SlideShare uma empresa Scribd logo
PROJECTO DE
IMPLEMENTAÇÃO
DA EDUCAÇÃO
SEXUAL EM MEIO
ESCOLAR
GUIÃO DE TRABALHO
7º Ano de Escolaridade
Agrupamento de Escolas da
Póvoa de Santo Adrião
ÍNDICE
Organização curricular da educação sexual no 7º ano ...............................................................................2
Características da sexualidade na primeira fase da adolescência..............................................................3
TEMA 1 – Dimensão Ética da Sexualidade Humana ...................................................................................5
Actividade 1 – Manifestar sentimentos..............................................................................................6
Actividade 2 – Amor versus Amizade .................................................................................................7
Actividade 3 – Já sei namorar. ............................................................................................................8
Actividade 4 – Saber Comunicar .........................................................................................................9
Actividade 5 – Dar e receber um não/Dar e receber um sim...........................................................11
Projecto de Implementação da Educação Sexual em meio escolar
Guião de Trabalho – 7º ano de escolaridade
2
ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DA EDUCAÇÃO SEXUAL NO 7º ANO
(Conteúdos definidos no quadro anexo da Portaria n.º 196-A/2010 de 9 de abril)
Conteúdos/Temas Disciplina/Área Tempos Letivos
(45 minutos)
1. Dimensão ética da sexualidade humana: a
sexualidade como uma das componentes
mais sensíveis da pessoa, no contexto de um
projeto da vida que integre valores e uma
dimensão ética
Formação Cívica
2 Tempos
1º Período
2. Epidemiologia das principais I.S.T. em
Portugal e no mundo (incluindo infeção por
VIH/ vírus da imunodeficiência humana –
HPV2/vírus do papiloma humano – e suas
consequências)
3. Métodos de prevenção das I.S.T.
Desenvolvimento de trabalhos
pelos alunos sobre as IST,
orientados pelo professor de
Ciências Naturais e pelo Diretor
de Turma, com o apoio da
equipa de educação para a
saúde e educação sexual
Sessões de esclarecimento
abertas aos alunos dinamizadas
pela equipa de educação para a
saúde e educação sexual.
2 Tempos
2º Período
2 Tempos
2º Período
4. A prevenção da violência, do abuso físico e
sexual e de comportamentos sexuais de risco
Língua Portuguesa
(conteúdo integrado no estudo
da notícia)
2 Tempos
1º Período
Tempo Total 8 TL = 6:00 Horas
Projecto de Implementação da Educação Sexual em meio escolar
Guião de Trabalho – 7º de escolaridade
3
CARACTERÍSTICAS DA SEXUALIDADE NA PRIMEIRA FASE DA
ADOLESCÊNCIA
Dadas as variações individuais do desenvolvimento […] é frequente encontrarmos neste ciclo de ensino
muitos rapazes e raparigas que atravessam ainda a fase de transformações pubertárias anteriormente
descrita.
No entanto, a maior parte dos jovens entra agora numa fase em que as transformações corporais se
desenrolam de forma menos brusca.
Ao contrário da fase anterior, apesar de os grupos de pertença continuarem a ser predominantemente
monossexuais, começam a ser criados mais espaços e possibilidades de convívio entre os jovens dos
dois sexos.
A ambivalência característica da fase anterior tende a desaparecer, para dar lugar a uma explicitação
mais clara das preferências sexuais quer em termos da orientação do desejo (hetero, homo ou
bissexual), quer em termos da escolha de parceiros ou parceiras (e já não só dos ídolos).
Neste contexto, podem acontecer as primeiras relações amorosas de adolescentes, muitas vezes sem
carácter duradouro, em que a experimentação sexual a dois acontece. Esta experimentação sexual
concretiza-se numa série de comportamentos, desde as carícias até às relações sexuais, com ou sem
penetração.
Este é um processo em que cada jovem se vê perante decisões difíceis de tomar. «Quero ou não
envolver-me em determinadas relações?», «Estou ou não seguro ou segura?», «O que irá acontecer em
consequência das decisões que vou tomar?»
Estes comportamentos dão-se de uma forma frequentemente não programada, acompanhados por um
elevado grau de expectativa e por uma sensação de desafio, comuns a todas as coisas não vivenciadas e
desejadas. É esta uma das razões que dificulta a utilização de formas seguras de contracepção pela
grande maioria dos adolescentes envolvidos nestas situações.
Se isto se passa com parte dos rapazes e raparigas, uma outra parte, por motivos diversos, não se
envolve neste tipo de relações.
Outra actividade bastante frequente nesta fase é a masturbação, vivenciada de forma mais ou menos
positiva pelos jovens.
Como consequência destes acontecimentos, vão-se consolidando os sentimentos, as atitudes e os
valores pessoais face à sexualidade, nomeadamente no conforto/desconforto em relação ao corpo e aos
diversos sentimentos, às fantasias, aos comportamentos sexuais e às formas de comportamento e de
relacionamento.
Esta consolidação pode orientar-se no sentido global de aceitação positiva (erotofilia) ou de rejeiçäo
(erotofobia) da sexualidade e das suas expressões pessoais e relacionais.
Projecto de Implementação da Educação Sexual em meio escolar
Guião de Trabalho – 7º de escolaridade
4
A relação com os adultos sofre também profundas alterações. Geram-se muitos processos conflituais
resultantes do processo de crescimento dos jovens e também, não raras vezes, da dificuldade dos
adultos em lidar com o rapaz ou rapariga que se está a tornar adulto.
Por último, a compreensão dos papéis sexuais masculinos e femininos é também mediatizada pelos
novos acontecimentos acima descritos e pela forma como os adultos, nomeadamente os pais e
familiares mais próximos, reagem face à sexualidade dos rapazes e das raparigas, ou face a coisas tão
importantes como o grau de liberdade e autonomia ou a repartição das tarefas domésticas. Também
aqui se consolidam sentimentos e atitudes de dominação ou igualdade entre os sexos.
In Frade, Alice; Marques, António Manuel; Vilar, Duarte,
Educação Sexual na Escola -Guia para professores, formadores e educadores,
Texto Editores, Lisboa, 2010, pág. 72 e 73
Projecto de Implementação da Educação Sexual em meio escolar
Guião de Trabalho – 7º de escolaridade
5
TEMA 1 – DIMENSÃO ÉTICA DA SEXUALIDADE HUMANA
Objectivos:
• Ser capaz de expressar os seus sentimentos e opiniões.
• Treinar a capacidade de decisão.
• Aceitar nos outros diferentes sentimentos, opiniões e decisões .
Projecto de Implementação da Educação Sexual em meio escolar
Guião de Trabalho – 7º de escolaridade
6
TEMA 1 – Dimensão Ética da Sexualidade Humana
ACTIVIDADE 1 – MANIFESTAR SENTIMENTOS
Destinatários: Alunos do 7º ano
Tempo previsível: 90 min.
Recursos necessários: Papel; caneta.
Desenvolvimento da acção:
1. Escrever no quadro as palavras «Amizade», «Amor», «Sexualidade» e pedir aos
alunos que sugiram outras palavras a elas associadas — elaboração de listas.
2. Com todo o grupo, construir, a partir das palavras encontradas, os conceitos de
amor, amizade e sexualidade.
3. Dividir o grupo em subgrupos para elaboração de cartas em cada uma dessas
áreas sugerindo alguns temas:
Amor: - Pedido de namoro;
Manifestação de saudades do namorado.
Amizade: - Troca de informações e partilha de aspectos comuns;
