SlideShare uma empresa Scribd logo
Processo em Terapia OcupacionalGrupo OT 5 - 1º Ano curso de Terapia Ocupacional
Ano letivo 2016/2017
1. Perfil Ocupacional
Resumo da história
ocupacional,
experiências,
necessidades,
interesses, hábitos e
objetivos,
relativamente ao
cliente.
Foca descobrir o que o cliente deseja e necessita
fazer utilizando métodos de avaliação. Por
exemplo, observação, entrevista e questionários
entre outros.
Avaliação
2. Análise do desempenho
ocupacional
Centra-se nas
competências de
desempenho necessárias a
várias ocupações, tendo em
atenção os fatores
inerentes ao cliente e
requisitos da atividade que
influenciam a sua
realização.
Intervenção
Serviços especializados prestados pelo terapeuta
ocupacional ao cliente de modo a melhorar a sua
saúde, o seu bem-estar e participação.
Abrange diferentes etapas:
1. Plano de
intervenção
Orienta as ações do
terapeuta
ocupacional,
descreve as
abordagens da
terapia ocupacional
e os tipos de
intervenções
selecionados de
forma a atingir os
resultados
identificados pelo
cliente.
3. Revisão da
intervenção
Processo contínuo de
reavaliação e revisão
do plano de
intervenção, da
eficácia obtida por
este e do progresso
com vista à obtenção
de resultados.
Resultados
Os resultados baseiam-se na construção do equilíbrio
ocupacional e melhoram a participação na vida ativa do cliente
através do envolvimento em ocupações. Podem ser utilizados
para planear futuras intervenções e para avaliar a qualidade do
serviço do terapeuta ocupacional .
2. Implementação da
intervenção
Processo de colocar o
plano em prática. Envolve a
alteração dos fatores do
cliente, atividade, contexto
e ambiente, tendo como
objetivo atingir mudanças
positivas no envolvimento
do cliente, numa ocupação,
na saúde e na participação.
Assim, estes são definidos como o produto de todo o processo.
Forma como os terapeutas ocupacionais empregam os seus conhecimentos. O processo da terapia ocupacional utiliza uma
abordagem centrada no cliente na prestação dos seus serviços, cooperando com este para que os seus objetivos sejam
atingidos. O cliente pode estar a vivenciar mudanças transformacionais e/ou catastróficas. Durante o processo podem ser
aplicadas mudanças incrementais ou transformacionais como forma de melhorar o desempenho ocupacional. O Processo em
Terapia Ocupacional divide-se em três fases, nomeadamente, avaliação, intervenção e resultados.
Exemplos de:
Instrumentos de avaliação:
• OSA; questionário ocupacional; entrevista; check-list
Perguntas a fazer no perfil ocupacional:
• Quais as prioridades e os resultados pretendidos pelo cliente?
Quem é o cliente? Porque é que o cliente procura os serviços?
Análise do desempenho
• Observa-se o desempenho do cliente nas atividades/ocupações;
Interpretar a informação recolhida durante a avaliação;
Desenvolver e redefinir hipóteses acerca do que influencia o
desempenho ocupacional
Tipos de abordagens
Criar ou promover (a saúde e bem-estar);
Estabelecer ou Restabelecer (reabilitação de uma habilidade ou competência);
Manter (preservar as competências de desempenho);
Modificar (adaptar o ambiente e o contexto);
Prevenir (eventuais incapacidades e disfunções ocupacionais).
Tipos de intervenção
Uso terapêutico
do eu
Tem como objetivo melhorar a relação terapêutica, baseando-
se na empatia, meio da narrativa e do raciocínio clinico.
Uso terapêutico
das ocupações e
atividades
Envolver o paciente em ocupações e atividades específicas que
vão de encontro aos objetivos terapêuticos
Processo de
consultadoria
Momento da intervenção em que os terapeutas aplicam os seus
conhecimentos e mestria na relação terapêutica.
Processo
educativo
Partilha de conhecimento e informação sobre a ocupação,
saúde e participação.
Advocacy
Promover a escolha dos recursos necessários para a ocupação
pelo cliente.
Conclusão
O processo em Terapia Ocupacional relaciona-se com o modelo da ocupação humana e é a forma como o terapeuta presta serviços ao cliente. Na fase da
avaliação, são recolhidos todos os dados considerados relevantes. Posteriormente, na intervenção são implementados os objetivos que foram propostos. Por fim,
na monitorização de resultados, o terapeuta verifica se a intervenção foi eficaz e se os objetivos foram atingidos.
Considerando a conjugação entre a tríade pessoa, ocupação e ambiente e o processo é expectável que haja uma melhoria na qualidade de vida e na participação
do cliente.
Bibliografia:
1. Marques A, Trigueiro MJ. (2011) Enquadramento da Prática da Terapia Ocupacional: Domínio e Processos. 2ª Edição. Livpsic.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Estratégias de Intervenção Comportamental no Tratamento do Transtorno Desafia...
Estratégias de Intervenção Comportamental no Tratamento do Transtorno Desafia...Estratégias de Intervenção Comportamental no Tratamento do Transtorno Desafia...
Estratégias de Intervenção Comportamental no Tratamento do Transtorno Desafia...
Renata de Moura Guedes
 
