SlideShare uma empresa Scribd logo
MESA REDONDA DE MEDICINA RURAL
      10 DE JUNHO DE 2012




   CONCEITOS DE MEDICINA RURAL
          DIJON HOSANA




        Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
VINHETAS


Caso 1: Uma criança chega depois de ter caído do pé de goiaba. Tem
muita dor no pulso, que se apresenta inchado acima da articulação e
com contratura muscular antálgica.

Caso 2: No meio da noite você é requisitado a comparecer à casa de
parto e encontra uma mulher em período expulsivo. Ao se aproximar
você reconhece as faces rechonchudas ...de um bumbum.

Caso 3: Um familiar pede a você que avalie sua tia que está morrendo,
inclusive o coveiro já abriu a cova e a família está preparando o
velório.


                       Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
VINHETAS


Caso 4: Um carro vem lhe buscar para prestar assistência a um
agricultor cujo pequeno trator tombou e o prendeu sob suas rodas.
Ele parece mal.

Caso 5: O policial civil do lugar pede que você vá, junto com ele,
averiguar a informação de que uma idosa que bebe muito pode
estar morta,já que tem alguns dias que não é vista pelas
pessoas que passam na frente de sua casa no pé-de-serra.




                        Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
CONCEITOS DE MEDICINA RURAL

REFERÊNCIAS DESTA APRESENTAÇÃO

1.WONCA. Policy on Training for Rural General Practice, 1995.

2. WONCA. Policy on Quality and Effectiveness of Rural Health Care, 2003.

3. Rural Doctors Association of Austrália: Viable Models of Rural and   Remote Practice
    Stage 1 and Stage 2 Report, 2003.

4. Maria Inez Padula Anderson, Gustavo Gusso, Eno Dias de Castro Filho. Medicina de
    Família e Comunidade: especialistas em integralidade . Revista APS, v.8, n.1, p.
    61-67, jan./jun. 2005

5. Mennin e Mennin. Essential Skills in Medical Education 2010. COBEM /PROSAÚDE ,
    apostila. p.56. 2010

6. Ministério da Saúde. Saúde da Família: uma estratégia para a reorientação do
    modelo assistencial. Brasília. 1997.

7. Homepage do GT Medicina Rural da SBMFC: https://sites.google.com/site/gtmedicinarural/
                            Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
O que são Área Rural e Medicina Rural e quem é
               o Médico Rural ?


Área rural terá como parâmetros a densidade populacional,
presença de serviços da área econômica e acesso mais ou
menos fácil a um núcleo urbano, medida em Km ou em horas
de deslocamento. OMS

A atividade médica executada fora das zonas urbanas, onde o
local de prática obriga alguns médicos generalistas a ter,
ou adquirir, habilidades processuais e outras, que geralmente
não são necessárias na prática urbana.”
Faculdade de Medicina Rural do Royal Australian College of General
Practitioners (RACGP)


                      Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
O que são Área Rural e Medicina Rural e quem é
               o Médico Rural ?




Aqui, nesse Congresso, o Médico Rural é um Médico de Família e
Comunidade e, portanto, deve ter desenvolvidos habilidades e
competências descritas pelos padrões de nossas Diretrizes
e Bases Educacionais, SBMFC e SUS.




                    Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
COMPETÊNCIAS E HABILIDADES GERAIS


 LEI DE DIRETRIZES E BASES                                 McwINNEY (1995)

                                          Solução de problemas que se
Atenção à Saúde +                         apresentam indiferenciados +
Ética +#
                                          Competências preventivas + #
Tomada de decisões #
                                          Competências terapêuticas +
Comunicação + #
                                          (de problemas frequentes
Administração/Gerenciamento #             de saúde)

Liderança #                               Competência de gestão de
Educação permanente + #                   recursos #
                                          + competências afins com a atenção à saúde
                                          # competências afins com a gestão do trabalho




                     Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
COMPETÊNCIAS E HABILIDADES GERAIS



                                      PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA

Prestar assistência integral +

Valorizar a relação médico-paciente e médico-família +

Abordar os aspectos preventivos e de educação sanitária + #

Executar ações básicas de vigilância epidemiológica e sanitária #

+ competências afins com a atenção à saúde
# competências afins com a gestão do trabalho




                                                Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
COMPETÊNCIAS E HABILIDADES GERAIS



                                           PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA

Executar as ações de assistência nas áreas de atenção à criança,
adolescente, à mulher, trabalhador, adulto e idoso, realizando também
atendimentos de primeiros cuidados nas urgências e pequenas
cirurgias ambulatoriais, entre outros +

Participar do processo de programação e planejamento das ações e da
organização do processo de trabalho das unidades de Saúde da
Família #
+ competências afins com a atenção à saúde
# competências afins com a gestão do trabalho




                                                Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
Qual a definição de Saúde Rural?



Estado dinâmico de bem-estar físico, mental e social.

A saúde das populações rurais fundamentada em interconhecimento –
conectividade/interatividade,o sentimento de estreito relacionamento
do indivíduo com sua família,amigos, trabalho e comunidade.

Populações rurais saudáveis são produto de uma geração de pais
capazes de propiciar aos seus filhos um relacionamento fundamentado
em bases sólidas e prazerosas onde eles vivam, brinquem e trabalhem
de forma produtiva ao longo de suas vidas.



                       Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
Qual a importância dos Médicos Rurais?


Institucionais:

A OMS reconhece que “Metade da população mundial vive atualmente
em áreas rurais e remotas.”
OMS. Increasing access to health workers in remote and rural areas through improved retention, 2010.



O WONCA (1997) e a OMS (1998) propoem “Saúde para todas as
populações rurais no século XXI”
WONCA. Policy on Quality and Efectiveness of Rural Health Care, 2003



A WONCA propõe: “Saúde para todas as populações rurais em 2020”.
2nd World Rural Health Congress, Durban South Africa 1997




                                      Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
Qual a importância dos Médicos Rurais?


Institucionais:




        Alcançar um cuidado de saúde rural de alta qualidade e
    efetividade é um enorme desafio para os países desenvolvidos
                       e em desenvolvimento




                       Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
Qual a importância dos Médicos Rurais?


Contextuais:

Quando comparadas com as populações urbanas, as populações
rurais da maioria dos países tem menos acesso a serviços de saúde,
pior estado geral de saúde e piores desfechos em saúde.

Existe uma escassez mundial de Médicos de Família.

Necessidade urgente de implementar estratégias para melhorar os
serviços de saúde rural em todo o mundo.

Necessidade de um número suficiente médicos de família rurais.

                      Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
Qual a importância dos Médicos Rurais?


Acadêmicas:

Avaliações da qualidade e da efetividade dos cuidados de saúde e
dos outros aspectos da saúde rural não estão disponíveis, nem bem
estudadas, não estão descritas, não são dirigidas e nem são
aplicadas ao contexto rural.

