SlideShare uma empresa Scribd logo
Cláudio de Oliveira Santos Colnago Mestre em Direitos e Garantias Fundamentais – FDV [email_address]   TEMAS EMERGENTES Direito Público Unidade IV – Execução em face da Fazenda Pública
Quem é a Fazenda Pública? Pessoas jurídicas de direito público interno. Empresas públicas e sociedades de economia mista: 173,par. 1°: equiparação RE 230.051: ECT segue o regime dos precatórios, já que presta serviço público essencial, em caráter de monopólio.
Conceito de precatório Latim “precata”: pedido Exemplo: Carta “precatória” Art. 100: pedido de um juiz de primeiro grau para o presidente do tribunal respectivo, para determinar à pessoa devedora a inclusão da verba em orçamento.
Procedimento Inicial de execução com memorial de cálculo (sentença trânsita em julgado). Constituição exige trânsito em julgado para  expedir o precatório. É possível iniciar execução provisória contra a Fazenda Pública (vai até a liquidação) Exceção: art. 2º-B da Lei 9.494/97 “ Art. 2 o -B.   A sentença que tenha por objeto a  liberação de recurso ,  inclusão em folha de pagamento ,  reclassificação, equiparação, concessão de aumento ou extensão de vantagens a servidores  da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, inclusive de suas autarquias e fundações,  somente poderá ser executada após seu trânsito em julgado ”. (NR)  (Incluído pela Medida provisória  nº  2.180-35, de 2001)
Embargos à Execução Art. 730, CPC: oposição de Embargos em 30 dias (MP 2.180-35/01). Lei 11.232/05 e 11.382/06: Embargos têm efeito suspensivo? Efeito prático do  efeito suspensivo  dos Embargos na Execução contra a Fazenda Pública: obstar a expedição de precatório. Questão demanda a análise sistemática de alguns dispositivos do CPC.
Embargos à Execução Art. 730. Na execução por quantia certa contra a Fazenda Pública, citar-se-á a devedora para opor embargos em 10 (dez) dias; se esta não os opuser, no prazo legal, observar-se-ão as seguintes regras: I - o juiz requisitará o pagamento por intermédio do presidente do tribunal competente. TÍTULO III: DOS EMBARGOS DO DEVEDOR CAPÍTULO I:DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 739-A.  Os embargos do executado não terão efeito suspensivo. CAPÍTULO II:  DOS EMBARGOS À EXECUÇÃO CONTRA A FAZENDA PÚBLICA Inexistência de norma que excepcione a regra geral de não – suspensividade automática.
Embargos à Execução Conclusão inicial: embargos da Fazenda Pública  não têm efeito suspensivo automático.  Poderá o Juiz, porém, expedir Precatório, uma vez opostos Embargos? Embargos  totais :  não.  Embargos  parciais : sim, acerca da parcela não Embargada.
Sistemática de pagamento Antes e depois das Emendas Constitucionais nº. 30/00 e 37/02. Redação Originária da Constituição: Art. 100 .  à exceção dos créditos de natureza alimentícia , os pagamentos devidos pela Fazenda Federal, Estadual ou Municipal, em virtude de sentença judiciária, far-se-ão exclusivamente  na ordem cronológica de apresentação dos precatórios  e à conta dos créditos respectivos, proibida a designação de casos ou de pessoas nas dotações orçamentárias e nos créditos adicionais abertos para este fim.
Créditos comuns e alimentícios Súmula 655 do STF :  “ A exceção prevista no art. 100, "caput", da Constituição, em favor dos créditos de natureza alimentícia, não dispensa a expedição de precatório, limitando-se a isentá-los da observância da ordem cronológica dos precatórios decorrentes de condenações de outra natureza”. Súmula 144 do STJ :  Os créditos de natureza alimentícia gozam de preferência, desvinculados os precatórios da ordem cronológica dos créditos de natureza diversa. Quais créditos possuem tal natureza?
Créditos comuns e alimentícios Emenda 30/00: inclusão do “§ 1º-A”:   § 1º-A. Os débitos de natureza alimentícia compreendem aqueles decorrentes de salários, vencimentos, proventos, pensões e suas complementações, benefícios previdenciários e indenizações por morte ou invalidez, fundadas na responsabilidade civil, em virtude de sentença transitada em julgado. Rol é  exemplificativo  (STF, RE 470.407, julgado em 09/05/2006)
Sistemática de pagamento Redação Originária da Constituição: § 1º - É obrigatória a inclusão, no orçamento das entidades de direito público, de verba necessária ao pagamento de seus débitos constantes de precatórios judiciários, apresentados até 1º de julho,  data em que terão atualizados seus valores , fazendo-se o pagamento até o final do exercício seguinte. Atualização ocorria somente na  data da apresentação.
Problemas Atualização na data da apresentação gerava débitos intermináveis, pelo  resíduo de correção monetária, que não era pago pela entidade de Direito Público .
Problemas Exemplo (sistemática original da Constituição) Executa-se a Fazenda por débito que, atualizado até 01/05/2005 (data da execução), importa em R$ 50.000,00. Expede-se o Precatório em  01/07/2005 , atualizando-se o valor (inflação existente entre 01/05 e 01/07) Prazo de pagamento da Fazenda: 31/12/2006. Fazenda deposita o valor em 31/12/2006, mas com o valor de 01/07/2005. Resíduo: correção monetária do período de 01/07/2005 a 31/12/2006.  Débito em aberto.
Problemas Questionamento : débito não foi integralmente quitado no prazo dado à Fazenda. Cabe a aplicação de juros de mora? STF: não são cabíveis juros de mora, pois a Fazenda efetua o pagamento em conformidade com o que determina o sistema Constitucional. Pressuposto: pagamento seja feito até o dia 31/12 do exercício seguinte em que inscrito.
Não cabimento de juros de mora “ Recurso Extraordinário. 2. Precatórios. Juros de mora. 3. Art. 100, § 1º, da Constituição Federal.  Redação anterior à Emenda 30, de 2000 . 4. Inclusão no orçamento das entidades de direito público. Apresentação até 1º de julho, data em que terão seus valores atualizados. 5. Prazo constitucional de pagamento até o final do exercício seguinte. 6.  Descaracterização da mora, quando não há atraso na satisfação dos débitos . 7. Recurso extraordinário provido”.  (STF, RE 298.616, J. em 31./10/2002, DJ 03/10/2003.)
Como pleitear a diferença? Valor pago pela sistemática anterior à EC 30/00 era sempre inferior ao devido. Parte deveria pleitear a expedição de novo precatório ( precatório complementar ), englobando a diferença de correção monetária não paga pela Fazenda. Necessidade de nova citação da Fazenda Pública? Em regra,  sim . Hipóteses de dispensa: erro material, inexatidão aritmética e substituição de índice de correção.
Dispensa de nova citação: casos. CONSTITUCIONAL.  PRECATÓRIO. CRÉDITO COMPLEMENTAR: NOVO PRECATÓRIO . Regimento Interno do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, inciso V do art. 336. CF, art. 100. Interpretação conforme sem redução do texto. I. - Dispõe o inciso V do art. 336 do Regimento Interno do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo que "para pagamentos complementares serão utilizados os mesmos precatórios satisfeitos parcialmente até o seu integral cumprimento". Interpretação conforme, sem redução do texto, para o fim de ficar assentado que "pagamentos complementares", referidos no citado preceito regimental,  são somente aqueles decorrentes de  erro material  e  inexatidão aritmética , contidos no precatório original, bem assim da  substituição, por força de lei, do índice aplicado . II. - ADI julgada procedente, em parte. (ADIn 2.925)
Divergência do STJ: REsp 354.357 PROCESSUAL CIVIL - PRECATÓRIO COMPLEMENTAR - CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL - ART. 730 - NÃO INCIDÊNCIA. I - O incidente de atualização de valores, visando a expedição de precatório complementar, por não constituir novo processo de execução, dispensa a citação prevista no Art. 730 do CPC e o procedimento traçado neste dispositivo. Basta simples intimação do devedor, para conhecimento dos novos cálculos. II - Se o Estado não concordar com os cálculos complementares, pode manejar agravo. (REsp 354357/RS, Rel. Ministro  HUMBERTO GOMES DE BARROS, CORTE ESPECIAL, julgado em 26.09.2002, DJ 26.05.2003 p. 244)
Alterações da EC 30/00 Redação original: § 1º - É obrigatória a inclusão, no orçamento das entidades de direito público, de verba necessária ao pagamento de seus débitos constantes de precatórios judiciários, apresentados até  1º de julho, data em que terão atualizados seus valores , fazendo-se o pagamento até o final do exercício seguinte.  Redação após a EC 30/00: § 1º É obrigatória a inclusão, no orçamento das entidades de direito público, de verba necessária ao pagamento de seus débitos oriundos de sentenças transitadas em julgado, constantes de precatórios judiciários, apresentados até 1º de julho, fazendo-se o pagamento até o final do exercício seguinte,  quando terão seus valores atualizados monetariamente .
Alterações da EC 30/00 Correção monetária, que era feita somente no ato da inscrição, passou a ser feita também no momento do pagamento. Conseqüência: desnecessidade de novos Precatórios complementares. Demais alterações: Crédito consignado diretamente ao Poder Judiciário (Art. 100, § 2º) Dispensa de precatórios nas obrigações de pequeno valor (art. 100, § 3º)
