SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 35
Baixar para ler offline
UNIVESIDADE FEDERAL DO AMAZONAS
    INSTITUTO DE COMPUTAÇÃO
     SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
      GERÊNCIA DE PROJETOS




     PMBOK & RUP


                Equipe:
             Alison Lemos
            Kirmayr Tomaz
            Janiel Medeiros
           Urique Hoffmann
Roteiro (1)
●   PMBOK
    ○     Introdução
    ○     Conceitos e Tecnologias Utilizadas
    ○     Benefícios e Desafios
    ○     Ferramentas Disponíveis
    ○     Metodologias Relacionadas
●   RUP
    ○     Introdução
    ○     Conceitos e Tecnologias Utilizadas
    ○     Benefícios e Desafios
    ○     Ferramentas Disponíveis
    ○     Metodologias Relacionadas
Roteiro (2)
●   PMBOK + RUP
    ○   Introdução e Breve Comparação
    ○   Estudo de Caso 1
    ○   Estudo de Caso 2
    ○   Resultados e Comparação
    ○   Conclusões

●   Referências
PMBOK
Introdução - PMBOK
O Guia PMBOK (Project Management Body of Knowledge)
é um livro que apresenta um conjunto de terminologias
padrões e diretrizes para gerenciamento de projeto. fonte

Com objetivo de reunir o conhecimento comprovado
internacionalmente na área de gerência de projetos,
através de práticas tradicionais e práticas inovadoras e
avançadas.
Processos da Gerência de Projeto
5 Grandes Processos da gerência de Projeto
Conceitos e Tecnologias Utilizadas -
PMBOK
Suas Áreas de Conhecimento são as seguintes:
Benefícios na Implementação -
PMBOK
● Metodologia Padrão;
● Processo é orientado;
● Define para cada processo a entrada, as ferramentas,
  as técnicas e a saída necessárias;
● Sua metodologia orientada a processos define o
  conhecimento necessário para gerenciar o ciclo de vida
  de qualquer projeto, programa e portfólio;
● Define um corpo do conhecimento em que toda a
  indústria pode o construir mais melhores práticas
  específicas para sua área de aplicação;
Desafios na Implementação - PMBOK
● Volume de projetos com recursos limitados
  na empresa;
● Complexo para projetos pequenos;
● Manter o processo de desenvolvimento
  curto;
● Têm que ser adaptados à indústria da área
  de aplicação, o tamanho e o espaço do
  projeto, o tempo e o orçamento e os
  confinamentes da qualidade.
Ferramentas Disponíveis - PMBOK
● Ferramentas de Gerenciamento de Projetos
  em Geral (MSPROJECT, OPENPROJECT,
  REDMINE, ETC)
● Para mais informações acesse http://fp-
  ufam2012.blogspot.com.br/
● Methodology Explorer - UFPE.
Metodologias Relacionadas (PRINCE2) -
PMBOK

 ● O PRINCE2 é um método para gerenciamento de projetos
   lançado pelo governo britânico em 1996.
 ● Apresenta-se como um método genérico que pode ser
   aplicado a qualquer projeto, independentemente de
   seu porte, tipo, organização, região geográfica ou
   cultura.
 ● PRINCE2 e o Guia PMBOK são complementares.
 ● Um não é melhor que o outro.
Metodologias Relacionadas (PRINCE2) -
PMBOK

 ● Enquanto o Guia PMBOK é uma base de conhecimentos
   sobre Gerenciamento de Projetos, sendo a fonte de
   informação para o gerente, o PRINCE2 é um método de
   Gerenciamento de Projetos baseado em processos,
   descrevendo exatamente o que o gerente deve saber e
   fazer.
 ● O PRINCE2 e o Guia PMBOK conversam entre si e tem total
   compatibilidade o que significa que o uso de um não
   dispensa o outro. Isso porque o Guia PMBOK constitui uma
   ampla base de conhecimentos em gerenciamento de
   projetos. O PRINCE2 materializa as boas práticas sugeridas
   pelo PMI, aumentando as chances de sucesso do projeto.
RUP
O que é o RUP?
● Processo proprietário;

● Técnicas que visam          a   otimizacão    do
  desenvolvimento;

● Uso da abordagem de orientação a objetos;

● Processo      considerado       pesado       mas
  customizável;

● É modular e automatizado.
Linhas Mestras
● Gestão de requisitos;

● Arquitetura de componentes;

● Uso de software de modelos visuais;

● Verificação da qualidade do software;

● Gestão e controle de mudanças do software.
Ciclo de vida
Fases do RUP
● Concepção;

● Elaboração;

● Construção;

● Transição.
Principios e melhores práticas
● Desenvolvimento iterativo;

● Gerenciamento de requisitos;

● Uso de arquitetura baseada em componentes;

● Modelagem visual de software;

● Verificar qualidade de software;

● Controle de alterações no software.
Vantagens e Desvantagens - RUP
Vantagens:

