SlideShare uma empresa Scribd logo
Trabalho de Pesquisa de
Gestão Ambiental
Resíduos Sólidos:
A Sua Gestão e as Causas da Má Destinação
Trabalho Interdisciplinar de Grupo
CHARLOTTE NOGUEIRA DA ROCHA QUIRINO
GILDERLAN DOS SANTOS LIMA
MAGALI PEIXOTO DE LIMA
MAYARA DE FATIMA DA SILVA CERQUEIRA
Universidade Norte do Paraná
Nova Iguaçu
10 de Junho de 2014
Prof.Tutor. João Carlos Melo
INTRODUÇÃO
• DEFINIÇÃO: Os resíduos sólidos urbanos (RSU's), vulgarmente
denominados por lixo urbano, são resultantes da atividade doméstica e
comercial das populações. A sua composição varia de população para
população.
• CLASSIFICAÇÃO: Todos os dias milhares de toneladas de lixo são
depositados em lugares impróprios, acumuladas em lixões que causam
problemas sociais, ambientais e econômicos para as cidades, para acabar
com o manejo inadequado de resíduos sólidos, o governo instituiu uma
política nacional que prevê a não geração, a redução, a reutilização e o
tratamento de resíduos, assim como a disposição final ambientalmente
adequada dos rejeitos, ou seja, daquilo que não pode ser reciclado ou
reutilizado. O lixo produzido em larga escala, a destinação incorreta dos
dejetos e os descaso com os lixões espalhados pelo pais, representam
um risco não só ao meio ambiente, mas a saúde da população, diante
desse cenário o que vem gerar o incentivo de fechar todos os lixões até o
ano de 2014, um verdadeiro desafio aos nossos governantes.
O gerenciamento integrado de resíduos sólidos é aquele que
completa o uso de práticas administrativas de resíduos, com
manejo seguro e efetivo, mantém o fluxo de resíduos sólidos
urbanos com o mínimo de impacto sobre a saúde pública e o
ambiente
OBJETIVO
DESENVOLVIMENTO
A lei faz a distinção entre resíduo (lixo que pode ser reaproveitado ou reciclado)
e rejeito (o que não é passível de reaproveitamento), além de se referir a todo
tipo de resíduo: doméstico, industrial, da construção civil, eletroeletrônico,
lâmpadas de vapores mercuriais, da área de saúde e perigoso.
Buscando melhorar o acondicionamento:
•a coleta,
•o tratamento,
•o transporte
•a destinação final
Foi apresentado um projeto de lei ao Senado Federal. Quase duas décadas de
tramitação de projetos relacionados ao tema, se viabilizou a Lei nº 12.305
sancionada pelo então Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva em 02
de agosto de 2010 que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos e altera
a Lei nº 9.605 de 12 de fevereiro de 1998
Também existem classificações mais específicas para uso de
determinados grupos que têm por restos de suas operações,
resíduos mais delicados ou perigosos.
Podemos ainda ter o lixo hospitalar, industrial, agrícola, ou entulho,
o qual a responsabilidade, atualmente, pertence àquele que gera.
Seguem alguns exemplos:
• O lixo domiciliarlixo domiciliar, também chamado de doméstico ou residencial é aquele
produzido nas residências, composto de restos de comida, jornais e revistas
velhos, papéis em geral, embalagens, etc.
•O comercialcomercial é produzido em estabelecimentos comerciais e prestadores de
serviço, composto especialmente por papéis, papelões e plásticos.
• O públicopúblico, quando provém dos serviços públicos, como limpeza urbana,
limpeza de áreas de feiras livres, resíduos da varrição, capina, raspagem etc.
• O hospitalarhospitalar, produzido em hospitais, postos de saúde, clínicas médicas e
ambulatórios, é considerado perigoso, por conter materiais infecciosos e haver
riscos de contaminação.
•O industrialindustrial, resultante das atividades industriais, varia de acordo com o tipo
de indústria, assim, indústrias metalúrgicas, alimentícias, químicas têm um lixo
bem diferente. Restos de carvão mineral, cinzas, lodo, escórias, restos de
alimentos, são alguns deles.
• A relação entre resíduos:A relação entre resíduos:
A relação entre resíduos e problemas ambientais é mais evidente no campo de
resíduos sólidos, uma vez que seu grau de dispersão é menor do que os
líquidos e gasosos. Podemos facilmente avaliar o problema observando a
quantidade de resíduos produzidos em diversas casas e indústrias, que de
alguma forma devem ser dispostos. Diferentemente dos resíduos líquidos e
gasosos, os resíduos sólidos são produzidos fartamente pela população da área
urbana.
• RESÍDUOS SÓLIDOS E AS CAUSAS DA SUA MÁ DESTINAÇÃO:
Com o acúmulo de lixos nas encostas dos principais rios que deságuam na
Bahia de Guanabara, tem sido uma das principais causas de enchentes e
alagamentos no Rio de Janeiro, nos períodos de muitas chuvas, podemos ver
o descaso com a prevenção dessas catástrofes que gera muitas perdas
principalmente a famílias de baixa renda, que perdem praticamente todos os
móveis e eletrodomésticos com as inundações.
Deve–se realizar inspeções, implementar programas de conscientização do
cidadão incentivar ONG´s que desenvolvem projetos de reciclagens, formas
de reaproveitamento do lixo na sua forma sustentável, tornando os parceiros
do meio ambiente e minimizando os impactos ambientais. Implementando
políticas públicas com sustentabilidade ambiental para a região, caso contrário,
novos problemas de enchentes continuaram a ocorrer com as futuras chuvas
intensas que voltarão a se precipitar no futuro. Se a situação se mantiver como
está, é tragédia anunciada.
CONCLUSÃO
APÊNDICE - Todo projeto de pesquisa teve como sua principal
fonte extraída pela internet.
BIBLIOGRAFIA
BRASIL. Lei n. 12.305, de 02 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional
de Resíduos Sólidos; altera a Lei no
9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá
outras providências. Disponível em:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm.
Acesso em: 23 maio 2014.
WIKIPÉDIA. Ecoeficiência. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ecoefici
%C3%AAncia. Acesso em: 23 maio 2014.
EUROPA. Sínteses da legislação da EU. Ambiente. Gestão de resíduos.
Disponível em:
http://europa.eu/legislation_summaries/environment/waste_management/ev00
10_pt.htm. Acesso em: 23 maio 2014.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