Oficina de serviço social elaboração de relatórios e laudos.
Oficina de serviço social   elaboração de relatórios e laudos.Oficina de serviço social   elaboração de relatórios e laudos.
Oficina de serviço social elaboração de relatórios e laudos.
Rosane Domingues
 
Saúde mental e trabalho: prazer, sofrimento e adoecimento
Saúde mental e trabalho: prazer, sofrimento e adoecimentoSaúde mental e trabalho: prazer, sofrimento e adoecimento
Saúde mental e trabalho: prazer, sofrimento e adoecimento
Vida Mental Consultoria de Saúde Mental e Nutricional
 
OFICINA DE SERVIÇO SOCIAL - ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS E LAUDOS.
OFICINA DE SERVIÇO SOCIAL - ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS E LAUDOS.OFICINA DE SERVIÇO SOCIAL - ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS E LAUDOS.
OFICINA DE SERVIÇO SOCIAL - ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS E LAUDOS.
Rosane Domingues
 
Aula psicologia organizacional e do trabalho
Aula psicologia organizacional e do trabalhoAula psicologia organizacional e do trabalho
Aula psicologia organizacional e do trabalho
Luisa Sena
 
COMO FAZER RELATÓRIOS
COMO FAZER RELATÓRIOSCOMO FAZER RELATÓRIOS
COMO FAZER RELATÓRIOS
Daiane Daine
 
Trabalho infantil
Trabalho infantilTrabalho infantil
Trabalho infantil
Fatima Freitas
 
Relacionamento Interpessoal
Relacionamento Interpessoal Relacionamento Interpessoal
Relacionamento Interpessoal
Carmen Pinto
 
Aula 1_ Saude Mental do Trab.pptx
Aula 1_ Saude Mental do Trab.pptxAula 1_ Saude Mental do Trab.pptx
Aula 1_ Saude Mental do Trab.pptx
MonicaMartins86
 
Pesquisa sobre conceitos de Ciência Ocupacional
Pesquisa sobre conceitos de Ciência OcupacionalPesquisa sobre conceitos de Ciência Ocupacional
Pesquisa sobre conceitos de Ciência Ocupacional
Grupo OT5
 
Autismo
AutismoAutismo
O jovem na sociedade
O jovem na sociedadeO jovem na sociedade
O jovem na sociedade
dinicmax
 
Psicologia Organizacional
Psicologia OrganizacionalPsicologia Organizacional
Psicologia Organizacional
Cristofer Castillo
 
Autismo
AutismoAutismo
Modelo parecer social
Modelo  parecer socialModelo  parecer social
Modelo parecer social
Rosane Domingues
 
Relatório final de estágio
Relatório final de estágio Relatório final de estágio
Relatório final de estágio
Monique Elen Rodrigues de Araújo Oliveira
 
Carreira e profissões introdução
Carreira e profissões introduçãoCarreira e profissões introdução
Carreira e profissões introdução
Sandra Marques
 
Comportamento social-v1
Comportamento social-v1Comportamento social-v1
Comportamento social-v1
Nilson Dias Castelano
 
Desenvolvimento Humano
Desenvolvimento HumanoDesenvolvimento Humano
Desenvolvimento Humano
andressa bonn
 
Psicologia aplicada a enfermagem
Psicologia aplicada a enfermagemPsicologia aplicada a enfermagem
Psicologia aplicada a enfermagem
Luiz Maciel
 

Mais procurados (20)

Estratégias de Intervenção Comportamental no Tratamento do Transtorno Desafia...
Estratégias de Intervenção Comportamental no Tratamento do Transtorno Desafia...Estratégias de Intervenção Comportamental no Tratamento do Transtorno Desafia...
Estratégias de Intervenção Comportamental no Tratamento do Transtorno Desafia...
 
