SlideShare uma empresa Scribd logo
Enfermagem pediátrica:
competências, contextos de atuação e bases teóricas
Professor
Jérime Soares
Quem é o
profissional da
enfermagem
pediatra?
• É o enfermeiro que cuida de crianças e suas
famílias em uma variedade de ambientes
pediátricos: hospitais, consultórios, escolas,
salas de emergência, unidades de
reabilitação, UTIs, domicílios;
• É o enfermeiro bem informado sobre as
características e habilidades da criança em
cada estágio do crescimento e
desenvolvimento da infância ao jovem
adulto;
• É o enfermeiro preparado para atender às
necessidades e demandas de cuidado da
criança e sua família dentro de um
complexo sistema de cuidado em saúde
SPN,2017; Betz,2017
Objetivos com base nos cuidados de saúde
primários:
Papel do
enfermeiro e
técnico de
enfermagem
em pediatria
-Promover o amadurecimento saudável da criança como um
ser físico, intelectual e emocional dentro do contexto de sua
família e comunidade (nível primário)
-Fornecer cuidados de saúde para a criança que requer
tratamento de doença (nível secundário)
-Lidar com as condições da criança ou reabilitação
decorrentes da doença, o que significa maximizar o nível
potencial da criança em suas múltiplas funções (nível
terciário)
Necessidades de saúde da criança
• Em 2016, estima-se que o Brasil tenha registrado a presença de 68 milhões
de crianças e adolescentes entre zero e 19 anos de idade (33,0% pop.),
sendo que mais de um terço deles se concentra na região Sudeste;
• Aproximadamente 55 milhões de pessoas vivem em situação de pobreza
no Brasil, tendo 18 milhões em situação de extrema pobreza;
• População entre zero e cinco anos de idade em situação de desnutrição em
2017: 61.716 ( peso muito baixo para a idade) e 145.318 (peso baixo para a
idade);
• Taxa de mortalidade infantil (menores de um ano de idade) - 12,7 em 2016,
(para cada mil nascidos vivos);
• Taxa de cobertura em creche no Brasil – 27,1%;
• Trabalho infantil - População ocupada entre cinco e 17 anos de idade em
2016;
• Outras: necessidades especiais, doenças mentais, abuso de substâncias e
cigarro (mortalidade de adolescentes)
• Desafios de saúde que afetam bebês, crianças, adolescentes e suas famílias
constituem as demandas apresentadas ao Sistema de saúde e seus
profissionais.
Competências
do enfermeiro
pediatra
generalista:
domínios
centrais
1. PAPEL DO
ENFERMEIRO
PEDIATRA
2. CRESCIMENTO E
DESENVOLVIMENTO
3. CUIDADO
CENTRADO NA
FAMÍLIA
Avaliação: completa e
abrangente – física,
crescimento e
desenvolvimento, psicossocial,
cultural e ambiente;
Plano de cuidado: usar o
processo de enfermagem para
sintetizar e priorizar os dados e
criar um plano de cuidado
individualizado e centrado na
criança e na família;
Pensamento crítico:
habilidades par analisar,
sintetizar, aplicar e avaliar
dados em conjunto com
informações sobre processos
de doença e evidências
científicas;
Comunicação: interagir
colaborativamente com a
criança, família e outros
profissionais;
Pratica ética: defender e
promover a profissão;
compromisso com princípios e
comportamentos éticos:
verdade, fidelidade,
integridade, imparcialidade e
compromisso; garantir direitos
da criança e da família:
privacidade e proteção
Profissionalismo:
autoavaliação continuada
da prática – áreas de força e
áreas de fragilidade
1. Papel do
enfermeiro
pediatra-
competências
2
Society of Pediatric Nurses,2017
1. Cuidado fisiológico e
holístico: compreender a
fisiologia pediátrica e os
princípios de
crescimento e
desenvolvimento para
cuidado individualizado;
• 2. Promoção da saúde:
participar da educação de
crianças e famílias para
promover saúde, prevenção
de doenças e danos e ótimo
desenvolvimento;
3. Qualidade de vida:
identificar barreiras
atuais e potenciais para
a vida plena da criança
– visão interdisciplinar;
ambiente apto a
suportar necessidades
físicas, cognitivas,
psicoemocionais,
interacionais;
• 4. Defesa: atuar em nome da
criança e da família,
capacitando-as durante
transições inerentes ao
processo saúde- doença.
2.Crescimento e
desenvolvimento-
competências
Society of Pediatric Nurses,2017
• É uma abordagem que reconhece a
importância da família como o foco
fundamental de todas as intervenções de
cuidado em saúde.
• O elemento central desta abordagem de
cuidado é o relacionamento entre famílias
e profissionais de saúde, o qual deve ser
alicerçado na parceria, colaboração e
• A participação da família nos cuidados à
criança é reconhecida como essencial
para o atendimento de suas necessidades
e para o bem-estar de toda a família.
Cruz; Angelo,2011
Cuidado
Centrado na
Família:
negociação.
Foco – relacionamento entre famílias e profissionais de
saúde
3. Cuidado
centrado na
criança e na
família-