●   Processo robusto e bem definido
●   Desenvolver iterativamente;
●   Qualidade de software;
●   Estimativa de prazos e custos com maior
    precisão.
Vantagens e Desvantagens - RUP
Desvantagens:

● Complexo e trabalhoso para projetos de
  pequeno porte.
● Exige experiência da equipe.
Ferramentas Disponíveis - RUP


●   Rational Requisite®Pro Facilita escritura, compartilhamento e
    disseminação de requisitos.
●   Rational ClearQuestTM — Controle de solicitação de mudanças.
●   Rational Rose® 98 — Modelagem Visual de processos de negócios,
    requisitos e componentes.
●   Rational SoDA® Geração de documentação
●   Rational Purify® Perfil de consumo de memória
●   Rational Visual QuantifyTM —Perfil de consumo de CPU.
●   Rational Visual PureCoverageTM — Alcançabilidade de código.
●   Rational TeamTest — Automatiza testes funcionais.
●   Rational PerformanceStudioTM — Analisa desempenho de sistemas
    cliente-servidor para a Web
●   Rational ClearCase® — Gerência de configuração de software.
Trabalhos Relacionados - RUP
(SCRUM)
PMBOK + RUP


''diferentes termos são usados para descrever conceitos
similares ou idênticos semanticamente, mas nada no RUP
contradiz o PMBOK e as práticas do PMBOK não contradiz
as práticas do RUP''. (Charbonneau, 2004).
PMBOK + RUP
PMBOK + RUP
Disciplinas Ausentes no PMBOK
● Análise e Design
● Implementação
● Implantação

Áreas não são cobertas pelo RUP:
● Recursos Humanos – contratação, treinamento..
● Custos – Definição do uso de recursos financeiros e etc
● Aquisições – Relacionamento com Fornecedores e
   Consumidores
Estudo de caso - Escritório de
Projetos da Academia Nacional de
Polícia Federal
● Antigos processos manuais não conseguiam
  suprir a necessidade em tempo hábil
● Setor de Tecnologia da Informação se
  baseou no RUP como modelo de
  desenvolvimento.
● Utilização do PMBOK
●
Estudo de Caso Utilizando apenas
PMBOK (World Cargo)
● Implantação de projetos para avanço da
  eficácia, eficiência e produtividade;

● Necessidade de um sistema que integrasse as
  atividades aos processos da empresa:
  SysAgent;

● Uso de 17 sistemas e programas, como SPM e
  bysoft;
Visão geral do SysAgent
Cronograma
Prazos
Resultados dos Estudos de Casos (1)
● No Estudo 1, a empresa foi implantando aos poucos a
  TI.
● Adotou-se o RUP para o processo de Desenvolvimento
  de Sistemas.
● Não foi suficiente para gerenciar os projetos devido a
  grande demanda de serviços.
● Integração com o PMBOK.
● Padronização documental.
● Maior Clareja ao Cliente quanto ao Cronograma.
● Enfatizou o Planejamento de Riscos.
● Impacto Positivo nas áreas de Custo, Tempo, RH e
  Comunicações.
● Escopo sem alteração com a Integração.
Resultados dos Estudos de Casos (2)
● No Estudo 2, a empresa optou por seguir apenas o
  PMBOK para o desenvolvimento do seu novo sistema
  para integrar suas atividades aos processos da
  empresa.
● Planejamento Realizado corretamente.
● Prazo excedido em 5 meses na fase de
  Desenvolvimento de Programas.
● Apesar do Atraso não chegou a ser um fracasso.
● Por ser Interno da Empresa.
● Não gerou multas contratuais por conta disso.
● E porque cumpriu os objetivos iniciais mesmo com o
  atraso.
CONCLUSÕES
● A área de gerência de projetos é
  imprescindível quando se trata de projetos
  de software.
● Na integração do PMBOK com o RUP,
  impactos positivos são gerados.
● No estudo de caso 2, o RUP seria uma opção
  para que o prazo não fosse excedido.
REFERÊNCIAS
http://esteves74.blogspot.com.
br/2011/06/rup-x-pmbok.html
Ferraz,Ana M. de S.,Implementando o PMBOK utilizando a
ferramenta Methodology Explorer. Monografia de Trabalho
de Conclusão de Curso. Especialização em Tecnologias da
Informação. Universidade Federal de Pernambuco.
Dezembro de 2004
Matsushita, Renan Shin, O impacto da integração entre o
processo RUP com padrão PMBOK. Faculdade de
Tecnologia de São Caetano do Sul. 2010.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Dru - Desenvolvimento para Reuso
Dru - Desenvolvimento para ReusoDru - Desenvolvimento para Reuso
Dru - Desenvolvimento para ReusoJuliana Cindra
 
Palestra TaSafo Conf-2015: Refatoração com Métricas
Palestra TaSafo Conf-2015: Refatoração com MétricasPalestra TaSafo Conf-2015: Refatoração com Métricas
Palestra TaSafo Conf-2015: Refatoração com MétricasClaudio Martins
 