ARTIGO: IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS DO LIXO
ARTIGO: IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS DO LIXOARTIGO: IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS DO LIXO
ARTIGO: IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS DO LIXO
aldrichgodeiro
 
Educação: Conscientização da coleta seletiva.
Educação: Conscientização da coleta seletiva.Educação: Conscientização da coleta seletiva.
Educação: Conscientização da coleta seletiva.
ayanne9945
 
Slide coleta seletiva
Slide coleta seletivaSlide coleta seletiva
Resíduos sólidos e seus impactos no meio ambiente/Manaus
 Resíduos sólidos e seus impactos no meio ambiente/Manaus Resíduos sólidos e seus impactos no meio ambiente/Manaus
Resíduos sólidos e seus impactos no meio ambiente/Manaus
Joyce Nascimento
 
O problema dos resíduos
O problema dos resíduosO problema dos resíduos
O problema dos resíduos
Mayjö .
 
O lixo reciclável e a coleta seletiva
O lixo reciclável e a coleta seletivaO lixo reciclável e a coleta seletiva
O lixo reciclável e a coleta seletiva
macrina121
 
Cartilha Coleta Seletiva em Comunidade Empresas, Escola e Condomínio
Cartilha Coleta Seletiva em Comunidade Empresas, Escola e CondomínioCartilha Coleta Seletiva em Comunidade Empresas, Escola e Condomínio
Cartilha Coleta Seletiva em Comunidade Empresas, Escola e Condomínio
Hawston Pedrosa
 
Reciclagem
ReciclagemReciclagem
Aumento da produção de lixo no brasil requer ação coordenada entre governos e...
Aumento da produção de lixo no brasil requer ação coordenada entre governos e...Aumento da produção de lixo no brasil requer ação coordenada entre governos e...
Aumento da produção de lixo no brasil requer ação coordenada entre governos e...
ProfessorRogerioSant
 
Desafio profissional teoria da contabilidade, ciências sociais e responsabil...
Desafio profissional teoria da contabilidade, ciências sociais e  responsabil...Desafio profissional teoria da contabilidade, ciências sociais e  responsabil...
Desafio profissional teoria da contabilidade, ciências sociais e responsabil...
Ana Genesy
 
