SlideShare uma empresa Scribd logo
Olá, aluno(a)! Está com dificuldade ou sem tempo para elaborar
essa atividade? Iremos te ajudar!
Entre em contato
(63) 99129-5554
ATIVIDADE 1 – ATV INTEGRADORA COMUM 3 - 52_2024
QUESTÃO 1

A obesidade é uma doença crônica, com causas multifatoriais que englobam fatores
genéticos (raça, idade, sexo, etc.), endócrinos e metabólicos, além de fatores
obesogênicos, como hábitos alimentares, sedentarismo, padrão socioeconômico, entre
outros. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a definição de obesidade
está relacionada à quantidade de gordura corporal do indivíduo.
Fonte: ARDENGUE, M.; LUZ, S.R. Síndrome metabólica e exercício físico: conceitos,
características e orientações. UniCesumar. Maringá, 2024.
Considerando as informações acima, assinale a alternativa que contempla a definição de
obesidade, de acordo com a OMS:
Alternativas
Alternativa 1:
A obesidade refere-se a qualquer aumento de gordura corporal em indivíduos saudáveis.
Alternativa 2:
A obesidade refere-se ao aumento de gordura corporal na mesma proporção que a massa
magra.
Alternativa 3:
A obesidade refere-se ao excesso de gordura corporal, em quantidade que determine
prejuízos à saúde.
Alternativa 4:
A obesidade refere-se a mesma quantidade de gordura corporal e massa magra em
indivíduos dislipidêmicos.
Alternativa 5:
A obesidade refere-se ao aumento de gordura corporal, somado a hipertensão, as
dislipidemias e a resistência a insulina.
QUESTÃO 2

A avaliação do risco cardiovascular do indivíduo com diabetes tipo 2 (DM2) que vai iniciar
exercício é fundamental para a segurança e prevenção de eventos adversos, conforme
apresentado pela Diretriz da Sociedade Brasileira de Diabetes (SDB) Silva Júnior (2023,
apud ARDENGUE, 2024).
Fonte: ARDENGUE, M.; LUZ, S.R. Síndrome metabólica e exercício físico: conceitos,
características e orientações. UniCesumar. Maringá, 2024.
Sobre o risco cardiovascular em indivíduos com DM2, é correto afirmar que:
Alternativas
Alternativa 1:
Possuir DM2 há 5 anos configura uma situação de alto risco cardiovascular.
Alternativa 2:
O tabagismo e a hipertensão configuram risco cardiovascular baixo em pessoas com DM2.
Alternativa 3:
Doença renal e síndrome metabólica não configuram risco cardiovascular para pessoas
com DM2.
Alternativa 4:
Os estratificadores de risco cardiovascular muito alto referem-se somente a indivíduos
idosos que possuem DM2.
Alternativa 5:
Possuir três ou mais condições descritas como risco alto, configura uma situação de risco
cardiovascular muito alto.
QUESTÃO 3

As dislipidemias podem ser classificadas como primárias ou secundárias. As primárias, são
alterações de origem genotípica ou fenotípica. Já as dislipidemias secundárias, são
causadas por outras doenças além de fatores comportamentais, como o sedentarismo, a
má alimentação e o consumo excessivo de álcool e tabaco.
Fonte: ARDENGUE, M.; LUZ, S.R. Síndrome metabólica e exercício físico: conceitos,
características e orientações. UniCesumar. Maringá, 2024.
A partir do trecho acima, analise as asserções a seguir:
I. As dislipidemias secundárias podem ser causadas por fatores externos.
PORQUE
II. A causa por outras doenças é uma alteração de origem genotípica.
É correto afirmar que:
Alternativas
Alternativa 1:
As asserções I e II são falsas.
Alternativa 2:
A asserção I é verdadeira e a II é falsa.
Alternativa 3:
A asserção I é falsa e a II é verdadeira.
Alternativa 4:
As asserções I e II são verdadeiras e a II é uma justificativa correta para a I.
Alternativa 5:
As asserções I e II são verdadeiras e a II não é uma justificativa correta para a I.
QUESTÃO 4