Estudo de Caso PMBOK - Manaus
Estudo de Caso PMBOK - ManausEstudo de Caso PMBOK - Manaus
Estudo de Caso PMBOK - ManausUrique Hoffmann
 
Macrosolutions Treinamento: Gerenciamento de Escopo em Projetos
Macrosolutions Treinamento: Gerenciamento de Escopo em ProjetosMacrosolutions Treinamento: Gerenciamento de Escopo em Projetos
Macrosolutions Treinamento: Gerenciamento de Escopo em ProjetosMacrosolutions SA
 
Apresentação de Engenharia de software I - Prof. Cristiane Fidelix
Apresentação de Engenharia de software I - Prof. Cristiane FidelixApresentação de Engenharia de software I - Prof. Cristiane Fidelix
Apresentação de Engenharia de software I - Prof. Cristiane FidelixCris Fidelix
 
Mps-br gerencia de decisões
Mps-br gerencia de  decisõesMps-br gerencia de  decisões
Mps-br gerencia de decisõesdionilson lemos
 
MPS.BR - Melhoria do processo de Software Brasileiro
MPS.BR - Melhoria do processo de Software BrasileiroMPS.BR - Melhoria do processo de Software Brasileiro
MPS.BR - Melhoria do processo de Software BrasileiroPaulo Henrique de Sousa
 
Como usar o Guia PMBOK® na engenharia de softwares Aplicando os grupos de pr...
Como usar o Guia PMBOK® na engenharia de softwares  Aplicando os grupos de pr...Como usar o Guia PMBOK® na engenharia de softwares  Aplicando os grupos de pr...
Como usar o Guia PMBOK® na engenharia de softwares Aplicando os grupos de pr...Robson Veiga Roy
 
Ferramentas de planejamento
Ferramentas de planejamentoFerramentas de planejamento
Ferramentas de planejamentoOtavio Siqueira
 
Gerência de Configuração de Software: Benefícios Do Controle de Versões Distr...
Gerência de Configuração de Software: Benefícios Do Controle de Versões Distr...Gerência de Configuração de Software: Benefícios Do Controle de Versões Distr...
Gerência de Configuração de Software: Benefícios Do Controle de Versões Distr...Gilmar Pupo
 
Slide apresentação CMMI-TOGAF
Slide apresentação CMMI-TOGAFSlide apresentação CMMI-TOGAF
Slide apresentação CMMI-TOGAFEdton Lemos
 
Análise da relação de maturidade e gerenciamento da qualidade em projetos
Análise da relação de maturidade e gerenciamento da qualidade em projetosAnálise da relação de maturidade e gerenciamento da qualidade em projetos
Análise da relação de maturidade e gerenciamento da qualidade em projetosfefemrc
 

Mais procurados (20)

Dru - Desenvolvimento para Reuso
Dru - Desenvolvimento para ReusoDru - Desenvolvimento para Reuso
Dru - Desenvolvimento para Reuso
 
MPS.BR
MPS.BRMPS.BR
MPS.BR
 
Palestra TaSafo Conf-2015: Refatoração com Métricas
Palestra TaSafo Conf-2015: Refatoração com MétricasPalestra TaSafo Conf-2015: Refatoração com Métricas
Palestra TaSafo Conf-2015: Refatoração com Métricas
 
Spin72
Spin72Spin72
Spin72
 
Estudo de Caso PMBOK - Manaus
Estudo de Caso PMBOK - ManausEstudo de Caso PMBOK - Manaus
Estudo de Caso PMBOK - Manaus
 
Macrosolutions Treinamento: Gerenciamento de Escopo em Projetos
Macrosolutions Treinamento: Gerenciamento de Escopo em ProjetosMacrosolutions Treinamento: Gerenciamento de Escopo em Projetos
Macrosolutions Treinamento: Gerenciamento de Escopo em Projetos
 
Apresentação de Engenharia de software I - Prof. Cristiane Fidelix
Apresentação de Engenharia de software I - Prof. Cristiane FidelixApresentação de Engenharia de software I - Prof. Cristiane Fidelix
Apresentação de Engenharia de software I - Prof. Cristiane Fidelix
 
MPS.BR
MPS.BRMPS.BR
MPS.BR
 
Mps-br gerencia de decisões
Mps-br gerencia de  decisõesMps-br gerencia de  decisões
Mps-br gerencia de decisões
 
Papel PMO na Gestão de Riscos - case Brasil Telecom
Papel PMO na Gestão de Riscos - case Brasil TelecomPapel PMO na Gestão de Riscos - case Brasil Telecom
Papel PMO na Gestão de Riscos - case Brasil Telecom
 
MPS.BR - Melhoria do processo de Software Brasileiro
MPS.BR - Melhoria do processo de Software BrasileiroMPS.BR - Melhoria do processo de Software Brasileiro
MPS.BR - Melhoria do processo de Software Brasileiro
 
MPS.BR
MPS.BRMPS.BR
MPS.BR
 
Rup e metodos ágies
Rup e metodos ágiesRup e metodos ágies
Rup e metodos ágies
 
Como usar o Guia PMBOK® na engenharia de softwares Aplicando os grupos de pr...
Como usar o Guia PMBOK® na engenharia de softwares  Aplicando os grupos de pr...Como usar o Guia PMBOK® na engenharia de softwares  Aplicando os grupos de pr...
Como usar o Guia PMBOK® na engenharia de softwares Aplicando os grupos de pr...
 
