SlideShare uma empresa Scribd logo
Paulo Monteiro
As funções da linguagem
O processo da comunicação implica a presença de
seis elementos: o emissor (quem envia comunicação),
o receptor (quem recebe a comunicação), a
mensagem (o texto), o código (a convenção social
que produz a compreensão – a língua, por exemplo), o
canal (o meio físico, condutor da mensagem), e o
referente (o contexto, o assunto da mensagem).
Em toda a comunicação, imprime-se uma
intencionalidade, assim a linguagem pode revestir-se
de diferentes funções, estando estas relacionadas a
cada uma daqueles elementos do processo de
comunicação.
Espelho, amigo verdadeiro,
Tu refletes as minhas rugas,
Os meus cabelos brancos,
Os meus olhos míopes e cansados.
Espelho, amigo verdadeiro,
Mestre do realismo exato e minucioso,
Obrigado, obrigado!
Mas se fosses mágico,
Penetrarias até ao fundo desse homem triste,
Descobririas o menino que sustenta esse homem,
O menino que não quer morrer,
Que não morrerá senão comigo,
O menino que todos os anos na véspera de Natal
Pensa ainda em pôr os seus chinelinhos atrás da porta
(BANDEIRA, Manuel. Poesia completa e prosa. Rio de Janeiro:
Nova Aguilar, 1985, p.251).
Questão 01
Além da função poética, outra função da linguagem
presente em todo o poema é a:
a)Fática
b)Emotiva
c)Referencial
d)Explicativa
e)Metalinguística
Questão 01
Além da função poética, outra função da linguagem
presente em todo o poema é a:
a)Fática
b)Emotiva
c)Referencial
d)Explicativa
e)Metalinguística

O texto projeta emoções individuais.
Questão 02
Texto I
UM DISCURSO ESPECÍFICO
Nos textos comuns, nãoliterários, o redator escolhe as palavras
pela sua significação. Na elaboração do texto literário, ocorre a
preocupação com outra operação, tão importante quanto a primeira: a
combinação. Desse modo, seleção e combinação de palavras articulamse, criando no texto algumas pistas para o leitor.
O discurso literário é específico: sua linguagem é elaborada, de
modo que o aspecto formal também aponte as significações do texto. No
poema, isso se dá de maneira particularmente acentuada. Seleção e
combinação de palavras são pautadas não apenas pelo critério de
significação, mas também por outros critérios, como o rítmico, o sintático,
o sonoro, o decorrente de paralelismos e jogos formais.
(GOLDSTEIN, Norma. Versos, sons, ritmos. São Paulo: Ática, 2008, p. 6).
TEXTO II
NOVA POÉTICA
Vou lançar a teoria do poeta sórdido.
Poeta sórdido:
Aquele em cuja poesia há a marca suja da vida.
Vai um sujeito
Sai um sujeito de casa com a roupa de brim branco muito bem engomada, e na
primeira esquina
[passa um caminhão, salpica-lhe o paletó ou a calça de uma nódoa de lama:
É a vida.
O poema deve ser como a nódoa no brim:
Fazer o leitor satisfeito de se dar o desespero.
Sei que a poesia é também orvalho,
Mas este fica para as menininhas, as estrelas alfas, as virgens cem por cento
[e as amadas que envelheceram sem maldade.
(BANDEIRA, Manuel. Poesia completa e prosa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar,
1997, p. 287).
De acordo com as informações do texto I, é correto
afirmar que, no texto II, o autor:
a)Valoriza a forma em detrimento do conteúdo.
b)Rejeita a ideia da poesia vista como consolo.
c)Possui uma concepção absurda da realidade.
d)Vê a vida na sua expressão de plenitude.
e)Ironiza os pessimistas conforme a anedota.
De acordo com as informações do texto I, é correto afirmar
que, no texto II, o autor:

a)Valoriza a forma em detrimento do conteúdo.
b)Rejeita a ideia da poesia vista como consolo.
c)Possui uma concepção absurda da realidade.
d)Vê a vida na sua expressão de plenitude.
e)Ironiza os pessimistas conforme a anedota.

A ideia da poesia como consolo, rejeitada pelo poeta,
aparece na imagem: “Sei que poesia também é orvalho”;
descarta tal concepção, ao afirmar que o orvalho fica para
os que se afastam da realidade crua.
Questão 03
Observar o seguinte fragmento de texto:
O motorista de um ônibus foi espancado até a morte por moradores
na noite de domingo após perder o controle do veículo e atingir diversos
carros e motos no Jardim Planalto, no bairro do Sapopemba, zona leste
de São Paulo. De acordo com a Polícia Militar, o cobrador do coletivo
afirmou que o motorista teve um mal súbito e por isso bateu o carro.
Ele foi socorrido ao Pronto-Socorro do Hospital Sapopemba, mas,
segundo o hospital, já chegou em óbito.
O acidente ocorreu por volta das 23h40 na rua Torres Florêncio e
Rielli. Segundo informações do Bom Dia SP, testemunhas afirmaram
que ali acontecia um baile funk. O ônibus bateu em um furgão e
atingiu mais dois carros e três motos antes de uma passageira puxar o
freio de mão. Os frequentadores do baile funk teriam se revoltado com
o acidente, depredado o veículo e espancado o motorista. O caso foi
registrado na 70ª DP. Até a manhã desta segunda-feira, ninguém havia
sido preso.
(http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/ consulta em 28/11/2011)
Tendo essa mensagem como objetivo a transmissão
de informações acerca de um fato cotidiano, enquadrase, predominantemente, na função da linguagem:
a)Emotiva
b)Referencial
c)Metalinguística
d)Conativa
e)Poética
Tendo essa mensagem como objetivo a transmissão de
informações acerca de um fato cotidiano, enquadra-se,
predominantemente, na função da linguagem:
a)Emotiva
b)Referencial
c)Metalinguística
d)Conativa
e)Poética

