SlideShare uma empresa Scribd logo
5 de outubro de 2009
Bruno Rondani
Inovação Aberta
O que é Inovação Aberta?
2
Bens de Consumo
Iniciativas no Brasil
TI/High-Tech Farmacêutica/Química/Materiais
Processo Aberto vs. Fechado
3
O Desafio da Inovação
4
Investidores pressionam os
executivos para crescer e
continuar crescendo cada
vez mais rápido
Para sustentar esse
crescimento, o executivo deve
assumir riscos que são
inaceitáveis para estes
mesmos investidores
O desafio da Inovação
5
Tecnologia 1
Tecnologia 2
Tecnologia 3
Performance
Tempo
Como lidar com a contínua mudança tecnológica?
O Desafio da Inovação
6
Inovação
Incremental
Crescimento
Tempo
Inovação
Radical
Dar mais peso ao curto-prazo ou ao longo prazo?
O paradigma da Inovação Fechada
7
De onde vinham as grandes idéias para inovar?
1 gênio Muitos gênios juntos
Processo de Gestão da Inovação Fechada
8
Empresa A
Empresa B
Lógica da Inovação Fechada
9
Investimento
em P&D
Novos Produtos
Nova tecnologia
Aumento de
vendas e lucros
Nós mesmos devemos
descobrir, desenvolver e
vender
Se descobrirmos antes,
conseguiremos colocar no
mercado primeiro
Se nós criarmos as
maiores e melhores idéias
em nosso setor,
venceremos
Devemos controlar nossa
Propriedade Intelectual, a
fim de que nossos
concorrentes não lucrem
com nossas idéias
Devemos contratar os
melhores talentos
Premissas da Inovação Fechada
10
Sucesso da Inovação Fechada
11Cronologia Inovação na Indústria Farmacêutica
•Escola anglo-saxônica: extração de
prod. naturais
•Escola alemã: química orgânica
sintética
•Escola anglo-saxônica: supera a
alemã
•P&D internalizado e dividido por
áreas terapêuticas
•Modelo “aleatório” de descoberta.
•Surgimento de empresas de biotec
•Redes de Conhecimento
•Outsourcing
•Science based
1ª Fase
2ª Fase
3ª Fase
Sucesso da Inovação Fechada
12
Menlo Park
(1876)
Bell Labs
(1920)
Xerox Parc
(1970)
MS Research
(1991)
 Modelo de inovação integrado verticalmente
 P&D interno específico para a empresa
 Empresas criam barreiras de entrada através de economias de escala e escopo
Cronologia Inovação na Indústria Farmacêutica
Indústria de Eletrônica-TI
Fatores de Erosão do Modelo Fechado
13
O que Mudou?
1.Aumento da mobilidade da mão-de-obra qualificada
2.Universidades mais participativas no processo de inovação das
empresas
3.Diminuição da hegemonia norte-americada e européia
4.Grande crescimento da indústria de Venture Capital e
Empreendedorismo em todo o mundo
5.Abundância de conhecimento relevante sendo gerada fora do âmbito
da empresa
6.Sucesso de iniciativas relacionadas a produção colaborativa
7.Complexidade tecnológica crescentes (ultra-especialização)
Investimento em Venture Capital - EUA
14
P&D investido pelas Empresas - EUA
15
Fonte: National Science Foundation, Science Resource Studies, Survey of Industrial Research Development,
Gastos com P&D nos EUA por tamanho de empresa
Tamanho Empresa 1981 1989 1999 2005
< 1000 funcionários 4,5% 9,0% 22,5% 24,0%
1000–4999 6, 0% 7,5% 13,5% 15,5%
5000–9999 6,0% 5,5% 9,0% 8,0%
10000–24999 13,0% 10,0% 13,5% 15,0%
25000+ 71,0% 67,5% 41,5% 37,5%
Crescimento da Receita vs. P&D
16
Fonte: Dado da Indústria Farmacêutica, extratido de Henry Chesbrough , Open Business Models, 2006
Colapso da Lógica do Modelo Fechado
17
Investimento
em P&D
Novos Produtos
Nova tecnologia
Aumento de
vendas e lucros
Aquisição ou
abertura de
capital
Engenheiros-
chave abrem
novo negócio
Venture Capital
Caminho para a terceirização da Inovação?
18
Fonte: Open Innovation in Global Networks, OCDE 2008
O Paradigma da Inovação Aberta
19
De onde vem hoje as grandes idéias para inovar?
– Inventores individuais
– Grandes laboratórios de P&D
– Universidades
– Pequenas e médias empresas
– Comunidades de usuários
– …
Era da colaboração para a inovação
20
Comunidades
de Usuários
Empreendedores
Inventores
Funcionários
Paradigma da Inovação Aberta
21
“Paradigma que considera que as empresas podem e
devem usar idéias internas e externas, assim como
caminhos internos e externos para o mercado”
Mudança de cultura
22
Nas grandes empresas:
Da síndrome do
“NÃO INVENTADO AQUI”
Para
“ADQUIRIDO ORGULHOSAMENTE EM OUTRO LUGAR”
Mudança no Processo de Gestão da Inovação
23
inovação fechada: foco interno inovação aberta: combina idéias
internas e externas
Fonte: Extraído de apresentação Gilson Manfio, Natura, KM Brasil 2008 adaptado de CHESBROUGH, H. Open Innovation The New Imperative for Creating and Profiting from
Technology, Harvard Business Scholl Press, 2003
Pesquisa Desenvolvimento
Fronteiras da
empresa
O
mercado
Projetos
de
pesquisa
inovação fechada: foco interno
Novos
mercados
O mercado
Fronteiras da
empresa
Pesquisa Desenvolvimento
Projetos de
pesquisa
internos
Projetos de
pesquisa
externos
Licence-in de
tecnologias
Aquisição de
produtos e
tecnologias
Venture
capital
Spin-offs
Licence-out de
tecnologias
Principais observações
24
1. O conhecimento gerado externamente ou internamente a firma deve
ser considerado de igual relevância.
2. Empresas criam mecanismos para evitar que boas idéias não sejam
utilizadas (falsos negativos)
3. Crescente externalização voluntária de conhecimento e tecnologia
por parte de empresas
4. A geração de conhecimento relevante para a inovação cada vez mais
distribuída
5. Surgimento de “intermediários da inovação”
6. Novas métricas (para processos abertos)
7. Novo profissonal para gerir a inovação (mais articulador)
Mudança de Paradigma: Fechado vs. Aberto
25
Nem todos os talentos do setor trabalham
para nós
O P&D externo pode criar valor significativo
O P&D interno é necessário para capturar
parte deste valor
Nós não precisamos originar a pesquisa para
lucrar a partir dela
Se fizermos o melhor uso de idéias internas
e externas venceremos
Podemos lucrar com o uso de nossa
propriedade intelectual por parte de
terceiros
Devemos contratar os melhores talentos
Nós mesmos devemos descobrir, desenvolver e
vender
Se descobrirmos antes, conseguiremos colocar
no mercado primeiro
Se nós criarmos as maiores e melhores idéias
em nosso setor, venceremos
Devemos controlar nossa propriedade
intelectual, a fim de que nossos concorrentes
não lucrem com nossas idéias
Impacto na Criação e Captura de Valor
26
Receita
Custos
Custos de
desenvolvimento interno
Receita
Modelo fechado
(no passado)
Custos de
desenvolvimento interno
Receita
Modelo fechado
(hoje)
Menor tempo de
vida de produto
Maiores riscos com
inovação
Receita
Spin-offs
Novos mercados
Novas
Receitas
Modelo aberto
(futuro)
Custos de
desenvolvimento interno
e externo
Royalties
Redução de custo e tempo
com colaboração externa
Lógica de investimento: Fechado
27
P,D&I $ $
Investimento
Retorno
Investimento
reduzido
- Eficiência
- Subsídios
P,D&I
Lógica de investimento: Aberto
28
P,D&I
Fechado
$
P,D&I
Aberto
$
$
$
Investimento
Retorno
(1 empresa)
(1 negócio)
Investimento
dividido
(várias
entidades)
cooperação
Retorno Multiplicado
(vários mercados,
vários negócios)
Por que Inovação Aberta no Brasil?
29
