SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 6
Baixar para ler offline
SISTEMA DE CULTIVO NA PRODUÇÃO DE HORTALIÇAS
Roberto Botelho Ferraz Branco
Eng. Agr. Dr., PqC do Pólo Regional Centro Leste/APTA
branco@apta.sp.gov.br
Sally Ferreira Blat
Eng. Agr. Dr., PqC do Pólo Regional Centro Leste/APTA
sally@apta.sp.gov.br
Os sistemas de produção de hortaliças são bastante complexos, abrangendo desde práticas
agrícolas de tecnologias mais simples empregadas na agricultura familiar, urbana e peri
urbana até as mais complexas com utilização de maquinários e equipamentos de elevado
nível tecnológico, utilizada por horticultores empresariais.
Basicamente os sistemas de cultivo dividem-se em ‘campo aberto’ e ‘cultivo protegido’. No
cultivo a campo aberto, no qual as hortaliças são produzidas sem proteção aérea, as plantas
ficam expostas a condições climáticas naturais e a possíveis intempéries, como fortes
chuvas, vento e granizo que podem comprometer a produtividade e qualidade do produto.
No cultivo protegido, como o próprio nome diz, as plantas ficam protegidas da atmosfera
externa por filmes plásticos de polietileno de espessura variável, instalados em estruturas
conhecidas com estufas agrícolas.
O cultivo orgânico é o sistema de cultivo que dispensa a utilização de insumos agrícolas
industrializados como fertilizantes e defensivos químicos, e que vem experimentando grande
crescimento ano a ano, com ótimas perspectivas futuras. Nesse sistema as hortaliças
podem ser cultivadas tanto a campo aberto quanto em ambiente protegido.
www.aptaregional.sp.gov.br
ISSN 2316-5146
Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014
Cultivo a campo aberto
O cultivo a campo aberto é o sistema mais amplamente praticado por horticultores
brasileiros, mesmo porque as condições edafoclimáticas permitem conduzir lavouras
durante o ano ao longo do território nacional, conseguindo abastecer a demanda dos
mercados consumidores. A grande parte dos polos produtores se estabelece em
determinadas regiões onde as condições edafoclimáticas e mercadológicas viabilizam a
produção de hortaliças, proporcionando a sustentabilidade da vida na zona rural (Filgueira,
2000).
As hortaliças de fruto, como o tomate, pimentões, berinjela, melão, melancia, são cultivadas
a campo aberto em regiões e épocas adequadas para o desenvolvimento e produtividade
dos cultivos. As culturas do tomateiro e pimenteiro, por exemplo, em época de
primavera/verão cultiva-se em regiões de altitudes mais elevadas e de clima ameno e de
preferência de ocorrência de baixa pluviosidade, como o interior de Santa Catarina, Paraná
e região serrana de Minas Gerais. Em épocas de clima frio outono/inverno se buscam
regiões de altitude mais baixas e com alta insolação, como o interior de São Paulo.
A melancia e o melão são espécies exigentes em insolação e temperatura elevada para
produzirem frutos de qualidade. Dado isso se ajustou as épocas de cultivo nas regiões
produtoras durante o ano em toda a extensão do território nacional. Estados da região sul e
sudeste cultivam a melancia e melão nas estações de primavera/verão. No Estado de São
Paulo ocorrem duas semeaduras, a primeira em setembro (safra) e a segunda em fevereiro
(safrinha), épocas em que as condições climáticas favorecem a qualidade da produção,
desviando do excesso de chuvas de verão que reduzem a produtividade e qualidade da
melancieira e meloeiro.
No período de inverno cultiva-se a melancia em estados de Centro Oeste e Nordeste, como
Goiás, Tocantins e Bahia. A produção de melões brasileira é realizada em grande parte no
Estado do Rio Grande do Norte, região que possui características edafoclimáticas favoráveis
para o cultivo de melões o ano todo, com destino da produção focado nos mercados interno
e exportação.
Solos com textura arenosa são preferências para melancia e melão por favorecerem a
drenagem de água e conseqüentemente a qualidade dos frutos. Geralmente os cultivos de
tomate e melancia são caracterizados como nômades, por serem realizados em rotação
www.aptaregional.sp.gov.br
ISSN 2316-5146
Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014
com pastagem, cereais e áreas de reforma de cana-de-açúcar, evitando o plantio sucessivo
na mesma área como medida preventiva contra patógenos de solo.
As hortaliças de raízes, bulbos e tubérculos, como cenoura, cebola e batata são totalmente
cultivadas em campo aberto, independentemente do tamanho do produtor. Esses cultivos
também buscam regiões e estações do ano adequadas para a produtividade e qualidade da
produção. Na primavera/verão localizam-se em regiões serranas e em estados do sul do
país e no outono/inverno, em regiões de altitude mais baixas como o cerrado mineiro.
Agricultores empresariais têm impulsionado o cultivo dessas espécies, conduzindo-os em
áreas extensas sob irrigação por pivot central. Esse sistema de produção possibilita a
rotação de culturas com cereais e gramíneas para pastagem.
As hortaliças de folhas, como a alface e agrião, geralmente são cultivadas próximos a
centros consumidores, o que caracteriza a agricultura urbana e peri urbana e os cinturões
verdes próximos a regiões metropolitanas, como o cultivo de folhosas em Mogi das Cruzes e
Piedade, municípios responsáveis pelo abastecimento de verduras para a cidade de São
Paulo. Nessas regiões a grande maioria dos cultivos é conduzida a campo aberto, o que
ocasiona enorme flutuação de oferta ao longo do ano, com excesso de produção em
