SlideShare uma empresa Scribd logo
EGITO &
MESOPOTÂMIA




ANTIGUIDADE ORIENTAL
                       1
POR QUE ESTA REGIÃO É DENOMINADA
       CRESCENTE FÉRTIL?




                               2
O EGITO É UMA DÁDIVA DO NILO.




•   É o mais longo oásis do mundo.
•   Suas cheias regulares eram aproveitadas pelos egípcios.
•   O rio tinha status de divindade benigna.
•   Modo de Produção Asiática.                           3
NOMOS: EGITO ANTES DA UNIFICAÇÃO




• Dividido em dois reinos: Baixo Egito (Delta) e Alto Egito
  (região mais desértica).
• As condições geográficas favorecem a formação de grandes
  estados → Império precede a cidade.
• Menés foi o lendário unificador do Egito.
                                                          4
PERIODIZAÇÃO POLÍTICA
1. Antigo Império (3200-2300 a.C.) → período da
   construção das grandes pirâmides, relativo
   isolamento geográfico.
     Primeiro Período Intermediário → Fragmentação
      política.
1. Médio Império (2000-1750 a.C.) → reunificação
   pelos príncipes de Tebas, grandes obras de
   irrigação, invasão dos hicsos e outros povos
   asiáticos.
     Segundo Período Intermediário → Governo dos
      hicsos.
1. Novo Império (1580-1070 a.C.) → expansionismo
   militar, experiência monoteísta de Akenaton,
   invasões, grande poder dos sacerdotes de Amon.
                                                 5
IMPORTÂNCIA DA RELIGIÃO
• Politeísta e antropozoomórfica.
• Teocracia → faraós eram deuses
  vivos.
• A partir do Médio Império os
  sacerdotes de Amon-Rá tem
  cada vez mais poder.
• Imposição do monoteísmo de
  Aton por Amenófilis IV
  (Akenaton) é um fracasso.
• Crença na vida pós-morte →
  todos deveriam comparecer
  diante do tribunal de Ossíris.
                                    6
IMPORTÂNCIA DA RELIGIÃO




Livro Dos Mortos – Guia Prático para o outro mundo
                                                 7
PERIODIZAÇÃO POLÍTICA
     Terceiro Período Intermediário → Fragmentação
      política, invasão assíria.
4. Renascimento Saíta ou Baixa Época (672-332
   a.C.) → faraós negros, guerra civil, reino
   dividido, vassalagem em relação aos assírios,
   influência cultural babilônica e grega, conquista
   persa.
5. Invasão Macedônica e Período Ptolomaico (332-
   30 a.C.)
6. Conquista Romana.
                                                  8
SOCIEDADE NO EGITO ANTIGO

• As terras pertenciam
  ao Estado.
• Os camponeses (felás)
  eram obrigados à
  servidão coletiva nas
  obras públicas.
• No Novo Império os
  militares gozaram de
  ascensão social.
• A escravidão dependia
  da guerra.                    9
ESCRITA EGÍPCIA




• Pedra de Roseta e seu tradutor, Champollion.
• Os egípcios tinham três escritas: hieroglífica, hierática e
                                                          10
  demótica.
CIVILIZAÇÕES MESOPOTÂMICAS

•   Dependência dos rios Tigre e Eufrates.
•   Enchentes violentas e clima inconstante.
•   Religião politeísta → deuses temperamentais, religião
    fatalista.
•   Teocracia → governantes eram representantes dos
    deuses na terra.
•   Cidades-estados independentes → Grandes Impérios.
•   Economia baseada na agricultura → grande
    desenvolvimento do comércio.
•   Servidão coletiva.
•   Uso da escrita cuneiforme criada pelos sumérios.
                                                        11
CIVILIZAÇÕES MESOPOTÂMICAS




