SlideShare uma empresa Scribd logo
LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLINICAS
NOSSA SENHORA DE LOURDES

Farm. Bioquímica Daniela Carla Taparello
Exames Laboratoriais


Os principais objetivos dos exames
laboratoriais são: confirmar, estabelecer
ou complementar o diagnóstico clínico;



Fornecem elementos para o prognóstico
de determinadas doenças;



Medicina Preventiva;



Avaliar a eficácia de um tratamento.
Exames Laboratoriais
Para que o laboratório clínico possa
oferecer respostas adequadas, é
indispensável que o preparo do
paciente e a coleta do material a
ser examinado sejam realizados
obedecendo-se determinadas regras,
sem as quais toda a rotina
laboratorial pode ser seriamente
prejudicada ou mesmo inviabilizada.
Fatores que interferem nos
resultados
 Técnica

da coleta do material
 Atividade física
 Período de jejum
 Alimentação
 Administração de drogas
 Fumo e bebida alcoólica
 Diferentes fases do ciclo menstrual
Instruções de Coleta


As instruções são dadas no momento em
que o paciente chega ao balcão da
recepção com a requisição de exames
solicitada pelo médico.



A maioria dos erros ocorre porque o
paciente não fez o preparo devido ou
omitiu informações relevantes para a
interpretação do exame.
Instruções de coleta para exames laboratoriais
Coleta de sangue


Os exames laboratoriais, realizados com
amostras de sangue, em sua maioria,
necessitam que a coleta seja feita em
jejum.



A coleta dura, em geral, de 1 a 5 minutos
dependendo do exame.



Em algumas pessoas a punção (picada) da
veia pode ser um pouco mais demorada
dependendo das características de cada
organismo.
Coleta de sangue


Após o término da coleta, o local da
punção deve ser comprimido de 2 a 4
minutos para evitar a formação de
hematomas (manchas roxas de sangue).



Se o paciente tiver algum problema de
coagulação ou estiver tomando algum
medicamento anti-coagulante, o tempo de
compressão deverá ser mais prolongado.
Coleta de sangue


NECESSIDADE DE UMA NOVA COLETA:

Em geral uma coleta é suficiente
para realização de seu exame.
Entretanto, em virtude de fatores
que
impossibilitem
a
análise
adequada do material colhido, pode
ser necessária a realização de uma
nova coleta.
Coleta de sangue


NECESSIDADE DE UMA NOVA COLETA:

Se isso ocorrer você será
imediatamente
contactado(a)
por
nosso Laboratório para realizar uma
nova coleta (sem qualquer custo
adicional), e a entrega do resultado
poderá ser adiada pelo período
necessário ao processamento da nova
amostra coletada.
Coleta de sangue
GLICEMIA DE JEJUM
 Exame

que mede o nível de açúcar
no sangue no momento da coleta;

 Utilizado

no

diagnóstico
de
hipoglicemia
ou
hiperglicemia;
acompanhamento de diabetes.
Coleta de sangue
TESTE DE TOLERÂNCIA ORAL
À GLICOSE (TTOG)
 Indicado

para o diagnóstico da
diabetes quando houver resultados
ambíguos de glicemia de jejum e
para o diagnóstico de diabetes
gestacional.
Coleta de sangue
GLICEMIA DE JEJUM E APÓS 75 GR =
TTOG (Teste de Tolerância Oral à Glicose)
GLICEMIA DE JEJUM

INGERIR SOLUÇÃO DE GLICOSE 75 Gr

GLICEMIA APÓS 2 HORAS
Coleta de sangue
CURVA GLICÊMICA
É

uma série de dosagens da glicose;

 Ao

todo são 5 coletas para medida
da glicose;

O

médico pode solicitar para
diagnosticar
diabetes
ou
como
acompanhamento de uma glicemia
elevada.
Coleta de sangue
CURVA GLICÊMICA
GLICEMIA DE JEJUM

INGERIR SOLUÇÃO DE GLICOSE 75 Gr

GLICEMIA 30 min
GLICEMIA 60 min
GLICEMIA 90 min
GLICEMIA 120 min
Coleta de sangue
TTOG E CURVA GLICÊMICA
 Não

é permitida a ingestão de
alimentos, chá, café ou álcool nos
intervalos das coletas de sangue e
deve-se permanecer em repouso e
sem fumar até que o exame esteja
terminado.
Coleta de sangue
GLICEMIA DE JEJUM E PÓS PRANDIAL
Coletas devem ser realizadas no mesmo dia
GLICEMIA DE JEJUM

ALMOÇAR NORMALMENTE

2 HORAS APÓS
GLICEMIA PÓS PRANDIAL
Coleta de sangue
GLICEMIA PÓS PRANDIAL






O paciente deverá marcar o horário do
término da refeição;
O
sangue
deverá
ser
colhido
precisamente 2 horas após este horário;
Durante este período, o paciente, não
poderá ingerir nenhum tipo de alimento,
principalmente doces. Somente água ou
medicação de costume são permitidos.
Coleta de sangue
TESTE DE TOLERÂNCIA À LACTOSE (TTL)
 1ª

coleta = em jejum
 Ingerir a solução de Lactose de 50 gr
 2ª coleta = 30 minutos após a
ingestão da solução.
 3ª coleta = 60 minutos após a
ingestão da solução.
Coleta de sangue
TESTE DE TOLERÂNCIA À LACTOSE (TTL)


O paciente não poderá fazer nenhuma
atividade física, não fumar, não é permitido
ingerir nenhum tipo de alimento, balas ou
líquidos, exceto água, sem exagero;



Em alguns casos, pode ocorrer desconforto
abdominal e/ou diarréia após o exame.
Coleta de sangue
 EXAMES

COM JEJUM DE
12 a 14 HORAS:

COLESTEROL TOTAL E FRAÇÕES
(HDL – LDL)
TRIGLICERÍDEOS
Coleta de sangue
COLESTEROL TOTAL E FRAÇÕES
Jejum:
Até 1 ano de idade: 3 horas;
De 1 a 5 nos de idade: 6 horas;
Acima de 5 anos de idade, jejum obrigatório de no
mínimo 12 horas e no máximo de 14 horas.





“Acima de 16 horas liberação ácidos graxos e
aumento do triglicerídeo.”
Coleta de sangue
 EXAMES

COM JEJUM DE
8 a 12 HORAS:

Ácido úrico, Amilase,
TGO, TGP, GGT,
Glicose, Curva Glicêmica, TTOG
Creatinina, PSA, TSH.
Coleta de sangue


JEJUM NÃO OBRIGATÓRIO:
Quando solicitados como urgentes pelo
médico;

Por exemplo: hemograma e coagulograma,
dispensa o jejum alimentar;
Porém, o ideal quando possível, é manter
um Jejum Mínimo De 2 Horas Após A
Ingestão De Alimentos.
Coleta de sangue
 CRIANÇAS

MUITO PEQUENAS:

O ideal é coletar o sangue antes
da próxima mamada.
Coleta de sangue
CORTISOL (coleta às 8 horas)
A coleta deve ser feita até duas horas
após o horário habitual do cliente acordar,
de preferência antes das 8:30 horas da
manhã;
 É necessário informar os medicamentos
em uso dos últimos 30 dias, em especial
os glicocorticóides.

Coleta de sangue
PROLACTINA

Repouso de 30 minutos.
POOL PROLACTINA

Repouso de 30 minutos e em seguida
coletar 3 amostras com intervalos de
15 minutos.
Coleta de sangue
TSH
 Exame

para
tireoidiana;

avaliar

 Preferencialmente

horas da manhã.

a

função

colher antes das 9
Coleta de sangue
TSH
 Caso

o indivíduo faça uso de
hormônio tiroidiano (Euthyrox®,
Puran
T4®,
Levoid®
ou
Synthroid®), a coleta tem de ser
realizada antes da próxima dose ou,
no mínimo, quatro horas após a
ingestão do medicamento.
Coleta de sangue
PSA
(Antígeno Prostático Específico)


A dosagem de PSA é utilizada como:
a) teste de triagem para detecção precoce
de Câncer de Próstata;
b)avaliação da resposta ao tratamento do
Câncer de Próstata.



Jejum desejável de 8 horas.
Coleta de sangue
PSA
Recomenda-se aguardar os prazos citados
abaixo para coleta do material:
1.
2.
3.
4.
5.
6.

