SlideShare uma empresa Scribd logo
Autoras: Susie Barreto da Silva 
Belizia de Oliveira Bahia 
Modalidade / Nível de Ensino: Ensino médio. 
Componente Curricular: Artes 
Tema: Questões sociais enfatizadas através de Histórias em quadrinhos: Utilizando o 
programa Hagáquê. 
Dados da Aula 
-O que o aluno aprenderá com esta aula: 
Espera-se que ao final das aulas os alunos tenham competência para: 
• Conhecer e reconhecer as características, constituição e funcionamento do gênero histórias em 
quadrinhos. 
• Diferenciar os diversos tipos de balões. 
• Conhecer a representação da fala e do pensamento 
• Conhecer a diferença entre solilóquio, monólogo e diálogo 
• Expandir a criatividade 
* Aumentar o vocabulário 
* Desenvolver o gosto pela leitura e pela escrita. 
• Aumentar seus conhecimentos da Língua Portuguesa 
• Desenvolver histórias em quadrinhos 
• Dominar o programa Hagaquê 
- Número de aulas e duração das atividades: 
• 5 aulas de 45 minutos cada. 
-Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno. 
• Instruções sobre a escolha do tema de cada equipe 
• Domínio (conhecimento) sobre o tema a ser trabalhado, através de leitura. 
• Debates com perguntas e respostas (gravidade do tema, efeitos sociais, possíveis soluções), 
entre os membros das equipes, para fixação do assunto a ser trabalhado. 
• Noções acentuadas de onomatopéias, ex: (explosão: bum! – sono: zzzzzz – beijo: smack!), 
etc... 
• Instruir os alunos quanto às situações cujos diálogos terão características de charge ou de 
cartum.
• Instruir os alunos quanto à caracterização dos personagens (traje / linguagem), etc... 
- Estratégias e recursos da aula. 
• Pendrive 
• Google (para pesquisa) 
• Data Show 
• Dicionário Eletrônico 
• Atividades em equipes. 
• Discussões coletivas. 
• Roteiro de estudo. 
• Computadores conectados à internet) 
• Programa hagaqué 
- Recursos Complementares. 
• Editor de texto 
• Computador 
• Conexão com internet 
- Procedimento. 
• A importância da integração da tecnologia no processo de ensino aprendizagem. 
• Conversar com os alunos sobre as questões sociais e a importância de conhecer/ debater sobre 
os mesmos 
• Explicar a turma que as questões sociais debatidas em sala serão expressadas em historia em 
quadrinhos, utilizando-se o programa Hagaqué 
• Cada equipe deverá nomear um(a) secretário(a), que anotará todas as ocorrências das reuniões, 
para que haja uma seqüência correta da elaboração do trabalho 
• Explicar como as histórias em quadrinhos são desenvolvidas, suas características, seus 
elementos e etc 
• Dividir a turma em equipes de 5 ou 6 
• Cada equipe selecionará uma questão social para trabalhar 
• Após a escolha da questão a ser trabalhadas, os alunos passarão a construir a história, com os 
diálogos entre os personagens. 
• As equipes passarão as histórias criadas para o editor de texto.
• 50% das imagens utilizadas nas histórias em quadrinhos devem ser selecionadas da internet e 
os outros 50% criadas pelos alunos, que devem desenhar, pintar, fotografar e transferir para o 
computador 
• Na sala de informática os alunos aprenderão a utilizar o programa hagaqué, criador de história 
em quadrinhos 
• Com textos e imagens já concluídos, as equipes montarão as histórias em quadrinhos no 
hagaqué. 
- Avaliação. 
• Será realizada por equipes, considerando-se: criatividade, desempenho, compromisso com o 
trabalho, assiduidade, qualidade e pertinência dos diálogos (monólogos, diálogos, solilóquios, 
etc...), 
- Divulgação do trabalho. 
• Publicação no blog da escola. 
• Impressão das histórias em quadrinhos para exposição na escola (mural 
• Gravação de CD com todas as histórias em quadrinhos para distribuição entre os componentes 
das equipes. 
1ª aula. (atividade realizada na sala de aula) 
• A importância da integração da tecnologia no processo de ensino /aprendizagem. 
• Conversar com os alunos sobre as questões sociais e a importância de conhecer/ debater sobre 
os mesmos 
• Explicar a turma que as questões sociais debatidas em sala serão expressas em histórias em 
quadrinhos, utilizando-se o programa Hagaqué. 
2ª aula. (atividade realizada na sala de aula) 
• Explicar como as histórias em quadrinhos são desenvolvidas, sua característica, seus 
elementos e etc 
• Dividir a turma em equipes de 5 ou 
• Cada equipe selecionará uma questão social para trabalhar 
• Após a escolha da questão a ser trabalhadas, as equipes passarão a construir a história, com os 
diálogos entre os personagens. 
3ª aula. (atividade realizada na sala de informática) 
• As equipes passarão as histórias criadas para o editor de texto. 
• 50% das imagens utilizadas nas histórias em quadrinhos devem ser selecionadas da internet e 
os outros 50% criadas pelos alunos, que devem desenhar, pintar, fotografar e transferir para o 
computador.
4ª aula 
• Na sala de informática os alunos aprenderão a utilizar o programa hagaqué, criador de história 
em quadrinhos. 
5ª aula. 
• Com a história elaborada, textos e imagens já concluídos, as equipes montarão as histórias em 
quadrinhos no hagaque. 
OLHANDO PARA UMA PRÁTICA COM O USO DE TECNOLOGIAS 
Criando um vídeo animado com o Paint e Movie Maker 21.10.2009 
Autor : Daniela Braga de Paula 
Co-autor(es) : Eliana Dias 
UBERLANDIA - MG ESC DE EDUCACAO BASICA 
http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=10732 
Criando um vídeo animado com o Paint e Movie Maker 
A aula Criando um vídeo animado com o Paint e Movie Maker elaborada pela professora 
Daniela Braga é muito interessante e criativa, pois propõe aos alunos uma atividade dinâmica e 
envolvente. Essa atividade permite ao aluno perceber e entender a relação existente entre a 