1. Risco e custo em inovar é tido como o principal fator que desestimula
empresário brasileiro a inovar
2. Mudanças de condições de concorrência impelem empresas brasileiras a
inovar (crescimento da economia, retomada dos investimentos, fusões&aquisições,
internacionalização de empresa brasileiras, estimulo a exportação)
3. Amadurecimento e profissionalização das empresas brasileiras (entrada de
capital externo e fortalecimento do mercado de capitais leva a adoção das melhores práticas)
4. Brasil possui ciência de qualidade (ainda faltam mecanismos para transferir esse
conhecimento à sociedade)
5. Sistema Nacional de Inovação se solidificando no últimos anos (mecanismos
públicos de fomento a inovação – estimula a criação de NITs, fortalecimento de ICTs, aumento do
investimento em P&D nas empresas)
6. Surgimento de fundos de Venture Capital e movimento empreendedor
7. Excelentes casos de sucesso em inovação (Petrobras, Embraer, Weg, Natura,
Embrapa, Votorantim, Buscapé, entre outros)
Programas de Inovação Aberta
30
 Recursos de Fomento, Incentivos
Fiscais e Financiamentos Públicos
 Recursos de terceiros
Reduzir Custos com Inovação
 Maior capacidade de pesquisa
 Aumento das fontes de inovação
Aumentar Capacidade Inovativa
Dupla Orientação das Empresas:
 Inovação Tecnológica como
Estratégia da Empresa
 Pesquisador na Empresa
Fortalecimento do P&D Interno
 Triple Hélice (visão clássica)
 Open Innovation (visão mais
ampla)
Articulação dos Atores
Dupla Orientação das Políticas Públicas:
Aumento da Competitividade Global das Empresas
Programa de Inovação: Natura
31
• 2006 Chronos Spilol
• 2007 Chronos Flavonóides de Passiflora
• 2008 Chronos Politensor de soja
• 20% das propostas de projeto recebidas pelo programa foram aprovadas internamente
• 200 grupos de pesquisa cadastrados no Portal
• 6500 acessos por mês
Programa de Inovação: Natura
32
Lógica do investimento em inovação
33
Seed
Start-up
Expansão
Maturidade
O “vale da morte”
Lógica do investimento em inovação
34
35
36
Angel
investors
Capital
semente
Venture
capital
Private
equity
Bolsa de
valores
Angel
investors
Capital
semente
Venture
capital
Private
equity
Bolsa de
valores
Corporate Venturing
38
Operação de fundos de venture capital
para grandes companhias.
Votorantim Novos Negócios
39
Oferece uma solução one-stop-shop no suprimento de produtos de manutenção, reparos e operações.
Promove, representa, divulga e distribui nos mercados emergentes medicamentos fabricados pelas principais
empresas farmacêuticas e de biotecnologia do mundo, com a mais alta qualidade.
Portal de e-procurement global que oferece soluções para cadeias de suprimentos.
Identifica áreas de alto potencial em ambientes geologicamente favoráveis, associando-se a parceiros titulares de
direitos minerários e investindo em pesquisa mineral para maximizar o valor das áreas.
Oferece serviços integrados de Tecnologia da Informação e de Business Process Outsourcing.
Identifica áreas de alto potencial em ambientes geologicamente favoráveis, associando-se a parceiros titulares de
direitos minerários e investindo em pesquisa mineral para maximizar o valor das áreas.
Melhoramento genérico da cana-de-açúcar (vendida para a Monsanto).
Empresa de biotecnologia focada em soluções para o setor agro-industrial (vendida para Monsanto).
Sistema Nacional de Inovação
40
1 • Lei de Inovação (2004)
2 • Lei do Bem (2005 – alterações: 2006, 2007, 2008)
3 • Programa Subvenção Pesquisador na Empresa – 01,02,03/2006 Finep
4 • Subvenção Econômica à Inovação –2006, 2007, 2008 e 2009
5 • Programas Capital Empreendedor Finep, BNDES
6 • Programas das FAPs (PIPE, PITE, PAPPE)
7 • Programas de Financiamentos Reembolsáveis Finep, BNDES
8 • Fundos Setoriais
9 • Bolsas CNPq
10 • Leis Estaduais de Inovação, etc...
Sistema Nacional de Inovação
41
Institutos de Pesquisa & Inovação CEPIDs, CT Infra, FNDCT, Institutos Nacionais
Parcerias Universidade-Empresa
Fundos Setoriais, Lei de Inovação, PITE, Funtec, Lei do
MEC, Criação de NITs
Pesquisador na Empresa Bolsas CNPq, Lei do Bem, Subvenção Pesquisadores
Projetos de P&D na Empresa
Subvenção Econômica, Lei do Bem,
BNDES Inovação Tecnológica
Programa de Inovação na Empresa Finep Inova Brasil, BNDES Capital Inovador
Criação de Novos Negócios
PRIME, PIPE, Subvenção Econômica, PAPPE Subvenção,
Inovar, Inovar Semente, Criatec, VC
Parques Tecnológicos PNI, Ações Transversais
Linhas Mestras e Principais Programas do SNI:
Políticas Públicas de C, T & I
42
Orçamento Total
Recursos para ICT em
parceria com Empresas
Financiamento
Reembolsável Empresa
Financiamento Não
Reembolsável Empresa
Participação em
Novas Empresas
Orçamento Inovação
Recursos direto ICTs
R$ 1 bi
R$ 1 bi
-
-
R$ 1 bi
(previsto)
2009
-
R$ 55 mi
R$ 450 mi
R$ 30 mi
R$ 25 mi
R$ 520 mi
(previsto)
2008
-
R$ 215 mi
R$ 215 mi
-
-
R$ 1,1 bi
-
2008
-
R$ 520 mi
R$ 450 mi
-
R$ 72 mi
R$ 1,2 bi
-
2008
R$ 1,2 bi
R$ 2,0 bi
-
R$ 680 mi
-
R$ 80 bi
R$ 120 mi
2008
R$ 1,2 bi
R$ 2,8 bi
R$ 400 mi
R$ 450 mi
R$ 450 mi
R$ 300 mi
R$ 2,8 bi
2008
-
R$ 11 mi
R$ 214 mi
-
R$ 11 mi
R$ 227 mi
(previsto)
2008
Orçamento estimado 2008
PITE – FAPESP
43
Empresa Data Valor R$
Ouro Fino Jul/06 2 milhões
Oxiteno Nov/06 6 milhões
Fleury Nov/06 1,4 milhões
Microsoft Abr/07 1,4 milhões
Telefônica Abr/07 24 milhões
Padtec Jun/07 40 milhões
Dedini Jun/07 100 milhões
Braskem Fev/08 50 milhões
Convênios com Empresas
44
Caso Omnisys
 Números de 2008:
 Operações em 9 países
 250 funcionários
 70 técnicos e engenheiros no
departamento de P&D
 Investimentos médios anuais de
15% da sua receita em P&D
A Omnisys é uma empresa brasileira criada em 1997 que atua provendo
soluções tecnológicas nos setores aeroespacial e naval.
Desde de 2005 o Grupo Thales investiu cerca de R$ 20 milhões na Omnisys
para torná-la um de seus centros globais de P&D.
45 COMMERCIAL-IN-CONFIDENCE
1º Projeto de P&D da Omnisys - 2003
Omnisys Presentation
Comercialização
Desenvolvimento
Colaborativo
Pessoas/
Conhecimento
Fomento
Desenvolvimento de Radar
Meteorológico
46 COMMERCIAL-IN-CONFIDENCE
Grupo Thales
Omnisys Presentation
47 COMMERCIAL-IN-CONFIDENCE
Thales Research
Omnisys Presentation
48
Omnisys R&T Network
Omnisys Presentation
Limours
Parceiros
Rouen Outras
empresas
do grupo
Estratégia de P&D
TRT
ThereSIS
49
Sistemas Radares e Trajetografia
Omnisys Presentation
Radar Meteorológico
Radares Trajetografia
Partes de radar
Telemedidas
Rastreio Óptico
Radar Banda L
Centro de Excelência
para Desenvolvimento
de Radares - Grupo
Thales
2002
R$ 8 mi
2008
R$ 45 mi
3 PIPE II
Pappe-PIPE III
Subvenção 2006
+ 7 projetos subvenção:
•2 sistemas radar
•2 guerra eletrônica
•1 naval
•1 telecom
•1 aviônicos
Open Innovation Seminar 2009
50
http://www.openinnovationseminar.com.br
Bruno Rondani – bruno.rondani@omnisys.com.br
blog.allagi.com.br
www.openinnovationseminar.com.br
www.openinnovation.wiki.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Inovação
InovaçãoInovação
Inovação
gmktipam
 