UM ESTUDO SOBRE SOA
UM ESTUDO SOBRE SOAUM ESTUDO SOBRE SOA
UM ESTUDO SOBRE SOA
 
Ferramentas de planejamento
Ferramentas de planejamentoFerramentas de planejamento
Ferramentas de planejamento
 
Pmibok
PmibokPmibok
Pmibok
 
Gerência de Configuração de Software: Benefícios Do Controle de Versões Distr...
Gerência de Configuração de Software: Benefícios Do Controle de Versões Distr...Gerência de Configuração de Software: Benefícios Do Controle de Versões Distr...
Gerência de Configuração de Software: Benefícios Do Controle de Versões Distr...
 
Slide apresentação CMMI-TOGAF
Slide apresentação CMMI-TOGAFSlide apresentação CMMI-TOGAF
Slide apresentação CMMI-TOGAF
 
Análise da relação de maturidade e gerenciamento da qualidade em projetos
Análise da relação de maturidade e gerenciamento da qualidade em projetosAnálise da relação de maturidade e gerenciamento da qualidade em projetos
Análise da relação de maturidade e gerenciamento da qualidade em projetos
 

Destaque

Gantt - Projeto de Software - PIC Eletrônico - UFAM 2012/2 - Gerência de Proj...
Gantt - Projeto de Software - PIC Eletrônico - UFAM 2012/2 - Gerência de Proj...Gantt - Projeto de Software - PIC Eletrônico - UFAM 2012/2 - Gerência de Proj...
Gantt - Projeto de Software - PIC Eletrônico - UFAM 2012/2 - Gerência de Proj...Urique Hoffmann
 
05 tempo pitagoras
05 tempo   pitagoras05 tempo   pitagoras
05 tempo pitagorasfernandao777
 
01 introdução pitagoras
01 introdução   pitagoras01 introdução   pitagoras
01 introdução pitagorasfernandao777
 
07 custo pitagoras
07 custo    pitagoras07 custo    pitagoras
07 custo pitagorasfernandao777
 
08 comunicação pitagoras
08 comunicação    pitagoras08 comunicação    pitagoras
08 comunicação pitagorasfernandao777
 
Gerenciamento de Projetos - Aula 1 - Introdução
Gerenciamento de Projetos - Aula 1 - IntroduçãoGerenciamento de Projetos - Aula 1 - Introdução
Gerenciamento de Projetos - Aula 1 - IntroduçãoHenrique Nunweiler
 
10 qualidade pitagoras
10 qualidade    pitagoras10 qualidade    pitagoras
10 qualidade pitagorasfernandao777
 
06 recurso pitagoras
06 recurso    pitagoras06 recurso    pitagoras
06 recurso pitagorasfernandao777
 
Walking dead 51 59
Walking dead 51 59Walking dead 51 59
Walking dead 51 59fernandao777
 
09 risco pitagoras
09 risco    pitagoras09 risco    pitagoras
09 risco pitagorasfernandao777
 
Gerenciamento de projetos - aula 1 2015
Gerenciamento de projetos - aula 1 2015Gerenciamento de projetos - aula 1 2015
Gerenciamento de projetos - aula 1 2015Ricardo Mendes Jr
 
02 ciclo de vida pitagoras
02 ciclo de vida   pitagoras02 ciclo de vida   pitagoras
02 ciclo de vida pitagorasfernandao777
 
Aula1 - Gerência de Projetos
Aula1 - Gerência de ProjetosAula1 - Gerência de Projetos
Aula1 - Gerência de ProjetosLeandro Rezende
 
04 escopo pitagoras
04 escopo    pitagoras04 escopo    pitagoras
04 escopo pitagorasfernandao777
 
Resenha: Liderança nas Organizações educativas: a direcção por valores
Resenha: Liderança nas Organizações educativas: a direcção por valoresResenha: Liderança nas Organizações educativas: a direcção por valores
Resenha: Liderança nas Organizações educativas: a direcção por valoresRogério Da Costa Ribeiro
 

Destaque (20)

Gantt - Projeto de Software - PIC Eletrônico - UFAM 2012/2 - Gerência de Proj...
Gantt - Projeto de Software - PIC Eletrônico - UFAM 2012/2 - Gerência de Proj...Gantt - Projeto de Software - PIC Eletrônico - UFAM 2012/2 - Gerência de Proj...
Gantt - Projeto de Software - PIC Eletrônico - UFAM 2012/2 - Gerência de Proj...
 