música e o vídeo, além de proporcionar a criação de um vídeo animado a partir de uma música 
que o aluno goste. 
A atividade foi realizada em 04 aulas com a duração de 50 minutos. Para a realização da mesma 
foi fundamental um conhecimento prévio dos alunos sobre o manuseio dos programas Paint e 
Movie Maker. A professora utilizou como recurso didático para a realização dessa atividade o 
Datashow. O laboratório de informática, a internet e os programas Paint e Movie Maker. 
Percebe-se que, na primeira aula a professora intencionalmente trabalha com os alunos a 
interação e ajuda ao próximo, pois divide a turma em duplas, onde quem tem mais facilidade em 
manusear os programas ajuda quem tem mais dificuldade. É explicado aos alunos o objetivo da 
atividade, que é criar um vídeo animado da canção “Marvin”, dos Titãs. Ela propõe assistir 
primeiro a um vídeo, que apresenta uma produção semelhante ao que será feito por eles, e 
assim, assistem a canção “Eduardo e Mônica” da Legião Urbana.
Após assistirem ao vídeo é discutido sobre o que é seleção de cenas, sincronia e animação. Logo 
em seguida, é dada aos alunos a cópia da canção que eles vão animar. Percebe-se a importância 
de saber selecionar as cenas, pois as imagens precisam ter sincronia com a música, pois elas 
devem retratar o que a melodia diz em cada momento, além disso, é fundamental tornar 
interessante e envolvente a animação dessas imagens em sincronia com a música para quem vai 
assistir. Com a letra da canção em mãos os alunos podem ler, refletir e interpretar o que o autor 
quer dizer. 
Nas 2 e 3 aulas, utilizando o programa Paint, as imagens selecionadas pelos alunos foram 
organizadas de acordo com a letra da música, criando assim, as cenas. Na 4 aula, utilizando o 
programa Movie Maker os alunos concluíram a atividade criando o vídeo. Muito interessante 
esse momento, pois com a música de fundo as imagens que retratavam cada momento da 
melodia foram colocadas, e logo após, a animação foi introduzida, como a transição dos slides e 
os efeitos de vídeo. Os trabalhos realizados pelas duplas podem ser publicados no You tube para 
que sejam assistidos pelos demais colegas e por toda a comunidade escolar. 
É uma atividade muito interessante, pois envolve recursos tecnológicos e a arte, além de 
permitir a criatividade e a visão crítica dos alunos. Percebe-se a possibilidade de realizar 
trabalhos artísticos como o teatro, as artes visuais e etc, utilizando esse recurso tão rico que é a 
informática. Além disso, é uma atividade que promove a socialização e a interação dos alunos, 
pois permite que os alunos façam comentários críticos sobre os trabalhos dos colegas. 
Susie Barreto 
Assunto: Vitral 
Fonte: Wikipedia, a enciclopédia livre. 
Os vitrais são elementos arquitetônicos constituídos por pedaços de vidro, geralmente coloridos, 
combinados para formar desenhos. 
Tal como o vidro, o vitral originou-se no oriente por volta do século X, tendo florescido na 
Europa durante a Idade Media. Amplamente utilizados na ornamentação de igrejas e catedrais, o 
efeito da luz solar que por eles penetrava, conferia uma maior imponência e espiritualidade ao 
ambiente, efeito reforçado pelas imagens retratadas, em sua maioria, cenas religiosas. 
Adicionalmente, serviam como recurso didático para a instrução do catolicismo a uma 
população inculta e analfabeta.
A técnica clássica de fabricação de vitrais utilizava chumbo nas junções e soldaduras. A cor nas 
pecas de vidro era obtida pela adição de substancias como: o bismuto, o cádmio, o cobalto, o 
ouro e o cobre e outros, a massa de vidro em fusão. De peso elevado, os vitais assim construídos 
apresentavam problema de estrutura, estanquiedade, fragilidade, deformações, manutenção 
difícil, alem de elevado custo. 
Atualmente, existem técnicas mais avançadas para a produção de vitrais, de grande valor 
estético, mais baratas e inócuas para a saúde e para o meio ambiente. 
Material 
· Papel celofane de várias cores ou as cores primárias. 
· Cola 
· Tesoura 
· Papel chamex 
Procedimento 
Faça um desenho simples no papel chamex. As linhas do desenho devem ser largas, 1,5 a 2 
cm são suficientes. Pinte as linhas largas com lápis de cor preta. A cor preta vai realçar as cores 
do papel celofane. 
As partes do desenho que ficaram sem ser pintadas devem ser recortadas, cuidado para cortar as 
linhas pintadas.
Nas partes vazadas será colado o papel celofane da cor que desejar. Para o acabamento, cole 
uma folha de papel chamex por traz da colagem do celofane. 
Obs: No trabalho acima não foi colado papel celofane e sim folha de revista. O celofane está um 
pouco caro, né. Essa técnica pode ser aplicada em vários tipos de desenhos. 
Sugestão de atividade 
Os alunos podem pesquisar em alguns lugares da cidade onde tem vitral (em prédios públicos, 
em igrejas, em monumentos históricos, etc). Em equipes podem tirar fotos, fazer apresentação 
em power point ou exposição das fotos em um mural. As equipes podem falar um pouco sobre a 
história do lugar onde o vitral foi fotografado. 
Pedir aos alunos uma pesquisa sobre a definição, origem do vitral, e formas de construção. 
________________________________________________________________________ 
Assunto: Mosaico 
http://pt.wikipedia.org/wiki/Mosaico 
Obs: Para realizar essa atividade em sala de aula procurei um material de baixo custo mas 
que produz um efeito muito bonito. 
Material
 Cola 
 Tesoura 
 Papel chamex 
 Papel camurça de várias cores ou revista velha 
 Um desenho 
 Canetinha 
Procedimento 
 Com o lápis, transferir o desenho para o papel chamex. 
 Decidir quais as cores que vai usar no desenho. 