períodos de baixa pluviosidade e temperaturas amenas e redução em períodos de elevadas
pluviosidade e temperatura, refletindo diretamente no preço final para o consumidor.
A utilização de mulching plástico na superfície do solo dos canteiros de cultivo é tecnologia
que proporciona ganhos ambientais e econômicos para os produtores de hortaliças
folhosas, pois possibilitam cultivos sucessivos na mesma área sem a necessidade de
preparo do solo, além de reduzir a infestação da vegetação espontânea e aporte de
fertilizantes.
Atualmente, a busca por sistemas de cultivo conservacionistas tem sido grande foco dos
agricultores brasileiros. O plantio direto de hortaliças é um sistema de cultivo moderno de
manejo sustentável do solo, com princípio básico de não revolvimento no momento do
preparo e proteção permanente da superfície com palhas e rotação de culturas, e que busca
a conservação dos recursos naturais, solo e água. Esse sistema tem ganhado cada vez
mais credibilidade do produtor, por favorecer a biodiversidade do sistema e redução do
custo de produção.
Contudo, o sistema a campo aberto caracteriza-se por cultivos dependentes das condições
climáticas naturais do ambiente, possibilitando a oferta de produtos principalmente quando
www.aptaregional.sp.gov.br
ISSN 2316-5146
Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014
as condições ambientais são favoráveis a produtividade das culturas. No Brasil, a grande
maioria do abastecimento de hortaliças para o mercado consumidor é proveniente de
cultivos a campo aberto.
Cultivo protegido
O sistema de cultivo protegido de hortaliças é um modelo mais sofisticado de produção,
onde se emprega alta tecnologia para o controle ambiental com intuito de favorecer o
desempenho fisiológico e produtivo das culturas (Alvarenga, 2004).
Nessa modalidade, o simples fato de se utilizar estrutura com coberturas plásticas para o
cultivo de hortaliças já altera as condições ambientais, que na maioria das vezes favorecem
a produção das hortaliças. No Brasil, os produtores utilizam o cultivo protegido para
proteção contra as fortes chuvas tropicais e granizo, principalmente em regiões de clima
quente e também proteção contra ocorrência de geadas em regiões de clima frio.
Em ambiente protegido as plantas são cultivadas diretamente no solo, em sistemas
hidropônicos tipo Nutrient Film Technic (NFT) ou em substrato agrícolas como fibra de coco
e casca de pinus carbonizada.
No mercado de cultivo protegido existe ampla gama de tecnologias que possibilitam o
controle total do ambiente, regulando a temperatura, umidade e luminosidade em função
das exigências climáticas da cultura a ser explorada. Geralmente quanto maior for o valor
agregado do produto, maior será o incremento tecnológico do sistema produtivo. Dessa
forma essa modalidade de cultivo permite a produção de hortaliças em épocas de
entressafra o que possibilita maior cotação no mercado, agregando valor a produção. No
Brasil o cultivo de tomate em ambiente protegido chega alcançar até 15 kg m2
, sendo que na
Espanha produz-se cerca de 40 kg m2
.
Cultivo orgânico
O sistema de cultivo orgânico dispensa a utilização de insumos agrícolas industrializados.
Neste caso, os fertilizantes são preparados com matérias primas provenientes de fontes
orgânicas, como dejetos animais e resíduos vegetais, gerados preferencialmente na própria
propriedade. Os defensivos são geralmente produtos de origem vegetal com poder
inseticida, que auxiliam no controle de pragas de plantas. Caldas bordalesa e sulfocálcica,
assim como própolis de abelhas são produtos eficientes no controle de doenças. As
propriedades de produção orgânica evitam o monocultivo, procurando sempre praticar a
www.aptaregional.sp.gov.br
ISSN 2316-5146
Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014
técnica de rotação de culturas com intuito de diversificação de espécies na área de
exploração agrícola. Assim, plantas de cobertura como crotalárias, mucunas, milheto e aveia
são espécies recomendadas em rotação com as hortaliças, assim como culturas
econômicas como feijão e milho.
A produção orgânica de hortaliças é sistema sustentável de modelo agrícola que atende
plenamente as exigências da sociedade por produtos saudáveis e com menor impacto ao
ambiente e a saúde do trabalhador rural.
Em resumo os sistemas comerciais de produção de hortaliças são dinâmicos e evolutivos,
pois a demanda crescente por alimentos suporta o investimento em novas tecnologias que
atendam as exigências econômica, ambiental e social para produção hortícola sustentável.
Imagem 1. Produção do tomateiro em cultivo protegido em vasos de 8 L com substrato agrícola.
Foto: Branco, RBF
www.aptaregional.sp.gov.br
ISSN 2316-5146
Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014
Imagem 2. Produção de alface em campo aberto com canteiros cobertos com ‘mulching’ plástico em
Mogi das Cruzes. Foto: Branco, RBF
Referências Bibliográficas
Alvarenga, M.A.R. 2004. Tomate – Produção em campo, em casa-de-vegetação e em
hidroponia. P. 367. UFLA, Universidade Federal de Lavras.
Filgueira, F.A.R. 2000. Novo manual de Olericultura. Agrotecnologia Moderna na Produção
e Comercialização de Hortaliças. p. 1-402. Universidade Federal de Viçosa, Viçosa.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Adubação de Cobertura e Foliar
Adubação de Cobertura e FoliarAdubação de Cobertura e Foliar
Adubação de Cobertura e Foliar
Geagra UFG
 