ECO.TIC 2016 PALESTRA GIB DE MEDEIROS NOV 24 - versão final
ECO.TIC 2016 PALESTRA GIB DE MEDEIROS NOV 24 - versão finalECO.TIC 2016 PALESTRA GIB DE MEDEIROS NOV 24 - versão final
ECO.TIC 2016 PALESTRA GIB DE MEDEIROS NOV 24 - versão final
Gib de Medeiros
 
Apresentação sobre Gestão da Inovação e da Criatividade
Apresentação sobre Gestão da Inovação e da CriatividadeApresentação sobre Gestão da Inovação e da Criatividade
Apresentação sobre Gestão da Inovação e da Criatividade
Levi Tancredo
 
Gestão da Inovação nas Grandes Empresas
Gestão da Inovação nas Grandes EmpresasGestão da Inovação nas Grandes Empresas
Gestão da Inovação nas Grandes Empresas
Renato Lacerda
 
MVI 1.4 Inovaçao Fechada x Inovação Aberta
MVI 1.4 Inovaçao Fechada x Inovação AbertaMVI 1.4 Inovaçao Fechada x Inovação Aberta
MVI 1.4 Inovaçao Fechada x Inovação Aberta
auspin
 
Open Innovation e o Cenário Brasileiro Palestra FIA Junho 08 Bruno Rondani - ...
Open Innovation e o Cenário Brasileiro Palestra FIA Junho 08 Bruno Rondani - ...Open Innovation e o Cenário Brasileiro Palestra FIA Junho 08 Bruno Rondani - ...
Open Innovation e o Cenário Brasileiro Palestra FIA Junho 08 Bruno Rondani - ...
Allagi Open Innovation Services
 
Inovação aberta - Como criar e lucrar com a tecnologia
Inovação aberta - Como criar e lucrar com a tecnologiaInovação aberta - Como criar e lucrar com a tecnologia
Inovação aberta - Como criar e lucrar com a tecnologia
Eric Fiori
 
Inovação Aberta
Inovação AbertaInovação Aberta
Inovação Aberta
Renato Lacerda
 
Inovação Tecnologica
Inovação TecnologicaInovação Tecnologica
Inovação Tecnologica
Liana Padilha
 
10 dimensões da gestão de inovação - síntese e perguntas para reflexão
10 dimensões da gestão de inovação - síntese e perguntas para reflexão10 dimensões da gestão de inovação - síntese e perguntas para reflexão
10 dimensões da gestão de inovação - síntese e perguntas para reflexão
Jose Claudio Terra
 
O Papel do Venture Capital em um ambiente de Open Innovation Palestra FGV Jun...
O Papel do Venture Capital em um ambiente de Open Innovation Palestra FGV Jun...O Papel do Venture Capital em um ambiente de Open Innovation Palestra FGV Jun...
O Papel do Venture Capital em um ambiente de Open Innovation Palestra FGV Jun...
Allagi Open Innovation Services
 
Palestra Gestão da Inovação.
Palestra Gestão da Inovação.Palestra Gestão da Inovação.
Palestra Gestão da Inovação.
innoscience_
 
Gestão empresarial aula 5 inovação
Gestão empresarial aula 5 inovaçãoGestão empresarial aula 5 inovação
Gestão empresarial aula 5 inovação
Vicente Willians Nunes
 
Palestra Bruno Rondani e Rafael Levy
Palestra Bruno Rondani e Rafael LevyPalestra Bruno Rondani e Rafael Levy
Palestra Bruno Rondani e Rafael Levy
Allagi Open Innovation Services
 