Após
Após
Após
Após
Após
Após

relação sexual aguardar 2 dias;
ultra-som transretal, aguardar 24 horas;
toque retal aguardar 2 dias;
biópsia de prostáta aguardar 4 semanas;
massagem na próstata aguardar 4 semanas;
exercícios pesados, aguardar 24 horas.
Instruções de coleta para exames laboratoriais
EQU
(Exame Qualitativo de Urina)
Exame de urina simples.
Dividido em três partes:
1. Análise macroscópica
(aspecto, cor, volume)
2. Análise físico química –
realizada com tiras reagentes
3. Análise do sedimento
urinário no microscópio.
Urocultura-Cultura da Urina


É o exame que identifica a presença de bactérias
na urina.



A urina é semeada em meio propício a reprodução
de bactérias, chamado meio de cultura.

Caso a urina contenha
bactérias, em 24 horas
(em alguns casos 48 horas)
será possível identificar a
formação de colônias da bactéria.

Antibiograma


Após a bactéria ser identificada é realizado o teste
de
sensibilidade
aos
antibióticos
–
ANTIBIOGRAMA - é o ensaio que mede a
resistência ou a suscpetibilidade da bactéria ao
antibiótico testado.

O antibiograma é incubado
em estufa por
mais 24 horas.
MÉTODO DE COLETA - HOMENS
MÉTODO DE COLETA- MULHERES
Coleta de urina
A NÃO REALIZAÇÃO DA
ASSEPSIA PODE
CAUSAR INTERFERÊNCIA
NO RESULTADO DE
SEU EXAME
Coleta de urina
 Preferencialmente

da manhã;

 Caso

colher a 1ª urina

não seja possível aguardar no
mínimo 2 horas sem urinar para a
coleta;
Coleta de urina
 Fazer

a higiene da região genital com
água e sabão;

A

amostra deve ser colhida em
recipiente
apropriado
(ESTÉRIL)
fornecido pelo Laboratório;

 Colher

10 ml;

no mínimo um volume de
Coleta de urina
 Desprezar

o 1º jato urinário no

vaso sanitário pois transporta células
e secreções presentes na uretra,
coletar o jato médio no frasco, e o
jato final também deve ser descartado
no vaso sanitário.
Coleta de urina
A

amostra deve ser entregue num
prazo máximo de 2 horas para
análise.

O

Laboratório deve ser informado do
uso de algum medicamento
(ex: antibiótico e/ou
antissépticos urinários)
Coleta de urina


Mulheres
menstruadas
não
devem
efetuar a coleta até 3 dias após o término
da menstruação.



O ideal é fazer o exame fora do período
menstrual, contudo, nos casos de
urgência a urina pode ser colhida
tomando-se cuidado com a assepsia para
tentar evitar que o sangue menstrual se
misture à urina.
Coleta de urina
 Mulheres

em uso de cremes e
óvulos vaginais, devem adiar a
coleta por 3 dias ou no caso de
urgência fazer assepsia rigorosa,
eliminando resíduos dos produtos.
Coleta de urina
UROCULTURA
A

coleta deverá ser realizada 3 dias
após o término do uso do antibiótico

 Evitar

coletar em uso de
antimicrobianos, salvo sob
recomendação médica!
Coleta de urina em crianças
muito pequenas
Colocar o coletor de urina infantil estéril
após rigorosa higiene na criança.
 Há troca de coletores e assepsia a cada 45
minutos.
 Evitar
amostras com contaminação de
fezes.
 Após a coleta retirar o coletor e encaminhar
ao laboratório para análise sem demora na
entrega.
 Informar se faz uso de algum medicamento.

Coleta de urina de 24 horas
A primeira micção(urina) da manhã deve
ser desprezada, esvaziando a bexiga,
dando-se início a coleta.
 Recolher todas as micções seguintes, sem
perdas, nas 24 horas seguintes, incluindo
a primeira micção do dia seguinte.
 Mulheres menstruadas não devem efetuar
a coleta até 3 dias após o término da
menstruação.

Coleta de urina de 24 horas


CLEARENCE DE CREATININA
Deverá ser informado ao laboratório o
peso e altura do paciente.
Este deverá comparecer ao laboratório em
jejum para colher sangue para dosagem
de creatinina sangüínea.
Coleta de urina
AS AMOSTRAS DE URINA PODEM
SER REJEITADAS POR:
1. Falta de identificação no recipiente da
amostra;
2. Apresentar volume insuficiente;
3. Apresentar contaminação fecal ou vaginal;
ou menstruação;
4. Demora na entrega da urina após a coleta;
Coleta de urina
AS AMOSTRAS DE URINA PODEM
SER REJEITADAS POR:
5. Recipiente contaminado externamente.
6.Coleta em frasco não fornecido pelo
Laboratório
NESSES CASOS UMA NOVA
AMOSTRA SERÁ SOLICITADA
Instruções de coleta para exames laboratoriais
Coleta de Fezes
A

pessoa
jejum.

não

 Recomenda-se

precisa

estar

em

a coleta em casa, em
frasco apropriado fornecido pelo
Laboratório, sem contaminação com
urina ou água do vaso sanitário.
Coleta de Fezes
 Não

contamine externamente o
recipiente e não o preencha até a
borda.

 Recebidas

de segunda à sexta- feira
até às 15 horas.
Coleta de Fezes
EPF

(EXAME PARASITOLÓGICO DE FEZES)

Enviar ao laboratório até 2 horas após a
coleta
 Na
impossibilidade
conservá-la
em
geladeira por até 24 horas.
 Não se deve usar laxantes ou supositórios.
 Para coleta de 3 amostras: coletar em
dias alternados. (Ex: segunda, quarta e
sexta)

Coleta de Fezes
COPROCULTURA

(CULTURA DE FEZES)

 Encaminhar

ao laboratório as fezes
no MESMO DIA em até 3 horas.

 Se

em uso de antibiótico esperar
7 dias após o término do
medicamento para colher as fezes.
Coleta de Fezes
PESQUISA DE SANGUE OCULTO
 As

fezes devem ser encaminhadas no
MESMO DIA.

 Não

é necessário dieta especial,
utilizamos anticorpos monoclonais
para detectar a hemoglobina humana.
Coleta de Fezes
PESQUISA DE SANGUE OCULTO
 Não

colher
fezes
sangramento local.

 Evitar

caso

haja

sangramento gengival.

 Deve-se

evitar a ingestão de bebida
alcoólica nos 3 dias que antecedem o
exame.
Coleta de Fezes
PESQUISA DE SANGUE OCULTO


O álcool é um irritante gástrico e sua
ingestão em grande quantidade pode
provocar sangramento no estômago.



Recomenda-se evitar uso de laxantes,
contraste oral e alguns medicamentos
como
aspirina,
corticóides
e
antiinflamatórios nos 3 dias que antecedem o
exame.
Coleta de Fezes
PESQUISA DE SANGUE OCULTO


Aguardar 3 dias
hemorroidários
e
cessado.

após sangramentos
menstruais
terem



Informar ao Laboratório o uso de
medicamentos,
principalmente
antiinflamatórios e aspirina.
Coleta de Fezes
AS AMOSTRAS DE FEZES PODEM
SER REJEITADAS POR:
1. Falta de identificação no recipiente da
amostra;
2. Entregues após às 15 horas ou no sábado;
3. Demora na entrega das fezes após a
coleta;
4. Contaminação com urina ou com outros
materiais;
Coleta de Fezes
AS AMOSTRAS DE FEZES PODEM
SER REJEITADAS POR:
5. Recipiente contaminado externamente;
6.Recipiente preenchido com fezes até a
borda;
NESSES CASOS UMA NOVA AMOSTRA
SERÁ SOLICITADA
URINA E FEZES
O bom desempenho de
um exame depende de
uma BOA COLETA e
RAPIDEZ na
entrega do material
para análise.
Instruções de coleta para exames laboratoriais
O que é jejum??
 Ficar

sem ingerir alimentos de
qualquer
tipo
durante
um
determinado número de horas,
dependendo
do
exame
a
ser
realizado.
Água quebra o jejum??
 NÃO
O

paciente
normalmente.

 Evitar

pode

tomar

água

ingerir em excesso quando for
fazer EQU (Exame Qualitativo de
Urina) e UROCULTURA, ou TESTE DE
GRAVIDEZ NA URINA.
Jejum muito prolongado altera
resultados de exames?


SIM



Para glicemia o jejum máximo é de 14
horas. As Recomendações da Sociedade
Brasileira de Patologia Clínica/Medicina
Laboratorial (SBPC/ML) para coleta de
sangue venoso orientam que devem ser
evitadas coletas de sangue após períodos
muito prolongados de jejum acima de 16
horas, de maneira geral.
A alimentação pode interferir
nos resultados dos exames?