O conteúdo da mensagem é essencialmente informativo.
Questão 04
(ENEM 2010) A biosfera, que reúne todos os ambientes onde se desenvolvem
os seres vivos, se divide em unidades menores chamadas ecossistemas, que
podem ser uma floresta, um deserto e até um lago. Um ecossistema tem
múltiplos mecanismos que regulam o número de organismos dentro dele,
controlando sua reprodução, crescimento e migrações.
(DUARTE, M. O guia dos curiosos. São Paulo: Companhia das Letras, 1995)
Predomina no texto a função da linguagem
a) emotiva, porque o autor expressa seu sentimento em relação à ecologia.
b) fática, porque o texto testa o funcionamento do canal de comunicação.
c) poética, porque o texto chama a atenção para os recursos de
linguagem,
d) conativa, porque o texto procura orientar comporta- mentos do leitor.
e) referencial, porque o texto trata de noções e informações
conceituais.
Questão 04
(ENEM 2010) A biosfera, que reúne todos os ambientes onde se desenvolvem os seres
vivos, se divide em unidades menores chamadas ecossistemas, que podem ser uma
floresta, um deserto e até um lago. Um ecossistema tem múltiplos mecanismos que
regulam o número de organismos dentro dele, controlando sua reprodução, crescimento
e migrações.
(DUARTE, M. O guia dos curiosos. São Paulo: Companhia das Letras, 1995)
Predomina no texto a função da linguagem
a) emotiva, porque o autor expressa seu sentimento em relação à ecologia.
b) fática, porque o texto testa o funcionamento do canal de comunicação.
c) poética, porque o texto chama a atenção para os recursos de linguagem,
d) conativa, porque o texto procura orientar comporta- mentos do leitor.
e) referencial, porque o texto trata de noções e informações conceituais.
Questão 04
(ENEM 2010) A biosfera, que reúne todos os ambientes onde se desenvolvem os seres
vivos, se divide em unidades menores chamadas ecossistemas, que podem ser uma
floresta, um deserto e até um lago. Um ecossistema tem múltiplos mecanismos que
regulam o número de organismos dentro dele, controlando sua reprodução, crescimento
e migrações.
(DUARTE, M. O guia dos curiosos. São Paulo: Companhia das Letras, 1995)
Predomina no texto a função da linguagem
a) emotiva, porque o autor expressa seu sentimento em relação à ecologia.
b) fática, porque o texto testa o funcionamento do canal de comunicação.
c) poética, porque o texto chama a atenção para os recursos de linguagem,
d) conativa, porque o texto procura orientar comporta- mentos do leitor.
e) referencial, porque o texto trata de noções e informações conceituais.

A mensagem se centra no referente.
Questões 05 e 06
CANÇÃO DO VENTO E DA MINHA VIDA

O vento varria as folhas,
O vento varria os frutos,
O vento varria as flores...
E a minha vida ficava
Cada vez mais cheia
De frutos, de flores, de folhas.
[...]
O vento varria os sonhos
E varria as amizades...
O vento varria as mulheres...
E a minha vida ficava

Cada vez mais cheia
De afetos e de mulheres.

O vento varria os meses
E varria os teus sorrisos...
O vento varria tudo!

E a minha vida ficava
Cada vez mais cheia
De tudo.

(BANDEIRA, Manuel. Poesia completa e prosa. Rio
de Janeiro: José Aguilar, 1967.).
Questão 05
(ENEM 2009) Na estruturação do texto, destaca-se:

A) A construção de oposições semânticas.
B) A apresentação de ideias de forma objetiva.
C) O emprego recorrente de figuras de linguagem, como o
eufemismo.
D) A repetição de sons e de construções sintáticas semelhantes.
E) A inversão da ordem sintática das palavras.
Questão 05
(ENEM 2009) Na estruturação do texto, destaca-se:

A) A construção de oposições semânticas.
B) A apresentação de ideias de forma objetiva.
C) O emprego recorrente de figuras de linguagem, como o
eufemismo.
D) A repetição de sons e de construções sintáticas semelhantes.
E) A inversão da ordem sintática das palavras.

O autor emprega aliterações, anáforas e paralelismos.
Questão 06
(ENEM 2009) Predomina no texto a função da linguagem
A) fática, porque o autor procura testar o canal de comunicação.
B) metalinguística, porque há explicação do significado das expressões.
C) conativa, uma vez que o leitor é provocado a participar de uma ação.
D) referencial, já que são apresentadas informações sobre acontecimentos e fatos reais.
E) poética, pois chama a atenção para a elaboração especial e artística da estrutura do
texto.
Questão 06
(ENEM 2009) Predomina no texto a função da linguagem
A) fática, porque o autor procura testar o canal de comunicação.
B) metalinguística, porque há explicação do significado das expressões.
C) conativa, uma vez que o leitor é provocado a participar de uma ação.
D) referencial, já que são apresentadas informações sobre acontecimentos e fatos reais.
E) poética, pois chama a atenção para a elaboração especial e artística da estrutura do
texto.

A função poética se concentra na mensagem; assim, há uma maneira singular e
inaugural na composição da obra de arte.
Questão 07
Observar o que se segue:
(H 19) O objetivo dessa mensagem é persuadir o
destinatário, implicando, assim, a função da linguagem:
a)Emotiva
b)Referencial
c)Metalinguística
d)Conativa
e)Fática
(H 19) O objetivo dessa mensagem é persuadir o
destinatário, implicando, assim, a função da linguagem:
a)Emotiva
b)Referencial
c)Metalinguística
d)Conativa
e)Fática

A marca do apelo se dá através das formas verbais no
imperativo
Questão 08

HOJE O POEMA NÃO SAI
Hoje o poema não sai
Nem se usasse revólver
Que medo de bala não tem
A metáfora nova escorrida.
O poema esconde a palavra
Como a cabra esconde o leite
A vaca o bezerro novo
Sob o jumeral fechado.
Não adianta puxar os cabelos
Morder as unhas as orelhas
Mesmo impossível de mordê-las.
O poema está grudado
Como casca de ferida
Espinho dentro da carne
Que a árvore ferida de morte
Também tem sua vingança.
(PINTO, José Alcides. Poemas escolhidos- II. São Paulo: Edições GRD, 2006, p.248)
A função da linguagem predominante nesse texto é a metalinguística, pois o
interesse da composição se concentra em si mesma. Tal procedimento ocorre em:
a) “Estou no que sou , unido a mim feito grude, / não conheço meu voo, sou só latitude, /
não meço carícias para ser um rude, / não peço vastas fronteiras, sou amplitude” (Marcelo
Dolabela)

b)“Amei, amei. Não sei se fui amado, / pois declarei amor a quem odiara / e quem amei
jamais mostrei a cara, / de medo de me ver posto de lado” (Glauco Mattoso).
c)“Compre: beba, coma, vista / pegue, passe, pague, gaste-se / entre, com a, entre em
coma, / vista bacana, beba bacana / babe, beba, gaste a grana / compre linha, linho, lã”
(Aleiton Fonseca)

d)“Escreveram-se, nos últimos anos, poemas demais com a palavra pedra. / Poemas
brancos, vítreos, secos, lacônicos como um pigarro. / As imagens de rios lentos, o sertão,
montanhas mineiras, garimpo.” (Sérgio Sant’Anna).
e)“Do que se reparte / amor / prazer / arte / é o que persiste / do que se divide / só o meio
a meio / resta inteiro / o resto / não resiste” (Alice Ruiz)
A função da linguagem predominante nesse texto é a metalinguística, pois o
interesse da composição se concentra em si mesma. Tal procedimento ocorre em:
a) “Estou no que sou , unido a mim feito grude, / não conheço meu voo, sou só latitude, /
não meço carícias para ser um rude, / não peço vastas fronteiras, sou amplitude” (Marcelo
Dolabela)

