SlideShare uma empresa Scribd logo
ESS – Licenciatura em Terapia Ocupacional – UC1
1
Ficha de Trabalho : Ocupação e Saúde (adultos)
Questões orientadoras: Será que que a participação e envolvimento nas ocupações pode
manter e ou promover a saúde? E como?
Ocupação pode ser definida como um conjunto de atividades com objetivos específicos e com
significado para o individuo. Segundo o modelo de ocupação humana, a ocupação diz respeito a
uma parte intrínseca e exclusiva da condição humana. Ou seja, são todas as atividades e tarefas
do dia- a -dia realizadas pelo ser humano.
Pretende orientar a participação do indivíduo em atividades selecionadas para promover,
restabelecer ou potenciar capacidades e funções, obtendo resultados ao nível de:
Saúde pode ser definida como um completo estado de bem- estar físico, mental e social, e se
refere apenas à ausência e dor.
ESS – Licenciatura em Terapia Ocupacional – UC1
2
Pela análise do vídeo “Ikigai - Compassion - How to stay fit at 107 years” ficamos a
conhecer o dia-a-dia de um senhor de 98 anos. No seu quotidiano, podemos identificar várias
atividades que ele vai realizando ao longo do dia, que podem ser inseridas nas diversas áreas de
ocupação: atividades da vida diária como o vestir, os exercícios físicos que tem como rotina fazer
todas as manhãs; as atividades instrumentais da vida diária, como por exemplo os cuidados da
casa, dado que todas os cuidados da casa estão à sua responsabilidade à exceção do cozinhar e
escreve no seu diário; participação social, pois envolve-se com as crianças como forma de as
ajudar na sua educação, reposicionando-se, assim, um contacto físico essencial como forma de
compensar o facto de viver sozinho; atividade de lazer, dado que decidiu aprender coreano aos 60
anos e o mandarim ainda o está a aprender, aos 98 anos.
Estas atividades promovem e mantêm a sua saúde,
como se pode comprovar pelo facto, de a sua saúde
mental ser promovida através da aprendizagem de novos
idiomas e através da rotina de acordar sempre à mesma
hora acabando por prevenir, assim, as doenças do forro
psicológico. Também, o facto de ter como rotina fazer
cinco minutos de exercício físico todas as manhãs
contribuem para a manutenção do seu bem-estar físico
proporcionando uma maior longevidade, o que se evidencia
pelo facto de com esta idade ainda ter uma participação tão ativa nas diversas ocupações. Além
disto, promove e mantém a sua saúde psicossocial ao envolver-se na educação das crianças. O
ESS – Licenciatura em Terapia Ocupacional – UC1
3
conjuntos te todas estas atividades contribuem, sem dúvida, para a promoção de saúde deste
individuo. Mas de que forma?
Estas atividades são promotoras na saúde, porque as estruturas/ funções corporais são
desenvolvidas e estimuladas com a participação nas várias ocupações, como podemos concluir
através do desenvolvimento das seguintes funções: alto nível cognitivo (através da aprendizagem
de novas línguas); atenção; memória (o que prendia decorava); perceção; pensamento; energia;
temperamento; consciência; auditivas, visuais, tátil (funções sensoriais); de movimento, padrões
de marcha (funções do movimento).
Através da análise do artigo “Running as an occupation” é possível concluir que a corrida é
vista como uma ocupação enquadrada geralmente na área do lazer, embora também possa ser
considerada como trabalho, quando realizada por atletas e corredores profissionais. O significado
e os propósitos da corrida, para além de poderem variar de pessoa para pessoa, podem também
variar dentro de um mesmo indivíduo, dependendo do contexto. A corrida, como uma forma de
desporto, pode ser vista como uma adaptação às mudanças culturais que ocorrem nas
sociedades industriais e pós-industriais modernas. O ser humano pode ser visto como um sistema
aberto e complexo, que incorpora vários subsistemas: físico, biológico, de processamento,
sociocultural, simbólico e transcendental.
O desenvolvimento de diferentes capacidades, resultantes da adaptação à corrida, ocorre em
relação aos vários subsistemas: a nível físico, melhora a eficiência do sistema cardiovascular e a
capacidade de utilização de oxigénio pelos músculos, aumentando a resistência aeróbia; diminui a
ESS – Licenciatura em Terapia Ocupacional – UC1
4
adiposidade e aumenta o percentual de massa magra; diminui os níveis de LDL e aumenta as
HDL, reduzindo o risco de doenças cardíacas.
Contudo, também, se relaciona com lesões prolongadas, ao nível das articulações, nos tendões
e ligamentos. O excesso de treino pode levar a consequências como o cansaço, falta de
entusiasmo, falta de sono, nervosismo, alterações no apetite e redução da performance; em
termos biológicos discute-se o sentido inato do ser humano para a realização de atividades físicas
e o comportamento competitivo presente, especialmente, no género masculino; ao que se refere
às capacidades cognitivas e ao processamento de informação, a corrida requer a organização de
diferentes métodos de treino dentro de um quotidiano completo por outras ocupações; requer o
conhecimento e compreensão dos princípios relacionados com programas de treinos sistemáticos.
Em suma, a relação/associação entre ocupação e saúde é essencial no ser humano, dado
que, é através da ocupação que se previne diversas doenças. É, portanto, um motor de saúde e
bem-estar, pois a participação em ocupações favorece na evolução de determinadas formas
ESS – Licenciatura em Terapia Ocupacional – UC1
5
ocupacionais e requerem o uso de competências. Contudo, a saúde pode ser afetada pela
incapacidade de realizar atividades e participar em situações da vida diária, que pode ser uma
causa das barreiras ambientais, bem como os problemas associados às estruturas e funções
corporais. Portanto, podemos considerar esta relação como uma relação complexa,
multidimensional, dinâmica e que varia ao longo da vida, da idade e da cultura que pode funcionar
como condicionantes. Esta relação é também bidirecional, pois, a saúde do ser humano fica
comprometida com a sua participação em ocupações, e por sua vez a ausência de saúde impede
o envolvimento nas ocupações.
Referências bibliográficas
 American Occupational Therapy Association, (2014). Occupational therapy practice
framework: Domain and process (3rd ed.). American Journal of
OccupationalTherapy,68(Suppl.1),S1S48.http://dx.doi.org/10.5014/ajot.2014.682006
Firfirey, N., & Hess-April, L. (2014). A study to explore the occupational adaptation of
adults with MDR-TB who undergo long-term hospitalisation (Vol. 44, pp.18).
 Wilcock, Ann A. (1998), An Occupational Perspective of Health, Grove Road, Slack
Incorporated.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ocupação e saúde relatórios
Ocupação e saúde relatóriosOcupação e saúde relatórios
Ocupação e saúde relatórios
OTutorial2
 
