SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
MESOPOTÂMIA
LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA 
• A palavra Mesopotâmia significa “entre rios”. 
Assim era conhecida a região localizada entre 
os rios Tigre e Eufrates, que nascem nas 
montanhas da Armênia e, depois de 
atravessarem o território do atual Iraque, 
desembocam no Golfo Pérsico. 
• A Mesopotâmia fazia parte da região 
denominada Crescente Fértil , englobando uma 
área que se estendia até o Egito. Ganhou essa 
denominação pela fertilidade e pelo formato, 
semelhante ao da Lua na fase crescente.
OCUPAÇÃO DA MESOPOTÂMIA 
• Na Antigüidade, diversos povos apossaram-se 
sucessivamente da mesopotâmia, geralmente por meio 
de guerras. Além da fertilidade das terras, 
especialmente na Baixa Mesopotâmia (região mais 
próxima do Golfo Pérsico), a região se destacava pela 
sua localização estratégica, pois era passagem de 
caravanas comerciais que transitavam entre a Índia, 
a Palestina e o Egito. 
• Entre eles estavam os sumérios,os acádios, os 
assírios, os babilônios e os caldeus.
OS SUMÉRIOS 
• Foram duas as principais populações responsáveis pela 
construção da sociedade mesopotâmica : os sumérios e os 
acadianos. 
• A origem dos sumérios não é conhecida, mas sabe-se que, no 
IV milênio a .C., eles estavam estabelecidos no sul da 
Mesopotâmia, nas ricas planícies próximas do Golfo Pérsico. 
• Prováveis inventores da roda, usada nos veículos e na 
fabricação de vasos de cerâmica, criaram uma das mais 
antigas escritas, a cuneiforme. Os sumérios também estão 
associados à invenção de um arado primitivo (a charrua), ao 
uso do bronze, à utilização de tijolos em construções e aos 
processos de irrigação.
• A região ocupada pelos sumérios não detinha um poder central 
que lhe desse unidade política. Cada cidade era como um 
Estado independente, com um governo próprio, e seu domínio 
se estendia sobre toda a área rural próxima. Portanto, a 
cidade-Estado tinha autonomia política, econômica e religiosa. 
• A cidade-estado era governada por um sacerdote, escolhido e 
auxiliado por um conselho de anciões. O governante, 
denominado patesi, controlava as instituições políticas e 
religiosas e comandava o exército. Com o passar do tempo, 
sua função tornou-se hereditária. Surgiam assim as primeiras 
dinastias nas cidades-Estado da Mesopotâmia. 
• Havia muita rivalidade entre as cidades-estado. Por muitos 
séculos, Lagash, Ur, Eridu e Kish disputaram o poder sobre as 
outras. Enfraquecidos por suas próprias lutas internas, os 
sumérios ficaram sujeitos às invasões de outros povos.
OS ACADIANOS 
- Os acadianos foram o outro grupo que formou a população 
mesopotâmica. 
- Por volta de 2300 a .C., vindos da península da Arábia, 
fundaram diversas cidades-estado, como Acad. 
- Um rei acadiano, Sargão I, conseguiu pela primeira vez dar 
unidade política à Mesopotâmia, submetendo todas as 
cidades-estado da Suméria. 
- Os sacerdotes governantes foram afastados e substituídos 
por funcionários indicados pelos reis. O domínio real se 
estendia da região do Golfo Pérsico até o mar Mediterrâneo. 
- No entanto, o reino dos acadianos enfraqueceu devido às 
rivalidades internas. Nos séculos XXII e XX a.C., houve 
diversas invasões de outros povos semitas, que acabaram por 
dominá-lo.
OS BABILÔNIOS 
• O enfraquecimento das cidades sumerianas favoreceu 
inicialmente a formação do primeiro Império Babilônico, 
centralizado na cidade de Babilônia.
• Devido a sua localização, Babilônia se transformou em ponto de 
parada obrigatória na rota das caravanas comerciais que cruzavam a 
região. 
• Um dos primeiros reis babilônicos foi Hamurábi . Esse soberano 
ampliou seus territórios, dominando o Império . Além de 
conquistador, o governo de Hamurábi destacou-se como 
legislador.Foi esse rei que elaborou um dos mais antigos códigos de 
leis que se tem conhecimento na História: o Código de Hamurábi. As 
leis contidas nesse código determinavam direitos e deveres do povo 
e das autoridades. No entanto, as pessoas não eram iguais perante 
a lei no Império Babilônico. Dependiam da camada social a que 
pertenciam.
• Pedra com a inscrição do 
Código de Hamurábi, no 
Museus do Louvre, em 
Paris. 
• O Código de Hamurábi é 
uma coluna de pedra que 
contém, na parte inferior, 
seus artigos em escrita 
cuneiforme; na parte 
superior é representado o 
rei, sentado, ao receber as 
leis do deus Shamash. 
• O código é uma 
proclamação da justiça real 
para servir de exemplo à 
população.
• No século XVI a .C., o Império Babilônico foi arruinado pela 
invasão de diversos povos, como os hititas e os cassitas, e 
entrou em declínio. Acabou sendo conquistado pelos assírios, 
povo guerreiro que vivia na Alta Mesopotâmia.
OS ASSÍRIOS 
• Outro povo que já havia se estabelecido no norte da 
mesopotâmia desde 2500 a .C., na região chamada Assur, eram 
os assírios. 
• Mas a partir de 883 a .C., em busca de uma saída para o Golfo 
Pérsico e para o mar Mediterrâneo, os assírios iniciaram um 
movimento de expansão territorial.
CALDEUS 
•Neobabilônicos 
•Cativeiro Hebreu na Babilônia (587 aC) 
•Dominação Persa 
•Nabucodonosor

