SlideShare uma empresa Scribd logo
PLANEJAMENTO ANUAL
I- IDENTIFICAÇÃO
ESCOLA ESTADUAL BOA ESPERANÇA
Modalidade de Ensino: Ensino Médio
Área de Conhecimento: Ciências da Natureza, Matemática e suas
Tecnologias.
Disciplina: Física
Série: 2º ano
Professor: Francisco Bandeira Amaral Filho
II – JUSTIFICATIVA
O conhecimento científico desenvolvido na escola média deve estar voltado
para a formação de um cidadão contemporâneo, atuante e solidário, com os
instrumentos para compreender a realidade, intervir nela e dela participar. O
mundo de hoje, diferente daquele de algumas décadas atrás, e muito diferente
daquele do início do século passado, é fruto das mútuas influências entre a
ciência, a tecnologia e a sociedade. Neste contexto de mudanças, a Física tem
papel destacado ao longo dos quatro séculos da modernidade e, em especial,
nas revoluções tecnológicas que mudaram profundamente a História. Neste
século mais recente, a quantidade de inovações e mudanças nas formas de
produção, de comunicação e de relacionamento entre os indivíduos, tem
alcançado um número surpreendente, se comparado ao de outros períodos de
nossa História. Tais modificações se manifestam, por exemplo, nas novas
tecnologias presentes no cotidiano. Hoje, ouvimos música digitalizada,
manuseamos computadores que operam com semicondutores, a iluminação
pública e as portas automáticas são acionadas por fotossensores, a medicina
dispõe de aparelhos de ressonância magnética, as usinas nucleares são
opções importantes na produção de energia em grande escala, fósseis e
objetos cerâmicos antigos são datados por meio de contadores radioativos e o
laser revolucionou as técnicas médicas. O conhecimento físico, tanto do
microcosmo quanto do macrocosmo, vem sendo ampliado em decorrência de
rupturas com o conhecimento “senso comum”. Galileu e Newton iniciaram uma
caminhada sem volta na representação e na interpretação dos fenômenos
naturais. As modernas teorias físicas têm servido de suporte para a produção
de conhecimentos em um novo panorama científico e permitem leituras do
mundo muito diferentes das explicações espontâneas daquilo que é
imediatamente percebido pelos sentidos. É muito mais difícil agir e
compreender o cotidiano atual sem conhecimentos especializados, sendo
necessária a incorporação de bases científicas para o pleno entendimento do
mundo que nos cerca. Os alunos participam desse cotidiano modificado pela
ciência e pela tecnologia, usufruindo das comodidades tecnológicas e se
deparando com nomes, conceitos e personagens da ciência veiculados pela
mídia. A ficção científica estimula a imaginação do adolescente, instigando a
busca pelo novo, pelo virtual e pelo extraordinário. Nesse sentido, mesmo os
jovens que, após a conclusão do Ensino Médio, não venham a ter qualquer
contato com práticas científicas, ainda terão adquirido a formação necessária
para compreender o mundo em que vivem e participar dele, enquanto os que
se dirigirem para as carreiras científico-tecnológicas terão as bases do
pensamento científico para a continuidade de seus estudos e para os afazeres
da vida profissional ou universitária. A Física ensinada na escola deve,
portanto, ser pensada como um elemento básico para a compreensão e a
ação no mundo contemporâneo e para a satisfação cultural do cidadão de
hoje. No entanto, a escola média tem tido dificuldade em lidar adequadamente
com os conhecimentos físicos na perspectiva de uma formação para a
cidadania. Isso fica evidenciado quando se analisam os currículos e
programas de Física destinados ao Ensino Médio. Tradicionalmente, a seleção
desse conhecimento tem sido feita em termos de conceitos considerados
centrais em áreas específicas da Física, delimitando os conteúdos a serem
abordados. Neles, os conteúdos escolares se configuram como uma
amostragem de temas das principais teorias dos séculos XVII, XVIII e XIX, a
saber: Mecânica, Termologia, Óptica e Eletromagnetismo.
III – OBJETIVOS
Geral
 Reconhecer a Física enquanto construção humana, aspectos de sua
história e relação com o contexto cultural, social, político e econômico.
Compreender a evolução dos meios tecnológicos e sua relação
dinâmica com a evolução de conhecimento científico. Ser capaz de
