SlideShare uma empresa Scribd logo
Workshop STATIK
System Thinking Approach To Introduce Kanban
Lean Kanban Brasil 2018
Luiz Lula
lula@k21.com.br
Carlos Felippe Cardoso
cfc@k21.com.br
Introdução
Uso do pensamento sistêmico
para introdução do método Kanban
Introdução
O que as imagens abaixo representam?
1 2 3
Introdução
O que a imagem abaixo representa?
4 5 6
Introdução
O que a imagem abaixo representa?
Pensamento sistêmico
“O pensamento sistêmico é uma disciplina para ver o todo.”
1. Os problemas de hoje vem das “soluções” de ontem
2. Quanto mais você empurra, mais o sistema empurra
de volta
3. O comportamento melhora antes de piorar
4. A saída mais fácil normalmente nos leva de volta para
dentro
5. A cura pode ser pior que a doença
6. Mais rápido significa mais devagar
7. “Causa” e “efeito” não estão próximos no tempo e
espaço
8. Pequenas mudanças podem produzir grandes
resultados - mas frequentemente as áreas de
alavancagem são as menos óbvias
9. Você pode assobiar e chupar cana - mas não a mesmo
tempo
“O mapa não é o caminho”
Por mais tentador que seja, começar
pelo board geralmente não é a melhor escolha
Fonte: A quinta discplina, de Peter Senge
Foco no Serviço
LKBR 2018  - WORKSHOP - CFC e LULA - Lean Kanban Brazil
Foco na visão do consumidor
"Scaling by not scaling" (Mike Burrows) -
Orientação a Serviços
Conecte os serviços (trabalho
concorrente)
Método Kanban
Orientação a serviços
Para cada serviço:
1. Propósito
2. Insatisfações
3. Demandas
4. Capacidade
5. Workflow
6. Classes de Serviço
7. Sistema Kanban
8. Socialização
STATIK
Passo-a-passo
Contexto da dinâmica
Anotem suas observações!
CUIDADO!
Não julgue para não ser julgado
Propósito
O que os responsáveis pelo serviço precisam
fazer para satisfazer o cliente?
Porque o cliente escolhe o serviço deles e o
que eles esperam quando o consomem?
Quais são os “porquês” do cliente?
Propósito
Dinâmica
“A mesma pessoa pode ter
diferentes olhares em diferentes
situações, e critérios diferentes
vão direcioná-la na tomada de
decisão.”
Propósito
Fonte: Fit-for-purpose, Zeglov e Anderson
Tradução livre
Imagem: Caption: Face with multiple eyes
Artista: Miriam Selmi Reed
● Elevator pitch
● Fit-for-purpose cards
● Conversas e entrevistas
● Storytelling
● Sombra
● Get out of the building
● Jornada de usuário
● Mapa de empatia
Propósito
Algumas técnicas
Insatisfações
“O hiato entre a visão e a realidade é também uma
fonte de energia.
Se não existisse o hiato, não haveria razão para
avançar na direção da visão.
Na verdade o hiato é a fonte de energia criativa.
Nós chamamos este hiato de tensão criativa.”
Insatisfações
Realidade
Percebida
Futuro
Desejado
Hiato
“TensãoCriativa”
Fonte: A quinta disciplina, Peter Senge
Tradução livre
- Quais as principais insatisfações com o
sistema atual? Explicite-as!
- Qual o futuro desejado?
- São insatisfações observadas por todo o
grupo ou somente por uma ou outra
pessoa?
- Quem são os mais insatifeitos? Quais as
possíveis origens dessas insatisfações?
Insatisfações
Dinâmica Realidade
Percebida
Futuro
Desejado
Hiato
“TensãoCriativa”
1. A perspectiva daqueles que trabalham no
sistema (insatisfações internas)
2. A perspectiva daqueles de fora do sistema
(insatisfações externas)
Fonte: Kanban from the inside, Mike Burrows
Tradução livre
Maturidade 2 - Defined
“Os clientes ainda vão perceber inconsistências
inaceitáveis em qualidade e entrega [...] A
percepção ao cliente ainda é a de que o fornecedor
não é totalmente confiável.”
Fonte: Kanban Maturity Model, David e Teodora
Tradução livre
Insatisfações
Duas perspectivas
- Um item por post-it, e post-its
parecidos agrupados
- Provoque (mas não mais do que o
suficiente) algumas insatisfações
externas
- Dot-voting para priorizar
- Deixe-as explícitas
- Diferencie problema de solução
- Observe a causa raíz
Insatisfações
Dicas
Demanda
Demandas
Análise do trabalho em progresso e seus tipos
Demandas
Com base na lista de itens de backlog:
- Identifique padrões
- Agrupe demandas
- Liste os tipos de demanda
- Encontre as características de cada tipo
- Canais de entrada
- Demandantes
- Expectativas
- Frequência
- Encontre formas de validar e priorizar
- Torne explícito o entendimento dos tipos
Dinâmica
Demandas
Análise do trabalho em progresso e seus tipos
Capacidade
Capacidade
Numa grande seguradora:
ENTRADAS em 2016
Projetos planejados : 438
Demandas expressas : 842
SAÍDAS em 2016
Projetos entregues : 21
Demandas expressas : 723
Capacidade