Sim, principalmente nos exames de
triglicerídeos e também de colesterol
os
alimentos
consumidos
nos
dias
precedentes à coleta de sangue podem
interferir nos resultados.



O jejum de 12 horas é imprescindível
antes da coleta de sangue para exames de
dosagem de triglicerídeos e frações do
colesterol.
Exercícios físicos interferem no
exame?


SIM



Evitar fazer exercícios físicos muito
cansativos ou prolongados antes da coleta
de sangue.



Caso não for possível, ficar em repouso
por pelo menos 30 MINUTOS antes de
realizar
sua
coleta
para
que
o
metabolismo volte ao normal.
Bebidas alcoólicas interferem no
exame??
 SIM
 Causam

interferência em exames de
Triglicerídeos, de colesterol e GGT.

 Evitar

a ingestão de bebida alcoólica,
por 3 dias antes da coleta.
A ingestão de café é permitida
antes da coleta?
 NÃO
A

cafeína pode induzir a liberação de
adrenalina, que, por sua vez,
estimula
pequena
elevação
da
glicose e outros elementos no
sangue.

 Chimarrão

também não é permitido.
O fumo é permitido antes da
coleta?
 NÃO
 Fumar

compromete exames de
agregação plaquetária e de curva
glicêmica.

 Nestes

casos não fume no dia da
coleta de seus exames.
O paciente deve suspender os
medicamentos antes da coleta de sangue?


NÃO



A suspensão de medicamentos somente
pode ser autorizada pelo médico e seu
uso deve ser mantido conforme orientação
do mesmo. Alguns exames são realizados
exatamente para avaliar o efeito do uso do
medicamento.

O paciente NUNCA poderá interromper
voluntariamente o uso de medicamentos.
INFORME SEMPRE O
ATENDENTE
SOBRE QUAISQUER
MEDICAMENTOS QUE ESTEJA
UTILIZANDO, POIS MUITOS
PODEM INTERFERIR
NOS RESULTADOS
DOS SEUS EXAMES.
Pode-se fazer exame de sangue
com gripe, resfriado ou febre?


Alguns exames são solicitados exatamente porque
a pessoa está com febre, para identificar sua
causa.



Por outro lado, exames realizados para controle
clínico ou para acompanhamento de doenças não
associadas ao quadro febril, não devem ser
realizados fora das condições normais de saúde,
atividade física e alimentação.



Nesses casos consulte um médico antes de realizar
o exame.
O período do ciclo menstrual interfere
nos resultados dos exames?


SIM.



Vários hormônios e outras substâncias no sangue
apresentam variações durante este ciclo e a
correta interpretação dos mesmos dependerá do
conhecimento do dia do ciclo menstrual no qual o
exame foi feito. Alguns exemplos destes são:
estradiol, LH, FSH, 17 hidroxiprogesterona, etc.



Nesses casos a amostra deve ser
colhida conforme solicitação médica
(escrita ou verbal), dependendo do dia
do ciclo.
Quantos dias de atraso menstrual são
necessários para realizar testes de
gravidez?


Para a maioria das mulheres, uma semana
após a relação em que possa ter ocorrido
a fecundação já é suficiente para fornecer
um resultado positivo no teste de gravidez
a partir de amostra de sangue (betaHCG).



No exame de urina este tempo aumenta
para uma semana de atraso menstrual.
Por que quando se tira sangue,
às vezes o local fica roxo?


A formação de hematoma é uma situação
comum após punção de artérias e veias.



O
hematoma
origina-se
do
extravasamento do sangue para o tecido
sob a pele, durante ou após a punção.



Caso a formação do hematoma seja
identificada durante a punção deve-se
fazer compressão local durante pelo
menos dois minutos.
Por que quando se tira sangue,
às vezes o local fica roxo?


Compressas frias podem ser utilizadas por
24 horas para auxiliar a reduzir a dor local
e a progressão do hematoma.



O procedimento de dobrar o braço após a
retirada da agulha e/ou carregar objetos
relativamente pesados logo após a coleta,
contribuem sobremaneira para a formação
do hematoma mesmo após uma coleta de
sangue bem sucedida.
Por que quando se tira sangue,
às vezes o local fica roxo?


Ele pode ocorrer em determinadas
situações, tais como:
*veias finas, delicadas, com muita
pressão,
*falta de boa compressão no local da
punção,
*e também o paciente usando algum
medicamento que altera a coagulação do
sangue, ex. Aspirina.
Informações Importantes:


Os valores dos testes de
laboratório sofrem influência
de
estados
fisiológicos,
patológicos,
uso
de
medicamentos e coleta.
Informações Importantes:


Mudanças radicais na dieta,
ingestão alcoólica, exercícios
físicos, sono e outros na
véspera de exames
laboratoriais, podem
prejudicar o resultado dos
mesmos.
Informações Importantes:


Informe ao Laboratório todos
os medicamentos que usa,
mesmo os mais banais. Para
auxiliar, leve com você as
receitas médicas ou as
embalagens.
Informações Importantes:
A

correta
interpretação
dos
resultados de qualquer exame
laboratorial depende de outras
informações que só o seu médico
possui. Quaisquer dúvidas em
relação aos resultados devem ser
esclarecidas
com
o
médico
solicitante dos exames.
Informações Importantes:


Não
utilize
recipiente
diferente
dos
padronizados.
O
Laboratório
fornece
recipientes indicados para coleta de urina e
fezes.



Quando em dúvida não faça a coleta do
material, entre em contato com o
Laboratório para esclarecer suas dúvidas.



A qualidade dos exames depende
preparo, transporte e conservação
material.

do
do
Só será possível retirar o laudo
com o comprovante de retirada
fornecido pelo laboratório no
momento da coleta.
Na falta do comprovante
original, (ex: perda, extravio)
o paciente tem que apresentar
documento de identidade.
Na COLETA DOMICILIAR
o comprovante de
retirada é levado pela
coletadora e entregue
ao paciente
e/ou responsável
Lembramos que
esta burocracia é
necessária para que seja
mantido a SEGURANÇA e
CONFIDENCIALIDADE
do laudo.
Referências Bibliográficas


Recomendações da Sociedade Brasileira de
Patologia/Medicina Laboratorial para coleta de Sangue
Venoso.



Garantia da Qualidade no Laboratório Clínico – Programa
Nacional de Controle de Qualidade (PNCQ)



Laboratório Hermes Pardini – Manual de Coleta



Dúvidas frequentes Hermes Pardini.Disponível em:
http://www3.hermespardini.com.br/pagina/99/perguntasfrequentes.aspx



Dúvidas frequentes Hospital São Lucas:
http://www.laboratoriosaolucas.com.br/coleta.php



Apolo Laboratório de Análises. Disponível em:
http://www.laboratorioapolo.com.br/instrucoes-de-coleta/
Referências Bibliográficas


Bioanálise Laboratório de Análises Clínicas. Disponível em:
http://www.bioanalisepva.com.br/documentos/instrucoes_de_coleta
.html



Laboratório Central. Disponível em:
http://www.laboratoriocentral.com.br/wp/exames-femininos/



Laboratório Fleming. Disponível em: http://www.fleminglab.com.br/duvidas/duvidas.html



Laboratório Bioclínico. Disponível em:
http://bioclinico.med.br/index.php?
searchword=glicose&ordering=&searchphrase=all&option=com_sea
rch



Laboratório Santa Cecília. Disponível em:
http://www.labsantacecilia.com.br/exames_intrucoes_coleta/instruc
oes_coleta.pdf



Laboratório Analisa. Disponível em:
http://www.laboratorioanalisa.com.br/index.php

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Hemoterapia 2
Hemoterapia 2Hemoterapia 2
Hemoterapia 2
janinemagalhaes
 
Coleta de sangue para exames.pptx
Coleta de sangue para exames.pptxColeta de sangue para exames.pptx
Coleta de sangue para exames.pptx
PinheiroNeto2
 
Aula 2
Aula 2   Aula 2
Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)
Will Nunes
 
1ª Aula Bioquimica - http://bio-quimica.blogspot.com
1ª Aula Bioquimica - http://bio-quimica.blogspot.com1ª Aula Bioquimica - http://bio-quimica.blogspot.com
1ª Aula Bioquimica - http://bio-quimica.blogspot.com
Julio Dutra
 