Alterações da EC 30/00 Novas redações: § 2º As dotações orçamentárias e os créditos abertos  serão consignados diretamente ao Poder Judiciário , cabendo ao Presidente do Tribunal que proferir a decisão exeqüenda  determinar o pagamento segundo as possibilidades do depósito , e autorizar, a requerimento do credor, e exclusivamente para o caso de preterimento de seu direito de precedência, o seqüestro da quantia necessária à satisfação do débito. § 3º O disposto no  caput  deste artigo, relativamente à expedição de precatórios,  não se aplica aos pagamentos de obrigações definidas em lei como de pequeno valor  que a Fazenda Federal, Estadual, Distrital ou Municipal deva fazer em virtude de sentença judicial transitada em julgado. § 5º  A lei poderá fixar valores distintos para o fim previsto no § 3º deste artigo , segundo as diferentes capacidades das entidades de direito público.
Obrigações de Pequeno Valor Âmbito Federal: Lei 10.259/01, art. 17, § 1º Para os efeitos do § 3 o  do art. 100 da Constituição Federal, as obrigações ali definidas como de pequeno valor, a serem pagas independentemente de precatório, terão como limite o mesmo valor estabelecido nesta Lei para a competência do Juizado Especial Federal Cível (art. 3 o , caput) –  60 salários mínimos. Estados e Municípios: competência legislativa própria. Omissão Legislativa? Solução dada pela EC 37/02: 40 e 30 salários, respectivamente.
Art. 87 ADCT (EC 37/02) Art. 87. Para efeito do que dispõem o § 3º do art. 100 da Constituição Federal e o art. 78 deste Ato das Disposições Constitucionais Transitórias  serão  considerados de pequeno valor, até que se dê a publicação oficial das respectivas leis definidoras pelos entes da Federação , observado o disposto no § 4º do art. 100 da Constituição Federal, os débitos ou obrigações consignados em precatório judiciário, que tenham valor igual ou inferior a:  I - quarenta salários-mínimos, perante a Fazenda dos Estados e do Distrito Federal;  II - trinta salários-mínimos, perante a Fazenda dos Municípios.
Art. 87 ADCT (EC 37/02) Parágrafo único. Se o valor da execução ultrapassar o estabelecido neste artigo, o pagamento far-se-á, sempre, por meio de precatório,  sendo facultada à parte exeqüente a renúncia ao crédito do valor excedente , para que possa optar pelo pagamento do saldo sem o precatório, da forma prevista no § 3º do art. 100. Estado do Espírito Santo: Lei Estadual nº. 7.674/2003. Art. 2º  Consideram-se de pequeno valor as obrigações não-superiores a  R$ 6.011,20  (seis mil, onze reais e vinte centavos) correspondentes a  4.420 (quatro mil quatrocentos e vinte) – Valores de Referência do Tesouro Estadual - VRTEs , atualizando-se automaticamente esse valor pela variação da VRTE. Parágrafo único . As obrigações de pequeno valor serão consideradas, tomando em conta  o valor total da execução .
Obrigação de Pequeno Valor Pode a lei estabelecer que o valor de referência será verificado “pelo valor total da execução”, em vez de analisar o direito material de cada credor? Exemplo: execução contra Estado do ES de 10 servidores públicos, com créditos de individuais de R$ 5.000,00 cada, totalizando R$ 50.000,00. Solução constitucional: Expedição de 10 RPV’s de R$ 5.000,00 ? Expedição de 1 RPV de R$ 6.011,20, com renúncia do excedente?
Aferição do pequeno valor Execução contra a Fazenda Pública: obrigação divisível: litisconsórcio facultativo:  desmembramento do processo para que os litisconsortes com crédito classificado como de pequeno valor possam receber sem a necessidade de precatório . Recurso extraordinário: descabimento:  ausência, no caso, de violação do art. 100, § 4º, da Constituição . 1. O acórdão recorrido, à luz da legislação infraconstitucional, reconheceu que o direito pleiteado pelos litisconsortes é divisível, razão pela qual o litisconsórcio é facultativo. 2.  De outro lado, a execução continuará sob o rito do precatório em relação aos litisconsortes com créditos não classificados como de pequeno valor.  3. "A vedação de fracionamento, repartição ou quebra do valor da execução - § 4º - se justifica a fim de que seu pagamento não se faça, em parte, na forma estabelecida para obrigações de pequeno valor e, em parte, mediante expedição de precatório, o que não ocorre no caso."  (RE 484.770, 1ª T., 06.06.2006, Pertence, DJ 01.09.2006).   (STF, RE 523199 / RO, Rel. Min. SEPÚLVEDA PERTENCE. J. em 26/04/2007. Publ. DJ 22-06-2007 PP-00040)
Parcelamento de Precatórios Artigo 78 do ADCT (criado pela EC 30/00) Art. 78 . Ressalvados os créditos definidos em lei como de pequeno valor, os de natureza alimentícia, os de que trata o art. 33 deste Ato das Disposições Constitucionais Transitórias e suas complementações e os que já tiverem os seus respectivos recursos liberados ou depositados em juízo,  os precatórios pendentes na data de promulgação desta Emenda e os que decorram de ações iniciais ajuizadas até 31 de dezembro de 1999  serão liquidados pelo seu valor real, em moeda corrente,  acrescido de juros legais , em prestações anuais, iguais e sucessivas, no prazo máximo de dez anos,  permitida a cessão dos créditos .
Parcelamento de Precatórios § 1º É permitida a decomposição de parcelas, a critério do credor.  § 2º As prestações anuais a que se refere o  caput  deste artigo terão, se não liquidadas até o final do exercício a que se referem, poder liberatório do pagamento de tributos da entidade devedora. § 3º O prazo referido no  caput  deste artigo fica reduzido para dois anos, nos casos de precatórios judiciais originários de desapropriação de imóvel residencial do credor, desde que comprovadamente único à época da imissão na posse. § 4º O Presidente do Tribunal competente deverá,  vencido o prazo ou em caso de omissão no orçamento , ou  preterição ao direito de precedência , a requerimento do credor, requisitar ou determinar o seqüestro de recursos financeiros da entidade executada, suficientes à satisfação da prestação.
Parcelamento de Precatórios Créditos que não entram no parcelamento: a)  Alimentares,  b)  Pequeno Valor,  c)  Parcelamento anterior (art. 33 ADCT),  d)  Já depositados em 13/09/2000 (promulgação da EC 30) . Créditos que entram no parcelamento: Precatórios  a)  pendentes em 13/09/2000,  b)  decorrentes de ações ajuizadas até 31/12/99.
Parcelamento de Precatórios Detalhes relevantes: Cálculo da parcela: correção monetária + “juros legais”(CCB 1916 vs. CCB 2002). Expressa autorização de cessão de créditos, independente de qualquer condição. Não pagamento da prestação anual: possibilidade de compensação com débitos do credor.
Parcelamento de Precatórios Detalhes relevantes: Prazo máximo de 2 anos: imóvel único desapropriado. Ampliação das hipóteses de seqüestro das contas públicas:  a) violação de direito de precedência. b) vencimento do prazo de pagamento sem o depósito. c) omissão no orçamento.
Constitucionalidade? ADIn 2.356 e ADIn 2.362. Alega-se: violação à efetividade das decisões judiciais, à garantia constitucional da coisa julgada e à razoabilidade. Ainda pendente de julgamento.
Alterações da EC 37/02 Inclusão do § 4º do art. 100. § 4º São vedados a expedição de precatório complementar ou suplementar de valor pago, bem como fracionamento, repartição ou quebra do valor da execução, a fim de que seu pagamento não se faça, em parte, na forma estabelecida no § 3º deste artigo  (pequeno valor)  e, em parte, mediante expedição de precatório.
Precatório de valor incontroverso 1. Execução contra a Fazenda Pública: recurso extraordinário: descabimento. Controvérsia relativa às exigências para a inclusão do precatório no orçamento, de natureza infraconstitucional, de exame inviável no RE. 2.  Execução contra a Fazenda Pública: fracionamento do valor da execução em  parcelas controversa e incontroversa , sem que isso implique em alteração de regime de pagamento, que é definido pelo valor global da obrigação: ausência, no caso, de violação do art. 100, §§ 1º e 4º, da Constituição Federal .  (RE 484770 / RS, Rel. Min. SEPÚLVEDA PERTENCE. J. em 06/06/2006, Publicação DJ 01-09-2006 PP-00022)
Precatório de valor incontroverso EXECUÇÃO - PRECATÓRIO - DUPLICIDADE. Longe fica de conflitar com o artigo 100, § 4º, da Constituição Federal enfoque no sentido de ter-se a  expedição imediata de precatório relativamente à parte incontroversa do título judicial, dando-se seqüência ao processo quanto àquela impugnada por meio de recurso .  (STF, RE 458110 / MG. Relator(a):  Min. MARCO AURÉLIO. J. 13/06/2006. Publicação DJ 29-09-2006 PP-00048)
Súmulas do STJ pertinentes Súmula 339: É cabível ação monitória contra a Fazenda Pública. Súmula 311: Os atos do presidente do tribunal que disponham sobre processamento e pagamento de precatório não têm caráter jurisdicional. Súmula 279: É cabível execução por título extrajudicial contra a Fazenda Pública.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Artigo prescrição repetição indébito tributo autolançamento visão stj 290309
Artigo prescrição repetição indébito tributo autolançamento visão stj 290309Artigo prescrição repetição indébito tributo autolançamento visão stj 290309
Artigo prescrição repetição indébito tributo autolançamento visão stj 290309
camilavergueirocatunda
 