  Mesopotâmia: “Entre Rios” em grego.   12
CIVILIZAÇÕES MESOPOTÂMICAS




Os Sumérios construíram os primeiros zigurates.   13
CIVILIZAÇÕES MESOPOTÂMICAS
1. Sumérios e Acádios (antes de 2000 a.C.) →
   inventaram a cidade, a escrita, a carta de crédito, o
   primeiro herói literário (Gilgamesh) → Sargão I
   (acadiano) criou o primeiro império.
2. 1º Império Babilônico (1800-1600 a.C.) → amoritas
   (semitas), principal governante: Hamurábi.
3. Império Assírio (1300-612 a.C.) → semitas do
   norte, duas capitais: Nínive e Assur, primeira
   biblioteca, primeiros a utilizar a cavalaria como
   arma de guerra → ficaram conhecidos pela
   crueldade para com os povos vencidos.                14
CÓDIGO DE HAMURÁBI
• Fragmento do Código de Hamurábi:
“Se um homem bater em seu pai, terá as mãos
  cortadas. Se um homem furar o olho de um
  homem livre, ser-lhe-á furado o olho. Se um
  médico tratar a ferida grave de um homem, com
  punção de bronze, e ele morrer, terá as mãos
  decepadas. Se um arquiteto construir para um
  outro uma casa e não a fizer bastante sólida, se
  a casa cair, matando o dono, esse arquiteto é
  passível de morte. Se for o filho do dono da casa
  quem morrer, o filho do arquiteto também será
  morto.”                                          15
CIVILIZAÇÕES MESOPOTÂMICAS




Muralhas de Nínive antiga capital Assíria   16
CIVILIZAÇÕES MESOPOTÂMICAS




     O Rei Assírio - Assurbanipal   17
CIVILIZAÇÕES MESOPOTÂMICAS
4. 2º Império Babilônico
   (612-539      a.C.)      →
   Babilônia é de novo a
   capital; conquistou a
   Síria, o Líbano e a
   Palestina; principal rei foi
   Nabucodonosor que teria
   construído os jardins
   suspensos,     uma      das
   maravilhas do mundo
   antigo;     expandiu       o   Mapa do Império Babilônico.
   sistema de irrigação e o
   comércio.                                               18
CIVILIZAÇÕES MESOPOTÂMICAS




 Reconstituição dos
Jardins Suspensos da
      Babilônia
                       Ruínas das Muralhas da
                              Babilônia       19

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fenícios, hebreus e persas
Fenícios, hebreus e persasFenícios, hebreus e persas
Fenícios, hebreus e persas
Douglas Barraqui
 
Astecas maias e incas
Astecas maias e incasAstecas maias e incas
Astecas maias e incas
Fabiana Tonsis
 
Mundo Grego
Mundo GregoMundo Grego
Mundo Grego
Camila Brito
 
GRÉCIA ANTIGA
GRÉCIA ANTIGAGRÉCIA ANTIGA
GRÉCIA ANTIGA
Jackeline Póvoas
 
Antigas civilizações
Antigas civilizações Antigas civilizações
Antigas civilizações
Adail Silva
 
O ser humano chega a america
O ser humano chega a america O ser humano chega a america
O ser humano chega a america
edna2
 
9º ano história rafa - era vargas
9º ano   história   rafa  - era vargas9º ano   história   rafa  - era vargas
9º ano história rafa - era vargas
Rafael Noronha
 
Egito Antigo
Egito AntigoEgito Antigo
Egito Antigo
Douglas Barraqui
 
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma AntigaRevisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Janaína Bindá
 
As primeiras civilizações
As primeiras civilizaçõesAs primeiras civilizações
As primeiras civilizações
Marcia Fernandes
 
Egito Antigo (6º Ano - 2016)
Egito Antigo (6º Ano - 2016)Egito Antigo (6º Ano - 2016)
Egito Antigo (6º Ano - 2016)
Nefer19
 
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
Daniel Alves Bronstrup
 
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
Transição do Império para República Brasileira
Transição do Império para República BrasileiraTransição do Império para República Brasileira
Transição do Império para República Brasileira
alinemaiahistoria
 
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
Nefer19
 
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
Janaína Tavares
 
ANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTIL
ANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTILANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTIL
ANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTIL
Edenilson Morais
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
Aulas de História
 
Egito Antigo - 6º Ano (2018)
Egito Antigo - 6º Ano (2018)Egito Antigo - 6º Ano (2018)
Egito Antigo - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
Povos pré colombianos
Povos pré colombianosPovos pré colombianos
Povos pré colombianos
Nila Michele Bastos Santos
 

