SlideShare uma empresa Scribd logo
Secretaria Extraordinária da Reforma Tributária
Ministério da Fazenda
Reforma Tributária
Para o Brasil crescer, ela precisa acontecer.
ATUALIZADO EM 14/11/2023
Inclui alterações promovidas pelo Senado Federal
Objetivos e fases da Reforma
OBJETIVOS
2
Fazer a economia brasileira
crescer de forma
sustentável, gerando
emprego e renda
Tornar nosso sistema
tributário mais justo,
reduzindo as desigualdades
sociais e regionais
Reduzir a complexidade da
tributação, assegurando
transparência e provendo
maior cidadania fiscal
FASES
FASE 1:
Reforma da tributação
sobre o CONSUMO
FASE 2:
Reforma da tributação
sobre a RENDA e a FOLHA
TODO O PERÍODO
Ajustes na tributação sobre o
PATRIMÔNIO
Consenso: do jeito que está, não dá!
O SISTEMA
BRASILEIRO
SOBRE O
PIOR
DO MUNDO
• Complexidade excessiva
• Falta de transparência
• Conflitos de competência
• Tensões federativas
• Elevado grau de litígio e insegurança jurídica
• Desigualdades regionais e sociais
• Deterioração do ambiente de negócios
O BRASIL CRESCE MENOS DO QUE PODERIA
DE TRIBUTAÇÃO
CONSUMO É O
• Ineficiências alocativas
3
• Aumento do custo dos investimentos
• Prejuízo à competitividade dos produtos brasileiros
O que a Reforma Tributária faz?
1
Cria o Imposto Seletivo, de caráter regulatório
2
Mantém a carga tributária total sobre o consumo
3
Adota alíquota padrão como regra geral
4
5
6
7
8
O que a
?
Reforma
9
10
Substitui 5 tributos por um IVA Dual de padrão internacional
(a CBS, federal, e o IBS, de estados e municípios, substituirão PIS, Cofins, IPI, ICMS e ISS)
Define regimes favorecidos para determinados bens e serviços
Define regimes específicos para determinados bens e serviços
Preserva a Zona Franca de Manaus
Melhora a situação das empresas do SIMPLES
4
Torna o sistema mais justo com o cashback do povo
Cria a Cesta Básica Nacional de Alimentos
O que a Reforma Tributária faz?
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
5
Mantém as vinculações e partilhas constitucionais
(FPE, FPM, FPEX, Educação e Fundeb, Saúde, FCO, FNE, FNO, cota-parte dos municípios, FAT/BNDES)
Amplia a base de incidência do IPVA para alcançar veículos aéreos e aquáticos
Permite a atualização periódica da base de cálculo do IPTU
Assegura a progressividade do ITCMD e aperfeiçoa sua legislação
O que a
?
Reforma
Cria o Fundo Nacional de Desenvolvimento Regional (FNDR)
Prevê uma transição segura para o novo modelo
Cria o Fundo de Compensação dos Benefícios Fiscais
Cria um modelo de cobrança integrado e eficiente
Assegura a devolução dos saldos credores dos tributos atuais
Fortalece o Pacto Federativo
O que a Reforma Tributária faz?
IVA Dual
CBS
FEDERAL
(substitui PIS,
Cofins e IPI)
IBS
SUBNACIONAL
(substitui
ICMS e ISS)
PIS
Cofins
ICMS
ISS
IPI
HOJE APÓS A REFORMA
A Reforma Tributária substitui
5 tributos extremamente
disfuncionais – PIS, Cofins, ICMS, ISS
e IPI – por um IVA Dual de padrão
internacional, composto pela
Contribuição sobre Bens e Serviços
(CBS), federal, e pelo Imposto sobre
Bens e Serviços (IBS), subnacional
(de estados e municípios).
6
1. SUBSTITUI 5 TRIBUTOS POR UM IVA DUAL DE PADRÃO INTERNACIONAL
O que a Reforma Tributária faz?
IVA Dual
CBS
FEDERAL
(substitui PIS,
Cofins e IPI)
IBS
SUBNACIONAL
(substitui
ICMS e ISS)
APÓS A REFORMA
A CBS e o IBS terão os mesmos:
• Fatos geradores, bases de cálculo, hipóteses de
não incidência e sujeitos passivos
• Imunidades
• Regimes específicos, diferenciados ou favorecidos
de tributação
• Regras de não cumulatividade e creditamento
7
a serem definidos numa só lei complementar
1. SUBSTITUI 5 TRIBUTOS POR UM IVA DUAL DE PADRÃO INTERNACIONAL
A CBS e o IBS terão as características
de um IVA de padrão internacional,
recomendado pela OCDE e pelo Banco Mundial:
O que a Reforma Tributária faz?
1. SUBSTITUI 5 TRIBUTOS POR UM IVA DUAL DE PADRÃO INTERNACIONAL
• Base ampla de incidência
• Tributação no destino
• Não cumulatividade plena
8
174
países
usam o IVA
• Legislação uniforme
• Cobrança “por fora”
• Rápida devolução dos créditos
acumulados
• Desoneração dos investimentos
• Desoneração das exportações
• Incidência sobre importações
Em linha com as melhores
2. CRIA O IMPOSTO SELETIVO,
O Imposto Seletivo terá caráter
extrafiscal, incidência monofásica e
será instituído por lei complementar,
a qual detalhará as mercadorias e os
serviços sobre os quais incidirá.
práticas internacionais, a Reforma Tributária
de mercadorias e serviços prejudiciais
cria o Imposto Seletivo, federal, para
desestimular o consumo
à SAÚDE e ao MEIO AMBIENTE.
O que a Reforma Tributária faz?
DE CARÁTER REGULATÓRIO
9
Quando incidir sobre a extração, o imposto
poderá ser cobrado na exportação e terá
alíquota máxima de 1%.
Durante o período de transição, as alíquotas de
referência do IBS e da CBS serão revisadas
anualmente pelo Senado Federal com vistas à
manutenção da carga tributária.
3. MANTÉM A CARGA TRIBUTÁRIA
TOTAL SOBRE O CONSUMO
O que a Reforma Tributária faz?
10
4. ADOTA ALÍQUOTA PADRÃO
COMO REGRA GERAL
REGRA GERAL:
para todos os bens materiais
Adoção de alíquota padrão
e imateriais, inclusive direitos,
As alíquotas de referência do IBS e da CBS serão
fixadas pelo Senado Federal.
Essas alíquotas prevalecerão caso os entes
federativos não fixem suas próprias alíquotas em
lei específica.
e serviços.
O contribuinte vai pagar o que
já paga hoje, só que agora de
forma simples e transparente.
Trava da carga: ao final da transição as
alíquotas de referência serão reduzidas,
caso a carga tributária como proporção do
PIB exceda à média do período 2012-2021.
O que a Reforma Tributária faz?
11
5. DEFINE REGIMES ESPECÍFICOS PARA DETERMINADOS BENS E SERVIÇOS
Regimes específicos são aqueles em que o modelo de apuração difere do padrão
do IVA, não necessariamente significando um regime mais benéfico.
• Combustíveis e lubrificantes
• Operações com bens imóveis
• Serviços financeiros
• Sociedades cooperativas
• Planos de assistência à saúde
• Concursos de prognósticos
• Serviços de transporte coletivo de
passageiros rodoviário intermunicipal e
interestadual, ferroviário, hidroviário e aéreo
• Saneamento e concessões de rodovias
• Serviços de hotelaria, agências de viagens e
turismo, parques de diversão e temáticos, bares,
restaurantes e SAF
• Disponibilização de estrutura compartilhada de
serviços de telecomunicações
• Economia circular
• Micro e minigeração distribuída de energia elétrica
• Tratados ou convenções internacionais
O que a Reforma Tributária faz?
6. DEFINE REGIMES FAVORECIDOS PARA DETERMINADOS BENS E SERVIÇOS
• Insumos e produtos agropecuários
• Alimentos, higiene pessoal e limpeza
• Comunicação, cultura nacional e esporte
• Educação
• Saúde, medicamentos e equipamentos médicos
• Soberania e segurança nacional
• Transporte coletivo rodoviário e metroviário
urbano, semiurbano e metropolitano
Também haverá uma alíquota
intermediária (70% da alíquota
padrão) para serviços de profissões
regulamentadas.
12
Alíquota de 40% da alíquota-padrão para:
Regime automotivo: permite créditos
presumidos de CBS para a produção
de veículos no NE e CO, com phase
out de 2029 a 2032.
7. CRIA A CESTA BÁSICA NACIONAL
O que a Reforma Tributária faz?
A Reforma cria a cesta básica nacional de
alimentos, que terá alíquota zero de CBS e
IBS, e que considerará aspectos regionais e
alimentação saudável e nutricionalmente
adequada. Os itens que comporão esta
cesta serão definidos em lei complementar.
Cria também a cesta básica estendida, com
alíquota reduzida (40% da alíquota-padrão)
e cashback.
DE ALIMENTOS
13
8. TORNA O SISTEMA MAIS JUSTO
COM O CASHBACK DO POVO
A Reforma possibilita a devolução aos
consumidores de parte da CBS e do IBS
incidentes sobre as mercadorias e serviços que
consumirem, beneficiando sobretudo quem
tem renda mais baixa.
Já prevê a implementação do cashback para a
cesta básica estendida, o gás de cozinha e para
a conta de luz da população de baixa renda.
9. PRESERVA A
ZONA FRANCA DE MANAUS
10. MELHORA A SITUAÇÃO DAS
O que a Reforma Tributária faz?
• As empresas enquadradas no SIMPLES
poderão optar por:
‐ Recolher IBS e CBS segundo as regras do
SIMPLES, caso em poderão transferir créditos
correspondentes ao que foi recolhido neste
regime OU
‐ Recolher IBS e CBS pelo regime normal de
apuração, podendo apropriar e transferir
créditos integralmente, mantendo-se no
SIMPLES em relação aos demais tributos
• A Reforma reduz a necessidade da
substituição tributária, que hoje onera as
empresas do Simples
14
O tratamento tributário favorecido aos bens
produzidos na Zona Franca de Manaus (ZFM) poderá
ser implementado mediante:
• Alteração das alíquotas e das regras de
creditamento do IBS e CBS
• Uso de uma Contribuição de Intervenção no
Domínio Econômico específica, cujos recursos
serão utilizados na subvenção à produção na
ZFM e no Fundo de Sustentabilidade
EMPRESAS DO SIMPLES
Criação do Fundo de Sustentabilidade e
Diversificação Econômica do Estado do Amazonas,
financiado pela União, para fomentar o
desenvolvimento e a diversificação das atividades
econômicas na região.
11. CRIA UM MODELO DE
COBRANÇA INTEGRADO E EFICIENTE
ATRIBUIÇÕES DO COMITÊ GESTOR DO IBS:
A instância máxima de deliberação do Comitê Gestor
será composta de forma PARITÁRIA por:
• 27 membros representando cada Estado e o DF
• 27 membros representando os municípios e o DF
As deliberações do Comitê Gestor serão aprovadas caso
