SlideShare uma empresa Scribd logo
C.E .Urbano Rocha
Imperatriz, _____ de abril de 2014.
Professora: Mary Alvarenga
Disciplina: Arte
Arte indígena no Brasil
Arte indígena brasileira é a arte produzida pelos povos nativos do Brasil, antes e depois da
colonização portuguesa, que se iniciou no século XVI. Considerando a grande diversidade de tribos
indígenas no Brasil, pode-se dizer que, em conjunto, elas se destacam na arte da cerâmica, do
trançado e de enfeites no corpo.
Um aspecto importante, é que a arte indígena é a representação de uma tribo, e não da
personalidade de quem o faz. Por isso, essa arte é tão diversificada. Eles também usam apenas
elementos naturais na composição da arte: madeira, palhas, cipós, resinas, ossos, dentes, couro,
conchas, pedras, sementes, plumas, tintas, e etc. As peças de cerâmica mostram os muitos costumes
dos povos indígenas.
As máscaras para os índios são produzidas pelo homem comum, mas ao mesmo tempo, são
a figura viva do sobrenatural. São feitas com troncos de árvores, cabaças, palhas, e são
normalmente usadas em danças cerimoniais. As cores mais usadas pelos índios são: o vermelho
muito vivo, o negro esverdeado, e o branco. A importância desse tipo de cor, é que ao fazerem a
pintura corporal, eles tem a intenção de transmitir a alegria com cores vivas e intensas. Além do
mais, através dessa pintura corporal, as tribos se organizam socialmente, como por exemplo:
guerreiros, nobres e pessoas comuns.
A música e a dança estão frequentemente associadas aos índios e a sua cultura, variando de
tribo para tribo. Em muitas sociedades indígenas a importância que a música tem na representação
de ritos e mitos é muito grande. Cada tribo tem seus próprio instrumentos, havendo também os
instrumentos que são utilizados em diferentes tribos, no entanto de diferentes formas como é o caso
do maracá ou chocalho, onde em determinadas sociedades indígenas como a dos Uaiupés o uso do
mesmo acontece em cerimonias religiosas, já outras tribos como a dos Timbiras é utilizado para
marcar ritmo junto a um cântico por exemplo. A dança junto aos indígenas se difere da nossa por
não dançarem em pares, a não ser por poucas exceções como acontece no alto Xingu. A dança pode
ser realizada por um único indivíduo ou por grupos.
Arte pré-cabralina
Refere-se à arte feita pelos povos indígenas que habitavam o Brasil antes de seu
descobrimento em 1500 por Pedro Álvares Cabral. A arte pré-cabralina está dividida em dois
conjuntos de produção artística: a fase Marajoara e a cultura Santarém.
 A fase Marajoara
Produção cultural dos povos da Ilha de Marajó, PA. Sofreu declínio e desapareceu por volta
de 1350. Os povos dessa fase (a quarta na sucessão das culturas da ilha) vieram do noroeste da
América do Sul e chegaram à Ilha de Marajó, por volta de 400 d.C.. Na região centro-oeste do local,
a qual ocuparam; construíram habitações, cemitérios e locais de ritualísticos.
Nessa fase destacamos as cerâmicas, que podiam ser de uso doméstico, cerimonial ou
funeral e se diferem entre si quanto suas características.
 Cerâmica doméstica: como serviam apenas para guardar mantimentos, eram simples e não
apresentavam a superfície decorada.
 Cerâmica cerimonial: como estas eram para uso festivo ou homenagens fúnebres, eram
bem decorados, caracterizados por apresentar desenhos ou policromático (com duas ou
várias cores) com cortes na cerâmica ou em alto relevo.
 Cerâmica funeral: também chama das de igaçabas, essas urnas mortuárias eram decoradas
com desenhos labirínticos
Além da cerâmica, os marajoaras produziam bancos, colheres, apitos, adornos para orelha e
lábios e estatuetas humanas, que chamam a atenção por serem pouco realistas e mais estilizadas, ou
seja, sem preocupação com a fidelidade à realidade. Até hoje se discute a função dessas obras, se
eram decorativas ou cerimoniais.
 Cultura Santarém
Considerada umas das mais expressivas e antigas, a Cultura Santarém é um complexo de
culturas como a Marajoara que foram encontrados na área amazônica. A cerâmica santarena
apresenta uma decoração bastante complexa, pois além da pintura e dos desenhos, as peças
apresentam ornamentos em relevo com figuras de seres humanos ou animais. Um dos recursos
ornamentais da cerâmica santarena que mais chama a atenção é a presença de cariátides, isto é,
figuras humanas que apoiam a parte superior de um vaso. Além de vasos, a cultura Santarém
produziu ainda cachimbos, cuja decoração por vezes já sugere a influência dos primeiros
colonizadores europeus, e estatuetas de formas variadas. Diferentemente das estatuetas marajoaras,
as da cultura Santarém apresentam maior realismo, pois reproduzem mais fielmente os seres
humanos ou animais que representam.
A cerâmica santarena refinadamente decorada com elementos em relevo perdurou até a
chegada dos colonizadores portugueses. Mas, por volta do século XVII, os povos que a realizavam
foram perdendo suas peculiaridades culturais e sua produção acabou por desaparecer.
A arte indígena depois da chegada dos portugueses
Os portugueses e os índios eram muito diferentes. Os portugueses deixaram para trás um
país rico e muito adiantado para a época. Eles eram mestres na construção de caravelas e tinham
também uma arquitetura muito avançada. Os portugueses tinham aparência diferente da dos índios,
usavam roupas para cobrir todo o corpo. As mulheres, naquela época nem podiam mostrar os pés;
usavam roupas luxuosas, de tecidos pesados, com bordados e joias.
Quando chegaram ao Brasil, encontrou aqui um clima quente, um local totalmente
inexplorado e habitado por índios, que em vez de roupas, usavam colares, enfeites feitos com penas
e o corpo todo pintado. Com certeza tanto os índios quanto os portugueses ficaram surpresos, pois
não tinham nada em comum, cada um deles tinha seu próprio modo de viver em sociedade, de se
vestir, fazer arte etc.
 Pintura corporal
Os índios pintam seus corpos no dia-a-dia e em ocasiões especiais (festas, luto, guerra etc.).
A pintura pode estar relacionada a crenças indígenas, identificação de uma determinada tribo,
membros de uma mesma tribo ou servir simplesmente para embelezar o corpo. As tintas usadas para
a pintura corporal são retiradas da natureza, basicamente do urucum (vermelho e amarelo) e do
jenipapo (preto e azul).
 Adereços e arte plumária
Assim como a pintura corporal a arte plumária serve para enfeites e passam aos seus
portadores elegância e majestade. Essa é uma arte muito especial, pois ela não está associada a
nenhum fim lucrativo e sim apenas à pura busca da beleza, com esta arte os índios criam mantos,
diademas e colares. Uma das peças mais conhecidas é o “manto Tupinambá” confeccionada pelos
Tupinambás, para serem usadas pelos pajés. Existem dois grandes estilos na arte plumária, são eles,