Meu
MeuMeu
810 1512-1-pb
810 1512-1-pb810 1512-1-pb
810 1512-1-pb
OTutorial2
 
Ocupação e saúde (1)
Ocupação e saúde (1)Ocupação e saúde (1)
Ocupação e saúde (1)
OTutorial2
 
922 1706-1-pb
922 1706-1-pb922 1706-1-pb
922 1706-1-pb
OTutorial2
 
A inserção da educação física na saúde
A inserção da educação física na saúdeA inserção da educação física na saúde
A inserção da educação física na saúde
jorge luiz dos santos de souza
 
Documentos
DocumentosDocumentos
Documentos
OTutorial2
 
Dm marlene monteiro_2010
Dm marlene monteiro_2010Dm marlene monteiro_2010
Dm marlene monteiro_2010
OTutorial2
 
Reflexão 8ª semana
Reflexão 8ª semanaReflexão 8ª semana
Reflexão 8ª semana
OTutorial2
 
Conteúdos abordados
Conteúdos abordadosConteúdos abordados
Conteúdos abordados
OTutorial2
 
Pesquisa video
Pesquisa videoPesquisa video
Pesquisa video
OTutorial2
 
2
22
Reflexão e síntese da sétima semana
Reflexão e síntese da sétima semanaReflexão e síntese da sétima semana
Reflexão e síntese da sétima semana
OTutorial2
 
