SlideShare uma empresa Scribd logo
Produção Industrial de
        Alimentos



Aspectos éticos e impactos na saúde da
população, do ambiente e dos animais
   Juliana Nólibos – Acadêmica de Nutrição PUCRS
                       2011
Bioética

 termo enfatiza os dois componentes mais importantes para se atingir
  uma nova sabedoria: conhecimento biológico e valores humanos.
 conjunto de conceitos, argumentos e normas que valorizam e justificam
  eticamente os atos humanos que podem ter efeitos irreversíveis sobre os
  fenômenos vitais.
 estudo sistemático das dimensões morais - incluindo visão moral,
  decisões, conduta e políticas - das ciências da vida e atenção à saúde,
  utilizando uma variedade de metodologias éticas em um cenário
  interdisciplinar.

1 Van Rensselaer Potter, Bioethics. Bridge to the future. 1971.
2 Kottow, M., H., 1995. Introducción a la Bioética. Chile: Editorial Universitaria, 1995: p. 53
3 Reich WT. Encyclopedia of Bioethics. 2nd ed. New York; MacMillan, 1995: XXI
Lei 9.605/98
Constituição Federal 1988
CAPÍTULO VI
DO MEIO AMBIENTE
Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de
uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder
Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e
futuras gerações.
§ 1º - Para assegurar a efetividade desse direito, incumbe ao Poder Público:
I - preservar e restaurar os processos ecológicos essenciais e prover o manejo
ecológico das espécies e ecossistemas;
IV - exigir, na forma da lei, para instalação de obra ou atividade potencialmente
causadora de significativa degradação do meio ambiente, estudo prévio de impacto
ambiental, a que se dará publicidade;
 V - controlar a produção, a comercialização e o emprego de técnicas, métodos e
substâncias que comportem risco para a vida, a qualidade de vida e o meio ambiente;
VII - proteger a fauna e a flora, vedadas, na forma da lei, as práticas que coloquem em
risco sua função ecológica, provoquem a extinção de espécies ou submetam os
animais a crueldade.
§ 4º - A Floresta Amazônica brasileira, a Mata Atlântica, a Serra do Mar, o Pantanal
Mato-Grossense e a Zona Costeira são patrimônio nacional, e sua utilização far-se-á,
na forma da lei, dentro de condições que assegurem a preservação do meio ambiente,
inclusive quanto ao uso dos recursos naturais.
Produção de Vegetais
Produção “Convencional”
           Brasil                98,2%
• Explosivos  Fertilizantes químicos (NPK)
• Fritz Haber, 1909
“Adubos artificiais conduzem inevitavelmente a
  uma nutrição artificial, a comida artificial, a
  animais artificiais e, em última instância, a
       homens e mulheres artificiais”
                 Albert Howard
Fertilizantes químicos:
          Impacto no ambiente
• Energia fóssil  1/5 produção e transporte de
  comida
• Evaporação  chuva ácida
• Óxido nítrico  efeito estufa
• Contaminação de lençóis freáticos, rios, mares
• Zonas hipóxicas = zonas mortas
              O número de zonas mortas dobra
                 a cada década desde 1960
                          ONU, 2003
Fertilizantes químicos:
            Impacto no solo
              Farming Systems Trial
Em comparação ao sistema orgânico, o sistema
industrial apresentou maior:

• Erosão
• Perda de carbono
• Escoamento de água
Farming Systems Trial
Agrotóxicos
•   Gases de guerra  Pesticidas
•   Brasil é o maior consumidor  20%
•   Área cultivável: 50 milhões de hectares - 4%
•   Mais de 400 tipos diferentes de biocidas
•   Não se sabem os efeitos a longo prazo
Lei 7.802/ 89
Dispõe sobre a pesquisa, a experimentação, a produção, a embalagem e
rotulagem, o transporte, o armazenamento, a comercialização, a
propaganda comercial, a utilização, a importação, a exportação, o destino
final dos resíduos e embalagens, o registro, a classificação, o controle, a
inspeção e a fiscalização de agrotóxicos, seus componentes e afins, e dá
outras providências.


  § 4º Quando organizações internacionais responsáveis pela saúde,
  alimentação ou meio ambiente, das quais o Brasil seja membro
  integrante ou signatário de acordos e convênios, alertarem para riscos
  ou desaconselharem o uso de agrotóxicos, seus componentes e afins,
  caberá à autoridade competente tomar imediatas providências, sob
  pena de responsabilidade.
Lei 7.802/89
§ 6º Fica proibido o registro de agrotóxicos, seus componentes e afins:
           a) para os quais o Brasil não disponha de métodos para
desativação de seus componentes, de modo a impedir que os seus
resíduos remanescentes provoquem riscos ao meio ambiente e à
saúde pública;
     b) para os quais não haja antídoto ou tratamento eficaz no Brasil;
        c) que revelem características teratogênicas, carcinogênicas ou
mutagênicas, de acordo com os resultados atualizados de experiências
da comunidade científica;
         d) que provoquem distúrbios hormonais, danos ao aparelho
reprodutor, de acordo com procedimentos e experiências atualizadas
na comunidade científica;
     f) cujas características causem danos ao meio ambiente.
Agrotóxicos: efeitos na saúde humana
       No Brasil, agrotóxicos são a 2a maior causa de
                         intoxicação

• Organofosforados: hiperatividade, transtornos de
  comportamento, dificuldades de aprendizado, retardo
  de crescimento e disfunções motoras
• 95% dos americanos testados apresentaram pesticidas
  organofosforados em seu sangue
• Metamidofós: dano no SNC, perda de movimentos,
  lapsos de memória em crianças, diminuição da
  imunidade, desregulação hormonal,
  comprometimento do sistema reprodutor e
  complicações no desenvolvimento embriofetal.
Agrotóxicos: efeitos na saúde humana
            São até 10 X mais tóxicos para
             crianças do que para adultos