Hemoterapia 1
Hemoterapia 1Hemoterapia 1
Hemoterapia 1
janinemagalhaes
 
Balanco hidrico
Balanco hidricoBalanco hidrico
Balanco hidrico
eduardo leao
 
Urinalise 1
Urinalise 1Urinalise 1
Urinalise 1
Rosimeire Areias
 
Hemodiálise
HemodiáliseHemodiálise
Hemodiálise
resenfe2013
 
Cuidado de enfermagem em doenças crônicas com foco na hipertensão
Cuidado de enfermagem em doenças crônicas com foco na hipertensãoCuidado de enfermagem em doenças crônicas com foco na hipertensão
Cuidado de enfermagem em doenças crônicas com foco na hipertensão
Fabrício Bragança
 
Teste de glicemia capilar slide
Teste de glicemia capilar   slideTeste de glicemia capilar   slide
Teste de glicemia capilar slide
Renata Nobre
 
Aula Central de material Esterilizado
Aula Central de material EsterilizadoAula Central de material Esterilizado
Aula Central de material Esterilizado
Conceição Quirino
 
Aula de Instrumentação Biomédica sobre erros pre analiticos
Aula de Instrumentação Biomédica sobre erros pre analiticosAula de Instrumentação Biomédica sobre erros pre analiticos
Aula de Instrumentação Biomédica sobre erros pre analiticos
Jaqueline Almeida
 
Aula 13 sistema urinário - anatomia e fisiologia
Aula 13   sistema urinário - anatomia e fisiologiaAula 13   sistema urinário - anatomia e fisiologia
Aula 13 sistema urinário - anatomia e fisiologia
Hamilton Nobrega
 
Montagem, circulação e desmontagem de uma sala de operação (SO) - No Caminho ...
Montagem, circulação e desmontagem de uma sala de operação (SO) - No Caminho ...Montagem, circulação e desmontagem de uma sala de operação (SO) - No Caminho ...
Montagem, circulação e desmontagem de uma sala de operação (SO) - No Caminho ...
Lucas Fontes
 
Cateterismo vesical
Cateterismo vesicalCateterismo vesical
Cateterismo vesical
Rodrigo Abreu
 
Aula biossegurança
Aula biossegurançaAula biossegurança
Aula biossegurança
Renatbar
 
Infarto Agudo do Miocárdio
Infarto Agudo do MiocárdioInfarto Agudo do Miocárdio
Infarto Agudo do Miocárdio
Danielle Alexia
 
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Eduardo Gomes da Silva
 
Apostila coleta cnpq
Apostila coleta cnpqApostila coleta cnpq
Apostila coleta cnpq
Anderson Galvao
 

Mais procurados (20)

Hemoterapia 2
Hemoterapia 2Hemoterapia 2
Hemoterapia 2
 
Coleta de sangue para exames.pptx
Coleta de sangue para exames.pptxColeta de sangue para exames.pptx
Coleta de sangue para exames.pptx
 
Aula 2
Aula 2   Aula 2
Aula 2
 
Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)
 
1ª Aula Bioquimica - http://bio-quimica.blogspot.com
1ª Aula Bioquimica - http://bio-quimica.blogspot.com1ª Aula Bioquimica - http://bio-quimica.blogspot.com
1ª Aula Bioquimica - http://bio-quimica.blogspot.com
 
Hemoterapia 1
Hemoterapia 1Hemoterapia 1
Hemoterapia 1
 
Balanco hidrico
Balanco hidricoBalanco hidrico
Balanco hidrico
 
Urinalise 1
Urinalise 1Urinalise 1
Urinalise 1
 
Hemodiálise
HemodiáliseHemodiálise
Hemodiálise
 
Cuidado de enfermagem em doenças crônicas com foco na hipertensão
Cuidado de enfermagem em doenças crônicas com foco na hipertensãoCuidado de enfermagem em doenças crônicas com foco na hipertensão
Cuidado de enfermagem em doenças crônicas com foco na hipertensão
 
Teste de glicemia capilar slide
Teste de glicemia capilar   slideTeste de glicemia capilar   slide
Teste de glicemia capilar slide
 
Aula Central de material Esterilizado
Aula Central de material EsterilizadoAula Central de material Esterilizado
Aula Central de material Esterilizado
 
Aula de Instrumentação Biomédica sobre erros pre analiticos
Aula de Instrumentação Biomédica sobre erros pre analiticosAula de Instrumentação Biomédica sobre erros pre analiticos
Aula de Instrumentação Biomédica sobre erros pre analiticos
 
Aula 13 sistema urinário - anatomia e fisiologia
Aula 13   sistema urinário - anatomia e fisiologiaAula 13   sistema urinário - anatomia e fisiologia
Aula 13 sistema urinário - anatomia e fisiologia
 
Montagem, circulação e desmontagem de uma sala de operação (SO) - No Caminho ...
Montagem, circulação e desmontagem de uma sala de operação (SO) - No Caminho ...Montagem, circulação e desmontagem de uma sala de operação (SO) - No Caminho ...
Montagem, circulação e desmontagem de uma sala de operação (SO) - No Caminho ...
 
Cateterismo vesical
Cateterismo vesicalCateterismo vesical
Cateterismo vesical
 
Aula biossegurança
Aula biossegurançaAula biossegurança
Aula biossegurança
 
Infarto Agudo do Miocárdio
Infarto Agudo do MiocárdioInfarto Agudo do Miocárdio
Infarto Agudo do Miocárdio
 
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
 
Apostila coleta cnpq
Apostila coleta cnpqApostila coleta cnpq
Apostila coleta cnpq
 

Semelhante a Instruções de coleta para exames laboratoriais

Apostila textos - Tecnicas de Coleta
Apostila   textos - Tecnicas de ColetaApostila   textos - Tecnicas de Coleta
Apostila textos - Tecnicas de Coleta
José Vitor Alves
 
Fundamentos de Enfermagem - Grau 3 (2).pptx
Fundamentos de Enfermagem - Grau 3 (2).pptxFundamentos de Enfermagem - Grau 3 (2).pptx
Fundamentos de Enfermagem - Grau 3 (2).pptx
VeridyanaValverde1
 
Ação promocional Dia da Saúde - Planfleto Campanha
Ação promocional   Dia da Saúde - Planfleto CampanhaAção promocional   Dia da Saúde - Planfleto Campanha
Ação promocional Dia da Saúde - Planfleto Campanha
Sérgio Nunes
 
Testes Funcionais - Coleta, Triagem e Conservação de Material Biológico
Testes Funcionais - Coleta, Triagem e Conservação de Material BiológicoTestes Funcionais - Coleta, Triagem e Conservação de Material Biológico
Testes Funcionais - Coleta, Triagem e Conservação de Material Biológico
Fernanda Clara
 
CETERP_slide[1][1].pptxhhhhhhhhhhjjjjjjjj
CETERP_slide[1][1].pptxhhhhhhhhhhjjjjjjjjCETERP_slide[1][1].pptxhhhhhhhhhhjjjjjjjj
CETERP_slide[1][1].pptxhhhhhhhhhhjjjjjjjj
RicardoGabriel55
 
CETERP_slide[1][1].pptx
CETERP_slide[1][1].pptxCETERP_slide[1][1].pptx
CETERP_slide[1][1].pptx
RicardoGabriel55
 
Patologia obstetricia 2016
Patologia obstetricia  2016Patologia obstetricia  2016
Patologia obstetricia 2016
angelalessadeandrade
 
exames laboratoriais.pdf
exames laboratoriais.pdfexames laboratoriais.pdf
exames laboratoriais.pdf
AnnaCarolinaCastro2
 
Aula de Urinálise Conceitos Básicos.pdf
Aula de Urinálise Conceitos Básicos.pdfAula de Urinálise Conceitos Básicos.pdf
Aula de Urinálise Conceitos Básicos.pdf
nataniacoutinho1
 
Aula 10- Coleta de materiais laboratoriais.pdf
Aula 10- Coleta de materiais laboratoriais.pdfAula 10- Coleta de materiais laboratoriais.pdf
Aula 10- Coleta de materiais laboratoriais.pdf
LarissaMachado97
 
aula bia.ppt
aula bia.pptaula bia.ppt
aula bia.ppt
EnfermeiroEdgarJunio
 
Dengue gravidez
Dengue   gravidezDengue   gravidez
Dengue gravidez
adrianomedico
 
Espermograma
EspermogramaEspermograma
Exame quimico da urina
Exame quimico da urinaExame quimico da urina
Exame quimico da urina
Arley Melo
 
ELEMENTOS ANORMAIS E SEDIMENTOSCOPIA - EAS
ELEMENTOS ANORMAIS E SEDIMENTOSCOPIA - EASELEMENTOS ANORMAIS E SEDIMENTOSCOPIA - EAS
ELEMENTOS ANORMAIS E SEDIMENTOSCOPIA - EAS
vitorandrey
 
