SlideShare uma empresa Scribd logo
Química
Orgânica
      ISOMERIA
Conceito


  É o fenômeno através do
qual dois ou mais compostos
 apresentam mesma fórmula
  molecular e propriedades
  diferentes em virtude da
  disposição diferente dos
    átomos na molécula.
Conceito

      Com a fórmula C2H6O temos duas
               substâncias:

              H3C – CH2 – OH

Função álcool, líquido incolor, P.E.= 78,5 C,
     apresenta moderada reatividade
                   química.

               H3C – O – CH3

 Função éter, gás incolor, liquefaz a -23 C,
Tipos de Isomeria

Isomeria Plana – Os isômeros podem
ser diferenciados pela fórmula
estrutural plana.

Isomeria Espacial ou Estereoisomeria
– Os isômeros são diferenciados
pelas suas estruturas espaciais.

   • Isomeria Geométrica
   • Isomeria Óptica
Isomeria Plana
A isomeria plana é dividida em 5 partes:
isomeria de função, de cadeia, de posição,
metameria e tautomeria.
           Isomeria de Função ou Funcional
  Na isomeria de função os compostos possuem
  diferenças apenas entre a função química. Veja
  alguns exemplos:



Aldeído            Cetona    Ácido Carboxílico               Éster

           C3H6O                               C4H8O2

Propanal       Propanona     Ácido Butanóico            Etanoato de Etila

  Outros exemplos comuns são isomeria funcional entre álcool e
éter, álcool aromático e fenol.
Isomeria Plana

                  Isomeria de Cadeia ou Núcleo
 Os compostos possuem a mesma função, mas
possuem diferenças entre as suas cadeias.



         Hidrocarboneto                       Hidrocarboneto
              C4H10                                C 3H6
    Butano            Metilpropano       Propeno           Ciclopropano
                                                             cadeia
 Cadeia aberta,       cadeia aberta,   cadeia aberta,
                                                            fechada,
    normal,            ramificada,        normal,
                                                             normal,
   saturada e           saturada e      insaturada e
                                                           saturada e
  homogênea            homogênea        homogênea
                                                           homogênea
Isomeria Plana

                       Isomeria de Posição

   Os isômeros de posição possuem cadeias iguais e
possuem a mesma função, mas possuem diferenças na
posição do grupo funcional, ramificação ou insaturação.



             Álcool                               Alcino

             C3H7OH                               C 4H6

2-Propanol            1-Propanol       1-Butino            2-Butino
Isomeria Plana
         Metameria ou Isomeria de Compensação
   A metameria é um caso particular da
 isomeria de posição. Nela, os metâmeros
 pertencem à mesma função, possuem cadeias
 iguais e a única diferença é a posição de um
 heteroátomo.

                 Éter                                Éster

                C4H10O                               C3H6O2

                                          Metanoato de        Etanoato de
  Etóxi Etano            Metóxi Propano
                                              Etila              Metila

Outros exemplos de metameria são entre as
aminas ou entre as amidas comuns e
substituídas.
Isomeria Plana
              Tautomeria ou Isomeria Dinâmica
       Este é um caso especial da isomeria de
   função, onde os isômeros coexistem em um
 equilíbrio químico. Os tautômeros mais comuns
    são os enóis e as cetonas ou os enóis e os
  aldeídos. A diferença é a posição da hidroxila
insaturada: em um carbono 1 ela gera um aldeído
  e em um carbono localizado no meio de uma
      cadeia ela gera uma cetona. Exemplos:


    Aldeído             Enol        Cetona                 Enol
               C2H 4O                         C3H 6 O
     Etanal             Etenol    Propanona             Propen-2-ol
Isomeria Plana
          Tautomeria ou Isomeria Dinâmica
A explicação pode ser dada através de conceitos simples
como densidade eletrônica e carga parcial, como na
animação abaixo. O exemplo utilizado será de um
aldeído, mas também é possível explicar a tautomeria
ceto-enólica.
Isomeria Geométrica

  A isomeria geométrica ou Cis – Trans trata de
  casos onde há diferenças apenas na posição
       de alguns átomos em uma estrutura
                 tridimensional.
Condições para ocorrência:

1- Compostos com ligação dupla e cada carbono
do laço duplo deve possuir os dois radicais
diferentes.