Numa grande seguradora:
Capacidade
Com base nos tipos de demanda
levantados:
- Quantifique o trabalho em
progresso
- Identifique possíveis loops de
feedbacks
- Entenda possíveis métricas
- Lead Time
- Throughput
- Identifique possíveis metas da
organização que influenciam os
comportamentos
Dinâmica
Capacidade
Entradas, trabalho em progresso e últimas entregas
“Medição é a
redução da
observação”
Alexei Zheglov @ Kanban Coaching
Master Class
Tradução livre
Capacidade
WIP, Lead Time e Feedback
Workflow
Workflow
TED Talk “How to make a toast”
TED Talk com uma dinâmica para mapear o seu processo
https://www.youtube.com/watch?v=_vS_b7cJn2A
https://www.drawtoast.com/
Workflow
How to make a toast aplicado aos principais tipos de demanda
- Foque no tipo de demanda prioritário!
- Quando estiver modelando seu workflow
nem tente atacar todos os tipos de uma vez
- Lembre que: Lead Time = Waiting Time +
Action Time (mapeie o que é espera e o que
é ação)
- Entenda o ganho de conhecimento da
demanda ao longo do fluxo
Workflow
Dicas
Workflow
Exemplo do financeiro
Classes de serviço
Classes de serviço
Qual a expectativa de entrega?
Classes de serviço
Qual a expectativa de entrega?
Classes de serviço para expor trabalho invisível!
Classes de serviço para expor trabalho invisível!
Fura-Fila (expedite)
Data fixa
Padrão (standard)
Intangível
Importante para totalizarmos o quanto da
capacidade do time está sendo usada em
atividades "não planejadas"
Identifique possíveis classes de serviço no fluxo:
- Fura-Fila (expedite)
- Data fixa
- Padrão (standard)
- Intangível
Elas realmente existem e são enxergadas por
todos do grupo?
Quais são as características das demandas que
entram em cada classe de serviço?
Classes de Serviço
Dinâmica
Classes de serviço
Categorização de urgência dos seus serviços
- Em geral essa categorização e as classes de serviço podem mudar de acordo com seu nível de
atuação : operacional, coordenação , estratégico
- Flight levels do Kanban - Klaus Leopold
- Você pode enxergar as Classes de serviço como:
- Operacional: Urgência, risco
- Estratégico: Horizontes
Flight Levels
Klaus Leopold - https://goo.gl/19pkGz
Horizontes e
Classes de serviço
Desenho feito por João Reis
(@jreisstudio)
Horizontes e Classes de serviço
Horizontes
● H0
● H1
● H2
● H3
Original Kanban
● Expedite
● Fixed date
● Standard
● Intangible
Categorização
● Financeiro
● Estruturante
● Regulatório
● Inovação
https://www.knowledge21.com.br/blog/horizontes/
Sistema Kanban
Alguns bons parâmetros para introduzir o
design do sistema:
- Escopo (priorizado)
- Granularidade (não muito baixa)
- Estado de cada item (só os principais)
Fita e post-its à mão, e…
Bora construir!
(na dinâmica, rascunhar)
Sistema Kanban
A parte mais esperada!
- Foque nos tipos de demanda prioritários
- Nem todos os itens precisam estar no
mesmo board
- Deixe que o time monte seu próprio
sistema
- Reforce que a versão atual é só um esboço
- Não mate a criatividade (mesmo com
disfunções aparentes como refluxo, por
exemplo)
- NÃO EMPURRE SOLUÇÕES!
Sistema Kanban
Algumas dicas
Sistema Kanban
Provoque o nível adequado de stress
Socialização
Método Kanban = Sistema Kanban + Melhoria contínua
Socialização
Feedback loops
- “Kanban tour”
- Gemba walk
- Stand-up meeting
- Cadências
- Retrospectivas
- Board refactoring
- Novos ciclos de STATIK
Socialização
Algumas práticas legais
“A visão sem o pensamento sistêmico acaba projetando lindos quadros do futuro, sem uma
compreensão profunda da forças que precisam ser dominadas para que possamos andar daqui
para lá.
Para concretizar seu potencial, o pensamento sistêmico também precisa das displinas de
construção de uma visão compartilhada, modelos mentais, aprendizagem em equipe e
domínio pessoal.
Construir uma visão compartilhada estimula o compromisso com o longo prazo.”
Fonte: A quinta discplina, de Peter Senge
Incentive atos de liderança em todos os níveis
Princípio do Kanban
Conclusão
Pensamento sistêmico
Conclusão
Pensamento sistêmico
https://www.knowledge21.com.br/blog/o-que-e-statik-dicas-aplicar-kanban/
Referências
As principais referências estarão sempre atualizadas em:
Rua Barata Ribeiro 543 • 1104 • Copacabana • Rio de Janeiro • RJ • 22040-001 • (21) 3825 8624
www.k21.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mini-curso Scrum e Kanban WES 2015
Mini-curso Scrum e Kanban WES 2015Mini-curso Scrum e Kanban WES 2015
Mini-curso Scrum e Kanban WES 2015
Stéfano H. dos Santos
 
