SlideShare uma empresa Scribd logo
AS FASES DO LUTO
Elisabeth Kubler - Ross
MARCOS NATAL DOS SANTOS
PSICÓLOGO
CRP 06/ 115020
LUTO
O luto é uma reação emocional a uma perda significativa. É um processo natural e
um modo de recuperação emocional face à perda.
- morte de alguém
- fim de um relacionamento.
- alguém próximo com doença crônica ou emocional.
- perda de um emprego, segurança econômica ou curso que gostava
- morte de um animal de estimação.
- mudança negativa em relação à saúde física ou mental.
DIFICULDADES
Negação e dificuldade em lidar com o tema,
pois nos leva a pensar em nossas dores e em
nossa própria morte.
Pessoas não morrem mais em casa, mas nos
hospitais, longe dos olhos dos familiares.
AS FASES DO LUTO
Negação e isolamento
Raiva
Barganha
Depressão
Aceitação
Estágios nem sempre ocorrem nessa ordem, nem todas são
experimentados, mas pelo dois as pessoas irão vivenciar.
NEGAÇÃO E
ISOLAMENTO
Negação do que está acontecendo. Defesa
contra a dor da perda.
Necessidade de se isolar
Intensidade e duração depende a importância
da perda, de como a pessoa e os outros ao
redor sofrem
Essa fase não persiste por muito tempo.
RAIVA
Não é mais possível negar e se isolar.
Sentimento de raiva pelo que está
acontecendo.
Os relacionamentos se tornam difícies e o
ambiente passa a ser hostilizado.
Surgem também sentimentos de revolta,
inveja e ressentimento.
BARGANHA
Percepção de que a raiva não resolve a
situação.
Tentativa de negociação com o que se julga
ser o responsável pela situação.
Promessas e pactos, muitas vezes em
segredo, são muito comuns nessa fase.
DEPRESSÃO
Tristeza, desolamento, culpa, desesperança e medo
são sentimentos comuns.
Percepção de que a revolta e a barganha não
resolveram.
Consciência da debilidade física.
Sentimento de que há muitas coisas a serem
resolvidas.
ACEITAÇÃO
A pessoa não nega a realidade e não se desespera.
Enfrentamento da situação com dignidade e
consciência das possibilidades e limitações.
Sentimento de paz, mas não de felicidade.
Sensação de dever cumprido.
LIDANDO COM O
LUTO
Necessidade de diálogo e escuta.
Esperança de cura.
Esperança de vida após a morte.
Esperança de reencontrar pessoas queridas já
falecidas.
Rituais como velório e enterro ajudam na
elaboração e aceitação da perda.
LIDANDO COM O
LUTO
Sentimento de culpa por achar que não fez o
suficiente pela pessoa que faleceu
Crianças podem se sentir culpadas quando os
pais ou irmãos morrem.
Ajuda profissional caso o luto não seja
elaborado ou persista por muito tempo.
FIM
OBRIGADO!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cuidando de quem cuida: a saúde mental dos profissionais da saúde
Cuidando de quem cuida: a saúde mental dos profissionais da saúdeCuidando de quem cuida: a saúde mental dos profissionais da saúde
Cuidando de quem cuida: a saúde mental dos profissionais da saúde
Vida Mental Consultoria de Saúde Mental e Nutricional
 
Psicologia hospitalar
Psicologia hospitalarPsicologia hospitalar
Psicologia hospitalar
GEDRBRASIL_ESTUDANDORARAS
 
Saúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidade
Saúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidadeSaúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidade
Saúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidade
Aroldo Gavioli
 
saude mental
saude mental saude mental
saude mental
IsabeldaCosta5
 
História da psiquiatria aula 1
História da psiquiatria   aula 1História da psiquiatria   aula 1
História da psiquiatria aula 1
Shirley Kellen Ferreira
 
Psicologia aplicada a enfermagem
Psicologia aplicada a enfermagem Psicologia aplicada a enfermagem
Psicologia aplicada a enfermagem
Maria Gabriela Gomes Cavalcante
 
