Sexualidade e Aprendizagem

246 visualizações

Publicada em

Uma breve abordagem sobre o tema na minha apresentação do seminário de Psicologia da Aprendizagem, Profa. Gilmara. Curso de Pedagogia - Unespar - Fafipa

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sexualidade e Aprendizagem

  1. 1. SEXUALIDADE E APRENDIZAGEM
  2. 2. A SEXUALIDADE E O SER HUMANO • Faz parte da humanidade e já nasce com o indivíduo, é condição constitucional ao ser humano; • Engloba aspectos biológicos, psicológicos, comportamentais e morais, que afetarão as dimensões sociais e culturais; • Por tudo isso, a sexualidade é um dos campos de maior complexidade, e por que não dizer de maior importância do ser humano.
  3. 3. A SEXUALIDADE E A CRIANÇA • Desde o nascimento, a criança naturalmente explora o prazer, no contato com a mãe através dos sentidos, é um prazer ligado ao corpo, sexualidade diferente de erotismo; • Tudo se inicia com o processo de mamar, que é o primeiro vínculo afetivo e embrião das relações sociais; • Ao se separar da mãe, descobrirá o prazer de interagir com outros indivíduos o que trará uma percepção de si mesma e uma referencia de sua própria identidade; • Vai-se percebendo as relações amorosas entre os casais e representam em desenhos e brincadeiras de faz-de-conta
  4. 4. "A gente tá de mãos dadas, passeando com o cachorro. Eu e o Luís." Ana Beatriz, 4 anos
  5. 5. O pai da psicanálise – Sigmund Freud (1856- 1939) • Neurologista austríaco, estudou a sexualidade infantil; • Fase oral – até cerca de 2 anos, onde os pequenos concentram na boca as sensações de prazer; • Fase Anal – 3 a 4 anos, sentem prazer em segurar ou eliminar as fezes devido às sensações provocadas na região; • Fase Genital –3 a 5 anos de idad, descobrem o prazer genital e exploram o próprio órgão sexual; • Após esse período, as inquietações infantis ficam latentes até a puberdade.
  6. 6. A EDUCAÇÃO SEXUAL • Influência da mídia direta ou indiretamente, pode favorecer aquisição passiva de valores, por isso sua importância na educação; • Educação familiar e na escolar informações corretas; • Evitando rigidez para não criar estereótipos e preconceitos que excluem; • A educação sexual pode evitar a formação de um indivíduos problemáticos por falta de entendimento da natureza da sexualidade, de uma boa orientação; • Trabalhar os preconceitos ou a falta de conhecimento dos próprios pais e educadores.
  7. 7. O TRABALHO PEDAGÓGICO DA ESCOLA • TEMA TRANSVERSAL - Lei de Diretrizes e Bases – LDB – no. 9394/96, segue as orientações dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs), traçados pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC) • Apresentar e as regras da cultura onde estão inseridos. Exemplo: quando a criança descobre a masturbação. Deve-se esclarecer que o ato não é pecaminoso, apenas que deve ser em local apropriado, assim como o ato de defecar e urinar; • Especializar a equipe pedagógica entro desse tema Educação Sexual e todos os transtornos de personalidade relacionados à sexualidade que afetam o aprendizado e a convivência no ambiente escolar
  8. 8. CONSIDERAÇÕES • A Educação Sexual, de uma forma ou de outra, acaba trabalhando certos valores, que devem ser aceitos e construídos culturalmente. • A escola possui essa parcela de responsabilidade, fazendo um trabalho pedagógico sistematizado e pontual, que permita a orientação sexual, visando diferentes pontos de vista e promover um ambiente esclarecedor e acolhedor que possibilite o desenvolvimento da personalidade da criança, pois elas recebem as informações carregadas de emoções e valores e vão construindo sua história de vida baseada nisso. É importante, que a escola favoreça um conhecimento e uma reflexão acerca dessas informações na vida de cada um. • É importante mencionar que as questões que envolvem a sexualidade são complexas. É preciso olhar para si próprio, entender-se e conhecer-se para uma reflexão, elaboração pessoal, sobre em que consiste a sexualidade, suas transformações frente ao desejo de aprender entre educando e educador.
  9. 9. REFERÊNCIAS • REICH, W. A Função do Orgasmo. São Paulo. Editora Círculo do livro S.A. • http://revistaescola.abril.com.br/formacao/despertar-sexualidade-infancia-freud- 528841.shtml • http://www.educacao.salvador.ba.gov.br/site/documentos/espaco-virtual/ espaco-autorias/autorias/Sexualidade%20e%20Aprendizagem.pdf
  10. 10. Layout do título e conteúdo com gráfico 4.3 2.5 Série 1 Série 2 Série 3 3.5 4.5 2.4 4.4 1.8 2.8 2 2 3 5 Categoria 1 Categoria 2 Categoria 3 Categoria 4
  11. 11. Layout de conteúdo de duas partes com tabela • Primeiro marcador aqui • Segundo marcador aqui • Terceiro marcador aqui Grupo 1 Grupo 2 Classe 1 82 95 Classe 2 76 88 Classe 3 84 90
  12. 12. Layout de conteúdo de duas partes com SmartArt • Primeiro marcador aqui • Segundo marcador aqui • Terceiro marcador aqui Tarefa 1 Grupo A Tarefa 2 Tarefa 3

×