SlideShare uma empresa Scribd logo
PESQUISA: PRINCÍPIO CIENTÍFICO
E EDUCATIVO
DEMO (2006)
GEFOPI
Grupo de Estudos em
Formação de Professores
e Interdisciplinaridade
Slides utilizados para a palestra proferida pela Prof. Andréa Kochhann, no Grupo de
Estudos do GEFOPI, em abril de 2017, a qual foi realizada presencialmente na UEG
Câmpus Luziânia e transmitida via Skype para vários pontos do Estado de Goiás.
CONTEÚDOS
Introdução
I – Pesquisar – o que é?
II – A pesquisa como princípio científico
III – A pesquisa como princípio educativo
IV – Prática de pesquisa e educação
Para introduzir a discussão..........
* O que é pesquisa científica?
* Qual a relação entre o ensino e a pesquisa?
* O que é ser um professor pesquisador?
* O que é elaborar com as próprias mãos?
* O que é ser elaborador científico?
* O que é ingestão teórica?
* A prática da pesquisa na educação pode se efetivar na
extensão?
INICIANDO A REFLEXÃO TEÓRICA...
* A desmistificação crucial é sobre a separação entre
pesquisa e ensino. Eles são indissociáveis. Mas, como
diz Demo (2006, p. 12) “Muitos estão dispostos a
aceitar universidades que apenas ensinam, como é o
caso típico de instituições noturnas, nas quais os alunos
comparecem somente para aprender e passar, e os
professores, quase todos biscateiros de tempo parcial
somente dão aula.”.
* “Quem ensina carece pesquisar, quem pesquisa
carece ensinar. Professor que apenas ensina jamais o
foi. Pesquisador que só pesquisa é elitista explorador,
privilegiado e acomodado.” (p.14)
* “Não se atribui a função de professor a alguém que
não é basicamente pesquisador.” (p. 15)
* “Pesquisa é processo que deve aparecer em todo
trajeto educativo, como princípio educativo que é, na
base de qualquer proposta emancipatória. Se educar é
sobretudo motivar a criatividade do próprio educando,
para que surja o novo mestre, jamais o discípulo, a
atitude de pesquisa é parte intrínseca.” (p. 17)
* “Desmistificar a pesquisa há de significar, então, a
superação de condições atuais da reprodução do
discípulo, comandadas por um professor que nunca
ultrapassou a condição de aluno. [...]. Mais degradante
ainda é o professor que nunca foi além da posição de
discípulo, porque não sabe elaborar ciência com as
próprias mãos. Como caricatura parasitária que é,
reproduz isso no aluno.” (p. 17)
* É preciso que o professor faça digestão teórica.
* “Compreendida como capacidade de elaboração
própria, a pesquisa condensa-se numa
multiplicidade de horizontes no contexto
científico.” (p. 18)
* Quem pesquisa precisa se preocupar com a
questão teórica e metodológica e pode seguir a linha
da hermenêutica, que tem por princípio ler
entrelinha, ver o contexto para muito além do
texto...
* As ciências sociais e humanas não conseguem
neutralidade científica. Pois, “O cientista não é ente
desencarnado, mesmo quando se traveste de neutro,
mas animal político sempre. A ciência tem sempre a
marca do seu construtor, que nela não só retrata a
realidade, mas igualmente a molda do seu ponto de
vista” (p. 33).
* “Pesquisa se define aqui sobretudo pela capacidade
de questionamento [...].”(p. 34).
* “Para descobrir e criar é preciso primeiro
questionar.”. (p. 35)
* “Uma definição pertinente de pesquisa poderia ser:
diálogo inteligente com a realidade.” (p. 36).
* “Diálogo é fala contrária, entre atores que se encontram
e se defrontam.” (p. 37).
* “Pesquisar, assim, é sempre também dialogar, no
sentido específico de produzir conhecimento do outro
para si, e de si para o outro, dentro de contexto
comunicativo nunca de todo devassável.”(p. 39)
* “Quem pesquisa tem o que comunicar. Quem não
pesquisa apenas reproduz ou apenas escuta. Quem
pesquisa é capaz de produzir instrumentos e
procedimentos de comunicação. Quem não pesquisa
assiste à comunicação dos outros.” (p. 39)
* “Dialogar com a realidade talvez seja a definição
mais apropriada de pesquisa, porque a apanha como
princípio científico e educativo.”(p. 44).
* A discussão deve ser quanto a quem é o professor. Os
conceitos precisam ser revistos. Professor para Demo
(2006) é pesquisador, socializador, motivador de novos
pesquisadores.
* “Esta postura permite afirmar que somente tem algo a
ensinar quem pesquisa.”(p. 49).
* Mas, nas universidades encontra-se muito o
“professor-papagaio, que sempre diz a mesma coisa e
já sequer sabe o que diz” (p. 51)
* “O importante é compreender que sem pesquisa não há