Mais procurados (20)

GERMINAÇÃO E DORMÊNCIA DE SEMENTES
GERMINAÇÃO E DORMÊNCIA DE SEMENTESGERMINAÇÃO E DORMÊNCIA DE SEMENTES
GERMINAÇÃO E DORMÊNCIA DE SEMENTES
 
Manejo Integrado de Doenças de Plantas
Manejo Integrado de Doenças de PlantasManejo Integrado de Doenças de Plantas
Manejo Integrado de Doenças de Plantas
 
Adubação de Cobertura e Foliar
Adubação de Cobertura e FoliarAdubação de Cobertura e Foliar
Adubação de Cobertura e Foliar
 
Aula 2 introdução floricultura
Aula 2   introdução floriculturaAula 2   introdução floricultura
Aula 2 introdução floricultura
 
apostila-de-olericultura-nad-pdf
apostila-de-olericultura-nad-pdfapostila-de-olericultura-nad-pdf
apostila-de-olericultura-nad-pdf
 
Identificação de plantas daninhas
Identificação de plantas daninhasIdentificação de plantas daninhas
Identificação de plantas daninhas
 
Aula 7 olericultura
Aula 7 olericulturaAula 7 olericultura
Aula 7 olericultura
 
Manejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhasManejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhas
 
Apostila completa 2_parte_horticultura[1][1]
Apostila completa 2_parte_horticultura[1][1]Apostila completa 2_parte_horticultura[1][1]
Apostila completa 2_parte_horticultura[1][1]
 
Cultivo de alface
Cultivo de alface Cultivo de alface
Cultivo de alface
 
Aula 04 preparo do solo
Aula 04   preparo do soloAula 04   preparo do solo
Aula 04 preparo do solo
 
Tratos culturais
Tratos culturaisTratos culturais
Tratos culturais
 
AULA ALFACE.pptx
AULA ALFACE.pptxAULA ALFACE.pptx
AULA ALFACE.pptx
 
Manual mandioca no_cerrado.pdf usado
Manual mandioca no_cerrado.pdf usadoManual mandioca no_cerrado.pdf usado
Manual mandioca no_cerrado.pdf usado
 
Aula 03 manejo de plantas ornamentais - copia
Aula 03   manejo de plantas ornamentais - copiaAula 03   manejo de plantas ornamentais - copia
Aula 03 manejo de plantas ornamentais - copia
 
Aula 02 cultura do maracujá.
Aula 02  cultura do maracujá.Aula 02  cultura do maracujá.
Aula 02 cultura do maracujá.
 
