SlideShare uma empresa Scribd logo
Sistemas de Incentivos
à Economia Circular
IAPMEI
ÍNDICE
1
3
2
INOVAÇÃO
PRODUTIVA
p. 15
INVESTIGAÇÃO &
DESENVOLVIMENTO
p. 12
SI QUALIFICAÇÃO
DE PME
1.1 Vale economia circular
1.2 Projetos individuais
1.3 Projetos conjuntos
p. 6
INTRODUÇÃO
ECONOMIA CIRCULAR
p. 3
ECONOMIA
CIRCULAR
Economia circular
Em dezembro de 2015 foi apresentado o Pacote de Economia Circular pela Comissão
Europeia com o intuito de dinamizar a Economia Circular na Europa. Este Pacote prevê
propostas legislativas (Proposta sobre os resíduos e um Plano de Ação para a Economia
Circular) onde são identificadas as linhas estratégicas da UE para uma economia mais
circular, conferindo à Comissão Europeia um mandato concreto nesse sentido (produção;
consumo; aprovisionamento responsável de matérias-primas primárias; gestão de
resíduos;conversãoderesíduosemrecursos-matérias-primassecundárias;consumidores;
inovação e investimento).
O pacote prevê linhas de ação no que se refere a:
A economia circular é uma emergente abordagem à produção e ao consumo que
permite desenvolver inovação, novos produtos, serviços e novos modelos de
negócio, e que assenta num sistema restaurador e regenerativo, que procura preservar a
utilidade e valor dos recursos (materiais, energéticos) pelo máximo tempo possível.
Esta mudança de paradigma irá contribuir para uma dinâmica mais equilibrada, e
criativa, entre empresas, consumidores e os recursos naturais, dissociando o
crescimento económico do consumo de recursos não renováveis.
Atransiçãoparaaeconomiacircularimplicaumatotalremodelaçãodacadeiadeprodução,
da conceção até ao final do ciclo de vida do produto.
IAPMEI 4
Economia Circular
Melhoria
da gestão
dos resíduos
Aumento
da reciclagem
Redução
da deposição
em aterros
Alteração do modelo económico
É necessário criar programas que deem mais competitividade às empresas,
fazendo-as utilizar melhor as oportunidades que há na economia circular."
Manuel Caldeira Cabral, Ministro da Economia
A economia circular é uma cadeia de valor sustentável, que começa na conceção
de produtos que utilizem menos recursos e mais matérias reutilizadas ou
recicladas e que produzam menos resíduos."
João Pedro Matos Fernandes, Ministro do Ambiente
IAPMEI 5
Economia Circular
“
“
Uso eficiente de recursos
e novas dinâmicas
de inovação
Aumento
do potencial
de exportação
e impacto local
• Reduções na importação
de matérias-primas
• Contributo direto para
cumprimento de objetivos
ambientais internacionais
• Melhorar a
competitividade
da economia
O IAPMEI, como parceiro das empresas no desenvolvimento e inovação, disponibiliza um
conjunto de sistemas de incentivos que têm como objetivo aumentar de forma marcante
a competitividade das empresas através da modernização e inovação dos seus processos
e produtos, serviços e modelos de negócio, tornando-as mais eficientes no contexto da
Economia circular.
1SI QUALIFICAÇÃO
DE PME
IAPMEI 7
SI Qualificação de PME
1.1Vale economia circular
Aquisição de serviços de consultoria com vista à identificação de uma estratégia para a
economia circular e respetivo plano de ação e a assistência técnica para implementação
de recomendações de curto prazo, nas seguintes áreas:
• Eco-design de processos e produtos - processos e produtos menos intensivos em
recursos, dando prioridade a materiais renováveis e com menor perigosidade e risco,
paraaspessoaseoambiente,bemcomoàreutilizaçãodematérias-primasrecuperadas.
Foco na “modularização” dos componentes, permitindo fácil desmontagem,
recuperação, reaproveitamento e triagem em fim de vida (componentes padronizados).
Definição de critérios de reciclagem, reutilização e extensão de ciclo de vida, tendo em
conta possíveis aplicações úteis de subprodutos e resíduos;
• Eco-eficiência - modelos de produção mais eficientes e mais limpos, produzindo
mais, ao menor preço, com menos recursos, menos resíduos e menos impacto sobre o
ambiente;
• Eco-inovação - produção, assimilação ou exploração dum produto, processo de
produção, serviço ou método de gestão de negócio inovador para a organização
(desenvolvimento ou adaptação) e correspondentes resultados, através do seu ciclo de
vida na redução do risco ambiental, poluição ou outros impactes negativos nos recursos
utilizados (incluindo energia gasta), comparados com alternativas relevantes;
• Simbioses industriais - estratégia de negócio entre entidades que colaboram no uso
eficiente dos recursos de modo a melhorar o seu desempenho económico conjunto,
com consequências positivas para o sistema natural (a partilha de infraestruturas,
equipamentos comuns ou aluguer, serviços comuns e a utilização de recursos);
• Extensão do ciclo de vida dos produtos - sistemas ou modelos de negócio centrados
na manutenção, reparação, recondicionamento e remanufactura de produtos (processo
de reconversão de resíduos em novos materiais ou produtos. Sistemas de recolha
eficiente associados);
• Valorização de subprodutos e resíduos - subprodutos e iniciativas de utilização,
inovação em extração e uso de materiais a partir de fluxos de resíduos, novos materiais
ou produtos a partir de resíduos/subprodutos;
• Novos modelos de negócio, desmaterialização e transformação digital -
substituição de serviços físicos por equivalentes virtuais, plataformas de partilha e
aluguer que maximizem a produtividade de equipamentos e conservem recursos
- modelos empresariais baseados na locação, partilha, reparação, atualização ou
reciclagem de componentes individuais.
Beneficiários e taxas:
8IAPMEI
SI Qualificação de PME
Beneficiários
PME de qualquer natureza e sob qualquer
forma jurídica.
Incentivo Não Reembolsável.
Taxa de Cofinanciamento 75% com limite de €7.500.
PO Regional de Lisboa
Aplicação às despesas consideradas elegíveis
de uma taxa máxima de 40%.
IAPMEI 9
SI Qualificação de PME
1.2
Qualificação de PME
