SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 57
ONDAS www.fisicaatual.com.br ,[object Object]
 se propaga
 levam sinais de um lugar a outro
 transportam energia,[object Object]
CLASSIFICAÇÃO DAS ONDAS www.fisicaatual.com.br MECÂNICA:Precisa de um meio material para se propagar: ELETROMAGNÉTICA: Não precisa de um meio material para se propagar
TIPOS DE ONDAS www.fisicaatual.com.br Onda transversal: as partículas do meio vibram numa direção perpendicular à direção de propagação da onda. Partículas do meio  movimentam para cima e para baixo. Fonte se movimenta para cima e para baixo. Energia transportada Onda longitudinal: as partículas do meio vibram na mesma direção de propagação da onda. Partículas do meio  movimentam para frente e para trás. Fonte se movimenta para frente e para trás. Energia transportada
ELEMENTOS DE UMA ONDA Crista da onda Comprimento de onda               (λ) Rarefação Comprimento de onda                 (λ) Comprimento de onda               (λ) Vale da onda Amplitude A amplitude de uma onda está relacionada com a sua energia. Quando maior a amplitude de uma onda, maior a energia transportada. Comprimento de onda                 (λ) Compressão  www.fisicaatual.com.br
Período (T): é o tempo gasto para se efetuar uma oscilação completa. Também podemos dizer que o período é tempo gasto para percorrer uma distância igual a um comprimento de onda.  O período é representado pela letra T.  No S.I. a unidade de período é o segundo. www.fisicaatual.com.br
  Freqüência (f): representa quantas oscilações completas uma onda dá a cada segundo. Uma oscilação completa representa a passagem de umcomprimento de onda - l . Também pode ser dito que a frequencia representa o número de cristas ou de vales que passam por um ponto em 1 segundo www.fisicaatual.com.br
EQUAÇÃO FUNDAMENTAL www.fisicaatual.com.br Enquanto a crista C percorre uma distância igual a λ, o ponto P efetua uma oscilação completa. A onda percorre uma distância igual a λ durante um tempo igual a um período (T). Como, num certo meio,  a  velocidade de propagação de uma onda é constante:                      d = V . t              λ = V . T          Como: T = 1/f λ = V . T -> λ = V .  Essa equação é válida para qualquer tipo de onda. A velocidade de uma onda depende do meio onde a onda se propaga.
1 2 1 2 VELOCIDADE DE ONDA NUMA CORDA Uma corda é caracterizada pela sua densidade linear (μ): Cordas iguais: V’ > V Maior tensão na corda -> maior velocidade. Corda 1 menos densa que corda 2: V’ < V Quanto mais densa  -> menor a velocidade. onde: T = tensão na corda μ = densidade linear www.fisicaatual.com.br
ONDAS EM 1 DIMENSÃO www.fisicaatual.com.br 1 - REFLEXÃO a) Extremidade fixa: o pulso sofre reflexão com inversão de fase, mantendo todas as outras características, inclusive sua velocidade:
www.fisicaatual.com.br b) Extremidade móvel: o pulso sofre reflexão sem inversão de fase, mantendo todas as outras características, inclusive sua velocidade:
2 - REFRAÇÃO www.fisicaatual.com.br É uma mudança no meio de propagação da onda. Uma onda muda de velocidade e de comprimento de onda ao mudar de meio, mas a onda não muda de frequência.   As duas cordas estão sujeitas à mesma tensão, mas a densidade da corda grossa é maior. A velocidade na corda mais grossa é menor. Como V = λ. f, se a freqüência não muda (só depende da fonte), diminuindo a velocidade, o comprimento de onda diminui. corda grossa corda fina
3 - INTERFERÊNCIA www.fisicaatual.com.br Quando duas ou mais ondas se propagam, simultaneamente, num mesmo meio, diz-se que há uma superposição de ondas.  a) Construtiva Se 2 ondas atingem o ponto P no mesmo instante, elas causarão nesse ponto uma perturbação que é igual à soma das perturbações que cada onda causaria se o tivesse atingido individualmente, ou seja, a onda resultante é igual à soma algébrica das ondas que cada uma produziria individualmente no ponto P, no instante considerado.  Após a superposição, as ondas continuam a se propagar com as mesmas características que tinham antes.
b) destrutiva www.fisicaatual.com.br Os efeitos são subtraídos (soma algébrica), podendo-se anular no caso de duas propagações com deslocamento invertido de mesma amplitude.
www.fisicaatual.com.br Quando ocorre o encontro de duas cristas, ambas levantam o meio naquele ponto; por isso ele sobe muito mais. Quando ocorre o encontro entre um vale e uma crista, um deles quer puxar o ponto para baixo e o outro quer puxá-lo para cima. Se a amplitude das duas ondas for a mesma, não ocorrerá deslocamento, pois eles se cancelam (amplitude zero) e o meio não sobe e nem desce naquele ponto.
4 – Onda estacionária www.fisicaatual.com.br São ondas resultantes da superposição de duas ondas de mesma freqüência, mesma amplitude, mesmo comprimento de onda, mesma direção e sentidos opostos. Pode-se obter uma onda estacionária através de uma corda fixa numa das extremidades. Com uma fonte faz-se a outra extremidade vibrar com movimentos verticais periódicos, produzindo-se perturbações regulares que se propagam pela corda. Ao atingirem a extremidade fixa, elas se refletem, retornando com sentido de deslocamento contrário ao anterior. As perturbações se superpõem às outras que estão chegando à parede. Há pontos da corda que não se movimentam (amplitude nula), chamados nós (N), e pontos que vibram com amplitude máxima, chamados ventres (V). Entre nós os pontos da corda vibram com a mesma freqüência, mas com amplitudes diferentes.
ONDAS NA ÁGUA www.fisicaatual.com.br Pulsos retos Pulsos circulares
O estudo de ondas em duas dimensões pode ser realizado usando uma cuba de ondas. O vibrador produz ondas na superfície da água . Sob intensa iluminação, as ondas são projetadas num anteparo. Regiões claras do anteparo correspondem a cristas da onda produzida na cuba de ondas e regiões escuras correspondem aos vales. A distância entre duas regiões claras sucessivas corresponde a λ. www.fisicaatual.com.br
www.fisicaatual.com.br Onda reta projetada por uma cuba de ondas. Onda circular projetada por uma cuba de ondas.
www.fisicaatual.com.br 1- REFRAÇÃO A velocidade de uma onda na água depende da profundidade:   ondeg representa o módulo da aceleração gravitacional e h, a profundidade da água na cuba. Quanto mais rasa for a lâmina de água, menor será o módulo da velocidade de propagação da onda. A fotografia mostra uma onda reta passando da parte mais rasa, para a parte mais funda de uma cuba ondas: Como a onda não muda de frequencia, se a velocidade aumenta, o comprimento de onda aumenta.
2- DIFRAÇÃO www.fisicaatual.com.br Difração é a propriedade que uma onda possui de contornar um obstáculo ao ser parcialmente interrompida por ele. O comprimento de onda deve ter a mesma ordem de grandeza da dimensão da abertura. Obstáculo Onda incidente