São necessários formação universitária apropriada na graduação e na
pós-graduação que propiciem a progressão da carreira em pesquisa,
educação ou administração.



                      Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
Qual a importância dos Médicos Rurais?



Acadêmicas:

Surgimento de uma classe de profissionais rurais academicamente
treinados para serem o corpo clínico dos Centros de Educação Médica
Rurais e de outras unidades acadêmicas de saúde rural.




                      Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
Qual é a Medicina Rural mais desejável ?


Contexto rural

Estado de saúde rural

Desfechos de cuidados de saúde rural

Serviços de cuidados de saúde rurais

Recursos humanos em cuidados de saúde rural

Educação dos trabalhadores da saúde em ambiente rural


                        Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
Qual é a Medicina Rural mais desejável ?


Tecnologias de informação e sua estruturação na saúde rural

Pesquisa em saúde rural

Financiamento da saúde rural

Organização dos cuidados em saúde rural e

Satisfação do consumidor de saúde rural.




                      Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
Por que estudantes não querem ser médicos
                   rurais ?


Uma crença e uma atitude:

“A Medicina Rural é uma medicina de segunda classe ".
(equívoco fundamental)

“Desamparo Aprendido“

Duas realidades:

Perfil urbano

Experiência e visão da medicina hospitalocêntrica.

                       Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
Quais as peculiaridades da Medicina Rural ?



Maior variedade da práticas e diferentes ambientes

“Medicina do berço à cova”

Relativo isolamento profissional

Independência e autoconfiança

Pronta resposta em casos de emergências




                       Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
Quais as peculiaridades da Medicina Rural ?



Dedicação às suas comunidades

O ambiente e o estilo de vida rurais

Valorizam os folgas e o tempo com a família

Satisfações sociais




                        Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
Quais as peculiaridades da Medicina Rural ?




  A Medicina Rural pode oferecer consideráveis recompensas
profissionais e satisfações junto com as atrações de significativo
      status social longe as dificuldades da vida na cidade.




                    Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
Quais são os ônus de ser Médico Rural ?



Carga de trabalho

Falta de infraestrutura e apoio regional

Relativo isolamento profissional

Escolas médicas enfatizam o contexto de treinamento urbano




                        Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
Quais são os ônus de ser Médico Rural ?



Questões pessoais e familiares

Dificuldade em liberação para folgas e educação permanente

Conhecimentos e competências não são devidamente reconhecidos




                      Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
Quais são os ônus de ser Médico Rural ?




As vantagens profissionais e sociais da prática rural muitas vezes são
                   suplantados pelas desvantagens.




                       Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
Qual é a opinião de Médicos Rurais sobre suas
                     vidas ?

“Rural and remote practice is one of the most exciting, satisfying and
challenging of all medical disciplines.”

“Rural and remote doctors need a sense of adventure and a sense of
humour.”

Comprometimento maior com sua vocação e suas comunidades

Considerável satisfação e otimismo com o exercício da medicina rural
e seu estilo de vida.

Reconhecem suas necessidades profissionais, familiares, geográficas.


                        Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
Como formar um Médico Rural ?


Sensibilização

Ensino clínico apropriado na última parte do curso de graduação e no
período imediato após a graduação.

Programas de residência com formação específica.

Formação continuada específica e programas de desenvolvimento
profissional.




                       Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
Como formar um Médico Rural ?




Formação prática com ênfase:



a.   Na aprendizagem prática (hands-on) de habilidades processuais;
b.   No espectro de doenças em comunidades rurais e remotas;
c.   Na sociologia e a psicologia das comunidades rurais e remotas; e
d.   Nos aspectos profissionais e pessoais da vida e do trabalho em
     pequenas comunidades rurais.




                        Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
Como formar um Médico Rural ?




Criação de uma carreira acadêmica apropriada com pósgraduações e
estímulo à pesquisa, educação e gestão

Corpo clínico dos Centros de Educação Médica Rurais e de outras
unidades acadêmicas de saúde rural.




                      Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
Como formar um Médico Rural ?




Formação pode requerer mais tempo para o treinamento adicional nas
habilidades avançadas da prática rural em:



a.   Medicina de emergência
b.   Anestesia
c.   Cirurgia
d.   Obstetrícia
e.   Outros



                       Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
CONCLUSÕES



Especialidade desafiadora e realizadora

Ônus e bônus

Função estratégica para a Saúde Mundial

Ausência do interesse dos profissionais em exercê-la

Necessita de uma atenção especial do aparelho formador




                       Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
CONCLUSÕES



Os Médicos Rurais:

•   não se arrependem de sua escolha,
•   tem reconhecimento social,
•   satisfação pessoal em ser um médico resolutivo e
•   sensação de autonomia que é própria da especialidade.




                       Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
DESFECHOS


Caso1: Quatro semanas depois a criança já está subindo em outro pé
de goiaba.

Caso 2: Na semana seguinte, consulta puerperal para mãe e filha.

Caso 3: Seis meses depois a paciente lhe informa a disposição de não
usar mais os remédios.

Caso 4: O agricultor, mesmo atendido, não resiste ao esmagamento e
morre no local.

Caso 5: A senhora está bem e havia passado os dias anteriores com a
filha, que mora em outro local.

                      Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Abordagem da fármaco dependência em atenção primaria
Abordagem da fármaco dependência em  atenção primariaAbordagem da fármaco dependência em  atenção primaria
Abordagem da fármaco dependência em atenção primaria
RenanMF
 
Acolhimentoehumanizao 111011082936-phpapp01
Acolhimentoehumanizao 111011082936-phpapp01Acolhimentoehumanizao 111011082936-phpapp01
Acolhimentoehumanizao 111011082936-phpapp01
rosiclermalta
 
Acolhimento
AcolhimentoAcolhimento
Caminhos da humanizacao_na_saude
Caminhos da humanizacao_na_saudeCaminhos da humanizacao_na_saude
Caminhos da humanizacao_na_saude
jccbf
 
Enfermagem Domicilar
Enfermagem DomicilarEnfermagem Domicilar
Enfermagem Domicilar
Sou Enfermagem
 
Humanização da assistência em uma unidade de atenção básica à saúde de votupo...
Humanização da assistência em uma unidade de atenção básica à saúde de votupo...Humanização da assistência em uma unidade de atenção básica à saúde de votupo...
Humanização da assistência em uma unidade de atenção básica à saúde de votupo...
Tais Queiroz
 
Humanização na Saúde
Humanização na SaúdeHumanização na Saúde
Humanização na Saúde
Ylla Cohim
 
Protocolo coren rj
Protocolo coren rjProtocolo coren rj
Protocolo coren rj
Morgana Oliveira
 
Humanização Na Radiologia
Humanização Na RadiologiaHumanização Na Radiologia
Humanização Na Radiologia
Uiliam Santos
 