os trabalhos majestosos e grandes, como os diademas, e os delicados adornos de corpo, que está no
colorido e na combinação dos matizes, que seriam um tipo de colar.
 Trançados
Os trançados feitos pelos indígenas possuíam como matérias-primas as folhas, palmas,
cipós, talas e fibras. Os indígenas produzem uma variada gama de peças de vestuário, cestas e redes,
além de peneiras e abanos. Os principais produtos que eram produzidos com esta arte de tecelagem
eram as vestimentas, que caracterizam muito a sua cultura indígena, já que dependendo de qual
cultura a vestimenta também muda. Nos trabalhos de cestaria dos índios há uma definição bastante
clara no estilo do trabalho, de forma que um estudioso da área pode através de um trabalho em
trançado facilmente identificar a região ou até mesmo que tribo o produziu. As cestarias são
utilizadas para o transporte de víveres, armazenamento, como recipientes, utensílios, cestas, assim
como objetos como esteiras.
 Cerâmica
As peças de cerâmica que se conservaram ao longo do tempo testemunham costumes de
diferentes povos indígenas já desaparecidos, numa linguagem artística que nos impressiona. Elas
possuem várias formas diferentes para cada local, como também figuras, isso explica a diversidade
cultural presente na época indígena. A fabricação de artefatos de cerâmica não é característica de
todas as tribos indígenas. Entre os Xavantes, por exemplo, ela falta totalmente. Em algumas sua
confecção é bastante simples, mas o que é importante ressaltar é que por mais elaborada que seja a
cerâmica sua produção é sempre feita sem a ajuda da roda de oleiro. As cerâmicas são utilizadas na
fabricação de bonecas, panela, vasos e outros recipientes. Muitas são produzidas visando atender a
demanda dos turistas.
 As máscaras
Para os indígenas, as máscaras têm um caráter duplo: ao mesmo tempo que são um
artefato produzido por um homem comum, são a figura viva do ser sobrenatural que representam.
Feitas com cascas de árvores, cabaças de palhas de buriti, geralmente são usadas em danças
cerimoniais, representando personagens da mitologia indígena. Com seu simbolismo, as máscaras
aproximam estas forças sobrenaturais ao indivíduo e materializam todos os códigos inscritos nos
rituais e mitos, facilitando a leitura que cada um dos índios fará destes códigos. Um aspecto
recorrente nas mitologias indígenas é que em um passado distante aconteceram conflitos entre as
entidades representadas pelas máscaras e os índios, porém no presente os índios preparam festas
que servem para "alegrar" e controlar estas entidades. Assim os índios superam os confrontos
passados, e influenciam as forças sobrenaturais em favor de seus interesses.
 Arquitetura indígena
Taba ou Aldeia é a reunião de 4 a 10 ocas, em cada oca vivem várias famílias (ascendentes
e descendentes), geralmente entre 300 a 400 pessoas. O lugar ideal para erguer a taba deve ser bem
ventilado, dominando visualmente a vizinhança, próxima de rios e da mata. A terra, própria para o
cultivo da mandioca e do milho. No centro da aldeia fica a ocara, a praça. Ali se reúnem os
conselheiros, as mulheres preparam as bebidas rituais, têm lugar as grandes festas. Dessa praça
partem trilhas chamadas pucu que levam a roça, ao campo e ao bosque. Destinada a durar no
máximo 5 anos a oca é erguida com varas, fechada e coberta com palhas ou folhas. Não recebe
reparos e quando inabitável os ocupantes a abandonam. Não possuem janelas, têm uma abertura em
cada extremidade e em seu interior não tem nenhuma parede ou divisão aparente. Vivem de modo
harmonioso.
Arte indígena brasileira
 Pintura corporal
 Adereços e arte plumária
 Trançados
 Cerâmica
 As máscaras
 Arquitetura indígena
Atividade de Arte
1. Explique o significado do nome “pré-cabralina” dados a arte produzida pelos povos da América
 Refere-se à arte feita pelos povos indígenas que habitavam o Brasil antes de seu descobrimento em
1500 por Pedro Álvares Cabral.
2. Aponte duas importantes características gerais da arte indígenas brasileira
pré-cabralina.
 1ª - Na produção artística indígena a beleza provém da preocupação com o capricho e a perfeição, e
não de uma visão do objeto produzido como obra de arte.
 2ª – A arte indígena traduz as tradições da comunidade e não a visão particular de um artista.
3. Quais as artes foram produzidas pelos indígenas brasileiros entre 1100 a. C. e 1350 d. C.?
 Pintura, escultura e artesanato.
4. Explique a função das seguintes artes indígena.
a) Cerâmica.
 Função doméstica e cerimonial
b) Plumária
 Finalidade de embelezar.
c) Máscara
 Função de representar seres sobre naturais
d) Pintura corporal
 A pintura pode estar relacionada a crenças indígenas, identificação de uma determinada tribo,
membros de uma mesma tribo ou servir simplesmente para embelezar o corpo.
5. Cite alguns elementos naturais usados pelos indígenas para produção de seus objetos.
 Madeiras, caroços, fibras, palmas, palhas, cipós, sementes, cocos, resinas, couros, ossos, dentes, conchas,
garras e belíssimas plumas das mais diversas aves.
6. De que são feitas as máscaras indígenas e quando são usadas?
 São feitas com cascas de árvores, cabaças de palhas de buriti, geralmente são usadas em danças
cerimoniais, representando personagens da mitologia indígena.
7. Cite as cores mais usadas pelos índios para pintar seus corpos.
 As cores mais usadas pelos índios para pintar seus corpos são o vermelho muito vivo do urucum, o
negro esverdeado da tintura do suco do jenipapo e o branco da tabatinga. A escolha dessas cores é
importante, porque o gosto pela pintura corporal está associado ao esforço de transmitir ao corpo a
alegria contida nas cores vivas e intensas.
8. Marque a alternativa certa.
 A produção artística indígena tem o objetivo de:
a) embelezar as pessoas da tribo nos rituais. ( )
b) fabricar os utensílios e adereços que os índios necessitam ao seu dia-a-dia. ( )
c) realizar a pintura corporal para identificar a tribo, representando as tradições da comunidade.( )
d) Todas as alternativa (X)
9. Assinale a alternativa certa.
 A produção cultural marajoara compreende:
a) Arte indígena mais recente, arte plumária, trançados e cerâmica. ( )
b) Cerâmicas decorativas, mas que não apresentem desenhos labirínticos e repetitivos.( )
c) Vestígios culturais encontrados na região próxima à junção dos rios Tapajós e Amazonas. ( )
d) Arte plumária, máscaras e pintura corporal realizada até a chegada dos europeus. ( )
e) Cerâmicas, vasos e estatuetas originárias da Ilha de Marajó (estado do Pará). (X)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Atividades de Artes 6° ao 9° Ano
Atividades de Artes 6° ao 9° AnoAtividades de Artes 6° ao 9° Ano
Atividades de Artes 6° ao 9° Ano
Leoneide Carvalho
 
