SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
Baixar para ler offline
Faculdade Pitágoras de IpatingaFaculdade Pitágoras de Ipatinga
O GERENCIAMENTO EMO GERENCIAMENTO EM
TEMPO REAL DA MANUTENÇÃOTEMPO REAL DA MANUTENÇÃO
CENTRADA EM CONFIABILIDADECENTRADA EM CONFIABILIDADE
Para obtenção do título dePara obtenção do título de
Engenheiro MecânicoEngenheiro MecânicoAutor: Douglas Pinho Soares
TEMA DA PESQUISATEMA DA PESQUISA
• Manutenção centrada em confiabilidade (MCC)
Reliability Centered Maintenance (RCM);
• Gestão em tempo real;
• Evoluções tecnológicas;
• Aplicação das normas;
• Trabalho em equipe;
• Eliminação das falhas mecânicas.
DELIMITAÇÃO DO TEMADELIMITAÇÃO DO TEMA
• O que deve ser feito para aumentar a confiabilidade da manutenção mecânica de forma
a aumentar o lucro da empresa?
Vivemos em tempos de grande crise econômica em que muitas empresas do ramo metal mecânica
têm buscado a redução de custos a fim de sobreviverem no mercado. Grandes partes dessas
empresas têm gastos exorbitantes para manterem os equipamentos mecânicos funcionando de forma
a aproveitar melhor a vida útil de suas peças.
• Investimento na MCC podem reduzir os custos por perda de produção;
• Principais conceitos e teoria da ferramenta MMC;
• Como manter os equipamentos mecânicos funcionando de forma a aproveitar melhor a vida
útil de suas peças;
OBJETIVOSOBJETIVOS
OBJETIVO GERAL OU PRIMÁRIO:OBJETIVO GERAL OU PRIMÁRIO:
•Aumentar a confiabilidade da manutenção mecânica utilizando os recursos da gestão em
tempo real para aperfeiçoar a produção.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS OU SECUNDÁRIOS:OBJETIVOS ESPECÍFICOS OU SECUNDÁRIOS:
•Aumentar a confiabilidade da manutenção mecânica com o intuito de reduzir o número de
paradas de emergência;
•Aumentar a precisão e a velocidade em detectar e corrigir as falhas nos equipamentos
otimizando os custos com a manutenção mecânica;
•Monitorar a produção da empresa em tempo real permitindo acompanhar as mudanças das
variáveis do equipamento.
PRESSUPOSTOS TEÓRICOSPRESSUPOSTOS TEÓRICOS
Principais conceitos e normas:
• Confiabilidade é a capacidade de um item de desempenhar uma função requerida sob
condições especificadas, durante um intervalo de tempo (NBR 5462-1994);
• NR-12 : As máquinas e equipamentos devem ser submetidos à manutenção preventiva e
corretiva, na forma e periodicidade determinada pelo fabricante, conforme as normas técnicas
oficiais nacionais vigentes e, na falta destas, as normas técnicas internacionais.
Figura 01 – Exemplo de curva da banheira
Fonte: BATALHA, 2008
Manutenção corretiva - é feita
somente após a peça quebrar;
Manutenção preventiva - é feita
periodicamente em um prazo
estabelecido.
Manutenção preditiva - Feita por
medições ou por controle estatístico
que tentam predizer a proximidade da
ocorrência da falha.
PRESSUPOSTOS TEÓRICOSPRESSUPOSTOS TEÓRICOS
Década de 80
Prancheta;
Morosidade na informação;
Maior risco de perda;
Manutenção baseada no tempo.
Atualmente
Computador;
Rapidez na informação;
Menor risco de perdas;
Manutenção baseada no planejamento.
Gestão em tempo real
A gestão em tempo real da MCC utiliza-se na maior parte do tempo a manutenção preditiva.
A tendência é ser instalado nas máquinas um coletor que captura os dados de forma automática
em tempo real. Com umas simples instalação utilizando a rede wi fi.
PRESSUPOSTOS TEÓRICOSPRESSUPOSTOS TEÓRICOS
Figura 02 – Tela da engenharia
Fonte: Simplificando o gerenciamento da manutenção usando o MMS
Plataforma virtual
Dentro dessa plataforma, é possível se comunicar com outros usuários através de um sistema de colaboração,
onde eles recebem alertas por computador e celular, com detalhes sobre os problemas. Desse modo os técnicos
recebem orientação de como realizar o trabalho e as direções a serem tomadas. A rede de colaboração permite
que eles mandem fotos do problema para outros técnicos e engenheiros auxiliarem na tarefa. (SCIUTOO, 2015)
PRESSUPOSTOS TEÓRICOSPRESSUPOSTOS TEÓRICOS
Trabalho em equipe
• Deve haver melhorias na estrutura da empresa tanto em
termos materiais como em termos humanos ;
• A equipe de manutenção não deve esperar as peças
quebrarem para poderem ser substituídas;
• Todos devem participar da solução de algum problema
da empresa.
Importantes classificações de causas de falha são:
1. Falhas de projeto;
2. Defeitos de materiais;
3. Deficiências de processos de fabricação;
4. Erros de montagem ou instalação;
5. Condições de operações inadequadas;
6. Manutenção inadequada (procedimentos negligenciados);
7. Operação inadequada.
(GEITNER, 2015)
Figura 03 – Gráfico dos custos de perda de produção e custos
De manutenção em função do nível de manutenção
Fonte: Gestão financeira da manutenção. CÉZAR, 2005
Figura 03 – Gráfico dos custos de perda de produção e custos
De manutenção em função do nível de manutenção
Fonte: Gestão financeira da manutenção. CÉZAR, 2005
CONSIDERAÇÕES FINAIS
• A manutenção centrada em confiabilidade e a gestão em tempo real
podem aumentar a disponibilidade dos equipamentos mecânicos.
• Algumas normas devem ser seguidas e alguns fatores devem ser levados
em conta como o trabalho em equipe voltado para a eliminação das
falhas mecânicas para aumentar a vida útil das peças.
• As boas práticas das técnicas da manutenção mecânica aliadas ao
monitoramento em tempo real da produção podem caminhar rumo a
excelência da qualidade dos produtos.
REFERÊNCIAS
Associação brasileira de normas técnicas. NBR 5462: Confiabilidade e mantenabilidade.
Rio de janeiro: ABNT, 1994.
BARACHO, Fernando. Gestão da qualidade total. Fundação biblioteca nacional. 2009.
BATALHA, Mário Otávio. Introdução à Engenharia de Produção. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.
BAZZO, Walter. Introdução a Engenharia mecânica conceitos, ferramentas e equipamentos.
Florianópolis: Editora da UFSC ed.2006.
CAMPOS , V. F. T.Q.C. Controle da qualidade total (no estilo japonês).5ed. Rio de janeiro: Bloch
Editores s.a. 1994.
GEITNER, Fred. Análise e solução de falhas em sistemas mecânicos. Rio de Janeiro: Editora Elsevier
ed. 2015.
VIANA, Herbert. Planejamento e controle da manutenção. Rio de Janeiro: Qualitymark ed. 2002.
MENSAGEM FINAL
“A confiança é o maior patrimônio
de qualquer empresa.
Nada útil pode sobreviver sem ela.”
Albert Schweitzer