www.fisicaatual.com.br Fotografia mostrando uma onda reta, na superfície da água, sofrendo difração.
d d λ λ Pode-se acentuar a difração, aumentando-se o comprimento de onda ou diminuindo-se a largura do orifício. www.fisicaatual.com.br
3- INTERFERÊNCIA www.fisicaatual.com.br As duas fontes vibram com a mesma frequencia e batem simultaneamente no líquido. São produzidas cristas e vales simultaneamente. As duas fontes estão em fase:
www.fisicaatual.com.br As duas ondas irão se superpor. Abaixo temos fotografia obtida numa cuba de ondas dessa superposição:   Podemos observar a presença de linhas que divergem a partir do ponto médio entre as fontes, separando as cristas e vales que se propagam afastando-se das fontes. Estas linhas não se movem e são chamadas de linhas nodais.
Nos pontos que constituem as linhas nodais as ondas chegam de tal modo que a crista de uma delas coincide com o vale da outra e, por isso, os deslocamentos que cada uma iria produzir se anulam. Houve interferência destrutiva das ondas, o ponto em repouso é denominado nó e cada linha constituída de nós é uma linha nodal. Entre duas linhas nodais, a crista de uma onda chega juntamente com a crista de outra onda, o mesmo ocorrendo com os vales dessas ondas. Então, nesses pontos, os deslocamentos que cada uma provocaria individualmente se adicionam, gerando duplas cristas e duplos vales que se propagam entre as linhas nodais. Entre as linhas nodais temos uma interferência construtiva das duas ondas, isto é, um ponto nesta posição oscila com uma amplitude igual à somadas amplitudes das ondas que se interferiram. www.fisicaatual.com.br
4- INTERFERÊNCIA DA LUZ www.fisicaatual.com.br Em 1820, Thomas Young usou uma tela preta, com um pequeno orifício para produzir um feixe de luz solar estreito em um quarto escuro. Na trajetória o feixe, colocou uma segunda tela preta com dois pequenos orifícios. Por detrás dessa tela colocou outra branca. Os feixes de luz provenientes das duas fendas interferem construtivamente em alguns pontos e destrutivamente em outros. Ao projetar a luz na tela branca forma obtidas manchas claras e escuras alternadas, ou seja, figuras de interferência.
www.fisicaatual.com.br ΔX L Medindo-se ΔX, conhecendo os valores de “L” e “d”, podemos calcular o comprimento de onda da luz vermelha. Trocando-se a cor da luz monocromática, ΔX é alterado e o novo comprimento de onda é calculado.
www.fisicaatual.com.br ACÚSTICA Acústica é o estudo das ondas sonoras; Ondas sonoras são mecânicas, longitudinais e tridimensionais; Ondas sonoras não se propagam no vácuo.
www.fisicaatual.com.br O som é constituído de pequenas flutuações de pressão de ar. compressão pressão Pressão atmosférica tempo rarefação Comprimento de onda Gás comprimido Gás rarefeito
www.fisicaatual.com.br A VELOCIDADE DO SOM As ondas sonoras propagam-se em meios sólidos, líquidos e gasosos, com velocidades que dependem das diferentes características dos materiais. De um modo geral, as velocidades maiores ocorrem nos sólidos e as menores, nos gases. A 20°C, o som propaga-se no ferro sólido a 5100m/s, na água líquida a 1450m/s e no ar a 343m/s.   Densidade  velocidade 
www.fisicaatual.com.br
Infra-som Som audível Ultra-som f (Hz) 0 20 20.000 www.fisicaatual.com.br FAIXA AUDÍVEL Infra-som: sons com freqüências abaixo de 20Hz. Não perceptível ao ser humano; Ultra-som:  sons com freqüências acima de 20000Hz. Não perceptível ao ser humano; Som audível: sons com freqüências perceptíveis ao ser humano (20Hz a 20000Hz)
www.fisicaatual.com.br INTENSIDADE DO SOM qualidade que permite diferenciar um som forte de um som fraco. A intensidade do som está relacionada com energia que a onda transfere( com a amplitude da onda).  Uma onda sonora de maior amplitude. Um som de maior volume Maior transporte de energia pela onda Som de maior intensidade
www.fisicaatual.com.br A intensidade sonora está relacionado a Amplitude da onda. Som fraco Som forte
www.fisicaatual.com.br Mínima intensidade física ou limiar de audibilidade (Io): é o menor valor da intensidade física ainda audível, vale:  ,[object Object],[object Object]
www.fisicaatual.com.br Fonte: Sociedade Brasileira de Otologia
www.fisicaatual.com.br Fonte: Sociedade Brasileira de Otologia
www.fisicaatual.com.br A  ALTURA DO SOM qualidade que permite diferenciar um som de alta freqüência (agudo) de um som de baixa freqüência (grave). A altura do som depende apenas da freqüência. Som alto - Frequência maior - som agudo Som baixo - Frequência menor - som grave ,[object Object]
 As cores diferentes apresentam frequencias diferentes.grave agudo
O TIMBRE DO SOM www.fisicaatual.com.br Qualidade que permite diferenciar duas ondas sonoras de mesma altura e mesma intensidade, emitidos por fontes distintas. O timbre está relacionado à forma da onda emitida pelo instrumento.
www.fisicaatual.com.br
www.fisicaatual.com.br REFLEXÃO DO SOM Persistência acústica : menor intervalo de tempo para que dois sons não se separem no cérebro. A persistência acústica do ouvido humano é de 0,1s. Um ouvinte consegue distinguir dois sons distintos desde que os receba em intervalos de tempo maiores (ou iguais) a 0,1s. Esse fato possibilita ao observador perceber o fenômeno do eco. O nosso ouvido só distingue duas vezes seguidas o mesmo som se tiverem uma diferença de 0,10 s. Considerando a velocidade do som no ar igual a 340 m/s, nesse intervalo de tempo, a distância percorrida pelo som é de 34 metros. Para que haja eco, as ondas sonoras devem efetuar duas vezes o mesmo percurso (ir e voltar). Portanto, 17 metros é a distância mínima necessária, entre nós e um obstáculo para conseguirmos ouvir eco. X= 17 m
www.fisicaatual.com.br O sonar foi aperfeiçoado por uma equipe de cientistas ingleses em 1939, tendo sido também muito utilizado na Segunda Guerra Mundial.Ultrassons são emitidos por um projetor especial e, quando encontra um obstáculo, refletem-se nele e voltam ao ponto de partida. Essa viagem de ida e volta é que permite determinar a presença do objetos e a sua distância. Essa distância é calculada pelo tempo que a onda sonora leva para chegar até o obstáculo e retornar ao ponto de partida.   É possível também conhecer-se o tipo de obstáculo encontrado: para isso usa-se o hidrofone, uma espécie de microfone ultra-sensível mergulhado na água. O golfinho é que "inventou" o sonar, pois ele emite ultra-sons de baixo da água, para se orientar. E o sonar nada mais é que uma cópia artificial dessa idéia.                          
