SlideShare uma empresa Scribd logo
A hemoterapia moderna
baseia-se no uso seletivos
dos    componentes        do
sangue.     A    utilização
correta    dos    diversos
hemocomponentes,
associados a um maior
controle de qualidade nas
diversas etapas desde a
coleta        até          o
fracionamento,          tem
tornado a hemoterapia
mais segura.
Quem pode doar para quem?
                             Doador
Receptor   1a escolha        2a escolha    3a escolha
O+         O+                O-
A+         A+                O+, A-        O-
B+         B+                O+, B-        O-
AB+        AB+               AB-, A+, B+   O+, A-, B-, O-
O-         O-                O+
A-         A-                O-            A+, O+
B-         B-                O-            A+, O+
AB-        AB-               A-, B-,O-     AB+, A+, B+,
                                           O+
                   Fonte: Weinstein,2001
Produtos Hemoderivados   Concentrado
                                            CH diglicerolizadas
                         de hemáceas
                         (CH)


                                         CH lavadas

            Sangue
            total        Granulócitos


                                        Concentrado
                                        de plaquetas

                            Plasma

                                                                  Crioprecipitado
                                        Plasma congelado          Fator anti-hemofílico


                                                                              Albumina sérica

                                         Plasma Líquido

                                                                            Fração protéica
                                                                            plasmática
Cuidados de Enfermagem
 Passo 1- Conferir prescrição médica
A prescrição deve especificar qual o componente
a transfundir e a duração da transfusão. Quando
se realiza a transfusão de múltiplos tipos de
componentes, a prescrição deve especificar a
ordem de infusão e qualquer modificação
necessária       na       administração        de
hemocomponentes (p.ex: filtros de leucócitos,
irradiação, lavado prova HLA) As prescrições
devem especificar medicamentos pré(diuréticos,
anti-histaminícos ou antipiréticos) e pós infusão
se necessário.
Passo 2- Seleção e preparo de
materiais e equipamentos

A seleção do material adequado envolve
a escolha do cateter, solução, equipos de
administração, filtros especiais,
aquecedores de sangue e equipamentos
eletrônicos de administração.
 Geralmente cateteres de 18 a 20G são
recomendados para que seja mantida
uma infusão adequada.
Passo 3- Preparo do paciente
 O paciente deve ser orientado sobre
o tempo dispensado para o
procedimento, a necessidade de
monitorização de condições físicas e
de sinais vitais. Orientar o pacienta a
informar qualquer sensação
diferente, depois que a transfusão foi
iniciada.
DEVEM SER UTILIZADAS LUVAS DE PROTEÇÃO PARA
       MANIPULAR HEMOCOMPONENTES

 Passo 4 – Obtenção de hemocomponentes
do banco de sangue
 A transfusão deve ser iniciada dentro de
30 minutos depois que o hemocomponente
é retirado do banco de sangue. Se a
transfusão é atrasada em mais de 30
minutos, o hemocomponente deve retornar
ao banco de sangue para que seja
armazenado adequadamente.
As identificações precisas do hemocomponente e do
receptor são essenciais. Vários itens devem ser sempre
verificados e registrados antes que a transfusão tenha
início:
- rever a prescrição médica
- verificar o nome e o número de identificação do
receptor, que precisa estar contida na requisição do
hemocomponente. O registro da bolsa deve ser anexado
à documentação do paciente.
- verificar compatibilidade ABO e RH
- devem ser checadas coloração, aspecto e data de
validade do hemocomponente.
Passo 5- Preparo da administração
 Após obtenção do hemocomponente
deve ser instalado o equipo para
infusão. É de vital importância que
seja checada a permeabilidade do
cateter.
Devem ser obtidos sinais vitais de
base antes do início da infusão,
incluindo T P R PA.
O PACIENTE DEVE SER OBSERVADO POR PELO MENOS 5
      MINUTOS APÓS O INÍCIO DA TRANSFUSÃO