obtenham, cumulativamente:
• Estados e DF: maioria absoluta dos votos + votos de entes
que correspondam a mais de 50% da população
• Municípios e DF: maioria absoluta dos votos
O Comitê Gestor do IBS terá caráter
O que a Reforma Tributária faz?
15
• Editar regulamento único e uniformizar a
interpretação e a aplicação da legislação do imposto
• Arrecadar o imposto, efetuar as compensações e
distribuir as receitas
• Decidir o contencioso administrativo
O Comitê também assegurará a
rápida devolução dos créditos de
IBS aos contribuintes.
eminentemente técnico e será gerido
conjuntamente pelos Estados e Municípios,
que manterão autonomia na fiscalização e
na defesa dos seus interesses.
2029 a 2032
O que a Reforma Tributária faz?
12. PREVÊ UMA TRANSIÇÃO SEGURA
PARA O NOVO MODELO
2023 2024 e 2025 2026 2027 2033
• Emenda
Constitucional
da Reforma
Tributária
• Leis Complementares que
regulamentam:
‐ o IBS e a CBS
‐ o Comitê Gestor do IBS
‐ o Fundo de
Desenvolvimento
Regional
‐ o Imposto Seletivo
• Desenvolvimento do sistema
de cobrança da CBS e do IBS
• Ano teste da CBS, à
alíquota de 0,9%, e do
IBS, à alíquota de
0,1%, compensáveis
com PIS/Cofins
• O recolhimento dos
tributos pode ser
dispensado caso o
contribuinte cumpra
as obrigações
acessórias
• Cobrança da CBS
e extinção do PIS
e da Cofins
• Extinção do IPI
• Instituição do
Imposto Seletivo
• Instituição da
“Cide ZFM”
• Transição ICMS e do ISS
para o IBS via aumento
gradual da alíquota do
IBS e redução gradual das
alíquotas do ICMS e do
ISS:
‐ 10% em 2029
‐ 20% em 2030
‐ 30% em 2031
‐ 40% em 2032
‐ 100% em 2033
• Vigência
integral do
novo modelo
e extinção do
ICMS e do ISS
16
13. FORTALECE O PACTO FEDERATIVO
A Reforma Tributária:
• Garante a autonomia dos entes federativos, pois cada estado e cada município poderá
definir sua alíquota padrão do Imposto sobre Bens e Serviços (IBS).
• Acaba com a Guerra Fiscal.
O que a Reforma Tributária faz?
A transição de 50 anos na
distribuição da receita,
aliada aos efeitos
econômicos da Reforma,
possibilita ganhos para
praticamente todos os
entes federados.
De 2029 a 2078
Uma parcela decrescente da receita
será distribuída conforme a
participação atual na receita total e
uma parcela crescente será
distribuída considerando os efeitos
da Reforma.
17
Seguro-receita
5% da parcela do IBS
distribuída pelo destino é
usada para compensar os
entes com maior queda de
participação no total da receita
13. FORTALECE O PACTO FEDERATIVO
O que a Reforma Tributária faz?
18
A Reforma abre a opção para os Estados
que já possuem contribuições sobre
produtos primários, vinculadas a
benefícios do ICMS, a sua manutenção
até 2043, vedando a ampliação da base
de incidência e da alíquota.
Nas compras governamentais, o produto
da arrecadação do imposto será
integralmente destinado ao ente federativo
contratante, via redução da alíquota dos
demais entes e elevação proporcional da
alíquota do ente contratante.
Prevê-se ainda a possibilidade de redução
uniforme das alíquotas nas compras
governamentais.
O que a Reforma Tributária faz?
14. CRIA O FUNDO DE COMPENSAÇÃO
A Reforma Tributária
proporciona
segurança jurídica
para as empresas que receberam
benefícios fiscais por prazo certo
e sob condição onerosa.
19
DOS BENEFÍCIOS FISCAIS
O Fundo será financiado com recursos
da União, da seguinte forma:
2028
2027
2026
2025
R$ 32 bi
R$ 24 bi
R$ 16 bi
R$ 8 bi
2032
2031
2030
2029
R$ 8 bi
R$ 16 bi
R$ 24 bi
R$ 32 bi
Os recursos deste Fundo serão disponibilizados
às empresas a partir de 2029, quando terá início
a redução gradual dos incentivos em
decorrência da redução das alíquotas do ICMS.
Os benefícios não industriais serão reduzidos no
mesmo ritmo das alíquotas do ICMS e dos
benefícios industriais, mas não terão cobertura
por parte do Fundo de Compensação de
Benefícios (pois sua redução já estava prevista
na Lei Complementar 160/2017).
15. CRIA O FUNDO NACIONAL DE
Os recursos do FNDR poderão ser destinados a:
Fomento
a atividades
produtivas
Infraestrutura
Inovação e difusão
de tecnologias
Desenvolvimento
científico e
tecnológico
O FNDR será financiado com recursos
orçamentários da União, da seguinte forma:
O que a Reforma Tributária faz?
20
2033
2032
2031
2030
2029
R$ 40 bi
R$ 32 bi
R$ 24 bi
R$ 16 bi
R$ 8 bi
DESENVOLVIMENTO REGIONAL (FNDR)
O FNDR será um instrumento
desigualdades regionais
Prioridade a projetos com ações de
preservação ambiental
efetivo para redução das
A partir de 2043
De 2034 a 2042
R$ 60 bi por ano
+ R$ 2 bi por ano
Critérios de distribuição:
• 70% de acordo com critérios do FPE
• 30% com base na população do estado
O que a Reforma Tributária faz?
26
16. MANTÉM AS VINCULAÇÕES E
PARTILHAS CONSTITUCIONAIS
A Reforma mantém todas as partilhas e
vinculações constitucionais existentes:
• FPE, FPM, e FPEX
• FCO, FNE e FNO
• Educação e FUNDEB
21
• Saúde
• FAT/BNDES
• Cota-parte dos municípios
A cota-parte dos municípios no IBS será distribuída:
• 80% proporcionalmente à população
• 10% com base em indicadores de melhoria nos resultados
da aprendizagem, nos termos da lei estadual
• 5% com base em indicadores de preservação ambiental
• 5% em montantes iguais para os municípios do estado
17. ASSEGURA A DEVOLUÇÃO DOS
DOS TRIBUTOS ATUAIS
• O saldo dos créditos de PIS e Cofins poderá ser
compensado com a CBS ou, nos casos em que
já ocorre hoje, com outros tributos federais ou
ressarcido em dinheiro.
• O saldo dos créditos homologados de ICMS
será compensado com o IBS em até 240
parcelas, com correção monetária a partir de
2033, nos termos da lei complementar.
• É assegurada a possibilidade de:
‐ transferência dos saldos credores
‐ ressarcimento caso não seja compensado
SALDOS CREDORES ACUMULADOS
A CIDE-Combustíveis poderá subvencionar o
transporte público coletivo de passageiros
O que a Reforma Tributária faz?
18. AMPLIA A BASE DO IPVA PARA ALCANÇAR
VEÍCULOS AÉREOS E AQUÁTICOS
A Reforma amplia a base de incidência do IPVA, de
modo a incluir veículos aquáticos e aéreos, como
lanchas e jatinhos. A ampliação não alcança
aeronaves agrícolas e embarcações de transporte
aquaviário e de pesca.
Inclui a possibilidade de o IPVA ser progressivo em
razão do valor e do impacto ambiental do veículo.
A Reforma
também inclui
aperfeiçoamentos
na tributação
sobre o
PATRIMÔNIO
22
• Permite aos Estados cobrarem o imposto sobre heranças e
doações (ITCMD) nos casos em que os ativos estão no
exterior ou em que o doador/de cujus é residente no
exterior, suprindo a falta de lei complementar
• Define de forma mais clara que o Estado competente para
cobrar o ITCMD sobre herança com inventário extrajudicial
será o do domicílio do de cujus
• Assegura a progressividade das alíquotas, com base no
valor da doação ou herança, observada a alíquota máxima
definida por Resolução do Senado Federal
O que a Reforma Tributária faz?
19. PERMITE A ATUALIZAÇÃO
PERIÓDICA DA BASE
20. ASSEGURA A PROGRESSIVIDADE DO ITCMD
E APERFEIÇOA SUA LEGISLAÇÃO
DE CÁLCULO DO IPTU
O Imposto sobre Propriedade
Predial e Territorial Urbana
(IPTU) poderá ter sua base de
cálculo atualizada por decreto,
conforme critérios definidos em
lei municipal.
23
Fonte: Domingues e Cardoso (2021), com base em Borges (2019).
Dados correspondem ao impacto direto em 15 anos.
Impacto da Reforma sobre a Economia A Reforma Tributária gerará o
crescimento adicional da economia
(PIB) de 12% ou mais em 15 anos.
Hoje, isso representaria R$ 1,2 trilhão
a mais no PIB a preços de 2022.
Otimista
Conservador
Variáveis
20,0
12,0
var. % real
PIB
24,2
12,6
var. % real
Consumo
Famílias
25,0
20,3
var. % real
Investimento
17,4
11,7
var. % real
Exportações
15,6
9,5
var. % real
Importações
12,6
7,5
var. % real
Trabalho
Ou seja, se a Reforma
tivesse sido aprovada há
15 anos, cada brasileiro
teria hoje, em média, mais
R$ 490 por mês de renda
Todos ganham com a Reforma Tributária
24
Impacto da Reforma sobre o PIB Setorial
Fonte: Domingues e Cardoso (2021), com base em Borges (2019).
Dados correspondem ao impacto direto em 15 anos.
Mesmo se a alíquota
Otimista
Conservador
Setor
18,2
10,6
Agropecuária
25,7
16,6
Indústria
18,0
10,1
Serviços
24,3
19,5
Construção
17,9
5,2
Educação Privada
17,6
6,2
Saúde Privada
fosse igual para todos os
todos os setores
seriam beneficiados
pela Reforma
Todos ganham com a Reforma Tributária
25
bens e serviços,
Receita per capita dos municípios
Fonte: Gobetti, Sérgio (2023).
Receita de ISS e cota-parte. Dados relativos a 2021. Exclui DF.
Pós-reforma
Atual
R$ 6.493
R$ 14.815
Máximo
R$ 429
R$ 74
Mínimo
15
200
Máx/Mín
A Reforma reduz
significativamente
as desigualdades
regionais
Todos ganham com a Reforma Tributária
26
Considerando os tributos abarcados
pela Reforma, a diferença de receitas
entre os municípios mais ricos e os
mais pobres, que hoje é de 200 vezes,
será reduzida para 15 vezes.
Evolução do Poder de Compra
por Faixa de Renda
A Reforma amplia o
poder de compra de
mais pobres
Otimista
Conservador
Faixa de Renda
17,5%
10,2%
0-1 s.m.
17,4%
10,1%
1-2 s.m.
17,4%
10,0%
2-3 s.m.
17,3%
9,8%
3-5 s.m.
17,1%
9,6%
5-6 s.m.
17,0%
9,4%
6-8 s.m.
16,9%
9,3%
8-10 s.m.
16,7%
9,0%
10-15 s.m.
16,2%
8,5%
15-20 s.m.
16,3%
8,4%
20-30 s.m.
16,1%
8,1%
maior 30 s.m.
todos os brasileiros,
em especial dos
Todos ganham com a Reforma Tributária
27
Fonte: Domingues e Cardoso (2021), com base em Borges (2019).
Dados correspondem ao impacto direto em 15 anos.
Acesse e confira:
gov.br/reformatributaria

