SlideShare uma empresa Scribd logo
Enfermagem em Quimioterapia
MARA CLÉSSIA DE OLIVEIRA CASTRO
Quimioterapia: Definições
• “Quimioterapia antineoplásica ou
antiblástica é o emprego de
quimioterápicos no tratamento do câncer”
(BRASIL, 1999).
• “A quimioterapia consiste no emprego de
substâncias químicas, isoladas ou em
combinação, com o objetivo de tratar
neoplasias malignas” (BONASSA, 1988).
Quimioterapia: Finalidades
• Curativa (ou primária)
• Paliativa
• Potencializadora
• Adjuvante
• Neoadjuvante
Quimioterápicos e Poliquimioterapia
Quimioterápicos constituem uma importante
classe de medicamentos utilizados no
combate ao câncer.
Poliquimioterapia: é o uso de quimioterápicos
em associação, ou seja, o uso de duas ou mais
drogas que combinadas agem de uma forma
complementar trazendo vantagens
consideráveis ao tratamento.
Formas de Aplicação da Quimioterapia
• Aplicação: aplicação de quimioterápico,
especialmente por via venosa.
• Fase: número de aplicações dentro de um
mesmo ciclo.
• Ciclo: quando se aplicam todas as fases e,
após um dado intervalo de tempo, reinicia-se
a aplicação das mesmas doses.
Port-a-Cath
Port-a-Cath puncionado, recebendo medicação
Cateter Venoso Central de Inserção Periférica
PICC
Acesso Venoso Periférico
Contraindicações da Quimioterapia
A quimioterapia é totalmente desaconselhada
em:
Portadores de doença maligna em fase
terminal;
Grávidas no primeiro trimestre;
Portadores de infecções graves;
Pacientes comatosos.
Risco Ocupacional
Prevenção:
Utilizar EPIs como: jaleco de mangas longas,
óculos de proteção individual, luvas de
procedimento e máscara de carvão ativado;
Os materiais utilizados na quimioterapia
como: equipos, frascos e seringas, devem ser
descartados em recipientes para descartes
químicos e agulhas, no coletor de pérfuro –
cortantes.
Efeitos Colaterais dos quimioterápicos
São fortemente temidos pelos pacientes,
familiares e até mesmo pelos profissionais de
saúde que neles encontram seu maior desafio
em termos de prevenção e tratamento;
As células normais são conjuntamente
atingidas durante o tratamento;
Sua gravidade é proporcional à dosagem da
quimioterapia.
Efeitos Colaterais mais Comuns da
Quimioterapia
Náuseas
Vômitos
Mucosite ou estomatite
Diarréia
Constipação
Anorexia
Alopécia
Efeitos Colaterais e Assistência de Enfermagem
Náuseas e vômitos:
 Intervenções de Enfermagem:
• Avaliar variações de peso. Anotar perdas e ganho;
• Avaliar hábitos e preferências alimentares;
• Administrar medicações antieméticas
rotineiramente, antes e depois da quimioterapia;
• Avaliar quantidade, cor, frequência dos vômitos e
episódios de náuseas;
• Avaliar a eficácia do antiemético e comunicar ao
médico;
• Orientar o paciente sobre as práticas pessoais que
diminuem as náuseas e vômitos:
Efeitos Colaterais e Assistência de Enfermagem
Náuseas e vômitos
Intervenções de enfermagem:
• Orientar o paciente sobre as práticas pessoais
que diminuem as náuseas e vômitos:
Não ficar em jejum;
Comer em quantidades menores;
Usar técnicas de relaxamento( música, televisão,
jogos);
• Promover um ambiente de conforto, tranquilo,
livre de odores desagradáveis; dentre outras.
Náuseas e Vômitos
Efeitos Colaterais e Assistência de Enfermagem
Mucosite ou estomatite: inflamação da mucosa
oral em resposta à ação dos quimioterápicos
antineoplásicos.
Intervenções de enfermagem:
• Avaliar cuidadosamente o estado das
mucosas;
• Orientar higiene oral adequada;
• Orientar o paciente a incluir alimentos
brandos na dieta;
Efeitos Colaterais e Assistência de Enfermagem