 Passo 6- Início da Transfusão
  É recomendável que transfusões iniciem a 2ml/mim ou
 não mais que 50 ml nos primeiros 5 a 15 minutos de
 infusão, assim se houver uma reação transfusional
 apenas uma pequena quantidade de sangue terá sido
 administrada.
 O SANGUE DEVE SER ADMINISTRADO EM UM PERÍODO
 DE 4 HORAS.
 Quando um tempo mais longo de transfusão é
 necessário devido as condições clínicas do paciente, a
 unidade deve ser dividida pelo banco de sangue, assim
 uma porção pode ser refrigerada adequadamente
 enquanto se inicia a infusão da primeira.
Passo 7- Monitorização da administração
 Os sinais vitais devem ser verificados ao
término dos 15 minutos iniciais e depois
periodicamente durante a transfusão.
A observância criteriosa do paciente
durante e após a transfusão é necessária.
Os pacientes devem ser instruídos a
chamar se qualquer sintoma ou sensação
estranha ocorrer durante a transfusão.
Passo 8- Suspensão da Transfusão
 Quando a transfusão for realizada em
ambulatório, observar o paciente por mais
30 minutos antes de liberá-lo.
Após o término de cada bolsa, verificar os
sinais vitais e anotar no prontuário
checando com as anotações do início da
transfusão.
Anexar a etiqueta da bolsa infundida ao
prontuário do paciente
PROCEDIMENTOS NAS
REAÇÕES TRANSFUSIONAIS
Quando houver suspeita de reação transfusional, as
seguintes ações deverão ser desencadeadas junto ao
leito do paciente:

Interromper imediatamente a transfusão
Conservar o acesso venoso
Notificar o médico do paciente e o banco de sangue
Verificar sinais vitais, anotando no prontuário
Examinar todas as etiquetas, registros, conferindo
novamente os dados do paciente com os dados da
unidade de sangue ou componente em uso.
Encaminhar a bolsa utilizada ao banco de sangue.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Processo de Enfermagem na hemoterapia - No Caminho da Enfermagem - Lucas Fontes.
Processo de Enfermagem na hemoterapia - No Caminho da Enfermagem - Lucas Fontes.Processo de Enfermagem na hemoterapia - No Caminho da Enfermagem - Lucas Fontes.
Processo de Enfermagem na hemoterapia - No Caminho da Enfermagem - Lucas Fontes.
Lucas Fontes
 
Relatórios de enfermegem
Relatórios de enfermegemRelatórios de enfermegem
Relatórios de enfermegem
joselene beatriz
 
Coleta de sangue venoso
Coleta de sangue venosoColeta de sangue venoso
Coleta de sangue venoso
Centro Universitário Ages
 
Punção venosa.
Punção venosa.Punção venosa.
Punção venosa.
Centro Universitário Ages
 
Aula 2 coleta de material para exames laboratoriais.
Aula 2 coleta de material para exames laboratoriais.Aula 2 coleta de material para exames laboratoriais.
Aula 2 coleta de material para exames laboratoriais.
Adriana Saraiva
 
1. coleta de sangue
1. coleta de sangue1. coleta de sangue
1. coleta de sangue
Jéssica Bomfim
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
Will Nunes
 
Transfusões de Hemocomponentes
Transfusões de HemocomponentesTransfusões de Hemocomponentes
Transfusões de Hemocomponentes
Renato Bach
 
Administração de medicamentos
Administração de medicamentosAdministração de medicamentos
Administração de medicamentos
Janaína Lassala
 
Rotinas Laboratoriais
Rotinas LaboratoriaisRotinas Laboratoriais
Rotinas Laboratoriais
nuiashrl
 
Balanco hidrico
Balanco hidricoBalanco hidrico
Balanco hidrico
eduardo leao
 
Choque
Choque Choque
Choque
resenfe2013
 
Aula 1 - B
Aula 1 - BAula 1 - B
Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7
Aline Bandeira
 
Slide Centro Cirúrgico
Slide Centro CirúrgicoSlide Centro Cirúrgico
Slide Centro Cirúrgico
Luana Santos
 
Anotação+de+enfermagem
Anotação+de+enfermagemAnotação+de+enfermagem
Anotação+de+enfermagem
Ivanete Dias
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Will Nunes
 
Sala de recuperação pós anestésica
Sala de recuperação pós anestésicaSala de recuperação pós anestésica
Sala de recuperação pós anestésica
Rivanilcede
 
