SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
Horticultura
Floricultura
Fruticultura
Escola Secundária de Alberto Sampaio
Ciências Socioeconómicas – 11ºM
Geografia – 2011/2012
Trabalho realizado por:
Alexandra Soares, nº2
Ana Luísa, nº4
Patrícia Faria, nº5
Joana Silva, nº17
Marisa Dias, nº21
• Cerca de 2/3 da produção hortícola tem
origem na região do Ribatejo e Oeste
• Grande importância no setor de agricultura
familiar e latifundiária
• Culturas hortícolas têm beneficiado com a
horticultura protegida
Horticultura
 Batata
• É dos produtos hortícolas mais adquiridos pelo exterior.
• Esta cultura predomina na Beira Litoral; Ribatejo e
Oeste; Trás-os-Montes e Entre Douro e Minho.
10%
19%
29%
6%
23%
13%
Produção de batata Entre Douro e
Minho
Trás-os-Montes
Beira Litoral
Beira Interior
Ribatejo e Oeste
Outras
• A boa capacidade de adaptação da batata à maioria dos solos
permite o seu cultivo em todo o território nacional
• A sua produção tem vindo a diminuir, bem como a sua área de
cultivo devido à alteração dos hábitos de consumo, ao aumento
das importações e ao deficiente e pouco organizada estrutura
de comercialização.
 Batata
• A floricultura integra as flores e as plantas ornamentáis.
• Mercado externo é a principal forma de escoamento das plantas
ornamentais.
• A balança comercial portuguesa da floricultura é deficitária.
Floricultura
73%
27%
Importações e exportações –
floricultura 2004
Importações
Exportações
Estas culturas desenvolvem-se principalmente na
zona intermedia da plataforma continental devido
:
• aos solos razoavelmente férteis;
• às temperaturas amenas tanto no inverno como
no verão
• à insolação semelhante
O que cria boas condições para a produção de
Horticultura Ornamental intensiva.
Ou horticultura ornamental
• Esta cultura tem sofrido um grande incremento no país, quer pelos
investimentos crescentes, quer por beneficiar de condições naturais
favoráveis.
• O clima da Madeira e a crescente procura interna, motivada pelo aumento
do turismo na região, têm contribuído para o desenvolvimento da produção
de flores.
• No continente, a região do Ribatejo e Oeste é a principal produtora, estando
o Alentejo a ter um grande incremento nos últimos anos.
Floricultura
Ou horticultura ornamental
• É um ramo da agricultura que tem como objetivo produzir economicamente os
frutos em geral para fins mercantis
Fruticultura
18%
45%
37%
Superfície Ocupada pelas
Árvores de Fruto em 2003
Citrinos
Frutos Secos
Frutos Frescos
• O consumo destes tipos de cultura têm vindo a
aumentar devido à melhoria do nível de vida da
população e da alteração de hábitos de consumo
• Em Portugal, devido às condições naturais, favoráveis
ao seu desenvolvimento, nomeadamente, o clima que é
temperado mediterrâneo .
 Pomares de Citrinos
• As laranjeiras e as tangerineiras predominam no Algarve e no Alentejo.
Laranja
Regiões (NUT II) Produção (%)
Norte 3%
Centro 4%
Lisboa 2%
Alentejo 11%
Algarve 80%
Tangerineira
Regiões (NUT II) Produção (%)
Norte 2%
Centro 1%
Lisboa 1%
Alentejo 7%
Algarve 89%
• Os frutos citrinos desenvolvem-se melhor em regiões de clima mais
ameno, exigindo uma temperatura média anual de 14ºC e uma média
térmica estival de 22ºC.
 Pomares de Frutos Frescos
• Tem-se observado uma tendência crescente no mercado para produtos
frescos e ‘naturais’.
• A macieira, pereira e pessegueiro representam cerca de 3/4 dos frutos
frescos produzidos.
• Os pomares de frutos frescos localizam-se maioritariamente
nas regiões do Ribatejo e Oeste, Trás-os-Montes e Beira
Interior.
 Pomares de Frutos Secos
• Os pomares de frutos secos predominam e encontram-se principalmente na
região de Trás-os-Montes e Algarve.
• As características climáticas do pais são condições bastante favoráveis ao
desenvolvimento e à expansão dos frutos secos.
Alfarrobeira Castanheiro
• É das espécies fruteiras
mais conhecidas , com
maiores perspectivas de
expansão na floresta.
• Clima mediterrâneo
• E pode ser encontrada
exclusivamente no Algarve.
• Temperaturas muito elevadas nos
meses de Julho e Agosto, associadas a
uma escassez de humidade no
solo, dão origem a um menor
vingamento do fruto.
• O castanheiro sofreu uma
expansão, sendo uma espécie
predominante , destacando-se a região
Trás-os-Montes
Conclusão
Quinquénio
1996-2000 (%)
Quinquénio
2001-2005 (%)
Produtos Hortícolas 16,0 20,4
Hortícolas frescos 10,5 13,6
Plantas e flores 5,5 6,7
Plantas ornamentais 2,3 2,3
Plantações 2,8 3,7
Batatas 2,3 1,5
Frutos 13,0 12,1
Frutos frescos 6,2 6,3
Citrinos 1,8 1,7
Frutos sub-tropicais 0,2 0,2