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apostila Gerenciamento de Escopo em Projetos
Apostila Gerenciamento de Escopo em ProjetosApostila Gerenciamento de Escopo em Projetos
Apostila Gerenciamento de Escopo em Projetos
Léo De Melo
 
Direito do Consumidor - Relação de Consumo (consumidor, produto, serviço)
Direito do Consumidor - Relação de Consumo (consumidor, produto, serviço)Direito do Consumidor - Relação de Consumo (consumidor, produto, serviço)
Direito do Consumidor - Relação de Consumo (consumidor, produto, serviço)
Guido Cavalcanti
 
Prototipagem
PrototipagemPrototipagem
Prototipagem
Robson Santos
 
O Papel do Product Owner
O Papel do Product OwnerO Papel do Product Owner
O Papel do Product Owner
Marcia Maia
 
Projeto Construção Clube
Projeto Construção ClubeProjeto Construção Clube
Projeto Construção Clube
Marco Coghi
 
Direito civil resumo Pessoas Naturais e morte presumida
Direito civil resumo Pessoas Naturais e morte presumida Direito civil resumo Pessoas Naturais e morte presumida
Direito civil resumo Pessoas Naturais e morte presumida
Geraldo Batista
 
Direito civil ii
Direito civil iiDireito civil ii
Direito civil ii
railsoncsilva
 
Modalidades obrigações powerpoint
Modalidades obrigações powerpointModalidades obrigações powerpoint
Modalidades obrigações powerpoint
Pedro Cechet
 
Startup Sorocaba: Palestra Sebrae "Conexão com Especialistas" - MVP
Startup Sorocaba: Palestra Sebrae "Conexão com Especialistas" - MVP Startup Sorocaba: Palestra Sebrae "Conexão com Especialistas" - MVP
Startup Sorocaba: Palestra Sebrae "Conexão com Especialistas" - MVP
Startup Sorocaba
 
Aula 02 direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo i
Aula 02   direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo iAula 02   direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo i
Aula 02 direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo i
Urbano Felix Pugliese
 
1 introdução ao direito do consumidor
1   introdução ao direito do consumidor1   introdução ao direito do consumidor
1 introdução ao direito do consumidor
Antonio Moreira
 
Direito civil parte Geral.
Direito civil parte Geral.Direito civil parte Geral.
Direito civil parte Geral.
Kleper Gomes
 
GESTÃO DE SUPRIMENTOS
GESTÃO DE SUPRIMENTOSGESTÃO DE SUPRIMENTOS
GESTÃO DE SUPRIMENTOS
EXPEDITO SILVA
 
Empreendedorismo - Oque é ? Origem e Evolução
Empreendedorismo - Oque é ? Origem e EvoluçãoEmpreendedorismo - Oque é ? Origem e Evolução
Empreendedorismo - Oque é ? Origem e Evolução
Opengo,Espro,AllNet, Led Informática, Instituto Dom Bosco
 
Processesamento de pedidos
Processesamento de pedidosProcessesamento de pedidos
Processesamento de pedidos
Caique Souza
 
Prototipos de Baixa e Alta Fidelidade
Prototipos de Baixa e Alta FidelidadePrototipos de Baixa e Alta Fidelidade
Prototipos de Baixa e Alta Fidelidade
Erico Fileno
 
Aula 6 - Ataques de Negação de Serviço (DoS e D-DoS)
Aula 6 - Ataques de Negação de Serviço (DoS e D-DoS)Aula 6 - Ataques de Negação de Serviço (DoS e D-DoS)
Aula 6 - Ataques de Negação de Serviço (DoS e D-DoS)
Carlos Henrique Martins da Silva
 
IHC - Slide 2 - Usabilidade e Princípios de Design
IHC - Slide 2 - Usabilidade e Princípios de DesignIHC - Slide 2 - Usabilidade e Princípios de Design
IHC - Slide 2 - Usabilidade e Princípios de Design
Márcio Darlen Lopes Cavalcante
 
DPP - Aula 1 - Introdução
DPP - Aula 1 - IntroduçãoDPP - Aula 1 - Introdução
DPP - Aula 1 - Introdução
direitoturmamanha
 
Inadimplência no Brasil - 2019
Inadimplência no Brasil - 2019Inadimplência no Brasil - 2019
Inadimplência no Brasil - 2019
Bruno Katekawa
 

Mais procurados (20)

Apostila Gerenciamento de Escopo em Projetos
Apostila Gerenciamento de Escopo em ProjetosApostila Gerenciamento de Escopo em Projetos
Apostila Gerenciamento de Escopo em Projetos
 