OSIQualificaçãotemcomoobjetivoreforçaracapacitaçãoempresarialdasPMEapoiando
os investimentos imateriais na área da competitividade1
, relacionados com a inovação
organizacionalegestão,aeconomiadigital,acriaçãodemarcasedesign,odesenvolvimento
e engenharia de produtos, serviços e processos, a proteção da propriedade industrial, a
qualidade, a transferência de conhecimento, a distribuição e logística, a eco-inovação, a
formação profissional ou a contratação de RH.
Embora possa ser associada a outras tipologias de atuação, é através da tipologia de
ecoinovação que este sistema de incentivos visa a incorporação nas empresas dos
princípios da ecoeficiência e da economia circular, com vista a promover uma utilização
mais eficiente dos recursos, incentivar a redução e reutilização de desperdícios e minimizar
a extração e o recurso a matérias-primas. Inclui a certificações de sistemas, serviços e
produtos na área do ambiente, obtenção do Rótulo Ecológico e sistema de ecogestão e
auditoria (EMAS).
Neste âmbito, os projetos a enquadrar poderão, a título exemplificativo, visar os seguintes
tipos de intervenção:
• Incentivar a redução/prevenção na produção de resíduos, reforçar o desincentivo
às operações de eliminação de resíduos e favorecer as operações de valorização de
resíduos, incluindo o coprocessamento, a valorização energética e a recuperação de
materiais para reciclagem.
• Incentivar a utilização de resíduos na produção de novos produtos, nomeadamente
através da obtenção de novos materiais constituídos a partir de materiais residuais, de
novos produtos com materiais residuais, da avaliação de ciclo de vida de soluções de
ecodesign com materiais residuais, do melhoramento de processos de separação de
materiais de produtos em fim de vida.
• Promover as parcerias industriais que envolvem a transação de resíduos
e de subprodutos.
• Dinamizar a reciclagem de Resíduos Urbanos (RU) e a recolha seletiva.
Projetos individuais
1| Nesta medida não são apoiados investimentos de natureza produtiva.
10IAPMEI
SI Qualificação de PME
• Eco-design a nível da produção para reduzir o excesso de embalagem dos produtos;
reduzir/limitarautilizaçãodeváriosmateriaisnosprodutos,paraminimizaraslimitações
à reciclagem e promover a reparabilidade e durabilidade dos produtos.
• Promover o aumento da valorização das lamas de ETA e ETAR através da promoção e
potenciação da diversificação dos seus destinos finais.
Beneficiários e taxas:
Beneficiários
PME de qualquer natureza e sob qualquer
forma jurídica.
Incentivo Não Reembolsável (INR).
Despesas Elegíveis
Equipamento não produtivo, software,
proteção de propriedade industrial
e consultoria especializada nos domínios de
intervenção do projeto.
Taxa de Cofinanciamento 45%
Despesas com Formação
Entre 50 e 70% dependendo do tipo
de formandos e da dimensão da empresa.
PO Regional de Lisboa
Aplicação às despesas consideradas elegíveis
de uma taxa máxima de 40%.
Limite de Incentivo 500 mil€
Projetos promovidos individualmente por uma PME:
11IAPMEI
SI Qualificação de PME
1.3Qualificação de PME
Projeto conjunto promovido por entidade sem fins lucrativos de natureza
associativa e com competências específicas dirigidas às PME:
• Incentivo Não Reembolsável.
• Taxa de cofinanciamento para as PME’s envolvidas: 50%.
• Despesas com Formação associada às ações de investimento podem ser apoiadas
entre 50 e 70%, dependendo do tipo de formandos e da dimensão da empresa.
Projetos conjuntos
2INVESTIGAÇÃO
&DESENVOLVIMENTO
IAPMEI 13
Investigação & Desenvolvimento
2Investigação e Desenvolvimento
Esta medida pretende apoiar projetos compreendendo atividades de investigação
industrial e desenvolvimento experimental, conducentes à criação de novos produtos,
processos ou sistemas ou à introdução de melhorias significativas em produtos, processos
ou sistemas existentes.
Neste âmbito, os projetos a enquadrar poderão, a título exemplificativo, visar os seguintes
tipos de intervenção:
• Desenvolver produtos eco-inovadores (verdes) e sustentáveis.
• Desenvolver processos e produtos de baixo carbono e com uma utilização eficiente
de recursos;
•Projetosdeinvestigaçãodenovosprocessosdeproduçãomaisamigosdoambiente
e sustentáveis;
• Projetos de investigação de novos produtos ou serviços que permitam valorizar os
serviços dos ecossistemas de setores ou regiões.
• Incentivar a redução/prevenção na produção de resíduos, reforçar o desincentivo
às operações de eliminação de resíduos e favorecer as operações de valorização
deresíduos,incluindoocoprocessamento,avalorizaçãoenergéticaearecuperação
de materiais para reciclagem.
• Projetos de biorefinaria e/ou produção de biocombustíveis/energia a partir de resíduos.
• Incentivar a utilização de resíduos na produção de novos produtos nas áreas:
• de novos materiais constituídos a partir de materiais residuais,
• de novos produtos com materiais residuais,
• das potenciais simbioses ou redes de simbioses industriais (ex.º numa região),
• da avaliação de ciclo de vida de soluções de ecodesign com materiais residuais,
• da avaliação de ciclo de vida de simbioses,
•domelhoramentodeprocessosdeseparaçãodemateriaisdeprodutosemfimdevida.
IAPMEI 14
Investigação & Desenvolvimento
• Projetos de investigação na área da construção sustentável.
• Desenvolver novos processos de valorização das lamas de ETA e ETAR através
da promoção e potenciação da diversificação dos seus destinos finais.
Os projetos podem ser desenvolvidos individualmente por uma empresa (projetos de I&D
individuais), ou em parceria entre empresas, universidades e outros centros de excelência
nacionais e internacionais (projetos de I&D em co-promoção ou mobilizadores).
Beneficiários e taxas:
Beneficiários
São beneficiários desta medida as empresas
de qualquer natureza e sob qualquer forma
jurídica. Projetos em copromoção – empresas
e entidades não empresariais do sistema de I&D.
