SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 71
Baixar para ler offline
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Área que representa 33% do território nacional e conta com aproximadamente 120 milhões de
pessoas.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Apresenta uma rede urbana muito articulada, ou seja, a interdependência é muito grande. Trata-
se da rede urbana mais conectada do país. Com diversos níveis de cidade (metrópoles globais,
nacionais, regionais, cidades menores, etc..)
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Imagem de
satélite da Grande
São Paulo à noite
vista da Estação
Espacial
Internacional.
Foto: NASA.
Maior
cidade de
todo o
hemisfério
sul.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
mapa das luzes noturnas (foto do Google Earth) das cidades que compõe a megalópole em formação! Percebam bem como o crescimento está mais acelerado em direção ao Interior de SP do que em direção ao Vale do
Paraíba e estado do RJ. As cidades em torno de Campinas são as que mais estão aumentando a mancha urbana (Piracicaba, Americana, Limeira, Mogi-Guaçu, etc... No caso uma possível megalópole unindo o Rio a Sampa
ficará bem mais evidente com o crescimento das cidades próximas a Resende-RJ e Cruzeiro-SP. Já Juz de Fora e Campos aparentam estarem bem ais isoladas
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Uma região
metropolitana consiste
em uma área composta
por um núcleo urbano
densamente povoado e
por suas áreas vizinhas
menos povoadas. Este
aglomerado urbano
partilha indústrias,
infraestruturas e
habitações.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
São Paulo (Região Metropolitana  19 milhões de habitantes – 39 municípios.
População SP
(2016)
44.749.699
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Qual o problema em conviver com o diferente?
A diferença afasta as pessoas?
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Qual o problema em conviver com o diferente?
A diferença afasta as pessoas?
Brasil  país de Imigrantes (mais fácil aceitar as ‘diferenças’)
EUROPA Velho continente, tradições antigas.
A França baniu, em 2004, os "símbolos religiosos
ostentatórios" de todas as escolas públicas.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
O referendo suíço de novembro de 2009
Uma das propostas era a proibição da construção de novos minaretes no país.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
http://holocausto-doc.blogspot.com.br/2013/01/grupo-extrema-direita-quer-pagar-ciganas-romenas-para-serem-esterilizadas.html
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Anders Behring Breivik
Em seu manifesto de 1.518 páginas divulgado na Internet, o atirador norueguês, 32 anos, citou o Brasil como um
"catastrófico" exemplo de miscigenação que não deve ser seguido.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Por que os russos são sempre vilões em Hollywood?
De um sádico antigo espião da KGB em Os Vingadores aos personagens malvados de Duro de Matar – Um Bom Dia para Morrer, não faltam vilões russos nas telas ultimamente.
Políticos e cineastas da Rússia já deixaram claro seu descontentamento com a maneira como a indústria cinematográfica americana retrata
personagens russos como os malvados da trama. Houve até uma ameaça de boicote dos russos aos filmes de Hollywood, trazendo à tona o debate sobre o risco que os estúdios
correm quando decidem demonizar uma nacionalidade.
Kenneth Branagh encarnou um inescrupuloso bilionário russo em 'Operação Sombra'
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Por que os russos são sempre vilões em Hollywood?
De um sádico antigo espião da KGB em Os Vingadores aos personagens malvados de Duro de Matar – Um Bom Dia para Morrer, não faltam vilões russos nas telas ultimamente.
Políticos e cineastas da Rússia já deixaram claro seu descontentamento com a maneira como a indústria cinematográfica americana retrata
personagens russos como os malvados da trama. Houve até uma ameaça de boicote dos russos aos filmes de Hollywood, trazendo à tona o debate sobre o risco que os estúdios
correm quando decidem demonizar uma nacionalidade.
Em agosto, a agência de notícias russa Interfax informou que Batu Khasikov, membro da comissão de cultura da Assembleia russa, afirmou que "os filmes nos quais as referências à Rússia fossem
negativas ou exibidas de maneira tola deveriam ter sua exibição proibida nos cinemas do país".
Mas mostrar os russos como vilões é algo que vem de longa data. "Mesmo antes da Guerra Fria, a Rússia costumava ser representada como uma ameaça geopolítica ao
Ocidente", diz James Chapman, professor de estudos do cinema na Universidade de Leicester, na Grã-Bretanha. "Mas [esse estereótipo] ganhou uma inflexão
ideológica ainda mais acentuada durante a Guerra Fria, quando começa a associação não só com a Rússia, mas também com o
comunismo soviético".
Surpreendentemente, a queda do Muro de Berlim não acabou com os vilões russos das telas. "As coisas nunca se acalmaram o suficiente para a Rússia começar a sentir que não é um inimigo
constante", diz a professora russo-americana Nina Krucheva, bisneta do líder soviético Nikita Kruchov e radicada nos Estados Unidos.
Acadêmicos veem a postura durona do presidente russo, Vladimir Putin, como o motivo para a presença cada vez maior de vilões russos atualmente. "Principalmente depois da volta de Putin à
Presidência, com um regime muito mais linha dura, surgiu essa sensação de que a Rússia continua sendo uma ameaça geopolítica e uma potência hostil, mesmo depois do fim do comunismo",
afirma Chapman.
Kenneth Branagh encarnou um inescrupuloso bilionário russo em 'Operação Sombra'
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Por que os russos são sempre vilões em Hollywood?
De um sádico antigo espião da KGB em Os Vingadores aos personagens malvados de Duro de Matar – Um Bom Dia para Morrer, não faltam vilões russos nas telas ultimamente.
Políticos e cineastas da Rússia já deixaram claro seu descontentamento com a maneira como a indústria cinematográfica americana retrata
personagens russos como os malvados da trama. Houve até uma ameaça de boicote dos russos aos filmes de Hollywood, trazendo à tona o debate sobre o risco que os estúdios
correm quando decidem demonizar uma nacionalidade.
Em agosto, a agência de notícias russa Interfax informou que Batu Khasikov, membro da comissão de cultura da Assembleia russa, afirmou que "os filmes nos quais as referências à Rússia fossem
negativas ou exibidas de maneira tola deveriam ter sua exibição proibida nos cinemas do país".
Mas mostrar os russos como vilões é algo que vem de longa data. "Mesmo antes da Guerra Fria, a Rússia costumava ser representada como uma ameaça geopolítica ao
Ocidente", diz James Chapman, professor de estudos do cinema na Universidade de Leicester, na Grã-Bretanha. "Mas [esse estereótipo] ganhou uma inflexão
ideológica ainda mais acentuada durante a Guerra Fria, quando começa a associação não só com a Rússia, mas também com o
comunismo soviético".
Surpreendentemente, a queda do Muro de Berlim não acabou com os vilões russos das telas. "As coisas nunca se acalmaram o suficiente para a Rússia começar a sentir que não é um inimigo
constante", diz a professora russo-americana Nina Krucheva, bisneta do líder soviético Nikita Kruchov e radicada nos Estados Unidos.
Acadêmicos veem a postura durona do presidente russo, Vladimir Putin, como o motivo para a presença cada vez maior de vilões russos atualmente. "Principalmente depois da volta de Putin à
Presidência, com um regime muito mais linha dura, surgiu essa sensação de que a Rússia continua sendo uma ameaça geopolítica e uma potência hostil, mesmo depois do fim do comunismo",
afirma Chapman.
Vilões da vez
Os russos podem ser os vilões da vez, mas nas últimas décadas várias raças e nacionalidades tiveram
seu momento de maldade nas telas. Durante a Segunda Guerra Mundial, por motivos óbvios, os
antagonistas dos filmes americanos eram alemães ou japoneses.
Outro grupo que vem sendo retratado negativamente há décadas, em vários
graus de intensidade, é o dos árabes e muçulmanos. Mesmo antes do sucesso de
Rodolfo Valetino em filmes como The Sheik, de 1921, havia uma tendência a se retratar os árabes
como malandros que roubavam e assassinavam.
Após os ataques do 11 de Setembro, houve uma grande preocupação entre a comunidade árabe-
americana sobre se eles seriam marcados como terroristas no cinema.
A China também teve sua parcela de vilões nas telas desde a época em que Fu
Manchu surgiu como um personagem chinês nada confiável, nos primeiros anos do cinema falado.
Quando a MGM lançou A Máscara de Fu Manchu, em 1932, a embaixada da China nos Estados Unidos
apresentou uma reclamação formal porque o personagem-título era retratado com hostilidade.
Kenneth Branagh encarnou um inescrupuloso bilionário russo em 'Operação Sombra'
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Por que os russos são sempre vilões em Hollywood?
Mas hoje mal se vê chineses malvados nos filmes hollywoodianos, porque a China se tornou um mercado vital para os estúdios.
Isso se tornou claro com o remake de 2012 de Amanhecer Violento. Assim como no original de 1984, o filme foi rodado com vilões chineses, mas por causa de preocupações com a aceitação da
produção no mercado do país, os "bad guys" foram transformados em norte-coreanos na pós-produção - não sem um custo considerável.
Novo tipo de maldade
Mas, se a Rússia representa o sétimo maior mercado de cinema do mundo, por que os estúdios se arriscam em antagonizar um de seus clientes mais importantes? Uma possibilidade é que as
reclamações dos russos sobre os filmes de Hollywood podem ter um impacto positivo para os estúdios no que se refere à publicidade. "Os produtores gostam do interesse e da atenção", diz
James Chapman.
Mas com a insatisfação cada vez maior do público russo correndo o risco de machucar as bilheterias, pode ser que os estúdios reavaliem suas posições.
Com tão poucas nacionalidades para Hollywood demonizar hoje em dia, está claro que os produtores precisam encontrar novos vilões.
O autodenominado "Estado Islâmico" poderia ser uma fonte de personagens cruéis, mas a possibilidade é encarada com cautela porque a organização é composta por pessoas de várias
nacionalidades, incluindo dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha.
Com a complexidade da geopolítica atual, é possível também que os vilões deixem de ser definidos primariamente por suas nacionalidades. Para especialistas, uma das tendências será ter como