Sae aula .. (1)
Sae aula .. (1)Sae aula .. (1)
Sae aula .. (1)
Katia Pontes Remijo
 
Sistema hematológico
Sistema hematológicoSistema hematológico
Sistema hematológico
Denise Terenzi
 

Mais procurados (20)

Processo de Enfermagem na hemoterapia - No Caminho da Enfermagem - Lucas Fontes.
Processo de Enfermagem na hemoterapia - No Caminho da Enfermagem - Lucas Fontes.Processo de Enfermagem na hemoterapia - No Caminho da Enfermagem - Lucas Fontes.
Processo de Enfermagem na hemoterapia - No Caminho da Enfermagem - Lucas Fontes.
 
Relatórios de enfermegem
Relatórios de enfermegemRelatórios de enfermegem
Relatórios de enfermegem
 
Coleta de sangue venoso
Coleta de sangue venosoColeta de sangue venoso
Coleta de sangue venoso
 
Punção venosa.
Punção venosa.Punção venosa.
Punção venosa.
 
Aula 2 coleta de material para exames laboratoriais.
Aula 2 coleta de material para exames laboratoriais.Aula 2 coleta de material para exames laboratoriais.
Aula 2 coleta de material para exames laboratoriais.
 
1. coleta de sangue
1. coleta de sangue1. coleta de sangue
1. coleta de sangue
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
 
Transfusões de Hemocomponentes
Transfusões de HemocomponentesTransfusões de Hemocomponentes
Transfusões de Hemocomponentes
 
Administração de medicamentos
Administração de medicamentosAdministração de medicamentos
Administração de medicamentos
 
Rotinas Laboratoriais
Rotinas LaboratoriaisRotinas Laboratoriais
Rotinas Laboratoriais
 
Balanco hidrico
Balanco hidricoBalanco hidrico
Balanco hidrico
 
Choque
Choque Choque
Choque
 
Aula 1 - B
Aula 1 - BAula 1 - B
Aula 1 - B
 
Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7
 
Slide Centro Cirúrgico
Slide Centro CirúrgicoSlide Centro Cirúrgico
Slide Centro Cirúrgico
 
Anotação+de+enfermagem
Anotação+de+enfermagemAnotação+de+enfermagem
Anotação+de+enfermagem
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
 
Sala de recuperação pós anestésica
Sala de recuperação pós anestésicaSala de recuperação pós anestésica
Sala de recuperação pós anestésica
 
Sae aula .. (1)
Sae aula .. (1)Sae aula .. (1)
Sae aula .. (1)
 
Sistema hematológico
Sistema hematológicoSistema hematológico
Sistema hematológico
 

Semelhante a Aula infusão de sangue e derivados

hemotransfusao-150320105043-conversion-gate01.pdf
hemotransfusao-150320105043-conversion-gate01.pdfhemotransfusao-150320105043-conversion-gate01.pdf
hemotransfusao-150320105043-conversion-gate01.pdf
RAFAELVALENZUELA44
 
cuidados transfusionais na área de emfermagem
cuidados transfusionais na área de emfermagemcuidados transfusionais na área de emfermagem
cuidados transfusionais na área de emfermagem
yasminnnasscimento
 
Trab. farmaco (1)
Trab. farmaco (1)Trab. farmaco (1)
Trab. farmaco (1)
Camilasantos2016
 
Aula hemoterapia
Aula hemoterapiaAula hemoterapia
Aula hemoterapia
ReginaReiniger
 
Hemotransfusão Em Pediatria
Hemotransfusão Em PediatriaHemotransfusão Em Pediatria
Hemotransfusão Em Pediatria
Renato Bach
 
Triagem clínica
Triagem clínicaTriagem clínica
Triagem clínica
Unicruz
 
Introdução a análises clínicas
Introdução a análises clínicasIntrodução a análises clínicas
Introdução a análises clínicas
Stephany Strombeck
 
Curso Atualização Hemostasia pdf
Curso Atualização Hemostasia pdfCurso Atualização Hemostasia pdf
Curso Atualização Hemostasia pdf
Fábio Baía
 
hemocomponentes e derivados
hemocomponentes e derivadoshemocomponentes e derivados
hemocomponentes e derivados
crisenf
 