Artes Dança/ Danças Regionais e Atividades
Artes Dança/ Danças Regionais e AtividadesArtes Dança/ Danças Regionais e Atividades
Artes Dança/ Danças Regionais e Atividades
Geo Honório
 
Artes atividades
Artes   atividadesArtes   atividades
Artes atividades
Ronaldo Russou
 
Cores secundárias
Cores  secundáriasCores  secundárias
Cores secundárias
Mary Alvarenga
 
Apostila de Arte Ensino Fundamental I
Apostila de Arte Ensino Fundamental IApostila de Arte Ensino Fundamental I
Apostila de Arte Ensino Fundamental I
Eliane Sanches
 
AVALIAÇÃO DE ARTES: EJA - 6° AO 9º ANO
AVALIAÇÃO DE ARTES: EJA - 6°  AO  9º ANOAVALIAÇÃO DE ARTES: EJA - 6°  AO  9º ANO
AVALIAÇÃO DE ARTES: EJA - 6° AO 9º ANO
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Artes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e AtividadesArtes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e Atividades
Geo Honório
 
Atividade de Arte - Música
Atividade de Arte  - MúsicaAtividade de Arte  - Música
Atividade de Arte - Música
Mary Alvarenga
 
Avaliação 9º ano POP ART e DESIGN
Avaliação 9º ano POP ART e DESIGNAvaliação 9º ano POP ART e DESIGN
Avaliação 9º ano POP ART e DESIGN
Casiris Crescencio
 
Plano de curso arte 5º ano
Plano de curso arte   5º anoPlano de curso arte   5º ano
Plano de curso arte 5º ano
Mary Alvarenga
 
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: TRÂNSITO E MEIOS DE TRANSPORTE - 3º ANO DO E.F. 1
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: TRÂNSITO E MEIOS DE TRANSPORTE - 3º ANO DO E.F. 1AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: TRÂNSITO E MEIOS DE TRANSPORTE - 3º ANO DO E.F. 1
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: TRÂNSITO E MEIOS DE TRANSPORTE - 3º ANO DO E.F. 1
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Avaliação arte musica
Avaliação arte musicaAvaliação arte musica
Avaliação arte musica
Atividades Diversas Cláudia
 
avaliação de artes - cores primaria - secundarias e terciarias.docx
avaliação de artes - cores primaria - secundarias e terciarias.docxavaliação de artes - cores primaria - secundarias e terciarias.docx
avaliação de artes - cores primaria - secundarias e terciarias.docx
NayanaNayllah
 
Prova de arte 4b 8 ano
Prova de arte 4b 8 anoProva de arte 4b 8 ano
Prova de arte 4b 8 ano
Atividades Diversas Cláudia
 