malvados os poluidores e destruidores do meio ambiente. Esse, aliás, foi o tipo de vilão no filme de maior faturamento de todos os tempos, Avatar, de 2009.
O problema é que nenhum dos vilões atuais têm o peso daqueles de outrora. Durante a Guerra Fria, um malvado russo nas telas parecia muito mais
ameaçador porque o público sabia que os Estados Unidos e a União Soviética poderiam entrar em guerra de verdade.
Talvez tenhamos que esperar até que Hollywood encontre uma nova inspiração para reinventar o supervilão do cinema.
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2015/01/141219_vert_cul_cinema_viloes_russo
De olho no mercado, produtores de 'Amanhecer Violento' trocaram
vilões chineses por norte-coreanos
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
“Por que vocês são tão anti-ditadores?
Imagine se a América fosse uma ditadura?
Vocês poderiam deixar 1% da população ter toda a riqueza do país.
Poderiam ajudar seus amigos ricos a ficar mais ricos, diminuindo seus impostos. E pagando fiança quando eles
apostam e perdem tudo.
Vocês poderiam ignorar a necessidade dos pobres com saúde e educação.
Os meios de comunicação, iam parecer livres, mas, secretamente iam ser controlados por uma só pessoa e sua
família.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Poderiam grampear telefones e torturar prisioneiros estrangeiros. Poderiam ter eleições forjadas e mentir porque
estão em guerra. Vocês poderiam encher com um único grupo racial as prisões que ninguém iria reclamar.
Poderiam usar a imprensa para assustar as pessoas e apoiar políticas contrárias aos seus próprios interesses.
Sei que para vocês americanos isso é difícil de imaginar. Mas por favor, tentem.”
(ditador General Almirante Shabazz Aladeen)
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Quando se pensa em São Paulo deve-se lembrar que essa é a área que apresenta a maior
concentração populacional do país.
São Paulo é o maior centro do hemisfério sul.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
1-Tóquio- País: Japão (Capital: Tóquio)População atual: 36.669.000 População em 2025: 37.088.000
2-Déli - País: Índia (Capital: Nova Deli)População atual: 22.157.000 População em 2025: 28.568.000
3-São Paulo - País: Brasil(Capital: Brasília) População atual: 20.262.000 População em 2025: 21.651.000
4-Mumbai - País: Índia (Capital: Nova Deli)População atual: 20.041.000 População em 2025: 25.810.000
5-Cidade do México - País: México (Capital: Cidade do México)População atual: 19.460.000 População em 2025: 20.713.000
6-Nova York - País: Estados Unidos (Capital: Washington D.C)População atual: 19.425.000 População em 2025: 20.636.000
7-Xangai - País: China (Capital: Pequim)População atual: 16.575.000 População em 2025: 20.017.000
8-Calcutá - País: Índia (Capital: Nova Deli)População atual: 15.552.000 População em 2025: 20.112.000
9-Daca - País: Bangladesh (Capital: Daca)População atual: 14.648.000 População em 2025: 20.936.000
10-Los Angeles - País: Estados Unidos (Capital: Washington D.C)População atual: 13.156.000 População em 2025: 13.667.000
11-Karachi - País: Paquistão (Capital: Islamabad)População atual: 13.125.000 População em 2025: 16.693.000
12-Buenos Aires - País: Argentina (Capital: Buenos Aires)População atual: 13.074.000 População em 2025: 13.708.000
13-Pequim - País: China (Capital: Pequim)População atual: 12.385.000 População em 2025: 15.018.000
14-Rio de Janeiro - País: Brasil (Capital: Brasília)População atual: 11.950.000 População em 2025: 12.650.000
15-Manila - País: Filipinas (Capital: Manila)População atual: 11.628.000 População em 2025: 14.916.000
16-Osaka - País: Japão (Capital: Tóquio)População atual: 11.365.000 População em 2025: 11.368.000
17-Cairo - País: Egito (Capital: Cairo)População atual: 11.001.000 População em 2025: 13.531.000
18-Lagos - País: Nigéria (Capital: Abuja)População atual: 10.578.000 População em 2025: 15.810.000
19-Moscou - País: Rússia (Capital: Moscou)População atual: 10.550.000 População em 2025: 10.663.000
20-Istambul - País: Turquia (Capital: Ancara)População atual: 10.525.000 População em 2025: 12.108.000
Fonte: Exame. Disponível em:<http://exame.abril.com.br/ciencia/as-21-mega-cidades-do-mundo/>. Acesso em: 20 jun. 2017.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
A politica de industrialização brasileira é feita no eixo Rio-SP, mas, como o Rio de Janeiro era
também a capital do país, englobava principalmente o setor de serviços (os escritório das
grandes empresas em geral ficava no Rio) enquanto SP ficou com as indústrias.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Conhecida como core-área (coração do país), se
houver um problema com essa área, todo o resto
do país também vai ter.
Disponível em:<http://slideplayer.com.br/slide/287550/>. Acesso em: 20 jun. 2016.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Conhecida como core-área (coração do país), se houver um problema com essa área, todo o
resto do país também vai ter.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Grande coração econômico, urbano-industrial e agropecuário.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Ocupação tipicamente litorânea e mais tarde deu-se a ocupação do interior.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Os estados de SP, RJ e MG, ficaram tão saturados pela indústria que foram gerados vários
problemas urbanos que se deram a partir dessa macrocefalia urbana (trânsito, encarecimento de
imóveis, favelização, etc)
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
289 mil habitantes – Capão Redondo (que vivem com uma média
mensal de R$ 700,00)
Fonte: A Liga – Capão Redondo – Disponível em:<https://www.youtube.com/watch?v=9gOdmtRiEtY>. Acesso em: 20 jun. 2016.
(Da ponte pra cá, Racionais)
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
289 mil habitantes – Capão Redondo (que vivem com uma média
mensal de R$ 700,00)
Fonte: A Liga – Capão Redondo – Disponível em:<https://www.youtube.com/watch?v=9gOdmtRiEtY>. Acesso em: 20 jun. 2016.
(Da ponte pra cá, Racionais)
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
289 mil habitantes – Capão Redondo (que vivem com uma média
mensal de R$ 700,00)
Junto com o Jardim Ângela e Parque Santo Antônio formam o chamado
triângulo da morte (onde uma pessoa é assassinada a cada 4 dias)
Fonte: A Liga – Capão Redondo – Disponível em:<https://www.youtube.com/watch?v=9gOdmtRiEtY>. Acesso em: 20 jun. 2016.
(Da ponte pra cá, Racionais)
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
No ranking das maiores economias do mundo, a cidade de São Paulo é considerada o centro
econômico, financeiro e político mais importante da América Latina. Visto que esta concentra
riqueza na mesma lógica em que distribui miséria a uma parcela significativa da
população, a cidade-metrópole paulistana carrega, assim, a “glória” e o “peso” dessa situação.
(Da ponte pra cá, Racionais)
DASSOLER. E.R. DO TRIÂNGULO DA MORTE AO CÍRCULO DAS ARTES: UM OLHAR SOBRE A MOVIMENTAÇÃO CULTURAL DA PERIFERIA SUL DE SÃO PAULO. Disponível em: <http://www3.fe.usp.
br/secoes/inst/novo/agenda_eventos/inscricoes/PDF_SWF/11551.pdf>. Acesso em: 20 jun. 2017.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Inseridas nesse processo contraditório, as periferias urbanas se apresentam como
os grandes receptáculos de pessoas que, geralmente na condição de
migrantes, não encontram na cidade grande o sonho de “crescer na vida” e alcançar as bases,
materiais e imateriais, tão sonhadas como educação, saúde, trabalho e moradia digna. Esse
processo de periferização, de segregação socioespacial, assinala o quão perverso é o modo de
produção capitalista na sua fase atual, e nos alerta para a urgência – para a necessidade – de se
pensar novas formas de habitar, trabalhar, produzir arte, cultura e conhecimento.
(Da ponte pra cá, Racionais)
DASSOLER. E.R. DO TRIÂNGULO DA MORTE AO CÍRCULO DAS ARTES: UM OLHAR SOBRE A MOVIMENTAÇÃO CULTURAL DA PERIFERIA SUL DE SÃO PAULO. Disponível em: <http://www3.fe.usp.
br/secoes/inst/novo/agenda_eventos/inscricoes/PDF_SWF/11551.pdf>. Acesso em: 20 jun. 2017.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Para se ter uma ideia, o bairro do Jardim Ângela foi considerado em 1996 pela ONU o distrito
mais violento do mundo (FILHO, 2006). Foi nesse período que o Jardim Ângela,
juntamente com os bairros vizinhos Jardim São Luis e Capão Redondo,
ficaram conhecidos pela mídia hegemônica como o triângulo da morte,
dado os altos índices de homicídios.
(Da ponte pra cá, Racionais)
DASSOLER. E.R. DO TRIÂNGULO DA MORTE AO CÍRCULO DAS ARTES: UM OLHAR SOBRE A MOVIMENTAÇÃO CULTURAL DA PERIFERIA SUL DE SÃO PAULO. Disponível em: <http://www3.fe.usp.
br/secoes/inst/novo/agenda_eventos/inscricoes/PDF_SWF/11551.pdf>. Acesso em: 20 jun. 2017.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Hoje a situação se difere. Ainda que a região mantenha altos índices de
violência, quando comparada a outras localidades, nota-se um grande
avanço na diminuição nas taxas de homicídios. De acordo com as pesquisas do
SEADE (Sistema Estadual de Análise de Dados de São Paulo) , as taxas nessa região caíram mais
de 45% entre os anos 2000 e 2004, de, aproximadamente, 118 para 64 homicídios por cem mil
habitantes (FILHO, 2006).
(Da ponte pra cá, Racionais)
DASSOLER. E.R. DO TRIÂNGULO DA MORTE AO CÍRCULO DAS ARTES: UM OLHAR SOBRE A MOVIMENTAÇÃO CULTURAL DA PERIFERIA SUL DE SÃO PAULO. Disponível em: <http://www3.fe.usp.
br/secoes/inst/novo/agenda_eventos/inscricoes/PDF_SWF/11551.pdf>. Acesso em: 20 jun. 2017.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
As 10 maiores (e mais impressionantes) favelas do Brasil.
Fonte. Época. Disponível em:<http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/as-10-maiores-e-mais-impressionantes-favelas-do-brasil#6>. Acesso em: 20 jun. 2016.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Nesse prédio com as piscinas não
estão os mais ricos, que, por sua vez,
não moram colados aos mais pobres,
que, por sua vez, não são os
moradores de Paraisópolis.
O poder simbólico e didático da
imagem prevalece, com sua
gramática visual simples e direta.
Há quem diga que é Photoshop, o
que parece mais uma descrença no
que a cena mostra do que na foto
em si.
O absurdo da imagem nos impõe
uma sensação de derrota inaceitável:
como deixamos que as coisas
chegassem a esse ponto?
Fonte: Tuca Vieira.
Disponível em:<http://www.tucavieira.com.br/A-foto-
da-favela-de-Paraisopolis>. Acesso em: 20 jun. 2016.
