SlideShare uma empresa Scribd logo
Escola Estadual Técnica em Saúde no HCPA
Técnico em Nutrição e Dietética
Disciplina: Psicologia

Características Fisiológicas, Psicológicas, Sociais
Cuidados e Alimentação do Idoso

Ana Tiele, Liliane, Marco, Talita – NDN 11
O presente trabalho tem como
objetivo

analisar

o

processo

de

envelhecimento em relação à diversas áreas
como:fisiológicas;psicológicas e sociais bem
como citar algumas orientações necessárias
em relação a alimentação do idoso e os
cuidados
vida.

que devemos ter nesta fase da


ENVELHECIMENTO
É um processo natural dos seres humanos.



VELHICE
é uma fase da vida.



VELHO
é o resultado final.
ENVELHECIMENTO
É um fenômeno que atinge todos os seres
humanos.É caracterizado como um processo
dinâmico, progressivo e irreverssível e está
ligado à fatores fisiológicos.
1 – Características Fisiológicas
1.1 - Sistema cardiovascular:
diminuição dos batimentos cardíacos;
aumento do colesterol;
menor resistência vascular.
1.2 – Sistema respiratório:
diminuição da elasticidade pulmonar;
redução da força dos músculos
respiratórios:
alterações na pressão arterial.
1.3 – Sistema músculo-esquelético:
diminuição no comprimento:
redução da elasticidade dos tendões;
perda de massa muscular(ou seja,
alterações na musculatura;
atrofia(perda gradativa da fibra muscular)
1.4 – Sistema Nervoso Central: é o mais
comprometido pois é o responsável pelas funções
psíquicas e pelas funções biológicas, acarretando
então:
redução do número de neurônios;
da velocidade de condução nervosa;
diminuição da intensidade dos reflexos;
perda da capacidade de reação e
coordenação motora;
alterações na circulação sanguínea que
conduz oxigênio(ou seja,o fluxo sanguíneo para o
cérebro fica comprometido).
2 – Características Psicológicas e Sociais
O ser humano apresenta uma série de
mudanças psicológicas com o envelhecimento,
resultando na dificuldade de adaptações a novos
papéis.
Essas características tem relação direta
com trabalho, experiências de vida, papéis sociais
que
desempenhamos
como:
estudante,esposa(o),trabalhador,
aposentado
entra outros.
2.1 – Alterações que ocorrem:
crise de identidade;
perda da auto-estima;
mudança de papéis no trabalho, na família e
na sociedade;
perdas afetivas (parentes e amigos);
perda de autonomia;
perda da independência e do poder de decisão;
aposentadoria (ficam isolados, deprimidos).
CONSIDERAÇÕES FINAIS SOBRE
ESSAS MUDANÇAS:







Percebemos que a atividade física
moderada e regular pode modificar alguns
processos fisiológicos nesta fase da vida:
Melhora
e
eficiência
cardíaca
(sistema
cardiovascular)
Melhora a função pulmonar ou seja, a capacidade
aeróbia (sistema respiratório)
Maior teor de massa muscular e menor
percentagem de gordura (sistema músculoesquelético)




Aumenta o fluxo sanguíneo para o cérebro e a
quantidade de oxigênio que alcança as células
nervosas (sistema nervoso central)
Melhora a capacidade funcional e qualidade de
vida do idoso; melhora a saúde mental e autoestima; diminui ansiedade e depressão; melhor
qualidade nas relações sociais (características
psicológicas e sociais).
3 - ALIMENTAÇÃO INDICADA OU
NECESSÁRIA
Cada pessoa envelhece num ritmo próprio,
mas independente deste ritmo, entre os cuidados
diários com a saúde, está a alimentação saudável
que contribui para um ritmo favorável de
envelhecimento. Estabelecer rotinas saudáveis de
vida traz benefícios para a saúde, mesmo nas
idades mais avançadas.
3.1 - Orientações para favorecer uma alimentação
adequada para a pessoa idosa:
 planejar as refeições (garantir a participação da
pessoa idosa no planejamento)








tornar o ambiente da cozinha e o local de
refeições mais adequado e agradável dando mais
conforto, segurança e autonomia ao idoso.
contribuir para o prazer e satisfação com a
alimentação,evitando
danos
à
saúde,
principalmente para quem já está em idade mais
avançada
compra dos alimentos (fazer lista,procedênci
segura,observar aspecto,validade)
armazenamento dos alimentos (limpeza e higiene
no local,temperatura adequada,guardar em local
que mantenha a integridade dos alimentos.