Mais procurados (20)

Fenícios, hebreus e persas
Fenícios, hebreus e persasFenícios, hebreus e persas
Fenícios, hebreus e persas
 
Astecas maias e incas
Astecas maias e incasAstecas maias e incas
Astecas maias e incas
 
Mundo Grego
Mundo GregoMundo Grego
Mundo Grego
 
GRÉCIA ANTIGA
GRÉCIA ANTIGAGRÉCIA ANTIGA
GRÉCIA ANTIGA
 
Antigas civilizações
Antigas civilizações Antigas civilizações
Antigas civilizações
 
O ser humano chega a america
O ser humano chega a america O ser humano chega a america
O ser humano chega a america
 
9º ano história rafa - era vargas
9º ano   história   rafa  - era vargas9º ano   história   rafa  - era vargas
9º ano história rafa - era vargas
 
Egito Antigo
Egito AntigoEgito Antigo
Egito Antigo
 
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma AntigaRevisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
 
As primeiras civilizações
As primeiras civilizaçõesAs primeiras civilizações
As primeiras civilizações
 
Egito Antigo (6º Ano - 2016)
Egito Antigo (6º Ano - 2016)Egito Antigo (6º Ano - 2016)
Egito Antigo (6º Ano - 2016)
 
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
 
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
 
Transição do Império para República Brasileira
Transição do Império para República BrasileiraTransição do Império para República Brasileira
Transição do Império para República Brasileira
 
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
 
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
 
ANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTIL
ANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTILANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTIL
ANTIGUIDADE ORIENTAL - CRESCENTE FÉRTIL
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
 
Egito Antigo - 6º Ano (2018)
Egito Antigo - 6º Ano (2018)Egito Antigo - 6º Ano (2018)
Egito Antigo - 6º Ano (2018)
 
Povos pré colombianos
Povos pré colombianosPovos pré colombianos
Povos pré colombianos
 

Semelhante a Egito e Mesopotâmia - Antiguidade Oriental

Antiguidade oriental
Antiguidade orientalAntiguidade oriental
Antiguidade oriental
Valdemir França
 
Antiguidade oriental 02
Antiguidade oriental 02Antiguidade oriental 02
Antiguidade oriental 02
Eduaardo Mendes
 
Apostila de-historia-antiga-oriental
Apostila de-historia-antiga-orientalApostila de-historia-antiga-oriental
Apostila de-historia-antiga-oriental
Jemuel Araújo da Silva
 
1ano-mesopotmia-140310223340-phpapp02.pptx
1ano-mesopotmia-140310223340-phpapp02.pptx1ano-mesopotmia-140310223340-phpapp02.pptx
1ano-mesopotmia-140310223340-phpapp02.pptx
RobsonCamposdeAbreu
 
As Civilizações Mesopotâmicas
As Civilizações MesopotâmicasAs Civilizações Mesopotâmicas
As Civilizações Mesopotâmicas
João Medeiros
 
Antiguidade oriental pdf
Antiguidade oriental pdfAntiguidade oriental pdf
Egito, Mesopotâmia, Grécia, Roma, Idade Média, Idade Moderna
Egito, Mesopotâmia, Grécia, Roma, Idade Média, Idade ModernaEgito, Mesopotâmia, Grécia, Roma, Idade Média, Idade Moderna
Egito, Mesopotâmia, Grécia, Roma, Idade Média, Idade Moderna
Maycon Rock
 
Antiguidade Oriental
Antiguidade OrientalAntiguidade Oriental
Antiguidade Oriental
acessoriaem21ma
 
Antiguidade oriental.
Antiguidade oriental.Antiguidade oriental.
Antiguidade oriental.
Ludmiilaa
 
Mesopotâmia
MesopotâmiaMesopotâmia
Mesopotâmia
ProfessoresColeguium
 
Antiguidade Oriental
Antiguidade OrientalAntiguidade Oriental
Antiguidade Oriental
eiprofessor
 
Civilizações antigas - Mesopotâmia; Egito; Hebreus; Fenícios e Persas
Civilizações antigas - Mesopotâmia; Egito; Hebreus; Fenícios e PersasCivilizações antigas - Mesopotâmia; Egito; Hebreus; Fenícios e Persas
Civilizações antigas - Mesopotâmia; Egito; Hebreus; Fenícios e Persas
Edvaldo Lopes
 