Direito do Consumidor - Relação de Consumo (consumidor, produto, serviço)
Direito do Consumidor - Relação de Consumo (consumidor, produto, serviço)Direito do Consumidor - Relação de Consumo (consumidor, produto, serviço)
Direito do Consumidor - Relação de Consumo (consumidor, produto, serviço)
 
Prototipagem
PrototipagemPrototipagem
Prototipagem
 
O Papel do Product Owner
O Papel do Product OwnerO Papel do Product Owner
O Papel do Product Owner
 
Projeto Construção Clube
Projeto Construção ClubeProjeto Construção Clube
Projeto Construção Clube
 
Direito civil resumo Pessoas Naturais e morte presumida
Direito civil resumo Pessoas Naturais e morte presumida Direito civil resumo Pessoas Naturais e morte presumida
Direito civil resumo Pessoas Naturais e morte presumida
 
Direito civil ii
Direito civil iiDireito civil ii
Direito civil ii
 
Modalidades obrigações powerpoint
Modalidades obrigações powerpointModalidades obrigações powerpoint
Modalidades obrigações powerpoint
 
Startup Sorocaba: Palestra Sebrae "Conexão com Especialistas" - MVP
Startup Sorocaba: Palestra Sebrae "Conexão com Especialistas" - MVP Startup Sorocaba: Palestra Sebrae "Conexão com Especialistas" - MVP
Startup Sorocaba: Palestra Sebrae "Conexão com Especialistas" - MVP
 
Aula 02 direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo i
Aula 02   direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo iAula 02   direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo i
Aula 02 direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo i
 
1 introdução ao direito do consumidor
1   introdução ao direito do consumidor1   introdução ao direito do consumidor
1 introdução ao direito do consumidor
 
Direito civil parte Geral.
Direito civil parte Geral.Direito civil parte Geral.
Direito civil parte Geral.
 
GESTÃO DE SUPRIMENTOS
GESTÃO DE SUPRIMENTOSGESTÃO DE SUPRIMENTOS
GESTÃO DE SUPRIMENTOS
 
Empreendedorismo - Oque é ? Origem e Evolução
Empreendedorismo - Oque é ? Origem e EvoluçãoEmpreendedorismo - Oque é ? Origem e Evolução
Empreendedorismo - Oque é ? Origem e Evolução
 
Processesamento de pedidos
Processesamento de pedidosProcessesamento de pedidos
Processesamento de pedidos
 
Prototipos de Baixa e Alta Fidelidade
Prototipos de Baixa e Alta FidelidadePrototipos de Baixa e Alta Fidelidade
Prototipos de Baixa e Alta Fidelidade
 
Aula 6 - Ataques de Negação de Serviço (DoS e D-DoS)
Aula 6 - Ataques de Negação de Serviço (DoS e D-DoS)Aula 6 - Ataques de Negação de Serviço (DoS e D-DoS)
Aula 6 - Ataques de Negação de Serviço (DoS e D-DoS)
 
IHC - Slide 2 - Usabilidade e Princípios de Design
IHC - Slide 2 - Usabilidade e Princípios de DesignIHC - Slide 2 - Usabilidade e Princípios de Design
IHC - Slide 2 - Usabilidade e Princípios de Design
 
DPP - Aula 1 - Introdução
DPP - Aula 1 - IntroduçãoDPP - Aula 1 - Introdução
DPP - Aula 1 - Introdução
 
Inadimplência no Brasil - 2019
Inadimplência no Brasil - 2019Inadimplência no Brasil - 2019
Inadimplência no Brasil - 2019
 

Semelhante a Cartilha sobre a Reforma Tributária - Ministério da Fazenda

Proposta de Reforma do Modelo Brasileiro de Tributação de Bens e Serviços
Proposta de Reforma do Modelo Brasileiro de Tributação de Bens e ServiçosProposta de Reforma do Modelo Brasileiro de Tributação de Bens e Serviços
Proposta de Reforma do Modelo Brasileiro de Tributação de Bens e Serviços
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Momento fiscal 2019
Momento fiscal 2019Momento fiscal 2019
Momento fiscal 2019
Elisângela Cristina Damasco
 
Cartilha sobre Reforma Tributária - Ministério da Fazenda - 2008
Cartilha sobre Reforma Tributária - Ministério da Fazenda - 2008Cartilha sobre Reforma Tributária - Ministério da Fazenda - 2008
Cartilha sobre Reforma Tributária - Ministério da Fazenda - 2008
Roberto Dias Duarte
 
Projeto Brasil Forte
Projeto Brasil ForteProjeto Brasil Forte
Projeto Brasil Forte
Formigascommegafone
 
A difícil reforma tributária: desafios políticos, conceituais e práticos - Be...
A difícil reforma tributária: desafios políticos, conceituais e práticos - Be...A difícil reforma tributária: desafios políticos, conceituais e práticos - Be...
A difícil reforma tributária: desafios políticos, conceituais e práticos - Be...
Fundação Fernando Henrique Cardoso
 
Proposta de reforma tributária solidária
Proposta de reforma tributária solidáriaProposta de reforma tributária solidária
Proposta de reforma tributária solidária
Paulo Souza
 
23º ENCONTRO DE LÍDERES DO MERCADO SEGURADOR - LUIZ CARLOS HAULY
23º ENCONTRO DE LÍDERES DO MERCADO SEGURADOR - LUIZ CARLOS HAULY	23º ENCONTRO DE LÍDERES DO MERCADO SEGURADOR - LUIZ CARLOS HAULY
23º ENCONTRO DE LÍDERES DO MERCADO SEGURADOR - LUIZ CARLOS HAULY
CNseg
 
POR UMA REFORMA TRIBUTÁRIA QUE GARANTA JUSTIÇA FISCAL E DESENVOLVIMENTO ECO...
POR UMA REFORMA TRIBUTÁRIA QUE GARANTA JUSTIÇA FISCAL E DESENVOLVIMENTO ECO...POR UMA REFORMA TRIBUTÁRIA QUE GARANTA JUSTIÇA FISCAL E DESENVOLVIMENTO ECO...
POR UMA REFORMA TRIBUTÁRIA QUE GARANTA JUSTIÇA FISCAL E DESENVOLVIMENTO ECO...
TRAMPO Comunicação e Eventos Soares
 
Proposta Fenafisco
Proposta FenafiscoProposta Fenafisco
Proposta Fenafisco
Danilo De Albuquerque Sousa
 
REENGENHARIA TECNOLÓGICA E TRIBUTÁRIA | Luiz Carlos Hauly | 11º ENCONTRO PAUL...
REENGENHARIA TECNOLÓGICA E TRIBUTÁRIA | Luiz Carlos Hauly | 11º ENCONTRO PAUL...REENGENHARIA TECNOLÓGICA E TRIBUTÁRIA | Luiz Carlos Hauly | 11º ENCONTRO PAUL...
REENGENHARIA TECNOLÓGICA E TRIBUTÁRIA | Luiz Carlos Hauly | 11º ENCONTRO PAUL...
APF6
 
A Proposta da emenda Constitucional nº45
A Proposta da emenda Constitucional nº45A Proposta da emenda Constitucional nº45
A Proposta da emenda Constitucional nº45
Sistema CNC
 
Proposta de Emenda Costitucional nº45 2019
Proposta de Emenda Costitucional nº45 2019Proposta de Emenda Costitucional nº45 2019
Proposta de Emenda Costitucional nº45 2019
Sistema CNC
 
A escolha da modalidade de tributação e economia tributária
A escolha da modalidade de tributação e economia tributáriaA escolha da modalidade de tributação e economia tributária
A escolha da modalidade de tributação e economia tributária
Rafhael Sena
 
integra-apresentacao-ploa-2024-mfazenda.pdf
integra-apresentacao-ploa-2024-mfazenda.pdfintegra-apresentacao-ploa-2024-mfazenda.pdf
integra-apresentacao-ploa-2024-mfazenda.pdf
Renandantas16
 
REFORMA TRIBUTÁRIA - A REFORMA MAIS IMPORTANTE PARA O PAÍS | Gabriel Kanner |...
REFORMA TRIBUTÁRIA - A REFORMA MAIS IMPORTANTE PARA O PAÍS | Gabriel Kanner |...REFORMA TRIBUTÁRIA - A REFORMA MAIS IMPORTANTE PARA O PAÍS | Gabriel Kanner |...
REFORMA TRIBUTÁRIA - A REFORMA MAIS IMPORTANTE PARA O PAÍS | Gabriel Kanner |...
APF6
 
SAGE | IOB CORPORATE - MAPEAMENTO DE RISCOS - MAPEAMENTO E MONITORAMENTO TRIB...
SAGE | IOB CORPORATE - MAPEAMENTO DE RISCOS - MAPEAMENTO E MONITORAMENTO TRIB...SAGE | IOB CORPORATE - MAPEAMENTO DE RISCOS - MAPEAMENTO E MONITORAMENTO TRIB...
SAGE | IOB CORPORATE - MAPEAMENTO DE RISCOS - MAPEAMENTO E MONITORAMENTO TRIB...
Martcom Digital
 
