Educação Especial em uma perspectiva inclusiva.

2.126 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.126
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
274
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Educação Especial em uma perspectiva inclusiva.

  1. 1. PÚBLICO ALVO DA EDUCAÇÃO ESPECIAL
  2. 2. aqueles com impedimentos de longoprazo de natureza física, intelectual ousensorial que podem terobstruída/dificultada sua par ticipaçãoplena e efetiva na sociedade diante debarreiras que esta lhes impõem (ONU,2006).
  3. 3. ALUNOS COM TRANSTORNOS GLOBAIS DO DESENVOLVIMENTOaqueles que apresentam um quadro dealterações no desenvolvimentoneuropsicomotor, comprometimento nasrelações sociais, na comunicação ouestereotipias motoras.Incluem-se nessa definição alunos comautismo clássico, síndrome de Asperger,síndrome de Rett, transtornodesintegrativo da infância (psicoseinfantil) e transtornos invasivos sem outraespecificação (MEC/SEESP, 2008)
  4. 4. ALUNOS COM ALTAS HABILIDADES/SUPERDOTAÇÃOApresentam um potencial elevado egrande desenvolvimento com a áreas doconhecimento humano, isoladas oucombinadas: intelectual, liderança,psicomotoras, ar tes e criatividade.Estes alunos devem ter a opor tunidade depar ticipar de atividades deenriquecimento curricular desenvolvidasno âmbito de suas escolas em inter facecom as instituições de ensino superiorentre outros.
  5. 5. É IMPORTANTE FAZERMOS DISTINÇÃO ENTRE O ALUNO INTELIGENTEE O ALUNO SUPERDOTADO, PARA NÃO FAZER CONFUSÃO NA HORADOS ENCAMINHAMENTOS E DA IDENTIFICAÇÃO.
  6. 6. SERVIÇOS DA EDUCAÇÃO ESPECIAL*Atendimento Educacional Especializado nas Salas deRecursos Multifuncionais*Atendimento Educacional Especializadode Professor Itinerante em ambiente Domiciliar* Atendimento Educacional Especializadode Professor Itinerante em ambiente Hospitalar*Professor de apoio pedagógico em sala de aula comum*Professor Instrutor Mediador em LIBRAS*Intérprete de Libras
  7. 7. RESOLUÇÃO Nº 4, DE 2 DE OUTUBRO DE 2009Institui Diretrizes Operacionais para oAtendimento Educacional Especializadona Educação Básica, modalidadeEducação Especial.
  8. 8. AEE - ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADOÉ um ser viço da educação especial que[...] identifica, elabora, e organizarecursos pedagógicos e de acessibilidade,que eliminem as barreiras para a plenapar ticipação dos alunos, considerandosuas necessidades específicas(SEESP/MEC, 2008).
  9. 9. *Elaboração, execução e avaliação do planode AEE;*Implementação, acompanhamento eavaliação da funcionalidade e aplicabilidadedos recursos pedagógicos e de acessibilidadeno AEE e na sala de aula comum.
  10. 10. *Atuação colaborativa com o professor daclasse comum; *Orientação às famílias para o envolvimentoe participação no processo educacional; *Informação à comunidade escolar acercada legislação e normas que assegurem ainclusão educacional
  11. 11. DECRETO Nº 7.611 , DE 17 DE NOVEMBRO DE 2011 .Art. 3º São objetivos do atendimento educacional especializado :I - prover condições de acesso, participação e aprendizagem no ensinoregular e garantir serviços deapoio especializados de acordo com as necessidades individuais dos estudantes;II - garantir a transversalidade das ações da educação especial no ensino regular;III - fomentar o desenvolvimento de recursos didáticos e pedagógicosque eliminem as barreiras noprocesso de ensino e aprendizagem; eIV - assegurar condições para a continuidade de estudos nos demais níveis, etapas e modalidades de ensino.
  12. 12. A condição de deficiência intelectual não podepredeterminar qual será o limite de desenvolvimento doindivíduo. A educação na área da deficiência intelectualdeve atender às suas especificidades sem se desviardos princípios básicos da educação proposta às demaispessoas. Assim sendo, os princípios inclusivistasapontam que elas devem frequentar desde cedo àescola, a qual deve valorizar, sobretudo, os acertos dacriança, trabalhando sobre suas potencialidades paravencer as dificuldades (OLIVEIRA, 2008).
  13. 13. Respeito às diferenças e a diversidade humanaA diferença entre as pessoas é um princípio básico e nenhuma forma de discriminação pode ser tolerada.

×