05 tempo pitagoras
05 tempo   pitagoras05 tempo   pitagoras
05 tempo pitagoras
 
Aula4
Aula4Aula4
Aula4
 
01 introdução pitagoras
01 introdução   pitagoras01 introdução   pitagoras
01 introdução pitagoras
 
07 custo pitagoras
07 custo    pitagoras07 custo    pitagoras
07 custo pitagoras
 
08 comunicação pitagoras
08 comunicação    pitagoras08 comunicação    pitagoras
08 comunicação pitagoras
 
Gerenciamento de Projetos - Aula 1 - Introdução
Gerenciamento de Projetos - Aula 1 - IntroduçãoGerenciamento de Projetos - Aula 1 - Introdução
Gerenciamento de Projetos - Aula 1 - Introdução
 
Gerencia de projetos_Mod1
Gerencia de projetos_Mod1Gerencia de projetos_Mod1
Gerencia de projetos_Mod1
 
10 qualidade pitagoras
10 qualidade    pitagoras10 qualidade    pitagoras
10 qualidade pitagoras
 
06 recurso pitagoras
06 recurso    pitagoras06 recurso    pitagoras
06 recurso pitagoras
 
Walking dead 51 59
Walking dead 51 59Walking dead 51 59
Walking dead 51 59
 
O modelo-pmbok
O modelo-pmbokO modelo-pmbok
O modelo-pmbok
 
09 risco pitagoras
09 risco    pitagoras09 risco    pitagoras
09 risco pitagoras
 
Gerencia de projetos - Modulo 1
Gerencia de projetos - Modulo 1Gerencia de projetos - Modulo 1
Gerencia de projetos - Modulo 1
 
Gerenciamento de projetos - aula 1 2015
Gerenciamento de projetos - aula 1 2015Gerenciamento de projetos - aula 1 2015
Gerenciamento de projetos - aula 1 2015
 
02 ciclo de vida pitagoras
02 ciclo de vida   pitagoras02 ciclo de vida   pitagoras
02 ciclo de vida pitagoras
 
Aula1 - Gerência de Projetos
Aula1 - Gerência de ProjetosAula1 - Gerência de Projetos
Aula1 - Gerência de Projetos
 
04 escopo pitagoras
04 escopo    pitagoras04 escopo    pitagoras
04 escopo pitagoras
 
Gestão de projetos
Gestão de projetosGestão de projetos
Gestão de projetos
 
Resenha: Liderança nas Organizações educativas: a direcção por valores
Resenha: Liderança nas Organizações educativas: a direcção por valoresResenha: Liderança nas Organizações educativas: a direcção por valores
Resenha: Liderança nas Organizações educativas: a direcção por valores
 

Semelhante a PMBOK & RUP - UFAM 2012/2 - Gerência de Projetos

Gestão de Projetos usando Abordagem Ágil e o guia PMBOK
Gestão de Projetos usando Abordagem Ágil e o guia PMBOKGestão de Projetos usando Abordagem Ágil e o guia PMBOK
Gestão de Projetos usando Abordagem Ágil e o guia PMBOKIcaro Dourado
 
Project in controled enviroment
Project in controled enviromentProject in controled enviroment
Project in controled enviromentRoberto Marcelino
 
Macrosolutions Treinamento: Gerenciamento de Tempo em Projetos
Macrosolutions Treinamento: Gerenciamento de Tempo em ProjetosMacrosolutions Treinamento: Gerenciamento de Tempo em Projetos
Macrosolutions Treinamento: Gerenciamento de Tempo em ProjetosMacrosolutions SA
 
Slides - Gestão de Projetos Atuliazação PMBoK 7 Edição.pdf
Slides - Gestão de Projetos Atuliazação PMBoK 7 Edição.pdfSlides - Gestão de Projetos Atuliazação PMBoK 7 Edição.pdf
Slides - Gestão de Projetos Atuliazação PMBoK 7 Edição.pdfJairo Garcia
 
Software para Gerência de Projetos baseado em Metodologias Ágeis [Apresentação]
Software para Gerência de Projetos baseado em Metodologias Ágeis [Apresentação]Software para Gerência de Projetos baseado em Metodologias Ágeis [Apresentação]
Software para Gerência de Projetos baseado em Metodologias Ágeis [Apresentação]Anderson Kanegae Soares Rocha
 
PPGP - Programa PROCERGS de Gestão de Projetos
PPGP - Programa PROCERGS de Gestão de ProjetosPPGP - Programa PROCERGS de Gestão de Projetos
PPGP - Programa PROCERGS de Gestão de ProjetosPonto GP
 
Macrosolutions Treinamento: Gerenciamento da Qualidade em Projetos
Macrosolutions Treinamento: Gerenciamento da Qualidade em ProjetosMacrosolutions Treinamento: Gerenciamento da Qualidade em Projetos
Macrosolutions Treinamento: Gerenciamento da Qualidade em ProjetosMacrosolutions SA
 
Como botar em prática uma Metodologia Híbrida?
Como botar em prática uma Metodologia Híbrida?Como botar em prática uma Metodologia Híbrida?
Como botar em prática uma Metodologia Híbrida?Annelise Gripp
 