RESSONÂNCIA E FREQUENCIAS NATURAIS  Batendo-se numa das hastes do diapasão, as duas vibram com determinada freqüência (normalmente, 440Hz). Essa é a freqüência natural (ou própria) do diapasão. Todos os corpos possuem uma freqüência própria (prédio, ponte, copo, etc.). A Ressonância é gerada quando uma fonte emite um som de frequência igual à frequência de vibração natural de um receptor. Como em todo tipo de ressonância, ocorre uma espécie de amplificação do som, aumentando a intensidade deste. DIAPASÃO www.fisicaatual.com.br
www.fisicaatual.com.br Nos Estados Unidos, a ponte sobre o Estreito de Tacoma, logo após ser liberada ao tráfego, começou a balançar sempre que o vento soprava um pouco mais forte. No dia 7 de Novembro de 1940 aconteceu a ressonância. Inicialmente, a ponte começou a vibrar em modos longitudinais, isto é, ao longo de seu comprimento. Logo apareceram os chamados "modos torsionais", nos quais a ponte balançava para os lados, se torcendo toda. Na ressonância, a amplitude desses modos torsionais aumentou de tal forma que a ponte desabou.
www.fisicaatual.com.br A Física sugere que a voz é capaz de quebrar vidro. Cada pedaço de vidro, assim como todos os materiais, possui uma freqüência ressonante. Taças de vinho são especialmente ressonantes devido à sua estrutura tubular interna oca, que produz um som agradável ao tinir. Se uma pessoa conseguir cantar neste tom exato – que de acordo com a lenda é um “Si Maior” mas, na verdade, pode ser qualquer tom – sua voz fará as moléculas do ar em volta da taça vibrarem em uma freqüência, forçando-a a vibrar também. Se a nota for emitida suficiente alta, o copo irá vibrar até quebrar. Em 2005, o programa “Mythbusters” (“Os Caçadores de Mitos)”, do Discovery Channel, recrutou um cantor de rock, Jamie Vendera, e um treinador vocal, para ensiná-lo a destruir cristais. Ele tentou, sem sorte, quebrar 12 taças de vinho, até que encontrou aquela que se estilhaçou com o som. A intensidade sonora foi de 105 decibéis.
MICRO-ONDAS www.fisicaatual.com.br O Forno de microondas foi inventado pelo engenheiro PercyLebaron Spencer e começou a ser utilizada em 1946. O componente mais importante do forno de microondas é o magnetron que gera microonda. As microondas são ondas eletromagnéticas e sua frequência é de 2,5 gigahertz. Estas ondas, especificamente nesta freqüência, possuem uma propriedade interessante: são absorvidas pela água, açúcares e lipídeos (gordura). Se a molécula  for sujeita a um campo elétrico, ela irá orientar-se de acordo com a direção do campo aplicado. Se aplicarmos um campo elétrico fixo, a molécula irá se orientar apenas uma vez, estabilizando-se. Se  atuar um campo elétrico que varie com o tempo, trocando de sentido com grande rapidez (frequencia elevada), a molécula irá oscilar continuamente. As ondas eletromagnéticas são constituídas de campo magnético (aqui irrelevante) e elétrico que trocam de sentido de acordo com a frequencia. Uma molécula sozinha não encontra resistência ao seu movimento, conseguindo orientar-se rapidamente na direção de qualquer campo elétrico. Mas na presença de outras moléculas, uma molécula encontra resistência em se alinhar, atritando outras moléculas. Esse atrito causa aquecimento. Quanto maior a frequencia da onda eletromagnética aplicada, mais rápido o aquecimento. Como os alimentos contêm água, a sua exposição a microondas (ondas eletromagnéticas de alta frequencia) irá aquecê-los. No caso de materiais como plásticos e pratos, eles não aquecem como os alimentos, porque as suas estruturas são apolares, diferentes da água, açúcares e da gordura que são polares.
EFEITO DOPPLER www.fisicaatual.com.br O efeito Doppler, para ondas sonoras, constitui o fenômeno pelo qual um observador percebe uma freqüência diferente daquela emitida por uma fonte, devido ao movimento relativo entre eles (observador e fonte). É o que acontece quando uma ambulância, com sua sirene ligada, passa por um observador (parado ou não). Enquanto a ambulância se aproxima, a frequência por ele percebida é maior que a real (mais aguda); mas, à medida que ela se afasta, a frequência percebida é menor (mais grave).  Fonte em repouso em relação ao observador.
www.fisicaatual.com.br Observador em Repouso e fonte em movimento Fonte aproxima-se do observador O1: haverá um encurtamento aparente do comprimento de onda 1, em relação ao  normal. A frequência percebida pelo observador será maior que a frequência real da fonte. Fonte afasta-se do observador O2, haverá um alongamento aparente do comprimento de onda 2, em relação ao  normal. A frequência percebida pelo observador será menor que a frequência real da fonte.
Observador em repouso e fonte em movimento www.fisicaatual.com.br Para o observador O1, que se aproxima de F, haverá um maior número de encontros com as frentes de onda, do que se estivesse parado. A frequência por ele percebida será maior que a normal. Para o observador O2, que se afasta de F, haverá um menor número de encontros com as frentes de onda, do que se estivesse parado. A frequência por ele percebida será menor que a normal.
www.fisicaatual.com.br f`= freqüência aparente (percebida pelo ouvinte) f =  freqüência real da fonte Aproximação entre e a fonte e o ouvinte: “+” no numerador  e  “–”  no denominador. Afastamento entre a fonte e o ouvinte: “-” no numerador e “+” no denominador.
CORDAS VIBRANTES Quando uma corda, tensa e fixa nas extremidades, é posta a vibrar, originam-se ondas transversais que se propagam ao longo do seu comprimento, refletem-se nas extremidades e, por interferência, ocasionam a formação de ondas estacionárias. A corda, vibrando estacionariamente, transfere energia ao ar em sua volta, dando origem às ondas sonoras que se propagam no ar. A freqüência dessa onda é igual à freqüência de vibração da corda. Assim, uma corda vibrante (ou corda sonora) é uma fonte sonora.  www.fisicaatual.com.br
L L 1o harmônico 2o harmônico L 3o harmônico www.fisicaatual.com.br f= freqüência de vibração da corda = freqüência da onda sonora produzida pela mesma. n= 1; 2; 3.... representa o número do harmônico; V= velocidade da onda na corda; = comprimento de onda da onda na corda;
www.fisicaatual.com.br Na harpa todas as cordas são da mesma espessura, mas possuem comprimentos diferentes para possibilitar sons diferentes (mesma Tração  mesma V ; maior comprimento -> menor frequencia. No violão todas as cordas são de mesmo comprimento, mas possuem espessuras diferentes para possibilitar sons diferentes (mesmo L  corda mais fina -> maior velocidade -> maior frequencia.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Estudo dos gases slides
Estudo dos gases   slidesEstudo dos gases   slides
Estudo dos gases slides
Micaela Neiva
 