Mucosite ou estomatite
Intervenções de enfermagem:
• Orientar o uso de bochechos profiláticos com
soluções alcalinas.
• Orientar a escovação dentária usando escovas
macias e creme dental suave;
• Manter os lábios lubrificados com cremes à
base de vaselina ou cacau.
• Retirar dentadura.
Mucosite ou Estomatite
Efeitos Colaterais e Assistência de Enfermagem
Diarréia
Intervenções de enfermagem:
• Atentar para eliminações intestinais: frequência e
consistência das fezes;
• Orientar a inclusão de alimentos constipantes na
dieta;
• Orientar sobre a hidratação, principalmente com
líquidos ricos em potássio e sódio;
• Orientar lavagem externa após cada evacuação
para diminuir o risco de infecção;
• Orientar sobre o uso de antidiarreicos quando
prescritos pelo médico.
Efeitos Colaterais e Assistência de Enfermagem
Constipação
Intervenções de enfermagem:
• Atentar para eliminação intestinal: frequência e
consistência das fezes;
• Orientar sobre a ingestão de alimentos ricos em
fibras;
• Orientar sobre a ingestão hídrica;
• Orientar sobre a importância da atividade física e
da deambulação;
• Orientar sobre a necessidade de reservar um
momento do dia para evacuação e atividade de
relaxamento (por exemplo: leitura).
Efeitos Colaterais e Assistência de Enfermagem
Anorexia
Intervenções de enfermagem:
• Orientar ingestão alimentar mesmo durante o
quadro de inapetência;
• Orientar a ingestão de alimentos ricos em
proteínas e calorias;
• Orientar a evitar ingerir líquidos durante as
refeições;
• Orientar a prática de exercícios físicos;
• Encaminhar para orientação nutricional com
nutricionista.
Anorexia
Efeitos Colaterais e Assistência de Enfermagem
Alopécia
Intervenções de enfermagem:
• Orientar que a perda de cabelo é temporária e
que eles crescerão novamente quando o
tratamento for interrompido;
• Fornecer recursos para compra/aluguel de
perucas, lenços e toucas: por exemplo grupos
de apoio, voluntários;
• Orientar sobre o uso de xampus suaves, evitar
secadores, etc.
Alopécia
Alopécia
Complicações do Tratamento Quimioterápico
 Flebite: geralmente ocorre quando há administração
rápida de quimioterápicos antineoplásicos ou
administração em vias de pequeno calibre.
 Extravasamento: é a infiltração de quimioterápicos
antineoplásicos intravenoso para os tecidos locais.
 Anafilaxia: é decorrente da sensibilidade, ou seja, de
uma reação alérgica imediata ao início da
administração da droga.
Extravasamento
Extravasamento
A Importância da Assistência de Enfermagem
Domiciliar aos Pacientes Pós Quimioterápicos
• Diminui os índices de desistência do
tratamento;
• Diminui a necessidade de re-hospitalização
para o controle de efeitos colaterais;
• O autocuidado dos pacientes é mais
satisfatório;
• A visita domiciliar é uma estratégia de
assistência que favorece o vínculo entre
pacientes e enfermeiras.
Referências Bibliográficas
MAIA, V.R. Protocolos de Enfermagem.
Administração de Quimioterapia
Antineoplásica no Tratamento de Hemopatias
Malignas. 1ª ed. Hemorio-2010;
PORTAL EDUCAÇÂO. Enfermagem em
Oncologia. 2012;
SILVA, S. R. da; AGUILLAR, O.M. Assistência de
Enfermagem e Acompanhamento Domiciliar
em Quimioterapia Antineoplásica. Rev. Bras.
Enfermagem. Brasília, v. 55, n. 2. 2002.
Obrigada!!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cuidados de Enfermagem pre e pos operatorios
Cuidados de Enfermagem pre e pos operatoriosCuidados de Enfermagem pre e pos operatorios
Cuidados de Enfermagem pre e pos operatorios
Eduardo Bernardino
 