Aula 02 propagação e implantação de plantas ornamentais
Aula 02   propagação e implantação de plantas ornamentaisAula 02   propagação e implantação de plantas ornamentais
Aula 02 propagação e implantação de plantas ornamentais
 
Adubação Foliar - Nutrição/Fitormônios
Adubação Foliar - Nutrição/Fitormônios Adubação Foliar - Nutrição/Fitormônios
Adubação Foliar - Nutrição/Fitormônios
 
Citrus de mesa
Citrus de mesaCitrus de mesa
Citrus de mesa
 
cultura da Acerola
cultura da Acerola cultura da Acerola
cultura da Acerola
 

Destaque

Agricultura de plantação
Agricultura de plantaçãoAgricultura de plantação
Agricultura de plantação
Dulce Xavier
 
Cultivo do melão ykesaky terson
Cultivo do melão   ykesaky tersonCultivo do melão   ykesaky terson
Cultivo do melão ykesaky terson
Ykesaky Terson
 
Manual de Hortalicas não convencionais
Manual de Hortalicas não convencionaisManual de Hortalicas não convencionais
Manual de Hortalicas não convencionais
Rodrigo Fumes
 
Apresentação cultivo protegido
Apresentação   cultivo protegidoApresentação   cultivo protegido
Apresentação cultivo protegido
Andrei Sampedro
 

Destaque (20)

Apresentação cultivo orgânico de hortaliças
Apresentação   cultivo orgânico de hortaliçasApresentação   cultivo orgânico de hortaliças
Apresentação cultivo orgânico de hortaliças
 
As HortaliçAs
As HortaliçAsAs HortaliçAs
As HortaliçAs
 
Como fazer uma horta
Como fazer uma hortaComo fazer uma horta
Como fazer uma horta
 
Apostila de hortaliças orgânicas
Apostila de hortaliças orgânicasApostila de hortaliças orgânicas
Apostila de hortaliças orgânicas
 
Catálogo de Hortaliças
Catálogo de HortaliçasCatálogo de Hortaliças
Catálogo de Hortaliças
 
Irrigacao
IrrigacaoIrrigacao
Irrigacao
 
Trabalho agronomia
Trabalho agronomiaTrabalho agronomia
Trabalho agronomia
 
HORTALICAS 2014 ANUARIO
HORTALICAS 2014 ANUARIOHORTALICAS 2014 ANUARIO
HORTALICAS 2014 ANUARIO
 
Agricultura de plantação
Agricultura de plantaçãoAgricultura de plantação
Agricultura de plantação
 
14 artropodes 2
14 artropodes 214 artropodes 2
14 artropodes 2
 
Cursofitocompleto parcial
Cursofitocompleto parcialCursofitocompleto parcial
Cursofitocompleto parcial
 
Léxico Comum e Léxico Específico dentro da Olericultura
Léxico Comum e Léxico Específico dentro da OlericulturaLéxico Comum e Léxico Específico dentro da Olericultura
Léxico Comum e Léxico Específico dentro da Olericultura
 
Agronomia
AgronomiaAgronomia
Agronomia
 
Curso horti parcial
Curso horti parcialCurso horti parcial
Curso horti parcial
 
Introdução a agronomia
Introdução a agronomiaIntrodução a agronomia
Introdução a agronomia
 
Cultivo do melão ykesaky terson
Cultivo do melão   ykesaky tersonCultivo do melão   ykesaky terson
Cultivo do melão ykesaky terson
 
Horticultura e educação ambiental
Horticultura e educação ambientalHorticultura e educação ambiental
Horticultura e educação ambiental
 
Manual de Hortalicas não convencionais
Manual de Hortalicas não convencionaisManual de Hortalicas não convencionais
Manual de Hortalicas não convencionais
 
Agricultura biologica
Agricultura biologicaAgricultura biologica
Agricultura biologica
 
Apresentação cultivo protegido
Apresentação   cultivo protegidoApresentação   cultivo protegido
Apresentação cultivo protegido
 