Requisitos Ágeis um novo mindset
Requisitos Ágeis um novo mindsetRequisitos Ágeis um novo mindset
Requisitos Ágeis um novo mindset
Fábio Aguiar
 
Scrum Overview
Scrum OverviewScrum Overview
Scrum Overview
Fábio Aguiar
 
O que é Kanban e porque se importar com ele
O que é Kanban e porque se importar com eleO que é Kanban e porque se importar com ele
O que é Kanban e porque se importar com ele
Rodrigo Yoshima
 
Lidando de forma eficaz com mentalidade legada
Lidando de forma eficaz com mentalidade legadaLidando de forma eficaz com mentalidade legada
Lidando de forma eficaz com mentalidade legada
Rodrigo Yoshima
 
Lean, Kanban e Kaizen para sua área de Tecnologia
Lean, Kanban e Kaizen para sua área de TecnologiaLean, Kanban e Kaizen para sua área de Tecnologia
Lean, Kanban e Kaizen para sua área de Tecnologia
Rodrigo Yoshima
 
Agil - coisas essenciais de sempre
Agil - coisas essenciais de sempreAgil - coisas essenciais de sempre
Agil - coisas essenciais de sempre
Kleitor Franklint Correa Araujo
 
Kanban: Aplicando TDD à melhoria contínua do seu processo
Kanban: Aplicando TDD à melhoria contínua do seu processoKanban: Aplicando TDD à melhoria contínua do seu processo
Kanban: Aplicando TDD à melhoria contínua do seu processo
Rodrigo Yoshima
 
Kaizen para Tecnologia da Informação
Kaizen para Tecnologia da InformaçãoKaizen para Tecnologia da Informação
Kaizen para Tecnologia da Informação
andreandrade17
 
Kanban: O Método preferido para Desenvolvedores de Alta Performance
Kanban: O Método preferido para Desenvolvedores de Alta PerformanceKanban: O Método preferido para Desenvolvedores de Alta Performance
Kanban: O Método preferido para Desenvolvedores de Alta Performance
Rodrigo Yoshima
 
Show Me Your Board (#SuperTrends2016)
Show Me Your Board (#SuperTrends2016)Show Me Your Board (#SuperTrends2016)
Show Me Your Board (#SuperTrends2016)
Rodrigo Yoshima
 
Como não ficar careca em Agile Transformations
Como não ficar careca em Agile TransformationsComo não ficar careca em Agile Transformations
Como não ficar careca em Agile Transformations
Manoel Pimentel Medeiros
 
O que é SCRUM
O que é SCRUMO que é SCRUM
Core Agile Delivery
Core Agile DeliveryCore Agile Delivery
Core Agile Delivery
Fábio Aguiar
 
Resumo do livro SCRUM a arte de fazer o dobro do trabalho na metade do tempo ...
Resumo do livro SCRUM a arte de fazer o dobro do trabalho na metade do tempo ...Resumo do livro SCRUM a arte de fazer o dobro do trabalho na metade do tempo ...
Resumo do livro SCRUM a arte de fazer o dobro do trabalho na metade do tempo ...
Thiago Compan
 
Gestão Ágil de tudo: Planejamento backlog
Gestão Ágil de tudo: Planejamento backlogGestão Ágil de tudo: Planejamento backlog
Gestão Ágil de tudo: Planejamento backlog
Kleitor Franklint Correa Araujo
 
Papeis Ágeis - uma proposta operacional Scrum
Papeis Ágeis - uma proposta operacional ScrumPapeis Ágeis - uma proposta operacional Scrum
Papeis Ágeis - uma proposta operacional Scrum
Kleitor Franklint Correa Araujo
 
Gestao Ágil de Projeto - Reunião Diária
Gestao Ágil de Projeto - Reunião DiáriaGestao Ágil de Projeto - Reunião Diária
Gestao Ágil de Projeto - Reunião Diária
Kleitor Franklint Correa Araujo
 
10 dicas para escalar Agile usando SAFe
10 dicas para escalar Agile usando SAFe10 dicas para escalar Agile usando SAFe
10 dicas para escalar Agile usando SAFe
Manoel Pimentel Medeiros
 
Desenvolvimento Ágil com Scrum e XP
Desenvolvimento Ágil com Scrum e XPDesenvolvimento Ágil com Scrum e XP
Desenvolvimento Ágil com Scrum e XP
lucianocoelho
 

Mais procurados (20)

Mini-curso Scrum e Kanban WES 2015
Mini-curso Scrum e Kanban WES 2015Mini-curso Scrum e Kanban WES 2015
Mini-curso Scrum e Kanban WES 2015
 
Requisitos Ágeis um novo mindset
Requisitos Ágeis um novo mindsetRequisitos Ágeis um novo mindset
Requisitos Ágeis um novo mindset
 
Scrum Overview
Scrum OverviewScrum Overview
Scrum Overview
 
O que é Kanban e porque se importar com ele
O que é Kanban e porque se importar com eleO que é Kanban e porque se importar com ele
O que é Kanban e porque se importar com ele
 