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Manual de manutenção industrial do senai
Manual de manutenção industrial do senaiManual de manutenção industrial do senai
Manual de manutenção industrial do senaiizaudaMonteiro
 
WCM 2009-TT04-Rigesa Programa PPSP Produção Sem Perdas
WCM 2009-TT04-Rigesa Programa PPSP Produção Sem PerdasWCM 2009-TT04-Rigesa Programa PPSP Produção Sem Perdas
WCM 2009-TT04-Rigesa Programa PPSP Produção Sem PerdasEXCELLENCE CONSULTING
 
Apresentação palestra-manutenção-e-segurança-em-edificações
Apresentação palestra-manutenção-e-segurança-em-edificaçõesApresentação palestra-manutenção-e-segurança-em-edificações
Apresentação palestra-manutenção-e-segurança-em-edificaçõesPaulo H Bueno
 
Relatório de seguranca do trabalho
Relatório de seguranca do trabalhoRelatório de seguranca do trabalho
Relatório de seguranca do trabalhoDouglas Silva
 
World Class Manufacturing, Fábrica Oculta e OEE
World Class Manufacturing, Fábrica Oculta e OEEWorld Class Manufacturing, Fábrica Oculta e OEE
World Class Manufacturing, Fábrica Oculta e OEEFlavio Maeda
 
Manual plano de emergencia polo de camaçari
Manual plano de emergencia polo de camaçariManual plano de emergencia polo de camaçari
Manual plano de emergencia polo de camaçarijuliamartins
 
Relatorio de estagio_tecnico_eletromecanica
Relatorio de estagio_tecnico_eletromecanicaRelatorio de estagio_tecnico_eletromecanica
Relatorio de estagio_tecnico_eletromecanicaHudson Sousa
 
Relatório - Curso Técnico de Eletrônica
Relatório - Curso Técnico de EletrônicaRelatório - Curso Técnico de Eletrônica
Relatório - Curso Técnico de EletrônicaFrederico José S. Gomes
 
Relatório Final - Estágio Supervisionado - Pedro Victor Gomes
Relatório Final - Estágio Supervisionado - Pedro Victor GomesRelatório Final - Estágio Supervisionado - Pedro Victor Gomes
Relatório Final - Estágio Supervisionado - Pedro Victor GomesPedro Victor Gomes Cabral de Brito
 