Semelhante a Sistema de cultivo na produção de hortaliças

ProtecçãO E ConservaçãO Do Solo
ProtecçãO E ConservaçãO Do SoloProtecçãO E ConservaçãO Do Solo
ProtecçãO E ConservaçãO Do Solo
Roberto Santos
 
ojkuhn,+Gerente+da+revista,+Revisão+1+-+Processo+6033.pdf
ojkuhn,+Gerente+da+revista,+Revisão+1+-+Processo+6033.pdfojkuhn,+Gerente+da+revista,+Revisão+1+-+Processo+6033.pdf
ojkuhn,+Gerente+da+revista,+Revisão+1+-+Processo+6033.pdf
MarcioSitoe1
 
Fisiologia pré e pós colheita
Fisiologia pré e pós colheitaFisiologia pré e pós colheita
Fisiologia pré e pós colheita
UERGS
 
Colheitas...............................
Colheitas...............................Colheitas...............................
Colheitas...............................
JaymeTavares4
 
Aspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentais
Aspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentaisAspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentais
Aspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentais
Robson de Aguiar
 

Semelhante a Sistema de cultivo na produção de hortaliças (20)

Pimentão apresentação
Pimentão   apresentaçãoPimentão   apresentação
Pimentão apresentação
 
ProtecçãO E ConservaçãO Do Solo
ProtecçãO E ConservaçãO Do SoloProtecçãO E ConservaçãO Do Solo
ProtecçãO E ConservaçãO Do Solo
 
Aspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentais
Aspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentaisAspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentais
Aspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentais
 
ojkuhn,+Gerente+da+revista,+Revisão+1+-+Processo+6033.pdf
ojkuhn,+Gerente+da+revista,+Revisão+1+-+Processo+6033.pdfojkuhn,+Gerente+da+revista,+Revisão+1+-+Processo+6033.pdf
ojkuhn,+Gerente+da+revista,+Revisão+1+-+Processo+6033.pdf
 
manejo de gramaines de clima temperado.pdf
manejo de gramaines de clima temperado.pdfmanejo de gramaines de clima temperado.pdf
manejo de gramaines de clima temperado.pdf
 
Culturas regionais modulo iii
Culturas regionais modulo iiiCulturas regionais modulo iii
Culturas regionais modulo iii
 
Propagacão de plantas frutiferas
Propagacão de plantas frutiferasPropagacão de plantas frutiferas
Propagacão de plantas frutiferas
 
Manua Cultivo de Plantas Medicinais
Manua Cultivo de Plantas MedicinaisManua Cultivo de Plantas Medicinais
Manua Cultivo de Plantas Medicinais
 
Informativo Centro de Citricultura
Informativo Centro de CitriculturaInformativo Centro de Citricultura
Informativo Centro de Citricultura
 
Agricultura
AgriculturaAgricultura
Agricultura
 
Cultivo do maracujá: Aspectos a serem observados antes da implantação da cultura
Cultivo do maracujá: Aspectos a serem observados antes da implantação da culturaCultivo do maracujá: Aspectos a serem observados antes da implantação da cultura
Cultivo do maracujá: Aspectos a serem observados antes da implantação da cultura
 
36 tomate orgânico
36 tomate orgânico36 tomate orgânico
36 tomate orgânico
 
Economia da região sul
Economia da região sulEconomia da região sul
Economia da região sul
 
Agroecologia por uma agricultura sustentável e lucrativa
Agroecologia por uma agricultura sustentável e lucrativaAgroecologia por uma agricultura sustentável e lucrativa
Agroecologia por uma agricultura sustentável e lucrativa
 
Fisiologia pré e pós colheita
Fisiologia pré e pós colheitaFisiologia pré e pós colheita
Fisiologia pré e pós colheita
 
Colheitas...............................
Colheitas...............................Colheitas...............................
Colheitas...............................
 
Agroecologia, Saberes e Práticas - Um guia rápido para desenvolver a agroeco...
Agroecologia, Saberes e Práticas - Um guia rápido para desenvolver a agroeco...Agroecologia, Saberes e Práticas - Um guia rápido para desenvolver a agroeco...
Agroecologia, Saberes e Práticas - Um guia rápido para desenvolver a agroeco...
 