ensino. A ausência de pesquisa degrada o ensino a
patamares típicos da reprodução imitativa.” (p. 51)
* “Se a pesquisa é a razão do ensino, vale o reverso: o
ensino é a razão da pesquisa.” (p. 52)
* “Podemos colocar para o professor, exigências tais
como: […] exigência de pesquisa, […] domínio teórico e
elaboração própria, […] versatilidade metodológica, […]
experiência prática, […] descobrir relações dadas na
realidade, […] atitude de diálogo com a realidade, […]
construtor de conhecimento novo e ageste de mudança na
sociedade.” (p. 53)
* Condições necessárias para o elaborador
científico: “indução do contato pessoal do aluno com
teorias […] manuseio de produtos científicos e teorias,
[…] transmissão de alguns ritos formais do trabalho
científico, […] preocupação metodológica, […]
cobrança de elaboração própria[...]” (p.55).
* É preciso tomar cuidado com indigestão teórica.(p.
57).
* “Parece claro que a 'aula' vai perdendo importância,
à medida que surge o cientista autônomo, o novo
mestre, que aprende por elaboração própria, não por
imitação.” (p.62)
* “O professor tem seu lugar, como pesquisador e
orientador, para motivar no aluno o surgimento do novo
mestre.” (p. 64)
* Mas, muitas vezes “O estudante conclui o curso sem
saber dar conta de um tema, não consegue escrever
com clareza e sistematização, não ordena, manuseia,
constrói e interpreta dados, o que revela continuar ainda
apenas 'aluno', até porque aprendeu com um 'professor'
que nunca saiu da condição de 'aluno'.” (p. 67).
* “O medíocre foge da avaliação como o diabo da
cruz, por razões óbvias.” (p. 69)
* “Se desfazer polêmicas pertinentes, é possível
discutir alternativas de avaliação à luz do conceito
de pesquisa. De partida, coloca-se a relevância
positiva da avaliação, se não se restringir à sanção e
ao castigo, mas transbordar para o incentivo
produtivo. A avaliação pode conter o desafio da
própria pesquisa, como realimentação do processo
de produção científica […]” (p. 70)
* “Com isso o professor enfrenta outros riscos e
desafios. Terá que ler mais material produzindo pelos
alunos, estar disponível para consulta e discussão,
facilitar retroalimentações constantes e recorrentes.
Pode ser ludibriado por outras maneiras, via trabalho
de grupo onde somente u m trabalha, via cópia e
plágio, via compra de trabalhos.” (p. 73-74).
* A pesquisa gera emancipação. “Emancipação é o
processo histórico de conquista e exercício da
qualidade de ator consciente e produtivo.” (p. 78)
* “Emancipação não é atitude isolada, porque nada em
sociedade é espontâneo estritamente. Precisa ser
motivada, mas não pode ser conduzida. O filho não se
emancipa sem os pais, mas estes precisam assumir
uma postura instrumental de motivação.” (p. 80).
* “É patente a relevância da educação e da pesquisa
para o processo emancipatório.” (p.81).
* “A sala de aulas, lugar em si privilegiado para
processos emancipatórios através da formação
educativa, torna-se prisão da criatividade […] “ (p. 83)
* “A escola continua curral formal, onde o gado é
tratado. Aluno, como discípulo, é gado. Numa analogia
forte, é como penico, que tudo aceita sem reclamar, e
acha que não passa disso. O conluio perfeita dessa
imbecilização está na coincidência entre aula, prova e
cola.” (p. 89).
* Para a elaboração própria é preciso condições como um
currículo que possibilite e fundamente, atividades no
espaço escolar, espaço para complementações
necessárias e recomendáveis e programações culturais.
“É difícil embutir no currículo a prática, a começar pelos
vícios históricos dos 'estágios' e da 'extensão'. (p. 99)
* Ao longo da formação é importante a prática inicial,
intermediária e profissional.
* “Os estágios são concessões à prática, com presença
curricular residual, mal organizados, sem
acompanhamento de qualidade por parte do curso e por
parte dos responsáveis no local do estágio. […]” (p. 99).
* “A extensão – pertinente quando intrínseca – arrasta-
se no voluntariado e na ilusão de evitar o afastamento
da universidade de seus compromissos sociais. Há
exemplos de atividade extensionista, que, além do
impacto na comunidade, motivou a formação política
dos aluno. ” (p.99)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Pedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Pedagogia da Autonomia - Paulo FreirePedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Pedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Bruno Carrasco
 