• Exames de sangue em crianças de 2 a 4 anos  resíduos
  de pesticidas 6 vezes mais altas nas que consumiam
  alimentos cultivados “convencionalmente”
• Mistura de diferentes tipos de pesticidas  formação de
  novos compostos altamente tóxicos.
• 8 marcas de papinhas para bebês continham 16 tipos
  diferentes de pesticidas, incluindo 3 considerados
  carcinogênicos
• Estudo revelou que 62% dos alimentos testados continham
  pelo menos 3 tipos diferentes de pesticidas
Agrotóxicos: efeitos na saúde humana
            Para o trabalhador
 Pele: dermatites, eczemas
 Sistema cardiovascular: miocardite tóxica crônica,
 insuficiência coronária crônica, hipertensão,
 hipotensão
 Sist. hematopoiético: leucopenia, eosinopenia,
 alterações na hemoglobina
 Trato gastrointestinal: gastrite crônica, duodenite,
 úlcera, hipersecreção e hiperacidez gástrica, prejuízo
 da motricidade
Agrotóxicos: efeitos na saúde humana
            Para o trabalhador
 Rins: albuminúria, alteração da depuração de uréia,
 nitrogênio e creatinina
 Sist. nervoso: esclerose central, encefalopatia,
 esclerose central, angiopatia da retina, polineurite
 Olhos: conjuntivite
 Sist. Respiratório: traqueíte crônica, pneumofibrose,
 enfisema pulmonar, asma brônquica
 Fígado: hepatite crônica, colecistite, insuficiência
 hepática
Agrotóxicos: impactos no ambiente
•   Extinção de várias espécies de aves
•   Morte massiva de abelhas
•   Morte massiva de gado por intoxicação
•   Efeito na população de peixes e seus alimentos
•   Atrazina: hermafroditismo em rãs
•   Desequilíbrio da biodiversidade  novas pragas
•   Ciclo vicioso
Monoculturas
• Cana-de-açúcar e café: Mata Atlântica 
  atualmente menos de 7%
• Soja: cerrados do centro-oeste, Tocantins, Mato
  Grosso, Rondônia, Pará.
• Exportação para Europa e EUA para
  alimentação de gado
• 50% dos cereais produzidos no mundo
  alimentam animais de países do hem. Norte

 11 a 17 kcal ptn de grãos = 1 kcal ptn de carne bovina
Geneticamente Modificados
• Brasil  2º maior produtor de alimentos
  transgênicos
• RS  praticamente 100% soja transgênica
• Mais de 75% dos alimentos processados
  possuem ingredientes GMs
• 25,4 milhões de hectares  soja, milho, algodão
• Soja: 75% da área
• Milho: 55% da área
Geneticamente Modificados
• Problemas:
• Não existe conhecimento sobre seus efeitos a
  longo prazo
• Patenteamento da vida
• Difícil controle do código genético  vento,
  polinização
Produção de Animais
“Para a criação de animais para o consumo, quanto menos o
consumidor souber sobre o que ocorre antes da carne chegar
   ao prato, melhor...Uma das melhores coisas da produção
 moderna de animais é que a maioria das pessoas nos países
desenvolvidos adotaram uma vida urbana, longe do campo, há
  várias gerações e não fazem ideia de como os animais são
                    criados e processados.”
           Peter Cheeke, professor de ciência animal
Produção industrial de animais
• 30 bilhões de aves, peixes e mamíferos
• Estados Unidos, União Européia, China e Brasil
  consomem:
         – 60% da carne bovina
         – mais de 70% da carne de frango
         – mais de 80% da carne de porco

       “Se o governo brasileiro retirasse incentivos e
    subsídios, cobrasse impostos integrais e obrigasse a
    internalizar os custos energéticos, o uso de recursos
    naturais e os danos ambientais, cada quilo de alcatra
               custaria uma pequena fortuna.”
A alimentação do gado:
• Transição: Pasto  Rações à base de milho e soja
• Gases, inchaço, sufocamento
• Acidificação do rúmen  azia bovina, pode
  causar diarréia, úlcera, inflamação no rúmen,
  problemas no fígado e supressão do sist.
  Imunológico
• Uso de antibióticos: a maior parte dos
  antibióticos vendidos no EUA são destinados à
  alimentação dos animais
Alimentação do gado:
• Encefalopatia espongiforme bovina = doença
  da vaca louca  FDA 1997 permite uso de
  sangue e gordura bovinos
• Carne e ossos bovinos  galinhas, porcos e
  peixes  gado

       Petróleo necessário até o abate:
          equivalente a 132 litros!!
Impacto na saúde humana
• Gastos em saúde pública
• Desenvolvimento de novas variedades de
  bactérias: Escherichia coli O157:H7 (1980)
             • Diarréia hemorrágica, falência renal
             • Morte: crianças e idosos
•   Resistência à antibióticos
•   Alteração na qualidade nutricional da carne:
    gordura saturada e ômega-3
Confinamento
• Comportamento estereotipado, estresse,
  solidão, infecções, canibalismo




     “Se dessem a ele um monte de capim e de
        espaço, eu perderia meu emprego”
                Dr. Mel Metzin, veterinário
Confinamento
• Sintomas de stress: canibalismo
• Suínos  corte do rabo, orelhas e castração
• Aves  debicagem

                     • Aves: ambiente rico em
                       amônia provoca doenças
                       respiratórias crônicas,
                       cegueira, dermatites e
                       pústulas
Resultados do confinamento
Indústria do Leite
• Atualmente produzem 355% mais leite do que
  há 50 anos atrás
• Uso de hormônios: somatotrofina bovina (BST)
• BST aumenta os problemas de mastite
• Vacas leiteiras são inseminadas artificialmente
  incessantemente
• Suas vidas são reduzidas em 1/5
Vitela “baby beef”

• Os bezerros são recolhidos
  algumas horas após o
  nascimento, máx. 7 dias
• Dieta líquida hipolipídica,
  pobre em ferro, antibióticos
  e hormônios
• Amarrados em baias
  minúsculas para restringir o
  movimento
Impacto no ambiente
• Aquecimento global  CO2, metano e óxido
  nitroso
• Contaminação de água e solo
• Alto consumo de água, energia elétrica e fóssil
• Destruição de florestas, desertificação, erosão
  do solo
• Chuva ácida
Pecuária no Brasil
• Pastagens representam o dobro da área
  agrícola do país
• Desmatamento de 3 milhões de hectares de
  floresta anualmente = 2/3 das emissões de
  carbono do país
• 75 milhões de hectares da Amazônia
  transformados em pasto
• Amazônia  60 milhões de cabeças = 1/3 do
  rebanho brasileiro
Pecuária no Brasil
• Para cada kg de carne produzido no Cerrado,
  perdem-se de 6 a 10 kg de solo por erosão
• O Cerrado contém 1/3 da biodiversidade
  brasileira e restam apenas 20%
• Mata Atlântica  menos de 7%
• Em áreas cuja cobertura vegetal tenha sido
  removida e ocorra pastoreio excessivo 
  aumento de 4º C
Aquecimento Global
• Maior contribuinte dos gases de efeito estufa
• 18% das emissões de CO2
• 25% das emissões de metano


    Efeito do Metano é 20 X mais potente

• 64% da amônia lançada na atmosfera  chuvas
  ácidas
Impacto no ambiente: Dejetos
Todos os animais de pecuária dos EUA produzem

   130 X mais excrementos que
 TODA A POPULAÇÃO DO MUNDO
   39.000 toneladas por segundo!
Impacto no ambiente: Dejetos
• Efluentes: fezes, sangue, gorduras, vísceras,
  vômitos, hormônios, antibióticos
• Lançados sem tratamento na terra e água 
  hipóxia
• Hipercontaminação de lençóis freáticos, rios e
  mares por coliformes fecais, hormônios,
  antibióticos, vetores de doenças (salmonela e
  hepatite)
Impacto no ambiente: Dejetos
     5 mil bovinos = 50 mil habitantes
        Em Santa Catarina a suinocultura é
         responsável por mais de 65% das
              emissões de poluentes