higiene pessoal (adotar cuidados rigorosos tanto
na higiene pessoal quanto no manuseio dos
alimentos para prevenir contaminação)
ambiente limpo,arejado,boa luminosidade onde
as refeições são preparadas
OBS: quando a pessoa idosa tem limitações para
mastigar e engolir,a forma de preparo, a
consistência, a textura, o tamanho e a
quantidade que é levada a boca tem que ser
adaptados ao grau de limitação.
4 - SEGURANÇA E AUTONOMIA AO
IDOSO






local adaptado conforme necessidade facilitando
a autonomia, incentivando o seu convívio à mesa
simplificar a composição da mesa (contraste de
cor entra toalha e utensílios), para o idoso fica
mais fácil identificar e manusear talheres e
pratos quando a toalha é de uma tonalidade de
cor, principalmente em casos de déficit de visão
a questão da empunhadura é muito importante
(canecas c/alça maior ou canudo;prato fundo
c/ventosas;talher c/ cabo mais grosso ou penas
uma colher;

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Velhice
VelhiceVelhice
O envelhecimento saudável
O envelhecimento saudávelO envelhecimento saudável
O envelhecimento saudável
Rubens Junior
 
Conceitos Básicos
Conceitos BásicosConceitos Básicos
Conceitos Básicos
agemais
 
Alteracoes fisiologicas e anatomicas do idoso
 Alteracoes fisiologicas e anatomicas do idoso Alteracoes fisiologicas e anatomicas do idoso
Alteracoes fisiologicas e anatomicas do idoso
Keylla Tayne
 
ENVELHECIMENTO SAUDAVEL
ENVELHECIMENTO SAUDAVELENVELHECIMENTO SAUDAVEL
ENVELHECIMENTO SAUDAVEL
Rubens De Fraga Junior
 
Aula saúde do idoso - turma regular
Aula saúde do idoso - turma regularAula saúde do idoso - turma regular
Aula saúde do idoso - turma regular
Ismael Costa
 
Alterações Envelhecimento
Alterações EnvelhecimentoAlterações Envelhecimento
Alterações Envelhecimento
Janderson Physios
 
Velhice, idoso, envelhecimento e terceira idade
Velhice, idoso, envelhecimento e terceira idadeVelhice, idoso, envelhecimento e terceira idade
Velhice, idoso, envelhecimento e terceira idade
Abraão França
 
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
luzienne moraes
 
Estereótipos da velhice
Estereótipos da velhiceEstereótipos da velhice
Estereótipos da velhice
Sonia Sousa
 
Saude do idoso
Saude do idosoSaude do idoso
Saude do idoso
Natha Fisioterapia
 
Curso psicologia do envelhecimento aula 1
Curso psicologia do envelhecimento   aula 1Curso psicologia do envelhecimento   aula 1
Curso psicologia do envelhecimento aula 1
Cuidar de Idosos
 
1a aula envelhecimento pptx
1a aula envelhecimento pptx1a aula envelhecimento pptx
1a aula envelhecimento pptx
Mônica Barroso
 
Apresentação saude do idoso coletiva
Apresentação saude do idoso coletivaApresentação saude do idoso coletiva
Apresentação saude do idoso coletiva
Carla Couto
 
Qualidade De Vida Na Maturidade
Qualidade De Vida Na MaturidadeQualidade De Vida Na Maturidade
Qualidade De Vida Na Maturidade
Rubens De Fraga Junior
 
Teorias do Envelhecimento
Teorias do EnvelhecimentoTeorias do Envelhecimento
Teorias do Envelhecimento
Anabelazita
 
SEXUALIDADE E ENVELHECIMENTO
SEXUALIDADE E ENVELHECIMENTOSEXUALIDADE E ENVELHECIMENTO
SEXUALIDADE E ENVELHECIMENTO
Rubens De Fraga Junior
 
QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia
 QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia  QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia
QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia
Stefane Rayane
 
1290123999 fisiologia do_envelhecimento_giulianna_forte (1)
1290123999 fisiologia do_envelhecimento_giulianna_forte (1)1290123999 fisiologia do_envelhecimento_giulianna_forte (1)
1290123999 fisiologia do_envelhecimento_giulianna_forte (1)
Alexsander Santiago
 