emitir juízos de valor em relação à situação sociais que envolvam
aspectos físicos ou tecnológicos relevantes.
Específicos
 Reconhecer e utilizar adequadamente, na forma oral e escrita,
símbolos, códigos e nomenclaturas da linguagem científica.
 Identificar em dada situação-problema as informações ou variáveis
relevantes e possíveis estratégias para resolvê-la.
 Ler, articular e interpretar símbolos e códigos em diferentes linguagens
e representações: sentenças, equações, esquemas, diagramas,
tabelas, gráficos e representações geométricas.
 Consultar, analisar e interpretar textos e comunicações de ciência e
tecnologia veiculadas por diferentes meios.
 Analisar, argumentar e posicionar-se criticamente em relação a temas
de ciência e tecnologia.
 Identificar em dada situação-problema as informações ou variáveis
relevantes e possíveis estratégias para resolvê-la.
 Identificar fenômenos naturais ou grandezas em dado domínio do
conhecimento científico, estabelecer relações; identificar regularidades,
invariantes e transformações.
 Selecionar e utilizar instrumentos de medição e de cálculo, representar
dados e utilizar escalas, fazer estimativas, elaborar hipóteses e
interpretar resultados.
 Reconhecer e utilizar adequadamente, na forma oral e escrita,
símbolos, códigos e nomenclaturas da linguagem científica.
IV – CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
1º Bimestre
1 – TERMOLOGIA:
1.2 - Temperatura
1.3 - Introdução, temperatura, equilíbrio térmico, medição de temperatura,
termômetros, escalas termométricas, escalas Celsius e Fahrenheit, conversão
entres escalas e variação de temperatura.
1.4 - Calor e sua propagação
1.5 - Energia térmica, unidades usuais de calor, processos de propagação de
calor, a convecção e a radiação.
2º Bimestre
1.6 - Gases Perfeitos
1.7 - As variáveis de estado de um gás perfeito, Lei geral dos gases, misturam
física de gases perfeitos.
1.8 - Dilatação térmica dos sólidos e dos líquidos
1.9 - Dilatação linear, superficial e volumétrica dos sólidos, dilatação térmica
dos sólidos.
3º Bimestre
2 – ONDULATÓRIA:
2.1 - Ondas
2.2 - Ondas mecânicas e eletromagnéticas,
2.3 - Ondas longitudinais,
2.4 - Transversais e ondas mistas,
2.5 - Frente de onda e raio de onda;
2.6 - Grandezas físicas associadas as ondas.
2.7 - Acústica
2.8 - Velocidade de propagação de uma onda periódica
2.9 - Altura de um som
2.10 - Intervalo acústico entre dois sons;
2. 11 - Intensidade sonora
4º Bimestre
3 – ÓPTICA GEOMÉTRICA:
3.1 - Fontes de luz Meios transparentes, translúcidos e opacos.
3.2 - Fundamentos da óptica geométrica.
3.3 - Frente de luz – raio de luz.
3.4 - Reflexão da luz
3.5 - Leis da reflexão Imagens múltiplas em dois espelhos planos associados
3.6 - Refração da Luz
3.7 - Índice de refração
3.8 - Leis da refração
V – ESTRATÉGIAS METODOLÓGICAS
Técnicas
 Aulas expositiva e dialogada;
 Atendimentos e observações individuais e coletivas;
 Discussão de textos/artigos que resgatam a história da física
 Utilização de material didático específico para determinadas aulas
Recursos
 Quadro e giz;
 Material impresso/xerocado;
 Livro didático.
VI – INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
Os instrumentos de avaliação serão diversificados:
 Observações e registros realizados pelo professor das várias interações
com os alunos;
 Trabalhos do aluno durante o ano letivo, incluindo suas anotações no
caderno;
 Trabalhos e atividades individuais;
 Avaliação qualitativa e qualitativa individual, trabalho individual com e
sem consulta.
 Aluno com média Bimestral igual ou superior a 5,5 tem a prova de
recuperação bimestral como atividade facultativa.
 Aluno com média Bimestral inferior a 5,5 terá a prova de recuperação
bimestral como atividade obrigatória. Para estes, a nota da prova de
recuperação sendo superior a nota do bimestral será a sua média
bimestral, caso a nota da recuperação seja inferior a nota bimestral, a
mesma será descartada.
 Será aprovado o aluno que somar ao final dos quatros bimestres 20,00
ou mais pontos.
VII – BIBLIOGRAFIA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Avaliação 1º ano 1º bimestre(física 1º c)
Avaliação 1º ano   1º bimestre(física 1º c)Avaliação 1º ano   1º bimestre(física 1º c)
Avaliação 1º ano 1º bimestre(física 1º c)
Vilmar Silva
 