Anotaçoes de enfermagem
Anotaçoes de enfermagemAnotaçoes de enfermagem
Anotaçoes de enfermagem
Guiomar Dutra Lima
 
Cuidados paliativos em pacientes oncologicos
Cuidados paliativos em pacientes oncologicosCuidados paliativos em pacientes oncologicos
Cuidados paliativos em pacientes oncologicos
Patricia Nunes
 
Diagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagemDiagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagem
resenfe2013
 
Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)
Will Nunes
 
Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
 Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
Gilberto de Jesus
 
Calculo de medicamentos
Calculo de medicamentosCalculo de medicamentos
Calculo de medicamentos
Viviane Campos
 
enfermagem cirugica
enfermagem cirugicaenfermagem cirugica
enfermagem cirugica
ClaudenicePereiraPer
 
Centro cirurgico
Centro cirurgico Centro cirurgico
Centro cirurgico
Alexandre Reis
 
Classificação das cirurgias
Classificação das cirurgiasClassificação das cirurgias
Classificação das cirurgias
Jéssica Ferreira
 
Sala de recuperação pós anestésica
Sala de recuperação pós anestésicaSala de recuperação pós anestésica
Sala de recuperação pós anestésica
Rivanilcede
 
Sondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinalSondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinal
Rodrigo Abreu
 
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Aline Bandeira
 
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
 Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
ivanaferraz
 
CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE ONCOLÓGICO: RELATO DE CASO
CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE ONCOLÓGICO: RELATO DE CASOCUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE ONCOLÓGICO: RELATO DE CASO
CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE ONCOLÓGICO: RELATO DE CASO
Jonathan Sampaio
 
2 aula oncologia fisiologia
2 aula oncologia fisiologia2 aula oncologia fisiologia
2 aula oncologia fisiologia
Ana Paula Ribeiro da Fonseca Lopes
 
Historia Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemHistoria Da Enfermagem
Historia Da Enfermagem
Fernando Dias
 
Cuidados de-enfermagem-administracao-medicamentos
Cuidados de-enfermagem-administracao-medicamentosCuidados de-enfermagem-administracao-medicamentos
Cuidados de-enfermagem-administracao-medicamentos
Leonel Santos
 
Sala de recuperação
Sala de recuperaçãoSala de recuperação
Sala de recuperação
Wylla Katherine
 
Punção venosa.
Punção venosa.Punção venosa.
Punção venosa.
Centro Universitário Ages
 

Mais procurados (20)

Cuidados de Enfermagem pre e pos operatorios
Cuidados de Enfermagem pre e pos operatoriosCuidados de Enfermagem pre e pos operatorios
Cuidados de Enfermagem pre e pos operatorios
 
Anotaçoes de enfermagem
Anotaçoes de enfermagemAnotaçoes de enfermagem
Anotaçoes de enfermagem
 
Cuidados paliativos em pacientes oncologicos
Cuidados paliativos em pacientes oncologicosCuidados paliativos em pacientes oncologicos
Cuidados paliativos em pacientes oncologicos
 
Diagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagemDiagnósticos de enfermagem
Diagnósticos de enfermagem
 
Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)
 
Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
 Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
 
Calculo de medicamentos
Calculo de medicamentosCalculo de medicamentos
Calculo de medicamentos
 
enfermagem cirugica
enfermagem cirugicaenfermagem cirugica
enfermagem cirugica
 
Centro cirurgico
Centro cirurgico Centro cirurgico
Centro cirurgico
 
Classificação das cirurgias
Classificação das cirurgiasClassificação das cirurgias
Classificação das cirurgias
 
Sala de recuperação pós anestésica
Sala de recuperação pós anestésicaSala de recuperação pós anestésica
Sala de recuperação pós anestésica
 
Sondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinalSondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinal
 
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
 
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
 Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
 
CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE ONCOLÓGICO: RELATO DE CASO
CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE ONCOLÓGICO: RELATO DE CASOCUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE ONCOLÓGICO: RELATO DE CASO
CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE ONCOLÓGICO: RELATO DE CASO
 
2 aula oncologia fisiologia
2 aula oncologia fisiologia2 aula oncologia fisiologia
2 aula oncologia fisiologia
 
Historia Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemHistoria Da Enfermagem
Historia Da Enfermagem
 
Cuidados de-enfermagem-administracao-medicamentos
Cuidados de-enfermagem-administracao-medicamentosCuidados de-enfermagem-administracao-medicamentos
Cuidados de-enfermagem-administracao-medicamentos
 
Sala de recuperação
Sala de recuperaçãoSala de recuperação
Sala de recuperação
 
Punção venosa.
Punção venosa.Punção venosa.
Punção venosa.
 