A velhice
A velhiceA velhice
A velhice
ruteferreira
 

Mais procurados (20)

Velhice
VelhiceVelhice
Velhice
 
O envelhecimento saudável
O envelhecimento saudávelO envelhecimento saudável
O envelhecimento saudável
 
Conceitos Básicos
Conceitos BásicosConceitos Básicos
Conceitos Básicos
 
Alteracoes fisiologicas e anatomicas do idoso
 Alteracoes fisiologicas e anatomicas do idoso Alteracoes fisiologicas e anatomicas do idoso
Alteracoes fisiologicas e anatomicas do idoso
 
ENVELHECIMENTO SAUDAVEL
ENVELHECIMENTO SAUDAVELENVELHECIMENTO SAUDAVEL
ENVELHECIMENTO SAUDAVEL
 
Aula saúde do idoso - turma regular
Aula saúde do idoso - turma regularAula saúde do idoso - turma regular
Aula saúde do idoso - turma regular
 
Alterações Envelhecimento
Alterações EnvelhecimentoAlterações Envelhecimento
Alterações Envelhecimento
 
Velhice, idoso, envelhecimento e terceira idade
Velhice, idoso, envelhecimento e terceira idadeVelhice, idoso, envelhecimento e terceira idade
Velhice, idoso, envelhecimento e terceira idade
 
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
 
Estereótipos da velhice
Estereótipos da velhiceEstereótipos da velhice
Estereótipos da velhice
 
Saude do idoso
Saude do idosoSaude do idoso
Saude do idoso
 
Curso psicologia do envelhecimento aula 1
Curso psicologia do envelhecimento   aula 1Curso psicologia do envelhecimento   aula 1
Curso psicologia do envelhecimento aula 1
 
1a aula envelhecimento pptx
1a aula envelhecimento pptx1a aula envelhecimento pptx
1a aula envelhecimento pptx
 
Apresentação saude do idoso coletiva
Apresentação saude do idoso coletivaApresentação saude do idoso coletiva
Apresentação saude do idoso coletiva
 
Qualidade De Vida Na Maturidade
Qualidade De Vida Na MaturidadeQualidade De Vida Na Maturidade
Qualidade De Vida Na Maturidade
 
Teorias do Envelhecimento
Teorias do EnvelhecimentoTeorias do Envelhecimento
Teorias do Envelhecimento
 
SEXUALIDADE E ENVELHECIMENTO
SEXUALIDADE E ENVELHECIMENTOSEXUALIDADE E ENVELHECIMENTO
SEXUALIDADE E ENVELHECIMENTO
 
QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia
 QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia  QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia
QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia
 
1290123999 fisiologia do_envelhecimento_giulianna_forte (1)
1290123999 fisiologia do_envelhecimento_giulianna_forte (1)1290123999 fisiologia do_envelhecimento_giulianna_forte (1)
1290123999 fisiologia do_envelhecimento_giulianna_forte (1)
 
A velhice
A velhiceA velhice
A velhice
 

Semelhante a Fases do desenvolvimento humano - Velhice

Velhice
VelhiceVelhice
Velhice
pl luis
 
Apostila ensino médio alimentacao saudavel
Apostila ensino médio alimentacao saudavelApostila ensino médio alimentacao saudavel
Apostila ensino médio alimentacao saudavel
Reginaldo Pazinatto
 
Agente em geriatria 18.06.15
Agente em geriatria 18.06.15Agente em geriatria 18.06.15
Agente em geriatria 18.06.15
Daniela Lopes
 
ENVELHECER - idosos.ppt
ENVELHECER - idosos.pptENVELHECER - idosos.ppt
ENVELHECER - idosos.ppt
TrcioSantos4
 
ENVELHECER - idosos.ppt
ENVELHECER - idosos.pptENVELHECER - idosos.ppt
ENVELHECER - idosos.ppt
TrcioSantos4
 
Aprwesentação vida adulta (1)
Aprwesentação   vida adulta (1)Aprwesentação   vida adulta (1)
Aprwesentação vida adulta (1)
Ligia Coppetti
 
Etapas da vida humana
Etapas da vida humana   Etapas da vida humana
Etapas da vida humana
Sara Bagagem
 
Etapas da vida humana finito
Etapas da vida humana   finitoEtapas da vida humana   finito
Etapas da vida humana finito
Sara Bagagem
 