 Cortar uma tira do papel camurça, mais ou menos de 1 dedo e cortar em diversos 
formatos, quadradinho e triangulo. Separar por cores. Não misturar as cores para não 
dificultar na hora de fazer a colagem. 
Obs: O papel camurça é um pouco caro, então pode ser substituido por folhas coloridas de 
revista velha. 
 Colorir o desenho parte por parte, colocando um pouquinho de cola 
 Para concluir, as linhas do desenho podem ser contornadas com canetinha. 
Resultado com o papel camurça
Resultado com revista velha 
Sugestão de atividades. 
Os alunos podem pesquisar em alguns lugares da cidade onde tem exposição de mosaico 
(prédios públicos, igrejas, etc). Em equipes podem tirar fotos, fazer apresentação em power 
point ou exposição das fotos em um mural. As equipes podem falar um pouco sobre a história 
do lugar onde o mosaico foi fotografado. 
Pedir aos alunos uma pesquisa sobre a definição, origem do mosaico, e formas de construção. 
_____________________________________________________________________________ 
___
Assunto: Luz e sombra 
Fonte: http://www.amopintar.com/luz-e-sombra#ixzz16aepaRX7 
Publicado por: "Amopintar" Na secção: Desenho 
“A luz e a sombra, são os elementos básicos para produzir o efeito de Volume nos 
objetos". 
Num desenho em duas dimensões, a luz e a sombra são elementos que definem 
e caracterizam o volume do objeto. O volume é em conjunto com a forma outro dos aspectos 
que distingue os objetos que nos rodeiam. Este depende da luz que recebe, e por consequência 
das sombras que este produz. A definição correta do volume dum objeto se consegue através da 
valorização exata das intensidades das suas sombras. Podemos definir dois tipos de sombras, as 
próprias e as projetadas. As sombras próprias são as que origina o objeto em si próprio e as 
projetadas são aquelas que ele produz nas superfícies vizinhas. 
Também se deve ter em consideração os reflexos produzidos pela luz, que projetam 
as superfícies ou objetos vizinhos já que estas aclaram a sombra própria. Entre a luz e a 
sombra há uma zona de transição ou de “meia sombra” que pode variar em extensão 
dependendo da intensidade da luz. 
No exemplo da Figura 2, distinguimos dois objetos com a mesma forma, tamanho 
e proporção, no entanto um representa um círculo e o outro, uma esfera. O círculo passou a ser 
um elemento bidimensional, a parecer um elemento tridimensional, com volume. A diferença 
entre os dois objetos é conseguida neste caso pelo efeito da luz e da sombra”.
Material 
 Papel chamex 
 Borracha 
 Lápis 6B 
 Um desenho simples sem muitos enfeites, mais contorno 
 Régua 
 Um pedacinho de algodão. 
Procedimento 
1 parte- Primeiro faça um exercicio com os alunos para que eles aprendam a usar o lápis 
6B. Peça que desenhem 3 retângulos. No primeiro pintar uniforme com um cinza escuro, 
de preferência na horizontal. No segundo pintar um cinza escuro e o outro médio, que 
devem se encontrar no meio, os dois na mesma direção. No terceiro, três tipos de cinzas, 
escuro, médio e claro, as pontas das cores devem se encontrar. Veja o exemplo a baixo. 
2 parte- Pintar o desenho por dentro com três tonalidades de cinza, as cores devem se 
encontrar, do mais escuro para o mais claro. Depois pintar o desenho por fora, pode ser 
empregado a penas diuas tonalidades de cinza. Contornar as linhas do desenho com o lápis 
6B. Ao final, passar o pedacinho de algodão em todo o desenho em movimentos circulares, 
bem suave, é somente para dar o brilho.Ve ja os exemplos abaixo. 
Obs: A pintura fica legal em movimentos todos horizontais ou todos na vertical, para que 
as linhas possam se encontrar. 
Sombreamento interno: O desenho fica todo pintado, assim como o lado de fora.
Sombreamento externo: O desenho fica sem ser pintado, o lado de fora que é pintado, tem-se 
a impressão que o desenho fica projetado. O lado de fora pode ser pintado com três 
tonalidades de cinzas, escuro, médio e claro. 
Meus trabalhos e de alunos.
Exemplos retirados da internet
_____________________________________________________________________________ 
_____ 
Assunto: Figuras geométricas
_____________________________________________________________________________ 
_____ 
Assunto: Composição com linhas
_____________________________________________________________________________ 
____ 
Assunto: Desenho raspado 
Essa é uma atividade muito interessante pois é sempre uma descoberta, os alunos gostam 
muito de fazer. 
Material 
 Lápis de cêra. 
 Papel chamex da cor branca 
 Um desenho 
Procedimento 
Pegue uma folha de papel em branco e pinte-a com o lápis de cera, utilize várias cores, de 
preferencia pintando sempre na mesma direção. 
Exemplo
Depois da folha toda colorida pegue o lápis de cera da cor preta e passe por cima de tudo o que 
foi pintado, sempre na mesma direção. 
Exemplo 
Pegue a tampa de uma caneta e vá desenhando sobre tudo que foi pintado. 
Dica: Para que o desenho fique apenas com uma cor basta escolher apenas uma cor para pintar 
em baixo. 
Exemplo 
Dica: Para que o desenho fique apenas com uma cor basta escolher apenas uma cor para 
pintar em baixo. 
Desenho raspado colorido
Desenho raspado com apenas uma cor 
_____________________________________________________________________________ 
______ 
Assunto: História em quadrinhos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Arte
ArteArte
Conteúdos d arte e ed. f[isica para o 1º e 2º ano do ensino fundamental
Conteúdos d arte e ed. f[isica para o 1º e 2º ano do ensino fundamentalConteúdos d arte e ed. f[isica para o 1º e 2º ano do ensino fundamental
Conteúdos d arte e ed. f[isica para o 1º e 2º ano do ensino fundamental
josivaldopassos
 