Palestra "cuidados paliativos"
Palestra "cuidados paliativos" Palestra "cuidados paliativos"
Palestra "cuidados paliativos"
areacuidadospaliativos
 
Psicologia e morte
Psicologia e mortePsicologia e morte
Psicologia e morte
Ana Patricia Borges
 
Morte E Luto No Contexto Hospitalar
Morte E Luto No Contexto HospitalarMorte E Luto No Contexto Hospitalar
Morte E Luto No Contexto Hospitalar
Washington Costa
 
Quem cuida do cuidador?
Quem cuida do cuidador?Quem cuida do cuidador?
Quem cuida do cuidador?
Juliana Calixto
 
Transtornos ansiosos
Transtornos ansiososTranstornos ansiosos
Transtornos ansiosos
Aroldo Gavioli
 
Morte e Luto
Morte e Luto Morte e Luto
Morte e Luto
KARINA ROCHA GALDF
 
Aula 11 a morte e o luto2
Aula 11 a morte e o luto2Aula 11 a morte e o luto2
Aula 11 a morte e o luto2
Futuros Medicos
 
O profissional da saúde diante da morte
O profissional da  saúde diante da morteO profissional da  saúde diante da morte
O profissional da saúde diante da morte
Marian de Souza
 
Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental
 Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental
Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental
Lorena Albuquerque Vieira
 
Noçõe de psicologia - téc enfermagem 1ª aula
Noçõe de psicologia - téc enfermagem  1ª aulaNoçõe de psicologia - téc enfermagem  1ª aula
Noçõe de psicologia - téc enfermagem 1ª aula
Gabriel Jefferson Oliveira
 
Palestra Depressão e Ansiedade
Palestra Depressão e AnsiedadePalestra Depressão e Ansiedade
Palestra Depressão e Ansiedade
Renata Pimentel
 
Transtornos mentais comuns e somatização
Transtornos mentais comuns e somatização Transtornos mentais comuns e somatização
Transtornos mentais comuns e somatização
Inaiara Bragante
 
Ansiedade, Depressão & superação
Ansiedade, Depressão & superaçãoAnsiedade, Depressão & superação
Ansiedade, Depressão & superação
Rafael Almeida
 
Saúde Mental
Saúde MentalSaúde Mental
Saúde Mental
Andressa Macena
 

Mais procurados (20)

Cuidando de quem cuida: a saúde mental dos profissionais da saúde
Cuidando de quem cuida: a saúde mental dos profissionais da saúdeCuidando de quem cuida: a saúde mental dos profissionais da saúde
Cuidando de quem cuida: a saúde mental dos profissionais da saúde
 
Psicologia hospitalar
Psicologia hospitalarPsicologia hospitalar
Psicologia hospitalar
 
Saúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidade
Saúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidadeSaúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidade
Saúde mental, desenvolvimento e transtornos da personalidade
 
saude mental
saude mental saude mental
saude mental
 
História da psiquiatria aula 1
História da psiquiatria   aula 1História da psiquiatria   aula 1
História da psiquiatria aula 1
 
Psicologia aplicada a enfermagem
Psicologia aplicada a enfermagem Psicologia aplicada a enfermagem
Psicologia aplicada a enfermagem
 
Palestra "cuidados paliativos"
Palestra "cuidados paliativos" Palestra "cuidados paliativos"
Palestra "cuidados paliativos"
 
Psicologia e morte
Psicologia e mortePsicologia e morte
Psicologia e morte
 
Morte E Luto No Contexto Hospitalar
Morte E Luto No Contexto HospitalarMorte E Luto No Contexto Hospitalar
Morte E Luto No Contexto Hospitalar
 
Quem cuida do cuidador?
Quem cuida do cuidador?Quem cuida do cuidador?
Quem cuida do cuidador?
 