Aplicação da filosofia lean na área da manutenção
Aplicação da filosofia lean na área da manutençãoAplicação da filosofia lean na área da manutenção
Aplicação da filosofia lean na área da manutençãoclaudio oliveira
 
A NORMA IATF 16949:2016 E A HOMOLOGAÇÃO DOS FORNECEDORES DE INSUMOS E EMBALA...
A NORMA IATF 16949:2016 E A  HOMOLOGAÇÃO DOS FORNECEDORES DE INSUMOS E EMBALA...A NORMA IATF 16949:2016 E A  HOMOLOGAÇÃO DOS FORNECEDORES DE INSUMOS E EMBALA...
A NORMA IATF 16949:2016 E A HOMOLOGAÇÃO DOS FORNECEDORES DE INSUMOS E EMBALA...ScienceTec & CorrTec-Engineering
 
Implantação do sistema tpm em prensas hidraúlicas no setor de conformação na ...
Implantação do sistema tpm em prensas hidraúlicas no setor de conformação na ...Implantação do sistema tpm em prensas hidraúlicas no setor de conformação na ...
Implantação do sistema tpm em prensas hidraúlicas no setor de conformação na ...edilson Mendes da silva
 
Trabalho de manutenção produtiva total
Trabalho de manutenção produtiva totalTrabalho de manutenção produtiva total
Trabalho de manutenção produtiva totalPaulo Henrique
 
Planejamento de trabalho julho
Planejamento de trabalho julhoPlanejamento de trabalho julho
Planejamento de trabalho julhoWELINGTON JUSTO
 

Mais procurados (20)

Manual de manutenção industrial do senai
Manual de manutenção industrial do senaiManual de manutenção industrial do senai
Manual de manutenção industrial do senai
 
WCM 2009-TT04-Rigesa Programa PPSP Produção Sem Perdas
WCM 2009-TT04-Rigesa Programa PPSP Produção Sem PerdasWCM 2009-TT04-Rigesa Programa PPSP Produção Sem Perdas
WCM 2009-TT04-Rigesa Programa PPSP Produção Sem Perdas
 
Apresentação palestra-manutenção-e-segurança-em-edificações
Apresentação palestra-manutenção-e-segurança-em-edificaçõesApresentação palestra-manutenção-e-segurança-em-edificações
Apresentação palestra-manutenção-e-segurança-em-edificações
 
Relatório de seguranca do trabalho
Relatório de seguranca do trabalhoRelatório de seguranca do trabalho
Relatório de seguranca do trabalho
 
World Class Manufacturing, Fábrica Oculta e OEE
World Class Manufacturing, Fábrica Oculta e OEEWorld Class Manufacturing, Fábrica Oculta e OEE
World Class Manufacturing, Fábrica Oculta e OEE
 
Manual plano de emergencia polo de camaçari
Manual plano de emergencia polo de camaçariManual plano de emergencia polo de camaçari
Manual plano de emergencia polo de camaçari
 
Impermeabilização
ImpermeabilizaçãoImpermeabilização
Impermeabilização
 
Apresentação CONTGESP
Apresentação CONTGESPApresentação CONTGESP
Apresentação CONTGESP
 
Fmci cap 9kioy
Fmci cap 9kioyFmci cap 9kioy
Fmci cap 9kioy
 
Relatorio de estagio_tecnico_eletromecanica
Relatorio de estagio_tecnico_eletromecanicaRelatorio de estagio_tecnico_eletromecanica
Relatorio de estagio_tecnico_eletromecanica
 
Relatório - Curso Técnico de Eletrônica
Relatório - Curso Técnico de EletrônicaRelatório - Curso Técnico de Eletrônica
Relatório - Curso Técnico de Eletrônica
 
Mapeamento dos sete desperdícios
Mapeamento dos sete desperdíciosMapeamento dos sete desperdícios
Mapeamento dos sete desperdícios
 
Relatório Final - Estágio Supervisionado - Pedro Victor Gomes
Relatório Final - Estágio Supervisionado - Pedro Victor GomesRelatório Final - Estágio Supervisionado - Pedro Victor Gomes
Relatório Final - Estágio Supervisionado - Pedro Victor Gomes
 
Aplicação da filosofia lean na área da manutenção
Aplicação da filosofia lean na área da manutençãoAplicação da filosofia lean na área da manutenção
Aplicação da filosofia lean na área da manutenção
 
Aula 07 eq 2015 01 fameg inicio modulo 03
Aula 07 eq 2015 01 fameg inicio modulo 03Aula 07 eq 2015 01 fameg inicio modulo 03
Aula 07 eq 2015 01 fameg inicio modulo 03
 
A NORMA IATF 16949:2016 E A HOMOLOGAÇÃO DOS FORNECEDORES DE INSUMOS E EMBALA...
A NORMA IATF 16949:2016 E A  HOMOLOGAÇÃO DOS FORNECEDORES DE INSUMOS E EMBALA...A NORMA IATF 16949:2016 E A  HOMOLOGAÇÃO DOS FORNECEDORES DE INSUMOS E EMBALA...
A NORMA IATF 16949:2016 E A HOMOLOGAÇÃO DOS FORNECEDORES DE INSUMOS E EMBALA...
 