Mesopotamia
Mesopotamia Mesopotamia
Mesopotamia
Loredana Ruffo
 
Egito
EgitoEgito
Mesopotmiaslideshare 110316160606-phpapp02
Mesopotmiaslideshare 110316160606-phpapp02Mesopotmiaslideshare 110316160606-phpapp02
Mesopotmiaslideshare 110316160606-phpapp02
Soraya Gomes
 
Mesopotamia
MesopotamiaMesopotamia
Mesopotamia
Fabio Santos
 
Atividade3
Atividade3Atividade3
Atividade3
Delziene Jesus
 
Mesopotamia
Mesopotamia Mesopotamia
Mesopotamia
Dismael Sagás
 
Mesopotamia disma
Mesopotamia dismaMesopotamia disma
Mesopotamia disma
Dismael Sagás
 
Revisão de Antiguidade Oriental
Revisão de Antiguidade OrientalRevisão de Antiguidade Oriental
Revisão de Antiguidade Oriental
Edenilson Morais
 

Semelhante a Egito e Mesopotâmia - Antiguidade Oriental (20)

Antiguidade oriental
Antiguidade orientalAntiguidade oriental
Antiguidade oriental
 
Antiguidade oriental 02
Antiguidade oriental 02Antiguidade oriental 02
Antiguidade oriental 02
 
Apostila de-historia-antiga-oriental
Apostila de-historia-antiga-orientalApostila de-historia-antiga-oriental
Apostila de-historia-antiga-oriental
 
1ano-mesopotmia-140310223340-phpapp02.pptx
1ano-mesopotmia-140310223340-phpapp02.pptx1ano-mesopotmia-140310223340-phpapp02.pptx
1ano-mesopotmia-140310223340-phpapp02.pptx
 
As Civilizações Mesopotâmicas
As Civilizações MesopotâmicasAs Civilizações Mesopotâmicas
As Civilizações Mesopotâmicas
 
Antiguidade oriental pdf
Antiguidade oriental pdfAntiguidade oriental pdf
Antiguidade oriental pdf
 
Egito, Mesopotâmia, Grécia, Roma, Idade Média, Idade Moderna
Egito, Mesopotâmia, Grécia, Roma, Idade Média, Idade ModernaEgito, Mesopotâmia, Grécia, Roma, Idade Média, Idade Moderna
Egito, Mesopotâmia, Grécia, Roma, Idade Média, Idade Moderna
 
Antiguidade Oriental
Antiguidade OrientalAntiguidade Oriental
Antiguidade Oriental
 
Antiguidade oriental.
Antiguidade oriental.Antiguidade oriental.
Antiguidade oriental.
 
Mesopotâmia
MesopotâmiaMesopotâmia
Mesopotâmia
 
Antiguidade Oriental
Antiguidade OrientalAntiguidade Oriental
Antiguidade Oriental
 
Civilizações antigas - Mesopotâmia; Egito; Hebreus; Fenícios e Persas
Civilizações antigas - Mesopotâmia; Egito; Hebreus; Fenícios e PersasCivilizações antigas - Mesopotâmia; Egito; Hebreus; Fenícios e Persas
Civilizações antigas - Mesopotâmia; Egito; Hebreus; Fenícios e Persas
 
Mesopotamia
Mesopotamia Mesopotamia
Mesopotamia
 
Egito
EgitoEgito
Egito
 
Mesopotmiaslideshare 110316160606-phpapp02
Mesopotmiaslideshare 110316160606-phpapp02Mesopotmiaslideshare 110316160606-phpapp02
Mesopotmiaslideshare 110316160606-phpapp02
 
Mesopotamia
MesopotamiaMesopotamia
Mesopotamia
 
Atividade3
Atividade3Atividade3
Atividade3
 
Mesopotamia
Mesopotamia Mesopotamia
Mesopotamia
 
Mesopotamia disma
Mesopotamia dismaMesopotamia disma
Mesopotamia disma
 
Revisão de Antiguidade Oriental
Revisão de Antiguidade OrientalRevisão de Antiguidade Oriental
Revisão de Antiguidade Oriental
 