Programa de ação PEI Adriano Silvestre de Oliveira Junior 2023.pdf
Programa de ação PEI Adriano Silvestre de Oliveira Junior 2023.pdfPrograma de ação PEI Adriano Silvestre de Oliveira Junior 2023.pdf
Programa de ação PEI Adriano Silvestre de Oliveira Junior 2023.pdf
AdrianoSilvestre6
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
O mundo da FÍSICA
 
Atividade tabela periódica
Atividade   tabela periódicaAtividade   tabela periódica
Atividade tabela periódica
Escola Pública/Particular
 
Plano de Ação Matemática
Plano de Ação MatemáticaPlano de Ação Matemática
Plano de Ação Matemática
Manuel de Abreu
 
Propagação de Calor
Propagação de CalorPropagação de Calor
Propagação de Calor
Gizella Menezes
 
Óptica geométrica 3º ano 2014
Óptica geométrica 3º ano 2014Óptica geométrica 3º ano 2014
Óptica geométrica 3º ano 2014
LEAM DELGADO
 
Tabela periódica 9º ano
Tabela periódica 9º anoTabela periódica 9º ano
Tabela periódica 9º ano
Carlos Magno Braga
 
Simulado Saresp - 9º ano - Matemática
Simulado Saresp - 9º ano - MatemáticaSimulado Saresp - 9º ano - Matemática
Simulado Saresp - 9º ano - Matemática
Juliana Gomes
 
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docxPrograma-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
MaxLuisEspinosa
 
Força e movimento
Força e movimentoForça e movimento
Força e movimento
Anderson Carlos
 
Exercícios de aplicação sobre momento de uma força e alavanca
Exercícios de aplicação sobre momento de uma força e alavancaExercícios de aplicação sobre momento de uma força e alavanca
Exercícios de aplicação sobre momento de uma força e alavanca
wilkerfilipel
 
Potência Elétrica-Exercícios
Potência Elétrica-ExercíciosPotência Elétrica-Exercícios
Potência Elétrica-Exercícios
jucimarpeixoto
 
Gabarito física
Gabarito físicaGabarito física
Gabarito física
Ronaldo Santana
 
Máquinas simples
Máquinas simplesMáquinas simples
Máquinas simples
Wesley Germano Otávio
 
Plano de curso de fisica
Plano de curso de fisicaPlano de curso de fisica
Plano de curso de fisica
kl3ison
 
Lista de exercícios de revisão energia e máquinas simples 9° ano dudunegão
Lista de exercícios de revisão   energia e máquinas simples 9° ano  dudunegãoLista de exercícios de revisão   energia e máquinas simples 9° ano  dudunegão
Lista de exercícios de revisão energia e máquinas simples 9° ano dudunegão
Eduardo Oliveira
 
Mru movimento retilineo uniforme
Mru   movimento retilineo uniformeMru   movimento retilineo uniforme
Mru movimento retilineo uniforme
Vlamir Gama Rocha
 
Ficha de avaliação de seminário
Ficha de avaliação de seminárioFicha de avaliação de seminário
Ficha de avaliação de seminário
Roberto Rorras Moura
 
Alavancas arquimedes
Alavancas arquimedesAlavancas arquimedes
Alavancas arquimedes
Fernanda Reis Dias
 

Mais procurados (20)

Avaliação 1º ano 1º bimestre(física 1º c)
Avaliação 1º ano   1º bimestre(física 1º c)Avaliação 1º ano   1º bimestre(física 1º c)
Avaliação 1º ano 1º bimestre(física 1º c)
 
Programa de ação PEI Adriano Silvestre de Oliveira Junior 2023.pdf
Programa de ação PEI Adriano Silvestre de Oliveira Junior 2023.pdfPrograma de ação PEI Adriano Silvestre de Oliveira Junior 2023.pdf
Programa de ação PEI Adriano Silvestre de Oliveira Junior 2023.pdf
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
 
Atividade tabela periódica
Atividade   tabela periódicaAtividade   tabela periódica
Atividade tabela periódica
 
Plano de Ação Matemática
Plano de Ação MatemáticaPlano de Ação Matemática
Plano de Ação Matemática
 
Propagação de Calor
Propagação de CalorPropagação de Calor
Propagação de Calor
 
Óptica geométrica 3º ano 2014
Óptica geométrica 3º ano 2014Óptica geométrica 3º ano 2014
Óptica geométrica 3º ano 2014
 
Tabela periódica 9º ano
Tabela periódica 9º anoTabela periódica 9º ano
Tabela periódica 9º ano
 
Simulado Saresp - 9º ano - Matemática
Simulado Saresp - 9º ano - MatemáticaSimulado Saresp - 9º ano - Matemática
Simulado Saresp - 9º ano - Matemática
 
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docxPrograma-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
 
Força e movimento
Força e movimentoForça e movimento
Força e movimento
 
Exercícios de aplicação sobre momento de uma força e alavanca
Exercícios de aplicação sobre momento de uma força e alavancaExercícios de aplicação sobre momento de uma força e alavanca
Exercícios de aplicação sobre momento de uma força e alavanca
 
Potência Elétrica-Exercícios
Potência Elétrica-ExercíciosPotência Elétrica-Exercícios
Potência Elétrica-Exercícios
 
Gabarito física
Gabarito físicaGabarito física
Gabarito física
 
Máquinas simples
Máquinas simplesMáquinas simples
Máquinas simples
 
Plano de curso de fisica
Plano de curso de fisicaPlano de curso de fisica
Plano de curso de fisica
 