Plano de curso de teatro Ensino Médio
Plano de curso de teatro Ensino MédioPlano de curso de teatro Ensino Médio
Plano de curso de teatro Ensino Médio
Gliciane S. Aragão
 
Questões Arte
Questões ArteQuestões Arte
Questões Arte
Renata Assunção
 
Prova de arte 6ano 3b pronta 1
Prova de arte 6ano 3b pronta 1Prova de arte 6ano 3b pronta 1
Prova de arte 6ano 3b pronta 1
Atividades Diversas Cláudia
 
Arte indígena
Arte indígenaArte indígena
Arte indígena
Sandro Bottene
 
Arte ensino médio slide 1
Arte ensino médio  slide 1Arte ensino médio  slide 1
Arte ensino médio slide 1
Eponina Alencar
 
Guia de aprendizagem arte
Guia de aprendizagem   arteGuia de aprendizagem   arte
Guia de aprendizagem arte
LANCIATIAGO
 
Plano de Aula Tarsila do Amaral
Plano de Aula Tarsila  do AmaralPlano de Aula Tarsila  do Amaral
Plano de Aula Tarsila do Amaral
ANA MARIA DE PAULA E SILVA
 
Avaliacao 8-ano-arte
Avaliacao 8-ano-arteAvaliacao 8-ano-arte
Avaliacao 8-ano-arte
ProfRodrigoAndradeAr
 
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
Fabiola Oliveira
 
Plano anual de arte 1º ano
Plano anual de arte 1º anoPlano anual de arte 1º ano
Plano anual de arte 1º ano
Nildemar Lago
 
9º ano avaliação de arte 1º bimestre
9º ano avaliação de arte 1º bimestre9º ano avaliação de arte 1º bimestre
9º ano avaliação de arte 1º bimestre
Fabiola Oliveira
 
Sequencia didatica arte
Sequencia didatica arteSequencia didatica arte
Sequencia didatica arte
Emanoel Jackson Lisboa
 
Planejamento ArtesVisuais
Planejamento  ArtesVisuaisPlanejamento  ArtesVisuais
Planejamento ArtesVisuais
Dulcinea Lisboa Passos
 
As especificidades das linguagens artísticas
As especificidades das linguagens artísticasAs especificidades das linguagens artísticas
As especificidades das linguagens artísticas
Catarina Argolo
 
As formas geométricas na Arte
As formas geométricas na ArteAs formas geométricas na Arte
As formas geométricas na Arte
Michele Wilbert
 
Plano de Aula de Artes.docx
Plano de Aula de Artes.docxPlano de Aula de Artes.docx
Plano de Aula de Artes.docx
GiovannaOliveira436544
 
Artes 2º ano
Artes 2º anoArtes 2º ano
Artes 2º ano
GERALDOGOMESDEBARROS
 
Projeto interdisciplinar arte e educação
Projeto interdisciplinar arte e educaçãoProjeto interdisciplinar arte e educação
Projeto interdisciplinar arte e educação
Raquel Barboza
 

Mais procurados (20)

Arte
ArteArte
Arte
 
Conteúdos d arte e ed. f[isica para o 1º e 2º ano do ensino fundamental
Conteúdos d arte e ed. f[isica para o 1º e 2º ano do ensino fundamentalConteúdos d arte e ed. f[isica para o 1º e 2º ano do ensino fundamental
Conteúdos d arte e ed. f[isica para o 1º e 2º ano do ensino fundamental
 
Plano de curso de teatro Ensino Médio
Plano de curso de teatro Ensino MédioPlano de curso de teatro Ensino Médio
Plano de curso de teatro Ensino Médio
 
Questões Arte
Questões ArteQuestões Arte
Questões Arte
 
Prova de arte 6ano 3b pronta 1
Prova de arte 6ano 3b pronta 1Prova de arte 6ano 3b pronta 1
Prova de arte 6ano 3b pronta 1
 
Arte indígena
Arte indígenaArte indígena
Arte indígena
 
Arte ensino médio slide 1
Arte ensino médio  slide 1Arte ensino médio  slide 1
Arte ensino médio slide 1
 
Guia de aprendizagem arte
Guia de aprendizagem   arteGuia de aprendizagem   arte
Guia de aprendizagem arte
 
Plano de Aula Tarsila do Amaral
Plano de Aula Tarsila  do AmaralPlano de Aula Tarsila  do Amaral
Plano de Aula Tarsila do Amaral
 
Avaliacao 8-ano-arte
Avaliacao 8-ano-arteAvaliacao 8-ano-arte
Avaliacao 8-ano-arte
 
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
 
Plano anual de arte 1º ano
Plano anual de arte 1º anoPlano anual de arte 1º ano
Plano anual de arte 1º ano
 
9º ano avaliação de arte 1º bimestre
9º ano avaliação de arte 1º bimestre9º ano avaliação de arte 1º bimestre
9º ano avaliação de arte 1º bimestre
 
Sequencia didatica arte
Sequencia didatica arteSequencia didatica arte
Sequencia didatica arte
 
Planejamento ArtesVisuais
Planejamento  ArtesVisuaisPlanejamento  ArtesVisuais
Planejamento ArtesVisuais
 
As especificidades das linguagens artísticas
As especificidades das linguagens artísticasAs especificidades das linguagens artísticas
As especificidades das linguagens artísticas
 
As formas geométricas na Arte
As formas geométricas na ArteAs formas geométricas na Arte
As formas geométricas na Arte
 
Plano de Aula de Artes.docx
Plano de Aula de Artes.docxPlano de Aula de Artes.docx
Plano de Aula de Artes.docx
 
Artes 2º ano
Artes 2º anoArtes 2º ano
Artes 2º ano
 
Projeto interdisciplinar arte e educação
Projeto interdisciplinar arte e educaçãoProjeto interdisciplinar arte e educação
Projeto interdisciplinar arte e educação
 

Destaque

Material didático Autorretrato
Material didático AutorretratoMaterial didático Autorretrato
Material didático Autorretrato
Maíla Valentim
 
Sequência didática - escrita de autorretrato
Sequência didática - escrita de autorretratoSequência didática - escrita de autorretrato
Sequência didática - escrita de autorretrato
Becre Forte da Casa
 
A função da arte slide
A função da arte   slideA função da arte   slide
A função da arte slide
2011saletekm
 
Autorretrato
AutorretratoAutorretrato
Autorretrato
solcitoweis
 
Prova Artes 1 ano médio
Prova Artes 1 ano médioProva Artes 1 ano médio
Prova Artes 1 ano médio
Geo Honório
 
Linguagens da artes (atividades )
Linguagens da artes (atividades )Linguagens da artes (atividades )
Linguagens da artes (atividades )
graduartes
 
Avaliação de Arte 2º Ensino Médio
Avaliação de Arte 2º Ensino MédioAvaliação de Arte 2º Ensino Médio
Avaliação de Arte 2º Ensino Médio
Marcia Oliveira
 