Destaque

Manual cuidados oncologicos
Manual cuidados oncologicosManual cuidados oncologicos
Manual cuidados oncologicos
Laryssasampaio
 
Extravasamento
ExtravasamentoExtravasamento
Extravasamento
Débora Silva
 
Planejamento dos cuidados de enfermagem
Planejamento dos cuidados de enfermagemPlanejamento dos cuidados de enfermagem
Planejamento dos cuidados de enfermagem
Daniel Félix dos Santos
 
Quimioterápicos
QuimioterápicosQuimioterápicos
Quimioterápicos
rodrigobauer3
 
Aula Basica Oncologia
Aula Basica OncologiaAula Basica Oncologia
Aula Basica Oncologia
Carlos Frederico Pinto
 
Quimioterapia
QuimioterapiaQuimioterapia
Quimioterapia
Jess Sam
 
Manual de quimoterapia
Manual de quimoterapiaManual de quimoterapia
Manual de quimoterapia
Laryssasampaio
 
Quimioterapia
QuimioterapiaQuimioterapia
Quimioterapia
DrMandingo WEB
 
Quimioterapia
QuimioterapiaQuimioterapia
Quimioterapia
ady_tavo
 
Introdução à quimioterapia
Introdução à quimioterapiaIntrodução à quimioterapia
Introdução à quimioterapia
Caio Maximino
 
Quimioterapia
QuimioterapiaQuimioterapia
Quimioterapia
Frank Bonilla
 
Aula acessos venosos
Aula acessos venososAula acessos venosos
Aula acessos venosos
Viviane da Silva
 
Livro quimioterapia Verdades sem Mitos
Livro quimioterapia Verdades sem MitosLivro quimioterapia Verdades sem Mitos
Livro quimioterapia Verdades sem Mitos
Roberta Soares
 
Q U I M I O T E R A P I A Eq
Q U I M I O T E R A P I A  EqQ U I M I O T E R A P I A  Eq
Q U I M I O T E R A P I A Eq
Frank Bonilla
 
Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem   Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem
universitária
 
Cancer
CancerCancer
O doente oncológico em fase terminal
O doente oncológico em fase terminalO doente oncológico em fase terminal
O doente oncológico em fase terminal
Pelo Siro
 
quimioterapia
 quimioterapia quimioterapia
quimioterapia
Ana Lilia Hernandez
 
Antineoplásicos
AntineoplásicosAntineoplásicos
Antineoplásicos
Flávia Almeida
 
Acesso venoso enfermagem
Acesso venoso enfermagemAcesso venoso enfermagem
Acesso venoso enfermagem
Élcio Medeiros
 

Destaque (20)

Manual cuidados oncologicos
Manual cuidados oncologicosManual cuidados oncologicos
Manual cuidados oncologicos
 
Extravasamento
ExtravasamentoExtravasamento
Extravasamento
 
Planejamento dos cuidados de enfermagem
Planejamento dos cuidados de enfermagemPlanejamento dos cuidados de enfermagem
Planejamento dos cuidados de enfermagem
 
Quimioterápicos
QuimioterápicosQuimioterápicos
Quimioterápicos
 
Aula Basica Oncologia
Aula Basica OncologiaAula Basica Oncologia
Aula Basica Oncologia
 
Quimioterapia
QuimioterapiaQuimioterapia
Quimioterapia
 
Manual de quimoterapia
Manual de quimoterapiaManual de quimoterapia
Manual de quimoterapia
 