Apresentacao Mario Sergio - CNI reforma tributária.pptx
Apresentacao Mario Sergio - CNI reforma tributária.pptxApresentacao Mario Sergio - CNI reforma tributária.pptx
Apresentacao Mario Sergio - CNI reforma tributária.pptx
RicardodeQueirozMach
 
Apresentacao reforma tributaria reiner leite
Apresentacao reforma tributaria   reiner leiteApresentacao reforma tributaria   reiner leite
Apresentacao reforma tributaria reiner leite
Sistema CNC
 
Orçamento de Estado 2017 - O que muda para as empresas
Orçamento de Estado 2017 - O que muda para as empresasOrçamento de Estado 2017 - O que muda para as empresas
Orçamento de Estado 2017 - O que muda para as empresas
Primavera Business Software Solutions SA
 
Newsletter 7 proposta orcamento estado 2015
Newsletter 7   proposta orcamento estado 2015Newsletter 7   proposta orcamento estado 2015
Newsletter 7 proposta orcamento estado 2015
Luís Abreu
 

Semelhante a Cartilha sobre a Reforma Tributária - Ministério da Fazenda (20)

Proposta de Reforma do Modelo Brasileiro de Tributação de Bens e Serviços
Proposta de Reforma do Modelo Brasileiro de Tributação de Bens e ServiçosProposta de Reforma do Modelo Brasileiro de Tributação de Bens e Serviços
Proposta de Reforma do Modelo Brasileiro de Tributação de Bens e Serviços
 
Momento fiscal 2019
Momento fiscal 2019Momento fiscal 2019
Momento fiscal 2019
 
Cartilha sobre Reforma Tributária - Ministério da Fazenda - 2008
Cartilha sobre Reforma Tributária - Ministério da Fazenda - 2008Cartilha sobre Reforma Tributária - Ministério da Fazenda - 2008
Cartilha sobre Reforma Tributária - Ministério da Fazenda - 2008
 
Projeto Brasil Forte
Projeto Brasil ForteProjeto Brasil Forte
Projeto Brasil Forte
 
A difícil reforma tributária: desafios políticos, conceituais e práticos - Be...
A difícil reforma tributária: desafios políticos, conceituais e práticos - Be...A difícil reforma tributária: desafios políticos, conceituais e práticos - Be...
A difícil reforma tributária: desafios políticos, conceituais e práticos - Be...
 
Proposta de reforma tributária solidária
Proposta de reforma tributária solidáriaProposta de reforma tributária solidária
Proposta de reforma tributária solidária
 
23º ENCONTRO DE LÍDERES DO MERCADO SEGURADOR - LUIZ CARLOS HAULY
23º ENCONTRO DE LÍDERES DO MERCADO SEGURADOR - LUIZ CARLOS HAULY	23º ENCONTRO DE LÍDERES DO MERCADO SEGURADOR - LUIZ CARLOS HAULY
23º ENCONTRO DE LÍDERES DO MERCADO SEGURADOR - LUIZ CARLOS HAULY
 
POR UMA REFORMA TRIBUTÁRIA QUE GARANTA JUSTIÇA FISCAL E DESENVOLVIMENTO ECO...
POR UMA REFORMA TRIBUTÁRIA QUE GARANTA JUSTIÇA FISCAL E DESENVOLVIMENTO ECO...POR UMA REFORMA TRIBUTÁRIA QUE GARANTA JUSTIÇA FISCAL E DESENVOLVIMENTO ECO...
POR UMA REFORMA TRIBUTÁRIA QUE GARANTA JUSTIÇA FISCAL E DESENVOLVIMENTO ECO...
 
Proposta Fenafisco
Proposta FenafiscoProposta Fenafisco
Proposta Fenafisco
 
REENGENHARIA TECNOLÓGICA E TRIBUTÁRIA | Luiz Carlos Hauly | 11º ENCONTRO PAUL...
REENGENHARIA TECNOLÓGICA E TRIBUTÁRIA | Luiz Carlos Hauly | 11º ENCONTRO PAUL...REENGENHARIA TECNOLÓGICA E TRIBUTÁRIA | Luiz Carlos Hauly | 11º ENCONTRO PAUL...
REENGENHARIA TECNOLÓGICA E TRIBUTÁRIA | Luiz Carlos Hauly | 11º ENCONTRO PAUL...
 
A Proposta da emenda Constitucional nº45
A Proposta da emenda Constitucional nº45A Proposta da emenda Constitucional nº45
A Proposta da emenda Constitucional nº45
 
Proposta de Emenda Costitucional nº45 2019
Proposta de Emenda Costitucional nº45 2019Proposta de Emenda Costitucional nº45 2019
Proposta de Emenda Costitucional nº45 2019
 
A escolha da modalidade de tributação e economia tributária
A escolha da modalidade de tributação e economia tributáriaA escolha da modalidade de tributação e economia tributária
A escolha da modalidade de tributação e economia tributária
 
integra-apresentacao-ploa-2024-mfazenda.pdf
integra-apresentacao-ploa-2024-mfazenda.pdfintegra-apresentacao-ploa-2024-mfazenda.pdf
integra-apresentacao-ploa-2024-mfazenda.pdf
 
REFORMA TRIBUTÁRIA - A REFORMA MAIS IMPORTANTE PARA O PAÍS | Gabriel Kanner |...
REFORMA TRIBUTÁRIA - A REFORMA MAIS IMPORTANTE PARA O PAÍS | Gabriel Kanner |...REFORMA TRIBUTÁRIA - A REFORMA MAIS IMPORTANTE PARA O PAÍS | Gabriel Kanner |...
REFORMA TRIBUTÁRIA - A REFORMA MAIS IMPORTANTE PARA O PAÍS | Gabriel Kanner |...
 
SAGE | IOB CORPORATE - MAPEAMENTO DE RISCOS - MAPEAMENTO E MONITORAMENTO TRIB...
SAGE | IOB CORPORATE - MAPEAMENTO DE RISCOS - MAPEAMENTO E MONITORAMENTO TRIB...SAGE | IOB CORPORATE - MAPEAMENTO DE RISCOS - MAPEAMENTO E MONITORAMENTO TRIB...
SAGE | IOB CORPORATE - MAPEAMENTO DE RISCOS - MAPEAMENTO E MONITORAMENTO TRIB...
 
Apresentacao Mario Sergio - CNI reforma tributária.pptx
Apresentacao Mario Sergio - CNI reforma tributária.pptxApresentacao Mario Sergio - CNI reforma tributária.pptx
Apresentacao Mario Sergio - CNI reforma tributária.pptx
 
Apresentacao reforma tributaria reiner leite
Apresentacao reforma tributaria   reiner leiteApresentacao reforma tributaria   reiner leite
Apresentacao reforma tributaria reiner leite
 
Orçamento de Estado 2017 - O que muda para as empresas
Orçamento de Estado 2017 - O que muda para as empresasOrçamento de Estado 2017 - O que muda para as empresas
Orçamento de Estado 2017 - O que muda para as empresas
 
Newsletter 7 proposta orcamento estado 2015
Newsletter 7   proposta orcamento estado 2015Newsletter 7   proposta orcamento estado 2015
Newsletter 7 proposta orcamento estado 2015
 

Mais de fernando846621

como votou cada deputado no veto à criminalizaçao das fake news
como votou cada deputado no veto à criminalizaçao das fake newscomo votou cada deputado no veto à criminalizaçao das fake news
como votou cada deputado no veto à criminalizaçao das fake news
fernando846621
 
Termo de audiência de Mauro Cid na ìntegra
Termo de audiência de Mauro Cid na ìntegraTermo de audiência de Mauro Cid na ìntegra
Termo de audiência de Mauro Cid na ìntegra
fernando846621
 
O depoimento de Mauro Cid no STF na íntegra
O depoimento de Mauro Cid no STF na íntegraO depoimento de Mauro Cid no STF na íntegra
O depoimento de Mauro Cid no STF na íntegra
fernando846621
 
Representação - Senado - Hamilton Mourão - Incitação ao Golpe V2.pdf
Representação - Senado - Hamilton Mourão - Incitação ao Golpe V2.pdfRepresentação - Senado - Hamilton Mourão - Incitação ao Golpe V2.pdf
Representação - Senado - Hamilton Mourão - Incitação ao Golpe V2.pdf
fernando846621
 
Apresentação PL do Ensino Médio 17-10.pdf
Apresentação PL do Ensino Médio 17-10.pdfApresentação PL do Ensino Médio 17-10.pdf
Apresentação PL do Ensino Médio 17-10.pdf
fernando846621
 
nova resistencia.pdf
nova resistencia.pdfnova resistencia.pdf
nova resistencia.pdf
fernando846621
 
cadastro_de_empregadores.pdf
cadastro_de_empregadores.pdfcadastro_de_empregadores.pdf
cadastro_de_empregadores.pdf
fernando846621
 