Transtornos ansiosos
Transtornos ansiososTranstornos ansiosos
Transtornos ansiosos
 
Morte e Luto
Morte e Luto Morte e Luto
Morte e Luto
 
Aula 11 a morte e o luto2
Aula 11 a morte e o luto2Aula 11 a morte e o luto2
Aula 11 a morte e o luto2
 
O profissional da saúde diante da morte
O profissional da  saúde diante da morteO profissional da  saúde diante da morte
O profissional da saúde diante da morte
 
Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental
 Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental
Processo histórico da psiquiatria e da saúde mental
 
Noçõe de psicologia - téc enfermagem 1ª aula
Noçõe de psicologia - téc enfermagem  1ª aulaNoçõe de psicologia - téc enfermagem  1ª aula
Noçõe de psicologia - téc enfermagem 1ª aula
 
Palestra Depressão e Ansiedade
Palestra Depressão e AnsiedadePalestra Depressão e Ansiedade
Palestra Depressão e Ansiedade
 
Transtornos mentais comuns e somatização
Transtornos mentais comuns e somatização Transtornos mentais comuns e somatização
Transtornos mentais comuns e somatização
 
Ansiedade, Depressão & superação
Ansiedade, Depressão & superaçãoAnsiedade, Depressão & superação
Ansiedade, Depressão & superação
 
Saúde Mental
Saúde MentalSaúde Mental
Saúde Mental
 

Destaque

A morte e o morrer! ( Leonardo Pereira).
A morte e o morrer! ( Leonardo Pereira). A morte e o morrer! ( Leonardo Pereira).
A morte e o morrer! ( Leonardo Pereira).
Leonardo Pereira
 
SOBRE A MORTE E O MORRER
SOBRE A MORTE E O MORRERSOBRE A MORTE E O MORRER
SOBRE A MORTE E O MORRER
Jorge Luiz dos Santos
 
Sobre A Morte E O Morrer
Sobre A Morte E O MorrerSobre A Morte E O Morrer
Sobre A Morte E O Morrer
kack
 
O doente oncológico em fase terminal
O doente oncológico em fase terminalO doente oncológico em fase terminal
O doente oncológico em fase terminal
Pelo Siro
 
Paciente em fase terminal
Paciente em fase terminalPaciente em fase terminal
Paciente em fase terminal
Rodrigo Abreu
 
Aula 1 o ..
Aula 1 o ..Aula 1 o ..
Aula 1 o ..
Vanessa Farias
 

Destaque (6)

A morte e o morrer! ( Leonardo Pereira).
A morte e o morrer! ( Leonardo Pereira). A morte e o morrer! ( Leonardo Pereira).
A morte e o morrer! ( Leonardo Pereira).
 
SOBRE A MORTE E O MORRER
SOBRE A MORTE E O MORRERSOBRE A MORTE E O MORRER
SOBRE A MORTE E O MORRER
 
Sobre A Morte E O Morrer
Sobre A Morte E O MorrerSobre A Morte E O Morrer
Sobre A Morte E O Morrer
 
O doente oncológico em fase terminal
O doente oncológico em fase terminalO doente oncológico em fase terminal
O doente oncológico em fase terminal
 
Paciente em fase terminal
Paciente em fase terminalPaciente em fase terminal
Paciente em fase terminal
 
Aula 1 o ..
Aula 1 o ..Aula 1 o ..
Aula 1 o ..
 

Semelhante a As fases do luto

A elaboração da morte
A elaboração da morteA elaboração da morte
A elaboração da morte
Doroteia Múrcia Souza
 
As 5 fases do luto.docx
As 5 fases do luto.docxAs 5 fases do luto.docx
As 5 fases do luto.docx
RoseliGeaVerissimoFe
 
Instituto Espírita de Educação - Perdas e Luto
Instituto Espírita de Educação - Perdas e LutoInstituto Espírita de Educação - Perdas e Luto
Instituto Espírita de Educação - Perdas e Luto
Instituto Espírita de Educação
 
Fases do luto
Fases do lutoFases do luto
Fases do luto
Marcos Dias
 
A morte - Curso de Escatologia (6)
A morte - Curso de Escatologia (6)A morte - Curso de Escatologia (6)
A morte - Curso de Escatologia (6)
Afonso Murad (FAJE)
 