Ocupação humana 2
Ocupação humana   2Ocupação humana   2
Ocupação humana 2
OTutorial2
 
Ocupação humana
Ocupação humanaOcupação humana
Ocupação humana
OTutorial2
 
Ocupação humana reformulada
Ocupação humana reformuladaOcupação humana reformulada
Ocupação humana reformulada
OTutorial2
 
812 1515-1-pb
812 1515-1-pb812 1515-1-pb
812 1515-1-pb
OTutorial2
 
Conceitos do vídeo
Conceitos do vídeoConceitos do vídeo
Conceitos do vídeo
OTutorial2
 
Ocupacão humana conceitos reformulados
Ocupacão humana   conceitos reformuladosOcupacão humana   conceitos reformulados
Ocupacão humana conceitos reformulados
OTutorial2
 
Uc1 p3 melhorado
Uc1 p3  melhoradoUc1 p3  melhorado
Uc1 p3 melhorado
OTutorial2
 

Mais procurados (20)

Ocupação e saúde relatórios
Ocupação e saúde relatóriosOcupação e saúde relatórios
Ocupação e saúde relatórios
 
Meu
MeuMeu
Meu
 
810 1512-1-pb
810 1512-1-pb810 1512-1-pb
810 1512-1-pb
 
Ocupação e saúde (1)
Ocupação e saúde (1)Ocupação e saúde (1)
Ocupação e saúde (1)
 
922 1706-1-pb
922 1706-1-pb922 1706-1-pb
922 1706-1-pb
 
A inserção da educação física na saúde
A inserção da educação física na saúdeA inserção da educação física na saúde
A inserção da educação física na saúde
 
Documentos
DocumentosDocumentos
Documentos
 
Dm marlene monteiro_2010
Dm marlene monteiro_2010Dm marlene monteiro_2010
Dm marlene monteiro_2010
 
Reflexão 8ª semana
Reflexão 8ª semanaReflexão 8ª semana
Reflexão 8ª semana
 
Conteúdos abordados
Conteúdos abordadosConteúdos abordados
Conteúdos abordados
 
Pesquisa video
Pesquisa videoPesquisa video
Pesquisa video
 
2
22
2
 
Reflexão e síntese da sétima semana
Reflexão e síntese da sétima semanaReflexão e síntese da sétima semana
Reflexão e síntese da sétima semana
 
Ocupação humana 2
Ocupação humana   2Ocupação humana   2
Ocupação humana 2
 
Ocupação humana
Ocupação humanaOcupação humana
Ocupação humana
 
Ocupação humana reformulada
Ocupação humana reformuladaOcupação humana reformulada
Ocupação humana reformulada
 
812 1515-1-pb
812 1515-1-pb812 1515-1-pb
812 1515-1-pb
 
Conceitos do vídeo
Conceitos do vídeoConceitos do vídeo
Conceitos do vídeo
 
Ocupacão humana conceitos reformulados
Ocupacão humana   conceitos reformuladosOcupacão humana   conceitos reformulados
Ocupacão humana conceitos reformulados
 
Uc1 p3 melhorado
Uc1 p3  melhoradoUc1 p3  melhorado
Uc1 p3 melhorado
 

Semelhante a Ficha de Trabalho: IKIGAI

Ikigai + running as an occupation pdf
Ikigai + running as an occupation pdfIkigai + running as an occupation pdf
Ikigai + running as an occupation pdf
toot6
 
Trabalhos associados a um estilo de vida saudável
Trabalhos associados a um estilo de vida saudávelTrabalhos associados a um estilo de vida saudável
Trabalhos associados a um estilo de vida saudável
Adriana Duarte
 
7 8 eja maio removed
7 8 eja maio removed7 8 eja maio removed
7 8 eja maio removed
LucasGuedesLucas
 
Funcional para Idosos.pptx
Funcional para Idosos.pptxFuncional para Idosos.pptx
Funcional para Idosos.pptx
CoachClaumerson
 