Para indivíduos diabéticos tipo 2 (DM2), a realização de exercícios auxilia no controle
glicêmico e a adesão à programas de treinamento podem levar a uma diminuição do uso de
medicamentos orais, além de melhorar o condicionamento cardiovascular e diminuir fatores
de risco.
Fonte: ARDENGUE, M.; LUZ, S.R. Síndrome metabólica e exercício físico: conceitos,
características e orientações. UniCesumar. Maringá, 2024.
Analise as afirmativas a seguir sobre os tipos de exercícios recomendados para indivíduos
com DM2.
I. Exercícios resistidos, como a musculação, não podem ser recomendados para indivíduos
com DM2.
II. A combinação entre exercícios aeróbios e resistidos pode ser recomendada para
indivíduos com DM2.
III. Exercícios como o yoga e o tai chi devem ser recomendados principalmente para
indivíduos idosos com DM2.
IV. A caminhada, a corrida e a natação são exercícios aeróbios que podem ser
recomendados para indivíduos com DM2.
É correto o que se afirma em:
Alternativas
Alternativa 1:
I e IV, apenas.
Alternativa 2:
II e III, apenas.
Alternativa 3:
I, II e III, apenas.
Alternativa 4:
II, III e IV, apenas.
Alternativa 5:
I, II, III e IV.
QUESTÃO 5

A Síndrome Metabólica (SM), também conhecida como Síndrome X, Síndrome de
Resistência à Insulina ou Síndrome de Reaven, é caracterizada por um conjunto de
alterações metabólicas e hormonais que eleva o risco do indivíduo desenvolver doenças
cardiovasculares. Dentre as condições médicas característica da SM a obesidade central é
um critério essencial e pode ser associado a outras condições.
Fonte: ARDENGUE, M.; LUZ, S.R. Síndrome metabólica e exercício físico: conceitos,
características e orientações. UniCesumar. Maringá, 2024.
Assinale a afirmativa que apresentam alterações metabólicas e/ou hormonais associadas à
obesidade central:
Alternativas
Alternativa 1:
Obesidade; resistência à insulina, AVC.
Alternativa 2:
Hipertensão arterial, dislipidemias e diabetes tipo 2.
Alternativa 3:
Doença coronariana, dislipidemias e disfunção erétil.
Alternativa 4:
Diabetes tipo 2, esteatose hepática e apneia obstrutiva do sono.
Alternativa 5:
Síndrome do ovário policístico; AVC; hipertensão arterial e diabetes
QUESTÃO 6

A pressão arterial (PA) é descrita como a força exercida contra as paredes das dos vasos
(artérias) durante a circulação do sangue e é dividida em Pressão Arterial Sistólica (PAS) e
Pressão Arterial Diastólica (PAD).
Fonte: ARDENGUE, M.; LUZ, S.R. Síndrome metabólica e exercício físico: conceitos,
características e orientações. UniCesumar. Maringá, 2024.
Sobre a PA, é correto o que se afirma em:
Alternativas
Alternativa 1:
A PAS e a PAD possuem valores semelhantes em hipertensos
Alternativa 2:
A PAS é sempre maior que a PAD em indivíduos normais ou hipertensos.
Alternativa 3:
A PAD se iguala à PAS em indivíduos com pressão arterial normal (normotensos).
Alternativa 4:
A PAS é maior que a PAD por ser uma medida de pressão de relaxamento cardíaco.
Alternativa 5:
A PAS é aumentada em indivíduos hipertensos, enquanto a PAD permanece inalterada.
QUESTÃO 7

Para confirmar o diagnóstico da Síndrome Metabólica (SM) é recomendado que seja
realizada uma investigação clínica e laboratorial, os quais incluem a realização da análise
do histórico clínico, exames físicos e laboratoriais.
Fonte: ARDENGUE, M.; LUZ, S.R. Síndrome metabólica e exercício físico: conceitos,
características e orientações. UniCesumar. Maringá, 2024.
Em relação ao histórico clínico, é correto afirmar que:
Alternativas
Alternativa 1:
O histórico familiar de doenças como a hipertensão arterial, o câncer e a esquizofrenia,
podem ser importantes no diagnóstico da SM.
Alternativa 2:
O histórico familiar de alcoolismo, tabagismo, câncer e doença arterial coronariana são
determinantes para a o diagnóstico da SM.
Alternativa 3:
O histórico clínico relacionado ao uso de medicamentos controlados e cirurgias gerais são
relevantes para o diagnóstico da SM.
Alternativa 4:
O nível de atividade física é determinante para a identificação da obesidade central e
hipertensão e consequentemente da SM
Alternativa 5:
O nível de atividade física, a idade e o tabagismo são informações que podem ser
relevantes para o diagnóstico da SM
QUESTÃO 8