Atenção à saúde no nível secundário e terciário
Atenção à saúde no nível secundário e terciárioAtenção à saúde no nível secundário e terciário
Atenção à saúde no nível secundário e terciário
UNIME
 
Protocolo de enfermagem na Atenção Primária à Saúde no Estado de Goiás
Protocolo de enfermagem na Atenção Primária à Saúde no Estado de GoiásProtocolo de enfermagem na Atenção Primária à Saúde no Estado de Goiás
Protocolo de enfermagem na Atenção Primária à Saúde no Estado de Goiás
Centro Universitário Ages
 
Aula humanizacao botucatu_2009
Aula humanizacao botucatu_2009Aula humanizacao botucatu_2009
Aula humanizacao botucatu_2009
Adriana Dal Bosco Volaco
 
Acolhimento praticas producao_saude
Acolhimento praticas producao_saudeAcolhimento praticas producao_saude
Acolhimento praticas producao_saude
Aline Santana
 
Glossário rncci
Glossário rncciGlossário rncci
Glossário rncci
Inês Polme
 
HumanizaSUS
HumanizaSUSHumanizaSUS
HumanizaSUS
Lene So
 
ATENDIMENTO AO IDOSO NA ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE E AS COMPETÊNCIAS DO ENFERMEIRO
ATENDIMENTO AO IDOSO NA ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE E AS COMPETÊNCIAS DO ENFERMEIROATENDIMENTO AO IDOSO NA ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE E AS COMPETÊNCIAS DO ENFERMEIRO
ATENDIMENTO AO IDOSO NA ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE E AS COMPETÊNCIAS DO ENFERMEIRO
Centro Universitário Ages
 
Política nacional de humanização
Política nacional de humanizaçãoPolítica nacional de humanização
Política nacional de humanização
Priscila Tenório
 
Curandeirismo
CurandeirismoCurandeirismo
Curandeirismo
Izabela Matos
 
Acolhimento à Demanda Espontânea na APS
Acolhimento à Demanda Espontânea na APSAcolhimento à Demanda Espontânea na APS
Acolhimento à Demanda Espontânea na APS
Frankly Eudes
 
Humanização na assistência de enfermagem
Humanização na assistência de enfermagemHumanização na assistência de enfermagem
Humanização na assistência de enfermagem
Estephane ingrid Souza Pessoa
 

Mais procurados (20)

Abordagem da fármaco dependência em atenção primaria
Abordagem da fármaco dependência em  atenção primariaAbordagem da fármaco dependência em  atenção primaria
Abordagem da fármaco dependência em atenção primaria
 
Acolhimentoehumanizao 111011082936-phpapp01
Acolhimentoehumanizao 111011082936-phpapp01Acolhimentoehumanizao 111011082936-phpapp01
Acolhimentoehumanizao 111011082936-phpapp01
 
Acolhimento
AcolhimentoAcolhimento
Acolhimento
 
Caminhos da humanizacao_na_saude
Caminhos da humanizacao_na_saudeCaminhos da humanizacao_na_saude
Caminhos da humanizacao_na_saude
 
Enfermagem Domicilar
Enfermagem DomicilarEnfermagem Domicilar
Enfermagem Domicilar
 
Humanização da assistência em uma unidade de atenção básica à saúde de votupo...
Humanização da assistência em uma unidade de atenção básica à saúde de votupo...Humanização da assistência em uma unidade de atenção básica à saúde de votupo...
Humanização da assistência em uma unidade de atenção básica à saúde de votupo...
 
Humanização na Saúde
Humanização na SaúdeHumanização na Saúde
Humanização na Saúde
 
Protocolo coren rj
Protocolo coren rjProtocolo coren rj
Protocolo coren rj
 
Humanização Na Radiologia
Humanização Na RadiologiaHumanização Na Radiologia
Humanização Na Radiologia
 
Atenção à saúde no nível secundário e terciário
Atenção à saúde no nível secundário e terciárioAtenção à saúde no nível secundário e terciário
Atenção à saúde no nível secundário e terciário
 
Protocolo de enfermagem na Atenção Primária à Saúde no Estado de Goiás
Protocolo de enfermagem na Atenção Primária à Saúde no Estado de GoiásProtocolo de enfermagem na Atenção Primária à Saúde no Estado de Goiás
Protocolo de enfermagem na Atenção Primária à Saúde no Estado de Goiás
 
Aula humanizacao botucatu_2009
Aula humanizacao botucatu_2009Aula humanizacao botucatu_2009
Aula humanizacao botucatu_2009
 
Acolhimento praticas producao_saude
Acolhimento praticas producao_saudeAcolhimento praticas producao_saude
Acolhimento praticas producao_saude
 
Glossário rncci
Glossário rncciGlossário rncci
Glossário rncci
 
HumanizaSUS
HumanizaSUSHumanizaSUS
HumanizaSUS
 
ATENDIMENTO AO IDOSO NA ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE E AS COMPETÊNCIAS DO ENFERMEIRO
ATENDIMENTO AO IDOSO NA ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE E AS COMPETÊNCIAS DO ENFERMEIROATENDIMENTO AO IDOSO NA ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE E AS COMPETÊNCIAS DO ENFERMEIRO
ATENDIMENTO AO IDOSO NA ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE E AS COMPETÊNCIAS DO ENFERMEIRO
 
Política nacional de humanização
Política nacional de humanizaçãoPolítica nacional de humanização
Política nacional de humanização
 
Curandeirismo
CurandeirismoCurandeirismo
Curandeirismo
 
Acolhimento à Demanda Espontânea na APS
Acolhimento à Demanda Espontânea na APSAcolhimento à Demanda Espontânea na APS
Acolhimento à Demanda Espontânea na APS
 
Humanização na assistência de enfermagem
Humanização na assistência de enfermagemHumanização na assistência de enfermagem
Humanização na assistência de enfermagem
 

Destaque

Influencing Through Content on LinkedIn
Influencing Through Content on LinkedInInfluencing Through Content on LinkedIn
Influencing Through Content on LinkedIn
LinkedIn
 
APCE Workshop 2017
APCE Workshop 2017APCE Workshop 2017
APCE Workshop 2017
John Johnson
 
BangBang
BangBangBangBang
BangBang
ConceptDrop
 
A basic terms power point
A basic terms power pointA basic terms power point
A basic terms power point
Antenh Mekonen
 
Yoga
YogaYoga
Traduction_GFontanaAntonelli_Arabic_1Mai2o14
Traduction_GFontanaAntonelli_Arabic_1Mai2o14Traduction_GFontanaAntonelli_Arabic_1Mai2o14
Traduction_GFontanaAntonelli_Arabic_1Mai2o14
Jasmine Desclaux-Salachas
 
Tipos de Bombas hidráulicas y sus características
Tipos de Bombas hidráulicas y sus característicasTipos de Bombas hidráulicas y sus características
Tipos de Bombas hidráulicas y sus características
Karla Carballo Valderrábano
 