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Aula 2 introdução floricultura
Aula 2   introdução floriculturaAula 2   introdução floricultura
Aula 2 introdução floricultura
 
Enxertia
EnxertiaEnxertia
Enxertia
 
A cultura do mamão (carica papaya L.)
A cultura do mamão (carica papaya L.)A cultura do mamão (carica papaya L.)
A cultura do mamão (carica papaya L.)
 
aulas de friticultura
aulas de friticulturaaulas de friticultura
aulas de friticultura
 
GEO - AGRICULTURA
GEO - AGRICULTURAGEO - AGRICULTURA
GEO - AGRICULTURA
 
Aula_Cultura da manga.pdf
Aula_Cultura da manga.pdfAula_Cultura da manga.pdf
Aula_Cultura da manga.pdf
 
Pimenta Capsicum
Pimenta CapsicumPimenta Capsicum
Pimenta Capsicum
 
Aula 02 propagação e implantação de plantas ornamentais
Aula 02   propagação e implantação de plantas ornamentaisAula 02   propagação e implantação de plantas ornamentais
Aula 02 propagação e implantação de plantas ornamentais
 
Apresentação cultivo protegido
Apresentação   cultivo protegidoApresentação   cultivo protegido
Apresentação cultivo protegido
 
Sistemas agroflorestais
Sistemas agroflorestaisSistemas agroflorestais
Sistemas agroflorestais
 
2. manual aidiaufcd6280
2. manual   aidiaufcd62802. manual   aidiaufcd6280
2. manual aidiaufcd6280
 
Floresta em Portugal Continental
Floresta em Portugal ContinentalFloresta em Portugal Continental
Floresta em Portugal Continental
 
Tratos culturais: Sorgo
Tratos culturais: SorgoTratos culturais: Sorgo
Tratos culturais: Sorgo
 
A cultura da manga
A cultura da mangaA cultura da manga
A cultura da manga
 
Manejo e Conservação do Solo
Manejo e Conservação do SoloManejo e Conservação do Solo
Manejo e Conservação do Solo
 
Aula 1 2020 Introdução.pptx
Aula 1 2020 Introdução.pptxAula 1 2020 Introdução.pptx
Aula 1 2020 Introdução.pptx
 
Apresentação abacaxi
Apresentação abacaxiApresentação abacaxi
Apresentação abacaxi
 
Apostila fruticultura
Apostila fruticulturaApostila fruticultura
Apostila fruticultura
 
Produção de Mandioca
Produção de MandiocaProdução de Mandioca
Produção de Mandioca
 
Guia de campo plantas ornamentais
Guia de campo plantas ornamentaisGuia de campo plantas ornamentais
Guia de campo plantas ornamentais
 

Destaque

Fruticultura
FruticulturaFruticultura
Fruticulturaailed088
 
Unidad iii introducción a fruticultura
Unidad iii introducción a fruticulturaUnidad iii introducción a fruticultura
Unidad iii introducción a fruticulturacjancko
 