Conteúdo
ConteúdoConteúdo
Conteúdo
Adriano Valent
 
Bem estar e qualidade de vida para profissionais da saúde
Bem estar e qualidade de vida para profissionais da saúdeBem estar e qualidade de vida para profissionais da saúde
Bem estar e qualidade de vida para profissionais da saúde
jorge luiz dos santos de souza
 
Texto saúde é o que interessa
Texto saúde é o que interessaTexto saúde é o que interessa
Texto saúde é o que interessa
lululimavidal
 
Atividade física e o transtorno psiquiátrico | Espaco Holos
Atividade física e o transtorno psiquiátrico   | Espaco HolosAtividade física e o transtorno psiquiátrico   | Espaco Holos
Atividade física e o transtorno psiquiátrico | Espaco Holos
Espaço Holos | Psiquiatria Integrada
 
Natação e qv
Natação e qvNatação e qv
Natação e qv
Dumas Belasco
 
Mantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdf
Mantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdfMantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdf
Mantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdf
feliperodrigomelo
 
Mantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdf
Mantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdfMantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdf
Mantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdf
feliperodrigomelo
 
Atividade Física e Qualidade de Vida
Atividade Física e Qualidade de VidaAtividade Física e Qualidade de Vida
Atividade Física e Qualidade de Vida
Thelsy
 
Fisioterapia - As Várias Maneiras de Cuidar
Fisioterapia - As Várias Maneiras de CuidarFisioterapia - As Várias Maneiras de Cuidar
Fisioterapia - As Várias Maneiras de Cuidar
Márcio Borges
 
Pesquisa sobre Ocupação e Saúde
Pesquisa sobre Ocupação e SaúdePesquisa sobre Ocupação e Saúde
Pesquisa sobre Ocupação e Saúde
Grupo OT5
 
Atividade física e saúde na infância e adolescência
Atividade física e saúde na infância e adolescênciaAtividade física e saúde na infância e adolescência
Atividade física e saúde na infância e adolescência
Silvia Arrelaro
 
Exercícios físicos e saude- 1C
Exercícios físicos e saude- 1CExercícios físicos e saude- 1C
Exercícios físicos e saude- 1C
Maria Teresa Iannaco Grego
 
Desporto na sociedade
Desporto na sociedadeDesporto na sociedade
Desporto na sociedade
GrupoVerde12B
 
Cartilha- Cinesioterapia para pessoas idosas (5).pdf
Cartilha- Cinesioterapia para pessoas idosas (5).pdfCartilha- Cinesioterapia para pessoas idosas (5).pdf
Cartilha- Cinesioterapia para pessoas idosas (5).pdf
beeatrizsilvaa567
 
Atividade Física na Empresa
Atividade Física na EmpresaAtividade Física na Empresa
Atividade Física na Empresa
Instituto Phorte Educação
 
SLIDES CURSO PAS UEM 1 ETAPA - PDF.pdf
SLIDES CURSO PAS UEM 1 ETAPA - PDF.pdfSLIDES CURSO PAS UEM 1 ETAPA - PDF.pdf
SLIDES CURSO PAS UEM 1 ETAPA - PDF.pdf
AndriaRafaelaMoraes
 

Semelhante a Ficha de Trabalho: IKIGAI (20)

Ikigai + running as an occupation pdf
Ikigai + running as an occupation pdfIkigai + running as an occupation pdf
Ikigai + running as an occupation pdf
 
Trabalhos associados a um estilo de vida saudável
Trabalhos associados a um estilo de vida saudávelTrabalhos associados a um estilo de vida saudável
Trabalhos associados a um estilo de vida saudável
 
7 8 eja maio removed
7 8 eja maio removed7 8 eja maio removed
7 8 eja maio removed
 
Funcional para Idosos.pptx
Funcional para Idosos.pptxFuncional para Idosos.pptx
Funcional para Idosos.pptx
 