D9 trander esportivo by Associação Unitel
D9 trander esportivo by Associação UnitelD9 trander esportivo by Associação Unitel
D9 trander esportivo by Associação Unitel
Nilton Lucas Associação Unitel
 

Destaque (8)

Influencing Through Content on LinkedIn
Influencing Through Content on LinkedInInfluencing Through Content on LinkedIn
Influencing Through Content on LinkedIn
 
APCE Workshop 2017
APCE Workshop 2017APCE Workshop 2017
APCE Workshop 2017
 
BangBang
BangBangBangBang
BangBang
 
A basic terms power point
A basic terms power pointA basic terms power point
A basic terms power point
 
Yoga
YogaYoga
Yoga
 
Traduction_GFontanaAntonelli_Arabic_1Mai2o14
Traduction_GFontanaAntonelli_Arabic_1Mai2o14Traduction_GFontanaAntonelli_Arabic_1Mai2o14
Traduction_GFontanaAntonelli_Arabic_1Mai2o14
 
Tipos de Bombas hidráulicas y sus características
Tipos de Bombas hidráulicas y sus característicasTipos de Bombas hidráulicas y sus características
Tipos de Bombas hidráulicas y sus características
 
D9 trander esportivo by Associação Unitel
D9 trander esportivo by Associação UnitelD9 trander esportivo by Associação Unitel
D9 trander esportivo by Associação Unitel
 

Semelhante a Dijon Hosana: Medicina Rural

2020_Aula_APS_ESF_Farmácia_Deison_Gabriela.pdf
2020_Aula_APS_ESF_Farmácia_Deison_Gabriela.pdf2020_Aula_APS_ESF_Farmácia_Deison_Gabriela.pdf
2020_Aula_APS_ESF_Farmácia_Deison_Gabriela.pdf
AndreRavienni
 
Manual med-trad-homeopatia-e-práticas final
Manual med-trad-homeopatia-e-práticas finalManual med-trad-homeopatia-e-práticas final
Manual med-trad-homeopatia-e-práticas final
Cristiano Neves
 
Enfermagem pediatrica (1).pdf
Enfermagem pediatrica (1).pdfEnfermagem pediatrica (1).pdf
Enfermagem pediatrica (1).pdf
GlendaRegoSoares1
 
Manual programa saúdeemcasa-saúdedoidoso-mg (1)
Manual programa saúdeemcasa-saúdedoidoso-mg (1)Manual programa saúdeemcasa-saúdedoidoso-mg (1)
Manual programa saúdeemcasa-saúdedoidoso-mg (1)
Davi Mota
 
Texto 1 pnab
Texto 1   pnabTexto 1   pnab
Texto 1 pnab
comunidadedepraticas
 
Mont serrat ponencia sem inter hosp samaritano
Mont serrat ponencia sem inter hosp samaritanoMont serrat ponencia sem inter hosp samaritano
Mont serrat ponencia sem inter hosp samaritano
Anais III Simpie
 
NUTRIÇÃO EM SAÚDE COLETIVA
NUTRIÇÃO EM SAÚDE COLETIVA NUTRIÇÃO EM SAÚDE COLETIVA
NUTRIÇÃO EM SAÚDE COLETIVA
AlexsandraFabre1
 
vdocuments.net_caderno-saude-do-idoso.pdf
vdocuments.net_caderno-saude-do-idoso.pdfvdocuments.net_caderno-saude-do-idoso.pdf
vdocuments.net_caderno-saude-do-idoso.pdf
MiguelAlmeida502577
 
Educação em saúde
Educação em saúdeEducação em saúde
Educação em saúde
Reg Tom
 
AULA CORINGA - Gestao_de_cuidado_da_pessoa_idosa PDF.pdf
 AULA CORINGA - Gestao_de_cuidado_da_pessoa_idosa PDF.pdf AULA CORINGA - Gestao_de_cuidado_da_pessoa_idosa PDF.pdf
AULA CORINGA - Gestao_de_cuidado_da_pessoa_idosa PDF.pdf
ShesterDamaceno1
 
Gestao_de_cuidado_da_pessoa_idosa.pdf
Gestao_de_cuidado_da_pessoa_idosa.pdfGestao_de_cuidado_da_pessoa_idosa.pdf
Gestao_de_cuidado_da_pessoa_idosa.pdf
nursevalquiriajs
 
Humaniza sus atencao_basica
Humaniza sus atencao_basicaHumaniza sus atencao_basica
Humaniza sus atencao_basica
Cinthia13Lima
 
SlidesdoPSF.ppt
SlidesdoPSF.pptSlidesdoPSF.ppt
SlidesdoPSF.ppt
RAFAEL COSTA
 
PSF PROGRAMA E SAUDE DA FAMILIA.ppt
PSF PROGRAMA E SAUDE DA FAMILIA.pptPSF PROGRAMA E SAUDE DA FAMILIA.ppt
PSF PROGRAMA E SAUDE DA FAMILIA.ppt
LucianaSousa469679
 
SAÚDE COLETIVA.pptx
SAÚDE COLETIVA.pptxSAÚDE COLETIVA.pptx
SAÚDE COLETIVA.pptx
ItauanaAlmeida1
 
SAÚDE COLETIVA.pptx
SAÚDE COLETIVA.pptxSAÚDE COLETIVA.pptx
SAÚDE COLETIVA.pptx
ItauanaAlmeida1
 
Linha guia saude_mental
Linha guia saude_mentalLinha guia saude_mental
Linha guia saude_mental
Lucineia Pinho
 
psf
psfpsf
Revista cremerj
Revista cremerjRevista cremerj
Revista cremerj
Inaiara Bragante
 
Atenção Primária à Saúde e seu Desenvolvimento na Esfera Municipal
Atenção Primária à Saúde e seu Desenvolvimento na Esfera MunicipalAtenção Primária à Saúde e seu Desenvolvimento na Esfera Municipal
Atenção Primária à Saúde e seu Desenvolvimento na Esfera Municipal
Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG)
 

Semelhante a Dijon Hosana: Medicina Rural (20)

2020_Aula_APS_ESF_Farmácia_Deison_Gabriela.pdf
2020_Aula_APS_ESF_Farmácia_Deison_Gabriela.pdf2020_Aula_APS_ESF_Farmácia_Deison_Gabriela.pdf
2020_Aula_APS_ESF_Farmácia_Deison_Gabriela.pdf
 
Manual med-trad-homeopatia-e-práticas final
Manual med-trad-homeopatia-e-práticas finalManual med-trad-homeopatia-e-práticas final
Manual med-trad-homeopatia-e-práticas final
 
Enfermagem pediatrica (1).pdf
Enfermagem pediatrica (1).pdfEnfermagem pediatrica (1).pdf
Enfermagem pediatrica (1).pdf
 