Apostila arte 9 ano.pdf (1) (1)
Apostila arte 9 ano.pdf (1) (1)Apostila arte 9 ano.pdf (1) (1)
Apostila arte 9 ano.pdf (1) (1)
Doane Castro
 
7º ano avaliação de arte 1º bimestre
7º ano avaliação de arte 1º bimestre7º ano avaliação de arte 1º bimestre
7º ano avaliação de arte 1º bimestre
Fabiola Oliveira
 
Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )
graduartes
 
Iii avaliação bimestral em ensino da arte
Iii avaliação bimestral em ensino da arteIii avaliação bimestral em ensino da arte
Iii avaliação bimestral em ensino da arte
Nil-Késia Camargo
 
As cores II
As cores IIAs cores II
As cores II
Claudia Ramos
 
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
Fabiola Oliveira
 

Mais procurados (20)

Atividades de Artes 6° ao 9° Ano
Atividades de Artes 6° ao 9° AnoAtividades de Artes 6° ao 9° Ano
Atividades de Artes 6° ao 9° Ano
 
Artes Dança/ Danças Regionais e Atividades
Artes Dança/ Danças Regionais e AtividadesArtes Dança/ Danças Regionais e Atividades
Artes Dança/ Danças Regionais e Atividades
 
Artes atividades
Artes   atividadesArtes   atividades
Artes atividades
 
Cores secundárias
Cores  secundáriasCores  secundárias
Cores secundárias
 
Apostila de Arte Ensino Fundamental I
Apostila de Arte Ensino Fundamental IApostila de Arte Ensino Fundamental I
Apostila de Arte Ensino Fundamental I
 
AVALIAÇÃO DE ARTES: EJA - 6° AO 9º ANO
AVALIAÇÃO DE ARTES: EJA - 6°  AO  9º ANOAVALIAÇÃO DE ARTES: EJA - 6°  AO  9º ANO
AVALIAÇÃO DE ARTES: EJA - 6° AO 9º ANO
 
Artes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e AtividadesArtes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e Atividades
 
Atividade de Arte - Música
Atividade de Arte  - MúsicaAtividade de Arte  - Música
Atividade de Arte - Música
 
Avaliação 9º ano POP ART e DESIGN
Avaliação 9º ano POP ART e DESIGNAvaliação 9º ano POP ART e DESIGN
Avaliação 9º ano POP ART e DESIGN
 
Plano de curso arte 5º ano
Plano de curso arte   5º anoPlano de curso arte   5º ano
Plano de curso arte 5º ano
 
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: TRÂNSITO E MEIOS DE TRANSPORTE - 3º ANO DO E.F. 1
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: TRÂNSITO E MEIOS DE TRANSPORTE - 3º ANO DO E.F. 1AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: TRÂNSITO E MEIOS DE TRANSPORTE - 3º ANO DO E.F. 1
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: TRÂNSITO E MEIOS DE TRANSPORTE - 3º ANO DO E.F. 1
 
Avaliação arte musica
Avaliação arte musicaAvaliação arte musica
Avaliação arte musica
 
avaliação de artes - cores primaria - secundarias e terciarias.docx
avaliação de artes - cores primaria - secundarias e terciarias.docxavaliação de artes - cores primaria - secundarias e terciarias.docx
avaliação de artes - cores primaria - secundarias e terciarias.docx
 
Prova de arte 4b 8 ano
Prova de arte 4b 8 anoProva de arte 4b 8 ano
Prova de arte 4b 8 ano
 
Apostila arte 9 ano.pdf (1) (1)
Apostila arte 9 ano.pdf (1) (1)Apostila arte 9 ano.pdf (1) (1)
Apostila arte 9 ano.pdf (1) (1)
 
7º ano avaliação de arte 1º bimestre
7º ano avaliação de arte 1º bimestre7º ano avaliação de arte 1º bimestre
7º ano avaliação de arte 1º bimestre
 
Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )
 
Iii avaliação bimestral em ensino da arte
Iii avaliação bimestral em ensino da arteIii avaliação bimestral em ensino da arte
Iii avaliação bimestral em ensino da arte
 
As cores II
As cores IIAs cores II
As cores II
 
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
 

Destaque

Autorregulada 1 bim_9ano
Autorregulada 1 bim_9anoAutorregulada 1 bim_9ano
Autorregulada 1 bim_9ano
Carina Gomes
 
texto Paisagem
texto Paisagemtexto Paisagem
texto Paisagem
julliana brito
 
A IMPORTÂNCIA DA LEITURA DE IMAGENS PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM EM ARTES VIS...
A IMPORTÂNCIA DA LEITURA DE IMAGENS PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM EM ARTES VIS...A IMPORTÂNCIA DA LEITURA DE IMAGENS PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM EM ARTES VIS...
A IMPORTÂNCIA DA LEITURA DE IMAGENS PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM EM ARTES VIS...
Vis-UAB
 
Diversidade Cultural Brasileira
Diversidade Cultural BrasileiraDiversidade Cultural Brasileira
Diversidade Cultural Brasileira
Jaqueline Gonçalves
 
Bras indep texto 11_ 2007
Bras indep texto 11_ 2007Bras indep texto 11_ 2007
Bras indep texto 11_ 2007
Jorge Marcos Oliveira
 
Atividades sobre cultura negra
Atividades sobre cultura negraAtividades sobre cultura negra
Atividades sobre cultura negra
Atividades Diversas Cláudia
 
Avaliação de Arte 2º Ensino Médio
Avaliação de Arte 2º Ensino MédioAvaliação de Arte 2º Ensino Médio
Avaliação de Arte 2º Ensino Médio
Marcia Oliveira
 

Destaque (7)

Autorregulada 1 bim_9ano
Autorregulada 1 bim_9anoAutorregulada 1 bim_9ano
Autorregulada 1 bim_9ano
 
texto Paisagem
texto Paisagemtexto Paisagem
texto Paisagem
 
A IMPORTÂNCIA DA LEITURA DE IMAGENS PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM EM ARTES VIS...
A IMPORTÂNCIA DA LEITURA DE IMAGENS PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM EM ARTES VIS...A IMPORTÂNCIA DA LEITURA DE IMAGENS PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM EM ARTES VIS...
A IMPORTÂNCIA DA LEITURA DE IMAGENS PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM EM ARTES VIS...
 