De acordo com Cambri et al. (2006, apud ARDENGUE, 2024), o termo dislipidemias refere-
se a modificações no metabolismo dos lipídios que desencadeiam alterações nas
concentrações das lipoproteínas plasmáticas, favorecendo o desenvolvimento de doenças
crônicas, como diabetes e doenças cardiovasculares.
Fonte: ARDENGUE, M.; LUZ, S.R. Síndrome metabólica e exercício físico: conceitos,
características e orientações. UniCesumar. Maringá, 2024.
De acordo com o trecho acima, é correto afirmar que:
Alternativas
Alternativa 1:
As dislipidemias são caracterizadas pelas alterações nos níveis lipídicos devido ao
desenvolvimento do diabetes.
Alternativa 2:
As alterações nos níveis das lipoproteínas podem contribuir para o desenvolvimento de
doenças crônicas.
Alternativa 3:
As dislipidemias são caracterizadas por doenças crônicas como a diabetes e doenças
cardiovasculares
Alternativa 4:
As doenças cardiovasculares e a diabetes são responsáveis pelas dislipidemias.
Alternativa 5:
As dislipidemias referem-se ao desenvolvimento e favorecimento da diabetes.
QUESTÃO 9

O diabetes mellitus (DM) é descrito como uma doença metabólica crônica que tem como
característica principal o aumento de glicose na corrente sanguínea, também chamado de
hiperglicemia, devido à dificuldade de produção ou de ação do hormônio insulina.
Fonte: ARDENGUE, M.; LUZ, S.R. Síndrome metabólica e exercício físico: conceitos,
características e orientações. UniCesumar. Maringá, 2024.
Sobre a ação da insulina no DM, analise as afirmativas a seguir:
I. A insulina atua diretamente na glicemia, dificultando a captação de glicose pela célula.
II. A falta de produção de insulina resulta em um aumento da captação de glicose pelas
células dos tecidos periféricos.
III. A dificuldade de ação da insulina diminui a captação de glicose para dentro da célula,
resultando em um aumento da glicemia.
É correto o que se afirma em:
Alternativas
Alternativa 1:
II, apenas.
Alternativa 2:
III, apenas.
Alternativa 3:
I e II, apenas.
Alternativa 4:
II e III, apenas.
Alternativa 5:
I, II e III.
QUESTÃO 10

O Índice de Massa Corporal (IMC) é um cálculo que utiliza o peso e a altura do indivíduo
(IMC = PESO/ALTURA2) para estimar sua composição corporal. No entanto, o IMC não
distingue se o peso está relacionado à massa gorda (gordura) ou a massa magra (músculo)
do indivíduo, o que pode dificultar a interpretação e classificação da real composição
corporal do avaliado.
Fonte: ARDENGUE, M.; LUZ, S.R. Síndrome metabólica e exercício físico: conceitos,
características e orientações. UniCesumar. Maringá, 2024.
Considerando o trecho acima, é correto afirmar que:
Alternativas
Alternativa 1:
O IMC não deve ser utilizado como ferramenta para avaliação da composição corporal.
Alternativa 2:
O IMC estima a quantidade de massa magra, porém não consegue estimar o percentual de
gordura.
Alternativa 3:
Indivíduos com grande quantidade de massa magra podem ser classificados de forma
incorreta como obesos.
Alternativa 4:
Indivíduos com grande percentual de gordura podem ser classificados como "peso normal"
pelo cálculo do IMC.
Alternativa 5:
Indivíduos com o mesmo peso sempre terão a mesma classificação do IMC, independente
do percentual de massa magra.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a ATIVIDADE 1 - ATV INTEGRADORA COMUM 3 - 52_2024

A obesidade e a imagem do espelho
A obesidade e a imagem do espelhoA obesidade e a imagem do espelho
A obesidade e a imagem do espelho
elydef
 
2328-Texto do artigo-9227-1-10-20170303.pdf
2328-Texto do artigo-9227-1-10-20170303.pdf2328-Texto do artigo-9227-1-10-20170303.pdf
2328-Texto do artigo-9227-1-10-20170303.pdf
ProfessorCETDanielle
 