b)“Amei, amei. Não sei se fui amado, / pois declarei amor a quem odiara / e quem amei
jamais mostrei a cara, / de medo de me ver posto de lado” (Glauco Mattoso).
c)“Compre: beba, coma, vista / pegue, passe, pague, gaste-se / entre, com a, entre em
coma, / vista bacana, beba bacana / babe, beba, gaste a grana / compre linha, linho, lã”
(Aleiton Fonseca)

d)“Escreveram-se, nos últimos anos, poemas demais com a palavra pedra. / Poemas
brancos, vítreos, secos, lacônicos como um pigarro. / As imagens de rios lentos, o
sertão, montanhas mineiras, garimpo.” (Sérgio Sant’Anna).
e)“Do que se reparte / amor / prazer / arte / é o que persiste / do que se divide / só o meio
a meio / resta inteiro / o resto / não resiste” (Alice Ruiz)

O poema realiza uma leitura de procedimentos estéticos que considera do passado.
Questão 09

Pondo o sonho e a vida juntos.

A DOCE CANÇÃO
Pus-me a cantar minha pena
Com uma palavra tão doce,
De maneira tão serena,
Que até Deus pensou que fosse
Felicidade - e não pena.

O mistério do meu canto
Deus não soube, tu não viste.
Prodígio imenso do pranto:
- Todos perdidos de encanto
Só eu morrendo de triste!

Anjos de lira dourada
Debruçaram-se da altura.
Não houve, no chão, criatura
De que eu não fosse invejada,
Pela minha voz tão pura.
Acordei a quem dormia,
Fiz suspirarem os defuntos.
Um arco-íris de alegria
Da minha boca se erguia

Por isso tão docemente
Meu mal transformar em verso,
Oxalá Deus não aumente,
Para trazer o Universo de
Polo a polo contente!
(MEIRELES, Cecília. Obra Poética.
Rio de Janeiro: Cia. José Aguilar
Editora. 1967. p.187.)
. (MOD.ENEM – H 19) Além da função poética, que já lhe é
natural, destaca-se nesse texto a seguinte função da
linguagem:

a)Fática
b)Referencial
c)Conativa
d)Metalinguística
e)Emotiva
. (MOD.ENEM – H 19) Além da função poética, que já lhe é
natural, destaca-se nesse texto a seguinte função da
linguagem:

a)Fática
b)Referencial
c)Conativa
d)Metalinguística
e)Emotiva

O texto recai sobre si mesmo: os efeitos provocados pelo
canto.
Questão 10

BRINDE AO BANQUETE DAS MUSAS
Poesia, marulho e náusea,
Poesia, canção suicida,
Poesia, que recomeças
De outro mundo, noutra vida
Deixaste-nos mais famintos,
Poesia, comida estranha,
Se nenhum pão te equivale:
A mosca deglute a aranha.
Poesia sobre os princípios
E os vagos dons do universo:
Em teu regaço incestuoso,
O belo câncer do verso.
Poesia, sobre o telúrio,
Reintegra a essência do poeta,
E o que é perdido se salva...
Poesia, morte secreta.
(ANDRADE, Carlos Drummond de. Poesia e prosa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1992, 248.)
Além da função poética, predomina nesse texto a seguinte
função da linguagem:
a)Contativa
b)Metalinguística
c)Referencial
d)Emotiva
e)Fática
Além da função poética, predomina nesse texto a seguinte
função da linguagem:
a)Contativa
b)Metalinguística
c)Referencial
d)Emotiva
e)Fática

Trata-se de uma reflexão acerca do fazer poético e da
atmosfera geral que envolve a arte poética.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Intertextualidade e Paráfrase
Intertextualidade e ParáfraseIntertextualidade e Paráfrase
Intertextualidade e Paráfrase
Jomari
 
Oficina de texto - Intertextualidades
Oficina de texto - IntertextualidadesOficina de texto - Intertextualidades
Oficina de texto - Intertextualidades
Vera Lucia Paganini
 
Funcoes da linguagem enem
Funcoes da linguagem   enemFuncoes da linguagem   enem
Funcoes da linguagem enem
Estude Mais
 
Intertextualidade 2020
Intertextualidade 2020Intertextualidade 2020
Intertextualidade 2020
Marcia Facelli
 
Intertextualidade na Canção e Poesia
Intertextualidade na Canção e PoesiaIntertextualidade na Canção e Poesia
Intertextualidade na Canção e Poesia
Adilson P Motta Motta
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
Fabio Junior Sarti
 
Intertextualidade e linguagem Catia Delatorre
Intertextualidade e linguagem   Catia DelatorreIntertextualidade e linguagem   Catia Delatorre
Intertextualidade e linguagem Catia Delatorre
Catia Delatorre
 
A intertextualidade: micro-aula
A intertextualidade: micro-aulaA intertextualidade: micro-aula
A intertextualidade: micro-aula
Miquéias Vitorino
 
Aula intertextualidade
Aula intertextualidadeAula intertextualidade
Aula intertextualidade
Abrahão Costa de Freitas
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
Andriane Cursino
 
Prova de literatura
Prova de literaturaProva de literatura
Prova de literatura
José Neto
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
Hélio Consolaro
 
Gênero dramático no enem
Gênero dramático no enemGênero dramático no enem
Gênero dramático no enem
ma.no.el.ne.ves
 
Em intertextualidade
Em intertextualidadeEm intertextualidade
Em intertextualidade
Eduardo Aparecido Ambrozeto
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
vanysouza
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
Renato Rodrigues
 
Intertextualidade 20-11-2011-expositivas
Intertextualidade 20-11-2011-expositivasIntertextualidade 20-11-2011-expositivas
Intertextualidade 20-11-2011-expositivas
Hélide Maria
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
lisiane23
 
01. intertextualidade pre
01. intertextualidade pre01. intertextualidade pre
01. intertextualidade pre
literatura_prefederal
 
Intertextualidade2
Intertextualidade2Intertextualidade2
Intertextualidade2
Fabiana Gomes
 

Mais procurados (20)

Intertextualidade e Paráfrase
Intertextualidade e ParáfraseIntertextualidade e Paráfrase
Intertextualidade e Paráfrase
 
Oficina de texto - Intertextualidades
Oficina de texto - IntertextualidadesOficina de texto - Intertextualidades
Oficina de texto - Intertextualidades
 
Funcoes da linguagem enem
Funcoes da linguagem   enemFuncoes da linguagem   enem
Funcoes da linguagem enem
 