Prenatal baixo risco
Prenatal baixo riscoPrenatal baixo risco
Prenatal baixo risco
Ceça Botelho
 
999735354-arboviroses com enfase em dengue dez 2023 2024 19-12.pdf
999735354-arboviroses com enfase em dengue dez 2023 2024 19-12.pdf999735354-arboviroses com enfase em dengue dez 2023 2024 19-12.pdf
999735354-arboviroses com enfase em dengue dez 2023 2024 19-12.pdf
hospitalaresarquivos
 
Seminário Proteinograma
Seminário ProteinogramaSeminário Proteinograma
Seminário Proteinograma
Glenia Berlanda
 
Pre natal de baixo risco parte 2 Uesc Medicina
Pre natal de baixo risco parte 2  Uesc MedicinaPre natal de baixo risco parte 2  Uesc Medicina
Pre natal de baixo risco parte 2 Uesc Medicina
Auro Gonçalves
 
Principais exames na infância ...
Principais exames na infância ...Principais exames na infância ...
Principais exames na infância ...
WAGNER OLIVEIRA
 

Semelhante a Instruções de coleta para exames laboratoriais (20)

Apostila textos - Tecnicas de Coleta
Apostila   textos - Tecnicas de ColetaApostila   textos - Tecnicas de Coleta
Apostila textos - Tecnicas de Coleta
 
Fundamentos de Enfermagem - Grau 3 (2).pptx
Fundamentos de Enfermagem - Grau 3 (2).pptxFundamentos de Enfermagem - Grau 3 (2).pptx
Fundamentos de Enfermagem - Grau 3 (2).pptx
 
Ação promocional Dia da Saúde - Planfleto Campanha
Ação promocional   Dia da Saúde - Planfleto CampanhaAção promocional   Dia da Saúde - Planfleto Campanha
Ação promocional Dia da Saúde - Planfleto Campanha
 
Testes Funcionais - Coleta, Triagem e Conservação de Material Biológico
Testes Funcionais - Coleta, Triagem e Conservação de Material BiológicoTestes Funcionais - Coleta, Triagem e Conservação de Material Biológico
Testes Funcionais - Coleta, Triagem e Conservação de Material Biológico
 
CETERP_slide[1][1].pptxhhhhhhhhhhjjjjjjjj
CETERP_slide[1][1].pptxhhhhhhhhhhjjjjjjjjCETERP_slide[1][1].pptxhhhhhhhhhhjjjjjjjj
CETERP_slide[1][1].pptxhhhhhhhhhhjjjjjjjj
 
CETERP_slide[1][1].pptx
CETERP_slide[1][1].pptxCETERP_slide[1][1].pptx
CETERP_slide[1][1].pptx
 
Patologia obstetricia 2016
Patologia obstetricia  2016Patologia obstetricia  2016
Patologia obstetricia 2016
 
exames laboratoriais.pdf
exames laboratoriais.pdfexames laboratoriais.pdf
exames laboratoriais.pdf
 
Aula de Urinálise Conceitos Básicos.pdf
Aula de Urinálise Conceitos Básicos.pdfAula de Urinálise Conceitos Básicos.pdf
Aula de Urinálise Conceitos Básicos.pdf
 
Aula 10- Coleta de materiais laboratoriais.pdf
Aula 10- Coleta de materiais laboratoriais.pdfAula 10- Coleta de materiais laboratoriais.pdf
Aula 10- Coleta de materiais laboratoriais.pdf
 
aula bia.ppt
aula bia.pptaula bia.ppt
aula bia.ppt
 
Dengue gravidez
Dengue   gravidezDengue   gravidez
Dengue gravidez
 
Espermograma
EspermogramaEspermograma
Espermograma
 
Exame quimico da urina
Exame quimico da urinaExame quimico da urina
Exame quimico da urina
 
ELEMENTOS ANORMAIS E SEDIMENTOSCOPIA - EAS
ELEMENTOS ANORMAIS E SEDIMENTOSCOPIA - EASELEMENTOS ANORMAIS E SEDIMENTOSCOPIA - EAS
ELEMENTOS ANORMAIS E SEDIMENTOSCOPIA - EAS
 
Prenatal baixo risco
Prenatal baixo riscoPrenatal baixo risco
Prenatal baixo risco
 
999735354-arboviroses com enfase em dengue dez 2023 2024 19-12.pdf
999735354-arboviroses com enfase em dengue dez 2023 2024 19-12.pdf999735354-arboviroses com enfase em dengue dez 2023 2024 19-12.pdf
999735354-arboviroses com enfase em dengue dez 2023 2024 19-12.pdf
 
Seminário Proteinograma
Seminário ProteinogramaSeminário Proteinograma
Seminário Proteinograma
 
Pre natal de baixo risco parte 2 Uesc Medicina
Pre natal de baixo risco parte 2  Uesc MedicinaPre natal de baixo risco parte 2  Uesc Medicina
Pre natal de baixo risco parte 2 Uesc Medicina
 
Principais exames na infância ...
Principais exames na infância ...Principais exames na infância ...
Principais exames na infância ...
 

Mais de clinicansl

Tabagismo 1
Tabagismo 1Tabagismo 1
Tabagismo 1
clinicansl
 
Doenças respiratorias
Doenças respiratoriasDoenças respiratorias
Doenças respiratorias
clinicansl
 
035 o nosso poder vem de dentro
035 o nosso poder vem de dentro035 o nosso poder vem de dentro
035 o nosso poder vem de dentro
clinicansl
 
Licao dos-gansospps
Licao dos-gansosppsLicao dos-gansospps
Licao dos-gansospps
clinicansl
 
O segredo (resumido)
O segredo (resumido)O segredo (resumido)
O segredo (resumido)
clinicansl
 
Sábios porcos espinhos
Sábios porcos espinhosSábios porcos espinhos
Sábios porcos espinhos
clinicansl
 
Tudo depende de_mim_chaplin_1_
Tudo depende de_mim_chaplin_1_Tudo depende de_mim_chaplin_1_
Tudo depende de_mim_chaplin_1_
clinicansl
 
Como minimizar o risco de ataque cardíaco
Como minimizar o  risco de ataque cardíacoComo minimizar o  risco de ataque cardíaco
Como minimizar o risco de ataque cardíaco
clinicansl
 
Equoterapia parte 1 1
Equoterapia parte 1 1Equoterapia parte 1 1
Equoterapia parte 1 1
clinicansl
 
Equoterapia parte 3
Equoterapia   parte 3Equoterapia   parte 3
Equoterapia parte 3
clinicansl
 
Equoterapia parte 2
Equoterapia   parte 2Equoterapia   parte 2
Equoterapia parte 2
clinicansl
 
Palestra has e dm
Palestra has e dmPalestra has e dm
Palestra has e dm
clinicansl
 
Fisioterapia
FisioterapiaFisioterapia
Fisioterapia
clinicansl
 
Modificações sistêmicas da gestação
Modificações sistêmicas da gestaçãoModificações sistêmicas da gestação
Modificações sistêmicas da gestação
clinicansl
 
Incontinência urinária fisioterapia
Incontinência urinária fisioterapiaIncontinência urinária fisioterapia
Incontinência urinária fisioterapia
clinicansl
 
Primerios socorros
Primerios socorrosPrimerios socorros
Primerios socorros
clinicansl
 
Vida o maior de todos os presentes
Vida   o maior de todos os presentesVida   o maior de todos os presentes
Vida o maior de todos os presentes
clinicansl
 
Entendendoodiabetes
EntendendoodiabetesEntendendoodiabetes
Entendendoodiabetes
clinicansl
 
Celebrar a vida
Celebrar a vidaCelebrar a vida
Celebrar a vida
clinicansl
 
Biossegurança
BiossegurançaBiossegurança
Biossegurança
clinicansl
 

Mais de clinicansl (20)

Tabagismo 1
Tabagismo 1Tabagismo 1
Tabagismo 1
 
Doenças respiratorias
Doenças respiratoriasDoenças respiratorias
Doenças respiratorias
 
035 o nosso poder vem de dentro
035 o nosso poder vem de dentro035 o nosso poder vem de dentro
035 o nosso poder vem de dentro
 
Licao dos-gansospps
Licao dos-gansosppsLicao dos-gansospps
Licao dos-gansospps
 
O segredo (resumido)
O segredo (resumido)O segredo (resumido)
O segredo (resumido)
 
Sábios porcos espinhos
Sábios porcos espinhosSábios porcos espinhos
Sábios porcos espinhos
 