competências
• Sensibilidade cultural: aprender, respeitar e
integrar valores, crenças, rituais e cultura da
criança e da família, adaptando-os ao plano de
cuidado;
• Colaboração: envolver a criança e família nas
decisões relacionadas ao cuidado, facilitando a
participação da família;
• Proteção: reconhecer a família como expert no
cuidado da criança e adaptar o cuidado ara
manter papeis familiares, preferências e
rotinas; empoderar a família a manter o papel
de cuidador, participando e tomando decisões.
Qualidades do
profissional de
Enfermagem
em Pediatria
Bom observador
Honesto e verdadeiro
Compreensivo, gentil, paciente e alegre
Ama trabalhar com crianças
Interessado no cuidado da família
Capaz de fornecer orientações, de ensinar
crianças e suas famílias
CONHECENDO A PROFISSÃO DE ENFERMAGEM
Entre as principais funções do técnico em enfermagem está o atendimento aos pacientes
da unidade hospitalar, sendo ele um profissional imprescindível à assistência, prevenção de
complicações e recuperação da pessoa necessitada, considerando sempre a segurança e a
humanização.
É uma atividade que vem ganhando cada vez mais espaço, graças às inúmeras
possibilidades de atuação, por exemplo, hospitais, clínicas, abrigos, creches, casas de
repouso, laboratórios de análises clínicas e unidades de diagnóstico, consultórios médicos,
abrigo, redes ambulatoriais, home care, entre outros.
Pensando na sua importância e no crescimento de oportunidades para os profissionais que
buscam a inserção no mercado de trabalho, elaboramos este post para explicar um pouco
mais sobre essa profissão tão necessária, que é a de técnico em enfermagem. Acompanhe!
Qual é a diferença entre enfermeiro, técnico em enfermagem e
auxiliar de enfermagem?
Existem três alternativas para quem pretende trabalhar na área da enfermagem. É muito
importante que você entenda cada uma delas para evitar qualquer tipo de dúvida. Veja a
seguir:
• enfermeiro: trata-se do profissional com graduação em enfermagem, curso superior que geralmente
tem a duração de cinco anos;
• técnico em enfermagem: é o profissional formado em um curso técnico, cuja duração aproximada é
de dois anos e exige a formação no ensino médio completo;
• auxiliar de enfermagem: é o profissional que fez o curso de auxiliar de enfermagem, que exige, no
mínimo, a conclusão do ensino fundamental.
Especialização é o segredo para se valorizar no
mercado. É importante aprender tudo sobre como
é o trabalho da Enfermagem em Pediatria.
Experiências Desafios
Motivação
Dialogando
com
profissionais
Conclusão: A enfermagem pediátrica
é uma área importante que se dedica
ao cuidado das crianças desde o
nascimento até a adolescência.
Tanto o enfermeiro pediatra quanto
o técnico em enfermagem
desempenham papéis importantes
na prestação de cuidados às crianças
e suas famílias.
Perguntas
e
Pesquisas
1. O que é enfermagem pediátrica?
2. Quais são as principais competências do enfermeiro pediatra?
3. Qual é o papel do enfermeiro pediatra no cuidado da criança?
4. Como o técnico em enfermagem atua na enfermagem pediátrica?
5. Quais são as principais funções do técnico em enfermagem na enfermagem pediátrica?
6. Qual é a importância da supervisão do técnico em enfermagem pelo enfermeiro?
7. Quais são as principais áreas de atuação do técnico em enfermagem na enfermagem pediátrica?
8. Qual é a importância da especialização em enfermagem pediátrica para o técnico em enfermagem?
9. Como a família pode ser envolvida no cuidado da criança na enfermagem pediátrica?
10.Quais são os principais desafios enfrentados pelos profissionais de enfermagem na área pediátrica?
11.Como a tecnologia pode ser utilizada para melhorar o cuidado da criança na enfermagem pediátrica?
12.Quais são as principais medidas preventivas que podem ser adotadas para promover a saúde da criança na enfermagem pediátrica?
13.Como a comunicação pode ser utilizada para melhorar o cuidado da criança na enfermagem pediátrica?
14.Quais são os principais aspectos éticos envolvidos no cuidado da criança na enfermagem pediátrica?
15.Como a equipe de saúde pode trabalhar em conjunto para promover o bem-estar da criança na enfermagem pediátrica?
16.Quais são as principais diferenças entre o cuidado da criança e do adulto na enfermagem?
17.Como a dor pode ser avaliada e tratada na criança na enfermagem pediátrica?
18.Quais são os principais aspectos culturais que devem ser considerados no cuidado da criança na enfermagem pediátrica?
19.Como a educação em saúde pode ser utilizada para promover o bem-estar da criança e sua família na enfermagem pediátrica?
20.Qual é a importância do trabalho em equipe na promoção do bem-estar da criança na enfermagem pediátrica?