Obesidade!!!
Obesidade!!!Obesidade!!!
Obesidade!!!
pattyfreitas
 
Obesidade abdominal e fatores de risco à saúde em adultos jovens
Obesidade abdominal e fatores de risco à saúde em adultos jovensObesidade abdominal e fatores de risco à saúde em adultos jovens
Obesidade abdominal e fatores de risco à saúde em adultos jovens
Manoel Costa
 
Palestra sv2
Palestra sv2Palestra sv2
Obesidade uma disfunção séria tratada como uma doença simplista,como a obesid...
Obesidade uma disfunção séria tratada como uma doença simplista,como a obesid...Obesidade uma disfunção séria tratada como uma doença simplista,como a obesid...
Obesidade uma disfunção séria tratada como uma doença simplista,como a obesid...
Van Der Häägen Brazil
 
Doença hepática gordurosa não alcoólica e síndrome metabólica problema de saú...
Doença hepática gordurosa não alcoólica e síndrome metabólica problema de saú...Doença hepática gordurosa não alcoólica e síndrome metabólica problema de saú...
Doença hepática gordurosa não alcoólica e síndrome metabólica problema de saú...
Van Der Häägen Brazil
 
2º ano obesidade x nutrição e colesterol
2º ano obesidade  x  nutrição e colesterol2º ano obesidade  x  nutrição e colesterol
2º ano obesidade x nutrição e colesterol
Tony
 
Alimentação saudavel
Alimentação saudavelAlimentação saudavel
Alimentação saudavel
Keylla Tayne
 
Obessidade
ObessidadeObessidade
Obessidade
josesolidario
 
Medição de gordura corpórea
Medição de gordura corpóreaMedição de gordura corpórea
Medição de gordura corpórea
magdi12
 
Doenças desencadeadas ou agravadas pela obesidade
Doenças desencadeadas ou agravadas pela obesidade Doenças desencadeadas ou agravadas pela obesidade
Doenças desencadeadas ou agravadas pela obesidade
clitorrj
 
Tratamento Da Obesidade VersãO Completa
Tratamento Da Obesidade VersãO CompletaTratamento Da Obesidade VersãO Completa
Tratamento Da Obesidade VersãO Completa
Fernanda Melo
 
Obesidade Exagerada.pptx
Obesidade Exagerada.pptxObesidade Exagerada.pptx
Obesidade Exagerada.pptx
ArthurCalegari1
 
E-book Diabetes mellitus tipo 2 no ambulatório.pdf
E-book Diabetes mellitus tipo 2 no ambulatório.pdfE-book Diabetes mellitus tipo 2 no ambulatório.pdf
E-book Diabetes mellitus tipo 2 no ambulatório.pdf
suziemartins
 
A Resistência à Insulina é Base Síndrome Metabólica
A Resistência à Insulina é Base Síndrome MetabólicaA Resistência à Insulina é Base Síndrome Metabólica
A Resistência à Insulina é Base Síndrome Metabólica
Van Der Häägen Brazil
 
Obesidade e uma possível ligação entre a obesidade e a infecção viral
Obesidade e uma possível ligação entre a obesidade e a infecção viralObesidade e uma possível ligação entre a obesidade e a infecção viral
Obesidade e uma possível ligação entre a obesidade e a infecção viral
Van Der Häägen Brazil
 
2ºEM Sedentarismo e doenças crônicas associadas.pptx
2ºEM Sedentarismo e doenças crônicas associadas.pptx2ºEM Sedentarismo e doenças crônicas associadas.pptx
2ºEM Sedentarismo e doenças crônicas associadas.pptx
marciopinho101
 
Diretrizes obsesidade
Diretrizes obsesidadeDiretrizes obsesidade
Diretrizes obsesidade
Lucia Tome
 
Obesidade se torna um fator complexo em pacientes diabeticos e vice versa.
Obesidade se torna um fator complexo em pacientes diabeticos e vice versa.Obesidade se torna um fator complexo em pacientes diabeticos e vice versa.
Obesidade se torna um fator complexo em pacientes diabeticos e vice versa.
Van Der Häägen Brazil
 

Semelhante a ATIVIDADE 1 - ATV INTEGRADORA COMUM 3 - 52_2024 (20)

A obesidade e a imagem do espelho
A obesidade e a imagem do espelhoA obesidade e a imagem do espelho
A obesidade e a imagem do espelho
 
2328-Texto do artigo-9227-1-10-20170303.pdf
2328-Texto do artigo-9227-1-10-20170303.pdf2328-Texto do artigo-9227-1-10-20170303.pdf
2328-Texto do artigo-9227-1-10-20170303.pdf
 
Obesidade!!!
Obesidade!!!Obesidade!!!
Obesidade!!!
 