Manual programa saúdeemcasa-saúdedoidoso-mg (1)
Manual programa saúdeemcasa-saúdedoidoso-mg (1)Manual programa saúdeemcasa-saúdedoidoso-mg (1)
Manual programa saúdeemcasa-saúdedoidoso-mg (1)
 
Texto 1 pnab
Texto 1   pnabTexto 1   pnab
Texto 1 pnab
 
Mont serrat ponencia sem inter hosp samaritano
Mont serrat ponencia sem inter hosp samaritanoMont serrat ponencia sem inter hosp samaritano
Mont serrat ponencia sem inter hosp samaritano
 
NUTRIÇÃO EM SAÚDE COLETIVA
NUTRIÇÃO EM SAÚDE COLETIVA NUTRIÇÃO EM SAÚDE COLETIVA
NUTRIÇÃO EM SAÚDE COLETIVA
 
vdocuments.net_caderno-saude-do-idoso.pdf
vdocuments.net_caderno-saude-do-idoso.pdfvdocuments.net_caderno-saude-do-idoso.pdf
vdocuments.net_caderno-saude-do-idoso.pdf
 
Educação em saúde
Educação em saúdeEducação em saúde
Educação em saúde
 
AULA CORINGA - Gestao_de_cuidado_da_pessoa_idosa PDF.pdf
 AULA CORINGA - Gestao_de_cuidado_da_pessoa_idosa PDF.pdf AULA CORINGA - Gestao_de_cuidado_da_pessoa_idosa PDF.pdf
AULA CORINGA - Gestao_de_cuidado_da_pessoa_idosa PDF.pdf
 
Gestao_de_cuidado_da_pessoa_idosa.pdf
Gestao_de_cuidado_da_pessoa_idosa.pdfGestao_de_cuidado_da_pessoa_idosa.pdf
Gestao_de_cuidado_da_pessoa_idosa.pdf
 
Humaniza sus atencao_basica
Humaniza sus atencao_basicaHumaniza sus atencao_basica
Humaniza sus atencao_basica
 
SlidesdoPSF.ppt
SlidesdoPSF.pptSlidesdoPSF.ppt
SlidesdoPSF.ppt
 
PSF PROGRAMA E SAUDE DA FAMILIA.ppt
PSF PROGRAMA E SAUDE DA FAMILIA.pptPSF PROGRAMA E SAUDE DA FAMILIA.ppt
PSF PROGRAMA E SAUDE DA FAMILIA.ppt
 
SAÚDE COLETIVA.pptx
SAÚDE COLETIVA.pptxSAÚDE COLETIVA.pptx
SAÚDE COLETIVA.pptx
 
SAÚDE COLETIVA.pptx
SAÚDE COLETIVA.pptxSAÚDE COLETIVA.pptx
SAÚDE COLETIVA.pptx
 
Linha guia saude_mental
Linha guia saude_mentalLinha guia saude_mental
Linha guia saude_mental
 
psf
psfpsf
psf
 
Revista cremerj
Revista cremerjRevista cremerj
Revista cremerj
 
Atenção Primária à Saúde e seu Desenvolvimento na Esfera Municipal
Atenção Primária à Saúde e seu Desenvolvimento na Esfera MunicipalAtenção Primária à Saúde e seu Desenvolvimento na Esfera Municipal
Atenção Primária à Saúde e seu Desenvolvimento na Esfera Municipal
 

Mais de Leonardo Savassi

Savassi LCM. Cuidados Paliativos e Atenção Domiciliar (LACP e Ubuntu 2023)
Savassi LCM. Cuidados Paliativos e Atenção Domiciliar (LACP e Ubuntu 2023)Savassi LCM. Cuidados Paliativos e Atenção Domiciliar (LACP e Ubuntu 2023)
Savassi LCM. Cuidados Paliativos e Atenção Domiciliar (LACP e Ubuntu 2023)
Leonardo Savassi
 
2021 "A importância da MFC para a Saúde Pública do país". UBUNTU Liga acadêmi...
2021 "A importância da MFC para a Saúde Pública do país". UBUNTU Liga acadêmi...2021 "A importância da MFC para a Saúde Pública do país". UBUNTU Liga acadêmi...
2021 "A importância da MFC para a Saúde Pública do país". UBUNTU Liga acadêmi...
Leonardo Savassi
 
2021 Medicina e Arte Liga Saude Espiritualidade.pptx
2021 Medicina e Arte Liga Saude Espiritualidade.pptx2021 Medicina e Arte Liga Saude Espiritualidade.pptx
2021 Medicina e Arte Liga Saude Espiritualidade.pptx
Leonardo Savassi
 
Ventilacao Mecanica Domiciliar - Especificidades da Criança
Ventilacao Mecanica Domiciliar - Especificidades da CriançaVentilacao Mecanica Domiciliar - Especificidades da Criança
Ventilacao Mecanica Domiciliar - Especificidades da Criança
Leonardo Savassi
 
Atencao Domiciliar e Vulnerabilidade - III Congresso MT de MFC
Atencao Domiciliar e Vulnerabilidade - III Congresso MT de MFCAtencao Domiciliar e Vulnerabilidade - III Congresso MT de MFC
Atencao Domiciliar e Vulnerabilidade - III Congresso MT de MFC
Leonardo Savassi
 
Aula Prevenção Quaternária - UFOP - Disciplina Medicina de Família e Comunidade
Aula Prevenção Quaternária - UFOP - Disciplina Medicina de Família e ComunidadeAula Prevenção Quaternária - UFOP - Disciplina Medicina de Família e Comunidade
Aula Prevenção Quaternária - UFOP - Disciplina Medicina de Família e Comunidade
Leonardo Savassi
 
Aula sobre conceitos básicos de rastreamento - UFOP - Disciplina MFC (MED195)
Aula sobre conceitos básicos de rastreamento - UFOP - Disciplina MFC (MED195)Aula sobre conceitos básicos de rastreamento - UFOP - Disciplina MFC (MED195)
Aula sobre conceitos básicos de rastreamento - UFOP - Disciplina MFC (MED195)
Leonardo Savassi
 
Facebook: estratégia pedagógica sobre evidências na disciplina “Medicina de F...
Facebook: estratégia pedagógica sobre evidências na disciplina “Medicina de F...Facebook: estratégia pedagógica sobre evidências na disciplina “Medicina de F...
Facebook: estratégia pedagógica sobre evidências na disciplina “Medicina de F...
Leonardo Savassi
 
Avaliação clínico-assistencial das Visitas Domiciliares por Profissionais da ...
Avaliação clínico-assistencial das Visitas Domiciliares por Profissionais da ...Avaliação clínico-assistencial das Visitas Domiciliares por Profissionais da ...
Avaliação clínico-assistencial das Visitas Domiciliares por Profissionais da ...
Leonardo Savassi
 