- Fortalecimento de amizade e esclarecimento sobre hipotético
desentendimento
Sexualidade: - Troca de informação sobre o crescimento;
- Identificar e esclarecer dúvidas sobre o tema;
4. Apresentação das cartas à turma, segundo critério a definir entre o grupo e
professor devendo respeitar-se a possível recusa de alguns alunos.
5. Elaboração de um painel com as cartas escritas na turma.
NOTA: O professor da disciplina de Língua Portuguesa poderá ser convidado a
participar nesta actividade.
In Frade, Alice; Marques, António Manuel; Vilar, Duarte,
Educação Sexual na Escola -Guia para professores, formadores e educadores,
Texto Editores, Lisboa, 2010, pág. 49
Projecto de Implementação da Educação Sexual em meio escolar
Guião de Trabalho – 7º de escolaridade
7
TEMA 1 – Dimensão Ética da Sexualidade Humana
ACTIVIDADE 2 – AMOR VERSUS AMIZADE
Destinatários: Alunos do 7º ano
Tempo previsível: 45 min.
Recursos necessários: Quadro e giz.
Desenvolvimento da acção:
1. O professor escreve no quadro uma lista de expressões relacionadas com o
amor e amizade e desenha o seguinte quadro.
Lista
Beijos no rosto
Abraços
Relações sexuais
Sentir-me querido(a)
Carinho
Passear abraçado(a)
Sentir-me desejado(a)
Dar a mão
Ser tocado
Receber cartas de amor
Beijos na boca
Carícias
Partilhar ideias
Sentir-me único(a)/especial
Ouvir palavras amorosas
NAMORAR SER AMIGO
2. O professor questiona os alunos e preenche o quadro com as suas respostas
procurando obter um consenso.
Projecto de Implementação da Educação Sexual em meio escolar
Guião de Trabalho – 7º de escolaridade
8
TEMA 1 – Dimensão Ética da Sexualidade Humana
ACTIVIDADE 3 – JÁ SEI NAMORAR.
Destinatários: Alunos do 7º ano
Tempo previsível: 45 min.
Recursos necessários: Letra e música da canção “Já sei namorar.”
Desenvolvimento da acção:
1. Propor à turma a audição da música “Já sei namorar” de Marisa Monte,
solicitando a atenção para a letra da música (distribuir fotocópias da letra da
música “Já sei namorar”).
2. Pede-se aos alunos que numa palavra completem a frase:
Namorar é: …
Com esta actividade pretende-se que os alunos se apercebam das situações que são
consideradas de abuso ou de violência, dando-lhes ferramentas para que as possam
evitar.
Projecto de Implementação da Educação Sexual em meio escolar
Guião de Trabalho – 7º de escolaridade
9
TEMA 1 – Dimensão Ética da Sexualidade Humana
FICHA DE TRABALHO
“Já sei namorar.”
Já sei namorar
Já sei beijar de língua
Agora, só me resta sonhar
Já sei onde ir
Já sei onde fi car
Agora, só me falta sair
Não tenho paciência
para televisão
Eu não sou audiência
para a solidão
Eu sou de ninguém
Eu sou de todo mundo
E todo mundo me quer bem
Eu sou de ninguém
Eu sou de todo mundo
E todo mundo é meu também
Já sei namorar
Já sei chutar a bola
Agora, só me falta ganhar
Não tenho juiz
Se você quer a vida em jogo
Eu quero é ser feliz
Não tenho paciência
pra televisão
Eu não sou audiência
para a solidão
Eu sou de ninguém
Eu sou de todo mundo
E todo mundo me quer bem
Eu sou de ninguém
Eu sou de todo mundo
E todo mundo é meu também
Tô te querendo como ninguém
Tô te querendo como Deus quiser
Tô te querendo como eu te quero
Tô te querendo como se quer (x2) Já sei
namorar
Já sei beijar de língua
Mariza Monte
Projecto de Implementação da Educação Sexual em meio escolar
Guião de Trabalho – 7º de escolaridade
9
TEMA 1 – Dimensão Ética da Sexualidade Humana
ACTIVIDADE 4 – SABER COMUNICAR
Destinatários: Alunos do 7º ano
Tempo previsível: 45 min.
Recursos necessários: Ficha “Saber comunicar”
Objectivos específicos:
Ajudar cada aluno a:
-expressar sentimentos;
-saber dizer “sim” ou “não” a situações saudáveis ou prejudiciais. Desenvolvimento da
acção:
Desenvolvimento da acção:
1. Referir aos alunos que é muito importante desenvolvermos as nossas
competências relacionais, principalmente, quando temos que rejeitar
propostas afectivas e não queremos magoar a pessoa que as fez. Expressar os
próprios sentimentos, com sinceridade, e compreender os sentimentos dos
outros, nem sempre é tarefa fácil quando queremos encontrar respostas
sinceras e amáveis.
2. Pedir que os alunos se reúnam em grupos, com um máximo de 4 elementos
para cada grupo, e distribuir a Ficha 2 -“Saber comunicar”.
3. Referir que têm 20 minutos para registarem, pelo menos, 2 respostas sinceras e
amáveis para cada situação.
4. Acrescentar que a seguir cada grupo apresentará, no grupo turma, as suas
respostas pelo respectivo porta-voz.
5. Abrir um espaço de debate no qual cada aluno possa, de forma espontânea,
apresentar as suas opiniões e consensualmente se possa chegar a respostas
consideradas mais adequadas.
6. Finalizar fazendo uma pequena síntese do que se passou, ressalvando a
importância deste tipo de exercício para o desenvolvimento das competências
relacionais.
Projecto de Implementação da Educação Sexual em meio escolar
Guião de Trabalho – 7º de escolaridade
10
TEMA 1 – Dimensão Ética da Sexualidade Humana
7. Ficha de Trabalho: “Saber Comunicar”
Leiam, com atenção, as duas situações descritas abaixo e registem, pelo menos, duas
respostas sinceras e amáveis, para cada uma.
Situação 1:
No recreio quatro rapazes amigos conversam e um deles refere: “Preciso da vossa
ajuda. Gosto da Maria e queria pedir-lhe namoro mas não sei como fazer. Como devo
declarar-me?”
Situação 2:
A Ana vai ter com as suas duas melhores amigas e diz: “O Rui pediu-me namoro, mas
eu tenho que ser sincera com ele, e, por isso, não posso aceitar. Eu gosto dele apenas
como amigo. Como posso dizer-lhe sem o magoar?
Projecto de Implementação da Educação Sexual em meio escolar
Guião de Trabalho – 7º de escolaridade
11
TEMA 1 – Dimensão Ética da Sexualidade Humana
ACTIVIDADE 5 – DAR E RECEBER UM NÃO/DAR E RECEBER UM SIM
Destinatários: Alunos do 7º ano
Tempo previsível: 45 min.
Recursos necessários: Papel; caneta.
Desenvolvimento da acção:
1. Propor ao grupo a realização de situações de role play, em que esteja sempre
presente uma resposta de SIM ou de NÃO. Das quatro situações a seguir
apresentadas a título de exemplo, escolher duas. Caso haja vontade e tempo,
levar a cabo as quatro improvisações ou, em colaboração com a turma, criar
outras.
1ª Situação: Conversa entre dois colegas de escola. Assunto: «Pedido de
Namoro» ou «Declaração de Amor».
2ª Situação: conversa entre um casal de namorados. Assunto: «Relações Sexuais
como Prova de Amor».
3ª Situação: um grupo de amigos convida um(a) amigo(a) para uma festa «onde
vai toda a gente», na véspera de um teste.
4ª Situação: em casa — pedido de ajuda numa tarefa doméstica.
2. Findo o(s) role play(s), iniciar um debate orientado, tendo em conta estes ou
outros pontos de análise relativos aos sentimentos e às decisões.
— Aos intervenientes foi difícil «dizer sim ou não»? Porquê?
- Que efeitos pensa que produziu na pessoa que recebeu a resposta?
— Que repercussões poderá ter, no futuro dos intervenientes, a resposta que
deram?
— Estas situações têm algo de real ou são pura fantasia?
— Concordam todos com as decisões das personagens? O que fariam naquela
situação?
Projecto de Implementação da Educação Sexual em meio escolar
Guião de Trabalho – 7º de escolaridade
12
— E se os personagens tivessem a resposta contrária? O que aconteceria?
(Como se sentiram as personagens que receberam um «Não»?
- O que pode significar um «Sim» e um «Não»?