Obesidade abdominal e fatores de risco à saúde em adultos jovens
Obesidade abdominal e fatores de risco à saúde em adultos jovensObesidade abdominal e fatores de risco à saúde em adultos jovens
Obesidade abdominal e fatores de risco à saúde em adultos jovens
 
Palestra sv2
Palestra sv2Palestra sv2
Palestra sv2
 
Obesidade uma disfunção séria tratada como uma doença simplista,como a obesid...
Obesidade uma disfunção séria tratada como uma doença simplista,como a obesid...Obesidade uma disfunção séria tratada como uma doença simplista,como a obesid...
Obesidade uma disfunção séria tratada como uma doença simplista,como a obesid...
 
Doença hepática gordurosa não alcoólica e síndrome metabólica problema de saú...
Doença hepática gordurosa não alcoólica e síndrome metabólica problema de saú...Doença hepática gordurosa não alcoólica e síndrome metabólica problema de saú...
Doença hepática gordurosa não alcoólica e síndrome metabólica problema de saú...
 
2º ano obesidade x nutrição e colesterol
2º ano obesidade  x  nutrição e colesterol2º ano obesidade  x  nutrição e colesterol
2º ano obesidade x nutrição e colesterol
 
Alimentação saudavel
Alimentação saudavelAlimentação saudavel
Alimentação saudavel
 
Obessidade
ObessidadeObessidade
Obessidade
 
Medição de gordura corpórea
Medição de gordura corpóreaMedição de gordura corpórea
Medição de gordura corpórea
 
Doenças desencadeadas ou agravadas pela obesidade
Doenças desencadeadas ou agravadas pela obesidade Doenças desencadeadas ou agravadas pela obesidade
Doenças desencadeadas ou agravadas pela obesidade
 
Tratamento Da Obesidade VersãO Completa
Tratamento Da Obesidade VersãO CompletaTratamento Da Obesidade VersãO Completa
Tratamento Da Obesidade VersãO Completa
 
Obesidade Exagerada.pptx
Obesidade Exagerada.pptxObesidade Exagerada.pptx
Obesidade Exagerada.pptx
 
E-book Diabetes mellitus tipo 2 no ambulatório.pdf
E-book Diabetes mellitus tipo 2 no ambulatório.pdfE-book Diabetes mellitus tipo 2 no ambulatório.pdf
E-book Diabetes mellitus tipo 2 no ambulatório.pdf
 
A Resistência à Insulina é Base Síndrome Metabólica
A Resistência à Insulina é Base Síndrome MetabólicaA Resistência à Insulina é Base Síndrome Metabólica
A Resistência à Insulina é Base Síndrome Metabólica
 
Obesidade e uma possível ligação entre a obesidade e a infecção viral
Obesidade e uma possível ligação entre a obesidade e a infecção viralObesidade e uma possível ligação entre a obesidade e a infecção viral
Obesidade e uma possível ligação entre a obesidade e a infecção viral
 
2ºEM Sedentarismo e doenças crônicas associadas.pptx
2ºEM Sedentarismo e doenças crônicas associadas.pptx2ºEM Sedentarismo e doenças crônicas associadas.pptx
2ºEM Sedentarismo e doenças crônicas associadas.pptx
 
Diretrizes obsesidade
Diretrizes obsesidadeDiretrizes obsesidade
Diretrizes obsesidade
 
Obesidade se torna um fator complexo em pacientes diabeticos e vice versa.
Obesidade se torna um fator complexo em pacientes diabeticos e vice versa.Obesidade se torna um fator complexo em pacientes diabeticos e vice versa.
Obesidade se torna um fator complexo em pacientes diabeticos e vice versa.
 