2- Compostos cíclicos que possuam dois
carbonos com dois radicais diferentas em cada
um.
Isomeria Geométrica
     Compostos com ligações duplas.
O composto 1,2-Dicloro-Eteno pode ser representado de duas maneiras:




                                                R1 ≠ R2 e R3 ≠
                                                R4

         Estruturas diferentes = Características diferentes.




            Como diferenciar as duas estruturas?
Isomeria Geométrica
     Compostos com ligações duplas.
Antes de seus nomes utilizam-se prefixos para indicar a posição de
seus átomos ou radicais.
Cis – Quando os radicais mais simples estiverem do mesmo lado.
Trans – Quando os radicais mais simples estiverem em lados
opostos.




A orientação é sempre dada a partir do maior número
atômico para átomos diferentes e de tamanho, quando os
números atômicos forem iguais, para radicais. O prefixo
cis- indica que as partes de maior prioridade estão em
uma mesma parte de um plano imaginário que corta a
molécula. O prefixo trans- indica que as partes de maior
prioridade estão em lados opostos da molécula.
Isomeria Geométrica
    Compostos com ligações duplas.


                           Escreva o nome e
                           diferencie os
                           isômeros
                           geométricos abaixo:
Isomeria Geométrica
          Compostos Cíclicos
Possuem isomeria geométrica sem a necessidade de uma
ligação dupla.
                           A regra para determinar quem é
                           cis e quem é trans é a mesma
                           dos compostos acíclicos: traçar
                           uma linha imaginária entre os
                           carbonos onde há isomeria
                           geométrica e observar, pelas
                           prioridades, quem é cis e trans.
Isomeria Geométrica
         Compostos
Escreva oCíclicos
         nome e diferencie os isômeros
geométricos abaixo:
Isomeria Óptica
Todos os isômeros possuem propriedades
físicas diferentes, tais como PF, PE e
densidade, mas os isômeros ópticos não
possuem esta diferença, ou seja, as
propriedades físicas dos isômeros ópticos são
as mesmas. Então o que faz eles serem
diferentes?
É possível diferenciá-los?
Sim, é possível diferenciá-los, mas apenas
quando eles estão frente à luz polarizada.


Os isômeros ópticos são compostos capazes
        de desviar a luz polarizada.
Isomeria Óptica




Enantiômero Dextrógiro (D, +) - provoca
o giro da luz polarizada para a direita.
Enantiômero Levógiro (L, -) - provoca o
giro da luz polarizada para a esquerda.
Mistura Racêmica - ópticamente inativa
(mistura de 50% de dextrógiro com 50%
de levógiro.
Isomeria Óptica
Condição para que um composto tenha
atividadeassimétrico ou quiral ou estereocentro.
• Carbono óptica:

                       O carbono quiral é
             *         marcado
                       com um asterísco (*),este
                       carbono possui todos os
                       ligantes diferentes.


                       Nos compostos
                       enantioméricos, um é a
                       imagem especular do outro, ou
                       seja, um é a imagem refletida
                       do outro. No entanto, eles não
                       são superponíveis.
Isomeria Óptica
Determinação do número de isômeros ópticos
            (lei de van't Hoff) :
Compostos com 1C* - Um isômero dextrógiro, um levógiro
e um racêmico (formado por quantidades equimolares do
dextrógiro e levógiro).

Compostos com 2C* diferentes - Dois isômeros
dextrógiros, dois isômeros levógiros, formando dois pares
de antípodas ópticos e dois racêmicos.

Compostos com 2C* iguais - Um isômero levógiro, um
dextrógiro, um racêmico e um meso ou mesógiro (inativo
por compensação interna).

Compostos com nC* diferentes - 2n isômeros opticamente
              n-1             n-1            n-1
Isomeria Óptica

Sobre a molécula do 3-metil-2-pentanol,
responda:

                                   2 estereocentros



a) Quantos enantiomorfos possui a molécula?