Grandezas escalares e vetoriais
Grandezas escalares e vetoriaisGrandezas escalares e vetoriais
Grandezas escalares e vetoriais
fisicaatual
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
fisicaatual
 

Mais procurados (20)

Leis De Newton
Leis De NewtonLeis De Newton
Leis De Newton
 
Slides eletrostatica
Slides eletrostaticaSlides eletrostatica
Slides eletrostatica
 
Eletricidade
EletricidadeEletricidade
Eletricidade
 
Cinemática introdução
Cinemática introduçãoCinemática introdução
Cinemática introdução
 
Magnetismo
MagnetismoMagnetismo
Magnetismo
 
Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)
Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)
Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)
 
Física optica
Física opticaFísica optica
Física optica
 
Potencial elétrico
Potencial elétricoPotencial elétrico
Potencial elétrico
 
Força e movimento
Força e movimentoForça e movimento
Força e movimento
 
Estudo dos gases slides
Estudo dos gases   slidesEstudo dos gases   slides
Estudo dos gases slides
 
Grandezas escalares e vetoriais
Grandezas escalares e vetoriaisGrandezas escalares e vetoriais
Grandezas escalares e vetoriais
 
Hidrostática
HidrostáticaHidrostática
Hidrostática
 
Luz
LuzLuz
Luz
 
Introdução à Astronomia
Introdução à AstronomiaIntrodução à Astronomia
Introdução à Astronomia
 
Movimento Circular Uniforme
Movimento Circular UniformeMovimento Circular Uniforme
Movimento Circular Uniforme
 
Cicuito elétrico
Cicuito elétricoCicuito elétrico
Cicuito elétrico
 
Ondas Sonoras
Ondas SonorasOndas Sonoras
Ondas Sonoras
 
Eletrização
EletrizaçãoEletrização
Eletrização
 
Trabalho e Energia Slide
Trabalho e Energia SlideTrabalho e Energia Slide
Trabalho e Energia Slide
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
 

Destaque (20)

Formação das Ondas
Formação das OndasFormação das Ondas
Formação das Ondas
 
Geradores e receptores
Geradores e receptoresGeradores e receptores
Geradores e receptores
 
Trabalho De Física - Ondas
Trabalho De Física - OndasTrabalho De Física - Ondas
Trabalho De Física - Ondas
 
Ondas
OndasOndas
Ondas
 
Ondas 1o bimestre (1)
Ondas   1o bimestre (1)Ondas   1o bimestre (1)
Ondas 1o bimestre (1)
 
Ondas monocromaticas temas de fisica
Ondas monocromaticas temas de fisicaOndas monocromaticas temas de fisica
Ondas monocromaticas temas de fisica
 
Análise de Carregamento Hidrodinâmico em Estruturas Flutuantes - Parte I A Ex...
Análise de Carregamento Hidrodinâmico em Estruturas Flutuantes - Parte I A Ex...Análise de Carregamento Hidrodinâmico em Estruturas Flutuantes - Parte I A Ex...
Análise de Carregamento Hidrodinâmico em Estruturas Flutuantes - Parte I A Ex...
 
Dinâmica
DinâmicaDinâmica
Dinâmica
 
Ondas som e luz 8º ano
Ondas   som e luz 8º anoOndas   som e luz 8º ano
Ondas som e luz 8º ano
 
Campo magnético produzido por corrente site
Campo magnético produzido por corrente siteCampo magnético produzido por corrente site
Campo magnético produzido por corrente site
 
Trabalho e energia site
Trabalho e energia siteTrabalho e energia site
Trabalho e energia site
 
Capacitor site
Capacitor siteCapacitor site
Capacitor site
 
Ondas Eletromagnéticas e Acústica - Física
Ondas Eletromagnéticas e Acústica - FísicaOndas Eletromagnéticas e Acústica - Física
Ondas Eletromagnéticas e Acústica - Física
 
Mudanças de fase 03
Mudanças de fase 03Mudanças de fase 03
Mudanças de fase 03
 
1 ano movimento uniforme
1 ano movimento uniforme1 ano movimento uniforme
1 ano movimento uniforme
 
Dinâmica 1
Dinâmica 1Dinâmica 1
Dinâmica 1
 
Gravitação site
Gravitação siteGravitação site
Gravitação site
 
Leis de kepler
Leis de keplerLeis de kepler
Leis de kepler
 
Gases perfeitos
Gases perfeitosGases perfeitos
Gases perfeitos
 
Lei de coulomb
Lei de coulombLei de coulomb
Lei de coulomb
 

Semelhante a Ondas

New microsoft office word document (3)
New microsoft office word document (3)New microsoft office word document (3)
New microsoft office word document (3)
cesar_sitoe
 
Ondulatória equação de onda e princípio de superposição, reflexão, refração, ...
Ondulatória equação de onda e princípio de superposição, reflexão, refração, ...Ondulatória equação de onda e princípio de superposição, reflexão, refração, ...
Ondulatória equação de onda e princípio de superposição, reflexão, refração, ...
EDJANEKELLYDASILVA
 

Semelhante a Ondas (20)

ESTUDO DA ONDULATÓRIA.pptx
ESTUDO DA ONDULATÓRIA.pptxESTUDO DA ONDULATÓRIA.pptx
ESTUDO DA ONDULATÓRIA.pptx
 
Ondulatória
OndulatóriaOndulatória
Ondulatória
 
Ondas 2 anos
Ondas 2 anosOndas 2 anos
Ondas 2 anos
 
Aula1 ondas
Aula1 ondasAula1 ondas
Aula1 ondas
 
Ondas
OndasOndas
Ondas
 
Ondas
OndasOndas
Ondas
 
Interferencia, interferencia com a luz
Interferencia, interferencia com a luzInterferencia, interferencia com a luz
Interferencia, interferencia com a luz
 
New microsoft office word document (3)
New microsoft office word document (3)New microsoft office word document (3)
New microsoft office word document (3)
 
Ondas
OndasOndas
Ondas
 
Interferência de ondas
Interferência de ondas Interferência de ondas
Interferência de ondas
 
2.ondas
2.ondas2.ondas
2.ondas
 
Focoaula9
Focoaula9Focoaula9
Focoaula9
 
Física 2º ano ensino médio ondulatória equação de onda e princípio de super...
Física 2º ano ensino médio   ondulatória equação de onda e princípio de super...Física 2º ano ensino médio   ondulatória equação de onda e princípio de super...
Física 2º ano ensino médio ondulatória equação de onda e princípio de super...
 