Lidando de forma eficaz com mentalidade legada
Lidando de forma eficaz com mentalidade legadaLidando de forma eficaz com mentalidade legada
Lidando de forma eficaz com mentalidade legada
 
Lean, Kanban e Kaizen para sua área de Tecnologia
Lean, Kanban e Kaizen para sua área de TecnologiaLean, Kanban e Kaizen para sua área de Tecnologia
Lean, Kanban e Kaizen para sua área de Tecnologia
 
Agil - coisas essenciais de sempre
Agil - coisas essenciais de sempreAgil - coisas essenciais de sempre
Agil - coisas essenciais de sempre
 
Kanban: Aplicando TDD à melhoria contínua do seu processo
Kanban: Aplicando TDD à melhoria contínua do seu processoKanban: Aplicando TDD à melhoria contínua do seu processo
Kanban: Aplicando TDD à melhoria contínua do seu processo
 
Kaizen para Tecnologia da Informação
Kaizen para Tecnologia da InformaçãoKaizen para Tecnologia da Informação
Kaizen para Tecnologia da Informação
 
Kanban: O Método preferido para Desenvolvedores de Alta Performance
Kanban: O Método preferido para Desenvolvedores de Alta PerformanceKanban: O Método preferido para Desenvolvedores de Alta Performance
Kanban: O Método preferido para Desenvolvedores de Alta Performance
 
Show Me Your Board (#SuperTrends2016)
Show Me Your Board (#SuperTrends2016)Show Me Your Board (#SuperTrends2016)
Show Me Your Board (#SuperTrends2016)
 
Como não ficar careca em Agile Transformations
Como não ficar careca em Agile TransformationsComo não ficar careca em Agile Transformations
Como não ficar careca em Agile Transformations
 
O que é SCRUM
O que é SCRUMO que é SCRUM
O que é SCRUM
 
Core Agile Delivery
Core Agile DeliveryCore Agile Delivery
Core Agile Delivery
 
Resumo do livro SCRUM a arte de fazer o dobro do trabalho na metade do tempo ...
Resumo do livro SCRUM a arte de fazer o dobro do trabalho na metade do tempo ...Resumo do livro SCRUM a arte de fazer o dobro do trabalho na metade do tempo ...
Resumo do livro SCRUM a arte de fazer o dobro do trabalho na metade do tempo ...
 
Gestão Ágil de tudo: Planejamento backlog
Gestão Ágil de tudo: Planejamento backlogGestão Ágil de tudo: Planejamento backlog
Gestão Ágil de tudo: Planejamento backlog
 
Papeis Ágeis - uma proposta operacional Scrum
Papeis Ágeis - uma proposta operacional ScrumPapeis Ágeis - uma proposta operacional Scrum
Papeis Ágeis - uma proposta operacional Scrum
 
Gestao Ágil de Projeto - Reunião Diária
Gestao Ágil de Projeto - Reunião DiáriaGestao Ágil de Projeto - Reunião Diária
Gestao Ágil de Projeto - Reunião Diária
 
10 dicas para escalar Agile usando SAFe
10 dicas para escalar Agile usando SAFe10 dicas para escalar Agile usando SAFe
10 dicas para escalar Agile usando SAFe
 
Desenvolvimento Ágil com Scrum e XP
Desenvolvimento Ágil com Scrum e XPDesenvolvimento Ágil com Scrum e XP
Desenvolvimento Ágil com Scrum e XP
 

Semelhante a LKBR 2018 - WORKSHOP - CFC e LULA - Lean Kanban Brazil

Extreme programming explicada
Extreme programming explicadaExtreme programming explicada
Extreme programming explicada
Maurício Linhares
 
Extreme Programming Explicada
Extreme Programming ExplicadaExtreme Programming Explicada
Extreme Programming Explicada
Maurício Linhares
 
Método Kanban - Como começar e entrar no modo maratona [Ago/2019]
Método Kanban - Como começar e entrar no modo maratona [Ago/2019]Método Kanban - Como começar e entrar no modo maratona [Ago/2019]
Método Kanban - Como começar e entrar no modo maratona [Ago/2019]
Cleiton Luis Mafra
 
#HubEscola2016 | Gestão ágil de projetos para "não TI" | Rafael Rocha
#HubEscola2016 | Gestão ágil de projetos para "não TI" | Rafael Rocha#HubEscola2016 | Gestão ágil de projetos para "não TI" | Rafael Rocha
#HubEscola2016 | Gestão ágil de projetos para "não TI" | Rafael Rocha
Rafael Rocha
 
Extreme programming
Extreme programmingExtreme programming
Extreme programming
Maurício Linhares
 
Diagrama de causa e efeito
Diagrama de causa e efeitoDiagrama de causa e efeito
Diagrama de causa e efeito
Marcelo Ribas
 
A Eficácia para a Avaliação de desempenho CBTD 2013
A Eficácia para a Avaliação de desempenho CBTD 2013A Eficácia para a Avaliação de desempenho CBTD 2013
A Eficácia para a Avaliação de desempenho CBTD 2013
Bernardo Leite Moreira
 