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Baixa idade média
Baixa idade médiaBaixa idade média
Baixa idade média
 
1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia
 
Crescente fértil
Crescente fértilCrescente fértil
Crescente fértil
 
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
 
1° ano E.M. - Antigo Egito
1° ano E.M. -  Antigo Egito1° ano E.M. -  Antigo Egito
1° ano E.M. - Antigo Egito
 
1° ano - Grécia Antiga
1° ano -  Grécia Antiga1° ano -  Grécia Antiga
1° ano - Grécia Antiga
 
As Civilizações Mesopotâmicas
As Civilizações MesopotâmicasAs Civilizações Mesopotâmicas
As Civilizações Mesopotâmicas
 
6° hebreus,fenicios e persas
6° hebreus,fenicios e persas6° hebreus,fenicios e persas
6° hebreus,fenicios e persas
 
Hebreus, Fenícios e Persas
Hebreus, Fenícios e PersasHebreus, Fenícios e Persas
Hebreus, Fenícios e Persas
 
Período regencial (1831 1840)
Período regencial (1831  1840)Período regencial (1831  1840)
Período regencial (1831 1840)
 
Feudalismo e idade média.
Feudalismo e idade média.Feudalismo e idade média.
Feudalismo e idade média.
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
História da África e escravidão africana
História da África e escravidão africanaHistória da África e escravidão africana
História da África e escravidão africana
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Crise do Feudalismo
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Crise do Feudalismowww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  Crise do Feudalismo
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - Crise do Feudalismo
 
Grecia Antiga
Grecia Antiga Grecia Antiga
Grecia Antiga
 
O povo-hebreu
O povo-hebreuO povo-hebreu
O povo-hebreu
 
Antiguidade Clássica
Antiguidade ClássicaAntiguidade Clássica
Antiguidade Clássica
 
Grécia Antiga - 6ºAno
Grécia Antiga - 6ºAnoGrécia Antiga - 6ºAno
Grécia Antiga - 6ºAno
 
Idade média
Idade médiaIdade média
Idade média
 
Crise de 1929
Crise de 1929Crise de 1929
Crise de 1929
 

Destaque

Historia 6º ano - Mesopotâmia
Historia 6º ano - MesopotâmiaHistoria 6º ano - Mesopotâmia
Historia 6º ano - MesopotâmiaFábio Paiva
 
La forma de la ciudad y su entorno
La forma de la ciudad y su entornoLa forma de la ciudad y su entorno
La forma de la ciudad y su entornoJulieta Oyuela
 
A evolução dos seres vivos 7°
A evolução dos seres vivos 7°A evolução dos seres vivos 7°
A evolução dos seres vivos 7°Gabriel Salles
 