Sistema abo --
Sistema abo --Sistema abo --
Sistema abo --
Elaine
 
Medicina transfusional _-_cti[1]
Medicina transfusional _-_cti[1]Medicina transfusional _-_cti[1]
Medicina transfusional _-_cti[1]
ctisaolucascopacabana
 
Aula Sangue
Aula SangueAula Sangue
Aula Sangue
MaianaTeixeira1
 
Relatorio de estagio 2
Relatorio de estagio 2Relatorio de estagio 2
Relatorio de estagio 2
Jeronimo Oliveira
 
Transfusao de hemocomponentes_e_hemoderivados
Transfusao de hemocomponentes_e_hemoderivadosTransfusao de hemocomponentes_e_hemoderivados
Transfusao de hemocomponentes_e_hemoderivados
Eliane Kopchinski
 
Aula prática.1 coleta e anticoagulantes.06
Aula prática.1   coleta e anticoagulantes.06Aula prática.1   coleta e anticoagulantes.06
Aula prática.1 coleta e anticoagulantes.06
Roberta Reila
 
Fluxograma Administração Componentes Sanguíneos - 2017
Fluxograma Administração Componentes Sanguíneos - 2017Fluxograma Administração Componentes Sanguíneos - 2017
Fluxograma Administração Componentes Sanguíneos - 2017
Fernando Barroso
 
Apostila+pratica -- (2)
Apostila+pratica -- (2)Apostila+pratica -- (2)
Apostila+pratica -- (2)
Dorinha Martins
 
aula bia.ppt
aula bia.pptaula bia.ppt
aula bia.ppt
EnfermeiroEdgarJunio
 
Hematologia M.Z (1).pptx
Hematologia M.Z (1).pptxHematologia M.Z (1).pptx
Hematologia M.Z (1).pptx
luiskiani
 
Métodos dialíticos intermitentes
Métodos dialíticos intermitentesMétodos dialíticos intermitentes
Métodos dialíticos intermitentes
Aroldo Gavioli
 

Semelhante a Aula infusão de sangue e derivados (20)

hemotransfusao-150320105043-conversion-gate01.pdf
hemotransfusao-150320105043-conversion-gate01.pdfhemotransfusao-150320105043-conversion-gate01.pdf
hemotransfusao-150320105043-conversion-gate01.pdf
 
cuidados transfusionais na área de emfermagem
cuidados transfusionais na área de emfermagemcuidados transfusionais na área de emfermagem
cuidados transfusionais na área de emfermagem
 
Trab. farmaco (1)
Trab. farmaco (1)Trab. farmaco (1)
Trab. farmaco (1)
 
Aula hemoterapia
Aula hemoterapiaAula hemoterapia
Aula hemoterapia
 
Hemotransfusão Em Pediatria
Hemotransfusão Em PediatriaHemotransfusão Em Pediatria
Hemotransfusão Em Pediatria
 
Triagem clínica
Triagem clínicaTriagem clínica
Triagem clínica
 
Introdução a análises clínicas
Introdução a análises clínicasIntrodução a análises clínicas
Introdução a análises clínicas
 
Curso Atualização Hemostasia pdf
Curso Atualização Hemostasia pdfCurso Atualização Hemostasia pdf
Curso Atualização Hemostasia pdf
 
hemocomponentes e derivados
hemocomponentes e derivadoshemocomponentes e derivados
hemocomponentes e derivados
 
Sistema abo --
Sistema abo --Sistema abo --
Sistema abo --
 
Medicina transfusional _-_cti[1]
Medicina transfusional _-_cti[1]Medicina transfusional _-_cti[1]
Medicina transfusional _-_cti[1]
 
Aula Sangue
Aula SangueAula Sangue
Aula Sangue
 
Relatorio de estagio 2
Relatorio de estagio 2Relatorio de estagio 2
Relatorio de estagio 2
 
Transfusao de hemocomponentes_e_hemoderivados
Transfusao de hemocomponentes_e_hemoderivadosTransfusao de hemocomponentes_e_hemoderivados
Transfusao de hemocomponentes_e_hemoderivados
 
Aula prática.1 coleta e anticoagulantes.06
Aula prática.1   coleta e anticoagulantes.06Aula prática.1   coleta e anticoagulantes.06
Aula prática.1 coleta e anticoagulantes.06
 