Aula 23 03-13 - mód. iii
Aula 23 03-13 - mód. iiiAula 23 03-13 - mód. iii
Aula 23 03-13 - mód. iii
Fernanda Moreira
 
Processo Judicial Tributário: Medida cautelar fiscal
Processo Judicial Tributário: Medida cautelar fiscalProcesso Judicial Tributário: Medida cautelar fiscal
Processo Judicial Tributário: Medida cautelar fiscal
Sacha Calmon Misabel Derzi - Consultores e Advogados
 
Aula-Grupo estudos-Processo Tributário-Suspensão exigibilidade
Aula-Grupo estudos-Processo Tributário-Suspensão exigibilidadeAula-Grupo estudos-Processo Tributário-Suspensão exigibilidade
Aula-Grupo estudos-Processo Tributário-Suspensão exigibilidade
camilavergueirocatunda
 
Desaposentação Acórdão TRF1
Desaposentação  Acórdão TRF1Desaposentação  Acórdão TRF1
Desaposentação Acórdão TRF1
Fabio Motta
 
1308ec22b2e54b21a8fc592157d4f9a0 (1)
1308ec22b2e54b21a8fc592157d4f9a0 (1)1308ec22b2e54b21a8fc592157d4f9a0 (1)
1308ec22b2e54b21a8fc592157d4f9a0 (1)
Fabio Motta
 
Suspensão da exigibilidade damasio
Suspensão da exigibilidade damasioSuspensão da exigibilidade damasio
Suspensão da exigibilidade damasio
Aurora Tomazini
 
Atualidades acerc do regime dos precatórios
Atualidades acerc do regime dos precatóriosAtualidades acerc do regime dos precatórios
Atualidades acerc do regime dos precatórios
André Nakamura
 
Mandado de Segurança em matéria tributária - Cogeae abr_2011
Mandado de Segurança em matéria tributária - Cogeae abr_2011Mandado de Segurança em matéria tributária - Cogeae abr_2011
Mandado de Segurança em matéria tributária - Cogeae abr_2011
Tathiane Piscitelli
 
Os Impactos do Novo CPC sobre o Processo Judicial Tributário
Os Impactos do Novo CPC sobre o Processo Judicial TributárioOs Impactos do Novo CPC sobre o Processo Judicial Tributário
Os Impactos do Novo CPC sobre o Processo Judicial Tributário
Guilherme Henriques
 
TRF2 - Liminar - Contribuições Previdenciárias
TRF2 - Liminar - Contribuições PrevidenciáriasTRF2 - Liminar - Contribuições Previdenciárias
TRF2 - Liminar - Contribuições Previdenciárias
Fabio Motta
 
Prescrição e decadencia damasio 12 03 2011
Prescrição e decadencia damasio 12 03 2011Prescrição e decadencia damasio 12 03 2011
Prescrição e decadencia damasio 12 03 2011
Tacio Lacerda Gama
 
Andrea darzé ect - aula 3
Andrea darzé   ect - aula 3Andrea darzé   ect - aula 3
Andrea darzé ect - aula 3
Priscila Souza
 
Do Anatocismo de Juros de Mora e Indemnizatórios no Direito Fiscal 23.07.2015
Do Anatocismo de Juros de Mora e Indemnizatórios no Direito Fiscal 23.07.2015Do Anatocismo de Juros de Mora e Indemnizatórios no Direito Fiscal 23.07.2015
Do Anatocismo de Juros de Mora e Indemnizatórios no Direito Fiscal 23.07.2015
Ricardo da Palma Borges & Associados - Sociedade de Advogados, S.P., R.L.
 
Cédulas de Crédito no Registro de Imóveis
Cédulas de Crédito no Registro de Imóveis Cédulas de Crédito no Registro de Imóveis
Cédulas de Crédito no Registro de Imóveis
IRIB
 
Aula 15
Aula 15Aula 15
Protesto de CDAs: resultados e questionamentos
Protesto de CDAs: resultados e questionamentosProtesto de CDAs: resultados e questionamentos
Protesto de CDAs: resultados e questionamentos
Guilherme Henriques
 
Aula 24 08 - juliana furtado costa
Aula 24 08 - juliana furtado costaAula 24 08 - juliana furtado costa
Aula 24 08 - juliana furtado costa
Fernanda Moreira
 
TJ bate o martelo e diz que a Justiça não irá obrigar o Estado de Rondônia a ...
TJ bate o martelo e diz que a Justiça não irá obrigar o Estado de Rondônia a ...TJ bate o martelo e diz que a Justiça não irá obrigar o Estado de Rondônia a ...
TJ bate o martelo e diz que a Justiça não irá obrigar o Estado de Rondônia a ...
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Memorial modulação min. luis roberto barroso
Memorial modulação   min. luis roberto barrosoMemorial modulação   min. luis roberto barroso
Memorial modulação min. luis roberto barroso
CNSP Confederação Nacional dos Servidores Públicos
 

Mais procurados (20)

Artigo prescrição repetição indébito tributo autolançamento visão stj 290309
Artigo prescrição repetição indébito tributo autolançamento visão stj 290309Artigo prescrição repetição indébito tributo autolançamento visão stj 290309
Artigo prescrição repetição indébito tributo autolançamento visão stj 290309
 
Aula 23 03-13 - mód. iii
Aula 23 03-13 - mód. iiiAula 23 03-13 - mód. iii
Aula 23 03-13 - mód. iii
 
Processo Judicial Tributário: Medida cautelar fiscal
Processo Judicial Tributário: Medida cautelar fiscalProcesso Judicial Tributário: Medida cautelar fiscal
Processo Judicial Tributário: Medida cautelar fiscal
 
Aula-Grupo estudos-Processo Tributário-Suspensão exigibilidade
Aula-Grupo estudos-Processo Tributário-Suspensão exigibilidadeAula-Grupo estudos-Processo Tributário-Suspensão exigibilidade
Aula-Grupo estudos-Processo Tributário-Suspensão exigibilidade
 
Desaposentação Acórdão TRF1
Desaposentação  Acórdão TRF1Desaposentação  Acórdão TRF1
Desaposentação Acórdão TRF1
 