Análise das práticas de Acolhimento entre profissionais da Atenção Primária a...
Análise das práticas de Acolhimento entre profissionais da Atenção Primária a...Análise das práticas de Acolhimento entre profissionais da Atenção Primária a...
Análise das práticas de Acolhimento entre profissionais da Atenção Primária a...
Leonardo Savassi
 
2017 ufop rastreamento
2017 ufop rastreamento2017 ufop rastreamento
2017 ufop rastreamento
Leonardo Savassi
 
2017 2 aula tabagismo
2017 2 aula tabagismo2017 2 aula tabagismo
2017 2 aula tabagismo
Leonardo Savassi
 
2017 2 vd aula disciplina mfc ufop
2017   2 vd aula disciplina mfc ufop2017   2 vd aula disciplina mfc ufop
2017 2 vd aula disciplina mfc ufop
Leonardo Savassi
 
2017 2 ab fam 2 disciplina mfc ufop
2017   2 ab fam 2 disciplina mfc ufop2017   2 ab fam 2 disciplina mfc ufop
2017 2 ab fam 2 disciplina mfc ufop
Leonardo Savassi
 
14o CBMFC Curitiba-PR - Mesa AD na APS - Desafios
14o CBMFC Curitiba-PR - Mesa AD na APS - Desafios14o CBMFC Curitiba-PR - Mesa AD na APS - Desafios
14o CBMFC Curitiba-PR - Mesa AD na APS - Desafios
Leonardo Savassi
 
Princípios da aps slides selecionados
Princípios da aps slides selecionadosPrincípios da aps slides selecionados
Princípios da aps slides selecionados
Leonardo Savassi
 
Medicina Baseada em Evidências - Oficina UFOP buscando evidencias para subturmas
Medicina Baseada em Evidências - Oficina UFOP buscando evidencias para subturmasMedicina Baseada em Evidências - Oficina UFOP buscando evidencias para subturmas
Medicina Baseada em Evidências - Oficina UFOP buscando evidencias para subturmas
Leonardo Savassi
 
IAPS 3 UFMG Educação em saúde mudança de comportamento e habilidade de comuni...
IAPS 3 UFMG Educação em saúde mudança de comportamento e habilidade de comuni...IAPS 3 UFMG Educação em saúde mudança de comportamento e habilidade de comuni...
IAPS 3 UFMG Educação em saúde mudança de comportamento e habilidade de comuni...
Leonardo Savassi
 
Iaps 3 UFMG habilidade de comunicação na vd
Iaps 3 UFMG  habilidade de comunicação na vdIaps 3 UFMG  habilidade de comunicação na vd
Iaps 3 UFMG habilidade de comunicação na vd
Leonardo Savassi
 
Habilidade de comunicação para entrevistas
Habilidade de comunicação para entrevistasHabilidade de comunicação para entrevistas
Habilidade de comunicação para entrevistas
Leonardo Savassi
 

Mais de Leonardo Savassi (20)

Savassi LCM. Cuidados Paliativos e Atenção Domiciliar (LACP e Ubuntu 2023)
Savassi LCM. Cuidados Paliativos e Atenção Domiciliar (LACP e Ubuntu 2023)Savassi LCM. Cuidados Paliativos e Atenção Domiciliar (LACP e Ubuntu 2023)
Savassi LCM. Cuidados Paliativos e Atenção Domiciliar (LACP e Ubuntu 2023)
 
2021 "A importância da MFC para a Saúde Pública do país". UBUNTU Liga acadêmi...
2021 "A importância da MFC para a Saúde Pública do país". UBUNTU Liga acadêmi...2021 "A importância da MFC para a Saúde Pública do país". UBUNTU Liga acadêmi...
2021 "A importância da MFC para a Saúde Pública do país". UBUNTU Liga acadêmi...
 
2021 Medicina e Arte Liga Saude Espiritualidade.pptx
2021 Medicina e Arte Liga Saude Espiritualidade.pptx2021 Medicina e Arte Liga Saude Espiritualidade.pptx
2021 Medicina e Arte Liga Saude Espiritualidade.pptx
 
Ventilacao Mecanica Domiciliar - Especificidades da Criança
Ventilacao Mecanica Domiciliar - Especificidades da CriançaVentilacao Mecanica Domiciliar - Especificidades da Criança
Ventilacao Mecanica Domiciliar - Especificidades da Criança
 
Atencao Domiciliar e Vulnerabilidade - III Congresso MT de MFC
Atencao Domiciliar e Vulnerabilidade - III Congresso MT de MFCAtencao Domiciliar e Vulnerabilidade - III Congresso MT de MFC
Atencao Domiciliar e Vulnerabilidade - III Congresso MT de MFC
 
Aula Prevenção Quaternária - UFOP - Disciplina Medicina de Família e Comunidade
Aula Prevenção Quaternária - UFOP - Disciplina Medicina de Família e ComunidadeAula Prevenção Quaternária - UFOP - Disciplina Medicina de Família e Comunidade
Aula Prevenção Quaternária - UFOP - Disciplina Medicina de Família e Comunidade
 
Aula sobre conceitos básicos de rastreamento - UFOP - Disciplina MFC (MED195)
Aula sobre conceitos básicos de rastreamento - UFOP - Disciplina MFC (MED195)Aula sobre conceitos básicos de rastreamento - UFOP - Disciplina MFC (MED195)
Aula sobre conceitos básicos de rastreamento - UFOP - Disciplina MFC (MED195)
 
Facebook: estratégia pedagógica sobre evidências na disciplina “Medicina de F...
Facebook: estratégia pedagógica sobre evidências na disciplina “Medicina de F...Facebook: estratégia pedagógica sobre evidências na disciplina “Medicina de F...
Facebook: estratégia pedagógica sobre evidências na disciplina “Medicina de F...
 
Avaliação clínico-assistencial das Visitas Domiciliares por Profissionais da ...
Avaliação clínico-assistencial das Visitas Domiciliares por Profissionais da ...Avaliação clínico-assistencial das Visitas Domiciliares por Profissionais da ...
Avaliação clínico-assistencial das Visitas Domiciliares por Profissionais da ...
 
Análise das práticas de Acolhimento entre profissionais da Atenção Primária a...
Análise das práticas de Acolhimento entre profissionais da Atenção Primária a...Análise das práticas de Acolhimento entre profissionais da Atenção Primária a...
Análise das práticas de Acolhimento entre profissionais da Atenção Primária a...
 