O poder poluente dos dejetos suínos é cerca de 50 X
           maior que o esgoto humano

    Em algumas regiões do RS, a contaminação
     de fontes naturais de água por coliformes
                  fecais é de 85%
Mas Esterco não é Adubo??
• Falta de interesse em função dos custos:
  armazenamento, transporte, tratamento e
  distribuição
• Contaminação das fezes com hormônios,
  antibióticos e pesticidas
Impacto no ambiente: Água
• Brasil  maior volume de água doce do mundo


     12%                      70%
• Cerca de 70% é utilizada na agricultura
• No Brasil, 45% da água é gasta na pecuária
• Nos EUA, a criação de gado consume metade
  da água utilizada no país
Impacto no ambiente: Água
• Água limpa usada diariamente para cada animal:

                Galinha..................0,1 litro
                Porco.....................15 litros
                Boi.........................35 litros
                Vaca leiteira...........40 litros



       1kg de soja                               ~ 500 litros
       1kg de carne bovina                       15mil litros

• Importar ração e carne = economizar água do próprio país
Desperdício de energia
• Produção de carne consome 10 a 20 X mais
  energia do que a produção de vegetais
• Criação em confinamento  controle de
  temperatura e iluminação artificial

       Nos EUA, metade de toda a
      energia usada na agricultura é
        gasta na criação de gado
Segurança Alimentar
 A Segurança Alimentar e Nutricional significa garantir, a todos,
   condições de acesso a alimentos básicos de qualidade, em
quantidade suficiente, de modo permanente e sem comprometer
o acesso a outras necessidades essenciais, com base em práticas
alimentares saudáveis, contribuindo, assim, para uma existência
 digna, em um contexto de desenvolvimento integral da pessoa
                           humana.
Segurança Alimentar
• O planeta é capaz de alimentar 2 bilhões de
  pessoas com uma dieta à base de carne e
  laticínios

                       População atual:
                          7 bilhões


                  COMO ALIMENTAR TODOS?
1 boi – 1 a 4 hectares de terra
           produz 210kg de carne
                 em 4 a 5 anos
8 toneladas de feijão             44 toneladas de batata
23 toneladas de trigo             22 toneladas de maçã
35 toneladas de cenoura           34 toneladas de milho
19 toneladas de arroz             56 toneladas de tomate
32 toneladas de soja
   Ainda é possível obter duas ou até três safras por ano desses
                      vegetais combinados!
• Das 465 milhões de toneladas de grãos
  utilizados para alimentar animais:
  – 0,3% salvariam da desnutrição os 6 milhões de
    crianças menores de 5 anos que morrem
    anualmente
  – 2,5% erradicariam a fome no Brasil
  – 50% acabariam com a fome no mundo
Impactos sociais
• Agroindústria de exportação X fome e
  desnutrição nacional
• 1 funcionário para 700 cabeças de gado X 100
  empregados numa cooperativa de agricultura
  familiar
• Concentração de terra e renda
• Atividade pecuária emprega pelo menos 62%
  da mão-de-obra escrava no país
Pescados
• Principais mercados consumidos: Japão e
  Estados Unidos
• 29% das espécies de peixes e frutos do mar
  entraram em colapso até 2006
• Overfishing  colapso total em menos de 40
  anos
• Métodos modernos de pesca: sonares,
  comunicação via satélite, redes de arrastão
• A biomassa de peixes predatórios declinou
  90% nos últimos 20 anos
Aqüicultura
• 6.600 fazendas aquáticas em 2002 nos EUA
• Antibióticos, desinfetantes, pesticidas
• Fugas: competição por recursos, disseminação
  de doenças, acasalamento com espécies
  nativas, alterando o código genético e
  reduzindo biodiversidade
• Cultivados: mais que o dobro de gordura
  saturada
Aqüicultura
• Alimentação à base de ração: óleo de peixe,
  proteína de soja, trigo, vits e mins, restos de
  ossos, carne e sangue de gado, porcos e penas
  de aves
• Salmão: corantes artificiais  astaxantina e
  cantaxantina
• Cantaxantina acumula-se na retina e ainda
  não se sabem as consequências
Peixes: Contaminação
• Metilmercúrio  atravessa a barreira
  placentária e penetra no sistema nervoso e
  cérebro do feto




              Minamata, Japão (1930-1968)
Peixes: Contaminação
• Metilmercúrio: acumula-se no tecido muscular dos
  peixes
• Evitar principalmente durante a gravidez
• Peixes predadores: cação, peixe-espada, albacora
  branca (atum), tilápia, cavala
• Não consumir mais que 1X por semana

• PCBs  bisfenol policlorinado
• Pesticidas (DDT) e emissões industriais
• Causam problemas de pele, reprodução,
  desenvolvimento e comportamento
• Peixes cultivados possuem maiores níveis
• Acumula-se no tecido gorduroso dos peixes
O que fazer agora???????
Referências Bibliográficas
• NESTLE, Marion. What to Eat. New York: North Point Press,
  2007.
• POLLAN, Michael. O dilema do Onívoro. Rio de Janeiro:
  Intrínseca, 2007.
• ______________. The Omniver’s Dilemma: the secrets behind
  what you eat. New York: Penguin Group, 2009.
• ______________. Em defesa da Comida. Rio de Janeiro:
  Intrínseca, 2008.
• SINGER, Peter e MASON, Jim. A ética da alimentação. RJ:
  Elsevier, 2007.
• WEBER, Karl (editor). Food, Inc.: how industrial food is making
  us sicker, fatter and poorer - and what you can do about it.
  New York: PublicAffairs, 2009.
Referências
•   http://www.rodaleinstitute.org/fst30years
•   http://www.svb.org.br/vegetarianismo/index.php?option=com_content&view=article&id=274:impactos-
    ambientais-da-produ-de-carne&catid=117:svb-notas&Itemid=212
•   http://ciencia.hsw.uol.com.br/framed.htm?parent=zona-
    morta.htm&url=http://ciencia.hsw.uol.com.br/framed.htm?parent=dead-
    zone.htm&url=http://news.bbc.co.uk/2/hi/science/nature/6904249.stm
•   http://www.anvisa.gov.br/divulga/noticias/2009/150409_1.htm
•   http://www.blogdojoe.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1660%3A5-litros-de-
    veneno-para-cada-brasileiro-&catid=39%3Anoticias#.TszTl1XArBs.facebook
•   http://www.ecoagencia.com.br/index.php?open=noticias&id=VZlSXRFWWNlUspFWTxGaaN2aKVVVB1TP


                                            Filmes:
•   Food, Inc. (2009)
    EUA. Direção: Robert Kenner.
•   Terráqueos (Earthlings) (2005)
    EUA. Direção: Shaun Monson
•   Uma verdade mais que inconveniente (Meat the Truth) (2008)
    Holanda. Direção: Karen Soeters, Gertjan Zwanikken
•   Soja, em nome do progresso (2005)
    EUA. Direção: Todd Southgate
•   A carne é fraca (2005)
    Brasil. Direção: Denise Gonçalves
MUITO OBRIGADA
 PELA ATENÇÃO!