 IOA = 2n= 22 = 4, 4 isômeros ópticos ativos

b) Quantos enantiomorfos levógiros possui a molécula?
 IOA(-) = 2n-1 22-1 = 2, 2 isômeros levógiros
            =

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Isomeria plana
Isomeria planaIsomeria plana
Isomeria plana
paramore146
 
Dilução e mistura de soluções
Dilução e mistura de soluçõesDilução e mistura de soluções
Dilução e mistura de soluções
Marilena Meira
 
Cadeias carbônicas
Cadeias carbônicasCadeias carbônicas
Cadeias carbônicas
Kamila Passos
 
Aula 1 introdução à química orgânica.
Aula 1    introdução à química orgânica.Aula 1    introdução à química orgânica.
Aula 1 introdução à química orgânica.
Ajudar Pessoas
 
Nomenclatura de Hidrocarbonetos
Nomenclatura de HidrocarbonetosNomenclatura de Hidrocarbonetos
Nomenclatura de Hidrocarbonetos
José Marcelo Cangemi
 
Modelos atômicos
Modelos atômicosModelos atômicos
Modelos atômicos
Marilena Meira
 
Eletricidade
EletricidadeEletricidade
Eletricidade
Wellington Sampaio
 
Introdução a química orgânica
Introdução a química orgânicaIntrodução a química orgânica
Introdução a química orgânica
Leimcpf
 
Química Orgânica: CARBONO
Química Orgânica: CARBONOQuímica Orgânica: CARBONO
Química Orgânica: CARBONO
DelPadre
 
O átomo
O átomoO átomo
O átomo
Atami Santos
 
Química distribuição eletronica
Química   distribuição eletronicaQuímica   distribuição eletronica
Química distribuição eletronica
Rubao1E
 
Ligações Químicas Aula 1
Ligações Químicas Aula 1Ligações Químicas Aula 1
Ligações Químicas Aula 1
Abraão Matos
 
Número de oxidação (Nox)
Número de oxidação (Nox)Número de oxidação (Nox)
Número de oxidação (Nox)
Fábio Garcia Ferreira
 
Química Orgânica I - Introdução
Química Orgânica I - IntroduçãoQuímica Orgânica I - Introdução
Química Orgânica I - Introdução
Ricardo Stefani
 
1. introdução a química
1. introdução a química1. introdução a química
1. introdução a química
Rebeca Vale
 
Química orgânica 3º ano COMPLETO
Química orgânica 3º ano   COMPLETOQuímica orgânica 3º ano   COMPLETO
Química orgânica 3º ano COMPLETO
Eliando Oliveira
 
Química orgânica - Isomeria
Química orgânica - IsomeriaQuímica orgânica - Isomeria
Química orgânica - Isomeria
Francisco Ivanildo
 
Reações Químicas
Reações QuímicasReações Químicas
Reações Químicas
Polo UAB de Alagoinhas
 
Soluções e Solubilidade
Soluções e SolubilidadeSoluções e Solubilidade
Soluções e Solubilidade
Luana Salgueiro
 
Geometria molecular
Geometria molecularGeometria molecular
Geometria molecular
Adrianne Mendonça
 

Mais procurados (20)

Isomeria plana
Isomeria planaIsomeria plana
Isomeria plana
 
Dilução e mistura de soluções
Dilução e mistura de soluçõesDilução e mistura de soluções
Dilução e mistura de soluções
 
Cadeias carbônicas
Cadeias carbônicasCadeias carbônicas
Cadeias carbônicas
 
Aula 1 introdução à química orgânica.
Aula 1    introdução à química orgânica.Aula 1    introdução à química orgânica.
Aula 1 introdução à química orgânica.
 