REFRISAT NEWS 212
REFRISAT NEWS 212REFRISAT NEWS 212
REFRISAT NEWS 212
 
Implantação do sistema tpm em prensas hidraúlicas no setor de conformação na ...
Implantação do sistema tpm em prensas hidraúlicas no setor de conformação na ...Implantação do sistema tpm em prensas hidraúlicas no setor de conformação na ...
Implantação do sistema tpm em prensas hidraúlicas no setor de conformação na ...
 
Trabalho de manutenção produtiva total
Trabalho de manutenção produtiva totalTrabalho de manutenção produtiva total
Trabalho de manutenção produtiva total
 
Planejamento de trabalho julho
Planejamento de trabalho julhoPlanejamento de trabalho julho
Planejamento de trabalho julho
 

Destaque

Apresentação do meu Trabalho de Conclusão do Curso de Eng. Ind. Mecânica
Apresentação do meu Trabalho de Conclusão do Curso de Eng. Ind. MecânicaApresentação do meu Trabalho de Conclusão do Curso de Eng. Ind. Mecânica
Apresentação do meu Trabalho de Conclusão do Curso de Eng. Ind. MecânicaCarlos Alberto
 
Curso de Gestão do tempo - Parte 3/3
Curso de Gestão do tempo - Parte 3/3Curso de Gestão do tempo - Parte 3/3
Curso de Gestão do tempo - Parte 3/3ABCursos OnLine
 
Curso de Gestão do tempo -Parte 2/3
Curso de Gestão do tempo -Parte 2/3Curso de Gestão do tempo -Parte 2/3
Curso de Gestão do tempo -Parte 2/3ABCursos OnLine
 
Projeto de Gestão de Entrega com baixas online
Projeto de Gestão de Entrega com baixas onlineProjeto de Gestão de Entrega com baixas online
Projeto de Gestão de Entrega com baixas onlineRoberson Buffulin
 
Curso de Gestão do tempo - Parte 1/3
Curso de Gestão do tempo - Parte 1/3Curso de Gestão do tempo - Parte 1/3
Curso de Gestão do tempo - Parte 1/3ABCursos OnLine
 
Curso de gestão de pessoal parte 5/5
Curso de gestão de pessoal   parte 5/5Curso de gestão de pessoal   parte 5/5
Curso de gestão de pessoal parte 5/5ABCursos OnLine
 
Gestão de Projetos De engenharia - (TAP) TERMO DE ABERTURA DE PROJETO-PRESTAÇ...
Gestão de Projetos De engenharia - (TAP) TERMO DE ABERTURA DE PROJETO-PRESTAÇ...Gestão de Projetos De engenharia - (TAP) TERMO DE ABERTURA DE PROJETO-PRESTAÇ...
Gestão de Projetos De engenharia - (TAP) TERMO DE ABERTURA DE PROJETO-PRESTAÇ...Carlos Dias
 
Auto-gestão, negócios e produtividade - Agile Floripa 2016
Auto-gestão, negócios e produtividade - Agile Floripa 2016Auto-gestão, negócios e produtividade - Agile Floripa 2016
Auto-gestão, negócios e produtividade - Agile Floripa 2016Victor Hugo Germano
 
OrganizaçãO Da ManutençãO 2008
OrganizaçãO Da ManutençãO 2008OrganizaçãO Da ManutençãO 2008
OrganizaçãO Da ManutençãO 2008guest122c68e
 
Projetos de Engenharia - Conceitos Básicos - Aragon Salvador
Projetos de Engenharia - Conceitos Básicos - Aragon SalvadorProjetos de Engenharia - Conceitos Básicos - Aragon Salvador
Projetos de Engenharia - Conceitos Básicos - Aragon SalvadorAragon Vieira
 
Gestão do tempo
Gestão do tempoGestão do tempo
Gestão do tempoLaysa Cunha
 
Visão moderna manutenção rev001
Visão moderna manutenção rev001Visão moderna manutenção rev001
Visão moderna manutenção rev001Allen Gadelha
 

Destaque (20)