Estudo das ondas - Apostila
Estudo das ondas - ApostilaEstudo das ondas - Apostila
Estudo das ondas - Apostila
 
Ondas 2
Ondas 2Ondas 2
Ondas 2
 
onda
ondaonda
onda
 
Ondulatória.pdf
Ondulatória.pdfOndulatória.pdf
Ondulatória.pdf
 
Ondas
OndasOndas
Ondas
 
Ondulatória equação de onda e princípio de superposição, reflexão, refração, ...
Ondulatória equação de onda e princípio de superposição, reflexão, refração, ...Ondulatória equação de onda e princípio de superposição, reflexão, refração, ...
Ondulatória equação de onda e princípio de superposição, reflexão, refração, ...
 
Ondulatória equação de onda e princípio de superposição, reflexão, refração, ...
Ondulatória equação de onda e princípio de superposição, reflexão, refração, ...Ondulatória equação de onda e princípio de superposição, reflexão, refração, ...
Ondulatória equação de onda e princípio de superposição, reflexão, refração, ...
 

Mais de fisicaatual

Estudo dos gases site
Estudo dos gases siteEstudo dos gases site
Estudo dos gases site
fisicaatual
 
Indução eletromagnética
Indução eletromagnéticaIndução eletromagnética
Indução eletromagnética
fisicaatual
 
Campo magnético
Campo magnéticoCampo magnético
Campo magnético
fisicaatual
 
Trabalho e Energia
Trabalho e Energia Trabalho e Energia
Trabalho e Energia
fisicaatual
 
Espelhos esféricos 03
Espelhos esféricos 03Espelhos esféricos 03
Espelhos esféricos 03
fisicaatual
 
Composição de movimentos
Composição de movimentosComposição de movimentos
Composição de movimentos
fisicaatual
 
Vetor velocidade e aceleração 2003
Vetor velocidade e aceleração 2003Vetor velocidade e aceleração 2003
Vetor velocidade e aceleração 2003
fisicaatual
 
Vetor velocidade e aceleração 2003
Vetor velocidade e aceleração 2003Vetor velocidade e aceleração 2003
Vetor velocidade e aceleração 2003
fisicaatual
 
Circuitos elétricos
Circuitos elétricosCircuitos elétricos
Circuitos elétricos
fisicaatual
 
Circuitos elétricos
Circuitos elétricosCircuitos elétricos
Circuitos elétricos
fisicaatual
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
fisicaatual
 

Mais de fisicaatual (20)

Termodinâmica
TermodinâmicaTermodinâmica
Termodinâmica
 
Estudo dos gases site
Estudo dos gases siteEstudo dos gases site
Estudo dos gases site
 
Ondas
OndasOndas
Ondas
 
Ondas site
Ondas siteOndas site
Ondas site
 
Lentes site
Lentes siteLentes site
Lentes site
 
Hidrostática
HidrostáticaHidrostática
Hidrostática
 
Indução eletromagnética
Indução eletromagnéticaIndução eletromagnética
Indução eletromagnética
 
Campo magnético
Campo magnéticoCampo magnético
Campo magnético
 
Impulso
ImpulsoImpulso
Impulso
 
Trabalho e Energia
Trabalho e Energia Trabalho e Energia
Trabalho e Energia
 
Espelhos esféricos 03
Espelhos esféricos 03Espelhos esféricos 03
Espelhos esféricos 03
 
Espelho plano
Espelho planoEspelho plano
Espelho plano
 
Calorimetria
CalorimetriaCalorimetria
Calorimetria
 
Mcu site
Mcu siteMcu site
Mcu site
 
Composição de movimentos
Composição de movimentosComposição de movimentos
Composição de movimentos
 
Vetor velocidade e aceleração 2003
Vetor velocidade e aceleração 2003Vetor velocidade e aceleração 2003
Vetor velocidade e aceleração 2003
 
Vetor velocidade e aceleração 2003
Vetor velocidade e aceleração 2003Vetor velocidade e aceleração 2003
Vetor velocidade e aceleração 2003
 
Circuitos elétricos
Circuitos elétricosCircuitos elétricos
Circuitos elétricos
 
Circuitos elétricos
Circuitos elétricosCircuitos elétricos
Circuitos elétricos
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
 

Último

Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Dirceu Resende
 

Último (7)

Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
 
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAEAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
 
Apostila e caderno de exercicios de WORD
Apostila e caderno de exercicios de  WORDApostila e caderno de exercicios de  WORD
Apostila e caderno de exercicios de WORD
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
 
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdfFrom_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
 