Quimioterapia
QuimioterapiaQuimioterapia
Quimioterapia
 
Quimioterapia
QuimioterapiaQuimioterapia
Quimioterapia
 
Introdução à quimioterapia
Introdução à quimioterapiaIntrodução à quimioterapia
Introdução à quimioterapia
 
Quimioterapia
QuimioterapiaQuimioterapia
Quimioterapia
 
Aula acessos venosos
Aula acessos venososAula acessos venosos
Aula acessos venosos
 
Livro quimioterapia Verdades sem Mitos
Livro quimioterapia Verdades sem MitosLivro quimioterapia Verdades sem Mitos
Livro quimioterapia Verdades sem Mitos
 
Q U I M I O T E R A P I A Eq
Q U I M I O T E R A P I A  EqQ U I M I O T E R A P I A  Eq
Q U I M I O T E R A P I A Eq
 
Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem   Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem
 
Cancer
CancerCancer
Cancer
 
O doente oncológico em fase terminal
O doente oncológico em fase terminalO doente oncológico em fase terminal
O doente oncológico em fase terminal
 
quimioterapia
 quimioterapia quimioterapia
quimioterapia
 
Antineoplásicos
AntineoplásicosAntineoplásicos
Antineoplásicos
 
Acesso venoso enfermagem
Acesso venoso enfermagemAcesso venoso enfermagem
Acesso venoso enfermagem
 

Semelhante a Enfermagem em Quimioterapia

CARTILHA ORIENTACAO PACIENTE QUIMIOTERAPIA.pdf
CARTILHA ORIENTACAO PACIENTE QUIMIOTERAPIA.pdfCARTILHA ORIENTACAO PACIENTE QUIMIOTERAPIA.pdf
CARTILHA ORIENTACAO PACIENTE QUIMIOTERAPIA.pdf
AndrLoboEstraiotto
 
Terapêutica na Doença Inflamatória Intestinal
Terapêutica na Doença Inflamatória IntestinalTerapêutica na Doença Inflamatória Intestinal
Terapêutica na Doença Inflamatória Intestinal
ricardoveloso
 
Sub modulo 6-10_122040.ppt serviços sociais
Sub modulo 6-10_122040.ppt serviços sociaisSub modulo 6-10_122040.ppt serviços sociais
Sub modulo 6-10_122040.ppt serviços sociais
armando jonas
 
Apresentação Nausea e Vômitos em cuidados paliativos.pdf
Apresentação Nausea e Vômitos em cuidados paliativos.pdfApresentação Nausea e Vômitos em cuidados paliativos.pdf
Apresentação Nausea e Vômitos em cuidados paliativos.pdf
CamillaRocha32
 
Cancer de Estômago
Cancer de EstômagoCancer de Estômago
Cancer de Estômago
Oncoguia
 
Acupuntura e obesidade
Acupuntura e obesidadeAcupuntura e obesidade
Acupuntura e obesidade
Emilia Lima
 
Cartilha mastectomia
Cartilha mastectomiaCartilha mastectomia
Cartilha mastectomia
brenna omena
 
Quimioterapia... nanci
Quimioterapia... nanciQuimioterapia... nanci
Quimioterapia... nanci
Nanci Rocha
 
Bulimia
BulimiaBulimia
Bulimia
alunos7e
 
Nutricia Cares about Training_Cancro & Nutrição
Nutricia Cares about Training_Cancro & NutriçãoNutricia Cares about Training_Cancro & Nutrição
Nutricia Cares about Training_Cancro & Nutrição
Nutricia Portugal
 
CLINICA MEDICA- INTRODUÇÃO.pdf
CLINICA MEDICA- INTRODUÇÃO.pdfCLINICA MEDICA- INTRODUÇÃO.pdf
CLINICA MEDICA- INTRODUÇÃO.pdf
joseigor7
 
Seminário Obesidade
Seminário ObesidadeSeminário Obesidade
Seminário Obesidade
LASCES UFPR
 
Náusea e vômito: Assistência de enfermagem
Náusea e vômito: Assistência de enfermagem Náusea e vômito: Assistência de enfermagem
Náusea e vômito: Assistência de enfermagem
Jonathan Sampaio
 