Cc estratégia de inovação
Cc   estratégia de inovaçãoCc   estratégia de inovação
Cc estratégia de inovação
Flip Consultoria e Comunicação
 
Inovações no Futebol - Aula Kick Off Perestroika
Inovações no Futebol  - Aula Kick Off PerestroikaInovações no Futebol  - Aula Kick Off Perestroika
Inovações no Futebol - Aula Kick Off Perestroika
innoscience_
 
O papel-do-vc-na-open-innovation-andr-saito-gvcepe-1212873754080198-8
O papel-do-vc-na-open-innovation-andr-saito-gvcepe-1212873754080198-8O papel-do-vc-na-open-innovation-andr-saito-gvcepe-1212873754080198-8
O papel-do-vc-na-open-innovation-andr-saito-gvcepe-1212873754080198-8
Manuel Fernandes
 
Conceito de Inovação_AMCHAM Campinas_PACE_16.03.2016
Conceito de Inovação_AMCHAM Campinas_PACE_16.03.2016Conceito de Inovação_AMCHAM Campinas_PACE_16.03.2016
Conceito de Inovação_AMCHAM Campinas_PACE_16.03.2016
Innoscience Consultoria em Gestão da Inovação
 
FIA - Formação de Recursos Humanos para Inovação - Eduardo Vasconcellos - Ope...
FIA - Formação de Recursos Humanos para Inovação - Eduardo Vasconcellos - Ope...FIA - Formação de Recursos Humanos para Inovação - Eduardo Vasconcellos - Ope...
FIA - Formação de Recursos Humanos para Inovação - Eduardo Vasconcellos - Ope...
Allagi Open Innovation Services
 

Mais procurados (19)

Inovação
InovaçãoInovação
Inovação
 
ECO.TIC 2016 PALESTRA GIB DE MEDEIROS NOV 24 - versão final
ECO.TIC 2016 PALESTRA GIB DE MEDEIROS NOV 24 - versão finalECO.TIC 2016 PALESTRA GIB DE MEDEIROS NOV 24 - versão final
ECO.TIC 2016 PALESTRA GIB DE MEDEIROS NOV 24 - versão final
 
Apresentação sobre Gestão da Inovação e da Criatividade
Apresentação sobre Gestão da Inovação e da CriatividadeApresentação sobre Gestão da Inovação e da Criatividade
Apresentação sobre Gestão da Inovação e da Criatividade
 
Gestão da Inovação nas Grandes Empresas
Gestão da Inovação nas Grandes EmpresasGestão da Inovação nas Grandes Empresas
Gestão da Inovação nas Grandes Empresas
 
MVI 1.4 Inovaçao Fechada x Inovação Aberta
MVI 1.4 Inovaçao Fechada x Inovação AbertaMVI 1.4 Inovaçao Fechada x Inovação Aberta
MVI 1.4 Inovaçao Fechada x Inovação Aberta
 
Open Innovation e o Cenário Brasileiro Palestra FIA Junho 08 Bruno Rondani - ...
Open Innovation e o Cenário Brasileiro Palestra FIA Junho 08 Bruno Rondani - ...Open Innovation e o Cenário Brasileiro Palestra FIA Junho 08 Bruno Rondani - ...
Open Innovation e o Cenário Brasileiro Palestra FIA Junho 08 Bruno Rondani - ...
 
Inovação aberta - Como criar e lucrar com a tecnologia
Inovação aberta - Como criar e lucrar com a tecnologiaInovação aberta - Como criar e lucrar com a tecnologia
Inovação aberta - Como criar e lucrar com a tecnologia
 
Inovação Aberta
Inovação AbertaInovação Aberta
Inovação Aberta
 
Inovação Tecnologica
Inovação TecnologicaInovação Tecnologica
Inovação Tecnologica
 
10 dimensões da gestão de inovação - síntese e perguntas para reflexão
10 dimensões da gestão de inovação - síntese e perguntas para reflexão10 dimensões da gestão de inovação - síntese e perguntas para reflexão
10 dimensões da gestão de inovação - síntese e perguntas para reflexão
 
O Papel do Venture Capital em um ambiente de Open Innovation Palestra FGV Jun...
O Papel do Venture Capital em um ambiente de Open Innovation Palestra FGV Jun...O Papel do Venture Capital em um ambiente de Open Innovation Palestra FGV Jun...
O Papel do Venture Capital em um ambiente de Open Innovation Palestra FGV Jun...
 
Palestra Gestão da Inovação.
Palestra Gestão da Inovação.Palestra Gestão da Inovação.
Palestra Gestão da Inovação.
 
Gestão empresarial aula 5 inovação
Gestão empresarial aula 5 inovaçãoGestão empresarial aula 5 inovação
Gestão empresarial aula 5 inovação
 
Palestra Bruno Rondani e Rafael Levy
Palestra Bruno Rondani e Rafael LevyPalestra Bruno Rondani e Rafael Levy
Palestra Bruno Rondani e Rafael Levy
 
Cc estratégia de inovação
Cc   estratégia de inovaçãoCc   estratégia de inovação
Cc estratégia de inovação
 
Inovações no Futebol - Aula Kick Off Perestroika
Inovações no Futebol  - Aula Kick Off PerestroikaInovações no Futebol  - Aula Kick Off Perestroika
Inovações no Futebol - Aula Kick Off Perestroika
 
O papel-do-vc-na-open-innovation-andr-saito-gvcepe-1212873754080198-8
O papel-do-vc-na-open-innovation-andr-saito-gvcepe-1212873754080198-8O papel-do-vc-na-open-innovation-andr-saito-gvcepe-1212873754080198-8
O papel-do-vc-na-open-innovation-andr-saito-gvcepe-1212873754080198-8
 
Conceito de Inovação_AMCHAM Campinas_PACE_16.03.2016
Conceito de Inovação_AMCHAM Campinas_PACE_16.03.2016Conceito de Inovação_AMCHAM Campinas_PACE_16.03.2016
Conceito de Inovação_AMCHAM Campinas_PACE_16.03.2016
 
FIA - Formação de Recursos Humanos para Inovação - Eduardo Vasconcellos - Ope...
FIA - Formação de Recursos Humanos para Inovação - Eduardo Vasconcellos - Ope...FIA - Formação de Recursos Humanos para Inovação - Eduardo Vasconcellos - Ope...
FIA - Formação de Recursos Humanos para Inovação - Eduardo Vasconcellos - Ope...
 