Fluxograma Administração Componentes Sanguíneos - 2017
Fluxograma Administração Componentes Sanguíneos - 2017Fluxograma Administração Componentes Sanguíneos - 2017
Fluxograma Administração Componentes Sanguíneos - 2017
 
Apostila+pratica -- (2)
Apostila+pratica -- (2)Apostila+pratica -- (2)
Apostila+pratica -- (2)
 
aula bia.ppt
aula bia.pptaula bia.ppt
aula bia.ppt
 
Hematologia M.Z (1).pptx
Hematologia M.Z (1).pptxHematologia M.Z (1).pptx
Hematologia M.Z (1).pptx
 
Métodos dialíticos intermitentes
Métodos dialíticos intermitentesMétodos dialíticos intermitentes
Métodos dialíticos intermitentes
 

Mais de karol_ribeiro

Cartilha colesterol 2009
Cartilha colesterol 2009Cartilha colesterol 2009
Cartilha colesterol 2009
karol_ribeiro
 
Vivendo dpa guia_familiares_cuidadores
Vivendo dpa guia_familiares_cuidadoresVivendo dpa guia_familiares_cuidadores
Vivendo dpa guia_familiares_cuidadores
karol_ribeiro
 
Cartilha prevencao da hérnia lombar
Cartilha prevencao da hérnia lombarCartilha prevencao da hérnia lombar
Cartilha prevencao da hérnia lombar
karol_ribeiro
 
Manejo clinico dengue_3ed
Manejo clinico dengue_3edManejo clinico dengue_3ed
Manejo clinico dengue_3ed
karol_ribeiro
 
Livro manual de imunizações - hospital albert einstein
Livro   manual de imunizações - hospital albert einsteinLivro   manual de imunizações - hospital albert einstein
Livro manual de imunizações - hospital albert einstein
karol_ribeiro
 
Livro vademecum simplificado - influenza - ms
Livro   vademecum simplificado - influenza - msLivro   vademecum simplificado - influenza - ms
Livro vademecum simplificado - influenza - ms
karol_ribeiro
 
Cart vac
Cart vacCart vac
Cart vac
karol_ribeiro
 
Cartilhagripesuina baixaki
Cartilhagripesuina baixakiCartilhagripesuina baixaki
Cartilhagripesuina baixaki
karol_ribeiro
 
Normas gripe sazonal agosto 2010[1]
Normas gripe sazonal agosto 2010[1]Normas gripe sazonal agosto 2010[1]
Normas gripe sazonal agosto 2010[1]
karol_ribeiro
 
Cartilha saude mulher
Cartilha saude mulherCartilha saude mulher
Cartilha saude mulher
karol_ribeiro
 
Eu gosto de_ser_mulher
Eu gosto de_ser_mulherEu gosto de_ser_mulher
Eu gosto de_ser_mulher
karol_ribeiro
 
Hanseniase direitos humanos
Hanseniase direitos humanosHanseniase direitos humanos
Hanseniase direitos humanos
karol_ribeiro
 
Cartilha saude homem
Cartilha saude homemCartilha saude homem
Cartilha saude homem
karol_ribeiro
 
Cartilha prevencao doencas_infecciosas
Cartilha prevencao doencas_infecciosasCartilha prevencao doencas_infecciosas
Cartilha prevencao doencas_infecciosas
karol_ribeiro
 
Cartilha postura
Cartilha posturaCartilha postura
Cartilha postura
karol_ribeiro
 
Cartilha estresse
Cartilha estresseCartilha estresse
Cartilha estresse
karol_ribeiro
 
Cartilha pressao alta
Cartilha pressao altaCartilha pressao alta
Cartilha pressao alta
karol_ribeiro
 
Cartilha imunizacao
Cartilha imunizacaoCartilha imunizacao
Cartilha imunizacao
karol_ribeiro
 
Cartilha dst aids
Cartilha dst aidsCartilha dst aids
Cartilha dst aids
karol_ribeiro
 
Parto aborto puerperio
Parto aborto puerperioParto aborto puerperio
Parto aborto puerperio
karol_ribeiro
 

Mais de karol_ribeiro (20)

