costumavam ser importados da Europa, estimulando ainda mais a industrialização) como no Brasil com a Substituição de Importação. -A economia australiana recebeu grandes investimentos estrangeiros após a Segunda Guerra
  • 9. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia -Além da mineração, uma área de destaque é o turismo
  • 10. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Uluru-Kata Tjuta National Park
  • 11. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Uluru-Kata Tjuta National Park
  • 12. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Desaparecimento de Azaria Chamberlain uma bebê australiana de nove semanas (2 meses) de vida que desapareceu na noite de 17 de agosto de 1980 durante um acampamento com os pais na montanha Uluru. Seu corpo nunca foi encontrado. Seus pais, Lindy e Michael Chamberlain disseram que ela havia sido atacada por um dingo. Porém, devido a pressões populares, a mãe Lindy foi condenada à prisão perpétua sendo acusada de assassinar a filha, e o seu marido, Michael Chamberlain, foi acusado de ser cúmplice do assassinato. No dia 12 de junho de 2012, a justiça australiana confirmou a versão dos pais de que a garota havia sido atacada por dingos, depois de 32 anos do caso. A história de seu desaparecimento deu origem ao filme Evil Angels, estrelado por Meryl Streep e Sam Neill. Barraca dos Charmberlain Rastros no matagal Área de churrasco Armazém Geral Estrada ao redor do Parque Roupas do Bebê encontrada aqui.
  • 13. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia -foi uma colônia inglesa e tornou-se independente no século XX -está ligada à Inglaterra pela Commonwealth Britânica -tem como chefe de Estado a rainha Elizabeth II -é uma monarquia parlamentarista -possui um Primeiro-Ministro local (australiano) eleito no país: Tony Abbott (desde 2013).
  • 14. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia A rainha Elizabeth II se torna nesta quarta-feira (9/set/2015) o monarca a ocupar o trono britânico por mais tempo. Precisamente a partir das 13h30, pelo horário de Brasília, ela supera o reinado de sua tataravó, a rainha Vitória, que permaneceu no trono por 63 anos e 216 dias, entre os anos de 1837 e 1901
  • 15. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia -possui clima seco predominante -geologicamente ESTÁVEL.
  • 16. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia -NATIVO: Maori
  • 17. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia -NATIVO: Maori
  • 18. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia -NATIVO: Maori
  • 19. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia -NATIVO: Maori
  • 20. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia -NATIVO: Aborígene (Os nativos australianos foram praticamente dizimados com a ocupação europeia, mas, ainda existem àqueles que se encontram em ‘reservas’ destinados ao grupo.) -geologicamente INSTÁVEL. (encontro de placas: indoaustraliana e placa do pacífico)
  • 21. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Milford Sound- Esse é o principal ponto turístico natural da Nova Zelândia.Localizado na Ilha Sul, Milford Sound é um fiorde cavado pelo degelo nas montanhas e pela ação do vento, proporcionando uma das paisagens mais bonitas do mundo. É considerada a oitava maravilha do mundo, segundo Rudyard Kipling. Além do cenário incrível, o local é rico em cascatas, proporcionando caminhadas, ciclismo e passeios de caiaque.
  • 22. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia
  • 23. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia As condições naturais adversas, como frio extremo, os ventos fortes, os rios e lagos congelados, a carência de solos e a grande variação na duração dos dias e das noites, fazem das regiões polares áreas ANECÚMENAS, constituindo vazios demográficos com baixa inserção na economia global.
  • 24. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Anecúmeno é o nome dado a uma área da superfície terrestre não habitada permanentemente.
  • 25. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia A região Ártica é constituída por um oceano (Oceano Ártico) coberto por uma fina camada de mar congelado, vários arquipélagos e ilhas isoladas. Abrange, também, geleiras situadas na parte setentrional das principais massas continentais do planeta (Ásia, Europa e América do Norte). - Não há terra sob a camada de gelo que cobre a região. A geleira do Ártico tem entre 2 e 3 metros de espessura e 13 mil pés de área. No inverno, chega a ficar do tamanho dos Estados Unidos
  • 26. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia -A Antártida é mais alta que qualquer outro continente. -Tendo uma temperatura média de -60ºC e a mais baixa temperatura já registrada, de -89,2ºC, a Antártica é o mais frio dos continentes, o refrigerador do mundo. -É o mais frio, mais seco, mais alto, mais ventoso, mais remoto, mais desconhecido e mais preservado de todos os continentes.
  • 27. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia -A Antártica é um continente de aproximadamente 14 milhões de km2, quase totalmente coberto por um manto de gelo que pode ultrapassar 4.500 metros de espessura e que constitui na maior reserva de água doce do planeta. -A região ártica é constituída por um oceano (Oceano Ártico) coberto por uma fina camada de mar congelado, vários arquipélagos e ilhas isoladas. Abrange, também, geleiras situadas na parte setentrional das principais massas continentais do planeta (Ásia, Europa e América do Norte). -Apenas o norte possui população nativa (além de invernos menos rigorosos e fauna com animais maiores como ursos polares, renas, etc..)
  • 28. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografiahttp://actividadesonline.blogspot.com.br/2011/06/novo-mapa-da-espessura-de-gelo-no.html Continente dos superlativos o mais frio, mais seco, mais alto (três vezes mais alta que qualquer outro continente), mais ventoso, mais remoto, mais desconhecido e mais preservado de todos os continentes. -98% da sua superfície estão permanentemente recobertos por um manto de gelo, que atinge quase cinco quilômetros de espessura.
  • 29. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Maior reserva de água doce do planeta.