Voce sabe o que é Agile ? Eu tambem não !
Voce sabe o que é Agile ? Eu tambem não !Voce sabe o que é Agile ? Eu tambem não !
Voce sabe o que é Agile ? Eu tambem não !
Fabiano Milani
 
Mapeamento de Processos
Mapeamento de ProcessosMapeamento de Processos
Métodos Ágeis - Aula02
Métodos Ágeis - Aula02Métodos Ágeis - Aula02
Métodos Ágeis - Aula02
Adriano Bertucci
 
Kanban, o Método - Melhorando seu fluxo de trabalho de forma realmente eficiente
Kanban, o Método - Melhorando seu fluxo de trabalho de forma realmente eficienteKanban, o Método - Melhorando seu fluxo de trabalho de forma realmente eficiente
Kanban, o Método - Melhorando seu fluxo de trabalho de forma realmente eficiente
thiagodacosta
 
Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 5
Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 5Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 5
Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 5
André Phillip Bertoletti
 
Diagrama de causa e efeito
Diagrama de causa e efeitoDiagrama de causa e efeito
Diagrama de causa e efeito
Amanda Bispo
 
Cap 4 – Análise – Alexandre Guimarães, CBPP
Cap 4 – Análise – Alexandre Guimarães, CBPPCap 4 – Análise – Alexandre Guimarães, CBPP
Cap 4 – Análise – Alexandre Guimarães, CBPP
EloGroup
 
Maratona CBOK 2012 - Cap 4 – Análise – Alexandre Guimarães, CBPP
Maratona CBOK 2012 - Cap 4 – Análise – Alexandre Guimarães, CBPPMaratona CBOK 2012 - Cap 4 – Análise – Alexandre Guimarães, CBPP
Maratona CBOK 2012 - Cap 4 – Análise – Alexandre Guimarães, CBPP
EloGroup
 
Testador tipo t
Testador tipo tTestador tipo t
Testador tipo t
Ari Amaral
 
Testador Tipo T
Testador Tipo TTestador Tipo T
Testador Tipo T
GTS-CE
 
Uma abordagem às Metodologias Ágeis em Gerência de Projetos
Uma abordagem às Metodologias Ágeis em Gerência de ProjetosUma abordagem às Metodologias Ágeis em Gerência de Projetos
Uma abordagem às Metodologias Ágeis em Gerência de Projetos
Giovani Elísio Silva
 
Sistemas para o Mundo Real
Sistemas para o Mundo RealSistemas para o Mundo Real
Sistemas para o Mundo Real
Leandro Silva
 
Lean Startup
Lean StartupLean Startup
Lean Startup
Rodrigo Branas
 

Semelhante a LKBR 2018 - WORKSHOP - CFC e LULA - Lean Kanban Brazil (20)

Extreme programming explicada
Extreme programming explicadaExtreme programming explicada
Extreme programming explicada
 
Extreme Programming Explicada
Extreme Programming ExplicadaExtreme Programming Explicada
Extreme Programming Explicada
 
Método Kanban - Como começar e entrar no modo maratona [Ago/2019]
Método Kanban - Como começar e entrar no modo maratona [Ago/2019]Método Kanban - Como começar e entrar no modo maratona [Ago/2019]
Método Kanban - Como começar e entrar no modo maratona [Ago/2019]
 
#HubEscola2016 | Gestão ágil de projetos para "não TI" | Rafael Rocha
#HubEscola2016 | Gestão ágil de projetos para "não TI" | Rafael Rocha#HubEscola2016 | Gestão ágil de projetos para "não TI" | Rafael Rocha
#HubEscola2016 | Gestão ágil de projetos para "não TI" | Rafael Rocha
 
Extreme programming
Extreme programmingExtreme programming
Extreme programming
 
Diagrama de causa e efeito
Diagrama de causa e efeitoDiagrama de causa e efeito
Diagrama de causa e efeito
 
A Eficácia para a Avaliação de desempenho CBTD 2013
A Eficácia para a Avaliação de desempenho CBTD 2013A Eficácia para a Avaliação de desempenho CBTD 2013
A Eficácia para a Avaliação de desempenho CBTD 2013
 
Voce sabe o que é Agile ? Eu tambem não !
Voce sabe o que é Agile ? Eu tambem não !Voce sabe o que é Agile ? Eu tambem não !
Voce sabe o que é Agile ? Eu tambem não !
 