10 dinâmicas divertidas e envolventes
10 dinâmicas divertidas e envolventes10 dinâmicas divertidas e envolventes
10 dinâmicas divertidas e envolventes
Seduc MT
 

Destaque (8)

Material didático Autorretrato
Material didático AutorretratoMaterial didático Autorretrato
Material didático Autorretrato
 
Sequência didática - escrita de autorretrato
Sequência didática - escrita de autorretratoSequência didática - escrita de autorretrato
Sequência didática - escrita de autorretrato
 
A função da arte slide
A função da arte   slideA função da arte   slide
A função da arte slide
 
Autorretrato
AutorretratoAutorretrato
Autorretrato
 
Prova Artes 1 ano médio
Prova Artes 1 ano médioProva Artes 1 ano médio
Prova Artes 1 ano médio
 
Linguagens da artes (atividades )
Linguagens da artes (atividades )Linguagens da artes (atividades )
Linguagens da artes (atividades )
 
Avaliação de Arte 2º Ensino Médio
Avaliação de Arte 2º Ensino MédioAvaliação de Arte 2º Ensino Médio
Avaliação de Arte 2º Ensino Médio
 
10 dinâmicas divertidas e envolventes
10 dinâmicas divertidas e envolventes10 dinâmicas divertidas e envolventes
10 dinâmicas divertidas e envolventes
 

Semelhante a Aula de artes para o ensino médio

Shirley bgf
Shirley bgfShirley bgf
Shirley bgf
Shirleybgf28
 
Franciblanck
FranciblanckFranciblanck
Franciblanck
francibsilvab
 
Ativ 2 ione_dre_guarai_unidade_iii
Ativ 2 ione_dre_guarai_unidade_iiiAtiv 2 ione_dre_guarai_unidade_iii
Ativ 2 ione_dre_guarai_unidade_iii
IoneAlvesNoleto
 
Ativ 2 ione_dre_guarai_unidade_3
Ativ 2 ione_dre_guarai_unidade_3Ativ 2 ione_dre_guarai_unidade_3
Ativ 2 ione_dre_guarai_unidade_3
IoneAlvesNoleto
 
Praticando cidadania eu, cidadão
Praticando cidadania   eu, cidadãoPraticando cidadania   eu, cidadão
Praticando cidadania eu, cidadão
Penha Gama
 
O Vídeo Digital Como Recurso Multimídia Integrado Ao Contexto Escolar
O Vídeo Digital Como Recurso Multimídia Integrado Ao Contexto EscolarO Vídeo Digital Como Recurso Multimídia Integrado Ao Contexto Escolar
O Vídeo Digital Como Recurso Multimídia Integrado Ao Contexto Escolar
Lúcia Serafim
 
1.arte e tecn
1.arte e tecn1.arte e tecn
1.arte e tecn
diretoriabragpta
 
Apresentação noturno
Apresentação  noturnoApresentação  noturno
Apresentação noturno
Elizete Iran
 
Práticas pedagógicas inovadoras- Plano de Aula
Práticas pedagógicas inovadoras- Plano de AulaPráticas pedagógicas inovadoras- Plano de Aula
Práticas pedagógicas inovadoras- Plano de Aula
Casa da Árvore - Cultura Digital e Aprendizagem Criativa
 
Relatorio Taniamedeiros
Relatorio TaniamedeirosRelatorio Taniamedeiros
Relatorio Taniamedeiros
Tânia Cardoso
 
Relatorio Taniamedeiros
Relatorio TaniamedeirosRelatorio Taniamedeiros
Relatorio Taniamedeiros
Tânia Cardoso
 
Projeto Fatos e Fotos um Novo Olhar
Projeto Fatos e Fotos um Novo OlharProjeto Fatos e Fotos um Novo Olhar
Projeto Fatos e Fotos um Novo Olhar
Valquiria Bauer
 
Propposta de trabalho
Propposta de trabalhoPropposta de trabalho
Propposta de trabalho
aninhaw2
 
Novela gráfica - oficina rápida para crianças
Novela gráfica -   oficina rápida para criançasNovela gráfica -   oficina rápida para crianças
Novela gráfica - oficina rápida para crianças
Casa da Árvore - Cultura Digital e Aprendizagem Criativa
 
Plano de Intervenção em Sala de Aula
Plano de Intervenção em Sala de AulaPlano de Intervenção em Sala de Aula
Plano de Intervenção em Sala de Aula
ritabbm
 
Plano Intervenção em Sala de Aula
Plano Intervenção em Sala de AulaPlano Intervenção em Sala de Aula
Plano Intervenção em Sala de Aula
ritabbm
 
Plano Anual De Trabalho 2010
Plano Anual De Trabalho 2010Plano Anual De Trabalho 2010
Plano Anual De Trabalho 2010
hc12
 
509548-1.pptx
509548-1.pptx509548-1.pptx
509548-1.pptx
ElaineOliveira199465
 
Lendo, Criando e Recriando
Lendo, Criando e RecriandoLendo, Criando e Recriando
Ativ2 1apres projeto_ritacassia
Ativ2 1apres projeto_ritacassiaAtiv2 1apres projeto_ritacassia
Ativ2 1apres projeto_ritacassia
Rita Cássia
 

Semelhante a Aula de artes para o ensino médio (20)

Shirley bgf
Shirley bgfShirley bgf
Shirley bgf
 
Franciblanck
FranciblanckFranciblanck
Franciblanck
 
Ativ 2 ione_dre_guarai_unidade_iii
Ativ 2 ione_dre_guarai_unidade_iiiAtiv 2 ione_dre_guarai_unidade_iii
Ativ 2 ione_dre_guarai_unidade_iii
 
Ativ 2 ione_dre_guarai_unidade_3
Ativ 2 ione_dre_guarai_unidade_3Ativ 2 ione_dre_guarai_unidade_3
Ativ 2 ione_dre_guarai_unidade_3
 
Praticando cidadania eu, cidadão
Praticando cidadania   eu, cidadãoPraticando cidadania   eu, cidadão
Praticando cidadania eu, cidadão
 