Conteúdo
ConteúdoConteúdo
Conteúdo
 
Bem estar e qualidade de vida para profissionais da saúde
Bem estar e qualidade de vida para profissionais da saúdeBem estar e qualidade de vida para profissionais da saúde
Bem estar e qualidade de vida para profissionais da saúde
 
Texto saúde é o que interessa
Texto saúde é o que interessaTexto saúde é o que interessa
Texto saúde é o que interessa
 
Atividade física e o transtorno psiquiátrico | Espaco Holos
Atividade física e o transtorno psiquiátrico   | Espaco HolosAtividade física e o transtorno psiquiátrico   | Espaco Holos
Atividade física e o transtorno psiquiátrico | Espaco Holos
 
Natação e qv
Natação e qvNatação e qv
Natação e qv
 
Mantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdf
Mantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdfMantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdf
Mantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdf
 
Mantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdf
Mantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdfMantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdf
Mantendo o corpo em Forma fazendo exercício.pdf
 
Atividade Física e Qualidade de Vida
Atividade Física e Qualidade de VidaAtividade Física e Qualidade de Vida
Atividade Física e Qualidade de Vida
 
Fisioterapia - As Várias Maneiras de Cuidar
Fisioterapia - As Várias Maneiras de CuidarFisioterapia - As Várias Maneiras de Cuidar
Fisioterapia - As Várias Maneiras de Cuidar
 
Pesquisa sobre Ocupação e Saúde
Pesquisa sobre Ocupação e SaúdePesquisa sobre Ocupação e Saúde
Pesquisa sobre Ocupação e Saúde
 
Atividade física e saúde na infância e adolescência
Atividade física e saúde na infância e adolescênciaAtividade física e saúde na infância e adolescência
Atividade física e saúde na infância e adolescência
 
Exercícios físicos e saude- 1C
Exercícios físicos e saude- 1CExercícios físicos e saude- 1C
Exercícios físicos e saude- 1C
 
Desporto na sociedade
Desporto na sociedadeDesporto na sociedade
Desporto na sociedade
 
Cartilha- Cinesioterapia para pessoas idosas (5).pdf
Cartilha- Cinesioterapia para pessoas idosas (5).pdfCartilha- Cinesioterapia para pessoas idosas (5).pdf
Cartilha- Cinesioterapia para pessoas idosas (5).pdf
 
Atividade Física na Empresa
Atividade Física na EmpresaAtividade Física na Empresa
Atividade Física na Empresa
 
SLIDES CURSO PAS UEM 1 ETAPA - PDF.pdf
SLIDES CURSO PAS UEM 1 ETAPA - PDF.pdfSLIDES CURSO PAS UEM 1 ETAPA - PDF.pdf
SLIDES CURSO PAS UEM 1 ETAPA - PDF.pdf
 

Mais de Grupo OT5

Ficha de trabalho: Narrativa do Roberto
Ficha de trabalho:  Narrativa do RobertoFicha de trabalho:  Narrativa do Roberto
Ficha de trabalho: Narrativa do Roberto
Grupo OT5
 
Running as an Occupation
Running as an Occupation Running as an Occupation
Running as an Occupation
Grupo OT5
 
Ata 1
Ata 1Ata 1
Ata 1
Grupo OT5
 
Ata 1
Ata 1Ata 1
Ata 1
Grupo OT5
 
Narrativa do David - MOH.
Narrativa do David - MOH.Narrativa do David - MOH.
Narrativa do David - MOH.
Grupo OT5
 
Narrativa do Jon - MOH.
Narrativa do Jon - MOH.Narrativa do Jon - MOH.
Narrativa do Jon - MOH.
Grupo OT5
 
Narrativa do John - MOH
Narrativa do John - MOHNarrativa do John - MOH
Narrativa do John - MOH
Grupo OT5
 
Narrativa do David - MOH
Narrativa do David - MOHNarrativa do David - MOH
Narrativa do David - MOH
Grupo OT5
 
Estrutura da prática da Terapia Ocupacional 3ª edição
Estrutura da prática da Terapia Ocupacional  3ª ediçãoEstrutura da prática da Terapia Ocupacional  3ª edição
Estrutura da prática da Terapia Ocupacional 3ª edição
Grupo OT5
 