Page1 13-134
Page1 13-134Page1 13-134
Page1 13-134
 
Sistema Plantio Direto na Fruticultura Conservacionista
Sistema Plantio Direto na Fruticultura ConservacionistaSistema Plantio Direto na Fruticultura Conservacionista
Sistema Plantio Direto na Fruticultura Conservacionista
 
Aspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentais
Aspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentaisAspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentais
Aspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentais
 

Mais de Rural Pecuária

Dez dicas para produção de milho
Dez dicas para produção de milhoDez dicas para produção de milho
Dez dicas para produção de milho
Rural Pecuária
 

Mais de Rural Pecuária (20)

Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
 
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
 
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
 
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
 
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animalTecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
 
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
 
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
 
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtorBoas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
 
Catálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
Catálogo de forrageiras recomendadas pela EmbrapaCatálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
Catálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
 
Dez dicas para produção de milho
Dez dicas para produção de milhoDez dicas para produção de milho
Dez dicas para produção de milho
 
Criação de Bezerras Leiteiras
Criação de Bezerras LeiteirasCriação de Bezerras Leiteiras
Criação de Bezerras Leiteiras
 
Como produzir-Goiaba Orgânica
Como produzir-Goiaba Orgânica Como produzir-Goiaba Orgânica
Como produzir-Goiaba Orgânica
 
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
 
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes” ap...
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes”  ap...Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes”  ap...
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes” ap...
 
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
 
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais aprovado
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais  aprovadoSilício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais  aprovado
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais aprovado
 
Manual Técnico de Ranicultura está disponível
Manual Técnico de Ranicultura está disponívelManual Técnico de Ranicultura está disponível
Manual Técnico de Ranicultura está disponível
 
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixesInfiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
 
A importância da longevidade das vacas de corte
A importância da longevidade das vacas de corteA importância da longevidade das vacas de corte
A importância da longevidade das vacas de corte
 
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
 

Último

Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Dirceu Resende
 

Último (6)

Concurso Caixa TI - Imersão Final - Rogério Araújo.pdf
Concurso Caixa TI - Imersão Final - Rogério Araújo.pdfConcurso Caixa TI - Imersão Final - Rogério Araújo.pdf
Concurso Caixa TI - Imersão Final - Rogério Araújo.pdf
 
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
 
Certificado - Data Analytics - CoderHouse.pdf
Certificado - Data Analytics - CoderHouse.pdfCertificado - Data Analytics - CoderHouse.pdf
Certificado - Data Analytics - CoderHouse.pdf
 
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdfFrom_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
 
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
 
Apresentação Comercial VITAL DATA 2024.pdf
Apresentação Comercial VITAL DATA 2024.pdfApresentação Comercial VITAL DATA 2024.pdf
Apresentação Comercial VITAL DATA 2024.pdf
 