Intertextualidade 2020
Intertextualidade 2020Intertextualidade 2020
Intertextualidade 2020
 
Intertextualidade na Canção e Poesia
Intertextualidade na Canção e PoesiaIntertextualidade na Canção e Poesia
Intertextualidade na Canção e Poesia
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
 
Intertextualidade e linguagem Catia Delatorre
Intertextualidade e linguagem   Catia DelatorreIntertextualidade e linguagem   Catia Delatorre
Intertextualidade e linguagem Catia Delatorre
 
A intertextualidade: micro-aula
A intertextualidade: micro-aulaA intertextualidade: micro-aula
A intertextualidade: micro-aula
 
Aula intertextualidade
Aula intertextualidadeAula intertextualidade
Aula intertextualidade
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
 
Prova de literatura
Prova de literaturaProva de literatura
Prova de literatura
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
 
Gênero dramático no enem
Gênero dramático no enemGênero dramático no enem
Gênero dramático no enem
 
Em intertextualidade
Em intertextualidadeEm intertextualidade
Em intertextualidade
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
 
Intertextualidade 20-11-2011-expositivas
Intertextualidade 20-11-2011-expositivasIntertextualidade 20-11-2011-expositivas
Intertextualidade 20-11-2011-expositivas
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
 
01. intertextualidade pre
01. intertextualidade pre01. intertextualidade pre
01. intertextualidade pre
 
Intertextualidade2
Intertextualidade2Intertextualidade2
Intertextualidade2
 

Destaque

Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
Tim Bagatelas
 
Brasil romantismo e realismo
Brasil romantismo e realismoBrasil romantismo e realismo
Brasil romantismo e realismo
Isabella Silva
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagem Figuras de linguagem
Figuras de linguagem
paulomonteiropimpao
 
Analise sobre o poema ''Poética'' de Manuel Bandeira
Analise sobre o poema ''Poética'' de Manuel BandeiraAnalise sobre o poema ''Poética'' de Manuel Bandeira
Analise sobre o poema ''Poética'' de Manuel Bandeira
Mayara Maia
 
Barroco no enem
Barroco no enemBarroco no enem
Barroco no enem
ma.no.el.ne.ves
 
Análise de meus poemas preferidos, de manuel bandeira
Análise de meus poemas preferidos, de manuel bandeiraAnálise de meus poemas preferidos, de manuel bandeira
Análise de meus poemas preferidos, de manuel bandeira
ma.no.el.ne.ves
 
Funções da linguagem com exercícios
Funções da linguagem com exercíciosFunções da linguagem com exercícios
Funções da linguagem com exercícios
Sônia Sochiarelli
 
Romantismo Brasileiro - poesia e prosa
Romantismo Brasileiro - poesia e prosaRomantismo Brasileiro - poesia e prosa
Romantismo Brasileiro - poesia e prosa
Tim Bagatelas
 
Língua e linguagem, código linguístico, funções da linguagem
Língua e linguagem, código linguístico, funções da linguagemLíngua e linguagem, código linguístico, funções da linguagem
Língua e linguagem, código linguístico, funções da linguagem
Éric Santos
 
Segunda aplicação do enem 2016; Compreensão textual
Segunda aplicação do enem 2016; Compreensão textualSegunda aplicação do enem 2016; Compreensão textual
Segunda aplicação do enem 2016; Compreensão textual
ma.no.el.ne.ves
 
Codigos linguisticos
Codigos linguisticosCodigos linguisticos
Codigos linguisticos
HumbertoST
 
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa. Exemplos com músicas brasileiras
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa.  Exemplos com músicas brasileirasFunções da Linguagem - Língua Portuguesa.  Exemplos com músicas brasileiras
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa. Exemplos com músicas brasileiras
Douglas Vieira
 

Destaque (12)

Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Brasil romantismo e realismo
Brasil romantismo e realismoBrasil romantismo e realismo
Brasil romantismo e realismo
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagem Figuras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Analise sobre o poema ''Poética'' de Manuel Bandeira
Analise sobre o poema ''Poética'' de Manuel BandeiraAnalise sobre o poema ''Poética'' de Manuel Bandeira
Analise sobre o poema ''Poética'' de Manuel Bandeira
 
Barroco no enem
Barroco no enemBarroco no enem
Barroco no enem
 
Análise de meus poemas preferidos, de manuel bandeira
Análise de meus poemas preferidos, de manuel bandeiraAnálise de meus poemas preferidos, de manuel bandeira
Análise de meus poemas preferidos, de manuel bandeira
 
Funções da linguagem com exercícios
Funções da linguagem com exercíciosFunções da linguagem com exercícios
Funções da linguagem com exercícios
 
Romantismo Brasileiro - poesia e prosa
Romantismo Brasileiro - poesia e prosaRomantismo Brasileiro - poesia e prosa
Romantismo Brasileiro - poesia e prosa
 
Língua e linguagem, código linguístico, funções da linguagem
Língua e linguagem, código linguístico, funções da linguagemLíngua e linguagem, código linguístico, funções da linguagem
Língua e linguagem, código linguístico, funções da linguagem
 
Segunda aplicação do enem 2016; Compreensão textual
Segunda aplicação do enem 2016; Compreensão textualSegunda aplicação do enem 2016; Compreensão textual
Segunda aplicação do enem 2016; Compreensão textual
 
Codigos linguisticos
Codigos linguisticosCodigos linguisticos
Codigos linguisticos
 
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa. Exemplos com músicas brasileiras
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa.  Exemplos com músicas brasileirasFunções da Linguagem - Língua Portuguesa.  Exemplos com músicas brasileiras
Funções da Linguagem - Língua Portuguesa. Exemplos com músicas brasileiras
 

Semelhante a Funções da linguagem

Simulado ousadia enem 2011
Simulado ousadia enem 2011Simulado ousadia enem 2011
Simulado ousadia enem 2011
Marcelo Gomes
 
Funções da Linguagem para alunos de ensino médio
Funções da Linguagem para alunos de ensino médioFunções da Linguagem para alunos de ensino médio
Funções da Linguagem para alunos de ensino médio
dasmargensaocentro
 
Conteúdo de linguagem cobrado no enem
Conteúdo de linguagem cobrado no enemConteúdo de linguagem cobrado no enem
Conteúdo de linguagem cobrado no enem
Valéria Alves de Arantes
 
Conteúdo de linguagem cobrado no enem
Conteúdo de linguagem cobrado no enemConteúdo de linguagem cobrado no enem
Conteúdo de linguagem cobrado no enem
Valéria Alves de Arantes
 
Literatura 1º-ano
Literatura 1º-anoLiteratura 1º-ano
Literatura 1º-ano
moisaniel furtado
 