Macrosolutions Treinamento: Análise de Valor Agregado em projetos (Earned Value)
Macrosolutions Treinamento: Análise de Valor Agregado em projetos (Earned Value)Macrosolutions Treinamento: Análise de Valor Agregado em projetos (Earned Value)
Macrosolutions Treinamento: Análise de Valor Agregado em projetos (Earned Value)Macrosolutions SA
 
O desafio do ágil em um time de Machine Learning
O desafio do ágil em um time de Machine Learning O desafio do ágil em um time de Machine Learning
O desafio do ágil em um time de Machine Learning Jorge Improissi
 
Aula05 - Metodologias Ágeis
Aula05 - Metodologias ÁgeisAula05 - Metodologias Ágeis
Aula05 - Metodologias ÁgeisDaniela Brauner
 
Gestão do Projeto de Design de Interação - Aula 6
Gestão do Projeto de Design de Interação - Aula 6Gestão do Projeto de Design de Interação - Aula 6
Gestão do Projeto de Design de Interação - Aula 6Ricardo Wagner De Farias
 
Metodologia de análise e projeto para sistemas feitos com Drupal
Metodologia de análise e projeto para sistemas feitos com DrupalMetodologia de análise e projeto para sistemas feitos com Drupal
Metodologia de análise e projeto para sistemas feitos com DrupalMarcel Bezerra da Silva
 

Semelhante a PMBOK & RUP - UFAM 2012/2 - Gerência de Projetos (20)

Gestão de Projetos usando Abordagem Ágil e o guia PMBOK
Gestão de Projetos usando Abordagem Ágil e o guia PMBOKGestão de Projetos usando Abordagem Ágil e o guia PMBOK
Gestão de Projetos usando Abordagem Ágil e o guia PMBOK
 
Gestão de Projetos
Gestão de ProjetosGestão de Projetos
Gestão de Projetos
 
Project in controled enviroment
Project in controled enviromentProject in controled enviroment
Project in controled enviroment
 
Macrosolutions Treinamento: Gerenciamento de Tempo em Projetos
Macrosolutions Treinamento: Gerenciamento de Tempo em ProjetosMacrosolutions Treinamento: Gerenciamento de Tempo em Projetos
Macrosolutions Treinamento: Gerenciamento de Tempo em Projetos
 
Slides - Gestão de Projetos Atuliazação PMBoK 7 Edição.pdf
Slides - Gestão de Projetos Atuliazação PMBoK 7 Edição.pdfSlides - Gestão de Projetos Atuliazação PMBoK 7 Edição.pdf
Slides - Gestão de Projetos Atuliazação PMBoK 7 Edição.pdf
 
Software para Gerência de Projetos baseado em Metodologias Ágeis [Apresentação]
Software para Gerência de Projetos baseado em Metodologias Ágeis [Apresentação]Software para Gerência de Projetos baseado em Metodologias Ágeis [Apresentação]
Software para Gerência de Projetos baseado em Metodologias Ágeis [Apresentação]
 
PPGP - Programa PROCERGS de Gestão de Projetos
PPGP - Programa PROCERGS de Gestão de ProjetosPPGP - Programa PROCERGS de Gestão de Projetos
PPGP - Programa PROCERGS de Gestão de Projetos
 
Macrosolutions Treinamento: Gerenciamento da Qualidade em Projetos
Macrosolutions Treinamento: Gerenciamento da Qualidade em ProjetosMacrosolutions Treinamento: Gerenciamento da Qualidade em Projetos
Macrosolutions Treinamento: Gerenciamento da Qualidade em Projetos
 
Como botar em prática uma Metodologia Híbrida?
Como botar em prática uma Metodologia Híbrida?Como botar em prática uma Metodologia Híbrida?
Como botar em prática uma Metodologia Híbrida?
 
Macrosolutions Treinamento: Análise de Valor Agregado em projetos (Earned Value)
Macrosolutions Treinamento: Análise de Valor Agregado em projetos (Earned Value)Macrosolutions Treinamento: Análise de Valor Agregado em projetos (Earned Value)
Macrosolutions Treinamento: Análise de Valor Agregado em projetos (Earned Value)
 
O desafio do ágil em um time de Machine Learning
O desafio do ágil em um time de Machine Learning O desafio do ágil em um time de Machine Learning
O desafio do ágil em um time de Machine Learning
 
Aula05 - Metodologias Ágeis
Aula05 - Metodologias ÁgeisAula05 - Metodologias Ágeis
Aula05 - Metodologias Ágeis
 
Gestão do Projeto de Design de Interação - Aula 6
Gestão do Projeto de Design de Interação - Aula 6Gestão do Projeto de Design de Interação - Aula 6
Gestão do Projeto de Design de Interação - Aula 6
 
Prince2 - Treinamento para Certificação
Prince2 - Treinamento para CertificaçãoPrince2 - Treinamento para Certificação
Prince2 - Treinamento para Certificação
 
