SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
Baixar para ler offline
ÍNDICE DE OBESIDADE CENTRAL/ABDOMINAL (OIC) É A RAZÃO
ENTRE A CIRCUNFERÊNCIA DA CINTURA E A ALTURA PROPOSTO
PELA PRIMEIRA VEZ POR PARIKH ET AL., EM 2007 COMO UM
SUBSTITUTO MELHOR PARA A CIRCUNFERÊNCIA DA CINTURA
AMPLAMENTE UTILIZADA NA DEFINIÇÃO DE SÍNDROME
METABÓLICA. A NATIONAL CHOLESTEROL EDUCATION
PROGRAM OF ADULT TREATMENT PANEL III SUGERIU UM
CORTE DE 102 CM (40 POLEGADAS) PARA OS HOMENS E 88 CM
(35 POLEGADAS) PARA AS MULHERES COMO UM MARCADOR
DE OBESIDADE CENTRAL.
A Federação Internacional de Diabetes tem definido obesidade central,
com base nesses várias cortes específicos de raça e gênero. A outra
limitação da circunferência da cintura é que ela não pode ser aplicada
em crianças. Parikh et al. testou ainda uma modificação da definição de
síndrome metabólica em que a circunferência da cintura foi substituída
por IOC no National Health and Nutrition Survey Exame de banco de
dados (NHANES) e encontrou a definição modificada sendo mais
específica e sensível. Este parâmetro foi utilizado no estudo da síndrome
metabólica e doença cardiovascular. Índice de volume do corpo: IVC -
Índice de volume do corpo baseia-se no princípio de que o excesso de
peso abdominal, medido pelo volume da parte superior e central como
uma percentagem do volume total constitui um risco maior para a
saúde. A validação recente concluiu que as estimativas totais e regionais
de volume corporal correlacionam-se positivamente e significativamente
com biomarcadores de risco cardiovascular e IVC - Índice de volume
corporal cálculos de correlação significativa com todos os biomarcadores
de risco cardiovascular. Por Ghroubi et al. (2007) examinou se a
circunferência abdominal é um indicador mais confiável do que o IMC da
presença de osteoartrose do joelho em pacientes obesos. Eles
descobriram que ele realmente parece ser um fator relacionado com a
presença de dor no joelho, bem como osteoartrite em obesos que
participaram do estudo. Ghroubi et al. (2007) concluiu que uma elevada
circunferência abdominal está associada à grande repercussão funcional.
A obesidade central está associada com um risco significativamente
maior de doença cardíaca, hipertensão, resistência à insulina, e diabetes
mellitus tipo 2. Com o aumento da cintura para o quadril e da
circunferência global da cintura aumenta o risco de morte. A Síndrome
metabólica está associada com a obesidade abdominal, perturbações de
lipídeos no sangue, inflamação, resistência à insulina, diabetes
desenvolvido e risco aumentado de desenvolvimento de doenças
cardiovasculares. Geralmente acreditavam que a gordura intra-
abdominal é o depósito que transmite o maior risco para a saúde. A
obesidade central pode ser uma característica da lipodistrofia, um grupo
de doenças que é herdada, ou devido a causas secundárias
(frequentemente inibidores da protease, um grupo de medicamentos
contra a AIDS). A obesidade central é um sintoma de síndrome de
Cushing e também é comum em pacientes com síndrome dos ovários
policísticos (SOP). A obesidade central está associada com a intolerância
à glicose e a dislipidemia (alterações do colesterol total e frações). Uma
vez a dislipidemia (alterações colesterol total e frações) se torna um
problema grave. A cavidade abdominal de um indivíduo geraria elevado
fluxo de ácidos graxos livres para o fígado. O efeito da adiposidade
abdominal não ocorre apenas naqueles que são obesos, mas também
afeta as pessoas que não são obesos e que também contribuem para a
sensibilidade à insulina. Existem inúmeras teorias sobre a causa exata e
mecanismo no Diabetes Tipo 2. A obesidade central é conhecida por
predispor os indivíduos à resistência à insulina. A gordura abdominal é
especialmente ativa hormonalmente, secretando um grupo de
hormônios chamados adipocinas que pode, eventualmente, prejudicar a
tolerância à glucose. A resistência à insulina é uma característica
importante do Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2), e a obesidade central está
correlacionada com a resistência à insulina e à própria DM2. O aumento
da adiposidade (obesidade) levanta os níveis no soro de resistina, que
por sua vez se correlaciona diretamente com a resistência à insulina e
por consequência a obesidades diversas. Os estudos confirmaram
igualmente uma correlação direta entre os níveis de resistina e DM2. E é
do tecido adiposo da cintura (obesidade central), que parece ser o tipo
mais importante de depósitos de gordura que contribuem para o
aumento dos níveis de resistina no soro. Por outro lado, os níveis séricos
de resistina, contribuíram com a diminuição da adiposidade após o
tratamento médico. Nessas condições a dieta é um fator importante
assim como o exercício físico, mas de perto é suficiente para recompor a
fisiologia descontrolada do organismo que compromete uma
constelação de funções causadoras de doenças em geral graves que
necessita de intervenção de profissionais Endocrinologistas ou
Neuroendocrinologista.
OBESITY A SERIOUS DYSFUNCTION TREATED AS A SIMPLISTIC DISEASE,
ESPECIALLY THE CENTRAL OBESITY (OIC) ABDOMINAL. DR. CAIO JR, JOÃO
SANTOS ET DRA. CAIO, HENRIQUETA VERLANGIERI.
CONTENTS OF CENTRAL OBESITY (OIC) ABDOMINAL IS THE REASON
BETWEEN THE CIRCUMFERENCE WAIST AND HEIGHT PROPOSED FOR THE
FIRST TIME FOR PARIKH ET AL., IN 2007 AS A SUBSTITUTE FOR BEST
WAIST CIRCUMFERENCE WIDELY USED IN THE DEFINITION OF
METABOLIC SYNDROME. NATIONAL CHOLESTEROL EDUCATION ADULT
PROGRAM TREATMENT PANEL III SUGGESTED CUT OF 102 CM (40
INCHES) AND 88 CM (35 INCHES) FOR MEN AND WOMEN AS A CENTRAL
OBESITY MARKER. PHYSIOLOGY-ENDOCRINOLOGY-
NEUROENDOCRINOLOGY-GENETICS-ENDOCRINE-PEDIATRICS
(SUBDIVISION OF ENDOCRINOLOGY): DR. JOÃO SANTOS CAIO JR. ET
DRA. HENRIQUETA VERLANGIERI CAIO. (THIS ARTICLE IS WRITTEN IN
PORTUGUESE - ENGLISH - SPANISH).
The International Diabetes Federation has defined central obesity based
on these several specific cuts of race and gender. The other limitation of
waist circumference is that it can not be used on children. Parikh et al.
Also tested a modification of the definition of metabolic syndrome in
that waist circumference was replaced by ICO in the National Health and
Nutrition Survey database Examination (NHANES) and found the
modified definition to be more specific and sensitive. This parameter
was used to study the metabolic syndrome and cardiovascular disease.
Body volume index; BVI is based on the principle that the excess
abdominal weight, measured by the volume of the part as a percentage
of the total volume is a greater risk to health. Recent validation
concluded that total and regional estimates of body volume correlate
positively and significantly with cardiovascular risk biomarkers and BVI -
body volume index significant correlation calculations with all the
cardiovascular risk biomarkers. For Ghroubi et al. (2007) examined
whether waist circumference is more reliable than the BMI of the
presence of knee osteoarthritis in obese patients indicator. They found
that it really seems to be a factor related to the presence of knee pain
and osteoarthritis in obese subjects of the study. Ghroubi et al. (2007)
found that a high waist circumference is associated with great functional
impact. Central obesity is associated with a significantly increased risk of
heart disease, hypertension, insulin resistance, and type 2 diabetes
mellitus (see below). With the increase in the waist hip and waist
circumference increases the overall risk of death as well. Metabolic
syndrome is associated with abdominal obesity, blood lipid disorders,
inflammation, insulin resistance developed diabetes, and an increased
risk of developing cardiovascular diseases. It is now generally believed
that intra-abdominal fat is the deposit that gives the greatest risk to
health. Central obesity may be a feature of the lipodystrophy, a group of
inherited diseases that are, or due to secondary causes (often protease
inhibitors, a group of drugs against AIDS). Central obesity is a symptom
of Cushing's syndrome and is also common in patients with polycystic
ovary syndrome (PCOS). Central obesity is associated with glucose
intolerance and dyslipidemia (total cholesterol and fractions). The
abdominal cavity of an individual would generate high flow of free fatty
acids to the liver. The effect of abdominal fat does not only occur in
those who are obese, but also affects people who are not obese and also
contributes to the sensitivity to insulin. There are numerous theories on
the exact cause and mechanism in type 2 diabetes. Central obesity is
known to predispose individuals to insulin resistance. Abdominal fat is
especially active hormonally, secreting a group of hormones called
adipokines that may possibly impair glucose tolerance. Insulin resistance
is a major feature of type 2 diabetes mellitus (DM2), and central
adiposity is correlated with insulin resistance and DM2 itself. The
increased adiposity (obesity) raises serum levels of resistin, which in turn
directly correlate with insulin resistance and consequently various
obesities. The studies also confirmed a direct correlation between
resistin levels and DM2. And it's adipose tissue waist (central obesity),
which seems to be the most important type of fat deposits that
contribute to the increase in resistin levels in serum. Moreover, serum
levels of resistin have been found to contribute to decrease adiposity in
the following medical treatment. Under these conditions the diet is an
important factor as well as exercise, but up close is enough to restore
the uncontrolled physiology of the body that undertakes a constellation
of disorders that cause serious diseases in general that needs
intervention endocrinologists or neuroendocrinologistas professionals.
OBESIDAD UNA DISFUNCIÓN GRAVE TRATADA COMO UNA
ENFERMEDAD SIMPLISTA, ESPECIALMENTE LA CENTRAL DE LA OBESIDAD
(OCI) ABDOMINAL. DR. CAIO JR, JOÃO SANTOS ET DRA. CAIO,
HENRIQUETA VERLANGIERI.
CONTENIDO DE LA OBESIDAD CENTRAL (OCI) ABDOMINAL ES LA RAZÓN
ENTRE LA CINTURA CIRCUNFERENCIA Y ALTURA PROPUESTO POR
PRIMERA VEZ POR PARIKH ET AL., EN 2007 COMO UN SUSTITUTO PARA
MEJOR CIRCUNFERENCIA DE LA CINTURA AMPLIAMENTE UTILIZADOS EN