Tudo depende de_mim_chaplin_1_
Tudo depende de_mim_chaplin_1_Tudo depende de_mim_chaplin_1_
Tudo depende de_mim_chaplin_1_
 
Como minimizar o risco de ataque cardíaco
Como minimizar o  risco de ataque cardíacoComo minimizar o  risco de ataque cardíaco
Como minimizar o risco de ataque cardíaco
 
Equoterapia parte 1 1
Equoterapia parte 1 1Equoterapia parte 1 1
Equoterapia parte 1 1
 
Equoterapia parte 3
Equoterapia   parte 3Equoterapia   parte 3
Equoterapia parte 3
 
Equoterapia parte 2
Equoterapia   parte 2Equoterapia   parte 2
Equoterapia parte 2
 
Palestra has e dm
Palestra has e dmPalestra has e dm
Palestra has e dm
 
Fisioterapia
FisioterapiaFisioterapia
Fisioterapia
 
Modificações sistêmicas da gestação
Modificações sistêmicas da gestaçãoModificações sistêmicas da gestação
Modificações sistêmicas da gestação
 
Incontinência urinária fisioterapia
Incontinência urinária fisioterapiaIncontinência urinária fisioterapia
Incontinência urinária fisioterapia
 
Primerios socorros
Primerios socorrosPrimerios socorros
Primerios socorros
 
Vida o maior de todos os presentes
Vida   o maior de todos os presentesVida   o maior de todos os presentes
Vida o maior de todos os presentes
 