 juliananolibos@gmail.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Biodiversidade: preservação das espécies para o equilíbrio do planeta
Biodiversidade: preservação das espécies para o equilíbrio do planeta Biodiversidade: preservação das espécies para o equilíbrio do planeta
Biodiversidade: preservação das espécies para o equilíbrio do planeta
Ibá – Indústria Brasileira de Árvores
 
Transgênicos
TransgênicosTransgênicos
Transgênicos
Maria Adelaide
 
Fontes Alternativas de Energia
Fontes Alternativas de EnergiaFontes Alternativas de Energia
Fontes Alternativas de Energia
Sinara Lustosa
 
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvel
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvelMeio ambiente e desenvolvimento sustentvel
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvel
janeibe
 
Apresentação Queimadas
Apresentação QueimadasApresentação Queimadas
Apresentação Queimadas
Rádio-uca Fhm
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
Edvaldo S. Júnior
 
Evolução da agricultura aula 3
Evolução da agricultura aula 3Evolução da agricultura aula 3
Evolução da agricultura aula 3
UERGS
 
AGROECOLOGIA
AGROECOLOGIAAGROECOLOGIA
AGROECOLOGIA
Karlla Costa
 
Biotecnologia
Biotecnologia Biotecnologia
Impactos do homem sobre o meio ambiente
Impactos do homem sobre o meio ambienteImpactos do homem sobre o meio ambiente
Impactos do homem sobre o meio ambiente
laiszanatta
 
Palestra Meio Ambiente
Palestra Meio AmbientePalestra Meio Ambiente
Palestra Meio Ambiente
adelsonb
 
1 agroecossistemas e propriedades estruturais de comunidades
1 agroecossistemas e propriedades estruturais de comunidades1 agroecossistemas e propriedades estruturais de comunidades
1 agroecossistemas e propriedades estruturais de comunidades
igor-oliveira
 
Lixão X Aterro Sanitário X Aterro Controlado
Lixão X Aterro Sanitário X Aterro Controlado   Lixão X Aterro Sanitário X Aterro Controlado
Lixão X Aterro Sanitário X Aterro Controlado
saramandaia
 
Biopirataria
BiopiratariaBiopirataria
Biopirataria
Eduarda P.
 
Agricultura familiar iica
Agricultura familiar   iicaAgricultura familiar   iica
Agricultura familiar iica
Universidade Estadual de Santa Cruz
 
Ecossistemas aquáticos
Ecossistemas aquáticosEcossistemas aquáticos
Ecossistemas aquáticos
Alessandra Vieira da Silva
 
Aula Biodiversidade
Aula BiodiversidadeAula Biodiversidade
Aula Biodiversidade
Plínio Gonçalves
 
Ameaças à Biodiversidade
Ameaças à BiodiversidadeAmeaças à Biodiversidade
Ameaças à Biodiversidade
Ednaldo Monteiro
 
6º ano cap 7 o homem e o meio ambiente
6º ano cap 7  o homem e o meio ambiente6º ano cap 7  o homem e o meio ambiente
6º ano cap 7 o homem e o meio ambiente
ISJ
 
Hortas
HortasHortas

Mais procurados (20)

Biodiversidade: preservação das espécies para o equilíbrio do planeta
Biodiversidade: preservação das espécies para o equilíbrio do planeta Biodiversidade: preservação das espécies para o equilíbrio do planeta
Biodiversidade: preservação das espécies para o equilíbrio do planeta
 
Transgênicos
TransgênicosTransgênicos
Transgênicos
 
Fontes Alternativas de Energia
Fontes Alternativas de EnergiaFontes Alternativas de Energia
Fontes Alternativas de Energia
 
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvel
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvelMeio ambiente e desenvolvimento sustentvel
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvel
 
Apresentação Queimadas
Apresentação QueimadasApresentação Queimadas
Apresentação Queimadas
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
 
Evolução da agricultura aula 3
Evolução da agricultura aula 3Evolução da agricultura aula 3
Evolução da agricultura aula 3
 
AGROECOLOGIA
AGROECOLOGIAAGROECOLOGIA
AGROECOLOGIA
 
Biotecnologia
Biotecnologia Biotecnologia
Biotecnologia
 
Impactos do homem sobre o meio ambiente
Impactos do homem sobre o meio ambienteImpactos do homem sobre o meio ambiente
Impactos do homem sobre o meio ambiente
 
Palestra Meio Ambiente
Palestra Meio AmbientePalestra Meio Ambiente
Palestra Meio Ambiente
 
1 agroecossistemas e propriedades estruturais de comunidades
1 agroecossistemas e propriedades estruturais de comunidades1 agroecossistemas e propriedades estruturais de comunidades
1 agroecossistemas e propriedades estruturais de comunidades
 
Lixão X Aterro Sanitário X Aterro Controlado
Lixão X Aterro Sanitário X Aterro Controlado   Lixão X Aterro Sanitário X Aterro Controlado
Lixão X Aterro Sanitário X Aterro Controlado
 
Biopirataria
BiopiratariaBiopirataria
Biopirataria
 
Agricultura familiar iica
Agricultura familiar   iicaAgricultura familiar   iica
Agricultura familiar iica
 
Ecossistemas aquáticos
Ecossistemas aquáticosEcossistemas aquáticos
Ecossistemas aquáticos
 
Aula Biodiversidade
Aula BiodiversidadeAula Biodiversidade
Aula Biodiversidade
 
Ameaças à Biodiversidade
Ameaças à BiodiversidadeAmeaças à Biodiversidade
Ameaças à Biodiversidade
 
6º ano cap 7 o homem e o meio ambiente
6º ano cap 7  o homem e o meio ambiente6º ano cap 7  o homem e o meio ambiente
6º ano cap 7 o homem e o meio ambiente
 
Hortas
HortasHortas
Hortas
 

Destaque

Produção, distribuição e consumo alimentar
Produção, distribuição e consumo alimentarProdução, distribuição e consumo alimentar
Produção, distribuição e consumo alimentar
Helder Ferreira
 
MAPA - Comércio Exterior - dez/12
MAPA - Comércio Exterior - dez/12MAPA - Comércio Exterior - dez/12
MAPA - Comércio Exterior - dez/12
AgroTalento
 
A Evolução Do Setor Agrícola
A Evolução Do Setor AgrícolaA Evolução Do Setor Agrícola
A Evolução Do Setor Agrícola
Josevani Tocchetto
 
Agricultura e industrialização (1)
Agricultura e industrialização (1)Agricultura e industrialização (1)
Agricultura e industrialização (1)
Lucas Nascimento
 
INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO
INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃOINDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO
INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO
UEMA
 
INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO BRASILEIRA
INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO BRASILEIRAINDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO BRASILEIRA
INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO BRASILEIRA
Bruno Lima
 
Agricultura no brasil
Agricultura no brasilAgricultura no brasil
Agricultura no brasil
João José Ferreira Tojal
 

Destaque (7)

Produção, distribuição e consumo alimentar
Produção, distribuição e consumo alimentarProdução, distribuição e consumo alimentar
Produção, distribuição e consumo alimentar
 
MAPA - Comércio Exterior - dez/12
MAPA - Comércio Exterior - dez/12MAPA - Comércio Exterior - dez/12
MAPA - Comércio Exterior - dez/12
 
A Evolução Do Setor Agrícola
A Evolução Do Setor AgrícolaA Evolução Do Setor Agrícola
A Evolução Do Setor Agrícola
 
Agricultura e industrialização (1)
Agricultura e industrialização (1)Agricultura e industrialização (1)
Agricultura e industrialização (1)
 
INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO
INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃOINDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO
INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO
 
INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO BRASILEIRA
INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO BRASILEIRAINDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO BRASILEIRA
INDUSTRIALIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO BRASILEIRA
 
Agricultura no brasil
Agricultura no brasilAgricultura no brasil
Agricultura no brasil
 

Semelhante a Produção industrial de alimentos e seus impactos

Ética da Alimentação - O mundo é o que você come
Ética da Alimentação - O mundo é o que você comeÉtica da Alimentação - O mundo é o que você come
Ética da Alimentação - O mundo é o que você come
Juliana Nólibos
 
Bem estar
Bem estarBem estar
Bem estar
Alice Andrioli
 
Aula 1 - Biodiversidade e os Recursos Genéticos [Salvo automaticamente].pptx
Aula 1 - Biodiversidade e os Recursos Genéticos [Salvo automaticamente].pptxAula 1 - Biodiversidade e os Recursos Genéticos [Salvo automaticamente].pptx
Aula 1 - Biodiversidade e os Recursos Genéticos [Salvo automaticamente].pptx
UERGS
 
Biodiversidade & Consumo
Biodiversidade & ConsumoBiodiversidade & Consumo
Biodiversidade & Consumo
Paula Lopes da Silva
 
Transgênicos
TransgênicosTransgênicos
Transgênicos
Éllon Oliveira
 
Projectoace
ProjectoaceProjectoace
Projectoace
guest828e36
 
projectoace
projectoaceprojectoace
projectoace
guest828e36
 
Alimentos Orgânicos porque consumir?
Alimentos Orgânicos porque consumir?Alimentos Orgânicos porque consumir?
Alimentos Orgânicos porque consumir?
VALDECIR QUEIROZ
 
1 6.2 3
1 6.2 31 6.2 3
Biotecnologia
BiotecnologiaBiotecnologia
Biotecnologia
URCA
 
Agrotoxico e meio ambiente -3ºA
Agrotoxico  e meio ambiente -3ºAAgrotoxico  e meio ambiente -3ºA
Agrotoxico e meio ambiente -3ºA
Maria Teresa Iannaco Grego
 
PapoVet - Riscos Alimentares na Produção, Distribuição e Comercialização
PapoVet - Riscos Alimentares na Produção, Distribuição e ComercializaçãoPapoVet - Riscos Alimentares na Produção, Distribuição e Comercialização
PapoVet - Riscos Alimentares na Produção, Distribuição e Comercialização
Instituto Qualittas de Pós Graduação
 
Cultivo 1
Cultivo 1Cultivo 1
Cultivo 1
rigottims
 
Cartilha opção vegetariana no r.u.
Cartilha opção vegetariana no r.u.Cartilha opção vegetariana no r.u.
Cartilha opção vegetariana no r.u.
coletivocaapora
 
Exploração das potencialidades da biosfera
Exploração das potencialidades da biosferaExploração das potencialidades da biosfera
Exploração das potencialidades da biosfera
Filipe Leal
 
Ah vegetariana 2014
Ah vegetariana 2014Ah vegetariana 2014
Ah vegetariana 2014
Helena Martins
 
Unidade I - Tecnologia de Alimentos.pdf
Unidade I  - Tecnologia de Alimentos.pdfUnidade I  - Tecnologia de Alimentos.pdf
Unidade I - Tecnologia de Alimentos.pdf
Kellenscopel1
 
ICSA06 - Biotecnologia e saúde animal
ICSA06 - Biotecnologia e saúde animalICSA06 - Biotecnologia e saúde animal
ICSA06 - Biotecnologia e saúde animal
Ricardo Portela
 
Os Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
Os Desafios Socioambientais para o Agro SustentávelOs Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
Os Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
AgriculturaSustentavel
 
Agrigeral
AgrigeralAgrigeral

Semelhante a Produção industrial de alimentos e seus impactos (20)

Ética da Alimentação - O mundo é o que você come
Ética da Alimentação - O mundo é o que você comeÉtica da Alimentação - O mundo é o que você come
Ética da Alimentação - O mundo é o que você come
 
Bem estar
Bem estarBem estar
Bem estar
 
Aula 1 - Biodiversidade e os Recursos Genéticos [Salvo automaticamente].pptx
Aula 1 - Biodiversidade e os Recursos Genéticos [Salvo automaticamente].pptxAula 1 - Biodiversidade e os Recursos Genéticos [Salvo automaticamente].pptx
Aula 1 - Biodiversidade e os Recursos Genéticos [Salvo automaticamente].pptx
 
Biodiversidade & Consumo
Biodiversidade & ConsumoBiodiversidade & Consumo
Biodiversidade & Consumo
 
Transgênicos
TransgênicosTransgênicos
Transgênicos
 
Projectoace
ProjectoaceProjectoace
Projectoace
 
projectoace
projectoaceprojectoace
projectoace
 
Alimentos Orgânicos porque consumir?
Alimentos Orgânicos porque consumir?Alimentos Orgânicos porque consumir?
Alimentos Orgânicos porque consumir?
 
1 6.2 3
1 6.2 31 6.2 3
1 6.2 3
 
Biotecnologia
BiotecnologiaBiotecnologia
Biotecnologia
 
Agrotoxico e meio ambiente -3ºA
Agrotoxico  e meio ambiente -3ºAAgrotoxico  e meio ambiente -3ºA
Agrotoxico e meio ambiente -3ºA
 
PapoVet - Riscos Alimentares na Produção, Distribuição e Comercialização
PapoVet - Riscos Alimentares na Produção, Distribuição e ComercializaçãoPapoVet - Riscos Alimentares na Produção, Distribuição e Comercialização
PapoVet - Riscos Alimentares na Produção, Distribuição e Comercialização
 
Cultivo 1
Cultivo 1Cultivo 1
Cultivo 1
 
Cartilha opção vegetariana no r.u.
Cartilha opção vegetariana no r.u.Cartilha opção vegetariana no r.u.
Cartilha opção vegetariana no r.u.
 