Apresentação do meu Trabalho de Conclusão do Curso de Eng. Ind. Mecânica
Apresentação do meu Trabalho de Conclusão do Curso de Eng. Ind. MecânicaApresentação do meu Trabalho de Conclusão do Curso de Eng. Ind. Mecânica
Apresentação do meu Trabalho de Conclusão do Curso de Eng. Ind. Mecânica
 
Curso de Gestão do tempo - Parte 3/3
Curso de Gestão do tempo - Parte 3/3Curso de Gestão do tempo - Parte 3/3
Curso de Gestão do tempo - Parte 3/3
 
Curso de Gestão do tempo -Parte 2/3
Curso de Gestão do tempo -Parte 2/3Curso de Gestão do tempo -Parte 2/3
Curso de Gestão do tempo -Parte 2/3
 
Projeto de Gestão de Entrega com baixas online
Projeto de Gestão de Entrega com baixas onlineProjeto de Gestão de Entrega com baixas online
Projeto de Gestão de Entrega com baixas online
 
Curso de Gestão do tempo - Parte 1/3
Curso de Gestão do tempo - Parte 1/3Curso de Gestão do tempo - Parte 1/3
Curso de Gestão do tempo - Parte 1/3
 
Ebook departamento-pessoal
Ebook departamento-pessoalEbook departamento-pessoal
Ebook departamento-pessoal
 
Curso de gestão de pessoal parte 5/5
Curso de gestão de pessoal   parte 5/5Curso de gestão de pessoal   parte 5/5
Curso de gestão de pessoal parte 5/5
 
Time Management Part 2
Time Management Part 2Time Management Part 2
Time Management Part 2
 
Semana11
Semana11Semana11
Semana11
 
Gestão de Projetos De engenharia - (TAP) TERMO DE ABERTURA DE PROJETO-PRESTAÇ...
Gestão de Projetos De engenharia - (TAP) TERMO DE ABERTURA DE PROJETO-PRESTAÇ...Gestão de Projetos De engenharia - (TAP) TERMO DE ABERTURA DE PROJETO-PRESTAÇ...
Gestão de Projetos De engenharia - (TAP) TERMO DE ABERTURA DE PROJETO-PRESTAÇ...
 
Gestão de Projetos
Gestão de ProjetosGestão de Projetos
Gestão de Projetos
 
Auto-gestão, negócios e produtividade - Agile Floripa 2016
Auto-gestão, negócios e produtividade - Agile Floripa 2016Auto-gestão, negócios e produtividade - Agile Floripa 2016
Auto-gestão, negócios e produtividade - Agile Floripa 2016
 
Gestão do tempo
Gestão do tempoGestão do tempo
Gestão do tempo
 
OrganizaçãO Da ManutençãO 2008
OrganizaçãO Da ManutençãO 2008OrganizaçãO Da ManutençãO 2008
OrganizaçãO Da ManutençãO 2008
 
Administração do Tempo
Administração do TempoAdministração do Tempo
Administração do Tempo
 
Projetos de Engenharia - Conceitos Básicos - Aragon Salvador
Projetos de Engenharia - Conceitos Básicos - Aragon SalvadorProjetos de Engenharia - Conceitos Básicos - Aragon Salvador
Projetos de Engenharia - Conceitos Básicos - Aragon Salvador
 
Portfólio dia 20.05.2011
Portfólio dia 20.05.2011Portfólio dia 20.05.2011
Portfólio dia 20.05.2011
 
Gestão do tempo
Gestão do tempoGestão do tempo
Gestão do tempo
 
GESTÃO DO TEMPO EM PROJETOS - MBA EM GESTÃO DE PROJETOS DA PUC/GO
GESTÃO DO TEMPO EM PROJETOS - MBA EM GESTÃO DE PROJETOS DA PUC/GOGESTÃO DO TEMPO EM PROJETOS - MBA EM GESTÃO DE PROJETOS DA PUC/GO
GESTÃO DO TEMPO EM PROJETOS - MBA EM GESTÃO DE PROJETOS DA PUC/GO
 
Visão moderna manutenção rev001
Visão moderna manutenção rev001Visão moderna manutenção rev001
Visão moderna manutenção rev001
 

Semelhante a O gerenciamento em tempo real da manutenção centrada em confiabilidade mecânica

Perguntas e respostas de manutenção
Perguntas e respostas de manutençãoPerguntas e respostas de manutenção
Perguntas e respostas de manutençãooantu
 
Monografia redutor d valoi
Monografia redutor d  valoiMonografia redutor d  valoi
Monografia redutor d valoiNelsonMacandza1
 
Manutenc3a7c3a3o de-mc3a1quinas-e-equipamentos
Manutenc3a7c3a3o de-mc3a1quinas-e-equipamentosManutenc3a7c3a3o de-mc3a1quinas-e-equipamentos
Manutenc3a7c3a3o de-mc3a1quinas-e-equipamentosRenan Guerra
 