Mais de Valéria Shoujofan

América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados NacionaisAmérica Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
Valéria Shoujofan
 
Segundo Reinando: Escravidão e Imigração
Segundo Reinando: Escravidão e ImigraçãoSegundo Reinando: Escravidão e Imigração
Segundo Reinando: Escravidão e Imigração
Valéria Shoujofan
 
Entre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptx
Entre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptxEntre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptx
Entre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptx
Valéria Shoujofan
 
Revolução Americana
Revolução AmericanaRevolução Americana
Revolução Americana
Valéria Shoujofan
 
Iluminismo e Déspotas Esclarecidos
Iluminismo e Déspotas EsclarecidosIluminismo e Déspotas Esclarecidos
Iluminismo e Déspotas Esclarecidos
Valéria Shoujofan
 
Primeira e Segunda Revolução Industrial
Primeira e Segunda Revolução IndustrialPrimeira e Segunda Revolução Industrial
Primeira e Segunda Revolução Industrial
Valéria Shoujofan
 
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos ContratualistasAbsolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
Valéria Shoujofan
 
Inglaterra: Revolução Científica e Revolução Agrícola
Inglaterra: Revolução Científica e Revolução AgrícolaInglaterra: Revolução Científica e Revolução Agrícola
Inglaterra: Revolução Científica e Revolução Agrícola
Valéria Shoujofan
 
Reformas Religiosas (novo)
Reformas Religiosas (novo)Reformas Religiosas (novo)
Reformas Religiosas (novo)
Valéria Shoujofan
 
Revoluções Inglesas - século XVII
Revoluções Inglesas - século XVIIRevoluções Inglesas - século XVII
Revoluções Inglesas - século XVII
Valéria Shoujofan
 
CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICA
CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICACONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICA
CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICA
Valéria Shoujofan
 
Conquista e Colonização das Américas (1º ano)
Conquista e Colonização das Américas (1º ano)Conquista e Colonização das Américas (1º ano)
Conquista e Colonização das Américas (1º ano)
Valéria Shoujofan
 
Revoltas Emancipacionistas
Revoltas EmancipacionistasRevoltas Emancipacionistas
Revoltas Emancipacionistas
Valéria Shoujofan
 
Período Joanino (1808-1821)
Período Joanino (1808-1821)Período Joanino (1808-1821)
Período Joanino (1808-1821)
Valéria Shoujofan
 
Independência do Brasil e Primeiro Reinado
Independência do Brasil e Primeiro ReinadoIndependência do Brasil e Primeiro Reinado
Independência do Brasil e Primeiro Reinado
Valéria Shoujofan
 
Renascimento Urbano e Comercial e Cruzadas
Renascimento Urbano e Comercial e CruzadasRenascimento Urbano e Comercial e Cruzadas
Renascimento Urbano e Comercial e Cruzadas
Valéria Shoujofan
 
Sistema feudal - Igreja Católica - Parte 2
Sistema feudal - Igreja Católica - Parte 2Sistema feudal - Igreja Católica - Parte 2
Sistema feudal - Igreja Católica - Parte 2
Valéria Shoujofan
 
Sociedade feudal - Parte 1
Sociedade feudal - Parte 1Sociedade feudal - Parte 1
Sociedade feudal - Parte 1
Valéria Shoujofan
 
Formação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Formação das Monarquias Nacionais e AbsolutismoFormação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Formação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Valéria Shoujofan
 
Reformas religiosas do Século XVI
Reformas religiosas do Século XVIReformas religiosas do Século XVI
Reformas religiosas do Século XVI
Valéria Shoujofan
 

Mais de Valéria Shoujofan (20)

América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados NacionaisAmérica Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
 
Segundo Reinando: Escravidão e Imigração
Segundo Reinando: Escravidão e ImigraçãoSegundo Reinando: Escravidão e Imigração
Segundo Reinando: Escravidão e Imigração
 
Entre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptx
Entre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptxEntre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptx
Entre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptx
 
Revolução Americana
Revolução AmericanaRevolução Americana
Revolução Americana
 
Iluminismo e Déspotas Esclarecidos
Iluminismo e Déspotas EsclarecidosIluminismo e Déspotas Esclarecidos
Iluminismo e Déspotas Esclarecidos
 