AULAS 1,2 E 3 - ALUNOS.pptx
AULAS 1,2 E 3 - ALUNOS.pptxAULAS 1,2 E 3 - ALUNOS.pptx
AULAS 1,2 E 3 - ALUNOS.pptx
KarineRibeiro57
 
Obesidade e Sedentarismo
Obesidade e SedentarismoObesidade e Sedentarismo
Obesidade e Sedentarismo
José Emílio
 
Ocupação e saúde relatórios
Ocupação e saúde relatóriosOcupação e saúde relatórios
Ocupação e saúde relatórios
OTutorial2
 
Exercícios físicos e saude- 1C
Exercícios físicos e saude- 1CExercícios físicos e saude- 1C
Exercícios físicos e saude- 1C
Maria Teresa Iannaco Grego
 
Artigo modelo
Artigo modeloArtigo modelo
Artigo modelo
842203966
 
Educação física, Factores de aptidão física e Estilos de Vida Saudável
Educação física, Factores de aptidão física e Estilos de Vida SaudávelEducação física, Factores de aptidão física e Estilos de Vida Saudável
Educação física, Factores de aptidão física e Estilos de Vida Saudável
Luisa Figueira
 
Aula 1 fgg
Aula 1 fggAula 1 fgg
Fisioterapia - As Várias Maneiras de Cuidar
Fisioterapia - As Várias Maneiras de CuidarFisioterapia - As Várias Maneiras de Cuidar
Fisioterapia - As Várias Maneiras de Cuidar
Márcio Borges
 
Obesidade
ObesidadeObesidade
Aula_Declínio Funcional Envelhecimento_Glauce.pdf
Aula_Declínio Funcional Envelhecimento_Glauce.pdfAula_Declínio Funcional Envelhecimento_Glauce.pdf
Aula_Declínio Funcional Envelhecimento_Glauce.pdf
PaulaMelo127834
 
Campanha da fraternidade na escola
Campanha da fraternidade na escolaCampanha da fraternidade na escola
Campanha da fraternidade na escola
Pablo Nascimento
 
Ginastica e Sedentarismo
Ginastica e SedentarismoGinastica e Sedentarismo
Ginastica e Sedentarismo
guestf6ff872
 

Semelhante a Fases do desenvolvimento humano - Velhice (20)

Velhice
VelhiceVelhice
Velhice
 
Apostila ensino médio alimentacao saudavel
Apostila ensino médio alimentacao saudavelApostila ensino médio alimentacao saudavel
Apostila ensino médio alimentacao saudavel
 
Agente em geriatria 18.06.15
Agente em geriatria 18.06.15Agente em geriatria 18.06.15
Agente em geriatria 18.06.15
 
ENVELHECER - idosos.ppt
ENVELHECER - idosos.pptENVELHECER - idosos.ppt
ENVELHECER - idosos.ppt
 
ENVELHECER - idosos.ppt
ENVELHECER - idosos.pptENVELHECER - idosos.ppt
ENVELHECER - idosos.ppt
 
Aprwesentação vida adulta (1)
Aprwesentação   vida adulta (1)Aprwesentação   vida adulta (1)
Aprwesentação vida adulta (1)
 
Etapas da vida humana
Etapas da vida humana   Etapas da vida humana
Etapas da vida humana
 
Etapas da vida humana finito
Etapas da vida humana   finitoEtapas da vida humana   finito
Etapas da vida humana finito
 
AULAS 1,2 E 3 - ALUNOS.pptx
AULAS 1,2 E 3 - ALUNOS.pptxAULAS 1,2 E 3 - ALUNOS.pptx
AULAS 1,2 E 3 - ALUNOS.pptx
 
Obesidade e Sedentarismo
Obesidade e SedentarismoObesidade e Sedentarismo
Obesidade e Sedentarismo
 
Ocupação e saúde relatórios
Ocupação e saúde relatóriosOcupação e saúde relatórios
Ocupação e saúde relatórios
 
Exercícios físicos e saude- 1C
Exercícios físicos e saude- 1CExercícios físicos e saude- 1C
Exercícios físicos e saude- 1C
 
Artigo modelo
Artigo modeloArtigo modelo
Artigo modelo
 
Educação física, Factores de aptidão física e Estilos de Vida Saudável
Educação física, Factores de aptidão física e Estilos de Vida SaudávelEducação física, Factores de aptidão física e Estilos de Vida Saudável
Educação física, Factores de aptidão física e Estilos de Vida Saudável
 