Oficina de serviço social elaboração de relatórios e laudos.
Oficina de serviço social   elaboração de relatórios e laudos.Oficina de serviço social   elaboração de relatórios e laudos.
Oficina de serviço social elaboração de relatórios e laudos.
 
Saúde mental e trabalho: prazer, sofrimento e adoecimento
Saúde mental e trabalho: prazer, sofrimento e adoecimentoSaúde mental e trabalho: prazer, sofrimento e adoecimento
Saúde mental e trabalho: prazer, sofrimento e adoecimento
 
OFICINA DE SERVIÇO SOCIAL - ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS E LAUDOS.
OFICINA DE SERVIÇO SOCIAL - ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS E LAUDOS.OFICINA DE SERVIÇO SOCIAL - ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS E LAUDOS.
OFICINA DE SERVIÇO SOCIAL - ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS E LAUDOS.
 
Aula psicologia organizacional e do trabalho
Aula psicologia organizacional e do trabalhoAula psicologia organizacional e do trabalho
Aula psicologia organizacional e do trabalho
 
COMO FAZER RELATÓRIOS
COMO FAZER RELATÓRIOSCOMO FAZER RELATÓRIOS
COMO FAZER RELATÓRIOS
 
Trabalho infantil
Trabalho infantilTrabalho infantil
Trabalho infantil
 
Relacionamento Interpessoal
Relacionamento Interpessoal Relacionamento Interpessoal
Relacionamento Interpessoal
 
Aula 1_ Saude Mental do Trab.pptx
Aula 1_ Saude Mental do Trab.pptxAula 1_ Saude Mental do Trab.pptx
Aula 1_ Saude Mental do Trab.pptx
 
Pesquisa sobre conceitos de Ciência Ocupacional
Pesquisa sobre conceitos de Ciência OcupacionalPesquisa sobre conceitos de Ciência Ocupacional
Pesquisa sobre conceitos de Ciência Ocupacional
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
O jovem na sociedade
O jovem na sociedadeO jovem na sociedade
O jovem na sociedade
 
Psicologia Organizacional
Psicologia OrganizacionalPsicologia Organizacional
Psicologia Organizacional
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Modelo parecer social
Modelo  parecer socialModelo  parecer social
Modelo parecer social
 
Relatório final de estágio
Relatório final de estágio Relatório final de estágio
Relatório final de estágio
 
Carreira e profissões introdução
Carreira e profissões introduçãoCarreira e profissões introdução
Carreira e profissões introdução
 
Comportamento social-v1
Comportamento social-v1Comportamento social-v1
Comportamento social-v1
 
Desenvolvimento Humano
Desenvolvimento HumanoDesenvolvimento Humano
Desenvolvimento Humano
 
Psicologia aplicada a enfermagem
Psicologia aplicada a enfermagemPsicologia aplicada a enfermagem
Psicologia aplicada a enfermagem
 

Destaque

Conteúdos de CSH.
Conteúdos de CSH.Conteúdos de CSH.
Conteúdos de CSH.
Grupo OT5
 
Running as an Occupation
Running as an Occupation Running as an Occupation
Running as an Occupation
Grupo OT5
 
Ficha de Trabalho: IKIGAI
Ficha de Trabalho: IKIGAIFicha de Trabalho: IKIGAI
Ficha de Trabalho: IKIGAI
Grupo OT5
 
Ficha de trabalho: Narrativa do Roberto
Ficha de trabalho:  Narrativa do RobertoFicha de trabalho:  Narrativa do Roberto
Ficha de trabalho: Narrativa do Roberto
Grupo OT5
 
Conteúdos lecionados de Terapia Ocupacional
Conteúdos lecionados de Terapia OcupacionalConteúdos lecionados de Terapia Ocupacional
Conteúdos lecionados de Terapia Ocupacional
Grupo OT5
 
Organização do Portefólio
Organização do Portefólio Organização do Portefólio
Organização do Portefólio
Grupo OT5
 
Relatório filme "Amigos Improváveis"
Relatório filme "Amigos Improváveis" Relatório filme "Amigos Improváveis"
Relatório filme "Amigos Improváveis"
Grupo OT5
 
Pesquisa sobre Ocupação e Saúde
Pesquisa sobre Ocupação e SaúdePesquisa sobre Ocupação e Saúde
Pesquisa sobre Ocupação e Saúde
Grupo OT5
 

Destaque (8)

Conteúdos de CSH.
Conteúdos de CSH.Conteúdos de CSH.
Conteúdos de CSH.
 