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Crescimento e desenvolvimento Infantil
Crescimento e desenvolvimento Infantil Crescimento e desenvolvimento Infantil
Crescimento e desenvolvimento Infantil
Daysi Mara Paulo Sérgio
 
Saúde do Adolescente
Saúde do AdolescenteSaúde do Adolescente
Saúde do Adolescente
Centro Universitário Ages
 
Saúde da Criança - UFMG
Saúde da Criança - UFMGSaúde da Criança - UFMG
Saúde da Criança - UFMG
Leonardo Savassi
 
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Eduardo Gomes da Silva
 
Saúde da criança e do adolescente.pptx
Saúde da criança e do adolescente.pptxSaúde da criança e do adolescente.pptx
Saúde da criança e do adolescente.pptx
WellingtonTeixeira24
 
Hospitalização infantil
Hospitalização infantilHospitalização infantil
Hospitalização infantil
WAGNER OLIVEIRA
 
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e NascimentoCuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
Enfermagem em UTI Pediátrica e Neonatal
Enfermagem em UTI Pediátrica e NeonatalEnfermagem em UTI Pediátrica e Neonatal
Enfermagem em UTI Pediátrica e Neonatal
Regiane Ribeiro
 
Urgência e emergência
Urgência e emergênciaUrgência e emergência
Urgência e emergência
Alexandre Donha
 
Saúde do Adolescente
Saúde do AdolescenteSaúde do Adolescente
Saúde do Adolescente
yolandasergia
 
Saúde da Mulher
Saúde da MulherSaúde da Mulher
Saúde da Mulher
Stefanny Corrêa
 
Aula sinais vitais
Aula sinais vitaisAula sinais vitais
Aula sinais vitais
Viviane da Silva
 
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele SpindlerAssistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Jesiele Spindler
 
AULA 1 - Neonatologia aplicada a Enfermagem
AULA 1 - Neonatologia aplicada a EnfermagemAULA 1 - Neonatologia aplicada a Enfermagem
AULA 1 - Neonatologia aplicada a Enfermagem
Beatriz Cordeiro
 
Aula 8 emergencias obstétricas
Aula 8 emergencias obstétricasAula 8 emergencias obstétricas
Aula 8 emergencias obstétricas
SUELLEN SILVA
 
Rede cegonha 24022011
Rede cegonha 24022011Rede cegonha 24022011
Rede cegonha 24022011
jorge luiz dos santos de souza
 
PAISM - PROGRAMA DE ATENÇÃO INTEGRAL A SAÚDE DA MULHER
PAISM - PROGRAMA DE ATENÇÃO INTEGRAL A SAÚDE DA MULHER PAISM - PROGRAMA DE ATENÇÃO INTEGRAL A SAÚDE DA MULHER
PAISM - PROGRAMA DE ATENÇÃO INTEGRAL A SAÚDE DA MULHER
Karen Lira
 
Parto Normal
Parto NormalParto Normal
Parto Normal
Ministério da Saúde
 
Exame do Recém-Nascido
Exame do Recém-NascidoExame do Recém-Nascido
Exame do Recém-Nascido
Enayad
 
Atenção à Saúde do Idoso
Atenção à Saúde do Idoso Atenção à Saúde do Idoso

Mais procurados (20)