A foto da favela de Paraisópolis (SP) não mostra exatamente como são as coisas.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Levando a uma desconcentração industrial (mas que, primeiro sai da capital para o seu próprio
interior) levando ao crescimento da região da mesma forma.
Os estados de SP, RJ e MG, ficaram tão saturados pela indústria que foram gerados vários problemas urbanos que se deram a partir dessa macrocefalia urbana
(trânsito, encarecimento de imóveis, favelização, etc)
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Levando a uma desconcentração industrial (mas que, primeiro sai da capital para o seu próprio
interior) levando ao crescimento da região da mesma forma.
Mudança - A indústria se desconcentra no país.
O Sudeste perde indústrias para as outras regiões, principalmente
para a Sul, favorecida pela proximidade com os países do
Mercosul.
Fonte: IBGE. Disponível em:<https://almanaque.abril.com.br/materia/cai-a-participacao-industrial-no-pib#!lightbox/0/>.
Acesso em: 20 jun. 2016.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Outro ambiente forte é o do agronegócio.
Ao mesmo tempo que é o maior polo urbano e industrial é também um dos maiores polos
agroindustrial do país.
Agronegócio ou agrobusiness: corresponde à junção de diversas atividades produtivas que
estão diretamente ligadas à produção e sub produção de produtos derivados da agricultura e
pecuária.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Maior potencia agroindustrial do Brasil é São Paulo.
Fonte: https://almanaque.abril.com.br/materia/a-agropecuaria-cresce-no-pais#
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Não porque ele tem as maiores áreas ou maiores produções, mas pela presença de Ribeirão
Preto, capital do agronegócio no Brasil (grandes feiras de tecnologia, de negócios).
Agrishow em Ribeirão Preto
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
A área de demonstração de campo da Agrishow tem 100 hectares. Na edição de 2015, a organização priorizou a prática da
agricultura de precisão nas ações.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
http://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/agrishow/2015/noticia/2015/05/nova-colheitadeira-faz-em-meia-hora-o-que-antecessora-
levava-um-dia-inteiro.html
“...a primeira colheitadeira nacional era capaz de colher 500
sacas de soja por dia. A de última geração, com 21 toneladas e
12 metros de comprimento, realiza o mesmo trabalho em meia
hora...” Fonte: G1.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
A soja é típica do sul, era restrita ao sul, mas essa região tem a menor disponibilidade de terras
do país.
O interesse do Governo brasileiro pela expansão na produção da soja fez com que a cultura ganhasse cada vez mais incentivos oficiais. Até 1975, toda a produção
brasileira de soja era realizada com cultivares e técnicas importadas dos Estados Unidos. Assim, a soja só produzia bem, em escala comercial, nos estados do Sul, onde
as cultivares americanas encontravam condições semelhantes a seu país de origem. Para atender às exigências de produção da soja foi criado, em 1975, o Centro
Nacional de Pesquisa de Soja, como uma das unidades da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Sua principal incumbência era conquistar a
independência tecnológica para a produção brasileira, que até então estava concentrada nos estados do sul do País. A crescente demanda dos
mercados interno e externo deram estabilidade aos preços do produto no mercado, o que incentivou o aumento de área. Pesquisadores da Embrapa Soja
criaram a primeira cultivar brasileira, o que permitiu que a soja produzisse em regiões tropicais (Cerrados), onde antes a planta não se
desenvolvia.
A partir de então, o Cerrado, até então visto como improdutivo para a agricultura, chama atenção de agricultores do Brasil, em especial do sul. Inicia-se uma grande
migração para as áreas do Cerrado. Hoje, o Cerrado produz cerca de 50% de toda produção nacional de soja, alcançando médias de rendimentos superiores à dos
estados do sul e à nacional.
Fonte: ECOAS. Disponível em:<http://riosvivos.org.br/a/Noticia/A+soja+no+Brasil+Central+++Expansao+agricola+no+Cerrado+brasileiro/1188>. Acesso em: 20 jun. 2016.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
A soja é típica do sul, era restrita ao sul, mas essa região tem a menor disponibilidade de terras
do país.
O interesse do Governo brasileiro pela expansão na produção da soja fez com que a cultura ganhasse cada vez mais incentivos oficiais. Até 1975, toda a produção
brasileira de soja era realizada com cultivares e técnicas importadas dos Estados Unidos. Assim, a soja só produzia bem, em escala comercial, nos estados do Sul, onde
as cultivares americanas encontravam condições semelhantes a seu país de origem. Para atender às exigências de produção da soja foi criado, em 1975, o Centro
Nacional de Pesquisa de Soja, como uma das unidades da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Sua principal incumbência era conquistar a
independência tecnológica para a produção brasileira, que até então estava concentrada nos estados do sul do País. A crescente demanda dos
mercados interno e externo deram estabilidade aos preços do produto no mercado, o que incentivou o aumento de área. Pesquisadores da Embrapa Soja
criaram a primeira cultivar brasileira, o que permitiu que a soja produzisse em regiões tropicais (Cerrados), onde antes a planta não se
desenvolvia.
A partir de então, o Cerrado, até então visto como improdutivo para a agricultura, chama atenção de agricultores do Brasil, em especial do sul. Inicia-se uma grande
migração para as áreas do Cerrado. Hoje, o Cerrado produz cerca de 50% de toda produção nacional de soja, alcançando médias de rendimentos superiores à dos
estados do sul e à nacional.
Fonte: ECOAS. Disponível em:<http://riosvivos.org.br/a/Noticia/A+soja+no+Brasil+Central+++Expansao+agricola+no+Cerrado+brasileiro/1188>. Acesso em: 20 jun. 2016.
A partir de uma modernização, vinda da região Centro-Sul (SP), foi possível adaptar
a semente da soja (que era de regiões frias) para um clima de maiores
temperaturas.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
O avanço dessa tecnologia (de mudança da semente) faz com que tenhamos mais terras
agricultáveis.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
O avanço dessa tecnologia (de mudança da semente) faz com que tenhamos mais terras
agricultáveis.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Biotecnologia é o conjunto de conhecimentos que permite a utilização de agentes biológicos
(organismos, células, organelas, moléculas) para obter bens ou assegurar serviços.
-DNA é o material genético onde estão guardadas as informações sobre a constituição de todos os seres vivos.
-A palavra CLONEé utilizada normalmente para referir-se a um organismo geneticamente igual a outro por exemplo.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Biotecnologia é o conjunto de conhecimentos que permite a utilização de agentes biológicos
(organismos, células, organelas, moléculas) para obter bens ou assegurar serviços.
-DNA é o material genético onde estão guardadas as informações sobre a constituição de todos os seres vivos.
-A palavra CLONEé utilizada normalmente para referir-se a um organismo geneticamente igual a outro por exemplo.
Os mesmos cientistas que fizeram crescer
uma orelha nas costas de um rato em
1997 anunciaram que poderá ser possível
um dia fazer um fígado artificial.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Mesma idade, tamanho diferente: em primeiro plano, o salmão sem alteração genética, e atrás, o
AquAdvantage. O transgênico não atinge tamanho maior que o peixe comum, mas chega ao tamanho de
mercado em metade do tempo
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
http://nossacausa.com/os-transgenicos-e-suas-controversias/
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Quando se fala em ir ocupando o Centro-Oeste se dá uma impressão de que era uma área vazia,
mas não era.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Era ocupada pela pecuária, com a chegada da soja, o rebanho passa a ser empurrado para outros
locais, ou seja, para a região norte.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Área onde o espaço natural foi mais transformado, em virtude da:
• intensa atividade econômica;
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Área onde o espaço natural foi mais transformado, em virtude da:
• intensa atividade econômica;
• maior índice de aproveitamento de terras para a agricultura e a pecuária;
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Área onde o espaço natural foi mais transformado, em virtude da:
• intensa atividade econômica;
• maior índice de aproveitamento de terras para a agricultura e a pecuária;
• maior densidade populacional;
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Área onde o espaço natural foi mais transformado, em virtude da:
• intensa atividade econômica;
• maior índice de aproveitamento de terras para a agricultura e a pecuária;
• maior densidade populacional;
• elevadas taxas de industrialização e urbanização, entre outros itens.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
Área onde o espaço natural foi mais transformado, em virtude da:
• intensa atividade econômica;
• maior índice de aproveitamento de terras para a agricultura e a pecuária;
• maior densidade populacional;
• elevadas taxas de industrialização e urbanização, entre outros itens.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
http://www.tucavieira.com.br/Sao-Paulo
http://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/agrishow/2015/
https://almanaque.abril.com.br/brasil#!lightbox[2015-01-27-perfil-das-regioes]/4/
http://riosvivos.org.br/a/Noticia/A+soja+no+Brasil+Central+++Expansao+agricola+no+Cerrado+brasileiro/1188
http://brasilescola.uol.com.br/brasil/a-expansao-soja-no-brasil.htm
http://www.pioneersementes.com.br/media-center/artigos/160/a-evolucao-da-produtividade-no-cerrado
http://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/agrishow/2015/noticia/2015/05/negocios-internacionais-movimentam-us-172-
milhoes-em-feira-agricola.html
http://soja.tudosobre.org/transgenicos/soja-transgenica.html
http://revistagloborural.globo.com/Revista/Common/0,,EMI183051-18285,00-ERAI+MAGGI+O+REI+DA+SOJA.html
https://fernandonogueiracosta.wordpress.com/2012/04/19/agricultura-brasileira-conquista-do-cerrado/
http://grupoplanisferio2012.blogspot.com.br/2012/08/vacase-aquecimento-global.html
http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/geografia/agronegocios.htm