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do SubsoloGeografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Raffaella Ergün
 
Recursos minerais - Metálicos e não metálicos
Recursos minerais - Metálicos e não metálicosRecursos minerais - Metálicos e não metálicos
Recursos minerais - Metálicos e não metálicos
Marisa Ferreira
 
1 recursos do-subsolo (1)
1 recursos do-subsolo (1)1 recursos do-subsolo (1)
1 recursos do-subsolo (1)
Ilda Bicacro
 
Descalça vai para a fonte
Descalça vai para a fonteDescalça vai para a fonte
Descalça vai para a fonte
Helena Coutinho
 
Tectónica de placas
Tectónica de placasTectónica de placas
Tectónica de placas
catiacsantos
 
Principais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficosPrincipais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficos
Ilda Bicacro
 
Clima factores clima_fichainformativa
Clima factores clima_fichainformativaClima factores clima_fichainformativa
Clima factores clima_fichainformativa
Geografias Geo
 
Recursos minerais não metálicos
Recursos minerais não metálicosRecursos minerais não metálicos
Recursos minerais não metálicos
Sinara Lustosa
 
Datação relativa
Datação relativaDatação relativa
Datação relativa
catiacsantos
 
Medição quimica
Medição quimicaMedição quimica
Medição quimica
Manuel Fecha
 
8 vulcanologia
8   vulcanologia8   vulcanologia
8 vulcanologia
margaridabt
 
Vulcões e tectónica de placas
Vulcões e tectónica de placasVulcões e tectónica de placas
Vulcões e tectónica de placas
Luís Filipe Marinho
 
Vulcanismo I
Vulcanismo IVulcanismo I
Vulcanismo I
Sérgio Luiz
 
Diversidade dos Recursos do Subsolo
Diversidade dos Recursos do SubsoloDiversidade dos Recursos do Subsolo
Diversidade dos Recursos do Subsolo
Catarina Castro
 
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º AnoResumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
Vitor Perfeito
 
As disponibilidades hídricas
As disponibilidades hídricasAs disponibilidades hídricas
As disponibilidades hídricas
Ilda Bicacro
 
Princípios Estratigráficos
Princípios EstratigráficosPrincípios Estratigráficos
Princípios Estratigráficos
Gabriela Bruno
 
1 a terra e os subsistemas terrestres
1   a terra e os subsistemas terrestres1   a terra e os subsistemas terrestres
1 a terra e os subsistemas terrestres
margaridabt
 
Trissomia 21
Trissomia 21Trissomia 21
Trissomia 21
Jessica Sofia Tavares
 
O CLIMA - Meio Natural 9º
O CLIMA - Meio Natural 9ºO CLIMA - Meio Natural 9º
O CLIMA - Meio Natural 9º
Victor Veiga
 

Mais procurados (20)

Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do SubsoloGeografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
 
Recursos minerais - Metálicos e não metálicos
Recursos minerais - Metálicos e não metálicosRecursos minerais - Metálicos e não metálicos
Recursos minerais - Metálicos e não metálicos
 
1 recursos do-subsolo (1)
1 recursos do-subsolo (1)1 recursos do-subsolo (1)
1 recursos do-subsolo (1)
 
Descalça vai para a fonte
Descalça vai para a fonteDescalça vai para a fonte
Descalça vai para a fonte
 
Tectónica de placas
Tectónica de placasTectónica de placas
Tectónica de placas
 
Principais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficosPrincipais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficos
 