00.FALTA_Psicologia_da_Morte.pdf
00.FALTA_Psicologia_da_Morte.pdf00.FALTA_Psicologia_da_Morte.pdf
00.FALTA_Psicologia_da_Morte.pdf
Gabinete De Psicologia
 
Luto, perda e separação na infância
Luto, perda e separação na infânciaLuto, perda e separação na infância
Luto, perda e separação na infância
Teresa Andrade
 
Apoio Emocional
Apoio EmocionalApoio Emocional
Apoio Emocional
RichardLahoz3
 
Aula - Estou de luto
Aula -  Estou de lutoAula -  Estou de luto
Aula - Estou de luto
Ceile Bernardo
 
Síntese aula 7.pptx
Síntese aula 7.pptxSíntese aula 7.pptx
Síntese aula 7.pptx
GabrielySousa2
 
(((Vacina contra depressão)))
(((Vacina contra depressão)))(((Vacina contra depressão)))
(((Vacina contra depressão)))
Andre Lenz
 
LUTOS E PERDAS
LUTOS E PERDASLUTOS E PERDAS
LUTOS E PERDAS
Luzia Tetrault
 
Nucleovivo novo 2
Nucleovivo novo 2Nucleovivo novo 2
Nucleovivo novo 2
Cris Mattedi
 
A Compreensão espiritual dos Relacionamentos
A Compreensão espiritual dos RelacionamentosA Compreensão espiritual dos Relacionamentos
A Compreensão espiritual dos Relacionamentos
mommentumadinfinitum
 
Nucleovivo
NucleovivoNucleovivo
Nucleovivo
grizzdesign
 
Nucleovivo novo2 1
Nucleovivo novo2 1Nucleovivo novo2 1
Nucleovivo novo2 1
grizzdesign
 
A empatia do visitador e os cuidados no fim da vida
A empatia do visitador e os cuidados no fim da vidaA empatia do visitador e os cuidados no fim da vida
A empatia do visitador e os cuidados no fim da vida
Jean Francesco
 
Motivos de Resignação
Motivos de ResignaçãoMotivos de Resignação
Motivos de Resignação
Ponte de Luz ASEC
 
Como lidar com a morte
Como lidar com a morte Como lidar com a morte
Como lidar com a morte
Felipe Cruz
 
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 14 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 14 docApostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 14 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 14 doc
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 

Semelhante a As fases do luto (20)

A elaboração da morte
A elaboração da morteA elaboração da morte
A elaboração da morte
 
As 5 fases do luto.docx
As 5 fases do luto.docxAs 5 fases do luto.docx
As 5 fases do luto.docx
 
Instituto Espírita de Educação - Perdas e Luto
Instituto Espírita de Educação - Perdas e LutoInstituto Espírita de Educação - Perdas e Luto
Instituto Espírita de Educação - Perdas e Luto
 
Fases do luto
Fases do lutoFases do luto
Fases do luto
 
A morte - Curso de Escatologia (6)
A morte - Curso de Escatologia (6)A morte - Curso de Escatologia (6)
A morte - Curso de Escatologia (6)
 
00.FALTA_Psicologia_da_Morte.pdf
00.FALTA_Psicologia_da_Morte.pdf00.FALTA_Psicologia_da_Morte.pdf
00.FALTA_Psicologia_da_Morte.pdf
 
Luto, perda e separação na infância
Luto, perda e separação na infânciaLuto, perda e separação na infância
Luto, perda e separação na infância
 
Apoio Emocional
Apoio EmocionalApoio Emocional
Apoio Emocional
 
Aula - Estou de luto
Aula -  Estou de lutoAula -  Estou de luto
Aula - Estou de luto
 
Síntese aula 7.pptx
Síntese aula 7.pptxSíntese aula 7.pptx
Síntese aula 7.pptx
 
(((Vacina contra depressão)))
(((Vacina contra depressão)))(((Vacina contra depressão)))
(((Vacina contra depressão)))
 