Crescimento e desenvolvimento Infantil
Crescimento e desenvolvimento Infantil Crescimento e desenvolvimento Infantil
Crescimento e desenvolvimento Infantil
 
Saúde do Adolescente
Saúde do AdolescenteSaúde do Adolescente
Saúde do Adolescente
 
Saúde da Criança - UFMG
Saúde da Criança - UFMGSaúde da Criança - UFMG
Saúde da Criança - UFMG
 
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
 
Saúde da criança e do adolescente.pptx
Saúde da criança e do adolescente.pptxSaúde da criança e do adolescente.pptx
Saúde da criança e do adolescente.pptx
 
Hospitalização infantil
Hospitalização infantilHospitalização infantil
Hospitalização infantil
 
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e NascimentoCuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
 
Enfermagem em UTI Pediátrica e Neonatal
Enfermagem em UTI Pediátrica e NeonatalEnfermagem em UTI Pediátrica e Neonatal
Enfermagem em UTI Pediátrica e Neonatal
 
Urgência e emergência
Urgência e emergênciaUrgência e emergência
Urgência e emergência
 
Saúde do Adolescente
Saúde do AdolescenteSaúde do Adolescente
Saúde do Adolescente
 
Saúde da Mulher
Saúde da MulherSaúde da Mulher
Saúde da Mulher
 
Aula sinais vitais
Aula sinais vitaisAula sinais vitais
Aula sinais vitais
 
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele SpindlerAssistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
 
AULA 1 - Neonatologia aplicada a Enfermagem
AULA 1 - Neonatologia aplicada a EnfermagemAULA 1 - Neonatologia aplicada a Enfermagem
AULA 1 - Neonatologia aplicada a Enfermagem
 
Aula 8 emergencias obstétricas
Aula 8 emergencias obstétricasAula 8 emergencias obstétricas
Aula 8 emergencias obstétricas
 
Rede cegonha 24022011
Rede cegonha 24022011Rede cegonha 24022011
Rede cegonha 24022011
 
PAISM - PROGRAMA DE ATENÇÃO INTEGRAL A SAÚDE DA MULHER
PAISM - PROGRAMA DE ATENÇÃO INTEGRAL A SAÚDE DA MULHER PAISM - PROGRAMA DE ATENÇÃO INTEGRAL A SAÚDE DA MULHER
PAISM - PROGRAMA DE ATENÇÃO INTEGRAL A SAÚDE DA MULHER
 
Parto Normal
Parto NormalParto Normal
Parto Normal
 
Exame do Recém-Nascido
Exame do Recém-NascidoExame do Recém-Nascido
Exame do Recém-Nascido
 
Atenção à Saúde do Idoso
Atenção à Saúde do Idoso Atenção à Saúde do Idoso
Atenção à Saúde do Idoso
 

Semelhante a Enfermagem pediatrica (1).pdf

Enfermagem pediatrica.pdf
Enfermagem pediatrica.pdfEnfermagem pediatrica.pdf
Enfermagem pediatrica.pdf
GlendaRegoSoares1
 
Aula Enfermagem pediatrica competencias.pptx
Aula Enfermagem pediatrica competencias.pptxAula Enfermagem pediatrica competencias.pptx
Aula Enfermagem pediatrica competencias.pptx
pamelacastro71
 
O Papel do Profissional da Atenção Primária na Promoção do Desenvolvimento In...
O Papel do Profissional da Atenção Primária na Promoção do Desenvolvimento In...O Papel do Profissional da Atenção Primária na Promoção do Desenvolvimento In...
O Papel do Profissional da Atenção Primária na Promoção do Desenvolvimento In...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Nascimento Seguro: uma proposta para diminuir a mortalidade neonatal
Nascimento Seguro: uma proposta para diminuir a mortalidade neonatalNascimento Seguro: uma proposta para diminuir a mortalidade neonatal
Nascimento Seguro: uma proposta para diminuir a mortalidade neonatal
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Puericultura em Angola
Puericultura em AngolaPuericultura em Angola
Manual de cuidador adulto final
Manual de cuidador adulto finalManual de cuidador adulto final
Manual de cuidador adulto final
gcmrs
 