Mapeamento de Processos
Mapeamento de ProcessosMapeamento de Processos
Mapeamento de Processos
 
Métodos Ágeis - Aula02
Métodos Ágeis - Aula02Métodos Ágeis - Aula02
Métodos Ágeis - Aula02
 
Kanban, o Método - Melhorando seu fluxo de trabalho de forma realmente eficiente
Kanban, o Método - Melhorando seu fluxo de trabalho de forma realmente eficienteKanban, o Método - Melhorando seu fluxo de trabalho de forma realmente eficiente
Kanban, o Método - Melhorando seu fluxo de trabalho de forma realmente eficiente
 
Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 5
Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 5Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 5
Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 5
 
Diagrama de causa e efeito
Diagrama de causa e efeitoDiagrama de causa e efeito
Diagrama de causa e efeito
 
Cap 4 – Análise – Alexandre Guimarães, CBPP
Cap 4 – Análise – Alexandre Guimarães, CBPPCap 4 – Análise – Alexandre Guimarães, CBPP
Cap 4 – Análise – Alexandre Guimarães, CBPP
 
Maratona CBOK 2012 - Cap 4 – Análise – Alexandre Guimarães, CBPP
Maratona CBOK 2012 - Cap 4 – Análise – Alexandre Guimarães, CBPPMaratona CBOK 2012 - Cap 4 – Análise – Alexandre Guimarães, CBPP
Maratona CBOK 2012 - Cap 4 – Análise – Alexandre Guimarães, CBPP
 
Testador tipo t
Testador tipo tTestador tipo t
Testador tipo t
 
Testador Tipo T
Testador Tipo TTestador Tipo T
Testador Tipo T
 
Uma abordagem às Metodologias Ágeis em Gerência de Projetos
Uma abordagem às Metodologias Ágeis em Gerência de ProjetosUma abordagem às Metodologias Ágeis em Gerência de Projetos
Uma abordagem às Metodologias Ágeis em Gerência de Projetos
 
Sistemas para o Mundo Real
Sistemas para o Mundo RealSistemas para o Mundo Real
Sistemas para o Mundo Real
 
Lean Startup
Lean StartupLean Startup
Lean Startup
 

Mais de Luiz Rodrigues

K21 @ XP conf 2018 - Retro Poker
K21 @ XP conf 2018 - Retro PokerK21 @ XP conf 2018 - Retro Poker
K21 @ XP conf 2018 - Retro Poker
Luiz Rodrigues
 
Macacos que codam - K21 @ XPConfBR 2018
Macacos que codam - K21 @ XPConfBR 2018Macacos que codam - K21 @ XPConfBR 2018
Macacos que codam - K21 @ XPConfBR 2018
Luiz Rodrigues
 
Agile Brazil 2017 - Transformação Ágil - Bottom up ou Top down?
Agile Brazil 2017 - Transformação Ágil - Bottom up ou Top down?Agile Brazil 2017 - Transformação Ágil - Bottom up ou Top down?
Agile Brazil 2017 - Transformação Ágil - Bottom up ou Top down?
Luiz Rodrigues
 
Agile brazil 2017 duelo - tec x neg 4x3
Agile brazil 2017   duelo - tec x neg 4x3Agile brazil 2017   duelo - tec x neg 4x3
Agile brazil 2017 duelo - tec x neg 4x3
Luiz Rodrigues
 
Scrum Gathering Rio 2017 - Workshop de criação de retrospectivas
Scrum Gathering Rio 2017 - Workshop de criação de retrospectivasScrum Gathering Rio 2017 - Workshop de criação de retrospectivas
Scrum Gathering Rio 2017 - Workshop de criação de retrospectivas
Luiz Rodrigues
 
TDC SP 2016 - EVDnC - Extreme Value-Driven Coaching - 4 sprints em 5 dias
TDC SP 2016 - EVDnC - Extreme Value-Driven Coaching - 4 sprints em 5 diasTDC SP 2016 - EVDnC - Extreme Value-Driven Coaching - 4 sprints em 5 dias
TDC SP 2016 - EVDnC - Extreme Value-Driven Coaching - 4 sprints em 5 dias
Luiz Rodrigues
 

Mais de Luiz Rodrigues (6)

K21 @ XP conf 2018 - Retro Poker
K21 @ XP conf 2018 - Retro PokerK21 @ XP conf 2018 - Retro Poker
K21 @ XP conf 2018 - Retro Poker
 
Macacos que codam - K21 @ XPConfBR 2018
Macacos que codam - K21 @ XPConfBR 2018Macacos que codam - K21 @ XPConfBR 2018
Macacos que codam - K21 @ XPConfBR 2018
 
Agile Brazil 2017 - Transformação Ágil - Bottom up ou Top down?
Agile Brazil 2017 - Transformação Ágil - Bottom up ou Top down?Agile Brazil 2017 - Transformação Ágil - Bottom up ou Top down?
Agile Brazil 2017 - Transformação Ágil - Bottom up ou Top down?
 
Agile brazil 2017 duelo - tec x neg 4x3
Agile brazil 2017   duelo - tec x neg 4x3Agile brazil 2017   duelo - tec x neg 4x3
Agile brazil 2017 duelo - tec x neg 4x3
 
Scrum Gathering Rio 2017 - Workshop de criação de retrospectivas
Scrum Gathering Rio 2017 - Workshop de criação de retrospectivasScrum Gathering Rio 2017 - Workshop de criação de retrospectivas
Scrum Gathering Rio 2017 - Workshop de criação de retrospectivas
 
TDC SP 2016 - EVDnC - Extreme Value-Driven Coaching - 4 sprints em 5 dias
TDC SP 2016 - EVDnC - Extreme Value-Driven Coaching - 4 sprints em 5 diasTDC SP 2016 - EVDnC - Extreme Value-Driven Coaching - 4 sprints em 5 dias
TDC SP 2016 - EVDnC - Extreme Value-Driven Coaching - 4 sprints em 5 dias
 