Lista de exercícios de revisão energia e máquinas simples 9° ano dudunegão
Lista de exercícios de revisão   energia e máquinas simples 9° ano  dudunegãoLista de exercícios de revisão   energia e máquinas simples 9° ano  dudunegão
Lista de exercícios de revisão energia e máquinas simples 9° ano dudunegão
 
Mru movimento retilineo uniforme
Mru   movimento retilineo uniformeMru   movimento retilineo uniforme
Mru movimento retilineo uniforme
 
Ficha de avaliação de seminário
Ficha de avaliação de seminárioFicha de avaliação de seminário
Ficha de avaliação de seminário
 
Alavancas arquimedes
Alavancas arquimedesAlavancas arquimedes
Alavancas arquimedes
 

Destaque

Planejamento de física 2° ano 1° bimestre 2012
Planejamento de física 2° ano   1° bimestre 2012Planejamento de física 2° ano   1° bimestre 2012
Planejamento de física 2° ano 1° bimestre 2012
PROFESSOR JOSÉ ANTÔNIO PEREIRA - QUÍMICO
 
Plano de aula de física do 1° ano 3° bimestre - cem ary
Plano de aula de física do 1° ano    3° bimestre - cem aryPlano de aula de física do 1° ano    3° bimestre - cem ary
Plano de aula de física do 1° ano 3° bimestre - cem ary
PROFESSOR JOSÉ ANTÔNIO PEREIRA - QUÍMICO
 
Plano de aula pronto
Plano de aula prontoPlano de aula pronto
Plano de aula pronto
Marina Panciarelli
 
Planejamento anual 2 ano fund
Planejamento anual 2 ano fundPlanejamento anual 2 ano fund
Planejamento anual 2 ano fund
Atividades Diversas Cláudia
 
Planejamento anual da Educação Física
Planejamento anual da Educação FísicaPlanejamento anual da Educação Física
Planejamento anual da Educação Física
Kain2014
 
Exemplo. plano de aula
Exemplo. plano de aulaExemplo. plano de aula
Exemplo. plano de aula
Bárbara Caldeira
 
Planejamento de física 3° ano 1° bimestre 2012
Planejamento de física 3° ano   1° bimestre 2012Planejamento de física 3° ano   1° bimestre 2012
Planejamento de física 3° ano 1° bimestre 2012
PROFESSOR JOSÉ ANTÔNIO PEREIRA - QUÍMICO
 
Plano de aula 2ª Série do Ensino Médio
Plano de aula   2ª Série do Ensino MédioPlano de aula   2ª Série do Ensino Médio
Plano de aula 2ª Série do Ensino Médio
KeSantos03
 
PLANO DE AULA
PLANO DE AULA PLANO DE AULA
PLANO DE AULA
anabeatrizsa
 
Plano de curso de matemática ensino médio
Plano de curso de matemática ensino médioPlano de curso de matemática ensino médio
Plano de curso de matemática ensino médio
Tammi Kirk
 
Introdução a Física
Introdução a FísicaIntrodução a Física
Introdução a Física
fismatromulo
 
Ed. física 2º ano
Ed. física 2º anoEd. física 2º ano
Ed. física 2º ano
GERALDOGOMESDEBARROS
 
Plano de aula UTFPR
Plano de aula UTFPRPlano de aula UTFPR
Plano de aula UTFPR
eddergueddes
 
Plano de aula ed. física
Plano de aula ed. físicaPlano de aula ed. física
Expandindo a qualidade da educação pública de minas gerais
Expandindo a qualidade da educação pública de minas geraisExpandindo a qualidade da educação pública de minas gerais
Expandindo a qualidade da educação pública de minas gerais
Eunice Mendes de Oliveira
 
Avaliação de física do 3° bimestre 2° ano av2
Avaliação de física do 3° bimestre   2° ano av2Avaliação de física do 3° bimestre   2° ano av2
Avaliação de física do 3° bimestre 2° ano av2
PROFESSOR JOSÉ ANTÔNIO PEREIRA - QUÍMICO
 
Calorimetria
CalorimetriaCalorimetria
Calorimetria
Nyra Leão
 
Programa de Física 4º bimestre - 2º ano
Programa de Física 4º bimestre - 2º anoPrograma de Física 4º bimestre - 2º ano
Programa de Física 4º bimestre - 2º ano
Jamilly Andrade
 
Cbc fisica
Cbc fisicaCbc fisica
Cbc fisica
rtpenha
 
Planejamento fisica 2 ano
Planejamento fisica 2 anoPlanejamento fisica 2 ano
Planejamento fisica 2 ano
Atividades Diversas Cláudia
 

Destaque (20)