Coleta seletiva
Coleta seletivaColeta seletiva
Desafio profissional
Desafio profissionalDesafio profissional
Desafio profissional
Camila Possari
 
Problemas ambientais e a reciclagem
Problemas ambientais e a reciclagemProblemas ambientais e a reciclagem
Problemas ambientais e a reciclagem
Genilson Da Mata Silva
 
A importância da reciclagem 2 b
A importância da reciclagem 2 bA importância da reciclagem 2 b
A importância da reciclagem 2 b
lidimariano79
 
Coleta seletiva
Coleta seletivaColeta seletiva
Coleta seletiva
ProfessorRogerioSant
 
Projeto valores sustentabilidade
Projeto valores sustentabilidadeProjeto valores sustentabilidade
Projeto valores sustentabilidade
Delziene Jesus
 
Gerenciamento de Resíduos Sólidos
 Gerenciamento de Resíduos Sólidos Gerenciamento de Resíduos Sólidos
Gerenciamento de Resíduos Sólidos
Master Ambiental
 
Residúos Sólidos
Residúos SólidosResidúos Sólidos
Residúos Sólidos
FATEC Cariri
 
Resíduos sólidos urbanos
Resíduos sólidos urbanos Resíduos sólidos urbanos
Resíduos sólidos urbanos
Diego Righi
 
Coleta seletiva como fazer
Coleta seletiva como fazerColeta seletiva como fazer
Coleta seletiva como fazer
calixtomanager
 

Mais procurados (20)

ARTIGO: IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS DO LIXO
ARTIGO: IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS DO LIXOARTIGO: IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS DO LIXO
ARTIGO: IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS DO LIXO
 
Educação: Conscientização da coleta seletiva.
Educação: Conscientização da coleta seletiva.Educação: Conscientização da coleta seletiva.
Educação: Conscientização da coleta seletiva.
 
Slide coleta seletiva
Slide coleta seletivaSlide coleta seletiva
Slide coleta seletiva
 
Resíduos sólidos e seus impactos no meio ambiente/Manaus
 Resíduos sólidos e seus impactos no meio ambiente/Manaus Resíduos sólidos e seus impactos no meio ambiente/Manaus
Resíduos sólidos e seus impactos no meio ambiente/Manaus
 
O problema dos resíduos
O problema dos resíduosO problema dos resíduos
O problema dos resíduos
 
O lixo reciclável e a coleta seletiva
O lixo reciclável e a coleta seletivaO lixo reciclável e a coleta seletiva
O lixo reciclável e a coleta seletiva
 
Cartilha Coleta Seletiva em Comunidade Empresas, Escola e Condomínio
Cartilha Coleta Seletiva em Comunidade Empresas, Escola e CondomínioCartilha Coleta Seletiva em Comunidade Empresas, Escola e Condomínio
Cartilha Coleta Seletiva em Comunidade Empresas, Escola e Condomínio
 
Reciclagem
ReciclagemReciclagem
Reciclagem
 
Aumento da produção de lixo no brasil requer ação coordenada entre governos e...
Aumento da produção de lixo no brasil requer ação coordenada entre governos e...Aumento da produção de lixo no brasil requer ação coordenada entre governos e...
Aumento da produção de lixo no brasil requer ação coordenada entre governos e...
 
Desafio profissional teoria da contabilidade, ciências sociais e responsabil...
Desafio profissional teoria da contabilidade, ciências sociais e  responsabil...Desafio profissional teoria da contabilidade, ciências sociais e  responsabil...
Desafio profissional teoria da contabilidade, ciências sociais e responsabil...
 
Coleta seletiva
Coleta seletivaColeta seletiva
Coleta seletiva
 
Desafio profissional
Desafio profissionalDesafio profissional
Desafio profissional
 
Problemas ambientais e a reciclagem
Problemas ambientais e a reciclagemProblemas ambientais e a reciclagem
Problemas ambientais e a reciclagem
 
A importância da reciclagem 2 b
A importância da reciclagem 2 bA importância da reciclagem 2 b
A importância da reciclagem 2 b
 
Coleta seletiva
Coleta seletivaColeta seletiva
Coleta seletiva
 
Projeto valores sustentabilidade
Projeto valores sustentabilidadeProjeto valores sustentabilidade
Projeto valores sustentabilidade
 