Unidad II. Frutales
Unidad II. FrutalesUnidad II. Frutales
Unidad II. Frutalessuigetsuke
 
Apostila de enxertia
Apostila de enxertiaApostila de enxertia
Apostila de enxertiajrturra
 
Apostila completa 2_parte_horticultura[1][1]
Apostila completa 2_parte_horticultura[1][1]Apostila completa 2_parte_horticultura[1][1]
Apostila completa 2_parte_horticultura[1][1]Antonio Davi Vaz Lima
 
Power point arboles frutales
Power point arboles frutalesPower point arboles frutales
Power point arboles frutalesanap79
 
Los frutales area de agricola
Los frutales area de  agricola Los frutales area de  agricola
Los frutales area de agricola Doris Carbnero
 
Slides floricultura (Flores Ornamentais) e feira verde de ouriçangas para int...
Slides floricultura (Flores Ornamentais) e feira verde de ouriçangas para int...Slides floricultura (Flores Ornamentais) e feira verde de ouriçangas para int...
Slides floricultura (Flores Ornamentais) e feira verde de ouriçangas para int...SEAGRI/EBDA
 
Horticultura e educação ambiental
Horticultura e educação ambientalHorticultura e educação ambiental
Horticultura e educação ambientalMarcelo Rigotti
 
Palestra sebrae o desafio do agronegócio de hortaliças-maio 2010_
 Palestra sebrae o desafio do agronegócio de hortaliças-maio 2010_ Palestra sebrae o desafio do agronegócio de hortaliças-maio 2010_
Palestra sebrae o desafio do agronegócio de hortaliças-maio 2010_agro_SEBRAE
 
Hidroponia - dossie tecnico - a george,lamaral,sjaisingh
Hidroponia - dossie tecnico - a george,lamaral,sjaisinghHidroponia - dossie tecnico - a george,lamaral,sjaisingh
Hidroponia - dossie tecnico - a george,lamaral,sjaisinghJNR
 

Destaque (20)

Fruticultura
FruticulturaFruticultura
Fruticultura
 
Fruticultura 2011
Fruticultura 2011Fruticultura 2011
Fruticultura 2011
 
Técnicas de Poda
Técnicas de PodaTécnicas de Poda
Técnicas de Poda
 
Técnicas de Propagação Vegetativa
Técnicas de Propagação Vegetativa Técnicas de Propagação Vegetativa
Técnicas de Propagação Vegetativa
 
Unidad iii introducción a fruticultura
Unidad iii introducción a fruticulturaUnidad iii introducción a fruticultura
Unidad iii introducción a fruticultura
 
Unidad II. Frutales
Unidad II. FrutalesUnidad II. Frutales
Unidad II. Frutales
 
Floricultura Online
Floricultura OnlineFloricultura Online
Floricultura Online
 
Los árboles frutales
Los árboles frutalesLos árboles frutales
Los árboles frutales
 
Olericultura e hortaliças
Olericultura e hortaliçasOlericultura e hortaliças
Olericultura e hortaliças
 
Apostila de enxertia
Apostila de enxertiaApostila de enxertia
Apostila de enxertia
 
Apostila completa 2_parte_horticultura[1][1]
Apostila completa 2_parte_horticultura[1][1]Apostila completa 2_parte_horticultura[1][1]
Apostila completa 2_parte_horticultura[1][1]
 
Power point arboles frutales
Power point arboles frutalesPower point arboles frutales
Power point arboles frutales
 
Catálogo de Hortaliças
Catálogo de HortaliçasCatálogo de Hortaliças
Catálogo de Hortaliças
 
Los frutales area de agricola
Los frutales area de  agricola Los frutales area de  agricola
Los frutales area de agricola
 
Slides floricultura (Flores Ornamentais) e feira verde de ouriçangas para int...
Slides floricultura (Flores Ornamentais) e feira verde de ouriçangas para int...Slides floricultura (Flores Ornamentais) e feira verde de ouriçangas para int...
Slides floricultura (Flores Ornamentais) e feira verde de ouriçangas para int...
 