1308ec22b2e54b21a8fc592157d4f9a0 (1)
1308ec22b2e54b21a8fc592157d4f9a0 (1)1308ec22b2e54b21a8fc592157d4f9a0 (1)
1308ec22b2e54b21a8fc592157d4f9a0 (1)
 
Suspensão da exigibilidade damasio
Suspensão da exigibilidade damasioSuspensão da exigibilidade damasio
Suspensão da exigibilidade damasio
 
Atualidades acerc do regime dos precatórios
Atualidades acerc do regime dos precatóriosAtualidades acerc do regime dos precatórios
Atualidades acerc do regime dos precatórios
 
Mandado de Segurança em matéria tributária - Cogeae abr_2011
Mandado de Segurança em matéria tributária - Cogeae abr_2011Mandado de Segurança em matéria tributária - Cogeae abr_2011
Mandado de Segurança em matéria tributária - Cogeae abr_2011
 
Os Impactos do Novo CPC sobre o Processo Judicial Tributário
Os Impactos do Novo CPC sobre o Processo Judicial TributárioOs Impactos do Novo CPC sobre o Processo Judicial Tributário
Os Impactos do Novo CPC sobre o Processo Judicial Tributário
 
TRF2 - Liminar - Contribuições Previdenciárias
TRF2 - Liminar - Contribuições PrevidenciáriasTRF2 - Liminar - Contribuições Previdenciárias
TRF2 - Liminar - Contribuições Previdenciárias
 
Prescrição e decadencia damasio 12 03 2011
Prescrição e decadencia damasio 12 03 2011Prescrição e decadencia damasio 12 03 2011
Prescrição e decadencia damasio 12 03 2011
 
Andrea darzé ect - aula 3
Andrea darzé   ect - aula 3Andrea darzé   ect - aula 3
Andrea darzé ect - aula 3
 
Do Anatocismo de Juros de Mora e Indemnizatórios no Direito Fiscal 23.07.2015
Do Anatocismo de Juros de Mora e Indemnizatórios no Direito Fiscal 23.07.2015Do Anatocismo de Juros de Mora e Indemnizatórios no Direito Fiscal 23.07.2015
Do Anatocismo de Juros de Mora e Indemnizatórios no Direito Fiscal 23.07.2015
 
Cédulas de Crédito no Registro de Imóveis
Cédulas de Crédito no Registro de Imóveis Cédulas de Crédito no Registro de Imóveis
Cédulas de Crédito no Registro de Imóveis
 
Aula 15
Aula 15Aula 15
Aula 15
 
Protesto de CDAs: resultados e questionamentos
Protesto de CDAs: resultados e questionamentosProtesto de CDAs: resultados e questionamentos
Protesto de CDAs: resultados e questionamentos
 
Aula 24 08 - juliana furtado costa
Aula 24 08 - juliana furtado costaAula 24 08 - juliana furtado costa
Aula 24 08 - juliana furtado costa
 
TJ bate o martelo e diz que a Justiça não irá obrigar o Estado de Rondônia a ...
TJ bate o martelo e diz que a Justiça não irá obrigar o Estado de Rondônia a ...TJ bate o martelo e diz que a Justiça não irá obrigar o Estado de Rondônia a ...
TJ bate o martelo e diz que a Justiça não irá obrigar o Estado de Rondônia a ...
 
Memorial modulação min. luis roberto barroso
Memorial modulação   min. luis roberto barrosoMemorial modulação   min. luis roberto barroso
Memorial modulação min. luis roberto barroso
 

Destaque

My Wife 2
My Wife 2My Wife 2
My Wife 2
yeo jw
 
Difference Yelena V.
Difference Yelena V.Difference Yelena V.
Difference Yelena V.
Lena Vei
 
uwcssa Presentation
uwcssa Presentationuwcssa Presentation
uwcssa Presentation
uwcssa
 
Priorizar Los Casos De Uso
Priorizar Los Casos De UsoPriorizar Los Casos De Uso
Priorizar Los Casos De Uso
Gonzalo Piedra
 
Induc Deduc
Induc DeducInduc Deduc
Induc Deduc
cototo
 
Arma Na C..
Arma Na C..Arma Na C..
Arma Na C..
Jailson Ferreira
 
Session4
Session4Session4
Session4
Iván Abellán
 
Exploración análogo-digital
Exploración análogo-digitalExploración análogo-digital
Exploración análogo-digital
tmdvirginiaacosta
 
Hype vs. Reality: The AI Explainer
Hype vs. Reality: The AI ExplainerHype vs. Reality: The AI Explainer
Hype vs. Reality: The AI Explainer
Luminary Labs
 

Destaque (9)

My Wife 2
My Wife 2My Wife 2
My Wife 2
 
Difference Yelena V.
Difference Yelena V.Difference Yelena V.
Difference Yelena V.
 
uwcssa Presentation
uwcssa Presentationuwcssa Presentation
uwcssa Presentation
 
Priorizar Los Casos De Uso
Priorizar Los Casos De UsoPriorizar Los Casos De Uso
Priorizar Los Casos De Uso
 
Induc Deduc
Induc DeducInduc Deduc
Induc Deduc
 
Arma Na C..
Arma Na C..Arma Na C..
Arma Na C..
 
Session4
Session4Session4
Session4
 
Exploración análogo-digital
Exploración análogo-digitalExploración análogo-digital
Exploración análogo-digital
 
Hype vs. Reality: The AI Explainer
Hype vs. Reality: The AI ExplainerHype vs. Reality: The AI Explainer
Hype vs. Reality: The AI Explainer
 

Semelhante a FDV. TEPúblico. Execução Em Face Da Fazenda

Aurora aula extincao do-credito_tributario-damasio
Aurora   aula extincao do-credito_tributario-damasioAurora   aula extincao do-credito_tributario-damasio
Aurora aula extincao do-credito_tributario-damasio
Julia De Menezes Nogueira
 
Oro.extinção do crédito tributãrio damasio
Oro.extinção do crédito tributãrio damasioOro.extinção do crédito tributãrio damasio
Oro.extinção do crédito tributãrio damasio
Tacio Lacerda Gama
 
Decadência e Prescrição no Direito Tributário
Decadência e Prescrição no Direito TributárioDecadência e Prescrição no Direito Tributário
Decadência e Prescrição no Direito Tributário
aldodepaulajr
 
Aula dra. carla de lourdes gonçalves 04-10-14
Aula dra. carla de lourdes gonçalves   04-10-14Aula dra. carla de lourdes gonçalves   04-10-14
Aula dra. carla de lourdes gonçalves 04-10-14
Fernanda Moreira
 
Prescrição e decadencia damasio 12 03 2011
Prescrição e decadencia damasio 12 03 2011Prescrição e decadencia damasio 12 03 2011
Prescrição e decadencia damasio 12 03 2011
Tacio Lacerda Gama
 
AÇÕES TRIBUTÁRIAS: DECLARATÓRIA,
AÇÕES TRIBUTÁRIAS: DECLARATÓRIA,AÇÕES TRIBUTÁRIAS: DECLARATÓRIA,
AÇÕES TRIBUTÁRIAS: DECLARATÓRIA,
Fernanda Moreira
 
Aula 17 09-14 - dra. marina vieira
Aula 17 09-14 - dra. marina vieiraAula 17 09-14 - dra. marina vieira
Aula 17 09-14 - dra. marina vieira
Fernanda Moreira
 
Aula dra. juliana furtado costa 04-10-14
Aula dra. juliana furtado costa   04-10-14Aula dra. juliana furtado costa   04-10-14
Aula dra. juliana furtado costa 04-10-14
Fernanda Moreira
 
Legislação de devolução de parcela previdencia indevida
Legislação de devolução de parcela previdencia indevidaLegislação de devolução de parcela previdencia indevida
Legislação de devolução de parcela previdencia indevida
Denilsio Lino Andrade
 
Jurisprudência - Contribuição de Melhoria
Jurisprudência - Contribuição de MelhoriaJurisprudência - Contribuição de Melhoria
Jurisprudência - Contribuição de Melhoria
Rodrigo Martins Naves
 
Principio do trabalho, jurisprudencia
Principio do trabalho, jurisprudenciaPrincipio do trabalho, jurisprudencia
Principio do trabalho, jurisprudencia
Paolla Pimenta
 
Súmulas vinculantes comentadas
Súmulas vinculantes comentadasSúmulas vinculantes comentadas
Súmulas vinculantes comentadas
Antonio Moreira
 