Apresentação MÓDULO 17.pptx
Apresentação MÓDULO 17.pptxApresentação MÓDULO 17.pptx
Apresentação MÓDULO 17.pptxJooBaptista70
 
Atps passo1 gestão de manutenção
Atps passo1 gestão de manutençãoAtps passo1 gestão de manutenção
Atps passo1 gestão de manutençãoRodrigo Cotrim
 
Engenharia de Manutenção
Engenharia de Manutenção Engenharia de Manutenção
Engenharia de Manutenção Marcos Abreu
 
ManutençãO EstratéGica Linkedin
ManutençãO EstratéGica LinkedinManutençãO EstratéGica Linkedin
ManutençãO EstratéGica Linkedinmariofilho
 
Apresentação MÓDULO 17 (AULA 6-11-2023).pdf
Apresentação MÓDULO 17 (AULA 6-11-2023).pdfApresentação MÓDULO 17 (AULA 6-11-2023).pdf
Apresentação MÓDULO 17 (AULA 6-11-2023).pdfJooBaptista70
 
A_Introducao_a_manutencao.ppt aula sobre tipos de manutenção e como e subdiv...
A_Introducao_a_manutencao.ppt aula  sobre tipos de manutenção e como e subdiv...A_Introducao_a_manutencao.ppt aula  sobre tipos de manutenção e como e subdiv...
A_Introducao_a_manutencao.ppt aula sobre tipos de manutenção e como e subdiv...JOOPAULOTEIXEIRA15
 
1 introdução à manutenção
1  introdução à manutenção1  introdução à manutenção
1 introdução à manutençãoJosé Oscar Sousa
 
Planejamento e manutenção em bomba
Planejamento e manutenção em bombaPlanejamento e manutenção em bomba
Planejamento e manutenção em bombaEmanoelfarias
 
05 capítulo 3 tipos de manutençao
05   capítulo 3 tipos de manutençao05   capítulo 3 tipos de manutençao
05 capítulo 3 tipos de manutençaoMoacy2014
 

Semelhante a O gerenciamento em tempo real da manutenção centrada em confiabilidade mecânica (20)

Aula 1. gestão estratégica tpm
Aula 1. gestão estratégica   tpmAula 1. gestão estratégica   tpm
Aula 1. gestão estratégica tpm
 
Perguntas e respostas de manutenção
Perguntas e respostas de manutençãoPerguntas e respostas de manutenção
Perguntas e respostas de manutenção
 
Monografia redutor d valoi
Monografia redutor d  valoiMonografia redutor d  valoi
Monografia redutor d valoi
 
Manutenc3a7c3a3o de-mc3a1quinas-e-equipamentos
Manutenc3a7c3a3o de-mc3a1quinas-e-equipamentosManutenc3a7c3a3o de-mc3a1quinas-e-equipamentos
Manutenc3a7c3a3o de-mc3a1quinas-e-equipamentos
 
Apresentação MÓDULO 17.pptx
Apresentação MÓDULO 17.pptxApresentação MÓDULO 17.pptx
Apresentação MÓDULO 17.pptx
 
Atps passo1 gestão de manutenção
Atps passo1 gestão de manutençãoAtps passo1 gestão de manutenção
Atps passo1 gestão de manutenção
 
Engenharia de Manutenção
Engenharia de Manutenção Engenharia de Manutenção
Engenharia de Manutenção
 
Apostila manutencao industrial_senai
Apostila manutencao industrial_senaiApostila manutencao industrial_senai
Apostila manutencao industrial_senai
 
ManutençãO EstratéGica Linkedin
ManutençãO EstratéGica LinkedinManutençãO EstratéGica Linkedin
ManutençãO EstratéGica Linkedin
 
Apresentação MÓDULO 17 (AULA 6-11-2023).pdf
Apresentação MÓDULO 17 (AULA 6-11-2023).pdfApresentação MÓDULO 17 (AULA 6-11-2023).pdf
Apresentação MÓDULO 17 (AULA 6-11-2023).pdf
 
Manuten mnt1
Manuten mnt1Manuten mnt1
Manuten mnt1
 
Manutenção Mecânica
Manutenção MecânicaManutenção Mecânica
Manutenção Mecânica
 
Manutenção mecânica
Manutenção mecânica Manutenção mecânica
Manutenção mecânica
 
A introducao a_manutencao
A introducao a_manutencaoA introducao a_manutencao
A introducao a_manutencao
 
A_Introducao_a_manutencao.ppt aula sobre tipos de manutenção e como e subdiv...
A_Introducao_a_manutencao.ppt aula  sobre tipos de manutenção e como e subdiv...A_Introducao_a_manutencao.ppt aula  sobre tipos de manutenção e como e subdiv...
A_Introducao_a_manutencao.ppt aula sobre tipos de manutenção e como e subdiv...
 