Métodos e tipos de pesquisa
Métodos e tipos de pesquisaMétodos e tipos de pesquisa
Métodos e tipos de pesquisa
Isabella Marra
 
Hip gadotti-110922094326-phpapp02 (1)
Hip gadotti-110922094326-phpapp02 (1)Hip gadotti-110922094326-phpapp02 (1)
Hip gadotti-110922094326-phpapp02 (1)
ERILENE OLIVEIRA
 
Elaboração do projeto de pesquisa
Elaboração do projeto de pesquisaElaboração do projeto de pesquisa
Elaboração do projeto de pesquisa
Sandra Pereira
 
Metodologia cientifica
Metodologia cientificaMetodologia cientifica
Metodologia cientifica
jaddy xavier
 
Etapas de um projeto de pesquisa
Etapas de um projeto de pesquisaEtapas de um projeto de pesquisa
Etapas de um projeto de pesquisa
José Antonio Ferreira da Silva
 
Ciência - conceitos iniciais
Ciência - conceitos iniciaisCiência - conceitos iniciais
Ciência - conceitos iniciais
Simão Pedro Marinho
 
Pesquisas educacionais
Pesquisas educacionaisPesquisas educacionais
Pesquisas educacionais
Ana Rodrigues
 
Metodologia científica
Metodologia científicaMetodologia científica
Pesquisa De Campo
Pesquisa De CampoPesquisa De Campo
Pesquisa De Campo
Prof. Francesco Torres
 
Pedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomiaPedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomia
Soares Junior
 
Modelo de pre projeto tcc
Modelo de pre projeto tccModelo de pre projeto tcc
Modelo de pre projeto tcc
Rosane Domingues
 
Teoria de David Ausubel
Teoria de David AusubelTeoria de David Ausubel
Teoria de David Ausubel
Fernando Augusto
 
Aula - Guia de Citações (ABNT-UFC)
Aula - Guia de Citações (ABNT-UFC)Aula - Guia de Citações (ABNT-UFC)
Aula - Guia de Citações (ABNT-UFC)
Fábio de Oliveira Matos
 
Metodologia cientifica
Metodologia cientificaMetodologia cientifica
Metodologia cientifica
Felipe Mago
 
Resenha de artigo científico
Resenha de artigo científicoResenha de artigo científico
Resenha de artigo científico
Marcelo Souza
 
Estudo de caso
Estudo de casoEstudo de caso
Estudo de caso
Lucila Pesce
 
Tipos de-pesquisa
Tipos de-pesquisaTipos de-pesquisa
Tipos de-pesquisa
David Daniel Abacar
 
A avaliação da aprendizagem como processo
A avaliação da aprendizagem como processoA avaliação da aprendizagem como processo
A avaliação da aprendizagem como processo
UESPI - PI
 
Slide projeto de pesquisa
Slide projeto de pesquisaSlide projeto de pesquisa
Slide projeto de pesquisa
rivanialeao
 

Mais procurados (20)

Pedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Pedagogia da Autonomia - Paulo FreirePedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Pedagogia da Autonomia - Paulo Freire
 
Métodos e tipos de pesquisa
Métodos e tipos de pesquisaMétodos e tipos de pesquisa
Métodos e tipos de pesquisa
 
Hip gadotti-110922094326-phpapp02 (1)
Hip gadotti-110922094326-phpapp02 (1)Hip gadotti-110922094326-phpapp02 (1)
Hip gadotti-110922094326-phpapp02 (1)
 
Elaboração do projeto de pesquisa
Elaboração do projeto de pesquisaElaboração do projeto de pesquisa
Elaboração do projeto de pesquisa
 
Metodologia cientifica
Metodologia cientificaMetodologia cientifica
Metodologia cientifica
 
Etapas de um projeto de pesquisa
Etapas de um projeto de pesquisaEtapas de um projeto de pesquisa
Etapas de um projeto de pesquisa
 
Ciência - conceitos iniciais
Ciência - conceitos iniciaisCiência - conceitos iniciais
Ciência - conceitos iniciais
 
Pesquisas educacionais
Pesquisas educacionaisPesquisas educacionais
Pesquisas educacionais
 
Metodologia científica
Metodologia científicaMetodologia científica
Metodologia científica
 
Pesquisa De Campo
Pesquisa De CampoPesquisa De Campo
Pesquisa De Campo
 
Pedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomiaPedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomia
 
Modelo de pre projeto tcc
Modelo de pre projeto tccModelo de pre projeto tcc
Modelo de pre projeto tcc
 
Teoria de David Ausubel
Teoria de David AusubelTeoria de David Ausubel
Teoria de David Ausubel
 
Aula - Guia de Citações (ABNT-UFC)
Aula - Guia de Citações (ABNT-UFC)Aula - Guia de Citações (ABNT-UFC)
Aula - Guia de Citações (ABNT-UFC)
 
Metodologia cientifica
Metodologia cientificaMetodologia cientifica
Metodologia cientifica
 
Resenha de artigo científico
Resenha de artigo científicoResenha de artigo científico
Resenha de artigo científico
 
Estudo de caso
Estudo de casoEstudo de caso
Estudo de caso
 
Tipos de-pesquisa
Tipos de-pesquisaTipos de-pesquisa
Tipos de-pesquisa
 
A avaliação da aprendizagem como processo
A avaliação da aprendizagem como processoA avaliação da aprendizagem como processo
A avaliação da aprendizagem como processo
 
Slide projeto de pesquisa
Slide projeto de pesquisaSlide projeto de pesquisa
Slide projeto de pesquisa
 

Semelhante a Pesquisa princípio científico e educativo

A pesquisa na formação acadêmica
A pesquisa na formação acadêmicaA pesquisa na formação acadêmica
A pesquisa na formação acadêmica
Andréa Kochhann
 
A formação do professor do futuro
A formação do professor do futuroA formação do professor do futuro
A formação do professor do futuro
Andréa Kochhann
 