Modelo agravo
Modelo agravoModelo agravo
Modelo agravo
anderson4582
 
O ordenador de despesas e a lei de responsabilidade fiscal
O ordenador de despesas e a lei de responsabilidade fiscalO ordenador de despesas e a lei de responsabilidade fiscal
O ordenador de despesas e a lei de responsabilidade fiscal
Raimundo de Farias
 
Aula tft 2.2ppt
Aula tft 2.2pptAula tft 2.2ppt
Aula tft 2.2ppt
Fernandinhaparisi
 
Juros abusivos nos contratos de financiamento de veículo | Palestra Alberto B...
Juros abusivos nos contratos de financiamento de veículo | Palestra Alberto B...Juros abusivos nos contratos de financiamento de veículo | Palestra Alberto B...
Juros abusivos nos contratos de financiamento de veículo | Palestra Alberto B...
Alberto Bezerra
 
Dir. financeiro lfg
Dir. financeiro   lfg Dir. financeiro   lfg
Dir. financeiro lfg
Julianoobrito
 
Aula do dia 11 05-13 - dra. juliana furtado
Aula do dia 11 05-13 - dra. juliana furtadoAula do dia 11 05-13 - dra. juliana furtado
Aula do dia 11 05-13 - dra. juliana furtado
Fernanda Moreira
 
Aula dr. diego diniz 14-09-13
Aula dr. diego diniz   14-09-13Aula dr. diego diniz   14-09-13
Aula dr. diego diniz 14-09-13
Fernanda Moreira
 
A problemática da garantia judicial do crédito tributário abradt-2 (j. comp...
A problemática da garantia judicial do crédito tributário   abradt-2 (j. comp...A problemática da garantia judicial do crédito tributário   abradt-2 (j. comp...
A problemática da garantia judicial do crédito tributário abradt-2 (j. comp...
abradtbrasil
 

Semelhante a FDV. TEPúblico. Execução Em Face Da Fazenda (20)

Aurora aula extincao do-credito_tributario-damasio
Aurora   aula extincao do-credito_tributario-damasioAurora   aula extincao do-credito_tributario-damasio
Aurora aula extincao do-credito_tributario-damasio
 
Oro.extinção do crédito tributãrio damasio
Oro.extinção do crédito tributãrio damasioOro.extinção do crédito tributãrio damasio
Oro.extinção do crédito tributãrio damasio
 
Decadência e Prescrição no Direito Tributário
Decadência e Prescrição no Direito TributárioDecadência e Prescrição no Direito Tributário
Decadência e Prescrição no Direito Tributário
 
Aula dra. carla de lourdes gonçalves 04-10-14
Aula dra. carla de lourdes gonçalves   04-10-14Aula dra. carla de lourdes gonçalves   04-10-14
Aula dra. carla de lourdes gonçalves 04-10-14
 
Prescrição e decadencia damasio 12 03 2011
Prescrição e decadencia damasio 12 03 2011Prescrição e decadencia damasio 12 03 2011
Prescrição e decadencia damasio 12 03 2011
 
AÇÕES TRIBUTÁRIAS: DECLARATÓRIA,
AÇÕES TRIBUTÁRIAS: DECLARATÓRIA,AÇÕES TRIBUTÁRIAS: DECLARATÓRIA,
AÇÕES TRIBUTÁRIAS: DECLARATÓRIA,
 
Aula 17 09-14 - dra. marina vieira
Aula 17 09-14 - dra. marina vieiraAula 17 09-14 - dra. marina vieira
Aula 17 09-14 - dra. marina vieira
 
Aula dra. juliana furtado costa 04-10-14
Aula dra. juliana furtado costa   04-10-14Aula dra. juliana furtado costa   04-10-14
Aula dra. juliana furtado costa 04-10-14
 
Legislação de devolução de parcela previdencia indevida
Legislação de devolução de parcela previdencia indevidaLegislação de devolução de parcela previdencia indevida
Legislação de devolução de parcela previdencia indevida
 
Jurisprudência - Contribuição de Melhoria
Jurisprudência - Contribuição de MelhoriaJurisprudência - Contribuição de Melhoria
Jurisprudência - Contribuição de Melhoria
 
Principio do trabalho, jurisprudencia
Principio do trabalho, jurisprudenciaPrincipio do trabalho, jurisprudencia
Principio do trabalho, jurisprudencia
 
Súmulas vinculantes comentadas
Súmulas vinculantes comentadasSúmulas vinculantes comentadas
Súmulas vinculantes comentadas
 
Modelo agravo
Modelo agravoModelo agravo
Modelo agravo
 
O ordenador de despesas e a lei de responsabilidade fiscal
O ordenador de despesas e a lei de responsabilidade fiscalO ordenador de despesas e a lei de responsabilidade fiscal
O ordenador de despesas e a lei de responsabilidade fiscal
 
Aula tft 2.2ppt
Aula tft 2.2pptAula tft 2.2ppt
Aula tft 2.2ppt
 
Juros abusivos nos contratos de financiamento de veículo | Palestra Alberto B...
Juros abusivos nos contratos de financiamento de veículo | Palestra Alberto B...Juros abusivos nos contratos de financiamento de veículo | Palestra Alberto B...
Juros abusivos nos contratos de financiamento de veículo | Palestra Alberto B...
 
Dir. financeiro lfg
Dir. financeiro   lfg Dir. financeiro   lfg
Dir. financeiro lfg
 
Aula do dia 11 05-13 - dra. juliana furtado
Aula do dia 11 05-13 - dra. juliana furtadoAula do dia 11 05-13 - dra. juliana furtado
Aula do dia 11 05-13 - dra. juliana furtado
 
Aula dr. diego diniz 14-09-13
Aula dr. diego diniz   14-09-13Aula dr. diego diniz   14-09-13
Aula dr. diego diniz 14-09-13
 
A problemática da garantia judicial do crédito tributário abradt-2 (j. comp...
A problemática da garantia judicial do crédito tributário   abradt-2 (j. comp...A problemática da garantia judicial do crédito tributário   abradt-2 (j. comp...
A problemática da garantia judicial do crédito tributário abradt-2 (j. comp...
 

Mais de Cláudio Colnago

Controle de constitucionalidade da lei tributária 01.07.2016
Controle de constitucionalidade da lei tributária 01.07.2016Controle de constitucionalidade da lei tributária 01.07.2016
Controle de constitucionalidade da lei tributária 01.07.2016
Cláudio Colnago
 
Jovem advocacia, redes sociais e construção da imagem do advogado
Jovem advocacia, redes sociais e construção da imagem do advogadoJovem advocacia, redes sociais e construção da imagem do advogado
Jovem advocacia, redes sociais e construção da imagem do advogado
Cláudio Colnago
 
Deveres fundamentais
Deveres fundamentaisDeveres fundamentais
Deveres fundamentais
Cláudio Colnago
 
Controle de constitucionalidade - ADIn, ADC, ADO e questões práticas
Controle de constitucionalidade - ADIn, ADC, ADO e questões práticas Controle de constitucionalidade - ADIn, ADC, ADO e questões práticas
Controle de constitucionalidade - ADIn, ADC, ADO e questões práticas
Cláudio Colnago
 
Controle de constitucionalidade - pontos gerais
Controle de constitucionalidade - pontos geraisControle de constitucionalidade - pontos gerais
Controle de constitucionalidade - pontos gerais
Cláudio Colnago
 
Princípios constitucionais tributários (fdv 10.05.2013)
Princípios constitucionais tributários (fdv 10.05.2013)Princípios constitucionais tributários (fdv 10.05.2013)
Princípios constitucionais tributários (fdv 10.05.2013)
Cláudio Colnago
 
Imunidade tributária dos livros eletrônicos e dos dispositivos destinados à s...
Imunidade tributária dos livros eletrônicos e dos dispositivos destinados à s...Imunidade tributária dos livros eletrônicos e dos dispositivos destinados à s...
Imunidade tributária dos livros eletrônicos e dos dispositivos destinados à s...
Cláudio Colnago
 
Execuções fiscais no brasil
Execuções fiscais no brasilExecuções fiscais no brasil
Execuções fiscais no brasil
Cláudio Colnago
 
Liberdade de expressão na internet
Liberdade de expressão na internetLiberdade de expressão na internet
Liberdade de expressão na internet
Cláudio Colnago
 