Clima factores clima_fichainformativa
Clima factores clima_fichainformativaClima factores clima_fichainformativa
Clima factores clima_fichainformativa
 
Recursos minerais não metálicos
Recursos minerais não metálicosRecursos minerais não metálicos
Recursos minerais não metálicos
 
Datação relativa
Datação relativaDatação relativa
Datação relativa
 
Medição quimica
Medição quimicaMedição quimica
Medição quimica
 
8 vulcanologia
8   vulcanologia8   vulcanologia
8 vulcanologia
 
Vulcões e tectónica de placas
Vulcões e tectónica de placasVulcões e tectónica de placas
Vulcões e tectónica de placas
 
Vulcanismo I
Vulcanismo IVulcanismo I
Vulcanismo I
 
Diversidade dos Recursos do Subsolo
Diversidade dos Recursos do SubsoloDiversidade dos Recursos do Subsolo
Diversidade dos Recursos do Subsolo
 
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º AnoResumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
 
As disponibilidades hídricas
As disponibilidades hídricasAs disponibilidades hídricas
As disponibilidades hídricas
 
Princípios Estratigráficos
Princípios EstratigráficosPrincípios Estratigráficos
Princípios Estratigráficos
 
1 a terra e os subsistemas terrestres
1   a terra e os subsistemas terrestres1   a terra e os subsistemas terrestres
1 a terra e os subsistemas terrestres
 
Trissomia 21
Trissomia 21Trissomia 21
Trissomia 21
 
O CLIMA - Meio Natural 9º
O CLIMA - Meio Natural 9ºO CLIMA - Meio Natural 9º
O CLIMA - Meio Natural 9º
 

Destaque

Impacto do Prouni sobre desempenho de seus alunos no Enade
Impacto do Prouni sobre desempenho de seus alunos no EnadeImpacto do Prouni sobre desempenho de seus alunos no Enade
Impacto do Prouni sobre desempenho de seus alunos no Enade
Palácio do Planalto
 
Doenças sexualmente transmissíveis 1.ppsx
Doenças sexualmente transmissíveis 1.ppsxDoenças sexualmente transmissíveis 1.ppsx
Doenças sexualmente transmissíveis 1.ppsx
mariafernandes
 
Um paralelo entre aulas tradicionais e aulas práticas utilizando modelos didá...
Um paralelo entre aulas tradicionais e aulas práticas utilizando modelos didá...Um paralelo entre aulas tradicionais e aulas práticas utilizando modelos didá...
Um paralelo entre aulas tradicionais e aulas práticas utilizando modelos didá...
bio_fecli
 
Planejamento e relatório crítico
Planejamento e relatório críticoPlanejamento e relatório crítico
Planejamento e relatório crítico
Arte Tecnologia
 
Boczon monotipias
Boczon monotipiasBoczon monotipias
Boczon monotipias
Claudio Boczon
 
Modelo de-plano-de-aula
Modelo de-plano-de-aulaModelo de-plano-de-aula
Modelo de-plano-de-aula
Adneia
 
Xilogravura Passo a passo
Xilogravura Passo a passoXilogravura Passo a passo
Xilogravura Passo a passo
Hayana Oliveira
 
Educação sexual plano de aula
Educação sexual   plano de aulaEducação sexual   plano de aula
Educação sexual plano de aula
Victor Martins
 
apostila-producao-de-textos
apostila-producao-de-textosapostila-producao-de-textos
apostila-producao-de-textos
Thais F. G. Rocha
 
A Gravura no Ensino Fundamental em Sena Madureira-AC Modificando a visão em a...
A Gravura no Ensino Fundamental em Sena Madureira-AC Modificando a visão em a...A Gravura no Ensino Fundamental em Sena Madureira-AC Modificando a visão em a...
A Gravura no Ensino Fundamental em Sena Madureira-AC Modificando a visão em a...
Vis-UAB
 
Aula de Xilogravura
Aula de XilogravuraAula de Xilogravura
Aula de Xilogravura
Ipsun
 
Relatório final completo
Relatório final completoRelatório final completo
Relatório final completobgsantana
 
Sequência II - Cordel
Sequência II - CordelSequência II - Cordel
Sequência II - Cordel
Bruna Maria
 
Sexualidade na Escola
Sexualidade na EscolaSexualidade na Escola
Sexualidade na Escola
LeandroFuzaro
 
Conteúdos Programáticos 2º ano do Ensino Médio
Conteúdos Programáticos 2º ano do Ensino MédioConteúdos Programáticos 2º ano do Ensino Médio
Conteúdos Programáticos 2º ano do Ensino Médio
Jomari
 
Sexualidade powerpoint
Sexualidade  powerpointSexualidade  powerpoint
Sexualidade powerpoint
escola 2/3 Bernardino Machado
 
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Alinebrauna Brauna
 
Como ensinar os conceitos de Sexo e de Sexualidade na escola?
Como ensinar os conceitos de Sexo e de Sexualidade na escola?Como ensinar os conceitos de Sexo e de Sexualidade na escola?
Como ensinar os conceitos de Sexo e de Sexualidade na escola?
Thiago de Almeida
 

Destaque (18)

Impacto do Prouni sobre desempenho de seus alunos no Enade
Impacto do Prouni sobre desempenho de seus alunos no EnadeImpacto do Prouni sobre desempenho de seus alunos no Enade
Impacto do Prouni sobre desempenho de seus alunos no Enade
 
Doenças sexualmente transmissíveis 1.ppsx
Doenças sexualmente transmissíveis 1.ppsxDoenças sexualmente transmissíveis 1.ppsx
Doenças sexualmente transmissíveis 1.ppsx
 
Um paralelo entre aulas tradicionais e aulas práticas utilizando modelos didá...
Um paralelo entre aulas tradicionais e aulas práticas utilizando modelos didá...Um paralelo entre aulas tradicionais e aulas práticas utilizando modelos didá...
Um paralelo entre aulas tradicionais e aulas práticas utilizando modelos didá...
 