Obesidade. um grave problema da atualidade - ICAN
Obesidade. um grave problema da atualidade - ICANObesidade. um grave problema da atualidade - ICAN
Obesidade. um grave problema da atualidade - ICAN
Emergency Live
 
Câncer de Estômago
Câncer de EstômagoCâncer de Estômago
Câncer de Estômago
Oncoguia
 
fito 2.pdf
fito 2.pdffito 2.pdf
fito 2.pdf
AdrianaPaulaFarias
 
Memento Fitoterápico.pdf
Memento Fitoterápico.pdfMemento Fitoterápico.pdf
Memento Fitoterápico.pdf
Waldir Miranda
 
Bulimia e Anorexia- 1B
Bulimia  e Anorexia- 1BBulimia  e Anorexia- 1B
Bulimia e Anorexia- 1B
Maria Teresa Iannaco Grego
 
Bulimia
BulimiaBulimia
Bulimia
profanabela
 
Livro De Receitas PrevençãO Do Cancer 02
Livro De Receitas PrevençãO Do Cancer 02Livro De Receitas PrevençãO Do Cancer 02
Livro De Receitas PrevençãO Do Cancer 02
Culinaria Fabula
 

Semelhante a Enfermagem em Quimioterapia (20)

CARTILHA ORIENTACAO PACIENTE QUIMIOTERAPIA.pdf
CARTILHA ORIENTACAO PACIENTE QUIMIOTERAPIA.pdfCARTILHA ORIENTACAO PACIENTE QUIMIOTERAPIA.pdf
CARTILHA ORIENTACAO PACIENTE QUIMIOTERAPIA.pdf
 
Terapêutica na Doença Inflamatória Intestinal
Terapêutica na Doença Inflamatória IntestinalTerapêutica na Doença Inflamatória Intestinal
Terapêutica na Doença Inflamatória Intestinal
 
Sub modulo 6-10_122040.ppt serviços sociais
Sub modulo 6-10_122040.ppt serviços sociaisSub modulo 6-10_122040.ppt serviços sociais
Sub modulo 6-10_122040.ppt serviços sociais
 
Apresentação Nausea e Vômitos em cuidados paliativos.pdf
Apresentação Nausea e Vômitos em cuidados paliativos.pdfApresentação Nausea e Vômitos em cuidados paliativos.pdf
Apresentação Nausea e Vômitos em cuidados paliativos.pdf
 
Cancer de Estômago
Cancer de EstômagoCancer de Estômago
Cancer de Estômago
 
Acupuntura e obesidade
Acupuntura e obesidadeAcupuntura e obesidade
Acupuntura e obesidade
 
Cartilha mastectomia
Cartilha mastectomiaCartilha mastectomia
Cartilha mastectomia
 
Quimioterapia... nanci
Quimioterapia... nanciQuimioterapia... nanci
Quimioterapia... nanci
 
Bulimia
BulimiaBulimia
Bulimia
 
Nutricia Cares about Training_Cancro & Nutrição
Nutricia Cares about Training_Cancro & NutriçãoNutricia Cares about Training_Cancro & Nutrição
Nutricia Cares about Training_Cancro & Nutrição
 
CLINICA MEDICA- INTRODUÇÃO.pdf
CLINICA MEDICA- INTRODUÇÃO.pdfCLINICA MEDICA- INTRODUÇÃO.pdf
CLINICA MEDICA- INTRODUÇÃO.pdf
 
Seminário Obesidade
Seminário ObesidadeSeminário Obesidade
Seminário Obesidade
 
Náusea e vômito: Assistência de enfermagem
Náusea e vômito: Assistência de enfermagem Náusea e vômito: Assistência de enfermagem
Náusea e vômito: Assistência de enfermagem
 
Obesidade. um grave problema da atualidade - ICAN
Obesidade. um grave problema da atualidade - ICANObesidade. um grave problema da atualidade - ICAN
Obesidade. um grave problema da atualidade - ICAN
 
Câncer de Estômago
Câncer de EstômagoCâncer de Estômago
Câncer de Estômago
 
fito 2.pdf
fito 2.pdffito 2.pdf
fito 2.pdf
 
Memento Fitoterápico.pdf
Memento Fitoterápico.pdfMemento Fitoterápico.pdf
Memento Fitoterápico.pdf
 