Pesquisa
PesquisaPesquisa
Pesquisa
Vanessajvo
 
A pesquisa como princípio científico e educativo
A pesquisa como princípio científico e educativoA pesquisa como princípio científico e educativo
A pesquisa como princípio científico e educativo
rcayres
 
Pesquisa princípio científico ou educativo
Pesquisa princípio científico ou educativoPesquisa princípio científico ou educativo
Pesquisa princípio científico ou educativo
miroquevedo
 
Ativ ii tópicos frasais
Ativ ii   tópicos frasaisAtiv ii   tópicos frasais
Ativ ii tópicos frasais
Angela Spalanzani
 
Apresentação slidshare
Apresentação slidshareApresentação slidshare
Apresentação slidshare
Maraci Fontana
 
Analu_ava_principioeducativoecientifico
Analu_ava_principioeducativoecientificoAnalu_ava_principioeducativoecientifico
Analu_ava_principioeducativoecientifico
Analu Santo
 
Modulo4 phaollatorres
Modulo4 phaollatorresModulo4 phaollatorres
Modulo4 phaollatorres
phaolla
 
A pesquisa como princípio científico e educativo.
A pesquisa como princípio científico e educativo.A pesquisa como princípio científico e educativo.
A pesquisa como princípio científico e educativo.
Ailton Balioni
 
Atividade franklin
Atividade franklinAtividade franklin
Atividade franklin
Franklin Pereira
 
12308 texto do artigo-41406-1-10-20180209
12308 texto do artigo-41406-1-10-2018020912308 texto do artigo-41406-1-10-20180209
12308 texto do artigo-41406-1-10-20180209
VICTORMOREIRA79
 
12308 texto do artigo-41406-1-10-20180209
12308 texto do artigo-41406-1-10-2018020912308 texto do artigo-41406-1-10-20180209
12308 texto do artigo-41406-1-10-20180209
Nelson Kratsch
 
Pesquisa: Princípio Científico e Educativo
Pesquisa: Princípio Científico e EducativoPesquisa: Princípio Científico e Educativo
Pesquisa: Princípio Científico e Educativo
Cristiane Gregório
 
Pesquisa cientifica e educacional
Pesquisa cientifica e educacional Pesquisa cientifica e educacional
Pesquisa cientifica e educacional
Vi Paiva
 
Pesquisa, princípio científco e educativo
Pesquisa, princípio científco e educativoPesquisa, princípio científco e educativo
Pesquisa, princípio científco e educativo
Katiucef
 
Módulo 4 ava tópicos frasais
Módulo 4 ava  tópicos frasaisMódulo 4 ava  tópicos frasais
Módulo 4 ava tópicos frasais
Paulagraciele
 
Slide share pesquisa, princípio científco e educativo
Slide share pesquisa, princípio científco e educativoSlide share pesquisa, princípio científco e educativo
Slide share pesquisa, princípio científco e educativo
Katiucef
 
O ;Metodo Ensino por Investigação aplicado a várias Modalidades Didáticas
O ;Metodo Ensino por Investigação aplicado a várias Modalidades DidáticasO ;Metodo Ensino por Investigação aplicado a várias Modalidades Didáticas
O ;Metodo Ensino por Investigação aplicado a várias Modalidades Didáticas
Ronaldo Santana
 
A importância da pesquisa científica e educativa na prática pedagógica
A importância da pesquisa científica e educativa na prática pedagógicaA importância da pesquisa científica e educativa na prática pedagógica
A importância da pesquisa científica e educativa na prática pedagógica
RoseAlencar
 

Semelhante a Pesquisa princípio científico e educativo (20)

A pesquisa na formação acadêmica
A pesquisa na formação acadêmicaA pesquisa na formação acadêmica
A pesquisa na formação acadêmica
 
A formação do professor do futuro
A formação do professor do futuroA formação do professor do futuro
A formação do professor do futuro
 
Pesquisa
PesquisaPesquisa
Pesquisa
 
A pesquisa como princípio científico e educativo
A pesquisa como princípio científico e educativoA pesquisa como princípio científico e educativo
A pesquisa como princípio científico e educativo
 
Pesquisa princípio científico ou educativo
Pesquisa princípio científico ou educativoPesquisa princípio científico ou educativo
Pesquisa princípio científico ou educativo
 
Ativ ii tópicos frasais
Ativ ii   tópicos frasaisAtiv ii   tópicos frasais
Ativ ii tópicos frasais
 
Apresentação slidshare
Apresentação slidshareApresentação slidshare
Apresentação slidshare
 
Analu_ava_principioeducativoecientifico
Analu_ava_principioeducativoecientificoAnalu_ava_principioeducativoecientifico
Analu_ava_principioeducativoecientifico
 
Modulo4 phaollatorres
Modulo4 phaollatorresModulo4 phaollatorres
Modulo4 phaollatorres
 
A pesquisa como princípio científico e educativo.
A pesquisa como princípio científico e educativo.A pesquisa como princípio científico e educativo.
A pesquisa como princípio científico e educativo.
 