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
 
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
 

Ondas

  • 1.
  • 3. levam sinais de um lugar a outro
  • 4.
  • 5. CLASSIFICAÇÃO DAS ONDAS www.fisicaatual.com.br MECÂNICA:Precisa de um meio material para se propagar: ELETROMAGNÉTICA: Não precisa de um meio material para se propagar
  • 6. TIPOS DE ONDAS www.fisicaatual.com.br Onda transversal: as partículas do meio vibram numa direção perpendicular à direção de propagação da onda. Partículas do meio movimentam para cima e para baixo. Fonte se movimenta para cima e para baixo. Energia transportada Onda longitudinal: as partículas do meio vibram na mesma direção de propagação da onda. Partículas do meio movimentam para frente e para trás. Fonte se movimenta para frente e para trás. Energia transportada
  • 7. ELEMENTOS DE UMA ONDA Crista da onda Comprimento de onda (λ) Rarefação Comprimento de onda (λ) Comprimento de onda (λ) Vale da onda Amplitude A amplitude de uma onda está relacionada com a sua energia. Quando maior a amplitude de uma onda, maior a energia transportada. Comprimento de onda (λ) Compressão www.fisicaatual.com.br
  • 8. Período (T): é o tempo gasto para se efetuar uma oscilação completa. Também podemos dizer que o período é tempo gasto para percorrer uma distância igual a um comprimento de onda. O período é representado pela letra T. No S.I. a unidade de período é o segundo. www.fisicaatual.com.br
  • 9.   Freqüência (f): representa quantas oscilações completas uma onda dá a cada segundo. Uma oscilação completa representa a passagem de umcomprimento de onda - l . Também pode ser dito que a frequencia representa o número de cristas ou de vales que passam por um ponto em 1 segundo www.fisicaatual.com.br
  • 10. EQUAÇÃO FUNDAMENTAL www.fisicaatual.com.br Enquanto a crista C percorre uma distância igual a λ, o ponto P efetua uma oscilação completa. A onda percorre uma distância igual a λ durante um tempo igual a um período (T). Como, num certo meio, a velocidade de propagação de uma onda é constante: d = V . t λ = V . T Como: T = 1/f λ = V . T -> λ = V . Essa equação é válida para qualquer tipo de onda. A velocidade de uma onda depende do meio onde a onda se propaga.
  • 11. 1 2 1 2 VELOCIDADE DE ONDA NUMA CORDA Uma corda é caracterizada pela sua densidade linear (μ): Cordas iguais: V’ > V Maior tensão na corda -> maior velocidade. Corda 1 menos densa que corda 2: V’ < V Quanto mais densa -> menor a velocidade. onde: T = tensão na corda μ = densidade linear www.fisicaatual.com.br
  • 12. ONDAS EM 1 DIMENSÃO www.fisicaatual.com.br 1 - REFLEXÃO a) Extremidade fixa: o pulso sofre reflexão com inversão de fase, mantendo todas as outras características, inclusive sua velocidade:
  • 13. www.fisicaatual.com.br b) Extremidade móvel: o pulso sofre reflexão sem inversão de fase, mantendo todas as outras características, inclusive sua velocidade:
  • 14. 2 - REFRAÇÃO www.fisicaatual.com.br É uma mudança no meio de propagação da onda. Uma onda muda de velocidade e de comprimento de onda ao mudar de meio, mas a onda não muda de frequência. As duas cordas estão sujeitas à mesma tensão, mas a densidade da corda grossa é maior. A velocidade na corda mais grossa é menor. Como V = λ. f, se a freqüência não muda (só depende da fonte), diminuindo a velocidade, o comprimento de onda diminui. corda grossa corda fina
  • 15. 3 - INTERFERÊNCIA www.fisicaatual.com.br Quando duas ou mais ondas se propagam, simultaneamente, num mesmo meio, diz-se que há uma superposição de ondas. a) Construtiva Se 2 ondas atingem o ponto P no mesmo instante, elas causarão nesse ponto uma perturbação que é igual à soma das perturbações que cada onda causaria se o tivesse atingido individualmente, ou seja, a onda resultante é igual à soma algébrica das ondas que cada uma produziria individualmente no ponto P, no instante considerado. Após a superposição, as ondas continuam a se propagar com as mesmas características que tinham antes.
  • 16. b) destrutiva www.fisicaatual.com.br Os efeitos são subtraídos (soma algébrica), podendo-se anular no caso de duas propagações com deslocamento invertido de mesma amplitude.
  • 17. www.fisicaatual.com.br Quando ocorre o encontro de duas cristas, ambas levantam o meio naquele ponto; por isso ele sobe muito mais. Quando ocorre o encontro entre um vale e uma crista, um deles quer puxar o ponto para baixo e o outro quer puxá-lo para cima. Se a amplitude das duas ondas for a mesma, não ocorrerá deslocamento, pois eles se cancelam (amplitude zero) e o meio não sobe e nem desce naquele ponto.
  • 18. 4 – Onda estacionária www.fisicaatual.com.br São ondas resultantes da superposição de duas ondas de mesma freqüência, mesma amplitude, mesmo comprimento de onda, mesma direção e sentidos opostos. Pode-se obter uma onda estacionária através de uma corda fixa numa das extremidades. Com uma fonte faz-se a outra extremidade vibrar com movimentos verticais periódicos, produzindo-se perturbações regulares que se propagam pela corda. Ao atingirem a extremidade fixa, elas se refletem, retornando com sentido de deslocamento contrário ao anterior. As perturbações se superpõem às outras que estão chegando à parede. Há pontos da corda que não se movimentam (amplitude nula), chamados nós (N), e pontos que vibram com amplitude máxima, chamados ventres (V). Entre nós os pontos da corda vibram com a mesma freqüência, mas com amplitudes diferentes.
  • 19. ONDAS NA ÁGUA www.fisicaatual.com.br Pulsos retos Pulsos circulares
  • 20. O estudo de ondas em duas dimensões pode ser realizado usando uma cuba de ondas. O vibrador produz ondas na superfície da água . Sob intensa iluminação, as ondas são projetadas num anteparo. Regiões claras do anteparo correspondem a cristas da onda produzida na cuba de ondas e regiões escuras correspondem aos vales. A distância entre duas regiões claras sucessivas corresponde a λ. www.fisicaatual.com.br
  • 21. www.fisicaatual.com.br Onda reta projetada por uma cuba de ondas. Onda circular projetada por uma cuba de ondas.
  • 22. www.fisicaatual.com.br 1- REFRAÇÃO A velocidade de uma onda na água depende da profundidade: ondeg representa o módulo da aceleração gravitacional e h, a profundidade da água na cuba. Quanto mais rasa for a lâmina de água, menor será o módulo da velocidade de propagação da onda. A fotografia mostra uma onda reta passando da parte mais rasa, para a parte mais funda de uma cuba ondas: Como a onda não muda de frequencia, se a velocidade aumenta, o comprimento de onda aumenta.
  • 23. 2- DIFRAÇÃO www.fisicaatual.com.br Difração é a propriedade que uma onda possui de contornar um obstáculo ao ser parcialmente interrompida por ele. O comprimento de onda deve ter a mesma ordem de grandeza da dimensão da abertura. Obstáculo Onda incidente
