SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
PODAS
Biólogo Leandro Machado de Moura
email: lammoura@uol.com.br
TIPOS DE PODA
A poda depende da espécie e do efeito que se quer obter, assim não
existem regras rígidas para a execução da poda, pois cada caso é
diferente do outro, porém há alguns fundamentos básicos que devem
ser respeitados:
• Poda de formação: conferir uma forma adequada à árvore durante
seu desenvolvimento;
• Poda de limpeza: eliminar ramos doentes, praguejados ou
danificados;
• Poda de emergência: retirar galhos que colocam em risco a
segurança das pessoas;
• Poda de adequação: adequar o desenvolvimento da árvore ao
espaços, edificações ou equipamentos urbanos.
TIPOS DE PODA
TIPOS DE PODA - RAIZ
TIPOS DE PODA - FOLHAS
TIPOS DE PODA - GRAMA
TIPOS DE PODA – GALHOS E RAMOS
TIPOS DE PODA – GALHOS E RAMOS
TIPOS DE PODA – GALHOS E RAMOS
TIPOS DE PODA – GALHOS E RAMOS
TIPOS DE PODA – PLANTAS PEQUENAS OU EM FASE DE CRECIMENTO
Poda de ramos laterais e galhos/folhas secas
TIPOS DE PODA – PLANTAS PEQUENAS OU EM FASE DE CRECIMENTO
Gema Apical: estabilizar crescimento
vertical (altura)
Gema Axial ou Lateral: estabilizar o
crescimento horizontal (lateral)
Caule: sempre nos entrenós ou colar (o
mais próximo possível)
Folhas: sempre na bainha
TIPOS DE PODA
CUIDADOS
CICATRIZAÇÃO DO CORTE: evitar a proliferação de fungos e microorganismos
que podem prejudicar a planta.
Estancar o corte: protudos próprios de casa de jardinagem
-Hidroasfalto é uma emulsão a
base de água, utilizada
largamente na construção civil
para impermeabilização de
lajes, vigas de concreto entre
outras coisas.
-- Calda Bordalesa: mistura de
cal, sulfato de cobre e água.
Faça variação do local da poda: podas sucessivas realizadas nos mesmos
pontos dos galhos resultam em “envassouramento”, ou seja, vários galhos
saindo do mesmo local de um galho, podendo resultar em um fluxo de
seiva insuficiente e enfraquecimento dos ramos.
CUIDADOS
• A poda de árvores, localizadas dentro ou
fora de sua propriedade, só deve ser
realizada mediante autorização do
Departamento ou Secretaria responsável
da Prefeitura local.
• Galhos que atrapalhem a fiação elétrica,
pode-se entrar em contato direto com
Companhia de Energia de sua região.
• Árvores ou galhos que apresentem risco
eminente a população, pode-se acionar
também o Corpo de Bombeiros (193)
• O descumprimento acarreta em multa a
quem comete a infração
• Poda radical é crime, pode e deve ser
denunciada.
ÉPOCAS E PERÍODOS IDEIAIS PARA PODA
ÉPOCAS E PERÍODOS IDEIAIS PARA PODA
ÉPOCAS E PERÍODOS IDEIAIS PARA PODA
Sempre tenha certeza das fases da planta que deseja podar.
- Frutíferas: após a frutificação
- Ornamentais com flores: após as flores e sementes
- Ornamentais de folhagem: qualquer período (priorizar o período seco)
- Grama: qualquer período
Podas de rejuvenescimento são mais indicadas ao final do inverno, pois é
quando o crescimento vegetativo é retomado.
A fase de lua minguante e nova é também ideal, já que a seiva das
plantas refluem para a raiz, fazendo com que a poda dos galhos e folhas
desperdice menos seiva.
A poda no período da tarde permite que as plantas tenham o período
noturno para cicatrizar os cortes.
FIM
OBRIGADO!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Desbaste em Floresta Plantada
Desbaste em Floresta PlantadaDesbaste em Floresta Plantada
Desbaste em Floresta PlantadaCassio Augusto
 
MORFOLOGIA E FENOLOGIA DA CULTURA DA SOJA
MORFOLOGIA E FENOLOGIA DA CULTURA DA SOJAMORFOLOGIA E FENOLOGIA DA CULTURA DA SOJA
MORFOLOGIA E FENOLOGIA DA CULTURA DA SOJAGeagra UFG
 
Plantas daninhas e seu controle
Plantas daninhas e seu controlePlantas daninhas e seu controle
Plantas daninhas e seu controleGeagra UFG
 
Apostila completa 2_parte_horticultura[1][1]
Apostila completa 2_parte_horticultura[1][1]Apostila completa 2_parte_horticultura[1][1]
Apostila completa 2_parte_horticultura[1][1]Antonio Davi Vaz Lima
 