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul

Maus: a história de um sobrevivente
Maus: a história de um sobreviventeMaus: a história de um sobrevivente
Maus: a história de um sobreviventeJosé Ricardo Lima
 
Século XX (1931-1970)
Século XX (1931-1970)Século XX (1931-1970)
Século XX (1931-1970)ARLINDO JUNIOR
 
Muito Além do Final Feliz: A Trajetória e a Consolidação da Telenovela como P...
Muito Além do Final Feliz: A Trajetória e a Consolidação da Telenovela como P...Muito Além do Final Feliz: A Trajetória e a Consolidação da Telenovela como P...
Muito Além do Final Feliz: A Trajetória e a Consolidação da Telenovela como P...Phillipe Xavier
 
Cinelândia: o Cinema no 1º Ano da Revista O Cruzeiro
Cinelândia: o Cinema no 1º Ano da Revista O CruzeiroCinelândia: o Cinema no 1º Ano da Revista O Cruzeiro
Cinelândia: o Cinema no 1º Ano da Revista O Cruzeiro+ Aloisio Magalhães
 
Novas aquisições biblioteca dvd
Novas aquisições biblioteca dvdNovas aquisições biblioteca dvd
Novas aquisições biblioteca dvdClaudia_San
 
A influência do cinema hollywoodiano no processo de emancipação da mulher bra...
A influência do cinema hollywoodiano no processo de emancipação da mulher bra...A influência do cinema hollywoodiano no processo de emancipação da mulher bra...
A influência do cinema hollywoodiano no processo de emancipação da mulher bra...Emerson Mathias
 
Claquete Alternativa 2015
Claquete Alternativa 2015Claquete Alternativa 2015
Claquete Alternativa 2015Felipe Henrique
 
Cinema ana martins8c
Cinema ana martins8cCinema ana martins8c
Cinema ana martins8cnavegananet
 
Terra em transe (1967) análise do filme de de glauber rocha- lucas schuab...
Terra em transe  (1967)   análise do filme de de glauber rocha-  lucas schuab...Terra em transe  (1967)   análise do filme de de glauber rocha-  lucas schuab...
Terra em transe (1967) análise do filme de de glauber rocha- lucas schuab...Lucas Schuab Vieira
 
A Representação da realidade social em The Big Lebowsky - Marcos Fuzita Murata
A Representação da realidade social em The Big Lebowsky - Marcos Fuzita MurataA Representação da realidade social em The Big Lebowsky - Marcos Fuzita Murata
A Representação da realidade social em The Big Lebowsky - Marcos Fuzita Muratabeherega
 
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdfIntrodução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdfssuser2af87a
 
Indexação e resumo de filmes
Indexação e resumo de filmesIndexação e resumo de filmes
Indexação e resumo de filmesMarina Macambyra
 
O pós guerra e o cinema expressionista alemão
O pós guerra e o cinema expressionista alemão O pós guerra e o cinema expressionista alemão
O pós guerra e o cinema expressionista alemão ianqueiroz42
 

Semelhante a Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul (20)

Maus: a história de um sobrevivente
Maus: a história de um sobreviventeMaus: a história de um sobrevivente
Maus: a história de um sobrevivente
 
Macartismo e URSS nos anos 50
Macartismo e URSS nos anos 50Macartismo e URSS nos anos 50
Macartismo e URSS nos anos 50
 
Boletim Informativo
Boletim InformativoBoletim Informativo
Boletim Informativo
 
Século XX (1931-1970)
Século XX (1931-1970)Século XX (1931-1970)
Século XX (1931-1970)
 
Fim da velha ordem 2
Fim da velha ordem 2Fim da velha ordem 2
Fim da velha ordem 2
 
Muito Além do Final Feliz: A Trajetória e a Consolidação da Telenovela como P...
Muito Além do Final Feliz: A Trajetória e a Consolidação da Telenovela como P...Muito Além do Final Feliz: A Trajetória e a Consolidação da Telenovela como P...
Muito Além do Final Feliz: A Trajetória e a Consolidação da Telenovela como P...
 
Cinelândia: o Cinema no 1º Ano da Revista O Cruzeiro
Cinelândia: o Cinema no 1º Ano da Revista O CruzeiroCinelândia: o Cinema no 1º Ano da Revista O Cruzeiro
Cinelândia: o Cinema no 1º Ano da Revista O Cruzeiro
 
Novas aquisições biblioteca dvd
Novas aquisições biblioteca dvdNovas aquisições biblioteca dvd
Novas aquisições biblioteca dvd
 
A influência do cinema hollywoodiano no processo de emancipação da mulher bra...
A influência do cinema hollywoodiano no processo de emancipação da mulher bra...A influência do cinema hollywoodiano no processo de emancipação da mulher bra...
A influência do cinema hollywoodiano no processo de emancipação da mulher bra...
 
Apresentação the books on the oscar
Apresentação the books on the oscarApresentação the books on the oscar
Apresentação the books on the oscar
 
Claquete Alternativa 2015
Claquete Alternativa 2015Claquete Alternativa 2015
Claquete Alternativa 2015
 
Cinema ana martins8c
Cinema ana martins8cCinema ana martins8c
Cinema ana martins8c
 
Terra em transe (1967) análise do filme de de glauber rocha- lucas schuab...
Terra em transe  (1967)   análise do filme de de glauber rocha-  lucas schuab...Terra em transe  (1967)   análise do filme de de glauber rocha-  lucas schuab...
Terra em transe (1967) análise do filme de de glauber rocha- lucas schuab...
 