Vinte mil anos antes de cabral
Vinte mil anos antes de cabralVinte mil anos antes de cabral
Vinte mil anos antes de cabralEdenilson Morais
 
Primeiras Civilizaçoes
Primeiras CivilizaçoesPrimeiras Civilizaçoes
Primeiras CivilizaçoesFabio Santos
 
ÍNDIOS DO BRASIL
ÍNDIOS DO BRASILÍNDIOS DO BRASIL
ÍNDIOS DO BRASILGeo
 
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizaçõesDaniel Alves Bronstrup
 

Destaque (11)

Historia 6º ano - Mesopotâmia
Historia 6º ano - MesopotâmiaHistoria 6º ano - Mesopotâmia
Historia 6º ano - Mesopotâmia
 
Brasil Pré Cabral
Brasil Pré CabralBrasil Pré Cabral
Brasil Pré Cabral
 
Ppt sobre os fósseis
Ppt sobre os fósseisPpt sobre os fósseis
Ppt sobre os fósseis
 
La forma de la ciudad y su entorno
La forma de la ciudad y su entornoLa forma de la ciudad y su entorno
La forma de la ciudad y su entorno
 
A evolução dos seres vivos 7°
A evolução dos seres vivos 7°A evolução dos seres vivos 7°
A evolução dos seres vivos 7°
 
Vinte mil anos antes de cabral
Vinte mil anos antes de cabralVinte mil anos antes de cabral
Vinte mil anos antes de cabral
 
Primeiras Civilizaçoes
Primeiras CivilizaçoesPrimeiras Civilizaçoes
Primeiras Civilizaçoes
 
ÍNDIOS DO BRASIL
ÍNDIOS DO BRASILÍNDIOS DO BRASIL
ÍNDIOS DO BRASIL
 
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
 
Mesopotamia slide
Mesopotamia slideMesopotamia slide
Mesopotamia slide
 
Pirámides
PirámidesPirámides
Pirámides
 

Semelhante a A Mesopotâmia - Prof.Altair Aguilar.

Semelhante a A Mesopotâmia - Prof.Altair Aguilar. (20)

02 mesopotâmia
02   mesopotâmia02   mesopotâmia
02 mesopotâmia
 
Mesopotâmia: uma encruzilhada de povos
Mesopotâmia: uma encruzilhada de povosMesopotâmia: uma encruzilhada de povos
Mesopotâmia: uma encruzilhada de povos
 
Atividade3
Atividade3Atividade3
Atividade3
 
Povos antigos
Povos antigosPovos antigos
Povos antigos
 
Mesopotamia
Mesopotamia Mesopotamia
Mesopotamia
 
Mesopotâmia as civilizações da antiguidade
Mesopotâmia   as civilizações da antiguidadeMesopotâmia   as civilizações da antiguidade
Mesopotâmia as civilizações da antiguidade
 
Mesopotamia
MesopotamiaMesopotamia
Mesopotamia
 
1ano-mesopotmia-140310223340-phpapp02.pptx
1ano-mesopotmia-140310223340-phpapp02.pptx1ano-mesopotmia-140310223340-phpapp02.pptx
1ano-mesopotmia-140310223340-phpapp02.pptx
 
O reino de kush
O reino de kushO reino de kush
O reino de kush
 
A mesopotâmia
A mesopotâmiaA mesopotâmia
A mesopotâmia
 
Povos mesopotamico
Povos mesopotamicoPovos mesopotamico
Povos mesopotamico
 
Colégio tiradentes da brigada militar mesopotâmia
Colégio tiradentes da brigada militar   mesopotâmiaColégio tiradentes da brigada militar   mesopotâmia
Colégio tiradentes da brigada militar mesopotâmia
 
Cidades, passado e presente
Cidades, passado e presenteCidades, passado e presente
Cidades, passado e presente
 
Aula-06-Mesopotamia_f5293bf22c454676b41f7b9b7b8b8611.pptx
Aula-06-Mesopotamia_f5293bf22c454676b41f7b9b7b8b8611.pptxAula-06-Mesopotamia_f5293bf22c454676b41f7b9b7b8b8611.pptx
Aula-06-Mesopotamia_f5293bf22c454676b41f7b9b7b8b8611.pptx
 