Último

7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
InsttLcioEvangelista
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
Paulo Emerson Pereira
 
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Dantas
 
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
AlfeuBuriti1
 
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Renan Batista Bitcoin
 
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfilApostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Carlos Eduardo Coan Junior
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Paulo Emerson Pereira
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
rihabkorbi24
 

Último (8)

7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
 
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
 
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
 
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
 
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfilApostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
 

LKBR 2018 - WORKSHOP - CFC e LULA - Lean Kanban Brazil

  • 1. Workshop STATIK System Thinking Approach To Introduce Kanban Lean Kanban Brasil 2018 Luiz Lula lula@k21.com.br Carlos Felippe Cardoso cfc@k21.com.br
  • 2. Introdução Uso do pensamento sistêmico para introdução do método Kanban
  • 3. Introdução O que as imagens abaixo representam? 1 2 3
  • 4. Introdução O que a imagem abaixo representa? 4 5 6
  • 5. Introdução O que a imagem abaixo representa?
  • 6. Pensamento sistêmico “O pensamento sistêmico é uma disciplina para ver o todo.” 1. Os problemas de hoje vem das “soluções” de ontem 2. Quanto mais você empurra, mais o sistema empurra de volta 3. O comportamento melhora antes de piorar 4. A saída mais fácil normalmente nos leva de volta para dentro 5. A cura pode ser pior que a doença 6. Mais rápido significa mais devagar 7. “Causa” e “efeito” não estão próximos no tempo e espaço 8. Pequenas mudanças podem produzir grandes resultados - mas frequentemente as áreas de alavancagem são as menos óbvias 9. Você pode assobiar e chupar cana - mas não a mesmo tempo
  • 7. “O mapa não é o caminho” Por mais tentador que seja, começar pelo board geralmente não é a melhor escolha
  • 8. Fonte: A quinta discplina, de Peter Senge
  • 11. Foco na visão do consumidor "Scaling by not scaling" (Mike Burrows) - Orientação a Serviços Conecte os serviços (trabalho concorrente) Método Kanban Orientação a serviços
  • 12. Para cada serviço: 1. Propósito 2. Insatisfações 3. Demandas 4. Capacidade 5. Workflow 6. Classes de Serviço 7. Sistema Kanban 8. Socialização STATIK Passo-a-passo
  • 13. Contexto da dinâmica Anotem suas observações!
  • 14. CUIDADO! Não julgue para não ser julgado
  • 16. O que os responsáveis pelo serviço precisam fazer para satisfazer o cliente? Porque o cliente escolhe o serviço deles e o que eles esperam quando o consomem? Quais são os “porquês” do cliente? Propósito Dinâmica
  • 17. “A mesma pessoa pode ter diferentes olhares em diferentes situações, e critérios diferentes vão direcioná-la na tomada de decisão.” Propósito Fonte: Fit-for-purpose, Zeglov e Anderson Tradução livre Imagem: Caption: Face with multiple eyes Artista: Miriam Selmi Reed
  • 18. ● Elevator pitch ● Fit-for-purpose cards ● Conversas e entrevistas ● Storytelling ● Sombra ● Get out of the building ● Jornada de usuário ● Mapa de empatia Propósito Algumas técnicas
  • 20. “O hiato entre a visão e a realidade é também uma fonte de energia. Se não existisse o hiato, não haveria razão para avançar na direção da visão. Na verdade o hiato é a fonte de energia criativa. Nós chamamos este hiato de tensão criativa.” Insatisfações Realidade Percebida Futuro Desejado Hiato “TensãoCriativa” Fonte: A quinta disciplina, Peter Senge Tradução livre
  • 21. - Quais as principais insatisfações com o sistema atual? Explicite-as! - Qual o futuro desejado? - São insatisfações observadas por todo o grupo ou somente por uma ou outra pessoa? - Quem são os mais insatifeitos? Quais as possíveis origens dessas insatisfações? Insatisfações Dinâmica Realidade Percebida Futuro Desejado Hiato “TensãoCriativa”
  • 22. 1. A perspectiva daqueles que trabalham no sistema (insatisfações internas) 2. A perspectiva daqueles de fora do sistema (insatisfações externas) Fonte: Kanban from the inside, Mike Burrows Tradução livre Maturidade 2 - Defined “Os clientes ainda vão perceber inconsistências inaceitáveis em qualidade e entrega [...] A percepção ao cliente ainda é a de que o fornecedor não é totalmente confiável.” Fonte: Kanban Maturity Model, David e Teodora Tradução livre Insatisfações Duas perspectivas
  • 23. - Um item por post-it, e post-its parecidos agrupados - Provoque (mas não mais do que o suficiente) algumas insatisfações externas - Dot-voting para priorizar - Deixe-as explícitas - Diferencie problema de solução - Observe a causa raíz Insatisfações Dicas