Mais de azulassessoria9

ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
azulassessoria9
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
azulassessoria9
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
azulassessoria9
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
azulassessoria9
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
azulassessoria9
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
azulassessoria9
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
azulassessoria9
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
azulassessoria9
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
azulassessoria9
 
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
azulassessoria9
 
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
azulassessoria9
 
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
azulassessoria9
 
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
azulassessoria9
 
No processo de aprendizagem motora, a forma como o indivíduo processa as info...
No processo de aprendizagem motora, a forma como o indivíduo processa as info...No processo de aprendizagem motora, a forma como o indivíduo processa as info...
No processo de aprendizagem motora, a forma como o indivíduo processa as info...
azulassessoria9
 
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
azulassessoria9
 
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
azulassessoria9
 
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
azulassessoria9
 
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
azulassessoria9
 
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
azulassessoria9
 
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
azulassessoria9
 

Mais de azulassessoria9 (20)

ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
 
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
 
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
 
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
 
No processo de aprendizagem motora, a forma como o indivíduo processa as info...
No processo de aprendizagem motora, a forma como o indivíduo processa as info...No processo de aprendizagem motora, a forma como o indivíduo processa as info...
No processo de aprendizagem motora, a forma como o indivíduo processa as info...
 
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
 
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
 
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
 
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
 
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
 
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 

Último

Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Falcão Brasil
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Falcão Brasil
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 