Planejamento de física 2° ano 1° bimestre 2012
Planejamento de física 2° ano   1° bimestre 2012Planejamento de física 2° ano   1° bimestre 2012
Planejamento de física 2° ano 1° bimestre 2012
 
Plano de aula de física do 1° ano 3° bimestre - cem ary
Plano de aula de física do 1° ano    3° bimestre - cem aryPlano de aula de física do 1° ano    3° bimestre - cem ary
Plano de aula de física do 1° ano 3° bimestre - cem ary
 
Plano de aula pronto
Plano de aula prontoPlano de aula pronto
Plano de aula pronto
 
Planejamento anual 2 ano fund
Planejamento anual 2 ano fundPlanejamento anual 2 ano fund
Planejamento anual 2 ano fund
 
Planejamento anual da Educação Física
Planejamento anual da Educação FísicaPlanejamento anual da Educação Física
Planejamento anual da Educação Física
 
Exemplo. plano de aula
Exemplo. plano de aulaExemplo. plano de aula
Exemplo. plano de aula
 
Planejamento de física 3° ano 1° bimestre 2012
Planejamento de física 3° ano   1° bimestre 2012Planejamento de física 3° ano   1° bimestre 2012
Planejamento de física 3° ano 1° bimestre 2012
 
Plano de aula 2ª Série do Ensino Médio
Plano de aula   2ª Série do Ensino MédioPlano de aula   2ª Série do Ensino Médio
Plano de aula 2ª Série do Ensino Médio
 
PLANO DE AULA
PLANO DE AULA PLANO DE AULA
PLANO DE AULA
 
Plano de curso de matemática ensino médio
Plano de curso de matemática ensino médioPlano de curso de matemática ensino médio
Plano de curso de matemática ensino médio
 
Introdução a Física
Introdução a FísicaIntrodução a Física
Introdução a Física
 
Ed. física 2º ano
Ed. física 2º anoEd. física 2º ano
Ed. física 2º ano
 
Plano de aula UTFPR
Plano de aula UTFPRPlano de aula UTFPR
Plano de aula UTFPR
 
Plano de aula ed. física
Plano de aula ed. físicaPlano de aula ed. física
Plano de aula ed. física
 
Expandindo a qualidade da educação pública de minas gerais
Expandindo a qualidade da educação pública de minas geraisExpandindo a qualidade da educação pública de minas gerais
Expandindo a qualidade da educação pública de minas gerais
 
Avaliação de física do 3° bimestre 2° ano av2
Avaliação de física do 3° bimestre   2° ano av2Avaliação de física do 3° bimestre   2° ano av2
Avaliação de física do 3° bimestre 2° ano av2
 
Calorimetria
CalorimetriaCalorimetria
Calorimetria
 
Programa de Física 4º bimestre - 2º ano
Programa de Física 4º bimestre - 2º anoPrograma de Física 4º bimestre - 2º ano
Programa de Física 4º bimestre - 2º ano
 
Cbc fisica
Cbc fisicaCbc fisica
Cbc fisica
 
Planejamento fisica 2 ano
Planejamento fisica 2 anoPlanejamento fisica 2 ano
Planejamento fisica 2 ano
 

Semelhante a Planejamento anual 2º ano - física

Estagiosupervisionado
EstagiosupervisionadoEstagiosupervisionado
Estagiosupervisionado
Ivanderson da Silva
 
Pcnem+
Pcnem+Pcnem+
Estagiosupervisionado
EstagiosupervisionadoEstagiosupervisionado
Estagiosupervisionado
Ivanderson da Silva
 
O ensino de Ciencias e Biologia arquivo ppt
O ensino de Ciencias e Biologia arquivo pptO ensino de Ciencias e Biologia arquivo ppt
O ensino de Ciencias e Biologia arquivo ppt
Amanda Fernanda Nunes Ferreira
 
MPEMC AULA 10: Alfabetização Científica
MPEMC AULA 10: Alfabetização CientíficaMPEMC AULA 10: Alfabetização Científica
MPEMC AULA 10: Alfabetização Científica
profamiriamnavarro
 
Historia da ciencia no ensino medio
Historia da ciencia no ensino medioHistoria da ciencia no ensino medio
Historia da ciencia no ensino medio
Fabiano Antunes
 
Pc sc fundamentos-teoricos_metodologicos_ensino_ciencias
Pc sc fundamentos-teoricos_metodologicos_ensino_cienciasPc sc fundamentos-teoricos_metodologicos_ensino_ciencias
Pc sc fundamentos-teoricos_metodologicos_ensino_ciencias
franciele_regina
 
Histórico do PCN
Histórico do PCNHistórico do PCN
Histórico do PCN
pibidbio
 
Visao cienc
Visao ciencVisao cienc
Currículo referência ciências da natureza 6º ao 9º ano
Currículo referência ciências da natureza 6º ao 9º anoCurrículo referência ciências da natureza 6º ao 9º ano
Currículo referência ciências da natureza 6º ao 9º ano
tecnicossme
 