Como a Planta de Arroz de Desenvolve
Como a Planta de Arroz de DesenvolveComo a Planta de Arroz de Desenvolve
Como a Planta de Arroz de DesenvolveGeagra UFG
 
Cultura do Amendoim
Cultura do AmendoimCultura do Amendoim
Cultura do AmendoimKiller Max
 
Preparo do Solo
Preparo do SoloPreparo do Solo
Preparo do SoloKiller Max
 
Manejo de Plantio
Manejo de PlantioManejo de Plantio
Manejo de PlantioGeagra UFG
 
Propagacão de plantas frutiferas
Propagacão de plantas frutiferasPropagacão de plantas frutiferas
Propagacão de plantas frutiferaspaisagista
 
Ferramentas, Alfaias e Mecanização Agrícola 3º Nível- Curso Básico de Agro-Pe...
Ferramentas, Alfaias e Mecanização Agrícola 3º Nível- Curso Básico de Agro-Pe...Ferramentas, Alfaias e Mecanização Agrícola 3º Nível- Curso Básico de Agro-Pe...
Ferramentas, Alfaias e Mecanização Agrícola 3º Nível- Curso Básico de Agro-Pe...Epfr De Estaquinha
 
Aula 04 preparo do solo
Aula 04   preparo do soloAula 04   preparo do solo
Aula 04 preparo do soloWillian Passos
 
Identificação de plantas daninhas
Identificação de plantas daninhasIdentificação de plantas daninhas
Identificação de plantas daninhasGeagra UFG
 

Mais procurados (20)

Desbaste em Floresta Plantada
Desbaste em Floresta PlantadaDesbaste em Floresta Plantada
Desbaste em Floresta Plantada
 
Aula 7 olericultura
Aula 7 olericulturaAula 7 olericultura
Aula 7 olericultura
 
MORFOLOGIA E FENOLOGIA DA CULTURA DA SOJA
MORFOLOGIA E FENOLOGIA DA CULTURA DA SOJAMORFOLOGIA E FENOLOGIA DA CULTURA DA SOJA
MORFOLOGIA E FENOLOGIA DA CULTURA DA SOJA
 
Plantas daninhas e seu controle
Plantas daninhas e seu controlePlantas daninhas e seu controle
Plantas daninhas e seu controle
 
Apostila completa 2_parte_horticultura[1][1]
Apostila completa 2_parte_horticultura[1][1]Apostila completa 2_parte_horticultura[1][1]
Apostila completa 2_parte_horticultura[1][1]
 
Viveiricultura
Viveiricultura Viveiricultura
Viveiricultura
 
Como a Planta de Arroz de Desenvolve
Como a Planta de Arroz de DesenvolveComo a Planta de Arroz de Desenvolve
Como a Planta de Arroz de Desenvolve
 
Manual de silvicultura
Manual de silvicultura Manual de silvicultura
Manual de silvicultura
 
Cultura do Amendoim
Cultura do AmendoimCultura do Amendoim
Cultura do Amendoim
 
Preparo do Solo
Preparo do SoloPreparo do Solo
Preparo do Solo
 
Manejo de Plantio
Manejo de PlantioManejo de Plantio
Manejo de Plantio
 
Tratos culturais
Tratos culturaisTratos culturais
Tratos culturais
 
Propagacão de plantas frutiferas
Propagacão de plantas frutiferasPropagacão de plantas frutiferas
Propagacão de plantas frutiferas
 
Ferramentas, Alfaias e Mecanização Agrícola 3º Nível- Curso Básico de Agro-Pe...
Ferramentas, Alfaias e Mecanização Agrícola 3º Nível- Curso Básico de Agro-Pe...Ferramentas, Alfaias e Mecanização Agrícola 3º Nível- Curso Básico de Agro-Pe...
Ferramentas, Alfaias e Mecanização Agrícola 3º Nível- Curso Básico de Agro-Pe...
 
Aula 04 preparo do solo
Aula 04   preparo do soloAula 04   preparo do solo
Aula 04 preparo do solo
 
Poda de fruteiras pdf
Poda de fruteiras pdfPoda de fruteiras pdf
Poda de fruteiras pdf
 
Mip do milho
Mip do milhoMip do milho
Mip do milho
 
Identificação de plantas daninhas
Identificação de plantas daninhasIdentificação de plantas daninhas
Identificação de plantas daninhas
 
Introdução - Dendrologia
Introdução - DendrologiaIntrodução - Dendrologia
Introdução - Dendrologia
 
3.2 producao demudasporviaassexuada
3.2 producao demudasporviaassexuada3.2 producao demudasporviaassexuada
3.2 producao demudasporviaassexuada
 

Mais de Leandro A. Machado de Moura

Recuperação de Áreas Degradadas por Mineração
Recuperação de Áreas Degradadas por MineraçãoRecuperação de Áreas Degradadas por Mineração
Recuperação de Áreas Degradadas por MineraçãoLeandro A. Machado de Moura
 