Mesopotâmia
MesopotâmiaMesopotâmia
Mesopotâmia
 
Revisao.mesopotamia
Revisao.mesopotamiaRevisao.mesopotamia
Revisao.mesopotamia
 
O reino de kush
O reino de kushO reino de kush
O reino de kush
 
O reino de kush
O reino de kushO reino de kush
O reino de kush
 
Mesopotmiaslideshare 110316160606-phpapp02
Mesopotmiaslideshare 110316160606-phpapp02Mesopotmiaslideshare 110316160606-phpapp02
Mesopotmiaslideshare 110316160606-phpapp02
 
Historia slide
Historia slideHistoria slide
Historia slide
 

Mais de Altair Moisés Aguilar

Martinho Lutero - Prof. Altair Aguilar
Martinho Lutero - Prof. Altair AguilarMartinho Lutero - Prof. Altair Aguilar
Martinho Lutero - Prof. Altair AguilarAltair Moisés Aguilar
 
Oliver Cromwell - Prof. Altair Aguilar
Oliver Cromwell - Prof. Altair AguilarOliver Cromwell - Prof. Altair Aguilar
Oliver Cromwell - Prof. Altair AguilarAltair Moisés Aguilar
 
Dinastia Tudors - Prof. Altair Aguilar
Dinastia Tudors - Prof. Altair AguilarDinastia Tudors - Prof. Altair Aguilar
Dinastia Tudors - Prof. Altair AguilarAltair Moisés Aguilar
 
A independência Americana - Prof. Altair Aguilar
A independência Americana - Prof. Altair AguilarA independência Americana - Prof. Altair Aguilar
A independência Americana - Prof. Altair AguilarAltair Moisés Aguilar
 
Guerra das duas Rosas - Prof. Altair Aguilar
Guerra das duas Rosas - Prof. Altair AguilarGuerra das duas Rosas - Prof. Altair Aguilar
Guerra das duas Rosas - Prof. Altair AguilarAltair Moisés Aguilar
 
Revolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Inglesa - Prof. Altair AguilarRevolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Inglesa - Prof. Altair AguilarAltair Moisés Aguilar
 
Causas da Segunda Guerra - Prof.Altair Aguilar
Causas da Segunda Guerra - Prof.Altair AguilarCausas da Segunda Guerra - Prof.Altair Aguilar
Causas da Segunda Guerra - Prof.Altair AguilarAltair Moisés Aguilar
 
Estados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair Aguilar
Estados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair AguilarEstados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair Aguilar
Estados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair AguilarAltair Moisés Aguilar
 
Revolução Francesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução  Francesa - Prof. Altair AguilarRevolução  Francesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Francesa - Prof. Altair AguilarAltair Moisés Aguilar
 
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair AguilarDiscurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair AguilarAltair Moisés Aguilar
 
Guerra de Tróia - Prof. Altair Aguilar
Guerra de Tróia  - Prof. Altair AguilarGuerra de Tróia  - Prof. Altair Aguilar
Guerra de Tróia - Prof. Altair AguilarAltair Moisés Aguilar
 
Alemanha Muro de Berlim - Prof. Altair Aguilar
Alemanha Muro de Berlim - Prof. Altair AguilarAlemanha Muro de Berlim - Prof. Altair Aguilar
Alemanha Muro de Berlim - Prof. Altair AguilarAltair Moisés Aguilar
 
Babilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair Aguilar
Babilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair AguilarBabilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair Aguilar
Babilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair AguilarAltair Moisés Aguilar
 

Mais de Altair Moisés Aguilar (20)

Martinho Lutero - Prof. Altair Aguilar
Martinho Lutero - Prof. Altair AguilarMartinho Lutero - Prof. Altair Aguilar
Martinho Lutero - Prof. Altair Aguilar
 
Oliver Cromwell - Prof. Altair Aguilar
Oliver Cromwell - Prof. Altair AguilarOliver Cromwell - Prof. Altair Aguilar
Oliver Cromwell - Prof. Altair Aguilar
 
Os Puritanos - Prof. Altair Aguilar
Os Puritanos - Prof. Altair AguilarOs Puritanos - Prof. Altair Aguilar
Os Puritanos - Prof. Altair Aguilar
 
Dinastia Tudors - Prof. Altair Aguilar
Dinastia Tudors - Prof. Altair AguilarDinastia Tudors - Prof. Altair Aguilar
Dinastia Tudors - Prof. Altair Aguilar
 