LA DEFINICIÓN DE SÍNDROME METABÓLICO. NACIONAL EDUCACIÓN DE
ADULTOS COLESTEROL PROGRAMA DE TRATAMIENTO DEL PANEL III
SUGERIDOS CORTE DE 102 CM (40 PULGADAS) Y 88 CM (35 PULGADAS)
PARA HOMBRES Y MUJERES COMO CENTRAL OBESIDAD MARCADOR.
FISIOLOGÍA-ENDOCRINOLOGÍA-NEUROENDOCRINOLOGÍA-GENÉTICA-
ENDOCRINO-PEDIATRÍA (SUBDIVISIÓN DE ENDOCRINOLOGÍA): DR. JOÃO
SANTOS CAIO JR. ET DRA. HENRIQUETA VERLANGIERI CAIO. (ESTE
ARTÍCULO ESTÁ ESCRITO EN PORTUGUÉS - INGLÉS - ESPAÑOL).
La Federación Internacional de Diabetes ha definido la obesidad central
en base a estos varios cortes específicos de raza y género. La otra
limitación de circunferencia de la cintura es que no se puede utilizar en
niños. Parikh et al. También probado una modificación de la definición
de síndrome metabólico en que la circunferencia de la cintura fue
reemplazado por el ICO en la Encuesta Nacional de Salud y Nutrición de
base de datos (NHANES) y encontró la definición modificada para ser
más específicos y sensibles. Este parámetro se utilizó para estudiar el
síndrome metabólico y la enfermedad cardiovascular. Índice de volumen
del cuerpo; BVI se basa en el principio de que el exceso de peso
abdominal, medida por el volumen de la parte como un porcentaje del
volumen total es de un mayor riesgo para la salud. Validación reciente
concluyó que las estimaciones totales y regionales de volumen corporal
se correlacionan positiva y significativamente con los biomarcadores de
riesgo cardiovascular y las Islas Vírgenes Británicas - índice de volumen
corporal cálculos de correlación significativos con todos los
biomarcadores de riesgo cardiovascular. Para Ghroubi et al. (2007)
examinó si la circunferencia de la cintura es más confiable que el IMC de
la presencia de la osteoartritis de rodilla en pacientes obesos indicador.
Encontraron que en realidad parece ser un factor relacionado con la
presencia de dolor en la rodilla y la osteoartritis en los sujetos obesos del
estudio. Ghroubi et al. (2007) encontraron que una circunferencia de
cintura alta se asocia con gran impacto funcional. La obesidad central se
asocia con un aumento significativo del riesgo de enfermedades del
corazón, hipertensión, resistencia a la insulina y diabetes mellitus tipo 2
(ver abajo). Con el aumento de la circunferencia de la cadera de la
cintura y la cintura aumenta el riesgo global de muerte también. El
síndrome metabólico se asocia con la obesidad abdominal, trastornos de
lípidos en sangre, inflamación, diabetes resistencia desarrollada de
insulina, y un aumento del riesgo de desarrollar enfermedades
cardiovasculares. Ahora se cree generalmente que la grasa intra-
abdominal es el depósito que da el mayor riesgo para la salud. La
obesidad central puede ser una característica de la lipodistrofia, un
grupo de enfermedades hereditarias que son, o debido a causas
secundarias (a menudo inhibidores de la proteasa, un grupo de
medicamentos contra el SIDA). La obesidad central es un síntoma del
síndrome de Cushing y también es común en los pacientes con síndrome
de ovario poliquístico (SOP). La obesidad central se asocia con
intolerancia a la glucosa y la dislipidemia (colesterol total y fracciones).
Una vez dislipidemia (colesterol total y fracciones) se convierte en un
problema grave. Cavidad abdominal de un individuo generaría alto flujo
de ácidos grasos libres en el hígado. El efecto de la grasa abdominal no
sólo se produce en aquellos que son obesos, sino que también afecta a
las personas que no son obesas y también contribuye a la sensibilidad a
la insulina. Existen numerosas teorías sobre la causa exacta y el
mecanismo en la diabetes tipo 2. La obesidad central es conocido por
predisponer a las personas a resistencia a la insulina. La grasa abdominal
es especialmente activa hormonalmente, que secreta un grupo de
hormonas llamadas adipocinas que posiblemente pueden alterar la
tolerancia a la glucosa. Resistencia a la insulina es una característica
importante de la diabetes mellitus tipo 2 (DM2) y la adiposidad central
se correlaciona con la resistencia a la insulina y la diabetes tipo 2 en sí. El
aumento de la adiposidad (obesidad) aumenta los niveles séricos de la
resistina, que a su vez se correlacionan directamente con resistencia a la
insulina y por lo tanto varios obesidad. Los estudios también confirman
una correlación directa entre los niveles de resistina y DM2. Y es cintura
tejido adiposo (obesidad central), que parece ser el tipo más importante
de los depósitos de grasa que contribuyen al aumento de los niveles de
resistina en suero. Además, se han encontrado niveles séricos de
resistina contribuir a disminuir la adiposidad en el siguiente tratamiento
médico. Bajo estas condiciones, la dieta es un factor importante, así
como el ejercicio, pero de cerca es suficiente para restaurar la fisiología
incontrolada del cuerpo que se compromete una constelación de
trastornos que causan enfermedades graves en general que necesita
endocrinólogos de intervención o neuroendocrinologistas profesionales.
Dr. João Santos Caio Jr.
Endocrinologia – Neuroendocrinologista
CRM 20611
Dra. Henriqueta V. Caio
Endocrinologista – Medicina Interna
CRM 28930
Como saber mais:
1. Mutações em genes podem produzir características novas ou alterar
características que já existiam, resultando no aparecimento de
diferenças hereditárias entre organismos...
http://hormoniocrescimentoadultos.blogspot.com.
2. Estas novas características também podem surgir da transferência de
genes entre populações, como resultado de migração, ou entre espécies,
resultante de transferência horizontal de genes...
http://longevidadefutura.blogspot.com
3. A evolução ocorre quando estas diferenças hereditárias tornam-se
mais comuns ou raras numa população, quer de maneira não aleatória
através de seleção natural ou aleatoriamente através de deriva
genética...
http://imcobesidade.blogspot.com
AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA.
Referências Bibliográficas:
Caio Jr, João Santos, Dr.; Endocrinologista, Neuroendocrinologista, Caio,H. V., Dra. Endocrinologista, Medicina
Interna – Van Der Häägen Brazil, São Paulo, Brasil; Hotamisligil GS. (June 1999). "The Role of TNF-alpha and TNF
receptors in Obesity and Insulin Resistance". Journal of Internal Medicine 245 (6): 621–625. doi:10.1046/j.1365-
2796.1999.00490.x. PMID 10395191; Fukuchi S, Hamaguchi K, Seike M, Himeno K, Sakata T, Yoshimatsu H. (1 June
2004)."Role of Fatty Acid Composition in the Development of Metabolic Disorders in Sucrose-Induced Obese
Rats". Exp Biol Med 229 (6): 486–493. PMID 15169967; Whitney, Ellie and Ralfes, R. Sharon. 2011. Understanding
Nutrition. Wadsworth Cengage Learning: Belmont, CA; Farooqui, AA; Farooqui T; Panza F; Frisardi V. (2012).
"Metabolic syndrome as a risk factor for neurological disorders". Cell Mol Life Sci. 69 (5): 741–62.
doi:10.1007/s00018-011-0840-1.PMID 21997383; Lakka TA, Laaksonen DE (2007). "Physical activity in prevention
and treatment of the metabolic syndrome". Applied physiology, nutrition, and metabolism = Physiologie
appliquée, nutrition et métabolisme 32 (1): 76–88. doi:10.1139/h06-113.PMID 17332786; Feldeisen SE, Tucker KL
(2007). "Nutritional strategies in the prevention and treatment of metabolic syndrome". Appl Physiol Nutr Metab
32 (1): 46–60. doi:10.1139/h06-101.PMID 17332784; James PT, Rigby N, Leach R (2004). "The obesity epidemic,
metabolic syndrome and future prevention strategies". Eur J Cardiovasc Prev Rehabil 11 (1): 3–
8.doi:10.1097/01.hjr.0000114707. 27531.48. PMID 15167200; Elwood, PC; Pickering JE; Fehily AM (2007). "Milk
and dairy consumption, diabetes and the metabolic syndrome: the Caerphilly prospective study". J Epidemiol
Community Health 61 (8): 695–698. doi:10.1136/jech.2006.053157.PMC 2652996. PMID 17630368; Snijder MB,
van der Heijden AA, van Dam RM et al. (2007). "Is higher dairy consumption associated with lower body weight
and fewer metabolic disturbances? The Hoorn Study".Am. J. Clin. Nutr. 85 (4): 989–95. PMID 17413097; Alberti,
KG,; Eckel RH, Grundy SM, Zimmet PZ, Cleeman JI, Donato KA, Fruchart JC, James WP, Loria CM, Smith SC Jr;
International Diabetes Federation Task Force on Epidemiology and Prevention; Hational Heart, Lung, and Blood
Institute; American Heart Association; World Heart Federation; International Atherosclerosis Society;
International Association for the Study of Obesity. (2009). "Harmonizing the metabolic syndrome: a joint interim
statement of the International Diabetes Federation Task Force on Epidemiology and Prevention; National Heart,
Lung, and Blood Institute; American Heart Association; World Heart Federation; International Atherosclerosis
Society; and International Association for the Study of Obesity.". Circulation 120 (16): 1640–5. doi:10.1161/
CIRCULATIONAHA.109.192644. PMID 19805654; (IDF) consensus PDF; Alberti, KGMM; Zimmet (1999). "Definition,
Diagnosis, and Classification of Diabetes Mellitus and its Complications" (PDF). World Health Organization. pp.
32–33. Retrieved25 March 2013; Expert Panel on Detection, Evaluation, and Treatment of High Blood Cholesterol
in Adults (May 2001). "Executive Summary of the Third Report of the National Cholesterol Education Program
(NCEP) Expert Panel on Detection, Evaluation, and Treatment of High Blood Cholesterol in Adults (Adult
Treatment Panel III)". JAMA: the Journal of the American Medical Association 285 (19): 2486–
97.doi:10.1001/jama.285.19.2486. PMID 11368702.
Contato: Fones: 55 11 5087-4404
Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj. 121/122
Paraíso - São Paulo - SP - Cep 04011-002
e-mails: vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagenbrasil@gmail.com
Site Van Der Häägen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br
www.crescimentoinfoco.com
www.obesidadeinfoco.com.br
http://drcaiojr.site.med.br
http://dracaio.site.med.br
Joao Santos Caio Jr
http://google.com/+JoaoSantosCaioJr
google.com/+JoãoSantosCaioJrvdh
google.com/+VANDERHAAGENBRAZILvdh
Video
http://youtu.be/woonaiFJQwY
VAN DER HAAGEN BRAZI
Instagram
https://instagram.com/clinicascaio/
Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=-
23.578256,46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie =UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t = h&z=17