Gerenciamento de Resíduos Sólidos
 Gerenciamento de Resíduos Sólidos Gerenciamento de Resíduos Sólidos
Gerenciamento de Resíduos Sólidos
 
Residúos Sólidos
Residúos SólidosResidúos Sólidos
Residúos Sólidos
 
Resíduos sólidos urbanos
Resíduos sólidos urbanos Resíduos sólidos urbanos
Resíduos sólidos urbanos
 
Coleta seletiva como fazer
Coleta seletiva como fazerColeta seletiva como fazer
Coleta seletiva como fazer
 

Semelhante a Apresentação trab. em grupo slides

Gestão de Resíduos Sólidos no Brasil: Principais desafios de Angola e São Tom...
Gestão de Resíduos Sólidos no Brasil: Principais desafios de Angola e São Tom...Gestão de Resíduos Sólidos no Brasil: Principais desafios de Angola e São Tom...
Gestão de Resíduos Sólidos no Brasil: Principais desafios de Angola e São Tom...
Paulino Lopes
 
oekobr
oekobroekobr
oekobr
alexandroesp
 
Oekobr - 2010
Oekobr - 2010Oekobr - 2010
Oekobr - 2010
clarkj_s
 
123
123123
Lixo em são paulo2
Lixo em são paulo2Lixo em são paulo2
Lixo em são paulo2
dacnorte1
 
TCF sobre O lixo e os impactos no ambiente e na saúde da população de gamelei...
TCF sobre O lixo e os impactos no ambiente e na saúde da população de gamelei...TCF sobre O lixo e os impactos no ambiente e na saúde da população de gamelei...
TCF sobre O lixo e os impactos no ambiente e na saúde da população de gamelei...
Marcia Oliveira
 
PGRS Arroio dos Ratos
PGRS Arroio dos RatosPGRS Arroio dos Ratos
PGRS Arroio dos Ratos
Sâmara Gomes
 
Problemas ambientais que envolvem água
Problemas ambientais que envolvem águaProblemas ambientais que envolvem água
Problemas ambientais que envolvem água
Dayane Almeida
 
Resíduos sólidos indústriais Fastweld
Resíduos sólidos indústriais FastweldResíduos sólidos indústriais Fastweld
Resíduos sólidos indústriais Fastweld
Carlos Eduardo Almeida Silva
 
As cidades sustentáveis do brasil.pptx ana laura joão vitor - mariana e natalia
As cidades sustentáveis do brasil.pptx ana laura  joão vitor - mariana e nataliaAs cidades sustentáveis do brasil.pptx ana laura  joão vitor - mariana e natalia
As cidades sustentáveis do brasil.pptx ana laura joão vitor - mariana e natalia
norivalfp
 
Boas praticas de consumo sustentavel
Boas praticas de consumo sustentavelBoas praticas de consumo sustentavel
Boas praticas de consumo sustentavel
Murilo Cesar
 
Aula 06 de ciências humanas e suas tecnologias
Aula 06 de ciências humanas e suas tecnologiasAula 06 de ciências humanas e suas tecnologias
Aula 06 de ciências humanas e suas tecnologias
Homero Alves de Lima
 
O Habito faz o Lixo - Saiba o que são Resíduos Sólidos Urbanos ou RSU
O Habito faz o Lixo -  Saiba o que são Resíduos Sólidos Urbanos ou RSUO Habito faz o Lixo -  Saiba o que são Resíduos Sólidos Urbanos ou RSU
O Habito faz o Lixo - Saiba o que são Resíduos Sólidos Urbanos ou RSU
ALESP - Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo
 
Resíduos Sólidos
Resíduos SólidosResíduos Sólidos
Resíduos Sólidos
Adminefa
 
Cartilha PNRS
Cartilha PNRSCartilha PNRS
Cartilha PNRS
Amanda Selivon
 
Ciência Equatorial - ISSN 2179-9563 - V1N2 2011
Ciência Equatorial - ISSN 2179-9563 - V1N2 2011Ciência Equatorial - ISSN 2179-9563 - V1N2 2011
Ciência Equatorial - ISSN 2179-9563 - V1N2 2011
Flávio Henrique Ferreira Barbosa
 