Ata 14
Ata 14Ata 14
Ata 14
Grupo OT5
 
Poster- Resumo das aulas TO 3.º Problema
Poster- Resumo das aulas TO 3.º ProblemaPoster- Resumo das aulas TO 3.º Problema
Poster- Resumo das aulas TO 3.º Problema
Grupo OT5
 
Relatório filme "Amigos Improváveis"
Relatório filme "Amigos Improváveis" Relatório filme "Amigos Improváveis"
Relatório filme "Amigos Improváveis"
Grupo OT5
 
Grelhas de Observação
Grelhas de ObservaçãoGrelhas de Observação
Grelhas de Observação
Grupo OT5
 
Esquema sobre o processo em Terapia Ocupacional
Esquema sobre o processo em Terapia OcupacionalEsquema sobre o processo em Terapia Ocupacional
Esquema sobre o processo em Terapia Ocupacional
Grupo OT5
 
Grelha de Observação segundo o EPTO
Grelha de Observação segundo o EPTOGrelha de Observação segundo o EPTO
Grelha de Observação segundo o EPTO
Grupo OT5
 
Conteúdos de CSH.
Conteúdos de CSH.Conteúdos de CSH.
Conteúdos de CSH.
Grupo OT5
 
Definitions of occupational balance and their coverage by instruments
Definitions of occupational balance and their  coverage by instrumentsDefinitions of occupational balance and their  coverage by instruments
Definitions of occupational balance and their coverage by instruments
Grupo OT5
 
Textos de antropologia a ciência do costume
Textos de antropologia   a ciência do costumeTextos de antropologia   a ciência do costume
Textos de antropologia a ciência do costume
Grupo OT5
 
Occupational balance as used in occupational therapy: A concept analysis
Occupational balance as used in occupational therapy: A concept  analysisOccupational balance as used in occupational therapy: A concept  analysis
Occupational balance as used in occupational therapy: A concept analysis
Grupo OT5
 
Occupational balance: The relationship between daily occupations and wellbeing
Occupational balance: The relationship  between daily occupations and wellbeingOccupational balance: The relationship  between daily occupations and wellbeing
Occupational balance: The relationship between daily occupations and wellbeing
Grupo OT5
 

Mais de Grupo OT5 (20)

Ficha de trabalho: Narrativa do Roberto
Ficha de trabalho:  Narrativa do RobertoFicha de trabalho:  Narrativa do Roberto
Ficha de trabalho: Narrativa do Roberto
 
Running as an Occupation
Running as an Occupation Running as an Occupation
Running as an Occupation
 
Ata 1
Ata 1Ata 1
Ata 1
 
Ata 1
Ata 1Ata 1
Ata 1
 
Narrativa do David - MOH.
Narrativa do David - MOH.Narrativa do David - MOH.
Narrativa do David - MOH.
 
Narrativa do Jon - MOH.
Narrativa do Jon - MOH.Narrativa do Jon - MOH.
Narrativa do Jon - MOH.
 
Narrativa do John - MOH
Narrativa do John - MOHNarrativa do John - MOH
Narrativa do John - MOH
 
Narrativa do David - MOH
Narrativa do David - MOHNarrativa do David - MOH
Narrativa do David - MOH
 
Estrutura da prática da Terapia Ocupacional 3ª edição
Estrutura da prática da Terapia Ocupacional  3ª ediçãoEstrutura da prática da Terapia Ocupacional  3ª edição
Estrutura da prática da Terapia Ocupacional 3ª edição
 
Ata 14
Ata 14Ata 14
Ata 14
 
Poster- Resumo das aulas TO 3.º Problema
Poster- Resumo das aulas TO 3.º ProblemaPoster- Resumo das aulas TO 3.º Problema
Poster- Resumo das aulas TO 3.º Problema
 
Relatório filme "Amigos Improváveis"
Relatório filme "Amigos Improváveis" Relatório filme "Amigos Improváveis"
Relatório filme "Amigos Improváveis"
 