Destaque

Seminario da agricultura tradicional à biotecnologia
Seminario da agricultura tradicional à biotecnologiaSeminario da agricultura tradicional à biotecnologia
Seminario da agricultura tradicional à biotecnologia
LUIS ABREU
 
Avanços da biotecnologia
Avanços da biotecnologiaAvanços da biotecnologia
Avanços da biotecnologia
Maria Teresa Iannaco Grego
 
Biotecnologia Aplicada à Agricultura - XXVI SECAM - Unimar, 20/10/14
Biotecnologia Aplicada à Agricultura - XXVI SECAM - Unimar, 20/10/14Biotecnologia Aplicada à Agricultura - XXVI SECAM - Unimar, 20/10/14
Biotecnologia Aplicada à Agricultura - XXVI SECAM - Unimar, 20/10/14
Darío Palmieri
 
Apresentação sobre Transgênicos (UFBA)
Apresentação sobre Transgênicos (UFBA)Apresentação sobre Transgênicos (UFBA)
Apresentação sobre Transgênicos (UFBA)
Cassio Leal
 
Biotecnologia
BiotecnologiaBiotecnologia
Biotecnologia
12anogolega
 
Biotecnologia
BiotecnologiaBiotecnologia
Biotecnologia
Isabel Lopes
 
Biotecnologia
BiotecnologiaBiotecnologia
Biotecnologia
lucilanavarro
 
Como elaborar uma boa apresentação
Como elaborar uma boa apresentaçãoComo elaborar uma boa apresentação
Como elaborar uma boa apresentação
mzylb
 

Destaque (8)

Seminario da agricultura tradicional à biotecnologia
Seminario da agricultura tradicional à biotecnologiaSeminario da agricultura tradicional à biotecnologia
Seminario da agricultura tradicional à biotecnologia
 
Avanços da biotecnologia
Avanços da biotecnologiaAvanços da biotecnologia
Avanços da biotecnologia
 
Biotecnologia Aplicada à Agricultura - XXVI SECAM - Unimar, 20/10/14
Biotecnologia Aplicada à Agricultura - XXVI SECAM - Unimar, 20/10/14Biotecnologia Aplicada à Agricultura - XXVI SECAM - Unimar, 20/10/14
Biotecnologia Aplicada à Agricultura - XXVI SECAM - Unimar, 20/10/14
 
Apresentação sobre Transgênicos (UFBA)
Apresentação sobre Transgênicos (UFBA)Apresentação sobre Transgênicos (UFBA)
Apresentação sobre Transgênicos (UFBA)
 
Biotecnologia
BiotecnologiaBiotecnologia
Biotecnologia
 
Biotecnologia
BiotecnologiaBiotecnologia
Biotecnologia
 
Biotecnologia
BiotecnologiaBiotecnologia
Biotecnologia
 
Como elaborar uma boa apresentação
Como elaborar uma boa apresentaçãoComo elaborar uma boa apresentação
Como elaborar uma boa apresentação
 

Semelhante a Open Innovation no Brasil

Open Innovation no Brasil
Open Innovation no BrasilOpen Innovation no Brasil
Open Innovation no Brasil
Allagi Open Innovation Services
 
Open Innovation no Brasil
Open Innovation no BrasilOpen Innovation no Brasil
Open Innovation no Brasil
guest1dba24
 
Open innovation-inovatec-1223314252269722-9
Open innovation-inovatec-1223314252269722-9Open innovation-inovatec-1223314252269722-9
Open innovation-inovatec-1223314252269722-9
Manuel Fernandes
 
Gestao do conhecimento, inteligência competitiva e inovação
Gestao do conhecimento, inteligência competitiva e inovaçãoGestao do conhecimento, inteligência competitiva e inovação
Gestao do conhecimento, inteligência competitiva e inovação
Documentar Tecnologia e Informação
 
Gestão do Conhecimento; Inteligência; Competitividade; Inovação
Gestão do Conhecimento; Inteligência; Competitividade; InovaçãoGestão do Conhecimento; Inteligência; Competitividade; Inovação
Gestão do Conhecimento; Inteligência; Competitividade; Inovação
Deomari Fragoso
 
Aula_3_GI_-_Abordagens_da_Inovao.pdf
Aula_3_GI_-_Abordagens_da_Inovao.pdfAula_3_GI_-_Abordagens_da_Inovao.pdf
Aula_3_GI_-_Abordagens_da_Inovao.pdf
ssuser1e6167
 
Inovação em empresas criativas
Inovação em empresas criativasInovação em empresas criativas
Inovação em empresas criativas
Sérgio Assunção
 
Inovação em empresas criativas
Inovação em empresas criativasInovação em empresas criativas
Inovação em empresas criativas
Deomari Fragoso
 
GI aula 3 Inovação Aberta_tipos2023.pptx
GI aula 3 Inovação Aberta_tipos2023.pptxGI aula 3 Inovação Aberta_tipos2023.pptx
GI aula 3 Inovação Aberta_tipos2023.pptx
franmafesoni
 
Comp org inovacao
Comp org inovacaoComp org inovacao
Comp org inovacao
Sayurï Yamane
 
Interação Universidade-Empresa em Projetos de Inovação Tecnológica
Interação Universidade-Empresa em Projetos de Inovação TecnológicaInteração Universidade-Empresa em Projetos de Inovação Tecnológica
Interação Universidade-Empresa em Projetos de Inovação Tecnológica
Portal Inovação UFMS
 
Apresentação-IV-Introdução-à-Gestão-e-Cultura-de-Inovação-CRI-Ceará-29.08.18.pdf
Apresentação-IV-Introdução-à-Gestão-e-Cultura-de-Inovação-CRI-Ceará-29.08.18.pdfApresentação-IV-Introdução-à-Gestão-e-Cultura-de-Inovação-CRI-Ceará-29.08.18.pdf
Apresentação-IV-Introdução-à-Gestão-e-Cultura-de-Inovação-CRI-Ceará-29.08.18.pdf
LeonardoRosa93
 
2º Workshop Subvenção Economica à Inovação
2º Workshop Subvenção Economica à Inovação2º Workshop Subvenção Economica à Inovação
2º Workshop Subvenção Economica à Inovação
BRAIN Brasil Inovação
 
[E-book] Como transformar ideias em resultados
[E-book] Como transformar ideias em resultados[E-book] Como transformar ideias em resultados
[E-book] Como transformar ideias em resultados
Ninho Desenvolvimento Empresarial
 
Exercicio 1.3
Exercicio 1.3Exercicio 1.3
Exercicio 1.3
pfranchi
 
Condicionantes inovacao setor_quimico_douglas
Condicionantes inovacao setor_quimico_douglasCondicionantes inovacao setor_quimico_douglas
Condicionantes inovacao setor_quimico_douglas
Ivana da Silveira
 
Estratgiasdegestoorganizacional print-100411182842-phpapp01
Estratgiasdegestoorganizacional print-100411182842-phpapp01Estratgiasdegestoorganizacional print-100411182842-phpapp01
Estratgiasdegestoorganizacional print-100411182842-phpapp01
wilson pereira dos santos
 
Cietec
CietecCietec
Cietec
Startupi
 
Inovação: Conceitos, gestão, parcerias e oportunidades para a indústria
Inovação: Conceitos, gestão, parcerias e oportunidades para a indústriaInovação: Conceitos, gestão, parcerias e oportunidades para a indústria
Inovação: Conceitos, gestão, parcerias e oportunidades para a indústria
Fabricio Martins
 