Despesas Elegíveis
São elegíveis as despesas com atividades de
I&D, com contratação de RH, com Proteção
da Propriedade intelectual e industrial e com
Assistência técnico-científica.
Incentivo
Não Reembolsável até 1 Milhão de euros por
beneficiário. A partir deste montante, 25% do
incentivo passa a ser reembolsável.
Condições de Reembolso
Prestações semestrais, 7 anos com 3 anos
de carência (sem juros).
Taxas de cofinanciamento para as empresas2
:
• Taxa base 25% podendo ser majorada até 80% em atividades de Investigação
Industrial ou até 60% em atividades de Desenvolvimento Experimental,
dependendo da dimensão da empresa e da existência de cooperação ou ações de
divulgação ampla dos resultados do I&D.
• PO Regional de Lisboa
Aplicação às despesas consideradas elegíveis de uma taxa máxima de 40%.
• PO Regional do Algarve
Aplicação às despesas consideradas elegíveis de uma taxa máxima de 62%.
2| As taxas e condições de apoio a entidades não empresariais do sistema de I&D deverão ser consultadas
nos respetivos regulamentos.
3INOVAÇÃO
PRODUTIVA
IAPMEI 16
Inovação Produtiva
3Inovação Produtiva
O SI Inovação Produtiva visa promover a inovação empresarial, através das tipologias
Inovação Produtiva PME e Inovação Produtiva Não PME.
Na tipologia Inovação Produtiva PME, são suscetíveis de apoio projetos para:
a) Produção de novos bens e serviços ou melhorias significativas da produção atual
através da transferência e aplicação de conhecimento;
b) Adoção de novos, ou significativamente melhorados, processos ou métodos de 		
fabrico, de logística e distribuição, bem como métodos organizacionais.
Na tipologia Inovação Produtiva Não PME, são suscetíveis de apoio projetos para:
a) Produção de novos bens e serviços ou melhorias significativas da produção atual
através da transferência e aplicação de conhecimento;
b) Adoção de novos ou significativamente melhorados, processos ou métodos de fabrico.
Neste âmbito, os projetos a enquadrar poderão, a titulo exemplificativo, visar os seguintes
tipos de intervenção:
• Incentivar a implementação de novos processos e produtos, nomeadamente
através de:
• Implementação processos de produção ecoeficientes: processos de produção mais
eficientes e mais limpos, produzindo mais, ao menor preço, com menos recursos,
menos resíduos e menos impacto sobre o ambiente;
• Desenvolvimento de ecodesign de processos e produtos: processos e produtos
menos intensivos em recursos, dando prioridade a materiais renováveis e com
menor perigosidade e risco, para pessoas e o ambiente, bem como à reutilização de
matérias-primas recuperadas;
• Produção de produtos com “modularização” dos componentes, permitindo
fácil desmontagem, recuperação, reaproveitamento e triagem em fim de vida
(componentes padronizados);
IAPMEI 17
Inovação Produtiva
• Implementação de atividades que possuam modelos de negócio centrados na
manutenção, reparação, recondicionamento e remanufatura de produtos (extensão
do ciclo de vida dos produtos);
• Desenvolvimento de simbioses industriais: estratégias de negócio entre entidades
que colaboram no uso eficiente de recursos de modo a melhorar o seu desempenho
económico conjunto e correspondentes resultados (partilha de infraestruturas,
equipamentos comuns ou aluguer, serviços comuns e a utilização de recursos);
• Substituição de serviços físicos por equivalentes virtuais (transformação digital),
plataformas de partilha e aluguer que maximizem a produtividade de equipamentos
e conservem recursos - modelos empresariais baseados na locação, partilha,
reparação, atualização ou reciclagem de componentes individuais.
• Implementação de processos produtivos que visem a redução/prevenção na produção
de resíduos, reforçar o desincentivo às operações de eliminação de resíduos e favorecer
as operações de valorização de resíduos, incluindo o coprocessamento, a valorização
energética e a recuperação de materiais para reciclagem:
• Aproveitamento inovador de resíduos como a biomassa proveniente da floresta e das
explorações agrícolas, nomeadamente para produção de energia;
• Implementação de biorefinarias e/ou produção de biocombustíveis/energia a partir de
resíduos:
• Incentivar a utilização de resíduos na produção de novos produtos, nomeadamente
através de novos materiais constituídos a partir de materiais residuais, de novos
produtos com materiais residuais, incluindo a produção de composto a partir de
resíduos alimentares recolhidos seletivamente ou a produção de biocombustíveis (ex:
utilização de resíduos orgânicos na produção de biometano:
• Promover o aumento da valorização das lamas de ETA e ETAR através
da promoção e potenciação da diversificação dos seus destinos finais.
IAPMEI 18
Inovação Produtiva
Beneficiários e taxas:
Beneficiários
São beneficiários desta medida empresas
de qualquer natureza e sob qualquer forma
jurídica.
Despesas Elegíveis
Construção, Equipamento produtivo,
Transferência de tecnologia, Serviços de
engenharia, estudos e projetos.
Incentivo Incentivo Reembolsável (I.R.)
Condições de Reembolso
Prestações semestrais, 8 anos com 2 de
carência (sem juros).
Taxas de Cofinanciamento
Entre 30 e 75%. dependendo da dimensão da
empresa, localização, tipo de projeto, natureza
do empreendedor.
Nas taxas de cofinanciamento inclui-se a Majoração «sustentabilidade»: 10 p.p. a atribuir a
projetos que demonstrem atuações ou impactos em matéria de uso eficiente de recursos,
eficiência energética, mobilidade sustentável e redução de emissões de gases com efeitos
de estufa, a apreciar pela autoridade de gestão financiadora.
Avaliação de resultados (Indicadores a avaliar no 2º ano após a conclusão do projeto:
crescimento doVAB,postosdetrabalhoqualificadosevolumedenegócios)poderáoriginar
uma conversão em Incentivo Não reembolsável até 60% dependendo da superação dos
objetivos.
Economia Circular
IAPMEI