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Rbcm 2003 flexibilidade e lombalgia
Rbcm 2003 flexibilidade e lombalgiaRbcm 2003 flexibilidade e lombalgia
Rbcm 2003 flexibilidade e lombalgia
Alexandra Nurhan
 
Ulcera-de-pressao-e-estado-nutricional-revisao-da-literatura
Ulcera-de-pressao-e-estado-nutricional-revisao-da-literaturaUlcera-de-pressao-e-estado-nutricional-revisao-da-literatura
Ulcera-de-pressao-e-estado-nutricional-revisao-da-literatura
Marina3112
 
Exercicio e-sindrome-metabolica
Exercicio e-sindrome-metabolicaExercicio e-sindrome-metabolica
Exercicio e-sindrome-metabolica
Danilo Joenck
 
Plugin revis%e3o%20de%20 pilates%20na%20lombalgia(3)
Plugin revis%e3o%20de%20 pilates%20na%20lombalgia(3)Plugin revis%e3o%20de%20 pilates%20na%20lombalgia(3)
Plugin revis%e3o%20de%20 pilates%20na%20lombalgia(3)
Dra. Welker Fisioterapeuta
 
Benefícios do treinamento com pesos para aptidão física de idosos
Benefícios do treinamento com pesos para aptidão física de idososBenefícios do treinamento com pesos para aptidão física de idosos
Benefícios do treinamento com pesos para aptidão física de idosos
EducadorFisicoKassio
 
Painel pronto
Painel prontoPainel pronto
Painel pronto
bonigeo
 

Mais procurados (16)

Obesidade intra abdominal a gordura do nosso organismo
Obesidade intra abdominal a gordura do nosso organismoObesidade intra abdominal a gordura do nosso organismo
Obesidade intra abdominal a gordura do nosso organismo
 
Obesidade e uma possível ligação entre a obesidade e a infecção viral
Obesidade e uma possível ligação entre a obesidade e a infecção viralObesidade e uma possível ligação entre a obesidade e a infecção viral
Obesidade e uma possível ligação entre a obesidade e a infecção viral
 
Obesidade infantil sem controle exercício físico e estado inflamatório
Obesidade infantil sem controle exercício físico e estado inflamatórioObesidade infantil sem controle exercício físico e estado inflamatório
Obesidade infantil sem controle exercício físico e estado inflamatório
 
Aspectos psicológicos cirurgia bariátrica
Aspectos psicológicos cirurgia bariátricaAspectos psicológicos cirurgia bariátrica
Aspectos psicológicos cirurgia bariátrica
 