Apresentação 5S.pdf
Apresentação 5S.pdfApresentação 5S.pdf
Apresentação 5S.pdf
 
1 introdução à manutenção
1  introdução à manutenção1  introdução à manutenção
1 introdução à manutenção
 
Planejamento e manutenção em bomba
Planejamento e manutenção em bombaPlanejamento e manutenção em bomba
Planejamento e manutenção em bomba
 
Manutenção Preditiva: Confiabilidade e Qualidade - Engeman®
Manutenção Preditiva: Confiabilidade e Qualidade - Engeman®Manutenção Preditiva: Confiabilidade e Qualidade - Engeman®
Manutenção Preditiva: Confiabilidade e Qualidade - Engeman®
 
05 capítulo 3 tipos de manutençao
05   capítulo 3 tipos de manutençao05   capítulo 3 tipos de manutençao
05 capítulo 3 tipos de manutençao
 

Último

Resistencias dos materiais I - Tensao.pptx
Resistencias dos materiais I - Tensao.pptxResistencias dos materiais I - Tensao.pptx
Resistencias dos materiais I - Tensao.pptxjuliocameloUFC
 
Estatística aplicada à experimentação animal
Estatística aplicada à experimentação animalEstatística aplicada à experimentação animal
Estatística aplicada à experimentação animalleandroladesenvolvim
 
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAMMODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAMCassio Rodrigo
 
Aulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdf
Aulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdfAulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdf
Aulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdfMateusSerraRodrigues1
 
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxAE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxConsultoria Acadêmica
 
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024Consultoria Acadêmica
 

Último (6)

Resistencias dos materiais I - Tensao.pptx
Resistencias dos materiais I - Tensao.pptxResistencias dos materiais I - Tensao.pptx
Resistencias dos materiais I - Tensao.pptx
 
Estatística aplicada à experimentação animal
Estatística aplicada à experimentação animalEstatística aplicada à experimentação animal
Estatística aplicada à experimentação animal
 
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAMMODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAM
 
Aulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdf
Aulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdfAulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdf
Aulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdf
 
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxAE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
 