Entendendoodiabetes
EntendendoodiabetesEntendendoodiabetes
Entendendoodiabetes
 
Celebrar a vida
Celebrar a vidaCelebrar a vida
Celebrar a vida
 
Biossegurança
BiossegurançaBiossegurança
Biossegurança
 

Último

escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 

Instruções de coleta para exames laboratoriais

  • 1. LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLINICAS NOSSA SENHORA DE LOURDES Farm. Bioquímica Daniela Carla Taparello
  • 2. Exames Laboratoriais  Os principais objetivos dos exames laboratoriais são: confirmar, estabelecer ou complementar o diagnóstico clínico;  Fornecem elementos para o prognóstico de determinadas doenças;  Medicina Preventiva;  Avaliar a eficácia de um tratamento.
  • 3. Exames Laboratoriais Para que o laboratório clínico possa oferecer respostas adequadas, é indispensável que o preparo do paciente e a coleta do material a ser examinado sejam realizados obedecendo-se determinadas regras, sem as quais toda a rotina laboratorial pode ser seriamente prejudicada ou mesmo inviabilizada.
  • 4. Fatores que interferem nos resultados  Técnica da coleta do material  Atividade física  Período de jejum  Alimentação  Administração de drogas  Fumo e bebida alcoólica  Diferentes fases do ciclo menstrual
  • 5. Instruções de Coleta  As instruções são dadas no momento em que o paciente chega ao balcão da recepção com a requisição de exames solicitada pelo médico.  A maioria dos erros ocorre porque o paciente não fez o preparo devido ou omitiu informações relevantes para a interpretação do exame.
  • 7. Coleta de sangue  Os exames laboratoriais, realizados com amostras de sangue, em sua maioria, necessitam que a coleta seja feita em jejum.  A coleta dura, em geral, de 1 a 5 minutos dependendo do exame.  Em algumas pessoas a punção (picada) da veia pode ser um pouco mais demorada dependendo das características de cada organismo.
  • 8. Coleta de sangue  Após o término da coleta, o local da punção deve ser comprimido de 2 a 4 minutos para evitar a formação de hematomas (manchas roxas de sangue).  Se o paciente tiver algum problema de coagulação ou estiver tomando algum medicamento anti-coagulante, o tempo de compressão deverá ser mais prolongado.
  • 9. Coleta de sangue  NECESSIDADE DE UMA NOVA COLETA: Em geral uma coleta é suficiente para realização de seu exame. Entretanto, em virtude de fatores que impossibilitem a análise adequada do material colhido, pode ser necessária a realização de uma nova coleta.
  • 10. Coleta de sangue  NECESSIDADE DE UMA NOVA COLETA: Se isso ocorrer você será imediatamente contactado(a) por nosso Laboratório para realizar uma nova coleta (sem qualquer custo adicional), e a entrega do resultado poderá ser adiada pelo período necessário ao processamento da nova amostra coletada.
  • 11. Coleta de sangue GLICEMIA DE JEJUM  Exame que mede o nível de açúcar no sangue no momento da coleta;  Utilizado no diagnóstico de hipoglicemia ou hiperglicemia; acompanhamento de diabetes.
  • 12. Coleta de sangue TESTE DE TOLERÂNCIA ORAL À GLICOSE (TTOG)  Indicado para o diagnóstico da diabetes quando houver resultados ambíguos de glicemia de jejum e para o diagnóstico de diabetes gestacional.
  • 13. Coleta de sangue GLICEMIA DE JEJUM E APÓS 75 GR = TTOG (Teste de Tolerância Oral à Glicose) GLICEMIA DE JEJUM INGERIR SOLUÇÃO DE GLICOSE 75 Gr GLICEMIA APÓS 2 HORAS
  • 14. Coleta de sangue CURVA GLICÊMICA É uma série de dosagens da glicose;  Ao todo são 5 coletas para medida da glicose; O médico pode solicitar para diagnosticar diabetes ou como acompanhamento de uma glicemia elevada.
  • 15. Coleta de sangue CURVA GLICÊMICA GLICEMIA DE JEJUM INGERIR SOLUÇÃO DE GLICOSE 75 Gr GLICEMIA 30 min GLICEMIA 60 min GLICEMIA 90 min GLICEMIA 120 min
  • 16. Coleta de sangue TTOG E CURVA GLICÊMICA  Não é permitida a ingestão de alimentos, chá, café ou álcool nos intervalos das coletas de sangue e deve-se permanecer em repouso e sem fumar até que o exame esteja terminado.
  • 17. Coleta de sangue GLICEMIA DE JEJUM E PÓS PRANDIAL Coletas devem ser realizadas no mesmo dia GLICEMIA DE JEJUM ALMOÇAR NORMALMENTE 2 HORAS APÓS GLICEMIA PÓS PRANDIAL
  • 18. Coleta de sangue GLICEMIA PÓS PRANDIAL    O paciente deverá marcar o horário do término da refeição; O sangue deverá ser colhido precisamente 2 horas após este horário; Durante este período, o paciente, não poderá ingerir nenhum tipo de alimento, principalmente doces. Somente água ou medicação de costume são permitidos.
  • 19. Coleta de sangue TESTE DE TOLERÂNCIA À LACTOSE (TTL)  1ª coleta = em jejum  Ingerir a solução de Lactose de 50 gr  2ª coleta = 30 minutos após a ingestão da solução.  3ª coleta = 60 minutos após a ingestão da solução.
  • 20. Coleta de sangue TESTE DE TOLERÂNCIA À LACTOSE (TTL)  O paciente não poderá fazer nenhuma atividade física, não fumar, não é permitido ingerir nenhum tipo de alimento, balas ou líquidos, exceto água, sem exagero;  Em alguns casos, pode ocorrer desconforto abdominal e/ou diarréia após o exame.
  • 21. Coleta de sangue  EXAMES COM JEJUM DE 12 a 14 HORAS: COLESTEROL TOTAL E FRAÇÕES (HDL – LDL) TRIGLICERÍDEOS
  • 22. Coleta de sangue COLESTEROL TOTAL E FRAÇÕES Jejum: Até 1 ano de idade: 3 horas; De 1 a 5 nos de idade: 6 horas; Acima de 5 anos de idade, jejum obrigatório de no mínimo 12 horas e no máximo de 14 horas.   “Acima de 16 horas liberação ácidos graxos e aumento do triglicerídeo.”
  • 23. Coleta de sangue  EXAMES COM JEJUM DE 8 a 12 HORAS: Ácido úrico, Amilase, TGO, TGP, GGT, Glicose, Curva Glicêmica, TTOG Creatinina, PSA, TSH.
  • 24. Coleta de sangue  JEJUM NÃO OBRIGATÓRIO: Quando solicitados como urgentes pelo médico; Por exemplo: hemograma e coagulograma, dispensa o jejum alimentar; Porém, o ideal quando possível, é manter um Jejum Mínimo De 2 Horas Após A Ingestão De Alimentos.
  • 25. Coleta de sangue  CRIANÇAS MUITO PEQUENAS: O ideal é coletar o sangue antes da próxima mamada.
  • 26. Coleta de sangue CORTISOL (coleta às 8 horas) A coleta deve ser feita até duas horas após o horário habitual do cliente acordar, de preferência antes das 8:30 horas da manhã;  É necessário informar os medicamentos em uso dos últimos 30 dias, em especial os glicocorticóides. 
  • 27. Coleta de sangue PROLACTINA Repouso de 30 minutos. POOL PROLACTINA Repouso de 30 minutos e em seguida coletar 3 amostras com intervalos de 15 minutos.
  • 28. Coleta de sangue TSH  Exame para tireoidiana; avaliar  Preferencialmente horas da manhã. a função colher antes das 9
  • 29. Coleta de sangue TSH  Caso o indivíduo faça uso de hormônio tiroidiano (Euthyrox®, Puran T4®, Levoid® ou Synthroid®), a coleta tem de ser realizada antes da próxima dose ou, no mínimo, quatro horas após a ingestão do medicamento.
  • 30. Coleta de sangue PSA (Antígeno Prostático Específico)  A dosagem de PSA é utilizada como: a) teste de triagem para detecção precoce de Câncer de Próstata; b)avaliação da resposta ao tratamento do Câncer de Próstata.  Jejum desejável de 8 horas.
  • 31. Coleta de sangue PSA Recomenda-se aguardar os prazos citados abaixo para coleta do material: 1. 2. 3. 4. 5. 6. Após Após Após Após Após Após relação sexual aguardar 2 dias; ultra-som transretal, aguardar 24 horas; toque retal aguardar 2 dias; biópsia de prostáta aguardar 4 semanas; massagem na próstata aguardar 4 semanas; exercícios pesados, aguardar 24 horas.
  • 33. EQU (Exame Qualitativo de Urina) Exame de urina simples. Dividido em três partes: 1. Análise macroscópica (aspecto, cor, volume) 2. Análise físico química – realizada com tiras reagentes 3. Análise do sedimento urinário no microscópio.
  • 34. Urocultura-Cultura da Urina  É o exame que identifica a presença de bactérias na urina.  A urina é semeada em meio propício a reprodução de bactérias, chamado meio de cultura. Caso a urina contenha bactérias, em 24 horas (em alguns casos 48 horas) será possível identificar a formação de colônias da bactéria. 
  • 35. Antibiograma  Após a bactéria ser identificada é realizado o teste de sensibilidade aos antibióticos – ANTIBIOGRAMA - é o ensaio que mede a resistência ou a suscpetibilidade da bactéria ao antibiótico testado. O antibiograma é incubado em estufa por mais 24 horas.
  • 36. MÉTODO DE COLETA - HOMENS
  • 37. MÉTODO DE COLETA- MULHERES
  • 38. Coleta de urina A NÃO REALIZAÇÃO DA ASSEPSIA PODE CAUSAR INTERFERÊNCIA NO RESULTADO DE SEU EXAME
  • 39. Coleta de urina  Preferencialmente da manhã;  Caso colher a 1ª urina não seja possível aguardar no mínimo 2 horas sem urinar para a coleta;
  • 40. Coleta de urina  Fazer a higiene da região genital com água e sabão; A amostra deve ser colhida em recipiente apropriado (ESTÉRIL) fornecido pelo Laboratório;  Colher 10 ml; no mínimo um volume de
  • 41. Coleta de urina  Desprezar o 1º jato urinário no vaso sanitário pois transporta células e secreções presentes na uretra, coletar o jato médio no frasco, e o jato final também deve ser descartado no vaso sanitário.
  • 42. Coleta de urina A amostra deve ser entregue num prazo máximo de 2 horas para análise. O Laboratório deve ser informado do uso de algum medicamento (ex: antibiótico e/ou antissépticos urinários)
  • 43. Coleta de urina  Mulheres menstruadas não devem efetuar a coleta até 3 dias após o término da menstruação.  O ideal é fazer o exame fora do período menstrual, contudo, nos casos de urgência a urina pode ser colhida tomando-se cuidado com a assepsia para tentar evitar que o sangue menstrual se misture à urina.
  • 44. Coleta de urina  Mulheres em uso de cremes e óvulos vaginais, devem adiar a coleta por 3 dias ou no caso de urgência fazer assepsia rigorosa, eliminando resíduos dos produtos.
  • 45. Coleta de urina UROCULTURA A coleta deverá ser realizada 3 dias após o término do uso do antibiótico  Evitar coletar em uso de antimicrobianos, salvo sob recomendação médica!
  • 46. Coleta de urina em crianças muito pequenas Colocar o coletor de urina infantil estéril após rigorosa higiene na criança.  Há troca de coletores e assepsia a cada 45 minutos.  Evitar amostras com contaminação de fezes.  Após a coleta retirar o coletor e encaminhar ao laboratório para análise sem demora na entrega.  Informar se faz uso de algum medicamento. 
  • 47. Coleta de urina de 24 horas A primeira micção(urina) da manhã deve ser desprezada, esvaziando a bexiga, dando-se início a coleta.  Recolher todas as micções seguintes, sem perdas, nas 24 horas seguintes, incluindo a primeira micção do dia seguinte.  Mulheres menstruadas não devem efetuar a coleta até 3 dias após o término da menstruação. 
  • 48. Coleta de urina de 24 horas  CLEARENCE DE CREATININA Deverá ser informado ao laboratório o peso e altura do paciente. Este deverá comparecer ao laboratório em jejum para colher sangue para dosagem de creatinina sangüínea.