Calvinismo - Prof. Altair Aguilar
Calvinismo - Prof. Altair AguilarCalvinismo - Prof. Altair Aguilar
Calvinismo - Prof. Altair Aguilar
 
A independência Americana - Prof. Altair Aguilar
A independência Americana - Prof. Altair AguilarA independência Americana - Prof. Altair Aguilar
A independência Americana - Prof. Altair Aguilar
 
Guerra das duas Rosas - Prof. Altair Aguilar
Guerra das duas Rosas - Prof. Altair AguilarGuerra das duas Rosas - Prof. Altair Aguilar
Guerra das duas Rosas - Prof. Altair Aguilar
 
Revolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Inglesa - Prof. Altair AguilarRevolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
 
Causas da Segunda Guerra - Prof.Altair Aguilar
Causas da Segunda Guerra - Prof.Altair AguilarCausas da Segunda Guerra - Prof.Altair Aguilar
Causas da Segunda Guerra - Prof.Altair Aguilar
 
Estados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair Aguilar
Estados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair AguilarEstados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair Aguilar
Estados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair Aguilar
 
Os Incas - Prof.Altair Aguilar
Os Incas - Prof.Altair AguilarOs Incas - Prof.Altair Aguilar
Os Incas - Prof.Altair Aguilar
 
Revolução Francesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução  Francesa - Prof. Altair AguilarRevolução  Francesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Francesa - Prof. Altair Aguilar
 
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair AguilarDiscurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
 
Campos Nazista - Prof. Altair Aguilar
Campos Nazista - Prof. Altair AguilarCampos Nazista - Prof. Altair Aguilar
Campos Nazista - Prof. Altair Aguilar
 
Adolf Hitler _ Prof.Altair Aguilar
Adolf  Hitler _ Prof.Altair AguilarAdolf  Hitler _ Prof.Altair Aguilar
Adolf Hitler _ Prof.Altair Aguilar
 
Guerra de Tróia - Prof. Altair Aguilar
Guerra de Tróia  - Prof. Altair AguilarGuerra de Tróia  - Prof. Altair Aguilar
Guerra de Tróia - Prof. Altair Aguilar
 
Alemanha Muro de Berlim - Prof. Altair Aguilar
Alemanha Muro de Berlim - Prof. Altair AguilarAlemanha Muro de Berlim - Prof. Altair Aguilar
Alemanha Muro de Berlim - Prof. Altair Aguilar
 
Futebol - Prof. Altair Aguilar
Futebol - Prof. Altair AguilarFutebol - Prof. Altair Aguilar
Futebol - Prof. Altair Aguilar
 
Babilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair Aguilar
Babilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair AguilarBabilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair Aguilar
Babilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair Aguilar
 
Islamismo - Prof. Altair Aguilar
Islamismo - Prof. Altair AguilarIslamismo - Prof. Altair Aguilar
Islamismo - Prof. Altair Aguilar
 

Último

EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdfdanielagracia9
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfandreaLisboa7
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAElianeAlves383563
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 

Último (20)

EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 

A Mesopotâmia - Prof.Altair Aguilar.