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gestão Ambiental
Gestão AmbientalGestão Ambiental
Gestão Ambiental
IFGe
 
GestãO Ambiental
GestãO AmbientalGestãO Ambiental
GestãO Ambiental
phsouto
 
Green Logistics - Logística Verde
Green Logistics - Logística VerdeGreen Logistics - Logística Verde
Green Logistics - Logística Verde
Manuel Garcia Garcia
 
A produção mais limpa na micro e pequena empresa
A produção mais limpa na micro e pequena empresaA produção mais limpa na micro e pequena empresa
A produção mais limpa na micro e pequena empresa
Marco de Oliveira
 
Tcc Gestão Ambiental
Tcc Gestão AmbientalTcc Gestão Ambiental
Gestão Ambiental
Gestão AmbientalGestão Ambiental
Gestão Ambiental
Cadernos PPT
 
Aula 5 sebrae
Aula 5   sebraeAula 5   sebrae
Aula 5 sebrae
Giovanna Ortiz
 
Trabalho da aline
Trabalho da alineTrabalho da aline
Trabalho da aline
Jean Marques
 
gestão ambiental empresarial
gestão ambiental empresarialgestão ambiental empresarial
gestão ambiental empresarial
Carolina Moura
 
Gerenciamento de Resíduos Sólidos - Curso online
Gerenciamento de Resíduos Sólidos - Curso onlineGerenciamento de Resíduos Sólidos - Curso online
Gerenciamento de Resíduos Sólidos - Curso online
GAC CURSOS ONLINE
 
Logistica Reversa: um estudo de caso de reutilização de Bag
Logistica Reversa: um estudo de caso de reutilização de BagLogistica Reversa: um estudo de caso de reutilização de Bag
Logistica Reversa: um estudo de caso de reutilização de Bag
Manuel Garcia Garcia
 
Aula 7 gestão ambiental empresarial
Aula 7   gestão ambiental empresarialAula 7   gestão ambiental empresarial
Aula 7 gestão ambiental empresarial
Alex Santiago Nina
 
Trabalho produção mais limpa 2015
Trabalho produção mais limpa 2015Trabalho produção mais limpa 2015
Trabalho produção mais limpa 2015
Consultório de Psicologia Soraia de Figueiró de Lima
 
Gestão Ambiental
Gestão AmbientalGestão Ambiental
Gestão Ambiental
guestfcc10a
 
Capitalismo natural e produo mais limpa final
Capitalismo natural e produo mais limpa  finalCapitalismo natural e produo mais limpa  final
Capitalismo natural e produo mais limpa final
UFRGS
 
Aula3gestaoambiental 140421131658-phpapp01
Aula3gestaoambiental 140421131658-phpapp01Aula3gestaoambiental 140421131658-phpapp01
Aula3gestaoambiental 140421131658-phpapp01
Natália Michelan
 
Logística Inversa
Logística InversaLogística Inversa
Logística Inversa
guestefea3f
 
Engenharia de Produção - Gestão ambiental - Sustentabilidade
Engenharia de Produção - Gestão ambiental - SustentabilidadeEngenharia de Produção - Gestão ambiental - Sustentabilidade
Engenharia de Produção - Gestão ambiental - Sustentabilidade
Fernando Alves
 
A importância da saúde, segurança
A importância da saúde, segurançaA importância da saúde, segurança
A importância da saúde, segurança
Renatbar
 
Artigo gestão
Artigo gestãoArtigo gestão
Artigo gestão
catty27
 

Mais procurados (20)

Gestão Ambiental
Gestão AmbientalGestão Ambiental
Gestão Ambiental
 
GestãO Ambiental
GestãO AmbientalGestãO Ambiental
GestãO Ambiental
 
Green Logistics - Logística Verde
Green Logistics - Logística VerdeGreen Logistics - Logística Verde
Green Logistics - Logística Verde
 
A produção mais limpa na micro e pequena empresa
A produção mais limpa na micro e pequena empresaA produção mais limpa na micro e pequena empresa
A produção mais limpa na micro e pequena empresa
 
Tcc Gestão Ambiental
Tcc Gestão AmbientalTcc Gestão Ambiental
Tcc Gestão Ambiental
 
Gestão Ambiental
Gestão AmbientalGestão Ambiental
Gestão Ambiental
 
Aula 5 sebrae
Aula 5   sebraeAula 5   sebrae
Aula 5 sebrae
 
Trabalho da aline
Trabalho da alineTrabalho da aline
Trabalho da aline
 
gestão ambiental empresarial
gestão ambiental empresarialgestão ambiental empresarial
gestão ambiental empresarial
 
Gerenciamento de Resíduos Sólidos - Curso online
Gerenciamento de Resíduos Sólidos - Curso onlineGerenciamento de Resíduos Sólidos - Curso online
Gerenciamento de Resíduos Sólidos - Curso online
 
Logistica Reversa: um estudo de caso de reutilização de Bag
Logistica Reversa: um estudo de caso de reutilização de BagLogistica Reversa: um estudo de caso de reutilização de Bag
Logistica Reversa: um estudo de caso de reutilização de Bag
 
Aula 7 gestão ambiental empresarial
Aula 7   gestão ambiental empresarialAula 7   gestão ambiental empresarial
Aula 7 gestão ambiental empresarial
 
Trabalho produção mais limpa 2015
Trabalho produção mais limpa 2015Trabalho produção mais limpa 2015
Trabalho produção mais limpa 2015
 
Gestão Ambiental
Gestão AmbientalGestão Ambiental
Gestão Ambiental
 
Capitalismo natural e produo mais limpa final
Capitalismo natural e produo mais limpa  finalCapitalismo natural e produo mais limpa  final
Capitalismo natural e produo mais limpa final
 
Aula3gestaoambiental 140421131658-phpapp01
Aula3gestaoambiental 140421131658-phpapp01Aula3gestaoambiental 140421131658-phpapp01
Aula3gestaoambiental 140421131658-phpapp01
 
Logística Inversa
Logística InversaLogística Inversa
Logística Inversa
 
Engenharia de Produção - Gestão ambiental - Sustentabilidade
Engenharia de Produção - Gestão ambiental - SustentabilidadeEngenharia de Produção - Gestão ambiental - Sustentabilidade
Engenharia de Produção - Gestão ambiental - Sustentabilidade
 
A importância da saúde, segurança
A importância da saúde, segurançaA importância da saúde, segurança
A importância da saúde, segurança
 
Artigo gestão
Artigo gestãoArtigo gestão
Artigo gestão
 

Semelhante a Guia economiacircular

Apresentação de Negócios Plano de Negócios Simples e Minimalista Azul, Branco...
Apresentação de Negócios Plano de Negócios Simples e Minimalista Azul, Branco...Apresentação de Negócios Plano de Negócios Simples e Minimalista Azul, Branco...
Apresentação de Negócios Plano de Negócios Simples e Minimalista Azul, Branco...
FranciscoDosSantos37
 
Produção sustentável
Produção sustentávelProdução sustentável
Produção sustentável
Pedro Henrique Alves
 
Economia Circular.pptx
Economia Circular.pptxEconomia Circular.pptx
Economia Circular.pptx
AlexandraSofiaVieira
 
Aula 3 gestao ambiental
Aula 3 gestao ambiental Aula 3 gestao ambiental
Aula 3 gestao ambiental
sionara14
 
Proc. produt. 01 introdução
Proc. produt. 01 introduçãoProc. produt. 01 introdução
Proc. produt. 01 introdução
leonardolepesqueur
 