Coleta Seletiva de Lixo Urbano no Rio de Janeiro
Coleta Seletiva de Lixo Urbano no Rio de JaneiroColeta Seletiva de Lixo Urbano no Rio de Janeiro
Coleta Seletiva de Lixo Urbano no Rio de Janeiro
Maira Teixeira
 
Dimensionamento de aterros sanitários
Dimensionamento de aterros sanitáriosDimensionamento de aterros sanitários
Dimensionamento de aterros sanitários
Carlos Elson Cunha
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
dacnorte1
 
áGua e cidadania
áGua e cidadaniaáGua e cidadania

Semelhante a Apresentação trab. em grupo slides (20)

Gestão de Resíduos Sólidos no Brasil: Principais desafios de Angola e São Tom...
Gestão de Resíduos Sólidos no Brasil: Principais desafios de Angola e São Tom...Gestão de Resíduos Sólidos no Brasil: Principais desafios de Angola e São Tom...
Gestão de Resíduos Sólidos no Brasil: Principais desafios de Angola e São Tom...
 
oekobr
oekobroekobr
oekobr
 
Oekobr - 2010
Oekobr - 2010Oekobr - 2010
Oekobr - 2010
 
123
123123
123
 
Lixo em são paulo2
Lixo em são paulo2Lixo em são paulo2
Lixo em são paulo2
 
TCF sobre O lixo e os impactos no ambiente e na saúde da população de gamelei...
TCF sobre O lixo e os impactos no ambiente e na saúde da população de gamelei...TCF sobre O lixo e os impactos no ambiente e na saúde da população de gamelei...
TCF sobre O lixo e os impactos no ambiente e na saúde da população de gamelei...
 
PGRS Arroio dos Ratos
PGRS Arroio dos RatosPGRS Arroio dos Ratos
PGRS Arroio dos Ratos
 
Problemas ambientais que envolvem água
Problemas ambientais que envolvem águaProblemas ambientais que envolvem água
Problemas ambientais que envolvem água
 
Resíduos sólidos indústriais Fastweld
Resíduos sólidos indústriais FastweldResíduos sólidos indústriais Fastweld
Resíduos sólidos indústriais Fastweld
 
As cidades sustentáveis do brasil.pptx ana laura joão vitor - mariana e natalia
As cidades sustentáveis do brasil.pptx ana laura  joão vitor - mariana e nataliaAs cidades sustentáveis do brasil.pptx ana laura  joão vitor - mariana e natalia
As cidades sustentáveis do brasil.pptx ana laura joão vitor - mariana e natalia
 
Boas praticas de consumo sustentavel
Boas praticas de consumo sustentavelBoas praticas de consumo sustentavel
Boas praticas de consumo sustentavel
 
Aula 06 de ciências humanas e suas tecnologias
Aula 06 de ciências humanas e suas tecnologiasAula 06 de ciências humanas e suas tecnologias
Aula 06 de ciências humanas e suas tecnologias
 
O Habito faz o Lixo - Saiba o que são Resíduos Sólidos Urbanos ou RSU
O Habito faz o Lixo -  Saiba o que são Resíduos Sólidos Urbanos ou RSUO Habito faz o Lixo -  Saiba o que são Resíduos Sólidos Urbanos ou RSU
O Habito faz o Lixo - Saiba o que são Resíduos Sólidos Urbanos ou RSU
 
Resíduos Sólidos
Resíduos SólidosResíduos Sólidos
Resíduos Sólidos
 
Cartilha PNRS
Cartilha PNRSCartilha PNRS
Cartilha PNRS
 
Ciência Equatorial - ISSN 2179-9563 - V1N2 2011
Ciência Equatorial - ISSN 2179-9563 - V1N2 2011Ciência Equatorial - ISSN 2179-9563 - V1N2 2011
Ciência Equatorial - ISSN 2179-9563 - V1N2 2011
 
Coleta Seletiva de Lixo Urbano no Rio de Janeiro
Coleta Seletiva de Lixo Urbano no Rio de JaneiroColeta Seletiva de Lixo Urbano no Rio de Janeiro
Coleta Seletiva de Lixo Urbano no Rio de Janeiro
 
Dimensionamento de aterros sanitários
Dimensionamento de aterros sanitáriosDimensionamento de aterros sanitários
Dimensionamento de aterros sanitários
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
áGua e cidadania
áGua e cidadaniaáGua e cidadania
áGua e cidadania
 