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
 

O gerenciamento em tempo real da manutenção centrada em confiabilidade mecânica

  • 1. Faculdade Pitágoras de IpatingaFaculdade Pitágoras de Ipatinga O GERENCIAMENTO EMO GERENCIAMENTO EM TEMPO REAL DA MANUTENÇÃOTEMPO REAL DA MANUTENÇÃO CENTRADA EM CONFIABILIDADECENTRADA EM CONFIABILIDADE Para obtenção do título dePara obtenção do título de Engenheiro MecânicoEngenheiro MecânicoAutor: Douglas Pinho Soares
  • 2. TEMA DA PESQUISATEMA DA PESQUISA • Manutenção centrada em confiabilidade (MCC) Reliability Centered Maintenance (RCM); • Gestão em tempo real; • Evoluções tecnológicas; • Aplicação das normas; • Trabalho em equipe; • Eliminação das falhas mecânicas.
  • 3. DELIMITAÇÃO DO TEMADELIMITAÇÃO DO TEMA • O que deve ser feito para aumentar a confiabilidade da manutenção mecânica de forma a aumentar o lucro da empresa? Vivemos em tempos de grande crise econômica em que muitas empresas do ramo metal mecânica têm buscado a redução de custos a fim de sobreviverem no mercado. Grandes partes dessas empresas têm gastos exorbitantes para manterem os equipamentos mecânicos funcionando de forma a aproveitar melhor a vida útil de suas peças. • Investimento na MCC podem reduzir os custos por perda de produção; • Principais conceitos e teoria da ferramenta MMC; • Como manter os equipamentos mecânicos funcionando de forma a aproveitar melhor a vida útil de suas peças;
  • 4. OBJETIVOSOBJETIVOS OBJETIVO GERAL OU PRIMÁRIO:OBJETIVO GERAL OU PRIMÁRIO: •Aumentar a confiabilidade da manutenção mecânica utilizando os recursos da gestão em tempo real para aperfeiçoar a produção. OBJETIVOS ESPECÍFICOS OU SECUNDÁRIOS:OBJETIVOS ESPECÍFICOS OU SECUNDÁRIOS: •Aumentar a confiabilidade da manutenção mecânica com o intuito de reduzir o número de paradas de emergência; •Aumentar a precisão e a velocidade em detectar e corrigir as falhas nos equipamentos otimizando os custos com a manutenção mecânica; •Monitorar a produção da empresa em tempo real permitindo acompanhar as mudanças das variáveis do equipamento.
  • 5. PRESSUPOSTOS TEÓRICOSPRESSUPOSTOS TEÓRICOS Principais conceitos e normas: • Confiabilidade é a capacidade de um item de desempenhar uma função requerida sob condições especificadas, durante um intervalo de tempo (NBR 5462-1994); • NR-12 : As máquinas e equipamentos devem ser submetidos à manutenção preventiva e corretiva, na forma e periodicidade determinada pelo fabricante, conforme as normas técnicas oficiais nacionais vigentes e, na falta destas, as normas técnicas internacionais. Figura 01 – Exemplo de curva da banheira Fonte: BATALHA, 2008 Manutenção corretiva - é feita somente após a peça quebrar; Manutenção preventiva - é feita periodicamente em um prazo estabelecido. Manutenção preditiva - Feita por medições ou por controle estatístico que tentam predizer a proximidade da ocorrência da falha.
  • 6. PRESSUPOSTOS TEÓRICOSPRESSUPOSTOS TEÓRICOS Década de 80 Prancheta; Morosidade na informação; Maior risco de perda; Manutenção baseada no tempo. Atualmente Computador; Rapidez na informação; Menor risco de perdas; Manutenção baseada no planejamento. Gestão em tempo real A gestão em tempo real da MCC utiliza-se na maior parte do tempo a manutenção preditiva. A tendência é ser instalado nas máquinas um coletor que captura os dados de forma automática em tempo real. Com umas simples instalação utilizando a rede wi fi.
  • 7. PRESSUPOSTOS TEÓRICOSPRESSUPOSTOS TEÓRICOS Figura 02 – Tela da engenharia Fonte: Simplificando o gerenciamento da manutenção usando o MMS Plataforma virtual Dentro dessa plataforma, é possível se comunicar com outros usuários através de um sistema de colaboração, onde eles recebem alertas por computador e celular, com detalhes sobre os problemas. Desse modo os técnicos recebem orientação de como realizar o trabalho e as direções a serem tomadas. A rede de colaboração permite que eles mandem fotos do problema para outros técnicos e engenheiros auxiliarem na tarefa. (SCIUTOO, 2015)
  • 8. PRESSUPOSTOS TEÓRICOSPRESSUPOSTOS TEÓRICOS Trabalho em equipe • Deve haver melhorias na estrutura da empresa tanto em termos materiais como em termos humanos ; • A equipe de manutenção não deve esperar as peças quebrarem para poderem ser substituídas; • Todos devem participar da solução de algum problema da empresa. Importantes classificações de causas de falha são: 1. Falhas de projeto; 2. Defeitos de materiais; 3. Deficiências de processos de fabricação; 4. Erros de montagem ou instalação; 5. Condições de operações inadequadas; 6. Manutenção inadequada (procedimentos negligenciados); 7. Operação inadequada. (GEITNER, 2015) Figura 03 – Gráfico dos custos de perda de produção e custos De manutenção em função do nível de manutenção Fonte: Gestão financeira da manutenção. CÉZAR, 2005 Figura 03 – Gráfico dos custos de perda de produção e custos De manutenção em função do nível de manutenção Fonte: Gestão financeira da manutenção. CÉZAR, 2005
  • 9. CONSIDERAÇÕES FINAIS • A manutenção centrada em confiabilidade e a gestão em tempo real podem aumentar a disponibilidade dos equipamentos mecânicos. • Algumas normas devem ser seguidas e alguns fatores devem ser levados em conta como o trabalho em equipe voltado para a eliminação das falhas mecânicas para aumentar a vida útil das peças. • As boas práticas das técnicas da manutenção mecânica aliadas ao monitoramento em tempo real da produção podem caminhar rumo a excelência da qualidade dos produtos.
  • 10. REFERÊNCIAS Associação brasileira de normas técnicas. NBR 5462: Confiabilidade e mantenabilidade. Rio de janeiro: ABNT, 1994. BARACHO, Fernando. Gestão da qualidade total. Fundação biblioteca nacional. 2009. BATALHA, Mário Otávio. Introdução à Engenharia de Produção. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008. BAZZO, Walter. Introdução a Engenharia mecânica conceitos, ferramentas e equipamentos. Florianópolis: Editora da UFSC ed.2006. CAMPOS , V. F. T.Q.C. Controle da qualidade total (no estilo japonês).5ed. Rio de janeiro: Bloch Editores s.a. 1994. GEITNER, Fred. Análise e solução de falhas em sistemas mecânicos. Rio de Janeiro: Editora Elsevier ed. 2015. VIANA, Herbert. Planejamento e controle da manutenção. Rio de Janeiro: Qualitymark ed. 2002.
  • 11. MENSAGEM FINAL “A confiança é o maior patrimônio de qualquer empresa. Nada útil pode sobreviver sem ela.” Albert Schweitzer