Produtividade inovacao
Produtividade inovacaoProdutividade inovacao
Produtividade inovacao
Maisgestao
 

Semelhante a Open Innovation no Brasil (20)

Open Innovation no Brasil
Open Innovation no BrasilOpen Innovation no Brasil
Open Innovation no Brasil
 
Open Innovation no Brasil
Open Innovation no BrasilOpen Innovation no Brasil
Open Innovation no Brasil
 
Open innovation-inovatec-1223314252269722-9
Open innovation-inovatec-1223314252269722-9Open innovation-inovatec-1223314252269722-9
Open innovation-inovatec-1223314252269722-9
 
Gestao do conhecimento, inteligência competitiva e inovação
Gestao do conhecimento, inteligência competitiva e inovaçãoGestao do conhecimento, inteligência competitiva e inovação
Gestao do conhecimento, inteligência competitiva e inovação
 
Gestão do Conhecimento; Inteligência; Competitividade; Inovação
Gestão do Conhecimento; Inteligência; Competitividade; InovaçãoGestão do Conhecimento; Inteligência; Competitividade; Inovação
Gestão do Conhecimento; Inteligência; Competitividade; Inovação
 
Aula_3_GI_-_Abordagens_da_Inovao.pdf
Aula_3_GI_-_Abordagens_da_Inovao.pdfAula_3_GI_-_Abordagens_da_Inovao.pdf
Aula_3_GI_-_Abordagens_da_Inovao.pdf
 
Inovação em empresas criativas
Inovação em empresas criativasInovação em empresas criativas
Inovação em empresas criativas
 
Inovação em empresas criativas
Inovação em empresas criativasInovação em empresas criativas
Inovação em empresas criativas
 
GI aula 3 Inovação Aberta_tipos2023.pptx
GI aula 3 Inovação Aberta_tipos2023.pptxGI aula 3 Inovação Aberta_tipos2023.pptx
GI aula 3 Inovação Aberta_tipos2023.pptx
 
Comp org inovacao
Comp org inovacaoComp org inovacao
Comp org inovacao
 
Interação Universidade-Empresa em Projetos de Inovação Tecnológica
Interação Universidade-Empresa em Projetos de Inovação TecnológicaInteração Universidade-Empresa em Projetos de Inovação Tecnológica
Interação Universidade-Empresa em Projetos de Inovação Tecnológica
 
Apresentação-IV-Introdução-à-Gestão-e-Cultura-de-Inovação-CRI-Ceará-29.08.18.pdf
Apresentação-IV-Introdução-à-Gestão-e-Cultura-de-Inovação-CRI-Ceará-29.08.18.pdfApresentação-IV-Introdução-à-Gestão-e-Cultura-de-Inovação-CRI-Ceará-29.08.18.pdf
Apresentação-IV-Introdução-à-Gestão-e-Cultura-de-Inovação-CRI-Ceará-29.08.18.pdf
 
2º Workshop Subvenção Economica à Inovação
2º Workshop Subvenção Economica à Inovação2º Workshop Subvenção Economica à Inovação
2º Workshop Subvenção Economica à Inovação
 
[E-book] Como transformar ideias em resultados
[E-book] Como transformar ideias em resultados[E-book] Como transformar ideias em resultados
[E-book] Como transformar ideias em resultados
 
Exercicio 1.3
Exercicio 1.3Exercicio 1.3
Exercicio 1.3
 
Condicionantes inovacao setor_quimico_douglas
Condicionantes inovacao setor_quimico_douglasCondicionantes inovacao setor_quimico_douglas
Condicionantes inovacao setor_quimico_douglas
 
Estratgiasdegestoorganizacional print-100411182842-phpapp01
Estratgiasdegestoorganizacional print-100411182842-phpapp01Estratgiasdegestoorganizacional print-100411182842-phpapp01
Estratgiasdegestoorganizacional print-100411182842-phpapp01
 
Cietec
CietecCietec
Cietec
 
Inovação: Conceitos, gestão, parcerias e oportunidades para a indústria
Inovação: Conceitos, gestão, parcerias e oportunidades para a indústriaInovação: Conceitos, gestão, parcerias e oportunidades para a indústria
Inovação: Conceitos, gestão, parcerias e oportunidades para a indústria
 
Produtividade inovacao
Produtividade inovacaoProdutividade inovacao
Produtividade inovacao
 