Slides sobre as Funções da Linguagem.pptx
Slides sobre as Funções da Linguagem.pptxSlides sobre as Funções da Linguagem.pptx
Slides sobre as Funções da Linguagem.pptx
MauricioOliveira258223
 
funcoes-da-linguagem.ppt
funcoes-da-linguagem.pptfuncoes-da-linguagem.ppt
funcoes-da-linguagem.ppt
LuizGustavoTMLopes
 
01_SAS_ENEM_2021.pdf
01_SAS_ENEM_2021.pdf01_SAS_ENEM_2021.pdf
01_SAS_ENEM_2021.pdf
KATIANEREGINADOSSSIL
 
Es em lp_1serie_aprender_semprerecapr
Es em lp_1serie_aprender_semprerecaprEs em lp_1serie_aprender_semprerecapr
Es em lp_1serie_aprender_semprerecapr
Leeloominai Laminai Leeloo
 
41736_697451ea17efc781dc4464e79181a61a.pdf
41736_697451ea17efc781dc4464e79181a61a.pdf41736_697451ea17efc781dc4464e79181a61a.pdf
41736_697451ea17efc781dc4464e79181a61a.pdf
ssuserac1ab5
 
intertextualidadesnoenem-171016134816 (1).pptx
intertextualidadesnoenem-171016134816 (1).pptxintertextualidadesnoenem-171016134816 (1).pptx
intertextualidadesnoenem-171016134816 (1).pptx
keilaoliveira69
 
Segunda aplicação do enem 2009, literatura
Segunda aplicação do enem 2009, literaturaSegunda aplicação do enem 2009, literatura
Segunda aplicação do enem 2009, literatura
ma.no.el.ne.ves
 
Introdução ao estudo da literatura
Introdução ao estudo da literaturaIntrodução ao estudo da literatura
Introdução ao estudo da literatura
Flavio Maia Custodio
 
ENEM-2000 resolvido e comentado
ENEM-2000 resolvido e comentadoENEM-2000 resolvido e comentado
ENEM-2000 resolvido e comentado
ma.no.el.ne.ves
 
Avaliação mensal 2col2bi
Avaliação mensal 2col2biAvaliação mensal 2col2bi
Avaliação mensal 2col2bi
Universidade Federal de Uberlândia
 
Texto poético.ppt
Texto poético.pptTexto poético.ppt
Texto poético.ppt
LeonelRamos27
 
A ficção nas mídias
A ficção nas mídiasA ficção nas mídias
A ficção nas mídias
Paula R. Verani
 
Ficha informativa o texto poético
Ficha informativa   o texto poéticoFicha informativa   o texto poético
Ficha informativa o texto poético
MEC Portugal
 
1 funcoes_da_linguagem
1  funcoes_da_linguagem1  funcoes_da_linguagem
1 funcoes_da_linguagem
Joao Vitor Mittelmann
 
1a prova de recuperação semestral com gabarito
1a prova de recuperação semestral com gabarito1a prova de recuperação semestral com gabarito
1a prova de recuperação semestral com gabarito
Val Valença
 

Semelhante a Funções da linguagem (20)

Simulado ousadia enem 2011
Simulado ousadia enem 2011Simulado ousadia enem 2011
Simulado ousadia enem 2011
 
Funções da Linguagem para alunos de ensino médio
Funções da Linguagem para alunos de ensino médioFunções da Linguagem para alunos de ensino médio
Funções da Linguagem para alunos de ensino médio
 
Conteúdo de linguagem cobrado no enem
Conteúdo de linguagem cobrado no enemConteúdo de linguagem cobrado no enem
Conteúdo de linguagem cobrado no enem
 
Conteúdo de linguagem cobrado no enem
Conteúdo de linguagem cobrado no enemConteúdo de linguagem cobrado no enem
Conteúdo de linguagem cobrado no enem
 
Literatura 1º-ano
Literatura 1º-anoLiteratura 1º-ano
Literatura 1º-ano
 
Slides sobre as Funções da Linguagem.pptx
Slides sobre as Funções da Linguagem.pptxSlides sobre as Funções da Linguagem.pptx
Slides sobre as Funções da Linguagem.pptx
 
funcoes-da-linguagem.ppt
funcoes-da-linguagem.pptfuncoes-da-linguagem.ppt
funcoes-da-linguagem.ppt
 
01_SAS_ENEM_2021.pdf
01_SAS_ENEM_2021.pdf01_SAS_ENEM_2021.pdf
01_SAS_ENEM_2021.pdf
 
Es em lp_1serie_aprender_semprerecapr
Es em lp_1serie_aprender_semprerecaprEs em lp_1serie_aprender_semprerecapr
Es em lp_1serie_aprender_semprerecapr
 
41736_697451ea17efc781dc4464e79181a61a.pdf
41736_697451ea17efc781dc4464e79181a61a.pdf41736_697451ea17efc781dc4464e79181a61a.pdf
41736_697451ea17efc781dc4464e79181a61a.pdf
 
intertextualidadesnoenem-171016134816 (1).pptx
intertextualidadesnoenem-171016134816 (1).pptxintertextualidadesnoenem-171016134816 (1).pptx
intertextualidadesnoenem-171016134816 (1).pptx
 
Segunda aplicação do enem 2009, literatura
Segunda aplicação do enem 2009, literaturaSegunda aplicação do enem 2009, literatura
Segunda aplicação do enem 2009, literatura
 
Introdução ao estudo da literatura
Introdução ao estudo da literaturaIntrodução ao estudo da literatura
Introdução ao estudo da literatura
 
ENEM-2000 resolvido e comentado
ENEM-2000 resolvido e comentadoENEM-2000 resolvido e comentado
ENEM-2000 resolvido e comentado
 
Avaliação mensal 2col2bi
Avaliação mensal 2col2biAvaliação mensal 2col2bi
Avaliação mensal 2col2bi
 
Texto poético.ppt
Texto poético.pptTexto poético.ppt
Texto poético.ppt
 
A ficção nas mídias
A ficção nas mídiasA ficção nas mídias
A ficção nas mídias
 
Ficha informativa o texto poético
Ficha informativa   o texto poéticoFicha informativa   o texto poético
Ficha informativa o texto poético
 
1 funcoes_da_linguagem
1  funcoes_da_linguagem1  funcoes_da_linguagem
1 funcoes_da_linguagem
 
1a prova de recuperação semestral com gabarito
1a prova de recuperação semestral com gabarito1a prova de recuperação semestral com gabarito
1a prova de recuperação semestral com gabarito
 

Mais de paulomonteiropimpao

Revisão (ii)
Revisão (ii)Revisão (ii)
Revisão (ii)
paulomonteiropimpao
 
Literatura revisão paulo_monteiro (1)
Literatura revisão paulo_monteiro (1)Literatura revisão paulo_monteiro (1)
Literatura revisão paulo_monteiro (1)
paulomonteiropimpao
 