Oglaw drawback integrado (08.07.2011)
Oglaw   drawback integrado (08.07.2011)Oglaw   drawback integrado (08.07.2011)
Oglaw drawback integrado (08.07.2011)
Cláudio Colnago
 
Lei da ficha limpa - questionário
Lei da ficha limpa - questionárioLei da ficha limpa - questionário
Lei da ficha limpa - questionário
Cláudio Colnago
 
Garantias fundamentais
Garantias fundamentais Garantias fundamentais
Garantias fundamentais
Cláudio Colnago
 
Língua estrangeira. 2010 2
Língua estrangeira. 2010 2Língua estrangeira. 2010 2
Língua estrangeira. 2010 2
Cláudio Colnago
 
Direito Tributário e Direito Privado: Planejamento Tributário
Direito Tributário e Direito Privado: Planejamento TributárioDireito Tributário e Direito Privado: Planejamento Tributário
Direito Tributário e Direito Privado: Planejamento Tributário
Cláudio Colnago
 
Infrações e Sanções Fiscais
Infrações e Sanções FiscaisInfrações e Sanções Fiscais
Infrações e Sanções Fiscais
Cláudio Colnago
 
Marbury V. Madison
Marbury V. MadisonMarbury V. Madison
Marbury V. Madison
Cláudio Colnago
 
A Responsabilidade Civil do Estado
A Responsabilidade Civil do EstadoA Responsabilidade Civil do Estado
A Responsabilidade Civil do Estado
Cláudio Colnago
 
Teoria da Inconstitucionalidade (2009)
Teoria da Inconstitucionalidade (2009)Teoria da Inconstitucionalidade (2009)
Teoria da Inconstitucionalidade (2009)
Cláudio Colnago
 
Interpretação Constitucional - Casos Práticos
Interpretação Constitucional -  Casos PráticosInterpretação Constitucional -  Casos Práticos
Interpretação Constitucional - Casos Práticos
Cláudio Colnago
 
08. Unidade VII – Interpretação Constitucional
08. Unidade VII – Interpretação Constitucional08. Unidade VII – Interpretação Constitucional
08. Unidade VII – Interpretação Constitucional
Cláudio Colnago
 

Mais de Cláudio Colnago (20)

Controle de constitucionalidade da lei tributária 01.07.2016
Controle de constitucionalidade da lei tributária 01.07.2016Controle de constitucionalidade da lei tributária 01.07.2016
Controle de constitucionalidade da lei tributária 01.07.2016
 
Jovem advocacia, redes sociais e construção da imagem do advogado
Jovem advocacia, redes sociais e construção da imagem do advogadoJovem advocacia, redes sociais e construção da imagem do advogado
Jovem advocacia, redes sociais e construção da imagem do advogado
 
Deveres fundamentais
Deveres fundamentaisDeveres fundamentais
Deveres fundamentais
 
Controle de constitucionalidade - ADIn, ADC, ADO e questões práticas
Controle de constitucionalidade - ADIn, ADC, ADO e questões práticas Controle de constitucionalidade - ADIn, ADC, ADO e questões práticas
Controle de constitucionalidade - ADIn, ADC, ADO e questões práticas
 
Controle de constitucionalidade - pontos gerais
Controle de constitucionalidade - pontos geraisControle de constitucionalidade - pontos gerais
Controle de constitucionalidade - pontos gerais
 
Princípios constitucionais tributários (fdv 10.05.2013)
Princípios constitucionais tributários (fdv 10.05.2013)Princípios constitucionais tributários (fdv 10.05.2013)
Princípios constitucionais tributários (fdv 10.05.2013)
 
Imunidade tributária dos livros eletrônicos e dos dispositivos destinados à s...
Imunidade tributária dos livros eletrônicos e dos dispositivos destinados à s...Imunidade tributária dos livros eletrônicos e dos dispositivos destinados à s...
Imunidade tributária dos livros eletrônicos e dos dispositivos destinados à s...
 
Execuções fiscais no brasil
Execuções fiscais no brasilExecuções fiscais no brasil
Execuções fiscais no brasil
 
Liberdade de expressão na internet
Liberdade de expressão na internetLiberdade de expressão na internet
Liberdade de expressão na internet
 
Oglaw drawback integrado (08.07.2011)
Oglaw   drawback integrado (08.07.2011)Oglaw   drawback integrado (08.07.2011)
Oglaw drawback integrado (08.07.2011)
 
Lei da ficha limpa - questionário
Lei da ficha limpa - questionárioLei da ficha limpa - questionário
Lei da ficha limpa - questionário
 
Garantias fundamentais
Garantias fundamentais Garantias fundamentais
Garantias fundamentais
 
Língua estrangeira. 2010 2
Língua estrangeira. 2010 2Língua estrangeira. 2010 2
Língua estrangeira. 2010 2
 
Direito Tributário e Direito Privado: Planejamento Tributário
Direito Tributário e Direito Privado: Planejamento TributárioDireito Tributário e Direito Privado: Planejamento Tributário
Direito Tributário e Direito Privado: Planejamento Tributário
 
Infrações e Sanções Fiscais
Infrações e Sanções FiscaisInfrações e Sanções Fiscais
Infrações e Sanções Fiscais
 
Marbury V. Madison
Marbury V. MadisonMarbury V. Madison
Marbury V. Madison
 
A Responsabilidade Civil do Estado
A Responsabilidade Civil do EstadoA Responsabilidade Civil do Estado
A Responsabilidade Civil do Estado
 
Teoria da Inconstitucionalidade (2009)
Teoria da Inconstitucionalidade (2009)Teoria da Inconstitucionalidade (2009)
Teoria da Inconstitucionalidade (2009)
 
Interpretação Constitucional - Casos Práticos
Interpretação Constitucional -  Casos PráticosInterpretação Constitucional -  Casos Práticos
Interpretação Constitucional - Casos Práticos
 
08. Unidade VII – Interpretação Constitucional
08. Unidade VII – Interpretação Constitucional08. Unidade VII – Interpretação Constitucional
08. Unidade VII – Interpretação Constitucional
 

Último

Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Renan Batista Bitcoin
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
InsttLcioEvangelista
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
Paulo Emerson Pereira
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
rihabkorbi24
 
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
AlfeuBuriti1
 
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfilApostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Carlos Eduardo Coan Junior
 
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Dantas
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Paulo Emerson Pereira
 

Último (8)

Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
 
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
 
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfilApostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
 