Painel III – Ciência Viva: Empregos Verdes Rumo À Sustentabilidade: Alexandra...
Painel III – Ciência Viva: Empregos Verdes Rumo À Sustentabilidade: Alexandra...Painel III – Ciência Viva: Empregos Verdes Rumo À Sustentabilidade: Alexandra...
Painel III – Ciência Viva: Empregos Verdes Rumo À Sustentabilidade: Alexandra...
CIDAADS
 
Guia da-pmaisl
Guia da-pmaislGuia da-pmaisl
Guia da-pmaisl
afermartins
 
Trabalho pronto
Trabalho prontoTrabalho pronto
Aula 3 sga qualidade
Aula 3   sga qualidadeAula 3   sga qualidade
Aula 3 sga qualidade
Giovanna Ortiz
 
Prof. Pueblo Peçanha - Gestão ambiental slide 01
Prof. Pueblo Peçanha - Gestão ambiental slide 01Prof. Pueblo Peçanha - Gestão ambiental slide 01
Prof. Pueblo Peçanha - Gestão ambiental slide 01
Pueblo Peçanha
 
Economia Verde_Clusters_CCDR LVT_07jan2014_s2
Economia Verde_Clusters_CCDR LVT_07jan2014_s2Economia Verde_Clusters_CCDR LVT_07jan2014_s2
Economia Verde_Clusters_CCDR LVT_07jan2014_s2
António Alvarenga
 
Sustentabilidade no canteiro de obras
Sustentabilidade no canteiro de obrasSustentabilidade no canteiro de obras
Sustentabilidade no canteiro de obras
Tiago Machado, MBA
 
Mini Curso Reciclagem de Plásticos - Mercado da Reciclagem
Mini Curso Reciclagem de Plásticos - Mercado da ReciclagemMini Curso Reciclagem de Plásticos - Mercado da Reciclagem
Mini Curso Reciclagem de Plásticos - Mercado da Reciclagem
Fernando Jose Novaes
 
Gestão do ciclo de vida de produtos
Gestão do ciclo de vida de produtosGestão do ciclo de vida de produtos
Gestão do ciclo de vida de produtos
GAVOLUNTARIA
 
Estratégias Corporativas de Baixo Carbono - Gestão de Riscos e Oportunidades
Estratégias Corporativas de Baixo Carbono - Gestão de Riscos e OportunidadesEstratégias Corporativas de Baixo Carbono - Gestão de Riscos e Oportunidades
Estratégias Corporativas de Baixo Carbono - Gestão de Riscos e Oportunidades
Nei Grando
 
Polilab Consultoria Empresarial - Polímeros, Qualidade e Sustentabilidade
Polilab Consultoria Empresarial - Polímeros, Qualidade e SustentabilidadePolilab Consultoria Empresarial - Polímeros, Qualidade e Sustentabilidade
Polilab Consultoria Empresarial - Polímeros, Qualidade e Sustentabilidade
Fernando Jose Novaes
 
Ambipor III - Apresentação do Projeto.pdf
Ambipor III - Apresentação do Projeto.pdfAmbipor III - Apresentação do Projeto.pdf
Ambipor III - Apresentação do Projeto.pdf
SaraBentoMateus1
 
Folder dos Serviços da Novaterra
Folder dos Serviços da NovaterraFolder dos Serviços da Novaterra
Folder dos Serviços da Novaterra
Novaterra Ambiental
 
Conference ISEG_ 2022_RS_JMS_HVGN_FM_AG_VA.pptx
Conference ISEG_ 2022_RS_JMS_HVGN_FM_AG_VA.pptxConference ISEG_ 2022_RS_JMS_HVGN_FM_AG_VA.pptx
Conference ISEG_ 2022_RS_JMS_HVGN_FM_AG_VA.pptx
Ricardo Santos
 
Estratégias para a Biodiversidade em empresas
Estratégias para a Biodiversidade em empresasEstratégias para a Biodiversidade em empresas
Estratégias para a Biodiversidade em empresas
Filipa Gouveia
 

Semelhante a Guia economiacircular (20)

Apresentação de Negócios Plano de Negócios Simples e Minimalista Azul, Branco...
Apresentação de Negócios Plano de Negócios Simples e Minimalista Azul, Branco...Apresentação de Negócios Plano de Negócios Simples e Minimalista Azul, Branco...
Apresentação de Negócios Plano de Negócios Simples e Minimalista Azul, Branco...
 
Produção sustentável
Produção sustentávelProdução sustentável
Produção sustentável
 
Economia Circular.pptx
Economia Circular.pptxEconomia Circular.pptx
Economia Circular.pptx
 
Aula 3 gestao ambiental
Aula 3 gestao ambiental Aula 3 gestao ambiental
Aula 3 gestao ambiental
 
Proc. produt. 01 introdução
Proc. produt. 01 introduçãoProc. produt. 01 introdução
Proc. produt. 01 introdução
 
Painel III – Ciência Viva: Empregos Verdes Rumo À Sustentabilidade: Alexandra...
Painel III – Ciência Viva: Empregos Verdes Rumo À Sustentabilidade: Alexandra...Painel III – Ciência Viva: Empregos Verdes Rumo À Sustentabilidade: Alexandra...
Painel III – Ciência Viva: Empregos Verdes Rumo À Sustentabilidade: Alexandra...
 
Guia da-pmaisl
Guia da-pmaislGuia da-pmaisl
Guia da-pmaisl
 
Trabalho pronto
Trabalho prontoTrabalho pronto
Trabalho pronto
 
Aula 3 sga qualidade
Aula 3   sga qualidadeAula 3   sga qualidade
Aula 3 sga qualidade
 
Prof. Pueblo Peçanha - Gestão ambiental slide 01
Prof. Pueblo Peçanha - Gestão ambiental slide 01Prof. Pueblo Peçanha - Gestão ambiental slide 01
Prof. Pueblo Peçanha - Gestão ambiental slide 01
 
Economia Verde_Clusters_CCDR LVT_07jan2014_s2
Economia Verde_Clusters_CCDR LVT_07jan2014_s2Economia Verde_Clusters_CCDR LVT_07jan2014_s2
Economia Verde_Clusters_CCDR LVT_07jan2014_s2
 
Sustentabilidade no canteiro de obras
Sustentabilidade no canteiro de obrasSustentabilidade no canteiro de obras
Sustentabilidade no canteiro de obras
 