Nomenclatura de Hidrocarbonetos
Nomenclatura de HidrocarbonetosNomenclatura de Hidrocarbonetos
Nomenclatura de Hidrocarbonetos
 
Modelos atômicos
Modelos atômicosModelos atômicos
Modelos atômicos
 
Eletricidade
EletricidadeEletricidade
Eletricidade
 
Introdução a química orgânica
Introdução a química orgânicaIntrodução a química orgânica
Introdução a química orgânica
 
Química Orgânica: CARBONO
Química Orgânica: CARBONOQuímica Orgânica: CARBONO
Química Orgânica: CARBONO
 
O átomo
O átomoO átomo
O átomo
 
Química distribuição eletronica
Química   distribuição eletronicaQuímica   distribuição eletronica
Química distribuição eletronica
 
Ligações Químicas Aula 1
Ligações Químicas Aula 1Ligações Químicas Aula 1
Ligações Químicas Aula 1
 
Número de oxidação (Nox)
Número de oxidação (Nox)Número de oxidação (Nox)
Número de oxidação (Nox)
 
Química Orgânica I - Introdução
Química Orgânica I - IntroduçãoQuímica Orgânica I - Introdução
Química Orgânica I - Introdução
 
1. introdução a química
1. introdução a química1. introdução a química
1. introdução a química
 
Química orgânica 3º ano COMPLETO
Química orgânica 3º ano   COMPLETOQuímica orgânica 3º ano   COMPLETO
Química orgânica 3º ano COMPLETO
 
Química orgânica - Isomeria
Química orgânica - IsomeriaQuímica orgânica - Isomeria
Química orgânica - Isomeria
 
Reações Químicas
Reações QuímicasReações Químicas
Reações Químicas
 
Soluções e Solubilidade
Soluções e SolubilidadeSoluções e Solubilidade
Soluções e Solubilidade
 
Geometria molecular
Geometria molecularGeometria molecular
Geometria molecular
 

Semelhante a Isomeria

Isomeria
IsomeriaIsomeria
Isomeria
JulianaGimenes
 
Isomeria em ppt completo
Isomeria em ppt completoIsomeria em ppt completo
Isomeria em ppt completo
Antonio Cardoso
 
isomeria
isomeriaisomeria
Isomeria Plana - UERR
Isomeria Plana - UERRIsomeria Plana - UERR
Isomeria Plana - UERR
leka2013
 
Isomeria Plana e Espacial
Isomeria Plana e EspacialIsomeria Plana e Espacial
Isomeria Plana e Espacial
Marcelo Mateus
 
Aula 08 isomeria e estereoquimica
Aula 08 isomeria e estereoquimicaAula 08 isomeria e estereoquimica
Aula 08 isomeria e estereoquimica
Roberval Stefani
 
Trabalho de quimica isomeria
Trabalho de quimica   isomeria Trabalho de quimica   isomeria
Trabalho de quimica isomeria
Fabricio Faustino
 
11 Isomeria
11 Isomeria11 Isomeria
11 Isomeria
Felipe Pantaleo
 
Isomeria- Química Orgânica
Isomeria- Química OrgânicaIsomeria- Química Orgânica
Isomeria- Química Orgânica
Carlos Priante
 
Aulão enem funções orgânicas e isomeria - 3º ano
Aulão enem  funções orgânicas e isomeria - 3º anoAulão enem  funções orgânicas e isomeria - 3º ano
Aulão enem funções orgânicas e isomeria - 3º ano
Caroline Rovetta
 
Aula 08 isomeria e estereoquimica
Aula 08 isomeria e estereoquimicaAula 08 isomeria e estereoquimica
Aula 08 isomeria e estereoquimica
Jan Dabkiewicz
 
Entendendo melhor isomeria e estereoquimica
Entendendo melhor isomeria e estereoquimicaEntendendo melhor isomeria e estereoquimica
Entendendo melhor isomeria e estereoquimica
Jan Dabkiewicz
 
Entendendo melhor isomeria e estereoquimica
Entendendo melhor isomeria e estereoquimicaEntendendo melhor isomeria e estereoquimica
Entendendo melhor isomeria e estereoquimica
Jan Dabkiewicz
 
Isomeria e estereoquimica
Isomeria e estereoquimicaIsomeria e estereoquimica
Isomeria e estereoquimica
Jan Dabkiewicz
 
Isomeria
IsomeriaIsomeria
Isomeria
Fernanda Lima
 
isomeria plana isomeria espacial ensino médio
isomeria plana isomeria  espacial ensino médioisomeria plana isomeria  espacial ensino médio
isomeria plana isomeria espacial ensino médio
DeisemariadeOliveira1
 