ATIVIDADE 1 - ATV INTEGRADORA COMUM 3 - 52_2024

  • 1. Olá, aluno(a)! Está com dificuldade ou sem tempo para elaborar essa atividade? Iremos te ajudar! Entre em contato (63) 99129-5554 ATIVIDADE 1 – ATV INTEGRADORA COMUM 3 - 52_2024 QUESTÃO 1  A obesidade é uma doença crônica, com causas multifatoriais que englobam fatores genéticos (raça, idade, sexo, etc.), endócrinos e metabólicos, além de fatores obesogênicos, como hábitos alimentares, sedentarismo, padrão socioeconômico, entre outros. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a definição de obesidade está relacionada à quantidade de gordura corporal do indivíduo. Fonte: ARDENGUE, M.; LUZ, S.R. Síndrome metabólica e exercício físico: conceitos, características e orientações. UniCesumar. Maringá, 2024. Considerando as informações acima, assinale a alternativa que contempla a definição de obesidade, de acordo com a OMS: Alternativas Alternativa 1: A obesidade refere-se a qualquer aumento de gordura corporal em indivíduos saudáveis. Alternativa 2: A obesidade refere-se ao aumento de gordura corporal na mesma proporção que a massa magra. Alternativa 3: A obesidade refere-se ao excesso de gordura corporal, em quantidade que determine prejuízos à saúde. Alternativa 4: A obesidade refere-se a mesma quantidade de gordura corporal e massa magra em indivíduos dislipidêmicos. Alternativa 5: A obesidade refere-se ao aumento de gordura corporal, somado a hipertensão, as dislipidemias e a resistência a insulina. QUESTÃO 2  A avaliação do risco cardiovascular do indivíduo com diabetes tipo 2 (DM2) que vai iniciar exercício é fundamental para a segurança e prevenção de eventos adversos, conforme
  • 2. apresentado pela Diretriz da Sociedade Brasileira de Diabetes (SDB) Silva Júnior (2023, apud ARDENGUE, 2024). Fonte: ARDENGUE, M.; LUZ, S.R. Síndrome metabólica e exercício físico: conceitos, características e orientações. UniCesumar. Maringá, 2024. Sobre o risco cardiovascular em indivíduos com DM2, é correto afirmar que: Alternativas Alternativa 1: Possuir DM2 há 5 anos configura uma situação de alto risco cardiovascular. Alternativa 2: O tabagismo e a hipertensão configuram risco cardiovascular baixo em pessoas com DM2. Alternativa 3: Doença renal e síndrome metabólica não configuram risco cardiovascular para pessoas com DM2. Alternativa 4: Os estratificadores de risco cardiovascular muito alto referem-se somente a indivíduos idosos que possuem DM2. Alternativa 5: Possuir três ou mais condições descritas como risco alto, configura uma situação de risco cardiovascular muito alto. QUESTÃO 3  As dislipidemias podem ser classificadas como primárias ou secundárias. As primárias, são alterações de origem genotípica ou fenotípica. Já as dislipidemias secundárias, são causadas por outras doenças além de fatores comportamentais, como o sedentarismo, a má alimentação e o consumo excessivo de álcool e tabaco. Fonte: ARDENGUE, M.; LUZ, S.R. Síndrome metabólica e exercício físico: conceitos, características e orientações. UniCesumar. Maringá, 2024.
  • 3. A partir do trecho acima, analise as asserções a seguir: I. As dislipidemias secundárias podem ser causadas por fatores externos. PORQUE II. A causa por outras doenças é uma alteração de origem genotípica. É correto afirmar que: Alternativas Alternativa 1: As asserções I e II são falsas. Alternativa 2: A asserção I é verdadeira e a II é falsa. Alternativa 3: A asserção I é falsa e a II é verdadeira. Alternativa 4: As asserções I e II são verdadeiras e a II é uma justificativa correta para a I. Alternativa 5: As asserções I e II são verdadeiras e a II não é uma justificativa correta para a I. QUESTÃO 4  Para indivíduos diabéticos tipo 2 (DM2), a realização de exercícios auxilia no controle glicêmico e a adesão à programas de treinamento podem levar a uma diminuição do uso de medicamentos orais, além de melhorar o condicionamento cardiovascular e diminuir fatores de risco. Fonte: ARDENGUE, M.; LUZ, S.R. Síndrome metabólica e exercício físico: conceitos, características e orientações. UniCesumar. Maringá, 2024. Analise as afirmativas a seguir sobre os tipos de exercícios recomendados para indivíduos com DM2. I. Exercícios resistidos, como a musculação, não podem ser recomendados para indivíduos com DM2. II. A combinação entre exercícios aeróbios e resistidos pode ser recomendada para indivíduos com DM2. III. Exercícios como o yoga e o tai chi devem ser recomendados principalmente para indivíduos idosos com DM2. IV. A caminhada, a corrida e a natação são exercícios aeróbios que podem ser recomendados para indivíduos com DM2. É correto o que se afirma em: Alternativas Alternativa 1: I e IV, apenas.
  • 4. Alternativa 2: II e III, apenas. Alternativa 3: I, II e III, apenas. Alternativa 4: II, III e IV, apenas. Alternativa 5: I, II, III e IV. QUESTÃO 5  A Síndrome Metabólica (SM), também conhecida como Síndrome X, Síndrome de Resistência à Insulina ou Síndrome de Reaven, é caracterizada por um conjunto de alterações metabólicas e hormonais que eleva o risco do indivíduo desenvolver doenças cardiovasculares. Dentre as condições médicas característica da SM a obesidade central é um critério essencial e pode ser associado a outras condições. Fonte: ARDENGUE, M.; LUZ, S.R. Síndrome metabólica e exercício físico: conceitos, características e orientações. UniCesumar. Maringá, 2024. Assinale a afirmativa que apresentam alterações metabólicas e/ou hormonais associadas à obesidade central: Alternativas Alternativa 1: Obesidade; resistência à insulina, AVC. Alternativa 2: Hipertensão arterial, dislipidemias e diabetes tipo 2. Alternativa 3: Doença coronariana, dislipidemias e disfunção erétil. Alternativa 4: Diabetes tipo 2, esteatose hepática e apneia obstrutiva do sono. Alternativa 5: Síndrome do ovário policístico; AVC; hipertensão arterial e diabetes QUESTÃO 6  A pressão arterial (PA) é descrita como a força exercida contra as paredes das dos vasos (artérias) durante a circulação do sangue e é dividida em Pressão Arterial Sistólica (PAS) e Pressão Arterial Diastólica (PAD). Fonte: ARDENGUE, M.; LUZ, S.R. Síndrome metabólica e exercício físico: conceitos, características e orientações. UniCesumar. Maringá, 2024. Sobre a PA, é correto o que se afirma em: Alternativas Alternativa 1:
  • 5. A PAS e a PAD possuem valores semelhantes em hipertensos Alternativa 2: A PAS é sempre maior que a PAD em indivíduos normais ou hipertensos. Alternativa 3: A PAD se iguala à PAS em indivíduos com pressão arterial normal (normotensos). Alternativa 4: A PAS é maior que a PAD por ser uma medida de pressão de relaxamento cardíaco. Alternativa 5: A PAS é aumentada em indivíduos hipertensos, enquanto a PAD permanece inalterada. QUESTÃO 7  Para confirmar o diagnóstico da Síndrome Metabólica (SM) é recomendado que seja realizada uma investigação clínica e laboratorial, os quais incluem a realização da análise do histórico clínico, exames físicos e laboratoriais. Fonte: ARDENGUE, M.; LUZ, S.R. Síndrome metabólica e exercício físico: conceitos, características e orientações. UniCesumar. Maringá, 2024. Em relação ao histórico clínico, é correto afirmar que: Alternativas Alternativa 1: O histórico familiar de doenças como a hipertensão arterial, o câncer e a esquizofrenia, podem ser importantes no diagnóstico da SM. Alternativa 2: O histórico familiar de alcoolismo, tabagismo, câncer e doença arterial coronariana são determinantes para a o diagnóstico da SM. Alternativa 3: O histórico clínico relacionado ao uso de medicamentos controlados e cirurgias gerais são relevantes para o diagnóstico da SM. Alternativa 4: O nível de atividade física é determinante para a identificação da obesidade central e hipertensão e consequentemente da SM Alternativa 5: O nível de atividade física, a idade e o tabagismo são informações que podem ser relevantes para o diagnóstico da SM QUESTÃO 8  De acordo com Cambri et al. (2006, apud ARDENGUE, 2024), o termo dislipidemias refere- se a modificações no metabolismo dos lipídios que desencadeiam alterações nas concentrações das lipoproteínas plasmáticas, favorecendo o desenvolvimento de doenças crônicas, como diabetes e doenças cardiovasculares. Fonte: ARDENGUE, M.; LUZ, S.R. Síndrome metabólica e exercício físico: conceitos, características e orientações. UniCesumar. Maringá, 2024.
  • 6. De acordo com o trecho acima, é correto afirmar que: Alternativas Alternativa 1: As dislipidemias são caracterizadas pelas alterações nos níveis lipídicos devido ao desenvolvimento do diabetes. Alternativa 2: As alterações nos níveis das lipoproteínas podem contribuir para o desenvolvimento de doenças crônicas. Alternativa 3: As dislipidemias são caracterizadas por doenças crônicas como a diabetes e doenças cardiovasculares Alternativa 4: As doenças cardiovasculares e a diabetes são responsáveis pelas dislipidemias. Alternativa 5: As dislipidemias referem-se ao desenvolvimento e favorecimento da diabetes. QUESTÃO 9  O diabetes mellitus (DM) é descrito como uma doença metabólica crônica que tem como característica principal o aumento de glicose na corrente sanguínea, também chamado de hiperglicemia, devido à dificuldade de produção ou de ação do hormônio insulina. Fonte: ARDENGUE, M.; LUZ, S.R. Síndrome metabólica e exercício físico: conceitos, características e orientações. UniCesumar. Maringá, 2024. Sobre a ação da insulina no DM, analise as afirmativas a seguir: I. A insulina atua diretamente na glicemia, dificultando a captação de glicose pela célula. II. A falta de produção de insulina resulta em um aumento da captação de glicose pelas células dos tecidos periféricos. III. A dificuldade de ação da insulina diminui a captação de glicose para dentro da célula, resultando em um aumento da glicemia. É correto o que se afirma em: Alternativas Alternativa 1: II, apenas. Alternativa 2: III, apenas. Alternativa 3: I e II, apenas. Alternativa 4: II e III, apenas. Alternativa 5: I, II e III. QUESTÃO 10
  • 7.  O Índice de Massa Corporal (IMC) é um cálculo que utiliza o peso e a altura do indivíduo (IMC = PESO/ALTURA2) para estimar sua composição corporal. No entanto, o IMC não distingue se o peso está relacionado à massa gorda (gordura) ou a massa magra (músculo) do indivíduo, o que pode dificultar a interpretação e classificação da real composição corporal do avaliado. Fonte: ARDENGUE, M.; LUZ, S.R. Síndrome metabólica e exercício físico: conceitos, características e orientações. UniCesumar. Maringá, 2024. Considerando o trecho acima, é correto afirmar que: Alternativas Alternativa 1: O IMC não deve ser utilizado como ferramenta para avaliação da composição corporal. Alternativa 2: O IMC estima a quantidade de massa magra, porém não consegue estimar o percentual de gordura. Alternativa 3: Indivíduos com grande quantidade de massa magra podem ser classificados de forma incorreta como obesos. Alternativa 4: Indivíduos com grande percentual de gordura podem ser classificados como "peso normal" pelo cálculo do IMC. Alternativa 5: Indivíduos com o mesmo peso sempre terão a mesma classificação do IMC, independente do percentual de massa magra.