Rbcm 2003 flexibilidade e lombalgia
Rbcm 2003 flexibilidade e lombalgiaRbcm 2003 flexibilidade e lombalgia
Rbcm 2003 flexibilidade e lombalgia
 
Ulcera-de-pressao-e-estado-nutricional-revisao-da-literatura
Ulcera-de-pressao-e-estado-nutricional-revisao-da-literaturaUlcera-de-pressao-e-estado-nutricional-revisao-da-literatura
Ulcera-de-pressao-e-estado-nutricional-revisao-da-literatura
 
Obesidade é uma doença multifatorial e exige tratamento multidisciplinar
Obesidade é uma doença multifatorial e exige tratamento multidisciplinarObesidade é uma doença multifatorial e exige tratamento multidisciplinar
Obesidade é uma doença multifatorial e exige tratamento multidisciplinar
 
Exercicio e-sindrome-metabolica
Exercicio e-sindrome-metabolicaExercicio e-sindrome-metabolica
Exercicio e-sindrome-metabolica
 
Obesidade infantil o exercício físico, a taxa metabólica e o perfil lipídico
Obesidade infantil o exercício físico, a taxa metabólica e o perfil lipídicoObesidade infantil o exercício físico, a taxa metabólica e o perfil lipídico
Obesidade infantil o exercício físico, a taxa metabólica e o perfil lipídico
 
Plugin revis%e3o%20de%20 pilates%20na%20lombalgia(3)
Plugin revis%e3o%20de%20 pilates%20na%20lombalgia(3)Plugin revis%e3o%20de%20 pilates%20na%20lombalgia(3)
Plugin revis%e3o%20de%20 pilates%20na%20lombalgia(3)
 
Benefícios do treinamento com pesos para aptidão física de idosos
Benefícios do treinamento com pesos para aptidão física de idososBenefícios do treinamento com pesos para aptidão física de idosos
Benefícios do treinamento com pesos para aptidão física de idosos
 
Painel pronto
Painel prontoPainel pronto
Painel pronto
 
Pdf dalila de sousa rodrigues
Pdf   dalila de sousa rodriguesPdf   dalila de sousa rodrigues
Pdf dalila de sousa rodrigues
 
Obesidade visceral, abdominal e central em geral está associada à menopausa c...
Obesidade visceral, abdominal e central em geral está associada à menopausa c...Obesidade visceral, abdominal e central em geral está associada à menopausa c...
Obesidade visceral, abdominal e central em geral está associada à menopausa c...
 
Trabalho interdisciplinar grupo
Trabalho interdisciplinar grupoTrabalho interdisciplinar grupo
Trabalho interdisciplinar grupo
 
Osteporose revisão
Osteporose revisãoOsteporose revisão
Osteporose revisão
 

Destaque

Destaque (12)

Paradoxo doenças relacionadas com tireóide,deficiência do crescer estatural e...
Paradoxo doenças relacionadas com tireóide,deficiência do crescer estatural e...Paradoxo doenças relacionadas com tireóide,deficiência do crescer estatural e...
Paradoxo doenças relacionadas com tireóide,deficiência do crescer estatural e...
 
Obesidade uma situação complexa, novidade extremamente importante hormônio ...
Obesidade uma situação complexa, novidade extremamente importante   hormônio ...Obesidade uma situação complexa, novidade extremamente importante   hormônio ...
Obesidade uma situação complexa, novidade extremamente importante hormônio ...
 
Porque a obesidade abdominal é mais grave que a obesidade periférica se ambos...
Porque a obesidade abdominal é mais grave que a obesidade periférica se ambos...Porque a obesidade abdominal é mais grave que a obesidade periférica se ambos...
Porque a obesidade abdominal é mais grave que a obesidade periférica se ambos...
 
Estatura abaixo alvo genético diagnóstico clínico laboratorial instrumental e...
Estatura abaixo alvo genético diagnóstico clínico laboratorial instrumental e...Estatura abaixo alvo genético diagnóstico clínico laboratorial instrumental e...
Estatura abaixo alvo genético diagnóstico clínico laboratorial instrumental e...
 
Obesidade principalmente abdominal visceral sem controle e implicações com di...
Obesidade principalmente abdominal visceral sem controle e implicações com di...Obesidade principalmente abdominal visceral sem controle e implicações com di...
Obesidade principalmente abdominal visceral sem controle e implicações com di...
 
Conversando com o especialista endocrinologista e neuroendocrinologista
Conversando com o especialista endocrinologista e neuroendocrinologistaConversando com o especialista endocrinologista e neuroendocrinologista
Conversando com o especialista endocrinologista e neuroendocrinologista
 
Obesidade periférica,obesidade intra abdominal,obesidade visceral no contexto...
Obesidade periférica,obesidade intra abdominal,obesidade visceral no contexto...Obesidade periférica,obesidade intra abdominal,obesidade visceral no contexto...
Obesidade periférica,obesidade intra abdominal,obesidade visceral no contexto...
 
Diabetes Melitus Tipo II
Diabetes  Melitus Tipo IIDiabetes  Melitus Tipo II
Diabetes Melitus Tipo II
 
Restrição de crescimento intrauterino (rciu) refere se a problemas de crescim...
Restrição de crescimento intrauterino (rciu) refere se a problemas de crescim...Restrição de crescimento intrauterino (rciu) refere se a problemas de crescim...
Restrição de crescimento intrauterino (rciu) refere se a problemas de crescim...
 
A INFLUÊNCIA DA ASMA NO CRESCIMENTO DA ALTURA LINEAR E LONGITUDINAL DE CRIANÇ...
A INFLUÊNCIA DA ASMA NO CRESCIMENTO DA ALTURA LINEAR E LONGITUDINAL DE CRIANÇ...A INFLUÊNCIA DA ASMA NO CRESCIMENTO DA ALTURA LINEAR E LONGITUDINAL DE CRIANÇ...
A INFLUÊNCIA DA ASMA NO CRESCIMENTO DA ALTURA LINEAR E LONGITUDINAL DE CRIANÇ...
 
Os ritmos circadianos e a melatonina uma luz na escuridão
Os ritmos circadianos e a melatonina uma luz na escuridãoOs ritmos circadianos e a melatonina uma luz na escuridão
Os ritmos circadianos e a melatonina uma luz na escuridão
 
A somatotropina (hormônio do crescimento, o gh) por r dna tem proporcionado s...
A somatotropina (hormônio do crescimento, o gh) por r dna tem proporcionado s...A somatotropina (hormônio do crescimento, o gh) por r dna tem proporcionado s...
A somatotropina (hormônio do crescimento, o gh) por r dna tem proporcionado s...
 

Semelhante a Obesidade uma disfunção séria tratada como uma doença simplista,como a obesidade central abdominal

Bioquímica ii 15 síndrome metabólica
Bioquímica ii 15   síndrome metabólicaBioquímica ii 15   síndrome metabólica
Bioquímica ii 15 síndrome metabólica
Jucie Vasconcelos
 
Obesidade abdominal e fatores de risco à saúde em adultos jovens
Obesidade abdominal e fatores de risco à saúde em adultos jovensObesidade abdominal e fatores de risco à saúde em adultos jovens
Obesidade abdominal e fatores de risco à saúde em adultos jovens
Manoel Costa
 

Semelhante a Obesidade uma disfunção séria tratada como uma doença simplista,como a obesidade central abdominal (20)

Obesidade abdominal caminhamos para um novo conceito,diminuindo diversos risc...
Obesidade abdominal caminhamos para um novo conceito,diminuindo diversos risc...Obesidade abdominal caminhamos para um novo conceito,diminuindo diversos risc...
Obesidade abdominal caminhamos para um novo conceito,diminuindo diversos risc...
 
Obesidade intra visceral caminhamos para conceito unissex de desastre anuncia...
Obesidade intra visceral caminhamos para conceito unissex de desastre anuncia...Obesidade intra visceral caminhamos para conceito unissex de desastre anuncia...
Obesidade intra visceral caminhamos para conceito unissex de desastre anuncia...
 