PLANO DE CURSO BIOLOGIA 2023 CRMG.pdf
PLANO DE CURSO BIOLOGIA 2023 CRMG.pdfPLANO DE CURSO BIOLOGIA 2023 CRMG.pdf
PLANO DE CURSO BIOLOGIA 2023 CRMG.pdf
GiovannaMendes31
 
Dce f isica_marina jornada
Dce f isica_marina jornada Dce f isica_marina jornada
Dce f isica_marina jornada
saulo321
 
Direitos de aprendizagem no ciclo de alfabetizacao ciencias
Direitos de aprendizagem no ciclo de alfabetizacao   cienciasDireitos de aprendizagem no ciclo de alfabetizacao   ciencias
Direitos de aprendizagem no ciclo de alfabetizacao ciencias
Eliane Gomes
 
subi pra pegar outro
subi pra pegar outrosubi pra pegar outro
subi pra pegar outro
Adriano Nogueira
 
Matriz de referencia_de_ciencias_da_natureza_do_saeb
Matriz de referencia_de_ciencias_da_natureza_do_saebMatriz de referencia_de_ciencias_da_natureza_do_saeb
Matriz de referencia_de_ciencias_da_natureza_do_saeb
Nailton Oliveira
 
Aula 03: equipamentos didáticos
Aula 03: equipamentos didáticosAula 03: equipamentos didáticos
Aula 03: equipamentos didáticos
Israel serique
 
Cts1
Cts1Cts1
Plano de ensino ciencias
Plano de ensino cienciasPlano de ensino ciencias
Plano de ensino ciencias
Secretaria Assistencia Social
 
ciencias_naturais_3c_9a_AE.pdf
ciencias_naturais_3c_9a_AE.pdfciencias_naturais_3c_9a_AE.pdf
ciencias_naturais_3c_9a_AE.pdf
Sandra Semedo
 
Caderno iii-c.-da-natureza- slide
Caderno iii-c.-da-natureza- slideCaderno iii-c.-da-natureza- slide
Caderno iii-c.-da-natureza- slide
Andrea Felix
 

Semelhante a Planejamento anual 2º ano - física (20)

Estagiosupervisionado
EstagiosupervisionadoEstagiosupervisionado
Estagiosupervisionado
 
Pcnem+
Pcnem+Pcnem+
Pcnem+
 
Estagiosupervisionado
EstagiosupervisionadoEstagiosupervisionado
Estagiosupervisionado
 
O ensino de Ciencias e Biologia arquivo ppt
O ensino de Ciencias e Biologia arquivo pptO ensino de Ciencias e Biologia arquivo ppt
O ensino de Ciencias e Biologia arquivo ppt
 
MPEMC AULA 10: Alfabetização Científica
MPEMC AULA 10: Alfabetização CientíficaMPEMC AULA 10: Alfabetização Científica
MPEMC AULA 10: Alfabetização Científica
 
Historia da ciencia no ensino medio
Historia da ciencia no ensino medioHistoria da ciencia no ensino medio
Historia da ciencia no ensino medio
 
Pc sc fundamentos-teoricos_metodologicos_ensino_ciencias
Pc sc fundamentos-teoricos_metodologicos_ensino_cienciasPc sc fundamentos-teoricos_metodologicos_ensino_ciencias
Pc sc fundamentos-teoricos_metodologicos_ensino_ciencias
 
Histórico do PCN
Histórico do PCNHistórico do PCN
Histórico do PCN
 
Visao cienc
Visao ciencVisao cienc
Visao cienc
 
Currículo referência ciências da natureza 6º ao 9º ano
Currículo referência ciências da natureza 6º ao 9º anoCurrículo referência ciências da natureza 6º ao 9º ano
Currículo referência ciências da natureza 6º ao 9º ano
 
PLANO DE CURSO BIOLOGIA 2023 CRMG.pdf
PLANO DE CURSO BIOLOGIA 2023 CRMG.pdfPLANO DE CURSO BIOLOGIA 2023 CRMG.pdf
PLANO DE CURSO BIOLOGIA 2023 CRMG.pdf
 
Dce f isica_marina jornada
Dce f isica_marina jornada Dce f isica_marina jornada
Dce f isica_marina jornada
 
Direitos de aprendizagem no ciclo de alfabetizacao ciencias
Direitos de aprendizagem no ciclo de alfabetizacao   cienciasDireitos de aprendizagem no ciclo de alfabetizacao   ciencias
Direitos de aprendizagem no ciclo de alfabetizacao ciencias
 
subi pra pegar outro
subi pra pegar outrosubi pra pegar outro
subi pra pegar outro
 