Habilidade 16 figuras de linguagem
Habilidade 16 figuras de linguagemHabilidade 16 figuras de linguagem
Habilidade 16 figuras de linguagem
paulomonteiropimpao
 
Realismo
Realismo Realismo
Interpretação 2014
Interpretação  2014Interpretação  2014
Interpretação 2014
paulomonteiropimpao
 
Fatos da linguagem no texto (I)
Fatos da linguagem no texto (I)Fatos da linguagem no texto (I)
Fatos da linguagem no texto (I)
paulomonteiropimpao
 
Revisão (ii)
Revisão (ii)Revisão (ii)
Revisão (ii)
paulomonteiropimpao
 
Revisão especial (i)
Revisão especial (i)Revisão especial (i)
Revisão especial (i)
paulomonteiropimpao
 
Duas lágrimas contam a história
Duas lágrimas contam a históriaDuas lágrimas contam a história
Duas lágrimas contam a história
paulomonteiropimpao
 
Literatura revisão paulo_monteiro (1)
Literatura revisão paulo_monteiro (1)Literatura revisão paulo_monteiro (1)
Literatura revisão paulo_monteiro (1)
paulomonteiropimpao
 
Revisão enem
Revisão enemRevisão enem
Revisão enem
paulomonteiropimpao
 
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Barroco (paulo monteiro)
Barroco (paulo monteiro)Barroco (paulo monteiro)
Barroco (paulo monteiro)
paulomonteiropimpao
 

Mais de paulomonteiropimpao (15)

Revisão (ii)
Revisão (ii)Revisão (ii)
Revisão (ii)
 
Literatura revisão paulo_monteiro (1)
Literatura revisão paulo_monteiro (1)Literatura revisão paulo_monteiro (1)
Literatura revisão paulo_monteiro (1)
 
Habilidade 16 figuras de linguagem
Habilidade 16 figuras de linguagemHabilidade 16 figuras de linguagem
Habilidade 16 figuras de linguagem
 
Realismo
Realismo Realismo
Realismo
 
Quinhentismo
Quinhentismo Quinhentismo
Quinhentismo
 
Períodos literários
Períodos literáriosPeríodos literários
Períodos literários
 
Interpretação 2014
Interpretação  2014Interpretação  2014
Interpretação 2014
 
Fatos da linguagem no texto (I)
Fatos da linguagem no texto (I)Fatos da linguagem no texto (I)
Fatos da linguagem no texto (I)
 
Revisão (ii)
Revisão (ii)Revisão (ii)
Revisão (ii)
 
Revisão especial (i)
Revisão especial (i)Revisão especial (i)
Revisão especial (i)
 
Duas lágrimas contam a história
Duas lágrimas contam a históriaDuas lágrimas contam a história
Duas lágrimas contam a história
 
Literatura revisão paulo_monteiro (1)
Literatura revisão paulo_monteiro (1)Literatura revisão paulo_monteiro (1)
Literatura revisão paulo_monteiro (1)
 
Revisão enem
Revisão enemRevisão enem
Revisão enem
 
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
 
Barroco (paulo monteiro)
Barroco (paulo monteiro)Barroco (paulo monteiro)
Barroco (paulo monteiro)
 

Último

Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
Suzy De Abreu Santana
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
Giovana Gomes da Silva
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptxQUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
AntonioVieira539017
 

Último (20)

Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptxQUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
 