O Vídeo Digital Como Recurso Multimídia Integrado Ao Contexto Escolar
O Vídeo Digital Como Recurso Multimídia Integrado Ao Contexto EscolarO Vídeo Digital Como Recurso Multimídia Integrado Ao Contexto Escolar
O Vídeo Digital Como Recurso Multimídia Integrado Ao Contexto Escolar
 
1.arte e tecn
1.arte e tecn1.arte e tecn
1.arte e tecn
 
Apresentação noturno
Apresentação  noturnoApresentação  noturno
Apresentação noturno
 
Práticas pedagógicas inovadoras- Plano de Aula
Práticas pedagógicas inovadoras- Plano de AulaPráticas pedagógicas inovadoras- Plano de Aula
Práticas pedagógicas inovadoras- Plano de Aula
 
Relatorio Taniamedeiros
Relatorio TaniamedeirosRelatorio Taniamedeiros
Relatorio Taniamedeiros
 
Relatorio Taniamedeiros
Relatorio TaniamedeirosRelatorio Taniamedeiros
Relatorio Taniamedeiros
 
Projeto Fatos e Fotos um Novo Olhar
Projeto Fatos e Fotos um Novo OlharProjeto Fatos e Fotos um Novo Olhar
Projeto Fatos e Fotos um Novo Olhar
 
Propposta de trabalho
Propposta de trabalhoPropposta de trabalho
Propposta de trabalho
 
Novela gráfica - oficina rápida para crianças
Novela gráfica -   oficina rápida para criançasNovela gráfica -   oficina rápida para crianças
Novela gráfica - oficina rápida para crianças
 
Plano de Intervenção em Sala de Aula
Plano de Intervenção em Sala de AulaPlano de Intervenção em Sala de Aula
Plano de Intervenção em Sala de Aula
 
Plano Intervenção em Sala de Aula
Plano Intervenção em Sala de AulaPlano Intervenção em Sala de Aula
Plano Intervenção em Sala de Aula
 
Plano Anual De Trabalho 2010
Plano Anual De Trabalho 2010Plano Anual De Trabalho 2010
Plano Anual De Trabalho 2010
 
509548-1.pptx
509548-1.pptx509548-1.pptx
509548-1.pptx
 
Lendo, Criando e Recriando
Lendo, Criando e RecriandoLendo, Criando e Recriando
Lendo, Criando e Recriando
 
Ativ2 1apres projeto_ritacassia
Ativ2 1apres projeto_ritacassiaAtiv2 1apres projeto_ritacassia
Ativ2 1apres projeto_ritacassia
 