Exploração das potencialidades da biosfera
Exploração das potencialidades da biosferaExploração das potencialidades da biosfera
Exploração das potencialidades da biosfera
 
Ah vegetariana 2014
Ah vegetariana 2014Ah vegetariana 2014
Ah vegetariana 2014
 
Unidade I - Tecnologia de Alimentos.pdf
Unidade I  - Tecnologia de Alimentos.pdfUnidade I  - Tecnologia de Alimentos.pdf
Unidade I - Tecnologia de Alimentos.pdf
 
ICSA06 - Biotecnologia e saúde animal
ICSA06 - Biotecnologia e saúde animalICSA06 - Biotecnologia e saúde animal
ICSA06 - Biotecnologia e saúde animal
 
Os Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
Os Desafios Socioambientais para o Agro SustentávelOs Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
Os Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
 
Agrigeral
AgrigeralAgrigeral
Agrigeral
 

Produção industrial de alimentos e seus impactos

  • 1. Produção Industrial de Alimentos Aspectos éticos e impactos na saúde da população, do ambiente e dos animais Juliana Nólibos – Acadêmica de Nutrição PUCRS 2011
  • 2. Bioética  termo enfatiza os dois componentes mais importantes para se atingir uma nova sabedoria: conhecimento biológico e valores humanos.  conjunto de conceitos, argumentos e normas que valorizam e justificam eticamente os atos humanos que podem ter efeitos irreversíveis sobre os fenômenos vitais.  estudo sistemático das dimensões morais - incluindo visão moral, decisões, conduta e políticas - das ciências da vida e atenção à saúde, utilizando uma variedade de metodologias éticas em um cenário interdisciplinar. 1 Van Rensselaer Potter, Bioethics. Bridge to the future. 1971. 2 Kottow, M., H., 1995. Introducción a la Bioética. Chile: Editorial Universitaria, 1995: p. 53 3 Reich WT. Encyclopedia of Bioethics. 2nd ed. New York; MacMillan, 1995: XXI
  • 4. Constituição Federal 1988 CAPÍTULO VI DO MEIO AMBIENTE Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações. § 1º - Para assegurar a efetividade desse direito, incumbe ao Poder Público: I - preservar e restaurar os processos ecológicos essenciais e prover o manejo ecológico das espécies e ecossistemas; IV - exigir, na forma da lei, para instalação de obra ou atividade potencialmente causadora de significativa degradação do meio ambiente, estudo prévio de impacto ambiental, a que se dará publicidade; V - controlar a produção, a comercialização e o emprego de técnicas, métodos e substâncias que comportem risco para a vida, a qualidade de vida e o meio ambiente; VII - proteger a fauna e a flora, vedadas, na forma da lei, as práticas que coloquem em risco sua função ecológica, provoquem a extinção de espécies ou submetam os animais a crueldade. § 4º - A Floresta Amazônica brasileira, a Mata Atlântica, a Serra do Mar, o Pantanal Mato-Grossense e a Zona Costeira são patrimônio nacional, e sua utilização far-se-á, na forma da lei, dentro de condições que assegurem a preservação do meio ambiente, inclusive quanto ao uso dos recursos naturais.
  • 6. Produção “Convencional” Brasil 98,2% • Explosivos  Fertilizantes químicos (NPK) • Fritz Haber, 1909 “Adubos artificiais conduzem inevitavelmente a uma nutrição artificial, a comida artificial, a animais artificiais e, em última instância, a homens e mulheres artificiais” Albert Howard
  • 7. Fertilizantes químicos: Impacto no ambiente • Energia fóssil  1/5 produção e transporte de comida • Evaporação  chuva ácida • Óxido nítrico  efeito estufa • Contaminação de lençóis freáticos, rios, mares • Zonas hipóxicas = zonas mortas O número de zonas mortas dobra a cada década desde 1960 ONU, 2003
  • 8. Fertilizantes químicos: Impacto no solo Farming Systems Trial Em comparação ao sistema orgânico, o sistema industrial apresentou maior: • Erosão • Perda de carbono • Escoamento de água
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13.
  • 14. Agrotóxicos • Gases de guerra  Pesticidas • Brasil é o maior consumidor  20% • Área cultivável: 50 milhões de hectares - 4% • Mais de 400 tipos diferentes de biocidas • Não se sabem os efeitos a longo prazo
  • 15. Lei 7.802/ 89 Dispõe sobre a pesquisa, a experimentação, a produção, a embalagem e rotulagem, o transporte, o armazenamento, a comercialização, a propaganda comercial, a utilização, a importação, a exportação, o destino final dos resíduos e embalagens, o registro, a classificação, o controle, a inspeção e a fiscalização de agrotóxicos, seus componentes e afins, e dá outras providências. § 4º Quando organizações internacionais responsáveis pela saúde, alimentação ou meio ambiente, das quais o Brasil seja membro integrante ou signatário de acordos e convênios, alertarem para riscos ou desaconselharem o uso de agrotóxicos, seus componentes e afins, caberá à autoridade competente tomar imediatas providências, sob pena de responsabilidade.
  • 16. Lei 7.802/89 § 6º Fica proibido o registro de agrotóxicos, seus componentes e afins: a) para os quais o Brasil não disponha de métodos para desativação de seus componentes, de modo a impedir que os seus resíduos remanescentes provoquem riscos ao meio ambiente e à saúde pública; b) para os quais não haja antídoto ou tratamento eficaz no Brasil; c) que revelem características teratogênicas, carcinogênicas ou mutagênicas, de acordo com os resultados atualizados de experiências da comunidade científica; d) que provoquem distúrbios hormonais, danos ao aparelho reprodutor, de acordo com procedimentos e experiências atualizadas na comunidade científica; f) cujas características causem danos ao meio ambiente.
  • 17.
  • 18.
  • 19. Agrotóxicos: efeitos na saúde humana No Brasil, agrotóxicos são a 2a maior causa de intoxicação • Organofosforados: hiperatividade, transtornos de comportamento, dificuldades de aprendizado, retardo de crescimento e disfunções motoras • 95% dos americanos testados apresentaram pesticidas organofosforados em seu sangue • Metamidofós: dano no SNC, perda de movimentos, lapsos de memória em crianças, diminuição da imunidade, desregulação hormonal, comprometimento do sistema reprodutor e complicações no desenvolvimento embriofetal.
  • 20.
  • 21. Agrotóxicos: efeitos na saúde humana São até 10 X mais tóxicos para crianças do que para adultos • Exames de sangue em crianças de 2 a 4 anos  resíduos de pesticidas 6 vezes mais altas nas que consumiam alimentos cultivados “convencionalmente” • Mistura de diferentes tipos de pesticidas  formação de novos compostos altamente tóxicos. • 8 marcas de papinhas para bebês continham 16 tipos diferentes de pesticidas, incluindo 3 considerados carcinogênicos • Estudo revelou que 62% dos alimentos testados continham pelo menos 3 tipos diferentes de pesticidas