Diversidade Cultural Brasileira
Diversidade Cultural BrasileiraDiversidade Cultural Brasileira
Diversidade Cultural Brasileira
 
Bras indep texto 11_ 2007
Bras indep texto 11_ 2007Bras indep texto 11_ 2007
Bras indep texto 11_ 2007
 
Atividades sobre cultura negra
Atividades sobre cultura negraAtividades sobre cultura negra
Atividades sobre cultura negra
 
Avaliação de Arte 2º Ensino Médio
Avaliação de Arte 2º Ensino MédioAvaliação de Arte 2º Ensino Médio
Avaliação de Arte 2º Ensino Médio
 

Semelhante a Texto arte indigena

Arte indígena
Arte indígenaArte indígena
Arte indígena
Davi Carneiro
 
Arte indígena na chegada dos portugueses
Arte indígena na chegada dos portuguesesArte indígena na chegada dos portugueses
Arte indígena na chegada dos portugueses
Claudio Bastos
 
Arte indígena na chegada dos portugueses
Arte indígena na chegada dos portuguesesArte indígena na chegada dos portugueses
Arte indígena na chegada dos portugueses
Claudio Bastos
 
8o. ano continuação 1º arte pré-colombiana e arte pré-cabralina-34 slides-
8o. ano   continuação 1º arte pré-colombiana e arte pré-cabralina-34 slides-8o. ano   continuação 1º arte pré-colombiana e arte pré-cabralina-34 slides-
8o. ano continuação 1º arte pré-colombiana e arte pré-cabralina-34 slides-
ArtesElisa
 
Arte pré-cabralina
Arte pré-cabralinaArte pré-cabralina
Arte pré-cabralina
Rafael Santos
 
003 A Arte indígena brasileira e seus usos .pdf
003 A Arte indígena brasileira e seus usos .pdf003 A Arte indígena brasileira e seus usos .pdf
003 A Arte indígena brasileira e seus usos .pdf
CLAUDIOROBERIOARAUJO
 
A Arte Indígena Brasileira - Atividade 1.2 - Arte - 6º Anos===.doc
A Arte Indígena Brasileira - Atividade 1.2 - Arte - 6º Anos===.docA Arte Indígena Brasileira - Atividade 1.2 - Arte - 6º Anos===.doc
A Arte Indígena Brasileira - Atividade 1.2 - Arte - 6º Anos===.doc
henriquecorreia39
 
A Arte Indígena Brasileira - Atividade 1.2 - Arte - 6º Anos - Professor Fabrí...
A Arte Indígena Brasileira - Atividade 1.2 - Arte - 6º Anos - Professor Fabrí...A Arte Indígena Brasileira - Atividade 1.2 - Arte - 6º Anos - Professor Fabrí...
A Arte Indígena Brasileira - Atividade 1.2 - Arte - 6º Anos - Professor Fabrí...
henriquecorreia39
 
A influência indígena no artesanato brasileiro gabi
A influência indígena no artesanato brasileiro   gabiA influência indígena no artesanato brasileiro   gabi
A influência indígena no artesanato brasileiro gabi
Dalila Salles Do Amaral
 
Atividades arte e cultura brasileira
Atividades arte e cultura brasileiraAtividades arte e cultura brasileira
Atividades arte e cultura brasileira
Atividades Diversas Cláudia
 
Arte Indígena Brasileira
Arte Indígena BrasileiraArte Indígena Brasileira
Arte Indígena Brasileira
Andrea Dressler
 
Arte indígena brasileira
Arte indígena brasileiraArte indígena brasileira
Arte indígena brasileira
Carol Mendoza
 
Artesanato no brasil muito bom
Artesanato no brasil muito bomArtesanato no brasil muito bom
Artesanato no brasil muito bom
Magistério Magistério
 
arte indígena
arte indígena arte indígena
arte indígena
fabio priore
 
trabalho de artes (julia).docx
trabalho de artes (julia).docxtrabalho de artes (julia).docx
trabalho de artes (julia).docx
JussaraSousa12
 
Arte indígena - índios Karajás
Arte indígena - índios KarajásArte indígena - índios Karajás
Arte indígena - índios Karajás
Andrea Dressler
 
Arte Indígena Brasileira
Arte Indígena BrasileiraArte Indígena Brasileira
Arte Indígena Brasileira
wdeiaw
 
Cultura indígena
Cultura indígena  Cultura indígena
Cultura indígena
Raquel Hemanuelly
 
Arte indígena
Arte indígenaArte indígena
Arte indígena
Lú Carvalho
 
História da Arte: Arte e cultura indígena brasileira
História da Arte: Arte e cultura indígena brasileiraHistória da Arte: Arte e cultura indígena brasileira
História da Arte: Arte e cultura indígena brasileira
Raphael Lanzillotte
 

Semelhante a Texto arte indigena (20)

Arte indígena
Arte indígenaArte indígena
Arte indígena
 
Arte indígena na chegada dos portugueses
Arte indígena na chegada dos portuguesesArte indígena na chegada dos portugueses
Arte indígena na chegada dos portugueses
 