Eav 5 terror e suspense 2
Eav 5   terror e suspense 2Eav 5   terror e suspense 2
Eav 5 terror e suspense 2
 
A Representação da realidade social em The Big Lebowsky - Marcos Fuzita Murata
A Representação da realidade social em The Big Lebowsky - Marcos Fuzita MurataA Representação da realidade social em The Big Lebowsky - Marcos Fuzita Murata
A Representação da realidade social em The Big Lebowsky - Marcos Fuzita Murata
 
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdfIntrodução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
 
Indexação e resumo de filmes
Indexação e resumo de filmesIndexação e resumo de filmes
Indexação e resumo de filmes
 
Fritz lang
Fritz langFritz lang
Fritz lang
 
O pós guerra e o cinema expressionista alemão
O pós guerra e o cinema expressionista alemão O pós guerra e o cinema expressionista alemão
O pós guerra e o cinema expressionista alemão
 
Revista FUTURAE
Revista FUTURAERevista FUTURAE
Revista FUTURAE
 

Mais de Fernanda Lopes

Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020
Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020
Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020Fernanda Lopes
 
Cap 1 da europa para o mundo
Cap 1 da europa para o mundoCap 1 da europa para o mundo
Cap 1 da europa para o mundoFernanda Lopes
 
Piores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da históriaPiores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da históriaFernanda Lopes
 
Blocos econômicos primeiro ano
Blocos econômicos  primeiro anoBlocos econômicos  primeiro ano
Blocos econômicos primeiro anoFernanda Lopes
 
Cap 14 conflitos mundiais 1
Cap 14 conflitos mundiais 1Cap 14 conflitos mundiais 1
Cap 14 conflitos mundiais 1Fernanda Lopes
 
Cap 14 b regiões geoeconômicas_ne
Cap 14 b regiões geoeconômicas_neCap 14 b regiões geoeconômicas_ne
Cap 14 b regiões geoeconômicas_neFernanda Lopes
 
Cap 14 regiões geoeconômicas amazônia
Cap 14 regiões geoeconômicas amazôniaCap 14 regiões geoeconômicas amazônia
Cap 14 regiões geoeconômicas amazôniaFernanda Lopes
 
Cap 13 mundo ex socialista
Cap 13 mundo ex socialistaCap 13 mundo ex socialista
Cap 13 mundo ex socialistaFernanda Lopes
 
Cap 13 b a região concentrada
Cap 13 b a região concentradaCap 13 b a região concentrada
Cap 13 b a região concentradaFernanda Lopes
 
Cap 12 desenvolvimento mundiallll
Cap 12 desenvolvimento mundiallllCap 12 desenvolvimento mundiallll
Cap 12 desenvolvimento mundiallllFernanda Lopes
 
Cap 12 organização politico administrativa do brasilll
Cap 12 organização politico administrativa do brasilllCap 12 organização politico administrativa do brasilll
Cap 12 organização politico administrativa do brasilllFernanda Lopes
 
Questões ambientais buraco ozônio e poluição das águas
Questões ambientais buraco ozônio e poluição das águasQuestões ambientais buraco ozônio e poluição das águas
Questões ambientais buraco ozônio e poluição das águasFernanda Lopes
 

Mais de Fernanda Lopes (20)

Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020
Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020
Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020
 
Cap 1 da europa para o mundo
Cap 1 da europa para o mundoCap 1 da europa para o mundo
Cap 1 da europa para o mundo
 
Mariana tragédia
Mariana tragédiaMariana tragédia
Mariana tragédia
 
Piores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da históriaPiores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da história
 
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
 
China conteúdo
China conteúdoChina conteúdo
China conteúdo
 
Blocos econômicos primeiro ano
Blocos econômicos  primeiro anoBlocos econômicos  primeiro ano
Blocos econômicos primeiro ano
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
Questão palestina
Questão palestinaQuestão palestina
Questão palestina
 
Conflitos mundiais 2
Conflitos mundiais 2Conflitos mundiais 2
Conflitos mundiais 2
 
Cap 14 conflitos mundiais 1
Cap 14 conflitos mundiais 1Cap 14 conflitos mundiais 1
Cap 14 conflitos mundiais 1
 
Cap 14 b regiões geoeconômicas_ne
Cap 14 b regiões geoeconômicas_neCap 14 b regiões geoeconômicas_ne
Cap 14 b regiões geoeconômicas_ne
 
Cap 14 regiões geoeconômicas amazônia
Cap 14 regiões geoeconômicas amazôniaCap 14 regiões geoeconômicas amazônia
Cap 14 regiões geoeconômicas amazônia
 
Cap 13 mundo ex socialista
Cap 13 mundo ex socialistaCap 13 mundo ex socialista
Cap 13 mundo ex socialista
 
Rússia país
Rússia paísRússia país
Rússia país
 
Cap 13 b a região concentrada
Cap 13 b a região concentradaCap 13 b a região concentrada
Cap 13 b a região concentrada
 
Cap 12 desenvolvimento mundiallll
Cap 12 desenvolvimento mundiallllCap 12 desenvolvimento mundiallll
Cap 12 desenvolvimento mundiallll
 
Cap 12 organização politico administrativa do brasilll
Cap 12 organização politico administrativa do brasilllCap 12 organização politico administrativa do brasilll
Cap 12 organização politico administrativa do brasilll
 
Questões ambientais buraco ozônio e poluição das águas
Questões ambientais buraco ozônio e poluição das águasQuestões ambientais buraco ozônio e poluição das águas
Questões ambientais buraco ozônio e poluição das águas
 
Questões ambientais
Questões ambientaisQuestões ambientais
Questões ambientais
 

Último

Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoasInsegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoasdiegosouzalira10
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptorlando dias da silva
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxprofbrunogeo95
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfManuais Formação
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasBibliotecaViatodos
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docCarolineWaitman
 

Último (20)

Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoasInsegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
 

Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul

  • 1. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
  • 2. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Área que representa 33% do território nacional e conta com aproximadamente 120 milhões de pessoas.
  • 3. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Apresenta uma rede urbana muito articulada, ou seja, a interdependência é muito grande. Trata- se da rede urbana mais conectada do país. Com diversos níveis de cidade (metrópoles globais, nacionais, regionais, cidades menores, etc..)
  • 4. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Imagem de satélite da Grande São Paulo à noite vista da Estação Espacial Internacional. Foto: NASA. Maior cidade de todo o hemisfério sul.
  • 5. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia mapa das luzes noturnas (foto do Google Earth) das cidades que compõe a megalópole em formação! Percebam bem como o crescimento está mais acelerado em direção ao Interior de SP do que em direção ao Vale do Paraíba e estado do RJ. As cidades em torno de Campinas são as que mais estão aumentando a mancha urbana (Piracicaba, Americana, Limeira, Mogi-Guaçu, etc... No caso uma possível megalópole unindo o Rio a Sampa ficará bem mais evidente com o crescimento das cidades próximas a Resende-RJ e Cruzeiro-SP. Já Juz de Fora e Campos aparentam estarem bem ais isoladas
  • 6. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
  • 7. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Uma região metropolitana consiste em uma área composta por um núcleo urbano densamente povoado e por suas áreas vizinhas menos povoadas. Este aglomerado urbano partilha indústrias, infraestruturas e habitações.
  • 8. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia São Paulo (Região Metropolitana  19 milhões de habitantes – 39 municípios. População SP (2016) 44.749.699
  • 9. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Qual o problema em conviver com o diferente? A diferença afasta as pessoas?
  • 10. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Qual o problema em conviver com o diferente? A diferença afasta as pessoas? Brasil  país de Imigrantes (mais fácil aceitar as ‘diferenças’) EUROPA Velho continente, tradições antigas. A França baniu, em 2004, os "símbolos religiosos ostentatórios" de todas as escolas públicas.
  • 11. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
  • 12. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia O referendo suíço de novembro de 2009 Uma das propostas era a proibição da construção de novos minaretes no país.
  • 13. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia http://holocausto-doc.blogspot.com.br/2013/01/grupo-extrema-direita-quer-pagar-ciganas-romenas-para-serem-esterilizadas.html
  • 14. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Anders Behring Breivik Em seu manifesto de 1.518 páginas divulgado na Internet, o atirador norueguês, 32 anos, citou o Brasil como um "catastrófico" exemplo de miscigenação que não deve ser seguido.
  • 15. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
  • 16. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
  • 17. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
  • 18. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Por que os russos são sempre vilões em Hollywood? De um sádico antigo espião da KGB em Os Vingadores aos personagens malvados de Duro de Matar – Um Bom Dia para Morrer, não faltam vilões russos nas telas ultimamente. Políticos e cineastas da Rússia já deixaram claro seu descontentamento com a maneira como a indústria cinematográfica americana retrata personagens russos como os malvados da trama. Houve até uma ameaça de boicote dos russos aos filmes de Hollywood, trazendo à tona o debate sobre o risco que os estúdios correm quando decidem demonizar uma nacionalidade. Kenneth Branagh encarnou um inescrupuloso bilionário russo em 'Operação Sombra'
  • 19. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Por que os russos são sempre vilões em Hollywood? De um sádico antigo espião da KGB em Os Vingadores aos personagens malvados de Duro de Matar – Um Bom Dia para Morrer, não faltam vilões russos nas telas ultimamente. Políticos e cineastas da Rússia já deixaram claro seu descontentamento com a maneira como a indústria cinematográfica americana retrata personagens russos como os malvados da trama. Houve até uma ameaça de boicote dos russos aos filmes de Hollywood, trazendo à tona o debate sobre o risco que os estúdios correm quando decidem demonizar uma nacionalidade. Em agosto, a agência de notícias russa Interfax informou que Batu Khasikov, membro da comissão de cultura da Assembleia russa, afirmou que "os filmes nos quais as referências à Rússia fossem negativas ou exibidas de maneira tola deveriam ter sua exibição proibida nos cinemas do país". Mas mostrar os russos como vilões é algo que vem de longa data. "Mesmo antes da Guerra Fria, a Rússia costumava ser representada como uma ameaça geopolítica ao Ocidente", diz James Chapman, professor de estudos do cinema na Universidade de Leicester, na Grã-Bretanha. "Mas [esse estereótipo] ganhou uma inflexão ideológica ainda mais acentuada durante a Guerra Fria, quando começa a associação não só com a Rússia, mas também com o comunismo soviético". Surpreendentemente, a queda do Muro de Berlim não acabou com os vilões russos das telas. "As coisas nunca se acalmaram o suficiente para a Rússia começar a sentir que não é um inimigo constante", diz a professora russo-americana Nina Krucheva, bisneta do líder soviético Nikita Kruchov e radicada nos Estados Unidos. Acadêmicos veem a postura durona do presidente russo, Vladimir Putin, como o motivo para a presença cada vez maior de vilões russos atualmente. "Principalmente depois da volta de Putin à Presidência, com um regime muito mais linha dura, surgiu essa sensação de que a Rússia continua sendo uma ameaça geopolítica e uma potência hostil, mesmo depois do fim do comunismo", afirma Chapman. Kenneth Branagh encarnou um inescrupuloso bilionário russo em 'Operação Sombra'
  • 20. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Por que os russos são sempre vilões em Hollywood? De um sádico antigo espião da KGB em Os Vingadores aos personagens malvados de Duro de Matar – Um Bom Dia para Morrer, não faltam vilões russos nas telas ultimamente. Políticos e cineastas da Rússia já deixaram claro seu descontentamento com a maneira como a indústria cinematográfica americana retrata personagens russos como os malvados da trama. Houve até uma ameaça de boicote dos russos aos filmes de Hollywood, trazendo à tona o debate sobre o risco que os estúdios correm quando decidem demonizar uma nacionalidade. Em agosto, a agência de notícias russa Interfax informou que Batu Khasikov, membro da comissão de cultura da Assembleia russa, afirmou que "os filmes nos quais as referências à Rússia fossem negativas ou exibidas de maneira tola deveriam ter sua exibição proibida nos cinemas do país". Mas mostrar os russos como vilões é algo que vem de longa data. "Mesmo antes da Guerra Fria, a Rússia costumava ser representada como uma ameaça geopolítica ao Ocidente", diz James Chapman, professor de estudos do cinema na Universidade de Leicester, na Grã-Bretanha. "Mas [esse estereótipo] ganhou uma inflexão ideológica ainda mais acentuada durante a Guerra Fria, quando começa a associação não só com a Rússia, mas também com o comunismo soviético". Surpreendentemente, a queda do Muro de Berlim não acabou com os vilões russos das telas. "As coisas nunca se acalmaram o suficiente para a Rússia começar a sentir que não é um inimigo constante", diz a professora russo-americana Nina Krucheva, bisneta do líder soviético Nikita Kruchov e radicada nos Estados Unidos. Acadêmicos veem a postura durona do presidente russo, Vladimir Putin, como o motivo para a presença cada vez maior de vilões russos atualmente. "Principalmente depois da volta de Putin à Presidência, com um regime muito mais linha dura, surgiu essa sensação de que a Rússia continua sendo uma ameaça geopolítica e uma potência hostil, mesmo depois do fim do comunismo", afirma Chapman. Vilões da vez Os russos podem ser os vilões da vez, mas nas últimas décadas várias raças e nacionalidades tiveram seu momento de maldade nas telas. Durante a Segunda Guerra Mundial, por motivos óbvios, os antagonistas dos filmes americanos eram alemães ou japoneses. Outro grupo que vem sendo retratado negativamente há décadas, em vários graus de intensidade, é o dos árabes e muçulmanos. Mesmo antes do sucesso de Rodolfo Valetino em filmes como The Sheik, de 1921, havia uma tendência a se retratar os árabes como malandros que roubavam e assassinavam. Após os ataques do 11 de Setembro, houve uma grande preocupação entre a comunidade árabe- americana sobre se eles seriam marcados como terroristas no cinema. A China também teve sua parcela de vilões nas telas desde a época em que Fu Manchu surgiu como um personagem chinês nada confiável, nos primeiros anos do cinema falado. Quando a MGM lançou A Máscara de Fu Manchu, em 1932, a embaixada da China nos Estados Unidos apresentou uma reclamação formal porque o personagem-título era retratado com hostilidade. Kenneth Branagh encarnou um inescrupuloso bilionário russo em 'Operação Sombra'
  • 21. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Por que os russos são sempre vilões em Hollywood? Mas hoje mal se vê chineses malvados nos filmes hollywoodianos, porque a China se tornou um mercado vital para os estúdios. Isso se tornou claro com o remake de 2012 de Amanhecer Violento. Assim como no original de 1984, o filme foi rodado com vilões chineses, mas por causa de preocupações com a aceitação da produção no mercado do país, os "bad guys" foram transformados em norte-coreanos na pós-produção - não sem um custo considerável. Novo tipo de maldade Mas, se a Rússia representa o sétimo maior mercado de cinema do mundo, por que os estúdios se arriscam em antagonizar um de seus clientes mais importantes? Uma possibilidade é que as reclamações dos russos sobre os filmes de Hollywood podem ter um impacto positivo para os estúdios no que se refere à publicidade. "Os produtores gostam do interesse e da atenção", diz James Chapman. Mas com a insatisfação cada vez maior do público russo correndo o risco de machucar as bilheterias, pode ser que os estúdios reavaliem suas posições. Com tão poucas nacionalidades para Hollywood demonizar hoje em dia, está claro que os produtores precisam encontrar novos vilões. O autodenominado "Estado Islâmico" poderia ser uma fonte de personagens cruéis, mas a possibilidade é encarada com cautela porque a organização é composta por pessoas de várias nacionalidades, incluindo dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha. Com a complexidade da geopolítica atual, é possível também que os vilões deixem de ser definidos primariamente por suas nacionalidades. Para especialistas, uma das tendências será ter como malvados os poluidores e destruidores do meio ambiente. Esse, aliás, foi o tipo de vilão no filme de maior faturamento de todos os tempos, Avatar, de 2009. O problema é que nenhum dos vilões atuais têm o peso daqueles de outrora. Durante a Guerra Fria, um malvado russo nas telas parecia muito mais ameaçador porque o público sabia que os Estados Unidos e a União Soviética poderiam entrar em guerra de verdade. Talvez tenhamos que esperar até que Hollywood encontre uma nova inspiração para reinventar o supervilão do cinema. http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2015/01/141219_vert_cul_cinema_viloes_russo De olho no mercado, produtores de 'Amanhecer Violento' trocaram vilões chineses por norte-coreanos