Open Innovation no Brasil

  • 1. 5 de outubro de 2009 Bruno Rondani Inovação Aberta
  • 2. O que é Inovação Aberta? 2 Bens de Consumo Iniciativas no Brasil TI/High-Tech Farmacêutica/Química/Materiais
  • 4. O Desafio da Inovação 4 Investidores pressionam os executivos para crescer e continuar crescendo cada vez mais rápido Para sustentar esse crescimento, o executivo deve assumir riscos que são inaceitáveis para estes mesmos investidores
  • 5. O desafio da Inovação 5 Tecnologia 1 Tecnologia 2 Tecnologia 3 Performance Tempo Como lidar com a contínua mudança tecnológica?
  • 6. O Desafio da Inovação 6 Inovação Incremental Crescimento Tempo Inovação Radical Dar mais peso ao curto-prazo ou ao longo prazo?
  • 7. O paradigma da Inovação Fechada 7 De onde vinham as grandes idéias para inovar? 1 gênio Muitos gênios juntos
  • 8. Processo de Gestão da Inovação Fechada 8 Empresa A Empresa B
  • 9. Lógica da Inovação Fechada 9 Investimento em P&D Novos Produtos Nova tecnologia Aumento de vendas e lucros
  • 10. Nós mesmos devemos descobrir, desenvolver e vender Se descobrirmos antes, conseguiremos colocar no mercado primeiro Se nós criarmos as maiores e melhores idéias em nosso setor, venceremos Devemos controlar nossa Propriedade Intelectual, a fim de que nossos concorrentes não lucrem com nossas idéias Devemos contratar os melhores talentos Premissas da Inovação Fechada 10
  • 11. Sucesso da Inovação Fechada 11Cronologia Inovação na Indústria Farmacêutica •Escola anglo-saxônica: extração de prod. naturais •Escola alemã: química orgânica sintética •Escola anglo-saxônica: supera a alemã •P&D internalizado e dividido por áreas terapêuticas •Modelo “aleatório” de descoberta. •Surgimento de empresas de biotec •Redes de Conhecimento •Outsourcing •Science based 1ª Fase 2ª Fase 3ª Fase
  • 12. Sucesso da Inovação Fechada 12 Menlo Park (1876) Bell Labs (1920) Xerox Parc (1970) MS Research (1991)  Modelo de inovação integrado verticalmente  P&D interno específico para a empresa  Empresas criam barreiras de entrada através de economias de escala e escopo Cronologia Inovação na Indústria Farmacêutica Indústria de Eletrônica-TI
  • 13. Fatores de Erosão do Modelo Fechado 13 O que Mudou? 1.Aumento da mobilidade da mão-de-obra qualificada 2.Universidades mais participativas no processo de inovação das empresas 3.Diminuição da hegemonia norte-americada e européia 4.Grande crescimento da indústria de Venture Capital e Empreendedorismo em todo o mundo 5.Abundância de conhecimento relevante sendo gerada fora do âmbito da empresa 6.Sucesso de iniciativas relacionadas a produção colaborativa 7.Complexidade tecnológica crescentes (ultra-especialização)
  • 14. Investimento em Venture Capital - EUA 14
  • 15. P&D investido pelas Empresas - EUA 15 Fonte: National Science Foundation, Science Resource Studies, Survey of Industrial Research Development, Gastos com P&D nos EUA por tamanho de empresa Tamanho Empresa 1981 1989 1999 2005 < 1000 funcionários 4,5% 9,0% 22,5% 24,0% 1000–4999 6, 0% 7,5% 13,5% 15,5% 5000–9999 6,0% 5,5% 9,0% 8,0% 10000–24999 13,0% 10,0% 13,5% 15,0% 25000+ 71,0% 67,5% 41,5% 37,5%
  • 16. Crescimento da Receita vs. P&D 16 Fonte: Dado da Indústria Farmacêutica, extratido de Henry Chesbrough , Open Business Models, 2006
  • 17. Colapso da Lógica do Modelo Fechado 17 Investimento em P&D Novos Produtos Nova tecnologia Aumento de vendas e lucros Aquisição ou abertura de capital Engenheiros- chave abrem novo negócio Venture Capital
  • 18. Caminho para a terceirização da Inovação? 18 Fonte: Open Innovation in Global Networks, OCDE 2008
  • 19. O Paradigma da Inovação Aberta 19 De onde vem hoje as grandes idéias para inovar? – Inventores individuais – Grandes laboratórios de P&D – Universidades – Pequenas e médias empresas – Comunidades de usuários – …
  • 20. Era da colaboração para a inovação 20 Comunidades de Usuários Empreendedores Inventores Funcionários
  • 21. Paradigma da Inovação Aberta 21 “Paradigma que considera que as empresas podem e devem usar idéias internas e externas, assim como caminhos internos e externos para o mercado”
  • 22. Mudança de cultura 22 Nas grandes empresas: Da síndrome do “NÃO INVENTADO AQUI” Para “ADQUIRIDO ORGULHOSAMENTE EM OUTRO LUGAR”
  • 23. Mudança no Processo de Gestão da Inovação 23 inovação fechada: foco interno inovação aberta: combina idéias internas e externas Fonte: Extraído de apresentação Gilson Manfio, Natura, KM Brasil 2008 adaptado de CHESBROUGH, H. Open Innovation The New Imperative for Creating and Profiting from Technology, Harvard Business Scholl Press, 2003 Pesquisa Desenvolvimento Fronteiras da empresa O mercado Projetos de pesquisa inovação fechada: foco interno Novos mercados O mercado Fronteiras da empresa Pesquisa Desenvolvimento Projetos de pesquisa internos Projetos de pesquisa externos Licence-in de tecnologias Aquisição de produtos e tecnologias Venture capital Spin-offs Licence-out de tecnologias
  • 24. Principais observações 24 1. O conhecimento gerado externamente ou internamente a firma deve ser considerado de igual relevância. 2. Empresas criam mecanismos para evitar que boas idéias não sejam utilizadas (falsos negativos) 3. Crescente externalização voluntária de conhecimento e tecnologia por parte de empresas 4. A geração de conhecimento relevante para a inovação cada vez mais distribuída 5. Surgimento de “intermediários da inovação” 6. Novas métricas (para processos abertos) 7. Novo profissonal para gerir a inovação (mais articulador)
  • 25. Mudança de Paradigma: Fechado vs. Aberto 25 Nem todos os talentos do setor trabalham para nós O P&D externo pode criar valor significativo O P&D interno é necessário para capturar parte deste valor Nós não precisamos originar a pesquisa para lucrar a partir dela Se fizermos o melhor uso de idéias internas e externas venceremos Podemos lucrar com o uso de nossa propriedade intelectual por parte de terceiros Devemos contratar os melhores talentos Nós mesmos devemos descobrir, desenvolver e vender Se descobrirmos antes, conseguiremos colocar no mercado primeiro Se nós criarmos as maiores e melhores idéias em nosso setor, venceremos Devemos controlar nossa propriedade intelectual, a fim de que nossos concorrentes não lucrem com nossas idéias
  • 26. Impacto na Criação e Captura de Valor 26 Receita Custos Custos de desenvolvimento interno Receita Modelo fechado (no passado) Custos de desenvolvimento interno Receita Modelo fechado (hoje) Menor tempo de vida de produto Maiores riscos com inovação Receita Spin-offs Novos mercados Novas Receitas Modelo aberto (futuro) Custos de desenvolvimento interno e externo Royalties Redução de custo e tempo com colaboração externa
  • 27. Lógica de investimento: Fechado 27 P,D&I $ $ Investimento Retorno Investimento reduzido - Eficiência - Subsídios P,D&I