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
 

FDV. TEPúblico. Execução Em Face Da Fazenda

  • 1. Cláudio de Oliveira Santos Colnago Mestre em Direitos e Garantias Fundamentais – FDV [email_address] TEMAS EMERGENTES Direito Público Unidade IV – Execução em face da Fazenda Pública
  • 2. Quem é a Fazenda Pública? Pessoas jurídicas de direito público interno. Empresas públicas e sociedades de economia mista: 173,par. 1°: equiparação RE 230.051: ECT segue o regime dos precatórios, já que presta serviço público essencial, em caráter de monopólio.
  • 3. Conceito de precatório Latim “precata”: pedido Exemplo: Carta “precatória” Art. 100: pedido de um juiz de primeiro grau para o presidente do tribunal respectivo, para determinar à pessoa devedora a inclusão da verba em orçamento.
  • 4. Procedimento Inicial de execução com memorial de cálculo (sentença trânsita em julgado). Constituição exige trânsito em julgado para expedir o precatório. É possível iniciar execução provisória contra a Fazenda Pública (vai até a liquidação) Exceção: art. 2º-B da Lei 9.494/97 “ Art. 2 o -B.   A sentença que tenha por objeto a liberação de recurso , inclusão em folha de pagamento , reclassificação, equiparação, concessão de aumento ou extensão de vantagens a servidores da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, inclusive de suas autarquias e fundações, somente poderá ser executada após seu trânsito em julgado ”. (NR) (Incluído pela Medida provisória nº 2.180-35, de 2001)
  • 5. Embargos à Execução Art. 730, CPC: oposição de Embargos em 30 dias (MP 2.180-35/01). Lei 11.232/05 e 11.382/06: Embargos têm efeito suspensivo? Efeito prático do efeito suspensivo dos Embargos na Execução contra a Fazenda Pública: obstar a expedição de precatório. Questão demanda a análise sistemática de alguns dispositivos do CPC.
  • 6. Embargos à Execução Art. 730. Na execução por quantia certa contra a Fazenda Pública, citar-se-á a devedora para opor embargos em 10 (dez) dias; se esta não os opuser, no prazo legal, observar-se-ão as seguintes regras: I - o juiz requisitará o pagamento por intermédio do presidente do tribunal competente. TÍTULO III: DOS EMBARGOS DO DEVEDOR CAPÍTULO I:DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 739-A.  Os embargos do executado não terão efeito suspensivo. CAPÍTULO II: DOS EMBARGOS À EXECUÇÃO CONTRA A FAZENDA PÚBLICA Inexistência de norma que excepcione a regra geral de não – suspensividade automática.
  • 7. Embargos à Execução Conclusão inicial: embargos da Fazenda Pública não têm efeito suspensivo automático. Poderá o Juiz, porém, expedir Precatório, uma vez opostos Embargos? Embargos totais : não. Embargos parciais : sim, acerca da parcela não Embargada.
  • 8. Sistemática de pagamento Antes e depois das Emendas Constitucionais nº. 30/00 e 37/02. Redação Originária da Constituição: Art. 100 . à exceção dos créditos de natureza alimentícia , os pagamentos devidos pela Fazenda Federal, Estadual ou Municipal, em virtude de sentença judiciária, far-se-ão exclusivamente na ordem cronológica de apresentação dos precatórios e à conta dos créditos respectivos, proibida a designação de casos ou de pessoas nas dotações orçamentárias e nos créditos adicionais abertos para este fim.
  • 9. Créditos comuns e alimentícios Súmula 655 do STF : “ A exceção prevista no art. 100, "caput", da Constituição, em favor dos créditos de natureza alimentícia, não dispensa a expedição de precatório, limitando-se a isentá-los da observância da ordem cronológica dos precatórios decorrentes de condenações de outra natureza”. Súmula 144 do STJ : Os créditos de natureza alimentícia gozam de preferência, desvinculados os precatórios da ordem cronológica dos créditos de natureza diversa. Quais créditos possuem tal natureza?
  • 10. Créditos comuns e alimentícios Emenda 30/00: inclusão do “§ 1º-A”: § 1º-A. Os débitos de natureza alimentícia compreendem aqueles decorrentes de salários, vencimentos, proventos, pensões e suas complementações, benefícios previdenciários e indenizações por morte ou invalidez, fundadas na responsabilidade civil, em virtude de sentença transitada em julgado. Rol é exemplificativo (STF, RE 470.407, julgado em 09/05/2006)
  • 11. Sistemática de pagamento Redação Originária da Constituição: § 1º - É obrigatória a inclusão, no orçamento das entidades de direito público, de verba necessária ao pagamento de seus débitos constantes de precatórios judiciários, apresentados até 1º de julho, data em que terão atualizados seus valores , fazendo-se o pagamento até o final do exercício seguinte. Atualização ocorria somente na data da apresentação.
  • 12. Problemas Atualização na data da apresentação gerava débitos intermináveis, pelo resíduo de correção monetária, que não era pago pela entidade de Direito Público .
  • 13. Problemas Exemplo (sistemática original da Constituição) Executa-se a Fazenda por débito que, atualizado até 01/05/2005 (data da execução), importa em R$ 50.000,00. Expede-se o Precatório em 01/07/2005 , atualizando-se o valor (inflação existente entre 01/05 e 01/07) Prazo de pagamento da Fazenda: 31/12/2006. Fazenda deposita o valor em 31/12/2006, mas com o valor de 01/07/2005. Resíduo: correção monetária do período de 01/07/2005 a 31/12/2006. Débito em aberto.
  • 14. Problemas Questionamento : débito não foi integralmente quitado no prazo dado à Fazenda. Cabe a aplicação de juros de mora? STF: não são cabíveis juros de mora, pois a Fazenda efetua o pagamento em conformidade com o que determina o sistema Constitucional. Pressuposto: pagamento seja feito até o dia 31/12 do exercício seguinte em que inscrito.
  • 15. Não cabimento de juros de mora “ Recurso Extraordinário. 2. Precatórios. Juros de mora. 3. Art. 100, § 1º, da Constituição Federal. Redação anterior à Emenda 30, de 2000 . 4. Inclusão no orçamento das entidades de direito público. Apresentação até 1º de julho, data em que terão seus valores atualizados. 5. Prazo constitucional de pagamento até o final do exercício seguinte. 6. Descaracterização da mora, quando não há atraso na satisfação dos débitos . 7. Recurso extraordinário provido”. (STF, RE 298.616, J. em 31./10/2002, DJ 03/10/2003.)
  • 16. Como pleitear a diferença? Valor pago pela sistemática anterior à EC 30/00 era sempre inferior ao devido. Parte deveria pleitear a expedição de novo precatório ( precatório complementar ), englobando a diferença de correção monetária não paga pela Fazenda. Necessidade de nova citação da Fazenda Pública? Em regra, sim . Hipóteses de dispensa: erro material, inexatidão aritmética e substituição de índice de correção.
  • 17. Dispensa de nova citação: casos. CONSTITUCIONAL. PRECATÓRIO. CRÉDITO COMPLEMENTAR: NOVO PRECATÓRIO . Regimento Interno do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, inciso V do art. 336. CF, art. 100. Interpretação conforme sem redução do texto. I. - Dispõe o inciso V do art. 336 do Regimento Interno do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo que "para pagamentos complementares serão utilizados os mesmos precatórios satisfeitos parcialmente até o seu integral cumprimento". Interpretação conforme, sem redução do texto, para o fim de ficar assentado que "pagamentos complementares", referidos no citado preceito regimental, são somente aqueles decorrentes de erro material e inexatidão aritmética , contidos no precatório original, bem assim da substituição, por força de lei, do índice aplicado . II. - ADI julgada procedente, em parte. (ADIn 2.925)
  • 18. Divergência do STJ: REsp 354.357 PROCESSUAL CIVIL - PRECATÓRIO COMPLEMENTAR - CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL - ART. 730 - NÃO INCIDÊNCIA. I - O incidente de atualização de valores, visando a expedição de precatório complementar, por não constituir novo processo de execução, dispensa a citação prevista no Art. 730 do CPC e o procedimento traçado neste dispositivo. Basta simples intimação do devedor, para conhecimento dos novos cálculos. II - Se o Estado não concordar com os cálculos complementares, pode manejar agravo. (REsp 354357/RS, Rel. Ministro HUMBERTO GOMES DE BARROS, CORTE ESPECIAL, julgado em 26.09.2002, DJ 26.05.2003 p. 244)
  • 19. Alterações da EC 30/00 Redação original: § 1º - É obrigatória a inclusão, no orçamento das entidades de direito público, de verba necessária ao pagamento de seus débitos constantes de precatórios judiciários, apresentados até 1º de julho, data em que terão atualizados seus valores , fazendo-se o pagamento até o final do exercício seguinte. Redação após a EC 30/00: § 1º É obrigatória a inclusão, no orçamento das entidades de direito público, de verba necessária ao pagamento de seus débitos oriundos de sentenças transitadas em julgado, constantes de precatórios judiciários, apresentados até 1º de julho, fazendo-se o pagamento até o final do exercício seguinte, quando terão seus valores atualizados monetariamente .