  • 22. Agrotóxicos: efeitos na saúde humana Para o trabalhador Pele: dermatites, eczemas Sistema cardiovascular: miocardite tóxica crônica, insuficiência coronária crônica, hipertensão, hipotensão Sist. hematopoiético: leucopenia, eosinopenia, alterações na hemoglobina Trato gastrointestinal: gastrite crônica, duodenite, úlcera, hipersecreção e hiperacidez gástrica, prejuízo da motricidade
  • 23. Agrotóxicos: efeitos na saúde humana Para o trabalhador Rins: albuminúria, alteração da depuração de uréia, nitrogênio e creatinina Sist. nervoso: esclerose central, encefalopatia, esclerose central, angiopatia da retina, polineurite Olhos: conjuntivite Sist. Respiratório: traqueíte crônica, pneumofibrose, enfisema pulmonar, asma brônquica Fígado: hepatite crônica, colecistite, insuficiência hepática
  • 24. Agrotóxicos: impactos no ambiente • Extinção de várias espécies de aves • Morte massiva de abelhas • Morte massiva de gado por intoxicação • Efeito na população de peixes e seus alimentos • Atrazina: hermafroditismo em rãs • Desequilíbrio da biodiversidade  novas pragas • Ciclo vicioso
  • 25. Monoculturas • Cana-de-açúcar e café: Mata Atlântica  atualmente menos de 7% • Soja: cerrados do centro-oeste, Tocantins, Mato Grosso, Rondônia, Pará. • Exportação para Europa e EUA para alimentação de gado • 50% dos cereais produzidos no mundo alimentam animais de países do hem. Norte 11 a 17 kcal ptn de grãos = 1 kcal ptn de carne bovina
  • 26. Geneticamente Modificados • Brasil  2º maior produtor de alimentos transgênicos • RS  praticamente 100% soja transgênica • Mais de 75% dos alimentos processados possuem ingredientes GMs • 25,4 milhões de hectares  soja, milho, algodão • Soja: 75% da área • Milho: 55% da área
  • 27. Geneticamente Modificados • Problemas: • Não existe conhecimento sobre seus efeitos a longo prazo • Patenteamento da vida • Difícil controle do código genético  vento, polinização
  • 29. “Para a criação de animais para o consumo, quanto menos o consumidor souber sobre o que ocorre antes da carne chegar ao prato, melhor...Uma das melhores coisas da produção moderna de animais é que a maioria das pessoas nos países desenvolvidos adotaram uma vida urbana, longe do campo, há várias gerações e não fazem ideia de como os animais são criados e processados.” Peter Cheeke, professor de ciência animal
  • 30. Produção industrial de animais • 30 bilhões de aves, peixes e mamíferos • Estados Unidos, União Européia, China e Brasil consomem: – 60% da carne bovina – mais de 70% da carne de frango – mais de 80% da carne de porco “Se o governo brasileiro retirasse incentivos e subsídios, cobrasse impostos integrais e obrigasse a internalizar os custos energéticos, o uso de recursos naturais e os danos ambientais, cada quilo de alcatra custaria uma pequena fortuna.”
  • 31. A alimentação do gado: • Transição: Pasto  Rações à base de milho e soja • Gases, inchaço, sufocamento • Acidificação do rúmen  azia bovina, pode causar diarréia, úlcera, inflamação no rúmen, problemas no fígado e supressão do sist. Imunológico • Uso de antibióticos: a maior parte dos antibióticos vendidos no EUA são destinados à alimentação dos animais
  • 32. Alimentação do gado: • Encefalopatia espongiforme bovina = doença da vaca louca  FDA 1997 permite uso de sangue e gordura bovinos • Carne e ossos bovinos  galinhas, porcos e peixes  gado Petróleo necessário até o abate: equivalente a 132 litros!!
  • 33. Impacto na saúde humana • Gastos em saúde pública • Desenvolvimento de novas variedades de bactérias: Escherichia coli O157:H7 (1980) • Diarréia hemorrágica, falência renal • Morte: crianças e idosos • Resistência à antibióticos • Alteração na qualidade nutricional da carne: gordura saturada e ômega-3
  • 34. Confinamento • Comportamento estereotipado, estresse, solidão, infecções, canibalismo “Se dessem a ele um monte de capim e de espaço, eu perderia meu emprego” Dr. Mel Metzin, veterinário
  • 35. Confinamento • Sintomas de stress: canibalismo • Suínos  corte do rabo, orelhas e castração • Aves  debicagem • Aves: ambiente rico em amônia provoca doenças respiratórias crônicas, cegueira, dermatites e pústulas
  • 37. Indústria do Leite • Atualmente produzem 355% mais leite do que há 50 anos atrás • Uso de hormônios: somatotrofina bovina (BST) • BST aumenta os problemas de mastite • Vacas leiteiras são inseminadas artificialmente incessantemente • Suas vidas são reduzidas em 1/5
  • 38. Vitela “baby beef” • Os bezerros são recolhidos algumas horas após o nascimento, máx. 7 dias • Dieta líquida hipolipídica, pobre em ferro, antibióticos e hormônios • Amarrados em baias minúsculas para restringir o movimento
  • 39. Impacto no ambiente • Aquecimento global  CO2, metano e óxido nitroso • Contaminação de água e solo • Alto consumo de água, energia elétrica e fóssil • Destruição de florestas, desertificação, erosão do solo • Chuva ácida
  • 40. Pecuária no Brasil • Pastagens representam o dobro da área agrícola do país • Desmatamento de 3 milhões de hectares de floresta anualmente = 2/3 das emissões de carbono do país • 75 milhões de hectares da Amazônia transformados em pasto • Amazônia  60 milhões de cabeças = 1/3 do rebanho brasileiro
  • 41. Pecuária no Brasil • Para cada kg de carne produzido no Cerrado, perdem-se de 6 a 10 kg de solo por erosão • O Cerrado contém 1/3 da biodiversidade brasileira e restam apenas 20% • Mata Atlântica  menos de 7% • Em áreas cuja cobertura vegetal tenha sido removida e ocorra pastoreio excessivo  aumento de 4º C
  • 42. Aquecimento Global • Maior contribuinte dos gases de efeito estufa • 18% das emissões de CO2 • 25% das emissões de metano Efeito do Metano é 20 X mais potente • 64% da amônia lançada na atmosfera  chuvas ácidas
  • 43.
  • 44. Impacto no ambiente: Dejetos Todos os animais de pecuária dos EUA produzem 130 X mais excrementos que TODA A POPULAÇÃO DO MUNDO 39.000 toneladas por segundo!
  • 45. Impacto no ambiente: Dejetos • Efluentes: fezes, sangue, gorduras, vísceras, vômitos, hormônios, antibióticos • Lançados sem tratamento na terra e água  hipóxia • Hipercontaminação de lençóis freáticos, rios e mares por coliformes fecais, hormônios, antibióticos, vetores de doenças (salmonela e hepatite)