Matriz de referencia_de_ciencias_da_natureza_do_saeb
Matriz de referencia_de_ciencias_da_natureza_do_saebMatriz de referencia_de_ciencias_da_natureza_do_saeb
Matriz de referencia_de_ciencias_da_natureza_do_saeb
 
Aula 03: equipamentos didáticos
Aula 03: equipamentos didáticosAula 03: equipamentos didáticos
Aula 03: equipamentos didáticos
 
Cts1
Cts1Cts1
Cts1
 
Plano de ensino ciencias
Plano de ensino cienciasPlano de ensino ciencias
Plano de ensino ciencias
 
ciencias_naturais_3c_9a_AE.pdf
ciencias_naturais_3c_9a_AE.pdfciencias_naturais_3c_9a_AE.pdf
ciencias_naturais_3c_9a_AE.pdf
 
Caderno iii-c.-da-natureza- slide
Caderno iii-c.-da-natureza- slideCaderno iii-c.-da-natureza- slide
Caderno iii-c.-da-natureza- slide
 

Último

livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
Suzy De Abreu Santana
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptxForças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Danielle Fernandes Amaro dos Santos
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
JuliaMachado73
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
Giovana Gomes da Silva
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 

Último (20)

livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptxForças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 

Planejamento anual 2º ano - física

  • 1. PLANEJAMENTO ANUAL I- IDENTIFICAÇÃO ESCOLA ESTADUAL BOA ESPERANÇA Modalidade de Ensino: Ensino Médio Área de Conhecimento: Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Disciplina: Física Série: 2º ano Professor: Francisco Bandeira Amaral Filho II – JUSTIFICATIVA O conhecimento científico desenvolvido na escola média deve estar voltado para a formação de um cidadão contemporâneo, atuante e solidário, com os instrumentos para compreender a realidade, intervir nela e dela participar. O mundo de hoje, diferente daquele de algumas décadas atrás, e muito diferente daquele do início do século passado, é fruto das mútuas influências entre a ciência, a tecnologia e a sociedade. Neste contexto de mudanças, a Física tem papel destacado ao longo dos quatro séculos da modernidade e, em especial, nas revoluções tecnológicas que mudaram profundamente a História. Neste século mais recente, a quantidade de inovações e mudanças nas formas de produção, de comunicação e de relacionamento entre os indivíduos, tem alcançado um número surpreendente, se comparado ao de outros períodos de nossa História. Tais modificações se manifestam, por exemplo, nas novas tecnologias presentes no cotidiano. Hoje, ouvimos música digitalizada, manuseamos computadores que operam com semicondutores, a iluminação pública e as portas automáticas são acionadas por fotossensores, a medicina dispõe de aparelhos de ressonância magnética, as usinas nucleares são opções importantes na produção de energia em grande escala, fósseis e objetos cerâmicos antigos são datados por meio de contadores radioativos e o laser revolucionou as técnicas médicas. O conhecimento físico, tanto do microcosmo quanto do macrocosmo, vem sendo ampliado em decorrência de rupturas com o conhecimento “senso comum”. Galileu e Newton iniciaram uma caminhada sem volta na representação e na interpretação dos fenômenos naturais. As modernas teorias físicas têm servido de suporte para a produção de conhecimentos em um novo panorama científico e permitem leituras do mundo muito diferentes das explicações espontâneas daquilo que é imediatamente percebido pelos sentidos. É muito mais difícil agir e compreender o cotidiano atual sem conhecimentos especializados, sendo necessária a incorporação de bases científicas para o pleno entendimento do mundo que nos cerca. Os alunos participam desse cotidiano modificado pela ciência e pela tecnologia, usufruindo das comodidades tecnológicas e se deparando com nomes, conceitos e personagens da ciência veiculados pela mídia. A ficção científica estimula a imaginação do adolescente, instigando a busca pelo novo, pelo virtual e pelo extraordinário. Nesse sentido, mesmo os jovens que, após a conclusão do Ensino Médio, não venham a ter qualquer contato com práticas científicas, ainda terão adquirido a formação necessária para compreender o mundo em que vivem e participar dele, enquanto os que se dirigirem para as carreiras científico-tecnológicas terão as bases do pensamento científico para a continuidade de seus estudos e para os afazeres