Sistema de cultivo na produção de hortaliças

  • 1. SISTEMA DE CULTIVO NA PRODUÇÃO DE HORTALIÇAS Roberto Botelho Ferraz Branco Eng. Agr. Dr., PqC do Pólo Regional Centro Leste/APTA branco@apta.sp.gov.br Sally Ferreira Blat Eng. Agr. Dr., PqC do Pólo Regional Centro Leste/APTA sally@apta.sp.gov.br Os sistemas de produção de hortaliças são bastante complexos, abrangendo desde práticas agrícolas de tecnologias mais simples empregadas na agricultura familiar, urbana e peri urbana até as mais complexas com utilização de maquinários e equipamentos de elevado nível tecnológico, utilizada por horticultores empresariais. Basicamente os sistemas de cultivo dividem-se em ‘campo aberto’ e ‘cultivo protegido’. No cultivo a campo aberto, no qual as hortaliças são produzidas sem proteção aérea, as plantas ficam expostas a condições climáticas naturais e a possíveis intempéries, como fortes chuvas, vento e granizo que podem comprometer a produtividade e qualidade do produto. No cultivo protegido, como o próprio nome diz, as plantas ficam protegidas da atmosfera externa por filmes plásticos de polietileno de espessura variável, instalados em estruturas conhecidas com estufas agrícolas. O cultivo orgânico é o sistema de cultivo que dispensa a utilização de insumos agrícolas industrializados como fertilizantes e defensivos químicos, e que vem experimentando grande crescimento ano a ano, com ótimas perspectivas futuras. Nesse sistema as hortaliças podem ser cultivadas tanto a campo aberto quanto em ambiente protegido.
  • 2. www.aptaregional.sp.gov.br ISSN 2316-5146 Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014 Cultivo a campo aberto O cultivo a campo aberto é o sistema mais amplamente praticado por horticultores brasileiros, mesmo porque as condições edafoclimáticas permitem conduzir lavouras durante o ano ao longo do território nacional, conseguindo abastecer a demanda dos mercados consumidores. A grande parte dos polos produtores se estabelece em determinadas regiões onde as condições edafoclimáticas e mercadológicas viabilizam a produção de hortaliças, proporcionando a sustentabilidade da vida na zona rural (Filgueira, 2000). As hortaliças de fruto, como o tomate, pimentões, berinjela, melão, melancia, são cultivadas a campo aberto em regiões e épocas adequadas para o desenvolvimento e produtividade dos cultivos. As culturas do tomateiro e pimenteiro, por exemplo, em época de primavera/verão cultiva-se em regiões de altitudes mais elevadas e de clima ameno e de preferência de ocorrência de baixa pluviosidade, como o interior de Santa Catarina, Paraná e região serrana de Minas Gerais. Em épocas de clima frio outono/inverno se buscam regiões de altitude mais baixas e com alta insolação, como o interior de São Paulo. A melancia e o melão são espécies exigentes em insolação e temperatura elevada para produzirem frutos de qualidade. Dado isso se ajustou as épocas de cultivo nas regiões produtoras durante o ano em toda a extensão do território nacional. Estados da região sul e sudeste cultivam a melancia e melão nas estações de primavera/verão. No Estado de São Paulo ocorrem duas semeaduras, a primeira em setembro (safra) e a segunda em fevereiro (safrinha), épocas em que as condições climáticas favorecem a qualidade da produção, desviando do excesso de chuvas de verão que reduzem a produtividade e qualidade da melancieira e meloeiro. No período de inverno cultiva-se a melancia em estados de Centro Oeste e Nordeste, como Goiás, Tocantins e Bahia. A produção de melões brasileira é realizada em grande parte no Estado do Rio Grande do Norte, região que possui características edafoclimáticas favoráveis para o cultivo de melões o ano todo, com destino da produção focado nos mercados interno e exportação. Solos com textura arenosa são preferências para melancia e melão por favorecerem a drenagem de água e conseqüentemente a qualidade dos frutos. Geralmente os cultivos de tomate e melancia são caracterizados como nômades, por serem realizados em rotação
  • 3. www.aptaregional.sp.gov.br ISSN 2316-5146 Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014 com pastagem, cereais e áreas de reforma de cana-de-açúcar, evitando o plantio sucessivo na mesma área como medida preventiva contra patógenos de solo. As hortaliças de raízes, bulbos e tubérculos, como cenoura, cebola e batata são totalmente cultivadas em campo aberto, independentemente do tamanho do produtor. Esses cultivos também buscam regiões e estações do ano adequadas para a produtividade e qualidade da produção. Na primavera/verão localizam-se em regiões serranas e em estados do sul do país e no outono/inverno, em regiões de altitude mais baixas como o cerrado mineiro. Agricultores empresariais têm impulsionado o cultivo dessas espécies, conduzindo-os em áreas extensas sob irrigação por pivot central. Esse sistema de produção possibilita a rotação de culturas com cereais e gramíneas para pastagem. As hortaliças de folhas, como a alface e agrião, geralmente são cultivadas próximos a centros consumidores, o que caracteriza a agricultura urbana e peri urbana e os cinturões verdes próximos a regiões metropolitanas, como o cultivo de folhosas em Mogi das Cruzes e Piedade, municípios responsáveis pelo abastecimento de verduras para a cidade de São Paulo. Nessas regiões a grande maioria dos cultivos é conduzida a