Aula 1 fgg
Aula 1 fggAula 1 fgg
Aula 1 fgg
 
Fisioterapia - As Várias Maneiras de Cuidar
Fisioterapia - As Várias Maneiras de CuidarFisioterapia - As Várias Maneiras de Cuidar
Fisioterapia - As Várias Maneiras de Cuidar
 
Obesidade
ObesidadeObesidade
Obesidade
 
Aula_Declínio Funcional Envelhecimento_Glauce.pdf
Aula_Declínio Funcional Envelhecimento_Glauce.pdfAula_Declínio Funcional Envelhecimento_Glauce.pdf
Aula_Declínio Funcional Envelhecimento_Glauce.pdf
 
Campanha da fraternidade na escola
Campanha da fraternidade na escolaCampanha da fraternidade na escola
Campanha da fraternidade na escola
 
Ginastica e Sedentarismo
Ginastica e SedentarismoGinastica e Sedentarismo
Ginastica e Sedentarismo
 

Mais de Ligia Coppetti

Equipe de trabalho
Equipe de trabalhoEquipe de trabalho
Equipe de trabalho
Ligia Coppetti
 
Trabalho de psico grupo e equipe
Trabalho de psico grupo e equipeTrabalho de psico grupo e equipe
Trabalho de psico grupo e equipe
Ligia Coppetti
 
Motivacao
MotivacaoMotivacao
Motivacao
Ligia Coppetti
 
Facilidades+e+dificuldades+trabalho+em+equipe
Facilidades+e+dificuldades+trabalho+em+equipeFacilidades+e+dificuldades+trabalho+em+equipe
Facilidades+e+dificuldades+trabalho+em+equipe
Ligia Coppetti
 
Trabalho de psicologia equipe
Trabalho de psicologia   equipeTrabalho de psicologia   equipe
Trabalho de psicologia equipe
Ligia Coppetti
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
Ligia Coppetti
 
A importancia do trabalho em equipe
A importancia do trabalho em equipeA importancia do trabalho em equipe
A importancia do trabalho em equipe
Ligia Coppetti
 
Facilidades e dificuldades do trabalho em equipe
Facilidades e dificuldades do trabalho em equipeFacilidades e dificuldades do trabalho em equipe
Facilidades e dificuldades do trabalho em equipe
Ligia Coppetti
 

Mais de Ligia Coppetti (8)

Equipe de trabalho
Equipe de trabalhoEquipe de trabalho
Equipe de trabalho
 
Trabalho de psico grupo e equipe
Trabalho de psico grupo e equipeTrabalho de psico grupo e equipe
Trabalho de psico grupo e equipe
 
Motivacao
MotivacaoMotivacao
Motivacao
 
Facilidades+e+dificuldades+trabalho+em+equipe
Facilidades+e+dificuldades+trabalho+em+equipeFacilidades+e+dificuldades+trabalho+em+equipe
Facilidades+e+dificuldades+trabalho+em+equipe
 
Trabalho de psicologia equipe
Trabalho de psicologia   equipeTrabalho de psicologia   equipe
Trabalho de psicologia equipe
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
A importancia do trabalho em equipe
A importancia do trabalho em equipeA importancia do trabalho em equipe
A importancia do trabalho em equipe
 
Facilidades e dificuldades do trabalho em equipe
Facilidades e dificuldades do trabalho em equipeFacilidades e dificuldades do trabalho em equipe
Facilidades e dificuldades do trabalho em equipe
 