Trabalho de quimica - Isomeria
Trabalho de quimica - IsomeriaTrabalho de quimica - Isomeria
Trabalho de quimica - Isomeria
Fabricio Faustino
 
Isomeria- agamenon
Isomeria- agamenonIsomeria- agamenon
Isomeria- agamenon
Jhennifer Camilla
 
Matéria
MatériaMatéria
Matéria
takahico
 
Isomeria plana
Isomeria planaIsomeria plana

Semelhante a Isomeria (20)

Isomeria
IsomeriaIsomeria
Isomeria
 
Isomeria em ppt completo
Isomeria em ppt completoIsomeria em ppt completo
Isomeria em ppt completo
 
isomeria
isomeriaisomeria
isomeria
 
Isomeria Plana - UERR
Isomeria Plana - UERRIsomeria Plana - UERR
Isomeria Plana - UERR
 
Isomeria Plana e Espacial
Isomeria Plana e EspacialIsomeria Plana e Espacial
Isomeria Plana e Espacial
 
Aula 08 isomeria e estereoquimica
Aula 08 isomeria e estereoquimicaAula 08 isomeria e estereoquimica
Aula 08 isomeria e estereoquimica
 
Trabalho de quimica isomeria
Trabalho de quimica   isomeria Trabalho de quimica   isomeria
Trabalho de quimica isomeria
 
11 Isomeria
11 Isomeria11 Isomeria
11 Isomeria
 
Isomeria- Química Orgânica
Isomeria- Química OrgânicaIsomeria- Química Orgânica
Isomeria- Química Orgânica
 
Aulão enem funções orgânicas e isomeria - 3º ano
Aulão enem  funções orgânicas e isomeria - 3º anoAulão enem  funções orgânicas e isomeria - 3º ano
Aulão enem funções orgânicas e isomeria - 3º ano
 
Aula 08 isomeria e estereoquimica
Aula 08 isomeria e estereoquimicaAula 08 isomeria e estereoquimica
Aula 08 isomeria e estereoquimica
 
Entendendo melhor isomeria e estereoquimica
Entendendo melhor isomeria e estereoquimicaEntendendo melhor isomeria e estereoquimica
Entendendo melhor isomeria e estereoquimica
 
Entendendo melhor isomeria e estereoquimica
Entendendo melhor isomeria e estereoquimicaEntendendo melhor isomeria e estereoquimica
Entendendo melhor isomeria e estereoquimica
 
Isomeria e estereoquimica
Isomeria e estereoquimicaIsomeria e estereoquimica
Isomeria e estereoquimica
 
Isomeria
IsomeriaIsomeria
Isomeria
 
isomeria plana isomeria espacial ensino médio
isomeria plana isomeria  espacial ensino médioisomeria plana isomeria  espacial ensino médio
isomeria plana isomeria espacial ensino médio
 
Trabalho de quimica - Isomeria
Trabalho de quimica - IsomeriaTrabalho de quimica - Isomeria
Trabalho de quimica - Isomeria
 
Isomeria- agamenon
Isomeria- agamenonIsomeria- agamenon
Isomeria- agamenon
 
Matéria
MatériaMatéria
Matéria
 
Isomeria plana
Isomeria planaIsomeria plana
Isomeria plana
 

Mais de sabinosilva

Acidos bases sais
Acidos bases saisAcidos bases sais
Acidos bases sais
sabinosilva
 
Eletroquímica
EletroquímicaEletroquímica
Eletroquímica
sabinosilva
 
Teoria atômica
Teoria atômicaTeoria atômica
Teoria atômica
sabinosilva
 
Teoria atômica
Teoria atômicaTeoria atômica
Teoria atômica
sabinosilva
 
Química orgânica iii
Química orgânica iiiQuímica orgânica iii
Química orgânica iii
sabinosilva
 
Soluções ok
Soluções okSoluções ok
Soluções ok
sabinosilva
 
Acidos bases sais
Acidos bases saisAcidos bases sais
Acidos bases sais
sabinosilva
 

Mais de sabinosilva (7)