Mais de João Silva

Trabalho Interdisciplinar de Grupo - Logística
Trabalho Interdisciplinar de Grupo - LogísticaTrabalho Interdisciplinar de Grupo - Logística
Trabalho Interdisciplinar de Grupo - Logística
João Silva
 
Gestão Pública
Gestão PúblicaGestão Pública
Gestão Pública
João Silva
 
Extra supermercado
Extra supermercadoExtra supermercado
Extra supermercado
João Silva
 
Apresentação 3 periodo
Apresentação 3 periodoApresentação 3 periodo
Apresentação 3 periodo
João Silva
 
T.I.G - Administração - Matutino - sábado
T.I.G - Administração - Matutino - sábadoT.I.G - Administração - Matutino - sábado
T.I.G - Administração - Matutino - sábado
João Silva
 
T.I.G - Gestão em Marketing
T.I.G - Gestão em MarketingT.I.G - Gestão em Marketing
T.I.G - Gestão em Marketing
João Silva
 
T.I.G Gestão em Logística.
T.I.G Gestão em Logística.T.I.G Gestão em Logística.
T.I.G Gestão em Logística.
João Silva
 
T.I.G Gestão Pública
T.I.G Gestão PúblicaT.I.G Gestão Pública
T.I.G Gestão Pública
João Silva
 
T.I.G - Gestão Ambiental
T.I.G - Gestão AmbientalT.I.G - Gestão Ambiental
T.I.G - Gestão Ambiental
João Silva
 
Processos Gerenciais - Trabalho Interdisciplinar de Grupo
Processos Gerenciais - Trabalho Interdisciplinar de GrupoProcessos Gerenciais - Trabalho Interdisciplinar de Grupo
Processos Gerenciais - Trabalho Interdisciplinar de Grupo
João Silva
 
Trabalho de Contabilidade na Gestão Pública
Trabalho de Contabilidade na Gestão PúblicaTrabalho de Contabilidade na Gestão Pública
Trabalho de Contabilidade na Gestão Pública
João Silva
 
Contabilidade no setor público
Contabilidade no setor públicoContabilidade no setor público
Contabilidade no setor público
João Silva
 
Slides T.I.G coca cola formato atualizado
Slides  T.I.G coca cola formato atualizado Slides  T.I.G coca cola formato atualizado
Slides T.I.G coca cola formato atualizado
João Silva
 
Dliramodas
DliramodasDliramodas
Dliramodas
João Silva
 
Trabalho T.I.G barriga ok
Trabalho T.I.G barriga okTrabalho T.I.G barriga ok
Trabalho T.I.G barriga ok
João Silva
 
Excelência em gestão pública portifólio unopar (1)
Excelência em gestão pública   portifólio unopar (1)Excelência em gestão pública   portifólio unopar (1)
Excelência em gestão pública portifólio unopar (1)
João Silva
 
Excelência em gestão pública portifólio unopar
Excelência em gestão pública   portifólio unoparExcelência em gestão pública   portifólio unopar
Excelência em gestão pública portifólio unopar
João Silva
 
Slide atividade interdisciplinar em grupo
Slide   atividade interdisciplinar em grupoSlide   atividade interdisciplinar em grupo
Slide atividade interdisciplinar em grupo
João Silva
 
T.I.G
T.I.GT.I.G
Apresentação unopar cópia
Apresentação unopar   cópiaApresentação unopar   cópia
Apresentação unopar cópia
João Silva
 

Mais de João Silva (20)

Trabalho Interdisciplinar de Grupo - Logística
Trabalho Interdisciplinar de Grupo - LogísticaTrabalho Interdisciplinar de Grupo - Logística
Trabalho Interdisciplinar de Grupo - Logística
 
Gestão Pública
Gestão PúblicaGestão Pública
Gestão Pública
 
Extra supermercado
Extra supermercadoExtra supermercado
Extra supermercado
 
Apresentação 3 periodo
Apresentação 3 periodoApresentação 3 periodo
Apresentação 3 periodo
 
T.I.G - Administração - Matutino - sábado
T.I.G - Administração - Matutino - sábadoT.I.G - Administração - Matutino - sábado
T.I.G - Administração - Matutino - sábado
 
T.I.G - Gestão em Marketing
T.I.G - Gestão em MarketingT.I.G - Gestão em Marketing
T.I.G - Gestão em Marketing
 
T.I.G Gestão em Logística.
T.I.G Gestão em Logística.T.I.G Gestão em Logística.
T.I.G Gestão em Logística.
 