  • 22. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
  • 23. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia “Por que vocês são tão anti-ditadores? Imagine se a América fosse uma ditadura? Vocês poderiam deixar 1% da população ter toda a riqueza do país. Poderiam ajudar seus amigos ricos a ficar mais ricos, diminuindo seus impostos. E pagando fiança quando eles apostam e perdem tudo. Vocês poderiam ignorar a necessidade dos pobres com saúde e educação. Os meios de comunicação, iam parecer livres, mas, secretamente iam ser controlados por uma só pessoa e sua família.
  • 24. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Poderiam grampear telefones e torturar prisioneiros estrangeiros. Poderiam ter eleições forjadas e mentir porque estão em guerra. Vocês poderiam encher com um único grupo racial as prisões que ninguém iria reclamar. Poderiam usar a imprensa para assustar as pessoas e apoiar políticas contrárias aos seus próprios interesses. Sei que para vocês americanos isso é difícil de imaginar. Mas por favor, tentem.” (ditador General Almirante Shabazz Aladeen)
  • 25. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
  • 26. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
  • 27. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
  • 28. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Quando se pensa em São Paulo deve-se lembrar que essa é a área que apresenta a maior concentração populacional do país. São Paulo é o maior centro do hemisfério sul.
  • 29. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia 1-Tóquio- País: Japão (Capital: Tóquio)População atual: 36.669.000 População em 2025: 37.088.000 2-Déli - País: Índia (Capital: Nova Deli)População atual: 22.157.000 População em 2025: 28.568.000 3-São Paulo - País: Brasil(Capital: Brasília) População atual: 20.262.000 População em 2025: 21.651.000 4-Mumbai - País: Índia (Capital: Nova Deli)População atual: 20.041.000 População em 2025: 25.810.000 5-Cidade do México - País: México (Capital: Cidade do México)População atual: 19.460.000 População em 2025: 20.713.000 6-Nova York - País: Estados Unidos (Capital: Washington D.C)População atual: 19.425.000 População em 2025: 20.636.000 7-Xangai - País: China (Capital: Pequim)População atual: 16.575.000 População em 2025: 20.017.000 8-Calcutá - País: Índia (Capital: Nova Deli)População atual: 15.552.000 População em 2025: 20.112.000 9-Daca - País: Bangladesh (Capital: Daca)População atual: 14.648.000 População em 2025: 20.936.000 10-Los Angeles - País: Estados Unidos (Capital: Washington D.C)População atual: 13.156.000 População em 2025: 13.667.000 11-Karachi - País: Paquistão (Capital: Islamabad)População atual: 13.125.000 População em 2025: 16.693.000 12-Buenos Aires - País: Argentina (Capital: Buenos Aires)População atual: 13.074.000 População em 2025: 13.708.000 13-Pequim - País: China (Capital: Pequim)População atual: 12.385.000 População em 2025: 15.018.000 14-Rio de Janeiro - País: Brasil (Capital: Brasília)População atual: 11.950.000 População em 2025: 12.650.000 15-Manila - País: Filipinas (Capital: Manila)População atual: 11.628.000 População em 2025: 14.916.000 16-Osaka - País: Japão (Capital: Tóquio)População atual: 11.365.000 População em 2025: 11.368.000 17-Cairo - País: Egito (Capital: Cairo)População atual: 11.001.000 População em 2025: 13.531.000 18-Lagos - País: Nigéria (Capital: Abuja)População atual: 10.578.000 População em 2025: 15.810.000 19-Moscou - País: Rússia (Capital: Moscou)População atual: 10.550.000 População em 2025: 10.663.000 20-Istambul - País: Turquia (Capital: Ancara)População atual: 10.525.000 População em 2025: 12.108.000 Fonte: Exame. Disponível em:<http://exame.abril.com.br/ciencia/as-21-mega-cidades-do-mundo/>. Acesso em: 20 jun. 2017.
  • 30. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia A politica de industrialização brasileira é feita no eixo Rio-SP, mas, como o Rio de Janeiro era também a capital do país, englobava principalmente o setor de serviços (os escritório das grandes empresas em geral ficava no Rio) enquanto SP ficou com as indústrias.
  • 31. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Conhecida como core-área (coração do país), se houver um problema com essa área, todo o resto do país também vai ter. Disponível em:<http://slideplayer.com.br/slide/287550/>. Acesso em: 20 jun. 2016.
  • 32. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Conhecida como core-área (coração do país), se houver um problema com essa área, todo o resto do país também vai ter.
  • 33. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Grande coração econômico, urbano-industrial e agropecuário.
  • 34. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Ocupação tipicamente litorânea e mais tarde deu-se a ocupação do interior.
  • 35. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Os estados de SP, RJ e MG, ficaram tão saturados pela indústria que foram gerados vários problemas urbanos que se deram a partir dessa macrocefalia urbana (trânsito, encarecimento de imóveis, favelização, etc)
  • 36. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia 289 mil habitantes – Capão Redondo (que vivem com uma média mensal de R$ 700,00) Fonte: A Liga – Capão Redondo – Disponível em:<https://www.youtube.com/watch?v=9gOdmtRiEtY>. Acesso em: 20 jun. 2016. (Da ponte pra cá, Racionais)
  • 37. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia 289 mil habitantes – Capão Redondo (que vivem com uma média mensal de R$ 700,00) Fonte: A Liga – Capão Redondo – Disponível em:<https://www.youtube.com/watch?v=9gOdmtRiEtY>. Acesso em: 20 jun. 2016. (Da ponte pra cá, Racionais)
  • 38. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia 289 mil habitantes – Capão Redondo (que vivem com uma média mensal de R$ 700,00) Junto com o Jardim Ângela e Parque Santo Antônio formam o chamado triângulo da morte (onde uma pessoa é assassinada a cada 4 dias) Fonte: A Liga – Capão Redondo – Disponível em:<https://www.youtube.com/watch?v=9gOdmtRiEtY>. Acesso em: 20 jun. 2016. (Da ponte pra cá, Racionais)
  • 39. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia No ranking das maiores economias do mundo, a cidade de São Paulo é considerada o centro econômico, financeiro e político mais importante da América Latina. Visto que esta concentra riqueza na mesma lógica em que distribui miséria a uma parcela significativa da população, a cidade-metrópole paulistana carrega, assim, a “glória” e o “peso” dessa situação. (Da ponte pra cá, Racionais) DASSOLER. E.R. DO TRIÂNGULO DA MORTE AO CÍRCULO DAS ARTES: UM OLHAR SOBRE A MOVIMENTAÇÃO CULTURAL DA PERIFERIA SUL DE SÃO PAULO. Disponível em: <http://www3.fe.usp. br/secoes/inst/novo/agenda_eventos/inscricoes/PDF_SWF/11551.pdf>. Acesso em: 20 jun. 2017.
  • 40. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Inseridas nesse processo contraditório, as periferias urbanas se apresentam como os grandes receptáculos de pessoas que, geralmente na condição de migrantes, não encontram na cidade grande o sonho de “crescer na vida” e alcançar as bases, materiais e imateriais, tão sonhadas como educação, saúde, trabalho e moradia digna. Esse processo de periferização, de segregação socioespacial, assinala o quão perverso é o modo de produção capitalista na sua fase atual, e nos alerta para a urgência – para a necessidade – de se pensar novas formas de habitar, trabalhar, produzir arte, cultura e conhecimento. (Da ponte pra cá, Racionais) DASSOLER. E.R. DO TRIÂNGULO DA MORTE AO CÍRCULO DAS ARTES: UM OLHAR SOBRE A MOVIMENTAÇÃO CULTURAL DA PERIFERIA SUL DE SÃO PAULO. Disponível em: <http://www3.fe.usp. br/secoes/inst/novo/agenda_eventos/inscricoes/PDF_SWF/11551.pdf>. Acesso em: 20 jun. 2017.
  • 41. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Para se ter uma ideia, o bairro do Jardim Ângela foi considerado em 1996 pela ONU o distrito mais violento do mundo (FILHO, 2006). Foi nesse período que o Jardim Ângela, juntamente com os bairros vizinhos Jardim São Luis e Capão Redondo, ficaram conhecidos pela mídia hegemônica como o triângulo da morte, dado os altos índices de homicídios. (Da ponte pra cá, Racionais) DASSOLER. E.R. DO TRIÂNGULO DA MORTE AO CÍRCULO DAS ARTES: UM OLHAR SOBRE A MOVIMENTAÇÃO CULTURAL DA PERIFERIA SUL DE SÃO PAULO. Disponível em: <http://www3.fe.usp. br/secoes/inst/novo/agenda_eventos/inscricoes/PDF_SWF/11551.pdf>. Acesso em: 20 jun. 2017.
  • 42. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Hoje a situação se difere. Ainda que a região mantenha altos índices de violência, quando comparada a outras localidades, nota-se um grande avanço na diminuição nas taxas de homicídios. De acordo com as pesquisas do SEADE (Sistema Estadual de Análise de Dados de São Paulo) , as taxas nessa região caíram mais de 45% entre os anos 2000 e 2004, de, aproximadamente, 118 para 64 homicídios por cem mil habitantes (FILHO, 2006). (Da ponte pra cá, Racionais) DASSOLER. E.R. DO TRIÂNGULO DA MORTE AO CÍRCULO DAS ARTES: UM OLHAR SOBRE A MOVIMENTAÇÃO CULTURAL DA PERIFERIA SUL DE SÃO PAULO. Disponível em: <http://www3.fe.usp. br/secoes/inst/novo/agenda_eventos/inscricoes/PDF_SWF/11551.pdf>. Acesso em: 20 jun. 2017.
  • 43. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia As 10 maiores (e mais impressionantes) favelas do Brasil. Fonte. Época. Disponível em:<http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/as-10-maiores-e-mais-impressionantes-favelas-do-brasil#6>. Acesso em: 20 jun. 2016.
  • 44. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
  • 45. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
  • 46. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
  • 47. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia
  • 48. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Nesse prédio com as piscinas não estão os mais ricos, que, por sua vez, não moram colados aos mais pobres, que, por sua vez, não são os moradores de Paraisópolis. O poder simbólico e didático da imagem prevalece, com sua gramática visual simples e direta. Há quem diga que é Photoshop, o que parece mais uma descrença no que a cena mostra do que na foto em si. O absurdo da imagem nos impõe uma sensação de derrota inaceitável: como deixamos que as coisas chegassem a esse ponto? Fonte: Tuca Vieira. Disponível em:<http://www.tucavieira.com.br/A-foto- da-favela-de-Paraisopolis>. Acesso em: 20 jun. 2016. A foto da favela de Paraisópolis (SP) não mostra exatamente como são as coisas.