Cartilha colesterol 2009
Cartilha colesterol 2009Cartilha colesterol 2009
Cartilha colesterol 2009
 
Vivendo dpa guia_familiares_cuidadores
Vivendo dpa guia_familiares_cuidadoresVivendo dpa guia_familiares_cuidadores
Vivendo dpa guia_familiares_cuidadores
 
Cartilha prevencao da hérnia lombar
Cartilha prevencao da hérnia lombarCartilha prevencao da hérnia lombar
Cartilha prevencao da hérnia lombar
 
Manejo clinico dengue_3ed
Manejo clinico dengue_3edManejo clinico dengue_3ed
Manejo clinico dengue_3ed
 
Livro manual de imunizações - hospital albert einstein
Livro   manual de imunizações - hospital albert einsteinLivro   manual de imunizações - hospital albert einstein
Livro manual de imunizações - hospital albert einstein
 
Livro vademecum simplificado - influenza - ms
Livro   vademecum simplificado - influenza - msLivro   vademecum simplificado - influenza - ms
Livro vademecum simplificado - influenza - ms
 
Cart vac
Cart vacCart vac
Cart vac
 
Cartilhagripesuina baixaki
Cartilhagripesuina baixakiCartilhagripesuina baixaki
Cartilhagripesuina baixaki
 
Normas gripe sazonal agosto 2010[1]
Normas gripe sazonal agosto 2010[1]Normas gripe sazonal agosto 2010[1]
Normas gripe sazonal agosto 2010[1]
 
Cartilha saude mulher
Cartilha saude mulherCartilha saude mulher
Cartilha saude mulher
 
Eu gosto de_ser_mulher
Eu gosto de_ser_mulherEu gosto de_ser_mulher
Eu gosto de_ser_mulher
 
Hanseniase direitos humanos
Hanseniase direitos humanosHanseniase direitos humanos
Hanseniase direitos humanos
 
Cartilha saude homem
Cartilha saude homemCartilha saude homem
Cartilha saude homem
 
Cartilha prevencao doencas_infecciosas
Cartilha prevencao doencas_infecciosasCartilha prevencao doencas_infecciosas
Cartilha prevencao doencas_infecciosas
 
Cartilha postura
Cartilha posturaCartilha postura
Cartilha postura
 
Cartilha estresse
Cartilha estresseCartilha estresse
Cartilha estresse
 
Cartilha pressao alta
Cartilha pressao altaCartilha pressao alta
Cartilha pressao alta
 
Cartilha imunizacao
Cartilha imunizacaoCartilha imunizacao
Cartilha imunizacao
 
Cartilha dst aids
Cartilha dst aidsCartilha dst aids
Cartilha dst aids
 
Parto aborto puerperio
Parto aborto puerperioParto aborto puerperio
Parto aborto puerperio
 

Último

A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Falcão Brasil
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
VIAGEM AO PASSADO -
VIAGEM AO PASSADO                        -VIAGEM AO PASSADO                        -
VIAGEM AO PASSADO -
 