Primeira e Segunda Revolução Industrial
Primeira e Segunda Revolução IndustrialPrimeira e Segunda Revolução Industrial
Primeira e Segunda Revolução Industrial
 
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos ContratualistasAbsolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
 
Inglaterra: Revolução Científica e Revolução Agrícola
Inglaterra: Revolução Científica e Revolução AgrícolaInglaterra: Revolução Científica e Revolução Agrícola
Inglaterra: Revolução Científica e Revolução Agrícola
 
Reformas Religiosas (novo)
Reformas Religiosas (novo)Reformas Religiosas (novo)
Reformas Religiosas (novo)
 
Revoluções Inglesas - século XVII
Revoluções Inglesas - século XVIIRevoluções Inglesas - século XVII
Revoluções Inglesas - século XVII
 
CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICA
CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICACONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICA
CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICA
 
Conquista e Colonização das Américas (1º ano)
Conquista e Colonização das Américas (1º ano)Conquista e Colonização das Américas (1º ano)
Conquista e Colonização das Américas (1º ano)
 
Revoltas Emancipacionistas
Revoltas EmancipacionistasRevoltas Emancipacionistas
Revoltas Emancipacionistas
 
Período Joanino (1808-1821)
Período Joanino (1808-1821)Período Joanino (1808-1821)
Período Joanino (1808-1821)
 
Independência do Brasil e Primeiro Reinado
Independência do Brasil e Primeiro ReinadoIndependência do Brasil e Primeiro Reinado
Independência do Brasil e Primeiro Reinado
 
Renascimento Urbano e Comercial e Cruzadas
Renascimento Urbano e Comercial e CruzadasRenascimento Urbano e Comercial e Cruzadas
Renascimento Urbano e Comercial e Cruzadas
 
Sistema feudal - Igreja Católica - Parte 2
Sistema feudal - Igreja Católica - Parte 2Sistema feudal - Igreja Católica - Parte 2
Sistema feudal - Igreja Católica - Parte 2
 
Sociedade feudal - Parte 1
Sociedade feudal - Parte 1Sociedade feudal - Parte 1
Sociedade feudal - Parte 1
 
Formação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Formação das Monarquias Nacionais e AbsolutismoFormação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Formação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
 
Reformas religiosas do Século XVI
Reformas religiosas do Século XVIReformas religiosas do Século XVI
Reformas religiosas do Século XVI
 

Último

Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdfLEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LucliaMartins5
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
menesabi
 

Último (20)

Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdfLEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
 