Bulimia e Anorexia- 1B
Bulimia  e Anorexia- 1BBulimia  e Anorexia- 1B
Bulimia e Anorexia- 1B
 
Bulimia
BulimiaBulimia
Bulimia
 
Livro De Receitas PrevençãO Do Cancer 02
Livro De Receitas PrevençãO Do Cancer 02Livro De Receitas PrevençãO Do Cancer 02
Livro De Receitas PrevençãO Do Cancer 02
 

Último

reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
responder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdfresponder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdf
marcos oliveira
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsxGuerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 

Último (20)

FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
responder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdfresponder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsxGuerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 

Enfermagem em Quimioterapia

  • 1. Enfermagem em Quimioterapia MARA CLÉSSIA DE OLIVEIRA CASTRO
  • 2. Quimioterapia: Definições • “Quimioterapia antineoplásica ou antiblástica é o emprego de quimioterápicos no tratamento do câncer” (BRASIL, 1999). • “A quimioterapia consiste no emprego de substâncias químicas, isoladas ou em combinação, com o objetivo de tratar neoplasias malignas” (BONASSA, 1988).
  • 3. Quimioterapia: Finalidades • Curativa (ou primária) • Paliativa • Potencializadora • Adjuvante • Neoadjuvante
  • 4. Quimioterápicos e Poliquimioterapia Quimioterápicos constituem uma importante classe de medicamentos utilizados no combate ao câncer. Poliquimioterapia: é o uso de quimioterápicos em associação, ou seja, o uso de duas ou mais drogas que combinadas agem de uma forma complementar trazendo vantagens consideráveis ao tratamento.
  • 5. Formas de Aplicação da Quimioterapia • Aplicação: aplicação de quimioterápico, especialmente por via venosa. • Fase: número de aplicações dentro de um mesmo ciclo. • Ciclo: quando se aplicam todas as fases e, após um dado intervalo de tempo, reinicia-se a aplicação das mesmas doses.
  • 7. Cateter Venoso Central de Inserção Periférica PICC
  • 9. Contraindicações da Quimioterapia A quimioterapia é totalmente desaconselhada em: Portadores de doença maligna em fase terminal; Grávidas no primeiro trimestre; Portadores de infecções graves; Pacientes comatosos.
  • 10. Risco Ocupacional Prevenção: Utilizar EPIs como: jaleco de mangas longas, óculos de proteção individual, luvas de procedimento e máscara de carvão ativado; Os materiais utilizados na quimioterapia como: equipos, frascos e seringas, devem ser descartados em recipientes para descartes químicos e agulhas, no coletor de pérfuro – cortantes.
  • 11. Efeitos Colaterais dos quimioterápicos São fortemente temidos pelos pacientes, familiares e até mesmo pelos profissionais de saúde que neles encontram seu maior desafio em termos de prevenção e tratamento; As células normais são conjuntamente atingidas durante o tratamento; Sua gravidade é proporcional à dosagem da quimioterapia.
  • 12. Efeitos Colaterais mais Comuns da Quimioterapia Náuseas Vômitos Mucosite ou estomatite Diarréia Constipação Anorexia Alopécia
  • 13. Efeitos Colaterais e Assistência de Enfermagem Náuseas e vômitos:  Intervenções de Enfermagem: • Avaliar variações de peso. Anotar perdas e ganho; • Avaliar hábitos e preferências alimentares; • Administrar medicações antieméticas rotineiramente, antes e depois da quimioterapia; • Avaliar quantidade, cor, frequência dos vômitos e episódios de náuseas; • Avaliar a eficácia do antiemético e comunicar ao médico; • Orientar o paciente sobre as práticas pessoais que diminuem as náuseas e vômitos:
  • 14. Efeitos Colaterais e Assistência de Enfermagem Náuseas e vômitos Intervenções de enfermagem: • Orientar o paciente sobre as práticas pessoais que diminuem as náuseas e vômitos: Não ficar em jejum; Comer em quantidades menores; Usar técnicas de relaxamento( música, televisão, jogos); • Promover um ambiente de conforto, tranquilo, livre de odores desagradáveis; dentre outras.
  • 16. Efeitos Colaterais e Assistência de Enfermagem Mucosite ou estomatite: inflamação da mucosa oral em resposta à ação dos quimioterápicos antineoplásicos. Intervenções de enfermagem: • Avaliar cuidadosamente o estado das mucosas; • Orientar higiene oral adequada; • Orientar o paciente a incluir alimentos brandos na dieta;
  • 17. Efeitos Colaterais e Assistência de Enfermagem Mucosite ou estomatite Intervenções de enfermagem: • Orientar o uso de bochechos profiláticos com soluções alcalinas. • Orientar a escovação dentária usando escovas macias e creme dental suave; • Manter os lábios lubrificados com cremes à base de vaselina ou cacau. • Retirar dentadura.
  • 19. Efeitos Colaterais e Assistência de Enfermagem Diarréia Intervenções de enfermagem: • Atentar para eliminações intestinais: frequência e consistência das fezes; • Orientar a inclusão de alimentos constipantes na dieta; • Orientar sobre a hidratação, principalmente com líquidos ricos em potássio e sódio; • Orientar lavagem externa após cada evacuação para diminuir o risco de infecção; • Orientar sobre o uso de antidiarreicos quando prescritos pelo médico.
  • 20. Efeitos Colaterais e Assistência de Enfermagem Constipação Intervenções de enfermagem: • Atentar para eliminação intestinal: frequência e consistência das fezes; • Orientar sobre a ingestão de alimentos ricos em fibras; • Orientar sobre a ingestão hídrica; • Orientar sobre a importância da atividade física e da deambulação; • Orientar sobre a necessidade de reservar um momento do dia para evacuação e atividade de relaxamento (por exemplo: leitura).
  • 21. Efeitos Colaterais e Assistência de Enfermagem Anorexia Intervenções de enfermagem: • Orientar ingestão alimentar mesmo durante o quadro de inapetência; • Orientar a ingestão de alimentos ricos em proteínas e calorias; • Orientar a evitar ingerir líquidos durante as refeições; • Orientar a prática de exercícios físicos; • Encaminhar para orientação nutricional com nutricionista.
  • 23. Efeitos Colaterais e Assistência de Enfermagem Alopécia Intervenções de enfermagem: • Orientar que a perda de cabelo é temporária e que eles crescerão novamente quando o tratamento for interrompido; • Fornecer recursos para compra/aluguel de perucas, lenços e toucas: por exemplo grupos de apoio, voluntários; • Orientar sobre o uso de xampus suaves, evitar secadores, etc.
  • 25. Complicações do Tratamento Quimioterápico  Flebite: geralmente ocorre quando há administração rápida de quimioterápicos antineoplásicos ou administração em vias de pequeno calibre.  Extravasamento: é a infiltração de quimioterápicos antineoplásicos intravenoso para os tecidos locais.  Anafilaxia: é decorrente da sensibilidade, ou seja, de uma reação alérgica imediata ao início da administração da droga.
  • 27. A Importância da Assistência de Enfermagem Domiciliar aos Pacientes Pós Quimioterápicos • Diminui os índices de desistência do tratamento; • Diminui a necessidade de re-hospitalização para o controle de efeitos colaterais; • O autocuidado dos pacientes é mais satisfatório; • A visita domiciliar é uma estratégia de assistência que favorece o vínculo entre pacientes e enfermeiras.
  • 28. Referências Bibliográficas MAIA, V.R. Protocolos de Enfermagem. Administração de Quimioterapia Antineoplásica no Tratamento de Hemopatias Malignas. 1ª ed. Hemorio-2010; PORTAL EDUCAÇÂO. Enfermagem em Oncologia. 2012; SILVA, S. R. da; AGUILLAR, O.M. Assistência de Enfermagem e Acompanhamento Domiciliar em Quimioterapia Antineoplásica. Rev. Bras. Enfermagem. Brasília, v. 55, n. 2. 2002.