2017 ufop rastreamento
2017 ufop rastreamento2017 ufop rastreamento
2017 ufop rastreamento
 
2017 2 aula tabagismo
2017 2 aula tabagismo2017 2 aula tabagismo
2017 2 aula tabagismo
 
2017 2 vd aula disciplina mfc ufop
2017   2 vd aula disciplina mfc ufop2017   2 vd aula disciplina mfc ufop
2017 2 vd aula disciplina mfc ufop
 
2017 2 ab fam 2 disciplina mfc ufop
2017   2 ab fam 2 disciplina mfc ufop2017   2 ab fam 2 disciplina mfc ufop
2017 2 ab fam 2 disciplina mfc ufop
 
14o CBMFC Curitiba-PR - Mesa AD na APS - Desafios
14o CBMFC Curitiba-PR - Mesa AD na APS - Desafios14o CBMFC Curitiba-PR - Mesa AD na APS - Desafios
14o CBMFC Curitiba-PR - Mesa AD na APS - Desafios
 
Princípios da aps slides selecionados
Princípios da aps slides selecionadosPrincípios da aps slides selecionados
Princípios da aps slides selecionados
 
Medicina Baseada em Evidências - Oficina UFOP buscando evidencias para subturmas
Medicina Baseada em Evidências - Oficina UFOP buscando evidencias para subturmasMedicina Baseada em Evidências - Oficina UFOP buscando evidencias para subturmas
Medicina Baseada em Evidências - Oficina UFOP buscando evidencias para subturmas
 
IAPS 3 UFMG Educação em saúde mudança de comportamento e habilidade de comuni...
IAPS 3 UFMG Educação em saúde mudança de comportamento e habilidade de comuni...IAPS 3 UFMG Educação em saúde mudança de comportamento e habilidade de comuni...
IAPS 3 UFMG Educação em saúde mudança de comportamento e habilidade de comuni...
 
Iaps 3 UFMG habilidade de comunicação na vd
Iaps 3 UFMG  habilidade de comunicação na vdIaps 3 UFMG  habilidade de comunicação na vd
Iaps 3 UFMG habilidade de comunicação na vd
 
Habilidade de comunicação para entrevistas
Habilidade de comunicação para entrevistasHabilidade de comunicação para entrevistas
Habilidade de comunicação para entrevistas
 

Último

Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do TrabalhoApostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
CatieleAlmeida1
 
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
marjoguedes1
 
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de suturaTipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
DelcioVumbuca
 
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
AmaroAlmeidaChimbala
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
sula31
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdfVacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
rickriordan
 

Último (7)

Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do TrabalhoApostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
 
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
 
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de suturaTipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
 
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
 
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdfVacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
 