  • 46. Impacto no ambiente: Dejetos 5 mil bovinos = 50 mil habitantes Em Santa Catarina a suinocultura é responsável por mais de 65% das emissões de poluentes O poder poluente dos dejetos suínos é cerca de 50 X maior que o esgoto humano Em algumas regiões do RS, a contaminação de fontes naturais de água por coliformes fecais é de 85%
  • 47. Mas Esterco não é Adubo?? • Falta de interesse em função dos custos: armazenamento, transporte, tratamento e distribuição • Contaminação das fezes com hormônios, antibióticos e pesticidas
  • 48. Impacto no ambiente: Água • Brasil  maior volume de água doce do mundo 12% 70% • Cerca de 70% é utilizada na agricultura • No Brasil, 45% da água é gasta na pecuária • Nos EUA, a criação de gado consume metade da água utilizada no país
  • 49. Impacto no ambiente: Água • Água limpa usada diariamente para cada animal: Galinha..................0,1 litro Porco.....................15 litros Boi.........................35 litros Vaca leiteira...........40 litros 1kg de soja ~ 500 litros 1kg de carne bovina 15mil litros • Importar ração e carne = economizar água do próprio país
  • 50. Desperdício de energia • Produção de carne consome 10 a 20 X mais energia do que a produção de vegetais • Criação em confinamento  controle de temperatura e iluminação artificial Nos EUA, metade de toda a energia usada na agricultura é gasta na criação de gado
  • 51. Segurança Alimentar A Segurança Alimentar e Nutricional significa garantir, a todos, condições de acesso a alimentos básicos de qualidade, em quantidade suficiente, de modo permanente e sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais, com base em práticas alimentares saudáveis, contribuindo, assim, para uma existência digna, em um contexto de desenvolvimento integral da pessoa humana.
  • 52. Segurança Alimentar • O planeta é capaz de alimentar 2 bilhões de pessoas com uma dieta à base de carne e laticínios População atual: 7 bilhões COMO ALIMENTAR TODOS?
  • 53. 1 boi – 1 a 4 hectares de terra produz 210kg de carne em 4 a 5 anos 8 toneladas de feijão 44 toneladas de batata 23 toneladas de trigo 22 toneladas de maçã 35 toneladas de cenoura 34 toneladas de milho 19 toneladas de arroz 56 toneladas de tomate 32 toneladas de soja Ainda é possível obter duas ou até três safras por ano desses vegetais combinados!
  • 54. • Das 465 milhões de toneladas de grãos utilizados para alimentar animais: – 0,3% salvariam da desnutrição os 6 milhões de crianças menores de 5 anos que morrem anualmente – 2,5% erradicariam a fome no Brasil – 50% acabariam com a fome no mundo
  • 55.
  • 56. Impactos sociais • Agroindústria de exportação X fome e desnutrição nacional • 1 funcionário para 700 cabeças de gado X 100 empregados numa cooperativa de agricultura familiar • Concentração de terra e renda • Atividade pecuária emprega pelo menos 62% da mão-de-obra escrava no país
  • 57.
  • 58. Pescados • Principais mercados consumidos: Japão e Estados Unidos • 29% das espécies de peixes e frutos do mar entraram em colapso até 2006 • Overfishing  colapso total em menos de 40 anos • Métodos modernos de pesca: sonares, comunicação via satélite, redes de arrastão • A biomassa de peixes predatórios declinou 90% nos últimos 20 anos
  • 59. Aqüicultura • 6.600 fazendas aquáticas em 2002 nos EUA • Antibióticos, desinfetantes, pesticidas • Fugas: competição por recursos, disseminação de doenças, acasalamento com espécies nativas, alterando o código genético e reduzindo biodiversidade • Cultivados: mais que o dobro de gordura saturada
  • 60. Aqüicultura • Alimentação à base de ração: óleo de peixe, proteína de soja, trigo, vits e mins, restos de ossos, carne e sangue de gado, porcos e penas de aves • Salmão: corantes artificiais  astaxantina e cantaxantina • Cantaxantina acumula-se na retina e ainda não se sabem as consequências
  • 61. Peixes: Contaminação • Metilmercúrio  atravessa a barreira placentária e penetra no sistema nervoso e cérebro do feto Minamata, Japão (1930-1968)
  • 62. Peixes: Contaminação • Metilmercúrio: acumula-se no tecido muscular dos peixes • Evitar principalmente durante a gravidez • Peixes predadores: cação, peixe-espada, albacora branca (atum), tilápia, cavala • Não consumir mais que 1X por semana • PCBs  bisfenol policlorinado • Pesticidas (DDT) e emissões industriais • Causam problemas de pele, reprodução, desenvolvimento e comportamento • Peixes cultivados possuem maiores níveis • Acumula-se no tecido gorduroso dos peixes
  • 63. O que fazer agora???????
  • 64. Referências Bibliográficas • NESTLE, Marion. What to Eat. New York: North Point Press, 2007. • POLLAN, Michael. O dilema do Onívoro. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2007. • ______________. The Omniver’s Dilemma: the secrets behind what you eat. New York: Penguin Group, 2009. • ______________. Em defesa da Comida. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2008. • SINGER, Peter e MASON, Jim. A ética da alimentação. RJ: Elsevier, 2007. • WEBER, Karl (editor). Food, Inc.: how industrial food is making us sicker, fatter and poorer - and what you can do about it. New York: PublicAffairs, 2009.
  • 65. Referências • http://www.rodaleinstitute.org/fst30years • http://www.svb.org.br/vegetarianismo/index.php?option=com_content&view=article&id=274:impactos- ambientais-da-produ-de-carne&catid=117:svb-notas&Itemid=212 • http://ciencia.hsw.uol.com.br/framed.htm?parent=zona- morta.htm&url=http://ciencia.hsw.uol.com.br/framed.htm?parent=dead- zone.htm&url=http://news.bbc.co.uk/2/hi/science/nature/6904249.stm • http://www.anvisa.gov.br/divulga/noticias/2009/150409_1.htm • http://www.blogdojoe.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1660%3A5-litros-de- veneno-para-cada-brasileiro-&catid=39%3Anoticias#.TszTl1XArBs.facebook • http://www.ecoagencia.com.br/index.php?open=noticias&id=VZlSXRFWWNlUspFWTxGaaN2aKVVVB1TP Filmes: • Food, Inc. (2009) EUA. Direção: Robert Kenner. • Terráqueos (Earthlings) (2005) EUA. Direção: Shaun Monson • Uma verdade mais que inconveniente (Meat the Truth) (2008) Holanda. Direção: Karen Soeters, Gertjan Zwanikken • Soja, em nome do progresso (2005) EUA. Direção: Todd Southgate • A carne é fraca (2005) Brasil. Direção: Denise Gonçalves
  • 66. MUITO OBRIGADA PELA ATENÇÃO! juliananolibos@gmail.com