T.I.G Gestão Pública
T.I.G Gestão PúblicaT.I.G Gestão Pública
T.I.G Gestão Pública
 
T.I.G - Gestão Ambiental
T.I.G - Gestão AmbientalT.I.G - Gestão Ambiental
T.I.G - Gestão Ambiental
 
Processos Gerenciais - Trabalho Interdisciplinar de Grupo
Processos Gerenciais - Trabalho Interdisciplinar de GrupoProcessos Gerenciais - Trabalho Interdisciplinar de Grupo
Processos Gerenciais - Trabalho Interdisciplinar de Grupo
 
Trabalho de Contabilidade na Gestão Pública
Trabalho de Contabilidade na Gestão PúblicaTrabalho de Contabilidade na Gestão Pública
Trabalho de Contabilidade na Gestão Pública
 
Contabilidade no setor público
Contabilidade no setor públicoContabilidade no setor público
Contabilidade no setor público
 
Slides T.I.G coca cola formato atualizado
Slides  T.I.G coca cola formato atualizado Slides  T.I.G coca cola formato atualizado
Slides T.I.G coca cola formato atualizado
 
Dliramodas
DliramodasDliramodas
Dliramodas
 
Trabalho T.I.G barriga ok
Trabalho T.I.G barriga okTrabalho T.I.G barriga ok
Trabalho T.I.G barriga ok
 
Excelência em gestão pública portifólio unopar (1)
Excelência em gestão pública   portifólio unopar (1)Excelência em gestão pública   portifólio unopar (1)
Excelência em gestão pública portifólio unopar (1)
 
Excelência em gestão pública portifólio unopar
Excelência em gestão pública   portifólio unoparExcelência em gestão pública   portifólio unopar
Excelência em gestão pública portifólio unopar
 
Slide atividade interdisciplinar em grupo
Slide   atividade interdisciplinar em grupoSlide   atividade interdisciplinar em grupo
Slide atividade interdisciplinar em grupo
 
T.I.G
T.I.GT.I.G
T.I.G
 
Apresentação unopar cópia
Apresentação unopar   cópiaApresentação unopar   cópia
Apresentação unopar cópia
 

Último

Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
samucajaime015
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 

Último (20)

Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 

Apresentação trab. em grupo slides

  • 1. Trabalho de Pesquisa de Gestão Ambiental Resíduos Sólidos: A Sua Gestão e as Causas da Má Destinação Trabalho Interdisciplinar de Grupo CHARLOTTE NOGUEIRA DA ROCHA QUIRINO GILDERLAN DOS SANTOS LIMA MAGALI PEIXOTO DE LIMA MAYARA DE FATIMA DA SILVA CERQUEIRA Universidade Norte do Paraná Nova Iguaçu 10 de Junho de 2014 Prof.Tutor. João Carlos Melo
  • 2. INTRODUÇÃO • DEFINIÇÃO: Os resíduos sólidos urbanos (RSU's), vulgarmente denominados por lixo urbano, são resultantes da atividade doméstica e comercial das populações. A sua composição varia de população para população. • CLASSIFICAÇÃO: Todos os dias milhares de toneladas de lixo são depositados em lugares impróprios, acumuladas em lixões que causam problemas sociais, ambientais e econômicos para as cidades, para acabar com o manejo inadequado de resíduos sólidos, o governo instituiu uma política nacional que prevê a não geração, a redução, a reutilização e o tratamento de resíduos, assim como a disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos, ou seja, daquilo que não pode ser reciclado ou reutilizado. O lixo produzido em larga escala, a destinação incorreta dos dejetos e os descaso com os lixões espalhados pelo pais, representam um risco não só ao meio ambiente, mas a saúde da população, diante desse cenário o que vem gerar o incentivo de fechar todos os lixões até o ano de 2014, um verdadeiro desafio aos nossos governantes.
  • 3. O gerenciamento integrado de resíduos sólidos é aquele que completa o uso de práticas administrativas de resíduos, com manejo seguro e efetivo, mantém o fluxo de resíduos sólidos urbanos com o mínimo de impacto sobre a saúde pública e o ambiente OBJETIVO
  • 4. DESENVOLVIMENTO A lei faz a distinção entre resíduo (lixo que pode ser reaproveitado ou reciclado) e rejeito (o que não é passível de reaproveitamento), além de se referir a todo tipo de resíduo: doméstico, industrial, da construção civil, eletroeletrônico, lâmpadas de vapores mercuriais, da área de saúde e perigoso. Buscando melhorar o acondicionamento: •a coleta, •o tratamento, •o transporte •a destinação final Foi apresentado um projeto de lei ao Senado Federal. Quase duas décadas de tramitação de projetos relacionados ao tema, se viabilizou a Lei nº 12.305 sancionada pelo então Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva em 02 de agosto de 2010 que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos e altera a Lei nº 9.605 de 12 de fevereiro de 1998
  • 5. Também existem classificações mais específicas para uso de determinados grupos que têm por restos de suas operações, resíduos mais delicados ou perigosos. Podemos ainda ter o lixo hospitalar, industrial, agrícola, ou entulho, o qual a responsabilidade, atualmente, pertence àquele que gera. Seguem alguns exemplos: • O lixo domiciliarlixo domiciliar, também chamado de doméstico ou residencial é aquele produzido nas residências, composto de restos de comida, jornais e revistas velhos, papéis em geral, embalagens, etc. •O comercialcomercial é produzido em estabelecimentos comerciais e prestadores de serviço, composto especialmente por papéis, papelões e plásticos. • O públicopúblico, quando provém dos serviços públicos, como limpeza urbana, limpeza de áreas de feiras livres, resíduos da varrição, capina, raspagem etc. • O hospitalarhospitalar, produzido em hospitais, postos de saúde, clínicas médicas e ambulatórios, é considerado perigoso, por conter materiais infecciosos e haver riscos de contaminação. •O industrialindustrial, resultante das atividades industriais, varia de acordo com o tipo de indústria, assim, indústrias metalúrgicas, alimentícias, químicas têm um lixo bem diferente. Restos de carvão mineral, cinzas, lodo, escórias, restos de alimentos, são alguns deles.
  • 6. • A relação entre resíduos:A relação entre resíduos: A relação entre resíduos e problemas ambientais é mais evidente no campo de resíduos sólidos, uma vez que seu grau de dispersão é menor do que os líquidos e gasosos. Podemos facilmente avaliar o problema observando a quantidade de resíduos produzidos em diversas casas e indústrias, que de alguma forma devem ser dispostos. Diferentemente dos resíduos líquidos e gasosos, os resíduos sólidos são produzidos fartamente pela população da área urbana.
  • 7. • RESÍDUOS SÓLIDOS E AS CAUSAS DA SUA MÁ DESTINAÇÃO: Com o acúmulo de lixos nas encostas dos principais rios que deságuam na Bahia de Guanabara, tem sido uma das principais causas de enchentes e alagamentos no Rio de Janeiro, nos períodos de muitas chuvas, podemos ver o descaso com a prevenção dessas catástrofes que gera muitas perdas principalmente a famílias de baixa renda, que perdem praticamente todos os móveis e eletrodomésticos com as inundações. Deve–se realizar inspeções, implementar programas de conscientização do cidadão incentivar ONG´s que desenvolvem projetos de reciclagens, formas de reaproveitamento do lixo na sua forma sustentável, tornando os parceiros do meio ambiente e minimizando os impactos ambientais. Implementando políticas públicas com sustentabilidade ambiental para a região, caso contrário, novos problemas de enchentes continuaram a ocorrer com as futuras chuvas intensas que voltarão a se precipitar no futuro. Se a situação se mantiver como está, é tragédia anunciada. CONCLUSÃO
  • 8. APÊNDICE - Todo projeto de pesquisa teve como sua principal fonte extraída pela internet. BIBLIOGRAFIA BRASIL. Lei n. 12.305, de 02 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm. Acesso em: 23 maio 2014. WIKIPÉDIA. Ecoeficiência. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ecoefici %C3%AAncia. Acesso em: 23 maio 2014. EUROPA. Sínteses da legislação da EU. Ambiente. Gestão de resíduos. Disponível em: http://europa.eu/legislation_summaries/environment/waste_management/ev00 10_pt.htm. Acesso em: 23 maio 2014.