  • 49. Coleta de urina AS AMOSTRAS DE URINA PODEM SER REJEITADAS POR: 1. Falta de identificação no recipiente da amostra; 2. Apresentar volume insuficiente; 3. Apresentar contaminação fecal ou vaginal; ou menstruação; 4. Demora na entrega da urina após a coleta;
  • 50. Coleta de urina AS AMOSTRAS DE URINA PODEM SER REJEITADAS POR: 5. Recipiente contaminado externamente. 6.Coleta em frasco não fornecido pelo Laboratório NESSES CASOS UMA NOVA AMOSTRA SERÁ SOLICITADA
  • 52. Coleta de Fezes A pessoa jejum. não  Recomenda-se precisa estar em a coleta em casa, em frasco apropriado fornecido pelo Laboratório, sem contaminação com urina ou água do vaso sanitário.
  • 53. Coleta de Fezes  Não contamine externamente o recipiente e não o preencha até a borda.  Recebidas de segunda à sexta- feira até às 15 horas.
  • 54. Coleta de Fezes EPF (EXAME PARASITOLÓGICO DE FEZES) Enviar ao laboratório até 2 horas após a coleta  Na impossibilidade conservá-la em geladeira por até 24 horas.  Não se deve usar laxantes ou supositórios.  Para coleta de 3 amostras: coletar em dias alternados. (Ex: segunda, quarta e sexta) 
  • 55. Coleta de Fezes COPROCULTURA (CULTURA DE FEZES)  Encaminhar ao laboratório as fezes no MESMO DIA em até 3 horas.  Se em uso de antibiótico esperar 7 dias após o término do medicamento para colher as fezes.
  • 56. Coleta de Fezes PESQUISA DE SANGUE OCULTO  As fezes devem ser encaminhadas no MESMO DIA.  Não é necessário dieta especial, utilizamos anticorpos monoclonais para detectar a hemoglobina humana.
  • 57. Coleta de Fezes PESQUISA DE SANGUE OCULTO  Não colher fezes sangramento local.  Evitar caso haja sangramento gengival.  Deve-se evitar a ingestão de bebida alcoólica nos 3 dias que antecedem o exame.
  • 58. Coleta de Fezes PESQUISA DE SANGUE OCULTO  O álcool é um irritante gástrico e sua ingestão em grande quantidade pode provocar sangramento no estômago.  Recomenda-se evitar uso de laxantes, contraste oral e alguns medicamentos como aspirina, corticóides e antiinflamatórios nos 3 dias que antecedem o exame.
  • 59. Coleta de Fezes PESQUISA DE SANGUE OCULTO  Aguardar 3 dias hemorroidários e cessado. após sangramentos menstruais terem  Informar ao Laboratório o uso de medicamentos, principalmente antiinflamatórios e aspirina.
  • 60. Coleta de Fezes AS AMOSTRAS DE FEZES PODEM SER REJEITADAS POR: 1. Falta de identificação no recipiente da amostra; 2. Entregues após às 15 horas ou no sábado; 3. Demora na entrega das fezes após a coleta; 4. Contaminação com urina ou com outros materiais;
  • 61. Coleta de Fezes AS AMOSTRAS DE FEZES PODEM SER REJEITADAS POR: 5. Recipiente contaminado externamente; 6.Recipiente preenchido com fezes até a borda; NESSES CASOS UMA NOVA AMOSTRA SERÁ SOLICITADA
  • 62. URINA E FEZES O bom desempenho de um exame depende de uma BOA COLETA e RAPIDEZ na entrega do material para análise.
  • 64. O que é jejum??  Ficar sem ingerir alimentos de qualquer tipo durante um determinado número de horas, dependendo do exame a ser realizado.
  • 65. Água quebra o jejum??  NÃO O paciente normalmente.  Evitar pode tomar água ingerir em excesso quando for fazer EQU (Exame Qualitativo de Urina) e UROCULTURA, ou TESTE DE GRAVIDEZ NA URINA.
  • 66. Jejum muito prolongado altera resultados de exames?  SIM  Para glicemia o jejum máximo é de 14 horas. As Recomendações da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (SBPC/ML) para coleta de sangue venoso orientam que devem ser evitadas coletas de sangue após períodos muito prolongados de jejum acima de 16 horas, de maneira geral.
  • 67. A alimentação pode interferir nos resultados dos exames?  Sim, principalmente nos exames de triglicerídeos e também de colesterol os alimentos consumidos nos dias precedentes à coleta de sangue podem interferir nos resultados.  O jejum de 12 horas é imprescindível antes da coleta de sangue para exames de dosagem de triglicerídeos e frações do colesterol.
  • 68. Exercícios físicos interferem no exame?  SIM  Evitar fazer exercícios físicos muito cansativos ou prolongados antes da coleta de sangue.  Caso não for possível, ficar em repouso por pelo menos 30 MINUTOS antes de realizar sua coleta para que o metabolismo volte ao normal.
  • 69. Bebidas alcoólicas interferem no exame??  SIM  Causam interferência em exames de Triglicerídeos, de colesterol e GGT.  Evitar a ingestão de bebida alcoólica, por 3 dias antes da coleta.
  • 70. A ingestão de café é permitida antes da coleta?  NÃO A cafeína pode induzir a liberação de adrenalina, que, por sua vez, estimula pequena elevação da glicose e outros elementos no sangue.  Chimarrão também não é permitido.
  • 71. O fumo é permitido antes da coleta?  NÃO  Fumar compromete exames de agregação plaquetária e de curva glicêmica.  Nestes casos não fume no dia da coleta de seus exames.
  • 72. O paciente deve suspender os medicamentos antes da coleta de sangue?  NÃO  A suspensão de medicamentos somente pode ser autorizada pelo médico e seu uso deve ser mantido conforme orientação do mesmo. Alguns exames são realizados exatamente para avaliar o efeito do uso do medicamento. O paciente NUNCA poderá interromper voluntariamente o uso de medicamentos.
  • 73. INFORME SEMPRE O ATENDENTE SOBRE QUAISQUER MEDICAMENTOS QUE ESTEJA UTILIZANDO, POIS MUITOS PODEM INTERFERIR NOS RESULTADOS DOS SEUS EXAMES.
  • 74. Pode-se fazer exame de sangue com gripe, resfriado ou febre?  Alguns exames são solicitados exatamente porque a pessoa está com febre, para identificar sua causa.  Por outro lado, exames realizados para controle clínico ou para acompanhamento de doenças não associadas ao quadro febril, não devem ser realizados fora das condições normais de saúde, atividade física e alimentação.  Nesses casos consulte um médico antes de realizar o exame.
  • 75. O período do ciclo menstrual interfere nos resultados dos exames?  SIM.  Vários hormônios e outras substâncias no sangue apresentam variações durante este ciclo e a correta interpretação dos mesmos dependerá do conhecimento do dia do ciclo menstrual no qual o exame foi feito. Alguns exemplos destes são: estradiol, LH, FSH, 17 hidroxiprogesterona, etc.  Nesses casos a amostra deve ser colhida conforme solicitação médica (escrita ou verbal), dependendo do dia do ciclo.
  • 76. Quantos dias de atraso menstrual são necessários para realizar testes de gravidez?  Para a maioria das mulheres, uma semana após a relação em que possa ter ocorrido a fecundação já é suficiente para fornecer um resultado positivo no teste de gravidez a partir de amostra de sangue (betaHCG).  No exame de urina este tempo aumenta para uma semana de atraso menstrual.
  • 77. Por que quando se tira sangue, às vezes o local fica roxo?  A formação de hematoma é uma situação comum após punção de artérias e veias.  O hematoma origina-se do extravasamento do sangue para o tecido sob a pele, durante ou após a punção.  Caso a formação do hematoma seja identificada durante a punção deve-se fazer compressão local durante pelo menos dois minutos.
  • 78. Por que quando se tira sangue, às vezes o local fica roxo?  Compressas frias podem ser utilizadas por 24 horas para auxiliar a reduzir a dor local e a progressão do hematoma.  O procedimento de dobrar o braço após a retirada da agulha e/ou carregar objetos relativamente pesados logo após a coleta, contribuem sobremaneira para a formação do hematoma mesmo após uma coleta de sangue bem sucedida.
  • 79. Por que quando se tira sangue, às vezes o local fica roxo?  Ele pode ocorrer em determinadas situações, tais como: *veias finas, delicadas, com muita pressão, *falta de boa compressão no local da punção, *e também o paciente usando algum medicamento que altera a coagulação do sangue, ex. Aspirina.
  • 80. Informações Importantes:  Os valores dos testes de laboratório sofrem influência de estados fisiológicos, patológicos, uso de medicamentos e coleta.
  • 81. Informações Importantes:  Mudanças radicais na dieta, ingestão alcoólica, exercícios físicos, sono e outros na véspera de exames laboratoriais, podem prejudicar o resultado dos mesmos.
  • 82. Informações Importantes:  Informe ao Laboratório todos os medicamentos que usa, mesmo os mais banais. Para auxiliar, leve com você as receitas médicas ou as embalagens.
  • 83. Informações Importantes: A correta interpretação dos resultados de qualquer exame laboratorial depende de outras informações que só o seu médico possui. Quaisquer dúvidas em relação aos resultados devem ser esclarecidas com o médico solicitante dos exames.
  • 84. Informações Importantes:  Não utilize recipiente diferente dos padronizados. O Laboratório fornece recipientes indicados para coleta de urina e fezes.  Quando em dúvida não faça a coleta do material, entre em contato com o Laboratório para esclarecer suas dúvidas.  A qualidade dos exames depende preparo, transporte e conservação material. do do
  • 85. Só será possível retirar o laudo com o comprovante de retirada fornecido pelo laboratório no momento da coleta. Na falta do comprovante original, (ex: perda, extravio) o paciente tem que apresentar documento de identidade.
  • 86. Na COLETA DOMICILIAR o comprovante de retirada é levado pela coletadora e entregue ao paciente e/ou responsável
  • 87. Lembramos que esta burocracia é necessária para que seja mantido a SEGURANÇA e CONFIDENCIALIDADE do laudo.
  • 88. Referências Bibliográficas  Recomendações da Sociedade Brasileira de Patologia/Medicina Laboratorial para coleta de Sangue Venoso.  Garantia da Qualidade no Laboratório Clínico – Programa Nacional de Controle de Qualidade (PNCQ)  Laboratório Hermes Pardini – Manual de Coleta  Dúvidas frequentes Hermes Pardini.Disponível em: http://www3.hermespardini.com.br/pagina/99/perguntasfrequentes.aspx  Dúvidas frequentes Hospital São Lucas: http://www.laboratoriosaolucas.com.br/coleta.php  Apolo Laboratório de Análises. Disponível em: http://www.laboratorioapolo.com.br/instrucoes-de-coleta/
  • 89. Referências Bibliográficas  Bioanálise Laboratório de Análises Clínicas. Disponível em: http://www.bioanalisepva.com.br/documentos/instrucoes_de_coleta .html  Laboratório Central. Disponível em: http://www.laboratoriocentral.com.br/wp/exames-femininos/  Laboratório Fleming. Disponível em: http://www.fleminglab.com.br/duvidas/duvidas.html  Laboratório Bioclínico. Disponível em: http://bioclinico.med.br/index.php? searchword=glicose&ordering=&searchphrase=all&option=com_sea rch  Laboratório Santa Cecília. Disponível em: http://www.labsantacecilia.com.br/exames_intrucoes_coleta/instruc oes_coleta.pdf  Laboratório Analisa. Disponível em: http://www.laboratorioanalisa.com.br/index.php