Atividade franklin
Atividade franklinAtividade franklin
Atividade franklin
 
12308 texto do artigo-41406-1-10-20180209
12308 texto do artigo-41406-1-10-2018020912308 texto do artigo-41406-1-10-20180209
12308 texto do artigo-41406-1-10-20180209
 
12308 texto do artigo-41406-1-10-20180209
12308 texto do artigo-41406-1-10-2018020912308 texto do artigo-41406-1-10-20180209
12308 texto do artigo-41406-1-10-20180209
 
Pesquisa: Princípio Científico e Educativo
Pesquisa: Princípio Científico e EducativoPesquisa: Princípio Científico e Educativo
Pesquisa: Princípio Científico e Educativo
 
Pesquisa cientifica e educacional
Pesquisa cientifica e educacional Pesquisa cientifica e educacional
Pesquisa cientifica e educacional
 
Pesquisa, princípio científco e educativo
Pesquisa, princípio científco e educativoPesquisa, princípio científco e educativo
Pesquisa, princípio científco e educativo
 
Módulo 4 ava tópicos frasais
Módulo 4 ava  tópicos frasaisMódulo 4 ava  tópicos frasais
Módulo 4 ava tópicos frasais
 
Slide share pesquisa, princípio científco e educativo
Slide share pesquisa, princípio científco e educativoSlide share pesquisa, princípio científco e educativo
Slide share pesquisa, princípio científco e educativo
 
O ;Metodo Ensino por Investigação aplicado a várias Modalidades Didáticas
O ;Metodo Ensino por Investigação aplicado a várias Modalidades DidáticasO ;Metodo Ensino por Investigação aplicado a várias Modalidades Didáticas
O ;Metodo Ensino por Investigação aplicado a várias Modalidades Didáticas
 
A importância da pesquisa científica e educativa na prática pedagógica
A importância da pesquisa científica e educativa na prática pedagógicaA importância da pesquisa científica e educativa na prática pedagógica
A importância da pesquisa científica e educativa na prática pedagógica
 

Mais de Andréa Kochhann

Coaching educacional reflexões iniciais
Coaching educacional   reflexões iniciaisCoaching educacional   reflexões iniciais
Coaching educacional reflexões iniciais
Andréa Kochhann
 
A prática social como alicerce da aprendizagem modalidades e metodologias
A prática social como alicerce da aprendizagem modalidades e metodologiasA prática social como alicerce da aprendizagem modalidades e metodologias
A prática social como alicerce da aprendizagem modalidades e metodologias
Andréa Kochhann
 
A pesquisa educacional necessidade emergente em cursos de formação de profe...
A pesquisa educacional   necessidade emergente em cursos de formação de profe...A pesquisa educacional   necessidade emergente em cursos de formação de profe...
A pesquisa educacional necessidade emergente em cursos de formação de profe...
Andréa Kochhann
 
A identidade docente no projeto pedagógico do curso de pedagogia da universid...
A identidade docente no projeto pedagógico do curso de pedagogia da universid...A identidade docente no projeto pedagógico do curso de pedagogia da universid...
A identidade docente no projeto pedagógico do curso de pedagogia da universid...
Andréa Kochhann
 
A construção do conhecimento pela pesquisa científica uma discussão à luz d...
A construção do conhecimento pela pesquisa científica   uma discussão à luz d...A construção do conhecimento pela pesquisa científica   uma discussão à luz d...
A construção do conhecimento pela pesquisa científica uma discussão à luz d...
Andréa Kochhann
 
Aula magna na pós graduação em docência universitária
Aula magna na pós graduação em docência universitáriaAula magna na pós graduação em docência universitária
Aula magna na pós graduação em docência universitária
Andréa Kochhann
 
A prática social como alicerce da aprendizagem modalidades e metodologias
A prática social como alicerce da aprendizagem modalidades e metodologiasA prática social como alicerce da aprendizagem modalidades e metodologias
A prática social como alicerce da aprendizagem modalidades e metodologias
Andréa Kochhann
 
A pesquisa educacional necessidade emergente em cursos de formação de profe...
A pesquisa educacional   necessidade emergente em cursos de formação de profe...A pesquisa educacional   necessidade emergente em cursos de formação de profe...
A pesquisa educacional necessidade emergente em cursos de formação de profe...
Andréa Kochhann
 
A importância de filmes em sala de aula e o guia do gefopi
A importância de filmes em sala de aula e o guia do gefopi  A importância de filmes em sala de aula e o guia do gefopi
A importância de filmes em sala de aula e o guia do gefopi
Andréa Kochhann
 
A identidade docente no projeto pedagógico do curso de pedagogia da universid...
A identidade docente no projeto pedagógico do curso de pedagogia da universid...A identidade docente no projeto pedagógico do curso de pedagogia da universid...
A identidade docente no projeto pedagógico do curso de pedagogia da universid...
Andréa Kochhann
 
A construção do conhecimento pela pesquisa científica uma discussão à luz d...
A construção do conhecimento pela pesquisa científica   uma discussão à luz d...A construção do conhecimento pela pesquisa científica   uma discussão à luz d...
A construção do conhecimento pela pesquisa científica uma discussão à luz d...
Andréa Kochhann
 