UC's - Conservação de Espécies e Populações
UC's - Conservação de Espécies e Populações UC's - Conservação de Espécies e Populações
UC's - Conservação de Espécies e Populações Leandro A. Machado de Moura
 
SNUC - Sistema Nacional de Unidades de Conservação
SNUC - Sistema Nacional de Unidades de Conservação SNUC - Sistema Nacional de Unidades de Conservação
SNUC - Sistema Nacional de Unidades de Conservação Leandro A. Machado de Moura
 
Unidades de Conservação - Conceituação e Classificação
Unidades de Conservação - Conceituação e Classificação Unidades de Conservação - Conceituação e Classificação
Unidades de Conservação - Conceituação e Classificação Leandro A. Machado de Moura
 
Desenvolvimento, Conservação e Sustentabilidade
Desenvolvimento, Conservação e Sustentabilidade Desenvolvimento, Conservação e Sustentabilidade
Desenvolvimento, Conservação e Sustentabilidade Leandro A. Machado de Moura
 

Mais de Leandro A. Machado de Moura (20)

Relações Ecológicas
Relações EcológicasRelações Ecológicas
Relações Ecológicas
 
Conservação X Extinção
Conservação X  ExtinçãoConservação X  Extinção
Conservação X Extinção
 
Cadeia Trófica
Cadeia TróficaCadeia Trófica
Cadeia Trófica
 
Princípios da Evolução
Princípios da EvoluçãoPrincípios da Evolução
Princípios da Evolução
 
Medicina Veterinária da Conservação
Medicina Veterinária da ConservaçãoMedicina Veterinária da Conservação
Medicina Veterinária da Conservação
 
Introdução á Ecologia
Introdução á EcologiaIntrodução á Ecologia
Introdução á Ecologia
 
APP / REBIO de Mogi Guaçu
APP / REBIO de Mogi GuaçuAPP / REBIO de Mogi Guaçu
APP / REBIO de Mogi Guaçu
 
Recuperação de Áreas Degradadas por Mineração
Recuperação de Áreas Degradadas por MineraçãoRecuperação de Áreas Degradadas por Mineração
Recuperação de Áreas Degradadas por Mineração
 
REBIO Mogi Guaçu
REBIO Mogi GuaçuREBIO Mogi Guaçu
REBIO Mogi Guaçu
 
Solo - Pedogênese
Solo - PedogêneseSolo - Pedogênese
Solo - Pedogênese
 
UC's - Conservação de Espécies e Populações
UC's - Conservação de Espécies e Populações UC's - Conservação de Espécies e Populações
UC's - Conservação de Espécies e Populações
 
SNUC - Sistema Nacional de Unidades de Conservação
SNUC - Sistema Nacional de Unidades de Conservação SNUC - Sistema Nacional de Unidades de Conservação
SNUC - Sistema Nacional de Unidades de Conservação
 
Unidades de Conservação - Conceituação e Classificação
Unidades de Conservação - Conceituação e Classificação Unidades de Conservação - Conceituação e Classificação
Unidades de Conservação - Conceituação e Classificação
 
Desenvolvimento, Conservação e Sustentabilidade
Desenvolvimento, Conservação e Sustentabilidade Desenvolvimento, Conservação e Sustentabilidade
Desenvolvimento, Conservação e Sustentabilidade
 
SNUC 2 - Pontos relevantes
SNUC 2 - Pontos relevantes SNUC 2 - Pontos relevantes
SNUC 2 - Pontos relevantes
 
Controle de Pragas na Jardinagem
Controle de Pragas na JardinagemControle de Pragas na Jardinagem
Controle de Pragas na Jardinagem
 
Adubação
AdubaçãoAdubação
Adubação
 
Classificação das Plantas
Classificação das PlantasClassificação das Plantas
Classificação das Plantas
 
Biomas Brasileiros
Biomas Brasileiros Biomas Brasileiros
Biomas Brasileiros
 
Classificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres Vivos Classificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres Vivos
 

Último

A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...atendimento93
 
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdfFazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdfReservadaBiosferadaM
 
MACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptx
MACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptxMACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptx
MACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptxGeagra UFG
 
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdfAruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdfReservadaBiosferadaM
 
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMPSEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMPReservadaBiosferadaM
 
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_ReservadaBiosferadaM
 
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdfApresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdfReservadaBiosferadaM
 
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptxapresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptxReservadaBiosferadaM
 
BIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARES
BIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARESBIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARES
BIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARESGeagra UFG
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfHELLEN CRISTINA
 
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptxReservadaBiosferadaM
 
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline CastroMICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline CastroGeagra UFG
 
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptxCEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptxReservadaBiosferadaM
 