Running as an Occupation
Running as an Occupation Running as an Occupation
Running as an Occupation
 
Ficha de Trabalho: IKIGAI
Ficha de Trabalho: IKIGAIFicha de Trabalho: IKIGAI
Ficha de Trabalho: IKIGAI
 
Ficha de trabalho: Narrativa do Roberto
Ficha de trabalho:  Narrativa do RobertoFicha de trabalho:  Narrativa do Roberto
Ficha de trabalho: Narrativa do Roberto
 
Conteúdos lecionados de Terapia Ocupacional
Conteúdos lecionados de Terapia OcupacionalConteúdos lecionados de Terapia Ocupacional
Conteúdos lecionados de Terapia Ocupacional
 
Organização do Portefólio
Organização do Portefólio Organização do Portefólio
Organização do Portefólio
 
Relatório filme "Amigos Improváveis"
Relatório filme "Amigos Improváveis" Relatório filme "Amigos Improváveis"
Relatório filme "Amigos Improváveis"
 
Pesquisa sobre Ocupação e Saúde
Pesquisa sobre Ocupação e SaúdePesquisa sobre Ocupação e Saúde
Pesquisa sobre Ocupação e Saúde
 

Semelhante a Poster- Resumo das aulas TO 3.º Problema

Aula+-+Estrutura+do+tratamento.pdf
Aula+-+Estrutura+do+tratamento.pdfAula+-+Estrutura+do+tratamento.pdf
Aula+-+Estrutura+do+tratamento.pdf
Julianamarciafonseca
 
A avaliação inicial no processo de trabalho do TErapeuta Ocupacional
A avaliação inicial no processo de trabalho do TErapeuta OcupacionalA avaliação inicial no processo de trabalho do TErapeuta Ocupacional
A avaliação inicial no processo de trabalho do TErapeuta Ocupacional
Bárbara Pádua
 
Histórico do Diagnóstico em fisioterapia.pptx
Histórico do Diagnóstico em fisioterapia.pptxHistórico do Diagnóstico em fisioterapia.pptx
Histórico do Diagnóstico em fisioterapia.pptx
jlmasousa
 
Mapeamento e Melhoria Contínua de Processos em Clínicas Odontológicas.pdf
Mapeamento e Melhoria Contínua de Processos em Clínicas Odontológicas.pdfMapeamento e Melhoria Contínua de Processos em Clínicas Odontológicas.pdf
Mapeamento e Melhoria Contínua de Processos em Clínicas Odontológicas.pdf
Senior Consultoria em Gestão e Marketing
 
2011 mauricio mesquitalima
2011 mauricio mesquitalima2011 mauricio mesquitalima
2011 mauricio mesquitalima
Wesley Silva Dos Santos
 
Motivação de Equipes na Clínica - Estratégias para Manter Funcionários Engaja...
Motivação de Equipes na Clínica - Estratégias para Manter Funcionários Engaja...Motivação de Equipes na Clínica - Estratégias para Manter Funcionários Engaja...
Motivação de Equipes na Clínica - Estratégias para Manter Funcionários Engaja...
Senior Consultoria em Gestão e Marketing
 
Banner QVT Terapias Alternativas
Banner QVT Terapias AlternativasBanner QVT Terapias Alternativas
Banner QVT Terapias Alternativas
jujucoelho
 
Gestão da Qualidade Em Saúde
Gestão da Qualidade Em SaúdeGestão da Qualidade Em Saúde
Gestão da Qualidade Em Saúde
Alex Eduardo Ribeiro
 
Health services - Intervention proposal
Health services - Intervention proposalHealth services - Intervention proposal
Health services - Intervention proposal
groupVision | optimizing group collaboration
 
RH carreiras contratações recursos humanos
RH carreiras contratações recursos humanosRH carreiras contratações recursos humanos
RH carreiras contratações recursos humanos
DouglasRenatoStrozzy
 