Bioquímica ii 15 síndrome metabólica
Bioquímica ii 15   síndrome metabólicaBioquímica ii 15   síndrome metabólica
Bioquímica ii 15 síndrome metabólica
 
Um quebra cabeça chamado obesidade ii
Um quebra cabeça chamado obesidade iiUm quebra cabeça chamado obesidade ii
Um quebra cabeça chamado obesidade ii
 
Obesidade abdominal e fatores de risco à saúde em adultos jovens
Obesidade abdominal e fatores de risco à saúde em adultos jovensObesidade abdominal e fatores de risco à saúde em adultos jovens
Obesidade abdominal e fatores de risco à saúde em adultos jovens
 
Obesidade visceral é muito prejudicial à saúde
Obesidade visceral é muito prejudicial à saúdeObesidade visceral é muito prejudicial à saúde
Obesidade visceral é muito prejudicial à saúde
 
Síndrome Metabólica podem levar a óbito
Síndrome Metabólica podem levar a óbitoSíndrome Metabólica podem levar a óbito
Síndrome Metabólica podem levar a óbito
 
A Complexidade Metabólica não é Simplista
A Complexidade Metabólica não é SimplistaA Complexidade Metabólica não é Simplista
A Complexidade Metabólica não é Simplista
 
Excesso de peso adiposidade-obesidade intra abdominal - central- visceral; ob...
Excesso de peso adiposidade-obesidade intra abdominal - central- visceral; ob...Excesso de peso adiposidade-obesidade intra abdominal - central- visceral; ob...
Excesso de peso adiposidade-obesidade intra abdominal - central- visceral; ob...
 
Obesidade abdominal exige solução radical
Obesidade abdominal exige solução radicalObesidade abdominal exige solução radical
Obesidade abdominal exige solução radical
 
Nutricao e avc_artigo
Nutricao e avc_artigoNutricao e avc_artigo
Nutricao e avc_artigo
 
Diabetes mellitus associado à obesidade abdominal,obesidade periférica e doen...
Diabetes mellitus associado à obesidade abdominal,obesidade periférica e doen...Diabetes mellitus associado à obesidade abdominal,obesidade periférica e doen...
Diabetes mellitus associado à obesidade abdominal,obesidade periférica e doen...
 
Gordura intra abdominal um grande passo para diabetes tipo 2
Gordura intra   abdominal um grande passo para diabetes tipo 2Gordura intra   abdominal um grande passo para diabetes tipo 2
Gordura intra abdominal um grande passo para diabetes tipo 2
 
Obesidade periférica e intra abdominal o paradoxo do risco em pacientes com e...
Obesidade periférica e intra abdominal o paradoxo do risco em pacientes com e...Obesidade periférica e intra abdominal o paradoxo do risco em pacientes com e...
Obesidade periférica e intra abdominal o paradoxo do risco em pacientes com e...
 
Obessidade
ObessidadeObessidade
Obessidade
 
Obesidade se torna um fator complexo em pacientes diabeticos e vice versa.
Obesidade se torna um fator complexo em pacientes diabeticos e vice versa.Obesidade se torna um fator complexo em pacientes diabeticos e vice versa.
Obesidade se torna um fator complexo em pacientes diabeticos e vice versa.
 
OBESIDADE INTRA ABDOMINAL VISCERAL; PODE MATAR!!!
OBESIDADE INTRA ABDOMINAL VISCERAL; PODE MATAR!!!OBESIDADE INTRA ABDOMINAL VISCERAL; PODE MATAR!!!
OBESIDADE INTRA ABDOMINAL VISCERAL; PODE MATAR!!!
 
Obesidade!!!
Obesidade!!!Obesidade!!!
Obesidade!!!
 
Eliminando a obesidade visceral
Eliminando a obesidade visceralEliminando a obesidade visceral
Eliminando a obesidade visceral
 
Obesidade e pressão alta obesidade tem inúmeros sintomas e não há identificaç...
Obesidade e pressão alta obesidade tem inúmeros sintomas e não há identificaç...Obesidade e pressão alta obesidade tem inúmeros sintomas e não há identificaç...
Obesidade e pressão alta obesidade tem inúmeros sintomas e não há identificaç...
 

Mais de Van Der Häägen Brazil

Mais de Van Der Häägen Brazil (20)

OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDEOBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
 
A IMPORTÂNCIA CLÍNICA DA ADIPOSIDADE VISCERAL: UMA PESQUISA PROSPECTIVA CRÍTI...
A IMPORTÂNCIA CLÍNICA DA ADIPOSIDADE VISCERAL: UMA PESQUISA PROSPECTIVA CRÍTI...A IMPORTÂNCIA CLÍNICA DA ADIPOSIDADE VISCERAL: UMA PESQUISA PROSPECTIVA CRÍTI...
A IMPORTÂNCIA CLÍNICA DA ADIPOSIDADE VISCERAL: UMA PESQUISA PROSPECTIVA CRÍTI...
 
A DISTRIBUIÇÃO DA GORDURA CORPORAL É MAIS PREDITIVA (INFORMATIVA) DE MORTALID...
A DISTRIBUIÇÃO DA GORDURA CORPORAL É MAIS PREDITIVA (INFORMATIVA) DE MORTALID...A DISTRIBUIÇÃO DA GORDURA CORPORAL É MAIS PREDITIVA (INFORMATIVA) DE MORTALID...
A DISTRIBUIÇÃO DA GORDURA CORPORAL É MAIS PREDITIVA (INFORMATIVA) DE MORTALID...
 
GORDURA VISCERAL
GORDURA VISCERALGORDURA VISCERAL
GORDURA VISCERAL
 
VOCÊ PENSA QUE APENAS OBESO OU GORDO QUE NÃO FAZ EXERCICIO, É QUE MORRE? BEM ...
VOCÊ PENSA QUE APENAS OBESO OU GORDO QUE NÃO FAZ EXERCICIO, É QUE MORRE? BEM ...VOCÊ PENSA QUE APENAS OBESO OU GORDO QUE NÃO FAZ EXERCICIO, É QUE MORRE? BEM ...
VOCÊ PENSA QUE APENAS OBESO OU GORDO QUE NÃO FAZ EXERCICIO, É QUE MORRE? BEM ...
 
PODE ACREDITAR, QUE O SOBREPESO E A OBESIDADE ESTA LIGADA AO HIPOTIREOIDISMO
PODE ACREDITAR, QUE O SOBREPESO E A OBESIDADE ESTA LIGADA AO HIPOTIREOIDISMOPODE ACREDITAR, QUE O SOBREPESO E A OBESIDADE ESTA LIGADA AO HIPOTIREOIDISMO
PODE ACREDITAR, QUE O SOBREPESO E A OBESIDADE ESTA LIGADA AO HIPOTIREOIDISMO
 
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDEOBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE
 
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE; LARGUE DESSA VIDA IRRESPONSÁV...
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE; LARGUE DESSA VIDA IRRESPONSÁV...OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE; LARGUE DESSA VIDA IRRESPONSÁV...
OBESIDADE, EMAGRECER, EU QUERO CUIDAR DA SAÚDE; LARGUE DESSA VIDA IRRESPONSÁV...
 