Aula infusão de sangue e derivados

  • 1. A hemoterapia moderna baseia-se no uso seletivos dos componentes do sangue. A utilização correta dos diversos hemocomponentes, associados a um maior controle de qualidade nas diversas etapas desde a coleta até o fracionamento, tem tornado a hemoterapia mais segura.
  • 2. Quem pode doar para quem? Doador Receptor 1a escolha 2a escolha 3a escolha O+ O+ O- A+ A+ O+, A- O- B+ B+ O+, B- O- AB+ AB+ AB-, A+, B+ O+, A-, B-, O- O- O- O+ A- A- O- A+, O+ B- B- O- A+, O+ AB- AB- A-, B-,O- AB+, A+, B+, O+ Fonte: Weinstein,2001
  • 3. Produtos Hemoderivados Concentrado CH diglicerolizadas de hemáceas (CH) CH lavadas Sangue total Granulócitos Concentrado de plaquetas Plasma Crioprecipitado Plasma congelado Fator anti-hemofílico Albumina sérica Plasma Líquido Fração protéica plasmática
  • 4. Cuidados de Enfermagem Passo 1- Conferir prescrição médica A prescrição deve especificar qual o componente a transfundir e a duração da transfusão. Quando se realiza a transfusão de múltiplos tipos de componentes, a prescrição deve especificar a ordem de infusão e qualquer modificação necessária na administração de hemocomponentes (p.ex: filtros de leucócitos, irradiação, lavado prova HLA) As prescrições devem especificar medicamentos pré(diuréticos, anti-histaminícos ou antipiréticos) e pós infusão se necessário.
  • 5. Passo 2- Seleção e preparo de materiais e equipamentos A seleção do material adequado envolve a escolha do cateter, solução, equipos de administração, filtros especiais, aquecedores de sangue e equipamentos eletrônicos de administração. Geralmente cateteres de 18 a 20G são recomendados para que seja mantida uma infusão adequada.
  • 6. Passo 3- Preparo do paciente O paciente deve ser orientado sobre o tempo dispensado para o procedimento, a necessidade de monitorização de condições físicas e de sinais vitais. Orientar o pacienta a informar qualquer sensação diferente, depois que a transfusão foi iniciada.
  • 7. DEVEM SER UTILIZADAS LUVAS DE PROTEÇÃO PARA MANIPULAR HEMOCOMPONENTES Passo 4 – Obtenção de hemocomponentes do banco de sangue A transfusão deve ser iniciada dentro de 30 minutos depois que o hemocomponente é retirado do banco de sangue. Se a transfusão é atrasada em mais de 30 minutos, o hemocomponente deve retornar ao banco de sangue para que seja armazenado adequadamente.
  • 8. As identificações precisas do hemocomponente e do receptor são essenciais. Vários itens devem ser sempre verificados e registrados antes que a transfusão tenha início: - rever a prescrição médica - verificar o nome e o número de identificação do receptor, que precisa estar contida na requisição do hemocomponente. O registro da bolsa deve ser anexado à documentação do paciente. - verificar compatibilidade ABO e RH - devem ser checadas coloração, aspecto e data de validade do hemocomponente.
  • 9. Passo 5- Preparo da administração Após obtenção do hemocomponente deve ser instalado o equipo para infusão. É de vital importância que seja checada a permeabilidade do cateter. Devem ser obtidos sinais vitais de base antes do início da infusão, incluindo T P R PA.
  • 10. O PACIENTE DEVE SER OBSERVADO POR PELO MENOS 5 MINUTOS APÓS O INÍCIO DA TRANSFUSÃO Passo 6- Início da Transfusão É recomendável que transfusões iniciem a 2ml/mim ou não mais que 50 ml nos primeiros 5 a 15 minutos de infusão, assim se houver uma reação transfusional apenas uma pequena quantidade de sangue terá sido administrada. O SANGUE DEVE SER ADMINISTRADO EM UM PERÍODO DE 4 HORAS. Quando um tempo mais longo de transfusão é necessário devido as condições clínicas do paciente, a unidade deve ser dividida pelo banco de sangue, assim uma porção pode ser refrigerada adequadamente enquanto se inicia a infusão da primeira.
  • 11. Passo 7- Monitorização da administração Os sinais vitais devem ser verificados ao término dos 15 minutos iniciais e depois periodicamente durante a transfusão. A observância criteriosa do paciente durante e após a transfusão é necessária. Os pacientes devem ser instruídos a chamar se qualquer sintoma ou sensação estranha ocorrer durante a transfusão.
  • 12. Passo 8- Suspensão da Transfusão Quando a transfusão for realizada em ambulatório, observar o paciente por mais 30 minutos antes de liberá-lo. Após o término de cada bolsa, verificar os sinais vitais e anotar no prontuário checando com as anotações do início da transfusão. Anexar a etiqueta da bolsa infundida ao prontuário do paciente
  • 13. PROCEDIMENTOS NAS REAÇÕES TRANSFUSIONAIS Quando houver suspeita de reação transfusional, as seguintes ações deverão ser desencadeadas junto ao leito do paciente: Interromper imediatamente a transfusão Conservar o acesso venoso Notificar o médico do paciente e o banco de sangue Verificar sinais vitais, anotando no prontuário Examinar todas as etiquetas, registros, conferindo novamente os dados do paciente com os dados da unidade de sangue ou componente em uso. Encaminhar a bolsa utilizada ao banco de sangue.