Mini Curso Reciclagem de Plásticos - Mercado da Reciclagem
Mini Curso Reciclagem de Plásticos - Mercado da ReciclagemMini Curso Reciclagem de Plásticos - Mercado da Reciclagem
Mini Curso Reciclagem de Plásticos - Mercado da Reciclagem
 
Gestão do ciclo de vida de produtos
Gestão do ciclo de vida de produtosGestão do ciclo de vida de produtos
Gestão do ciclo de vida de produtos
 
Estratégias Corporativas de Baixo Carbono - Gestão de Riscos e Oportunidades
Estratégias Corporativas de Baixo Carbono - Gestão de Riscos e OportunidadesEstratégias Corporativas de Baixo Carbono - Gestão de Riscos e Oportunidades
Estratégias Corporativas de Baixo Carbono - Gestão de Riscos e Oportunidades
 
Polilab Consultoria Empresarial - Polímeros, Qualidade e Sustentabilidade
Polilab Consultoria Empresarial - Polímeros, Qualidade e SustentabilidadePolilab Consultoria Empresarial - Polímeros, Qualidade e Sustentabilidade
Polilab Consultoria Empresarial - Polímeros, Qualidade e Sustentabilidade
 
Ambipor III - Apresentação do Projeto.pdf
Ambipor III - Apresentação do Projeto.pdfAmbipor III - Apresentação do Projeto.pdf
Ambipor III - Apresentação do Projeto.pdf
 
Folder dos Serviços da Novaterra
Folder dos Serviços da NovaterraFolder dos Serviços da Novaterra
Folder dos Serviços da Novaterra
 
Conference ISEG_ 2022_RS_JMS_HVGN_FM_AG_VA.pptx
Conference ISEG_ 2022_RS_JMS_HVGN_FM_AG_VA.pptxConference ISEG_ 2022_RS_JMS_HVGN_FM_AG_VA.pptx
Conference ISEG_ 2022_RS_JMS_HVGN_FM_AG_VA.pptx
 
Estratégias para a Biodiversidade em empresas
Estratégias para a Biodiversidade em empresasEstratégias para a Biodiversidade em empresas
Estratégias para a Biodiversidade em empresas
 