  • 49. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Levando a uma desconcentração industrial (mas que, primeiro sai da capital para o seu próprio interior) levando ao crescimento da região da mesma forma. Os estados de SP, RJ e MG, ficaram tão saturados pela indústria que foram gerados vários problemas urbanos que se deram a partir dessa macrocefalia urbana (trânsito, encarecimento de imóveis, favelização, etc)
  • 50. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Levando a uma desconcentração industrial (mas que, primeiro sai da capital para o seu próprio interior) levando ao crescimento da região da mesma forma. Mudança - A indústria se desconcentra no país. O Sudeste perde indústrias para as outras regiões, principalmente para a Sul, favorecida pela proximidade com os países do Mercosul. Fonte: IBGE. Disponível em:<https://almanaque.abril.com.br/materia/cai-a-participacao-industrial-no-pib#!lightbox/0/>. Acesso em: 20 jun. 2016.
  • 51. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Outro ambiente forte é o do agronegócio. Ao mesmo tempo que é o maior polo urbano e industrial é também um dos maiores polos agroindustrial do país. Agronegócio ou agrobusiness: corresponde à junção de diversas atividades produtivas que estão diretamente ligadas à produção e sub produção de produtos derivados da agricultura e pecuária.
  • 52. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Maior potencia agroindustrial do Brasil é São Paulo. Fonte: https://almanaque.abril.com.br/materia/a-agropecuaria-cresce-no-pais#
  • 53. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Não porque ele tem as maiores áreas ou maiores produções, mas pela presença de Ribeirão Preto, capital do agronegócio no Brasil (grandes feiras de tecnologia, de negócios). Agrishow em Ribeirão Preto
  • 54. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia A área de demonstração de campo da Agrishow tem 100 hectares. Na edição de 2015, a organização priorizou a prática da agricultura de precisão nas ações.
  • 55. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia http://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/agrishow/2015/noticia/2015/05/nova-colheitadeira-faz-em-meia-hora-o-que-antecessora- levava-um-dia-inteiro.html “...a primeira colheitadeira nacional era capaz de colher 500 sacas de soja por dia. A de última geração, com 21 toneladas e 12 metros de comprimento, realiza o mesmo trabalho em meia hora...” Fonte: G1.
  • 56. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia A soja é típica do sul, era restrita ao sul, mas essa região tem a menor disponibilidade de terras do país. O interesse do Governo brasileiro pela expansão na produção da soja fez com que a cultura ganhasse cada vez mais incentivos oficiais. Até 1975, toda a produção brasileira de soja era realizada com cultivares e técnicas importadas dos Estados Unidos. Assim, a soja só produzia bem, em escala comercial, nos estados do Sul, onde as cultivares americanas encontravam condições semelhantes a seu país de origem. Para atender às exigências de produção da soja foi criado, em 1975, o Centro Nacional de Pesquisa de Soja, como uma das unidades da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Sua principal incumbência era conquistar a independência tecnológica para a produção brasileira, que até então estava concentrada nos estados do sul do País. A crescente demanda dos mercados interno e externo deram estabilidade aos preços do produto no mercado, o que incentivou o aumento de área. Pesquisadores da Embrapa Soja criaram a primeira cultivar brasileira, o que permitiu que a soja produzisse em regiões tropicais (Cerrados), onde antes a planta não se desenvolvia. A partir de então, o Cerrado, até então visto como improdutivo para a agricultura, chama atenção de agricultores do Brasil, em especial do sul. Inicia-se uma grande migração para as áreas do Cerrado. Hoje, o Cerrado produz cerca de 50% de toda produção nacional de soja, alcançando médias de rendimentos superiores à dos estados do sul e à nacional. Fonte: ECOAS. Disponível em:<http://riosvivos.org.br/a/Noticia/A+soja+no+Brasil+Central+++Expansao+agricola+no+Cerrado+brasileiro/1188>. Acesso em: 20 jun. 2016.
  • 57. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia A soja é típica do sul, era restrita ao sul, mas essa região tem a menor disponibilidade de terras do país. O interesse do Governo brasileiro pela expansão na produção da soja fez com que a cultura ganhasse cada vez mais incentivos oficiais. Até 1975, toda a produção brasileira de soja era realizada com cultivares e técnicas importadas dos Estados Unidos. Assim, a soja só produzia bem, em escala comercial, nos estados do Sul, onde as cultivares americanas encontravam condições semelhantes a seu país de origem. Para atender às exigências de produção da soja foi criado, em 1975, o Centro Nacional de Pesquisa de Soja, como uma das unidades da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Sua principal incumbência era conquistar a independência tecnológica para a produção brasileira, que até então estava concentrada nos estados do sul do País. A crescente demanda dos mercados interno e externo deram estabilidade aos preços do produto no mercado, o que incentivou o aumento de área. Pesquisadores da Embrapa Soja criaram a primeira cultivar brasileira, o que permitiu que a soja produzisse em regiões tropicais (Cerrados), onde antes a planta não se desenvolvia. A partir de então, o Cerrado, até então visto como improdutivo para a agricultura, chama atenção de agricultores do Brasil, em especial do sul. Inicia-se uma grande migração para as áreas do Cerrado. Hoje, o Cerrado produz cerca de 50% de toda produção nacional de soja, alcançando médias de rendimentos superiores à dos estados do sul e à nacional. Fonte: ECOAS. Disponível em:<http://riosvivos.org.br/a/Noticia/A+soja+no+Brasil+Central+++Expansao+agricola+no+Cerrado+brasileiro/1188>. Acesso em: 20 jun. 2016. A partir de uma modernização, vinda da região Centro-Sul (SP), foi possível adaptar a semente da soja (que era de regiões frias) para um clima de maiores temperaturas.
  • 58. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia O avanço dessa tecnologia (de mudança da semente) faz com que tenhamos mais terras agricultáveis.
  • 59. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia O avanço dessa tecnologia (de mudança da semente) faz com que tenhamos mais terras agricultáveis.
  • 60. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Biotecnologia é o conjunto de conhecimentos que permite a utilização de agentes biológicos (organismos, células, organelas, moléculas) para obter bens ou assegurar serviços. -DNA é o material genético onde estão guardadas as informações sobre a constituição de todos os seres vivos. -A palavra CLONEé utilizada normalmente para referir-se a um organismo geneticamente igual a outro por exemplo.
  • 61. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Biotecnologia é o conjunto de conhecimentos que permite a utilização de agentes biológicos (organismos, células, organelas, moléculas) para obter bens ou assegurar serviços. -DNA é o material genético onde estão guardadas as informações sobre a constituição de todos os seres vivos. -A palavra CLONEé utilizada normalmente para referir-se a um organismo geneticamente igual a outro por exemplo. Os mesmos cientistas que fizeram crescer uma orelha nas costas de um rato em 1997 anunciaram que poderá ser possível um dia fazer um fígado artificial.
  • 62. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Mesma idade, tamanho diferente: em primeiro plano, o salmão sem alteração genética, e atrás, o AquAdvantage. O transgênico não atinge tamanho maior que o peixe comum, mas chega ao tamanho de mercado em metade do tempo
  • 63. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia http://nossacausa.com/os-transgenicos-e-suas-controversias/
  • 64. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Quando se fala em ir ocupando o Centro-Oeste se dá uma impressão de que era uma área vazia, mas não era.
  • 65. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Era ocupada pela pecuária, com a chegada da soja, o rebanho passa a ser empurrado para outros locais, ou seja, para a região norte.
  • 66. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Área onde o espaço natural foi mais transformado, em virtude da: • intensa atividade econômica;
  • 67. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Área onde o espaço natural foi mais transformado, em virtude da: • intensa atividade econômica; • maior índice de aproveitamento de terras para a agricultura e a pecuária;
  • 68. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Área onde o espaço natural foi mais transformado, em virtude da: • intensa atividade econômica; • maior índice de aproveitamento de terras para a agricultura e a pecuária; • maior densidade populacional;
  • 69. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Área onde o espaço natural foi mais transformado, em virtude da: • intensa atividade econômica; • maior índice de aproveitamento de terras para a agricultura e a pecuária; • maior densidade populacional; • elevadas taxas de industrialização e urbanização, entre outros itens.
  • 70. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia Área onde o espaço natural foi mais transformado, em virtude da: • intensa atividade econômica; • maior índice de aproveitamento de terras para a agricultura e a pecuária; • maior densidade populacional; • elevadas taxas de industrialização e urbanização, entre outros itens.
  • 71. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA LOPES, disciplina de Geografia http://www.tucavieira.com.br/Sao-Paulo http://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/agrishow/2015/ https://almanaque.abril.com.br/brasil#!lightbox[2015-01-27-perfil-das-regioes]/4/ http://riosvivos.org.br/a/Noticia/A+soja+no+Brasil+Central+++Expansao+agricola+no+Cerrado+brasileiro/1188 http://brasilescola.uol.com.br/brasil/a-expansao-soja-no-brasil.htm http://www.pioneersementes.com.br/media-center/artigos/160/a-evolucao-da-produtividade-no-cerrado http://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/agrishow/2015/noticia/2015/05/negocios-internacionais-movimentam-us-172- milhoes-em-feira-agricola.html http://soja.tudosobre.org/transgenicos/soja-transgenica.html http://revistagloborural.globo.com/Revista/Common/0,,EMI183051-18285,00-ERAI+MAGGI+O+REI+DA+SOJA.html https://fernandonogueiracosta.wordpress.com/2012/04/19/agricultura-brasileira-conquista-do-cerrado/ http://grupoplanisferio2012.blogspot.com.br/2012/08/vacase-aquecimento-global.html http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/geografia/agronegocios.htm