CMDCA2023_RelatorioFinal.pdf
CMDCA2023_RelatorioFinal.pdfCMDCA2023_RelatorioFinal.pdf
CMDCA2023_RelatorioFinal.pdf
fernando846621
 
denuncia-pgr-ricardo-salles.pdf
denuncia-pgr-ricardo-salles.pdfdenuncia-pgr-ricardo-salles.pdf
denuncia-pgr-ricardo-salles.pdf
fernando846621
 
tarjado-requerimento-eliziane-gama-cpmi-costa-neto.pdf
tarjado-requerimento-eliziane-gama-cpmi-costa-neto.pdftarjado-requerimento-eliziane-gama-cpmi-costa-neto.pdf
tarjado-requerimento-eliziane-gama-cpmi-costa-neto.pdf
fernando846621
 
integra moraes.pdf
integra moraes.pdfintegra moraes.pdf
integra moraes.pdf
fernando846621
 
cancellier_merged.pdf
cancellier_merged.pdfcancellier_merged.pdf
cancellier_merged.pdf
fernando846621
 
PRLP-3.pdf
PRLP-3.pdfPRLP-3.pdf
PRLP-3.pdf
fernando846621
 
aije060081485votooral270623.pdf
aije060081485votooral270623.pdfaije060081485votooral270623.pdf
aije060081485votooral270623.pdf
fernando846621
 
slideshare.pdf
slideshare.pdfslideshare.pdf
slideshare.pdf
fernando846621
 
doc_proc.pdf
doc_proc.pdfdoc_proc.pdf
doc_proc.pdf
fernando846621
 
intimação.pdf
intimação.pdfintimação.pdf
intimação.pdf
fernando846621
 
pf-militaressemdocumento2_260420232720.pdf
pf-militaressemdocumento2_260420232720.pdfpf-militaressemdocumento2_260420232720.pdf
pf-militaressemdocumento2_260420232720.pdf
fernando846621
 
designação.pdf
designação.pdfdesignação.pdf
designação.pdf
fernando846621
 
nota a imprensa caso Marcelo Arruda.pdf
nota a imprensa caso Marcelo Arruda.pdfnota a imprensa caso Marcelo Arruda.pdf
nota a imprensa caso Marcelo Arruda.pdf
fernando846621
 

Mais de fernando846621 (20)

como votou cada deputado no veto à criminalizaçao das fake news
como votou cada deputado no veto à criminalizaçao das fake newscomo votou cada deputado no veto à criminalizaçao das fake news
como votou cada deputado no veto à criminalizaçao das fake news
 
Termo de audiência de Mauro Cid na ìntegra
Termo de audiência de Mauro Cid na ìntegraTermo de audiência de Mauro Cid na ìntegra
Termo de audiência de Mauro Cid na ìntegra
 
O depoimento de Mauro Cid no STF na íntegra
O depoimento de Mauro Cid no STF na íntegraO depoimento de Mauro Cid no STF na íntegra
O depoimento de Mauro Cid no STF na íntegra
 
Representação - Senado - Hamilton Mourão - Incitação ao Golpe V2.pdf
Representação - Senado - Hamilton Mourão - Incitação ao Golpe V2.pdfRepresentação - Senado - Hamilton Mourão - Incitação ao Golpe V2.pdf
Representação - Senado - Hamilton Mourão - Incitação ao Golpe V2.pdf
 
Apresentação PL do Ensino Médio 17-10.pdf
Apresentação PL do Ensino Médio 17-10.pdfApresentação PL do Ensino Médio 17-10.pdf
Apresentação PL do Ensino Médio 17-10.pdf
 
nova resistencia.pdf
nova resistencia.pdfnova resistencia.pdf
nova resistencia.pdf
 
cadastro_de_empregadores.pdf
cadastro_de_empregadores.pdfcadastro_de_empregadores.pdf
cadastro_de_empregadores.pdf
 
CMDCA2023_RelatorioFinal.pdf
CMDCA2023_RelatorioFinal.pdfCMDCA2023_RelatorioFinal.pdf
CMDCA2023_RelatorioFinal.pdf
 
denuncia-pgr-ricardo-salles.pdf
denuncia-pgr-ricardo-salles.pdfdenuncia-pgr-ricardo-salles.pdf
denuncia-pgr-ricardo-salles.pdf
 
tarjado-requerimento-eliziane-gama-cpmi-costa-neto.pdf
tarjado-requerimento-eliziane-gama-cpmi-costa-neto.pdftarjado-requerimento-eliziane-gama-cpmi-costa-neto.pdf
tarjado-requerimento-eliziane-gama-cpmi-costa-neto.pdf
 
integra moraes.pdf
integra moraes.pdfintegra moraes.pdf
integra moraes.pdf
 
cancellier_merged.pdf
cancellier_merged.pdfcancellier_merged.pdf
cancellier_merged.pdf
 
PRLP-3.pdf
PRLP-3.pdfPRLP-3.pdf
PRLP-3.pdf
 
aije060081485votooral270623.pdf
aije060081485votooral270623.pdfaije060081485votooral270623.pdf
aije060081485votooral270623.pdf
 
slideshare.pdf
slideshare.pdfslideshare.pdf
slideshare.pdf
 
doc_proc.pdf
doc_proc.pdfdoc_proc.pdf
doc_proc.pdf
 
intimação.pdf
intimação.pdfintimação.pdf
intimação.pdf
 
pf-militaressemdocumento2_260420232720.pdf
pf-militaressemdocumento2_260420232720.pdfpf-militaressemdocumento2_260420232720.pdf
pf-militaressemdocumento2_260420232720.pdf
 
designação.pdf
designação.pdfdesignação.pdf
designação.pdf
 
nota a imprensa caso Marcelo Arruda.pdf
nota a imprensa caso Marcelo Arruda.pdfnota a imprensa caso Marcelo Arruda.pdf
nota a imprensa caso Marcelo Arruda.pdf
 