  • 25. Demandas Análise do trabalho em progresso e seus tipos
  • 26. Demandas Com base na lista de itens de backlog: - Identifique padrões - Agrupe demandas - Liste os tipos de demanda - Encontre as características de cada tipo - Canais de entrada - Demandantes - Expectativas - Frequência - Encontre formas de validar e priorizar - Torne explícito o entendimento dos tipos Dinâmica
  • 27. Demandas Análise do trabalho em progresso e seus tipos
  • 29. Capacidade Numa grande seguradora: ENTRADAS em 2016 Projetos planejados : 438 Demandas expressas : 842 SAÍDAS em 2016 Projetos entregues : 21 Demandas expressas : 723
  • 31. Capacidade Com base nos tipos de demanda levantados: - Quantifique o trabalho em progresso - Identifique possíveis loops de feedbacks - Entenda possíveis métricas - Lead Time - Throughput - Identifique possíveis metas da organização que influenciam os comportamentos Dinâmica
  • 32. Capacidade Entradas, trabalho em progresso e últimas entregas
  • 33. “Medição é a redução da observação” Alexei Zheglov @ Kanban Coaching Master Class Tradução livre Capacidade WIP, Lead Time e Feedback
  • 35. Workflow TED Talk “How to make a toast” TED Talk com uma dinâmica para mapear o seu processo https://www.youtube.com/watch?v=_vS_b7cJn2A https://www.drawtoast.com/
  • 36. Workflow How to make a toast aplicado aos principais tipos de demanda
  • 37. - Foque no tipo de demanda prioritário! - Quando estiver modelando seu workflow nem tente atacar todos os tipos de uma vez - Lembre que: Lead Time = Waiting Time + Action Time (mapeie o que é espera e o que é ação) - Entenda o ganho de conhecimento da demanda ao longo do fluxo Workflow Dicas
  • 40. Classes de serviço Qual a expectativa de entrega?
  • 41. Classes de serviço Qual a expectativa de entrega?
  • 42. Classes de serviço para expor trabalho invisível!
  • 43. Classes de serviço para expor trabalho invisível! Fura-Fila (expedite) Data fixa Padrão (standard) Intangível Importante para totalizarmos o quanto da capacidade do time está sendo usada em atividades "não planejadas"
  • 44. Identifique possíveis classes de serviço no fluxo: - Fura-Fila (expedite) - Data fixa - Padrão (standard) - Intangível Elas realmente existem e são enxergadas por todos do grupo? Quais são as características das demandas que entram em cada classe de serviço? Classes de Serviço Dinâmica
  • 45. Classes de serviço Categorização de urgência dos seus serviços - Em geral essa categorização e as classes de serviço podem mudar de acordo com seu nível de atuação : operacional, coordenação , estratégico - Flight levels do Kanban - Klaus Leopold - Você pode enxergar as Classes de serviço como: - Operacional: Urgência, risco - Estratégico: Horizontes
  • 46. Flight Levels Klaus Leopold - https://goo.gl/19pkGz
  • 47. Horizontes e Classes de serviço Desenho feito por João Reis (@jreisstudio)
  • 48. Horizontes e Classes de serviço Horizontes ● H0 ● H1 ● H2 ● H3 Original Kanban ● Expedite ● Fixed date ● Standard ● Intangible Categorização ● Financeiro ● Estruturante ● Regulatório ● Inovação https://www.knowledge21.com.br/blog/horizontes/
  • 50. Alguns bons parâmetros para introduzir o design do sistema: - Escopo (priorizado) - Granularidade (não muito baixa) - Estado de cada item (só os principais) Fita e post-its à mão, e… Bora construir! (na dinâmica, rascunhar) Sistema Kanban A parte mais esperada!
  • 51. - Foque nos tipos de demanda prioritários - Nem todos os itens precisam estar no mesmo board - Deixe que o time monte seu próprio sistema - Reforce que a versão atual é só um esboço - Não mate a criatividade (mesmo com disfunções aparentes como refluxo, por exemplo) - NÃO EMPURRE SOLUÇÕES! Sistema Kanban Algumas dicas
  • 52. Sistema Kanban Provoque o nível adequado de stress
  • 54. Método Kanban = Sistema Kanban + Melhoria contínua Socialização Feedback loops
  • 55. - “Kanban tour” - Gemba walk - Stand-up meeting - Cadências - Retrospectivas - Board refactoring - Novos ciclos de STATIK Socialização Algumas práticas legais
  • 56. “A visão sem o pensamento sistêmico acaba projetando lindos quadros do futuro, sem uma compreensão profunda da forças que precisam ser dominadas para que possamos andar daqui para lá. Para concretizar seu potencial, o pensamento sistêmico também precisa das displinas de construção de uma visão compartilhada, modelos mentais, aprendizagem em equipe e domínio pessoal. Construir uma visão compartilhada estimula o compromisso com o longo prazo.” Fonte: A quinta discplina, de Peter Senge Incentive atos de liderança em todos os níveis Princípio do Kanban Conclusão Pensamento sistêmico
  • 59. Rua Barata Ribeiro 543 • 1104 • Copacabana • Rio de Janeiro • RJ • 22040-001 • (21) 3825 8624 www.k21.com.br