Arte indígena na chegada dos portugueses
Arte indígena na chegada dos portuguesesArte indígena na chegada dos portugueses
Arte indígena na chegada dos portugueses
 
8o. ano continuação 1º arte pré-colombiana e arte pré-cabralina-34 slides-
8o. ano   continuação 1º arte pré-colombiana e arte pré-cabralina-34 slides-8o. ano   continuação 1º arte pré-colombiana e arte pré-cabralina-34 slides-
8o. ano continuação 1º arte pré-colombiana e arte pré-cabralina-34 slides-
 
Arte pré-cabralina
Arte pré-cabralinaArte pré-cabralina
Arte pré-cabralina
 
003 A Arte indígena brasileira e seus usos .pdf
003 A Arte indígena brasileira e seus usos .pdf003 A Arte indígena brasileira e seus usos .pdf
003 A Arte indígena brasileira e seus usos .pdf
 
A Arte Indígena Brasileira - Atividade 1.2 - Arte - 6º Anos===.doc
A Arte Indígena Brasileira - Atividade 1.2 - Arte - 6º Anos===.docA Arte Indígena Brasileira - Atividade 1.2 - Arte - 6º Anos===.doc
A Arte Indígena Brasileira - Atividade 1.2 - Arte - 6º Anos===.doc
 
A Arte Indígena Brasileira - Atividade 1.2 - Arte - 6º Anos - Professor Fabrí...
A Arte Indígena Brasileira - Atividade 1.2 - Arte - 6º Anos - Professor Fabrí...A Arte Indígena Brasileira - Atividade 1.2 - Arte - 6º Anos - Professor Fabrí...
A Arte Indígena Brasileira - Atividade 1.2 - Arte - 6º Anos - Professor Fabrí...
 
A influência indígena no artesanato brasileiro gabi
A influência indígena no artesanato brasileiro   gabiA influência indígena no artesanato brasileiro   gabi
A influência indígena no artesanato brasileiro gabi
 
Atividades arte e cultura brasileira
Atividades arte e cultura brasileiraAtividades arte e cultura brasileira
Atividades arte e cultura brasileira
 
Arte Indígena Brasileira
Arte Indígena BrasileiraArte Indígena Brasileira
Arte Indígena Brasileira
 
Arte indígena brasileira
Arte indígena brasileiraArte indígena brasileira
Arte indígena brasileira
 
Artesanato no brasil muito bom
Artesanato no brasil muito bomArtesanato no brasil muito bom
Artesanato no brasil muito bom
 
arte indígena
arte indígena arte indígena
arte indígena
 
trabalho de artes (julia).docx
trabalho de artes (julia).docxtrabalho de artes (julia).docx
trabalho de artes (julia).docx
 
Arte indígena - índios Karajás
Arte indígena - índios KarajásArte indígena - índios Karajás
Arte indígena - índios Karajás
 
Arte Indígena Brasileira
Arte Indígena BrasileiraArte Indígena Brasileira
Arte Indígena Brasileira
 
Cultura indígena
Cultura indígena  Cultura indígena
Cultura indígena
 
Arte indígena
Arte indígenaArte indígena
Arte indígena
 
História da Arte: Arte e cultura indígena brasileira
História da Arte: Arte e cultura indígena brasileiraHistória da Arte: Arte e cultura indígena brasileira
História da Arte: Arte e cultura indígena brasileira
 

Último

Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 

Último (20)

Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 

Texto arte indigena

  • 1. C.E .Urbano Rocha Imperatriz, _____ de abril de 2014. Professora: Mary Alvarenga Disciplina: Arte Arte indígena no Brasil Arte indígena brasileira é a arte produzida pelos povos nativos do Brasil, antes e depois da colonização portuguesa, que se iniciou no século XVI. Considerando a grande diversidade de tribos indígenas no Brasil, pode-se dizer que, em conjunto, elas se destacam na arte da cerâmica, do trançado e de enfeites no corpo. Um aspecto importante, é que a arte indígena é a representação de uma tribo, e não da personalidade de quem o faz. Por isso, essa arte é tão diversificada. Eles também usam apenas elementos naturais na composição da arte: madeira, palhas, cipós, resinas, ossos, dentes, couro, conchas, pedras, sementes, plumas, tintas, e etc. As peças de cerâmica mostram os muitos costumes dos povos indígenas. As máscaras para os índios são produzidas pelo homem comum, mas ao mesmo tempo, são a figura viva do sobrenatural. São feitas com troncos de árvores, cabaças, palhas, e são normalmente usadas em danças cerimoniais. As cores mais usadas pelos índios são: o vermelho muito vivo, o negro esverdeado, e o branco. A importância desse tipo de cor, é que ao fazerem a pintura corporal, eles tem a intenção de transmitir a alegria com cores vivas e intensas. Além do mais, através dessa pintura corporal, as tribos se organizam socialmente, como por exemplo: guerreiros, nobres e pessoas comuns. A música e a dança estão frequentemente associadas aos índios e a sua cultura, variando de tribo para tribo. Em muitas sociedades indígenas a importância que a música tem na representação de ritos e mitos é muito grande. Cada tribo tem seus próprio instrumentos, havendo também os instrumentos que são utilizados em diferentes tribos, no entanto de diferentes formas como é o caso do maracá ou chocalho, onde em determinadas sociedades indígenas como a dos Uaiupés o uso do mesmo acontece em cerimonias religiosas, já outras tribos como a dos Timbiras é utilizado para marcar ritmo junto a um cântico por exemplo. A dança junto aos indígenas se difere da nossa por não dançarem em pares, a não ser por poucas exceções como acontece no alto Xingu. A dança pode ser realizada por um único indivíduo ou por grupos. Arte pré-cabralina Refere-se à arte feita pelos povos indígenas que habitavam o Brasil antes de seu descobrimento em 1500 por Pedro Álvares Cabral. A arte pré-cabralina está dividida em dois conjuntos de produção artística: a fase Marajoara e a cultura Santarém.  A fase Marajoara Produção cultural dos povos da Ilha de Marajó, PA. Sofreu declínio e desapareceu por volta de 1350. Os povos dessa fase (a quarta na sucessão das culturas da ilha) vieram do noroeste da América do Sul e chegaram à Ilha de Marajó, por volta de 400 d.C.. Na região centro-oeste do local, a qual ocuparam; construíram habitações, cemitérios e locais de ritualísticos.
  • 2. Nessa fase destacamos as cerâmicas, que podiam ser de uso doméstico, cerimonial ou funeral e se diferem entre si quanto suas características.  Cerâmica doméstica: como serviam apenas para guardar mantimentos, eram simples e não apresentavam a superfície decorada.  Cerâmica cerimonial: como estas eram para uso festivo ou homenagens fúnebres, eram bem decorados, caracterizados por apresentar desenhos ou policromático (com duas ou várias cores) com cortes na cerâmica ou em alto relevo.  Cerâmica funeral: também chama das de igaçabas, essas urnas mortuárias eram decoradas com desenhos labirínticos Além da cerâmica, os marajoaras produziam bancos, colheres, apitos, adornos para orelha e lábios e estatuetas humanas, que chamam a atenção por serem pouco realistas e mais estilizadas, ou seja, sem preocupação com a fidelidade à realidade. Até hoje se discute a função dessas obras, se eram decorativas ou cerimoniais.  Cultura Santarém Considerada umas das mais expressivas e antigas, a Cultura Santarém é um complexo de culturas como a Marajoara que foram encontrados na área amazônica. A cerâmica santarena apresenta uma decoração bastante complexa, pois além da pintura e dos desenhos, as peças apresentam ornamentos em relevo com figuras de seres humanos ou animais. Um dos recursos ornamentais da cerâmica santarena que mais chama a atenção é a presença de cariátides, isto é, figuras humanas que apoiam a parte superior de um vaso. Além de vasos, a cultura Santarém produziu ainda cachimbos, cuja decoração por vezes já sugere a influência dos primeiros colonizadores europeus, e estatuetas de formas variadas. Diferentemente das estatuetas marajoaras, as da cultura Santarém apresentam maior realismo, pois reproduzem mais fielmente os seres humanos ou animais que representam. A cerâmica santarena refinadamente decorada com elementos em relevo perdurou até a chegada dos colonizadores portugueses. Mas, por volta do século XVII, os povos que a realizavam foram perdendo suas peculiaridades culturais e sua produção acabou por desaparecer. A arte indígena depois da chegada dos portugueses Os portugueses e os índios eram muito diferentes. Os portugueses deixaram para trás um país rico e muito adiantado para a época. Eles eram mestres na construção de caravelas e tinham também uma arquitetura muito avançada. Os portugueses tinham aparência diferente da dos índios, usavam roupas para cobrir todo o corpo. As mulheres, naquela época nem podiam mostrar os pés; usavam roupas luxuosas, de tecidos pesados, com bordados e joias. Quando chegaram ao Brasil, encontrou aqui um clima quente, um local totalmente inexplorado e habitado por índios, que em vez de roupas, usavam colares, enfeites feitos com penas e o corpo todo pintado. Com certeza tanto os índios quanto os portugueses ficaram surpresos, pois não tinham nada em comum, cada um deles tinha seu próprio modo de viver em sociedade, de se vestir, fazer arte etc.  Pintura corporal Os índios pintam seus corpos no dia-a-dia e em ocasiões especiais (festas, luto, guerra etc.). A pintura pode estar relacionada a crenças indígenas, identificação de uma determinada tribo,