Cartilha sobre a Reforma Tributária - Ministério da Fazenda

  • 1. Secretaria Extraordinária da Reforma Tributária Ministério da Fazenda Reforma Tributária Para o Brasil crescer, ela precisa acontecer. ATUALIZADO EM 14/11/2023 Inclui alterações promovidas pelo Senado Federal
  • 2. Objetivos e fases da Reforma OBJETIVOS 2 Fazer a economia brasileira crescer de forma sustentável, gerando emprego e renda Tornar nosso sistema tributário mais justo, reduzindo as desigualdades sociais e regionais Reduzir a complexidade da tributação, assegurando transparência e provendo maior cidadania fiscal FASES FASE 1: Reforma da tributação sobre o CONSUMO FASE 2: Reforma da tributação sobre a RENDA e a FOLHA TODO O PERÍODO Ajustes na tributação sobre o PATRIMÔNIO
  • 3. Consenso: do jeito que está, não dá! O SISTEMA BRASILEIRO SOBRE O PIOR DO MUNDO • Complexidade excessiva • Falta de transparência • Conflitos de competência • Tensões federativas • Elevado grau de litígio e insegurança jurídica • Desigualdades regionais e sociais • Deterioração do ambiente de negócios O BRASIL CRESCE MENOS DO QUE PODERIA DE TRIBUTAÇÃO CONSUMO É O • Ineficiências alocativas 3 • Aumento do custo dos investimentos • Prejuízo à competitividade dos produtos brasileiros
  • 4. O que a Reforma Tributária faz? 1 Cria o Imposto Seletivo, de caráter regulatório 2 Mantém a carga tributária total sobre o consumo 3 Adota alíquota padrão como regra geral 4 5 6 7 8 O que a ? Reforma 9 10 Substitui 5 tributos por um IVA Dual de padrão internacional (a CBS, federal, e o IBS, de estados e municípios, substituirão PIS, Cofins, IPI, ICMS e ISS) Define regimes favorecidos para determinados bens e serviços Define regimes específicos para determinados bens e serviços Preserva a Zona Franca de Manaus Melhora a situação das empresas do SIMPLES 4 Torna o sistema mais justo com o cashback do povo Cria a Cesta Básica Nacional de Alimentos
  • 5. O que a Reforma Tributária faz? 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 5 Mantém as vinculações e partilhas constitucionais (FPE, FPM, FPEX, Educação e Fundeb, Saúde, FCO, FNE, FNO, cota-parte dos municípios, FAT/BNDES) Amplia a base de incidência do IPVA para alcançar veículos aéreos e aquáticos Permite a atualização periódica da base de cálculo do IPTU Assegura a progressividade do ITCMD e aperfeiçoa sua legislação O que a ? Reforma Cria o Fundo Nacional de Desenvolvimento Regional (FNDR) Prevê uma transição segura para o novo modelo Cria o Fundo de Compensação dos Benefícios Fiscais Cria um modelo de cobrança integrado e eficiente Assegura a devolução dos saldos credores dos tributos atuais Fortalece o Pacto Federativo
  • 6. O que a Reforma Tributária faz? IVA Dual CBS FEDERAL (substitui PIS, Cofins e IPI) IBS SUBNACIONAL (substitui ICMS e ISS) PIS Cofins ICMS ISS IPI HOJE APÓS A REFORMA A Reforma Tributária substitui 5 tributos extremamente disfuncionais – PIS, Cofins, ICMS, ISS e IPI – por um IVA Dual de padrão internacional, composto pela Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS), federal, e pelo Imposto sobre Bens e Serviços (IBS), subnacional (de estados e municípios). 6 1. SUBSTITUI 5 TRIBUTOS POR UM IVA DUAL DE PADRÃO INTERNACIONAL
  • 7. O que a Reforma Tributária faz? IVA Dual CBS FEDERAL (substitui PIS, Cofins e IPI) IBS SUBNACIONAL (substitui ICMS e ISS) APÓS A REFORMA A CBS e o IBS terão os mesmos: • Fatos geradores, bases de cálculo, hipóteses de não incidência e sujeitos passivos • Imunidades • Regimes específicos, diferenciados ou favorecidos de tributação • Regras de não cumulatividade e creditamento 7 a serem definidos numa só lei complementar 1. SUBSTITUI 5 TRIBUTOS POR UM IVA DUAL DE PADRÃO INTERNACIONAL
  • 8. A CBS e o IBS terão as características de um IVA de padrão internacional, recomendado pela OCDE e pelo Banco Mundial: O que a Reforma Tributária faz? 1. SUBSTITUI 5 TRIBUTOS POR UM IVA DUAL DE PADRÃO INTERNACIONAL • Base ampla de incidência • Tributação no destino • Não cumulatividade plena 8 174 países usam o IVA • Legislação uniforme • Cobrança “por fora” • Rápida devolução dos créditos acumulados • Desoneração dos investimentos • Desoneração das exportações • Incidência sobre importações
  • 9. Em linha com as melhores 2. CRIA O IMPOSTO SELETIVO, O Imposto Seletivo terá caráter extrafiscal, incidência monofásica e será instituído por lei complementar, a qual detalhará as mercadorias e os serviços sobre os quais incidirá. práticas internacionais, a Reforma Tributária de mercadorias e serviços prejudiciais cria o Imposto Seletivo, federal, para desestimular o consumo à SAÚDE e ao MEIO AMBIENTE. O que a Reforma Tributária faz? DE CARÁTER REGULATÓRIO 9 Quando incidir sobre a extração, o imposto poderá ser cobrado na exportação e terá alíquota máxima de 1%.
  • 10. Durante o período de transição, as alíquotas de referência do IBS e da CBS serão revisadas anualmente pelo Senado Federal com vistas à manutenção da carga tributária. 3. MANTÉM A CARGA TRIBUTÁRIA TOTAL SOBRE O CONSUMO O que a Reforma Tributária faz? 10 4. ADOTA ALÍQUOTA PADRÃO COMO REGRA GERAL REGRA GERAL: para todos os bens materiais Adoção de alíquota padrão e imateriais, inclusive direitos, As alíquotas de referência do IBS e da CBS serão fixadas pelo Senado Federal. Essas alíquotas prevalecerão caso os entes federativos não fixem suas próprias alíquotas em lei específica. e serviços. O contribuinte vai pagar o que já paga hoje, só que agora de forma simples e transparente. Trava da carga: ao final da transição as alíquotas de referência serão reduzidas, caso a carga tributária como proporção do PIB exceda à média do período 2012-2021.
  • 11. O que a Reforma Tributária faz? 11 5. DEFINE REGIMES ESPECÍFICOS PARA DETERMINADOS BENS E SERVIÇOS Regimes específicos são aqueles em que o modelo de apuração difere do padrão do IVA, não necessariamente significando um regime mais benéfico. • Combustíveis e lubrificantes • Operações com bens imóveis • Serviços financeiros • Sociedades cooperativas • Planos de assistência à saúde • Concursos de prognósticos • Serviços de transporte coletivo de passageiros rodoviário intermunicipal e interestadual, ferroviário, hidroviário e aéreo • Saneamento e concessões de rodovias • Serviços de hotelaria, agências de viagens e turismo, parques de diversão e temáticos, bares, restaurantes e SAF • Disponibilização de estrutura compartilhada de serviços de telecomunicações • Economia circular • Micro e minigeração distribuída de energia elétrica • Tratados ou convenções internacionais
  • 12. O que a Reforma Tributária faz? 6. DEFINE REGIMES FAVORECIDOS PARA DETERMINADOS BENS E SERVIÇOS • Insumos e produtos agropecuários • Alimentos, higiene pessoal e limpeza • Comunicação, cultura nacional e esporte • Educação • Saúde, medicamentos e equipamentos médicos • Soberania e segurança nacional • Transporte coletivo rodoviário e metroviário urbano, semiurbano e metropolitano Também haverá uma alíquota intermediária (70% da alíquota padrão) para serviços de profissões regulamentadas. 12 Alíquota de 40% da alíquota-padrão para: Regime automotivo: permite créditos presumidos de CBS para a produção de veículos no NE e CO, com phase out de 2029 a 2032.
  • 13. 7. CRIA A CESTA BÁSICA NACIONAL O que a Reforma Tributária faz? A Reforma cria a cesta básica nacional de alimentos, que terá alíquota zero de CBS e IBS, e que considerará aspectos regionais e alimentação saudável e nutricionalmente adequada. Os itens que comporão esta cesta serão definidos em lei complementar. Cria também a cesta básica estendida, com alíquota reduzida (40% da alíquota-padrão) e cashback. DE ALIMENTOS 13 8. TORNA O SISTEMA MAIS JUSTO COM O CASHBACK DO POVO A Reforma possibilita a devolução aos consumidores de parte da CBS e do IBS incidentes sobre as mercadorias e serviços que consumirem, beneficiando sobretudo quem tem renda mais baixa. Já prevê a implementação do cashback para a cesta básica estendida, o gás de cozinha e para a conta de luz da população de baixa renda.
  • 14. 9. PRESERVA A ZONA FRANCA DE MANAUS 10. MELHORA A SITUAÇÃO DAS O que a Reforma Tributária faz? • As empresas enquadradas no SIMPLES poderão optar por: ‐ Recolher IBS e CBS segundo as regras do SIMPLES, caso em poderão transferir créditos correspondentes ao que foi recolhido neste regime OU ‐ Recolher IBS e CBS pelo regime normal de apuração, podendo apropriar e transferir créditos integralmente, mantendo-se no SIMPLES em relação aos demais tributos • A Reforma reduz a necessidade da substituição tributária, que hoje onera as empresas do Simples 14 O tratamento tributário favorecido aos bens produzidos na Zona Franca de Manaus (ZFM) poderá ser implementado mediante: • Alteração das alíquotas e das regras de creditamento do IBS e CBS • Uso de uma Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico específica, cujos recursos serão utilizados na subvenção à produção na ZFM e no Fundo de Sustentabilidade EMPRESAS DO SIMPLES Criação do Fundo de Sustentabilidade e Diversificação Econômica do Estado do Amazonas, financiado pela União, para fomentar o desenvolvimento e a diversificação das atividades econômicas na região.