  • 28. Lógica de investimento: Aberto 28 P,D&I Fechado $ P,D&I Aberto $ $ $ Investimento Retorno (1 empresa) (1 negócio) Investimento dividido (várias entidades) cooperação Retorno Multiplicado (vários mercados, vários negócios)
  • 29. Por que Inovação Aberta no Brasil? 29 1. Risco e custo em inovar é tido como o principal fator que desestimula empresário brasileiro a inovar 2. Mudanças de condições de concorrência impelem empresas brasileiras a inovar (crescimento da economia, retomada dos investimentos, fusões&aquisições, internacionalização de empresa brasileiras, estimulo a exportação) 3. Amadurecimento e profissionalização das empresas brasileiras (entrada de capital externo e fortalecimento do mercado de capitais leva a adoção das melhores práticas) 4. Brasil possui ciência de qualidade (ainda faltam mecanismos para transferir esse conhecimento à sociedade) 5. Sistema Nacional de Inovação se solidificando no últimos anos (mecanismos públicos de fomento a inovação – estimula a criação de NITs, fortalecimento de ICTs, aumento do investimento em P&D nas empresas) 6. Surgimento de fundos de Venture Capital e movimento empreendedor 7. Excelentes casos de sucesso em inovação (Petrobras, Embraer, Weg, Natura, Embrapa, Votorantim, Buscapé, entre outros)
  • 30. Programas de Inovação Aberta 30  Recursos de Fomento, Incentivos Fiscais e Financiamentos Públicos  Recursos de terceiros Reduzir Custos com Inovação  Maior capacidade de pesquisa  Aumento das fontes de inovação Aumentar Capacidade Inovativa Dupla Orientação das Empresas:  Inovação Tecnológica como Estratégia da Empresa  Pesquisador na Empresa Fortalecimento do P&D Interno  Triple Hélice (visão clássica)  Open Innovation (visão mais ampla) Articulação dos Atores Dupla Orientação das Políticas Públicas: Aumento da Competitividade Global das Empresas
  • 31. Programa de Inovação: Natura 31 • 2006 Chronos Spilol • 2007 Chronos Flavonóides de Passiflora • 2008 Chronos Politensor de soja • 20% das propostas de projeto recebidas pelo programa foram aprovadas internamente • 200 grupos de pesquisa cadastrados no Portal • 6500 acessos por mês
  • 33. Lógica do investimento em inovação 33 Seed Start-up Expansão Maturidade O “vale da morte”
  • 34. Lógica do investimento em inovação 34
  • 35. 35
  • 38. Corporate Venturing 38 Operação de fundos de venture capital para grandes companhias.
  • 39. Votorantim Novos Negócios 39 Oferece uma solução one-stop-shop no suprimento de produtos de manutenção, reparos e operações. Promove, representa, divulga e distribui nos mercados emergentes medicamentos fabricados pelas principais empresas farmacêuticas e de biotecnologia do mundo, com a mais alta qualidade. Portal de e-procurement global que oferece soluções para cadeias de suprimentos. Identifica áreas de alto potencial em ambientes geologicamente favoráveis, associando-se a parceiros titulares de direitos minerários e investindo em pesquisa mineral para maximizar o valor das áreas. Oferece serviços integrados de Tecnologia da Informação e de Business Process Outsourcing. Identifica áreas de alto potencial em ambientes geologicamente favoráveis, associando-se a parceiros titulares de direitos minerários e investindo em pesquisa mineral para maximizar o valor das áreas. Melhoramento genérico da cana-de-açúcar (vendida para a Monsanto). Empresa de biotecnologia focada em soluções para o setor agro-industrial (vendida para Monsanto).
  • 40. Sistema Nacional de Inovação 40 1 • Lei de Inovação (2004) 2 • Lei do Bem (2005 – alterações: 2006, 2007, 2008) 3 • Programa Subvenção Pesquisador na Empresa – 01,02,03/2006 Finep 4 • Subvenção Econômica à Inovação –2006, 2007, 2008 e 2009 5 • Programas Capital Empreendedor Finep, BNDES 6 • Programas das FAPs (PIPE, PITE, PAPPE) 7 • Programas de Financiamentos Reembolsáveis Finep, BNDES 8 • Fundos Setoriais 9 • Bolsas CNPq 10 • Leis Estaduais de Inovação, etc...
  • 41. Sistema Nacional de Inovação 41 Institutos de Pesquisa & Inovação CEPIDs, CT Infra, FNDCT, Institutos Nacionais Parcerias Universidade-Empresa Fundos Setoriais, Lei de Inovação, PITE, Funtec, Lei do MEC, Criação de NITs Pesquisador na Empresa Bolsas CNPq, Lei do Bem, Subvenção Pesquisadores Projetos de P&D na Empresa Subvenção Econômica, Lei do Bem, BNDES Inovação Tecnológica Programa de Inovação na Empresa Finep Inova Brasil, BNDES Capital Inovador Criação de Novos Negócios PRIME, PIPE, Subvenção Econômica, PAPPE Subvenção, Inovar, Inovar Semente, Criatec, VC Parques Tecnológicos PNI, Ações Transversais Linhas Mestras e Principais Programas do SNI:
  • 42. Políticas Públicas de C, T & I 42 Orçamento Total Recursos para ICT em parceria com Empresas Financiamento Reembolsável Empresa Financiamento Não Reembolsável Empresa Participação em Novas Empresas Orçamento Inovação Recursos direto ICTs R$ 1 bi R$ 1 bi - - R$ 1 bi (previsto) 2009 - R$ 55 mi R$ 450 mi R$ 30 mi R$ 25 mi R$ 520 mi (previsto) 2008 - R$ 215 mi R$ 215 mi - - R$ 1,1 bi - 2008 - R$ 520 mi R$ 450 mi - R$ 72 mi R$ 1,2 bi - 2008 R$ 1,2 bi R$ 2,0 bi - R$ 680 mi - R$ 80 bi R$ 120 mi 2008 R$ 1,2 bi R$ 2,8 bi R$ 400 mi R$ 450 mi R$ 450 mi R$ 300 mi R$ 2,8 bi 2008 - R$ 11 mi R$ 214 mi - R$ 11 mi R$ 227 mi (previsto) 2008 Orçamento estimado 2008
  • 43. PITE – FAPESP 43 Empresa Data Valor R$ Ouro Fino Jul/06 2 milhões Oxiteno Nov/06 6 milhões Fleury Nov/06 1,4 milhões Microsoft Abr/07 1,4 milhões Telefônica Abr/07 24 milhões Padtec Jun/07 40 milhões Dedini Jun/07 100 milhões Braskem Fev/08 50 milhões Convênios com Empresas
  • 44. 44 Caso Omnisys  Números de 2008:  Operações em 9 países  250 funcionários  70 técnicos e engenheiros no departamento de P&D  Investimentos médios anuais de 15% da sua receita em P&D A Omnisys é uma empresa brasileira criada em 1997 que atua provendo soluções tecnológicas nos setores aeroespacial e naval. Desde de 2005 o Grupo Thales investiu cerca de R$ 20 milhões na Omnisys para torná-la um de seus centros globais de P&D.
  • 45. 45 COMMERCIAL-IN-CONFIDENCE 1º Projeto de P&D da Omnisys - 2003 Omnisys Presentation Comercialização Desenvolvimento Colaborativo Pessoas/ Conhecimento Fomento Desenvolvimento de Radar Meteorológico
  • 48. 48 Omnisys R&T Network Omnisys Presentation Limours Parceiros Rouen Outras empresas do grupo Estratégia de P&D TRT ThereSIS
  • 49. 49 Sistemas Radares e Trajetografia Omnisys Presentation Radar Meteorológico Radares Trajetografia Partes de radar Telemedidas Rastreio Óptico Radar Banda L Centro de Excelência para Desenvolvimento de Radares - Grupo Thales 2002 R$ 8 mi 2008 R$ 45 mi 3 PIPE II Pappe-PIPE III Subvenção 2006 + 7 projetos subvenção: •2 sistemas radar •2 guerra eletrônica •1 naval •1 telecom •1 aviônicos
  • 50. Open Innovation Seminar 2009 50 http://www.openinnovationseminar.com.br
  • 51. Bruno Rondani – bruno.rondani@omnisys.com.br blog.allagi.com.br www.openinnovationseminar.com.br www.openinnovation.wiki.br