Trabalho Conclusão de Curso Enfermagem UNIP/Assis 2012
Trabalho Conclusão de Curso Enfermagem UNIP/Assis 2012Trabalho Conclusão de Curso Enfermagem UNIP/Assis 2012
Trabalho Conclusão de Curso Enfermagem UNIP/Assis 2012
elisabuzzo
 
cad-6-PPT 1 - abordando o desenvolvimento infantil.pptx
cad-6-PPT 1 - abordando o desenvolvimento infantil.pptxcad-6-PPT 1 - abordando o desenvolvimento infantil.pptx
cad-6-PPT 1 - abordando o desenvolvimento infantil.pptx
MiltonFernandes41
 
Projeto Rede Sampa Roda de Conversa da Infância e Adolescência
Projeto Rede Sampa Roda de Conversa da Infância e Adolescência Projeto Rede Sampa Roda de Conversa da Infância e Adolescência
Projeto Rede Sampa Roda de Conversa da Infância e Adolescência
Centro de Desenvolvimento, Ensino e Pesquisa em Saúde - CEDEPS
 
Anais Fórum Saúde Mental Infantojuveni
Anais  Fórum Saúde Mental InfantojuveniAnais  Fórum Saúde Mental Infantojuveni
Anais Fórum Saúde Mental Infantojuveni
CENAT Cursos
 
2626-L - Normas de atenção à saúde integral do adolescente - Vol. II
2626-L - Normas de atenção à saúde integral do adolescente - Vol. II2626-L - Normas de atenção à saúde integral do adolescente - Vol. II
2626-L - Normas de atenção à saúde integral do adolescente - Vol. II
bibliotecasaude
 
Relatório final praticas assistenciais
Relatório final praticas assistenciais Relatório final praticas assistenciais
Relatório final praticas assistenciais
Dessa Reis
 
Resgate do Pediatra Geral
Resgate do Pediatra GeralResgate do Pediatra Geral
Resgate do Pediatra Geral
Laped Ufrn
 
Organização da Atenção à Saúde da Criança: PNAISC como orientadora das práticas
Organização da Atenção à Saúde da Criança: PNAISC como orientadora das práticasOrganização da Atenção à Saúde da Criança: PNAISC como orientadora das práticas
Organização da Atenção à Saúde da Criança: PNAISC como orientadora das práticas
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
A assistncia humanizada ao recm nascido e criana na unidade de terapia inten...
A assistncia humanizada ao recm nascido e  criana na unidade de terapia inten...A assistncia humanizada ao recm nascido e  criana na unidade de terapia inten...
A assistncia humanizada ao recm nascido e criana na unidade de terapia inten...
Juliane Ribeiro
 
PROJETO TERAPÊUTICO SINGULAR
PROJETO TERAPÊUTICO SINGULARPROJETO TERAPÊUTICO SINGULAR
PROJETO TERAPÊUTICO SINGULAR
Portal da Inovação em Saúde
 
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º períodoSeminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Laíz Coutinho
 
0769-L - Normas de atenção à saúde integral do adolescente - Vol. III
0769-L - Normas de atenção à saúde integral do adolescente - Vol. III0769-L - Normas de atenção à saúde integral do adolescente - Vol. III
0769-L - Normas de atenção à saúde integral do adolescente - Vol. III
bibliotecasaude
 
Apresentação Internato na APS 2023.ppt
Apresentação Internato na APS 2023.pptApresentação Internato na APS 2023.ppt
Apresentação Internato na APS 2023.ppt
JulioCesar27506
 
Aidpi modulo 1
Aidpi modulo 1Aidpi modulo 1
Aidpi modulo 1
pryloock
 

Semelhante a Enfermagem pediatrica (1).pdf (20)

Enfermagem pediatrica.pdf
Enfermagem pediatrica.pdfEnfermagem pediatrica.pdf
Enfermagem pediatrica.pdf
 
Aula Enfermagem pediatrica competencias.pptx
Aula Enfermagem pediatrica competencias.pptxAula Enfermagem pediatrica competencias.pptx
Aula Enfermagem pediatrica competencias.pptx
 
O Papel do Profissional da Atenção Primária na Promoção do Desenvolvimento In...
O Papel do Profissional da Atenção Primária na Promoção do Desenvolvimento In...O Papel do Profissional da Atenção Primária na Promoção do Desenvolvimento In...
O Papel do Profissional da Atenção Primária na Promoção do Desenvolvimento In...
 