Promosaudecasosucessoiess
PromosaudecasosucessoiessPromosaudecasosucessoiess
Promosaudecasosucessoiess
Priscila Costa
 
Ocupação artigo
Ocupação artigoOcupação artigo
Ocupação artigo
OTutorial2
 
7332 283-pb
7332 283-pb7332 283-pb
7332 283-pb
OTutorial2
 
Análise e Gestão de Competências
Análise e Gestão de CompetênciasAnálise e Gestão de Competências
Análise e Gestão de Competências
Giulia Pizzignacco
 
Competencias Teste
Competencias TesteCompetencias Teste
Competencias Teste
TesteGiulia
 
Processo de enfermagem 2015
Processo de enfermagem 2015Processo de enfermagem 2015
Processo de enfermagem 2015
Ellen Priscilla
 
Avaliação cognitivo comportamental
Avaliação cognitivo comportamentalAvaliação cognitivo comportamental
Avaliação cognitivo comportamental
Elizabeth Barbosa
 
N38 39a15: Souza; Silva; Boff; Trindade; Oliveira - Características do Trein...
N38 39a15: Souza; Silva; Boff; Trindade; Oliveira - Características do Trein...N38 39a15: Souza; Silva; Boff; Trindade; Oliveira - Características do Trein...
N38 39a15: Souza; Silva; Boff; Trindade; Oliveira - Características do Trein...
Flora Couto
 
A Qualidade e a Avaliação dos Serviços de Saúde e de Enfermagem
A Qualidade e a Avaliação dos Serviços de Saúde e de EnfermagemA Qualidade e a Avaliação dos Serviços de Saúde e de Enfermagem
A Qualidade e a Avaliação dos Serviços de Saúde e de Enfermagem
Centro Universitário Ages
 
Cuidado em saúde
Cuidado em saúdeCuidado em saúde
Cuidado em saúde
gisorte
 

Semelhante a Poster- Resumo das aulas TO 3.º Problema (20)

Aula+-+Estrutura+do+tratamento.pdf
Aula+-+Estrutura+do+tratamento.pdfAula+-+Estrutura+do+tratamento.pdf
Aula+-+Estrutura+do+tratamento.pdf
 
A avaliação inicial no processo de trabalho do TErapeuta Ocupacional
A avaliação inicial no processo de trabalho do TErapeuta OcupacionalA avaliação inicial no processo de trabalho do TErapeuta Ocupacional
A avaliação inicial no processo de trabalho do TErapeuta Ocupacional
 
Histórico do Diagnóstico em fisioterapia.pptx
Histórico do Diagnóstico em fisioterapia.pptxHistórico do Diagnóstico em fisioterapia.pptx
Histórico do Diagnóstico em fisioterapia.pptx
 
Mapeamento e Melhoria Contínua de Processos em Clínicas Odontológicas.pdf
Mapeamento e Melhoria Contínua de Processos em Clínicas Odontológicas.pdfMapeamento e Melhoria Contínua de Processos em Clínicas Odontológicas.pdf
Mapeamento e Melhoria Contínua de Processos em Clínicas Odontológicas.pdf
 
2011 mauricio mesquitalima
2011 mauricio mesquitalima2011 mauricio mesquitalima
2011 mauricio mesquitalima
 
Motivação de Equipes na Clínica - Estratégias para Manter Funcionários Engaja...
Motivação de Equipes na Clínica - Estratégias para Manter Funcionários Engaja...Motivação de Equipes na Clínica - Estratégias para Manter Funcionários Engaja...
Motivação de Equipes na Clínica - Estratégias para Manter Funcionários Engaja...
 
Banner QVT Terapias Alternativas
Banner QVT Terapias AlternativasBanner QVT Terapias Alternativas
Banner QVT Terapias Alternativas
 
Gestão da Qualidade Em Saúde
Gestão da Qualidade Em SaúdeGestão da Qualidade Em Saúde
Gestão da Qualidade Em Saúde
 
Health services - Intervention proposal
Health services - Intervention proposalHealth services - Intervention proposal
Health services - Intervention proposal
 
RH carreiras contratações recursos humanos
RH carreiras contratações recursos humanosRH carreiras contratações recursos humanos
RH carreiras contratações recursos humanos
 