Aula de artes para o ensino médio

  • 1. Autoras: Susie Barreto da Silva Belizia de Oliveira Bahia Modalidade / Nível de Ensino: Ensino médio. Componente Curricular: Artes Tema: Questões sociais enfatizadas através de Histórias em quadrinhos: Utilizando o programa Hagáquê. Dados da Aula -O que o aluno aprenderá com esta aula: Espera-se que ao final das aulas os alunos tenham competência para: • Conhecer e reconhecer as características, constituição e funcionamento do gênero histórias em quadrinhos. • Diferenciar os diversos tipos de balões. • Conhecer a representação da fala e do pensamento • Conhecer a diferença entre solilóquio, monólogo e diálogo • Expandir a criatividade * Aumentar o vocabulário * Desenvolver o gosto pela leitura e pela escrita. • Aumentar seus conhecimentos da Língua Portuguesa • Desenvolver histórias em quadrinhos • Dominar o programa Hagaquê - Número de aulas e duração das atividades: • 5 aulas de 45 minutos cada. -Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno. • Instruções sobre a escolha do tema de cada equipe • Domínio (conhecimento) sobre o tema a ser trabalhado, através de leitura. • Debates com perguntas e respostas (gravidade do tema, efeitos sociais, possíveis soluções), entre os membros das equipes, para fixação do assunto a ser trabalhado. • Noções acentuadas de onomatopéias, ex: (explosão: bum! – sono: zzzzzz – beijo: smack!), etc... • Instruir os alunos quanto às situações cujos diálogos terão características de charge ou de cartum.
  • 2. • Instruir os alunos quanto à caracterização dos personagens (traje / linguagem), etc... - Estratégias e recursos da aula. • Pendrive • Google (para pesquisa) • Data Show • Dicionário Eletrônico • Atividades em equipes. • Discussões coletivas. • Roteiro de estudo. • Computadores conectados à internet) • Programa hagaqué - Recursos Complementares. • Editor de texto • Computador • Conexão com internet - Procedimento. • A importância da integração da tecnologia no processo de ensino aprendizagem. • Conversar com os alunos sobre as questões sociais e a importância de conhecer/ debater sobre os mesmos • Explicar a turma que as questões sociais debatidas em sala serão expressadas em historia em quadrinhos, utilizando-se o programa Hagaqué • Cada equipe deverá nomear um(a) secretário(a), que anotará todas as ocorrências das reuniões, para que haja uma seqüência correta da elaboração do trabalho • Explicar como as histórias em quadrinhos são desenvolvidas, suas características, seus elementos e etc • Dividir a turma em equipes de 5 ou 6 • Cada equipe selecionará uma questão social para trabalhar • Após a escolha da questão a ser trabalhadas, os alunos passarão a construir a história, com os diálogos entre os personagens. • As equipes passarão as histórias criadas para o editor de texto.
  • 3. • 50% das imagens utilizadas nas histórias em quadrinhos devem ser selecionadas da internet e os outros 50% criadas pelos alunos, que devem desenhar, pintar, fotografar e transferir para o computador • Na sala de informática os alunos aprenderão a utilizar o programa hagaqué, criador de história em quadrinhos • Com textos e imagens já concluídos, as equipes montarão as histórias em quadrinhos no hagaqué. - Avaliação. • Será realizada por equipes, considerando-se: criatividade, desempenho, compromisso com o trabalho, assiduidade, qualidade e pertinência dos diálogos (monólogos, diálogos, solilóquios, etc...), - Divulgação do trabalho. • Publicação no blog da escola. • Impressão das histórias em quadrinhos para exposição na escola (mural • Gravação de CD com todas as histórias em quadrinhos para distribuição entre os componentes das equipes. 1ª aula. (atividade realizada na sala de aula) • A importância da integração da tecnologia no processo de ensino /aprendizagem. • Conversar com os alunos sobre as questões sociais e a importância de conhecer/ debater sobre os mesmos • Explicar a turma que as questões sociais debatidas em sala serão expressas em histórias em quadrinhos, utilizando-se o programa Hagaqué. 2ª aula. (atividade realizada na sala de aula) • Explicar como as histórias em quadrinhos são desenvolvidas, sua característica, seus elementos e etc • Dividir a turma em equipes de 5 ou • Cada equipe selecionará uma questão social para trabalhar • Após a escolha da questão a ser trabalhadas, as equipes passarão a construir a história, com os diálogos entre os personagens. 3ª aula. (atividade realizada na sala de informática) • As equipes passarão as histórias criadas para o editor de texto. • 50% das imagens utilizadas nas histórias em quadrinhos devem ser selecionadas da internet e os outros 50% criadas pelos alunos, que devem desenhar, pintar, fotografar e transferir para o computador.
  • 4. 4ª aula • Na sala de informática os alunos aprenderão a utilizar o programa hagaqué, criador de história em quadrinhos. 5ª aula. • Com a história elaborada, textos e imagens já concluídos, as equipes montarão as histórias em quadrinhos no hagaque. OLHANDO PARA UMA PRÁTICA COM O USO DE TECNOLOGIAS Criando um vídeo animado com o Paint e Movie Maker 21.10.2009 Autor : Daniela Braga de Paula Co-autor(es) : Eliana Dias UBERLANDIA - MG ESC DE EDUCACAO BASICA http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=10732 Criando um vídeo animado com o Paint e Movie Maker A aula Criando um vídeo animado com o Paint e Movie Maker elaborada pela professora Daniela Braga é muito interessante e criativa, pois propõe aos alunos uma atividade dinâmica e envolvente. Essa atividade permite ao aluno perceber e entender a relação existente entre a música e o vídeo, além de proporcionar a criação de um vídeo animado a partir de uma música que o aluno goste. A atividade foi realizada em 04 aulas com a duração de 50 minutos. Para a realização da mesma foi fundamental um conhecimento prévio dos alunos sobre o manuseio dos programas Paint e Movie Maker. A professora utilizou como recurso didático para a realização dessa atividade o Datashow. O laboratório de informática, a internet e os programas Paint e Movie Maker. Percebe-se que, na primeira aula a professora intencionalmente trabalha com os alunos a interação e ajuda ao próximo, pois divide a turma em duplas, onde quem tem mais facilidade em manusear os programas ajuda quem tem mais dificuldade. É explicado aos alunos o objetivo da atividade, que é criar um vídeo animado da canção “Marvin”, dos Titãs. Ela propõe assistir primeiro a um vídeo, que apresenta uma produção semelhante ao que será feito por eles, e assim, assistem a canção “Eduardo e Mônica” da Legião Urbana.
  • 5. Após assistirem ao vídeo é discutido sobre o que é seleção de cenas, sincronia e animação. Logo em seguida, é dada aos alunos a cópia da canção que eles vão animar. Percebe-se a importância de saber selecionar as cenas, pois as imagens precisam ter sincronia com a música, pois elas devem retratar o que a melodia diz em cada momento, além disso, é fundamental tornar interessante e envolvente a animação dessas imagens em sincronia com a música para quem vai assistir. Com a letra da canção em mãos os alunos podem ler, refletir e interpretar o que o autor quer dizer. Nas 2 e 3 aulas, utilizando o programa Paint, as imagens selecionadas pelos alunos foram organizadas de acordo com a letra da música, criando assim, as cenas. Na 4 aula, utilizando o programa Movie Maker os alunos concluíram a atividade criando o vídeo. Muito interessante esse momento, pois com a música de fundo as imagens que retratavam cada momento da melodia foram colocadas, e logo após, a animação foi introduzida, como a transição dos slides e os efeitos de vídeo. Os trabalhos realizados pelas duplas podem ser publicados no You tube para que sejam assistidos pelos demais colegas e por toda a comunidade escolar. É uma atividade muito interessante, pois envolve recursos tecnológicos e a arte, além de permitir a criatividade e a visão crítica dos alunos. Percebe-se a possibilidade de realizar trabalhos artísticos como o teatro, as artes visuais e etc, utilizando esse recurso tão rico que é a informática. Além disso, é uma atividade que promove a socialização e a interação dos alunos, pois permite que os alunos façam comentários críticos sobre os trabalhos dos colegas. Susie Barreto Assunto: Vitral Fonte: Wikipedia, a enciclopédia livre. Os vitrais são elementos arquitetônicos constituídos por pedaços de vidro, geralmente coloridos, combinados para formar desenhos. Tal como o vidro, o vitral originou-se no oriente por volta do século X, tendo florescido na Europa durante a Idade Media. Amplamente utilizados na ornamentação de igrejas e catedrais, o efeito da luz solar que por eles penetrava, conferia uma maior imponência e espiritualidade ao ambiente, efeito reforçado pelas imagens retratadas, em sua maioria, cenas religiosas. Adicionalmente, serviam como recurso didático para a instrução do catolicismo a uma população inculta e analfabeta.