Nascimento Seguro: uma proposta para diminuir a mortalidade neonatal
Nascimento Seguro: uma proposta para diminuir a mortalidade neonatalNascimento Seguro: uma proposta para diminuir a mortalidade neonatal
Nascimento Seguro: uma proposta para diminuir a mortalidade neonatal
 
Puericultura em Angola
Puericultura em AngolaPuericultura em Angola
Puericultura em Angola
 
Manual de cuidador adulto final
Manual de cuidador adulto finalManual de cuidador adulto final
Manual de cuidador adulto final
 
Trabalho Conclusão de Curso Enfermagem UNIP/Assis 2012
Trabalho Conclusão de Curso Enfermagem UNIP/Assis 2012Trabalho Conclusão de Curso Enfermagem UNIP/Assis 2012
Trabalho Conclusão de Curso Enfermagem UNIP/Assis 2012
 
cad-6-PPT 1 - abordando o desenvolvimento infantil.pptx
cad-6-PPT 1 - abordando o desenvolvimento infantil.pptxcad-6-PPT 1 - abordando o desenvolvimento infantil.pptx
cad-6-PPT 1 - abordando o desenvolvimento infantil.pptx
 
Projeto Rede Sampa Roda de Conversa da Infância e Adolescência
Projeto Rede Sampa Roda de Conversa da Infância e Adolescência Projeto Rede Sampa Roda de Conversa da Infância e Adolescência
Projeto Rede Sampa Roda de Conversa da Infância e Adolescência
 
Anais Fórum Saúde Mental Infantojuveni
Anais  Fórum Saúde Mental InfantojuveniAnais  Fórum Saúde Mental Infantojuveni
Anais Fórum Saúde Mental Infantojuveni
 
2626-L - Normas de atenção à saúde integral do adolescente - Vol. II
2626-L - Normas de atenção à saúde integral do adolescente - Vol. II2626-L - Normas de atenção à saúde integral do adolescente - Vol. II
2626-L - Normas de atenção à saúde integral do adolescente - Vol. II
 
Relatório final praticas assistenciais
Relatório final praticas assistenciais Relatório final praticas assistenciais
Relatório final praticas assistenciais
 
Resgate do Pediatra Geral
Resgate do Pediatra GeralResgate do Pediatra Geral
Resgate do Pediatra Geral
 
Organização da Atenção à Saúde da Criança: PNAISC como orientadora das práticas
Organização da Atenção à Saúde da Criança: PNAISC como orientadora das práticasOrganização da Atenção à Saúde da Criança: PNAISC como orientadora das práticas
Organização da Atenção à Saúde da Criança: PNAISC como orientadora das práticas
 
A assistncia humanizada ao recm nascido e criana na unidade de terapia inten...
A assistncia humanizada ao recm nascido e  criana na unidade de terapia inten...A assistncia humanizada ao recm nascido e  criana na unidade de terapia inten...
A assistncia humanizada ao recm nascido e criana na unidade de terapia inten...
 
PROJETO TERAPÊUTICO SINGULAR
PROJETO TERAPÊUTICO SINGULARPROJETO TERAPÊUTICO SINGULAR
PROJETO TERAPÊUTICO SINGULAR
 
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º períodoSeminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º período
 
0769-L - Normas de atenção à saúde integral do adolescente - Vol. III
0769-L - Normas de atenção à saúde integral do adolescente - Vol. III0769-L - Normas de atenção à saúde integral do adolescente - Vol. III
0769-L - Normas de atenção à saúde integral do adolescente - Vol. III
 
Apresentação Internato na APS 2023.ppt
Apresentação Internato na APS 2023.pptApresentação Internato na APS 2023.ppt
Apresentação Internato na APS 2023.ppt
 