Fases do desenvolvimento humano - Velhice

  • 1. Escola Estadual Técnica em Saúde no HCPA Técnico em Nutrição e Dietética Disciplina: Psicologia Características Fisiológicas, Psicológicas, Sociais Cuidados e Alimentação do Idoso Ana Tiele, Liliane, Marco, Talita – NDN 11
  • 2. O presente trabalho tem como objetivo analisar o processo de envelhecimento em relação à diversas áreas como:fisiológicas;psicológicas e sociais bem como citar algumas orientações necessárias em relação a alimentação do idoso e os cuidados vida. que devemos ter nesta fase da
  • 3.  ENVELHECIMENTO É um processo natural dos seres humanos.  VELHICE é uma fase da vida.  VELHO é o resultado final.
  • 4. ENVELHECIMENTO É um fenômeno que atinge todos os seres humanos.É caracterizado como um processo dinâmico, progressivo e irreverssível e está ligado à fatores fisiológicos. 1 – Características Fisiológicas 1.1 - Sistema cardiovascular: diminuição dos batimentos cardíacos; aumento do colesterol; menor resistência vascular.
  • 5. 1.2 – Sistema respiratório: diminuição da elasticidade pulmonar; redução da força dos músculos respiratórios: alterações na pressão arterial. 1.3 – Sistema músculo-esquelético: diminuição no comprimento: redução da elasticidade dos tendões; perda de massa muscular(ou seja, alterações na musculatura; atrofia(perda gradativa da fibra muscular)
  • 6. 1.4 – Sistema Nervoso Central: é o mais comprometido pois é o responsável pelas funções psíquicas e pelas funções biológicas, acarretando então: redução do número de neurônios; da velocidade de condução nervosa; diminuição da intensidade dos reflexos; perda da capacidade de reação e coordenação motora; alterações na circulação sanguínea que conduz oxigênio(ou seja,o fluxo sanguíneo para o cérebro fica comprometido).
  • 7. 2 – Características Psicológicas e Sociais O ser humano apresenta uma série de mudanças psicológicas com o envelhecimento, resultando na dificuldade de adaptações a novos papéis. Essas características tem relação direta com trabalho, experiências de vida, papéis sociais que desempenhamos como: estudante,esposa(o),trabalhador, aposentado entra outros.
  • 8. 2.1 – Alterações que ocorrem: crise de identidade; perda da auto-estima; mudança de papéis no trabalho, na família e na sociedade; perdas afetivas (parentes e amigos); perda de autonomia; perda da independência e do poder de decisão; aposentadoria (ficam isolados, deprimidos).
  • 9. CONSIDERAÇÕES FINAIS SOBRE ESSAS MUDANÇAS:    Percebemos que a atividade física moderada e regular pode modificar alguns processos fisiológicos nesta fase da vida: Melhora e eficiência cardíaca (sistema cardiovascular) Melhora a função pulmonar ou seja, a capacidade aeróbia (sistema respiratório) Maior teor de massa muscular e menor percentagem de gordura (sistema músculoesquelético)
  • 10.   Aumenta o fluxo sanguíneo para o cérebro e a quantidade de oxigênio que alcança as células nervosas (sistema nervoso central) Melhora a capacidade funcional e qualidade de vida do idoso; melhora a saúde mental e autoestima; diminui ansiedade e depressão; melhor qualidade nas relações sociais (características psicológicas e sociais).
  • 11. 3 - ALIMENTAÇÃO INDICADA OU NECESSÁRIA Cada pessoa envelhece num ritmo próprio, mas independente deste ritmo, entre os cuidados diários com a saúde, está a alimentação saudável que contribui para um ritmo favorável de envelhecimento. Estabelecer rotinas saudáveis de vida traz benefícios para a saúde, mesmo nas idades mais avançadas. 3.1 - Orientações para favorecer uma alimentação adequada para a pessoa idosa:  planejar as refeições (garantir a participação da pessoa idosa no planejamento)
  • 12.     tornar o ambiente da cozinha e o local de refeições mais adequado e agradável dando mais conforto, segurança e autonomia ao idoso. contribuir para o prazer e satisfação com a alimentação,evitando danos à saúde, principalmente para quem já está em idade mais avançada compra dos alimentos (fazer lista,procedênci segura,observar aspecto,validade) armazenamento dos alimentos (limpeza e higiene no local,temperatura adequada,guardar em local que mantenha a integridade dos alimentos.
  • 13.    higiene pessoal (adotar cuidados rigorosos tanto na higiene pessoal quanto no manuseio dos alimentos para prevenir contaminação) ambiente limpo,arejado,boa luminosidade onde as refeições são preparadas OBS: quando a pessoa idosa tem limitações para mastigar e engolir,a forma de preparo, a consistência, a textura, o tamanho e a quantidade que é levada a boca tem que ser adaptados ao grau de limitação.
  • 14. 4 - SEGURANÇA E AUTONOMIA AO IDOSO    local adaptado conforme necessidade facilitando a autonomia, incentivando o seu convívio à mesa simplificar a composição da mesa (contraste de cor entra toalha e utensílios), para o idoso fica mais fácil identificar e manusear talheres e pratos quando a toalha é de uma tonalidade de cor, principalmente em casos de déficit de visão a questão da empunhadura é muito importante (canecas c/alça maior ou canudo;prato fundo c/ventosas;talher c/ cabo mais grosso ou penas uma colher;