Planejamento e relatório crítico
Planejamento e relatório críticoPlanejamento e relatório crítico
Planejamento e relatório crítico
 
Boczon monotipias
Boczon monotipiasBoczon monotipias
Boczon monotipias
 
Modelo de-plano-de-aula
Modelo de-plano-de-aulaModelo de-plano-de-aula
Modelo de-plano-de-aula
 
Xilogravura Passo a passo
Xilogravura Passo a passoXilogravura Passo a passo
Xilogravura Passo a passo
 
Educação sexual plano de aula
Educação sexual   plano de aulaEducação sexual   plano de aula
Educação sexual plano de aula
 
apostila-producao-de-textos
apostila-producao-de-textosapostila-producao-de-textos
apostila-producao-de-textos
 
A Gravura no Ensino Fundamental em Sena Madureira-AC Modificando a visão em a...
A Gravura no Ensino Fundamental em Sena Madureira-AC Modificando a visão em a...A Gravura no Ensino Fundamental em Sena Madureira-AC Modificando a visão em a...
A Gravura no Ensino Fundamental em Sena Madureira-AC Modificando a visão em a...
 
Aula de Xilogravura
Aula de XilogravuraAula de Xilogravura
Aula de Xilogravura
 
Relatório final completo
Relatório final completoRelatório final completo
Relatório final completo
 
Sequência II - Cordel
Sequência II - CordelSequência II - Cordel
Sequência II - Cordel
 
Sexualidade na Escola
Sexualidade na EscolaSexualidade na Escola
Sexualidade na Escola
 
Conteúdos Programáticos 2º ano do Ensino Médio
Conteúdos Programáticos 2º ano do Ensino MédioConteúdos Programáticos 2º ano do Ensino Médio
Conteúdos Programáticos 2º ano do Ensino Médio
 
Sexualidade powerpoint
Sexualidade  powerpointSexualidade  powerpoint
Sexualidade powerpoint
 
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
 
Como ensinar os conceitos de Sexo e de Sexualidade na escola?
Como ensinar os conceitos de Sexo e de Sexualidade na escola?Como ensinar os conceitos de Sexo e de Sexualidade na escola?
Como ensinar os conceitos de Sexo e de Sexualidade na escola?
 

Semelhante a Ed sexual guiao de trabalho 7º ano

Orientacao sexual
Orientacao sexualOrientacao sexual
Orientacao sexual
Placido Esporte Clube
 
19 janeiro
19 janeiro19 janeiro
19 janeiro
LugaraoAfecto
 
Gênero e sexualidade na Educação Infantil (Jonas Alves da Silva Junior)
Gênero e sexualidade na Educação Infantil (Jonas Alves da Silva Junior)Gênero e sexualidade na Educação Infantil (Jonas Alves da Silva Junior)
Gênero e sexualidade na Educação Infantil (Jonas Alves da Silva Junior)
jornadaeducacaoinfantil
 
Bicastiradentes orientacaosexual sexualidadenaadolescencia
Bicastiradentes orientacaosexual sexualidadenaadolescenciaBicastiradentes orientacaosexual sexualidadenaadolescencia
Bicastiradentes orientacaosexual sexualidadenaadolescencia
temastransversais
 
7 janeiro
7 janeiro7 janeiro
7 janeiro
LugaraoAfecto
 
Sexualidade infantil
Sexualidade infantil Sexualidade infantil
Sexualidade infantil
Dhilma Freitas
 
2014 uel bio_pdp_daniele_fernanda_costa
2014 uel bio_pdp_daniele_fernanda_costa2014 uel bio_pdp_daniele_fernanda_costa
2014 uel bio_pdp_daniele_fernanda_costa
Cátia Dias
 
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
Rosane Domingues
 
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
Rosane Domingues
 
Gravidez
GravidezGravidez
Orientacao sexual
Orientacao sexualOrientacao sexual
Orientacao sexual
Alinebrauna Brauna
 
Gravidez "não" Planejada
Gravidez "não" PlanejadaGravidez "não" Planejada
Gravidez "não" Planejada
Glauber Eduardo Aragon Pereira
 
Sexualidade e Aprendizagem
Sexualidade e AprendizagemSexualidade e Aprendizagem
Sexualidade e Aprendizagem
Marcia Nakamura
 
Café cultural
Café culturalCafé cultural
Café cultural
Phrancisco Domiciano
 
A mamã nunca me disse 2º, 3º e 4º anos (1)
A mamã nunca me disse 2º, 3º e 4º anos (1)A mamã nunca me disse 2º, 3º e 4º anos (1)
A mamã nunca me disse 2º, 3º e 4º anos (1)
bibliotecap
 
Amplos guia educadores
Amplos guia educadoresAmplos guia educadores
Amplos guia educadores
Teresa Guardado
 
Sexualidade e Aprendizagem
Sexualidade e AprendizagemSexualidade e Aprendizagem
Sexualidade e Aprendizagem
Márcia Cafeland
 
Artigo3
Artigo3Artigo3
28022012094929 242
28022012094929 24228022012094929 242
28022012094929 242
Daniel Rosendo
 
30 abril
30 abril30 abril
30 abril
LugaraoAfecto
 

Semelhante a Ed sexual guiao de trabalho 7º ano (20)

Orientacao sexual
Orientacao sexualOrientacao sexual
Orientacao sexual
 
19 janeiro
19 janeiro19 janeiro
19 janeiro
 
Gênero e sexualidade na Educação Infantil (Jonas Alves da Silva Junior)
Gênero e sexualidade na Educação Infantil (Jonas Alves da Silva Junior)Gênero e sexualidade na Educação Infantil (Jonas Alves da Silva Junior)
Gênero e sexualidade na Educação Infantil (Jonas Alves da Silva Junior)
 
Bicastiradentes orientacaosexual sexualidadenaadolescencia
Bicastiradentes orientacaosexual sexualidadenaadolescenciaBicastiradentes orientacaosexual sexualidadenaadolescencia
Bicastiradentes orientacaosexual sexualidadenaadolescencia
 
7 janeiro
7 janeiro7 janeiro
7 janeiro
 
Sexualidade infantil
Sexualidade infantil Sexualidade infantil
Sexualidade infantil
 
2014 uel bio_pdp_daniele_fernanda_costa
2014 uel bio_pdp_daniele_fernanda_costa2014 uel bio_pdp_daniele_fernanda_costa
2014 uel bio_pdp_daniele_fernanda_costa
 
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
 
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
 
Gravidez
GravidezGravidez
Gravidez
 
Orientacao sexual
Orientacao sexualOrientacao sexual
Orientacao sexual
 
Gravidez "não" Planejada
Gravidez "não" PlanejadaGravidez "não" Planejada
Gravidez "não" Planejada
 
Sexualidade e Aprendizagem
Sexualidade e AprendizagemSexualidade e Aprendizagem
Sexualidade e Aprendizagem
 