  • 15. 11. CRIA UM MODELO DE COBRANÇA INTEGRADO E EFICIENTE ATRIBUIÇÕES DO COMITÊ GESTOR DO IBS: A instância máxima de deliberação do Comitê Gestor será composta de forma PARITÁRIA por: • 27 membros representando cada Estado e o DF • 27 membros representando os municípios e o DF As deliberações do Comitê Gestor serão aprovadas caso obtenham, cumulativamente: • Estados e DF: maioria absoluta dos votos + votos de entes que correspondam a mais de 50% da população • Municípios e DF: maioria absoluta dos votos O Comitê Gestor do IBS terá caráter O que a Reforma Tributária faz? 15 • Editar regulamento único e uniformizar a interpretação e a aplicação da legislação do imposto • Arrecadar o imposto, efetuar as compensações e distribuir as receitas • Decidir o contencioso administrativo O Comitê também assegurará a rápida devolução dos créditos de IBS aos contribuintes. eminentemente técnico e será gerido conjuntamente pelos Estados e Municípios, que manterão autonomia na fiscalização e na defesa dos seus interesses.
  • 16. 2029 a 2032 O que a Reforma Tributária faz? 12. PREVÊ UMA TRANSIÇÃO SEGURA PARA O NOVO MODELO 2023 2024 e 2025 2026 2027 2033 • Emenda Constitucional da Reforma Tributária • Leis Complementares que regulamentam: ‐ o IBS e a CBS ‐ o Comitê Gestor do IBS ‐ o Fundo de Desenvolvimento Regional ‐ o Imposto Seletivo • Desenvolvimento do sistema de cobrança da CBS e do IBS • Ano teste da CBS, à alíquota de 0,9%, e do IBS, à alíquota de 0,1%, compensáveis com PIS/Cofins • O recolhimento dos tributos pode ser dispensado caso o contribuinte cumpra as obrigações acessórias • Cobrança da CBS e extinção do PIS e da Cofins • Extinção do IPI • Instituição do Imposto Seletivo • Instituição da “Cide ZFM” • Transição ICMS e do ISS para o IBS via aumento gradual da alíquota do IBS e redução gradual das alíquotas do ICMS e do ISS: ‐ 10% em 2029 ‐ 20% em 2030 ‐ 30% em 2031 ‐ 40% em 2032 ‐ 100% em 2033 • Vigência integral do novo modelo e extinção do ICMS e do ISS 16
  • 17. 13. FORTALECE O PACTO FEDERATIVO A Reforma Tributária: • Garante a autonomia dos entes federativos, pois cada estado e cada município poderá definir sua alíquota padrão do Imposto sobre Bens e Serviços (IBS). • Acaba com a Guerra Fiscal. O que a Reforma Tributária faz? A transição de 50 anos na distribuição da receita, aliada aos efeitos econômicos da Reforma, possibilita ganhos para praticamente todos os entes federados. De 2029 a 2078 Uma parcela decrescente da receita será distribuída conforme a participação atual na receita total e uma parcela crescente será distribuída considerando os efeitos da Reforma. 17 Seguro-receita 5% da parcela do IBS distribuída pelo destino é usada para compensar os entes com maior queda de participação no total da receita
  • 18. 13. FORTALECE O PACTO FEDERATIVO O que a Reforma Tributária faz? 18 A Reforma abre a opção para os Estados que já possuem contribuições sobre produtos primários, vinculadas a benefícios do ICMS, a sua manutenção até 2043, vedando a ampliação da base de incidência e da alíquota. Nas compras governamentais, o produto da arrecadação do imposto será integralmente destinado ao ente federativo contratante, via redução da alíquota dos demais entes e elevação proporcional da alíquota do ente contratante. Prevê-se ainda a possibilidade de redução uniforme das alíquotas nas compras governamentais.
  • 19. O que a Reforma Tributária faz? 14. CRIA O FUNDO DE COMPENSAÇÃO A Reforma Tributária proporciona segurança jurídica para as empresas que receberam benefícios fiscais por prazo certo e sob condição onerosa. 19 DOS BENEFÍCIOS FISCAIS O Fundo será financiado com recursos da União, da seguinte forma: 2028 2027 2026 2025 R$ 32 bi R$ 24 bi R$ 16 bi R$ 8 bi 2032 2031 2030 2029 R$ 8 bi R$ 16 bi R$ 24 bi R$ 32 bi Os recursos deste Fundo serão disponibilizados às empresas a partir de 2029, quando terá início a redução gradual dos incentivos em decorrência da redução das alíquotas do ICMS. Os benefícios não industriais serão reduzidos no mesmo ritmo das alíquotas do ICMS e dos benefícios industriais, mas não terão cobertura por parte do Fundo de Compensação de Benefícios (pois sua redução já estava prevista na Lei Complementar 160/2017).
  • 20. 15. CRIA O FUNDO NACIONAL DE Os recursos do FNDR poderão ser destinados a: Fomento a atividades produtivas Infraestrutura Inovação e difusão de tecnologias Desenvolvimento científico e tecnológico O FNDR será financiado com recursos orçamentários da União, da seguinte forma: O que a Reforma Tributária faz? 20 2033 2032 2031 2030 2029 R$ 40 bi R$ 32 bi R$ 24 bi R$ 16 bi R$ 8 bi DESENVOLVIMENTO REGIONAL (FNDR) O FNDR será um instrumento desigualdades regionais Prioridade a projetos com ações de preservação ambiental efetivo para redução das A partir de 2043 De 2034 a 2042 R$ 60 bi por ano + R$ 2 bi por ano Critérios de distribuição: • 70% de acordo com critérios do FPE • 30% com base na população do estado
  • 21. O que a Reforma Tributária faz? 26 16. MANTÉM AS VINCULAÇÕES E PARTILHAS CONSTITUCIONAIS A Reforma mantém todas as partilhas e vinculações constitucionais existentes: • FPE, FPM, e FPEX • FCO, FNE e FNO • Educação e FUNDEB 21 • Saúde • FAT/BNDES • Cota-parte dos municípios A cota-parte dos municípios no IBS será distribuída: • 80% proporcionalmente à população • 10% com base em indicadores de melhoria nos resultados da aprendizagem, nos termos da lei estadual • 5% com base em indicadores de preservação ambiental • 5% em montantes iguais para os municípios do estado 17. ASSEGURA A DEVOLUÇÃO DOS DOS TRIBUTOS ATUAIS • O saldo dos créditos de PIS e Cofins poderá ser compensado com a CBS ou, nos casos em que já ocorre hoje, com outros tributos federais ou ressarcido em dinheiro. • O saldo dos créditos homologados de ICMS será compensado com o IBS em até 240 parcelas, com correção monetária a partir de 2033, nos termos da lei complementar. • É assegurada a possibilidade de: ‐ transferência dos saldos credores ‐ ressarcimento caso não seja compensado SALDOS CREDORES ACUMULADOS A CIDE-Combustíveis poderá subvencionar o transporte público coletivo de passageiros
  • 22. O que a Reforma Tributária faz? 18. AMPLIA A BASE DO IPVA PARA ALCANÇAR VEÍCULOS AÉREOS E AQUÁTICOS A Reforma amplia a base de incidência do IPVA, de modo a incluir veículos aquáticos e aéreos, como lanchas e jatinhos. A ampliação não alcança aeronaves agrícolas e embarcações de transporte aquaviário e de pesca. Inclui a possibilidade de o IPVA ser progressivo em razão do valor e do impacto ambiental do veículo. A Reforma também inclui aperfeiçoamentos na tributação sobre o PATRIMÔNIO 22
  • 23. • Permite aos Estados cobrarem o imposto sobre heranças e doações (ITCMD) nos casos em que os ativos estão no exterior ou em que o doador/de cujus é residente no exterior, suprindo a falta de lei complementar • Define de forma mais clara que o Estado competente para cobrar o ITCMD sobre herança com inventário extrajudicial será o do domicílio do de cujus • Assegura a progressividade das alíquotas, com base no valor da doação ou herança, observada a alíquota máxima definida por Resolução do Senado Federal O que a Reforma Tributária faz? 19. PERMITE A ATUALIZAÇÃO PERIÓDICA DA BASE 20. ASSEGURA A PROGRESSIVIDADE DO ITCMD E APERFEIÇOA SUA LEGISLAÇÃO DE CÁLCULO DO IPTU O Imposto sobre Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) poderá ter sua base de cálculo atualizada por decreto, conforme critérios definidos em lei municipal. 23
  • 24. Fonte: Domingues e Cardoso (2021), com base em Borges (2019). Dados correspondem ao impacto direto em 15 anos. Impacto da Reforma sobre a Economia A Reforma Tributária gerará o crescimento adicional da economia (PIB) de 12% ou mais em 15 anos. Hoje, isso representaria R$ 1,2 trilhão a mais no PIB a preços de 2022. Otimista Conservador Variáveis 20,0 12,0 var. % real PIB 24,2 12,6 var. % real Consumo Famílias 25,0 20,3 var. % real Investimento 17,4 11,7 var. % real Exportações 15,6 9,5 var. % real Importações 12,6 7,5 var. % real Trabalho Ou seja, se a Reforma tivesse sido aprovada há 15 anos, cada brasileiro teria hoje, em média, mais R$ 490 por mês de renda Todos ganham com a Reforma Tributária 24
  • 25. Impacto da Reforma sobre o PIB Setorial Fonte: Domingues e Cardoso (2021), com base em Borges (2019). Dados correspondem ao impacto direto em 15 anos. Mesmo se a alíquota Otimista Conservador Setor 18,2 10,6 Agropecuária 25,7 16,6 Indústria 18,0 10,1 Serviços 24,3 19,5 Construção 17,9 5,2 Educação Privada 17,6 6,2 Saúde Privada fosse igual para todos os todos os setores seriam beneficiados pela Reforma Todos ganham com a Reforma Tributária 25 bens e serviços,
  • 26. Receita per capita dos municípios Fonte: Gobetti, Sérgio (2023). Receita de ISS e cota-parte. Dados relativos a 2021. Exclui DF. Pós-reforma Atual R$ 6.493 R$ 14.815 Máximo R$ 429 R$ 74 Mínimo 15 200 Máx/Mín A Reforma reduz significativamente as desigualdades regionais Todos ganham com a Reforma Tributária 26 Considerando os tributos abarcados pela Reforma, a diferença de receitas entre os municípios mais ricos e os mais pobres, que hoje é de 200 vezes, será reduzida para 15 vezes.
  • 27. Evolução do Poder de Compra por Faixa de Renda A Reforma amplia o poder de compra de mais pobres Otimista Conservador Faixa de Renda 17,5% 10,2% 0-1 s.m. 17,4% 10,1% 1-2 s.m. 17,4% 10,0% 2-3 s.m. 17,3% 9,8% 3-5 s.m. 17,1% 9,6% 5-6 s.m. 17,0% 9,4% 6-8 s.m. 16,9% 9,3% 8-10 s.m. 16,7% 9,0% 10-15 s.m. 16,2% 8,5% 15-20 s.m. 16,3% 8,4% 20-30 s.m. 16,1% 8,1% maior 30 s.m. todos os brasileiros, em especial dos Todos ganham com a Reforma Tributária 27 Fonte: Domingues e Cardoso (2021), com base em Borges (2019). Dados correspondem ao impacto direto em 15 anos.