Grelhas de Observação
Grelhas de ObservaçãoGrelhas de Observação
Grelhas de Observação
 
Esquema sobre o processo em Terapia Ocupacional
Esquema sobre o processo em Terapia OcupacionalEsquema sobre o processo em Terapia Ocupacional
Esquema sobre o processo em Terapia Ocupacional
 
Grelha de Observação segundo o EPTO
Grelha de Observação segundo o EPTOGrelha de Observação segundo o EPTO
Grelha de Observação segundo o EPTO
 
Conteúdos de CSH.
Conteúdos de CSH.Conteúdos de CSH.
Conteúdos de CSH.
 
Definitions of occupational balance and their coverage by instruments
Definitions of occupational balance and their  coverage by instrumentsDefinitions of occupational balance and their  coverage by instruments
Definitions of occupational balance and their coverage by instruments
 
Textos de antropologia a ciência do costume
Textos de antropologia   a ciência do costumeTextos de antropologia   a ciência do costume
Textos de antropologia a ciência do costume
 
Occupational balance as used in occupational therapy: A concept analysis
Occupational balance as used in occupational therapy: A concept  analysisOccupational balance as used in occupational therapy: A concept  analysis
Occupational balance as used in occupational therapy: A concept analysis
 
Occupational balance: The relationship between daily occupations and wellbeing
Occupational balance: The relationship  between daily occupations and wellbeingOccupational balance: The relationship  between daily occupations and wellbeing
Occupational balance: The relationship between daily occupations and wellbeing
 

Último

A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
CarolineSaback2
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 