LUTOS E PERDAS
LUTOS E PERDASLUTOS E PERDAS
LUTOS E PERDAS
 
Nucleovivo novo 2
Nucleovivo novo 2Nucleovivo novo 2
Nucleovivo novo 2
 
A Compreensão espiritual dos Relacionamentos
A Compreensão espiritual dos RelacionamentosA Compreensão espiritual dos Relacionamentos
A Compreensão espiritual dos Relacionamentos
 
Nucleovivo
NucleovivoNucleovivo
Nucleovivo
 
Nucleovivo novo2 1
Nucleovivo novo2 1Nucleovivo novo2 1
Nucleovivo novo2 1
 
A empatia do visitador e os cuidados no fim da vida
A empatia do visitador e os cuidados no fim da vidaA empatia do visitador e os cuidados no fim da vida
A empatia do visitador e os cuidados no fim da vida
 
Motivos de Resignação
Motivos de ResignaçãoMotivos de Resignação
Motivos de Resignação
 
Como lidar com a morte
Como lidar com a morte Como lidar com a morte
Como lidar com a morte
 
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 14 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 14 docApostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 14 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 14 doc
 

Último

A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 

As fases do luto

  • 1. AS FASES DO LUTO Elisabeth Kubler - Ross MARCOS NATAL DOS SANTOS PSICÓLOGO CRP 06/ 115020
  • 2. LUTO O luto é uma reação emocional a uma perda significativa. É um processo natural e um modo de recuperação emocional face à perda. - morte de alguém - fim de um relacionamento. - alguém próximo com doença crônica ou emocional. - perda de um emprego, segurança econômica ou curso que gostava - morte de um animal de estimação. - mudança negativa em relação à saúde física ou mental.
  • 3. DIFICULDADES Negação e dificuldade em lidar com o tema, pois nos leva a pensar em nossas dores e em nossa própria morte. Pessoas não morrem mais em casa, mas nos hospitais, longe dos olhos dos familiares.
  • 4. AS FASES DO LUTO Negação e isolamento Raiva Barganha Depressão Aceitação Estágios nem sempre ocorrem nessa ordem, nem todas são experimentados, mas pelo dois as pessoas irão vivenciar.
  • 5. NEGAÇÃO E ISOLAMENTO Negação do que está acontecendo. Defesa contra a dor da perda. Necessidade de se isolar Intensidade e duração depende a importância da perda, de como a pessoa e os outros ao redor sofrem Essa fase não persiste por muito tempo.
  • 6. RAIVA Não é mais possível negar e se isolar. Sentimento de raiva pelo que está acontecendo. Os relacionamentos se tornam difícies e o ambiente passa a ser hostilizado. Surgem também sentimentos de revolta, inveja e ressentimento.
  • 7. BARGANHA Percepção de que a raiva não resolve a situação. Tentativa de negociação com o que se julga ser o responsável pela situação. Promessas e pactos, muitas vezes em segredo, são muito comuns nessa fase.
  • 8. DEPRESSÃO Tristeza, desolamento, culpa, desesperança e medo são sentimentos comuns. Percepção de que a revolta e a barganha não resolveram. Consciência da debilidade física. Sentimento de que há muitas coisas a serem resolvidas.
  • 9. ACEITAÇÃO A pessoa não nega a realidade e não se desespera. Enfrentamento da situação com dignidade e consciência das possibilidades e limitações. Sentimento de paz, mas não de felicidade. Sensação de dever cumprido.
  • 10. LIDANDO COM O LUTO Necessidade de diálogo e escuta. Esperança de cura. Esperança de vida após a morte. Esperança de reencontrar pessoas queridas já falecidas. Rituais como velório e enterro ajudam na elaboração e aceitação da perda.
  • 11. LIDANDO COM O LUTO Sentimento de culpa por achar que não fez o suficiente pela pessoa que faleceu Crianças podem se sentir culpadas quando os pais ou irmãos morrem. Ajuda profissional caso o luto não seja elaborado ou persista por muito tempo.