Acidos bases sais
Acidos bases saisAcidos bases sais
Acidos bases sais
 
Eletroquímica
EletroquímicaEletroquímica
Eletroquímica
 
Teoria atômica
Teoria atômicaTeoria atômica
Teoria atômica
 
Teoria atômica
Teoria atômicaTeoria atômica
Teoria atômica
 
Química orgânica iii
Química orgânica iiiQuímica orgânica iii
Química orgânica iii
 
Soluções ok
Soluções okSoluções ok
Soluções ok
 
Acidos bases sais
Acidos bases saisAcidos bases sais
Acidos bases sais
 

Último

Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
karinenobre2033
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 

Último (20)

Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 

Isomeria

  • 2. Conceito É o fenômeno através do qual dois ou mais compostos apresentam mesma fórmula molecular e propriedades diferentes em virtude da disposição diferente dos átomos na molécula.
  • 3. Conceito Com a fórmula C2H6O temos duas substâncias: H3C – CH2 – OH Função álcool, líquido incolor, P.E.= 78,5 C, apresenta moderada reatividade química. H3C – O – CH3 Função éter, gás incolor, liquefaz a -23 C,
  • 4. Tipos de Isomeria Isomeria Plana – Os isômeros podem ser diferenciados pela fórmula estrutural plana. Isomeria Espacial ou Estereoisomeria – Os isômeros são diferenciados pelas suas estruturas espaciais. • Isomeria Geométrica • Isomeria Óptica
  • 5. Isomeria Plana A isomeria plana é dividida em 5 partes: isomeria de função, de cadeia, de posição, metameria e tautomeria. Isomeria de Função ou Funcional Na isomeria de função os compostos possuem diferenças apenas entre a função química. Veja alguns exemplos: Aldeído Cetona Ácido Carboxílico Éster C3H6O C4H8O2 Propanal Propanona Ácido Butanóico Etanoato de Etila Outros exemplos comuns são isomeria funcional entre álcool e éter, álcool aromático e fenol.
  • 6. Isomeria Plana Isomeria de Cadeia ou Núcleo Os compostos possuem a mesma função, mas possuem diferenças entre as suas cadeias. Hidrocarboneto Hidrocarboneto C4H10 C 3H6 Butano Metilpropano Propeno Ciclopropano cadeia Cadeia aberta, cadeia aberta, cadeia aberta, fechada, normal, ramificada, normal, normal, saturada e saturada e insaturada e saturada e homogênea homogênea homogênea homogênea
  • 7. Isomeria Plana Isomeria de Posição Os isômeros de posição possuem cadeias iguais e possuem a mesma função, mas possuem diferenças na posição do grupo funcional, ramificação ou insaturação. Álcool Alcino C3H7OH C 4H6 2-Propanol 1-Propanol 1-Butino 2-Butino
  • 8. Isomeria Plana Metameria ou Isomeria de Compensação A metameria é um caso particular da isomeria de posição. Nela, os metâmeros pertencem à mesma função, possuem cadeias iguais e a única diferença é a posição de um heteroátomo. Éter Éster C4H10O C3H6O2 Metanoato de Etanoato de Etóxi Etano Metóxi Propano Etila Metila Outros exemplos de metameria são entre as aminas ou entre as amidas comuns e substituídas.
  • 9. Isomeria Plana Tautomeria ou Isomeria Dinâmica Este é um caso especial da isomeria de função, onde os isômeros coexistem em um equilíbrio químico. Os tautômeros mais comuns são os enóis e as cetonas ou os enóis e os aldeídos. A diferença é a posição da hidroxila insaturada: em um carbono 1 ela gera um aldeído e em um carbono localizado no meio de uma cadeia ela gera uma cetona. Exemplos: Aldeído Enol Cetona Enol C2H 4O C3H 6 O Etanal Etenol Propanona Propen-2-ol
  • 10. Isomeria Plana Tautomeria ou Isomeria Dinâmica A explicação pode ser dada através de conceitos simples como densidade eletrônica e carga parcial, como na animação abaixo. O exemplo utilizado será de um aldeído, mas também é possível explicar a tautomeria ceto-enólica.