Promosaudecasosucessoiess
PromosaudecasosucessoiessPromosaudecasosucessoiess
Promosaudecasosucessoiess
 
Ocupação artigo
Ocupação artigoOcupação artigo
Ocupação artigo
 
7332 283-pb
7332 283-pb7332 283-pb
7332 283-pb
 
Análise e Gestão de Competências
Análise e Gestão de CompetênciasAnálise e Gestão de Competências
Análise e Gestão de Competências
 
Competencias Teste
Competencias TesteCompetencias Teste
Competencias Teste
 
Processo de enfermagem 2015
Processo de enfermagem 2015Processo de enfermagem 2015
Processo de enfermagem 2015
 
Avaliação cognitivo comportamental
Avaliação cognitivo comportamentalAvaliação cognitivo comportamental
Avaliação cognitivo comportamental
 
N38 39a15: Souza; Silva; Boff; Trindade; Oliveira - Características do Trein...
N38 39a15: Souza; Silva; Boff; Trindade; Oliveira - Características do Trein...N38 39a15: Souza; Silva; Boff; Trindade; Oliveira - Características do Trein...
N38 39a15: Souza; Silva; Boff; Trindade; Oliveira - Características do Trein...
 
A Qualidade e a Avaliação dos Serviços de Saúde e de Enfermagem
A Qualidade e a Avaliação dos Serviços de Saúde e de EnfermagemA Qualidade e a Avaliação dos Serviços de Saúde e de Enfermagem
A Qualidade e a Avaliação dos Serviços de Saúde e de Enfermagem
 
Cuidado em saúde
Cuidado em saúdeCuidado em saúde
Cuidado em saúde
 

Mais de Grupo OT5

Ata 1
Ata 1Ata 1
Ata 1
Grupo OT5
 
Ata 1
Ata 1Ata 1
Ata 1
Grupo OT5
 
Narrativa do David - MOH.
Narrativa do David - MOH.Narrativa do David - MOH.
Narrativa do David - MOH.
Grupo OT5
 
Narrativa do Jon - MOH.
Narrativa do Jon - MOH.Narrativa do Jon - MOH.
Narrativa do Jon - MOH.
Grupo OT5
 
Narrativa do John - MOH
Narrativa do John - MOHNarrativa do John - MOH
Narrativa do John - MOH
Grupo OT5
 
Narrativa do David - MOH
Narrativa do David - MOHNarrativa do David - MOH
Narrativa do David - MOH
Grupo OT5
 
14 18-novembro
14 18-novembro14 18-novembro
14 18-novembro
Grupo OT5
 
Estrutura da prática da Terapia Ocupacional 3ª edição
Estrutura da prática da Terapia Ocupacional  3ª ediçãoEstrutura da prática da Terapia Ocupacional  3ª edição
Estrutura da prática da Terapia Ocupacional 3ª edição
Grupo OT5
 
Ata 14
Ata 14Ata 14
Ata 14
Grupo OT5
 
Grelhas de Observação
Grelhas de ObservaçãoGrelhas de Observação
Grelhas de Observação
Grupo OT5
 
Esquema sobre o processo em Terapia Ocupacional
Esquema sobre o processo em Terapia OcupacionalEsquema sobre o processo em Terapia Ocupacional
Esquema sobre o processo em Terapia Ocupacional
Grupo OT5
 
Grelha de Observação segundo o EPTO
Grelha de Observação segundo o EPTOGrelha de Observação segundo o EPTO
Grelha de Observação segundo o EPTO
Grupo OT5
 
Pesquisa sobre Ocupação e Saúde
Pesquisa sobre Ocupação e SaúdePesquisa sobre Ocupação e Saúde
Pesquisa sobre Ocupação e Saúde
Grupo OT5
 
Definitions of occupational balance and their coverage by instruments
Definitions of occupational balance and their  coverage by instrumentsDefinitions of occupational balance and their  coverage by instruments
Definitions of occupational balance and their coverage by instruments
Grupo OT5
 
Textos de antropologia a ciência do costume
Textos de antropologia   a ciência do costumeTextos de antropologia   a ciência do costume
Textos de antropologia a ciência do costume
Grupo OT5
 
Occupational balance as used in occupational therapy: A concept analysis
Occupational balance as used in occupational therapy: A concept  analysisOccupational balance as used in occupational therapy: A concept  analysis
Occupational balance as used in occupational therapy: A concept analysis
Grupo OT5
 