I.3 Proteção integrada.pptxppppaaaatttav
I.3 Proteção integrada.pptxppppaaaatttavI.3 Proteção integrada.pptxppppaaaatttav
I.3 Proteção integrada.pptxppppaaaatttavJudite Silva
 
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMAÁrea de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMAReservadaBiosferadaM
 
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdfHELLEN CRISTINA
 

Último (16)

A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
 
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdfFazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
 
MACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptx
MACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptxMACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptx
MACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptx
 
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdfAruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
 
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMPSEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
 
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
 
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdfApresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
 
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptxapresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
 
BIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARES
BIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARESBIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARES
BIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARES
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
 
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
 
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline CastroMICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline Castro
 
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptxCEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
 
I.3 Proteção integrada.pptxppppaaaatttav
I.3 Proteção integrada.pptxppppaaaatttavI.3 Proteção integrada.pptxppppaaaatttav
I.3 Proteção integrada.pptxppppaaaatttav
 
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMAÁrea de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
 
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
 

Técnicas de Poda

  • 1. PODAS Biólogo Leandro Machado de Moura email: lammoura@uol.com.br
  • 2. TIPOS DE PODA A poda depende da espécie e do efeito que se quer obter, assim não existem regras rígidas para a execução da poda, pois cada caso é diferente do outro, porém há alguns fundamentos básicos que devem ser respeitados: • Poda de formação: conferir uma forma adequada à árvore durante seu desenvolvimento; • Poda de limpeza: eliminar ramos doentes, praguejados ou danificados; • Poda de emergência: retirar galhos que colocam em risco a segurança das pessoas; • Poda de adequação: adequar o desenvolvimento da árvore ao espaços, edificações ou equipamentos urbanos.
  • 4. TIPOS DE PODA - RAIZ
  • 5. TIPOS DE PODA - FOLHAS
  • 6. TIPOS DE PODA - GRAMA
  • 7. TIPOS DE PODA – GALHOS E RAMOS
  • 8. TIPOS DE PODA – GALHOS E RAMOS
  • 9. TIPOS DE PODA – GALHOS E RAMOS
  • 10. TIPOS DE PODA – GALHOS E RAMOS
  • 11. TIPOS DE PODA – PLANTAS PEQUENAS OU EM FASE DE CRECIMENTO Poda de ramos laterais e galhos/folhas secas
  • 12. TIPOS DE PODA – PLANTAS PEQUENAS OU EM FASE DE CRECIMENTO Gema Apical: estabilizar crescimento vertical (altura) Gema Axial ou Lateral: estabilizar o crescimento horizontal (lateral) Caule: sempre nos entrenós ou colar (o mais próximo possível) Folhas: sempre na bainha
  • 14. CUIDADOS CICATRIZAÇÃO DO CORTE: evitar a proliferação de fungos e microorganismos que podem prejudicar a planta. Estancar o corte: protudos próprios de casa de jardinagem -Hidroasfalto é uma emulsão a base de água, utilizada largamente na construção civil para impermeabilização de lajes, vigas de concreto entre outras coisas. -- Calda Bordalesa: mistura de cal, sulfato de cobre e água.
  • 15. Faça variação do local da poda: podas sucessivas realizadas nos mesmos pontos dos galhos resultam em “envassouramento”, ou seja, vários galhos saindo do mesmo local de um galho, podendo resultar em um fluxo de seiva insuficiente e enfraquecimento dos ramos. CUIDADOS
  • 16. • A poda de árvores, localizadas dentro ou fora de sua propriedade, só deve ser realizada mediante autorização do Departamento ou Secretaria responsável da Prefeitura local. • Galhos que atrapalhem a fiação elétrica, pode-se entrar em contato direto com Companhia de Energia de sua região. • Árvores ou galhos que apresentem risco eminente a população, pode-se acionar também o Corpo de Bombeiros (193) • O descumprimento acarreta em multa a quem comete a infração • Poda radical é crime, pode e deve ser denunciada.
  • 17. ÉPOCAS E PERÍODOS IDEIAIS PARA PODA
  • 18. ÉPOCAS E PERÍODOS IDEIAIS PARA PODA
  • 19. ÉPOCAS E PERÍODOS IDEIAIS PARA PODA Sempre tenha certeza das fases da planta que deseja podar. - Frutíferas: após a frutificação - Ornamentais com flores: após as flores e sementes - Ornamentais de folhagem: qualquer período (priorizar o período seco) - Grama: qualquer período Podas de rejuvenescimento são mais indicadas ao final do inverno, pois é quando o crescimento vegetativo é retomado. A fase de lua minguante e nova é também ideal, já que a seiva das plantas refluem para a raiz, fazendo com que a poda dos galhos e folhas desperdice menos seiva. A poda no período da tarde permite que as plantas tenham o período noturno para cicatrizar os cortes.