  • 24. www.fisicaatual.com.br Fotografia mostrando uma onda reta, na superfície da água, sofrendo difração.
  • 25. d d λ λ Pode-se acentuar a difração, aumentando-se o comprimento de onda ou diminuindo-se a largura do orifício. www.fisicaatual.com.br
  • 26. 3- INTERFERÊNCIA www.fisicaatual.com.br As duas fontes vibram com a mesma frequencia e batem simultaneamente no líquido. São produzidas cristas e vales simultaneamente. As duas fontes estão em fase:
  • 27. www.fisicaatual.com.br As duas ondas irão se superpor. Abaixo temos fotografia obtida numa cuba de ondas dessa superposição: Podemos observar a presença de linhas que divergem a partir do ponto médio entre as fontes, separando as cristas e vales que se propagam afastando-se das fontes. Estas linhas não se movem e são chamadas de linhas nodais.
  • 28. Nos pontos que constituem as linhas nodais as ondas chegam de tal modo que a crista de uma delas coincide com o vale da outra e, por isso, os deslocamentos que cada uma iria produzir se anulam. Houve interferência destrutiva das ondas, o ponto em repouso é denominado nó e cada linha constituída de nós é uma linha nodal. Entre duas linhas nodais, a crista de uma onda chega juntamente com a crista de outra onda, o mesmo ocorrendo com os vales dessas ondas. Então, nesses pontos, os deslocamentos que cada uma provocaria individualmente se adicionam, gerando duplas cristas e duplos vales que se propagam entre as linhas nodais. Entre as linhas nodais temos uma interferência construtiva das duas ondas, isto é, um ponto nesta posição oscila com uma amplitude igual à somadas amplitudes das ondas que se interferiram. www.fisicaatual.com.br
  • 29. 4- INTERFERÊNCIA DA LUZ www.fisicaatual.com.br Em 1820, Thomas Young usou uma tela preta, com um pequeno orifício para produzir um feixe de luz solar estreito em um quarto escuro. Na trajetória o feixe, colocou uma segunda tela preta com dois pequenos orifícios. Por detrás dessa tela colocou outra branca. Os feixes de luz provenientes das duas fendas interferem construtivamente em alguns pontos e destrutivamente em outros. Ao projetar a luz na tela branca forma obtidas manchas claras e escuras alternadas, ou seja, figuras de interferência.
  • 30. www.fisicaatual.com.br ΔX L Medindo-se ΔX, conhecendo os valores de “L” e “d”, podemos calcular o comprimento de onda da luz vermelha. Trocando-se a cor da luz monocromática, ΔX é alterado e o novo comprimento de onda é calculado.
  • 31. www.fisicaatual.com.br ACÚSTICA Acústica é o estudo das ondas sonoras; Ondas sonoras são mecânicas, longitudinais e tridimensionais; Ondas sonoras não se propagam no vácuo.
  • 32. www.fisicaatual.com.br O som é constituído de pequenas flutuações de pressão de ar. compressão pressão Pressão atmosférica tempo rarefação Comprimento de onda Gás comprimido Gás rarefeito
  • 33. www.fisicaatual.com.br A VELOCIDADE DO SOM As ondas sonoras propagam-se em meios sólidos, líquidos e gasosos, com velocidades que dependem das diferentes características dos materiais. De um modo geral, as velocidades maiores ocorrem nos sólidos e as menores, nos gases. A 20°C, o som propaga-se no ferro sólido a 5100m/s, na água líquida a 1450m/s e no ar a 343m/s.  Densidade  velocidade 
  • 35. Infra-som Som audível Ultra-som f (Hz) 0 20 20.000 www.fisicaatual.com.br FAIXA AUDÍVEL Infra-som: sons com freqüências abaixo de 20Hz. Não perceptível ao ser humano; Ultra-som: sons com freqüências acima de 20000Hz. Não perceptível ao ser humano; Som audível: sons com freqüências perceptíveis ao ser humano (20Hz a 20000Hz)
  • 36. www.fisicaatual.com.br INTENSIDADE DO SOM qualidade que permite diferenciar um som forte de um som fraco. A intensidade do som está relacionada com energia que a onda transfere( com a amplitude da onda). Uma onda sonora de maior amplitude. Um som de maior volume Maior transporte de energia pela onda Som de maior intensidade
  • 37. www.fisicaatual.com.br A intensidade sonora está relacionado a Amplitude da onda. Som fraco Som forte
  • 38.
  • 39. www.fisicaatual.com.br Fonte: Sociedade Brasileira de Otologia
  • 40. www.fisicaatual.com.br Fonte: Sociedade Brasileira de Otologia
  • 41.
  • 42. As cores diferentes apresentam frequencias diferentes.grave agudo
  • 43. O TIMBRE DO SOM www.fisicaatual.com.br Qualidade que permite diferenciar duas ondas sonoras de mesma altura e mesma intensidade, emitidos por fontes distintas. O timbre está relacionado à forma da onda emitida pelo instrumento.
  • 45. www.fisicaatual.com.br REFLEXÃO DO SOM Persistência acústica : menor intervalo de tempo para que dois sons não se separem no cérebro. A persistência acústica do ouvido humano é de 0,1s. Um ouvinte consegue distinguir dois sons distintos desde que os receba em intervalos de tempo maiores (ou iguais) a 0,1s. Esse fato possibilita ao observador perceber o fenômeno do eco. O nosso ouvido só distingue duas vezes seguidas o mesmo som se tiverem uma diferença de 0,10 s. Considerando a velocidade do som no ar igual a 340 m/s, nesse intervalo de tempo, a distância percorrida pelo som é de 34 metros. Para que haja eco, as ondas sonoras devem efetuar duas vezes o mesmo percurso (ir e voltar). Portanto, 17 metros é a distância mínima necessária, entre nós e um obstáculo para conseguirmos ouvir eco. X= 17 m
  • 46. www.fisicaatual.com.br O sonar foi aperfeiçoado por uma equipe de cientistas ingleses em 1939, tendo sido também muito utilizado na Segunda Guerra Mundial.Ultrassons são emitidos por um projetor especial e, quando encontra um obstáculo, refletem-se nele e voltam ao ponto de partida. Essa viagem de ida e volta é que permite determinar a presença do objetos e a sua distância. Essa distância é calculada pelo tempo que a onda sonora leva para chegar até o obstáculo e retornar ao ponto de partida.   É possível também conhecer-se o tipo de obstáculo encontrado: para isso usa-se o hidrofone, uma espécie de microfone ultra-sensível mergulhado na água. O golfinho é que "inventou" o sonar, pois ele emite ultra-sons de baixo da água, para se orientar. E o sonar nada mais é que uma cópia artificial dessa idéia.                          
  • 47. RESSONÂNCIA E FREQUENCIAS NATURAIS Batendo-se numa das hastes do diapasão, as duas vibram com determinada freqüência (normalmente, 440Hz). Essa é a freqüência natural (ou própria) do diapasão. Todos os corpos possuem uma freqüência própria (prédio, ponte, copo, etc.). A Ressonância é gerada quando uma fonte emite um som de frequência igual à frequência de vibração natural de um receptor. Como em todo tipo de ressonância, ocorre uma espécie de amplificação do som, aumentando a intensidade deste. DIAPASÃO www.fisicaatual.com.br