Egito e Mesopotâmia - Antiguidade Oriental

  • 2. POR QUE ESTA REGIÃO É DENOMINADA CRESCENTE FÉRTIL? 2
  • 3. O EGITO É UMA DÁDIVA DO NILO. • É o mais longo oásis do mundo. • Suas cheias regulares eram aproveitadas pelos egípcios. • O rio tinha status de divindade benigna. • Modo de Produção Asiática. 3
  • 4. NOMOS: EGITO ANTES DA UNIFICAÇÃO • Dividido em dois reinos: Baixo Egito (Delta) e Alto Egito (região mais desértica). • As condições geográficas favorecem a formação de grandes estados → Império precede a cidade. • Menés foi o lendário unificador do Egito. 4
  • 5. PERIODIZAÇÃO POLÍTICA 1. Antigo Império (3200-2300 a.C.) → período da construção das grandes pirâmides, relativo isolamento geográfico.  Primeiro Período Intermediário → Fragmentação política. 1. Médio Império (2000-1750 a.C.) → reunificação pelos príncipes de Tebas, grandes obras de irrigação, invasão dos hicsos e outros povos asiáticos.  Segundo Período Intermediário → Governo dos hicsos. 1. Novo Império (1580-1070 a.C.) → expansionismo militar, experiência monoteísta de Akenaton, invasões, grande poder dos sacerdotes de Amon. 5
  • 6. IMPORTÂNCIA DA RELIGIÃO • Politeísta e antropozoomórfica. • Teocracia → faraós eram deuses vivos. • A partir do Médio Império os sacerdotes de Amon-Rá tem cada vez mais poder. • Imposição do monoteísmo de Aton por Amenófilis IV (Akenaton) é um fracasso. • Crença na vida pós-morte → todos deveriam comparecer diante do tribunal de Ossíris. 6
  • 7. IMPORTÂNCIA DA RELIGIÃO Livro Dos Mortos – Guia Prático para o outro mundo 7
  • 8. PERIODIZAÇÃO POLÍTICA  Terceiro Período Intermediário → Fragmentação política, invasão assíria. 4. Renascimento Saíta ou Baixa Época (672-332 a.C.) → faraós negros, guerra civil, reino dividido, vassalagem em relação aos assírios, influência cultural babilônica e grega, conquista persa. 5. Invasão Macedônica e Período Ptolomaico (332- 30 a.C.) 6. Conquista Romana. 8
  • 9. SOCIEDADE NO EGITO ANTIGO • As terras pertenciam ao Estado. • Os camponeses (felás) eram obrigados à servidão coletiva nas obras públicas. • No Novo Império os militares gozaram de ascensão social. • A escravidão dependia da guerra. 9
  • 10. ESCRITA EGÍPCIA • Pedra de Roseta e seu tradutor, Champollion. • Os egípcios tinham três escritas: hieroglífica, hierática e 10 demótica.
  • 11. CIVILIZAÇÕES MESOPOTÂMICAS • Dependência dos rios Tigre e Eufrates. • Enchentes violentas e clima inconstante. • Religião politeísta → deuses temperamentais, religião fatalista. • Teocracia → governantes eram representantes dos deuses na terra. • Cidades-estados independentes → Grandes Impérios. • Economia baseada na agricultura → grande desenvolvimento do comércio. • Servidão coletiva. • Uso da escrita cuneiforme criada pelos sumérios. 11
  • 12. CIVILIZAÇÕES MESOPOTÂMICAS Mesopotâmia: “Entre Rios” em grego. 12
  • 13. CIVILIZAÇÕES MESOPOTÂMICAS Os Sumérios construíram os primeiros zigurates. 13
  • 14. CIVILIZAÇÕES MESOPOTÂMICAS 1. Sumérios e Acádios (antes de 2000 a.C.) → inventaram a cidade, a escrita, a carta de crédito, o primeiro herói literário (Gilgamesh) → Sargão I (acadiano) criou o primeiro império. 2. 1º Império Babilônico (1800-1600 a.C.) → amoritas (semitas), principal governante: Hamurábi. 3. Império Assírio (1300-612 a.C.) → semitas do norte, duas capitais: Nínive e Assur, primeira biblioteca, primeiros a utilizar a cavalaria como arma de guerra → ficaram conhecidos pela crueldade para com os povos vencidos. 14
  • 15. CÓDIGO DE HAMURÁBI • Fragmento do Código de Hamurábi: “Se um homem bater em seu pai, terá as mãos cortadas. Se um homem furar o olho de um homem livre, ser-lhe-á furado o olho. Se um médico tratar a ferida grave de um homem, com punção de bronze, e ele morrer, terá as mãos decepadas. Se um arquiteto construir para um outro uma casa e não a fizer bastante sólida, se a casa cair, matando o dono, esse arquiteto é passível de morte. Se for o filho do dono da casa quem morrer, o filho do arquiteto também será morto.” 15
  • 16. CIVILIZAÇÕES MESOPOTÂMICAS Muralhas de Nínive antiga capital Assíria 16
  • 17. CIVILIZAÇÕES MESOPOTÂMICAS O Rei Assírio - Assurbanipal 17
  • 18. CIVILIZAÇÕES MESOPOTÂMICAS 4. 2º Império Babilônico (612-539 a.C.) → Babilônia é de novo a capital; conquistou a Síria, o Líbano e a Palestina; principal rei foi Nabucodonosor que teria construído os jardins suspensos, uma das maravilhas do mundo antigo; expandiu o Mapa do Império Babilônico. sistema de irrigação e o comércio. 18
  • 19. CIVILIZAÇÕES MESOPOTÂMICAS Reconstituição dos Jardins Suspensos da Babilônia Ruínas das Muralhas da Babilônia 19