NOVIDADES E CONCEITOS NOVOS ATRAVÉS DO SOBREPESO
NOVIDADES E CONCEITOS NOVOS ATRAVÉS DO SOBREPESONOVIDADES E CONCEITOS NOVOS ATRAVÉS DO SOBREPESO
NOVIDADES E CONCEITOS NOVOS ATRAVÉS DO SOBREPESO
 
OBESIDADE EM PACIENTES INFANTIL
OBESIDADE EM PACIENTES INFANTILOBESIDADE EM PACIENTES INFANTIL
OBESIDADE EM PACIENTES INFANTIL
 
OBESIDADE E SUAS CAUSAS
OBESIDADE E SUAS CAUSASOBESIDADE E SUAS CAUSAS
OBESIDADE E SUAS CAUSAS
 
OBESITY AND GENETICS
OBESITY AND GENETICSOBESITY AND GENETICS
OBESITY AND GENETICS
 
INTERFERÊNCIAS DA OBESIDADE NA FUNÇÃO IMUNOLÓGICA
INTERFERÊNCIAS DA OBESIDADE NA FUNÇÃO IMUNOLÓGICAINTERFERÊNCIAS DA OBESIDADE NA FUNÇÃO IMUNOLÓGICA
INTERFERÊNCIAS DA OBESIDADE NA FUNÇÃO IMUNOLÓGICA
 
GORDURA (ADIPÓCITO)
GORDURA (ADIPÓCITO)GORDURA (ADIPÓCITO)
GORDURA (ADIPÓCITO)
 
GENEALOGIA
GENEALOGIAGENEALOGIA
GENEALOGIA
 
DIABETES MELLITUS TIPO 2, DOENÇAS CARDIO RESPIRATÓRIAS, RENAIS, ENTRE OUTRAS.
DIABETES MELLITUS TIPO 2, DOENÇAS CARDIO RESPIRATÓRIAS, RENAIS, ENTRE OUTRAS.DIABETES MELLITUS TIPO 2, DOENÇAS CARDIO RESPIRATÓRIAS, RENAIS, ENTRE OUTRAS.
DIABETES MELLITUS TIPO 2, DOENÇAS CARDIO RESPIRATÓRIAS, RENAIS, ENTRE OUTRAS.
 
OBESIDADE ABDOMINAL
OBESIDADE ABDOMINAL OBESIDADE ABDOMINAL
OBESIDADE ABDOMINAL
 
SOBREPESO, OBESIDADE (OBESOS)
SOBREPESO, OBESIDADE (OBESOS)SOBREPESO, OBESIDADE (OBESOS)
SOBREPESO, OBESIDADE (OBESOS)
 
GORDURA EM EXCESSO
GORDURA EM EXCESSOGORDURA EM EXCESSO
GORDURA EM EXCESSO
 
VOCÊ TERIA DÚVIDA DE QUE MESMO VACINADA, VOCÊ NÃO CONTRAIRIA POR EXEMPLO A CO...
VOCÊ TERIA DÚVIDA DE QUE MESMO VACINADA, VOCÊ NÃO CONTRAIRIA POR EXEMPLO A CO...VOCÊ TERIA DÚVIDA DE QUE MESMO VACINADA, VOCÊ NÃO CONTRAIRIA POR EXEMPLO A CO...
VOCÊ TERIA DÚVIDA DE QUE MESMO VACINADA, VOCÊ NÃO CONTRAIRIA POR EXEMPLO A CO...
 

Último

relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
HELLEN CRISTINA
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
HELLEN CRISTINA
 
Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................
paulo222341
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
HELLEN CRISTINA
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 

Último (7)

relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
 
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfCrianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
 
Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
 
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino FelisbertoAltas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
 

Obesidade uma disfunção séria tratada como uma doença simplista,como a obesidade central abdominal