  • 48. www.fisicaatual.com.br Nos Estados Unidos, a ponte sobre o Estreito de Tacoma, logo após ser liberada ao tráfego, começou a balançar sempre que o vento soprava um pouco mais forte. No dia 7 de Novembro de 1940 aconteceu a ressonância. Inicialmente, a ponte começou a vibrar em modos longitudinais, isto é, ao longo de seu comprimento. Logo apareceram os chamados "modos torsionais", nos quais a ponte balançava para os lados, se torcendo toda. Na ressonância, a amplitude desses modos torsionais aumentou de tal forma que a ponte desabou.
  • 49. www.fisicaatual.com.br A Física sugere que a voz é capaz de quebrar vidro. Cada pedaço de vidro, assim como todos os materiais, possui uma freqüência ressonante. Taças de vinho são especialmente ressonantes devido à sua estrutura tubular interna oca, que produz um som agradável ao tinir. Se uma pessoa conseguir cantar neste tom exato – que de acordo com a lenda é um “Si Maior” mas, na verdade, pode ser qualquer tom – sua voz fará as moléculas do ar em volta da taça vibrarem em uma freqüência, forçando-a a vibrar também. Se a nota for emitida suficiente alta, o copo irá vibrar até quebrar. Em 2005, o programa “Mythbusters” (“Os Caçadores de Mitos)”, do Discovery Channel, recrutou um cantor de rock, Jamie Vendera, e um treinador vocal, para ensiná-lo a destruir cristais. Ele tentou, sem sorte, quebrar 12 taças de vinho, até que encontrou aquela que se estilhaçou com o som. A intensidade sonora foi de 105 decibéis.
  • 50. MICRO-ONDAS www.fisicaatual.com.br O Forno de microondas foi inventado pelo engenheiro PercyLebaron Spencer e começou a ser utilizada em 1946. O componente mais importante do forno de microondas é o magnetron que gera microonda. As microondas são ondas eletromagnéticas e sua frequência é de 2,5 gigahertz. Estas ondas, especificamente nesta freqüência, possuem uma propriedade interessante: são absorvidas pela água, açúcares e lipídeos (gordura). Se a molécula for sujeita a um campo elétrico, ela irá orientar-se de acordo com a direção do campo aplicado. Se aplicarmos um campo elétrico fixo, a molécula irá se orientar apenas uma vez, estabilizando-se. Se atuar um campo elétrico que varie com o tempo, trocando de sentido com grande rapidez (frequencia elevada), a molécula irá oscilar continuamente. As ondas eletromagnéticas são constituídas de campo magnético (aqui irrelevante) e elétrico que trocam de sentido de acordo com a frequencia. Uma molécula sozinha não encontra resistência ao seu movimento, conseguindo orientar-se rapidamente na direção de qualquer campo elétrico. Mas na presença de outras moléculas, uma molécula encontra resistência em se alinhar, atritando outras moléculas. Esse atrito causa aquecimento. Quanto maior a frequencia da onda eletromagnética aplicada, mais rápido o aquecimento. Como os alimentos contêm água, a sua exposição a microondas (ondas eletromagnéticas de alta frequencia) irá aquecê-los. No caso de materiais como plásticos e pratos, eles não aquecem como os alimentos, porque as suas estruturas são apolares, diferentes da água, açúcares e da gordura que são polares.
  • 51. EFEITO DOPPLER www.fisicaatual.com.br O efeito Doppler, para ondas sonoras, constitui o fenômeno pelo qual um observador percebe uma freqüência diferente daquela emitida por uma fonte, devido ao movimento relativo entre eles (observador e fonte). É o que acontece quando uma ambulância, com sua sirene ligada, passa por um observador (parado ou não). Enquanto a ambulância se aproxima, a frequência por ele percebida é maior que a real (mais aguda); mas, à medida que ela se afasta, a frequência percebida é menor (mais grave). Fonte em repouso em relação ao observador.
  • 52. www.fisicaatual.com.br Observador em Repouso e fonte em movimento Fonte aproxima-se do observador O1: haverá um encurtamento aparente do comprimento de onda 1, em relação ao  normal. A frequência percebida pelo observador será maior que a frequência real da fonte. Fonte afasta-se do observador O2, haverá um alongamento aparente do comprimento de onda 2, em relação ao  normal. A frequência percebida pelo observador será menor que a frequência real da fonte.
  • 53. Observador em repouso e fonte em movimento www.fisicaatual.com.br Para o observador O1, que se aproxima de F, haverá um maior número de encontros com as frentes de onda, do que se estivesse parado. A frequência por ele percebida será maior que a normal. Para o observador O2, que se afasta de F, haverá um menor número de encontros com as frentes de onda, do que se estivesse parado. A frequência por ele percebida será menor que a normal.
  • 54. www.fisicaatual.com.br f`= freqüência aparente (percebida pelo ouvinte) f = freqüência real da fonte Aproximação entre e a fonte e o ouvinte: “+” no numerador e “–” no denominador. Afastamento entre a fonte e o ouvinte: “-” no numerador e “+” no denominador.
  • 55. CORDAS VIBRANTES Quando uma corda, tensa e fixa nas extremidades, é posta a vibrar, originam-se ondas transversais que se propagam ao longo do seu comprimento, refletem-se nas extremidades e, por interferência, ocasionam a formação de ondas estacionárias. A corda, vibrando estacionariamente, transfere energia ao ar em sua volta, dando origem às ondas sonoras que se propagam no ar. A freqüência dessa onda é igual à freqüência de vibração da corda. Assim, uma corda vibrante (ou corda sonora) é uma fonte sonora. www.fisicaatual.com.br
  • 56. L L 1o harmônico 2o harmônico L 3o harmônico www.fisicaatual.com.br f= freqüência de vibração da corda = freqüência da onda sonora produzida pela mesma. n= 1; 2; 3.... representa o número do harmônico; V= velocidade da onda na corda; = comprimento de onda da onda na corda;
  • 57. www.fisicaatual.com.br Na harpa todas as cordas são da mesma espessura, mas possuem comprimentos diferentes para possibilitar sons diferentes (mesma Tração  mesma V ; maior comprimento -> menor frequencia. No violão todas as cordas são de mesmo comprimento, mas possuem espessuras diferentes para possibilitar sons diferentes (mesmo L  corda mais fina -> maior velocidade -> maior frequencia.
  • 58. 3 /2 2 /2 3 /2 1 /2 L L L 2 /2 3 /2 TUBOS SONOROS www.fisicaatual.com.br Se uma fonte sonora for colocada na extremidade aberta de um tubo, as ondas sonoras emitidas irão superpor-se às que se refletirem nas paredes do tubo, produzindo ondas estacionárias com determinadas freqüências. Uma extremidade aberta sempre corresponde a um ventre (interferência construtiva) e a fechada, a um nó (interferência destrutiva). TUBO ABERTO n= 1; 2; 3...representa o número do harmônico
  • 59. 5 /4 3 /4 5 /4 3 /4 1 /4 L L L 5 /4 5 /4 3 /4 5 /4 www.fisicaatual.com.br TUBO FECHADO No tubo fechado, obtêm-se freqüências naturais apenas dos harmônicos ímpares. n=1 ; 3 ; 5 ...  representa o número do harmônico.