Ficha de Trabalho: IKIGAI

  • 1. ESS – Licenciatura em Terapia Ocupacional – UC1 1 Ficha de Trabalho : Ocupação e Saúde (adultos) Questões orientadoras: Será que que a participação e envolvimento nas ocupações pode manter e ou promover a saúde? E como? Ocupação pode ser definida como um conjunto de atividades com objetivos específicos e com significado para o individuo. Segundo o modelo de ocupação humana, a ocupação diz respeito a uma parte intrínseca e exclusiva da condição humana. Ou seja, são todas as atividades e tarefas do dia- a -dia realizadas pelo ser humano. Pretende orientar a participação do indivíduo em atividades selecionadas para promover, restabelecer ou potenciar capacidades e funções, obtendo resultados ao nível de: Saúde pode ser definida como um completo estado de bem- estar físico, mental e social, e se refere apenas à ausência e dor.
  • 2. ESS – Licenciatura em Terapia Ocupacional – UC1 2 Pela análise do vídeo “Ikigai - Compassion - How to stay fit at 107 years” ficamos a conhecer o dia-a-dia de um senhor de 98 anos. No seu quotidiano, podemos identificar várias atividades que ele vai realizando ao longo do dia, que podem ser inseridas nas diversas áreas de ocupação: atividades da vida diária como o vestir, os exercícios físicos que tem como rotina fazer todas as manhãs; as atividades instrumentais da vida diária, como por exemplo os cuidados da casa, dado que todas os cuidados da casa estão à sua responsabilidade à exceção do cozinhar e escreve no seu diário; participação social, pois envolve-se com as crianças como forma de as ajudar na sua educação, reposicionando-se, assim, um contacto físico essencial como forma de compensar o facto de viver sozinho; atividade de lazer, dado que decidiu aprender coreano aos 60 anos e o mandarim ainda o está a aprender, aos 98 anos. Estas atividades promovem e mantêm a sua saúde, como se pode comprovar pelo facto, de a sua saúde mental ser promovida através da aprendizagem de novos idiomas e através da rotina de acordar sempre à mesma hora acabando por prevenir, assim, as doenças do forro psicológico. Também, o facto de ter como rotina fazer cinco minutos de exercício físico todas as manhãs contribuem para a manutenção do seu bem-estar físico proporcionando uma maior longevidade, o que se evidencia pelo facto de com esta idade ainda ter uma participação tão ativa nas diversas ocupações. Além disto, promove e mantém a sua saúde psicossocial ao envolver-se na educação das crianças. O
  • 3. ESS – Licenciatura em Terapia Ocupacional – UC1 3 conjuntos te todas estas atividades contribuem, sem dúvida, para a promoção de saúde deste individuo. Mas de que forma? Estas atividades são promotoras na saúde, porque as estruturas/ funções corporais são desenvolvidas e estimuladas com a participação nas várias ocupações, como podemos concluir através do desenvolvimento das seguintes funções: alto nível cognitivo (através da aprendizagem de novas línguas); atenção; memória (o que prendia decorava); perceção; pensamento; energia; temperamento; consciência; auditivas, visuais, tátil (funções sensoriais); de movimento, padrões de marcha (funções do movimento). Através da análise do artigo “Running as an occupation” é possível concluir que a corrida é vista como uma ocupação enquadrada geralmente na área do lazer, embora também possa ser considerada como trabalho, quando realizada por atletas e corredores profissionais. O significado e os propósitos da corrida, para além de poderem variar de pessoa para pessoa, podem também variar dentro de um mesmo indivíduo, dependendo do contexto. A corrida, como uma forma de desporto, pode ser vista como uma adaptação às mudanças culturais que ocorrem nas sociedades industriais e pós-industriais modernas. O ser humano pode ser visto como um sistema aberto e complexo, que incorpora vários subsistemas: físico, biológico, de processamento, sociocultural, simbólico e transcendental. O desenvolvimento de diferentes capacidades, resultantes da adaptação à corrida, ocorre em relação aos vários subsistemas: a nível físico, melhora a eficiência do sistema cardiovascular e a capacidade de utilização de oxigénio pelos músculos, aumentando a resistência aeróbia; diminui a
  • 4. ESS – Licenciatura em Terapia Ocupacional – UC1 4 adiposidade e aumenta o percentual de massa magra; diminui os níveis de LDL e aumenta as HDL, reduzindo o risco de doenças cardíacas. Contudo, também, se relaciona com lesões prolongadas, ao nível das articulações, nos tendões e ligamentos. O excesso de treino pode levar a consequências como o cansaço, falta de entusiasmo, falta de sono, nervosismo, alterações no apetite e redução da performance; em termos biológicos discute-se o sentido inato do ser humano para a realização de atividades físicas e o comportamento competitivo presente, especialmente, no género masculino; ao que se refere às capacidades cognitivas e ao processamento de informação, a corrida requer a organização de diferentes métodos de treino dentro de um quotidiano completo por outras ocupações; requer o conhecimento e compreensão dos princípios relacionados com programas de treinos sistemáticos. Em suma, a relação/associação entre ocupação e saúde é essencial no ser humano, dado que, é através da ocupação que se previne diversas doenças. É, portanto, um motor de saúde e bem-estar, pois a participação em ocupações favorece na evolução de determinadas formas
  • 5. ESS – Licenciatura em Terapia Ocupacional – UC1 5 ocupacionais e requerem o uso de competências. Contudo, a saúde pode ser afetada pela incapacidade de realizar atividades e participar em situações da vida diária, que pode ser uma causa das barreiras ambientais, bem como os problemas associados às estruturas e funções corporais. Portanto, podemos considerar esta relação como uma relação complexa, multidimensional, dinâmica e que varia ao longo da vida, da idade e da cultura que pode funcionar como condicionantes. Esta relação é também bidirecional, pois, a saúde do ser humano fica comprometida com a sua participação em ocupações, e por sua vez a ausência de saúde impede o envolvimento nas ocupações. Referências bibliográficas  American Occupational Therapy Association, (2014). Occupational therapy practice framework: Domain and process (3rd ed.). American Journal of OccupationalTherapy,68(Suppl.1),S1S48.http://dx.doi.org/10.5014/ajot.2014.682006 Firfirey, N., & Hess-April, L. (2014). A study to explore the occupational adaptation of adults with MDR-TB who undergo long-term hospitalisation (Vol. 44, pp.18).  Wilcock, Ann A. (1998), An Occupational Perspective of Health, Grove Road, Slack Incorporated.