Funções da linguagem

  • 2. As funções da linguagem O processo da comunicação implica a presença de seis elementos: o emissor (quem envia comunicação), o receptor (quem recebe a comunicação), a mensagem (o texto), o código (a convenção social que produz a compreensão – a língua, por exemplo), o canal (o meio físico, condutor da mensagem), e o referente (o contexto, o assunto da mensagem). Em toda a comunicação, imprime-se uma intencionalidade, assim a linguagem pode revestir-se de diferentes funções, estando estas relacionadas a cada uma daqueles elementos do processo de comunicação.
  • 3. Espelho, amigo verdadeiro, Tu refletes as minhas rugas, Os meus cabelos brancos, Os meus olhos míopes e cansados. Espelho, amigo verdadeiro, Mestre do realismo exato e minucioso, Obrigado, obrigado! Mas se fosses mágico, Penetrarias até ao fundo desse homem triste, Descobririas o menino que sustenta esse homem, O menino que não quer morrer, Que não morrerá senão comigo, O menino que todos os anos na véspera de Natal Pensa ainda em pôr os seus chinelinhos atrás da porta (BANDEIRA, Manuel. Poesia completa e prosa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1985, p.251).
  • 4. Questão 01 Além da função poética, outra função da linguagem presente em todo o poema é a: a)Fática b)Emotiva c)Referencial d)Explicativa e)Metalinguística
  • 5. Questão 01 Além da função poética, outra função da linguagem presente em todo o poema é a: a)Fática b)Emotiva c)Referencial d)Explicativa e)Metalinguística O texto projeta emoções individuais.
  • 6. Questão 02 Texto I UM DISCURSO ESPECÍFICO Nos textos comuns, nãoliterários, o redator escolhe as palavras pela sua significação. Na elaboração do texto literário, ocorre a preocupação com outra operação, tão importante quanto a primeira: a combinação. Desse modo, seleção e combinação de palavras articulamse, criando no texto algumas pistas para o leitor. O discurso literário é específico: sua linguagem é elaborada, de modo que o aspecto formal também aponte as significações do texto. No poema, isso se dá de maneira particularmente acentuada. Seleção e combinação de palavras são pautadas não apenas pelo critério de significação, mas também por outros critérios, como o rítmico, o sintático, o sonoro, o decorrente de paralelismos e jogos formais. (GOLDSTEIN, Norma. Versos, sons, ritmos. São Paulo: Ática, 2008, p. 6).
  • 7. TEXTO II NOVA POÉTICA Vou lançar a teoria do poeta sórdido. Poeta sórdido: Aquele em cuja poesia há a marca suja da vida. Vai um sujeito Sai um sujeito de casa com a roupa de brim branco muito bem engomada, e na primeira esquina [passa um caminhão, salpica-lhe o paletó ou a calça de uma nódoa de lama: É a vida. O poema deve ser como a nódoa no brim: Fazer o leitor satisfeito de se dar o desespero. Sei que a poesia é também orvalho, Mas este fica para as menininhas, as estrelas alfas, as virgens cem por cento [e as amadas que envelheceram sem maldade. (BANDEIRA, Manuel. Poesia completa e prosa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1997, p. 287).
  • 8. De acordo com as informações do texto I, é correto afirmar que, no texto II, o autor: a)Valoriza a forma em detrimento do conteúdo. b)Rejeita a ideia da poesia vista como consolo. c)Possui uma concepção absurda da realidade. d)Vê a vida na sua expressão de plenitude. e)Ironiza os pessimistas conforme a anedota.
  • 9. De acordo com as informações do texto I, é correto afirmar que, no texto II, o autor: a)Valoriza a forma em detrimento do conteúdo. b)Rejeita a ideia da poesia vista como consolo. c)Possui uma concepção absurda da realidade. d)Vê a vida na sua expressão de plenitude. e)Ironiza os pessimistas conforme a anedota. A ideia da poesia como consolo, rejeitada pelo poeta, aparece na imagem: “Sei que poesia também é orvalho”; descarta tal concepção, ao afirmar que o orvalho fica para os que se afastam da realidade crua.
  • 10. Questão 03 Observar o seguinte fragmento de texto: O motorista de um ônibus foi espancado até a morte por moradores na noite de domingo após perder o controle do veículo e atingir diversos carros e motos no Jardim Planalto, no bairro do Sapopemba, zona leste de São Paulo. De acordo com a Polícia Militar, o cobrador do coletivo afirmou que o motorista teve um mal súbito e por isso bateu o carro. Ele foi socorrido ao Pronto-Socorro do Hospital Sapopemba, mas, segundo o hospital, já chegou em óbito. O acidente ocorreu por volta das 23h40 na rua Torres Florêncio e Rielli. Segundo informações do Bom Dia SP, testemunhas afirmaram que ali acontecia um baile funk. O ônibus bateu em um furgão e atingiu mais dois carros e três motos antes de uma passageira puxar o freio de mão. Os frequentadores do baile funk teriam se revoltado com o acidente, depredado o veículo e espancado o motorista. O caso foi registrado na 70ª DP. Até a manhã desta segunda-feira, ninguém havia sido preso. (http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/ consulta em 28/11/2011)
  • 11. Tendo essa mensagem como objetivo a transmissão de informações acerca de um fato cotidiano, enquadrase, predominantemente, na função da linguagem: a)Emotiva b)Referencial c)Metalinguística d)Conativa e)Poética
  • 12. Tendo essa mensagem como objetivo a transmissão de informações acerca de um fato cotidiano, enquadra-se, predominantemente, na função da linguagem: a)Emotiva b)Referencial c)Metalinguística d)Conativa e)Poética O conteúdo da mensagem é essencialmente informativo.
  • 13. Questão 04 (ENEM 2010) A biosfera, que reúne todos os ambientes onde se desenvolvem os seres vivos, se divide em unidades menores chamadas ecossistemas, que podem ser uma floresta, um deserto e até um lago. Um ecossistema tem múltiplos mecanismos que regulam o número de organismos dentro dele, controlando sua reprodução, crescimento e migrações. (DUARTE, M. O guia dos curiosos. São Paulo: Companhia das Letras, 1995) Predomina no texto a função da linguagem a) emotiva, porque o autor expressa seu sentimento em relação à ecologia. b) fática, porque o texto testa o funcionamento do canal de comunicação. c) poética, porque o texto chama a atenção para os recursos de linguagem, d) conativa, porque o texto procura orientar comporta- mentos do leitor. e) referencial, porque o texto trata de noções e informações conceituais.
  • 14. Questão 04 (ENEM 2010) A biosfera, que reúne todos os ambientes onde se desenvolvem os seres vivos, se divide em unidades menores chamadas ecossistemas, que podem ser uma floresta, um deserto e até um lago. Um ecossistema tem múltiplos mecanismos que regulam o número de organismos dentro dele, controlando sua reprodução, crescimento e migrações. (DUARTE, M. O guia dos curiosos. São Paulo: Companhia das Letras, 1995) Predomina no texto a função da linguagem a) emotiva, porque o autor expressa seu sentimento em relação à ecologia. b) fática, porque o texto testa o funcionamento do canal de comunicação. c) poética, porque o texto chama a atenção para os recursos de linguagem, d) conativa, porque o texto procura orientar comporta- mentos do leitor. e) referencial, porque o texto trata de noções e informações conceituais.
  • 15. Questão 04 (ENEM 2010) A biosfera, que reúne todos os ambientes onde se desenvolvem os seres vivos, se divide em unidades menores chamadas ecossistemas, que podem ser uma floresta, um deserto e até um lago. Um ecossistema tem múltiplos mecanismos que regulam o número de organismos dentro dele, controlando sua reprodução, crescimento e migrações. (DUARTE, M. O guia dos curiosos. São Paulo: Companhia das Letras, 1995) Predomina no texto a função da linguagem a) emotiva, porque o autor expressa seu sentimento em relação à ecologia. b) fática, porque o texto testa o funcionamento do canal de comunicação. c) poética, porque o texto chama a atenção para os recursos de linguagem, d) conativa, porque o texto procura orientar comporta- mentos do leitor. e) referencial, porque o texto trata de noções e informações conceituais. A mensagem se centra no referente.