  • 11. Isomeria Geométrica A isomeria geométrica ou Cis – Trans trata de casos onde há diferenças apenas na posição de alguns átomos em uma estrutura tridimensional. Condições para ocorrência: 1- Compostos com ligação dupla e cada carbono do laço duplo deve possuir os dois radicais diferentes. 2- Compostos cíclicos que possuam dois carbonos com dois radicais diferentas em cada um.
  • 12. Isomeria Geométrica Compostos com ligações duplas. O composto 1,2-Dicloro-Eteno pode ser representado de duas maneiras: R1 ≠ R2 e R3 ≠ R4 Estruturas diferentes = Características diferentes. Como diferenciar as duas estruturas?
  • 13. Isomeria Geométrica Compostos com ligações duplas. Antes de seus nomes utilizam-se prefixos para indicar a posição de seus átomos ou radicais. Cis – Quando os radicais mais simples estiverem do mesmo lado. Trans – Quando os radicais mais simples estiverem em lados opostos. A orientação é sempre dada a partir do maior número atômico para átomos diferentes e de tamanho, quando os números atômicos forem iguais, para radicais. O prefixo cis- indica que as partes de maior prioridade estão em uma mesma parte de um plano imaginário que corta a molécula. O prefixo trans- indica que as partes de maior prioridade estão em lados opostos da molécula.
  • 14. Isomeria Geométrica Compostos com ligações duplas. Escreva o nome e diferencie os isômeros geométricos abaixo:
  • 15. Isomeria Geométrica Compostos Cíclicos Possuem isomeria geométrica sem a necessidade de uma ligação dupla. A regra para determinar quem é cis e quem é trans é a mesma dos compostos acíclicos: traçar uma linha imaginária entre os carbonos onde há isomeria geométrica e observar, pelas prioridades, quem é cis e trans.
  • 16. Isomeria Geométrica Compostos Escreva oCíclicos nome e diferencie os isômeros geométricos abaixo:
  • 17. Isomeria Óptica Todos os isômeros possuem propriedades físicas diferentes, tais como PF, PE e densidade, mas os isômeros ópticos não possuem esta diferença, ou seja, as propriedades físicas dos isômeros ópticos são as mesmas. Então o que faz eles serem diferentes? É possível diferenciá-los? Sim, é possível diferenciá-los, mas apenas quando eles estão frente à luz polarizada. Os isômeros ópticos são compostos capazes de desviar a luz polarizada.
  • 18. Isomeria Óptica Enantiômero Dextrógiro (D, +) - provoca o giro da luz polarizada para a direita. Enantiômero Levógiro (L, -) - provoca o giro da luz polarizada para a esquerda. Mistura Racêmica - ópticamente inativa (mistura de 50% de dextrógiro com 50% de levógiro.
  • 19. Isomeria Óptica Condição para que um composto tenha atividadeassimétrico ou quiral ou estereocentro. • Carbono óptica: O carbono quiral é * marcado com um asterísco (*),este carbono possui todos os ligantes diferentes. Nos compostos enantioméricos, um é a imagem especular do outro, ou seja, um é a imagem refletida do outro. No entanto, eles não são superponíveis.
  • 20. Isomeria Óptica Determinação do número de isômeros ópticos (lei de van't Hoff) : Compostos com 1C* - Um isômero dextrógiro, um levógiro e um racêmico (formado por quantidades equimolares do dextrógiro e levógiro). Compostos com 2C* diferentes - Dois isômeros dextrógiros, dois isômeros levógiros, formando dois pares de antípodas ópticos e dois racêmicos. Compostos com 2C* iguais - Um isômero levógiro, um dextrógiro, um racêmico e um meso ou mesógiro (inativo por compensação interna). Compostos com nC* diferentes - 2n isômeros opticamente n-1 n-1 n-1
  • 21. Isomeria Óptica Sobre a molécula do 3-metil-2-pentanol, responda: 2 estereocentros a) Quantos enantiomorfos possui a molécula? IOA = 2n= 22 = 4, 4 isômeros ópticos ativos b) Quantos enantiomorfos levógiros possui a molécula? IOA(-) = 2n-1 22-1 = 2, 2 isômeros levógiros =