Horticultura e educação ambiental
Horticultura e educação ambientalHorticultura e educação ambiental
Horticultura e educação ambiental
 
Olericultura
OlericulturaOlericultura
Olericultura
 
Palestra sebrae o desafio do agronegócio de hortaliças-maio 2010_
 Palestra sebrae o desafio do agronegócio de hortaliças-maio 2010_ Palestra sebrae o desafio do agronegócio de hortaliças-maio 2010_
Palestra sebrae o desafio do agronegócio de hortaliças-maio 2010_
 
Hidroponia - dossie tecnico - a george,lamaral,sjaisingh
Hidroponia - dossie tecnico - a george,lamaral,sjaisinghHidroponia - dossie tecnico - a george,lamaral,sjaisingh
Hidroponia - dossie tecnico - a george,lamaral,sjaisingh
 
Olericultura basica2006
Olericultura basica2006Olericultura basica2006
Olericultura basica2006
 

Semelhante a Horticultura, Floricultura e Fruticultura

Agricultura 11º ano (exceto PAC)
Agricultura 11º ano (exceto PAC)Agricultura 11º ano (exceto PAC)
Agricultura 11º ano (exceto PAC)Maria Inês Jorge
 
Produções agrícolas em Portugal
Produções agrícolas em PortugalProduções agrícolas em Portugal
Produções agrícolas em PortugalEmília Cabral
 
Como cultivar mirtilo
Como cultivar mirtiloComo cultivar mirtilo
Como cultivar mirtiloPedro Sampaio
 
Produção agrícola nacional- Alentejo
Produção agrícola nacional- AlentejoProdução agrícola nacional- Alentejo
Produção agrícola nacional- AlentejoDavide Ferreira
 
As regiões agrárias: Entre Douro e Minho
As regiões agrárias: Entre Douro e MinhoAs regiões agrárias: Entre Douro e Minho
As regiões agrárias: Entre Douro e MinhoSara Guerra
 
Sistema de cultivo na produção de hortaliças
Sistema de cultivo na produção de hortaliçasSistema de cultivo na produção de hortaliças
Sistema de cultivo na produção de hortaliçasRural Pecuária
 
3 r agrária alentejo
3   r agrária alentejo3   r agrária alentejo
3 r agrária alentejoPelo Siro
 
D - Como tem evoluído a atividade agrícola em Portugal.pdf
D - Como tem evoluído a atividade agrícola em Portugal.pdfD - Como tem evoluído a atividade agrícola em Portugal.pdf
D - Como tem evoluído a atividade agrícola em Portugal.pdfDomingosSantos40
 
Agricultura Transmontana
Agricultura TransmontanaAgricultura Transmontana
Agricultura TransmontanaOxana Marian
 
Património varietal de fruteiras da região do Algarve
Património varietal de fruteiras da região do AlgarvePatrimónio varietal de fruteiras da região do Algarve
Património varietal de fruteiras da região do AlgarveArmindo Rosa
 
Cocoinucultura apresentação
Cocoinucultura apresentaçãoCocoinucultura apresentação
Cocoinucultura apresentaçãoEvangela Gielow
 

Semelhante a Horticultura, Floricultura e Fruticultura (20)

Agricultura 11º ano (exceto PAC)
Agricultura 11º ano (exceto PAC)Agricultura 11º ano (exceto PAC)
Agricultura 11º ano (exceto PAC)
 
Produções agrícolas em Portugal
Produções agrícolas em PortugalProduções agrícolas em Portugal
Produções agrícolas em Portugal
 
Cultura dos Citrinos.pdf
Cultura dos Citrinos.pdfCultura dos Citrinos.pdf
Cultura dos Citrinos.pdf
 
Como cultivar mirtilo
Como cultivar mirtiloComo cultivar mirtilo
Como cultivar mirtilo
 
Produção agrícola nacional- Alentejo
Produção agrícola nacional- AlentejoProdução agrícola nacional- Alentejo
Produção agrícola nacional- Alentejo
 
2_Est Ag_Alent_Alg.pdf
2_Est Ag_Alent_Alg.pdf2_Est Ag_Alent_Alg.pdf
2_Est Ag_Alent_Alg.pdf
 