  • 2. LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA • A palavra Mesopotâmia significa “entre rios”. Assim era conhecida a região localizada entre os rios Tigre e Eufrates, que nascem nas montanhas da Armênia e, depois de atravessarem o território do atual Iraque, desembocam no Golfo Pérsico. • A Mesopotâmia fazia parte da região denominada Crescente Fértil , englobando uma área que se estendia até o Egito. Ganhou essa denominação pela fertilidade e pelo formato, semelhante ao da Lua na fase crescente.
  • 3.
  • 4. OCUPAÇÃO DA MESOPOTÂMIA • Na Antigüidade, diversos povos apossaram-se sucessivamente da mesopotâmia, geralmente por meio de guerras. Além da fertilidade das terras, especialmente na Baixa Mesopotâmia (região mais próxima do Golfo Pérsico), a região se destacava pela sua localização estratégica, pois era passagem de caravanas comerciais que transitavam entre a Índia, a Palestina e o Egito. • Entre eles estavam os sumérios,os acádios, os assírios, os babilônios e os caldeus.
  • 5. OS SUMÉRIOS • Foram duas as principais populações responsáveis pela construção da sociedade mesopotâmica : os sumérios e os acadianos. • A origem dos sumérios não é conhecida, mas sabe-se que, no IV milênio a .C., eles estavam estabelecidos no sul da Mesopotâmia, nas ricas planícies próximas do Golfo Pérsico. • Prováveis inventores da roda, usada nos veículos e na fabricação de vasos de cerâmica, criaram uma das mais antigas escritas, a cuneiforme. Os sumérios também estão associados à invenção de um arado primitivo (a charrua), ao uso do bronze, à utilização de tijolos em construções e aos processos de irrigação.
  • 6. • A região ocupada pelos sumérios não detinha um poder central que lhe desse unidade política. Cada cidade era como um Estado independente, com um governo próprio, e seu domínio se estendia sobre toda a área rural próxima. Portanto, a cidade-Estado tinha autonomia política, econômica e religiosa. • A cidade-estado era governada por um sacerdote, escolhido e auxiliado por um conselho de anciões. O governante, denominado patesi, controlava as instituições políticas e religiosas e comandava o exército. Com o passar do tempo, sua função tornou-se hereditária. Surgiam assim as primeiras dinastias nas cidades-Estado da Mesopotâmia. • Havia muita rivalidade entre as cidades-estado. Por muitos séculos, Lagash, Ur, Eridu e Kish disputaram o poder sobre as outras. Enfraquecidos por suas próprias lutas internas, os sumérios ficaram sujeitos às invasões de outros povos.
  • 7. OS ACADIANOS - Os acadianos foram o outro grupo que formou a população mesopotâmica. - Por volta de 2300 a .C., vindos da península da Arábia, fundaram diversas cidades-estado, como Acad. - Um rei acadiano, Sargão I, conseguiu pela primeira vez dar unidade política à Mesopotâmia, submetendo todas as cidades-estado da Suméria. - Os sacerdotes governantes foram afastados e substituídos por funcionários indicados pelos reis. O domínio real se estendia da região do Golfo Pérsico até o mar Mediterrâneo. - No entanto, o reino dos acadianos enfraqueceu devido às rivalidades internas. Nos séculos XXII e XX a.C., houve diversas invasões de outros povos semitas, que acabaram por dominá-lo.
  • 8. OS BABILÔNIOS • O enfraquecimento das cidades sumerianas favoreceu inicialmente a formação do primeiro Império Babilônico, centralizado na cidade de Babilônia.
  • 9. • Devido a sua localização, Babilônia se transformou em ponto de parada obrigatória na rota das caravanas comerciais que cruzavam a região. • Um dos primeiros reis babilônicos foi Hamurábi . Esse soberano ampliou seus territórios, dominando o Império . Além de conquistador, o governo de Hamurábi destacou-se como legislador.Foi esse rei que elaborou um dos mais antigos códigos de leis que se tem conhecimento na História: o Código de Hamurábi. As leis contidas nesse código determinavam direitos e deveres do povo e das autoridades. No entanto, as pessoas não eram iguais perante a lei no Império Babilônico. Dependiam da camada social a que pertenciam.
  • 10. • Pedra com a inscrição do Código de Hamurábi, no Museus do Louvre, em Paris. • O Código de Hamurábi é uma coluna de pedra que contém, na parte inferior, seus artigos em escrita cuneiforme; na parte superior é representado o rei, sentado, ao receber as leis do deus Shamash. • O código é uma proclamação da justiça real para servir de exemplo à população.
  • 11.
  • 12. • No século XVI a .C., o Império Babilônico foi arruinado pela invasão de diversos povos, como os hititas e os cassitas, e entrou em declínio. Acabou sendo conquistado pelos assírios, povo guerreiro que vivia na Alta Mesopotâmia.
  • 13. OS ASSÍRIOS • Outro povo que já havia se estabelecido no norte da mesopotâmia desde 2500 a .C., na região chamada Assur, eram os assírios. • Mas a partir de 883 a .C., em busca de uma saída para o Golfo Pérsico e para o mar Mediterrâneo, os assírios iniciaram um movimento de expansão territorial.
  • 14. CALDEUS •Neobabilônicos •Cativeiro Hebreu na Babilônia (587 aC) •Dominação Persa •Nabucodonosor