  • 2. da vida profissional ou universitária. A Física ensinada na escola deve, portanto, ser pensada como um elemento básico para a compreensão e a ação no mundo contemporâneo e para a satisfação cultural do cidadão de hoje. No entanto, a escola média tem tido dificuldade em lidar adequadamente com os conhecimentos físicos na perspectiva de uma formação para a cidadania. Isso fica evidenciado quando se analisam os currículos e programas de Física destinados ao Ensino Médio. Tradicionalmente, a seleção desse conhecimento tem sido feita em termos de conceitos considerados centrais em áreas específicas da Física, delimitando os conteúdos a serem abordados. Neles, os conteúdos escolares se configuram como uma amostragem de temas das principais teorias dos séculos XVII, XVIII e XIX, a saber: Mecânica, Termologia, Óptica e Eletromagnetismo. III – OBJETIVOS Geral  Reconhecer a Física enquanto construção humana, aspectos de sua história e relação com o contexto cultural, social, político e econômico. Compreender a evolução dos meios tecnológicos e sua relação dinâmica com a evolução de conhecimento científico. Ser capaz de emitir juízos de valor em relação à situação sociais que envolvam aspectos físicos ou tecnológicos relevantes. Específicos  Reconhecer e utilizar adequadamente, na forma oral e escrita, símbolos, códigos e nomenclaturas da linguagem científica.  Identificar em dada situação-problema as informações ou variáveis relevantes e possíveis estratégias para resolvê-la.  Ler, articular e interpretar símbolos e códigos em diferentes linguagens e representações: sentenças, equações, esquemas, diagramas, tabelas, gráficos e representações geométricas.  Consultar, analisar e interpretar textos e comunicações de ciência e tecnologia veiculadas por diferentes meios.  Analisar, argumentar e posicionar-se criticamente em relação a temas de ciência e tecnologia.  Identificar em dada situação-problema as informações ou variáveis relevantes e possíveis estratégias para resolvê-la.  Identificar fenômenos naturais ou grandezas em dado domínio do conhecimento científico, estabelecer relações; identificar regularidades, invariantes e transformações.  Selecionar e utilizar instrumentos de medição e de cálculo, representar dados e utilizar escalas, fazer estimativas, elaborar hipóteses e interpretar resultados.  Reconhecer e utilizar adequadamente, na forma oral e escrita, símbolos, códigos e nomenclaturas da linguagem científica. IV – CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1º Bimestre 1 – TERMOLOGIA: 1.2 - Temperatura 1.3 - Introdução, temperatura, equilíbrio térmico, medição de temperatura, termômetros, escalas termométricas, escalas Celsius e Fahrenheit, conversão entres escalas e variação de temperatura. 1.4 - Calor e sua propagação
  • 3. 1.5 - Energia térmica, unidades usuais de calor, processos de propagação de calor, a convecção e a radiação. 2º Bimestre 1.6 - Gases Perfeitos 1.7 - As variáveis de estado de um gás perfeito, Lei geral dos gases, misturam física de gases perfeitos. 1.8 - Dilatação térmica dos sólidos e dos líquidos 1.9 - Dilatação linear, superficial e volumétrica dos sólidos, dilatação térmica dos sólidos. 3º Bimestre 2 – ONDULATÓRIA: 2.1 - Ondas 2.2 - Ondas mecânicas e eletromagnéticas, 2.3 - Ondas longitudinais, 2.4 - Transversais e ondas mistas, 2.5 - Frente de onda e raio de onda; 2.6 - Grandezas físicas associadas as ondas. 2.7 - Acústica 2.8 - Velocidade de propagação de uma onda periódica 2.9 - Altura de um som 2.10 - Intervalo acústico entre dois sons; 2. 11 - Intensidade sonora 4º Bimestre 3 – ÓPTICA GEOMÉTRICA: 3.1 - Fontes de luz Meios transparentes, translúcidos e opacos. 3.2 - Fundamentos da óptica geométrica. 3.3 - Frente de luz – raio de luz. 3.4 - Reflexão da luz 3.5 - Leis da reflexão Imagens múltiplas em dois espelhos planos associados 3.6 - Refração da Luz 3.7 - Índice de refração 3.8 - Leis da refração V – ESTRATÉGIAS METODOLÓGICAS Técnicas  Aulas expositiva e dialogada;  Atendimentos e observações individuais e coletivas;  Discussão de textos/artigos que resgatam a história da física  Utilização de material didático específico para determinadas aulas Recursos  Quadro e giz;  Material impresso/xerocado;  Livro didático. VI – INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Os instrumentos de avaliação serão diversificados:  Observações e registros realizados pelo professor das várias interações com os alunos;  Trabalhos do aluno durante o ano letivo, incluindo suas anotações no caderno;  Trabalhos e atividades individuais;  Avaliação qualitativa e qualitativa individual, trabalho individual com e
  • 4. sem consulta.  Aluno com média Bimestral igual ou superior a 5,5 tem a prova de recuperação bimestral como atividade facultativa.  Aluno com média Bimestral inferior a 5,5 terá a prova de recuperação bimestral como atividade obrigatória. Para estes, a nota da prova de recuperação sendo superior a nota do bimestral será a sua média bimestral, caso a nota da recuperação seja inferior a nota bimestral, a mesma será descartada.  Será aprovado o aluno que somar ao final dos quatros bimestres 20,00 ou mais pontos. VII – BIBLIOGRAFIA