Occupational balance: The relationship between daily occupations and wellbeing
Occupational balance: The relationship  between daily occupations and wellbeingOccupational balance: The relationship  between daily occupations and wellbeing
Occupational balance: The relationship between daily occupations and wellbeing
Grupo OT5
 
Exploring occupational balance in adults in Sweden
Exploring occupational balance in adults in SwedenExploring occupational balance in adults in Sweden
Exploring occupational balance in adults in Sweden
Grupo OT5
 
Conteúdos de CSH
Conteúdos de CSHConteúdos de CSH
Conteúdos de CSH
Grupo OT5
 
Introdução à Ciência Ocupacional
Introdução à Ciência OcupacionalIntrodução à Ciência Ocupacional
Introdução à Ciência Ocupacional
Grupo OT5
 

Mais de Grupo OT5 (20)

Ata 1
Ata 1Ata 1
Ata 1
 
Ata 1
Ata 1Ata 1
Ata 1
 
Narrativa do David - MOH.
Narrativa do David - MOH.Narrativa do David - MOH.
Narrativa do David - MOH.
 
Narrativa do Jon - MOH.
Narrativa do Jon - MOH.Narrativa do Jon - MOH.
Narrativa do Jon - MOH.
 
Narrativa do John - MOH
Narrativa do John - MOHNarrativa do John - MOH
Narrativa do John - MOH
 
Narrativa do David - MOH
Narrativa do David - MOHNarrativa do David - MOH
Narrativa do David - MOH
 
14 18-novembro
14 18-novembro14 18-novembro
14 18-novembro
 
Estrutura da prática da Terapia Ocupacional 3ª edição
Estrutura da prática da Terapia Ocupacional  3ª ediçãoEstrutura da prática da Terapia Ocupacional  3ª edição
Estrutura da prática da Terapia Ocupacional 3ª edição
 
Ata 14
Ata 14Ata 14
Ata 14
 
Grelhas de Observação
Grelhas de ObservaçãoGrelhas de Observação
Grelhas de Observação
 
Esquema sobre o processo em Terapia Ocupacional
Esquema sobre o processo em Terapia OcupacionalEsquema sobre o processo em Terapia Ocupacional
Esquema sobre o processo em Terapia Ocupacional
 
Grelha de Observação segundo o EPTO
Grelha de Observação segundo o EPTOGrelha de Observação segundo o EPTO
Grelha de Observação segundo o EPTO
 
Pesquisa sobre Ocupação e Saúde
Pesquisa sobre Ocupação e SaúdePesquisa sobre Ocupação e Saúde
Pesquisa sobre Ocupação e Saúde
 
Definitions of occupational balance and their coverage by instruments
Definitions of occupational balance and their  coverage by instrumentsDefinitions of occupational balance and their  coverage by instruments
Definitions of occupational balance and their coverage by instruments
 
Textos de antropologia a ciência do costume
Textos de antropologia   a ciência do costumeTextos de antropologia   a ciência do costume
Textos de antropologia a ciência do costume
 
Occupational balance as used in occupational therapy: A concept analysis
Occupational balance as used in occupational therapy: A concept  analysisOccupational balance as used in occupational therapy: A concept  analysis
Occupational balance as used in occupational therapy: A concept analysis
 
Occupational balance: The relationship between daily occupations and wellbeing
Occupational balance: The relationship  between daily occupations and wellbeingOccupational balance: The relationship  between daily occupations and wellbeing
Occupational balance: The relationship between daily occupations and wellbeing
 
Exploring occupational balance in adults in Sweden
Exploring occupational balance in adults in SwedenExploring occupational balance in adults in Sweden
Exploring occupational balance in adults in Sweden
 
Conteúdos de CSH
Conteúdos de CSHConteúdos de CSH
Conteúdos de CSH
 
Introdução à Ciência Ocupacional
Introdução à Ciência OcupacionalIntrodução à Ciência Ocupacional
Introdução à Ciência Ocupacional
 

Último

Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
CamilaSouza544051
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 