  • 20. Alterações da EC 30/00 Correção monetária, que era feita somente no ato da inscrição, passou a ser feita também no momento do pagamento. Conseqüência: desnecessidade de novos Precatórios complementares. Demais alterações: Crédito consignado diretamente ao Poder Judiciário (Art. 100, § 2º) Dispensa de precatórios nas obrigações de pequeno valor (art. 100, § 3º)
  • 21. Alterações da EC 30/00 Novas redações: § 2º As dotações orçamentárias e os créditos abertos serão consignados diretamente ao Poder Judiciário , cabendo ao Presidente do Tribunal que proferir a decisão exeqüenda determinar o pagamento segundo as possibilidades do depósito , e autorizar, a requerimento do credor, e exclusivamente para o caso de preterimento de seu direito de precedência, o seqüestro da quantia necessária à satisfação do débito. § 3º O disposto no caput deste artigo, relativamente à expedição de precatórios, não se aplica aos pagamentos de obrigações definidas em lei como de pequeno valor que a Fazenda Federal, Estadual, Distrital ou Municipal deva fazer em virtude de sentença judicial transitada em julgado. § 5º A lei poderá fixar valores distintos para o fim previsto no § 3º deste artigo , segundo as diferentes capacidades das entidades de direito público.
  • 22. Obrigações de Pequeno Valor Âmbito Federal: Lei 10.259/01, art. 17, § 1º Para os efeitos do § 3 o do art. 100 da Constituição Federal, as obrigações ali definidas como de pequeno valor, a serem pagas independentemente de precatório, terão como limite o mesmo valor estabelecido nesta Lei para a competência do Juizado Especial Federal Cível (art. 3 o , caput) – 60 salários mínimos. Estados e Municípios: competência legislativa própria. Omissão Legislativa? Solução dada pela EC 37/02: 40 e 30 salários, respectivamente.
  • 23. Art. 87 ADCT (EC 37/02) Art. 87. Para efeito do que dispõem o § 3º do art. 100 da Constituição Federal e o art. 78 deste Ato das Disposições Constitucionais Transitórias serão considerados de pequeno valor, até que se dê a publicação oficial das respectivas leis definidoras pelos entes da Federação , observado o disposto no § 4º do art. 100 da Constituição Federal, os débitos ou obrigações consignados em precatório judiciário, que tenham valor igual ou inferior a: I - quarenta salários-mínimos, perante a Fazenda dos Estados e do Distrito Federal; II - trinta salários-mínimos, perante a Fazenda dos Municípios.
  • 24. Art. 87 ADCT (EC 37/02) Parágrafo único. Se o valor da execução ultrapassar o estabelecido neste artigo, o pagamento far-se-á, sempre, por meio de precatório, sendo facultada à parte exeqüente a renúncia ao crédito do valor excedente , para que possa optar pelo pagamento do saldo sem o precatório, da forma prevista no § 3º do art. 100. Estado do Espírito Santo: Lei Estadual nº. 7.674/2003. Art. 2º Consideram-se de pequeno valor as obrigações não-superiores a R$ 6.011,20 (seis mil, onze reais e vinte centavos) correspondentes a 4.420 (quatro mil quatrocentos e vinte) – Valores de Referência do Tesouro Estadual - VRTEs , atualizando-se automaticamente esse valor pela variação da VRTE. Parágrafo único . As obrigações de pequeno valor serão consideradas, tomando em conta o valor total da execução .
  • 25. Obrigação de Pequeno Valor Pode a lei estabelecer que o valor de referência será verificado “pelo valor total da execução”, em vez de analisar o direito material de cada credor? Exemplo: execução contra Estado do ES de 10 servidores públicos, com créditos de individuais de R$ 5.000,00 cada, totalizando R$ 50.000,00. Solução constitucional: Expedição de 10 RPV’s de R$ 5.000,00 ? Expedição de 1 RPV de R$ 6.011,20, com renúncia do excedente?
  • 26. Aferição do pequeno valor Execução contra a Fazenda Pública: obrigação divisível: litisconsórcio facultativo: desmembramento do processo para que os litisconsortes com crédito classificado como de pequeno valor possam receber sem a necessidade de precatório . Recurso extraordinário: descabimento: ausência, no caso, de violação do art. 100, § 4º, da Constituição . 1. O acórdão recorrido, à luz da legislação infraconstitucional, reconheceu que o direito pleiteado pelos litisconsortes é divisível, razão pela qual o litisconsórcio é facultativo. 2. De outro lado, a execução continuará sob o rito do precatório em relação aos litisconsortes com créditos não classificados como de pequeno valor. 3. "A vedação de fracionamento, repartição ou quebra do valor da execução - § 4º - se justifica a fim de que seu pagamento não se faça, em parte, na forma estabelecida para obrigações de pequeno valor e, em parte, mediante expedição de precatório, o que não ocorre no caso." (RE 484.770, 1ª T., 06.06.2006, Pertence, DJ 01.09.2006). (STF, RE 523199 / RO, Rel. Min. SEPÚLVEDA PERTENCE. J. em 26/04/2007. Publ. DJ 22-06-2007 PP-00040)
  • 27. Parcelamento de Precatórios Artigo 78 do ADCT (criado pela EC 30/00) Art. 78 . Ressalvados os créditos definidos em lei como de pequeno valor, os de natureza alimentícia, os de que trata o art. 33 deste Ato das Disposições Constitucionais Transitórias e suas complementações e os que já tiverem os seus respectivos recursos liberados ou depositados em juízo, os precatórios pendentes na data de promulgação desta Emenda e os que decorram de ações iniciais ajuizadas até 31 de dezembro de 1999 serão liquidados pelo seu valor real, em moeda corrente, acrescido de juros legais , em prestações anuais, iguais e sucessivas, no prazo máximo de dez anos, permitida a cessão dos créditos .
  • 28. Parcelamento de Precatórios § 1º É permitida a decomposição de parcelas, a critério do credor. § 2º As prestações anuais a que se refere o caput deste artigo terão, se não liquidadas até o final do exercício a que se referem, poder liberatório do pagamento de tributos da entidade devedora. § 3º O prazo referido no caput deste artigo fica reduzido para dois anos, nos casos de precatórios judiciais originários de desapropriação de imóvel residencial do credor, desde que comprovadamente único à época da imissão na posse. § 4º O Presidente do Tribunal competente deverá, vencido o prazo ou em caso de omissão no orçamento , ou preterição ao direito de precedência , a requerimento do credor, requisitar ou determinar o seqüestro de recursos financeiros da entidade executada, suficientes à satisfação da prestação.
  • 29. Parcelamento de Precatórios Créditos que não entram no parcelamento: a) Alimentares, b) Pequeno Valor, c) Parcelamento anterior (art. 33 ADCT), d) Já depositados em 13/09/2000 (promulgação da EC 30) . Créditos que entram no parcelamento: Precatórios a) pendentes em 13/09/2000, b) decorrentes de ações ajuizadas até 31/12/99.
  • 30. Parcelamento de Precatórios Detalhes relevantes: Cálculo da parcela: correção monetária + “juros legais”(CCB 1916 vs. CCB 2002). Expressa autorização de cessão de créditos, independente de qualquer condição. Não pagamento da prestação anual: possibilidade de compensação com débitos do credor.
  • 31. Parcelamento de Precatórios Detalhes relevantes: Prazo máximo de 2 anos: imóvel único desapropriado. Ampliação das hipóteses de seqüestro das contas públicas: a) violação de direito de precedência. b) vencimento do prazo de pagamento sem o depósito. c) omissão no orçamento.
  • 32. Constitucionalidade? ADIn 2.356 e ADIn 2.362. Alega-se: violação à efetividade das decisões judiciais, à garantia constitucional da coisa julgada e à razoabilidade. Ainda pendente de julgamento.
  • 33. Alterações da EC 37/02 Inclusão do § 4º do art. 100. § 4º São vedados a expedição de precatório complementar ou suplementar de valor pago, bem como fracionamento, repartição ou quebra do valor da execução, a fim de que seu pagamento não se faça, em parte, na forma estabelecida no § 3º deste artigo (pequeno valor) e, em parte, mediante expedição de precatório.
  • 34. Precatório de valor incontroverso 1. Execução contra a Fazenda Pública: recurso extraordinário: descabimento. Controvérsia relativa às exigências para a inclusão do precatório no orçamento, de natureza infraconstitucional, de exame inviável no RE. 2. Execução contra a Fazenda Pública: fracionamento do valor da execução em parcelas controversa e incontroversa , sem que isso implique em alteração de regime de pagamento, que é definido pelo valor global da obrigação: ausência, no caso, de violação do art. 100, §§ 1º e 4º, da Constituição Federal . (RE 484770 / RS, Rel. Min. SEPÚLVEDA PERTENCE. J. em 06/06/2006, Publicação DJ 01-09-2006 PP-00022)
  • 35. Precatório de valor incontroverso EXECUÇÃO - PRECATÓRIO - DUPLICIDADE. Longe fica de conflitar com o artigo 100, § 4º, da Constituição Federal enfoque no sentido de ter-se a expedição imediata de precatório relativamente à parte incontroversa do título judicial, dando-se seqüência ao processo quanto àquela impugnada por meio de recurso . (STF, RE 458110 / MG. Relator(a): Min. MARCO AURÉLIO. J. 13/06/2006. Publicação DJ 29-09-2006 PP-00048)
  • 36. Súmulas do STJ pertinentes Súmula 339: É cabível ação monitória contra a Fazenda Pública. Súmula 311: Os atos do presidente do tribunal que disponham sobre processamento e pagamento de precatório não têm caráter jurisdicional. Súmula 279: É cabível execução por título extrajudicial contra a Fazenda Pública.