  • 6. A técnica clássica de fabricação de vitrais utilizava chumbo nas junções e soldaduras. A cor nas pecas de vidro era obtida pela adição de substancias como: o bismuto, o cádmio, o cobalto, o ouro e o cobre e outros, a massa de vidro em fusão. De peso elevado, os vitais assim construídos apresentavam problema de estrutura, estanquiedade, fragilidade, deformações, manutenção difícil, alem de elevado custo. Atualmente, existem técnicas mais avançadas para a produção de vitrais, de grande valor estético, mais baratas e inócuas para a saúde e para o meio ambiente. Material · Papel celofane de várias cores ou as cores primárias. · Cola · Tesoura · Papel chamex Procedimento Faça um desenho simples no papel chamex. As linhas do desenho devem ser largas, 1,5 a 2 cm são suficientes. Pinte as linhas largas com lápis de cor preta. A cor preta vai realçar as cores do papel celofane. As partes do desenho que ficaram sem ser pintadas devem ser recortadas, cuidado para cortar as linhas pintadas.
  • 7. Nas partes vazadas será colado o papel celofane da cor que desejar. Para o acabamento, cole uma folha de papel chamex por traz da colagem do celofane. Obs: No trabalho acima não foi colado papel celofane e sim folha de revista. O celofane está um pouco caro, né. Essa técnica pode ser aplicada em vários tipos de desenhos. Sugestão de atividade Os alunos podem pesquisar em alguns lugares da cidade onde tem vitral (em prédios públicos, em igrejas, em monumentos históricos, etc). Em equipes podem tirar fotos, fazer apresentação em power point ou exposição das fotos em um mural. As equipes podem falar um pouco sobre a história do lugar onde o vitral foi fotografado. Pedir aos alunos uma pesquisa sobre a definição, origem do vitral, e formas de construção. ________________________________________________________________________ Assunto: Mosaico http://pt.wikipedia.org/wiki/Mosaico Obs: Para realizar essa atividade em sala de aula procurei um material de baixo custo mas que produz um efeito muito bonito. Material
  • 8.  Cola  Tesoura  Papel chamex  Papel camurça de várias cores ou revista velha  Um desenho  Canetinha Procedimento  Com o lápis, transferir o desenho para o papel chamex.  Decidir quais as cores que vai usar no desenho.  Cortar uma tira do papel camurça, mais ou menos de 1 dedo e cortar em diversos formatos, quadradinho e triangulo. Separar por cores. Não misturar as cores para não dificultar na hora de fazer a colagem. Obs: O papel camurça é um pouco caro, então pode ser substituido por folhas coloridas de revista velha.  Colorir o desenho parte por parte, colocando um pouquinho de cola  Para concluir, as linhas do desenho podem ser contornadas com canetinha. Resultado com o papel camurça
  • 9. Resultado com revista velha Sugestão de atividades. Os alunos podem pesquisar em alguns lugares da cidade onde tem exposição de mosaico (prédios públicos, igrejas, etc). Em equipes podem tirar fotos, fazer apresentação em power point ou exposição das fotos em um mural. As equipes podem falar um pouco sobre a história do lugar onde o mosaico foi fotografado. Pedir aos alunos uma pesquisa sobre a definição, origem do mosaico, e formas de construção. _____________________________________________________________________________ ___
  • 10. Assunto: Luz e sombra Fonte: http://www.amopintar.com/luz-e-sombra#ixzz16aepaRX7 Publicado por: "Amopintar" Na secção: Desenho “A luz e a sombra, são os elementos básicos para produzir o efeito de Volume nos objetos". Num desenho em duas dimensões, a luz e a sombra são elementos que definem e caracterizam o volume do objeto. O volume é em conjunto com a forma outro dos aspectos que distingue os objetos que nos rodeiam. Este depende da luz que recebe, e por consequência das sombras que este produz. A definição correta do volume dum objeto se consegue através da valorização exata das intensidades das suas sombras. Podemos definir dois tipos de sombras, as próprias e as projetadas. As sombras próprias são as que origina o objeto em si próprio e as projetadas são aquelas que ele produz nas superfícies vizinhas. Também se deve ter em consideração os reflexos produzidos pela luz, que projetam as superfícies ou objetos vizinhos já que estas aclaram a sombra própria. Entre a luz e a sombra há uma zona de transição ou de “meia sombra” que pode variar em extensão dependendo da intensidade da luz. No exemplo da Figura 2, distinguimos dois objetos com a mesma forma, tamanho e proporção, no entanto um representa um círculo e o outro, uma esfera. O círculo passou a ser um elemento bidimensional, a parecer um elemento tridimensional, com volume. A diferença entre os dois objetos é conseguida neste caso pelo efeito da luz e da sombra”.
  • 11. Material  Papel chamex  Borracha  Lápis 6B  Um desenho simples sem muitos enfeites, mais contorno  Régua  Um pedacinho de algodão. Procedimento 1 parte- Primeiro faça um exercicio com os alunos para que eles aprendam a usar o lápis 6B. Peça que desenhem 3 retângulos. No primeiro pintar uniforme com um cinza escuro, de preferência na horizontal. No segundo pintar um cinza escuro e o outro médio, que devem se encontrar no meio, os dois na mesma direção. No terceiro, três tipos de cinzas, escuro, médio e claro, as pontas das cores devem se encontrar. Veja o exemplo a baixo. 2 parte- Pintar o desenho por dentro com três tonalidades de cinza, as cores devem se encontrar, do mais escuro para o mais claro. Depois pintar o desenho por fora, pode ser empregado a penas diuas tonalidades de cinza. Contornar as linhas do desenho com o lápis 6B. Ao final, passar o pedacinho de algodão em todo o desenho em movimentos circulares, bem suave, é somente para dar o brilho.Ve ja os exemplos abaixo. Obs: A pintura fica legal em movimentos todos horizontais ou todos na vertical, para que as linhas possam se encontrar. Sombreamento interno: O desenho fica todo pintado, assim como o lado de fora.
  • 12. Sombreamento externo: O desenho fica sem ser pintado, o lado de fora que é pintado, tem-se a impressão que o desenho fica projetado. O lado de fora pode ser pintado com três tonalidades de cinzas, escuro, médio e claro. Meus trabalhos e de alunos.
  • 16. _____________________________________________________________________________ ____ Assunto: Desenho raspado Essa é uma atividade muito interessante pois é sempre uma descoberta, os alunos gostam muito de fazer. Material  Lápis de cêra.  Papel chamex da cor branca  Um desenho Procedimento Pegue uma folha de papel em branco e pinte-a com o lápis de cera, utilize várias cores, de preferencia pintando sempre na mesma direção. Exemplo
  • 17. Depois da folha toda colorida pegue o lápis de cera da cor preta e passe por cima de tudo o que foi pintado, sempre na mesma direção. Exemplo Pegue a tampa de uma caneta e vá desenhando sobre tudo que foi pintado. Dica: Para que o desenho fique apenas com uma cor basta escolher apenas uma cor para pintar em baixo. Exemplo Dica: Para que o desenho fique apenas com uma cor basta escolher apenas uma cor para pintar em baixo. Desenho raspado colorido
  • 18. Desenho raspado com apenas uma cor _____________________________________________________________________________ ______ Assunto: História em quadrinhos