  • 1. ÍNDICE DE OBESIDADE CENTRAL/ABDOMINAL (OIC) É A RAZÃO ENTRE A CIRCUNFERÊNCIA DA CINTURA E A ALTURA PROPOSTO PELA PRIMEIRA VEZ POR PARIKH ET AL., EM 2007 COMO UM SUBSTITUTO MELHOR PARA A CIRCUNFERÊNCIA DA CINTURA AMPLAMENTE UTILIZADA NA DEFINIÇÃO DE SÍNDROME METABÓLICA. A NATIONAL CHOLESTEROL EDUCATION PROGRAM OF ADULT TREATMENT PANEL III SUGERIU UM CORTE DE 102 CM (40 POLEGADAS) PARA OS HOMENS E 88 CM (35 POLEGADAS) PARA AS MULHERES COMO UM MARCADOR DE OBESIDADE CENTRAL. A Federação Internacional de Diabetes tem definido obesidade central, com base nesses várias cortes específicos de raça e gênero. A outra limitação da circunferência da cintura é que ela não pode ser aplicada em crianças. Parikh et al. testou ainda uma modificação da definição de síndrome metabólica em que a circunferência da cintura foi substituída por IOC no National Health and Nutrition Survey Exame de banco de dados (NHANES) e encontrou a definição modificada sendo mais específica e sensível. Este parâmetro foi utilizado no estudo da síndrome metabólica e doença cardiovascular. Índice de volume do corpo: IVC - Índice de volume do corpo baseia-se no princípio de que o excesso de peso abdominal, medido pelo volume da parte superior e central como
  • 2. uma percentagem do volume total constitui um risco maior para a saúde. A validação recente concluiu que as estimativas totais e regionais de volume corporal correlacionam-se positivamente e significativamente com biomarcadores de risco cardiovascular e IVC - Índice de volume corporal cálculos de correlação significativa com todos os biomarcadores de risco cardiovascular. Por Ghroubi et al. (2007) examinou se a circunferência abdominal é um indicador mais confiável do que o IMC da presença de osteoartrose do joelho em pacientes obesos. Eles descobriram que ele realmente parece ser um fator relacionado com a presença de dor no joelho, bem como osteoartrite em obesos que participaram do estudo. Ghroubi et al. (2007) concluiu que uma elevada circunferência abdominal está associada à grande repercussão funcional. A obesidade central está associada com um risco significativamente maior de doença cardíaca, hipertensão, resistência à insulina, e diabetes mellitus tipo 2. Com o aumento da cintura para o quadril e da circunferência global da cintura aumenta o risco de morte. A Síndrome metabólica está associada com a obesidade abdominal, perturbações de lipídeos no sangue, inflamação, resistência à insulina, diabetes desenvolvido e risco aumentado de desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Geralmente acreditavam que a gordura intra- abdominal é o depósito que transmite o maior risco para a saúde. A obesidade central pode ser uma característica da lipodistrofia, um grupo de doenças que é herdada, ou devido a causas secundárias (frequentemente inibidores da protease, um grupo de medicamentos contra a AIDS). A obesidade central é um sintoma de síndrome de Cushing e também é comum em pacientes com síndrome dos ovários policísticos (SOP). A obesidade central está associada com a intolerância à glicose e a dislipidemia (alterações do colesterol total e frações). Uma vez a dislipidemia (alterações colesterol total e frações) se torna um problema grave. A cavidade abdominal de um indivíduo geraria elevado fluxo de ácidos graxos livres para o fígado. O efeito da adiposidade abdominal não ocorre apenas naqueles que são obesos, mas também afeta as pessoas que não são obesos e que também contribuem para a
  • 3. sensibilidade à insulina. Existem inúmeras teorias sobre a causa exata e mecanismo no Diabetes Tipo 2. A obesidade central é conhecida por predispor os indivíduos à resistência à insulina. A gordura abdominal é especialmente ativa hormonalmente, secretando um grupo de hormônios chamados adipocinas que pode, eventualmente, prejudicar a tolerância à glucose. A resistência à insulina é uma característica importante do Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2), e a obesidade central está correlacionada com a resistência à insulina e à própria DM2. O aumento da adiposidade (obesidade) levanta os níveis no soro de resistina, que por sua vez se correlaciona diretamente com a resistência à insulina e por consequência a obesidades diversas. Os estudos confirmaram igualmente uma correlação direta entre os níveis de resistina e DM2. E é do tecido adiposo da cintura (obesidade central), que parece ser o tipo mais importante de depósitos de gordura que contribuem para o aumento dos níveis de resistina no soro. Por outro lado, os níveis séricos de resistina, contribuíram com a diminuição da adiposidade após o tratamento médico. Nessas condições a dieta é um fator importante assim como o exercício físico, mas de perto é suficiente para recompor a fisiologia descontrolada do organismo que compromete uma constelação de funções causadoras de doenças em geral graves que necessita de intervenção de profissionais Endocrinologistas ou Neuroendocrinologista. OBESITY A SERIOUS DYSFUNCTION TREATED AS A SIMPLISTIC DISEASE, ESPECIALLY THE CENTRAL OBESITY (OIC) ABDOMINAL. DR. CAIO JR, JOÃO SANTOS ET DRA. CAIO, HENRIQUETA VERLANGIERI. CONTENTS OF CENTRAL OBESITY (OIC) ABDOMINAL IS THE REASON BETWEEN THE CIRCUMFERENCE WAIST AND HEIGHT PROPOSED FOR THE FIRST TIME FOR PARIKH ET AL., IN 2007 AS A SUBSTITUTE FOR BEST WAIST CIRCUMFERENCE WIDELY USED IN THE DEFINITION OF METABOLIC SYNDROME. NATIONAL CHOLESTEROL EDUCATION ADULT
  • 4. PROGRAM TREATMENT PANEL III SUGGESTED CUT OF 102 CM (40 INCHES) AND 88 CM (35 INCHES) FOR MEN AND WOMEN AS A CENTRAL OBESITY MARKER. PHYSIOLOGY-ENDOCRINOLOGY- NEUROENDOCRINOLOGY-GENETICS-ENDOCRINE-PEDIATRICS (SUBDIVISION OF ENDOCRINOLOGY): DR. JOÃO SANTOS CAIO JR. ET DRA. HENRIQUETA VERLANGIERI CAIO. (THIS ARTICLE IS WRITTEN IN PORTUGUESE - ENGLISH - SPANISH). The International Diabetes Federation has defined central obesity based on these several specific cuts of race and gender. The other limitation of waist circumference is that it can not be used on children. Parikh et al. Also tested a modification of the definition of metabolic syndrome in that waist circumference was replaced by ICO in the National Health and Nutrition Survey database Examination (NHANES) and found the modified definition to be more specific and sensitive. This parameter was used to study the metabolic syndrome and cardiovascular disease. Body volume index; BVI is based on the principle that the excess abdominal weight, measured by the volume of the part as a percentage of the total volume is a greater risk to health. Recent validation concluded that total and regional estimates of body volume correlate positively and significantly with cardiovascular risk biomarkers and BVI -
  • 5. body volume index significant correlation calculations with all the cardiovascular risk biomarkers. For Ghroubi et al. (2007) examined whether waist circumference is more reliable than the BMI of the presence of knee osteoarthritis in obese patients indicator. They found that it really seems to be a factor related to the presence of knee pain and osteoarthritis in obese subjects of the study. Ghroubi et al. (2007) found that a high waist circumference is associated with great functional impact. Central obesity is associated with a significantly increased risk of heart disease, hypertension, insulin resistance, and type 2 diabetes mellitus (see below). With the increase in the waist hip and waist circumference increases the overall risk of death as well. Metabolic syndrome is associated with abdominal obesity, blood lipid disorders, inflammation, insulin resistance developed diabetes, and an increased risk of developing cardiovascular diseases. It is now generally believed that intra-abdominal fat is the deposit that gives the greatest risk to health. Central obesity may be a feature of the lipodystrophy, a group of inherited diseases that are, or due to secondary causes (often protease inhibitors, a group of drugs against AIDS). Central obesity is a symptom of Cushing's syndrome and is also common in patients with polycystic ovary syndrome (PCOS). Central obesity is associated with glucose intolerance and dyslipidemia (total cholesterol and fractions). The abdominal cavity of an individual would generate high flow of free fatty acids to the liver. The effect of abdominal fat does not only occur in those who are obese, but also affects people who are not obese and also contributes to the sensitivity to insulin. There are numerous theories on the exact cause and mechanism in type 2 diabetes. Central obesity is known to predispose individuals to insulin resistance. Abdominal fat is especially active hormonally, secreting a group of hormones called adipokines that may possibly impair glucose tolerance. Insulin resistance is a major feature of type 2 diabetes mellitus (DM2), and central adiposity is correlated with insulin resistance and DM2 itself. The increased adiposity (obesity) raises serum levels of resistin, which in turn directly correlate with insulin resistance and consequently various
  • 6. obesities. The studies also confirmed a direct correlation between resistin levels and DM2. And it's adipose tissue waist (central obesity), which seems to be the most important type of fat deposits that contribute to the increase in resistin levels in serum. Moreover, serum levels of resistin have been found to contribute to decrease adiposity in the following medical treatment. Under these conditions the diet is an important factor as well as exercise, but up close is enough to restore the uncontrolled physiology of the body that undertakes a constellation of disorders that cause serious diseases in general that needs intervention endocrinologists or neuroendocrinologistas professionals. OBESIDAD UNA DISFUNCIÓN GRAVE TRATADA COMO UNA ENFERMEDAD SIMPLISTA, ESPECIALMENTE LA CENTRAL DE LA OBESIDAD (OCI) ABDOMINAL. DR. CAIO JR, JOÃO SANTOS ET DRA. CAIO, HENRIQUETA VERLANGIERI. CONTENIDO DE LA OBESIDAD CENTRAL (OCI) ABDOMINAL ES LA RAZÓN ENTRE LA CINTURA CIRCUNFERENCIA Y ALTURA PROPUESTO POR PRIMERA VEZ POR PARIKH ET AL., EN 2007 COMO UN SUSTITUTO PARA MEJOR CIRCUNFERENCIA DE LA CINTURA AMPLIAMENTE UTILIZADOS EN LA DEFINICIÓN DE SÍNDROME METABÓLICO. NACIONAL EDUCACIÓN DE ADULTOS COLESTEROL PROGRAMA DE TRATAMIENTO DEL PANEL III SUGERIDOS CORTE DE 102 CM (40 PULGADAS) Y 88 CM (35 PULGADAS)