  • 3. membros de uma mesma tribo ou servir simplesmente para embelezar o corpo. As tintas usadas para a pintura corporal são retiradas da natureza, basicamente do urucum (vermelho e amarelo) e do jenipapo (preto e azul).  Adereços e arte plumária Assim como a pintura corporal a arte plumária serve para enfeites e passam aos seus portadores elegância e majestade. Essa é uma arte muito especial, pois ela não está associada a nenhum fim lucrativo e sim apenas à pura busca da beleza, com esta arte os índios criam mantos, diademas e colares. Uma das peças mais conhecidas é o “manto Tupinambá” confeccionada pelos Tupinambás, para serem usadas pelos pajés. Existem dois grandes estilos na arte plumária, são eles, os trabalhos majestosos e grandes, como os diademas, e os delicados adornos de corpo, que está no colorido e na combinação dos matizes, que seriam um tipo de colar.  Trançados Os trançados feitos pelos indígenas possuíam como matérias-primas as folhas, palmas, cipós, talas e fibras. Os indígenas produzem uma variada gama de peças de vestuário, cestas e redes, além de peneiras e abanos. Os principais produtos que eram produzidos com esta arte de tecelagem eram as vestimentas, que caracterizam muito a sua cultura indígena, já que dependendo de qual cultura a vestimenta também muda. Nos trabalhos de cestaria dos índios há uma definição bastante clara no estilo do trabalho, de forma que um estudioso da área pode através de um trabalho em trançado facilmente identificar a região ou até mesmo que tribo o produziu. As cestarias são utilizadas para o transporte de víveres, armazenamento, como recipientes, utensílios, cestas, assim como objetos como esteiras.  Cerâmica As peças de cerâmica que se conservaram ao longo do tempo testemunham costumes de diferentes povos indígenas já desaparecidos, numa linguagem artística que nos impressiona. Elas possuem várias formas diferentes para cada local, como também figuras, isso explica a diversidade cultural presente na época indígena. A fabricação de artefatos de cerâmica não é característica de todas as tribos indígenas. Entre os Xavantes, por exemplo, ela falta totalmente. Em algumas sua confecção é bastante simples, mas o que é importante ressaltar é que por mais elaborada que seja a cerâmica sua produção é sempre feita sem a ajuda da roda de oleiro. As cerâmicas são utilizadas na fabricação de bonecas, panela, vasos e outros recipientes. Muitas são produzidas visando atender a demanda dos turistas.  As máscaras Para os indígenas, as máscaras têm um caráter duplo: ao mesmo tempo que são um artefato produzido por um homem comum, são a figura viva do ser sobrenatural que representam. Feitas com cascas de árvores, cabaças de palhas de buriti, geralmente são usadas em danças cerimoniais, representando personagens da mitologia indígena. Com seu simbolismo, as máscaras aproximam estas forças sobrenaturais ao indivíduo e materializam todos os códigos inscritos nos rituais e mitos, facilitando a leitura que cada um dos índios fará destes códigos. Um aspecto recorrente nas mitologias indígenas é que em um passado distante aconteceram conflitos entre as
  • 4. entidades representadas pelas máscaras e os índios, porém no presente os índios preparam festas que servem para "alegrar" e controlar estas entidades. Assim os índios superam os confrontos passados, e influenciam as forças sobrenaturais em favor de seus interesses.  Arquitetura indígena Taba ou Aldeia é a reunião de 4 a 10 ocas, em cada oca vivem várias famílias (ascendentes e descendentes), geralmente entre 300 a 400 pessoas. O lugar ideal para erguer a taba deve ser bem ventilado, dominando visualmente a vizinhança, próxima de rios e da mata. A terra, própria para o cultivo da mandioca e do milho. No centro da aldeia fica a ocara, a praça. Ali se reúnem os conselheiros, as mulheres preparam as bebidas rituais, têm lugar as grandes festas. Dessa praça partem trilhas chamadas pucu que levam a roça, ao campo e ao bosque. Destinada a durar no máximo 5 anos a oca é erguida com varas, fechada e coberta com palhas ou folhas. Não recebe reparos e quando inabitável os ocupantes a abandonam. Não possuem janelas, têm uma abertura em cada extremidade e em seu interior não tem nenhuma parede ou divisão aparente. Vivem de modo harmonioso. Arte indígena brasileira  Pintura corporal  Adereços e arte plumária
  • 8. Atividade de Arte 1. Explique o significado do nome “pré-cabralina” dados a arte produzida pelos povos da América  Refere-se à arte feita pelos povos indígenas que habitavam o Brasil antes de seu descobrimento em 1500 por Pedro Álvares Cabral. 2. Aponte duas importantes características gerais da arte indígenas brasileira pré-cabralina.  1ª - Na produção artística indígena a beleza provém da preocupação com o capricho e a perfeição, e não de uma visão do objeto produzido como obra de arte.  2ª – A arte indígena traduz as tradições da comunidade e não a visão particular de um artista. 3. Quais as artes foram produzidas pelos indígenas brasileiros entre 1100 a. C. e 1350 d. C.?  Pintura, escultura e artesanato. 4. Explique a função das seguintes artes indígena. a) Cerâmica.  Função doméstica e cerimonial b) Plumária  Finalidade de embelezar. c) Máscara  Função de representar seres sobre naturais d) Pintura corporal  A pintura pode estar relacionada a crenças indígenas, identificação de uma determinada tribo, membros de uma mesma tribo ou servir simplesmente para embelezar o corpo. 5. Cite alguns elementos naturais usados pelos indígenas para produção de seus objetos.  Madeiras, caroços, fibras, palmas, palhas, cipós, sementes, cocos, resinas, couros, ossos, dentes, conchas, garras e belíssimas plumas das mais diversas aves. 6. De que são feitas as máscaras indígenas e quando são usadas?  São feitas com cascas de árvores, cabaças de palhas de buriti, geralmente são usadas em danças cerimoniais, representando personagens da mitologia indígena. 7. Cite as cores mais usadas pelos índios para pintar seus corpos.  As cores mais usadas pelos índios para pintar seus corpos são o vermelho muito vivo do urucum, o negro esverdeado da tintura do suco do jenipapo e o branco da tabatinga. A escolha dessas cores é importante, porque o gosto pela pintura corporal está associado ao esforço de transmitir ao corpo a alegria contida nas cores vivas e intensas.
  • 9. 8. Marque a alternativa certa.  A produção artística indígena tem o objetivo de: a) embelezar as pessoas da tribo nos rituais. ( ) b) fabricar os utensílios e adereços que os índios necessitam ao seu dia-a-dia. ( ) c) realizar a pintura corporal para identificar a tribo, representando as tradições da comunidade.( ) d) Todas as alternativa (X) 9. Assinale a alternativa certa.  A produção cultural marajoara compreende: a) Arte indígena mais recente, arte plumária, trançados e cerâmica. ( ) b) Cerâmicas decorativas, mas que não apresentem desenhos labirínticos e repetitivos.( ) c) Vestígios culturais encontrados na região próxima à junção dos rios Tapajós e Amazonas. ( ) d) Arte plumária, máscaras e pintura corporal realizada até a chegada dos europeus. ( ) e) Cerâmicas, vasos e estatuetas originárias da Ilha de Marajó (estado do Pará). (X)