  • 30. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Assinado em 1961, Uso exclusivamente pacífico, liberdade de pesquisa científica, regras para a ocupação.
  • 31. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Os governos da Argentina, Austrália, Bélgica, Chile, França, Japão, Nova Zelândia, Noruega, África do Sul, União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, Reino Unido e Estados Unidos da América; reconhecendo ser do interesse de toda a humanidade que a Antártica continue para sempre a ser usada exclusivamente para propósitos pacíficos e não se converta em cena ou objeto de discórdia internacional; reconhecendo de que o estabelecimento de um fundamento firme para a continuação e desenvolvimento de tal cooperação à base da liberdade de investigação científica na Antártica, conforme aplicada durante o Ano Geofísico Internacional, se harmoniza com os interesses da Ciência e o progresso de toda a Humanidade; convencidos, também, de que um tratado que assegure o uso da Antártica somente para propósitos pacíficos e de que a continuação da harmonia internacional na Antártica fortalecerá os propósitos e princípios corporificados na Carta das Nações Unidas; concordam o seguinte: Assinado em 1959, Uso exclusivamente pacífico, liberdade de pesquisa científica, regras para a ocupação.
  • 32. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia 1. A Antártica será usada somente para propósitos pacíficos. Serão proibidas todas as medidas de natureza militar, tais como os estabelecimentos de bases e fortificações militares, a realização da manobras militares, assim como as experiências com quaisquer tipos de armas. 2. Não impedirá o uso de pessoal ou equipamento militar para pesquisa científica ou para qualquer outro propósito pacífico. A liberdade de investigação científica na Antártica. (...) 4. As explosões nucleares na Antártica, bem como o lançamento ali de material radioativo, serão proibidos. (...) 7. Cada uma das partes contratantes compromete-se a empregar os esforços, de conformidade com a Carta das Nações Unidas, para que ninguém exerça na Antártica qualquer atividade contrária aos princípios e propósitos do presente Tratado. 8. Se surgir dissídio (conflito de interesses) entre duas ou mais das partes contratantes, a respeito da interpretação ou aplicação do presente Tratado, estas partes se consultarão entre si para que o dissídio se resolva para negociação, investigação, mediação, conciliação, arbitramento, decisão judicial ou outro meio pacífico de sua escolha. 9. Qualquer dissídio desse caráter, que não seja resolvido por aqueles meios, com o consentimento, em cada caso, de todas as partes interessadas, será levado à Corte Internacional de Justiça para julgamento; porém, se não se conseguir acordo a respeito da Corte Internacional, as partes em litígio não se eximirão da responsabilidade de continuar à procurar de resolvê-lo por qualquer dos vários meios pacíficos. 10. O presente Tratado pode ser modificado ou emendado em qualquer tempo, por acordo unânime das partes contratantes. 11. O presente Tratado, feito nas línguas inglesa, francesa, russa e espanhola, em versões igualmente autênticas, será depositado nos arquivos do governo dos EUA, que enviará aos governos signatários e acedentes. •www.ceap.br/material/MAT19092011152853.docEm cache
  • 33. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia Na revisão do Tratado da Antártica, em 1991, o meio ambiente antártico se tornou aspecto prioritário. Mudou o foco de interesse, ao invés de discutir como dividir a Antártica, passou-se a estudar maneiras de preservá-la. Criou-se o chamado Protocolo de Madri, que entrou em vigor em 1998.
  • 34. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia O protocolo recomenda que todas as atividades no continente sejam realizadas de maneira a reduzir ao mínimo o impacto da presença humana na região. Declara que a área abaixo do paralelo 60° Sul é uma ‘reserva natural, dedicada à paz e à ciência’.
  • 35. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografia -pesquisa Antártida brasileira na área de Ciências Atmosféricas busca compreender a atmosfera Antártida e sua influencia sobre o clima do Brasil. -Geologia: busca o conhecimento e a interpretação da placa tectônica Antártida e dos fundos marinhos. -pesquisas glaciológicas caracterização físico-química do manto de gelo Uma riqueza extrema: a grande quantidade de reserva de água doce que a Antártida oferece. (tal quantidade já tem despertado o interesse de algumas nações ricas em petróleo e pobres em água potável...)
  • 36. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografiahttp://www.silversea.com/pt-br/destinos/cruzeiro-antartica/ -o lixo produzido na base brasileira é transportado de volta para o Brasil, ou se possível, destruído no local (orgânico é queimado e metal, vidro e papel são acondicionados em caixas para retornar ao Brasil). -a fossa é esvaziada anualmente na troca de equipes e o conteúdo colocado em sacos plásticos e em caixas para serem levados para o Brasil Na Antártida a vida humana não seria possível sem a tecnologia (é importante lembrar que o continente não possui nada que facilite a vida humana)
  • 37. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES, disciplina de Geografiahttp://www.silversea.com/pt-br/destinos/cruzeiro-antartica/ -o lixo produzido na base brasileira é transportado de volta para o Brasil, ou se possível, destruído no local (orgânico é queimado e metal, vidro e papel são acondicionados em caixas para retornar ao Brasil). -a fossa é esvaziada anualmente na troca de equipes e o conteúdo colocado em sacos plásticos e em caixas para serem levados para o Brasil Na Antártida a vida humana não seria possível sem a tecnologia (é importante lembrar que o continente não possui nada que facilite a vida humana) Por ex: já foi medido vento de 192 km/h, no Brasil, os ventos de 80 km/h costumam causar grandes prejuízos como o destelhamento de casas e destruição de pequenas edificações. -Temperaturas médias: -litoral: 0°(verão), -15° (inverno) -interior: -32° (verão) e -65°C (inverno)