Poster- Resumo das aulas TO 3.º Problema

  • 1. Processo em Terapia OcupacionalGrupo OT 5 - 1º Ano curso de Terapia Ocupacional Ano letivo 2016/2017 1. Perfil Ocupacional Resumo da história ocupacional, experiências, necessidades, interesses, hábitos e objetivos, relativamente ao cliente. Foca descobrir o que o cliente deseja e necessita fazer utilizando métodos de avaliação. Por exemplo, observação, entrevista e questionários entre outros. Avaliação 2. Análise do desempenho ocupacional Centra-se nas competências de desempenho necessárias a várias ocupações, tendo em atenção os fatores inerentes ao cliente e requisitos da atividade que influenciam a sua realização. Intervenção Serviços especializados prestados pelo terapeuta ocupacional ao cliente de modo a melhorar a sua saúde, o seu bem-estar e participação. Abrange diferentes etapas: 1. Plano de intervenção Orienta as ações do terapeuta ocupacional, descreve as abordagens da terapia ocupacional e os tipos de intervenções selecionados de forma a atingir os resultados identificados pelo cliente. 3. Revisão da intervenção Processo contínuo de reavaliação e revisão do plano de intervenção, da eficácia obtida por este e do progresso com vista à obtenção de resultados. Resultados Os resultados baseiam-se na construção do equilíbrio ocupacional e melhoram a participação na vida ativa do cliente através do envolvimento em ocupações. Podem ser utilizados para planear futuras intervenções e para avaliar a qualidade do serviço do terapeuta ocupacional . 2. Implementação da intervenção Processo de colocar o plano em prática. Envolve a alteração dos fatores do cliente, atividade, contexto e ambiente, tendo como objetivo atingir mudanças positivas no envolvimento do cliente, numa ocupação, na saúde e na participação. Assim, estes são definidos como o produto de todo o processo. Forma como os terapeutas ocupacionais empregam os seus conhecimentos. O processo da terapia ocupacional utiliza uma abordagem centrada no cliente na prestação dos seus serviços, cooperando com este para que os seus objetivos sejam atingidos. O cliente pode estar a vivenciar mudanças transformacionais e/ou catastróficas. Durante o processo podem ser aplicadas mudanças incrementais ou transformacionais como forma de melhorar o desempenho ocupacional. O Processo em Terapia Ocupacional divide-se em três fases, nomeadamente, avaliação, intervenção e resultados. Exemplos de: Instrumentos de avaliação: • OSA; questionário ocupacional; entrevista; check-list Perguntas a fazer no perfil ocupacional: • Quais as prioridades e os resultados pretendidos pelo cliente? Quem é o cliente? Porque é que o cliente procura os serviços? Análise do desempenho • Observa-se o desempenho do cliente nas atividades/ocupações; Interpretar a informação recolhida durante a avaliação; Desenvolver e redefinir hipóteses acerca do que influencia o desempenho ocupacional Tipos de abordagens Criar ou promover (a saúde e bem-estar); Estabelecer ou Restabelecer (reabilitação de uma habilidade ou competência); Manter (preservar as competências de desempenho); Modificar (adaptar o ambiente e o contexto); Prevenir (eventuais incapacidades e disfunções ocupacionais). Tipos de intervenção Uso terapêutico do eu Tem como objetivo melhorar a relação terapêutica, baseando- se na empatia, meio da narrativa e do raciocínio clinico. Uso terapêutico das ocupações e atividades Envolver o paciente em ocupações e atividades específicas que vão de encontro aos objetivos terapêuticos Processo de consultadoria Momento da intervenção em que os terapeutas aplicam os seus conhecimentos e mestria na relação terapêutica. Processo educativo Partilha de conhecimento e informação sobre a ocupação, saúde e participação. Advocacy Promover a escolha dos recursos necessários para a ocupação pelo cliente. Conclusão O processo em Terapia Ocupacional relaciona-se com o modelo da ocupação humana e é a forma como o terapeuta presta serviços ao cliente. Na fase da avaliação, são recolhidos todos os dados considerados relevantes. Posteriormente, na intervenção são implementados os objetivos que foram propostos. Por fim, na monitorização de resultados, o terapeuta verifica se a intervenção foi eficaz e se os objetivos foram atingidos. Considerando a conjugação entre a tríade pessoa, ocupação e ambiente e o processo é expectável que haja uma melhoria na qualidade de vida e na participação do cliente. Bibliografia: 1. Marques A, Trigueiro MJ. (2011) Enquadramento da Prática da Terapia Ocupacional: Domínio e Processos. 2ª Edição. Livpsic.

Notas do Editor

  1. 2