Café cultural
Café culturalCafé cultural
Café cultural
 
A mamã nunca me disse 2º, 3º e 4º anos (1)
A mamã nunca me disse 2º, 3º e 4º anos (1)A mamã nunca me disse 2º, 3º e 4º anos (1)
A mamã nunca me disse 2º, 3º e 4º anos (1)
 
Amplos guia educadores
Amplos guia educadoresAmplos guia educadores
Amplos guia educadores
 
Sexualidade e Aprendizagem
Sexualidade e AprendizagemSexualidade e Aprendizagem
Sexualidade e Aprendizagem
 
Artigo3
Artigo3Artigo3
Artigo3
 
28022012094929 242
28022012094929 24228022012094929 242
28022012094929 242
 
30 abril
30 abril30 abril
30 abril
 

Mais de mariafernandes

Stress 1
Stress 1Stress 1
Stress 1
mariafernandes
 
Saúde em movimento 1
Saúde em movimento 1Saúde em movimento 1
Saúde em movimento 1
mariafernandes
 
Melhor sono.ppsx 1
Melhor sono.ppsx 1Melhor sono.ppsx 1
Melhor sono.ppsx 1
mariafernandes
 
Melhor sono.ppsx 1
Melhor sono.ppsx 1Melhor sono.ppsx 1
Melhor sono.ppsx 1
mariafernandes
 
Futuro 1
Futuro 1Futuro 1
Futuro 1
mariafernandes
 
Bullying 1
Bullying 1Bullying 1
Bullying 1
mariafernandes
 
Alimentos mais saudáveis
Alimentos mais saudáveisAlimentos mais saudáveis
Alimentos mais saudáveis
mariafernandes
 
Emaptia e definição2
Emaptia e definição2Emaptia e definição2
Emaptia e definição2
mariafernandes
 
fazer blog 2
fazer blog 2fazer blog 2
fazer blog 2
mariafernandes
 
aprender com as TIC
aprender com as TICaprender com as TIC
aprender com as TIC
mariafernandes
 
como fazer um blog
como fazer um blogcomo fazer um blog
como fazer um blog
mariafernandes
 
relaxamento
relaxamentorelaxamento
relaxamento
mariafernandes
 
CEF T2 electricista de instalações
CEF T2 electricista de instalaçõesCEF T2 electricista de instalações
CEF T2 electricista de instalações
mariafernandes
 

Mais de mariafernandes (14)

Stress 1
Stress 1Stress 1
Stress 1
 
Saúde em movimento 1
Saúde em movimento 1Saúde em movimento 1
Saúde em movimento 1
 
Melhor sono.ppsx 1
Melhor sono.ppsx 1Melhor sono.ppsx 1
Melhor sono.ppsx 1
 
Melhor sono.ppsx 1
Melhor sono.ppsx 1Melhor sono.ppsx 1
Melhor sono.ppsx 1
 
Futuro 1
Futuro 1Futuro 1
Futuro 1
 
Bullying 1
Bullying 1Bullying 1
Bullying 1
 
Alimentos mais saudáveis
Alimentos mais saudáveisAlimentos mais saudáveis
Alimentos mais saudáveis
 
Emaptia e definição2
Emaptia e definição2Emaptia e definição2
Emaptia e definição2
 
fazer blog 2
fazer blog 2fazer blog 2
fazer blog 2
 
os meus blogs 2
os meus blogs 2os meus blogs 2
os meus blogs 2
 
aprender com as TIC
aprender com as TICaprender com as TIC
aprender com as TIC
 
como fazer um blog
como fazer um blogcomo fazer um blog
como fazer um blog
 
relaxamento
relaxamentorelaxamento
relaxamento
 
CEF T2 electricista de instalações
CEF T2 electricista de instalaçõesCEF T2 electricista de instalações
CEF T2 electricista de instalações
 

Último

REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
TathyLopes1
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
ThiagoRORISDASILVA1
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
davidreyes364666
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
KarollayneRodriguesV1
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 

Último (20)

REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 

Ed sexual guiao de trabalho 7º ano

  • 1. PROJECTO DE IMPLEMENTAÇÃO DA EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR GUIÃO DE TRABALHO 7º Ano de Escolaridade Agrupamento de Escolas da Póvoa de Santo Adrião
  • 2. ÍNDICE Organização curricular da educação sexual no 7º ano ...............................................................................2 Características da sexualidade na primeira fase da adolescência..............................................................3 TEMA 1 – Dimensão Ética da Sexualidade Humana ...................................................................................5 Actividade 1 – Manifestar sentimentos..............................................................................................6 Actividade 2 – Amor versus Amizade .................................................................................................7 Actividade 3 – Já sei namorar. ............................................................................................................8 Actividade 4 – Saber Comunicar .........................................................................................................9 Actividade 5 – Dar e receber um não/Dar e receber um sim...........................................................11
  • 3. Projecto de Implementação da Educação Sexual em meio escolar Guião de Trabalho – 7º ano de escolaridade 2 ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DA EDUCAÇÃO SEXUAL NO 7º ANO (Conteúdos definidos no quadro anexo da Portaria n.º 196-A/2010 de 9 de abril) Conteúdos/Temas Disciplina/Área Tempos Letivos (45 minutos) 1. Dimensão ética da sexualidade humana: a sexualidade como uma das componentes mais sensíveis da pessoa, no contexto de um projeto da vida que integre valores e uma dimensão ética Formação Cívica 2 Tempos 1º Período 2. Epidemiologia das principais I.S.T. em Portugal e no mundo (incluindo infeção por VIH/ vírus da imunodeficiência humana – HPV2/vírus do papiloma humano – e suas consequências) 3. Métodos de prevenção das I.S.T. Desenvolvimento de trabalhos pelos alunos sobre as IST, orientados pelo professor de Ciências Naturais e pelo Diretor de Turma, com o apoio da equipa de educação para a saúde e educação sexual Sessões de esclarecimento abertas aos alunos dinamizadas pela equipa de educação para a saúde e educação sexual. 2 Tempos 2º Período 2 Tempos 2º Período 4. A prevenção da violência, do abuso físico e sexual e de comportamentos sexuais de risco Língua Portuguesa (conteúdo integrado no estudo da notícia) 2 Tempos 1º Período Tempo Total 8 TL = 6:00 Horas
  • 4. Projecto de Implementação da Educação Sexual em meio escolar Guião de Trabalho – 7º de escolaridade 3 CARACTERÍSTICAS DA SEXUALIDADE NA PRIMEIRA FASE DA ADOLESCÊNCIA Dadas as variações individuais do desenvolvimento […] é frequente encontrarmos neste ciclo de ensino muitos rapazes e raparigas que atravessam ainda a fase de transformações pubertárias anteriormente descrita. No entanto, a maior parte dos jovens entra agora numa fase em que as transformações corporais se desenrolam de forma menos brusca. Ao contrário da fase anterior, apesar de os grupos de pertença continuarem a ser predominantemente monossexuais, começam a ser criados mais espaços e possibilidades de convívio entre os jovens dos dois sexos. A ambivalência característica da fase anterior tende a desaparecer, para dar lugar a uma explicitação mais clara das preferências sexuais quer em termos da orientação do desejo (hetero, homo ou bissexual), quer em termos da escolha de parceiros ou parceiras (e já não só dos ídolos). Neste contexto, podem acontecer as primeiras relações amorosas de adolescentes, muitas vezes sem carácter duradouro, em que a experimentação sexual a dois acontece. Esta experimentação sexual concretiza-se numa série de comportamentos, desde as carícias até às relações sexuais, com ou sem penetração. Este é um processo em que cada jovem se vê perante decisões difíceis de tomar. «Quero ou não envolver-me em determinadas relações?», «Estou ou não seguro ou segura?», «O que irá acontecer em consequência das decisões que vou tomar?» Estes comportamentos dão-se de uma forma frequentemente não programada, acompanhados por um elevado grau de expectativa e por uma sensação de desafio, comuns a todas as coisas não vivenciadas e desejadas. É esta uma das razões que dificulta a utilização de formas seguras de contracepção pela grande maioria dos adolescentes envolvidos nestas situações. Se isto se passa com parte dos rapazes e raparigas, uma outra parte, por motivos diversos, não se envolve neste tipo de relações. Outra actividade bastante frequente nesta fase é a masturbação, vivenciada de forma mais ou menos positiva pelos jovens. Como consequência destes acontecimentos, vão-se consolidando os sentimentos, as atitudes e os valores pessoais face à sexualidade, nomeadamente no conforto/desconforto em relação ao corpo e aos diversos sentimentos, às fantasias, aos comportamentos sexuais e às formas de comportamento e de relacionamento. Esta consolidação pode orientar-se no sentido global de aceitação positiva (erotofilia) ou de rejeiçäo (erotofobia) da sexualidade e das suas expressões pessoais e relacionais.
  • 5. Projecto de Implementação da Educação Sexual em meio escolar Guião de Trabalho – 7º de escolaridade 4 A relação com os adultos sofre também profundas alterações. Geram-se muitos processos conflituais resultantes do processo de crescimento dos jovens e também, não raras vezes, da dificuldade dos adultos em lidar com o rapaz ou rapariga que se está a tornar adulto. Por último, a compreensão dos papéis sexuais masculinos e femininos é também mediatizada pelos novos acontecimentos acima descritos e pela forma como os adultos, nomeadamente os pais e familiares mais próximos, reagem face à sexualidade dos rapazes e das raparigas, ou face a coisas tão importantes como o grau de liberdade e autonomia ou a repartição das tarefas domésticas. Também aqui se consolidam sentimentos e atitudes de dominação ou igualdade entre os sexos. In Frade, Alice; Marques, António Manuel; Vilar, Duarte, Educação Sexual na Escola -Guia para professores, formadores e educadores, Texto Editores, Lisboa, 2010, pág. 72 e 73
  • 6. Projecto de Implementação da Educação Sexual em meio escolar Guião de Trabalho – 7º de escolaridade 5 TEMA 1 – DIMENSÃO ÉTICA DA SEXUALIDADE HUMANA Objectivos: • Ser capaz de expressar os seus sentimentos e opiniões. • Treinar a capacidade de decisão. • Aceitar nos outros diferentes sentimentos, opiniões e decisões .
  • 7. Projecto de Implementação da Educação Sexual em meio escolar Guião de Trabalho – 7º de escolaridade 6 TEMA 1 – Dimensão Ética da Sexualidade Humana ACTIVIDADE 1 – MANIFESTAR SENTIMENTOS Destinatários: Alunos do 7º ano Tempo previsível: 90 min. Recursos necessários: Papel; caneta. Desenvolvimento da acção: 1. Escrever no quadro as palavras «Amizade», «Amor», «Sexualidade» e pedir aos alunos que sugiram outras palavras a elas associadas — elaboração de listas. 2. Com todo o grupo, construir, a partir das palavras encontradas, os conceitos de amor, amizade e sexualidade. 3. Dividir o grupo em subgrupos para elaboração de cartas em cada uma dessas áreas sugerindo alguns temas: Amor: - Pedido de namoro; Manifestação de saudades do namorado. Amizade: - Troca de informações e partilha de aspectos comuns; - Fortalecimento de amizade e esclarecimento sobre hipotético desentendimento Sexualidade: - Troca de informação sobre o crescimento; - Identificar e esclarecer dúvidas sobre o tema; 4. Apresentação das cartas à turma, segundo critério a definir entre o grupo e professor devendo respeitar-se a possível recusa de alguns alunos. 5. Elaboração de um painel com as cartas escritas na turma. NOTA: O professor da disciplina de Língua Portuguesa poderá ser convidado a participar nesta actividade. In Frade, Alice; Marques, António Manuel; Vilar, Duarte, Educação Sexual na Escola -Guia para professores, formadores e educadores, Texto Editores, Lisboa, 2010, pág. 49