Aidpi modulo 1
Aidpi modulo 1Aidpi modulo 1
Aidpi modulo 1
 

Enfermagem pediatrica (1).pdf

  • 1. Enfermagem pediátrica: competências, contextos de atuação e bases teóricas Professor Jérime Soares
  • 2. Quem é o profissional da enfermagem pediatra? • É o enfermeiro que cuida de crianças e suas famílias em uma variedade de ambientes pediátricos: hospitais, consultórios, escolas, salas de emergência, unidades de reabilitação, UTIs, domicílios; • É o enfermeiro bem informado sobre as características e habilidades da criança em cada estágio do crescimento e desenvolvimento da infância ao jovem adulto; • É o enfermeiro preparado para atender às necessidades e demandas de cuidado da criança e sua família dentro de um complexo sistema de cuidado em saúde SPN,2017; Betz,2017
  • 3. Objetivos com base nos cuidados de saúde primários: Papel do enfermeiro e técnico de enfermagem em pediatria -Promover o amadurecimento saudável da criança como um ser físico, intelectual e emocional dentro do contexto de sua família e comunidade (nível primário) -Fornecer cuidados de saúde para a criança que requer tratamento de doença (nível secundário) -Lidar com as condições da criança ou reabilitação decorrentes da doença, o que significa maximizar o nível potencial da criança em suas múltiplas funções (nível terciário)
  • 4. Necessidades de saúde da criança • Em 2016, estima-se que o Brasil tenha registrado a presença de 68 milhões de crianças e adolescentes entre zero e 19 anos de idade (33,0% pop.), sendo que mais de um terço deles se concentra na região Sudeste; • Aproximadamente 55 milhões de pessoas vivem em situação de pobreza no Brasil, tendo 18 milhões em situação de extrema pobreza; • População entre zero e cinco anos de idade em situação de desnutrição em 2017: 61.716 ( peso muito baixo para a idade) e 145.318 (peso baixo para a idade); • Taxa de mortalidade infantil (menores de um ano de idade) - 12,7 em 2016, (para cada mil nascidos vivos); • Taxa de cobertura em creche no Brasil – 27,1%; • Trabalho infantil - População ocupada entre cinco e 17 anos de idade em 2016; • Outras: necessidades especiais, doenças mentais, abuso de substâncias e cigarro (mortalidade de adolescentes) • Desafios de saúde que afetam bebês, crianças, adolescentes e suas famílias constituem as demandas apresentadas ao Sistema de saúde e seus profissionais.
  • 5. Competências do enfermeiro pediatra generalista: domínios centrais 1. PAPEL DO ENFERMEIRO PEDIATRA 2. CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO 3. CUIDADO CENTRADO NA FAMÍLIA
  • 6. Avaliação: completa e abrangente – física, crescimento e desenvolvimento, psicossocial, cultural e ambiente; Plano de cuidado: usar o processo de enfermagem para sintetizar e priorizar os dados e criar um plano de cuidado individualizado e centrado na criança e na família; Pensamento crítico: habilidades par analisar, sintetizar, aplicar e avaliar dados em conjunto com informações sobre processos de doença e evidências científicas; Comunicação: interagir colaborativamente com a criança, família e outros profissionais; Pratica ética: defender e promover a profissão; compromisso com princípios e comportamentos éticos: verdade, fidelidade, integridade, imparcialidade e compromisso; garantir direitos da criança e da família: privacidade e proteção Profissionalismo: autoavaliação continuada da prática – áreas de força e áreas de fragilidade 1. Papel do enfermeiro pediatra- competências
  • 8. 1. Cuidado fisiológico e holístico: compreender a fisiologia pediátrica e os princípios de crescimento e desenvolvimento para cuidado individualizado; • 2. Promoção da saúde: participar da educação de crianças e famílias para promover saúde, prevenção de doenças e danos e ótimo desenvolvimento; 3. Qualidade de vida: identificar barreiras atuais e potenciais para a vida plena da criança – visão interdisciplinar; ambiente apto a suportar necessidades físicas, cognitivas, psicoemocionais, interacionais; • 4. Defesa: atuar em nome da criança e da família, capacitando-as durante transições inerentes ao processo saúde- doença. 2.Crescimento e desenvolvimento- competências
  • 9. Society of Pediatric Nurses,2017
  • 10. • É uma abordagem que reconhece a importância da família como o foco fundamental de todas as intervenções de cuidado em saúde. • O elemento central desta abordagem de cuidado é o relacionamento entre famílias e profissionais de saúde, o qual deve ser alicerçado na parceria, colaboração e • A participação da família nos cuidados à criança é reconhecida como essencial para o atendimento de suas necessidades e para o bem-estar de toda a família. Cruz; Angelo,2011 Cuidado Centrado na Família: negociação.