Gerenciamento de projetos de TI
Gerenciamento de projetos de TIGerenciamento de projetos de TI
Gerenciamento de projetos de TI
 
Capacitação mps.br
Capacitação mps.brCapacitação mps.br
Capacitação mps.br
 
PMI Software Extension
PMI Software ExtensionPMI Software Extension
PMI Software Extension
 
Introdução ao RUP
Introdução ao RUPIntrodução ao RUP
Introdução ao RUP
 
Pmbok
PmbokPmbok
Pmbok
 
Metodologia de análise e projeto para sistemas feitos com Drupal
Metodologia de análise e projeto para sistemas feitos com DrupalMetodologia de análise e projeto para sistemas feitos com Drupal
Metodologia de análise e projeto para sistemas feitos com Drupal
 

Último

Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...LizanSantos1
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 

Último (20)

Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 

PMBOK & RUP - UFAM 2012/2 - Gerência de Projetos

  • 1. UNIVESIDADE FEDERAL DO AMAZONAS INSTITUTO DE COMPUTAÇÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERÊNCIA DE PROJETOS PMBOK & RUP Equipe: Alison Lemos Kirmayr Tomaz Janiel Medeiros Urique Hoffmann
  • 2. Roteiro (1) ● PMBOK ○ Introdução ○ Conceitos e Tecnologias Utilizadas ○ Benefícios e Desafios ○ Ferramentas Disponíveis ○ Metodologias Relacionadas ● RUP ○ Introdução ○ Conceitos e Tecnologias Utilizadas ○ Benefícios e Desafios ○ Ferramentas Disponíveis ○ Metodologias Relacionadas
  • 3. Roteiro (2) ● PMBOK + RUP ○ Introdução e Breve Comparação ○ Estudo de Caso 1 ○ Estudo de Caso 2 ○ Resultados e Comparação ○ Conclusões ● Referências
  • 5. Introdução - PMBOK O Guia PMBOK (Project Management Body of Knowledge) é um livro que apresenta um conjunto de terminologias padrões e diretrizes para gerenciamento de projeto. fonte Com objetivo de reunir o conhecimento comprovado internacionalmente na área de gerência de projetos, através de práticas tradicionais e práticas inovadoras e avançadas.
  • 6. Processos da Gerência de Projeto 5 Grandes Processos da gerência de Projeto
  • 7. Conceitos e Tecnologias Utilizadas - PMBOK Suas Áreas de Conhecimento são as seguintes:
  • 8.
  • 9. Benefícios na Implementação - PMBOK ● Metodologia Padrão; ● Processo é orientado; ● Define para cada processo a entrada, as ferramentas, as técnicas e a saída necessárias; ● Sua metodologia orientada a processos define o conhecimento necessário para gerenciar o ciclo de vida de qualquer projeto, programa e portfólio; ● Define um corpo do conhecimento em que toda a indústria pode o construir mais melhores práticas específicas para sua área de aplicação;
  • 10. Desafios na Implementação - PMBOK ● Volume de projetos com recursos limitados na empresa; ● Complexo para projetos pequenos; ● Manter o processo de desenvolvimento curto; ● Têm que ser adaptados à indústria da área de aplicação, o tamanho e o espaço do projeto, o tempo e o orçamento e os confinamentes da qualidade.
  • 11. Ferramentas Disponíveis - PMBOK ● Ferramentas de Gerenciamento de Projetos em Geral (MSPROJECT, OPENPROJECT, REDMINE, ETC) ● Para mais informações acesse http://fp- ufam2012.blogspot.com.br/ ● Methodology Explorer - UFPE.
  • 12. Metodologias Relacionadas (PRINCE2) - PMBOK ● O PRINCE2 é um método para gerenciamento de projetos lançado pelo governo britânico em 1996. ● Apresenta-se como um método genérico que pode ser aplicado a qualquer projeto, independentemente de seu porte, tipo, organização, região geográfica ou cultura. ● PRINCE2 e o Guia PMBOK são complementares. ● Um não é melhor que o outro.
  • 13. Metodologias Relacionadas (PRINCE2) - PMBOK ● Enquanto o Guia PMBOK é uma base de conhecimentos sobre Gerenciamento de Projetos, sendo a fonte de informação para o gerente, o PRINCE2 é um método de Gerenciamento de Projetos baseado em processos, descrevendo exatamente o que o gerente deve saber e fazer. ● O PRINCE2 e o Guia PMBOK conversam entre si e tem total compatibilidade o que significa que o uso de um não dispensa o outro. Isso porque o Guia PMBOK constitui uma ampla base de conhecimentos em gerenciamento de projetos. O PRINCE2 materializa as boas práticas sugeridas pelo PMI, aumentando as chances de sucesso do projeto.
  • 14. RUP
  • 15. O que é o RUP? ● Processo proprietário; ● Técnicas que visam a otimizacão do desenvolvimento; ● Uso da abordagem de orientação a objetos; ● Processo considerado pesado mas customizável; ● É modular e automatizado.