Uma discussão sobre cotas raciais
Uma discussão sobre cotas raciaisUma discussão sobre cotas raciais
Uma discussão sobre cotas raciais
Andréa Kochhann
 
Uma análise do currículo
Uma análise do currículoUma análise do currículo
Uma análise do currículo
Andréa Kochhann
 
Um natal mais solidário
Um natal mais solidárioUm natal mais solidário
Um natal mais solidário
Andréa Kochhann
 
Relato de experiência de cidadania e cultura
Relato de experiência de cidadania e culturaRelato de experiência de cidadania e cultura
Relato de experiência de cidadania e cultura
Andréa Kochhann
 
Pesquisa acadêmica e a autonomia do pensamento
Pesquisa acadêmica e a autonomia do pensamentoPesquisa acadêmica e a autonomia do pensamento
Pesquisa acadêmica e a autonomia do pensamento
Andréa Kochhann
 
Paulo Freire para além do ensino
Paulo Freire para além do ensinoPaulo Freire para além do ensino
Paulo Freire para além do ensino
Andréa Kochhann
 
Paradigmas, práticas educativas e perfil do professor
Paradigmas, práticas educativas e perfil do professorParadigmas, práticas educativas e perfil do professor
Paradigmas, práticas educativas e perfil do professor
Andréa Kochhann
 
O uso de filmes no ensino suiperior
O uso de filmes no ensino suiperiorO uso de filmes no ensino suiperior
O uso de filmes no ensino suiperior
Andréa Kochhann
 
O uso de filmes em sala de aula por meio da extensão
O uso de filmes em sala de aula por meio da extensãoO uso de filmes em sala de aula por meio da extensão
O uso de filmes em sala de aula por meio da extensão
Andréa Kochhann
 

Mais de Andréa Kochhann (20)

Coaching educacional reflexões iniciais
Coaching educacional   reflexões iniciaisCoaching educacional   reflexões iniciais
Coaching educacional reflexões iniciais
 
A prática social como alicerce da aprendizagem modalidades e metodologias
A prática social como alicerce da aprendizagem modalidades e metodologiasA prática social como alicerce da aprendizagem modalidades e metodologias
A prática social como alicerce da aprendizagem modalidades e metodologias
 
A pesquisa educacional necessidade emergente em cursos de formação de profe...
A pesquisa educacional   necessidade emergente em cursos de formação de profe...A pesquisa educacional   necessidade emergente em cursos de formação de profe...
A pesquisa educacional necessidade emergente em cursos de formação de profe...
 
A identidade docente no projeto pedagógico do curso de pedagogia da universid...
A identidade docente no projeto pedagógico do curso de pedagogia da universid...A identidade docente no projeto pedagógico do curso de pedagogia da universid...
A identidade docente no projeto pedagógico do curso de pedagogia da universid...
 
A construção do conhecimento pela pesquisa científica uma discussão à luz d...
A construção do conhecimento pela pesquisa científica   uma discussão à luz d...A construção do conhecimento pela pesquisa científica   uma discussão à luz d...
A construção do conhecimento pela pesquisa científica uma discussão à luz d...
 
Aula magna na pós graduação em docência universitária
Aula magna na pós graduação em docência universitáriaAula magna na pós graduação em docência universitária
Aula magna na pós graduação em docência universitária
 
A prática social como alicerce da aprendizagem modalidades e metodologias
A prática social como alicerce da aprendizagem modalidades e metodologiasA prática social como alicerce da aprendizagem modalidades e metodologias
A prática social como alicerce da aprendizagem modalidades e metodologias
 
A pesquisa educacional necessidade emergente em cursos de formação de profe...
A pesquisa educacional   necessidade emergente em cursos de formação de profe...A pesquisa educacional   necessidade emergente em cursos de formação de profe...
A pesquisa educacional necessidade emergente em cursos de formação de profe...
 
A importância de filmes em sala de aula e o guia do gefopi
A importância de filmes em sala de aula e o guia do gefopi  A importância de filmes em sala de aula e o guia do gefopi
A importância de filmes em sala de aula e o guia do gefopi
 
A identidade docente no projeto pedagógico do curso de pedagogia da universid...
A identidade docente no projeto pedagógico do curso de pedagogia da universid...A identidade docente no projeto pedagógico do curso de pedagogia da universid...
A identidade docente no projeto pedagógico do curso de pedagogia da universid...
 
A construção do conhecimento pela pesquisa científica uma discussão à luz d...
A construção do conhecimento pela pesquisa científica   uma discussão à luz d...A construção do conhecimento pela pesquisa científica   uma discussão à luz d...
A construção do conhecimento pela pesquisa científica uma discussão à luz d...
 