  • 7. PARA HOMBRES Y MUJERES COMO CENTRAL OBESIDAD MARCADOR. FISIOLOGÍA-ENDOCRINOLOGÍA-NEUROENDOCRINOLOGÍA-GENÉTICA- ENDOCRINO-PEDIATRÍA (SUBDIVISIÓN DE ENDOCRINOLOGÍA): DR. JOÃO SANTOS CAIO JR. ET DRA. HENRIQUETA VERLANGIERI CAIO. (ESTE ARTÍCULO ESTÁ ESCRITO EN PORTUGUÉS - INGLÉS - ESPAÑOL). La Federación Internacional de Diabetes ha definido la obesidad central en base a estos varios cortes específicos de raza y género. La otra limitación de circunferencia de la cintura es que no se puede utilizar en niños. Parikh et al. También probado una modificación de la definición de síndrome metabólico en que la circunferencia de la cintura fue reemplazado por el ICO en la Encuesta Nacional de Salud y Nutrición de base de datos (NHANES) y encontró la definición modificada para ser más específicos y sensibles. Este parámetro se utilizó para estudiar el síndrome metabólico y la enfermedad cardiovascular. Índice de volumen del cuerpo; BVI se basa en el principio de que el exceso de peso
  • 8. abdominal, medida por el volumen de la parte como un porcentaje del volumen total es de un mayor riesgo para la salud. Validación reciente concluyó que las estimaciones totales y regionales de volumen corporal se correlacionan positiva y significativamente con los biomarcadores de riesgo cardiovascular y las Islas Vírgenes Británicas - índice de volumen corporal cálculos de correlación significativos con todos los biomarcadores de riesgo cardiovascular. Para Ghroubi et al. (2007) examinó si la circunferencia de la cintura es más confiable que el IMC de la presencia de la osteoartritis de rodilla en pacientes obesos indicador. Encontraron que en realidad parece ser un factor relacionado con la presencia de dolor en la rodilla y la osteoartritis en los sujetos obesos del estudio. Ghroubi et al. (2007) encontraron que una circunferencia de cintura alta se asocia con gran impacto funcional. La obesidad central se asocia con un aumento significativo del riesgo de enfermedades del corazón, hipertensión, resistencia a la insulina y diabetes mellitus tipo 2 (ver abajo). Con el aumento de la circunferencia de la cadera de la cintura y la cintura aumenta el riesgo global de muerte también. El síndrome metabólico se asocia con la obesidad abdominal, trastornos de lípidos en sangre, inflamación, diabetes resistencia desarrollada de insulina, y un aumento del riesgo de desarrollar enfermedades cardiovasculares. Ahora se cree generalmente que la grasa intra- abdominal es el depósito que da el mayor riesgo para la salud. La obesidad central puede ser una característica de la lipodistrofia, un grupo de enfermedades hereditarias que son, o debido a causas secundarias (a menudo inhibidores de la proteasa, un grupo de medicamentos contra el SIDA). La obesidad central es un síntoma del síndrome de Cushing y también es común en los pacientes con síndrome de ovario poliquístico (SOP). La obesidad central se asocia con intolerancia a la glucosa y la dislipidemia (colesterol total y fracciones). Una vez dislipidemia (colesterol total y fracciones) se convierte en un problema grave. Cavidad abdominal de un individuo generaría alto flujo de ácidos grasos libres en el hígado. El efecto de la grasa abdominal no sólo se produce en aquellos que son obesos, sino que también afecta a
  • 9. las personas que no son obesas y también contribuye a la sensibilidad a la insulina. Existen numerosas teorías sobre la causa exacta y el mecanismo en la diabetes tipo 2. La obesidad central es conocido por predisponer a las personas a resistencia a la insulina. La grasa abdominal es especialmente activa hormonalmente, que secreta un grupo de hormonas llamadas adipocinas que posiblemente pueden alterar la tolerancia a la glucosa. Resistencia a la insulina es una característica importante de la diabetes mellitus tipo 2 (DM2) y la adiposidad central se correlaciona con la resistencia a la insulina y la diabetes tipo 2 en sí. El aumento de la adiposidad (obesidad) aumenta los niveles séricos de la resistina, que a su vez se correlacionan directamente con resistencia a la insulina y por lo tanto varios obesidad. Los estudios también confirman una correlación directa entre los niveles de resistina y DM2. Y es cintura tejido adiposo (obesidad central), que parece ser el tipo más importante de los depósitos de grasa que contribuyen al aumento de los niveles de resistina en suero. Además, se han encontrado niveles séricos de resistina contribuir a disminuir la adiposidad en el siguiente tratamiento médico. Bajo estas condiciones, la dieta es un factor importante, así como el ejercicio, pero de cerca es suficiente para restaurar la fisiología incontrolada del cuerpo que se compromete una constelación de trastornos que causan enfermedades graves en general que necesita endocrinólogos de intervención o neuroendocrinologistas profesionales. Dr. João Santos Caio Jr. Endocrinologia – Neuroendocrinologista CRM 20611 Dra. Henriqueta V. Caio Endocrinologista – Medicina Interna CRM 28930 Como saber mais: 1. Mutações em genes podem produzir características novas ou alterar características que já existiam, resultando no aparecimento de diferenças hereditárias entre organismos...
  • 10. http://hormoniocrescimentoadultos.blogspot.com. 2. Estas novas características também podem surgir da transferência de genes entre populações, como resultado de migração, ou entre espécies, resultante de transferência horizontal de genes... http://longevidadefutura.blogspot.com 3. A evolução ocorre quando estas diferenças hereditárias tornam-se mais comuns ou raras numa população, quer de maneira não aleatória através de seleção natural ou aleatoriamente através de deriva genética... http://imcobesidade.blogspot.com AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA. Referências Bibliográficas: Caio Jr, João Santos, Dr.; Endocrinologista, Neuroendocrinologista, Caio,H. V., Dra. Endocrinologista, Medicina Interna – Van Der Häägen Brazil, São Paulo, Brasil; Hotamisligil GS. (June 1999). "The Role of TNF-alpha and TNF receptors in Obesity and Insulin Resistance". Journal of Internal Medicine 245 (6): 621–625. doi:10.1046/j.1365- 2796.1999.00490.x. PMID 10395191; Fukuchi S, Hamaguchi K, Seike M, Himeno K, Sakata T, Yoshimatsu H. (1 June 2004)."Role of Fatty Acid Composition in the Development of Metabolic Disorders in Sucrose-Induced Obese Rats". Exp Biol Med 229 (6): 486–493. PMID 15169967; Whitney, Ellie and Ralfes, R. Sharon. 2011. Understanding Nutrition. Wadsworth Cengage Learning: Belmont, CA; Farooqui, AA; Farooqui T; Panza F; Frisardi V. (2012). "Metabolic syndrome as a risk factor for neurological disorders". Cell Mol Life Sci. 69 (5): 741–62. doi:10.1007/s00018-011-0840-1.PMID 21997383; Lakka TA, Laaksonen DE (2007). "Physical activity in prevention and treatment of the metabolic syndrome". Applied physiology, nutrition, and metabolism = Physiologie appliquée, nutrition et métabolisme 32 (1): 76–88. doi:10.1139/h06-113.PMID 17332786; Feldeisen SE, Tucker KL (2007). "Nutritional strategies in the prevention and treatment of metabolic syndrome". Appl Physiol Nutr Metab 32 (1): 46–60. doi:10.1139/h06-101.PMID 17332784; James PT, Rigby N, Leach R (2004). "The obesity epidemic, metabolic syndrome and future prevention strategies". Eur J Cardiovasc Prev Rehabil 11 (1): 3– 8.doi:10.1097/01.hjr.0000114707. 27531.48. PMID 15167200; Elwood, PC; Pickering JE; Fehily AM (2007). "Milk and dairy consumption, diabetes and the metabolic syndrome: the Caerphilly prospective study". J Epidemiol Community Health 61 (8): 695–698. doi:10.1136/jech.2006.053157.PMC 2652996. PMID 17630368; Snijder MB, van der Heijden AA, van Dam RM et al. (2007). "Is higher dairy consumption associated with lower body weight and fewer metabolic disturbances? The Hoorn Study".Am. J. Clin. Nutr. 85 (4): 989–95. PMID 17413097; Alberti, KG,; Eckel RH, Grundy SM, Zimmet PZ, Cleeman JI, Donato KA, Fruchart JC, James WP, Loria CM, Smith SC Jr; International Diabetes Federation Task Force on Epidemiology and Prevention; Hational Heart, Lung, and Blood Institute; American Heart Association; World Heart Federation; International Atherosclerosis Society; International Association for the Study of Obesity. (2009). "Harmonizing the metabolic syndrome: a joint interim statement of the International Diabetes Federation Task Force on Epidemiology and Prevention; National Heart, Lung, and Blood Institute; American Heart Association; World Heart Federation; International Atherosclerosis Society; and International Association for the Study of Obesity.". Circulation 120 (16): 1640–5. doi:10.1161/
  • 11. CIRCULATIONAHA.109.192644. PMID 19805654; (IDF) consensus PDF; Alberti, KGMM; Zimmet (1999). "Definition, Diagnosis, and Classification of Diabetes Mellitus and its Complications" (PDF). World Health Organization. pp. 32–33. Retrieved25 March 2013; Expert Panel on Detection, Evaluation, and Treatment of High Blood Cholesterol in Adults (May 2001). "Executive Summary of the Third Report of the National Cholesterol Education Program (NCEP) Expert Panel on Detection, Evaluation, and Treatment of High Blood Cholesterol in Adults (Adult Treatment Panel III)". JAMA: the Journal of the American Medical Association 285 (19): 2486– 97.doi:10.1001/jama.285.19.2486. PMID 11368702. Contato: Fones: 55 11 5087-4404 Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj. 121/122 Paraíso - São Paulo - SP - Cep 04011-002 e-mails: vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com vanderhaagenbrasil@gmail.com Site Van Der Häägen Brazil www.vanderhaagenbrazil.com.br www.clinicavanderhaagen.com.br www.crescimentoinfoco.com www.obesidadeinfoco.com.br http://drcaiojr.site.med.br http://dracaio.site.med.br Joao Santos Caio Jr http://google.com/+JoaoSantosCaioJr google.com/+JoãoSantosCaioJrvdh google.com/+VANDERHAAGENBRAZILvdh Video http://youtu.be/woonaiFJQwY VAN DER HAAGEN BRAZI Instagram https://instagram.com/clinicascaio/ Google Maps: http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=- 23.578256,46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie =UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t = h&z=17