Guia economiacircular

  • 1. Sistemas de Incentivos à Economia Circular
  • 2. IAPMEI ÍNDICE 1 3 2 INOVAÇÃO PRODUTIVA p. 15 INVESTIGAÇÃO & DESENVOLVIMENTO p. 12 SI QUALIFICAÇÃO DE PME 1.1 Vale economia circular 1.2 Projetos individuais 1.3 Projetos conjuntos p. 6 INTRODUÇÃO ECONOMIA CIRCULAR p. 3
  • 4. Economia circular Em dezembro de 2015 foi apresentado o Pacote de Economia Circular pela Comissão Europeia com o intuito de dinamizar a Economia Circular na Europa. Este Pacote prevê propostas legislativas (Proposta sobre os resíduos e um Plano de Ação para a Economia Circular) onde são identificadas as linhas estratégicas da UE para uma economia mais circular, conferindo à Comissão Europeia um mandato concreto nesse sentido (produção; consumo; aprovisionamento responsável de matérias-primas primárias; gestão de resíduos;conversãoderesíduosemrecursos-matérias-primassecundárias;consumidores; inovação e investimento). O pacote prevê linhas de ação no que se refere a: A economia circular é uma emergente abordagem à produção e ao consumo que permite desenvolver inovação, novos produtos, serviços e novos modelos de negócio, e que assenta num sistema restaurador e regenerativo, que procura preservar a utilidade e valor dos recursos (materiais, energéticos) pelo máximo tempo possível. Esta mudança de paradigma irá contribuir para uma dinâmica mais equilibrada, e criativa, entre empresas, consumidores e os recursos naturais, dissociando o crescimento económico do consumo de recursos não renováveis. Atransiçãoparaaeconomiacircularimplicaumatotalremodelaçãodacadeiadeprodução, da conceção até ao final do ciclo de vida do produto. IAPMEI 4 Economia Circular Melhoria da gestão dos resíduos Aumento da reciclagem Redução da deposição em aterros
  • 5. Alteração do modelo económico É necessário criar programas que deem mais competitividade às empresas, fazendo-as utilizar melhor as oportunidades que há na economia circular." Manuel Caldeira Cabral, Ministro da Economia A economia circular é uma cadeia de valor sustentável, que começa na conceção de produtos que utilizem menos recursos e mais matérias reutilizadas ou recicladas e que produzam menos resíduos." João Pedro Matos Fernandes, Ministro do Ambiente IAPMEI 5 Economia Circular “ “ Uso eficiente de recursos e novas dinâmicas de inovação Aumento do potencial de exportação e impacto local • Reduções na importação de matérias-primas • Contributo direto para cumprimento de objetivos ambientais internacionais • Melhorar a competitividade da economia O IAPMEI, como parceiro das empresas no desenvolvimento e inovação, disponibiliza um conjunto de sistemas de incentivos que têm como objetivo aumentar de forma marcante a competitividade das empresas através da modernização e inovação dos seus processos e produtos, serviços e modelos de negócio, tornando-as mais eficientes no contexto da Economia circular.
  • 7. IAPMEI 7 SI Qualificação de PME 1.1Vale economia circular Aquisição de serviços de consultoria com vista à identificação de uma estratégia para a economia circular e respetivo plano de ação e a assistência técnica para implementação de recomendações de curto prazo, nas seguintes áreas: • Eco-design de processos e produtos - processos e produtos menos intensivos em recursos, dando prioridade a materiais renováveis e com menor perigosidade e risco, paraaspessoaseoambiente,bemcomoàreutilizaçãodematérias-primasrecuperadas. Foco na “modularização” dos componentes, permitindo fácil desmontagem, recuperação, reaproveitamento e triagem em fim de vida (componentes padronizados). Definição de critérios de reciclagem, reutilização e extensão de ciclo de vida, tendo em conta possíveis aplicações úteis de subprodutos e resíduos; • Eco-eficiência - modelos de produção mais eficientes e mais limpos, produzindo mais, ao menor preço, com menos recursos, menos resíduos e menos impacto sobre o ambiente; • Eco-inovação - produção, assimilação ou exploração dum produto, processo de produção, serviço ou método de gestão de negócio inovador para a organização (desenvolvimento ou adaptação) e correspondentes resultados, através do seu ciclo de vida na redução do risco ambiental, poluição ou outros impactes negativos nos recursos utilizados (incluindo energia gasta), comparados com alternativas relevantes; • Simbioses industriais - estratégia de negócio entre entidades que colaboram no uso eficiente dos recursos de modo a melhorar o seu desempenho económico conjunto, com consequências positivas para o sistema natural (a partilha de infraestruturas, equipamentos comuns ou aluguer, serviços comuns e a utilização de recursos); • Extensão do ciclo de vida dos produtos - sistemas ou modelos de negócio centrados na manutenção, reparação, recondicionamento e remanufactura de produtos (processo de reconversão de resíduos em novos materiais ou produtos. Sistemas de recolha eficiente associados); • Valorização de subprodutos e resíduos - subprodutos e iniciativas de utilização, inovação em extração e uso de materiais a partir de fluxos de resíduos, novos materiais ou produtos a partir de resíduos/subprodutos;
  • 8. • Novos modelos de negócio, desmaterialização e transformação digital - substituição de serviços físicos por equivalentes virtuais, plataformas de partilha e aluguer que maximizem a produtividade de equipamentos e conservem recursos - modelos empresariais baseados na locação, partilha, reparação, atualização ou reciclagem de componentes individuais. Beneficiários e taxas: 8IAPMEI SI Qualificação de PME Beneficiários PME de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica. Incentivo Não Reembolsável. Taxa de Cofinanciamento 75% com limite de €7.500. PO Regional de Lisboa Aplicação às despesas consideradas elegíveis de uma taxa máxima de 40%.
  • 9. IAPMEI 9 SI Qualificação de PME 1.2 Qualificação de PME OSIQualificaçãotemcomoobjetivoreforçaracapacitaçãoempresarialdasPMEapoiando os investimentos imateriais na área da competitividade1 , relacionados com a inovação organizacionalegestão,aeconomiadigital,acriaçãodemarcasedesign,odesenvolvimento e engenharia de produtos, serviços e processos, a proteção da propriedade industrial, a qualidade, a transferência de conhecimento, a distribuição e logística, a eco-inovação, a formação profissional ou a contratação de RH. Embora possa ser associada a outras tipologias de atuação, é através da tipologia de ecoinovação que este sistema de incentivos visa a incorporação nas empresas dos princípios da ecoeficiência e da economia circular, com vista a promover uma utilização mais eficiente dos recursos, incentivar a redução e reutilização de desperdícios e minimizar a extração e o recurso a matérias-primas. Inclui a certificações de sistemas, serviços e produtos na área do ambiente, obtenção do Rótulo Ecológico e sistema de ecogestão e auditoria (EMAS). Neste âmbito, os projetos a enquadrar poderão, a título exemplificativo, visar os seguintes tipos de intervenção: • Incentivar a redução/prevenção na produção de resíduos, reforçar o desincentivo às operações de eliminação de resíduos e favorecer as operações de valorização de resíduos, incluindo o coprocessamento, a valorização energética e a recuperação de materiais para reciclagem. • Incentivar a utilização de resíduos na produção de novos produtos, nomeadamente através da obtenção de novos materiais constituídos a partir de materiais residuais, de novos produtos com materiais residuais, da avaliação de ciclo de vida de soluções de ecodesign com materiais residuais, do melhoramento de processos de separação de materiais de produtos em fim de vida. • Promover as parcerias industriais que envolvem a transação de resíduos e de subprodutos. • Dinamizar a reciclagem de Resíduos Urbanos (RU) e a recolha seletiva. Projetos individuais 1| Nesta medida não são apoiados investimentos de natureza produtiva.
  • 10. 10IAPMEI SI Qualificação de PME • Eco-design a nível da produção para reduzir o excesso de embalagem dos produtos; reduzir/limitarautilizaçãodeváriosmateriaisnosprodutos,paraminimizaraslimitações à reciclagem e promover a reparabilidade e durabilidade dos produtos. • Promover o aumento da valorização das lamas de ETA e ETAR através da promoção e potenciação da diversificação dos seus destinos finais. Beneficiários e taxas: Beneficiários PME de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica. Incentivo Não Reembolsável (INR). Despesas Elegíveis Equipamento não produtivo, software, proteção de propriedade industrial e consultoria especializada nos domínios de intervenção do projeto. Taxa de Cofinanciamento 45% Despesas com Formação Entre 50 e 70% dependendo do tipo de formandos e da dimensão da empresa. PO Regional de Lisboa Aplicação às despesas consideradas elegíveis de uma taxa máxima de 40%. Limite de Incentivo 500 mil€ Projetos promovidos individualmente por uma PME:
  • 11. 11IAPMEI SI Qualificação de PME 1.3Qualificação de PME Projeto conjunto promovido por entidade sem fins lucrativos de natureza associativa e com competências específicas dirigidas às PME: • Incentivo Não Reembolsável. • Taxa de cofinanciamento para as PME’s envolvidas: 50%. • Despesas com Formação associada às ações de investimento podem ser apoiadas entre 50 e 70%, dependendo do tipo de formandos e da dimensão da empresa. Projetos conjuntos
  • 13. IAPMEI 13 Investigação & Desenvolvimento 2Investigação e Desenvolvimento Esta medida pretende apoiar projetos compreendendo atividades de investigação industrial e desenvolvimento experimental, conducentes à criação de novos produtos, processos ou sistemas ou à introdução de melhorias significativas em produtos, processos ou sistemas existentes. Neste âmbito, os projetos a enquadrar poderão, a título exemplificativo, visar os seguintes tipos de intervenção: • Desenvolver produtos eco-inovadores (verdes) e sustentáveis. • Desenvolver processos e produtos de baixo carbono e com uma utilização eficiente de recursos; •Projetosdeinvestigaçãodenovosprocessosdeproduçãomaisamigosdoambiente e sustentáveis; • Projetos de investigação de novos produtos ou serviços que permitam valorizar os serviços dos ecossistemas de setores ou regiões. • Incentivar a redução/prevenção na produção de resíduos, reforçar o desincentivo às operações de eliminação de resíduos e favorecer as operações de valorização deresíduos,incluindoocoprocessamento,avalorizaçãoenergéticaearecuperação de materiais para reciclagem. • Projetos de biorefinaria e/ou produção de biocombustíveis/energia a partir de resíduos. • Incentivar a utilização de resíduos na produção de novos produtos nas áreas: • de novos materiais constituídos a partir de materiais residuais, • de novos produtos com materiais residuais, • das potenciais simbioses ou redes de simbioses industriais (ex.º numa região), • da avaliação de ciclo de vida de soluções de ecodesign com materiais residuais, • da avaliação de ciclo de vida de simbioses, •domelhoramentodeprocessosdeseparaçãodemateriaisdeprodutosemfimdevida.
  • 14. IAPMEI 14 Investigação & Desenvolvimento • Projetos de investigação na área da construção sustentável. • Desenvolver novos processos de valorização das lamas de ETA e ETAR através da promoção e potenciação da diversificação dos seus destinos finais. Os projetos podem ser desenvolvidos individualmente por uma empresa (projetos de I&D individuais), ou em parceria entre empresas, universidades e outros centros de excelência nacionais e internacionais (projetos de I&D em co-promoção ou mobilizadores). Beneficiários e taxas: Beneficiários São beneficiários desta medida as empresas de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica. Projetos em copromoção – empresas e entidades não empresariais do sistema de I&D. Despesas Elegíveis São elegíveis as despesas com atividades de I&D, com contratação de RH, com Proteção da Propriedade intelectual e industrial e com Assistência técnico-científica. Incentivo Não Reembolsável até 1 Milhão de euros por beneficiário. A partir deste montante, 25% do incentivo passa a ser reembolsável. Condições de Reembolso Prestações semestrais, 7 anos com 3 anos de carência (sem juros). Taxas de cofinanciamento para as empresas2 : • Taxa base 25% podendo ser majorada até 80% em atividades de Investigação Industrial ou até 60% em atividades de Desenvolvimento Experimental, dependendo da dimensão da empresa e da existência de cooperação ou ações de divulgação ampla dos resultados do I&D. • PO Regional de Lisboa Aplicação às despesas consideradas elegíveis de uma taxa máxima de 40%. • PO Regional do Algarve Aplicação às despesas consideradas elegíveis de uma taxa máxima de 62%. 2| As taxas e condições de apoio a entidades não empresariais do sistema de I&D deverão ser consultadas nos respetivos regulamentos.
  • 16. IAPMEI 16 Inovação Produtiva 3Inovação Produtiva O SI Inovação Produtiva visa promover a inovação empresarial, através das tipologias Inovação Produtiva PME e Inovação Produtiva Não PME. Na tipologia Inovação Produtiva PME, são suscetíveis de apoio projetos para: a) Produção de novos bens e serviços ou melhorias significativas da produção atual através da transferência e aplicação de conhecimento; b) Adoção de novos, ou significativamente melhorados, processos ou métodos de fabrico, de logística e distribuição, bem como métodos organizacionais. Na tipologia Inovação Produtiva Não PME, são suscetíveis de apoio projetos para: a) Produção de novos bens e serviços ou melhorias significativas da produção atual através da transferência e aplicação de conhecimento; b) Adoção de novos ou significativamente melhorados, processos ou métodos de fabrico. Neste âmbito, os projetos a enquadrar poderão, a titulo exemplificativo, visar os seguintes tipos de intervenção: • Incentivar a implementação de novos processos e produtos, nomeadamente através de: • Implementação processos de produção ecoeficientes: processos de produção mais eficientes e mais limpos, produzindo mais, ao menor preço, com menos recursos, menos resíduos e menos impacto sobre o ambiente; • Desenvolvimento de ecodesign de processos e produtos: processos e produtos menos intensivos em recursos, dando prioridade a materiais renováveis e com menor perigosidade e risco, para pessoas e o ambiente, bem como à reutilização de matérias-primas recuperadas; • Produção de produtos com “modularização” dos componentes, permitindo fácil desmontagem, recuperação, reaproveitamento e triagem em fim de vida (componentes padronizados);
  • 17. IAPMEI 17 Inovação Produtiva • Implementação de atividades que possuam modelos de negócio centrados na manutenção, reparação, recondicionamento e remanufatura de produtos (extensão do ciclo de vida dos produtos); • Desenvolvimento de simbioses industriais: estratégias de negócio entre entidades que colaboram no uso eficiente de recursos de modo a melhorar o seu desempenho económico conjunto e correspondentes resultados (partilha de infraestruturas, equipamentos comuns ou aluguer, serviços comuns e a utilização de recursos); • Substituição de serviços físicos por equivalentes virtuais (transformação digital), plataformas de partilha e aluguer que maximizem a produtividade de equipamentos e conservem recursos - modelos empresariais baseados na locação, partilha, reparação, atualização ou reciclagem de componentes individuais. • Implementação de processos produtivos que visem a redução/prevenção na produção de resíduos, reforçar o desincentivo às operações de eliminação de resíduos e favorecer as operações de valorização de resíduos, incluindo o coprocessamento, a valorização energética e a recuperação de materiais para reciclagem: • Aproveitamento inovador de resíduos como a biomassa proveniente da floresta e das explorações agrícolas, nomeadamente para produção de energia; • Implementação de biorefinarias e/ou produção de biocombustíveis/energia a partir de resíduos: • Incentivar a utilização de resíduos na produção de novos produtos, nomeadamente através de novos materiais constituídos a partir de materiais residuais, de novos produtos com materiais residuais, incluindo a produção de composto a partir de resíduos alimentares recolhidos seletivamente ou a produção de biocombustíveis (ex: utilização de resíduos orgânicos na produção de biometano: • Promover o aumento da valorização das lamas de ETA e ETAR através da promoção e potenciação da diversificação dos seus destinos finais.
  • 18. IAPMEI 18 Inovação Produtiva Beneficiários e taxas: Beneficiários São beneficiários desta medida empresas de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica. Despesas Elegíveis Construção, Equipamento produtivo, Transferência de tecnologia, Serviços de engenharia, estudos e projetos. Incentivo Incentivo Reembolsável (I.R.) Condições de Reembolso Prestações semestrais, 8 anos com 2 de carência (sem juros). Taxas de Cofinanciamento Entre 30 e 75%. dependendo da dimensão da empresa, localização, tipo de projeto, natureza do empreendedor. Nas taxas de cofinanciamento inclui-se a Majoração «sustentabilidade»: 10 p.p. a atribuir a projetos que demonstrem atuações ou impactos em matéria de uso eficiente de recursos, eficiência energética, mobilidade sustentável e redução de emissões de gases com efeitos de estufa, a apreciar pela autoridade de gestão financiadora. Avaliação de resultados (Indicadores a avaliar no 2º ano após a conclusão do projeto: crescimento doVAB,postosdetrabalhoqualificadosevolumedenegócios)poderáoriginar uma conversão em Incentivo Não reembolsável até 60% dependendo da superação dos objetivos.