  • 16. Linhas Mestras ● Gestão de requisitos; ● Arquitetura de componentes; ● Uso de software de modelos visuais; ● Verificação da qualidade do software; ● Gestão e controle de mudanças do software.
  • 18. Fases do RUP ● Concepção; ● Elaboração; ● Construção; ● Transição.
  • 19. Principios e melhores práticas ● Desenvolvimento iterativo; ● Gerenciamento de requisitos; ● Uso de arquitetura baseada em componentes; ● Modelagem visual de software; ● Verificar qualidade de software; ● Controle de alterações no software.
  • 20. Vantagens e Desvantagens - RUP Vantagens: ● Processo robusto e bem definido ● Desenvolver iterativamente; ● Qualidade de software; ● Estimativa de prazos e custos com maior precisão.
  • 21. Vantagens e Desvantagens - RUP Desvantagens: ● Complexo e trabalhoso para projetos de pequeno porte. ● Exige experiência da equipe.
  • 22. Ferramentas Disponíveis - RUP ● Rational Requisite®Pro Facilita escritura, compartilhamento e disseminação de requisitos. ● Rational ClearQuestTM — Controle de solicitação de mudanças. ● Rational Rose® 98 — Modelagem Visual de processos de negócios, requisitos e componentes. ● Rational SoDA® Geração de documentação ● Rational Purify® Perfil de consumo de memória ● Rational Visual QuantifyTM —Perfil de consumo de CPU. ● Rational Visual PureCoverageTM — Alcançabilidade de código. ● Rational TeamTest — Automatiza testes funcionais. ● Rational PerformanceStudioTM — Analisa desempenho de sistemas cliente-servidor para a Web ● Rational ClearCase® — Gerência de configuração de software.
  • 24. PMBOK + RUP ''diferentes termos são usados para descrever conceitos similares ou idênticos semanticamente, mas nada no RUP contradiz o PMBOK e as práticas do PMBOK não contradiz as práticas do RUP''. (Charbonneau, 2004).
  • 26. PMBOK + RUP Disciplinas Ausentes no PMBOK ● Análise e Design ● Implementação ● Implantação Áreas não são cobertas pelo RUP: ● Recursos Humanos – contratação, treinamento.. ● Custos – Definição do uso de recursos financeiros e etc ● Aquisições – Relacionamento com Fornecedores e Consumidores
  • 27. Estudo de caso - Escritório de Projetos da Academia Nacional de Polícia Federal ● Antigos processos manuais não conseguiam suprir a necessidade em tempo hábil ● Setor de Tecnologia da Informação se baseou no RUP como modelo de desenvolvimento. ● Utilização do PMBOK ●
  • 28. Estudo de Caso Utilizando apenas PMBOK (World Cargo) ● Implantação de projetos para avanço da eficácia, eficiência e produtividade; ● Necessidade de um sistema que integrasse as atividades aos processos da empresa: SysAgent; ● Uso de 17 sistemas e programas, como SPM e bysoft;
  • 29. Visão geral do SysAgent
  • 32. Resultados dos Estudos de Casos (1) ● No Estudo 1, a empresa foi implantando aos poucos a TI. ● Adotou-se o RUP para o processo de Desenvolvimento de Sistemas. ● Não foi suficiente para gerenciar os projetos devido a grande demanda de serviços. ● Integração com o PMBOK. ● Padronização documental. ● Maior Clareja ao Cliente quanto ao Cronograma. ● Enfatizou o Planejamento de Riscos. ● Impacto Positivo nas áreas de Custo, Tempo, RH e Comunicações. ● Escopo sem alteração com a Integração.
  • 33. Resultados dos Estudos de Casos (2) ● No Estudo 2, a empresa optou por seguir apenas o PMBOK para o desenvolvimento do seu novo sistema para integrar suas atividades aos processos da empresa. ● Planejamento Realizado corretamente. ● Prazo excedido em 5 meses na fase de Desenvolvimento de Programas. ● Apesar do Atraso não chegou a ser um fracasso. ● Por ser Interno da Empresa. ● Não gerou multas contratuais por conta disso. ● E porque cumpriu os objetivos iniciais mesmo com o atraso.
  • 34. CONCLUSÕES ● A área de gerência de projetos é imprescindível quando se trata de projetos de software. ● Na integração do PMBOK com o RUP, impactos positivos são gerados. ● No estudo de caso 2, o RUP seria uma opção para que o prazo não fosse excedido.
  • 35. REFERÊNCIAS http://esteves74.blogspot.com. br/2011/06/rup-x-pmbok.html Ferraz,Ana M. de S.,Implementando o PMBOK utilizando a ferramenta Methodology Explorer. Monografia de Trabalho de Conclusão de Curso. Especialização em Tecnologias da Informação. Universidade Federal de Pernambuco. Dezembro de 2004 Matsushita, Renan Shin, O impacto da integração entre o processo RUP com padrão PMBOK. Faculdade de Tecnologia de São Caetano do Sul. 2010.