  • 8. Projecto de Implementação da Educação Sexual em meio escolar Guião de Trabalho – 7º de escolaridade 7 TEMA 1 – Dimensão Ética da Sexualidade Humana ACTIVIDADE 2 – AMOR VERSUS AMIZADE Destinatários: Alunos do 7º ano Tempo previsível: 45 min. Recursos necessários: Quadro e giz. Desenvolvimento da acção: 1. O professor escreve no quadro uma lista de expressões relacionadas com o amor e amizade e desenha o seguinte quadro. Lista Beijos no rosto Abraços Relações sexuais Sentir-me querido(a) Carinho Passear abraçado(a) Sentir-me desejado(a) Dar a mão Ser tocado Receber cartas de amor Beijos na boca Carícias Partilhar ideias Sentir-me único(a)/especial Ouvir palavras amorosas NAMORAR SER AMIGO 2. O professor questiona os alunos e preenche o quadro com as suas respostas procurando obter um consenso.
  • 9. Projecto de Implementação da Educação Sexual em meio escolar Guião de Trabalho – 7º de escolaridade 8 TEMA 1 – Dimensão Ética da Sexualidade Humana ACTIVIDADE 3 – JÁ SEI NAMORAR. Destinatários: Alunos do 7º ano Tempo previsível: 45 min. Recursos necessários: Letra e música da canção “Já sei namorar.” Desenvolvimento da acção: 1. Propor à turma a audição da música “Já sei namorar” de Marisa Monte, solicitando a atenção para a letra da música (distribuir fotocópias da letra da música “Já sei namorar”). 2. Pede-se aos alunos que numa palavra completem a frase: Namorar é: … Com esta actividade pretende-se que os alunos se apercebam das situações que são consideradas de abuso ou de violência, dando-lhes ferramentas para que as possam evitar.
  • 10. Projecto de Implementação da Educação Sexual em meio escolar Guião de Trabalho – 7º de escolaridade 9 TEMA 1 – Dimensão Ética da Sexualidade Humana FICHA DE TRABALHO “Já sei namorar.” Já sei namorar Já sei beijar de língua Agora, só me resta sonhar Já sei onde ir Já sei onde fi car Agora, só me falta sair Não tenho paciência para televisão Eu não sou audiência para a solidão Eu sou de ninguém Eu sou de todo mundo E todo mundo me quer bem Eu sou de ninguém Eu sou de todo mundo E todo mundo é meu também Já sei namorar Já sei chutar a bola Agora, só me falta ganhar Não tenho juiz Se você quer a vida em jogo Eu quero é ser feliz Não tenho paciência pra televisão Eu não sou audiência para a solidão Eu sou de ninguém Eu sou de todo mundo E todo mundo me quer bem Eu sou de ninguém Eu sou de todo mundo E todo mundo é meu também Tô te querendo como ninguém Tô te querendo como Deus quiser Tô te querendo como eu te quero Tô te querendo como se quer (x2) Já sei namorar Já sei beijar de língua Mariza Monte
  • 11. Projecto de Implementação da Educação Sexual em meio escolar Guião de Trabalho – 7º de escolaridade 9 TEMA 1 – Dimensão Ética da Sexualidade Humana ACTIVIDADE 4 – SABER COMUNICAR Destinatários: Alunos do 7º ano Tempo previsível: 45 min. Recursos necessários: Ficha “Saber comunicar” Objectivos específicos: Ajudar cada aluno a: -expressar sentimentos; -saber dizer “sim” ou “não” a situações saudáveis ou prejudiciais. Desenvolvimento da acção: Desenvolvimento da acção: 1. Referir aos alunos que é muito importante desenvolvermos as nossas competências relacionais, principalmente, quando temos que rejeitar propostas afectivas e não queremos magoar a pessoa que as fez. Expressar os próprios sentimentos, com sinceridade, e compreender os sentimentos dos outros, nem sempre é tarefa fácil quando queremos encontrar respostas sinceras e amáveis. 2. Pedir que os alunos se reúnam em grupos, com um máximo de 4 elementos para cada grupo, e distribuir a Ficha 2 -“Saber comunicar”. 3. Referir que têm 20 minutos para registarem, pelo menos, 2 respostas sinceras e amáveis para cada situação. 4. Acrescentar que a seguir cada grupo apresentará, no grupo turma, as suas respostas pelo respectivo porta-voz. 5. Abrir um espaço de debate no qual cada aluno possa, de forma espontânea, apresentar as suas opiniões e consensualmente se possa chegar a respostas consideradas mais adequadas. 6. Finalizar fazendo uma pequena síntese do que se passou, ressalvando a importância deste tipo de exercício para o desenvolvimento das competências relacionais.
  • 12. Projecto de Implementação da Educação Sexual em meio escolar Guião de Trabalho – 7º de escolaridade 10 TEMA 1 – Dimensão Ética da Sexualidade Humana 7. Ficha de Trabalho: “Saber Comunicar” Leiam, com atenção, as duas situações descritas abaixo e registem, pelo menos, duas respostas sinceras e amáveis, para cada uma. Situação 1: No recreio quatro rapazes amigos conversam e um deles refere: “Preciso da vossa ajuda. Gosto da Maria e queria pedir-lhe namoro mas não sei como fazer. Como devo declarar-me?” Situação 2: A Ana vai ter com as suas duas melhores amigas e diz: “O Rui pediu-me namoro, mas eu tenho que ser sincera com ele, e, por isso, não posso aceitar. Eu gosto dele apenas como amigo. Como posso dizer-lhe sem o magoar?
  • 13. Projecto de Implementação da Educação Sexual em meio escolar Guião de Trabalho – 7º de escolaridade 11 TEMA 1 – Dimensão Ética da Sexualidade Humana ACTIVIDADE 5 – DAR E RECEBER UM NÃO/DAR E RECEBER UM SIM Destinatários: Alunos do 7º ano Tempo previsível: 45 min. Recursos necessários: Papel; caneta. Desenvolvimento da acção: 1. Propor ao grupo a realização de situações de role play, em que esteja sempre presente uma resposta de SIM ou de NÃO. Das quatro situações a seguir apresentadas a título de exemplo, escolher duas. Caso haja vontade e tempo, levar a cabo as quatro improvisações ou, em colaboração com a turma, criar outras. 1ª Situação: Conversa entre dois colegas de escola. Assunto: «Pedido de Namoro» ou «Declaração de Amor». 2ª Situação: conversa entre um casal de namorados. Assunto: «Relações Sexuais como Prova de Amor». 3ª Situação: um grupo de amigos convida um(a) amigo(a) para uma festa «onde vai toda a gente», na véspera de um teste. 4ª Situação: em casa — pedido de ajuda numa tarefa doméstica. 2. Findo o(s) role play(s), iniciar um debate orientado, tendo em conta estes ou outros pontos de análise relativos aos sentimentos e às decisões. — Aos intervenientes foi difícil «dizer sim ou não»? Porquê? - Que efeitos pensa que produziu na pessoa que recebeu a resposta? — Que repercussões poderá ter, no futuro dos intervenientes, a resposta que deram? — Estas situações têm algo de real ou são pura fantasia? — Concordam todos com as decisões das personagens? O que fariam naquela situação?
  • 14. Projecto de Implementação da Educação Sexual em meio escolar Guião de Trabalho – 7º de escolaridade 12 — E se os personagens tivessem a resposta contrária? O que aconteceria? (Como se sentiram as personagens que receberam um «Não»? - O que pode significar um «Sim» e um «Não»?