As regiões agrárias: Entre Douro e Minho
As regiões agrárias: Entre Douro e MinhoAs regiões agrárias: Entre Douro e Minho
As regiões agrárias: Entre Douro e Minho
 
Sistema de cultivo na produção de hortaliças
Sistema de cultivo na produção de hortaliçasSistema de cultivo na produção de hortaliças
Sistema de cultivo na produção de hortaliças
 
A Agricultura
A AgriculturaA Agricultura
A Agricultura
 
A agricultura
A agriculturaA agricultura
A agricultura
 
A agricultura cm
A agricultura cmA agricultura cm
A agricultura cm
 
3 r agrária alentejo
3   r agrária alentejo3   r agrária alentejo
3 r agrária alentejo
 
Agropecuária brasileira
Agropecuária brasileira Agropecuária brasileira
Agropecuária brasileira
 
D - Como tem evoluído a atividade agrícola em Portugal.pdf
D - Como tem evoluído a atividade agrícola em Portugal.pdfD - Como tem evoluído a atividade agrícola em Portugal.pdf
D - Como tem evoluído a atividade agrícola em Portugal.pdf
 
Agricultura Transmontana
Agricultura TransmontanaAgricultura Transmontana
Agricultura Transmontana
 
Agricultura
AgriculturaAgricultura
Agricultura
 
5 setor primario
5 setor primario5 setor primario
5 setor primario
 
Agricultura (1)
Agricultura (1)Agricultura (1)
Agricultura (1)
 
Património varietal de fruteiras da região do Algarve
Património varietal de fruteiras da região do AlgarvePatrimónio varietal de fruteiras da região do Algarve
Património varietal de fruteiras da região do Algarve
 
Cocoinucultura apresentação
Cocoinucultura apresentaçãoCocoinucultura apresentação
Cocoinucultura apresentação
 

Mais de Alexandra Soares

Mais de Alexandra Soares (8)

Em petiz de tarde (Cesário verde)
Em petiz   de tarde (Cesário verde)Em petiz   de tarde (Cesário verde)
Em petiz de tarde (Cesário verde)
 
Corridas do hipodromo (Cap. X - Os Maias)
Corridas do hipodromo (Cap. X - Os Maias)Corridas do hipodromo (Cap. X - Os Maias)
Corridas do hipodromo (Cap. X - Os Maias)
 
Discrimination
DiscriminationDiscrimination
Discrimination
 
Consumer rights
Consumer rightsConsumer rights
Consumer rights
 
Degradação das cidades
Degradação das cidadesDegradação das cidades
Degradação das cidades
 
Globalização cultural
Globalização culturalGlobalização cultural
Globalização cultural
 
Fontes de crescimento economico
Fontes de crescimento economicoFontes de crescimento economico
Fontes de crescimento economico
 
Apadrinhamento civil
Apadrinhamento civilApadrinhamento civil
Apadrinhamento civil
 

Último

Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...LizanSantos1
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 

Último (20)

Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 

Horticultura, Floricultura e Fruticultura

  • 1. Horticultura Floricultura Fruticultura Escola Secundária de Alberto Sampaio Ciências Socioeconómicas – 11ºM Geografia – 2011/2012 Trabalho realizado por: Alexandra Soares, nº2 Ana Luísa, nº4 Patrícia Faria, nº5 Joana Silva, nº17 Marisa Dias, nº21
  • 2. • Cerca de 2/3 da produção hortícola tem origem na região do Ribatejo e Oeste • Grande importância no setor de agricultura familiar e latifundiária • Culturas hortícolas têm beneficiado com a horticultura protegida Horticultura
  • 3.  Batata • É dos produtos hortícolas mais adquiridos pelo exterior. • Esta cultura predomina na Beira Litoral; Ribatejo e Oeste; Trás-os-Montes e Entre Douro e Minho. 10% 19% 29% 6% 23% 13% Produção de batata Entre Douro e Minho Trás-os-Montes Beira Litoral Beira Interior Ribatejo e Oeste Outras
  • 4. • A boa capacidade de adaptação da batata à maioria dos solos permite o seu cultivo em todo o território nacional • A sua produção tem vindo a diminuir, bem como a sua área de cultivo devido à alteração dos hábitos de consumo, ao aumento das importações e ao deficiente e pouco organizada estrutura de comercialização.  Batata
  • 5. • A floricultura integra as flores e as plantas ornamentáis. • Mercado externo é a principal forma de escoamento das plantas ornamentais. • A balança comercial portuguesa da floricultura é deficitária. Floricultura 73% 27% Importações e exportações – floricultura 2004 Importações Exportações Estas culturas desenvolvem-se principalmente na zona intermedia da plataforma continental devido : • aos solos razoavelmente férteis; • às temperaturas amenas tanto no inverno como no verão • à insolação semelhante O que cria boas condições para a produção de Horticultura Ornamental intensiva. Ou horticultura ornamental
  • 6. • Esta cultura tem sofrido um grande incremento no país, quer pelos investimentos crescentes, quer por beneficiar de condições naturais favoráveis. • O clima da Madeira e a crescente procura interna, motivada pelo aumento do turismo na região, têm contribuído para o desenvolvimento da produção de flores. • No continente, a região do Ribatejo e Oeste é a principal produtora, estando o Alentejo a ter um grande incremento nos últimos anos. Floricultura Ou horticultura ornamental
  • 7. • É um ramo da agricultura que tem como objetivo produzir economicamente os frutos em geral para fins mercantis Fruticultura 18% 45% 37% Superfície Ocupada pelas Árvores de Fruto em 2003 Citrinos Frutos Secos Frutos Frescos • O consumo destes tipos de cultura têm vindo a aumentar devido à melhoria do nível de vida da população e da alteração de hábitos de consumo • Em Portugal, devido às condições naturais, favoráveis ao seu desenvolvimento, nomeadamente, o clima que é temperado mediterrâneo .
  • 8.  Pomares de Citrinos • As laranjeiras e as tangerineiras predominam no Algarve e no Alentejo. Laranja Regiões (NUT II) Produção (%) Norte 3% Centro 4% Lisboa 2% Alentejo 11% Algarve 80% Tangerineira Regiões (NUT II) Produção (%) Norte 2% Centro 1% Lisboa 1% Alentejo 7% Algarve 89% • Os frutos citrinos desenvolvem-se melhor em regiões de clima mais ameno, exigindo uma temperatura média anual de 14ºC e uma média térmica estival de 22ºC.
  • 9.  Pomares de Frutos Frescos • Tem-se observado uma tendência crescente no mercado para produtos frescos e ‘naturais’. • A macieira, pereira e pessegueiro representam cerca de 3/4 dos frutos frescos produzidos. • Os pomares de frutos frescos localizam-se maioritariamente nas regiões do Ribatejo e Oeste, Trás-os-Montes e Beira Interior.
  • 10.  Pomares de Frutos Secos • Os pomares de frutos secos predominam e encontram-se principalmente na região de Trás-os-Montes e Algarve. • As características climáticas do pais são condições bastante favoráveis ao desenvolvimento e à expansão dos frutos secos.
  • 11. Alfarrobeira Castanheiro • É das espécies fruteiras mais conhecidas , com maiores perspectivas de expansão na floresta. • Clima mediterrâneo • E pode ser encontrada exclusivamente no Algarve. • Temperaturas muito elevadas nos meses de Julho e Agosto, associadas a uma escassez de humidade no solo, dão origem a um menor vingamento do fruto. • O castanheiro sofreu uma expansão, sendo uma espécie predominante , destacando-se a região Trás-os-Montes
  • 12. Conclusão Quinquénio 1996-2000 (%) Quinquénio 2001-2005 (%) Produtos Hortícolas 16,0 20,4 Hortícolas frescos 10,5 13,6 Plantas e flores 5,5 6,7 Plantas ornamentais 2,3 2,3 Plantações 2,8 3,7 Batatas 2,3 1,5 Frutos 13,0 12,1 Frutos frescos 6,2 6,3 Citrinos 1,8 1,7 Frutos sub-tropicais 0,2 0,2