  • 11. Foco – relacionamento entre famílias e profissionais de saúde 3. Cuidado centrado na criança e na família- competências • Sensibilidade cultural: aprender, respeitar e integrar valores, crenças, rituais e cultura da criança e da família, adaptando-os ao plano de cuidado; • Colaboração: envolver a criança e família nas decisões relacionadas ao cuidado, facilitando a participação da família; • Proteção: reconhecer a família como expert no cuidado da criança e adaptar o cuidado ara manter papeis familiares, preferências e rotinas; empoderar a família a manter o papel de cuidador, participando e tomando decisões.
  • 12. Qualidades do profissional de Enfermagem em Pediatria Bom observador Honesto e verdadeiro Compreensivo, gentil, paciente e alegre Ama trabalhar com crianças Interessado no cuidado da família Capaz de fornecer orientações, de ensinar crianças e suas famílias
  • 13. CONHECENDO A PROFISSÃO DE ENFERMAGEM Entre as principais funções do técnico em enfermagem está o atendimento aos pacientes da unidade hospitalar, sendo ele um profissional imprescindível à assistência, prevenção de complicações e recuperação da pessoa necessitada, considerando sempre a segurança e a humanização. É uma atividade que vem ganhando cada vez mais espaço, graças às inúmeras possibilidades de atuação, por exemplo, hospitais, clínicas, abrigos, creches, casas de repouso, laboratórios de análises clínicas e unidades de diagnóstico, consultórios médicos, abrigo, redes ambulatoriais, home care, entre outros. Pensando na sua importância e no crescimento de oportunidades para os profissionais que buscam a inserção no mercado de trabalho, elaboramos este post para explicar um pouco mais sobre essa profissão tão necessária, que é a de técnico em enfermagem. Acompanhe! Qual é a diferença entre enfermeiro, técnico em enfermagem e auxiliar de enfermagem? Existem três alternativas para quem pretende trabalhar na área da enfermagem. É muito importante que você entenda cada uma delas para evitar qualquer tipo de dúvida. Veja a seguir: • enfermeiro: trata-se do profissional com graduação em enfermagem, curso superior que geralmente tem a duração de cinco anos; • técnico em enfermagem: é o profissional formado em um curso técnico, cuja duração aproximada é de dois anos e exige a formação no ensino médio completo; • auxiliar de enfermagem: é o profissional que fez o curso de auxiliar de enfermagem, que exige, no mínimo, a conclusão do ensino fundamental.
  • 14. Especialização é o segredo para se valorizar no mercado. É importante aprender tudo sobre como é o trabalho da Enfermagem em Pediatria.
  • 16. Conclusão: A enfermagem pediátrica é uma área importante que se dedica ao cuidado das crianças desde o nascimento até a adolescência. Tanto o enfermeiro pediatra quanto o técnico em enfermagem desempenham papéis importantes na prestação de cuidados às crianças e suas famílias.
  • 18. 1. O que é enfermagem pediátrica? 2. Quais são as principais competências do enfermeiro pediatra? 3. Qual é o papel do enfermeiro pediatra no cuidado da criança? 4. Como o técnico em enfermagem atua na enfermagem pediátrica? 5. Quais são as principais funções do técnico em enfermagem na enfermagem pediátrica? 6. Qual é a importância da supervisão do técnico em enfermagem pelo enfermeiro? 7. Quais são as principais áreas de atuação do técnico em enfermagem na enfermagem pediátrica? 8. Qual é a importância da especialização em enfermagem pediátrica para o técnico em enfermagem? 9. Como a família pode ser envolvida no cuidado da criança na enfermagem pediátrica? 10.Quais são os principais desafios enfrentados pelos profissionais de enfermagem na área pediátrica? 11.Como a tecnologia pode ser utilizada para melhorar o cuidado da criança na enfermagem pediátrica? 12.Quais são as principais medidas preventivas que podem ser adotadas para promover a saúde da criança na enfermagem pediátrica? 13.Como a comunicação pode ser utilizada para melhorar o cuidado da criança na enfermagem pediátrica? 14.Quais são os principais aspectos éticos envolvidos no cuidado da criança na enfermagem pediátrica? 15.Como a equipe de saúde pode trabalhar em conjunto para promover o bem-estar da criança na enfermagem pediátrica? 16.Quais são as principais diferenças entre o cuidado da criança e do adulto na enfermagem? 17.Como a dor pode ser avaliada e tratada na criança na enfermagem pediátrica? 18.Quais são os principais aspectos culturais que devem ser considerados no cuidado da criança na enfermagem pediátrica? 19.Como a educação em saúde pode ser utilizada para promover o bem-estar da criança e sua família na enfermagem pediátrica? 20.Qual é a importância do trabalho em equipe na promoção do bem-estar da criança na enfermagem pediátrica?