Uma discussão sobre cotas raciais
Uma discussão sobre cotas raciaisUma discussão sobre cotas raciais
Uma discussão sobre cotas raciais
 
Uma análise do currículo
Uma análise do currículoUma análise do currículo
Uma análise do currículo
 
Um natal mais solidário
Um natal mais solidárioUm natal mais solidário
Um natal mais solidário
 
Relato de experiência de cidadania e cultura
Relato de experiência de cidadania e culturaRelato de experiência de cidadania e cultura
Relato de experiência de cidadania e cultura
 
Pesquisa acadêmica e a autonomia do pensamento
Pesquisa acadêmica e a autonomia do pensamentoPesquisa acadêmica e a autonomia do pensamento
Pesquisa acadêmica e a autonomia do pensamento
 
Paulo Freire para além do ensino
Paulo Freire para além do ensinoPaulo Freire para além do ensino
Paulo Freire para além do ensino
 
Paradigmas, práticas educativas e perfil do professor
Paradigmas, práticas educativas e perfil do professorParadigmas, práticas educativas e perfil do professor
Paradigmas, práticas educativas e perfil do professor
 
O uso de filmes no ensino suiperior
O uso de filmes no ensino suiperiorO uso de filmes no ensino suiperior
O uso de filmes no ensino suiperior
 
O uso de filmes em sala de aula por meio da extensão
O uso de filmes em sala de aula por meio da extensãoO uso de filmes em sala de aula por meio da extensão
O uso de filmes em sala de aula por meio da extensão
 

Último

TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
nunesly
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
samucajaime015
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 

Último (20)

TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 

Pesquisa princípio científico e educativo

  • 1. PESQUISA: PRINCÍPIO CIENTÍFICO E EDUCATIVO DEMO (2006) GEFOPI Grupo de Estudos em Formação de Professores e Interdisciplinaridade Slides utilizados para a palestra proferida pela Prof. Andréa Kochhann, no Grupo de Estudos do GEFOPI, em abril de 2017, a qual foi realizada presencialmente na UEG Câmpus Luziânia e transmitida via Skype para vários pontos do Estado de Goiás.
  • 2. CONTEÚDOS Introdução I – Pesquisar – o que é? II – A pesquisa como princípio científico III – A pesquisa como princípio educativo IV – Prática de pesquisa e educação
  • 3. Para introduzir a discussão.......... * O que é pesquisa científica? * Qual a relação entre o ensino e a pesquisa? * O que é ser um professor pesquisador? * O que é elaborar com as próprias mãos? * O que é ser elaborador científico? * O que é ingestão teórica? * A prática da pesquisa na educação pode se efetivar na extensão?
  • 4. INICIANDO A REFLEXÃO TEÓRICA... * A desmistificação crucial é sobre a separação entre pesquisa e ensino. Eles são indissociáveis. Mas, como diz Demo (2006, p. 12) “Muitos estão dispostos a aceitar universidades que apenas ensinam, como é o caso típico de instituições noturnas, nas quais os alunos comparecem somente para aprender e passar, e os professores, quase todos biscateiros de tempo parcial somente dão aula.”.
  • 5. * “Quem ensina carece pesquisar, quem pesquisa carece ensinar. Professor que apenas ensina jamais o foi. Pesquisador que só pesquisa é elitista explorador, privilegiado e acomodado.” (p.14) * “Não se atribui a função de professor a alguém que não é basicamente pesquisador.” (p. 15) * “Pesquisa é processo que deve aparecer em todo trajeto educativo, como princípio educativo que é, na base de qualquer proposta emancipatória. Se educar é sobretudo motivar a criatividade do próprio educando, para que surja o novo mestre, jamais o discípulo, a atitude de pesquisa é parte intrínseca.” (p. 17)
  • 6. * “Desmistificar a pesquisa há de significar, então, a superação de condições atuais da reprodução do discípulo, comandadas por um professor que nunca ultrapassou a condição de aluno. [...]. Mais degradante ainda é o professor que nunca foi além da posição de discípulo, porque não sabe elaborar ciência com as próprias mãos. Como caricatura parasitária que é, reproduz isso no aluno.” (p. 17) * É preciso que o professor faça digestão teórica.
  • 7. * “Compreendida como capacidade de elaboração própria, a pesquisa condensa-se numa multiplicidade de horizontes no contexto científico.” (p. 18) * Quem pesquisa precisa se preocupar com a questão teórica e metodológica e pode seguir a linha da hermenêutica, que tem por princípio ler entrelinha, ver o contexto para muito além do texto...
  • 8. * As ciências sociais e humanas não conseguem neutralidade científica. Pois, “O cientista não é ente desencarnado, mesmo quando se traveste de neutro, mas animal político sempre. A ciência tem sempre a marca do seu construtor, que nela não só retrata a realidade, mas igualmente a molda do seu ponto de vista” (p. 33). * “Pesquisa se define aqui sobretudo pela capacidade de questionamento [...].”(p. 34). * “Para descobrir e criar é preciso primeiro questionar.”. (p. 35)
  • 9. * “Uma definição pertinente de pesquisa poderia ser: diálogo inteligente com a realidade.” (p. 36). * “Diálogo é fala contrária, entre atores que se encontram e se defrontam.” (p. 37). * “Pesquisar, assim, é sempre também dialogar, no sentido específico de produzir conhecimento do outro para si, e de si para o outro, dentro de contexto comunicativo nunca de todo devassável.”(p. 39)
  • 10. * “Quem pesquisa tem o que comunicar. Quem não pesquisa apenas reproduz ou apenas escuta. Quem pesquisa é capaz de produzir instrumentos e procedimentos de comunicação. Quem não pesquisa assiste à comunicação dos outros.” (p. 39) * “Dialogar com a realidade talvez seja a definição mais apropriada de pesquisa, porque a apanha como princípio científico e educativo.”(p. 44).
  • 11. * A discussão deve ser quanto a quem é o professor. Os conceitos precisam ser revistos. Professor para Demo (2006) é pesquisador, socializador, motivador de novos pesquisadores. * “Esta postura permite afirmar que somente tem algo a ensinar quem pesquisa.”(p. 49). * Mas, nas universidades encontra-se muito o “professor-papagaio, que sempre diz a mesma coisa e já sequer sabe o que diz” (p. 51)
  • 12. * “O importante é compreender que sem pesquisa não há ensino. A ausência de pesquisa degrada o ensino a patamares típicos da reprodução imitativa.” (p. 51) * “Se a pesquisa é a razão do ensino, vale o reverso: o ensino é a razão da pesquisa.” (p. 52) * “Podemos colocar para o professor, exigências tais como: […] exigência de pesquisa, […] domínio teórico e elaboração própria, […] versatilidade metodológica, […] experiência prática, […] descobrir relações dadas na realidade, […] atitude de diálogo com a realidade, […] construtor de conhecimento novo e ageste de mudança na sociedade.” (p. 53)
  • 13. * Condições necessárias para o elaborador científico: “indução do contato pessoal do aluno com teorias […] manuseio de produtos científicos e teorias, […] transmissão de alguns ritos formais do trabalho científico, […] preocupação metodológica, […] cobrança de elaboração própria[...]” (p.55). * É preciso tomar cuidado com indigestão teórica.(p. 57). * “Parece claro que a 'aula' vai perdendo importância, à medida que surge o cientista autônomo, o novo mestre, que aprende por elaboração própria, não por imitação.” (p.62)
  • 14. * “O professor tem seu lugar, como pesquisador e orientador, para motivar no aluno o surgimento do novo mestre.” (p. 64) * Mas, muitas vezes “O estudante conclui o curso sem saber dar conta de um tema, não consegue escrever com clareza e sistematização, não ordena, manuseia, constrói e interpreta dados, o que revela continuar ainda apenas 'aluno', até porque aprendeu com um 'professor' que nunca saiu da condição de 'aluno'.” (p. 67).
  • 15. * “O medíocre foge da avaliação como o diabo da cruz, por razões óbvias.” (p. 69) * “Se desfazer polêmicas pertinentes, é possível discutir alternativas de avaliação à luz do conceito de pesquisa. De partida, coloca-se a relevância positiva da avaliação, se não se restringir à sanção e ao castigo, mas transbordar para o incentivo produtivo. A avaliação pode conter o desafio da própria pesquisa, como realimentação do processo de produção científica […]” (p. 70)
  • 16. * “Com isso o professor enfrenta outros riscos e desafios. Terá que ler mais material produzindo pelos alunos, estar disponível para consulta e discussão, facilitar retroalimentações constantes e recorrentes. Pode ser ludibriado por outras maneiras, via trabalho de grupo onde somente u m trabalha, via cópia e plágio, via compra de trabalhos.” (p. 73-74). * A pesquisa gera emancipação. “Emancipação é o processo histórico de conquista e exercício da qualidade de ator consciente e produtivo.” (p. 78)
  • 17. * “Emancipação não é atitude isolada, porque nada em sociedade é espontâneo estritamente. Precisa ser motivada, mas não pode ser conduzida. O filho não se emancipa sem os pais, mas estes precisam assumir uma postura instrumental de motivação.” (p. 80). * “É patente a relevância da educação e da pesquisa para o processo emancipatório.” (p.81). * “A sala de aulas, lugar em si privilegiado para processos emancipatórios através da formação educativa, torna-se prisão da criatividade […] “ (p. 83)
  • 18. * “A escola continua curral formal, onde o gado é tratado. Aluno, como discípulo, é gado. Numa analogia forte, é como penico, que tudo aceita sem reclamar, e acha que não passa disso. O conluio perfeita dessa imbecilização está na coincidência entre aula, prova e cola.” (p. 89). * Para a elaboração própria é preciso condições como um currículo que possibilite e fundamente, atividades no espaço escolar, espaço para complementações necessárias e recomendáveis e programações culturais. “É difícil embutir no currículo a prática, a começar pelos vícios históricos dos 'estágios' e da 'extensão'. (p. 99)
  • 19. * Ao longo da formação é importante a prática inicial, intermediária e profissional. * “Os estágios são concessões à prática, com presença curricular residual, mal organizados, sem acompanhamento de qualidade por parte do curso e por parte dos responsáveis no local do estágio. […]” (p. 99). * “A extensão – pertinente quando intrínseca – arrasta- se no voluntariado e na ilusão de evitar o afastamento da universidade de seus compromissos sociais. Há exemplos de atividade extensionista, que, além do impacto na comunidade, motivou a formação política dos aluno. ” (p.99)