Dijon Hosana: Medicina Rural

  • 1. MESA REDONDA DE MEDICINA RURAL 10 DE JUNHO DE 2012 CONCEITOS DE MEDICINA RURAL DIJON HOSANA Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 2. VINHETAS Caso 1: Uma criança chega depois de ter caído do pé de goiaba. Tem muita dor no pulso, que se apresenta inchado acima da articulação e com contratura muscular antálgica. Caso 2: No meio da noite você é requisitado a comparecer à casa de parto e encontra uma mulher em período expulsivo. Ao se aproximar você reconhece as faces rechonchudas ...de um bumbum. Caso 3: Um familiar pede a você que avalie sua tia que está morrendo, inclusive o coveiro já abriu a cova e a família está preparando o velório. Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 3. VINHETAS Caso 4: Um carro vem lhe buscar para prestar assistência a um agricultor cujo pequeno trator tombou e o prendeu sob suas rodas. Ele parece mal. Caso 5: O policial civil do lugar pede que você vá, junto com ele, averiguar a informação de que uma idosa que bebe muito pode estar morta,já que tem alguns dias que não é vista pelas pessoas que passam na frente de sua casa no pé-de-serra. Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 4. CONCEITOS DE MEDICINA RURAL REFERÊNCIAS DESTA APRESENTAÇÃO 1.WONCA. Policy on Training for Rural General Practice, 1995. 2. WONCA. Policy on Quality and Effectiveness of Rural Health Care, 2003. 3. Rural Doctors Association of Austrália: Viable Models of Rural and Remote Practice Stage 1 and Stage 2 Report, 2003. 4. Maria Inez Padula Anderson, Gustavo Gusso, Eno Dias de Castro Filho. Medicina de Família e Comunidade: especialistas em integralidade . Revista APS, v.8, n.1, p. 61-67, jan./jun. 2005 5. Mennin e Mennin. Essential Skills in Medical Education 2010. COBEM /PROSAÚDE , apostila. p.56. 2010 6. Ministério da Saúde. Saúde da Família: uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial. Brasília. 1997. 7. Homepage do GT Medicina Rural da SBMFC: https://sites.google.com/site/gtmedicinarural/ Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 5. O que são Área Rural e Medicina Rural e quem é o Médico Rural ? Área rural terá como parâmetros a densidade populacional, presença de serviços da área econômica e acesso mais ou menos fácil a um núcleo urbano, medida em Km ou em horas de deslocamento. OMS A atividade médica executada fora das zonas urbanas, onde o local de prática obriga alguns médicos generalistas a ter, ou adquirir, habilidades processuais e outras, que geralmente não são necessárias na prática urbana.” Faculdade de Medicina Rural do Royal Australian College of General Practitioners (RACGP) Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 6. O que são Área Rural e Medicina Rural e quem é o Médico Rural ? Aqui, nesse Congresso, o Médico Rural é um Médico de Família e Comunidade e, portanto, deve ter desenvolvidos habilidades e competências descritas pelos padrões de nossas Diretrizes e Bases Educacionais, SBMFC e SUS. Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 7. COMPETÊNCIAS E HABILIDADES GERAIS LEI DE DIRETRIZES E BASES McwINNEY (1995) Solução de problemas que se Atenção à Saúde + apresentam indiferenciados + Ética +# Competências preventivas + # Tomada de decisões # Competências terapêuticas + Comunicação + # (de problemas frequentes Administração/Gerenciamento # de saúde) Liderança # Competência de gestão de Educação permanente + # recursos # + competências afins com a atenção à saúde # competências afins com a gestão do trabalho Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 8. COMPETÊNCIAS E HABILIDADES GERAIS PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA Prestar assistência integral + Valorizar a relação médico-paciente e médico-família + Abordar os aspectos preventivos e de educação sanitária + # Executar ações básicas de vigilância epidemiológica e sanitária # + competências afins com a atenção à saúde # competências afins com a gestão do trabalho Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 9. COMPETÊNCIAS E HABILIDADES GERAIS PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA Executar as ações de assistência nas áreas de atenção à criança, adolescente, à mulher, trabalhador, adulto e idoso, realizando também atendimentos de primeiros cuidados nas urgências e pequenas cirurgias ambulatoriais, entre outros + Participar do processo de programação e planejamento das ações e da organização do processo de trabalho das unidades de Saúde da Família # + competências afins com a atenção à saúde # competências afins com a gestão do trabalho Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 10. Qual a definição de Saúde Rural? Estado dinâmico de bem-estar físico, mental e social. A saúde das populações rurais fundamentada em interconhecimento – conectividade/interatividade,o sentimento de estreito relacionamento do indivíduo com sua família,amigos, trabalho e comunidade. Populações rurais saudáveis são produto de uma geração de pais capazes de propiciar aos seus filhos um relacionamento fundamentado em bases sólidas e prazerosas onde eles vivam, brinquem e trabalhem de forma produtiva ao longo de suas vidas. Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 11. Qual a importância dos Médicos Rurais? Institucionais: A OMS reconhece que “Metade da população mundial vive atualmente em áreas rurais e remotas.” OMS. Increasing access to health workers in remote and rural areas through improved retention, 2010. O WONCA (1997) e a OMS (1998) propoem “Saúde para todas as populações rurais no século XXI” WONCA. Policy on Quality and Efectiveness of Rural Health Care, 2003 A WONCA propõe: “Saúde para todas as populações rurais em 2020”. 2nd World Rural Health Congress, Durban South Africa 1997 Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 12. Qual a importância dos Médicos Rurais? Institucionais: Alcançar um cuidado de saúde rural de alta qualidade e efetividade é um enorme desafio para os países desenvolvidos e em desenvolvimento Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 13. Qual a importância dos Médicos Rurais? Contextuais: Quando comparadas com as populações urbanas, as populações rurais da maioria dos países tem menos acesso a serviços de saúde, pior estado geral de saúde e piores desfechos em saúde. Existe uma escassez mundial de Médicos de Família. Necessidade urgente de implementar estratégias para melhorar os serviços de saúde rural em todo o mundo. Necessidade de um número suficiente médicos de família rurais. Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 14. Qual a importância dos Médicos Rurais? Acadêmicas: Avaliações da qualidade e da efetividade dos cuidados de saúde e dos outros aspectos da saúde rural não estão disponíveis, nem bem estudadas, não estão descritas, não são dirigidas e nem são aplicadas ao contexto rural. São necessários formação universitária apropriada na graduação e na pós-graduação que propiciem a progressão da carreira em pesquisa, educação ou administração. Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 15. Qual a importância dos Médicos Rurais? Acadêmicas: Surgimento de uma classe de profissionais rurais academicamente treinados para serem o corpo clínico dos Centros de Educação Médica Rurais e de outras unidades acadêmicas de saúde rural. Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 16. Qual é a Medicina Rural mais desejável ? Contexto rural Estado de saúde rural Desfechos de cuidados de saúde rural Serviços de cuidados de saúde rurais Recursos humanos em cuidados de saúde rural Educação dos trabalhadores da saúde em ambiente rural Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 17. Qual é a Medicina Rural mais desejável ? Tecnologias de informação e sua estruturação na saúde rural Pesquisa em saúde rural Financiamento da saúde rural Organização dos cuidados em saúde rural e Satisfação do consumidor de saúde rural. Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 18. Por que estudantes não querem ser médicos rurais ? Uma crença e uma atitude: “A Medicina Rural é uma medicina de segunda classe ". (equívoco fundamental) “Desamparo Aprendido“ Duas realidades: Perfil urbano Experiência e visão da medicina hospitalocêntrica. Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 19. Quais as peculiaridades da Medicina Rural ? Maior variedade da práticas e diferentes ambientes “Medicina do berço à cova” Relativo isolamento profissional Independência e autoconfiança Pronta resposta em casos de emergências Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 20. Quais as peculiaridades da Medicina Rural ? Dedicação às suas comunidades O ambiente e o estilo de vida rurais Valorizam os folgas e o tempo com a família Satisfações sociais Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 21. Quais as peculiaridades da Medicina Rural ? A Medicina Rural pode oferecer consideráveis recompensas profissionais e satisfações junto com as atrações de significativo status social longe as dificuldades da vida na cidade. Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 22. Quais são os ônus de ser Médico Rural ? Carga de trabalho Falta de infraestrutura e apoio regional Relativo isolamento profissional Escolas médicas enfatizam o contexto de treinamento urbano Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 23. Quais são os ônus de ser Médico Rural ? Questões pessoais e familiares Dificuldade em liberação para folgas e educação permanente Conhecimentos e competências não são devidamente reconhecidos Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 24. Quais são os ônus de ser Médico Rural ? As vantagens profissionais e sociais da prática rural muitas vezes são suplantados pelas desvantagens. Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 25. Qual é a opinião de Médicos Rurais sobre suas vidas ? “Rural and remote practice is one of the most exciting, satisfying and challenging of all medical disciplines.” “Rural and remote doctors need a sense of adventure and a sense of humour.” Comprometimento maior com sua vocação e suas comunidades Considerável satisfação e otimismo com o exercício da medicina rural e seu estilo de vida. Reconhecem suas necessidades profissionais, familiares, geográficas. Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 26. Como formar um Médico Rural ? Sensibilização Ensino clínico apropriado na última parte do curso de graduação e no período imediato após a graduação. Programas de residência com formação específica. Formação continuada específica e programas de desenvolvimento profissional. Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 27. Como formar um Médico Rural ? Formação prática com ênfase: a. Na aprendizagem prática (hands-on) de habilidades processuais; b. No espectro de doenças em comunidades rurais e remotas; c. Na sociologia e a psicologia das comunidades rurais e remotas; e d. Nos aspectos profissionais e pessoais da vida e do trabalho em pequenas comunidades rurais. Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 28. Como formar um Médico Rural ? Criação de uma carreira acadêmica apropriada com pósgraduações e estímulo à pesquisa, educação e gestão Corpo clínico dos Centros de Educação Médica Rurais e de outras unidades acadêmicas de saúde rural. Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 29. Como formar um Médico Rural ? Formação pode requerer mais tempo para o treinamento adicional nas habilidades avançadas da prática rural em: a. Medicina de emergência b. Anestesia c. Cirurgia d. Obstetrícia e. Outros Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 30. CONCLUSÕES Especialidade desafiadora e realizadora Ônus e bônus Função estratégica para a Saúde Mundial Ausência do interesse dos profissionais em exercê-la Necessita de uma atenção especial do aparelho formador Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 31. CONCLUSÕES Os Médicos Rurais: • não se arrependem de sua escolha, • tem reconhecimento social, • satisfação pessoal em ser um médico resolutivo e • sensação de autonomia que é própria da especialidade. Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012
  • 32. DESFECHOS Caso1: Quatro semanas depois a criança já está subindo em outro pé de goiaba. Caso 2: Na semana seguinte, consulta puerperal para mãe e filha. Caso 3: Seis meses depois a paciente lhe informa a disposição de não usar mais os remédios. Caso 4: O agricultor, mesmo atendido, não resiste ao esmagamento e morre no local. Caso 5: A senhora está bem e havia passado os dias anteriores com a filha, que mora em outro local. Dijon Hosana CMMFC, Montes Claros 2012