campo aberto, o que ocasiona enorme flutuação de oferta ao longo do ano, com excesso de produção em períodos de baixa pluviosidade e temperaturas amenas e redução em períodos de elevadas pluviosidade e temperatura, refletindo diretamente no preço final para o consumidor. A utilização de mulching plástico na superfície do solo dos canteiros de cultivo é tecnologia que proporciona ganhos ambientais e econômicos para os produtores de hortaliças folhosas, pois possibilitam cultivos sucessivos na mesma área sem a necessidade de preparo do solo, além de reduzir a infestação da vegetação espontânea e aporte de fertilizantes. Atualmente, a busca por sistemas de cultivo conservacionistas tem sido grande foco dos agricultores brasileiros. O plantio direto de hortaliças é um sistema de cultivo moderno de manejo sustentável do solo, com princípio básico de não revolvimento no momento do preparo e proteção permanente da superfície com palhas e rotação de culturas, e que busca a conservação dos recursos naturais, solo e água. Esse sistema tem ganhado cada vez mais credibilidade do produtor, por favorecer a biodiversidade do sistema e redução do custo de produção. Contudo, o sistema a campo aberto caracteriza-se por cultivos dependentes das condições climáticas naturais do ambiente, possibilitando a oferta de produtos principalmente quando
  • 4. www.aptaregional.sp.gov.br ISSN 2316-5146 Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014 as condições ambientais são favoráveis a produtividade das culturas. No Brasil, a grande maioria do abastecimento de hortaliças para o mercado consumidor é proveniente de cultivos a campo aberto. Cultivo protegido O sistema de cultivo protegido de hortaliças é um modelo mais sofisticado de produção, onde se emprega alta tecnologia para o controle ambiental com intuito de favorecer o desempenho fisiológico e produtivo das culturas (Alvarenga, 2004). Nessa modalidade, o simples fato de se utilizar estrutura com coberturas plásticas para o cultivo de hortaliças já altera as condições ambientais, que na maioria das vezes favorecem a produção das hortaliças. No Brasil, os produtores utilizam o cultivo protegido para proteção contra as fortes chuvas tropicais e granizo, principalmente em regiões de clima quente e também proteção contra ocorrência de geadas em regiões de clima frio. Em ambiente protegido as plantas são cultivadas diretamente no solo, em sistemas hidropônicos tipo Nutrient Film Technic (NFT) ou em substrato agrícolas como fibra de coco e casca de pinus carbonizada. No mercado de cultivo protegido existe ampla gama de tecnologias que possibilitam o controle total do ambiente, regulando a temperatura, umidade e luminosidade em função das exigências climáticas da cultura a ser explorada. Geralmente quanto maior for o valor agregado do produto, maior será o incremento tecnológico do sistema produtivo. Dessa forma essa modalidade de cultivo permite a produção de hortaliças em épocas de entressafra o que possibilita maior cotação no mercado, agregando valor a produção. No Brasil o cultivo de tomate em ambiente protegido chega alcançar até 15 kg m2 , sendo que na Espanha produz-se cerca de 40 kg m2 . Cultivo orgânico O sistema de cultivo orgânico dispensa a utilização de insumos agrícolas industrializados. Neste caso, os fertilizantes são preparados com matérias primas provenientes de fontes orgânicas, como dejetos animais e resíduos vegetais, gerados preferencialmente na própria propriedade. Os defensivos são geralmente produtos de origem vegetal com poder inseticida, que auxiliam no controle de pragas de plantas. Caldas bordalesa e sulfocálcica, assim como própolis de abelhas são produtos eficientes no controle de doenças. As propriedades de produção orgânica evitam o monocultivo, procurando sempre praticar a
  • 5. www.aptaregional.sp.gov.br ISSN 2316-5146 Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014 técnica de rotação de culturas com intuito de diversificação de espécies na área de exploração agrícola. Assim, plantas de cobertura como crotalárias, mucunas, milheto e aveia são espécies recomendadas em rotação com as hortaliças, assim como culturas econômicas como feijão e milho. A produção orgânica de hortaliças é sistema sustentável de modelo agrícola que atende plenamente as exigências da sociedade por produtos saudáveis e com menor impacto ao ambiente e a saúde do trabalhador rural. Em resumo os sistemas comerciais de produção de hortaliças são dinâmicos e evolutivos, pois a demanda crescente por alimentos suporta o investimento em novas tecnologias que atendam as exigências econômica, ambiental e social para produção hortícola sustentável. Imagem 1. Produção do tomateiro em cultivo protegido em vasos de 8 L com substrato agrícola. Foto: Branco, RBF
  • 6. www.aptaregional.sp.gov.br ISSN 2316-5146 Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014 Imagem 2. Produção de alface em campo aberto com canteiros cobertos com ‘mulching’ plástico em Mogi das Cruzes. Foto: Branco, RBF Referências Bibliográficas Alvarenga, M.A.R. 2004. Tomate – Produção em campo, em casa-de-vegetação e em hidroponia. P. 367. UFLA, Universidade Federal de Lavras. Filgueira, F.A.R. 2000. Novo manual de Olericultura. Agrotecnologia Moderna na Produção e Comercialização de Hortaliças. p. 1-402. Universidade Federal de Viçosa, Viçosa.