  • 16. Questões 05 e 06 CANÇÃO DO VENTO E DA MINHA VIDA O vento varria as folhas, O vento varria os frutos, O vento varria as flores... E a minha vida ficava Cada vez mais cheia De frutos, de flores, de folhas. [...] O vento varria os sonhos E varria as amizades... O vento varria as mulheres... E a minha vida ficava Cada vez mais cheia De afetos e de mulheres. O vento varria os meses E varria os teus sorrisos... O vento varria tudo! E a minha vida ficava Cada vez mais cheia De tudo. (BANDEIRA, Manuel. Poesia completa e prosa. Rio de Janeiro: José Aguilar, 1967.).
  • 17. Questão 05 (ENEM 2009) Na estruturação do texto, destaca-se: A) A construção de oposições semânticas. B) A apresentação de ideias de forma objetiva. C) O emprego recorrente de figuras de linguagem, como o eufemismo. D) A repetição de sons e de construções sintáticas semelhantes. E) A inversão da ordem sintática das palavras.
  • 18. Questão 05 (ENEM 2009) Na estruturação do texto, destaca-se: A) A construção de oposições semânticas. B) A apresentação de ideias de forma objetiva. C) O emprego recorrente de figuras de linguagem, como o eufemismo. D) A repetição de sons e de construções sintáticas semelhantes. E) A inversão da ordem sintática das palavras. O autor emprega aliterações, anáforas e paralelismos.
  • 19. Questão 06 (ENEM 2009) Predomina no texto a função da linguagem A) fática, porque o autor procura testar o canal de comunicação. B) metalinguística, porque há explicação do significado das expressões. C) conativa, uma vez que o leitor é provocado a participar de uma ação. D) referencial, já que são apresentadas informações sobre acontecimentos e fatos reais. E) poética, pois chama a atenção para a elaboração especial e artística da estrutura do texto.
  • 20. Questão 06 (ENEM 2009) Predomina no texto a função da linguagem A) fática, porque o autor procura testar o canal de comunicação. B) metalinguística, porque há explicação do significado das expressões. C) conativa, uma vez que o leitor é provocado a participar de uma ação. D) referencial, já que são apresentadas informações sobre acontecimentos e fatos reais. E) poética, pois chama a atenção para a elaboração especial e artística da estrutura do texto. A função poética se concentra na mensagem; assim, há uma maneira singular e inaugural na composição da obra de arte.
  • 21. Questão 07 Observar o que se segue:
  • 22. (H 19) O objetivo dessa mensagem é persuadir o destinatário, implicando, assim, a função da linguagem: a)Emotiva b)Referencial c)Metalinguística d)Conativa e)Fática
  • 23. (H 19) O objetivo dessa mensagem é persuadir o destinatário, implicando, assim, a função da linguagem: a)Emotiva b)Referencial c)Metalinguística d)Conativa e)Fática A marca do apelo se dá através das formas verbais no imperativo
  • 24. Questão 08 HOJE O POEMA NÃO SAI Hoje o poema não sai Nem se usasse revólver Que medo de bala não tem A metáfora nova escorrida. O poema esconde a palavra Como a cabra esconde o leite A vaca o bezerro novo Sob o jumeral fechado. Não adianta puxar os cabelos Morder as unhas as orelhas Mesmo impossível de mordê-las. O poema está grudado Como casca de ferida Espinho dentro da carne Que a árvore ferida de morte Também tem sua vingança. (PINTO, José Alcides. Poemas escolhidos- II. São Paulo: Edições GRD, 2006, p.248)
  • 25. A função da linguagem predominante nesse texto é a metalinguística, pois o interesse da composição se concentra em si mesma. Tal procedimento ocorre em: a) “Estou no que sou , unido a mim feito grude, / não conheço meu voo, sou só latitude, / não meço carícias para ser um rude, / não peço vastas fronteiras, sou amplitude” (Marcelo Dolabela) b)“Amei, amei. Não sei se fui amado, / pois declarei amor a quem odiara / e quem amei jamais mostrei a cara, / de medo de me ver posto de lado” (Glauco Mattoso). c)“Compre: beba, coma, vista / pegue, passe, pague, gaste-se / entre, com a, entre em coma, / vista bacana, beba bacana / babe, beba, gaste a grana / compre linha, linho, lã” (Aleiton Fonseca) d)“Escreveram-se, nos últimos anos, poemas demais com a palavra pedra. / Poemas brancos, vítreos, secos, lacônicos como um pigarro. / As imagens de rios lentos, o sertão, montanhas mineiras, garimpo.” (Sérgio Sant’Anna). e)“Do que se reparte / amor / prazer / arte / é o que persiste / do que se divide / só o meio a meio / resta inteiro / o resto / não resiste” (Alice Ruiz)
  • 26. A função da linguagem predominante nesse texto é a metalinguística, pois o interesse da composição se concentra em si mesma. Tal procedimento ocorre em: a) “Estou no que sou , unido a mim feito grude, / não conheço meu voo, sou só latitude, / não meço carícias para ser um rude, / não peço vastas fronteiras, sou amplitude” (Marcelo Dolabela) b)“Amei, amei. Não sei se fui amado, / pois declarei amor a quem odiara / e quem amei jamais mostrei a cara, / de medo de me ver posto de lado” (Glauco Mattoso). c)“Compre: beba, coma, vista / pegue, passe, pague, gaste-se / entre, com a, entre em coma, / vista bacana, beba bacana / babe, beba, gaste a grana / compre linha, linho, lã” (Aleiton Fonseca) d)“Escreveram-se, nos últimos anos, poemas demais com a palavra pedra. / Poemas brancos, vítreos, secos, lacônicos como um pigarro. / As imagens de rios lentos, o sertão, montanhas mineiras, garimpo.” (Sérgio Sant’Anna). e)“Do que se reparte / amor / prazer / arte / é o que persiste / do que se divide / só o meio a meio / resta inteiro / o resto / não resiste” (Alice Ruiz) O poema realiza uma leitura de procedimentos estéticos que considera do passado.
  • 27. Questão 09 Pondo o sonho e a vida juntos. A DOCE CANÇÃO Pus-me a cantar minha pena Com uma palavra tão doce, De maneira tão serena, Que até Deus pensou que fosse Felicidade - e não pena. O mistério do meu canto Deus não soube, tu não viste. Prodígio imenso do pranto: - Todos perdidos de encanto Só eu morrendo de triste! Anjos de lira dourada Debruçaram-se da altura. Não houve, no chão, criatura De que eu não fosse invejada, Pela minha voz tão pura. Acordei a quem dormia, Fiz suspirarem os defuntos. Um arco-íris de alegria Da minha boca se erguia Por isso tão docemente Meu mal transformar em verso, Oxalá Deus não aumente, Para trazer o Universo de Polo a polo contente! (MEIRELES, Cecília. Obra Poética. Rio de Janeiro: Cia. José Aguilar Editora. 1967. p.187.)
  • 28. . (MOD.ENEM – H 19) Além da função poética, que já lhe é natural, destaca-se nesse texto a seguinte função da linguagem: a)Fática b)Referencial c)Conativa d)Metalinguística e)Emotiva
  • 29. . (MOD.ENEM – H 19) Além da função poética, que já lhe é natural, destaca-se nesse texto a seguinte função da linguagem: a)Fática b)Referencial c)Conativa d)Metalinguística e)Emotiva O texto recai sobre si mesmo: os efeitos provocados pelo canto.
  • 30. Questão 10 BRINDE AO BANQUETE DAS MUSAS Poesia, marulho e náusea, Poesia, canção suicida, Poesia, que recomeças De outro mundo, noutra vida Deixaste-nos mais famintos, Poesia, comida estranha, Se nenhum pão te equivale: A mosca deglute a aranha. Poesia sobre os princípios E os vagos dons do universo: Em teu regaço incestuoso, O belo câncer do verso. Poesia, sobre o telúrio, Reintegra a essência do poeta, E o que é perdido se salva... Poesia, morte secreta. (ANDRADE, Carlos Drummond de. Poesia e prosa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1992, 248.)
  • 31. Além da função poética, predomina nesse texto a seguinte função da linguagem: a)Contativa b)Metalinguística c)Referencial d)Emotiva e)Fática
  • 32. Além da função poética, predomina nesse texto a seguinte função da linguagem: a)Contativa b)Metalinguística c)Referencial d)Emotiva e)Fática Trata-se de uma reflexão acerca do fazer poético e da atmosfera geral que envolve a arte poética.